Você está na página 1de 53

ISLAMISM

O
Submissão
O QUE É O ISLAMISMO

Uma das quatro religiões monoteístas


baseadas nos ensinamentos de Maomé
(570-632 d.C.), chamado “O Profeta”,
contidos no livro sagrado islâmico, o
Corão.
A palavra islã significa submeter, e
exprime a submissão à lei e à vontade
de Alá.
Seus seguidores são chamados de
muçulmanos, que significa aquele que
HISTÓRIA
Maomé nasceu na cidade de Meca, na Arábia
Saudita, centro de animismo e idolatria.
Como qualquer membro da tribo Quirache, Maomé
viveu e cresceu entre mercadores. Seu pai,
Abdulá, morreu por ocasião do seu nascimento, e
sua mãe, Amina, quando ele tinha seis anos.
Aos 40 anos, Maomé começou sua pregação,
quando, segundo a tradição, teve uma visão do
anjo Gabriel, que lhe revelou a existência de um
Deus único.
Khadija, uma viúva rica que se casou com Maomé,
investiu toda sua fortuna na propagação da nova
doutrina.
Maomé passou a pregar publicamente sua
mensagem, encontrando uma crescente oposição.
Perseguido em Meca, foi obrigado a emigrar para
Medina, no dia 20 de Junho de 622. Esse
TEOLOGIA
Segundo os muçulmanos, o Corão
contém a mensagem de Deus a
Maomé, as quais lhe foram reveladas
entre os anos 610 a 632.
Seus ensinamentos são considerados
infalíveis.
É dividido em 114 suras (capítulos),
ordenadas por tamanho, tendo o maior
286 versos.
A segunda fonte de doutrina do Islã, a
Suna,
Suna é um conjunto de preceitos
TEOLOGIA
Os muçulmanos estão divididos em
dois grandes grupos: os Sunitas e os
Xiitas.
Xiitas
Os Sunitas subdividem-se em quatro
grupos menores: Hanafitas, Malequitas,
Chafeitas e Hambanitas. Os Sunitas são
os seguidores da tradição do profeta,
continuada por All-Abbas, seu tio.
Os Xiitas são partidários de Ali, marido
de Fátima, filha de Maomé. São os
líderes da comunidade e continuadores
TEOLOGIA - GRUPOS
Os muçulmanos estão divididos entre sunitas, o grupo
majoritário, e xiitas, a minoria dentro da religião. Os
sunitas formam o tronco principal da religião, ligado à
interpretação mais aceita da história islâmica, e reúnem
cerca de 90% dos muçulmanos no mundo.
A diferença em relação ao Islã xiita é a aceitação à
seqüência de califas da história islâmica. Sem
características comuns entre si, os muçulmanos sunitas
incluem praticantes da religião em todas as partes do
mundo e de todas as tendências, dos mais conservadores
até os moderados e seculares.
Os xiitas, que reúnem cerca de 10% dos muçulmanos,
surgiram como movimento político de apoio a Ali e
acabaram formando uma ramificação da religião islâmica.
A dissidência surgiu quando os xiitas se uniram para
apoiar Ali, primo de Maomé, como o herdeiro legítimo do
poder no Islã após a morte do profeta, com base na
suposta declaração de que ele era seu sucessor ideal.
A evolução para uma fórmula religiosa diferente teria
começado com o martírio de Husain, o filho mais novo de
TEOLOGIA
O Islamismo é atualmente a segunda maior
religião do mundo, dominando acima de 50%
das nações em três continentes.
O número de adeptos que professam a religião
mundialmente já passa dos 935 milhões.
O objetivo final do Islamismo é subjugar o
mundo e regê-lo pelas leis islâmicas, mesmo
que para isso necessite matar e destruir os
“infiéis ou incrédulos” da religião.
Segundo eles, Alá deixou dois mandamentos
importantes: o de subjugar o mundo
militarmente e matar os inimigos do Islamismo
-- judeus e cristãos.
Algumas provas dessa determinação foi o
TEOLOGIA
A guerra no Kuweit, nada mais foi do que uma
convocação de Saddam Hussein aos
muçulmanos para uma “guerra santa”,
também chamada de Jihad, contra os países
do Ocidente (Estados Unidos) devido à
proteção dada a Israel.
Vinte e seis países entraram em uma guerra,
gastaram bilhões de dólares, levaram o
Estados Unidos a uma recessão que se sente
até hoje, para combater um homem que
estava lutando por razões religiosas.
Eles aparentemente perderam a guerra, mas,
como resultado, houve 100 atos terroristas
cometidos contra a América e Europa no
mesmo mês.
O “espírito” da liga muçulmana em unificar os
DOUTRINA
O Islamismo crê que existe um só Deus
verdadeiro, e seu nome é Alá
Alá não é um Deus pessoal, santo ou amoroso,
pelo contrário, está distante e indiferente
mesmo de seus adeptos.
Suas ordens expressas no Corão são
imperativas, injustas e cruéis.
Segundo Maomé, ele é autor do bem e do mal.
Num dos anais que descreve as mensagens de
Alá para Maomé, ele diz: “Lutem contra os
judeus e matem-nos”. Em outra parte diz: “Oh
verdadeiros adoradores, não tenha os judeus
ou cristãos como vossos amigos. Eles não
DOUTRINA

O Islamismo crê erroneamente em


anjos
Segundo eles, Gabriel foi quem
transmitiu as mensagens de Alá para
Maomé.
É ensinado que os anjos são inferiores
aos homens, mas intercedem pelos
homens.
TEOLOGIA

O Islamismo crê que exista um só


livro sagrado dado por Alá, o
Corão, escrito em Árabe
Os muçulmanos creêm que Alá deu
uma série de revelações, incluindo o
Antigo e Novo Testamentos, que é
chamado de Corão.
Segundo eles, as antigas revelações de
Alá na Bíblia foram corrompidas pelos
cristãos, e, por isso, não são de
TEOLOGIA
O Islamismo crê que Maomé é o último e
o mais importante dos profetas
Conforme o Islamismo, Alá enviou 124,000
profetas ao mundo, apesar de unicamente
trinta estarem relacionados no Corão.
Os seis principais foram:
Profeta Adão, o escolhido de Alá
Profeta Noé, o pregador de Alá
Profeta Abraão, o amigo de Alá
Profeta Moisés, o porta-voz de Alá
Profeta Jesus, a palavra de Alá
Profeta Maomé, o apóstolo de Alá
TEOLOGIA

Islamismo crê na predestinação do


bem e do mal
Tudo o que acontece, seja bem ou mal,
é predestinado por Alá através de seus
decretos imutáveis.
TEOLOGIA

O Islamismo crê que haverá o dia


da ressurreição e julgamento do
bem e do mal
Neste grande dia, todos os feitos do
homem, sejam bem ou mal, serão
colocados na balança.
Os muçulmanos que adquiriram
suficientes méritos justos e pessoais
em favor de Alá irão para o céu; todos
os outros irão para o inferno.
CONVERSÃO
Não é preciso ter nascido muçulmano ou ser
casado com um praticante da religião.
Também não é necessário estudar ou se
preparar especialmente para a conversão.
Uma pessoa se torna muçulmana quando
proferir, em árabe e diante de uma
testemunha, que "não há divindade além de
Deus, e Mohammad é o Mensageiro de Deus".
O processo de conversão extremamente
simples é apontado como um dos motivos
para a rápida expansão do islamismo pelo
mundo.
A jornada para a prática completa da fé,
contudo, é muito mais complexa. Nessa tarefa,
outros muçulmanos devem ajudar no
COLUNAS DO ISLAMISMO

A vida religiosa do muçulmano tem


práticas bastante rigorosas, as quais
são chamadas de “Colunas da
Religião”.
COLUNAS DO ISLAMISMO

Recitação do credo islâmico: Não


existe nenhum deus além de Alá e
Maomé, o seu profeta.
COLUNAS DO ISLAMISMO

Preces cotidianas: chamadas de


slãts, feitas cinco vezes ao dia, cada
vez em uma posição diferente (de pé,
ajoelhado, rosto no chão, etc), e
virados em direção à Meca.
A chamada para a oração é feita por
uma corneta, denominada de muezim,
desde uma torre chamada de minarete,
a qual faz parte de um santuário ou
lugar público de adoração conhecido
COLUNAS DO ISLAMISMO

Observação do mês de Ramadã: o


qual comemora a primeira revelação do
Corão recebida por Maomé.
Durante um mês, as pessoas jejuam
desde o nascer até o pôr do sol.
Segundo eles, os portões do paraíso
abrem, os do inferno fecham, e os que
jejuam têm seus pecados perdoados.
COLUNAS DO ISLAMISMO

Pagamento do zakat: imposto anual


de 2.5% do lucro pessoal, como forma
de purificação e ajuda aos pobres.
Também ofertam para a riquíssima Liga
Muçulmana.
COLUNAS DO ISLAMISMO

Peregrinação para Meca: ou Hajj, ao


lugar do nascimento de Maomé, na
época de Eid el Adha (festa islâmica
que rememora o dia em que o profeta
Abraão aceitou a ordem de sacrificar
um carneiro em lugar de seu filho),
pelo menos uma vez na vida por todo
muçulmano dotado de condições físicas
e econômicas.
COLUNAS DO ISLAMISMO

O Jihad, ou guerra santa: é a


batalha por meio da qual se atinge um
dos objetivos do islamismo, que é
reformar o mundo.
Qualquer muçulmano que morra numa
guerra defendendo os direitos do
islamismo ou de Alá, já tem sua vida
eterna garantida.
Por esta razão, todos que tomam parte
dessa “guerra santa”, não têm medo
O CORÃO OU ALCORÃO
O livro sagrado dos muçulmanos reúne todas as
revelações de Deus feitas ao profeta Maomé através do
anjo Gabriel. No Corão estão instruções para a crença e a
conduta do seguidor da religião - não fala apenas de fé,
mas também de aspectos sociais e políticos.
Dividido em 114 "suratas" (capítulos), com vários
versículos cada (o número varia de 3 a 286 versículos), o
Corão foi escrito em árabe formal e, com o tempo,
tornou-se de difícil entendimento.
O complemento para sua leitura é a Sunna, coletânea de
registros de discursos do profeta Maomé, geralmente em
linguagem mais clara e fluente. Cada uma dessas
mensagens tiradas dos discursos é conhecida como
"hadith".
Como os relatos foram de pessoas diferentes, há muitas
divergências entre os registros de ensinamentos do
profeta: cada um contava a mensagem da forma que o
interessava.
Além de contradições, as "hadith" provocaram também
SHARIA
É a lei religiosa do islamismo.
Como o muçulmano não vê distinção entre o
aspecto religioso e o resto da sua conduta pessoal,
a lei islâmica não trata só de rituais e crenças,
mas de todos os aspectos da vida cotidiana.
Apesar de ter passado por um detalhado processo
de formatação, a lei islâmica ainda é aplicada de
formas variadas ao redor do mundo – os países
adotam a sharia têm interpretações mais ou
menos rigorosas dela.
Na Arábia Saudita, por exemplo, vigora uma das
mais conservadoras versões da lei islâmica.
O Afeganistão da época da milícia Talibã teve a
mais dura e radical aplicação da sharia nos
tempos modernos – proibia música e outras
expressões culturais e esportivas, restringia
gravemente todos os direitos das mulheres e
MESQUITAS
As construções reservadas para as orações
dos muçulmanos são chamadas mesquitas, ou
"masjids". Os prédios, contudo, não precisam
ser especialmente construídos com esse fim -
qualquer local onde a comunidade muçulmana
se reúne para orar é uma mesquita.
Há dezenas de milhares de mesquitas no
mundo, e elas vão desde as construções mais
esplendorosas, com arquitetura riquíssima, às
mais modestas, adaptadas dentro de outras
estruturas.
A mesquita de Caaba, em Meca, é uma das
mais famosas, pois é o centro da peregrinação
do "haj".
A mesquita de Al-Aqsa, em Jerusalém, também
é um local muito visitado pelos muçulmanos
FESTAS E DATAS
As duas principais festividades do
islamismo são o Eid-Al-Adha, que coincide
com a peregrinação anual a Meca, e o Eid-
al-Fith, quando se quebra o jejum do mês
do Ramadã. O mês sagrado, aliás, é o
principal período do calendário islâmico.
Os muçulmanos xiitas também
comemoram o Eid-al-Ghadir - aniversário
da declaração de Maomé indicando Ali
como seu sucessor.
Outras festas islâmicas são o aniversário
de Maomé (Al-Mawlid Al- Nabawwi) e o
aniversário de sua jornada a Jerusalém
(Al-Isra Wa-l- Miraj).
BRASIL
Um dos maiores países católicos do
mundo tem uma comunidade islâmica
relativamente grande - e seus números
vêm crescendo.
Há quarenta anos a comunidade árabe
brasileira tinha uma única mesquita.
Atualmente são mais de 50 templos,
espalhados por todo o país e
freqüentados por entre 1,5 e 2 milhões
de fiéis.
Não há atuação de grupos extremistas
PEREGRINAÇÃO À MECA
ORAÇÃO VOLTADA PARA MECA
PROTESTO CONTRA OS ESTADOS
UNIDOS
O PAPEL DA MULHER
O PAPEL DA MULHER
Meninas proibidas de ir à escola e condenadas ao
analfabetismo.
Mulheres impedidas de trabalhar e de andar pelas ruas
sozinhas.
Milhares de viúvas que, sem poder ganhar seu sustento,
dependem de esmolas ou simplesmente passam fome.
Mulheres com os dedos decepados por pintar as unhas.
Casadas, solteiras, velhas ou moças que sejam suspeitas de
transgressões - e tudo o que compõe a vida normal é visto
como transgressão - são espancadas ou executadas.
Há países de islamismo mais flexível, como o Egito, e outros de
um rigor extremo, como a Arábia Saudita.
Para o pensamento ortodoxo muçulmano, a mulher vale menos
do que o homem, explica Leila Ahmed, especialista em estudos
da mulher e do Oriente Próximo da Universidade de
Massachusetts, nos Estados Unidos.
"Um 'infiel' pode se converter e se livrar da inferioridade que o
separa dos 'fiéis'. Já a inferioridade da mulher é imutável",
escreveu Leila num ensaio sobre o tema, em 1992.
A exclusão feminina não está presente nas fundações do
islamismo, mas apenas no edifício que se erigiu sobre elas. O
PERGUNTAS E RESPOSTAS
O que é islamismo, Islã e
muçulmano?
O islamismo é a religião fundada pelo
profeta Maomé no início do século VII, na
região da Arábia. O Islã é o conjunto dos
povos de civilização islâmica, que
professam o islamismo; em resumo, é o
mundo dos seguidores dessa religião. O
muçulmano é o seguidor da fé islâmica,
também chamado por alguns de islamita.
O termo maometano às vezes é usado
para se referir ao muçulmano, mas muitos
rejeitam essa expressão - afinal, a religião
seria de devoção a Deus, e não ao profeta
PERGUNTAS E RESPOSTAS
De onde vem o termo Islã?
Em árabe, Islã significa "rendição" ou
"submissão" e se refere à obrigação do
muçulmano de seguir a vontade de Deus.
O termo está ligado a outra palavra árabe,
salam, que significa "paz" - o que reforça
o caráter pacífico e tolerante da fé
islâmica.
O termo surgiu por obra do fundador do
islamismo, o profeta Maomé, que dedicou
a vida à tentativa de promover a paz em
sua Arábia natal.
PERGUNTAS E RESPOSTAS
Todos os muçulmanos são árabes?
Esta é uma das mais famosas distorções a
respeito do Islã. Na verdade, o Oriente Médio
reúne somente cerca de 18% da população
muçulmana no mundo - sendo que turcos,
afegãos e iranianos (persas) não são sequer
árabes.
Outros 30% de muçulmanos estão no
subcontinente indiano (Índia e Paquistão), 20%
no norte da África, 17% no sudeste da Ásia e
10% na Rússia e na China. Há minorias
muçulmanas em quase todas as partes do
mundo, inclusive nos EUA (cerca de 6 milhões)
PERGUNTAS E RESPOSTAS
As raízes do islamismo são conflitantes
com as origens do
cristianismo e judaísmo?
Não. Assim como as duas outras grandes
religiões monoteístas, as raízes do islamismo
vêm do profeta Abraão.
O profeta Maomé, fundador do islamismo,
seria descendente do primeiro filho de Abraão,
Ismael.
Moisés e Jesus seriam descendentes do filho
mais novo de Abraão, Isaac.
Abraão, o patriarca do judaísmo, estabeleceu
as bases do que hoje é a cidade de Meca e
construiu a Caaba - todos os muçulmanos se
PERGUNTAS E RESPOSTAS
Como alguém se torna muçulmano?
Não é preciso ter nascido muçulmano ou ser
casado com um Praticante da religião.
Também não é necessário estudar ou se
preparar especialmente para a conversão.
Uma pessoa se torna muçulmana quando
proferir, em árabe e diante de uma
testemunha, que "não há divindade além de
Deus, e Mohammad é o Mensageiro de Deus".
O processo de conversão extremamente
simples é apontado como um dos motivos
para a rápida expansão do islamismo pelo
mundo.
A jornada para a prática completa da fé,
contudo, é muito mais complexa. Nessa tarefa,
PERGUNTAS E RESPOSTAS
Os muçulmanos praticam uma
religião violenta ou extremista?
Uma minoria entre os cerca de 1,3 bilhão
de praticantes da religião é adepta de
interpretações radicais dos ensinamentos
de Maomé.
Entre eles, a violência contra outros povos
e religiões é considerada uma forma de
garantir a sobrevivência do Islã em seu
estado puro.
Para a maioria dos seguidores do
islamismo, contudo, a religião muçulmana
PERGUNTAS E RESPOSTAS
O Islã oprime a mulher?
A base da religião muçulmana não determina
qualquer tipo de discriminação grave contra a
mulher. No entanto, as interpretações radicais das
escrituras deram origem a casos brutais.
A opressão contra a mulher é comum nos países
que seguem com rigor a Sharia, a lei islâmica, e
têm tradições contrárias à libertação da mulher.
Assim, o problema da opressão à mulher
muçulmana não é causado pela crença islâmica
em si - ele surgiu em culturas que incorporaram
tradições prejudiciais às mulheres.
Um ótimo exemplo disso é o fato de que o uso de
véus e a adoção de outros costumes que causam
estranheza no Ocidente muitas vezes são
mantidos por mulheres mesmo quando não há
nenhuma obrigação. Ou seja: os hábitos estão
MULHER
MUÇULMANA

Ela tem de andar


com o corpo todo
coberto, não pode
estudar nem
trabalhar, não tem
direito a herança e,
em caso de
adultério, é
apedrejada.

Os muçulmanos
O XADOR
A falta de liberdade, a pobreza e
a desesperança têm feito crescer
o radicalismo islâmico entre os
jovens muçulmanos
Fontes: População: ONU (2001)/Índice de liberdade: Freedom House (2000-01)/Ranking de
desenvolvimento humano: ONU (2000)/Liberdade de imprensa: Freedom House
(2001)/Acesso à internet: Freedom House (2001)/Porcentual da população analfabeta:
VÍDEOS

Islamismo

Mesquitas em São Paulo


– Brasil

Adhan – Kamal Uddin

Apedrejamento do diabo