P. 1
paulo tadeu de souza albuquerque a faiança portuguesa Tão Caro nos vendeu a China - Apresentação Salvador

paulo tadeu de souza albuquerque a faiança portuguesa Tão Caro nos vendeu a China - Apresentação Salvador

|Views: 205|Likes:
um estudo dos artefatos arqueologicos em faianças portuguesa de inspiraçao oriental

as gramaticas graficas orientais que influenciaram o universo da produçao da olaria portuguesa de faiança nos seclos XV ,XVI,XVII
um estudo dos artefatos arqueologicos em faianças portuguesa de inspiraçao oriental

as gramaticas graficas orientais que influenciaram o universo da produçao da olaria portuguesa de faiança nos seclos XV ,XVI,XVII

More info:

Published by: Paulo Tadeu Souza Albuquerque on May 28, 2012
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/10/2013

pdf

text

original

O QUE ANTES NOS VENDEU TÃO CARO A CHINA

PAULO TADEU DE SOUZA ALBUQUERQUE | 2006

O QUE ANTES NOS VENDEU TÃO CARO A CHINA
UMA ANÁLISE, ATRAVÉS DE UMA ÓTICA ARQUEOLÓGICA, DA PRODUÇÃO DA FAIANÇA PORTUGUESA E AS INFLUÊNCIAS ORIENTALIZANTES ENTRE OS ANOS DE 1575 A 1725, QUE SE PODE ENCONTRAR NOS SÍTIOS ARQUEOLÓGICOS PORTUGUESES, BRASILEIROS E DEMAIS SÍTIOS DE OCORRÊNCIA DA PRESENÇA PORTUGUESA

PAULO TADEU DE SOUZA ALBUQUERQUE | 2006

UNIDADES GRÁFICAS IDENTIFICADAS NA PRODUÇÃO DA FAIANÇA PORTUGUESA, ENTRE 1575 A 1725, DEFINIDAS EM QUATRO PERÍODOS

1º PERÍODO – aproximadamente ente 1575 a 1625 2º PERÍODO – aproximadamente ente 1625 a 1650 3º PERÍODO – aproximadamente ente 1650 a 1675 4º PERÍODO – aproximadamente ente 1675 a 1725

aproximadamente ente 1575 a 1625

1º PERÍODO

Possível inicio da ocorrência das primeiras unidades gráficas de temas orientais e de fino acabamento. Inspiração direta nos motivos usados pela Dinastia Ming do período Wanli, conhecidas como porcelana de carraca ou kraakporcelain, como também motivos identificados nas porcelanas safavide de origem árabe muçulmana. Motivos tais como polígonos curvilíneos, círculos tangentes com caracóis ou espirais, ogivas e linhas em seqüências, formando faixas em zig zag. Abas com inicio de decoração em cartelas e faixas contínuas cordiformes e/ou de acanthus, semicírculos com três contas ao centro e faixas de acanthus nas bases e topo das peças. Obs.: Nas peças mais simples e de serviço identifica-se a ocorrência dos primeiros caracóis nas caldeiras dos pratos e tigelas, associados a linhas e linhas paralelas nas bordas, associadas a pinceladas em conjunto ou em seqüências e rara ocorrência da cor amarela. Estes conjuntos de unidades gráficas se incorporam às unidades gráficas locais de origem européia, tais como querubins, e unidades gráficas oriundas do universo hispano-árabe da Península Ibérica.

CONJUNTO DE UNIDADES GRÁFICAS

1º PERÍODO
Unidades gráficas que se caracterizam pelo uso forte da cor azul e pelo fino acabamento das peças de inspiração direta, quase que uma mera cópia das peças orientais com sua simbologia original, islâmica e chinesa. Primitivamente encontradas nas porcelanas produzidas pelas dinastias Safavid, nos períodos Shah Ismael (1501ª1524) Shah Tahmasp (1524ª1576) Shah Abbas (1587ª1629) e Shah Safi (1629ª1642) ,que governaram grandes áreas do Oriente Médio, quando possivelmente influenciaram-se mutuamente as porcelanas safavide e chinesas da dinastia Ming, períodos Hung-Chih (1488ª1506) Chia Ching (1522 a 1566) e Wan-Li (1573 a 1620), antes das mesmas chegarem à Europa através das companhias comercio orientais européias. Ocorre também a identificação nas peças mais simples de produção dos primeiros oleiros de origem mudejar e andaluz e do mundo europeu da península itálica, expressando-se notadamente na identificação de ocorrência da cor amarelo e de motivos tais como mascarões e cupidos ou querubins com asas, etc. Também encontrados nas majólicas espanholas e italianas deste mesmo período cronológico; aqui já se percebe claramente o uso de leves linhas , faixas e/ou cartelas delineando as peças em unidades espaciais para a aplicação das unidades gráficas.

CONJUNTO DE UNIDADES GRÁFICAS

1º PERÍODO

PÉTALAS IMBRICADAS: desenho identificado na decoração de peças do fim da dinastia ming no Período
Wan-li. Ocorre em cartelas nas abas dos pratos e bordas de pescoços dos boiões e canudos.

DISCOS IMBRICADOS:: identificado em pecas da dinastia ming do período TCh’eng-houa =de 1465 a 1487.
Ocorre em cartelas na aba dos pratos.

SEMICÍRCULOS OU PÉTALAS IMBRICADOS: ocorre nas porcelanas

chinesas a partir do séc. XIV.

POLÍGONOS CURVILÍNEOS COM ASPIRAIS OU CARACÓIS:

identificados nos motivos decorativos das dinastias Ming e/ou Safavide. Ocorre em cartela, nas abas dos pratos, ou ocupando toda a peça em pecas simples e também em peças elaboradas.

CÍRCULOS TANGENTES:

motivo composto por seqüência de círculos com decoração interna desenvolvidos nas abas das peças aberta de clara inspiração “kraak”

FAIXAS CORDIFORMES: conjunto de traços curvilíneos datados originalmente do período
1566 da dinastia Ming.

chia ching 1522

FOLHAS DE ACANTOS: unidade gráfica que se pode associar tanto ao mundo oriental, como ao mundo das
civilizações mediterrâneas desde a antiguidade.

PÉTALAS ALONGADAS: conjuntos de pinceladas largas, envoltas em linhas finas que circundam bordas
ou bases de peças abertas ou de corpo alto.

aproximadamente ente 1625 a 1650

2º PERÍODO

Unidades gráficas características compostas sob a inspiração oriental com alguma hibridez de motivos portugueses e ainda com bom acabamento. Com forte predominância das cores azul e branco com ocorrência da cor amarela, cenas chinesas com contorno delicado em vinhoso com presença ou ausência de figuras humanas despidas ou com a ocorrência da figura do poeta T’a i po.Estas unidades gráficas denominamse “desenho miúdo”. Outra apresentação de decoração das abas, denominada “aranhões”, se caracteriza por se apresentar com ou sem cartelas separadas por laços ou colunelos ou não, com vários motivos ao centro das cartelas. Dentre eles destacam-se os do tipo como folha de Artemísia, pedras sonoras ou tubos, cabaças, crisântemos, e estes podem se apresentar envoltos por nós sem fim terminados em borlas, de inspiração tardia na chamada “kraakporcelain”. Outros motivos são as “faixas contínuas”, mas de inspiração oriental apresentadas em todas as abas. Nas caldeiras apresentam-se temas de hibridez sino-portuguesa ao centro, tendo entre esses motivos emblemas e insígnias heráldicas e etc. Ocorrem, ainda, as primeiras identificações de outro motivo de inspiração chinesa, o denominado “rendas”, de clara influência dos motivos taoístas, ditos de palmeiras de buqui, datados nas porcelanas para o século XVI.

