Você está na página 1de 2
COLÉGIO JOÃO PAULO II Português – 7º ano FICHA INFORMATIVA Ano Letivo 2012/2013

COLÉGIO JOÃO PAULO II Português 7º ano

FICHA INFORMATIVA

Ano Letivo 2012/2013

COLÉGIO JOÃO PAULO II Português – 7º ano FICHA INFORMATIVA Ano Letivo 2012/2013

TEXTO NARRATIVO

Relato de uma história real ou imaginária, narrada por um narrador, cujas personagens se envolvem numa ação, que decorre num determinado espaço, durante um certo período de tempo. Enquanto narra, o narrador pode incluir descrições, diálogos e mesmo algumas reflexões.

A. CATEGORIAS DA NARRATIVA

I.ACÇÃO – Desenrolar dos acontecimentos que constituem a “história” (intriga). Quando se fala em ação, há a distinção entre:

Ação central

Ação(ões) secundária(s)

Estes acontecimentos são considerados principais ou secundários, conforme o seu grau de importância. Momentos da ação

Situação inicial

Peripécias

Ponto culminante

Desenlace

II. ESPAÇO Lugar ou lugares onde decorre a ação. Os espaços podem ser físicos, sociais ou psicológicos.

1

Espaço Físico - Lugar ou decorre a ação.

Espaço Psicológico - Lugar das emoções e do pensamento das personagens. Trata-se do espaço vivenciado pela personagem, de acordo com o seu estado de espírito; por exemplo, vê o espaço alegre, se está alegre, e vê-o triste, se está triste. Também pode corresponder ao lugar do pensamento, emoção, sonho ou memória das personagens que pode ser expresso, por exemplo, através do monólogo interior.

Espaço Social - Meio social a que pertencem e onde se movem as personagens.

III. TEMPO Momentos em que decorre a ação. Com frequência, há recuos (analepses) e avanços (prolepses) em

relação ao tempo da história. O tempo pode ser:

Cronológico - Marcas da passagem do tempo: dia, mês, ano …

Histórico - Enquadramento histórico da ação.

Psicológico Tempo vivenciado subjetivamente pelas personagens.

IV. PERSONAGENS Agentes ou intervenientes na ação. Sua importância na narrativa

Central ou protagonista Desempenha o papel de maior importância.

Secundária Desempenha papéis de menor relevo.

Figurante não desempenha qualquer papel específico, embora a sua existência seja importante para a compreensão da ação. Pode tratar-se de uma personagem individual ou coletiva.

Tipologia

Planas ou “tipos”: estáticas, sem vida interior.

Modeladas ou “caracteres”: dinâmicas, com vida interior, ou seja, com valor psicológico.

Processos de caracterização das personagens

Caracterização Direta - Através das palavras da própria ou de outras personagens e/ou de afirmações do narrador.

Caracterização Indireta - Deduções feitas pelo leitor a partir de atitudes e ações das personagens.

V. NARRADOR Aquele que conta a história.

Ponto de vista do narrador Presença do narrador

Participante ou presente Narrador identificado com uma personagem; texto na 1ª pessoa.

Não-participante ou ausente Narrador como observador, testemunha; texto enunciado na 3ª pessoa.

Posição do narrador

Objetivo narra os acontecimentos sem comentários pessoais.

Subjetivo narra os acontecimentos, dando direta e indiretamente a sua opinião.

Ciência do narrador

Omnisciente está sempre presente, predominando a narração e a descrição comentada.

Não-omnisciente não há comentários e as personagens são apresentadas apenas pelo diálogo, gestos e

ações.

B. SEQUÊNCIA NARRATIVA DAS ACÇÕES

Encadeamento - Ordenação temporal das ações.

Encaixe - Inclusão de uma ação noutra.

Alternância - Entrelaçamento das ações, ou seja, passagem alternada de uma ação a outra.

C. MODOS DE APRESENTAÇÃO /REPRESENTAÇÃO

2

Narração Relato de ações e de acontecimentos reais ou imaginários.

Descrição Apresentação com algum pormenor das personagens, dos objetos, dos ambientes. Integra-se normalmente na narração.

Diálogo Conversa entre personagens.

Monólogo Reprodução da linha de pensamento de uma personagem, eventualmente da sua fala consigo própria.

Bom estudo!! Ema Sá Barros