Manual do Operador

Colhedoras de Cana A7000 / A7700
Edição Novembro/2007 Atende a partir da efetivação: PRC0001238 - Ano/Modelo 2006 Incluindo Máquinas Ano/Modelo 2008

!

ESTE SÍMBOLO DE ALERTA DE SEGURANÇA INDICA MENSAGENS DE SEGURANÇA IMPORTANTES DESTE MANUAL. QUANDO VIR ESTE SÍMBOLO, LER CUIDADOSAMENTE A MENSAGEM QUE O SEGUE E FICAR ALERTA PARA A POSSIBILIDADE DE LESÕES PESSOAIS OU MORTE.

Os adesivos de segurança nesta máquina usam as palavras Perigo, Advertência ou Cuidado, definidas da seguinte forma: * PERIGO: Indica uma situação de perigo imediato que, se não evitada, poderá resultar em morte ou em ferimentos graves. A cor associada a Perigo é VERMELHO. * ADVERTÊNCIA: Indica uma situação de perigo potencial que, se não evitada, poderá resultar em ferimentos graves. A cor associada a Advertência é LARANJA. * CUIDADO: Indica uma situação de perigo potencial que, se não evitada, poderá resultar em ferimentos leves ou moderados. Também pode ser usada para alertar contra práticas inseguras. A cor associada a Cuidado é AMARELO.

!
* * * * *

ADVERTÊNCIA

A OPERAÇÃO INADEQUADA DESTA MÁQUINA PODE CAUSAR LESÃO OU MORTE. ANTES DE USAR ESTA MÁQUINA, VERIFICAR SE TODOS OS OPERADORES: Estão instruídos sobre o uso seguro e correto da máquina. Leram e entenderam o manual ou os manuais da máquina. Leram e entenderam TODOS os decalques de segurança da máquina. Afastaram outras pessoas da área. Aprenderam e praticaram o uso seguro dos controles da máquina em uma área segura e vazia antes de operar esta máquina em um local de trabalho.

O operador é responsável por observar as leis e os regulamentos pertinentes e seguir as instruções Case IH Austoft sobre a operação e manutenção da máquina.

© 2007 Case IH Austoft

CASE y IH são marcas registradas da CNH

11/07

ÍNDICE
AO PROPRIETÁRIO .............................................................................................................. 1 NÚMEROS DE IDENTIFICAÇÃO .......................................................................................... 2 SEGURANÇA/ETIQUETAS .................................................................................................. 3 SEGURANÇA..................................................................................................................... 3 PREVENÇÃO DE INCÊNDIO OU EXPLOSÃO ................................................................. 5 EXTINTOR DE INCÊNDIO................................................................................................. 6 ADESIVOS ......................................................................................................................... 7 INSTRUMENTOS/COMANDOS........................................................................................... 12 PAINEL DE INSTRUMENTOS ......................................................................................... 12 TACÔMETROS ................................................................................................................ 14 CONSOLE DIREITO ........................................................................................................ 15 PAINEL SUPERIOR ......................................................................................................... 19 COLUNA DE DIREÇÃO ................................................................................................... 20 FREIO............................................................................................................................... 21 ASSENTO - AJUSTE MECÂNICO ................................................................................... 22 INCLINAÇÃO DA CABINE ............................................................................................... 23 BASCULAMENTO DO TETO DA CABINE ...................................................................... 24 INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO .......................................................................................... 25 ANTES DE LIGAR O MOTOR.......................................................................................... 25 PROCEDIMENTO NORMAL DE PARTIDA ..................................................................... 28 PROCEDIMENTO DE AMACIAMENTO .......................................................................... 30 PARADA DO MOTOR ...................................................................................................... 30 REBOQUE DA COLHEDORA.......................................................................................... 31 ACELERADOR DO MOTOR ............................................................................................ 32 DIRIGINDO A COLHEDORA ........................................................................................... 33 FUNÇÕES DE COLHEITA ............................................................................................... 36 OPERAÇÃO EM CAMPO .................................................................................................... 39 CONTROLES DO OPERADOR ....................................................................................... 39 Ajuste da Altura do Cortador de Pontas....................................................................... 39 Ajuste da Rotação do Disco de Corte do Cortador de Pontas ..................................... 40 Ajuste da Altura do Cortador de Base.......................................................................... 40 Ajuste da Altura do Divisor de Linha ............................................................................ 41 Ajuste Opcional da Inclinação dos Divisores de Linhas............................................... 41 Ajuste das Sapatas Laterais Flutuantes do Divisor de Linha ....................................... 42 Ajuste do Defletor do Picador....................................................................................... 42 Ajuste do Giro do Elevador .......................................................................................... 43 Ajuste do Capuz do Extrator Primário .......................................................................... 43 Ajuste do Capuz do Extrator Secundário ..................................................................... 43 Ajuste do Comprimento do Tolete................................................................................ 44 Operação do Elevador ................................................................................................. 44 Ângulo do Flap do Elevador ......................................................................................... 45 Ajuste da Altura do Elevador........................................................................................ 45

I

Ajuste do Rolo Tombador Hidráulico (Ajustado Manual) ............................................. 46 Ajuste do Rolo Tombador Hidráulico (Ajuste Hidráulico) ............................................. 46 Operação dos Controles de Corte de Cana ................................................................. 47 Mecanismo de Colheita................................................................................................ 47 Discos de Corte Lateral................................................................................................ 47 Controle Elétrico Alturados Discos de Corte Lateral .................................................... 48 Extrator Secundário...................................................................................................... 48 Extrator Primário de Velocidade Variável..................................................................... 49 Acelerador do Motor..................................................................................................... 49 Velocidade de Tração .................................................................................................. 49 OBTENÇÃO DA MELHOR COLHEITA ............................................................................ 50 PREPARAÇÃO DA MÁQUINA......................................................................................... 50 CONFIGURAÇÕES IDEAIS ............................................................................................. 51 PNEUS/ RODAS/ ESTEIRAS .............................................................................................. 56 PNEUS ............................................................................................................................. 56 CHASSI ............................................................................................................................ 56 ESTEIRAS........................................................................................................................ 58 ESPECIFICAÇÕES .......................................................................................................... 61 APERTO DA RODA DENTADA ....................................................................................... 61 PINOS E BUCHAS ........................................................................................................... 62 LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/LÍQUIDOS................................................................................ 63 CAPACIDADES................................................................................................................ 63 ESPECIFICAÇÕES DE FLUIDOS ................................................................................... 63 AR CONDICIONADO ....................................................................................................... 65 PROGRAMA DE LUBRIFICAÇÃO – ÓLEOS E FILTROS ............................................... 68 ÓLEO DO SISTEMA HIDRÁULICO ................................................................................. 68 PROCEDIMENTO DE DRENO E ENCHIMENTO............................................................ 68 FILTROS HIDRÁULICOS................................................................................................. 69 MANUTENÇÃO/AJUSTES .................................................................................................. 73 PROGRAMA DE MANUTENÇÃO .................................................................................... 73 Manutenção Diária ....................................................................................................... 74 Manutenção - 50 HORAS............................................................................................. 75 Manutenção - 250 HORAS........................................................................................... 76 Manutenção - 500 HORAS........................................................................................... 77 Manutenção - 750 HORAS........................................................................................... 77 Manutenção - 1000 HORAS......................................................................................... 78 Manutenção - 1500 HORAS......................................................................................... 78 Manutenção - 2500 HORAS......................................................................................... 78 SISTEMA ELÉTRICO....................................................................................................... 79 LIMPEZA .......................................................................................................................... 80 INSPEÇÃO DA COLHEITADEIRA ................................................................................... 82 REPAROS E AJUSTES ................................................................................................... 84 ROTINA DE MANUTENÇÃO ENTRE PERÍODOS DE COLHEITA ................................. 95 RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS...................................................................................... 96

II

PONTOS DE PRESSÃO .................................................................................................. 98 CONEXÕES AUXILIARES DA BATERIA......................................................................... 99

III

AO PROPRIETÁRIO

AO PROPRIETÁRIO
Este manual contém informações importantes sobre a operação segura e a manutenção das Colhedoras de Cana Case IH Austoft 7000 e 7700. Consulte o índice detalhado no início deste manual para localizar itens específicos da colhedora. NÃO opere nem permita que qualquer pessoa opere ou faça manutenção nesta máquina sem antes ler este manual. Utilize apenas operadores treinados que provaram ter capacidade para operar e realizar manutenção nesta máquina corretamente e com segurança. NÃO utilize esta máquina para nenhuma aplicação ou finalidade diferente das descritas neste manual. Consulte um revendedor autorizado ou a Case IH Austoft sobre alterações, acréscimos ou modificações que podem ser realizados nessa máquina para cumprir os diversos regulamentos e requisitos de segurança do país. Modificações não autorizadas poderão causar ferimentos graves ou morte, qualquer pessoa que fizer tais modificações não autorizadas será responsável pelas conseqüências. Este Manual deve ser guardado no compartimento específico localizado sob o assento, e o manual deve ser mantido completo e em boas condições. Contate o seu revendedor Case IH Austoft para: - Assistência técnica e maiores informações; - Obtenção de novos manuais; - Aquisição de peças de reposição aprovadas.

4-1

Manual do operador - Compartimento de armazenagem (abaixo do assento)

1

NÚMEROS DE IDENTIFICAÇÃO

IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E NÚMEROS DE SÉRIE
A placa de identificação do produto está colocada na parte frontal da caixa do motor no lado esquerdo da máquina. Esses números deverão ser fornecidos ao revendedor ao pedir peças de reposição.

Número do chassis

Modelo da máquina Número de identificação do produto Localização do número de identificação do produto

O número do chassis está localizado na parte traseira da máquina, lado direito. Ele está gravado no chassis.

Localização do número do chassis

2

SEGURANÇA/ETIQUETAS

SEGURANÇA
A segurança pessoal e a segurança de terceiros são medidas pela forma em que é mantida e operada esta máquina. Deve-se conhecer as posições e operação de todos os controles antes de operar. NÃO DEIXE DE VERIFICAR TODOS OS CONTROLES EM UMA ÁREA SEGURA ANTES DE COMEÇAR O TRABALHO. LEIA TODO ESTE MANUAL e verifique se entendeu a operação dos controles. Todo equipamento tem um limite. Verifique se entendeu a velocidade, os freios, a direção, a estabilidade e as características de carga desta máquina antes de começar a operar. As informações de segurança fornecidas neste manual não substituem os códigos de segurança, obrigações de seguro, bem como as leis federais, estaduais e locais. Verifique se a máquina tem os equipamentos corretos exigidos pelas leis e regulamentos locais. A Case IH Austoft trabalha continuamente para a segurança de seus clientes, fabricando colhedoras com maior proteção e criando as regras abaixo para operação segura.

!
!

ESTE SÍMBOLO DE ALERTA DE SEGURANÇA INDICA MENSAGENS IMPORTANTES DESTE MANUAL. QUANDO VIR ESTE SÍMBOLO, LEIA CUIDADOSAMENTE A MENSAGEM QUE O SEGUE E FIQUE ALERTA PARA A POSSIBILIDADE DE LESÕES PESSOAIS OU MORTE.

Regras de segurança

!

Antes de trabalhar na máquina, sempre colocar um bloco de madeira embaixo do centro dos discos do cortador de base ou embaixo da parte dianteira da máquina antes de trabalhar embaixo da máquina. Não suspender a máquina com macaco a menos que o macaco e a máquina estejam bem firmes no solo. Verificar se o macaco está bem apoiado. Nunca trabalhar embaixo da máquina a menos que existam blocos de segurança posicionados.
* Opere os controles somente quando sentado no assento do operador. * São causas freqüentes de ferimentos ou morte a queda e atropelamento de pessoas. Não permita que outras pessoas dirijam. Somente uma pessoa - o operador - deve estar na máquina durante a operação. * IMPORTANTE: Durante o transporte, com a colhedora com pneus “A7000”, o operador deve parar de vinte em vinte minutos e girar o volante em todo o seu curso para realinhar a convergência nas rodas dianteiras. * A velocidade deve ser tal que permita o controle completo, mantendo sempre a estabilidade da máquina. Deve-se tomar cuidado ao operar perto de diques, aterros e buracos. Reduza a velocidade quando girar, operar em elevações e em superfícies acidentadas ou enlameadas.

3

SEGURANÇA/ETIQUETAS * O encontro de tráfego de estrada em alta velocidade e máquinas de deslocamento lento pode provocar ferimentos pessoais ou morte. Em estradas ou quando operar ao redor de uma, utilize sempre luzes piscando e sinais de veículo longo e todas as leis locais devem ser observadas. Encoste à direita para deixar o tráfego mais rápido passar. Diminua a velocidade e sinalize antes de fazer uma curva. Sempre verificar o perfeito funcionamento dos freios. * Jamais operar o motor em um prédio fechado. Uma ventilação adequada é necessária sob todas as circunstâncias. * Nunca operar a máquina sem blindagens. * O líquido refrigerante “aquecido” sob pressão pode respingar se a tampa do radiador for removida. Para remover a tampa do radiador, deixar o sistema esfriar, girá-la até o primeiro entalhe e aguardar até que toda a pressão seja liberada. A remoção rápida da tampa do radiador pode causar queimaduras. * O vazamento de óleo hidráulico ou combustível diesel sob pressão pode penetrar na pele e causar infecção ou outras lesões. Para Evitar Lesões Pessoais: - Liberar toda a pressão antes de desconectar as linhas de fluidos. - Antes de aplicar pressão, certificar-se de que todas as conexões estejam apertadas e os componentes estejam em boas condições. - Nunca usar as mãos para verificar vazamentos de óleo e/ou água sob pressão. Usar um pedaço de papelão ou madeira para esse fim. - Se houver lesões provocadas por vazamentos de fluidos, consultar o médico imediatamente. * Poderá haver explosão da bateria e/ou danos em componentes elétricos, resultantes da conexão errada de baterias reforçadoras ou carregador. Conectar terminal positivo a positivo e negativo a negativo. Externamente, o ácido da bateria pode causar queimaduras, cegar e é tóxico se ingerido. * É uma boa prática manter dois extintores de incêndio na máquina. Certificar-se de que os extintores sejam mantidos corretamente e conhecer sua utilização adequada. * Devido à natureza inflamável dos resíduos de cultura encontrados pelas colhedoras, os riscos de incêndios são altos. Esse risco pode ser minimizado pela remoção freqüente de material de cultura acumulado na máquina e pela verificação de componentes da máquina superaquecidos. No caso de vazamento de óleo, reapertar parafusos ou substituir gaxetas e vedações conforme necessário. * Recomenda-se verificar diariamente todos os dispositivos de segurança na colhedora para garantir a proteção total de todos os componentes. *. Sucessivamente, ligar cada um dos controles e tenta ligar a máquina em cada operação. Se a máquina ligar com qualquer dos controles ativado, providenciar reparos para garantir que a máquina não ligue com nenhum dos controles na posição ativada. * Sempre garantir que a chave de isolamento da bateria esteja desligada quando trabalhar na colhedora; por exemplo, na troca das lâminas do cortador de base, das lâminas do picador de palha e em todas as operações de soldagem e limpeza da máquina. * Sempre usar roupas adequadas quando operar ou trabalhar na máquina. * Sempre olhar para cima para garantir folga adequada no elevador e no cortador de pontas.

4

SEGURANÇA/ETIQUETAS

! PREVENÇÃO DE INCÊNDIO OU EXPLOSÃO !
* Fagulhas ou chamas podem causar explosão do gás hidrogênio de uma bateria. Para prevenir uma explosão, fazer o seguinte: 1. Quando desconectar os cabos da bateria, desconectar primeiro o cabo negativo (-); quando conectar, conectar o cabo negativo (-) por último. 2. Quando conectar jumpers para ligar o motor, seguir o procedimento descrito neste manual (consultar Conexões Auxiliares da Bateria, página 99 - neste manual). 3. Não colocar os pólos da bateria em curto-circuito com peças metálicas. 4. Não soldar, esmerilhar ou fumar perto de uma bateria. * As fagulhas do sistema elétrico ou do escape do motor podem provocar explosão ou incêndio. Antes de operar esta máquina em uma área com poeira ou vapores inflamáveis, usar uma boa ventilação para remover a poeira ou os vapores inflamáveis. * O combustível diesel pode provocar explosão ou incêndio. Não encher o tanque de combustível com o motor funcionando; se estiver perto de uma chama aberta; ou se estiver soldando, fumando etc. * Usar solventes de limpeza não inflamáveis na limpeza de peças. * Um incêndio pode causar ferimentos graves ou morte. Sempre ter um extintor de incêndio perto da máquina. Verificar se o extintor de incêndio está mantido de acordo com as instruções do fabricante. * Se um extintor de incêndio for utilizado, sempre recarregar ou substituir o extintor de incêndio antes de operar a máquina. * Remover qualquer lixo ou detrito da máquina diariamente. Verificar em especial a área do motor e o sistema de escape. * Se a máquina tiver vazamento de óleo, de combustível ou hidráulico, sempre reparar o vazamento e limpar a área antes de operar. * Manter o sistema de refrigeração limpo e manter o nível correto do lubrificante. * Verificar se não guardou panos sujos de óleo ou outros materiais inflamáveis na máquina. * Verificar o sistema elétrico quanto a conexões frouxas ou isolamento desgastado. Reparar ou substituir as peças frouxas ou danificadas. * Antes de soldar ou usar um maçarico na máquina, limpar a área a ser reparada. * Verificar se o interruptor do isolador da bateria está desligado.

5

SEGURANÇA/ETIQUETAS

EXTINTOR DE INCÊNDIO
Recomenda-se manter dois extintores de incêndio na colhedora durante a operação para auxiliar em caso de incêndio. Consulte o revendedor para obter mais informações.

!

ADVERTÊNCIA: É uma boa prática manter dois extintores de incêndio na máquina. Certificque-se de que os extintores sejam mantidos corretamente e conheça sua utilização adequada.

4-3

CABINE INTERNA, LADO ESQUERDO

6

SEGURANÇA/ETIQUETAS

ADESIVOS
IMPORTANTE: Substituia os decalques danificados, perdidos, pintados por cima ou ilegíveis. Quando substituir peças com adesivos, verifique se instalou novos adesivos nas peças novas. OBSERVAÇÃO: Novos adesivos estão disponíveis no revendedor local da Case IH Austoft.

Ar condicionado R134A 87246631

Cortador de Base 87254723

Disco de corte lateral, divisores de linha, cortador de pontas 87253171

7

SEGURANÇA/ETIQUETAS

Fios elétricos 87253172

O alarme deve disparar quando o veículo andar em marcha a ré 86306964

Descarga 87254991

8

SEGURANÇA/ETIQUETAS

Volante 87253168

Elevador 87253170

9

SEGURANÇA/ETIQUETAS

CUIDADO
PROCEDIMENTO NO ENCHIMENTO DO RADIADOR

COLHEDORAS EQUIPADAS COM AQUECEDOR DE CABINE NO ENCHIMENTO INICIAL OU DEPOIS DE DRENAR O RADIADOR, ENCHER E SANGRAR A BOBINA DO AQUECEDOR NO TETO DA CABINE COM O MOTOR LIGADO PARA REMOVER O AR DO SISTEMA.

87235680

ADVERTÊNCIA
LIGAR O MOTOR EM BAIXA ROTAÇÃO DURANTE 60 SEGUNDOS ANTES DA VERIFICAÇÃO FINAL DO NÍVEL DE ÁGUA

86306964

ADVERTÊNCIA DE VERIFICAÇÃO DE ÁGUA

LEVANTAR O CORTADOR DE BASE E ABAIXAR OS DIVISORES DE LINHA ANTES DE INCLINAR A CABINE
ADESIVO DE INCLINAÇÃO DA CABINE NA CAIXA DE BATERIA P/N 39559A1

10

SEGURANÇA/ETIQUETAS

ADESIVO DE SEGURANÇA

11

INSTRUMENTOS/COMANDOS

PAINEL DE INSTRUMENTOS Cummins M11
1. TACÔMETRO DO ELEVADOR - O tacômetro do elevador registra a velocidade de funcionamento do elevador. A. VOLTÍMETRO - Um voltímetro é usado como indicador do sistema de carregamento para verificar o desempenho do alternador e do regulador de tensão. A tensão da bateria é indicada girando a chave de ignição para a posição LIGADA com o motor parado e observando a leitura do voltímetro. Verificar o alternador e o regulador de tensão, deixando o motor operar em marcha lenta baixa e observando a tensão indicada no voltímetro. A leitura com o motor funcionando deve ser maior que a leitura com o motor parado e a chave de ignição ligada. Caso contrário, parar o motor e verificar a causa. B. MEDIDOR DE COMBUSTÍVEL - Quando a chave de ignição estiver ligada, o medidor de combustível indica o nível de combustível no tanque. C. MANÔMETRO DE ÓLEO DO MOTOR Quando a chave de ignição estiver LIGADA com o motor funcionando, o manômetro de óleo indica a pressão de óleo do motor (verificar a seção “Instruções de Operação” para obter mais detalhes). D. MEDIDOR DE TEMPERATURA DA ÁGUA DO MOTOR - Este medidor indica a temperatura do líquido refrigerante usado no motor. Em operação normal, o indicador deve estar na faixa verde. Nunca operar o motor com o indicador na faixa vermelha. E. MEDIDOR DE TEMPERATURA DO ÓLEO HIDRÁULICO - Este medidor indica a temperatura do óleo hidráulico usado no sistema hidráulico. Em operação normal, o indicador deve estar na faixa verde. Nunca operar a colheitadeira com o indicador na faixa vermelha.

1

12

INSTRUMENTOS/COMANDOS F. TACÔMETRO E HORÍMETRO - O tacômetro registra as rotações do motor e o horímetro as horas de funcionamento do motor. Os dois instrumentos registram apenas com o motor em funcionamento. G. MANÔMETRO DO CORTADOR DE BASE - O manômetro do cortador de base indica a pressão de operação do circuito do cortador de base durante as operações de colheita. H. MANÔMETRO DO PICADOR DE PALHA O manômetro do picador de palha indica a pressão de operação do circuito do picador de palha durante as operações de colheita. I. TACÔMETRO DO EXTRATOR PRIMÁRIO – O tacômetro do extrator primário registra a velocidade de funcionamento do extrator primário.

1

J. INDICADOR DE ALTURA DO CORTADOR DE BASE - O indicador de altura do cortador de base registra a altura do cortador de base através de um nível de óleo em uma escala numerada. K. VELOCIDADE DO EXTRATOR PRIMÁRIO – Pode-se variar a velocidade do Extrator Primário girando o botão para a posição desejada. L. TOMADA DE POTÊNCIA – saída de energia de 12 volts. M. LUZ DE INSTRUMENTOS - A luz de instrumentos ilumina os manômetros do cortador de base e do picador de palha para operação noturna. A luz ilumina junto com as outras luzes de instrumentos quando os faróis dianteiros estiverem acesos.

13

INSTRUMENTOS/COMANDOS

TACÔMETROS
TACÔMETROS DO MOTOR E DO EXTRATOR PRIMÁRIO Os tacômetros do motor e do extrator primário são do tipo de impulso, e recebem um sinal do alternador ou da unidade de emissão no extrator primário.

HORÍMETRO DO MOTOR O Horímetro do Motor é montado com o tacômetro do motor e mostrará as horas de funcionamento do motor quando a chave de ignição estiver na posição LIGADA.

HORÍMETRO DO ELEVADOR O Horímetro do Elevador é montado com o medidor de RPMs do extrator e exibirá as horas de operação do elevador.

14

INSTRUMENTOS/COMANDOS

CONSOLE DIREITO

15

INSTRUMENTOS/COMANDOS

Console Direito - Painel Superior

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.

Giro do capuz do extrator secundário Cortador de Pontas Cortador de base Inclinação do cortador de base (Opcional) Rolo tombador hidráulico (Opcional) Flap - abrir / fechar Giro do capuz do extrator primário Elevador - levantar / abaixar Corte lateral esquerdo - levantar / abaixar

10. Corte lateral direito - levantar / abaixar 11. Corte lateral esquerdo 12. Corte lateral direito 13. Elevador - avanço / ré 14. Inclinação do divisor de linhas lado esquerdo 15. Inclinação do divisor de linhas lado direito 16. Comprimento de tolete

16

INSTRUMENTOS/COMANDOS

Console Direito - Painel Inferior

1 2

3 4

5

7 9

6

8

10

11

12

13

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.

Seta Freio de estacionamento Acionamento do extrator secundário Acionamento do extrator primário Farol traseiro Farol dianteiro Ignição Botão auxiliar de partida Lâmpada indicadorade restrição do filtro de óleo hidráulico

10. Sinalizador rotativo 11. Reversão do limpador de pára-brisa 12. Divisores de linhas esq / dir 13. Suspensão do cortador de pontas

17

INSTRUMENTOS/COMANDOS

Console Direito - Painel de Disjuntores

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9.

Chave geral do console Iluminação para transporte (5A) Rádio (5A) Válvula Vickers - A20 / A35 - Válvula elevador (10A) Painel de instrumentos Limpador de pára-brisa - Radiador de óleo hidráulico (20A) Ventiladores do ar condicionado (20A) Assento de ar - Sinalizador rotativo - Alarme setas (20A) Hélice do condensador do ar condicionado (20A)

10. Luzes dianteiras (20A) 11. Luzes traseiras (20A)

18

INSTRUMENTOS/COMANDOS

PAINEL SUPERIOR

1

2

3

4

5

1.

Limpador / lavador do pára brisa: para ativa o limpador, gire o botão no sentido anti-horário. Para ativar o lavador, pressione o botão. Para inverter o sentido do limpador, pressione o interruptor de reversão do limpador de pára brisa localizado no painel inferior do console. Observação: os lavadores funcionarão somente com os limpadores na posição normal (para frente). Aquecedor da cabine: regule o aquecedor girando o controle para posição aberta e operando o interruptor do ventilador da cabine conforme necessário. Ventiladores da cabine: existem três velocidades do ventilador. Gire o controle no sentido horário para aumentar a velocidade do ventilador. Termostato de controle: para aumentar a refrigeração, gire o botão de controle no sentido horário. Interruptor A/C: interruptor de acionamento do ar condicionado.

2. 3. 4. 5.

19

INSTRUMENTOS/COMANDOS

COLUNA DE DIREÇÃO
A7000 1. Elevador 2. Buzina 3. Controle de tração 4. Volante 5. Controle de aceleração 6. Bloqueio 7. Pedal de giro do elevador LE 8. Pedal de giro do elevador LD 9. Trava da coluna de direção 10. Pedais do freio de segurança A7700
1 2

1. Elevador 2. Buzina 3. Controle de tração 4. Controle de aceleração

3

4

5. Pedal de giro do elevador LE 6. Pedal de giro do elevador LD 7. Trava da coluna de direção

5 7

6

As colunas de direção das colhedoras A7000 / A7700 são ajustáveis para frente e para trás para maior conforto do operador. Para ajustar a coluna de direção, pressione o pedal de trava da coluna localizado ao lado da mesma e desloque o a coluna para a posição desejada. A coluna travará assim que o pedal for solto.

20

INSTRUMENTOS/COMANDOS

FREIO
Freio de Estacionamento
O freio de estacionamento é um sistema de liberação de pressão hidráulica acionado por mola e é aplicado automaticamente quando o motor é desligado. Se houver necessidade de freio com o motor operando, acione o interruptor do freio de estacionamento localizado na seção inferior do console localizado ao lado direito do assento (Página 17). Não há ajuste no freio de estacionamento.

Bloqueio (A7000)
As colhedoras A7000 possuem o recurso de manter a tração constante nas duas rodas traseiras através de válvulas que garantem o mesmo fluxo de óleo para cada roda de tração. Este recurso é denominado de bloqueio. Para acionar o bloqueio, pare a máquina retornando a alavanca de tração para neutro. O bloqueio é acionado por um botão (2) localizado na coluna de direção, uma luz (1) ao lado deste botão indicará que o bloqueio está ligado. Observação: 1. Não acione o bloqueio com a máquina em movimento. 2. Não permaneça com o bloqueio ligado com a máquina virando. 3. Não permaneça no modo de bloqueio em solo firme e nivelado. Acione-o somente quando existir possibilidade de perda de tração da roda.

1

2

Freio de Segurança (A7000)
Este sistema trabalha com óleo hidráulico proveniente do circuito da bomba de carga da transmissão, o que elimina a necessidade da utilização de um fluído de freio específico. Este freio é acionado por pedais localizados no piso (assoalho da cabine), através do bloqueio de pressão de óleo no freio, que o caracteriza como freio de segurança. O pedal direito aciona o freio da roda traseira direita e o pedal esquerdo aciona o freio da roda traseira esquerda. ATENÇÃO: Ambos os pedais devem ser pressionados simultaneamente para uma frenagem de estacionamento. Os pedais somente são acionados individualmente para auxiliar o operador em manobras. ADVERTÊNCIA: Acionar os pedais de freio simultaneamente somente com a alavanca de tração na posição neutra.

21

INSTRUMENTOS/COMANDOS

ASSENTO - AJUSTE MECÂNICO

5 1 2

6 3

4 1. 2. 3. 4. 5. 6. Ajuste dianteiro da altura do assento Ajuste traseiro da altura do assento Controle do peso do assento Ajuste de controle do curso do assento (para frente e para trás) Ajuste de inclinação da coluna de encosto do assento Ajuste da parte posterior do assento.

22

INSTRUMENTOS/COMANDOS

INCLINAÇÃO DA CABINE
A cabine da colheitadeira pode ser inclinada para a esquerda. Isso permite acessar a caixa do motor, além de diversas funções sob a cabine.

Para inclinar a cabine, primeiro remova os pinos lynch e abaixe as travas de segurança nas bases da cabine lado direito (as bases da cabine são acessadas através da saia de borracha em volta da parte inferior da cabine).

Insira a alavanca do macaco na porta da válvula de controle, localizada atrás da entrada da caixa da bateria. A cabine deve ser levantada e abaixada acionandose a alavanca do macaco. Para levantar a cabine, mova a alavanca da válvula de controle para a posição superior e acione a alavanca. Para abaixar a cabine, mova a alavanca para a posição inferior e acione a alavanca.

23

INSTRUMENTOS/COMANDOS

BASCULAMENTO DO TETO DA CABINE
Remover as presilhas elásticas e soltar as travas no teto. Remover os parafusos do corrimão direito e levantar o teto com o corrimão. Prender o corrimão no suporte superior da montagem do espelho para segurar o teto. OBSERVAÇÃO: - Tomar cuidado com a vedação na parte superior da cabine quando abaixar o teto.

24

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

ANTES DE LIGAR O MOTOR
Antes de ligar a colhedora pela primeira vez e antes de cada período de operação posterior, faça as seguintes verificações: 1. 2. 3. 4. Verifique se todas as pessoas que operam ou fazem manutenção compreendem a importância de utilizar combustível limpo e de qualidade. Verifique se o tanque de combustível está abastecido com óleo limpo que satisfaça os requisitos expostos neste manual. Verifique todos os pontos de lubrificação conforme mostrado nas Tabelas de Lubrificação. Verifique e se necessário corriga o nível de óleo no cárter do motor. Use a vareta de medição para verificar se o nível de óleo está entre H e L. Mergulhe a vareta no óleo duas vezes e utilize somente a segunda leitura. Se necessário, adicione óleo no tubo de enchimento. Verifique o nível de óleo antes de ligar o motor, ou mais de cinco minutos após parar o motor.

OBSERVAÇÃO: Limpe ao redor da tampa do tanque de combustível antes de remover a tampa.

Enchimento de óleo

Vareta de óleo

5.

Ande em volta da máquina e verifique qualquer vestígio de vazamento de óleo ou de água. Se encontrar qualquer vazamento, verifique a causa e repare. Se encontrar alguma dificuldade, consultar o seu Distribuidor Case IH Austoft. Remova qualquer volume de água ou quaisquer sedimentos do filtro separador de água. Verifique a pressão de ar dos pneus (A7000). Remova a tampa do radiador e verifique o nível do líquido refrigerante. Se insuficiente, adicionar líquido refrigerante até o nível correto. Se uma quantidade excessiva de líquido refrigerante for necessária para corrigir o nível, deve-se considerar que há vazamento em algum ponto. Levante a tampa de acesso ao radiador, remova o radiador para inspeção e

6. 7. 8.

25

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO corrija a causa do vazamento. Não remova a tampa enquanto o líquido refrigerante estiver quente, pois a água pode esguichar. OBSERVAÇÃO: Existem dois interruptores embaixo do ventilador do radiador que não permitirão que o motor seja operado se a porta do radiador não estiver fechada corretamente. Tampa do radiador

Interruptor

9. Verifique se o nível de óleo da caixa da bomba está correto. Encher até o nível correto se necessário..

OBSERVAÇÃO: O enchimento excessivo da caixa da bomba poderá danificar a caixa e as vedações da bomba.

10. Verifique o aperto de porcas e parafusos; reaperte se necessário. Verificações específicas são necessárias para a posição de montagem do purificador de ar, do silencioso e do turbocompressor. 11. Remova todos os materiais de cultura acumulados na máquina. 12. Verifique se há fios cortados, curto-circuitos e terminais soltos. 13. Verifique o nível de combustível no indicador de nível da cabine. Encha o tanque de combustível no tubo de enchimento após cada dia de operação e sempre que estiver vazio.

26

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO 14. Verifique se há água no filtro separador de água. Se necessário, drene a água. Caso ocorra entrada de ar ao drenar a água, opere a bomba de alimentação do sistema de combustível para sangrar o ar; em seguida, ligue o motor. 15. Verifique o indicador de poeira. Quando o elemento do purificador de ar estiver entupido, o pistão vermelho do indicador de poeira atinge o nível de serviço e fica travado. Nesse caso, limpe o elemento e logo após, pressione o botão para retornar o pistão vermelho à posição original. Indicador de poeira

Separador de água

16. Cuide para que a máquina esteja sem calço ou ferramentos em baixo. 17. Observe se os registro que ligam os tanques hidráulicos às bombas estão ABERTOS.

27

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

PROCEDIMENTO NORMAL DE PARTIDA
OBSERVAÇÃO: O método operacional pode variar dependendo do tipo de motor usado. 1. 2. 3. Faça as verificações pré-operacionais apresentadas na seção “Antes de ligar o motor”. Verifique se todos os comandos estão em NEUTRO e se o acelerador está na posição de marcha lenta. Ligue a chave geral, localizada embaixo do assento no lado esquerdo do operador

Chave Geral 4. 5. 6. Coloque a chave no painel direito, encaixando-a firmemente. Dê um sinal de advertência com a buzina. Com uma mão, aperte o botão de partida auxiliar (1) situado no braço móvel ao lado direito do assento, e com a outra mão gire a chave de ignição (2) também no mesmo painel e dê a partida. Quando o motor ligar, solte a chave que voltará para a posição LIGADO, mas mantenha o botão de partida auxiliar pressionado até que o manômetro do óleo do motor diesel acusar, em marcha lenta, 2 kgf/cm2 ou 25 psi. Quando a pressão correta for alcançada solte o botão de partida auxiliar.

2

1
OBSERVAÇÃO: Não deixar a chave na posição LIGADO durante mais de 20 segundos. Se o motor não funcionar, aguardar cerca de 2 minutos antes de ligar novamente.

28

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO CUIDADO: Não operar a colhedora com rotação máxima quando o óleo hidráulico estiver frio, pois poderá danificar o refrigerador de óleo e as bombas hidráulicas. Opere o motor em meia aceleração até o óleo hidráulico começar a aquecer. OBSERVAÇÃO: Os sistemas do motor e hidráulico da colhedora são protegidos pelo Sistema de Segurança Murphy que monitora: - Pressão de óleo do motor - Temperatura de água do motor - Nível de água do motor - Porta do radiador - Nível de óleo hidráulico Caso ocorra alguma disfunção com qualquer um destes sistemas, o motor será desligado. Se o motor parte mas pára quando o botão auxiliar é solto, verifique os 5 indicadores do sistema de segurança do motor para assegurar que não existe uma falha em qualquer um dos componentes que o sistema de segurança está protegendo. Se estes cinco indicadores estiverem dentro dos padrões e mesmo assim o motor desligar, contate seu revendedor CASE IH. ATENÇÃO: Quando o sistema de segurança da máquina estiver ativado (alguma das cinco funções está fora do padrão), nunca utilizar o botão de partida auxiliar pressionado para funcionar a máquina. Caso isto ocorra, poderá ocasionar sérios danos no motor e no sistema hidráulico da máquina e queima do relé. 7. 8. 9. Deixe o motor em meia aceleração (1600 rpm) até atingir a temperatura operacional de 74ºC no indicador de temperatura de água do motor. Verifique se todos os instrumentos do motor e hidráulicos apresentam indicação normal. Verifique a cor dos gases de escape e ruídos anormais.

Motor Cummins M11 Pressão de óleo 240 kPa Min. em operação - 70 kPa min. baixa rotação

29

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

PROCEDIMENTO DE AMACIAMENTO
Se as instruções de amaciamento de motor novo não forem seguidas, os anéis do pistão e as luvas poderão ser danificados, o que pode afetar o desempenho do motor.

Aquecimento do Motor
1. 2. 3. Operar o motor em rotação de marcha lenta baixa e verificar se o manômetro da pressão de óleo do motor está funcionando. Usando a alavanca do acelerador, opere o motor na faixa média de rotação durante aproximadamente cinco minutos sem carga. Operar o motor com carga baixa (motor em meia aceleração e circuitos hidráulicos acionados) até que o indicador de temperatura da água do motor mostre a faixa normal (verde).

PARADA DO MOTOR
1. Resfriar o motor gradualmente, colocando o acelerador na posição média. Deixar o motor funcionando em rotação média durante 5 minutos e, em seguida, colocar o acelerador em neutro durante meio minuto. Retornar a chave de partida para a posição DESLIGADO para desligar o motor.

2.

OBSERVAÇÃO: Se o motor parar bruscamente antes de esfriar, a vida útil do motor pode diminuir bastante. Nunca parar o motor bruscamente, a não ser em casos de emergência.

30

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

REBOQUE DA COLHEDORA
OBSERVAÇÃO: Quando rebocar a colhedora para trás, conectar a corrente de reboque nos pontos de reboque traseiros localizados no chassi. Quando rebocar a colhedora em vias de transporte públicos, ativar o interruptor do sinalizador rotativo localizado no painel inferior do console direito (Página 26). A colhedora é dotada de setas que devem ser usadas para indicar direção à direita ou à esquerda. As setas são ativadas por um interruptor também no painel inferior do console direito (Página 26). OBSERVAÇÃO: Os freios de estacionamento na colhedora A7700 são ativados automaticamente quando a máquina é desligada. Para permitir o reboque da máquina, o motor precisa estar funcionando e o freio de estacionamento na posição DESLIGADO. Se isso não for possível, os pinhões devem ser removidos dos cubos traseiros para deixar as rodas livres.

31

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

ACELERADOR DO MOTOR
Quando em colheita, ajustar o acelerador do motor na posição máxima (até 2100 rpm). Se a velocidade do motor com aceleração total cair para baixo de 2100 rpm durante a colheita, isso indica que a colhedora está sobrecarregada ou o motor está com defeito e a velocidade de tração deve ser reduzida. RPM do motor com aceleração máxima durante a colheita: 2100 RPM a carga total.

VELOCIDADE DE TRAÇÃO
1. 2. Durante a colheita, ajustar o controle de velocidade de tração para colher a cana o mais rápido possível sem sobrecarregar o motor. Quando dirigir em solo irregular, em declives ou quando virar 90 graus, ajustar os controles de velocidade de tração ou reduzir a rotação do motor o suficiente para manter a estabilidade e a segurança da máquina.

32

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

DIRIGINDO A COLHEDORA
Antes de dirigir uma colhedora de cana
A. B C. D. E. F. G H Observar cuidadosamente a parte da frente, de trás e cada lado da colhedora. Verificar se há alguma pessoa na máquina ou perto da máquina. Ligar o motor conforme explicado na seção “Procedimento Normal de Partida” (Página 37). Verificar se o elevador não está virado para um lado, a não ser que seja necessário para equilibrar em um declive. Verificar se existe espaço suficiente acima da máquina para o cortador de pontas e o elevador. Verificar se os cortadores de base estão bem acima do solo Verificar se os divisores de linhas estão bem acima do solo. Acionar a buzina para alertar qualquer pessoa perto da máquina.

Direção da Colhedora - A7700 (esteira)
1. 2. Ajustar o acelerador para meia aceleração (1600 RPM) Para movimentar a colhedora para frente, mover as alavancas de tração gradualmente para frente a partir da posição neutra. Esse procedimento fará a colhedora se movimentar para frente. Para movimentar a colhedora para ré, mover gradualmente as alavancas de tração para trás a partir da posição neutra. Esse procedimento fará a colhedora se movimentar para ré. Ajustar a velocidade conforme necessário movendo as alavancas de tração para frente (mais rápido) ou para trás (mais lento). Para parar a colhedora, mover as alavancas de tração gradualmente para a posição neutra.

3. 4. 5.

CUIDADO: Não parar a colhedora bruscamente movendo as alavancas para a posição neutra em um único movimento brusco. 6. Para parar a partir de movimento para ré, mover gradualmente as alavancas para a posição neutra.

CUIDADO: Não alterar o movimento diretamente de avanço para ré ou de ré para avanço. Sempre parar a colhedora, com as alavancas de tração na posição neutra, antes de mudar o sentido do movimento. 7. Para virar para a direita, mover a alavanca de tração esquerda para frente a partir da posição neutra, ao mesmo tempo mantendo a alavanca de tração direita na posição mínima para frente. A esteira esquerda recebe tração para frente enquanto a esteira direita é apenas arrastada.

33

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO 8. Para virar para a esquerda, mover a alavanca de tração direita para frente a partir da posição neutra, ao mesmo tempo mantendo a alavanca de tração esquerda na posição mínima para frente. A esteira direita recebe tração para frente e a esteira esquerda é apenas arrastada.

CUIDADO: Não tentar girar a colhedora operando as esteiras em sentidos opostos. 9. Não dirigir a colhedora em velocidade alta constante. Uma velocidade alta da esteira acelera o desgaste dos elos, do rolete da esteira e da engrenagem intermediária.

10. Não girar constantemente em um sentido, pois isso provocará o desgaste desigual das esteiras. 11. Sempre manter o ajuste correto das esteiras que seja adequado para condições de avanço difícil. Uma maior tensão das esteiras aumenta tanto a carga quanto o desgaste em todos os componentes casados no chassi.

Direção da Colhedora - A7000 (pneu)
1. 2. 3. 4. 5. Ajustar o acelerador para meia aceleração (1600 RPM) Para se movimentar para frente, mover a alavanca de tração gradualmente para frente a partir da posição neutra. Esse procedimento fará a colhedora se movimentar para frente. Para movimentar a colhedora para ré, mover gradualmente a alavanca de tração para trás a partir da posição neutra. Esse procedimento fará a colhedora se movimentar para ré. Ajustar a velocidade conforme necessário, movendo a alavanca de tração para frente (mais rápido) ou para trás (mais lento). Para parar a colhedora, mover a alavanca de tração gradualmente para a posição neutra.

CUIDADO: Não parar a colhedora bruscamente movendo a alavanca para a posição neutra em um único movimento brusco. 6. Para parar a partir de movimento para ré, mover gradualmente as alavancas para a posição neutra.

CUIDADO: Não alterar o movimento diretamente de avanço para ré ou de ré para avanço. Sempre parar a colhedora, com a alavanca de tração na posição neutra, antes de mudar o sentido do movimento. 7. 8. Para virar para a direita, virar o volante no sentido horário da mesma forma como se estivesse dirigindo um carro. Para virar para a esquerda, virar o volante no sentido anti-horário da mesma forma como se estivesse dirigindo um carro

OBSERVAÇÃO: Quando dirigir na estrada entre campos etc., verificar se a colhedora está abaixada aproximadamente 4 polegadas (100 mm) em relação à altura máxima. Isso irá garantir que a convergência das rodas dianteiras esteja correta para desgaste mínimo, ao mesmo tempo que permite movimento nos cilindros de suspensão para compensar condições de solo

34

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO irregulares. Cuidado: As condições de campo com sulcos muito estreitos ou que estejam molhados podem impedir o movimento rápido das rodas dianteiras com o volante. Forçar a máquina a virar nessas condições com os cilindros de suspensão quase totalmente levantados poderá sobrecarregá-los e empenar os eixos. Para evitar isso, sempre verificar se a máquina está abaixada antes de virar.

PERCURSO EM ESTRADA
Durante um percurso longo em estrada, o operador deve parar de vinte em vinte ou de trinta em trinta minutos e girar o volante em todo o seu curso para realinhar a convergência nas rodas dianteiras. Não seguir esse procedimento poderá causar desgaste prematuro dos pneus dianteiros.

DIREÇÃO DA COLHEDORA EM LOCAIS PÚBLICOS
Antes de dirigir a colhedora em locais públicos, verificar se as autorizações exigidas etc. foram obtidas e se a colhedora está sendo dirigida de acordo com os regulamentos do Ministério dos Transportes. Quando dirigir a colhedora em locais públicos, ativar o interruptor do sinalizador rotativo localizado no painel inferior do console direito (Página 26). A colhedora é dotada de setas que devem ser usadas para indicar entrada à direita ou à esquerda. As setas são ativadas por um interruptor também no painel inferior do console direito (Página 26).

35

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

FUNÇÕES DE COLHEITA

Cortador / triturador de pontas Extrator primário Extrator Secundário

Disco de corte lateral 2-1 Elevador Divisores de linhas Picador

Trem de Rolos Caixa do Corte de Base

CORTADOR DE PONTAS: Corta a ponteira da cana em um único pedaço e a arremessa para os lados.

TRITURADOR DE PONTAS: corta as pontas da cana em pedaços menores de 100 mm e os arremessa para os lados.

36

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

DIVISORES DE LINHA: Levantam a cana caída e separam a cana da linha de corte da cana da rua lateral. Altura controlada pelo operador.

DISCOS DE CORTE LATERAL (OPC): Auxiliam na colheita de cana verde e cana trançada, separando a linha de corte da rua lateral.

ROLO TOMBADOR: Regulado para ajudar na alimentação da cana caída.

SAPATAS

LATERAIS

FLUTUANTES:

Direcionam os talos caidos para o cortador de base, reduzindo a perda da cana (Ajustável).

ROLO ALIMENTADOR: Direciona direção do cortador de base.

a

cana

na

37

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

CORTADOR DE BASE: Corta a cana rente ao solo e alimenta o conjunto de rolos alimentadores. Altura controlada pelo operador.

CONJUNTO DE ROLOS ALIMENTADORES (TREM DE ROLOS): Direcionam a cana cortada para o picador e permitem queda livre de impurezas.

PICADOR: Rolos giratórios equipados lâminas que picam a cana em toletes.

com

EXTRATOR PRIMÁRIO: Provoca fortes correntes de ar, retirando impurezas dos toletes de cana, enquanto estes caem no elevador.

CAPUZ DO EXTRATOR PRIMÁRIO: Direciona as impurezas para fora do elevador e outras áreas. Giro hidráulico ou mecânico.

ELEVADOR: Transporta os toletes de cana para a caçamba e permite a queda livre de impurezas. Giro controlado pelo operador.

38

OPERAÇÃO NO CAMPO

CONTROLES DO OPERADOR
Observação: O motor da colhedora deve operar antes de qualquer função de colheita ou do cilindro. Todas as funções devem estar em neutro antes de ligar o motor. Nota: O interruptor de segurança [1] localizado no apoio do braço direito deverá ser acionado (ON) antes que qualquer função no console direito seja executada. Esta chave deve estar na posição “OFF” (desconectado) quando qualquer manutenção for executada na colhedora.

Ajuste da Altura do Cortador de Pontas
1. Para abaixar o cortador de pontas, deslocar a alavanca de controle do joystick [2] para a direita e retornar à posição neutra (vertical) quando o cortador de pontas se aproximar da altura necessária. 2. Para levantar o cortador de pontas, deslocar a alavanca de controle do joystick [2] para a esquerda e retornar gradualmente à posição neutra vertical quando o cortador de pontas se aproximar da altura necessária.

1. Interruptor de Segurança -Todas as funções de corte de cana ficam localizadas em um console no apoio do braço direito e são acionadas por interruptores. Todas as funções do motor operam com interruptores que se manterão na posição selecionada; por exemplo: para frente - neutro - ré. Todas as funções de cilindro operam com interruptores e joysticks que retornarão à posição central (neutro).

2. Alavanca de controle de altura do cortador de pontas

39

OPERAÇÃO NO CAMPO

Ajuste da Rotação do Disco de Corte do Cortador de Pontas
1. Caso a cana a ser colhida esteja à direita da colhedora, acionar o interruptor [3] do cortador de pontas para a esquerda. Esse procedimento permitirá que o disco de corte do cortador de pontas gire no sentido anti-horário, arremessando assim as partes superiores para o lado esquerdo do cortador de pontas para serem descarregadas no lado esquerdo da máquina, longe da cana a ser colhida. Uma luz indicadora na tecla mostrará o lado selecionado. 2. Caso a cana a ser colhida esteja à esquerda da colhedora, pressionar o interruptor [3] do cortador de pontas para a direita; isso fará o disco de corte do cortador de pontas girar no sentido horário, arremessando assim as partes superiores no lado direito do cortador de pontas para serem descarregadas no lado direito da colhedora, longe da cana a ser colhida. CUIDADO: Quando o sentido de rotação se alterar, um temporizador automaticamente manterá a posição neutra antes da seleção do circuito. NOTA: Os discos reunidores do cortador de pontas (STD e triturador) possuem rotações em sentidos contrários, possibilitando que a descarga da ponteira da cana seja realizada para o mesmo lado.

Ajuste da Altura do Cortador de Base
1. Para abaixar o cortador de base, mover a alavanca de controle do joystick [4] para a frente, saindo da posição neutra. Isso abaixará o cortador de base. Retornar gradualmente o joystick para a posição neutra quando o cortador de base se aproximar da altura necessária. 2. Para levantar o cortador de base, deslocar a alavanca de controle do joystick [4] para trás, saindo da posição neutra (vertical), e retornar gradualmente o joystick para a posição neutra quando o cortador de base se aproximar da altura necessária. Observação: O cortador de base é levantado e abaixado elevando e abaixando a suspensão da colhedora, articulando em relação às rodas traseiras. Se a altura do cortador de base for alterada, a altura dos divisores de linhas poderá precisar de ajuste. A altura do cortador de base é mostrada pelo indicador de altura situado na coluna de medição no lado esquerdo da cabine.

4. Alavanca de controle do cortador de base

3. Interruptor do cortador de pontas

40

OPERAÇÃO NO CAMPO

Ajuste da Altura do Divisor de Linha
1. Para abaixar os divisores de linhas, deslocar a alavanca de controle do joystick [5] para a frente a partir da posição neutra e retornar à posição neutra quando o divisor de linhas se aproximar da altura necessária. Isso abaixará os dois divisores de linhas em conjunto. Mover o joystick para frente e para a direita abaixará apenas o divisor de linhas direito e mover o joystick para frente e para a esquerda abaixará o divisor de linhas esquerdo. 2. Para levantar os divisores de linhas, deslocar o joystick do divisor de linhas [5] para trás a partir da posição neutra e retornar à posição neutra quando o divisor de linhas se aproximar da altura necessária. Isso levantará os dois divisores de linhas em conjunto. Mover o joystick para trás e para a direita levantará apenas o divisor de linhas direito e mover o joystick para trás e para a esquerda levantará o divisor de linhas esquerdo. Observação: Verificar se os divisores de linhas apenas encostam no solo; isso garante que a mola compensadora está totalmente comprimida para permitir movimento completo (flutuante) e evitar danos. CUIDADO: Ao dirigir a colhedora entre campos, verificar se os divisores de linha estão totalmente retraídos para que o cilindro hidráulico não permita que o divisor de linhas “bata” na mola compensadora.

Quando colocamos a máquina na linha de cana, o primeiro ajuste a ser realizado deve ser da altura do corte de base e em seguida dos divisores de linha. Caso seja realizado o contrário, a máquina poderá aumentar o contato dos divisores de linha com o solo. Com isto, aumentará a quantidade de terra na cana colhida, assim como um desgaste acelerado dos divisores de linha.

Ajuste Opcional da Inclinação dos Divisores de Linhas
1. Para aumentar o ângulo da parte superior do conjunto dos divisores de linhas para frente, pressionar o topo do interruptor esquerdo [6] ou do interruptor direito [6] conforme necessário - soltar o interruptor assim que a posição desejada for obtida. 2. Para diminuir o ângulo da parte superior do conjunto dos divisores de linhas para trás, pressionar a parte inferior do interruptor esquerdo [6] ou do interruptor direito [6] conforme necessário - soltar o interruptor assim que a posição desejada for obtida.
Esquerdo Direito

6. Interruptores dos divisores de linha

5. Alavanca de controle dos divisores de linha

41

OPERAÇÃO NO CAMPO

Ajuste das Sapatas Laterais Flutuantes do Divisor de Linha
As sapatas laterais flutuantes se articulam na traseira da parede interna dos divisores de linhas e flutuam para compensar condições irregulares de campo. Atrás da sapata flutuante existe uma corrente presa por um elo “D” na parte externa da parede lateral da colhedora. Deve-se permitir folga suficiente na corrente para deixar a sapata lateral flutuante cair até um pouco abaixo do nível das lâminas do cortador de base; mas quando a máquina for levantada, a corrente deverá levantar a sapata lateral longe do solo para não danificar a parede lateral flutuante quando a máquina inverter o movimento.

Ajuste do Defletor do Picador
O defletor do picador é ajustável para retirada máxima de sujeira, dependendo da variedade e das condições da cana. A posição do defletor é ajustável para direcionar a cana e as impurezas para mais próximo do extrator primário. Elevando o defletor, a cana e suas impurezas serão direcionadas para perto do ventilador do extrator, o que auxiliará a remoção das impurezas de uma cana pesada. Para uma cana mais leve, deve-se abaixar o defletor, direcionando a cana e impurezas para longe do ventilador do extrator reduzindo a perda de cana. Para ajustar o defletor: 1. Remover os parafusos [B]. 2. Ajustar o defletor para a posição desejada. 3. Substituir e apertar os parafusos [B]. 4. Apertar os parafusos [A].

7. Sapatas laterais flutuantes

B A
8. Defletor

42

OPERAÇÃO NO CAMPO

Ajuste do Giro do Elevador
1. Para girar o elevador para a esquerda, pressionar o pedal esquerdo [9] e soltar quando o elevador se aproximar do ângulo desejado. 2. Para girar o elevador para a direita, pressionar o pedal direito [9] e soltar quando o elevador se aproximar do ângulo desejado. Observação: Acionar o pedal de giro suavemente quando reposicionar o elevador. Observação: O mecanismo de giro pode ser danificado se as precauções acima não forem tomadas. CUIDADO: Quando abaixar o elevador, verificar se ele esta alinhado com a colhedora. Se isso não for feito o bojo do elevador e o alojamento do extrator poderão ser danificados. O sistema de abaixamento do elevador deve ser usado para facilitar a manutenção. Não dirigir a colhedora com o elevador abaixado, pois poderá danificar o elevador ao fazer uma curva.

Ajuste do Capuz do Extrator Primário
Giro Hidráulico (Opcional)
1. Para girar o capuz do extrator primário, acionar o interruptor [10]. Pressionar o interruptor para a direita fará o capuz girar para a direita. Pressionar o interruptor para a esquerda fará o capuz girar para a esquerda.

10. Interruptor capuz do extrator primário

Ajuste do Capuz do Extrator Secundário
1. Para girar o capuz do extrator secundário, acionar o interruptor [11]. Pressionar o interruptor na parte superior fará o capuz girar para a direita. Pressionar o interruptor na parte inferior fará o capuz girar para a esquerda. O interruptor retornará à posição neutra quando liberado.

Pedal esquerdo 9. Pedal de giro do elevador

Pedal direito 11. Interruptor capuz do extrator secundário

43

OPERAÇÃO NO CAMPO

Ajuste do Comprimento do Tolete
O botão de comprimento do tolete está localizado no painel superior do console. Para aumentar o comprimento do tolete, girar o botão [12] para a direita (sentido horário). Para diminuir o comprimento do tolete, girar o botão [12] para a esquerda (sentido antihorário).

Operação do Elevador
1. Para selecionar o sentido de avanço/recuo do elevador, acionar o interruptor [13] no no painel superior do console, pressionar o topo do interruptor para avanço e a parte inferior para recuo. Uma luz indicadora mostrará o sentido selecionado. Observação: Quando o motor parar, o interruptor [13] de seleção do elevador deve retornar à posição neutra antes de ligar novamente o motor.

12. Ajuste do tamanho de tolete 13. Interruptor do elevador 2. Para operar o elevador (ligar-desligar), acionar o botão do interruptor de trava [14] montado na alavanca de comando de tração. Pressionar o interruptor liga o elevador; pressionar novamente o desliga.

Botão do Elevador

14. Botão do elevador CUIDADO: Não alterar o sentido de movimento do elevador de avanço para recuo pressionando diretamente o interruptor [13] de um lado para o outro. Parar na posição neutra.

44

OPERAÇÃO NO CAMPO

Ângulo do Flap do Elevador
1. Para posicionar o flap do elevador para dentro, pressionar o topo do interruptor [15]; liberar o interruptor fará com que retorne para neutro quando o flap do elevador atingir o ângulo desejado. 2. Para posicionar o flap do elevador para fora, pressionar a parte inferior do interruptor [15]. Liberar o interruptor fará com que retorne para neutro quando o flap do elevador atingir o ângulo desejado.

Ajuste da Altura do Elevador
O elevador deve ser posicionado, sempre que possível, no centro do curso entre o ponto superior e o batente de segurança. Isso garantirá que os braços puxem o conjunto da corrente de apoio no ângulo correto. 1. Para baixar o elevador, pressionar a parte inferior do interruptor [16]; liberar o interruptor fará com que retorne para neutro quando o elevador atingir a altura desejada. 2. Para levantar o elevador, pressionar o topo do interruptor [16]; liberar o interruptor fará com que retorne para neutro quando o elevador atingir a altura desejada.

15. Interruptor do flap

16. Interruptor de altura do elevador Observação: O elevador não deve descansar constantemente sobre o parafuso limitador do cabo de segurança, pois isso danificará o cabo. Observação: O elevador deve ser abaixado para permitir que o operador opere no sistema do cortador de barras ou ajuste a tensão da corrente do elevador a partir da traseira do veículo de manutenção. Observação: Quando abaixar o elevador, para manutenção no elevador ou nos sistemas de corte de barras, verificar se ele é dirigido para a traseira da colhedora. Se isso não for feito o cilindro do elevador e a caixa do picador poderão ser danificados.

45

OPERAÇÃO NO CAMPO

Ajuste do Rolo Tombador Hidráulico (Ajuste Manual)
O Rolo Tombador Hidráulico tem um ajuste de quatro posições, para emprego em diferentes condições de culturas. Para ajustar o rolo, remover as contra-porcas nos parafusos de fixação, apoiar o rolo e remover os parafusos de fixação. Colocar o rolo na posição desejada, montar os parafusos de fixação na parede lateral da colhedora e substituir as contra-porcas.

Ajuste do Rolo Tombador Hidráulico (Ajuste Hidráulico)
1. Para levantar o rolo tombador hidráulico, pressionar o topo do interruptor [18]; liberar o interruptor fará com que retorne para neutro quando o rolo hidráulico atingir a posição desejada. 2. Para abaixar o rolo tombador hidráulico, pressionar a parte inferior do interruptor [18]; liberar o interruptor fará com que retorne para neutro quando o rolo hidráulico atingir a posição desejada.

