Você está na página 1de 10

CEI

Comunidade dos Estados Independentes

A CEI reúne doze das quinze Repúblicas que formaram a extinta União
Soviética. Essas Repúblicas se distribuem por uma área imensa que se estende
pelos continentes europeu e asiático. A maior parte de seu território encontra-
se na Ásia. Observe o mapa político para conhecer os integrantes da CEI:

As chamadas Repúblicas Bálticas (Estônia, Letônia e Lituânia) não


integram essa Comunidade. A CEI procura manter os vínculos econômicos que
já existiam entre as ex-Repúblicas Soviéticas, manter o uso do rublo como
moeda e centralizar as forças armadas, além de compartilhar o uso de uma
infraestrutura criada nos tempos da URSS.

Breve histórico

Vamos fazer uma rápida recapitulação de alguns eventos importantes


no histórico de formação da ex-URSS e de sua dissolução.

*março de 1917 – o czar Nicolau II é derrubado do poder através de uma


revolução conduzida pela ala moderada (mencheviques) do Partido Operário
Social-Democrata Russo (POSDR);
*novembro de 1917 – através de uma insurreição e liderados por Lênin, os
bolcheviques (ala mais radical do POSDR) assumem o poder e instalam um
governo revolucionário;
*1917-1921 – desenvolve-se uma guerra civil entre o grupo revolucionário
bolchevique (através do recém criado Exército Vermelho) e os opositores desse
regime (incluindo os mencheviques e os czaristas);
*1922 – criação da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas;
*1924 – morre Lênin e Josef Stálin assume o poder na URSS e inicia um
processo de coletivização maciça dos meios de produção;
*1936-1938 – Stálin exila e executa milhões de pessoas suspeitas de serem
opositoras ao seu regime;
*1939-1945 – a URSS participa da Segunda Guerra Mundial. Ao final dessa
guerra o número de mortos durante esse período se aproxima de 20 milhões, a
União Soviética ocupa boa parte do leste europeu e emerge como potência
mundial, líder do mundo socialista;
*Guerra Fria – a URSS disputa com os EUA a supremacia mundial e procura
expandir sua influência e o próprio mundo socialista. Nesse período se realiza a
corrida armamentista, inclusive nuclear, e a corrida espacial. São momentos
críticos nesse período a Construção do Muro de Berlim e a crise dos mísseis
nucleares soviéticos em Cuba. Ocorre ainda a repressão ao movimento anti-
soviético na Hungria (1956) e ao processo democratizante na Tchecoslováquia
(1968);
*décadas de 1960 e 1970 – a URSS alcança seu auge político e econômico e
de sua influência no mundo. Estamos na Era Bréjnev e ocorre a invasão
soviética no Afeganistão (1979);
*final da década de 1970, início da década de 80 – a União Soviética passa a
enfrentar uma crise econômica que se aprofunda rapidamente. Em 1980 a
URSS interfere na Polônia para suprimir as liberdades do Sindicato
Solidariedade. Em 1982 morre Leonid Bréjnev sucedido pelos curtos governos
de Iúri Andrópov e Konstantín Tchernenko que também faleceram no exercício
do poder. Em 1985 assume Mikhail Gorbatchov que dá início a reformas no
país.

Motivos da crise soviética


Ineficiência da economia planificada, excessivamente centralizada
Baixa produtividade e qualidade dos setores produtivos
Prioridade aos setores estratégicos comprometendo a oferta de mercadorias
para a população (falta de produtos e qualidade duvidosa)
Sistema de metas com resultados manipulados pelo Estado
Elevados gastos com a corrida armamentista e espacial
Sustentação aos aliados durante a Guerra Fria
Excesso de burocracia e corrupção

Reformas implantadas por Gorbatchov

Perestroika
(reestruturação)
procura maior eficiência na gestão da economia
procura substituir o sistema de metas pelo de produtividade
procura criar estímulos aos administradores e trabalhadores
inovações no sistema produtivo
entrada de multinacionais
permissão para associação de multinacionais com empresas soviéticas

Glasnost
(transparência)
moderação na censura interna
maior liberdade para manifestações, denúncias, críticas e sugestões
exposição dos problemas do país e da população
busca melhorar as relações externas e o fim da Guerra Fria
acordos com o Ocidente (limitação de arsenais, de gastos militares)

*agosto de 1991 – tentativa fracassada de golpe contra Gorbatchov. Boris


Iéltsin obtém projeção política e mais tarde torna-se o presidente russo;
*setembro de 1991 – com o fracasso das reformas e o enfraquecimento
político de Gorbatchov inicia-se a fragmentação da União Soviética com a
independência das Repúblicas Bálticas;
*dezembro de 1991 – a União Soviética é declarada extinta. Gorbatchov
renuncia;
*janeiro de 1992 – passa a existir a CEI.

Problemas enfrentados pela CEI

agravamento da crise econômica (falência e fechamento de empresas, redução


da produção industrial, elevação da inflação, aumento da dívida externa)
crescimento do desemprego e subemprego
redução dos salários e da expectativa de vida
crise financeira (dificuldades em se readaptar a economia de mercado e no
desenvolvimento do sistema bancário e financeiro)
insatisfação nas forças armadas (perda de prestígio internacional, dificuldades
em controlar o arsenal nuclear, sucateamento da frota naval...)
dificuldades em manter o programa espacial (falta de recursos)
ressurgimento e fortalecimento do crime organizado (máfia)

Quadro natural

Com uma área muito extensa o quadro natural da CEI é muito


diversificado. Está localizada acima do Trópico de Câncer e é cortada ao norte
pelo Círculo Polar Ártico. Seu litoral é muito extenso. A CEI é banhada pelos
oceanos Glacial Ártico e Pacífico e pelos mares Báltico, Negro, Cáspio e de Aral.
O relevo da CEI alterna extensas planícies e grandes planaltos. Na
porção européia de seu território destaca-se a Planície Russa e na porção
asiática a Planície da Sibéria Ocidental. Entre elas encontram-se os Montes
Urais. Avançando para o leste encontraremos o extenso Planalto Central
Siberiano. No sul encontram-se cadeias de montanhas como o Cáucaso, o
Pamir e o Altai.
A CEI possui muitos rios, alguns de grande extensão. Sua rede
hidrográfica pode ser usada para navegação e produção de energia. Os rios na
porção européia correm principalmente de norte para sul, desaguando nos
mares Negro e Cáspio. Destacam-se o Volga, Dnieper e Dniester. Na porção
asiática os rios correm principalmente de sul para o norte e terminam no
Oceano Glacial Ártico ou no Mar de Aral. Destacam-se os rios Obi, Ienissei,
Lena, Kolyma, Syr-Dária e Amu-Dária.
Ao redor do Mar Cáspio encontramos a Depressão Caspiana e ao redor
do Mar de Aral áreas em processo de desertificação. Trata-se de uma região de
clima mais seco e a utilização e desvio dos rios Syr-Dária e Amu-Dária para
projetos de irrigação agrícola tem levado à degradação ambiental dessa área,
desertificada e contaminada por produtos químicos.
Atravessando a CEI de norte para sul vamos observar a existência de
várias faixas climáticas. No extremo norte observamos a presença do clima
polar com a vegetação de tundra (vegetação rasteira formada por musgos e
liquens). Uma área muito extensa no centro-norte é dominada pelo clima
temperado frio (ainda rigoroso) com a Taiga (floresta boreal de coníferas), a
maior floresta do mundo. No centro-sul encontramos o clima temperado
continental, mais seco, com as estepes e pradarias. No sul, áreas desérticas
com xerófitas e estepes e nas cordilheiras o clima e vegetação de montanha.
Observe o mapa com a distribuição dos climas e vegetações no imenso
território da CEI:
Quadro humano

A Federação Russa é a República com maior população na CEI com quase


145 milhões de habitantes. No entanto, devido à sua grande extensão
territorial, apresenta baixa densidade demográfica. A distribuição da população
também é muito irregular concentrando-se no lado europeu onde os climas são
menos rigorosos, existem importantes áreas agrícolas, centros industriais,
melhor infraestrutura de transportes e proximidade do restante da Europa. O
lado asiático apresenta desertos e áreas muito geladas, as distâncias são
imensas, grandes áreas cobertas por florestas (Taiga) e um isolamento
geográfico. Encontramos uma maior concentração no lado asiático
acompanhando a Ferrovia Transiberiana.
A CEI apresenta grande variedade étnica, com predomínio de eslavos,
além de dezenas de outros grupos. Algumas minorias desejam o separatismo
ou maior autonomia interna. A unidade política interna da CEI tem sido
ameaçada pelas reivindicações e tentativas de separatismo de regiões como a
Chechênia, o Daguestão, a Abkházia e a Ossétia, ou ainda a disputa entre a
Armênia e o Azerbaijão pela região de Nagorno-Karabakh. O Stalinismo foi em
parte responsável por esse quadro atual de conflitos ao misturar forçadamente
as etnias no território da ex-URSS, favorecendo alguns grupos, prejudicando
outros.
Além de muitos ateus ou sem religião, na população da CEI registram-se
muitos cristãos da Igreja Ortodoxa e, no sul, próximo ao Oriente Médio, o
islamismo (muçulmanos). As grandes potências sentem especial preocupação
com essa região pela tentativa de ampliação de influência do Oriente Médio
sobre essas populações, pois o contrabando de armas e/ou segredos nucleares
poderia levar a uma proliferação de arsenais de destruição em massa no
conturbado Oriente Médio.
O padrão de vida caiu significativamente após a fragmentação e extinção
da URSS. Nos últimos anos a economia de algumas Repúblicas da CEI mostra
uma recuperação, mas as desigualdades regionais são grandes. Repúblicas
como Turcomenistão, Tadjiquistão são muito pobres. Observe o quadro
comparativo abaixo:

Analfabetism
Expectativa de vida Mortalidade infantil
País o
(2000-2005) %o (2000-2005)
% (2000)
Belarus 6 62,8/74,4 12,0
Cazaquistão - 59,6/70,7 42,1
Federação
6 60,0/72,5 16,8
Russa
Tadjiquistão 8 65,2/70,8 53,3
Turcomenistão - 63,9/70,4 48,6
Ucrânia 0 62,7/73,5 15,3

Quadro econômico

A CEI é rica em matérias-primas. Possui grande riqueza em madeira e


minérios, com exportação significativa. Em seu imenso território distribuem-se
muitas jazidas minerais na Ucrânia, nos Montes Urais, na região do Cáucaso,
Mar Cáspio e na Sibéria.
A agropecuária é limitada pelo clima rigoroso. Na porção asiática,
especialmente, os desertos e os longos invernos, além das áreas geladas,
comprometem a produção. Como a CEI possui um quadro clímato-botânico
semelhante ao europeu, encontramos praticamente os mesmos produtos na
agropecuária: cereais, batata, beterraba, algodão, rebanhos bovino, ovino e
aves. A produção concentra-se no lado europeu onde, além dos climas menos
rigorosos, encontra-se o fértil solo de tchernozion, rico em matéria orgânica.
A indústria desenvolveu-se mais no setor de base ou pesada (química,
mecânica, siderúrgica, naval, material ferroviário, bélica e nuclear) por
interesses do Estado Soviético. Essa indústria está distribuída pelo território
concentrando-se especialmente junto às fontes de matéria-prima e de energia.
O setor de bens de consumo nunca mereceu prioridade permanecendo com
baixa qualidade e produtividade e não é um setor competitivo no mercado
mundial. Após a fragmentação soviética e reformas para a volta ao capitalismo
a CEI tem recebido investimentos estrangeiros com a entrada e atuação de
multinacionais em seu território, além de ter realizado amplo programa de
privatização de estatais. Mas o fortalecimento do setor de bens de consumo
ainda levará tempo, além de ser necessário elevar o padrão de consumo do
cidadão da CEI que tem um baixo poder aquisitivo devido aos baixos salários.
A produção energética é grande. Além de um substancial potencial
hidrelétrico com algumas das maiores usinas do mundo, a CEI pode contar
com muito carvão, petróleo e gás natural, além da utilização da energia
nucleoelétrica. A rede de transportes está concentrada no lado europeu com
maior utilização das ferrovias e hidrovias. O transporte rodoviário não é de
grande destaque.
A Federação Russa é, sem dúvida, a de maior destaque econômico na
CEI concentrando a maior parte dos recursos naturais, uma significativa
produção agropecuária, uma das maiores produções pesqueiras do mundo e
procura fortalecer novamente seu parque industrial. A atuação do grande
capital multinacional na Rússia está aumentando, incluindo setores
estratégicos como o petróleo. A Rússia não é membro da OPEP, mas é uma
grande exportadora de petróleo e gás. Participa do G8 que reúne os sete
países mais ricos do mundo e a própria Rússia, aceita no bloco em troca da
concordância para que outras Repúblicas do antigo bloco soviético pudessem
participar da OTAN. Mas, apesar de ainda ser uma grande força militar, de
possuir muitas potencialidades naturais e humanas, a Rússia não é mais uma
grande potência econômica nesse momento. Verifique o quadro e o gráfico
com mais informações sobre a Federação Russa:

Produção
Federação Russa
anual
pesca 4.700.000 t
madeira 67.000.000 m_
carvão 159.200.000 t
gás natural 545 bilhões m_
petróleo 6.535.000 BPD
BPD – barris por dia

Federação Russa
PIB por setores - %
7,0%

38,0%
55,0%

primário secundário terciário


Saiba mais na Internet

*Extinção da URSS:
http://www.estadao.com.br/ext/diariodopassado/out/000057666.htm
http://www.estadao.com.br/ext/diariodopassado/out/000029780.htm
http://www.estadao.com.br/ext/diariodopassado/out/000021587.htm

*Federação Russa:
http://users.linkexpress.com.br/embrus/

*Ferrovia Transiberiana:
http://atipico.net/historia/1904a.htm

*Programa espacial russo:


http://atipico.net/historia/1904a.htm
http://www.estado.estadao.com.br/edicao/encarte/lua/luaahis.html

Exercícios

1 – (FUVEST) Em relação à vida econômica da antiga União Soviética


podemos afirmar:
a) os recursos naturais, os transportes, as indústrias de base e o comércio
exterior sofrem rígido controle estatal, enquanto a atividade agrícola e as
demais indústrias permanecem entregues à iniciativa privada.
b) a retenção das águas pelo congelamento hibernal e seu posterior
escoamento beneficiam a produção de energia hidrelétrica e a navegação
fluvial.
c) participavam do COMECON (Conselho para a Assistência Econômica
Mútua) órgãos coordenadores do desenvolvimento econômico em geral,
juntamente com outras nações socialistas.
d) as atividades econômicas estão mais concentradas na porção central e
oriental, como conseqüência do esforço de descentralização após a
Segunda Guerra Mundial.
e) o valor da produção agrícola é superior ao da industrial, justificando o
grande empenho no desenvolvimento das indústrias de base.

2 – (FUVEST) “Nas vastas planícies que dominam a paisagem, o


inverno rigoroso cobre o solo com uma capa de neve que, ao fundir-se
na primavera, permite a germinação de uma vegetação herbácea
extensiva que atinge seu desenvolvimento máximo no verão chuvoso,
quando intensa atividade biológica decompõe o capim morto do ano
anterior, originando muito húmus e matéria orgânica, que conferem
aos solos uma cor escura e muita fertilidade.”
A descrição refere-se:
a) às tundras
b) às estepes
c) às savanas
d) ao sahel
e) à taiga
3 – (FEI-2000) A desagregação da União Soviética levou ao
ressurgimento de lutas nacionalistas dentro do território. A onda de
atentados terroristas na Rússia no segundo semestre de 1999
reascendeu um conflito entre o país e um pequeno território que luta
pela independência. Esse território, que vem sendo atacado
sistematicamente pelo governo russo é o (a):
a) Bósnia
b) Tchetchênia
c) Sérvia
d) Kosovo
e) Azerbaidjão

4 – (FUVEST) Analisando as transformações ocorridas na ex-URSS,


pode-se considerar que a Federação Russa:
a) atrai maciços investimentos estrangeiros, devido ao seu elevado ritmo
de crescimento econômico.
b) tem dificuldade em transferir a tecnologia desenvolvida no setor militar
para a produção industrial do setor civil da economia.
c) ainda figura entre as cinco maiores potências econômicas do globo, em
razão de sua moderna agricultura destinada à exportação.
d) completou o processo de privatização no país, porque suas empresas
estatais eram rentáveis e competitivas no mercado.
e) Conseguiu construir sua identidade nacional, com a saída das demais
Repúblicas que constituíam a URSS.

5 - Leia atentamente as afirmativas abaixo sobre a Rússia na


década de 1990 e assinale a alternativa que reúne aquelas que
estejam corretas:

I- Após a dissolução da URSS percebe-se uma queda


no padrão de vida de sua população com o
aumento do desemprego e subemprego, queda da
renda e da expectativa de vida.

II- A perda de prestígio no setor militar é evidenciada


pelo sucateamento de suas forças armadas, pelas
dificuldades de manutenção de sua armada, pela
insatisfação dos efetivos militares (baixos salários
e sobrevivência através do subemprego)
apresentando como fator gerador dessa situação a
falta de recursos para esse setor com o fim da
Guerra Fria.

III- Observa-se também um fortalecimento do crime


organizado na Rússia, objeto de preocupação do
serviço secreto, aliviado das preocupações como a
Guerra Fria e conflitos étnicos e religiosos, já
solucionados nesse país.
a) todas estão corretas
b) apenas a I e II estão corretas
c) apenas a II e III estão corretas
d) apenas a I e III estão corretas
e) nenhuma está correta

Respostas

1 – C
2 – B
3 – B
4 – B
5 – B