e.m.

tronconi

Eduardo Moura Tronconi

Libris Nox
Agosto de 2015
= Série Micro-obras =

A Textura desse Abismo chamado Consciência
www.texturadoabismo.blogspot.com.br

A vigília
dos

monstros
gera

a razão!

A Velocidade do Escuro
Se enganam os que dizem
que a luz é o que há de mais rápido.
Esses nunca perceberam
como o escuro chega veloz
Quando as luzes se apagam.
A falsa visão de felicidade
das tardes inúteis da vida
não nutre de realidade
as utopias de acedia...
Apenas falam de uma fresta mínima
por onde escapa a luz fugaz.
Em tardes assim deito & durmo
e sonho meus sonhos de barbárie
Confortos para uma alma
que não tem a mesma sabedoria inata
de um corpo doente.
Pelos olhos fechados
não escapam nenhuma luz
& também não entra...
Deixo a tarde iluminada lá de fora
enquanto aqui dentro
Deixo minha luz própria que nunca se apaga
moldar visões que nunca acontecerão...
Elas me incomodam
com o amor & o ódio
a felicidade & a tristeza,
que vem sem pedir licença
me fazer o que não sou.

A Imobilidade da Noite
Noite imanente
domina tudo que há,
O repouso profundo da criação
Nela habita como aborto,
o eternamente acontecido....
Imperturbável perfeição
sem nome e sem acesso
Eu com palavras apenas sonho
infames formas de te diminuir
para que caiba em minha imaginação...
Que acidente inconcebível?
Que erro voraz
fez conceber de ti a ferocidade da luz?
Mistério nenhum há aqui
Inconsciente noite
sem ligar para seus próprios sonhos
Deixou perpetrar o erro que é a realidade...
pois não há por que
naquilo que é capaz de ter porquês!
Noite imanente
ainda domina tudo que há
Enquanto aqui, no vão de um abismo,
nós nos iludimos que exista sentido
na existência
Só porque a luz a circula insana
por entre artifícios de informação desconexa.

A Velocidade da Luz
Luz preguiçosa
avança a passo lento
sobre os vãos da escuridão...
Retiram de seu aconchego
a esmerada perfeição
do escuro original do abismo...
Porque a luz é o incomodo do saber,
o rastro da falha no sistema
que é toda a criação...
Corre atrás de nada
de um lado ao outro
de todo o Universo...
Sem outra intenção a não ser
apenas fazer lembrar
que um erro iniciado
clama por permanecer
em sua loucura circular.

“Eu entendo a Noite
como um oceano
que banha de sombras
o mundo de Sol...”
Zé Ramalho
(Beira-Mar)

...aqui se encerra esse livro.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful