Você está na página 1de 4

Direcção Regional de Educação do Norte

ESCOLA SECUNDÁRIA D. AFONSO SANCHES – VILA DO CONDE

TESTE DE AVALIAÇÃO DE PORTUGUÊS – 10-º ANO

GRUPO I
Lê com atenção o poema de Camões e responde ao questionário.

Ah! minha Dinamene! Assim deixaste


Quem não deixara nunca de querer-te!
Ah! Ninfa minha, já não posso ver-te,
Tão asinha esta vida desprezaste!

Como já pêra sempre te apartaste


De quem tão longe estava de perder-te?
Puderam estas ondas defender-te
Que não visses quem tanto magoaste?

Nem falar-te somente a dura Morte


Me deixou, que tão cedo o negro manto
Em teus olhos deitado consentiste!

Ó mar! Ó céu! Ó minha escura sorte!


Que pena sentirei que valha tanto,
Que inda tenha por pouco viver triste?

Luís de Camões
I

1. O poema pode ser dividido em três partes lógicas. Delimita-as e apresenta uma frase que
sintetize cada uma delas.

2.O sujeito poético interpela o «tu».


2.1 Refere a acusação que lhe é dirigida.
2.1.1 Transcreve expressões que fundamentem a resposta.

3. Refere os sentimentos que dominam o sujeito poético.

4.Mostra a possibilidade de se caracterizar este poema como autobiográfico, baseando-te em


elementos linguísticos e na vida atribulada de Camões.

5. Encontra exemplos dos seguintes recursos estilísticos: perífrase; metáfora; apóstrofe.

6. Procede à análise formal do poema, incluindo a escansão do primeiro verso.

II

2. No poema, o sujeito poético refere-se ao passado, ao presente e ao futuro.


2.1 Selecciona do texto formas verbais que fundamentem a afirmação anterior.

3. «que tão cedo o negro manto» / «Em teus olhos deitado consentiste» (vs. 10-11).

3.1 Identifica o sujeito e o complemento directo na oração transcrita.


III

Observa cuidadosamente os auto-retratos:

A.Paula Modesohn-becker,
Auto-retrato com uma camélia,1906 B. Marianne Von Werefkin,
Auto-retrato, 1910

1.Tendo em conta os mecanismos linguísticos da coesão e da coerência, completa os


textos que se seguem, descrições de cada um dos auto-retratos, com as palavras dadas em
baixo.
Auto-retrato A
“Auto-retrato com uma Camélia faz parte daquilo que a introspecção
artística produziu de melhor, introspecção essa que será sempre capi-
tal para o pintor. Ao mesmo tempo, o pequeno quadro testemunha o
seu conhecimento das reproduções dos__________________ [a] que
ornamentam os caixões das múmias egípcias dos séculos II a IV da
nossa era, tão impressionantes com os seus enormes___________[b]
pintados, os seus rostos claramente_________________ [c], as suas
_______________________[d] reduzidas e a sua expressão mística
_________________[e]. Para além destas considerações arcaizantes,
Modersohn-Becker acentua o _____________________[f ] de cores
nitidamente delimitadas entre os tons sonoros de_____________ [g]
da figura em busto vista de___________________ [h] e colocada na
sombra e o_____________ [i] do plano de ___________________[j]
que irradia em redor da sua cabeça como uma ________________[k].
O ramo de__________________ [l] que a artista coloca de maneira
demonstrativa no eixo mediano é considerado como um símbolo de
_______________[m] e de________________ [n].

WOLF, Norbert, 2005. Expressionismo. Colónia: Taschen-Público


(trad. Maria do Rosário Paiva Boléo) (texto adaptado)
Auto-retrato B
A atitude_____________ [o], os traços____________ [p],
o ___________[q] extravagante dizem muito sobre a persona-
lidade da pintora, uma mulher _____________[r] e com grande
experiência do mundo. As cores ____________[s] aplicadas em
grandes pinceladas e os__________ [t] que rodeiam as formas
revelam as influências artísticas essenciais para Werefkin: a dos
Nabis, evidentemente, mas também a da “pintura da alma” de
Edvard Münch. Partindo destas premissas, o auto-retrato exalta as
____________[u], baseadas em_______________ [v] brilhantes
para atingir uma veemência tipicamente expressionista.

WOLF, Norbert, 2005. Expressionismo. Colónia: Taschen-Público


(trad. Maria do Rosário Paiva Boléo) (texto adaptado)

fundo rostos formas auréola


fecundidade chapéu energética camélias
estruturados contrastes azul-claro inteligente
contraste contornos olhos cores
frente crescimento marcantes
enigmática castanho vivas

IV

Num texto bem organizado, de cento e vinte a cento e oitenta palavras,


mostra como Camões, apesar de autor da Renascença, soube aproveitar a tradição do
lirismo peninsular. Deves enriquecer a tua resposta com referências a leituras que
fizeste da poesia camoniana.

Cotações: