Você está na página 1de 63

1)

Considere o conversor dual apresentado na figura abaixo, onde:

V 1 (ωt)=220·sen(ωt), V 2 (ωt)=220·sen(ωt-120°), V 3 (ωt)=220·sen(ωt+120°), f=60Hz, α p =135° e Z (L=100mH; R a =2Ω)

V1

V2

V3

α p =135° e Z (L=100mH; R a =2Ω) V1 V2 V3 - L/2 + L/2
α p =135° e Z (L=100mH; R a =2Ω) V1 V2 V3 - L/2 + L/2
- L/2
-
L/2
p =135° e Z (L=100mH; R a =2Ω) V1 V2 V3 - L/2 + L/2 VL

+

L/2

VL

Z
Z
e Z (L=100mH; R a =2Ω) V1 V2 V3 - L/2 + L/2 VL Z V1

V1

V2

(L=100mH; R a =2Ω) V1 V2 V3 - L/2 + L/2 VL Z V1 V2 V3

V3

a) Desenhe as formas de onda das tensões V P , V N e V L .

b) Desenhe as formas de onda da tensão sobre a carga Z, a corrente nos indutores de circulação e

a corrente na carga Z.

c) Calcule o valor do indutor L para que a máxima corrente média de circulação seja 20% da

máxima corrente de carga.

Solução

a)

α p n =180° α n =45°

 
 

150

  150

Vp

0

-150V

-300V

150

150

Vn

0

-150V

-300V

400

400

VL

0V

-400V

 

0

π

b)

400V

Vz

0V

-400V

80A

ILp

60A

40A

20A

0A

80A

n 60A

IL

40A

20A

0A

Vz 0V -400V 80A ILp 60A 40A 20A 0A 80A n 60A IL 40A 20A 0A
Vz 0V -400V 80A ILp 60A 40A 20A 0A 80A n 60A IL 40A 20A 0A
Vz 0V -400V 80A ILp 60A 40A 20A 0A 80A n 60A IL 40A 20A 0A
Iz 0A -20A -40A -60A -80A 0 π 2π 3π 4π c) Para um conversor
Iz 0A
-20A
-40A
-60A
-80A
0
π
c) Para um conversor dual em condução contínua a tensão média na carga é dada por

1.17 Para a maior tensão média na carga e conseqüentemente a maior corrente média na carga α=0. 1.17 155,56 cos 0 182

Assim

182

2

91

A máxima corrente de circulação acontece para os ângulos de α p =60° e α p =120°. Utilizando α p =60° na fig 5.12 da pag. 151 do livro Eletrônica de potência de Ivo Barbi se obtêm · ·

0,567

√2 · Sendo que se deseja 20% de ondulação na corrente 0,2 · 0,2 · 91 18,2

Assim

0,567 · 2 · ·

0,567 · 220

377 ·

18,2 18,2

2)

Dada a estrutura do gradador abaixo com R=20Ω, cuja alimentação é senoidal, com um valor

eficaz de 127V e com freqüência de 50Hz.

T1 V(ωt) T2
T1
V(ωt)
T2

Carga

a) Calcule a temperatura na cápsula de um tiristor considerando que este está acoplado a um

dissipador com resistência térmica de 5°C/W, que os tiristores permanecem conduzindo em intervalos de 0,2 segundos, com α=0°, intercalados com intervalos de 0,3 segundos com α=180°. (V to =1,0V;

r T =0,02Ω; R thjc =0,9°C/W; R thcd =0,5°C/W; Ta=50°).

Solução

a) Utilizando controle por ciclos inteiros se tem

1

20

0,2

0,02 10

0,3

0,02 15

Pelo ábaco da fig. 7.6 da página 174 se obtem para α=0°

·

√2 ·

0,5 · 2 · 127

20

0,5

4,49

·

√2 ·

0,32

0,32 · 2 · 127

20

2,87

(2.1)

(2.2)

(2.3)

(2.4)

(2.5)

Assim a potência dissipada por um tiristor conduzindo o tempo todo seria

20 4,49 1 2,87

3,27

(2.6)

Mas como o tiristor não conduz durante todo o período se tem

(2.7)

Onde m é o numero de ciclos onde há condução, M é o numero de ciclos total do período e P o é a potência total dissipada se conduzisse por todo o período.

· 3.27 ·

10

25

1,3

Cálculo da resistência junção-ambiente

1,3 5,5 50 57,15°

(2.8)

(2.9)

3)

Dada a estrutura do gradador abaixo com R=20Ω e L=100mH, cuja alimentação é senoidal , com

um valor eficaz de 110V e com freqüência de 60Hz.

D1

V(ωt) T2
V(ωt)
T2

Carga

Considerando α=120°, determinar:

a) ângulo de extinção da corrente e o modo de condução da estrutura;

b) variação de potência admitida na carga.

O

A

Solução

a) Calculo do ângulo de extinção de corrente

cos cos 377 0,1 0,47

20

(3.1)

No semiciclo positivo o circuito funcionará como um meia onda monofásico a diodos e no semiciclo

negativo se comportara como um circuito de meia onda monofásico a tiristor.

Para o diodo, do ábaco de Puschlowski obtêm-se com:

α=0°

a= 0

cosΦ=0,4

β=254°

α=0°

a= 0

cosΦ=0,6

β=236°

(3.2)

α=0°

a= 0

cosΦ=0,5

β=245°

Para o tiristor, do ábaco de Puschlowski obtêm-se com:

 

α=120°

a= 0

cosΦ=0,4

β=226°

α=120°

a= 0

cosΦ=0,6

β=219°

(3.3)

α=120°

a= 0

cosΦ=0,5

β=222,5°

Como para haver condução contínua é necessário que o diodo permaneça em condução durante β c =180+120=300° logo este circuito operará em condução descontínua.

b) Para verificar a máxima variação admitida na carga é necessário verificar a potência máxima e a

potência mínima entregue a carga A potência máxima acontece quando α=0° assim toda a tensão de entrada é transferida a carga,

V Lef =V o .

110

20 377 · .1 283,64

· 283,64 · 0,47 133,33

(3.4)

(3.5)

A potência mínima acontecerá quando α=180° assim o circuito funcionará como um circuito

retificador de meia onda a diodo. Utilizando o ábaco da fig. 2.8 d pag 30 do livro com ϕ=62,09°, Ief=0,65 e como

· 2 · | |

0,65 · 2 · 110

|42,66|

2,37

(3.6)

Assim se obtêm um ΔP=21W.

· 20 · 2,37 112,33

(3.7)

4) Dada a estrutura do gradador abaixo com R=2Ω, cuja alimentação é 220·sen(ωt) e com

freqüência de 50Hz.

T1 V(ωt) T2
T1
V(ωt)
T2

Carga

Considerando uma potência na carga de 1500W.

a) Utilizando-se um controle por ciclos inteiros, com um período de 1,5 segundo, calcule o

número de ciclos que deve ser entregue a carga.

b) Responda sobre o item a: é possível obter os 1500W? Qual a solução? Justifique claramente.

Solução

a) A potência máxima entregue a carga é de

155,56

2

12100

(4.1)

Com a freqüência de 50Hz cada período possui T=20ms assim o período total do controle por ciclos inteiros terá

1,5

0,02 75

(4.2)

Seguindo a relação entre numero de ciclos e potências abaixo pode se obter o numero de ciclos necessários para que se consigam os 1500W necessários.

·

1500

12100 · 75 9,3

(4.3)

b) Para se obter P=1500W exatos não é possível se obter , pois são necessários 9,3 ciclos, portanto

não é possível utilizar o controle por método de ciclos inteiros.

5) Dada a estrutura do gradador abaixo, cuja alimentação é senoidal, com um valor eficaz de 20A

e com freqüência de 60Hz.

I(ωt)

   
     
 
T r i a c Carga
T r i a c

Triac

T r i a c Carga

Carga

      T r i a c Carga
      T r i a c Carga

Considerando uma carga R=10Ω, calcule:

a) O dissipador necessário para acomodar o Triac.(VTO=1V;rT=10mΩ).

b) Calcule o rendimento do conversor para α=35°.

Solução

a) Para calcular o dissipador se considera o pior caso possível, ou seja quando o TRIAC conduzir

pelo tempo todo, ou seja, neste circuito com α=0°.

A corrente eficaz que passa pelo TRIAC é a mesma da fonte, ou seja, 20A. Porém a corrente média não se pode utilizar a mesma da fonte, pois a corrente média de uma fonte de corrente AC é 0. Para calcular a corrente média que passa pelo Triac considera-se que meio período passa corrente pelo ramo positivo e meio período passa corrente pelo ramo negativo assim calcula-se a corrente média para um ramo e multiplica-se por 2.

2

2 ·

2

°

2

2

°

2 · 20 ·

Assim a potência dissipada no TRIAC será de 10 20 1 18 22

Portanto a resistência de junção ambiente será

150 40

22

/

18

(5.1)

(5.2)

(5.3)

b) Ao se colocar um TRIAC em paralelo com uma carga resistiva e uma fonte de corrente, as

tensões e correntes na carga operam como se o circuito fosse um gradador alimentado com uma fonte

de tensão em série com a carga porém o ângulo de disparo seria dado por 180° 180 35 145°

(5.3)

Com o valor do novo α pode se calcular a corrente eficaz na carga através dos ábacos. Portanto através do ábaco da fig. 7.5 da pagina 173 do livro se obtêm a corrente eficaz no resistor de carga. ·

(5.4)

0,15

0,15 · 2 · 20 4,24

√2 ·

Portanto a potência entregue a carga é de 10 4,24 179,8

(5.5)

Agora a corrente média e a corrente eficaz no TRIAC pode ser calculado utilizando o ábaco da fig. 7.6 lembrando que no TRIAC a corrente média para calculo da potência dissipada é multiplicada por 2 e na

corrente eficaz é multiplicada por 2 devido ao TRIAC ser responsável pela condução do ciclo positivo e do negativo ao contrário do tiristor que conduza apenas pelo ciclo positivo ou negativo, lembrando-se que o ábaco foi feito utilizando tiristores. Pelo ábaco da fig. 7.6 da página 174 se obtem para α=35° ·

(5.6)

0,49

2 · 0,5 · 2 · 20 19,6

√2 ·

·

√2 ·

0,29

2 · 0,29 · 2 · 20 16,4

(5.7)

Assim a potência dissipada no TRIAC será de 10 19,6 1 16,4 20,2

(5.8)

Portanto o rendimento será

179,8

179,8 20,2 0,899

(5.9)

6) Considere o conversor dual apresentado na figura abaixo, onde:

V 1 (ωt)=180·sen(ωt), V 2 (ωt)=180·sen(ωt-120°), V 3 (ωt)=180·sen(ωt+120°), f=60Hz, α p =105° e L=100mH

V1

V2

V3

V1 V2 V3 - L/2 + L/2 VL Z V1 V2 V3 a) Desenhe as formas
V1 V2 V3 - L/2 + L/2 VL Z V1 V2 V3 a) Desenhe as formas
V1 V2 V3 - L/2 + L/2 VL Z V1 V2 V3 a) Desenhe as formas
- L/2
-
L/2
V1 V2 V3 - L/2 + L/2 VL Z V1 V2 V3 a) Desenhe as formas

+

L/2

VL

Z
Z
V1 V2 V3 - L/2 + L/2 VL Z V1 V2 V3 a) Desenhe as formas

V1

V2

V3

a) Desenhe as formas de onda das tensões V P , V N .

b) Desenhe as formas de onda da tensão sobre a carga Z e sobre a carga V L .

c) Calcule o valor dos harmônicos de tensão de ordem 3 e de ordem 6 na carga.

Solução

a) α p +α n =180° α n =75° 200V VP 100V 0V -100V -200V
a)
α p +α n =180° α n =75°
200V
VP
100V
0V
-100V
-200V
200V
VN
100V
0V
-100V
-200V
0
π
b)

100V

VZ

50V

0V

-50V

-100V

100V VZ 50V 0V -50V -100V 300V VL 150V 0V -150V -300V 0 π 2π 3π
300V VL 150V 0V -150V -300V 0 π 2π 3π 4π c) O valor de
300V
VL
150V
0V
-150V
-300V
0
π
c)
O
valor de pico da harmônica de ordem n é dado por
cos 1
cos 1
(6.1)
n 1
n 1
Onde
(6.2)
√2 m V
π

Onde m é o numero de pulsos de um dos grupos, portanto

2 m V

π

2 3 127

π

148,53

3

Assim para a terceira harmônica se tem

cos 3 1 105 3 1

cos 3 1 105 3 1

148,53 82,9

E para a sexta harmônica

cos 6 1 105 6 1

cos 6 1 105 6 1

148,53 49,2

(6.3)

(6.4)

(6.5)

7) Dada a estrutura do gradador abaixo com R=50Ω, cuja alimentação é senoidal, com um valor

eficaz de 110V e com freqüência de 60Hz.

T1 V(ωt) T2
T1
V(ωt)
T2

Carga

a) Calcule a temperatura na cápsula de um tiristor SKT16/04 com dissipador com resistência

térmica de 2°C/W, supondo que os tiristores permanecem conduzindo em intervalos de 0,6 segundos,

com α=0°, intercalados com intervalos de 0,4 segundos com α=180°. (V to =1,0V; r T =0,02Ω; R thjc =0,9°C/W; R thcd =0,5°C/W; Ta=30°).

Solução

a) Utilizando controle por ciclos inteiros se tem

1

16,66

0,6

0,01666 36

0,4

0,01666 24

(7.1)

(7.2)

(7.3)

Pelo ábaco da fig. 7.6 da página 174 se obtem para α=0°

·

√2 ·

0,5

·

√2 ·

0,32

0,5 · 2 · 110

50

1,556

0,32 · 2 · 110

50

0,996

Assim a potência dissipada por um tiristor conduzindo o tempo todo seria 20 1,556 1 0,996 1,045

Mas como o tiristor não conduz durante todo o período se tem

(7.4)

(7.5)

(7.6)

(7.7)

Onde m é o numero de ciclos onde há condução, M é o numero de ciclos total do período e P o é a potência total dissipada se conduzisse por todo o período.

· 1,045 ·

36

60

Cálculo da temperatura de capsula

0,627

0,627 2,5 30 31,57°

(7.8)

(7.9)

8) Dada a estrutura do gradador abaixo com R=50Ω, cuja alimentação é senoidal, com um valor

eficaz de 110V e com freqüência de 60Hz.

T1 V(ωt) T2
T1
V(ωt)
T2

Carga

Considerando que cada um dos tiristores (T 1 ,T 2 ) permanecem em condução durante 5,555ms e bloqueados durante 11,111ms, ao longo de um período de rede, determinar:

a) A corrente eficaz no tiristor T 1 ;

b) A corrente média no tiristor T 2 ;

Solução

Sendo que cada tiristor conduz 5,55 ms e fica bloqueado durante 11.11 ms e sabendo que o período na freqüência de 60 Hz é de 16,66m, sabe-se que o tiristor deve conduzir durante um intervalo de

5.55

16.66

· 360° 120°

(8.1)

Como a carga é apenas resistiva a condução cessa quando chega a 180°, então para que haja condução durante 120° é necessário que α=60°. Assim utilizando o ábaco da fig. 7.6 da pag. 174 se obtêm

·

√2 ·

·

√2 ·

0,45

0,24

0,45 · 2 · 110

50

1,4

0,24 · 2 · 110

50

0,75

(8.2)

(8.3)

Lembrando que a corrente eficaz e média para todos os tiristores são iguais.

9) Dada a estrutura do gradador abaixo com R=50Ω, cuja alimentação é senoidal, com um valor

eficaz de 110V e com freqüência de 60Hz.

T1 V(ωt) T2
T1
V(ωt)
T2

Carga

Considerando uma potência na carga de 161,2W.

a) Utilizando-se um controle por ciclos inteiros, com um período de 1 segundo, calcule o intervalo

de tempo em que são aplicados os ciclos à carga.

Solução

a) A potência máxima entregue a carga é de

110

50

242

(9.1)

Com a freqüência de 60Hz cada período possui T=16,66ms assim o período total do controle por ciclos inteiros terá

1,0

16,66 60

(9.2)

Seguindo a relação entre numero de ciclos e potências abaixo pode se obter o numero de ciclos necessários para que se consigam os 1500W necessários.

·

161,2

242

· 60 40

(9.3)

10) Dada a estrutura do gradador abaixo, cuja alimentação é senoidal, com um valor eficaz de 110V

e com freqüência de 60Hz.

T1 V(ωt) T2
T1
V(ωt)
T2

Carga

Considerando uma carga RL de R=50Ω e L=50mH, calcule:

a) A variação de potência possível na carga.

b) O ângulo α necessário para fornecer a carga apenas metade da potência máxima.

Solução

a) Para verificar a máxima variação admitida na carga é necessário verificar a potência máxima e a potência mínima entregue a carga

A potência máxima acontece quando α=0° assim toda a tensão de entrada é transferida a carga,

V Lef =V o .

cos cos 377 0,05 0,936

50

110

50 377 · .05

· 226,44 · 0,936 211,95

226,44

(10.1)

(10.2)

(10.3)

A potência mínima acontecerá quando α=180° assim o não haverá transferência de energia pois os dois tiristores permaneceram bloqueados. Assim se obtêm um ΔP=211,95W.

b) Para que seja fornecido apenas a metade da potência é necessário que haja a transferência de

aproximadamente 106W. Para que exista esta potência na carga é necessário ter a seguinte corrente

106

50

1,456

Sabendo que a corrente no tiristor é dado pela relação

√2

1,456

√2

1,029

Sendo I m a corrente de pico da carga para α=0°

2 | · |

2 · 110

|53,44|

2,91

1,029

2,91

0,353

(10.4)

(10.5)

(10.6)

(10.7)

Utilizando o valor encontrado no ábaco da fig 7.13 da pag.181 se obtêm α=82°.

T1 L= 100mH T2
T1
L= 100mH
T2

a) Calcule o valor do indutor equivalente para α=π/3.

O cálculo da indutância equivalente é dado pele seguinte expressão ·

2 · · 2 ·

(11.1)

Porém esta expressão é valida apenas para α entre 90° e 180°, assim utiliza-se o menor ângulo possível que é de 90°, o que resulta em L eq =L= 100mH.

12) Dada a estrutura do gradador abaixo com R=20Ω, cuja alimentação é senoidal, com um valor

eficaz de 127V e com freqüência de 60Hz.