17. Rolo Tombador Hidráulico (Ajuste Manual)

18. Interruptor do rolo tombador (ajuste hidráulico)

19. Rolo Tombador Hidráulico (Ajuste Hidráulico)

46

OPERAÇÃO NO CAMPO

Operação dos Controles de Corte de Cana
Mecanismo de Colheita
Observação: Apenas um interruptor controla a maioria das funções de corte e processamento de cana ao mesmo tempo. Essas funções são: a. Rotação do Divisor de Linha b. Rolo tombador c. Rotação do Rolo com Aletas d. Rotação do Cortador de Base e. Rotação do Trem de Rolos f. Rotação do Tambor do Picador

Discos de Corte Lateral
Os discos de corte lateral podem ser ativados e desativados, bem como levantados e abaixados independentemente. 1. Para operar os discos de corte lateral para frente (colheita), pressionar a parte superior do interruptor [21] ou o interruptor para o lado direito, conforme necessário, e manter nessa posição. Uma luz indicadora mostrará a função selecionada. 2. Para operar os discos de corte lateral em sentido contrário, pressionar a parte inferior do interruptor [21] para o lado esquerdo ou o interruptor para o lado direito, conforme necessário, e manter nessa posição. 3. Para parar os discos de corte lateral, retornar o interruptor para a posição neutra. CUIDADO: Quando alterar o sentido de rotação, sempre parar na posição neutra. Observação: As facas de corte lateral devem operar com um movimento de corte para cima. Esquerda Direita

1. Para operar o sistema de corte de cana para frente (colheita), pressionar o topo do interruptor [20] e manter nessa posição. 2. Para fazer a inversão do sentido de corte (para liberação de bloqueios e retirada de sujeira), pressionar a parte inferior do interruptor [20] e manter nessa posição. 3. Para parar o sistema de corte de cana, retornar o interruptor para a posição média (neutra). Observação: Quando o sentido de rotação do sistema de corte de cana for alterado, um temporizador automaticamente manterá a posição neutra antes da ativação do outro sentido.

21. Interruptores de acionamento dos discos de corte lateral

20. Interruptor dos mecanismos de colheita

47

OPERAÇÃO NO CAMPO

Controle Elétrico Opcional de Levantamento e Abaixamento dos Discos de Corte Lateral
1. Para levantar os discos de corte lateral, pressionar a parte inferior do interruptor esquerdo [22] ou do interruptor direito conforme necessário - soltar o interruptor assim que a posição desejada for obtida. 2. Para abaixar os discos de corte lateral, pressionar o topo do interruptor esquerdo [22] ou direito conforme necessário - soltar o interruptor assim que a posição desejada for obtida. Observação: Por segurança, quando fora de uso, os discos de corte lateral devem ser mantidos totalmente levantados. Esquerda Direita

Extrator Secundário
1. Para operar o extrator secundário, ativar o interruptor [23] no console do assento direito. 2. Para parar o interruptor [23]. extrator, desativar o

23. Interruptor do extrator secundário

22. Interruptores de posicionamento dos discos de corte lateral

48

OPERAÇÃO NO CAMPO

Extrator Primário de Velocidade Variável
Observação: O extrator é operado independentemente através de uma válvula solenóide remota controlada eletricamente. Esta disposição permite LIGAR ou DESLIGAR o extrator. Em conjunto com a válvula solenóide, existe uma válvula de controle (valvistor) ajustável eletricamente, que permite o ajuste de velocidade do ventilador do extrator. 1. Para operar o extrator primário, ativar o interruptor [24] no console do assento direito. 2. Para ajustar a rotação do ventilador, girar o botão de controle de velocidade do extrator [25] no painel lateral de instrumentos para a posição desejada. O tacômetro montado no painel de instrumentos da coluna dianteira esquerda indicará a rotação do ventilador do extrator em RPM. A rotação mínima é 600 rpm e a máxima é 1.000 rpm.

Acelerador do Motor
1. Quando em colheita, ajustar o acelerador do motor para máximo. Se a velocidade do motor com aceleração total cair durante a colheita, isso indica que a colheitadeira está sobrecarregada e a velocidade de tração deve ser reduzida. 2. Quando dirigir sem cortar cana, ajustar o controle do acelerador do motor para meia aceleração. Isso permite obter uma velocidade do motor de 1.600 RPM. A aceleração máxima pode ser usada em estradas pavimentadas se as condições de tráfego forem seguras. 3. Quando ligar o motor ou operar o motor sem carga, ajustar o controle de aceleração do motor para baixa aceleração.

Velocidade de Tração
1. Durante a colheita, ajustar o controle de velocidade de tração [26] para colher a cana o mais rápido possível sem sobrecarregar o motor (rotação do motor abaixo de 2.100 RPM). 2. Quando dirigir em solo irregular, em declives ou fizer curvas de 90 graus, ajustar os controles de velocidade de tração e/ou reduzir a velocidade do motor o suficiente para manter a estabilidade e a segurança da máquina.

24. Interruptor do extrator primário

Alavancas de Tração

25. Botão de controle de velocidade do extrator primário

26. Alavancas de tração

49

OPERAÇÃO NO CAMPO

OBTENÇÃO DA MELHOR COLHEITA
O operador deve: Preparar a máquina inteira antes da colheita e mantê-la em sua melhor condição durante o dia. Ajustar os diversos ajustes de colheita e controles para obter o corte mais limpo da cana na caixa com o mínimo de sujeira e terra.

Manter a máquinas sem sujeira:
Parar e retirar toda sujeira pelo menos de hora em hora. Verificar se os roletes do trem de alimentação superior estão livres para subir e descer. Livrar os roletes de qualquer acúmulo de lama e sujeira. Examinar a máquina quanto a vazamentos de óleo e corrigir se necessário. Sempre desligar o motor antes de realizar manutenções na máquina. Desligar o interruptor de segurança na caixa de eletricidade do console direito. Manter a chave geral no bolso.

-

-

Preparação da Máquina
Preparar a máquina no final do trabalho diário, deixando-a pronta para o dia seguinte. Não deixar para a manhã seguinte. Eliminar toda sujeira e terra. Inspecionar a máquina completamente. Reparar quaisquer defeitos encontrados durante a inspeção. Abastecer com combustível, óleo e água até o nível recomendado. Aplicar graxa e óleo de acordo com a rotina diária e qualquer rotina semanal ou mensal recomendada.

-

Manter sempre afiadas:
-

todas

as

facas

Inspecionar as facas do picador a cada hora quanto à afiação e ao bom funcionamento. Substituir conforme necessário. Observar a caixa de cana quanto a cana mal cortada. Inspecionar as facas do cortador de base a cada hora. Substituir se estiverem cegas ou arredondadas nos cantos.

-

Observação: O comprimento máximo da faca do cortador de base é 89 mm. Deixar de observar este limite pode resultar em danos ao rolete de levantamento da base. Inspecionar as facas do cortador de pontas de duas em duas horas. Substituir conforme necessário.

50

OPERAÇÃO NO CAMPO

CONFIGURAÇÕES IDEAIS:
Uma boa colheita depende da habilidade e da rapidez do operador!

COMPRIMENTO DO TOLETE:
Para estabelecer o comprimento do tolete, mover o botão de ajuste do comprimento do tolete até obter o comprimento desejado.

CORTADOR DE PONTAS:
Ter o objetivo de cortar no último nó totalmente formado: abaixo desse ponto irá cortar cana boa; acima aumentará a sujeira na caixa. Ajustar a ltura do cortador de pontas na altura média da cana se a altura variar ao longo da linha.

CORTADOR DE BASE
Ajustar o cortador de base para cortar a cana no nível do solo. Cortar abaixo do nível do solo aumenta as cargas nas partes hidráulicas (por exemplo, bomba, motores etc.) e nas caixas de engrenagem, reduzindo sua vida útil. Além disso, o aumento de terra penetrando na máquina irá acelerar as taxas de desgaste das lâminas do cortador de base, discos, roletes de alimentação, facas do picador, lâminas do extrator e de todas as peças metálicas que entram em contato com a cana. Levantar o cortador de base apenas o suficiente para livrar a superfície ao trabalhar em solo irregular e pedregoso. Verificar constantemente se os cortadores de base estão ajustados na melhor altura. Parar, sair e examinar os tocos cortados no início da operação de corte e sempre que possível. Observar sinais de corte muito baixo (ou seja, terra jogada para os lados pelos cortadores de base ou poeira e terra expelidas pelos extratores de sujeira). Observar sinais de corte muito alto (ou seja, cepos de cana visíveis nos tocos cortados ou cana dividida e danificada no corte devido à falta de um apoio firme). Observação: Ajustar o ângulo da caixa do cortador de base de acordo com as condições de campo, melhora as condições de colheita

Altura do Cortador de Pontas

Sentido de rotação:
Ajustar o sentido de rotação do tambor de forma a jogar as partes superiores cortadas longe das culturas. Cortar o campo, se possível, a partir do lado para o qual o vento sopra, de modo que as partes superiores cortadas e outros materiais estranhos sejam retirados da cultura e da máquina pelo vento.

DIVISORES DE LINHAS
Ajustar a altura do divisor de linhas de modo que a ponta apenas toque no solo e apanhar a cana caída usando os cilindros de inclinação do divisor de linhas (opcional).

51

OPERAÇÃO NO CAMPO Levantar os divisores de linhas apenas o suficiente para livrar a superfície ao trabalhar em solo irregular e pedregoso ou com mato denso. Reajustar a altura do divisor de linhas, se necessário, quando a altura do cortador de base for alterada. Substituir a ponta do divisor de linhas se não estiver se projetando abaixo da parte inferior da sapata. levantem e separem a cana caída sem quebrá-la. Colher cana mal queimada ou verde, para obter melhor desempenho dos extratores. Fazer curvas fechadas em solo irregular e sempre que necessário para garantir a estabilidade da máquina.

DIREÇÃO
Dirigir o mais reto possível, bem no centro da linha, de modo que o cortador de base passe acima do centro dos tocos. Um cultivo estreito pode tornar necessário dirigir ligeiramente para um lado para não danificar a cana na linha adjacente.

Cilindro Inclinado

SOLO MUITO ENLAMEADO

ÚMIDO

E

Observar diferentes condições de solo no campo. Os campos úmidos freqüentemente ossuem pontos macios que requerem diferentes ajustes dos cortadores de base e dos divisores de linhas, bem como da velocidade de tração.

VELOCIDADE DE TRAÇÃO
Controlar a taxa de corte da cana, variando a velocidade de tração para melhor resultado. Ajustar o controle do acelerador do motor para aceleração completa e mantê-lo nesse ponto. Se a velocidade do motor cair em carga para menos que a rpm nominal, reduzir a velocidade de tração para evitar sobrecarga. Observar sinais de movimentação muito rápida (ou seja, queda da velocidade do motor, trem de roletes e picador sobrecarregados, entupimentos e obstruções na entrada da máquina, quebra dos divisores de linhas e cana arrancada com raiz) ou elevador falhando com a cana. Diminuir a velocidade ao: Colher uma cultura derrubada, para permitir que os divisores de linhas

Observar após uma inundação, as toras, tocos de árvores e detritos semelhantes que freqüentemente ficam nos campos de cana quando as águas abaixam.

CANA CAÍDA
Evitar cortar a cana a partir de um ponto que alimente as partes superiores da cana na colheitadeira antes das bases, pois o trem de alimentação pode arrancar os tocos. Sempre se aproximar da base da cana primeiro. Quando a cana está deitada nas linhas, entrar no campo no lado que permite aos divisores de linhas operar sobre as bases da cana (com as partes superiores longe da colheitadeira, em direção à cana que ainda será colhida). Reduzir a Velocidade para permitir aos divisores de linhas separar a cana sem quebrá-la ou arrancá-la.

52

OPERAÇÃO NO CAMPO

ENCOSTAS ÍNGREMES
Dirigir com cuidado de forma a não prejudicar a estabilidade da máquina. Se possível, girar o elevador para equilibrar a máquina. Evitar sobrecarregar a máquina. Se necessário, cortar apenas encosta abaixo. Entrar no campo pelo lado superior, onde as linhas correm ao longo do declive. Esse procedimento permitirá girar o elevador para o lado da subida para equilibrar a máquina.

TOCOS DE CANA PLANTADOS EM SULCOS PROFUNDOS
Ajustar o cortador de base em altura suficiente para evitar abrir as laterais do sulco, mesmo que isso signifique cortar a cana um pouco mais alto que o normal. Cortar mais baixo produzirá apenas cana suja, muita terra e desgaste na colheitadeira.

SOLO PEDREGOSO
Levantar o cortador de base e os divisores de linhas, se necessário, para evitar desgaste excessivo em solo irregular e pedregoso.

CANA VERDE
Reduzir a Velocidade superaquecer a colheitadeira. para evitar

Reduzir a Velocidade para melhorar o desempenho de limpeza dos extratores. Os extratores ficam mais capacitados para extrair a maior quantidade de sujeira se o processamento de cana for reduzido. Ajustar o cortador de pontas para remover a maior parte possível das partes superiores e manter as lâminas bem afiadas. Manter as facas do picador bem afiadas. Esse procedimento ajudará na extração da sujeira, garantindo que a folha da cana seja cortada em pequenos comprimentos. Verificar constantemente o trem de rolos, extratores e o piso do elevador quanto ao aumento de sujeira.

LINHAS PLANTADAS PRÓXIMAS

MUITO

Dirigir o mais perto possível da cana em pé sem passar por cima da mesma. Posicionar os cortadores de base um pouco para um lado da linha de tocos que está sendo cortada.

53

OPERAÇÃO NO CAMPO

O MOTIVO
A usina de açúcar determina o valor da cultura e só recebe cana limpa e de boa qualidade. A cana é uma planta viva. Ela deteriora como qualquer outra fruta ou vegetal quando cortada e pode perder rapidamente o valor. A cana cortada deteriora mais rapidamente no ponto de corte, onde fica exposta ao ar. Um corte definido e limpo ficará mais tempo em boas condições. Uma cana machucada, quebrada ou mal cortada, com extremidades afuniladas ou esmagadas deteriorará muito rápido. Na hora em que chega na usina poderá perder muito do seu valor. Sujeira e terra na cana podem constituir um inconveniente caro na usina de açúcar. Portanto, a usina deve avaliar o valor da cultura de acordo com a quantidade de sujeira e terra contidas na cana. Uma cana queimada deteriora rapidamente no campo logo após a queima. Se não for colhida em poucos dias, começará a perder valor e qualidade. Evitando atrasos e sabendo como operar sob condições adversas, um operador qualificado com uma máquina bem ajustada geralmente poderá salvar uma colheita que de outra forma seria perdida. Se as instruções descritas na seção anterior “Obtenção da Melhor Colheita” não forem observadas, o resultado só poderá ser custos e prejuízos desnecessários. Por exemplo:......

MÁQUINA NEGLIGENCIADA DURANTE O DIA
Lâminas cegas. Roletes obstruídos. Extratores obstruídos. Piso do elevador bloqueado. Cana danificada. Cana suja. Telas do ar de refrigeração bloqueadas. Superaquecimento. Paralisações. Aumento do consumo de combustível.

CORTADOR DE PONTAS MUITO ALTO
Muita folha na caixa. Partes superiores daS folhas mal cortadas. O cortador de pontas fica obstruído.

CORTADOR DE PONTAS MUITO BAIXO
Cana descartada em bom estado.

LÂMINAS CEGAS DO CORTADOR DE PONTAS
Muita folha na caixa. Obstrução no cortador de pontas. Colheita lenta. Consumo extra de combustível. Cana mal cortada.

CORTADORES DE BASE MUITO ALTOS
Cana boa deixada no campo.

CORTADORES DE BASE MUITO BAIXOS
Cana suja. Lâminas cegas. Cana danificada. Terra na máquina. Aumento no consumo de combustível.

MÁQUINA NÃO PREPARADA COM ANTECEDÊNCIA
Terra e sujeira na máquina. Inspeção mal feita. Má lubrificação. Defeitos não encontrados. Vazamentos de óleo não encontrados. Grande desgaste. Superaquecimento. Lâminas cegas. Cana suja e danificada na caixa. Máquina não confiável. Tempo perdido em partidas atrasadas e paralisações.

ÂNGULO DO CORTADOR DE BASE INCORRETO.
Grande desgaste nos discos do cortador de base. Tocos danificados. Cana deixada no campo.

54

OPERAÇÃO NO CAMPO

CORTADORES DE BASE CEGOS
Cana danificada. Cana não reunida. Tocos danificados.

DIVISORES DE LINHAS MUITO BAIXOS
Terra na cana. Grande desgaste na ponta e na caixa de peneiras. Aumento no consumo de combustível.

PICADOR CEGO
Talos de cana mal cortados. A cana pode deteriorar no caminho até a usina. Peso reduzido da cana em um recipiente cheio. Amostra suja no recipiente.

LÂMINAS DO ROLETE DESGASTADAS, DOBRADAS OU OBSTRUÍDAS COM TERRA.
Bloqueios. Cana danificada. Cana suja. Talos curtos.

VELOCIDADE MUITO ALTA
Bloqueios. Cana danificada. Talos curtos. Má extração de sujeira. Motor sobrecarregado.

VELOCIDADE MUITO BAIXA
Colheita muito demorada.

55

PNEUS/RODAS/ESTEIRAS

PNEUS - A7000
Manter os pneus corretamente cheios na pressão indicada nas tabelas de pressão de enchimento dos pneus dianteiros e traseiros. Observação: Verificar a tensão das porcas das rodas dianteira e traseira depois da primeira hora de trabalho, e a seguir diariamente na primeira semana de trabalho, até que as porcas mantenham o aperto.

CHASSI
O chassi da colheitadeira compreende as estruturas da esteira, as sapatas da esteira, os roletes da esteira e os motores hidráulicos de tração. Os motores de acionamento são acoplados aos cubos de acionamento das esteiras por meio de um freio de estacionamento automático. O ajuste da esteira é mantido por um cilindro hidráulico montado na estrutura da esteira. O cilindro é lubrificado com graxa, usando uma bomba manual em uma extremidade e óleo hidráulico a 2.500 psi na outra. O chassi da colheitadeira é projetado para operar como um sistema. Embora o desgaste não possa ser eliminado, ele pode ser minimizado e a vida do sistema prolongada através de manutenção e operação adequadas. Um dos fatores mais importantes no desgaste do chassi é o ajuste correto da esteira. Talvez seja o mais simples de reconhecer e o mais fácil de corrigir. O desgaste nas buchas e na roda dentada aumenta com a carga na corrente (ou seja, corrente muito apertada) e também com operação excessiva em recuo. O desgaste nas buchas e na roda dentada ocorre quando as buchas giram e/ou deslizam na roda dentada. Uma esteira apertada aumenta a carga, que por sua vez aumenta o desgaste. Em menor grau, uma esteira apertada aumenta as cargas entre as conexões e roletes e entre as engrenagens intermediárias e os roletes do transportador. Isso, por sua vez, acelera o desgaste, particularmente na engrenagem intermediária e no rolete do transportador. Observação: Verificar a tensão das porcas das rodas dianteira e traseira depois da primeira hora de trabalho, e a seguir diariamente na primeira semana de trabalho, até que as porcas mantenham o aperto.

PNEUS – Pressões de Enchimento
Dianteiros: 45 psi Traseiros: agrícolas: 45 psi industriais: 34 - 36 psi

Tensão da Porca da Roda
Porca M 20 x 1,5 339 N.m 34 Kgf.m

Bujão do nível de óleo

56

PNEUS/RODAS/ESTEIRAS A acumulação é um problema comum. Materiais aderem e se acumulam entre componentes casados como roletes, conexões, dentes de rodas dentadas e buchas. A acumulação impede o engate adequado de peças, que por sua vez pode causar aumento de carga e aumento das taxas de desgaste. A estrutura da esteira deve ser limpa com freqüência no caso de condições úmidas para evitar problemas causados por acumulação. Na maioria das vezes não é possível controlar o terreno da colheita, sendo que os contornos e declives realmente desgastam o chassi. Trabalhar em subida desloca o peso e o equilíbrio da carga para a traseira da máquina, causando mais desgaste nos roletes traseiros e aumentando o desgaste lateral do sistema de tração dianteira em rodas dentadas e buchas. Trabalhar em descida desloca o peso e o equilíbrio da carga para a parte dianteira da máquina, acelerando o desgaste nos roletes dianteiros. Trabalhar nos lados de uma elevação desloca o peso no sentido da descida, aumentando o desgaste nos flanges dos roletes e nas laterais da proteção dos elos. O afrouxamento das sapatas é basicamente causado pelo aperto inadequado dos parafusos da esteira. Em geral, os parafusos da esteira devem ser verificados e apertados conforme necessário após as primeiras 50 horas de operação.

Pontos de Manutenção
a. Ajustar a corrente da esteira na tensão correta. b. Fazer inspeções visuais diárias nos conjuntos da estrutura da esteira. Verificar parafusos frouxos, selos com vazamentos e desgaste anormal.. c. Manter o chassi sem lama e detritos para que os roletes girem livremente. d. Apertar o parafuso adequadamente usando o método de torque com voltas (“torque-turn”). e. Verificar se a área do cilindro de ajuste e tensão da esteira está sem sujeira de forma a permitir o funcionamento correto do conjunto.

57

PNEUS/RODAS/ESTEIRAS

ESTEIRAS - A7700
Um dos fatores mais importantes para obter longa vida em serviço é corrigir o alinhamento da esteira; todos os roletes devem estar centralizados com relação a uma reta do centro do dente da roda dentada até o centro da engrenagem intermediária dianteira. Um segundo teste vital é ver se todos os roletes inferiores do trilho estão nivelados; qualquer desalinhamento nesse ponto, falha do mancal ou uma distorção na estrutura da esteira significará que o peso não será distribuído igualmente por todos os roletes. Logo poderá ocorrer uma falha, a menos que essa distribuição de carga seja mantida. Por esse motivo um novo rolete inferior nunca deve ser montado junto com outros desgastados. Um teste simples de campo para isso é dirigir a máquina sobre uma superfície dura por cerca de um quilômetro; a seguir, examinar cada rolete manualmente, avaliando a temperatura de cada um. Após ter verificado os roletes quanto ao nível correto de óleo antes desse teste, a existência de algum rolete com temperatura maior que a dos outros indica que estão com carga maior que a devida. Os roletes da esteira e as engrenagens intermediárias podem, em alguns casos, ser reconstruídos como os trilhos de conexão. A reconstrução de esteiras é um trabalho para especialistas e requer equipamentos normalmente não disponíveis. Se uma reconstrução estiver em andamento, verificar a manutenção das posições corretas do rolete como a seguir; a partir da parte traseira da engrenagem intermediária, de Rebordo Simples são os números 2, 4, 6, 8; de Rebordo Duplo em 1, 3, 5, 7.

REPARAÇÃO DA CORRENTE DA ESTEIRA
1. Reajustar os parafusos na tensão do elomestre bipartido para 163 Nm (16,6 Kgm). Mais 1/2 volta. 2. Reajustar a corrente da esteira.

AJUSTE DO PIVÔ DA ESTRUTURA DA ESTEIRA
Observação: Girar o Elevador para a Traseira da Colheitadeira. 1. Abaixar o cortador de base para o solo e colocar uma base adequada embaixo da parte traseira da estrutura principal. 2. Levantar o cortador de base até que as extremidades traseiras da esteira fiquem bem acima do nível do solo. 3. Colocar blocos sob a parte dianteira da estrutura principal (apenas para máquinas de esteira completo) e desligar o motor. Mover o controle do cortador de base para liberar qualquer pressão no circuito do acumulador, ajustar as linhas de alimentação do cilindro para direcionar o óleo até a passagem inferior do cilindro (pois o controle é de atuação simples) e levantar as esteiras. 4. Prendendo uma grande alavanca na dianteira da esteira, qualquer folga lateral pode ser detectada. 5. Remover a tampa do mancal do pivô e apertar a porca de ajuste até que não haja folga lateral. Observação: A folga lateral no pivô da esteira de uma 7000 de meia esteira só pode ser ajustada substituindo as buchas do pivô. 6. Substituir as tampas, abaixar a esteira e trocar as mangueiras por originais, remover os blocos.

REMOÇÃO DA CORRENTE DA ESTEIRA
Para remover a corrente da esteira, remover os parafusos no elo-mestre bipartido. A corrente da esteira poderá assim ser separada. Observação: As placas de garra para a conexão mestre dividida têm um padrão de furos diferente do padrão de garras comuns.

58

PNEUS/RODAS/ESTEIRAS

AJUSTE DA CORRENTE DA ESTEIRA
Ferramentas: soquete de 7;8 pol, Barra T de 3/4 pol, Pistola de Graxa Observação: A colheitadeira deve estar ao nível do solo e ser dirigida no sentido de avanço antes de iniciar o ajuste da tensão da corrente de trilho completo. 1. Ligar o motor e operar qualquer alavanca de controle do cilindro de ajuste de altura até o cilindro atingir o final do curso, mantendo a alavanca nessa posição por alguns segundos. Esse procedimento permitirá estender o cilindro de ajuste da esteira e apertar a corrente. 2. Com a corrente apertada, colocar uma marca na estrutura da esteira 10 mm atrás da parte traseira do conjunto do mancal da engrenagem intermediária dianteira e apertar o niple de graxa do ajustador da esteira. 3. Conectar uma pistola de graxa ao niple de graxa do ajustador da esteira e bombear com graxa até que a borda traseira do conjunto do mancal da engrenagem intermediária retorne e atinja a marca colocada na estrutura da esteira. Isso afrouxará a corrente para o ajuste correto. Observação: A corrente do trilho deve ser ajustada quando mais de 2 polegadas (50 mm) de movimento com folga ocorrer entre a engrenagem intermediária dianteira e o rolete superior, com o motor funcionando e o tensionador hidráulico de corrente ativado. O movimento de folga mínimo permitido é 1 pol (25 mm).

Niple de Graxa do Ajustador da Esteira

Montagem do Rolamento Intermediária

59

PNEUS/RODAS/ESTEIRAS

Lubrificação dos Roletes e Engrenagens Intermediárias
Os roletes de esteira e de transporte e os roletes da engrenagem intermediária recebem óleo de motor série 3 ao qual um corante vermelho foi adicionado apenas para identificação, se ocorrer vazamento. Deve ser feita periodicamente uma inspeção visual pelo operador para detectar quaisquer sinais de vazamento. Como os roletes são “permanentes”, normalmente não é necessário substituir, até a hora de substituição das blindagens, ou quando surgir um vazamento. Para roletes com tampão de borracha e pino plástico, é necessário bater no pino para dentro e puxar o tampão com força. Esse procedimento destruirá o tampão e o pino; portanto, novos terão que ser montados quando terminado o reparo e substituído o óleo.

Para roletes antigos, com tampão removível de aço, é possível verificar o nível e completar se necessário. O procedimento é executado da seguinte maneira: 1. Posicionar a máquina em solo nivelado. 2. Remover o bujão do eixo e aparafusar o bico Cat, número de peça 5M2080. 3. Montar um bico de pistola de grande capacidade e bombear óleo até sair no bico Cat. 4. Isso indica o nível correto; remover rapidamente o bico e recolocar o bujão. Se não tiver bico Cat. disponível, um método alternativo é colocar a máquina em ângulo fora do bujão de enchimento cerca de 20°; o óleo pode então ser introduzido através de um recipiente ou pistola, dando tempo para que ele desça até o eixo e se espalhe nas áreas do mancal. Observação: Se o óleo que sai do bloco Cat. estiver sujo ou misturado com água, completar até que o óleo fique totalmente limpo.

60

PNEUS/RODAS/ESTEIRAS

APERTO DA SAPATA DA ESTEIRA
Para garantir que o hardware da esteira esteja preso corretamente, observar o procedimento descrito abaixo. 1. Lubrificar as roscas dos parafusos e as faces das arruelas com óleo. 2. Apertar os parafusos até o torque correto. 3. Dar em cada parafuso mais 1/3 de volta. Observação: O lado arredondado da porca deve estar voltado para a face da conexão de corrente. O torque inicial junta as peças com firmeza. 1/ 3 de volta a mais dá ao parafuso estiramento adequado para boa retenção. O estiramento tensiona o parafuso até ocorrer alguma deformação permanente. A deformação garante o uso da força máxima de fixação nos parafusos.

APERTO DA RODA DENTADA
1. Lubrificar parafusos prisioneiros e porcas, roscas e faces com composto antigrimpante. 2. Apertar as porcas até o torque correto.

ESPECIFICAÇÕES
DIMENSÃO DO PARAFUSO PRISIONEIRO 5/8pol. (15,9mm) 3/4pol. (19,1mm) TORQUE ESPECIFICADO 340 Nm (34 Kgm) 480 Nm (48 Kgm)

Os roletes de esteira e as engrenagens intermediárias podem, em alguns casos, ser construídos como trilhos de elo de caixa. A reconstrução de esteiras é um trabalho para especialistas e requer equipamentos normalmente não disponíveis.

ESPECIFICAÇÕES
DIMENSÃO PARAFUSO DO TORQUE INICIAL 177Nm (18 Kgm) mais 1/3 de volta.

5/8pol. (15,6mm)

61

PNEUS/RODAS/ESTEIRAS

PINOS E BUCHAS
A medição de pinos e buchas deve ser feita na metade superior da esteira e não no solo. Antes de medir, compensar a folga na metade superior da esteira colocando um pino de esteira usado ou um pedaço de madeira dura sobre um dente da roda dentada e inclinando a máquina ligeiramente para trás. Não se deve medir dentro de quatro seções do pino-mestre. O pino-mestre pode se identificado marcandose a extremidade do pino. Com uma régua de aço, medir da lateral de qualquer pino através de quatro elos até o mesmo lado do quinto pino. Comparar essa medição com o quadro de desgaste percentual para determinar o desgaste interno do pino e das buchas.

QUANDO GIRAR PINOS E BUCHAS
O melhor método é girar os pinos e buchas antes de a esteira ficar demasiadamente “serpenteante”.

QUADRO DE DESGASTE PERCENTUAL DE PINO E BUCHAS
Altura do elo - peça nova: 106mm 105.0 mm corresponde a 10% de desgaste 104.4 mm corresponde a 20% de desgaste 103.6 mm corresponde a 30% de desgaste 102.8 mm corresponde a 40% de desgaste 101.8 mm corresponde a 50% de desgaste 100.9 mm corresponde a 60% de desgaste 99.8 mm corresponde a 70% de desgaste 98.8 mm corresponde a 80% de desgaste 97.7 mm corresponde a 90% de desgaste 96.5 mm corresponde a 100% de desgaste 95.3 mm corresponde a 110% de desgaste 94.1 mm corresponde a 120% de desgaste

62

LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/LÍQUIDOS

CAPACIDADES
COMBUSTÍVEL / ÓLEO / ÁGUA Combustível do Motor - Diesel
480 Litros (106 Galões Imperiais) nominal.

ESPECIFICAÇÕES DE FLUIDOS
COMBUSTÍVEL / ÓLEO / ÁGUA COMBUSTÍVEL DO MOTOR
Combustível destilado com índice de cetano acima de 35 (por exemplo, ASTM número 1 ou 2 ou Óleo Diesel número 1D ou 2D).

Óleo do motor
Cummins M11 - 38 Litros

Água do Motor - Tratada
Cummins M11 - 54 litros

ÓLEO DE LUBRIFICAÇÃO DO MOTOR
O uso de óleos lubrificantes de qualidade, combinado com drenagem de óleo e troca de filtro em intervalos adequados, é um fator crítico na manutenção do desempenho e durabilidade do motor.

Óleo do Sistema Hidráulico
480 Litros (106 Galões Imperiais) nominal óleo hidráulico

Óleo da Caixa de Engrenagem de Acionamento da Bomba
1,6 Litros - óleo hidráulico

Motor Cummins M11
Qualquer óleo que cumpra com as seguintes especificações: - 15W-40; API CI-4; ACEA E5

Óleo da Caixa de Engrenagem do Cortador de Base
Cortador de Base da Perna - 9,5 Litros – óleo de engrenagem (85W/140)

RECOMENDAÇÕES DE GRAU DE

Óleo da Caixa de Engrenagem do Picador
Picador Rotativo - 5 Litros – óleo de Engrenagem (85/W140)
TEMPERATURA S EXTERNAS

Óleo do Cubo da Roda Traseira
6 Litros - óleo de engrenagem (85W/140)

Ar Condicionado
Compressor – 7,6 +/- 0,5 Onça Fluida (228 +/15 cc) Óleo P.A.G. SP20 Refrigerante - 51 +/- 5 Onças (1.450 +/- 150 gramas) HFC R134a

ATENÇÃO: NÃO AUMENTAR AS ROTAÇÕES DO MOTOR OU ADICIONAR CARGA ATÉ QUE A PRESSÃO DE ÓLEO ESTEJA NORMAL. PARAR O MOTOR

ÓLEO HIDRÁULICO
A especificação a seguir é de um óleo hidráulico de base petrolífera contendo aditivos antiferrugem, antioxidantes, antidesgaste, anti-espumantes e de melhoria do índice de viscosidade. Se o óleo cumprir a especificação a seguir, é adequado para uso nos sistemas hidráulicos das Colheitadeiras Case IH Austoft. Enchimento inicial de fábrica - Akcela AW100

63

LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/LÍQUIDOS

PROPRIEDADES FÍSICAS
Aspecto:
Densidade a 15°C (IP 160): Viscosidade a 40°C cSt (IP 71): Viscosidade a 100°C cSt (IP 71): Viscosidade na temperatura de trabalho máxima: Índice de Viscosidade (IP 226): % de Zinco Alquídico em Peso: Ponto de Anilina °C (IP2): Demulsibilidade (Classe ISO 68 - ASTM D1401): Demulsibilidade (Classe ISO 100 ASTM D1401): Pass. Usar - Água Destilada. Usar - Água do Mar Sintética. 2500 mínima. Horas para 2,0 mg KOH/gm. ASTM D943. -35 máximo.

ÓLEO DE ENGRENAGEM
Óleo que atenda a Classificação: - API: GL5 - SAE: 85W-140

Claro e brilhante.
0,880 – 0,890 (Normalmente 0,882). 66 - 100. 11 mínima. 13 mínima.

GRAXA
Uma graxa à base de lítio com número de consistência N.L.G.I. 2, que também contenha aditivos de extrema pressão, inibidores de oxidação e inibidores de corrosão (por exemplo, Estearato de Hidróxido de Lítio).

150 mínima. 0.04. 100 mínima. 40/37/3 (30) a 54°C.

ÁGUA DA BATERIA
Usar água destilada. Se não disponível, usar água potável inodora e insípida. Não usar a água mineral, água contendo ferro, água salgada ou água tratada.

LÍQUIDO REFRIGERANTE DO MOTOR Motor Cummins M11
Estes motores diesel requerem uma mistura de água e etileno glycol a 50-50 para mistura, com aditivos refrigerantes suplementares. Recomenda-se a utilização do inibidor DCA4. Drenar e substituir a mistura a cada 2 anos ou 6.000 horas de funcionamento, aquele que ocorrer primeiro. Use água abrandada refrigeração. na mistura da

40/37/3 (30) a 82°C.

Filtrabilidade (Denison TP-02100): Proteção Ferrugem D665): Estabilidade Oxidação: contra (ASTM contra

Ponto de Derramamento °C (IP 15): Ponto de Fulgor:

Contaminantes na água dura neutralizam os componentes do inibidor de corrosão. A água não deve ultrapassar uma dureza de 300 ppm ou conter mais do que 100 ppm de cloro ou sulfato. Manter o nível de aditivo de refrigeração suplementar a 1/5.

190 mínimo - fechado (IP34) °C. 210 mínimo aberto (IP35) °C. 240 mínima. 660 Segundos máximo. 10,5 cSt mínima. no

Ponto de Queima °C (IP 35): Liberação de Ar (IP 313): Viscosidade após 1.000 horas - KV a 100° C:

64

LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/LÍQUIDOS

AR CONDICIONADO
Todas as máquinas possuem compressores A/C projetados para o uso de refrigerante R134a e lubrificante Sanden P.A.G. SP20. Refrigerante CH2FCF3). R134a (Tetrafluoroetane -

Secadores/Dessecantes R134a
O R134a requer diferentes dessecantes e deve-se observar o seguinte. Dessecante XH5 - R12 Dessecante XH7 - R12, R134a Dessecante XH9 – R12, R134a, Misturas Ternárias

O R134a é um gás estável, incolor, atóxico, não inflamável, liquefeito com leve odor de éter. É um item HFC e portanto não contém o elemento clorado de destruição da camada de ozônio, por ter ODP (Potencial de Destruição do Ozônio) zero. Apresenta um potencial de efeito estufa menor que 10% com relação ao R12. Faça a limpeza do sistema de A/C uma vez ao ano.
Refrigerante Potencial de Destruição do Ozônio 1 1 0 0.02 Efeito Estufa 1 3.0 0.29 0.15

R134a Válvulas e Tubos de Orifícios TX
As válvulas TX normais e tubos de orifícios projetados para sistemas automotivos R12 não são afetados fisicamente pelo R134a. Entretanto, a classificação ou o valor nominal se altera devido ao aumento da pressão operacional do R134a. Uma válvula de 1.0 toneladas com R12 se tornará uma válvula de 1.2 toneladas com R134a. Uma válvula de 1,5 toneladas com R12 se tornará uma válvula de 1,8 toneladas com R134a. Uma válvula de 2,0 toneladas com R12 se tornará uma válvula de 2,4 toneladas com R134a. (uma tonelada de refrigerante = 12.000 btus)

R11 R12 R134a Mistura Ternária (HCFC22 + HFC152A + HCFC124)

Segurança
A segurança, primeiros socorros e manipulação básica do R134a são semelhantes aos requisitos do R12 e as mesmas precauções de segurança gerais devem ser adotadas em qualquer situação. Não misturar o R134a com pressões de ar em sistemas de ar-condicionado - em certas condições ele pode se tornar inflamável.

Lubrificantes R134a
O R134a é totalmente incompatível com todos os óleos minerais usados nos sistemas R12. Qualquer tentativa de usar 5GS com R134a resultará em falha do compressor. O óleo PAG (Polyalkylene Glycol) foi desenvolvido especialmente para utilização com o R134a e nenhum outro lubrificante deve ser usado. Os óleos de classes e tipos diferentes não devem ser misturados. Algumas misturas causarão viscosidade, queda do nível de óleo e separação do óleo. Em outras palavras, falha do compressor. Os óleos PAG são muito mais higroscópicos que o 5GS, portanto com esses lubrificantes é essencial uma boa limpeza e tempo de evacuação correto com bomba de vácuo capaz de produzir vácuo de 200 mícrons (29,9 pol HG ou 101 KPA manométricos).

Compatibilidade do R134a
O R134a é totalmente incompatível com o R12 e com óleos minerais (como o 5GS) atualmente usados em um sistema R12. Misturas de R134a e R12 em algumas proporções podem formar um azeótropo e as pressões de vapor podem aumentar até 100%. Usar o 5GS com o R134a pode causar viscosidade e queda do nível de óleo. Haverá falha no compressor.

65

LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/LÍQUIDOS Observação: O tipo de óleo PAG pode variar para diferentes marcas e modelos de compressores. Verificar as especificações do fabricante.

Exemplos de problemas de mistura: 1. R134a com 5GS
Incompatível. Causará viscosidade, queda do nível de óleo e falha do compressor.

2. R134a com PAG/5GS
Incompatível. Causará separação do óleo, viscosidade, queda do nível de óleo e falha do compressor.

3. R12 com PAG
Incompatível. PAG e R12 não são miscíveis; a falta de lubrificação causará falha do compressor.

4. R12 com PAG/5GS
Incompatível. Causará separação do óleo e queda do nível de óleo, com falha do compressor.

66

LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/LÍQUIDOS

Óleos Sanden PAG – Dados Técnicos sobre Segurança do Material
SP10, TRS, TRV, SD7V, SD7B08, SP20, SD7H13, SD7H15, SD5H11, SD5H14
NOME QUÍMICO: Poliéter e aditivos. COMPONENTES PERIGOSOS: Nenhum. DENSIDADE: 1,01. PRESSÃO DE VAPOR: 5 mm Mg a 20 graus C, densidade de vapor 1,0. MEIOS DE EXTINÇÃO DE INCÊNDIO: Espuma, pó químico, borrifo de água, névoa de vapor d’água, dióxido de carbono. PRODUTOS PERIGOSOS DE COMBUSTÃO: Vapores, fumaças, óxidos de nitrogênio. PROCEDIMENTOS DE EMERGÊNCIA DE PRIMEIROS SOCORROS: Pele - Lavar com sabão e água. INALAÇÃO: Remover para o ar livre. Consultar um médico se a irritação persistir. ESTABILIDADE: Estável. PRODUTOS DE DECOMPOSIÇÃO PERIGOSOS: Não aplicável. NOME COMERCIAL: Sanden SP10, SP20. ASPECTO E ODOR: Líquido incolor com odor característico. PONTO DE EBULIÇÃO:> 200, solubilidade em água desprezível. PONTO DE FULGOR: 230 (COC). COMBATE ESPECIAL A INCÊNDIO USA BORRIFO DE ÁGUA PARA RESFRIAR O FOGO, PROCEDIMENTOS DE EXPOSIÇÃO: Descobrir e proteger o pessoal. PERIGO PARA A SAÚDE: Irrita a pele ligeiramente. Praticamente não irrita os olhos. OLHOS: Lavar imediatamente os olhos com água corrente durante pelo menos 15 (quinze) minutos. Consultar um médico. ORAL: Chamar um médico. Não induzir o vômito. MATERIAIS INCOMPATÍVEIS A EVITAR: Fortes agentes oxidantes. ETAPAS A SEREM CUMPRIDAS PÚBLICO MANTER O

DISTANTE: Desligar a fonte se isso for possível sem perigo. Aviso de liberação ou de vazamento: verificar se a substância contaminou algum rio ou esgoto, ou se contaminou o solo ou a vegetação. MÉTODO DE DESCARTE DE DEJETOS: Conter o líquido derramado com areia ou terra. Cobrir o líquido livre através de bombeamento ou com material absorvente adequado Incinerar de maneira adequada ou usar instalação de aterramento aprovada de acordo com regulamentos locais de descarte. PROTEÇÃO necessários. RESPIRATÓRIA: Normalmente não PRECAUÇÕES A SEREM TOMADAS NO MANUSEIO E ARMAZENAMENTO: Manter o recipiente fechado quando não estiver em uso. Ficar longe de calor e chamas abertas. Não armazenar perto de chama, calor ou de fortes oxidantes. Não deixar penetrar nos olhos. Evitar contato prolongado ou repetido com a pele. Evitar inalar misturas de óleo. EXAUSTÃO LOCAL:Normalmente não necessária em áreas abertas, não confinadas. PROTEÇÃO DOS OLHOS: Óculos de segurança contra respingo de produtos químicos.

LUVAS PROTETORAS: (neoprene ou plástico).

Quimicamente DE

resistente

OUTROS EQUIPAMENTOS Normalmente não necessários.

PROTEÇÃO:

67

LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/LÍQUIDOS

PROGRAMA DE LUBRIFICAÇÃO – ÓLEOS E FILTROS
ÓLEO DO SISTEMA HIDRÁULICO
Observação: As duas válvulas esféricas entre o tanque coletor e o tanque principal devem ser fechadas para evitar perda de óleo do sistema quando os filtros forem trocados ou se uma mangueira for desconectada ou quebrada. A máquina não deve operar com as válvulas esféricas fechadas.

DRENAGEM
Anualmente, logo após o final da estação de corte, drenar o tanque hidráulico. Encher os tanques de óleo hidráulico com óleo novo. Observação: O acesso ao dreno do tanque hidráulico e à tampa da placa de inspeção ficam localizados por baixo da parte traseira da colheitadeira.

ENCHIMENTO
Verificar diariamente o nível no visor localizado no tanque coletor. Verificar se a máquina e o cortador de pontas estão paralelos ao solo e se óleo está frio. O nível de óleo deve ser mantido no meio da faixa do visor. Quando verificar o nível de óleo no visor, verificar também se o óleo está limpo e claro. Se o óleo tiver uma aparência branca leitosa, isso indica água no óleo. Nesse caso, drenar e encher com óleo novo. Tampa de Inspeção VISOR DE VIDRO

PROCEDIMENTO DE DRENO E ENCHIMENTO
1. Manter as mãos, as ferramentas e todas as conexões do sistema hidráulico sempre limpas. 2. Com todos os cilindros hidráulicos na posição totalmente retraída, esvaziar o tanque removendo o bujão de dreno na parte inferior. Remover a placa de inspeção para acessar o interior do tanque. 3. Remover o manipulador do alojamento traseiro do trator. 4. Se necessário, limpar o tanque com vapor de baixa pressão ou solvente. 5. Montar novamente a placa de inspeção no tanque. Usar uma nova gaxeta a menos que a anterior ainda esteja em perfeita

68

LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/LÍQUIDOS condição. Apertar os parafusos por igual em todas a volta. Encher os tanques com óleo novo. 6. Substituir os elementos de filtro e os filtros de sucção. Observação: Este procedimento não prevê o dreno e substituição uantidade substancial de óleo nas bombas, motores e mangueiras. Se houver necessidade de substituição devido à contaminação de óleo com terra ou água, consultar o seu Distribuidor Austoft. 1. Abaixar o elevador para acessar os filtros. 2. Fechar os registros do tanque coletor para restringir a perda de óleo. 3. Drenar um pouco de óleo do tanque principal para abaixar o nível no tanque principal para baixo das montagens do filtro. Aprox. 60 litros. 4. Limpar a área em volta e acima da tampas do filtro para evitar a entrada acidental de terra. 5. Remover os parafusos restantes que prendem as tampas do filtro ao tanque de óleo. 6. Remover os conjuntos dos filtros. Observação: O fluxo de óleo nos filtros é de dentro para fora. A contaminação fica presa dentro do filtro e é descartada com o elemento do filtro. 7. Remover o elemento do filtro do suporte. 8. Limpar os imãs para remover todo material estranho. 9. Montar o novo elemento do filtro e instalar o conjunto. Substituir os anéis de vedação conforme necessário.

FILTROS HIDRÁULICOS
Localização - Os filtros de dupla sucção são montados na parte externa da caixa do motor, na parede traseira. Também existem três filtros de retorno de óleo hidráulico localizados na parte superior do tanque de óleo hidráulico. Troca dos Filtros de Sucção - De 250 em 250 horas substituir os quatro cartuchos do filtro de sucção. Observação Importante: Diariamente verificar a leitura de sucção no vacuômetro montado entre os dois filtros. Com o motor funcionando, esse manômetro deve indicar menos de 7 polegadas (180 mm) de Hg quando o óleo atingir a temperatura operacional normal. Se a leitura for maior, substituir os cartuchos do filtro. Procedimento de Troca dos Filtros de Retorno - os filtros de retorno de óleo hidráulico devem ser trocados anualmente.

Filtros de Retorno

69

LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/LÍQUIDOS CUIDADO: As válvulas esféricas entre o tanque coletor e o tanque principal devem ser desativadas para evitar perda de óleo do sistema quando os filtros forem trocados. Após as trocas de filtro, sangrar o ar do sistema afrouxando o niple de sangria na linha de sucção Eaton e ativar as válvulas esféricas no tanque coletor. A seguir, apertar o niple de sangria com firmeza. Observação: Antes de ligar a colheitadeira verificar se as válvulas esféricas estão ativadas. VÁLVULAS ESFÉRICAS DO TANQUE COLETOR

CAIXA DE ENGRENAGEM ACIONAMENTO DA BOMBA

DO

Enchimento - Verificar o óleo diariamente no indicador de nível de óleo localizado na frente da caixa do motor. Verificar se a máquina está em solo nivelado e se está paralela ao solo. O nível de óleo deve ser mantido no centro do indicador de nível de óleo. Observação: Sempre verificar o nível de óleo sem o motor funcionar, antes de iniciar a colheita.

MANÔMETRO DE ÓLEO

70

LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/LÍQUIDOS

ÓLEO DA CAIXA DE ENGRENAGEM - CORTADOR DE BASE DE PERNA
Enchimento - Verificar o nível de óleo semanalmente. O nível de óleo deve ser mantido no bujão de nível no lado esquerdo da caixa de Engrenagem. Dreno - Mensalmente, ao trocar o óleo, drenar a caixa de Engrenagem usando tanto o bujão de dreno na seção inferior dianteira entre as pernas da caixa de Engrenagem do cortador de base, e os dois bujões nas pernas do cortador de base. Encher a caixa de Engrenagem através do bujão de enchimento no lado esquerdo superior da caixa de Engrenagem, perto do motor do cortador de base. BUJÃO DE ENCHIMENTO

CAIXA DE ENGRENAGEM DO PICADOR - ROTATIVO
Enchimento - Verificar o nível de óleo semanalmente no bujão de enchimento. Dreno - Drenar a caixa de Engrenagem usando o bujão de dreno.

DRENO DRENO NÍVEL Caixa de Engrenagem do Picador Rotativo

Cortador de Base de Perna

Niples de graxa Observação:- Passar graxa nas Vedações da Caixa do Picador semanalmente. Bombear uma vez usando uma pistola manual de graxa.

71

LUBRIFICAÇÃO/FILTROS/LÍQUIDOS

EXTRATOR DE BRAÇO VERTICAL
Graxa - Passar graxa nos mancais do extrator de braço vertical semanalmente. 5 ou 6 aplicações de graxa usando uma pistola manual de graxa.

CUBOS DA RODA TRASEIRA
Enchimento - Verificar o nível de óleo semanalmente. O nível de óleo deve ser mantido nivelado com o centro do cubo. Nível - Colocar o dreno/tubo de enchimento/ bujão nivelados com o centro do cubo. Remover o bujão e verificar o nível de óleo. Dreno - Girar a roda até que o dreno/tubo de enchimento/bujão de nível estejam na posição mais inferior. Remover o bujão e drenar o cubo. Observação: Quando trocar o óleo após as primeiras 10h de operação, drenar o óleo e remover a tampa de modo a permitir drenar o óleo completamente antes de montar o cubo e encher até o nível correto.

Observação:- Para acessar o niple de graxa, remover a capa inferior do ventilador do extrator.

Bujão de enchimento / Nível de óleo

72

MANUTENÇÃO/AJUSTES

PROGRAMA DE MANUTENÇÃO
Lista de Verificação do Operador. Os intervalos entre as manutenções de rotina são especificados em termos de horas de trabalho. Culturas pesadas e más condições de colheita tornarão necessário aumentar a freqüência dos serviços de manutenção. Normalmente condições severas como declives íngremes, campos pantanosos ou solo irregular e pedregoso também tornam necessário e prudente executar rotinas de manutenção em intervalos menores que os recomendados para condições médias. Observação: Manutenção e lubrificação programadas são as operações normais necessárias para obter uma operação segura e eficiente. Seguir a tabela de manutenção com cuidado para garantir que todos os pontos foram atendidos corretamente e na hora certa.

73

MANUTENÇÃO/AJUSTES

Manutenção Diária
Ponto de Manutenção Cilindro do purificador de ar - externo Indicador de poeira Admissão do purificador de ar - Borrachas e grampos Nível de óleo do motor Nível de água do radiador Tanque de óleo hidráulico Óleo da caixa de engrenagem da bomba Bandejas do divisor de linhas Mastro do cortador de pontas Cilindro do cortador de pontas pivôs Cilindro de giro do elevador Invólucros de fiação Tela radiador de arrefecimento de óleo Aba do escape Rolo levantador - base do cortador de base Rolo de alimentação e placa de batente Rolo móvel Giro do extrator primário / secundário Extrator primário / secundário Piso do elevador Depósito do elevador Mangueiras hidráulicas sem friccionar Sapatas do divisor de linhas Lâminas do cortador de base Lâminas do cortador de pontas Lâminas do picador Vacuômetros Porcas de roda Coletor de água do combustível Pressão dos pneus Operação do sistema de segurança do motor Trocar Varificar / Ajustar Torque Engraxar Limpar

74

MANUTENÇÃO/AJUSTES

Manutenção - 50 HORAS
Todos os passos contidos neste relatório devem ser repetidos a cada 50 horas, exceto as TROCAS e TORQUES.
Ponto de Manutenção Óleo da caixa de engrenagem de acionamento das bombas Óleo da caixa de engrenagem do cortador de base Óleo da caixa de engrenagem do picador Óleo da caixa de engrenagem do cubo redutor traseiro Elemento do filtro da sucção Tensão da correia do ventilador Tensão da correia do alternador Tensão da correia do ar condicionado Nível de eletrolito da bateria Vazamentos na linha hidráulica dos rolos Tensão na corrente do elevador Fim de curso do mecanismo de giro do elevador Funcionamento dos indicadores no painel de instrumentos Funcionamento de todos os controles da cabine Verificar aperto dos parafusos de roda (A7000) Verificar aperto dos parafusos da roda motriz (A7700) Rolamentos inferiores dos divisores de linha, pinos das bandejas inferiores e superiores Rolamento dos rolos transportadores Pinos dos mastros do cortador de pontas Bandejas da suspensão (A7000) Rolamentos do extrator primário Rolamentos do extrator secundário Anel do extrator primário e secundário (Capuz) Rolamentos do eixo inferior e superior do elevador Telas e grades do radiador de óleo da transmissão Condensador do ar condicionado (limpar com ar comprimido) Filtros internos da cabine Sujeira acumulada Lavar a máquina completa Trocar Varificar / Ajustar Torque Engraxar Limpar

75

MANUTENÇÃO/AJUSTES

Manutenção - 250 HORAS
Todos os passos contidos neste relatório devem ser repetidos a cada 250 horas.
Ponto de Manutenção Óleo da caixa de engrenagem de acionamento das bombas Óleo da caixa de engrenagem do cortador de base Óleo da caixa de engrenagem do picador Óleo da caixa de engrenagem do cubo redutor traseiro Elemento do filtro da sucção Óleo e filtros do motor Diesel Filtro de Diesel do motor Filtro do decantador de água e óleo diesel Filtro de água do motor Diesel Tensão da correia do ventilador Tensão da correia do alternador Tensão da correia do ar condicionado Vazamentos na linha hidráulica dos rolos Tensão na corrente do elevador Fim de curso do mecanismo de giro do elevador Colocar óleo no motor da buzina Interferências de mangueiras hidráulicas com estruturas Condições das proteções das mangueiras (substituir se necessário) Alternar as taliscas do elevador em um elo Funcionamento dos indicadores no painel de instrumentos Funcionamento de todos os controles da cabine Verificar pré-carga do eixo tandem (A7700) Rolamentos inferiores dos divisores de linha, pinos das bandejas inferiores e superiores Rolamento dos rolos transportadores Pinos dos mastros do cortador de pontas Bandejas da suspensão (A7000) Rolamentos do extrator primário Rolamentos do extrator secundário Anel do extrator primário e secundário (Capuz) Trocar Varificar / Ajustar Torque Engraxar Limpar

76

MANUTENÇÃO/AJUSTES
Ponto de Manutenção Rolamentos do eixo inferior e superior do elevador Cubo do picador e retentores da caixa do picador (com bomba manual) Rolamentos do tambor do cortador de pontas Telas e grades do radiador de óleo da transmissão Condensador do ar condicionado (limpar com ar comprimido) Filtros internos da cabine Sujeira acumulada Lavar a máquina completa Elementos do filtro de ar do motor Trocar Varificar / Ajustar Torque Engraxar Limpar

Manutenção - 500 HORAS
Todos os passos contidos neste relatório, incluindo os de 50h e 250h, devem ser repetidos a cada 500 horas.
Ponto de Manutenção Folga do rolamento de roda dianteiro (A7000) Folga do rolamento do extrator primário Retirar um elo da corrente do elevador (se necessário) Verificar pré-carga da porca do eixo tandem (A7700) Rolamentos do cubo de roda dianteiro Respiros da caixa de bombas Respiros do tanque de óleo hidráulico Respiros das caixas de engrenagens Trocar Varificar / Ajustar Torque Engraxar Limpar

Manutenção - 750 HORAS
Todos os passos contidos neste relatório, incluindo os de 50h, 250h e 500h, devem ser repetidos a cada 750 horas.
Ponto de Manutenção Elemento do filtro de retorno de óleo hidráulico Trocar Varificar / Ajustar Torque Engraxar Limpar

77

MANUTENÇÃO/AJUSTES

Manutenção - 1000 HORAS
Todos os passos contidos neste relatório, incluindo os de 50h, 250h e 500h, devem ser repetidos a cada 1000 horas.
Ponto de Manutenção Pressão do acumulador da suspensão (850 psi) Pressão do acumulador da suspensão - frente larga (1700 psi) Pressão do acumulador do cortador de pontas (1200 psi) Nível de anti-corrosivo no líquido de arrefecimento Verificar aperto da porca do eixo tandem (A7700) Trocar Varificar / Ajustar Torque Engraxar Limpar

Manutenção - 1500 HORAS
Todos os passos contidos neste relatório, incluindo os de 50h, 250h e 500h, devem ser repetidos a cada 1500 horas.
Ponto de Manutenção Abrir redutores traseiros, avaliar arruelas de encosto. Fazer a inversão dos lados das planetárias e engrenagem anel Revisão do motor Diesel (Acionar revendedor Cummins) Trocar Varificar / Ajustar Torque Engraxar Limpar

Manutenção - 2500 HORAS
Todos os passos contidos neste relatório, incluindo os de 50h, 250h e 500h, devem ser repetidos a cada 2500 horas.
Ponto de Manutenção Completar com 1,0% de Anticorrosivo Scania por volume Desgaste das correntes, trilhos e engrenagens do elevador Pressão do acumulador da suspensão Pressão do acumulador do cortador de pontas Lavar a máquina e avaliar condições gerais do equipamento (Estrutura e componentes hidráulicos) Trocar Varificar / Ajustar Torque Engraxar Limpar

78

MANUTENÇÃO/AJUSTES

SISTEMA ELÉTRICO
Uma parte muito importante da colhedora é o sistema elétrico: fiação elétrica, interruptores, dutos. Inspecionar se há desgaste ou atrito nos dutos de fiação da máquina. Sempre reparar imediatamente qualquer dano. Inspecionar os bujões Hershman quanto a corrosão ou folga excessiva. Se for notada corrosão em um bujão, limpar com produto de limpeza de contato adequado Inspecionar todas as conexões a céu aberto quanto a umidade e sujeira; verificar a conexão do elevador e a conexão do extrator primário. Usando ar comprimido, limpar as bandejas de cabos, a parte posterior dos interruptores no console superior, os medidores, bem como a fiação no painel de instrumentos.

79

MANUTENÇÃO/AJUSTES

MANUTENÇÃO DA LIMPEZA
Observação: Sujeira sobre a máquina impede a colhedora de operar com eficiência e causa superaquecimento. Também é um risco de incêndio. Não deixar sujeira acumular. Observação: Sempre desligar o motor antes de fazer manutenções na máquina. Manter a chave no bolso. Desligar o interruptor de segurança na caixa de eletricidade do console direito.

6. DISCOS E ROLOS ALIMENTADORES DO CORTADOR DE BASE

DURANTE O DIA E DEPOIS DA COLHEITA
Limpar qualquer sujeira e terra dos seguintes componentes: 1. INVÓLUCRO DA REDE DE FIOS 2. TELA DO ARREFECEDOR DE ÓLEO/ RADIADOR 3. PRÉ-PURIFICADOR DE AR 4. ABA DO ESCAPE 5. PRÉ-PURIFICADOR DO A/C

7. BATENTES DO ROLOS

8. ROLOS DE FLUTUANTES

ALIMENTAÇÃO

80

MANUTENÇÃO/AJUSTES Limpar qualquer sujeira e terra dos seguintes componentes: 9. EXTRATOR PRIMÁRIO 11. PISO DO ELEVADOR

12. ALIMENTADOR DO ELEVADOR 10. EXTRATOR SECUNDÁRIO

81

MANUTENÇÃO/AJUSTES

NO FINAL DO DIA
* * * * * * * * * Limpar...toda sujeira e terra Limpar...todos os pontos de lubrificação Limpar...todas as juntas e cantos Limpar...todos os espaços entre rolos Limpar...todas as áreas em volta das mangueiras e eixos Limpar…as palhetas do elevador Limpar…áreas embaixo do chassi Limpar a máquina completamente. Lavar o radiador do motor, o radiador do resfriador de óleo e as correntes do elevador.

Todo Dia Depois da Colheita – Inspecionar os Seguintes Pontos: CORTADOR DE PONTAS
1. 2. 3. 4. Lâminas afiadas nos dois lados. Parafusos apertados. Nenhuma sujeira presa nas peças. Tubos hidráulicos e mangueiras sem vazamento, não danificados.

