Você está na página 1de 153

RELATÓRIO DE IMPACTO AMBIENTAL - RIMA

COMPLEXO PETROQUÍMICO DO RIO DE JANEIRO


Sumário

O relatório de impacto ambiental ......................................................................... 03

Como ler este relatório ? ...................................................................................... 04

COMPERJ : renovação econômica e ambiental para o estado do Rio de Janeiro ........ 05

O empreendedor ............................................................................................... 07

Objetivos .......................................................................................................... 09

Do petróleo ao plástico ....................................................................................... 17

Escolha do local e tecnologias ............................................................................. 33

O meio ambiente ............................................................................................... 45

Avaliação dos impactos ambientais e cenários futuros ............................................ 89

Medidas, planos e programas ambientais ........................................................... 111

Conclusões ......................................................................................................135

Glossário ........................................................................................................ 141

Equipe técnica ................................................................................................. 149


O RELATÓRIO recomenda medidas para potencializar os
DE IMPACTO AMBIENTAL impactos positivos e reduzir ou compensar os
impactos negativos através de planos,
programas e projetos voltados para a
Para construir e operar qualquer
melhoria do meio ambiente.
empreendimento que afete o meio ambiente,
o empreendedor deve se submeter a um
Todas as alternativas de localização e
processo de licenciamento ambiental. No
tecnologia devem ser apresentadas no EIA.
caso do Rio de Janeiro, este processo se inicia
Este estudo reflete o processo decisório de
com um requerimento de licença apresentado
investimento com relação às alternativas
no órgão ambiental competente. previamente examinadas, trazendo os
fundamentos que levaram à decisão final
O sistema de licenciamento ambiental quanto à tecnologia e localização.
de atividades poluidoras teve início no Rio de
Janeiro, em 1975, com a criação do Sistema de O RIMA foi criado com o objetivo de
Licenciamento de Atividades Poluidoras – SLAP produzir e expor as informações sobre o EIA
e da Fundação Estadual de Engenharia do para a população em geral. Este relatório deve
Meio Ambiente – FEEMA. Este sistema hoje tem ser elaborado em linguagem objetiva e
suporte na legislação brasileira, desde a acessível à população e usar mapas,
criação do Conselho Nacional do Meio fotografias, gráficos e figuras ilustrativas. No
Ambiente – CONAMA e do Instituto Brasileiro momento de apresentação do EIA-RIMA, o
do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais empreendedor já terá solicitado a licença
Renováveis – IBAMA. prévia. O EIA foi produzido para embasar a
decisão do órgão ambiental quanto à
Para os empreendimentos de grande concessão da licença prévia, que é dada na
porte e/ou de significativo potencial poluidor, fase preliminar do planejamento. O RIMA, por
a legislação ambiental federal e estadual sua vez, tem como objetivo informar à
exige a prévia elaboração de Estudo de população, conferindo transparência ao
Impacto Ambiental – EIA e respectivo processo de licenciamento e oferecendo
Relatório de Impacto Ambiental – RIMA. oportunidade de diálogo em torno dos
cuidados ambientais que deverão ser adotados
O Estudo de Impacto Ambiental para as próximas fases de licenciamento do
demonstra em detalhes o desempenho do empreendimento. Após esta etapa, segue-se a
projeto e também a situação ambiental da licença de instalação, que autoriza a
região onde se pretende localizar o implantação do projeto de acordo com os
empreendimento. Estas informações básicas planos, programas e projetos aprovados.
são organizadas para convergir numa
análise dos potenciais impactos ambientais Finalmente tem-se, a licença de
da sua implantação. Após a identificação dos operação, que autoriza a entrada em
impactos ambientais, que é a finalidade do funcionamento do empreendimento, depois
EIA, estes devem ser avaliados. O estudo de comprovado o cumprimento das licenças
anteriores.

3
COMO LER ESTE RELATÓRIO ?

Aqui, o RIMA do Complexo


Petroquímico do Rio de Janeiro – COMPERJ
está organizado em capítulos, que se inicia
com a apresentação do documento e
identifica o empreendedor: a Petrobras.
Mais adiante, os objetivos e justificativas do
empreendimento são apresentados no
capítulo Do petróleo ao plástico. A seguir, o
projeto é conhecido pelas suas
características, matérias-primas, insumos,
tecnologia e os principais processos
industriais.

O documento também descreve a


região do projeto, os impactos ambientais
previstos e os planos e programas para
tratar os impactos.

