P. 1
NBR ISO IEC 17000 - 2005

NBR ISO IEC 17000 - 2005

|Views: 3.850|Likes:
Publicado pormarcoffy

More info:

Published by: marcoffy on Feb 09, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/25/2015

pdf

text

original

Cópia não autorizada

NORMA BRASILEIRA

ABNT NBR ISO/IEC 17000
Primeira edição 30.09.2005 Válida a partir de 31.10.2005

Avaliação de conformidade — Vocabulário e princípios gerais
Conformity assessment – Vocabulary and general principles

Palavras-chave: Avaliação de conformidade. Vocabulário. Princípios. Descriptors: Conformity assessment. Vocabulary. Principles. ICS 01.040.03; 03.120.20

Número de referência ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 18 páginas ©ABNT 2005

Cópia não autorizada

ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005

© ABNT 2005 Todos os direitos reservados. A menos que especificado de outro modo, nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida ou por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia e microfilme, sem permissão por escrito pela ABNT. Sede da ABNT Av.Treze de Maio, 13 - 28º andar 20031-901 - Rio de Janeiro - RJ Tel.: + 55 21 3974-2300 Fax: + 55 21 2220-1762 abnt@abnt.org.br www.abnt.org.br Impresso no Brasil

ii

©ABNT 2005 - Todos os direitos reservados

...........................................5 Anexo A (informativo) Princípios de avaliação de conformidade .............................................................1)............................................................................................................................................................................................................iv 0 1 2 3 4 5 6 7 Introdução..............................................................17 ©ABNT 2005 ................v Objetivo ......................................................................3 Termos de avaliação de conformidade relativos à seleção e determinação (ver figura A........................................................................5 Termos relativos à avaliação de conformidade e facilitação de comércio .........................................................................1) .................8 Anexo B (informativo) Termos relacionados definidos em outros documentos............................................................................15 Índice alfabético.........................................................................................................4 Termos de avaliação de conformidade relativos à supervisão (ver figura A...1 Termos básicos ..........................................................................................................................3 Termos de avaliação de conformidade relativos à análise crítica e atestação (ver figura A..................................................1) ..........................1 Termos relativos à avaliação de conformidade em geral...................................................................................................................................................................Todos os direitos reservados iii ..........................Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 Sumário Página Prefácio.......................13 Bibliografia ...........................

Esta Norma contém os anexos A e B. de 31. iv ©ABNT 2005 . com o número de Projeto 25:000. consumidores e neutros (universidades. cujo conteúdo é de responsabilidade dos Comitês Brasileiros (ABNT/CB). são elaboradas por Comissões de Estudo (CE).Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 Prefácio Nacional A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) é o Fórum Nacional de Normalização. pela Comissão de Estudo de Avaliação de Conformidade (CE-25:000. laboratórios e outros). Esta Norma é equivalente à ISO/IEC 17000:2004.04-012.Todos os direitos reservados . A ABNT NBR ISO/IEC 17000 foi elaborada no Comitê Brasileiro da Qualidade (ABNT/CB-25). As Normas Brasileiras. formadas por representantes dos setores envolvidos. de caráter informativo. dos Organismos de Normalização Setorial (ABNT/ONS) e das Comissões de Estudo Especiais Temporárias (ABNT/CEET).04). delas fazendo parte: produtores.05.2005. O Projeto circulou em Consulta Nacional conforme Edital nº 05.

achou-se útil esclarecer. a terminologia empregada naqueles documentos permanece válida em seu contexto. tais como ensaio. refletem a adoção em novembro de 2001. pelo CASCO. 0. com definições específicas para o campo de aplicação em questão. Em 2000.3 Uma abordagem por função da avaliação de conformidade Os termos e definições especificados nesta Norma. Até que as publicações preexistentes do CASCO sejam revisadas. tais como acreditação. ao invés disso. metrologia. em particular nas seções 4 e 5. a título de informação. as Normas Internacionais. uma descrição da abordagem por função é apresentada no anexo A.Todos os direitos reservados v . o ABNT ISO/IEC Guia 2. Esta Norma não define os limites da avaliação de conformidade. Outros. normalização e estatística. o CASCO decidiu eliminar a terminologia de avaliação de conformidade (seções 12 a 17) do ABNT ISO/IEC Guia 2 e prover. Alguns também aparecem em vocabulários de outras normas. são encontrados na Norma ou Guia relativos àquela atividade. como um quadro consistente dentro do qual conceitos mais específicos podem ser definidos apropriadamente e denotados pelos termos mais apropriados. um vocabulário próprio. Tais conceitos não estão incluídos nesta Norma. Os termos adicionais empregados para conceitos únicos relativos a atividades particulares que fazem parte da avaliação de conformidade. relativos a vários conceitos mais amplos. certificação de pessoas e marcas de conformidade. Muitos dos termos gerais empregados para distinguir os conceitos de avaliação de conformidade são usados na linguagem comum em um sentido mais amplo ou com um campo de significado maior. Estes permanecem elásticos. mais recentemente. inspeção e diversas formas de certificação.1 Termos e definições aplicáveis à avaliação de conformidade Os Guias ISO e ISO/IEC e. incluiu um vocabulário básico para a avaliação de conformidade.2 Termos e definições aplicáveis à política comercial A seção 7 inclui alguns termos e definições retirados principalmente de seções superadas do ABNT ISO/IEC Guia 2. Estes não se destinam apenas a normalizar o uso dentro da comunidade da avaliação de conformidade. revisado pela última vez em 1996.4 Seleção dos termos e definições Alguns dos termos incluídos nesta Norma se referem a conceitos considerados como essenciais a serem definidos. mas também a ajudar àqueles que estabelecem políticas preocupados com a facilitação do comércio dentro de uma estrutura regulatória e de tratados internacionais. 0.Definições. tais como sistemas de gestão. recomendada no início daquele ano no relatório final de um grupo de trabalho conjunto CASCO – CEN/CENELEC TC 1. A avaliação de conformidade interage com outros campos. mais facilmente aplicável na série de normas ABNT NBR ISO/IEC 17000 e na redação ou revisão dos guias relacionados. 0. desenvolvido a partir de um pequeno número de termos e definições compilados pela primeira vez para facilitar a comunicação e a compreensão sobre a certificação de produto com base em normas para os tradicionais produtos manufaturados. são elaborados por grupos de trabalho do Comitê ISO/CASCO para avaliação de conformidade.Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 0 Introdução 0. da abordagem por função. preparou esta Norma consultando outros grupos de trabalho ativos do CASCO. O Grupo de Trabalho WG 5 do CASCO . ©ABNT 2005 . Para permitir uma melhor compreensão dos conceitos definidos. relacionados de forma genérica às atividades de avaliação de conformidade. do seu agrupamento e relacionamento. Por muitos anos. esta Norma não é destinada a ser aplicada de forma retroativa.

