Você está na página 1de 107

SENSAÇÃO, PERCEPÇÃO

E ATENÇÃO

Professora Dra. Liana Dantas


SENSAÇÃO

• Sensação: Fenômeno elementar gerado por estímulos


físicos, químicos ou biológicos, originados fora ou dentro
do organismo, que produzem alterações nos órgãos
receptores, estimulando-os.

•São gerados por estímulos sensoriais específicos, como


os visuais, táteis, olfativos, gustativos, proprioceptivos e
cinestésicos;
SENSAÇÃO

• Sensação: simples CS dos componentes sensoriais e das


dimensões da realidade (mecanismos de recepção de
informações)

•Ex: na escuridão de seu quarto, à noite, alguém vê uma


sombra fracamente delineada e escura.
SENSAÇÃO

• Sensação é reação física do corpo que


resulta na ativação das áreas primárias do
cortex do cérebro.

•Vivência simples, produzida pela ação de


um estímulo (externo ou interno: luz, som,
calor, etc.) sobre um órgão sensorial,
transmitida ao cérebro através do sistema
nervoso.
SENSAÇÃO

•Embora por vezes se considere a sensação como o ponto de


partida para a construção da experiência e do saber, ela não é,
no entanto, um dado imediato da consciência: a sensação só se
apresenta ao nosso espírito sob uma forma mais complexa, a
forma de percepção.

•Apenas podemos falar de sensações nas percepções se as


considerarmos em si mesmas, sem considerar o que significam.
SENSAÇÃO

• Antes do homem
inventar a palavra e com
ela conceituar o universo,
sua forma de relacionar-
se com o mundo era
através dos sentidos.
SENSAÇÃO

• PARA O ESTUDO DOS MÉTODOS SENSORIAIS


CINCO SENTIDOS SÃO IMPORTANTES:

•VISÃO

•OLFAÇÃO

• AUDIÇÃO

• TATO

• GUSTAÇÃO
ESTÍMULO

• QUALQUER ATIVADOR
QUÍMICO OU FÍSICO QUE
PROVOQUE
UMA RESPOSTA NO
RECEPTOR.
ESTÍMULOS

 UM RECEPTOR PARA CADA


SENTIDO ESTÁ CONDICIONADO
À RECEBER UMA
DETERMINADA CLASSE DE
ESTÍMULO:

MECÂNICO
 TÉRMICO
 FÓTICO
ACÚSTICO
 QUÍMICO
 ELÉTRICO
ESQUEMA

ESTÍMULO

ÓRGÃOS DOS SENTIDOS


(receptores neuro-sensoriais)

SENSAÇÃO
(reflexão)

PERCEPÇÃO
(interpretação, reconhecimento)
OBS: As alterações nos órgãos receptores são gerados por
estímulos sensoriais específicos, como: os visuais, táteis, olfativos,
gustativos, proprioceptivos e cinestésicos .

ASSIM:

• OS OLHOS SÃO RECEPTORES DO ESTÍMULO LUZ

•OS OUVIDOS PARA O SOM

•O OLFATO PARA O ODOR

•A LÍNGUA PARA CAPTAR SABORES

•A PELE PARA A TEXTURA E TEMPERATURA DOS


ALIMENTOS.
- fenômeno psíquico elementar que resulta da
ação de estímulos externos sobre os nossos
órgãos dos sentidos.

- processo de coleta de informações sobre


nosso meio ambiente

- processo que não envolve a interpretação

-Para percebermos o mundo ao redor teremos


de nos valer dos nossos sistemas sensoriais
 Em psicologia, neurociência e ciências
cognitivas, percepção é a função
cerebral que atribui significado a
estímulos sensoriais, a partir de
histórico de vivências passadas.
 Através da percepção um indivíduo organiza
e interpreta as suas impressões sensoriais
para atribuir significado ao seu meio.

 Consiste na recepção, seleção, aquisição,


transformação e organização das
informações fornecidas através dos nossos
sentidos (BARBER, LEGGE, 1976, p.11).
 A sensação consiste numa espécie de
apresentação isolada das qualidades dos
objetivos constituindo a base da percepção,

 A percepção não pode ser isolada da


sensação.

 É a via de contato com o meio fornecendo


elementos imediatos e sensíveis que vão ser
objetos de um processo de interpretação e
organização.
 Gêmeos univitelinos - mesma arquitetura
biológica e genética;

 Talvez aquilo que um deles percebe como uma


cor ou cheiro, não seja exatamente igual à cor
e cheiro que o outro percebe.

 A percepção é a apreensão de uma situação


objetiva baseada em sensações, acompanhada
de representações e freqüentemente de juízos
 - A percepção não é uma
fotografia dos objetos do
mundo determinada
exclusivamente, pelas
qualidades objetivas do
estímulo.
 Acrescentamos aos estímulos elementos:
 da memória,
 do raciocínio,
 do juízo
 e do afeto

 Portanto, acoplamos às qualidades


objetivas dos sentidos outros elementos
subjetivos e próprios de cada indivíduo.
 “Define-se percepção o processo de
organização e interpretação dos dados
sensoriais (sensações) para
desenvolver a consciência do meio
ambiente e de nós mesmos”
(DAVIDOFF, 2005, p. 141)
 Percepção é a função cerebral que
atribui significado a estímulos
sensoriais, a partir de histórico de
vivências passadas.

 Através da percepção, um indivíduo


organiza e interpreta as suas
impressões sensoriais para atribuir
significado ao seu meio
 A percepção depende tanto do meio
ambiente como da pessoa que o
percebe

 Contribuições do meio ambiente

 Contribuições do sujeito da percepção


O mundo que nos rodeia fornece as
propriedades válidas, que são recuperadas a
partir das informações sensoriais.

Sem nos darmos conta, parece que


“estudamos” os padrões que vão mudando à
medida que nos movimentamos (formas,
texturas, cores, iluminação, etc.)

 Ex: observação de um retângulo (qualquer ângulo) ,


verá 04 cantos – identificador confiável
ANOREXIA NERVOSA
 Durante a percepção o conhecimento sobre o
mundo combina-se com:

 Habilidades Construtivas

 Fisiologia

 Experiências do sujeito
 São certas operações cognitivas que
ocupam lugar de destaque na percepção.

 Operações de testes de hipóteses,


antecipação, armazenamento e
integração.
 Ex: olho para a barriga do meu cachorrinho, que
está se movimentando ritmadamente para dentro
e para fora, o que sugere que está dormindo.

 Depois olho para seus olhos e para o corpo imóvel,


para confirmar a minha suposição de que ele está
realmente dormindo.
 Como sujeitos da percepção, estamos
continuamente antecipando o que ocorrerá
depois.

 As informações de cada ato perceptivo


precisam ser armazenadas
momentaneamente na memória (contrário -
perdidas).

 Pouco a pouco vamos combinando os dados


das sucessivas explorações.
 Para entender a percepção, precisamos
também saber algo do equipamento
fisiológico que possibilita coletar
informações (sistemas sensorial e
nervoso).
 P. ex, não podemos ouvir o som alto
registrado pelos morcegos, nem sentir o
cheiro de suor que é exalado pelos sapatos,
embora os cães os sintam; e as forças
magnéticas sentidas pelos golfinhos.

 Sensibilidades sensoriais mudam:


 Gravidez
 Terceira idade
 A percepção depende também do ponto de
fixação da pessoa

 Dados interpretados através de experiências


passadas.
 MECANISMOS DO PERCEBEDOR

 CARACTERÍSTICAS DO ESTÍMULO

 ESTADO PSICOLÓGICO DE QUEM PERCEBE


 ÓRGÃOS RECEPTORES

 NERVOS CONDUTORES

 CÉREBRO
 São condições externas ao percebedor;

 Determinantes objetivos da percepção;

 Alguns estímulos chamam mais a nossa


atenção que outros;

 Outros nem são percebidos.

 Ex: ruídos de 20 decibéis


 Intensidade – tendemos a
selecionar estímulos de
maior intensidade .
 Ex: clarão forte, cheiro
penetrante, som agudo.

 Tamanho – atendemos
pessoalmente para os
anúncios maiores;
 Forma - estímulos de forma
definida e contornos são
mais percebidos;

 Cor - objetos coloridos


atraem mais a atenção;

 Mobilidade – anúncios
móveis são mais percebidos
que os estacionários.
 A repetição ou a frequência
do estímulo é um outro fator
de atenção.

 A repetição continuada
resulta numa receptividade
menor ao mesmo estímulo.

 Ex: deixa se de ouvir o ruído


de um relógio.
 A repetição chama a nossa
atenção quando o estímulo
se repete apenas algumas
vezes.

 Ex: um anúncio que aparece


duas vezes em uma revista
ou em um programa de TV.
 É um fator determinante da percepção, seus
motivos, emoções e expectativas fazem com
que perceba certos estímulos do meio.

 Ex: procurar uma bola vermelha em uma loja .

 Os estímulos que despertam:


- Ansiedade,desagrado ou frustração,
 Têm até certo grau de intensidade, menor
probabilidade de serem percebidos.
 Papéis desempenhados pelos sentidos no
processo de percepção:

1. Detecção

2. Transdução

3. Transmissão

4. Processamento de informações
 Em cada órgão sensorial há uma única célula
ou um grupo de células especializadas que
captam estímulos do meio

 Receptor: presente em cada sentido é o


elemento da detecção.

 Ex: Certas células do ouvido respondem a


vibrações de ar (energia mecânica que
experenciamos como sons)
 Os receptores sensoriais convertem a
energia que entra em sinais eletroquíimicos
que o SN usa para a comunicação.

 Ex: No olho, a luz visível (fóton) é


transformado em impulso nervoso.
 Ex: Na orelha, as ondas de pressão sonora
são convertidas em sinais elétricos.
 Através de nervos periféricos, as
informações que foram decodificadas
chegam ao sistema nervoso central (na
medula ou no encéfalo).

 No córtex cerebral, em regiões


específicas, ocorrem o conhecimento
sobre o mundo externo e sobre o nosso
próprio corpo.
 Receptores e o cérebro processam as
informações sensoriais.

 Em organismos mais simples: receptores fazem


grande parte do processamento - rãs

 Em animais complexos: o cérebro carrega uma


parte bem maior da carga – ser humano
ATENÇÃO
ATENÇÃO
 É a focalização consciente e específica
sobre alguns aspectos ou algumas
partes da realidade.

 Atenção pode ser entendida como uma


atitude psicológica através da qual
concentramos a nossa atividade
psíquica sobre um estímulo específico.
 É a abertura seletiva a uma pequena porção
de fenômenos sensoriais incidentes.

 Processo semelhante ao de uma filmadora


(focalizamos um evento de cada vez).
ESTÍMULO

 Segundo plano: estímulos que se alojam na


periferia ou nos limites da atenção.

 Ex. da conversa em uma festa.


 Os psicólogos ainda não chegaram a um
acordo em relação a que tipo de
capacidade é a atenção.

 A atenção é apenas um aspecto da


percepção e de outras capacidades
cognitivas (ULRIC NEISSER, 1976).
 O ato de perceber
requer seletividade.

 Ex: registro de
movimentos dos
olhos ao examinar
quadros e fotos.
 Estudos de atenção dividem:

 As pessoas podem fazer duas tarefas


complicadas ao mesmo tempo, porém há
restrições definidas.

 A capacidade da atenção depende dos


recursos que estão sendo requeridos pelas
tarefas em execução.
 Se o controle consciente e os
recursos requeridos forem poucos, as
pessoas podem lidar com outras
tarefas ao mesmo tempo.

 Tornar automática para requerer


pouca atenção.
 Outros cientistas cognitivistas: atenção é
uma capacidade distinta (comumente
representada como um filtro de
informações).
 Pessoas e outros animais geralmente voltam
a atenção mais ao ambiente externo do que
ao interno.

 Informações mais significativas.


 Dados novos,
inesperados,
intensos ou
mutantes;

 Atenção para a boca


do interlocutor;

 Necessidades,
interesses e
valores.
 Paramos de prestar atenção: experiências
repetitivas ou conhecidas

 Se atentássemos todo momento a tudo,


indícios importantes poderiam ficar
perdidos em meio ao acúmulo de
informação.
 O processo perceptivo depende
tanto dos sistemas sensoriais
quanto do cérebro.
 Sentidos químicos: paladar e
olfato
 Sentidos de posição: cinestésico
e vestibular
 Sentidos cutâneos: contato,
pressão, calor, frio e dor
 Audição
 Visão
 TRABALHANDO EM
GRUPO!!!

 Operações sensoriais
 Paladar e Olfato

 Fornecem informações que ajudam


os animais na sobrevivência.

 Sistemas sensoriais intimamente


ligados

 Nos dois sistemas, os receptores


respondem a substâncias
químicas.
 Informações sobre o que se pode ou
não desejar comer.

 Células gustativas

 Botões gustativos: grupo de células


gustativas.

 Informações do paladar são


processadas pelo cérebro pelo
córtex somatossensorial nos lobos
parietais e pelo sistema límbico.
 Qualidades palatais primárias: azedo,
doce, salgado e amargo (Ludel, 1978).

 Sensações palatais são influenciadas


também pelos dados de outros sistemas
sensoriais: temperatura (sal), textura
(melancia), cor e dor (gelatina).

 O gosto depende também do local onde


ele é mantido na boca – língua tem
regiões particularmente sensíveis às
sensações palatais básicas.
 Fornece informações sobre as
substâncias químicas suspensas no ar e
solúveis em água ou gordura.

 Receptores: bastonetes olfativos


(localizados no alto da cavidade nasal).

 Depende da hora do dia: somos mais


sensíveis antes do almoço.

 Depende dos outros odores


eventualmente presentes
 Os cientistas consideram o olfato o
sentido humano menos importante.

 O ser humano parece não localizar bem


os odores;

 Algumas toxinas são inodoras;

 A função mais útil do olfato: tornar


agradável o ato de comer.

 Para animais mais simples, o olfato tem


uma função social fundamental.
 Sentido cinestésico: informa-nos do
posicionamento relativo das partes do
corpo durante os movimentos.

 Monitora o que as partes do corpo


estão fazendo;

 Depende de vários tipos de receptores


nas juntas, nos músculos e nos tendões.
 Sentido vestibular: ou sentido de
orientação e equilíbrio.

 Fornece informações sobre o


movimento e a orientação da cabeça e
do corpo em relação à Terra conforme
as pessoas movimentam-se sozinhas ou
em veículos.

 Ajudam as pessoas a manter uma


postura ereta e ajustar a postura
durante os movimentos.
 Antigamente chamado de tato, é constituído
por cinco sistemas dérmicos (ou
somatossensoriais): contato físico, pressão
profunda, calor, frio e dor.

 Epiderme: camada externa, protetora e


contém células mortas.

 Derme: espessa camada viva, onde células


novas são produzidas.

 Receptores somatossensoriais encontram-se


 Muitos receptores respondem: parecem
se especializar em uma das cinco
sensações cutâneas.

 Outros respondem a estímulos que


produzem algumas ou até as cinco
sensações.

 Implicações: sensação é localizada em


pontos específicos; pontos sensíveis não
são igualmente responsivos a pressão,
contato, frio, calor e dor.
 Estima-se que nós podemos discriminar
em torno de 400.000 sons distintos

 Percepção auditiva refinada a um grau


impressionante: cegos e músicos.

 O sentido da audição baseia-se em


células do ouvido que respondem a
mudanças rápidas na pressão
(vibrações) do ar circundante.
 Experienciamos sons e não ondas
sonoras.

 As ondas sonoras estão relacionadas


com nossas experiências subjetivas.

 A presença de outros sons altera


nossa percepção de volume.
 Os chamados apitos silenciosos
para cães têm uma freqüência
acima da nossa faixa de audição,
porém dentro da faixa dos cães.
 A surdez total é rara.
 Diminuições de audição: surdez do
ouvido interno e surdez do ouvido
médio.
 Surdez do ouvido médio: doenças e
infecções do ouvido médio que levam à
ruptura do tímpano e acúmulo de cera.
 Surdez do ouvido interno: condições
lesivas (antibióticos poderosos, vírus,
deficiência hereditária ou pré-natal e
prolongada exposição ao barulho)
 Geralmente, considerada o sentido
predominante.

 A capacidade de ver depende das


células especiais nos olhos que
respondem a ondas luminosas.

 Ondas luminosas consistem de


vibrações do campo
eletromagnético.
 Olho pode ser descrito como uma câmara
escura: uma abertura na frente (pupila,
que permite a entrada de luz); Íris (disco
colorido que circunda a pupila e controla o
tamanho da abertura).

 Da mesma forma que a câmera


fotográfica, os olhos focam as ondas
luminosas e a imagem é revertida de cima
para baixo e da direita para a esquerda.
 Abordagem Gestáltica.

 Leis que governam a percepção,


segundo os psicólogos gestálticos:
 Constância: percebemos
os objetos como tendo
propriedades
constantes.

 Ex: Um homem não


encolhe enquanto se
afasta, mas sua imagem
fica menor na retina.
ORGANIZAÇÃO PERCEPTIVA

 Figura e Fundo: sempre que olhamos ao


redor, tendemos a ver objetos ou figuras
contra um segundo plano ou fundo.
 O contorno é simplesmente uma transição
entre os dois tipos de estímulo.

 Nem sempre vemos imediatamente as figuras


emergirem do fundo.

 Por ex, quando olhamos para paisagens


distantes ou animais camuflados.
 Agrupamento: separar agrupamentos de
elementos e tratá-los como uma unidade.

 Tendemos a perceber os estímulos


agrupados, segundo algum critério.

 Proximidade
Similaridade: elementos visuais com
cores, formas ou texturas similares
são vistos como agrupados.
 Ex; pág. 167 (fig. 4.21)
 Proximidade: elementos visuais
próximos uns dos outros são vistos
como um todo. (fig. 4.22)
 Simetria: elementos visuais que
compõem formas regulares, simples e
bem equilibradas são vistos como um
todo.
 Continuidade: elementos visuais que
permitem que linhas, curvas ou
movimentos continuem em uma direção
já estabelecida tendem a ser
agrupados.(fig. 4.24; pág. 168)
 Fechamento: objetos incompletos
são normalmente preenchidos e
vistos como completos.
 Às vezes as regras trabalham em
conjunto (fig. 4.22; pág. 167):
proximidade, similaridade e
continuidade.

 Na fig. 4.26 (pág. 168): princípios


de agrupamento são conflitantes.
Nesse exemplo,a proximidade da
forma choca-se com a similaridade.
Três propriedades das cores:
1. Tonalidade: corresponde ao termo cor.
São características das cores cromáticas.
Cores acromáticas: variações de cinza,
incluindo preto e branco.
2. Brilho: para ver cores como rosa
choque e variações de cinza. Está
relacionada com a intensidade.
3. Saturação: pureza de uma
tonalidade (o quanto uma tonalidade
parece desbotada ou pálida como
resultado de uma mistura com luz
branca).
E por fim:

- Os indicadores pictóricos são


aprendidos. Comparamos as
imagens na retina com memórias
de experiências passadas
enquanto contrastamos dimensões
como tamanho, forma, nitidez e
inteireza.