Este RIMA do COMPERJ será


entregue a diversas instituições, como o
Governo do Estado, Ministério Público,
Prefeituras e sociedade civil organizada.
Caso o leitor fique motivado a conhecer
mais, é possível consultar o Estudo de
Impacto Ambiental do COMPERJ na
Fundação Estadual de Engenharia do Meio
Ambiente – FEEMA, mediante
agendamento prévio. A comunidade
também terá a oportunidade de discutir o
empreendimento em audiências públicas.

Fundação Estadual de Engenharia do


Meio Ambiente – FEEMA

Rua Fonseca Teles, 121, 8º andar, São Cristóvão,


Rio de Janeiro, RJ,
CEP 20940-200.
www.feema.rj.gov.br
Central de Atendimento: 21 3891-3366.

4
COMPERJ: RENOVAÇÃO Em Itaboraí, o COMPERJ vai
ECONÔMICA E AMBIENTAL viabilizar e utilizar o Arco
Metropolitano, de Itaboraí ao Porto de
PARA O ESTADO DO RIO
Itaguaí – um antigo e importante projeto
O estado do Rio de Janeiro tem hoje a do estado do Rio de Janeiro. Ao longo do
possibilidade de reverter um processo de Arco Metropolitano poderão se instalar
esvaziamento econômico que começou com a indústrias que serão consumidoras de
mudança da capital federal para Brasília, matérias-primas produzidas pelas
acentuou-se na fusão com a Guanabara e indústrias de base situadas nas
aprofundou-se com a fuga de investimentos, extremidades do Arco: aço em Itaguaí e
aumento da criminalidade e perdas plásticos em Itaboraí, no COMPERJ.
ambientais no interior. Este empreendimento
pode dar oportunidade de crescimento Esta localização foi a que
econômico de forma positiva para o estado. proporcionou o melhor aproveitamento
da logística existente, mais
A perspectiva se abre com a competitividade para a cadeia produtiva
instalação do Complexo Petroquímico do Rio e maior inclusão social, já que distribui
de Janeiro – COMPERJ, o maior projeto benefícios para um número maior de
individual da história da Petrobras. O municípios do estado.
empreendimento será implantado no
município de Itaboraí e encontra-se em sua Está prevista a criação de mais de
fase de planejamento. 200 mil empregos diretos, indiretos e por
“efeito-renda”, a nível regional e
A localização em Itaboraí levou em nacional. Para capacitar a mão-de-obra
consideração a disponibilidade e as em vários níveis de escolaridade, a
facilidades da região. Petrobras, em parceria com prefeituras,
irá proporcionar qualificação
profissional. Os efeitos repercutirão na
região e em todo o estado.

5
Desde junho de 2007, o COMPERJ Vários produtos finais de todo esse
deu início ao projeto do Corredor Ecológico, processo têm sua base no petróleo pesado,
que prevê o plantio de 4 milhões de mudas. como tanques de combustível, artefatos de
Considerando que no município de Itaboraí utilidade doméstica, pára-choques, garrafas
restam hoje apenas 2,9 % da floresta original, de refrigerante e assim por diante.
este empreendimento representará uma
renovação não apenas econômica como Além das empresas que estarão
ambiental para a região. diretamente envolvidas na construção do
empreendimento, estudos da Fundação
Mas em que consiste o empreendimento Getúlio Vargas indicam que nada menos que
e qual será seu significado concreto para a 720 empresas poderão se instalar na região
economia? Na realidade, o COMPERJ só se até 2015, na indústria de transformação,
tornou possível graças a um salto tecnológico para produzir plásticos a partir dos produtos
alcançado pelo Centro de Pesquisas Leopoldo do COMPERJ. O resultado será um efeito de
Miguez de Mello – CENPES, que possibilitou o encadeamento econômico que beneficiará
emprego do petróleo pesado Marlim, intensa e diretamente os municípios vizinhos,
proveniente da Bacia de Campos, como indiretamente todo o estado e, também, a
matéria-prima para a indústria petroquímica. economia nacional como um todo.
Este processo tecnológico representará para o
país uma economia superior a R$ 4 bilhões por Mas o efeito do empreendimento será
ano, já que haverá redução na importação de visível bem antes de 2015. Já na fase de
fontes de matéria-prima petroquímica e na construção (previsão 2008) o COMPERJ
exportação do petróleo pesado. proporcionará importantes efeitos na região,
pelas suas necessidades de bens e serviços.

O que é petróleo pesado ? O que é CENPES ?