de forma geral. 0. teria sido igualmente aplicável à certificação de pessoas.Todos os direitos reservados . O conceito de “avaliação de conformidade” refere-se ao “atendimento de requisitos especificados”.2 e 3. tal como é especificado na ABNT NBR ISO/IEC 17024.2) é usado para a atividade de comunicar a garantia através da emissão de uma “afirmação de conformidade”.inmetro. A definição mais específica do ABNT ISO/IEC Guia 2 de uma organização como um organismo baseado em associação não se aplica ao campo da avaliação de conformidade. considerando que não é preciso fazê-lo. aplicáveis no contexto da avaliação de conformidade. (Seria mais lógico que o “sujeito” fosse a organização que efetua a avaliação). a expressão genérica usada no ABNT ISO/IEC Guia 2 para o “sujeito da normalização”. O termo “conformidade” não aparece na definição de “avaliação de conformidade”. as Notas 2 a 2. Normas definindo outros termos pertinentes são apresentadas no anexo B com listas alfabéticas separadas. O termo “acreditação” é agora aplicável somente à atestação relativa a um organismo de avaliação de conformidade.3. Acompanhando essa mudança. como nas definições da ABNT NBR ISO 9000. A definição no ABNT ISO/IEC Guia 2.5 Mudanças de terminologia Chama-se atenção para mudanças significativas nos termos ou em suas definições nas seções superadas do ABNT ISO/IEC Guia 2. já que ambas são usadas extensivamente em outras definições. 1) NOTA DA TRADUÇÃO: Este documento pode ser visto no site do INMETRO: www. sistema. processo ou serviço”. o termo “atestação” (5. As definições da ABNT NBR ISO 9000:2000 para os termos “procedimento” e “produto” são reproduzidas em 3.3) inclui serviços como uma categoria de produto. A definição da ABNT NBR ISO 9000 de “produto” (3.br/infotec/vim/asp vi ©ABNT 2005 . como definido em outras normas da série ABNT NBR ISO/IEC 17000. por outro lado. Aparecem em primeiro lugar os termos aplicáveis a aspectos específicos de avaliação de conformidade. não ao conceito mais amplo de “conformidade”. Os termos mais específicos relativos à acreditação são definidos na ABNT NBR ISO/IEC 17011. os termos “organismo de avaliação de conformidade” (2. assim não é mais correto referir-se a “produtos e serviços”. Aparecem em segundo lugar os termos para os quais as definições dadas no Vocabulário Internacional de Termos Fundamentais e Gerais de Metrologia (VIM)1) ou na ABNT NBR ISO 9000 são.1) é incluída. Ao invés de “produto.5) e “organismo de acreditação” (2. processo.1 introduzem a expressão “objeto da avaliação de conformidade” como uma maneira de se referir a produto. o termo “organização” é usado em seu sentido geral. Entretanto.gov.Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 Um índice alfabético lista os termos definidos nesta Norma.6) são definidos separadamente. pessoa ou organismo aos quais a avaliação de conformidade se aplica. Para evitar ambigüidades. Esta Norma não inclui uma definição de “conformidade”. o termo “organismo” é usado nesta Norma somente quando se refere a organismos de avaliação de conformidade ou organismos de acreditação. Uma definição do termo “requisito especificado” (3. Ao invés de “garantia da conformidade”.

Um termo numa definição ou nota que é definido em uma outra entrada é indicado em negrito. Tais termos podem ser substituídos por sua definição completa.3). Em certos. Esta Norma não visa fornecer um vocabulário para todos os conceitos que podem ser necessários para a descrição de atividades particulares de avaliação de conformidade. 2 Termos relativos à avaliação de conformidade em geral 2.1 avaliação de conformidade demonstração de que os requisitos especificados (3. organismos de avaliação de conformidade e seus organismos de acreditação. NOTA 2 A expressão “objeto de avaliação de conformidade” ou “objeto” é usada nesta Norma para abranger qualquer material. sistema.5).3) e certificação (5. tanto nos contextos voluntários quanto regulamentares. ou notas adicionais podem ser dadas.3). seguido por seu número de referência entre parênteses. ou onde uma definição padrão existente não é aplicável. inspeção (4. as notas podem diferir nas diferentes línguas por razões lingüísticas. esta segunda oração não é aplicável. 2) NOTA DA TRADUÇÃO: Para os efeitos desta Norma Brasileira. como uma ajuda adicional para compreensão entre os usuários da avaliação de conformidade.5).2 atividade de avaliação de conformidade por primeira parte atividade de avaliação de conformidade realizada pela pessoa ou organização que fornece o objeto NOTA As denominações primeira.6) de organismos de avaliação de conformidade (2. pessoa ou organismo particulares aos quais a avaliação de conformidade é aplicada.2).Todos os direitos reservados 1 . tais como ensaio (4. com um índice alfabético. NOTA 1 As notas incluídas em certas definições visam esclarecer ou dar exemplos para facilitar o entendimento dos conceitos descritos.1) relativos a um produto (3. sistema. Termos e definições só são dados onde o conceito definido não seria compreensível a partir do uso lingüístico genérico do termo. pessoa ou organismo são atendidos NOTA 1 O domínio da avaliação de conformidade inclui atividades definidas em outros locais nesta Norma. O anexo A inclui uma descrição da abordagem por função da avaliação de conformidade. 2. processo. instalação. processo. bem como acreditação (5.2) NOTA 2 Os termos e definições são dispostos em uma ordem sistemática. não devem ser confundidas com a identificação jurídica das partes relevantes de um contrato. ©ABNT 2005 . incluindo a acreditação de organismos de avaliação de conformidade e o uso da avaliação de conformidade para facilitar o comércio. utilizadas para caracterizar atividades de avaliação de conformidade em relação a um certo objeto. produto. Um serviço é coberto pela definição de um produto (ver Nota 1 em 3. segunda e terceira parte.Cópia não autorizada NORMA BRASILEIRA ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 Avaliação de conformidade — Vocabulário e princípios gerais 1 Objetivo Esta Norma especifica termos gerais e definições relativos à avaliação de conformidade.

Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 2.Todos os direitos reservados .8 esquema de avaliação de conformidade programa de avaliação de conformidade sistema de avaliação de conformidade (2. 2. 2. NOTA 2 Ver Nota em 2.9 acesso acesso a um sistema ou esquema oportunidade para um solicitante obter uma avaliação de conformidade (2.6 organismo de acreditação organismo autorizado a executar a acreditação (5.6) NOTA A autoridade de um organismo de acreditação é geralmente oriunda do governo.7) relativo a objetos especificados da avaliação de conformidade. procedimentos (3. NOTA 2 Ver Nota em 2.2) se aplicam NOTA Esquemas de avaliação de conformidade podem ser operados em nível internacional.5 organismo de avaliação de conformidade organismo que realiza os serviços de avaliação de conformidade NOTA Um organismo de acreditação (2.6) não é um organismo de avaliação de conformidade.3 atividade de avaliação de conformidade por segunda parte atividade de avaliação de conformidade realizada por uma pessoa ou uma organização que tem interesse de usuário no objeto NOTA 1 Pessoas ou organizações que realizam atividades de avaliação de conformidade por segunda parte incluem. regional. regional.1). por exemplo.2) e gestão para realizar a avaliação de conformidade (2.1) NOTA Os sistemas de avaliação de conformidade podem ser operados em nível internacional.2. nacional ou subnacional. e de interesse do usuário nesse objeto NOTA 1 Critérios relativos à independência dos organismos de avaliação de conformidade e dos organismos de acreditação são fornecidos nas Normas e Guias aplicáveis às suas atividades (ver Bibliografia).4 atividade de avaliação de conformidade por terceira parte atividade de avaliação de conformidade realizada por uma pessoa ou uma organização que é independente da pessoa ou da organização que fornece o objeto. ou clientes potenciais que procuram confiar em um sistema de gestão do fornecedor. regras específicas e procedimentos (3. 2.7 sistema de avaliação de conformidade regras.2. 2. 2. 2. compradores ou usuários de produtos.1) sob as regras do sistema ou esquema 2 ©ABNT 2005 . ou organizações que representam esses interesses. para os quais os mesmos requisitos especificados (3. nacional ou subnacional.

2 procedimento forma especificada de executar uma atividade ou um processo [ABNT NBR ISO 9000:2000. software (por exemplo.2) 4. ©ABNT 2005 . hardware (por exemplo. software.2 pode ser considerada como um produto da atestação (5. hardware ou material processado em função do elemento dominante. programa de computador. normas e especificações técnicas. O produto é então chamado de serviço. de acordo com um procedimento (3. produtos ou processos.11 membro membro de um sistema ou esquema organismo que opera sob as regras aplicáveis e que tem a oportunidade de participar na gestão do sistema ou do esquema 3 Termos básicos 3.2] NOTA 1 Quatro categorias genéricas de produto são definidas na ABNT NBR ISO 9000:2000: serviços (por exemplo.4. NOTA 2 A afirmação de conformidade descrita na Nota 1 de 5. tais como regulamentos.10 participante participante em um sistema ou esquema organismo que opera sob regras aplicáveis sem ter a oportunidade de participar na gestão do sistema ou do esquema 2. 3. dicionário).Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 2.1 amostragem fornecimento de uma amostra do objeto da avaliação de conformidade. lubrificante). Muitos produtos são constituídos de elementos pertencentes a diferentes categorias genéricas de produto. de acordo com um procedimento (3.2 ensaio determinação de uma ou mais características de um objeto de avaliação de conformidade.2). motor. materiais processados (por exemplo. parte mecânica).2) NOTA O termo “ensaio” se aplica tipicamente a materiais. 4 Termos de avaliação de conformidade relativos à seleção e determinação (ver figura A. 3.Todos os direitos reservados 3 .5] 3.4.1) 4. transporte).1 requisitos especificados necessidade ou expectativa que é expressa NOTA Requisitos especificados podem estar expressos em documentos normativos. 3.3 produto resultado de um processo [ABNT NBR ISO 9000:2000.

de registro. da tecnologia e da metodologia. para obter registros. ou por candidatos a esse grupo de acordo (7.3 escopo da atestação amplitude ou características de objetos de avaliação de conformidade cobertos pela atestação (5.1) por representantes de outros organismos que fazem parte de um grupo de acordo (7. designada nesta Norma como “afirmação da conformidade”. NOTA 2 Certificação é aplicável a todos os objetos de avaliação de conformidade. processos. 4. produto (3. em si.1).10) 5 Termos de avaliação de conformidade relativos à análise crítica e atestação (ver figura A.4 a 5. processo ou instalação e determinação de sua conformidade com requisitos específicos ou. alguma garantia contratual. afirmações de fatos ou outras informações pertinentes e avaliá-los de maneira objetiva para determinar a extensão na qual os requisitos especificados (3.4 auditoria processo sistemático. dos requisitos especificados (3. Para atestação da conformidade por segunda parte.4 declaração atestação (5.1) foi demonstrado NOTA 1 A afirmação resultante. de que o atendimento aos requisitos especificados (3.Todos os direitos reservados .6. independente e documentado. por um objeto de avaliação de conformidade. 5. Tal garantia não procura.2) relativa a produtos. NOTA 2 As atividades de atestação da conformidade por primeira e terceira partes se distinguem pelas definições de 5. o termo “avaliação” se aplica aos organismos de avaliação de conformidade. com base no julgamento profissional. não existe termo particular disponível.5 avaliação entre pares avaliação de um organismo em relação a requisitos especificados (3.6) se aplica.1 análise crítica verificação da pertinência.2 atestação emissão de uma afirmação. jurídica ou outra. exceto aos próprios organismos de avaliação de conformidade (5.2) 5.6).1) 5.1) são atendidos NOTA Enquanto o termo “auditoria” se aplica aos sistemas de gestão. 4. e dos resultados dessas atividades com relação ao atendimento.3). de instalações. bem como de maneira mais genérica. 4 ©ABNT 2005 . dá a garantia de que os requisitos especificados foram atendidos.3 inspeção exame de um projeto de produto. com requisitos gerais NOTA A inspeção de um processo pode incluir a inspeção de pessoas.2) por uma primeira parte 5. baseada numa decisão feita após a análise crítica (5.Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 4. da adequação e da eficácia das atividades de seleção e de determinação.1) 5. algumas vezes.10). para os quais a acreditação (5.5 certificação atestação (5. sistemas ou pessoas por terceira parte NOTA 1 Certificação de um sistema de gestão é também chamada.

9 para significar o produto (3. exprimindo demonstração formal de sua competência para realizar tarefas específicas de avaliação de conformidade 6 Termos de avaliação de conformidade relativos à supervisão (ver figura A.5) ou para um organismo de acreditação (2.3) de qualquer atividade de avaliação de conformidade (por exemplo.1 supervisão iteração sistemática de atividades de avaliação de conformidade como base para manter a validade da afirmação da conformidade 6.2 suspensão invalidação temporária da afirmação da conformidade para o todo ou parte do escopo de atestação (5.4 a 7. onde uma resposta é esperada 7 Termos relativos à avaliação de conformidade e facilitação de comércio NOTA A expressão genérica “resultado de uma avaliação de conformidade” é empregada em 7.5). outra que não apelação (6. um relatório ou um certificado) e pode incluir a constatação de uma não-conformidade.5) ou ao organismo de acreditação (2.3) ou um processo ser comercializado ou usado para propósitos ou condições estabelecidas NOTA Aprovação pode se basear no atendimento a requisitos especificados (3. 7. relativa às atividades desse organismo.3 cancelamento revogação cancelamento da afirmação de conformidade 6.Todos os direitos reservados 5 .Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 5. relativa àquele objeto 6.6). 7.6).1) 6.5) para realizar atividades específicas de avaliação de conformidade ©ABNT 2005 .5 reclamação expressão de insatisfação.1 aprovação permissão para um produto (3. emitida por uma pessoa ou por uma organização para um organismo de avaliação de conformidade (2.2 designação autorização governamental de um organismo de avaliação de conformidade (2.6 acreditação atestação (5.1) ou na conclusão de procedimentos (3.3) especificado 6.4 apelação solicitação pelo fornecedor do objeto de avaliação de conformidade ao organismo de avaliação de conformidade (2.2) especificados.2) realizada por terceira parte relativa a um organismo de avaliação de conformidade (2. para que este reconsidere uma decisão dada.4).