CONJUNTO DE UNIDADES GRÁFICAS

2º PERÍODO

Unidades gráficas caracterizadas pela boa qualidade de acabamento, conhecidas pela ocorrência inicial das unidades gráficas posteriormente e vulgarmente denominadas por ‘aranhões’ e ‘desenho miúdo’, como também dos motivos denominados ‘rendas’ e suas variáveis, que tiveram sua evolução estilística a partir de elementos gráficos identificados na gramática gráfica das porcelanas orientais, que tanto ocorrem em cartelas delimitadas por colunelos ou em seqüências continuas, como faixas ao redor das peças, envoltos em laçarias terminadas em borda. Unidades graficas muito comuns nas chamadas de “porcelanas de carracas” ou nas ditas kraakeporcelain.
ARANHÕES EM CARTELAS E SEPARADOS POR COLUNELOS:
compostas pelos seguintes motivos orientais unidades graficas

PÊSSEGO:

fruto símbolo taoistas que representa longevidade. Ocorre nas abas dos pratos, associado a outras unidades gráficas.

FOLHAS LANCELADAS OU FOLHAS DE ARTEMÍSIA: Ocorre
outras unidades gráficas envolta em laçarias.

nas abas dos pratos, associado a

LIVROS: Ocorre

nas abas dos pratos, associado a outras unidades gráficas envoltas em laçarias.

CONJUNTO DE UNIDADES GRÁFICAS

2º PERÍODO

BONINAS: Conjunto de cinco flores unidas por uma haste. Ocorre CAMÉLIAS: flor símbolo boneco de beleza e saúde. Ocorre
gráficas.

nas abas dos pratos. Inicialmente nos conjuntos de cartelas depois isolada, associado a outras unidades gráficas. nas abas dos pratos, associado a outras unidades

CRISÂNTEMO: flor símbolo do outono. Ocorre

nas abas dos pratos, e em composição de temas no fundo da caldeira. Associado a outras unidades gráficas envoltas em laçarias.

PEÔNIAS: símbolo de riqueza, prosperidade e emblema da primavera. Ocorre
outras unidades gráficas.

nas abas dos pratos, associado a

CABAÇAS: Ocorre

nas abas dos pratos, associado a outras unidades gráficas envoltas em laçarias. nas abas dos pratos, associado a outras unidades

ROMÃ: símbolo da fecundidade e prosperidade. Ocorre
gráficas.

MAGNÓLIA: Símbolo

da beleza feminina.

CONJUNTO DE UNIDADES GRÁFICAS

2º PERÍODO

PEDRAS SONORAS OU ROLOS: Ocorre
envoltas em laçarias .

nas abas dos pratos, associado a outras unidades gráficas

DESENHO MIÚDO: motivo caracterizado pela delicadeza de sua confecção com inspiração direta nas kraak
porcelanas apresenta se sobre duas formas: com a ocorrência de cenas ao centro ou nas bordas e a identificação do poeta T’A I Pó e de outras figuras humanas e outra forma e com a ausência das cenas das figuras humanas só com delicados desenho continuo poR toda a superfície das peca. Conhecidas comumente como desenho miúdo pela delicadeza do desenho e de seu tamanho como também pelos seus contornos em vinhoso. Raramente encontramos peças híbridas com aranhões.

POETA T’A I PO: Poeta chinês do século XV e XVI que se apresenta sobre uma nuvem.esta unidade gráfica só
se apresenta nos chamados desenho miúdo

PUTOS: jovens Figuras humanas despidas. Lembrando cupidos ou querubins
ISOLADOS E também associados aos chamados desenho miúdos.

aparecem INICIALMENTE

CENAS DE BORDA COM OU SEM PAISAGEM: com ou sem figuras humanas RENDAS: motivo de inspiração na simbologia taoista de palmeira de buqui apresentando se nas bordas ou em
todo corpo da peca.

POLÍGONOS CURVILÍNEOS COM CARACÓIS: unidade gráfica

abstrata cobrindo por vezes todo o corpo das peças sejam elas aberta ou de corpo alto e que às vezes compõem com cenas ou animais

aproximadamente ente 1650 a 1675

3º PERÍODO

Motivos orientais simplificados ou esquematizados e temas portugueses. Predominância dos motivos chineses nas abas, como os denominados ‘aranhões’, envoltos em nós sem fim , terminados em borlas, ou soltos nas abas ou contínuos, com marcante contorno em vinhoso. A borda e o fim da aba são demarcados por fortes linhas e linhas paralelas, normalmente encontrados na cor azul, em composição com motivos portugueses ao centro da caldeira, cobrindo esta com temática zoomorfa, fitomorfa, antropomorfa ou heráldica etc. Desaparece a ocorrência da divisão das abas em cartelas separadas por colunelos.

CONJUNTO DE UNIDADES GRÁFICAS

3º PERÍODO

Os elementos de origem oriental e chinesa de características iniciais mais simples quanto à sua confecção e de suas unidades gráficas menos elaboradas também se delimitam agora com fortes linhas e linhas paralelas ou faixas demarcadoras de unidades espaciais, ganhando força como unidades gráficas independentes, visto a aceitação deste tipo de peças pelo aumento do mercado consumidor alcançado, influenciando fortemente a partir desta época indistintamente toda a industria de faiança européia: (Delft, Kimper, Rouen etc), tanto como as portuguesas.
FAIXAS CORDIFORMES: do Período Chia-ching =1522 a 1566 originalmente de ocorrência nas porcelanas
chinesas Ocorre em toda a aba do prato ou entre a aba do prato e o fundo da caldeira, como também ao longo de sessões de boiões ou jarros.

RAMOS ONDULANTES: Frisos barrocos: Simplificação das faixas cordiformes ocorre no período ChiaChing, de 1522 a 1566, identificado nas porcelanas chinesas. Ocorre em toda a aba do prato ou entre a aba do prato e o fundo da caldeira, como também ao longo de secções de boiões, garrafas, canudos, tubos ou jarros. Ao longo dos séculos vai se estilizando continuamente passando de detalhes ate tomar conta de toda as bordas das peças

BAMBU: árvore símbolo confucionista

da prosperidade.

LEQUES DE PALMEIRAS DE BUQUI: folhas em forma de leques,que posteriormente irão

inspirar os desenhos denominados de rendas típicos da produção oleira de Coimbra, a partir possivelmente de 1625 ate 1725.

CONJUNTO DE UNIDADES GRÁFICAS

3º PERÍODO
do período

Gregas: conjunto de linhas que formam desenho simétricos identificado tanto nas porcelanas Ming
Wanli, como também nas porcelanas safavide de origem muçulmana.

Três contas: conjunto de três pontos dentro de semicírculos apresentando-se em pecas mais simples com
variáveis de cinco pontos.

Semicírculos concêntricos: meio círculos um dentro do outro. Cegonha: passaro símbolo confucionista Caracóis e espirais retilíneos: ocorre tanto em pecas de melhor produção como em pecas como em
pecas de qualidade inferior não sendo possível distingui-las em sub unidades como também ocorre em conjunto formando novas unidades graficas.

Lótus: flor símbolo budista de pureza e emblema do verão. Dragão: animal mitológico Símbolo do imperador associado à chuva e à Fênix: ave Símbolo das Imperatrizes Chinesas associado à felicidade. Aranhões isolados e contínuos:
ocorrem em abas dos pratos basicamente composto por folhas lanceoladas e peônias. Raramente se encontra em hibridez com a unidade gráfica ‘Desenho Miúdo’. fertilidade.

aproximadamente ente 1675 a 1725

4º PERÍODO

Motivos de remota inspiração oriental, fortemente esquematizados nas cores azul e vinhoso sobre fundo branco e predominância de temas portugueses no conjunto da decoração de qualidade popular (grosseira, tosca). Ocorre com facilidade uma decoração de linhas simples que se caracteriza por uma seqüência de faixas em tons da cor verde e sobre tons de azul nas abas, e nas caldeiras, faixas concêntricas nas mesmas tons. Motivos de inspiração portuguesa e islâmica esquematizados como tracejados de linhas cruzadas com ou sem asteriscos, folhagens, animais, bustos que ocupam homogeneamente as abas e/ou caldeira ou o corpo total das peças. Dentre os motivos mais comuns nesse período podemos salientar as chamadas “rendas”, “três ou cinco contas”, “faixas barrocas”, “reticulados” e “caracóis” nos fundos das peças. Salienta-se que os motivos rendas e três contas ocorrem nas faianças desde o inicio do século XVII, como também na azulejaria. De inspiração oriental, esses motivos de origens budista, encontrados nas porcelanas chinesas adquirem grande popularidade em fins dos séculos XVII e início do XVIII, ocupando todo espaço decorado das peças, sejam elas pratos ou tigelas, compondo com grande diversidade os motivos aplicados às caldeiras.

CONJUNTO DE UNIDADES GRÁFICAS

4º PERÍODO

Determina o fim das influências orientalizantes na produção da faiança portuguesa com suas excessivas estilizações chegando ao seu ponto máximo, descaracterizando totalmente os desenhos iniciais de origem oriental, que tanto influenciaram a produção portuguesa e que possivelmente teve inicio em fins do século XVI, por volta de 1575 e se prolongou por todo o século XVII e possivelmente ate meados do XVIII. A produção deste período tem como principal característica a decadência estilística, como também tecnológica, facilmente identificada pela fraca qualidade das peças, a diminuição de divisão das peças por linhas e faixas, com acentuada decomposição das unidades gráficas, com descaracterização total dos desenhos que a inspiraram inicialmente. Mesmo não tendo desde o inicio o significado que estes tinham quando identificados nas porcelanas orientais, os desenhos eram quase copiados literalmente, muito bem executados e posteriormente estilizados.

UNIDADES GRÁFICAS DE INFLUÊNCIAS ORIENTAIS, IDENTIFICADAS ENTRE 1575 A 1725
UNIDADES 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 Acanthus Amarelo de influencia européia Antropomorfos Arabescos mudejas e andaluz Aranhões Barrados verdes Barras e linhas paralelas Brasões do silva Brioso Círculos tangente com caracóis Crisântemo com folhagens Desenho miúdo Espirais retilíneos 1575 1600 1625 1650 1675 1700 1725

UNIDADES GRÁFICAS DE INFLUÊNCIAS ORIENTAIS IDENTIFICADAS ENTRE 1575 A 1725
UNIDADES 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 Pétalas embricadas Poeta T’a i po Polígonos curvilíneos com caracóis Putos Rendas Reticulado com ou sem asterísticos Semicírculo com 3 contas Semicírculos concêntricos Semicírculos embricados Três contas Três contas Zoomorfos Crisântemos e folhagens 1575 1600 1625 1650 1675 1700 1725

ACANTUS

unidade gráfica:

AMARELO

unidade gráfica:

AQUAMANIL

unidade gráfica:

ARANHÕES

unidade gráfica:

CARTELA

ARANHÕES

unidade gráfica:

CONTÍNUOS

BARRAS E LINHAS

unidade gráfica:

ACHADOS ARQUEOLÓGICOS

BRASÕES

unidade gráfica:

BRUSH-STROKES

unidade gráfica:

CRISÂNTEMOS COM FOLHAGENS

unidade gráfica:

DESENHO MIÚDO

unidade gráfica:

COM PAISAGENS E CONTÍNUOS

DESENHO MIÚDO

unidade gráfica:

POETA T’A I PÓ

FAIXA BARROCA

unidade gráfica:

POLÍGONOS CURVILÍNEOS

unidade gráfica:

RENDAS

unidade gráfica:

RETICULADO COM ASTERISCOS

unidade gráfica:

TRÊS CONTAS

unidade gráfica:

unidade gráfica:

AZULEJOS COM GRAMÁTICAS IDENTIFICADAS NAS FAIANÇAS

O QUE ANTES TÃO CARO NOS VENDEU A CHINA
IMPÉRIO PORTUGUES ENTRE OS SÉCS. XV E XVII

PAULO TADEU DE SOUZA ALBUQUERQUE florence@elogica.com.br

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->