P. 1
Paisagens Centro Sul

Paisagens Centro Sul

|Views: 88|Likes:

More info:

Published by: Carmen Lucia Silva Araujo on Oct 21, 2013
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPS, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/30/2014

pdf

text

original

Geografia Homem & Espaço

7º ano – Unidade V Capítulo 13 – A paisagem e o espaço do Centro-Sul

ELIAN ALABI LUCCI e ANSELMO LAZARO BRANCO

Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço, Editora Saraiva

Rio entre as montanhas na mata Atlântica, no Parque Nacional de Itatiaia, Rio de Janeiro (2007).

Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço, Editora Saraiva

Observe as fotografias e, em seu caderno, redija outras legendas descrevendo como é a vegetação e o relevo em cada uma das imagens.
Fabio Colombini

Mauricio Simonetti/ Pulsar Imagens

Araucárias em Urubici, SC (2008).
Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço, Editora Saraiva

Zig Koch/Olhar Imagem

Vegetação de cerrado na chapada dos Veadeiros, GO (2005).
Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço, Editora Saraiva

Rio de Janeiro. Editora Saraiva . RJ (2000). Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço.Ricardo Azoury/ Olhar Imagem Vegetação em dunas na restinga de Marambaia.

Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Em decorrência desses fatores e de uma visão da natureza como mera fornecedora de recursos Em virtude da: • intensa atividade econômica. • maior índice de aproveitamento de terras para a agricultura e a pecuária. • maior densidade populacional. Editora Saraiva . entre outros itens. São diversos os problemas ambientais verificados no Centro-Sul. • elevadas taxas de industrialização e urbanização.Espaço natural bastante transformado Centro-Sul Onde o espaço natural foi mais transformado.

Editora Saraiva Unidades de relevo do Centro-Sul Mário Yoshida . 1996. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. S. Edusp/FDE.(Classificação de Jurandyr L. p. Ross (org. Ross – 1990) Fonte: Jurandyr L.) Geografia do Brasil. 53 (adaptado). S.

estendendo-se em trechos de São Paulo. sofreram intensos processos erosivos. Esses dobramentos. Paraná e Santa Catarina. Origem relacionada a sucessivos ciclos de dobramentos e ao soerguimento de toda a faixa oriental da América do Sul. Editora Saraiva .Planaltos e serras do Atlântico-Leste-Sudeste São a forma de relevo predominante em Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. bastante antigos. Espírito Santo.

MG (2003). Editora Saraiva Rubens Chaves/Pulsar Imagens . Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço.Trecho da Serra da Mantiqueira em Lima Duarte. Mauricio Simonetti/Pulsar Imagens Serra do Espinhaço em Diamantina. MG (2006).

que se prolonga até o litoral sul de Santa Catarina. Sua origem está associada ao processo de erosão que se desenvolve na borda da bacia. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Entre essas duas unidades de relevo estende-se a depressão Periférica.No sentido leste-oeste A estrutura rochosa predominantemente cristalina dos planaltos e das serras do Atlântico-Leste-Sudeste vai dando lugar a uma predominantemente sedimentar. a partir dos planaltos e das serras do Atlântico. Editora Saraiva . Aí se encontram os planaltos e as chapadas da bacia do Paraná.

Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Editora Saraiva .Fonte: Jurandyr Ross. 1995.

vem sendo largamente ocupado pelas culturas da cana-de-açúcar e da soja. desde a década de 1970. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Em direção ao Sul do país. Serviu de base para a expansão cafeeira da região e. Editora Saraiva . • o relevo apresenta-se mais plano. verifica-se a ocorrência do solo de terra roxa. ocorre um aumento gradativo de altitude.Planaltos e chapadas da bacia do Paraná • as altitudes raramente ultrapassam os 1 000 metros. favorecendo a mecanização das atividades agrícolas. até que se atinjam os 1500 metros. Ainda na parte sul desta unidade de relevo.

Thais Falcão/Olhar Imagem Cânion Itaimbezinho. Editora Saraiva . Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. no Parque Nacional dos Aparados da Serra em Cambará do Sul. RS (2005).

o Pantanal constitui uma planície inundável. Editora Saraiva . Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Atravessado pelo rio Paraguai.Planície Litorânea no Centro-Sul Trechos de restritos e estreitos. Em outros trechos são conhecidos como baixadas. Apresentando-se de forma mais extensa apenas no estado do Espírito Santo. No extremo oeste do Centro-Sul há uma área de baixas altitudes que equivale ao Pantanal Mato-Grossense. em razão das enchentes desse rio e de sua baixa altitude.

Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Editora Saraiva . em São Bernardo do Campo. SP (2004).Beto Barata/AE Deslizamento na favela Parque São Bernardo.

Editora Saraiva . MT (2006). Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço.Renato Soares/Pulsar Imagens Chapada dos Guimarães.

Editora Saraiva . Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. fezes de animais. A poluição é bastante elevada também nas áreas rurais pelo uso de agrotóxicos. fertilizantes. Nas médias e grandes cidades a contaminação ocorre devido à quantidade de resíduos sólidos e líquidos lançados nos rios e pela contaminação dos mananciais. além do despejo de esgoto e lixo doméstico.Hidrografia Centro-Sul A contaminação das águas é um dos grandes problemas ambientais.

Editora Saraiva . SP (2007). em São Paulo. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço.Raimundo Pacco/Folha Imagem Resíduos jogados no rio Tiête.

Conchas (SP) e o lago da represa de Itaipu. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Trata-se de uma hidrovia. na divisa entre o Paraná e o Paraguai. os rios da bacia do Paraná vêm sendo aproveitados para a navegação.Além de possuir um grande potencial hidráulico. Paraná e Paranaíba Foi possível transportar mercadorias entre a região de São Simão (GO). a Tietê-Paraná Com cerca de 2 600 km de extensão. Com a regularização dos cursos de trechos dos rios Tietê. permitiu o barateamento do transporte de mercadorias. Editora Saraiva .

Paraná e Tietê. tipicamente de planície. forma o grupo dos rios mais importantes da bacia Platina. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Editora Saraiva • Essa hidrovia é também importante ao intercâmbio comercial entre o Brasil e os países do Mercosul. . o que demonstra o baixo custo do transporte fluvial. Cada comboio com quatro chatas transporta carga equivalente à de 135 caminhões. O rio Paraguai. até Pederneiras.Por ela. milhares de toneladas de soja estão sendo transportadas de São Simão. cidade goiana. nasce na chapada dos Parecis e. junto com os rios Paraná e Uruguai. numa extensão de 640 km pelos rios Paranaíba. em São Paulo.

em Foz do Iguaçu. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Editora Saraiva . PR (2006).João Prudente/Pulsar Imagens Cataratas do Iguaçu.

A concentração das atividades econômicas e da população brasileira explica parte desses problemas.Clima e vegetação do Centro-Sul Região brasileira que mais sofreu devastação da paisagem vegetal e a que apresenta as cidades com os índices mais elevados de poluição atmosférica. Editora Saraiva . Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço.

Editora Saraiva . Na cidade de São Paulo.O crescimento urbano das grandes cidades. Ao mesmo tempo. as ruas e as avenidas não comportam a imensa quantidade de veículos. que não é mais um centro industrial. 90% da emissão de poluentes são produzidos por veículos automotores. O uso do transporte individual tornou-se uma opção muitas vezes necessária. provocando congestionamentos que agravam ainda mais a poluição do ar. entre outras Não foi acompanhado pelo crescimento dos meios de transporte coletivos. como São Paulo. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Belo Horizonte. Rio de Janeiro.

Rio de Janeiro: IBGE. 2000.Fonte: Atlas nacional do Brasil. Editora Saraiva Clima – Centro-Sul Mário Yoshida . 58 (adaptado). p. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço.

Rio de Janeiro: IBGE. 65 (adaptado). Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. p.Fonte: Atlas nacional do Brasil. 2000. Editora Saraiva Vegetação Original Centro-Sul Mário Yoshida .

Editora Saraiva . que se estende aproximadamente de abril a agosto. • As temperaturas são elevadas o ano todo.0 e outra chuvosa.As paisagens tropicais Clima predominante no Centro-Sul Tropical Apresenta uma estação seca. inverno. verão. que dura de setembro/outubro a março. • A vegetação do cerrado ocupa grande extensão das áreas tropicais. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço.

GO (2003). Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço.Fabio Colombini Veados-campeiros no cerrado. no Parque Nacional das Emas. Editora Saraiva .

Cerrado Aspecto muito variável. Ora com árvores de grande porte. bem próximas umas das outras. O cerrado apresenta enorme biodiversidade. São vários ecossistemas. ora com arbustos e árvores de pequeno porte. contando com cerca de 10 mil espécies de vegetais. com aspecto de floresta. bastante espaçadas entre si. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. que apresentam também expressiva riqueza em termos de animais. Editora Saraiva .

Vem sendo afetado pela poluição de alguns rios com o mercúrio e pela caça a animais como o jacaré e a onça. Recentemente o turismo é outra atividade que tem atraído muito investimento a essa região. acelerando a erosão. Caracterizado Uma vegetação constituída misturas de espécies vegetais de diversas formações: o complexo vegetal do Pantanal. por causa da destruição da vegetação de suas margens.O Pantanal Formação de clima tropical. Os rios sofrem assoreamento. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Editora Saraiva . O relevo plano e a presença de vasta extensão de campos transformaram a pecuária na mais tradicional atividade.

Editora Saraiva . MT (2006). Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço.Palê Zuppani/Pulsar Imagens Pantanal Mato-Grossense.

• e floresta tropical de planalto ou semiúmida.Faixa próxima do litoral Clima tropical úmido. Editora Saraiva No litoral. Mata Atlântica e vegetação litorânea . que se estendia do litoral até a borda dos planaltos e serras do Atlântico-LesteSudeste. bastante densa e com grande número de espécies vegetais. subdividia-se em dois tipos: • floresta tropical de encosta ou úmida. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. A floresta ou mata Atlântica. Em razão da entrada dos ventos úmidos do oceano Atlântico. menos densa e com menor número de espécies vegetais.

Restando apenas alguns trechos esparsos em encostas. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Vegetação de mangue em Itanhaém. litoral de São Paulo (2003). como a serra do Mar. Vinicius Romanini/Olhar Imagem Na vegetação litorânea predomina o mangue. Editora Saraiva Hoje. . a maior parte dessa floresta deixou de existir. que correspondem a 7% da vegetação original.

Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Editora Saraiva . SP (2005). em Bertioga.Palê Zuppani/Pulsar Imagens Parque das Neblinas.

Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Em alguns lugares chega a nevar. Apresenta temperaturas médias anuais inferiores às da zona tropical e sofre maior influência das massas de ar frias originárias da região do polo Sul.As paisagens subtropicais Clima subtropical Na maior parte do Paraná e nos estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. prejudicando a agricultura. por causa da altitude. Editora Saraiva . No inverno as geadas são frequentes.

As chuvas são bem distribuídas. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. o que favorece o cultivo de certos produtos agrícolas. de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul era constituída por campos e florestas. como o arroz. Editora Saraiva . O predomínio desse tipo de clima na região favoreceu o desenvolvimento de culturas não tropicais. A vegetação primitiva da maior parte dos estados do Paraná. a cevada e o trigo. delimitando bem essas duas estações. a soja e o milho.O clima subtropical é o que apresenta no Brasil a maior variação de temperatura entre o verão e o inverno. como o centeio.

Os campos limpos aparecem tanto nos planaltos como nas depressões do sul do país. esses campos recebem a denominação de Campanha Gaúcha. Atualmente está bastante devastada. Pela intensa utilização de sua madeira pelas indústrias de celulose e de móveis.Mata dos Pinhais Ocupava a maior parte da região. No extremo sul. tradicional área de criação de gado bovino do Brasil. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Editora Saraiva .

Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. . Editora Saraiva O mapa destaca uma importante hidrovia.Fonte: Ministério dos Transportes.

Editora Saraiva . Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço.Conversa   Qual o nome dessa hidrovia? Explique a importância de sua implantação.

explique as características essenciais do Pantanal em relação a: a. diversidade biológica. b.Com base na ilustração. ciclo das águas. relevo. Editora Saraiva . Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. c.

São Paulo: Abril. 1999.Fonte: Veja. 2 jun. Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Editora Saraiva .

Geografia Homem & Espaço 7º ano – Unidade V Capítulo 13 – A paisagem e o espaço do Centro-Sul ELIAN ALABI LUCCI e ANSELMO LAZARO BRANCO Parte integrante da obra Geografia Homem e Espaço. Editora Saraiva .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->