12 tratamento igual tratamento acordado para produtos (3.5).6 aceitação aceitação de resultados da avaliação de conformidade uso de um resultado de avaliação de conformidade fornecido por uma outra pessoa ou por um outro organismo 7.8 convênio bilateral convênio no qual cada uma das partes reconhece ou aceita os resultados de avaliação de conformidade obtidos pela outra 7. numa situação comparável 6 ©ABNT 2005 . ou habilitado pelo governo.3) ou para processos de um fornecedor. 7.Todos os direitos reservados . as oportunidades advindas deles podem ser diferentes.2) 7. NOTA 2 Embora direitos e obrigações sejam os mesmos.11 reciprocidade relacionamento entre duas partes onde os dois têm os mesmos direitos e obrigações entre si NOTA 1 Reciprocidade pode existir dentro de um convênio multilateral compreendendo uma rede de relações bilaterais recíprocas.10 grupo de acordo organismos que são signatários do acordo no qual um convênio se baseia 7.1) 7. que não é menos favorável do que aquele acordado para produtos ou processos de qualquer outro fornecedor.5 reconhecimento reconhecimento de resultados de avaliação de conformidade admissão da validade de um resultado de avaliação de conformidade fornecido por uma outra pessoa ou por um outro organismo 7. ou retirar sua suspensão de designação (7.3 autoridade de designação organismo estabelecido no governo. para designar organismos de avaliação de conformidade (2.7 convênio unilateral convênio no qual uma parte reconhece ou aceita os resultados de avaliação de conformidade obtidos por uma outra parte 7.4 equivalência equivalência de resultados de avaliação de conformidade aptidão de diferentes resultados de avaliação de conformidade para fornecer o mesmo nível de garantia da conformidade com relação aos mesmos requisitos especificados (3. isto pode levar a relacionamentos desiguais entre as partes. suspender ou cancelar suas designações.Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 7.9 convênio multilateral convênio no qual mais de duas partes reconhecem ou aceitam os resultados de avaliação de conformidade de uma outra parte 7.

Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 7.Todos os direitos reservados 7 . que não é menos favorável do que aquele acordado para os produtos ou processos similares de origem nacional. ou provenientes de qualquer outro país.14 tratamento igual e nacional tratamento acordado para produtos (3. numa situação comparável ©ABNT 2005 . numa situação comparável 7.3) ou para processos provenientes de outros países.13 tratamento nacional tratamento acordado para produtos (3.3) ou para processos provenientes de outros países. que não é menos favorável do que aquele acordado para os produtos ou processos de origem nacional.

Tal demonstração pode acrescentar substância ou credibilidade para alegações de que os requisitos especificados são atendidos.Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 Anexo A (informativo) Princípios de avaliação de conformidade A. A. A. As atividades específicas em cada função podem variar de um tipo de avaliação de conformidade para outro. para cada uma dessas categorias  as atividades de avaliação de conformidade estão sob o controle ou direção do tipo de indivíduo ou organismo expresso na definição.1.1.  determinação.4 A forma A na figura A. a avaliação de conformidade é freqüentemente vista como uma atividade relacionada a normas. Normas são freqüentemente usadas como requisitos especificados. todos os tipos de avaliação de conformidade seguem a mesma abordagem geral mostrada na figura A. Como resultado.1 relacionam as funções de avaliação de conformidade e suas saídas/entradas. As setas tracejadas expressam as possíveis necessidades ou demandas para avaliação de conformidade.1. e  a decisão crítica na qual a atestação se baseia é feita pelo tipo de indivíduo ou de organismo expresso na definição. e  análise crítica e atestação. na natureza dos requisitos especificados e no objeto da avaliação de conformidade envolvido.1.1 Abordagem por função A. com base nas necessidades dos usuários. 8 ©ABNT 2005 .5 A forma B na figura A. A.1.3 Cada um dos diversos tipos de usuários da avaliação de conformidade tem suas próprias necessidades específicas. Em conseqüência.Todos os direitos reservados . nesta Norma.1.6 As setas contínuas na figura A. Por conveniência. A. dando aos usuários maior confiança nelas. sistemas e pessoas.1. dependendo das atividades específicas que tenham sido executadas. De forma geral.1. Contudo. A natureza da saída varia.1 Avaliação de conformidade é uma série de três funções que satisfazem uma necessidade ou demanda pela demonstração de que os requisitos especificados são atendidos:  seleção. A. uma vez que representam um amplo consenso do que se quer em uma determinada situação. processos.1 representa a saída de uma função e é também a entrada da próxima função. há muita variedade nos diversos tipos de avaliação de conformidade praticados.2 A avaliação de conformidade pode ser aplicada a produtos (incluindo serviços). e também para aqueles organismos que realizam serviços de avaliação de conformidade.7 As atividades de avaliação de conformidade podem ser caracterizadas como “primeira parte”. A.1 representa uma função de avaliação de conformidade. “segunda parte” ou “terceira parte”. a expressão “objeto de avaliação de conformidade” é utilizada para se referir coletivamente a qualquer ou à totalidade dessas entidades.

Todos os direitos reservados 9 .2 Seleção A.2. Atividades de seleção variam amplamente em número e complexidade. ©ABNT 2005 .1 Seleção envolve as atividades de planejamento e preparação. de forma a coletar ou produzir todas as informações e entradas necessárias para a função determinação subseqüente. Em certas situações. muito pouca atividade de seleção pode ser necessária.Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 Legenda Forma A Forma B Figura A.1 — Abordagem por função para avaliação de conformidade A.

Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 A. Uma atividade de determinação também pode ser somente uma análise crítica de informação. um “sistema de avaliação entre pares” é um sistema de avaliação de conformidade que inclui avaliação entre pares como atividade de determinação. produção em andamento. Por exemplo: precauções poderiam ser necessárias ao aplicar em tubos plásticos uma norma elaborada para tubos de metal. para que a demonstração de que os requisitos especificados são atendidos seja eficaz. Subcampos individuais de avaliação de conformidade (por exemplo. A. ou pode envolver diversas localidades. que são definidos apenas como tipos de atividades de determinação. ensaio. A.3 Determinação A.4) e avaliação entre pares (4. em relação a requisitos especificados. um processo contínuo ou um sistema.2. Mesmo em tais casos. Por exemplo: um órgão regulador governamental pode requerer que produtos não tenham riscos inaceitáveis de segurança (o requisito geral) e esperar um organismo de certificação estabelecer requisitos específicos para produtos individuais certificados ou tipos de produtos. decisões e outra saída da função seleção são representadas como “informações sobre itens selecionados”. Contudo. acreditação) podem ter termos definidos para atividades de determinação que são únicos para aquele subcampo. ou requisitos gerais de sistema de gestão podem precisar ser mais focados quando o sistema de gestão aborda o atendimento a requisitos específicos de serviço. o objeto pode ser um grande número de itens idênticos.3.2. inspeção (4. e essa informação deve ser identificada e coletada. todas as informações. Pode ser necessário selecionar os locais ou condições apropriados. certificação. Por exemplo: o escopo do ensaio a ser coberto por acreditação de laboratório deve ser identificado antes que as atividades de determinação apropriadas possam ser realizadas. Um exemplo é o exame ou análise de um projeto. Assim. Não é incomum que métodos novos ou modificados precisem ser desenvolvidos para conduzir atividades de determinação. A.1 Atividades de determinação são conduzidas para desenvolver informações completas relativas ao atendimento aos requisitos especificados pelo objeto da avaliação de conformidade ou sua amostra. Não há termo genérico usado nesta Norma ou na prática que represente todas as atividades de determinação.1. a amostragem pode ser necessária para selecionar uma parte do objeto total que seja representativa do todo (por exemplo. Contudo.2 Algumas considerações podem ser necessárias na seleção do objeto de avaliação de conformidade. A. por exemplo: quando o único produto individual é o objeto de avaliação de conformidade.3 Várias atividades de determinação não têm nome ou designação específicos. A.3.2.3 Também pode ser necessário considerar os requisitos especificados. ocasionalmente. informações adicionais podem ser necessárias para realizar apropriadamente atividades de determinação.3). considerações podem ser feitas sobre a amostragem ou seleção de amostras a serem usadas nas atividades de determinação. ou uma descrição de um serviço pode ser necessária antes de executar as atividades de determinação apropriadas. somente um conjunto muito geral de requisitos pode existir. A.2. o qual deve ser expandido para a avaliação ser significativa ou aceitável pelos usuários. Em muitos casos. A.2 Os termos ensaio (4.2). podem ser usados com “sistema” ou “esquema” para descrever sistemas ou esquemas de avaliação de conformidade que incluam o tipo de atividade de determinação indicada. Nesses casos.6 Na figura A. Freqüentemente.5 Finalmente.2. o objeto pode ser a população total. auditoria (4. seleção de partes críticas de uma ponte para determinação de fadiga do material).3. convém que se tome cuidado quando aplicar requisitos preexistentes para o objeto específico de avaliação de conformidade. ou as pessoas para realizar o procedimento.Todos os direitos reservados .4 A seleção também pode incluir a escolha dos procedimentos mais apropriados (por exemplo: métodos de ensaio ou de inspeção) a serem usados nas atividades de determinação. Por exemplo: o plano de amostragem para a água de um rio relativa a uma demonstração de que os requisitos de poluição são atendidos seria um exemplo de uma atividade de amostragem quantificável e significativa. 10 ©ABNT 2005 . ou outra informação descritiva. Em alguns casos.5). Por exemplo: pode ser necessária uma cópia das instruções de uso dos produtos ou das marcas de advertência no seu uso. existem uma norma ou outros requisitos preexistentes. Alguns tipos de atividades de determinação são definidas na seção 4. amostras (se for usada amostragem).

certificação (5. determinação.5. somente uma porção de um objeto de avaliação de conformidade pode ser selecionado para atividades de determinação na supervisão. Por exemplo: um objeto de avaliação de conformidade pode mudar ao longo do tempo. uma inspeção poderia ser selecionada para determinar que uma amostra do produto é a mesma que a amostra originalmente ensaiada.4.4 Análise crítica e atestação A. todas as saídas da função determinação são representadas como “informações sobre atendimento de requisitos especificados”.3. Por exemplo: um ensaio de um produto pode ter sido selecionado na avaliação inicial. de forma similar.2 Se o atendimento de requisitos especificados não foi demonstrado. A saída é a combinação de todas as informações geradas através da atividade de determinação. ©ABNT 2005 .4.Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 A. finalmente. De fato.5. A. por exemplo: quando um produto é fabricado de forma contínua. com base na informação de interações prévias de supervisão e outras entradas.2) resulta em uma “afirmação” feita de uma maneira que alcance mais rapidamente todos os potenciais usuários. que são definidos apenas como tipos de atestação. pode ser relatada a constatação de uma não-conformidade. A. escolhas inteiramente diferentes poderiam ser feitas na supervisão. por exemplo: somente uma parte de um organismo de certificação acreditado pode ser auditado durante a supervisão.4. Assim. Na supervisão. Assim.5 Na figura A. bem como todas as entradas para a função determinação. A.3 As atividades de seleção são realizadas tanto na avaliação inicial quanto na supervisão.1 todas as saídas da função análise crítica e atestação são representadas como “atendimento demonstrado de requisitos especificados”.5) e acreditação (5. as escolhas na seleção podem variar de tempos em tempos.4 Na figura A. de forma confiável.2 As atividades exercidas na supervisão são planejadas de forma a satisfazer a necessidade de manter a validade de uma afirmação existente resultante de uma atestação.4 Escolhas relativas aos requisitos especificados também podem ser diferentes.1 Análise crítica (5.3. as atividades em cada função na figura A. A.4). A. ou podem ser diferentes das atividades realizadas na avaliação inicial. interações sistemáticas das funções na figura A. em alguns casos.1 podem ser necessárias para manter a validade da afirmação resultante da atestação. A saída é normalmente estruturada para facilitar as atividades de análise crítica e atestação.1. A. Contudo.5. certificação como a atividade de atestação.1 durante a supervisão podem ser reduzidas.5. antes de tomar a importante decisão se o objeto de avaliação de conformidade demonstrou ou não. ou. Uma análise em andamento dos riscos ou considerações provenientes do mercado em relação ao atendimento real de requisitos especificados pode ser parte das atividades de seleção na supervisão.4. Por exemplo: somente um subconjunto dos requisitos especificados poderia ser selecionado em qualquer iteração de supervisão. Atestação (5.5 Necessidade de supervisão A.4 Convém que se tome cuidado para entender claramente as atividades de determinação caracterizadas como ensaio ou inspeção. A. Uma repetição completa da avaliação inicial não é normalmente necessária a cada interação de supervisão para satisfazer essa necessidade.6). ou usuários podem demandar a demonstração continuada de que os requisitos especificados são atendidos.1) constitui o estágio final de verificação. podem ser usados com “sistema” ou “esquema” para descrever sistemas ou esquemas de avaliação de conformidade que incluam o tipo de atividade de atestação indicada como última etapa. “Afirmação de conformidade” é uma expressão genérica usada para incluir todas as formas de comunicar que o atendimento de requisitos especificados foi demonstrado.1 A avaliação de conformidade pode terminar quando a atestação é efetuada. atender a requisitos especificados. o que poderia afetar seu atendimento contínuo de requisitos especificados.Todos os direitos reservados 11 .3 Os termos declaração (5.Tais atividades são conduzidas pelas necessidades dos usuários. análise crítica e. um “sistema de certificação” é um sistema de avaliação de conformidade que inclui seleção. A. Contudo. A.

diferentes escolhas na seleção podem levar a diferentes atividades de determinação para propósitos de supervisão.5 Como observado acima.Todos os direitos reservados .5. uma nova afirmação da conformidade poderia ser emitida.7 Se a decisão for de que a afirmação da conformidade não é mais válida. nenhuma ação especial é tomada se a afirmação continuar válida. atividades apropriadas são necessárias para informar aos usuários. A.5. Na supervisão. Em muitos casos. por exemplo: no caso em que o escopo da atestação foi reduzido ou que a afirmação da conformidade foi suspensa ou cancelada. 12 ©ABNT 2005 . tanto na avaliação inicial quanto na supervisão.Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 A. a saída da seleção define as atividades de determinação e como elas serão conduzidas. Contudo.5. se o escopo da atestação foi estendido.1 conduz a uma decisão se a afirmação resultante da atestação continua a ser válida ou não. A. uma análise crítica de todas as entradas e saídas na figura A.6 A função análise crítica e atestação também é usada tanto na avaliação inicial quanto na supervisão. Em outros casos. por exemplo.

referentes a marcas de conformidade emitente de uma marca de conformidade de terceira parte marca de conformidade de terceira parte proprietário de uma marca de conformidade de terceira parte ©ABNT 2005 .1.1.1 Termos gerais com significado específico em outras normas da série ABNT NBR ISO/IEC 17000 B.Todos os direitos reservados 13 .3 Termos compostos definidos para os efeitos da ABNT NBR ISO/IEC 17030.Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 Anexo B (informativo) Termos relacionados definidos em outros documentos B.1.2 Termos gerais com significado específico para os efeitos da ABNT NBR ISO/IEC 17024.1 Termos compostos definidos para os efeitos da ABNT NBR ISO/IEC 17011. referentes à acreditação certificado de acreditação escopo da acreditação extensão da acreditação logo do organismo de certificação redução da acreditação símbolo de acreditação suspensão da acreditação B. relativos à certificação de pessoas avaliação competência examinador qualificação B.

Todos os direitos reservados .Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 B.2 Termos definidos em normas fora da série ABNT NBR ISO/IEC 17000 Calibração capacidade característica cliente competência conformidade documento especificação fornecedor informação medição organização processo sistema validação verificação VIM ABNT NBR ISO 9000 ABNT NBR ISO 9000 ABNT NBR ISO 9000 ABNT NBR ISO 9000 ABNT NBR ISO 9000 ABNT NBR ISO 9000 ABNT NBR ISO 9000 ABNT NBR ISO 9000 ABNT NBR ISO 9000 VIM ABNT NBR ISO 9000 ABNT NBR ISO 9000 ABNT NBR ISO 9000 ABNT NBR ISO 9000 ABNT NBR ISO 9000 14 ©ABNT 2005 .

Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 Bibliografia Para sistemas de avaliação de conformidade baseados em atividades de determinação [1] [2] [3] [4] ISO/IEC 17020:19983). Requisitos gerais para organismos que operam sistemas de certificação de produtos Para afirmação da conformidade [9] [10] ABNT NBR ISO/IEC 17030:2005. Avaliação de conformidade – Requisitos gerais para organismos que realizam certificação de pessoas ABNT ISO/IEC Guia 65:1996. Avaliação de conformidade – Declaração de conformidade de fornecedor – Parte 1: Requisitos gerais Para reconhecimento e aceitação de resultados de avaliação de conformidade [11] ABNT ISO/IEC Guia 68:2002. ©ABNT 2005 . Requisitos gerais relativos para a competência de laboratórios de ensaio e calibração ISO/IEC 170403).Todos os direitos reservados 15 . Conformity assessment . Convênios para reconhecimento e aceitação de resultados de avaliação da conformidade 3) A ser publicada futuramente como Norma Brasileira adotada. Avaliação de conformidade – Requisitos gerais para organismos de acreditação credenciando organismos de avaliação de conformidade ISO 170213). Conformity assessment  General requirements for peer assessment of conformity assessment bodies and accreditation bodies ABNT NBR ISO 19011:2002. Diretrizes para auditoria de sistema de gestão da qualidade e/ou ambiental Para sistemas de avaliação de conformidade baseados em atividades de atestação [5] [6] [7] [8] ABNT NBR ISO/IEC 17011:2005. General criteria for the operation of various types of bodies performing inspection ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005.Requirements for bodies providing audit and certification for management systems ABNT NBR ISO/IEC 17024:2004. Avaliação de conformidade – Requisitos gerais para marcas de conformidade de terceira parte ABNT NBR ISO/IEC 17050-1:2005.

Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 Para terminologia relacionada [12] [13] [14] [15] ISO 3534 (all parts). BIPM.Todos os direitos reservados . Standardization and related activities – General vocabulary VIM. IEC. IUPAP e OIML 16 ©ABNT 2005 . IFCC. Statistics – Vocabulary and symbols ABNT NBR ISO 9000:2000. Vocabulário Internacional de Termos Fundamentais e Gerais de Metrologia. ISO. Sistemas de gestão da qualidade – Fundamentos e vocabulário ISO/IEC Guide 2:2004. IUPAC.

1 apelação 6.4 auditoria 4.3 atividades de avaliação de conformidade por terceira parte 2.2 atividades de avaliação de conformidade por segunda parte 2.2 E ensaio 4.1 avaliação entre pares 4.6 amostragem 4.Todos os direitos reservados 17 .2 atividades de avaliação de conformidade por primeira parte 2.6 aceitação de resultados da avaliação de conformidade 7.1 atestação 5.10 ©ABNT 2005 .3 certificação 5.8 G grupo de acordo 7.5 C cancelamento 6.3 avaliação de conformidade 2.5 convênio bilateral 7.Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 Índice alfabético A aceitação 7.3 esquema de avaliação de conformidade 2.4 equivalência de resultados de avaliação de conformidade 7.1 análise crítica 5.9 acreditação 5.9 convênio unilateral 7.4 aprovação 7.7 D declaração 5.4 escopo da atestação 5.4 designação 7.9 acesso a um sistema ou esquema 2.4 autoridade de designação 7.8 convênio multilateral 7.2 equivalência 7.6 acesso 2.

3 M membro 2.3 S sistema de avaliação de conformidade 2.11 reclamação 6.1 revogação 6.Cópia não autorizada ABNT NBR ISO/IEC 17000:2005 I inspeção 4.14 tratamento nacional 7.12 tratamento igual e nacional 7.6 organismo de avaliação de conformidade 2.7 supervisão 6.8 R reciprocidade 7.1 suspensão 6.3 programa de avaliação de conformidade 2.11 O organismo de acreditação 2.10 procedimento 3.Todos os direitos reservados .13 18 ©ABNT 2005 .10 participante em um sistema ou esquema 2.5 P participante 2.5 reconhecimento de resultados de avaliação de conformidade 7.2 T tratamento igual 7.5 requisitos especificados 3.2 produto 3.11 membro de um sistema ou esquema 2.5 reconhecimento 7.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->