DIVISORES DE LINHAS
1. Ponteiras não danificadas. 2. Espirais não danificadas. 3. Tubos hidráulicos e mangueiras sem vazamento, não danificados.

ROLO COM ALETAS
1. Aletas não danificadas. 2. Tubos hidráulicos e mangueiras sem vazamento, não danificados.

Para melhores resultados, manter a máquina limpa.

CORTADORES DE BASE
1. Lâminas afiadas nos dois lados. 2. Cantos não arredondados. 3. Lâminas não dobradas, cortadas ou quebradas. 4. Parafusos apertados. 5. Disco não desgastado. (Diâmetro mínimo 546 mm). 6. Lâminas no comprimento total. 7. Respirador da caixa de engrenagem não bloqueado. 8. Tubos hidráulicos e mangueiras sem vazamento, não danificados.

INSPEÇÃO DA COLHEDORA
Limpar Sujeira e terra antes de inspecionar a máquina.

Colocar Um bloco de madeira para apoiar os discos do cortador de base antes de trabalhar embaixo da máquina.

Desligar O motor antes de trabalhar na máquina. Manter a chave no bolso. Desligar o interruptor de segurança do console na caixa de dijuntores do console direito.

TREM DE ALIMENTAÇÃO DE ROLOS
1. Lâminas não desgastadas ou danificadas. 2. Roletes flutuantes totalmente livres para subir e descer em todo o curso. 3. Tubos hidráulicos e mangueiras sem vazamento, não danificados.

Corrigir Quaisquer deficiências, preparando para o corte do dia seguinte.

82

MANUTENÇÃO/AJUSTES

PICADOR
1. 2. 3. 4. Lâminas afiadas. Lâminas não danificadas. Parafusos apertados. Respiro da caixa de engrenagem não bloqueado. 5. Tubos hidráulicos e mangueiras sem vazamento, não danificados.

FLAP
1. Movimento livre para cima e para baixo.

RESFRIADOR DE ÓLEO
1. Completamente livre de qualquer sujeira e terra.

RADIADOR
1. Completamente livre de qualquer sujeira e terra. 2. Nível de água correto. 3. Mangueiras não danificadas. 4. Tensão da correia do ventilador correta.

EXTRATOR PRIMÁRIO
1. Pás não desgastadas ou danificadas. 2. Parafusos apertados. 3. Tubos hidráulicos e mangueiras sem vazamento, não danificados. 4. Protetor não desgastado seriamente ou danificado. 5. Ventiladores sem vibração devido a desbalanceamento. 6. Mancais sem folga – verificar movimentos para cima e para baixo.

PURIFICADORES DE AR DO MOTOR
1. Elemento do filtro – indicador vermelho não aparente. 2. Caixa do pré-purificador vazia. 3. Tela do pré-purificador completamente livre de qualquer sujeira e terra.

ELEVADOR
1. Tiras de desgaste da guia da corrente não desgastadas seriamente ou não danificadas. 2. Correntes sem muita folga. 3. Correntes não desgastadas seriamente ou não danificadas. 4. Rodas dentadas não desgastadas seriamente ou desgastadas de forma desigual. 5. Correntes bem lubrificadas, se aplicável. 6. Palhetas não dobradas ou danificadas. 7. Piso não desgastado seriamente ou danificado. 8. Tubos hidráulicos e mangueiras sem vazamento, não danificados.

TANQUE DE COMBUSTÍVEL
1. Respiro não bloqueado. 2. Tanque cheio.

ÓLEO DO MOTOR
1. Nível de óleo correto.

ÓLEO HIDRÁULICO
1. Respiro não bloqueado. 2. Nível de óleo correto. 3. Óleo limpo e claro. 4. Filtros não bloqueados. (Menos de 7 polegadas {180 mm} Hg no medidor)

EXTRATOR SECUNDÁRIO
1. Pás não desgastadas ou danificadas. 2. Parafusos apertados. 3. Tubos hidráulicos e mangueiras sem vazamento, não danificados. 4. Protetor não desgastado seriamente ou danificado. 5. Ventilador sem vibração devido a desbalanceamento. 6. Mancais sem folga – verificar movimentos para cima e para baixo.

CAIXA DE ENGRENAGEM DO ACIONAMENTO DA BOMBA
1. Nível de óleo correto. Observação: Verificar todo o dia antes de iniciar a colheita.

CONDENSADOR DO AR CONDICIONADO
1. Completamente livre de qualquer sujeira e terra.

83

MANUTENÇÃO/AJUSTES

Todo Mês - Inspecionar
CORRENTES DO ELEVADOR
1. Correntes sem folga. 2. Correntes não desgastadas.

REPAROS E AJUSTES
Observação: Usar apenas produtos CASE IH Austoft originais nas substituições.

PALHETAS DO ELEVADOR
1. Palhetas não desgastadas ou danificadas. 2. Não preparadas para substituição. Substituir a cada 3 meses ou 10.000 toneladas.

SEGURANÇA, ANTES DE TRABALHAR NA MÁQUINA Desligar
O motor antes de fazer manutenções na máquina. Manter a chave no bolso. Desligar o interruptor de segurança do console na caixa de disjuntores do console direito.

GIRO DO ELEVADOR
1. Folga nos limites aceitáveis. Observação: Verificar se essa área é mantida em bom estado, pois os cilindros hidráulicos de giro podem ser danificados se o desgaste das conexões de giro e pinos exceder os limites aceitáveis.

COLOCAR
Um bloco de madeira embaixo do centro dos discos do cortador de base ou embaixo da parte dianteira da máquina antes de trabalhar embaixo da máquina. O movimento da alavanca de altura do cortador de base da posição neutra abaixará a dianteira da máquina (em máquinas com cabines manuais). As máquinas com cabine elétrica devem estar com o motor funcionando para ativar as funções do cilindro. Suspender a máquina com macaco a menos que o macaco e a máquina estejam bem firmes no solo. Verificar se o macaco está bem apoiado. Nunca trabalhar embaixo da máquina a menos que existam blocos de segurança posicionados.

RODAS TRASEIRAS
1. Porcas de retenção apertadas

RODAS DIANTEIRAS
1. Porcas de retenção apertadas

CUBOS TRASEIROS
1. Parafusos da estrutura apertados.

CAIXA DE ENGRENAGEM DO ACIONAMENTO DA BOMBA
1. Parafusos de retenção apertados.

SUPORTES DO MOTOR
1. Parafusos apertados.

LÂMINAS DO VENTILADOR DO RADIADOR
1. Lâminas sem trincas.

84

MANUTENÇÃO/AJUSTES

SUBSTITUIÇÃO DA LÂMINA DO CORTADOR DE PONTAS
Soquete AF 1/2 pol \ ½ pol Barra T \ Chave Allen 3/16 pol

PROCEDIMENTO
1. Remover os parafusos de retenção. Remover a lâmina usada e limpar área de assentamento da lâmina. 2. Montar novas porcas. Manter os parafusos para reutilização. Descartar quaisquer porcas e parafusos desgastados ou danificados. Usar apenas peças de reposição corretas. 3. Segurar a peça de substituição com a face cônica para baixo e apontando para fora do disco do cortador de pontas. Instalar os parafusos nos furos do disco e passando na lâmina montada abaixo do disco. Montar a porca e apertar com firmeza. Parafusos muito compridos não devem ser usados pois ficarão para fora das porcas e favorecerão o acúmulo de sujeira na colheitadeira.

Lâminas do cortador de pontas

Cortador de Pontas Padrão

Triturador de Pontas

85

MANUTENÇÃO/AJUSTES

SUBSTITUIÇÃO DA LÂMINA DO CORTADOR DE BASE
Ferramentas: Soquete AF de ¾ pol \ ½ pol Barra T

SUBSTITUIÇÃO DO DISCO DO CORTADOR DE BASE
Ferramentas: Soquete de 24 mm \Barra T de 3/4 polegada O diâmetro de um novo disco é 22 1/4 polegadas {565 mm}. Substituir o disco quando o diâmetro estiver desgastado até 21 1/2 polegadas {546 mm} no ponto mais estreito.

PROCEDIMENTO
1. Remover o parafuso de retenção. 2. Verificar a lâmina, se estiver desgastada ou danificada, descartar. 3. Guardar as porcas e parafusos para reutilização. Descartar quaisquer porcas e parafusos desgastados ou danificados. Usar apenas as peças de reposição corretas. 4. Apertar o parafuso de retenção com firmeza. Observação: O comprimento máximo da lâmina do cortador de base é de 117 mm. Deixar de observar esse limite pode resultar em danos aos pneus dianteiros ou as lâminas poderão bater na estrutura da esteira.

PROCEDIMENTO
1. Remover os cinco parafusos de montagem de 16 mm que prendem o disco na perna da caixa de engrenagem do cortador de base. Remover o disco do cortador de base. 2. Montar o disco na perna do cortador de base. Substituir os parafusos de montagem e apertar.

Disco e Lâminas da Perna do Cortador de Base

86

MANUTENÇÃO/AJUSTES

AJUSTE DO ÂNGULO DO DISCO DO CORTADOR DE BASE
Ferramentas: Soquete 15/16 pol \ 3/4 pol Barra T \ Chave circular 15/16 pol

PROCEDIMENTO
1. Apoiar a caixa de engrenagem do cortador de base para levantar ou abaixar a dianteira do disco do cortador de base. 2. Remover os parafusos dianteiros, nos dois lados da máquina, que montam a caixa do cortador de base. Girar a caixa de engrenagem para aumentar ou diminuir o ângulo da caixa. Substituir os dois parafusos dianteiros na nova posição. Apertar os dois parafusos dianteiros.

2. Montar a nova lâmina primeiro no tambor superior para minimizar o risco de ferimento causado pela lâmina inferior. A lâmina superior é montada com a face chanfrada voltada para baixo do trem de roletes da máquina A lâmina inferior é montada com a face chanfrada voltada para o extrator primário. A lâmina superior deve sempre estar na frente no corte. Apertar os parafusos de fixação com firmeza. 3. Para reapertar o acoplamento das lâminas, as lâminas inferiores podem deslizar levemente para fora; reapertar os parafusos da placa de fixação. Observação: Nunca apertar o acoplamento com lâminas antigas montadas ajustando o funcionamento da caixa do cortador de barras pois, danificando os mancais, poderá causar falha prematura do cortador de barras e perder a garantia. 4. Para verificar a sincronização da lâmina, aplicar uma mistura de chumbo vermelho e graxa ou azul da Prússia nas lâminas do tambor inferior. Girar o volante e verificar a marca deixada pelas facas do tambor superior nas facas do tambor inferior. As lâminas devem estar marcadas em todo o comprimento. Observação: O projeto do corte diferencial promove o aumento de uma ação de limpeza e assim estende o tempo de contato das lâminas do cortador de barras. Isso permite obter melhor corte e capacidade de empurrar a sujeira. Como o tempo de contato da lâmina aumenta, a necessidade de um acoplamento de lâmina pesado, como necessário no corte rotativo normal, é reduzida. O contato de lâmina muito apertado pode provocar falha prematura nos componentes da caixa de engrenagem. Observação: Devido às tolerâncias de fabricação nas lâminas, não pode ser obtida uma marca em todo o comprimento.

Ajuste do Ângulo do Disco no Lado Esquerdo

SUBSTITUIÇÃO DA LÂMINA DO PICADOR.
Ferramentas: Soquete 15/16 pol \ 3/4 pol Barra T Observação: As lâminas do cortador de barras são do tipo descartável, 65 mm de largura. Elas são presas no tambor do picador por uma barra de fixação.

PROCEDIMENTO
1. Girar o volante de modo que as lâminas fiquem numa posição acessível. Afrouxar os parafusos de fixação e remover a lâmina. Limpar a área de assentamento.

87

MANUTENÇÃO/AJUSTES Observação: As engrenagens de temporização devem ser reposicionadas em intervalos de 50.000 toneladas para espalhar o desgaste nos dentes da engrenagem e estender a vida útil da engrenagem. Marcar a posição do acoplamento da engrenagem quando as lâminas do picador estiverem juntas. Na montagem, garantir que essas posições não sejam reutilizadas. As engrenagens de sincronização podem ser invertidas para garantir a obtenção de um tempo máximo de vida útil das engrenagens. A garantia dependerá da observação das diretrizes de serviço. Tambores e Lâminas do Picador Observação: Pequena tampa de inspeção da Caixa de Temporização. Quando for necessário verificar ou ajustar a Engrenagem de Sincronização Superior, remover a pequena tampa de inspeção na Caixa de Sincronização. A Engrenagem de Sincronização Superior deve estar totalmente na posição horário, bem firme nos parafusos, como padrão.

SINCRONIZAÇÃO DA LÂMINA DO PICADOR. PROCEDIMENTO
1. Certificar-se de que todas as lâminas estejam presas na posição correta. Virar o volante para rodar os tambores do picador e pintar os dois conjuntos de lâminas na parte inferior do tambor. As lâminas superiores devem marcar as lâminas inferiores ao longo de toda a largura do tambor. 2. Se as lâminas inferiores não estiverem marcadas, remover a grande tampa de inspeção na caixa de sincronização. Para evitar perda de óleo, drenar uma pequena quantidade de óleo da caixa de engrenagem antes de remover a tampa. Afrouxar os parafusos de retenção. Mover ligeiramente a engrenagem de sincronização no sentido horário contra o cubo de montagem e extrair os dois parafusos opostos. Virar o volante ligeiramente para verificar o contato da lâmina. 3. Quando obtiver uma marca completa nas duas lâminas do tambor inferior e a ação de corte for sem batida, prender com firmeza todos os parafusos na engrenagem de sincronização. Verificar novamente o contato da lâmina. Se estiver correto, recolocar a tampa e completar o nível de óleo.

Caixa de Sincronização e Engrenagem de Sincronização

88

MANUTENÇÃO/AJUSTES

SUBSTITUIÇÃO DAS TALISCAS DO ROLO ALIMENTADOR PROCEDIMENTO
Quando as taliscas do rolo alimentador apresentarem desgaste nas pontas, ou estiverem danificadas de qualquer outra forma, elas devem ser substituídas. O único processo eficaz é retirar a talisca velha e soldar uma nova no lugar. Nessa situação o rolo alimentador deve ser removido da máquina. A forma dos dentes das taliscas deve ser mantida como em um rolo alimentador novo, pois ele é projeto para traçionar a cana sem danificá-la. Dentes irregulares ou afiados danificam a cana cortada.

Tampa de Inspeção

AJUSTE DA EMBREAGEM DESLIZANTE DO VOLANTE
Ferramentas: soquete sextavado desenvolvido como ferramenta especial P/N D0337 para aperto da porca do pinhão e P/N 87463403 para aperto da mola prato, vide boletim de ferramentas especiais.

SUBSTITUIÇÃO DA LÂMINA DO VENTILADOR DO EXTRATOR
Ferramentas: Soquete 3/4 \ Barra T de 1/2 pol \ Chaves de Boca Circular de ¾ pol \ Torquímetro lb.pol.

PROCEDIMENTO
1. Retirar o parafuso central e a calota inferior do extrator. 2. Remover os parafusos de montagem que prendem as lâminas ao cubo do extrator. Limpar o cubo para remover toda a lama e terra acumuladas. 3. Montar as lâminas no cubo do extrator e instalar os parafusos de montagem. Prender a lâmina batendo no sentido contrário da rotação. 4. Apertar os parafusos de montagem com 65-70 lb.pol. {100-105 N.m} com um torquímetro. 5. Para montar a calota no extrator, assegure-se que esta esteja limpa e que seja acoplada corretamente.

PROCEDIMENTO
1. Gire a porca do volante até perceber que a mesma se apoiou na mola prato. 2. Após encostada na mola prato, apertar a porca do volante em mais 3/4 de volta utilizando a ferramenta acima especificada. Observação: Se as marcas de referência no volante indicarem sinais de deslizamento quando cortar normalmente, aumentar a tensão gradualmente até que a embreagem deslize apenas em caso de sobrecarga (madeira e pedras etc.).

89

MANUTENÇÃO/AJUSTES Observação: As lâminas são fornecidas em um conjunto de três lâminas balanceadas, mas é aconselhável verificar o balanceamento depois de instalar o ventilador. Observação: As lâminas devem ser mantidas em bom estado para garantir a obtenção da capacidade máxima de extração. À medida que as lâminas desgastam ou são danificadas por objetos estranhos, elas podem sair do ponto de balanceamento, necessitando de um novo balanceamento ou substituição do conjunto do ventilador / lâminas do ventilador para não danificar outros componentes. A montagem de lâminas não padrão nos extratores sobrecarregará a capacidade dos componentes hidráulicos e afetará seriamente sua vida útil. Observação: As lâminas do ventilador do extrator primário estão disponíveis em conjuntos de diferentes comprimentos. Manter a folga correta entre a ponta da lâmina do ventilador e o revestimento de desgaste é fundamental para otimizar a eficiência na limpeza e a vida da lâmina. Garantir a manutenção da folga da ponta da lâmina entre 27 mm e 32 mm montando as lâminas com comprimentos corretos.

AJUSTE DA TENSÃO DA CORRENTE DO ELEVADOR
Soquete AF 3/4 pol \ ½ pol Barra T \ Chave Circular AF de 9/16 pol \ Chaves Circular e Aberta de 15/16 pol \ Chave Allen

PROCEDIMENTO
1. Abaixar o elevador com os cilindros hidráulicos. 2. Afrouxar os quatro parafusos de montagem da caixa do mancal em cada lado do eixo dianteiro do elevador. 3. Afrouxar os três parafusos de montagem localizados no painel de ajuste do piso do elevador. 4. Desaparafusar as contra-porcas nos parafusos de ajuste e gradualmente girar cada parafuso no sentido horário para ajustar a corrente do elevador. Apertar cada corrente até que o movimento livre na seção inferior da corrente permita apenas um movimento total para cima e para baixo de aproximadamente 1 polegada{25 mm}. Observação: Uma corrente pode esticar mais que a outra; assim, uma corrente terá movimento mais solto quando ajustada corretamente. 5. Verificar cuidadosamente se o eixo dianteiro permanece paralelo ao eixo traseiro. Medir desde a caixa do mancal até a estrutura do elevador. 6. Apertar as contra-porcas nos parafusos de ajuste, os quatro parafusos de montagem da caixa do mancal e os parafusos de pressão no piso do elevador.

SUBSTITUIÇÃO DO REVESTIMENTO DE DESGASTE E DO CAPUZ DO EXTRATOR PRIMÁRIO
A grande área de desgaste em volta dos ventiladores do extrator tem revestimentos de desgaste de aço aparafusados ou soldados no local. Esses revestimentos evitam danificar as estruturas principais e devem ser substituídos assim que mostrarem sinais desgaste.

CAPUZ DO EXTRATOR PRIMÁRIO
O capuz do extrator primário compreende duas proteções substituíveis, dianteira e traseira, aparafusadas em uma estrutura de aço externa. Assim que houver sinais de desgaste, a peça desgastada deve ser desaparafusada da estrutura e substituída por uma nova.

90

MANUTENÇÃO/AJUSTES 2. Desaparafusar os parafusos e arruelas autotravantes que prendem a palheta do elevador à corrente do elevador. Remover a palheta do elevador e reposicioná-la na corrente do elevador no novo elo selecionado. Instalar as porcas e parafusos autotravantes e apertar com firmeza. Observação: As palhetas não são simétricas e não podem ser invertidas.

Parafuso de Ajuste

Eixo Dianteiro do Elevador

Parafusos de Aperto

SUBSTITUIÇÃO DAS TIRAS DE DESGASTE DA GUIA DA CORRENTE REPOSICIONAMENTO DAS PALHETAS DO ELEVADOR
Ferramentas: Soquete AF 9/16 pol \ Barra T de 1/2 pol \ Chaves de Boca Circular e Aberta de 9/16 pol Ferramentas: Chaves Circular AF e Aberta de 9/16 pol \ Conjunto de Chaves Allen

PROCEDIMENTO
1. Remover as porcas em todo o comprimento da tira de desgaste. 2. Montar uma nova tira de desgaste com novas porcas, arruelas e parafusos [parafuso de 3/4 pol de comprimento, UNC CSK].

PROCEDIMENTO
1. Os elos e roletes na corrente do elevador, onde as palhetas do elevador são aparafusadas, desgastam mais rapidamente que as outras partes da corrente. Quando o desgaste dessas conexões ficar notável, deslocar cada palheta do elevador um elo para frente ao longo da corrente. Verificar se o espaçamento original entre as palhetas do elevador é mantido em todo o comprimento.

91

MANUTENÇÃO/AJUSTES

SUBSTITUIÇÃO DA BUCHA E PINO DA MESA GIRATÓRIA DE ROTAÇÃO DO ELEVADOR
As buchas e pinos devem ser verificados quanto ao desgaste semanalmente e substituídos quando necessário, para garantir que o mecanismo de giro não se danifique por folga excessiva

REMOÇÃO DOS CILINDROS DE GIRO DA MESA GIRATÓRIA DO ELEVADOR. PROCEDIMENTO
1. Remover os parafusos dos cubos do cilindro de giro. 2. Apoiar os cilindros de giro e remover os cubos. 3 Remover os cilindros da mesa giratória. 4 Verificar todos os pinos e buchas quanto a desgaste ou danos e reparar ou substituir conforme necessário. O procedimento de montagem é o inverso do procedimento de desmontagem. Observação: Verificar se as articulações, buchas e pinos do cilindro de giro do mecanismo de giro não ficam emperrados. Verificar e lubrificar diariamente.

PROCEDIMENTO
1. Remover o elevador da máquina 2. Remover os dois anéis elásticos dos dois pinos articulados principais e os dois pinos de ancoragem do cilindro de giro da estrutura de giro. 3. Apoiar a estrutura de giro, retirar os pinos de articulação e de ancoragem do cilindro e remover a estrutura de giro.

92

MANUTENÇÃO/AJUSTES

AJUSTE DA RODA DENTADA DA ENGRENAGEM INTERMEDIÁRIA
Ferramentas: Soquete AF de 16 mm \ 1/2 polegada Barra T

DIVISORES DE LINHA 45º
Os divisores de linha de 45º possuem uma ponteira giratória no final da espiral interna o qual é ajustado para desgaste e é substituível. A ponta giratória também pode ser separada do espiral e ser substituída. Por esta ponta estar em contato com o solo, o final do divisor de linhas sofre menos desgaste e consequentemente não há sapata substituível.

PROCEDIMENTO
1. Garantir que a corrente do elevador esteja com folga suficiente para fazer o ajuste. 2. Afrouxar as três porcas no conjunto da roda dentada da engrenagem intermediária. Amolar as soldas. 3. Com uma palheta do elevador posicionada nos dentes da roda dentada, abaixar a roda dentada aproximadamente 1/8 polegada até que a palheta do elevador desencoste do piso elevador. 4. Apertar as três porcas no conjunto da roda dentada da engrenagem intermediária. Solde a montagem. Observação: Fazer o ajuste das rodas dentadas da engrenagem intermediária nos dois lados do elevador ao mesmo tempo, para garantir que a folga entre o piso do elevador e a palheta do elevador seja regular.

AJUSTE DE ALTURA E INCLINAÇÃO DO DIVISOR DE LINHAS
Observação: Cada divisor de linhas é mantido em posição por dois braços articulados que permitem o seu levantamento e abaixamento para a altura necessária. Para compensar a grande diferença de altura que pode ser encontrada nos tocos, o cilindro hidráulico tem dois furos de montagem para levar em conta a variação de altura nos tocos.

PROCEDIMENTO
1. Posicionar o divisor de linhas no centro por cima do sulco, com o cortador de base ajustado para cortar os tocos ao nível do solo. 2. Ajustar o comprimento do cilindro hidráulico de forma a deixar as ponteiras dos divisores de linhas encostar levemente no solo. Quando o cilindro estiver aproximadamente no centro do curso. 3. Selecionar o furo na extremidade do cilindro que permite a execução de (2). Observação: Não alterar o ponto de articulação dianteiro para levantar ou abaixar o conjunto do divisor de linhas. 4. O braço de articulação superior é formado por duas peças com uma série de furos para ajuste. Ajustar o divisor de linhas com a borda tocando no solo e o bico pouco afastado (1/2 pol); ajustar o comprimento do braço de articulação superior para manter esse ajuste.

Rodas Dentadas da Engrenagem intermediária - Parte Superior do Elevador

AJUSTE DA LARGURA DOS DIVISORES DE LINHA
Para atender às variações de largura das linhas que podem ocorrem em áreas distintas,

93

MANUTENÇÃO/AJUSTES existem duas posições disponíveis para o operador. linhas e aproximando-se ou afastando-se do operador. O cilindro irá subir ou descer dependendo da altura requerida. Realinhe os furos e recoloque os pinos 1. Certifique-se que pino esteja fixado corretamente.

PROCEDIMENTO
1. Para ajustar a largura dos divisores de linhas, remova os braços do divisor de linhas esquerdo e encaixe-os no divisor de linhas direito e vice-versa. Para alinhar os braços em relação ao divisor de linhas, os furos do topo no divisor de linhas devem ser utilizados para pontos estreitos e os furos na parte inferior no divisor de linhas devem ser utilizados quando foi selecionado o espaçamento para linhas largas. 2. Isso irá estreitar as pontas dos divisores de linhas para máquinas operando em linhas estreitas Note: Os divisores de linha podem ser posicionados em uma largura mínima de 1200 mm ou em uma largura máxima de 1500 mm para máquinas de frente estreita e largura entre 1500 mm e 1800 mm para máquinas frente larga.

SUBSTITUIÇÃO DAS SAPATAS DOS DIVISORES DE LINHA 45º
Ferramentas: Maçarico de oxiacetileno, Esmeril e Soldador corte a

Os divisores de linhas são equipados com deslizadores nas sapatas para facilitar a manutenção.

PROCEDIMENTOS
1. Levantar a máquina e o divisor de linhas para ter acesso à placa de desgaste. 2 Remover as soldas que seguram a placa de desgaste da placa base do divisor de linhas. 3 Colocar a nova placa de desgaste na parte inferior do divisor de linhas e soldar na posição.

OPERAÇÃO DO CILINDRO DE EQUILÍBRIO
O cilindro de equilíbrio possui uma mola compensadora incorporada internamente que reduz a pressão no solo do divisor ne linhas.

PROCEDIMENTO
1. Abaixe o divisor de linhas de modo a permitir que a ponteira contacte ligeiramente o solo. Isso irá garantir que a mola compensadora esteja totalmente comprimida e o cilindro de equilíbrio não irá permitir que a ponta do divisor de linhas se enterre no solo. 2. A medida que o nível do solo se eleva a sapata será erguida, auxiliada pela mola compensadora, para flutuar sobre o solo. O curso máximo da mola compensadora é de aproximadamente 180 mm.

PARAFUSO CONTRAPINO

SUBSTITUIÇÃO DA BASE DO DIVISOR DE LINHAS
É possível substituir a ponta ou toda a base do divisor de linhas. A base está presa ao eixo do divisor por um parafuso e a ponta está fixa na base por um contrapino. A ponta também pode ser ajustada (para dentro ou fora) pelo contrapino.

AJUSTE EXTRA DE ALTURA PARA DIVISORES DE LINHA
Para ajustar, opere a máquina em marcha lenta. coloque os divisores de linhas no solo. Remova o pino e o pino 1 de posicionamento do cilindro. Mova as alavancas do divisor de

94

MANUTENÇÃO/AJUSTES

CUBOS DE REDUÇÃO
Para maximizar a vida útil da engrenagem nos cubos de redução, os conjuntos completos de transporte e o pinhão podem ser trocados de lado. Isso carrega o lado oposto dos dentes da engrenagem e a superfície do mancal dos pinos das planetárias, além de garantir a obtenção de vida máxima para os cubos de redução.

ROTINA DE MANUTENÇÃO ENTRE PERÍODOS DE COLHEITA
NO FINAL DA ESTAÇÃO DE CORTE
LIMPAR a máquina totalmente, não deixando nenhum traço de sujeira ou terra. Cuidado para não submeter mancais e vedações à alta pressão das mangueiras ou da limpeza com vapor. INSPECIONAR toda a meticulosamente. Obter ajuda Distribuidor Austoft nessa tarefa. máquina do seu

PNEUS
Manter os pneus corretamente cheios na pressão indicada nas tabelas de pressão de enchimento dos pneus dianteiros e traseiros.

Observação: Verificar a tensão das porcas das rodas dianteira e traseira depois da primeira hora, e a seguir diariamente na primeira semana. A roda dentada de acionamento nos trilhos deve ser tensionada nos mesmos intervalos.

CORRIGIR qualquer desgaste, dano ou defeito que possa prejudicar o desempenho ou a confiabilidade da máquina durante a próxima estação. EXECUTAR todas as rotinas de manutenção. APLICAR óleo inibidor de ferrugem em todas as peças metálicas não pintadas. RETRAIR todos os cilindros hidráulicos e cobrir as hastes de pistão expostas com graxa ou inibidor corrosão de marca {por exemplo, Castrol DWX 32} para proteger os eixos contra qualquer dano.

PNEUS COMUNS - PRESSÕES DE ENCHIMENTO
Dianteiros: 400 kPa (58 psi) Traseiros: 280 kPa (40 psi) Pressão mínima: 250 kPa (36 psi)

PNEUS RADIAIS
Contatar o revendedor Case IH Austoft para obter informações.

FORA DA ESTAÇÃO DE COLHEITA
OPERAR a máquina no mínimo durante 1h pelo menos uma vez por mês, ativando todos os acionamentos e controles. MANTER a bateria carregada quando não estiver em uso. PROTEGER os pneus da exposição à luz solar. APOIAR a estrutura da suspensão dianteira sobre um bloco de madeira. VERIFICAR todas as peças de reposição e ferramentas. Completar estoques conforme necessário. Consultar o seu Distribuidor Austoft.

TENSÃO DA PORCA DA RODA
20 mm. 250lb/ft. 34 Kgm

95

MANUTENÇÃO/AJUSTES

RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS
Embora a colheitadeira seja totalmente hidráulica e exija técnicos conhecedores de sistemas hidráulicos para diagnosticar e reparar falhas, existem diversas áreas onde o proprietário/operador pode corrigir problemas ou auxiliar o técnico a completar um reparo com rapidez. A parte hidráulica é controlada por pressão e fluxo. A pressão pode ser verificada facilmente utilizando um manômetro instalado na cabine. O manômetro tem uma mangueira com comprimento suficiente para atingir os diversos pontos de teste instalados na máquina. Entretanto, para testar o fluxo é preciso instalar um fluxímetro e obter o auxílio de um especialista para montá-lo no sistema e entender as leituras obtidas. Uma indicação do fluxo pode ser obtida pela velocidade dos motores em funcionamento, pois o fluxo se relaciona diretamente com a velocidade e a pressão com a força. O principal problema que preocupa o operador da colheitadeira é a falta de potência em um circuito. Para verificar esse problema, conectar o manômetro ao circuito de modo que: 1. Seja obtida uma pressão estável. Uma alta pressão estável indica problemas mecânicos. Pode haver terra ou sujeira acumulada em torno do componente ou os mancais podem estar com problemas. 2. Pode ser obtida uma pressão de operação. Uma pressão de operação alta indica superaquecimento do sistema. Se a pressão estável for baixa, a pressão alta encontrada será causada pela carga colocada no sistema; assim, a pressão terá de ser reduzida para um nível aceitável.

A pressão de operação também pode aumentar se não houver fluxo suficiente. Como os componentes são projetados para executar determinada tarefa, um aumento na pressão devido à falta de fluxo seria devido a: (a) uma bomba com defeito ou (b) uma perda de fluxo do sistema. Como é necessário montar um fluxímetro para medir a perda de fluxo de uma bomba com defeito, recomendamos o auxílio de um técnico de manutenção. Entretanto, a perda de fluxo do sistema pode ser indicada através do aquecimento do óleo. Quando o óleo passa de uma alta pressão para uma baixa pressão sem trabalho, essa energia é transformada em calor. Por Exemplo: 12 G.P.M. passando com uma queda de pressão de 500 lb/pol2 gera 8.907 BTU/HP de calor. Esse calor pode ser detectado pelo comportamento ou pela alta temperatura do óleo. Observação: Verificar se o arrefecedor de óleo está limpo e as correias de acionamento do compressor não estão deslizando.

CORTADOR DE BASE PROBLEMA
Trabalho Deficiente no Solo / Falta de Potência.

CAUSA
Lâminas do cortador de base cegas, faltando ou muito curtas. Ângulo do cortador de base incorreto. Velocidade de percurso muito alta. Práticas agrícolas incorretas. Sistema sem cana.

SOLUÇÃO
Afiar, ajustar ou substituir as lâminas. Ajustar o ângulo do cortador de base. Reduzir a velocidade de percurso. Atingir equilíbrio entre a taxa de corte e o trabalho no solo.

96

MANUTENÇÃO/AJUSTES CORTADOR DE BASE PROBLEMA
Cana Danificada / Cana Perdida.

ROLOS ALIMENTADORES PROBLEMA
Roletes de Alimentação Enguiçando

CAUSA
Discos do cortador de base com desgaste excessivo. Sapatas flutuantes ajustadas incorretamente ou danificadas. Separadores de culturas ajustados incorretamente ou danificados.

SOLUÇÃO
Substituir os discos.

CAUSA
Acúmulo de terra nas caixas de transmissão do motor. Perda de fluxo/ potência no controle ajustado para diminuir os talos. Estria de acionamento deformada/motores de duplo acionamento. Válvula de alívio com defeito. Válvula de retenção / válvula de alívio com defeito. Mangueiras incorretas.

SOLUÇÃO
Limpar a terra das caixas.

Ajustar ou reparar as sapatas flutuantes. Ajustar ou reparar os divisores de linhas.

Ajustar/controlar.

Substituir as estrias e verificar o alinhamento.

Verificar e ajustar. Verificar e substituir. Montar as mangueiras corretamente.

PICADORES PROBLEMA
Picador Enguiçando

CAUSA
Picadores sobrecarregados. Deslizamento da embreagem do volante. Válvula de alívio com defeito. Registro montado para reduzir o fluxo de óleo para talo mais longo.

SOLUÇÃO
Reduzir a velocidade de corte. Ajustar ou reparar a embreagem deslizante. Verificar e ajustar a válvula de alívio. Remover do circuito o registro/ controle.

ELEVADOR PROBLEMA
Elevador Enguiçando

CAUSA
Base muito cheia.

SOLUÇÃO
Limitar o curso com o elevador desligado. Verificar / ajustar a válvula de alívio. Verificar e ajustar a corrente do elevador. Verificar e substituir tiras de desgaste gastas ou verificar o acúmulo de terra. Contatar o revendedor Case IH Austoft Reduzir a velocidade de corte. Ajustar/substituir rodas dentadas.

Válvula de alívio com defeito. Corrente do elevador muito apertada. Palhetas do elevador arrastando. Perda de alimentação elétrica para a válvula de controle. Elevador Fervendo Elevador sobrecarregado. Rodas dentadas gastas.

Elevador Transportando Talos em Excesso

97

MANUTENÇÃO/AJUSTES ELEVADOR PROBLEMA
Palhetas do Elevador Batendo na Base

PROBLEMA SOLUÇÃO
Ajustar a corrente.

CAUSA
Folga mínima na ponta da lâmina.

SOLUÇÃO
Remover os revestimentos de desgaste ou ajustar as lâminas de acordo com a dimensão dos revestimentos de desgaste extras. Remover e montar lâminas padrão. Substituir as lâminas. Consultar a seção anterior. Contatar o revendedor Case IH Austoft

CAUSA
Corrente desajustada. Corrente gasta em um lado.

Dividir a corrente e unir ao outro lado para igualar os comprimentos das duas correntes. Extratores Não Limpando

Lâminas montadas fora de dimensão. Lâminas desgastadas. Extratores enguiçando

EXTRATORES PROBLEMA
Extratores Enguiçando

CAUSA
Extratores com sobrecarga. Válvula de alívio com defeito.

SOLUÇÃO
Reduzir a velocidade de corte. Verificar e ajustar a válvula de alívio.

Valvistor com defeito

PONTOS DE PRESSÃO
Para circuitos hidráulicos normais temperatura operacional normal. em

CIRCUITO Cortador de base Picador Extrator Primário Extrator Secundário Elevador Cortador de Pontas Comando de cilindros Rolete de alimentação Arrefecedor de Óleo

OPERAÇÃO APROX. DE MOVIMENTO LIVRE 650 psi 500 psi 900 psi 750 psi 250 psi 250 psi 350 psi 250 psi 1250 psi

TRAVADO 2500 psi 2750 psi 3500 psi 2500 psi 2000 psi 2650 psi 2200 psi 2500 psi 3500 psi

98

MANUTENÇÃO/AJUSTES

CONEXÕES AUXILIARES DA BATERIA
ADVERTÊNCIA: O motor pode ligar com a transmissão engatada quando há desvio do neutro ou da chave de partida de segurança. 1. Não conectar em terminais do motor de partida. 2. Conectar uma bateria auxiliar ligando o terminal positivo da bateria auxiliar ao “terminal positivo” disponível ou ao terminal positivo da bateria da máquina. Conectar o terminal negativo da bateria auxiliar ao “terminal negativo” disponível ou ao chassi da máquina. A seguir, observar os procedimentos de partida recomendados do assento do operador. 3. Quando necessário, reparar os componentes do sistema elétrico prontamente de modo a impedir “ligação direta”. A máquina andar sozinha pode ferir ou matar o operador ou pessoas próximas.

!

Se a bateria estiver descarregada e as luzes não indicarem tensão na bateria, verificar com um voltímetro se há algum circuito aberto na bateria. Desconectar o cabo negativo (-) da bateria. Conectar o voltímetro entre os terminais negativo (-) e positivo (+) da bateria. Se o voltímetro não indicar tensão, a bateria está com um circuito interno aberto. Substituir a bateria. Conectar um carregador de bateria ou uma bateria auxiliar a uma bateria com circuito aberto pode provocar fagulha dentro da bateria. Uma fagulha pode provocar a explosão da bateria. Se o voltímetro indicar alguma tensão, um carregador de bateria ou uma bateria auxiliar pode ser ligada à bateria descarregada. Quando usar um carregador de baterias, verificar se o carregador está desligado antes de conectar à bateria. Carregar a bateria somente em área bem ventilada. Não tentar carregar uma bateria congelada.

!

ADVERTÊNCIA: A não ser que indicado de outra forma, nunca fazer manutenção ou ajustes na máquina com o motor funcionando. Antes de fazer ajustes,colocar a alavanca de controle de tração em neutro e acionar o freio de estacionamento.

Observação: A colheitadeira utiliza um sistema elétrico com aterramento negativo. Fazer conexões ao sistema elétrico com polaridade invertida danificará os componentes do sistema elétrico. O circuito de partida da colheitadeira requer 24 V para funcionar. São necessárias 2 baterias de 12 V conectadas em série. Se for necessário um reforço às baterias existentes, conectar as baterias auxiliares nas baterias da colheitadeira exatamente na seguinte ordem:

99

MANUTENÇÃO/AJUSTES 1. Conectar o grampo do cabo positivo (+) das baterias auxiliares ao terminal positivo (+) das baterias da colheitadeira. Observação: Os grampos de cabos não devem fazer contato com qualquer objeto metálico. 2. Conectar o terminal negativo (-) das baterias auxiliares à estrutura da colheitadeira, longe das baterias. Fazer a conexão final na estrutura da colheitadeira. IMPORTANTE: Esse é o único método seguro para ligar o motor com uma fonte de alimentação externa. Qualquer outro método de partida pode causar ferimento ou morte do operador ou outras pessoas. Não conectar os cabos da bateria auxiliar nos terminais do motor de partida. Ligar o motor a partir do assento do operador. Após ligar o motor, desconectar os cabos da bateria auxiliar exatamente na seguinte ordem: 1. Desconectar o grampo do cabo negativo do chassi da colheitadeira. 2. Desconectar o outro grampo de cabo negativo do terminal negativo das baterias auxiliares. 3. Desconectar grampo do cabo positivo do terminal positivo nas baterias da colheitadeira e a seguir do terminal positivo nas baterias auxiliares.

100

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful