P. 1
Conhecimentos Específicos - IBGE

Conhecimentos Específicos - IBGE

|Views: 1.725|Likes:
Publicado poremanuela_adm

More info:

Published by: emanuela_adm on May 30, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPTX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/19/2013

pdf

text

original

Conhecimentos

Específicos

O IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, é
o órgão coordenador e produtor de informações
estatísticas e geogrficas do Brasil, constituindo-se como
o principal provedor de dados do nosso País.


!I""#O: Retratar o Brasil com informações necessárias ao
conhecimento da sua realidade e ao exercício da cidadania.


O B!", entre suas m#ltiplas atividades e pes$uisas, oferece
uma vis%o completa e atual do Brasil: identifica e analisa o
territ&rio, conta a populaç%o e mostra como a economia
evolui atrav's do tra(alho e da produç%o das pessoas,
revelando, ainda, como elas vivem.


)entre as pes$uisas feitas pelo &r*%o, encontra-se a reali+aç%o
do ,enso )emo*ráfico. "ste produ+ informações
imprescindíveis para a definiç%o de políticas p#(licas
federais, estaduais e municipais e para a tomada de decisões
de investimento, se-am provenientes da iniciativa privada ou
de $ual$uer nível de *overno.

O $ue é o Censo%


. a pes$uisa reali+ada de de+ em de+ anos $ue
conta os ha(itantes do Brasil e o(t'm
informações $ue permitem identificar as suas
características, as condições em $ue vivem e os
seus níveis de desenvolvimento
socioecon/mico. 0odas as $uestões a serem
investi*adas s%o produtos de amplas consultas
e de(ates com representantes da sociedade
(rasileira e &r*%os t'cnico-*overnamentais,
sendo o B!" o articulador desse processo.

&ara $ue ser'e%

1s informações o(tidas, atrav's do ,enso
)emo*ráfico, permitem conhecer em detalhes
como ' e como vive a populaç%o de um país e,
assim, traçar um retrato a(ran*ente e fiel da
realidade nacional.


Os resultados do ,enso )emo*ráfico s%o utili+ados,
principalmente, para:

su(sidiar cálculos $ue definem os recursos
financeiros a serem transferidos do !overno
2ederal para cada estado e cada município3

determinar a representaç%o política dos estados
no ,on*resso 4acional3

conhecer a estrutura da força de tra(alho em cada
município3 e

5 su(sidiar políticas p#(licas de sa#de, educaç%o e
ha(itaç%o, determinando, por exemplo, onde os
hospitais, centros de sa#de,

escolas e moradias s%o necessários.
1l*uns dados relativos a esse ,enso
mostram a complexidade da operaç%o:

,erca de 678 milhões de pessoas ser%o pes$uisadas em
aproximadamente 98 milhões de domicílios,
locali+ados em :.:9: municípios. ,erca de ;88 mil
pessoas ser%o contratadas temporariamente para os
tra(alhos de pr'-coleta e coleta de dados, supervis%o,
apoio administrativo, informática e apuraç%o dos
resultados.

(ata de refer)ncia

Para $ue as informações coletadas tenham um marco
no tempo, ' definida uma data de refer<ncia. Para o
,enso )emo*ráfico ;868, a noite de *+ de ,ulho
para +o de agosto de -.+. foi definida como a
data de refer)ncia. sto si*nifica $ue várias
per*untas $ue constam nos $uestionários t<m $ue
o(ter respostas, considerando este corte no tempo,
ou se-a, tomando como refer<ncia este momento,
esta data.

/uem ser recenseado%

)evem ser recenseadas todas as pessoas residentes,
na data de refer<ncia, nos domicílios pes$uisados,
inclusive a$uelas $ue se encontram
temporariamente ausentes do domicílio de
resid<ncia, por período n%o superior a 6; meses
contados at' a data de refer<ncia.

=e*undo este crit'rio, todas as pessoas $ue se
encontravam vivas, na data de refer<ncia, s%o
recenseadas. sto si*nifica $ue as pessoas:

nascidas após *+0.10-.+. não são
recenseadas2 e

falecidas após *+0.10-.+. são recenseadas.

Como são coletados os dados%

O Recenseador deve visitar todos os domicílios
particulares e coletivos da sua área de tra(alho
para reali+ar a entrevista e coletar os dados dos
seus moradores.


O $ue é (omicílio para o Censo%

)omicílio ' o local estruturalmente separado e
independente $ue se destina a servir de
ha(itaç%o a uma ou mais pessoas ou $ue este-a
sendo utili+ado com esta finalidade.

Os domicílios classificam-se em:

Particular Permanente3

Particular mprovisado e

,oletivo.

Os crit'rios essenciais dessa definiç%o s%o os de separação
e independ)ncia3


"E&4546#O

"ste crit'rio ' atendido $uando o local de ha(itaç%o '
limitado por paredes, muros ou cercas e co(erto por um
teto. Permite $ue as

pessoas $ue nele ha(itam se isolem das demais para dormir,
preparar e>ou consumir seus alimentos e prote*er-se do
meio am(iente, arcando total ou parcialmente com
suas despesas de alimentação ou moradia7

I8(E&E8(98CI4

"ste crit'rio ' atendido $uando o local de ha(itaç%o tem
acesso direto $ue permite aos seus moradores
entrar e sair sem necessidade de passar por locais de
moradia de outras pessoas.

4:E86#O3

O Recenseador sempre deve ter atenç%o de estar verificando
a exist<ncia de outros domicílios no mesmo terreno, nos
fundos, (em como resid<ncias de porteiro ou +elador e
outras moradias nos su(solos dos edifícios de
apartamentos e de caseiros em casas de veraneio.

O domicílio pode ser particular ou coletivo. ?e-amos inicialmente
os conceitos de domicílio particular7

)omicílio Particular - . a moradia onde o relacionamento entre
seus ocupantes ' ditado por laços de parentescos, de
depend<ncia dom'stica ou por normas de conviv<ncia.

O )omicílio Particular pode ser identificado como
permanente ou impro'isado7 ;e,a a seguir3

)omicílio Particular Permanente - . a$uele $ue foi construído
para servir exclusivamente @ ha(itaç%o e, na data de
refer<ncia, tinha a finalidade de servir de moradia a uma ou
mais pessoas. =%o domicílios particulares permanentes: as
casas, os apartamentos em edifícios, os apartamentos em
apart-hot'is, casas de c/modos, cortiços e ca(eças de porco.

)omicílio Particular mprovisado - . a$uele locali+ado em uma
edificaç%o $ue n%o tem depend<ncias destinadas
exclusivamente @ moradia, assim como locais inade$uados
para ha(itaç%o e $ue, na data de refer<ncia, estavam
ocupados por moradores.

)omicílio ,oletivo - . uma instituiç%o ou esta(elecimento onde
a relaç%o entre as pessoas $ue nele se encontravam,
moradoras ou n%o, na data de refer<ncia, era restrita a
normas de su(ordinaç%o administrativa. " podem ser com ou
sem morador.

"xemplos: hot'is, presídios, $uart'is, navios, asilos, orfanatos,
conventos, hospitais, alo-amentos de tra(alhadores,
campings, etc.

!O54(O5

Aorador ' a pessoa $ue tem o domicílio como local
de resid<ncia e nele se encontrava na data de
refer<ncia e em(ora ausente na data de
refer<ncia, tem o domicílio como resid<ncia
ha(itual, desde $ue essa aus<ncia n%o se-a
superior a 6; meses. 1s orientações a(aixo
permitir%o ao Recenseador identificar os
moradores do domicílio e, conse$Bentemente,
sa(er $uem deve ou n%o ser recenseado no
domicílio entrevistado.

(E;E<"E 5ECE8"E45, 8O (O!IC=>IO
E8:5E;I":4(O, :O(4" 4" &E""O4" /?E777

t<m o domicílio como local de resid<ncia ha(itual e
nele se encontrarem na data de refer<ncia3

est%o ausentes, na data de refer<ncia, por motivo
de via*em a passeio, estudos ou ne*&cios e visita
a parentes e ami*os3

est%o internadas em col'*ios, hospedadas em casa
de parentes, rep#(licas de estudantes ou
pensionatos3

est%o detentas sem sentença definitiva declarada3

est%o internadas, temporariamente, em hospital ou
esta(elecimento similar3

est%o em(arcadas a serviço CmarítimosD3

nasceram at' E6 de -ulho de ;8683 e

faleceram depois do dia E6 de -ulho de ;868.

8#O "E (E;E 5ECE8"E45, 8O (O!IC=>IO
E8:5E;I":4(O, :O(4" 4" &E""O4" /?E777

5 est%o de visita no domicílio3

5 nasceram depois do dia E6 de -ulho de ;8683 e

5 passaram a ter o domicílio como o local de resid<ncia
ha(itual ap&s a data de refer<ncia.


I8(E&E8(E8:E!E8:E (O :E!&O (E 4@4":4!E8:O
(E "E?" (O!IC=>IO" 48:E5IO5E", "#O
CO8"I(E54(4" !O54(O54", 8O" >OC4I" O8(E
"E E8CO8:54;4!, 84 (4:4 (E 5E@E598CI4,
:O(4" 4" &E""O4" /?E777

s%o moradoras em pensionatos e $ue n%o t<m outro local de
resid<ncia ha(itual3

est%o condenadas com sentença definitiva declarada3

est%o internadas, permanentemente, em sanat&rios, asilos,
conventos, etc.3 e

mi*raram para outras re*iões em (usca de tra(alho e ali
fixaram resid<ncia.

/uem é o 5ecenseador%

O Recenseador ' a pessoa selecionada e especialmente
treinada pelo B!" para preencher os $uestionários
do ,enso )emo*ráfico ;868.

O tra(alho do Recenseador consiste em o(ter as
informações para o ,enso )emo*ráfico, -unto aos
moradores dos domicílios, na área para a $ual for
desi*nado. )a atuaç%o do Recenseador e do
recenseado depende o sucesso do ,enso
)emo*ráfico ;868, pois a $ualidade das informações
o(tidas está li*ada @ reali+aç%o de uma entrevista
completa e fidedi*na.

O Recenseador estará vinculado a um supervisor $ue
lhe dará as informações necessárias para a execuç%o
de suas tarefas, al'm de lhe fornecer os instrumentos
de tra(alho e de lhe prestar orientaç%o t'cnica e
assist<ncia permanentes durante o período de
reali+aç%o da coleta de dados. . a ele $ue o
Recenseador deve se reportar sempre $ue encontrar
al*uma dificuldade.

/ual é o material de traAalho do 5ecenseador%

Crach < ' a credencial, fornecida pelo B!", $ue
comprova $ue o Recenseador está autori+ado a
o(ter as informações3 e serve para identificá-lo
-unto ao entrevistado.

!anual do 5ecenseador < . o suporte de
tra(alho do Recenseador. 4ele est%o reunidas as
instruções e os procedimentos a serem adotados
nas atividades de orientaç%o e o
acompanhamento da coleta do ,enso
)emo*ráfico ;868.

Computador de !ão < Os re*istros dos dados
ser%o feitos no ,omputador de A%o, $ue estará
ha(ilitado a re*istrar e arma+enar as
informações coletadas.


O P)1 cont'm:

!apa do "etor < =%o apresentados em papel e
orientam o Recenseador no setor de tra(alho,
mostrando *raficamente a área a ser recenseada
e a descriç%o de seus limites. "m al*uns
municípios, haverá tam('m uma vers%o do
mapa no computador de m%o.

5egistro de Endereços < Onde ser%o re*istradas
todas as informações referentes aos endereços
das unidades visitadas pertencentes ao =etor
,ensitário.

/uestionrio Bsico < . o $uestionário mais
simplificado $ue será utili+ado para o re*istro
das características do domicílio e dos seus
moradores na data de refer<ncia, em cada
unidade domiciliar ocupada $ue n%o foi
selecionada para a amostra.

/uestionrio da 4mostra < . o $uestionário
mais detalhado, $ue será utili+ado para o
re*istro das características do domicílio e dos
seus moradores na data de refer<ncia, em cada
unidade domiciliar ocupada $ue foi selecionada
para a amostra.

48:E" (4 CO>E:4:

,apacitar-se.

O Recenseador deverá dedicar-se ao treinamento, reali+ando as
atividades previstas durante a autoinstruç%o e assistir
pontualmente @s aulas do curso de capacitaç%o no local e
horário determinados.

dentificar sua área de tra(alho.

,a(erá ao Recenseador rece(er do supervisor o mapa do setor,
estudá-lo detidamente para percorrer o setor e conferir o
percurso do setor com o mapa, informando ao supervisor
$ual$uer erro ou irre*ularidade verificada.

Rece(er e preparar o material de tra(alho $ue irá utili+ar a cada
dia.

(?548:E 4 CO>E:4 (E (4(O"

?isitar todos os domicílios da área de tra(alho, se*uindo as
indicações do percurso do setor.

Reali+ar as entrevistas, se*uindo as orientações do Aanual do
Recenseador.

1o finali+ar cada -ornada de tra(alho, verificar pend<ncias
existentes.

,omparecer, ao Posto de ,oleta, nos dias determinados pelo
=upervisor, para descarre*ar os dados coletados3 e

Retornar ao domicílio sempre $ue necessário.

Como realiBar a entre'ista%

1 entrevista se reali+a em tr<s etapas distintas: apresentaç%o,
desenvolvimento e encerramento.

1 apresentaç%o ' o momento-chave $ue define o acesso ao
domicílio, uma ve+ $ue a primeira impress%o do Recenseador
irá condicionar fortemente o desenvolvimento da entrevista.

1PR"="401FGO

5 usar o crachá Cter -unto a identidadeD3

5 usar roupa ade$uada Cconfortável e discretaD3

5 apresentar-se ao morador C$uem ', $uem representa e o $ue
dese-aD3 e

5 *arantir o si*ilo das informações.

)"="4?OH?A"40O

5 criar um clima de cordialidade3

5 n%o discutir política, reli*i%o ou outro assunto pol<mico3

5 aplicar o $uestionário do ,enso )emo*ráfico,

5 se*uindo ri*orosamente as instruções para o preenchimento3 e

5 re*istrar todas as respostas.

"4,"RR1A"40O

informar da possi(ilidade de supervis%o com nova entrevista3 e

a*radecer ao entrevistado.

O $ue é o "etor Censitrio

O setor censitário ' a área de tra(alho do
Recenseador, onde se locali+am os domicílios e
esta(elecimentos, $ue ele deverá visitar para
recensear seus moradores. O setor censitário pode
ser urAano ou rural7


(I;I"#O &O>=:ICO<4(!I8I":54:I;4 (O
B54"I>3

6 )=0R0O 2")"R1H

;9 "=01)O=

::9: AI4,JPO=

68.6EK )=0R0O=

LK7 =IB)=0R0O=

CaAer ao 5ecenseador, $uando aplicar os
$uestionrios3

fa+er as per*untas, com clare+a e sem pressa, exatamente
como est%o formuladas nos $uestionários3

fa+er todas as per*untas do seu $uestionário ao entrevistado.
Aesmo $ue o Recenseador pense $ue conhece a resposta
ou

$ue a mesma ' evidente, deve deixar $ue o pr&prio
entrevistado d< a informaç%o. )eixar de fa+er $ual$uer
per*unta repercute

soAre a $ualidade dos dados do Censo3

formular as per*untas de forma neutra sem demonstrar, pelo
tom da vo+ ou express%o facial, surpresa ou desaprovaç%o3
e

dar tempo ao entrevistado para compreender e responder @
per*unta, por'm n%o su*erir respostas.

/ue (ados são &es$uisados%

4os $uestionários do ,enso )emo*ráfico s%o pes$uisadas
informações so(re o domicílio e seus moradores.

,onhecer a finalidade das informações pes$uisadas vai a-udar
o Recenseador a responder as per*untas do entrevistado
durante o preenchimento do $uestionário do ,enso
)emo*ráfico.

O $uadro, a se*uir, mostra a finalidade de cada uma destas
informações pes$uisadas e em $ual tipo de $uestionário
di*ital ' pes$uisado.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->