Relatório II

Aula prática 3

Observação de estruturas celulares em amostras de tecido de cebola (Allium cepa)

Disciplina: Citologia Professor: Dr. José Aliçandro Bezerra da Silva

18

A invenção do microscópio. facilmente destacável e constituída por uma só camada de células (FREITAS. Na superfície côncava de cada uma dessas túnicas existe uma epiderme. a cebola é alimento. brancas. O azul de metileno é usado como um corante para um gra nde número de diferentes procedimentos de coloração. armazenados em grande quantidade nesse compartimento (FREITAS. começou a revelar à humanidade o mundo minúsculo das células e dos microorganismos. 19 . Introdução Uma das hortaliças mais cultivadas e antigas do mundo.1. verdes. e Jenner. Wright. Apresenta um bulbo tunicado de tamanho variável. Planta de textura herbácea. marrons ou roxas. 2003). evidencia os elementos celulares em preparações extemporâneas e cora amiloplastos. azul de metileno pode também ser usado para examinar RNA ou DNA sob o microscópio ou em um gel. que podem ser amarelas. Com isso. que acumulam material de reserva. tempero e remédio. e emite raízes fasciculadas e pouco profundas. Os estudos continuaram e os microscópios foram sendo gradativamente aperfeiçoados. ela apresenta folhas cilíndricas. formado por camadas sobrepostas e concêntricas das bainhas das folhas. macias e aromáticas. tais como as colorações de Gram. O soluto de Lugol. O caule verdadeiro está localizado na extremidade inferior do bulbo. obtiveram-se imagens cada vez mais nítidas do mundo mi croscópico. cerca de 400 anos atrás. uma película. ou seja. ocas. que permitiam observações e descrições mais rigorosas. 2003). por sua vez. já que possui afinidade com a estrutura dos grãos de amido. carnosas e suculentas. O bulbo é recoberto exteriormente por membranas delgadas e secas. Desde que ele é uma técnica de coloração temporária.

f. j. Repetir o processo acima. substituindo o azul de metileno por solução de Lugol. Aguardar 5 minutos. retirar a película e a lavar com água destilada. g.2. d. Materiais e métodos a. Procedimento Observação de núcleos celulares: retirar camada externa (seca) do bulbo da cebola e realizar um corte fino longitudinalmente. Colocar a película no vidro de relógio e gotejar azul de metileno em cima. Puxar com a pinça a camada superficial contrária a extremidade. retirando uma película extremamente fina. para observação de aminoplastos. b. 3. Objetivo A partir do uso do microscópio ótico e das atividades de diferentes estruturas celulares. analisando a estrutura. h. Visualizar o material no microscópio. c. i. o experimento tem por objetivo conhecer e identificar algumas estruturas celulares que fazem parte das células de tecido de cebola ( Allium cepa). Colocar a película em uma lâmina e cobrir com uma lamínula. 20 . Microscópio ótico Lâminas Lamínulas Estilete Pinça Vidro de relógio Água destilada Papel toalha Cebola Corantes: azul de metileno (3mg/L) e solução de Lugol 4. e.

tais como: Epiderme: Reveste as partes tenras da planta. parece uma coberta continua de células vivas. Existem sobre tudo em caules subterrâneos (tubérculos). este é chamado de nucleóide ou núcleo procarionte. raízes e sementes . apresentando estrutura microfibrilar e uma matriz. aclorofiladas (incolores). Amiloplastos: são organitos celulares especializados no armazenamento de amido (amilose + amilopectina) acumulando -o em grãos de vários tamanhos. onde armazena informações hereditárias presentes em todas as células. Resultados e discussões A observação do bulbo da cebola em cortes longitudinais extremamente finos proporcionou uma percepção de distintos componentes celulares. O núcle o se diferencia do nucleóide pela presença pela presença da carioteca e pela complexidade Parede celular: É uma estrutura que envolve as células de muitos seres vivos. A parede celular é uma organela multifuncional envolvida com a proteção e forma celular. várias bactérias. É encontrada em células vegetais. ligações moléculas do meio (atividade receptora). tais como fungos. realização de atividades enzimáticas especializadas e interações celulares. Núcleo: estrutura central. algas e plantas verdes. 21 . Nas células eucariontes o núcleo é chamado realmente de núcleo. É impermeabilizada pela cutícula (camada de cutina que recobre a epiderme) cuja espessura depende das condições ambientais em que a planta se encontra. sendo uma camada depositada externamente em células vegetais.5. enquanto nas células procar iontes.

citoplasma 22         .objetiva 10x ± epiderme da cebola sem corantes objetiva 40x ± epiderme da cebola sem corantes objetiva 10x ± epiderme com az l de metileno 1 ± núcleo 2 ± parede cel lar objetiva 40x ± epiderme com az l de metileno 3 ± citoplasma objetiva 10x ± epiderme com sol ção de Lugol 1 ± núcleo 2 ± parede celular 3 ± amiloplastos objetiva 40x ± epiderme com solução de Lugol 4 .

6. 3 . uma substância de reserva das células vegetais.Que requisitos devem apresentar os materiais para análise em microscópio comum? Uma amostra deve ser extremamente fina. O corante azul de metileno nos permite a observação dos núcleos. Conclusão Por esse experimento.Por que tivemos que utilizar um corante nesse tipo de preparação? Os corantes absorvem certos comprimentos de luz visível e tem afinidade por determinados constituintes. Questionário 1 . facilitando a visualização do s componentes 23 . É ainda de salientar a observação da parede e membrana celular. citoplasma e núcleo (exce to os procariontes que têm um pseudo-núcleo). como membrana celular. Conclui-se assim.O que é coloração vital? Quais as vantagens do seu uso? Coloração vital é a utilização de um corante para identificar célul as ou partes de células vivas. e membrana nuclear. Com o uso do soluto de Lugol é possível evidenciar os amiloplastos. 2 . parede celular no caso de plantas e procariontes. permitindo a passagem da luz. citoplasma. que são vesículas de armazenamento de amido. celulares. que todos os seres vivos são formados por uma ou várias células e que estas têm constituintes básicos iguais. 7. apresentando um bom contraste. pode-se estudar com precisão o material solicitado. podemos verificar que cada corante a tua de modo diferente na célula. além de requerer que certas regiões absorvam mais luz que outras.

Jardineiro. L.ufsm. 2009 AZUL de metileno. Eduardo.jardineiro. Rio de Janeiro: 8ª ed. 2009 24 . JUNQUEIRA.php?option=com_content&task=view&id=161&Itemid= 103> Acesso em: 15 set.net.net/br/banco/allium_cepa. 2009. 2005 CEBOLA ± Allium cepa.wikipedia.org/index. Disponível em: <http://www. Apostila de práticas de morfologia vegetal. a enciclopédia livre. Disponível em: <http://www.8. Guanabara. 2009 SALAMONI. Origem: Wikipédia. Wikipedia. Funchal: Escola Secundária Francisco Franco. Disponível em: <http://pt. Observação de células a epiderme do bulbo da cebola (Allium cepa). Universidade Federal de Santa Maria Cesnors.br/professores/adrisalamoni/Apostila%20PRATICAS%20D E%20MORFO%20VEGETAL%20012008. Projeto viver com saúde . Referências bibliográficas FREITAS. OBSERVAÇÃO de célula vegetal (epiderme do bulbo da cebola). Adriana.org/wiki/Azul_de_metileno > Acesso em: 15 set.pdf> Acesso em: 15 set. Biologia Celular e Molecular. N.php > Acesso em: 15 set. CARNEIRO J.sroque. Disponível em: <http://www.. out 2003. C.cesnors. 5.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful