P. 1
DISSERTAÇÃO - Direitos Fundamentais

DISSERTAÇÃO - Direitos Fundamentais

3.0

|Views: 1.655|Likes:
Publicado porLuciana Albuquerque

More info:

Published by: Luciana Albuquerque on Jun 10, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/07/2012

pdf

text

original

Aluna: Maria Luciana Freitas de Albuquerque Curso: Direito Disciplina: Direito Constitucional II Prof.

: Gabriel Prado Leal DISSERTAÇÃO DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS E SUAS CARACTERÍSTICAS

O Título II da Constituição Federal Brasileira de 1988 dispõe dos direitos e garantias fundamentais, classificados em direitos e deveres individuais e coletivos, direitos sociais, direitos de nacionalidade, direitos políticos e partidos políticos. Tais direitos estão em posição de destaque, de forma a embasar todo o ordenamento jurídico. Antes de qualificar ou pontuar as principais características dos direitos e garantias fundamentais, objetivo deste texto, vale mencionar a evolução histórica desses direitos, dividida em quatro gerações, a saber:

Direitos Humanos de Primeira Geração – originários das Declarações Americana (1776) e Francesa (1789). Refletem-se no direito de liberdade. Direitos de liberdades públicas e direitos políticos, ou seja, direitos civis e políticos. Direitos Humanos de Segunda Geração – advindos da Revolução Industrial européia, a partir do século XIX. Privilegia os direitos sociais, culturais e econômicos, correspondendo aos direitos de igualdade. Direitos Humanos de Terceira Geração – devido ao crescimento tecnológico e científico, surgem preocupações com a preservação do meio ambiente e a proteção dos consumidores. O ser humano vive em coletividade e passa a ter direitos de solidariedade. Direitos Humanos de Quarta Geração – estes se referem ao avanço na engenharia genética, quando coloca em risco a própria existência humana, por meio do patrimônio genético.

Os direitos e garantias fundamentais apresentam diversas características, dentre elas a historicidade, a fundamentalidade, a universalidade, a alienabilidade, irrenunciabilidade, a indivisibilidade, etc. Quanto à historicidade, o reconhecimento dos direitos fundamentais é feito pela história das diversas sociedades, sendo aperfeiçoados e criados novos direitos, conforme concepção da teoria evolucionista. Alguns doutrinadores também fazem referência ao Cristianismo, quanto à origem dos direitos fundamentais.
1

Isto pode ser demonstrado pelo §2º do art. inesgotável. nacionalidade. a fim de que não diminua a amplitude e implementação dos direitos fundamentais. de forma a promover a dignidade da pessoa humana. ou seja. a relatividade. de acordo com o entendimento doutrinário dominante e estão em evidência no ordenamento jurídico atual. Encontram-se no rol das matérias constitucionais e seu processo de reforma é bem dificultado. A CF/99 em seu artigo 5º. Outro ponto relevante a ser mencionado é a inalienabilidade dos direitos fundamentais. onde estes são aptos a incidir quando alegados pelos interessados. Uma vez conflituosos. ou seja. Podem ser acrescidos a este catálogo novos direitos. Contudo. O catálogo de direitos fundamentais é inexaurível. não deveria deixar de se fazer alusão a uma das características mais importantes dos direitos fundamentais. pois são irrenunciáveis. Por fim. devendo-se aplicar o critério de proporcionalidade para efetivar a concordância prática ou harmonização e minimizar o prejuízo dos direitos fundamentais envolvidos. o fato de existir direitos destinados a todas as pessoas. §1º dispõe da aplicabilidade imediata ou direta dos direitos fundamentais. aplica-se o princípio da proporcionalidade e razoabilidade. Esses direitos destinam-se a todos os seres humanos de modo indiscriminado. Não há hierarquia entre tais direitos. Essas são as principais características dos direitos fundamentais. pois o significado de um mesmo direito pode ser diferente em contextos sociais diversos. O sujeito também não pode se esquivar desses direitos. É necessário mencionar também que a colisão ou a concorrência dos direitos fundamentais não podem acarretar o sacrifício definitivo de algum deles. ou caberá ao intérprete ou magistrado. A resolução ou vem discriminada na própria Constituição. sexo. sobretudo. considerando a regra da máxima observância dos direitos fundamentais envolvidos. como é o caso do direito de propriedade versus desapropriação. Esta característica está aludida a positividade e constitucionalidade. são indisponíveis e não se pode aliená-los por não terem conteúdo econômico-patrimonial. não caracteriza uma uniformidade absoluta. 2 . a evitar que um direito se sobressaia ao outro. indiferentemente de raça. Isso reflete a limitabilidade dos direitos fundamentais quanto a sua aplicação frente ao conflito de interesses. advindos de abertura externa (tratados e declarações internacionais) e abertura interna (direitos expressos ou implícitos na Constituição Federal). dá-se muita importância aos valores supremos do ser humano. decidir qual direito deverá prevalecer. como tais direitos são conferidos a todos.Os direitos e garantias fundamentais são considerados a base do ordenamento jurídico. o que caracteriza sua fundamentalidade. estabelecendo a sua universalidade. Assim. 5º da CF/88.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->