T1 V(ωt) T2
T1
V(ωt)
T2

Carga

a) Calcule a temperatura no dissipador com resistência térmica de 2°C/W, supondo ambos os

tiristores no mesmo dissipador. Os tiristores permanecem conduzindo em intervalos de 0,7 segundos, com α=0°, intercalados com intervalos de 0,3 segundos com α=180°. (V to =1,0V; r T =0,02Ω; R thjc =0,9°C/W;

R thcd =0,5°C/W; Ta=50°).

b) Utilizando controle por ciclos inteiros se tem

1

16.66

0,7

16.66 42

0,3

16.66 18

Pelo ábaco da fig. 7.6 da página 174 se obtem para α=0°

·

√2 ·

0,5 · 2 · 127

20

0,5

4,49

·

√2 ·

0,32

0,32 · 2 · 127

20

2,87

Assim a potência dissipada por um tiristor conduzindo o tempo todo seria 20 4,49 1 2,87 3,27

Mas como o tiristor não conduz durante todo o período se tem

(12.1)

(12.2)

(12.3)

(12.4)

(12.5)

(12.6)

(12.7)

Onde m é o numero de ciclos onde há condução, M é o numero de ciclos total do período e P o é a potência total dissipada se conduzisse por todo o período.

42

· 3.27 · 60 2,289

(12.8)

Cálculo da temperatura de dissipador

Porém como há dois tiristores no mesmo dissipador a potência dissipada sobre o dissipador é

dobrada, assim

2 · 2,289 2,5 50 61,45°

(12.9)

13) Dada a estrutura do gradador abaixo com R=20Ω e L=10mH, cuja alimentação é senoidal , com

um valor eficaz de 110V e com freqüência de 60Hz.

D1

V(ωt) T2
V(ωt)
T2

Carga

Considerando α=120°, determinar:

a) O ângulo de extinção da corrente e o modo de condução da estrutura;

b) As correntes média e eficaz no tiristor T 2 .

Solução

a) Calculo do ângulo de extinção de corrente

cos cos 377 0,01 0,98

20

(13.1)

No semiciclo positivo o circuito funcionará como um meia onda monofásico a diodos e no semiciclo

negativo se comportara como um circuito de meia onda monofásico a tiristor.

Para o diodo, do ábaco de Puschlowski obtêm-se com:

α=0°

a= 0

cosΦ=1

β=180°

(13.2)

Para o tiristor, do ábaco de Puschlowski obtêm-se com:

α=120°

a= 0

cosΦ=1

β=180°

(13.3)

Como para haver condução contínua é necessário que o diodo permaneça em condução durante β c =180+120=300° logo este circuito operará em condução descontínua.

b) Calculando o valor de pico da corrente (Im) e utilizando os ábacos 7.12 e 7.13 da pag 180 para

ϕ= 10° se obtêm

2 | · |

2 · 110

|20,35|

7,65

0,2 0,2 · 7,65 1,53

0,075 0,075 · 7,65 0,5737

(13.4)

(13.5)

(13.6)

14)

Dada a estrutura do gradador abaixo com R=10Ω, cuja alimentação é 220·sen(ωt) e com

freqüência de 50Hz.

T1 V(ωt) T2
T1
V(ωt)
T2

Carga

Considerando uma potência na carga de 1500W.

a) Utilizando-se um controle por ciclos inteiros, com um período de 0,5 segundo, calcule o

intervalo de tempo em que são aplicados os ciclos à carga.

b) Mantendo o fator de potência unitário, o que pode ser feito para tornar mais suave o controle

de potência na carga? Este controle pode ser aplicado a um motor de indução? Justifique.

Solução

a) A potência máxima entregue a carga é de

155,56

10

2420

(14.1)

Com a freqüência de 50Hz cada período possui T=20ms assim o período total do controle por ciclos inteiros terá

0,5

0,02 25

(14.2)

Seguindo a relação entre numero de ciclos e potências abaixo pode se obter o numero de ciclos necessários para que se consigam os 1500W necessários.

·

1500

2420 · 25 15,5

(14.3)

b) Aumentando a relação M/m é possível melhorar o controle, tornando o suave. Este controle

por ciclos inteiros é amplamente utilizado em equipamentos que utilizam aquecimento resistivo, já que esses possuem uma constante de tempo grandes, já os motores de indução possuem uma constante de tempo menor, por isso não é indicada a sua utilização.

15) Dada a estrutura do gradador abaixo, cuja alimentação é senoidal com um valor eficaz de 220V

e com freqüência de 60Hz.

V(ωt)

Triac
Triac

Carga

Considerando uma carga RL de R=10Ω e L=50mH, calcule:

a) O dissipador necessário para acomodar o Triac. (V to =1V; r t =10mΩ; T a =40°;T j =150°)

b) O ângulo α necessário para fornecer 500W a carga.

Solução

a) Para calcular o dissipador se considera o pior caso possível, ou seja quando o TRIAC conduzir

pelo tempo todo, ou seja, neste circuito devido a presença da indutância α=60° pois ϕ=62°. Agora a corrente média e a corrente eficaz no TRIAC pode ser calculado utilizando o ábaco da fig. 7.6

lembrando que no TRIAC a corrente média para calculo da potência dissipada é multiplicada por 2 e na

corrente eficaz é multiplicada por 2 devido ao TRIAC ser responsável pela condução do ciclo positivo e do negativo ao contrário do tiristor que conduza apenas pelo ciclo positivo ou negativo, lembrando-se que o ábaco foi feito utilizando tiristores.

2 | · |

2 · 220

|21,34|

14,6

0,5 2 · 0,5 · 14,6 10,32

0,32 2 · 0,32 · 14,6 9,344

Assim a potência dissipada no TRIAC será de 10 10,32 1 9,344 10,41

Portanto a resistência de junção ambiente será

150 40

10,41

10,57° /

(15.1)

(15.2)

(15.3)

(15.4)

(15.5)

b) A máxima corrente eficaz que se conseguirá na carga será de 5,16A o que resultará numa

potência máxima de

500

10

7,07

(15.6)

Como a corrente eficaz na carga possui a corrente eficaz dos dois ramos do TRIAC é necessário

dividir a corrente por 2 para que se tenha a corrente eficaz como se fosse um único tiristor para poder se utilizar do ábaco da fig 7.13 da pag 181.

√2

7,07

√2

5

Sendo I m a corrente de pico da carga para α=0°

5

14,6 0,342

(15.7)

(15.8)

Com o valor obtido, através do ábaco se encontra α=88°

16) Dada a estrutura do gradador abaixo, cuja alimentação é I(ωt)=10·sen(ωt) com freqüência de

60Hz.

I(ωt)

   
       
 
       
 
       
D1

D1

 
        D1           T2    
       
T2
T2
        T2
 
   
   
 

Carga

Considere α=120° e R=10Ω.

a) Apresente as formas de onda de tensão e corrente de carga.

b) Calcule a tensão eficaz na carga.

c) Calcule a resistência térmica junção ambiente necessária para acomodar o diodo e o tiristor em

um único dissipador. (V to =0,85V; r T =0,02Ω; Tj=110°C; Ta=50°C).

Solução

a) No semiciclo negativo a corrente passará totalmente pelo diodo D1 e no semiciclo positivo

haverá condução pela carga enquanto o tiristor T2 estiver bloqueado como mostra as formas de onda a seguir

100V Tensão 0V -100V 10A Corrente 0A -10A 0 π 2π 3π 4π
100V
Tensão
0V
-100V
10A
Corrente
0A
-10A
0
π

b) A tensão eficaz na carga será dada pela seguinte expressão onde θ 1 =0° e θ 2 =120°

c)

2

1

2 ·

2

°

1

10 · 10

°

Para o tiristor através do ábaco da fig. 7.6 pag. 174 se obtêm ·

√2 ·

0,22

0,22 · 10 2,2

·

√2 ·

0,08

0,08 · 10 0,8

44,8

20 2,2 0,85 0,8 0,777

Para o diodo

2

1

2

2

1

10

5

(16.1)

(16.2)

(16.3)

(16.4)

(16.5)

1

2

2

1

10

2

3,18

20 5 0,85 3,18 3,2

Portanto a resistência de junção ambiente será

110 50

3,2

0,777 15,1° /

(16.6)

(16.7)

(16.8)

17) Dada a estrutura do gradador abaixo com R=10Ω, L=18,5mH, cuja alimentação é 155·sen(ωt) e

com freqüência de 50Hz.

T1 V(ωt) T2
T1
V(ωt)
T2

Carga

Considere α=60°.

a) Calcule a tensão eficaz na carga.

b) Calcule as componentes harmônicas de corrente da ordem 1, 3 e 5 na carga.

Solução

a)

314,16 0,0185

10

30,16°

(17.1)

Pelo ábaco da fig. 7.10 da pag. 178 se obtêm β=209, portanto o circuto funciona em condução descontínua.

2

1

2

2

°

1

155

°

b) Verificando o pico da corrente para α=0

2 | · |

155

|11,56| 13,4

Através dos ábacos da 7.14 à 7.16 se obtêm 0,85 0,85 · 13,4 11,40

0.125 · 13,4 1,61

0,066 0,066 · 13,4 0,88

0,125

91,4

(17.2)

(17.3)

(17.4)

(17.5)

(17.6)

 
   
   
 
 
 
 
 
 

Lc

 
 
    C
 

C

      Lc       C T1   T2  
      Lc       C T1   T2  

T1

 

T2

 
 
      Lc       C T1   T2  
      Lc       C T1   T2  
      C T1   T2   V(ωt) R L a) Supondo α=180° para a

V(ωt)

R

L

a) Supondo α=180° para a indutância controlada determine o valor do capacitor C para corrigir o

FP do sistema pra 1,0.

b) Considerar que a carga fooi alterada para 50Ω e 100mH. Calcule o ângulo de controle para FP

igual a 1,0.

Solução

a) O cálculo da indutância equivalente é dado pele seguinte expressão ·

2 · · 2 ·

(18.1)

Para α=180°, há indutância equivalente se torna infinita tornado um circuito aberto, assim pode-se achar o valor da capacitância para corrigir o FP

377 0,1

20

62°

127

20 377 · .1 378

· 378 · cos 62° 177,43

· 378 · sen 62° 333,75

(18.2)

(18.3)

(18.4)

(18.5)

Para que haja fator de potência unitário é necessário que Q=0, portando é necessário que a capacitância introduza 333,8 VAr capacitivo no circuito

127

333,8 48,32

Portando o valor do capacitor será de

1

1

1

· 48,32 · 377 54,9

b) Para a nova carga se tem

377 0,1

50

37°

127

50

377 · .1 257,6

·

257,6 · cos 37° 205,7

· 257,6 · sen 37° 155

Assim aparece uma diferença na potência reativa

(18.6)

(18.7)

(18.8)

(18.9)

(18.10)

(18.11)

333,8 155 178,8

(18.12)

Para que haja fator de potência unitário é necessário que Q=0, portando é necessário que a indutância controlada introduza 178,8 VAr indutivo no circuito

127

178,8 90,20

Portando o valor do indutor equivalente será de

90,2

 

377

239,3

(18.13)

(18.14)

Fazendo iterações na seguinte equação se obtem o ângulo de disparo · 100

110°

2 · 110° · 2 · 110°

174,8

120°

· 100

· 120° · 2 · 120° 255,8

2

115°

· 100 2 · 115° · 2 · 115° 209

118°

· 100

· 118° · 2 · 118° 235,3

2

Logo α é próximo de 118°.

19) Dado o circuito abaixo:

V(ωt)

R C
R
C

(18.15)

Onde: V o =220V; f=60Hz; R=2Ω; C=2,2mF;

a) Calcular a indutância para corrigir o FP para 0,98.

b) Qual será o ângulo α para corrigir com a indutância equivalente sendo L=18,1mH.

Solução

a)

1

· ·

1

377 · 2,2 · 2 31,08°

220

2

1

377

· 2,2

20725

· 20725 · cos 31,08° 17750

· 20725 · sen 31,08° 10699 (capacitiva)

Para FP= 0,98 se tem 11,48°.

Mantendo a potência ativa de 17750 se obtem

17750

0,98

18112

· 18112 · sen 11,48° 3604,7 (capacitiva)

(19.1)

(19.2)

(19.3)

(19.4)

(19.5)

(19.6)

É necessário verificar a quantidade de potência reativa indutiva que é necessária para elevar o FP para 0,98.

10699 3604,7 7094,3

220

7094,3 6,822

Portando o valor do indutor equivalente será de

6,822

 

377

18,1

(19.7)

(19.8)

(19.9)

b)

Sendo L=18,1mH é necessário um ângulo α=90° para que se mantenha L=Leq.

20)

Dada a estrutura do gradador abaixo, onde I o =30A, f=60Hz e R=10Ω.

I(ωt)

   
       
 
       
 
       
   
   

D1

D1 T2
T2
T2
         
         
   
 
   
 

Considere α=120°

a) Determine α para P=5000W

Carga

Solução No semiciclo negativo não haverá transferência de energia para a carga pois toda a corrente passará pelo diodo D1. Assim o comportamento da carga será como de um retificador de meia onda com ângulo α complementar. Para uma potência de 5000W é necessário uma corrente eficaz na carga de

5000

10

22,36

(20.1)

Porém com α=180° onde toda a corrente do semiciclo positivo passará pela carga, mas a máxima corrente eficaz que se conseguirá na carga é de

√2

30

√2 21,21

Ou seja não é possível obter os 5000W na carga.

(20.2)

21) Dado o circuito abaixo, onde: V o =220V, R= 10Ω, C=100uF, L=500mH e f=60Hz.

Lc V(ωt) T1 T2
Lc
V(ωt)
T1
T2

R

C

a) Calcular o indutor equivalente que compense a potência reativa capacitiva.

Solução

1

· ·

1

377 · 100 · 10 69,34°

220

10

1

377

· 100

1707,4

· 1707,4 · cos 69,34° 602,4

· 1707,4 · sen 37° 1597,6 (capacitiva)

(21.1)

(21.2)

(21.3)

(21.4)

Deve se compensar esta potência reativa capacitiva com potência reativa indutiva Para que haja fator de potência unitário é necessário que Q=0, portando é necessário que a indutância controlada introduza 1597,6 VAr indutivo no circuito

220

 

 

1597,6 30,30

Portando o valor do indutor equivalente será de

30,30

 

377

80,4

(21.5)

(21.6)

1)

Considere o conversor dual apresentado na figura abaixo, onde:

V 1 (ωt)=220·sen(ωt), V 2 (ωt)=220·sen(ωt-120°), V 3 (ωt)=220·sen(ωt+120°), f=60Hz, α p =135° e Z (L=100mH; R a =2Ω)

V1

V2

V3

α p =135° e Z (L=100mH; R a =2Ω) V1 V2 V3 - L/2 + L/2
α p =135° e Z (L=100mH; R a =2Ω) V1 V2 V3 - L/2 + L/2
- L/2
-
L/2
p =135° e Z (L=100mH; R a =2Ω) V1 V2 V3 - L/2 + L/2 VL

+

L/2

VL

Z
Z
e Z (L=100mH; R a =2Ω) V1 V2 V3 - L/2 + L/2 VL Z V1

V1

V2

(L=100mH; R a =2Ω) V1 V2 V3 - L/2 + L/2 VL Z V1 V2 V3

V3

a) Desenhe as formas de onda das tensões V P , V N e V L .

b) Desenhe as formas de onda da tensão sobre a carga Z, a corrente nos indutores de circulação e

a corrente na carga Z.

c) Calcule o valor do indutor L para que a máxima corrente média de circulação seja 20% da

máxima corrente de carga.

Solução

a) α p +α n =180° α n =45° 150 Vp 0 -150V -300V
a) α p +α n =180° α n =45°
150
Vp
0
-150V
-300V

150

Vn

0

-150V

-300V

a) α p +α n =180° α n =45° 150 Vp 0 -150V -300V 150 Vn
400 VL 0V -400V 0 π 2π 3π 4π
400
VL
0V
-400V
0 π

b)

c)

400V

Vz

0V

-400V

80A

ILp

60A

40A

20A

0A

80A

ILn

60A

40A

20A

0A

Vz 0V -400V 80A ILp 60A 40A 20A 0A 80A ILn 60A 40A 20A 0A 0A
Vz 0V -400V 80A ILp 60A 40A 20A 0A 80A ILn 60A 40A 20A 0A 0A
Vz 0V -400V 80A ILp 60A 40A 20A 0A 80A ILn 60A 40A 20A 0A 0A
0A Iz -20A -40A -60A -80A 0 π 2π 3π 4π Para um conversor dual
0A
Iz
-20A
-40A
-60A
-80A
0
π
Para um conversor dual em condução contínua a tensão média na carga é dada por
1.17

(1.1)

Para a maior tensão média na carga e conseqüentemente a maior corrente média na carga α=0.

1.17 155,56 cos 0 182

Assim

182

2

91

A máxima corrente de circulação acontece para os ângulos de α p =60° e α p =120°.

Utilizando α p =60° na fig 5.12 da pág

151 do livro Eletrônica de potência de Ivo Barbi se obtêm · ·

√2 ·

0,567

Sendo que se deseja 20% de ondulação na corrente 0,2 · 0,2 · 91 18,2

Assim

0,567 · 2 · ·

0,567 · 220 377 · 18,2

18,2

(1.2)

(1.3)

(1.4)

(1.5)

(1.6)

2)

Dada a estrutura do gradador abaixo com R=20Ω, cuja alimentação é senoidal, com um valor

eficaz de 127V e com freqüência de 50Hz.

T1 V(ωt) T2
T1
V(ωt)
T2

Carga

a) Calcule a temperatura na cápsula de um tiristor considerando que este está acoplado a um

dissipador com resistência térmica de 5°C/W, que os tiristores permanecem conduzindo em intervalos de 0,2 segundos, com α=0°, intercalados com intervalos de 0,3 segundos com α=180°. (V to =1,0V;

r T =0,02Ω; R thjc =0,9°C/W; R thcd =0,5°C/W; Ta=50°).

Solução

a) Utilizando controle por ciclos inteiros se tem

1

20

0,2

0,02 10

0,3

0,02 15

Pelo ábaco da fig. 7.6 da página 174 se obtêm para α=0°

·

√2 ·

0,5 · 2 · 127

20

0,5

4,49

·

√2 ·

0,32

0,32 · 2 · 127

20

2,87

(2.1)

(2.2)

(2.3)

(2.4)

(2.5)

Assim a potência dissipada por um tiristor conduzindo o tempo todo seria

20 4,49 1 2,87

3,27

(2.6)