Você está na página 1de 1

Demonstrao:

A mola tambm oscila juntamente com o corpo suspenso. Entretanto, no se pode


simplesmente adicionar sua massa do corpo suspenso, pois nem todas as partes oscilam
com igual amplitude.
Seja, ento, L o comprimento da mola na posio de equilbrio e m
0
a sua massa.
Determinemos a energia cintica da mola, no instante em que a parte inferior tem
velocidade v. Considere-se um elemento de massa dm
0
, comprimento dy, distncia y
abaixo da extremidade superior fixa. Tem-se, ento, dm
0
= (m
0
/L)dy. O comprimento da
mola geralmente pequeno, em relao ao de suas ondas longitudinais, cuja freqncia a
de oscilaes do corpo suspenso. Da admite-se que todas as partes oscilem em fase e a
velocidade de um elemento, v
0
, seja proporcional distncia ao extremo fixo: v
0
= (y/L)v.
A energia cintica do elemento ser:

2
0 2
0 0
2
1
2
1

= = v
L
y
dy
L
m
v dm dE
c

A energia total da mola ser:

=
L
c
dy y
L
v m
E
0
2
3
2
0
2
1

ou
2
0
3
1
2
1
v m E
c

=
que a energia cintica de um corpo, cuja massa vale 1/3 da massa da mola e cuja
velocidade seja a do objeto suspenso. Em outras palavras, a massa equivalente do sistema
a do corpo suspenso, mais um tero da massa da mola.