Você está na página 1de 12

ESTUDO DE CASO 1: PRINCESS ALEXANDRA

Ficha Técnica:

Arquiteto (s): Associated architects


Localização: Yarm School, The Friarage - Yarm
Cliente: College Yarm
Área: 4.228 m²
Ano: 2012

Síntese:

O projeto do auditório foi implantado numa escola privada de Stockton – On, que fazia parte do programa do instituto,
agregar ao seu plano um local de cultura, dinâmica, aprendizado e performances propícias para artes. Seu uso daria
oportunidades para eventuais celebrações públicas, mas principalmente para os seus estudantes do colégio.

Diante disto, o projeto se estendeu para ambientes onde os mesmos poderiam exercer atividades coletivas para
maior integração e mais interessante para a escola como: área de café, espaços para ensaios de orquestras,
acervos, áreas abertas para lazer, com o intuito de ativar seu uso com o restante da escola e de seu entorno.

O pé-direito duplo do hall de entrada, maximiza a vista deslumbrante sobre o rio Tees, conecta o auditório flexível em
forma de leque, capaz de acomodar até 800 pessoas, a um novo bloco acadêmico às margens do rio, contendo salas
de aula e espaços multi-uso para atividades em grupo relacionadas à dança e ao teatro.

Suas fachadas foram projetadas com um aspecto texturizado e com movimento em diferentes pontos de vista, tanto
em seu gabarito quanto sua forma. A forma de leque faz com que dentro do auditório haja uma interaçção com seu
campo visalo de uma maneira externa, mas também com um senso racional do seu uso principal, aplicando a madeira
como seu principal material de obra junto do vidro, que cobre fachadas com objetivo de vazar os ambientes de maior
impacto visual e parcialmente o próprio auditório.
PLANTA DE SITUAÇÃO

CORTE TRANSVERSAL

IMPLANTAÇÃO
PERSPECTIVA 1
PERSPECTIVA 1

VISTA INTERNA 1 VISTA INTERNA 2


ESTUDO DE CASO 2: HANCHER

Ficha Técnica:

Arquiteto (s): Pelli Clarke Architects


Localização: lowa City, IA – Estados Unidos
Cliente: Universidade de Iowa
Área: 17.651 m²
Ano: 2016

Síntese:

O projeto reconhecido por atribuir novas obras de dança e música, atraindo diretamente o público, é considerado por
muitos o novo lar na cidade de Iowa.

O desenho responde tanto ao seu terreno e contexto exterior quanto ao programa e planejamento adjacente no interior. O
desenho exterior do edifício está especificamente influenciado pelo rio Iowa ao leste, Park Road e City Park ao
norte, Levitt Center a oeste e o Campus de Arte ao sul. As longas curvas do edifício respondem ao fluxo do rio e sua
topografia circundante. Suas formas cônicas e o balanço permitem a máxima transparência em todos os níveis públicos.
Os elementos menores, ao longo do caminho do parque, remetem às formas do adjacente Centro Levitt. A rótula do
Centro, junto com o volume da sala de ensaios de Hancher, constituem uma metafórica porta aberta de entrada ao
campus das Artes.

O novo auditório cria uma experiência íntima entre os padrões e os artistas no cenário. Os balcões curvados e terraços
continuam com a ideia das faixas exteriores em toda a parte interior da sala. Os acessórios de iluminação LED, com
arcos reguláveis individualmente, reforçam a forma e a geometria tanto do edifício como do hall e criam uma dramática
experiência teatral. Uma concha de orquestra dobrável, de acústica ajustável, o sistema de AV e iluminação de produção
permitem que o salão se adapte especificamente às atuações que vão desde a orquestra e a ópera até as apresentações
da Broadway e espetáculos de dança.

Mesmo a sala de ensaio tendo sua própria entrada exterior, uma grande galeria a conecta com o hall principal. Esta sala
acústica e teatralmente flexível pode abrigar eventos que vão desde recepções até o teatro experimental, incluindo
eventos potenciais utilizando a parede acusticamente envidraçada do norte e o íntimo anfiteatro ao ar livre.
PERSPECTIVA 1 PERSPECTIVA 2

VISTA INTERNA 2
VISTA INTERNA 1
PLANTA DE SITUAÇÃO
IMPLANTAÇÃO

CORTE TRANSVERSAL
ESTUDO DE CASO 3 – AUDITÓRIO DEVON ENERGY

Ficha Técnica:

Arquiteto (s): Pickard Chilton


Localização: Oklahoma City – Estados Unidos
Cliente: Devon Energy
Área: 21.000m²
Ano: 2013

Síntese:

O projeto está situado em um jardim paisagístico e oferece vistas privilegiadas do centro da cidade e do parque da
cidade, Myriad Gardens, onde a edificação se aproveita da oportunidade para criar suas fachadas adequadas e
instigadas pelas possibilidades de aberturas.

O projeto do Auditório Devon respeita o renascimento urbano da cidade e incentiva uma vida urbana vibrante. Um
alto nível de transparência serve para conectar funções internas com eventos externos, permitindo que o edifício se
envolva com sua vizinhança. Um lobby com pé-direito duplo e fachada de vidro se projeta para a rua, acentuando o
seu perfil público. Uma laje de claraboias define a entrada, criando uma cortina de luz zenital acima da escada da
entrada principal e na parte de trás do auditório. Projetado com foco na experiência do usuário, os assentos
são envolvidos por planos de madeira, iluminação suave e uma vista impressionante para o jardim.

A conexão de uma delicada passarela de vidro, desde a sede até o segundo nível do auditório, define um acesso
seguro de pedestres ao parque. Foi projetado para dar suporte tanto a eventos privados quanto públicos, criado para
agrupar até 300 pessoas e projetado para suportar acusticamente uma variedade de apresentações musicais. A
flexibilidade programática do espaço aumenta seu valor para a comunidade, proporcionando assim uma comodidade
cívica significativa para o centro de Oklahoma.

As placas do auditório são mecanicamente inclináveis, instigando probabilidades de experimento para a experiência
auditiva.
PLANTA DE SITUAÇÃO

IMPLANTAÇÃO

CORTE TRANSVERSAL

PLANTA 1º PAVIMENTO
PERSPECTIVA 1 VISTA INTERNA

PERSPECTIVA 2