É um tipo de petróleo de menor É o Centro de Pesquisas Leopoldo


Miguez de Mello da Petrobras, onde
qualidade que demanda maior
são desenvolvidas inúmeras tecnologias
tratamento para ser refinado. que ajudam a aumentar a qualidade
dos processos de produção.

6
O EMPREENDEDOR

Nome da Empresa: Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras


Endereço: Av. Chile, 65, Centro - Rio de Janeiro - CEP 20031-912

CNPJ Nº: 33000167/0001-01

Inscrição Estadual: 81281882

Para efeito do licenciamento ambiental prévio do empreendimento, o representante legal da


Petrobras será Victor Manuel Martins Pais, na Av. Rio Branco, 1 - 20o andar, Centro - Rio de
Janeiro, telefone 21 - 3487-6010

7
Objetivos
O QUE É O COMPERJ ?

Considerado o maior empreendimento


individual da história da Petrobras, o Complexo
Petroquímico do Rio de Janeiro é o resultado de
um investimento estimado em R$ 15 bilhões.
Tendo como seu principal objetivo refinar 150
mil barris diários de petróleo pesado
proveniente da Bacia de Campos (Marlim), o
COMPERJ está previsto para entrar em
operação em 2012 e deve gerar para o país
uma economia de divisas superior a R$ 4
bilhões por ano, em decorrência da redução
da importação de fontes de matéria-prima
petroquímica e da redução da exportação de
petróleo pesado.

O COMPERJ marca a retomada da


Petrobras ao setor petroquímico e integra, de
forma pioneira no Brasil, operações de refino
com a produção petroquímica.

Hoje o Brasil consome cerca de dez


milhões de toneladas por ano de nafta
derivada do refino do petróleo. A nafta é
utilizada principalmente como matéria-prima
da indústria petroquímica. Das necessidades
totais de consumo de nafta do País, 70% são
fornecidos pelas refinarias da Petrobras, sendo
o restante importado. Esta nafta é a matéria-
prima empregada nos pólos petroquímicos de
– Camaçari (Bahia), Capuava (São Paulo) e
Triunfo (Rio Grande do Sul).

11
POR QUE O COMPERJ É Assim sendo, a implantação de uma
refinaria integrada a uma central
BOM PARA O PAÍS? petroquímica e outras unidades industriais
surge como uma alternativa econômica para
o país.
A escassez relativa de nafta
petroquímica e de gás natural nos próximos
Na refinaria, ocorrerá a separação do
anos conduz a um cenário de reduzido
petróleo em frações. A central petroquímica
i nvestimento para a produ ção d e
compreende um conjunto de unidades
petroquímicos básicos no país, matérias-
geradoras de matéria-prima para a produção
primas para produção de plásticos, e
de plásticos e de unidades responsáveis pela
conseqüente importação, inclusive dos
conversão desses produtos petroquímicos
polímeros e outros produtos de segunda
básicos.
geração.

O COMPERJ é uma opção competitiva


para o crescimento da indústria petroquímica
brasileira.

A partir de sua operação, aumentará


a oferta de matéria-prima para produtos de
consumo, o que provavelmente motivará
outras empresas a instalarem-se nos
municípios vizinhos e ao longo do Arco
Metropolitano, que ligará Itaboraí ao Porto
de Itaguaí.

Estas empresas farão a transformação


dos produtos petroquímicos em bens de
consumo, como copos e sacos plásticos,
embalagens de alimentos e de cosméticos,
brinquedos, fibras para a indústria têxtil e
garrafas de refrigerantes e de água, assim
como componentes para as indústrias
montadoras de automóveis, eletrodomésticos
entre outros.

12
DESENVOLVIMENTO PROJETO CORREDOR
SUSTENTÁVEL E ECOLÓGICO
RESPONSABILIDADE SOCIAL
Em parceria com a Embrapa –
Várias ações institucionais estão Empresa Brasileira de Pesquisa
sendo desenvolvidas pela Petrobras em Agropecuária, a Petrobras criará, na área
paralelo ao projeto de engenharia e ao interna do COMPERJ, o Corredor Ecológico.
licenciamento ambiental. A idéia é garantir O objetivo é recompor a mata ciliar e a
que a implantação do empreendimento no vegetação de transição de manguezal para a
local atenda aos princípios do floresta atlântica, além da valorização e
desenvolvimento sustentável e da proteção de áreas de vegetação restante.
responsabilidade social. Milhões de mudas de espécies locais serão
utilizadas no reflorestamento.
Destacam-se: os levantamentos
cadastrais e sociais, indispensáveis ao
processo de desapropriação e
O que é mata ciliar ?
reassentamento, quando pertinente, de
moradores da área do COMPERJ; a
realização de trabalhos de avaliação É a mata estreita que está na beira dos
socioambiental e diálogo com as rios. Como os cílios que protegem os
comunidades; a capacitação de mão-de- olhos, a mata ciliar protege os rios.
obra, através do Centro de Integração; e o Também é chamada de mata de galeria.
projeto do Corredor Ecológico, entre outras
iniciativas que estão descritas a seguir.

PROGRAMA DE O projeto prevê um milhão de metros


quadrados de mata ciliar do rio Macacu, 500
REMANEJAMENTO E
mil metros quadrados de mata ciliar do rio
MONITORAMENTO DA Caceribu e 10 milhões de metros quadrados
POPULAÇÃO DESLOCADA de áreas não edificantes, equivalentes a
PELA DESAPROPRIAÇÃO aproximadamente um terço do terreno do
empreendimento. A Petrobras mobilizará a
O processo de desapropriação está sendo população local como parceira no projeto de
conduzido com base nos seguintes princípios: reflorestamento.

• oferta justa em dinheiro ao proprietário do valor


resultante do laudo de avaliação, elaborado
pelos especialistas, como indenização da
residência, do terreno, das culturas e das demais O que é corredor ecológico ?
benfeitorias;
É uma faixa de vegetação para servir
• reassentamento assistido (caseiros, posseiros de trânsito dos animais entre áreas
etc), quando pertinente, em função da avaliação de matas protegidas.
socioeconômica do cadastro de moradores nas
áreas desapropriadas e do processo de
negociação.

13
APOIO AO CONLESTE ajudar a sociedade a maximizar os benefícios e
amenizar ou compensar impactos
O Consórcio Intermunicipal de desfavoráveis do empreendimento.
Desenvolvimento da Região Leste Fluminense
– CONLESTE foi constituído por iniciativa dos O Fórum é presidido pelo Governador,
onze municípios da área de abrangência do com a participação de todas as secretarias de
COMPERJ, logo após o anúncio da Estado e participação da Assembléia
localização feito pela Petrobras, com o Legislativa do Estado do Rio de Janeiro – ALERJ.
objetivo de promover o desenvolvimento local Além da Petrobras, a União está representada
equilibrado através de planejamento e no Fórum COMPERJ pelo Ministério das
execução de ações coordenadas. Cidades, Banco Nacional de Desenvolvimento
Econômico e Social – BNDES e da Caixa
Fazem parte do CONLESTE os Econômica Federal – CEF.
municípios de Itaboraí, São Gonçalo,
Cachoeiras de Macacu, Casimiro de Abreu, O Fórum Comperj conta ainda com a
Guapimirim, Niterói, Magé, Maricá, Rio participação de todos os municípios do
Bonito, Silva Jardim e Tanguá . CONLESTE, representantes das universidades
(UFF, UFRJ e UFRRJ), dos empresários (Firjan,
FÓRUM COMPERJ Fecomércio, Sebrae, Senai e Organização
Nacional da Indústria do Petróleo), dos
O Fórum Permanente para o trabalhadores (Federação Única dos
Desenvolvimento da Área de Influência do Petroleiros), dos ambientalistas (Apedema) e
COMPERJ (Fórum COMPERJ) foi instituído pelo dos moradores através do Conselho
Governo do Estado através do decreto 40.916, Comunitário Regional do COMPERJ
de 28 de agosto de 2007. Foi criado para (Concrecomperj).

Grupo Executivo
do Gov. Federal

Governo
do Estado CONLESTE

Fórum
COMPERJ
Sociedade Instituições
Independentes
Civil

Legislativo

Diagrama do Fórum COMPERJ

14
EMPREGOS E CAPACITAÇÃO para a prova de seleção em seis
categorias profissionais para o 1º Ciclo
O COMPERJ vai transformar o perfil do Plano de Qualificação Profissional do
sócioeconômico da região. Sua instalação Centro de Integração do COMPERJ.
deve gerar mais de 200 mil empregos diretos,
indiretos e por “efeito-renda”, em nível Os Planos de Qualificação
regional e nacional, durante os cinco anos da Profissional, aliás, serão periodicamente
obra e após a entrada em operação. Para reavaliados (público-alvo, conteúdo
atender esta demanda, a Petrobras, em programático e cronograma de aulas),
parceria com as Prefeituras, vai implantar assegurando que o Centro de Integração
Centros de Integração nos 11 municípios do esteja alinhado com as necessidades de
entorno do Complexo Petroquímico (Itaboraí, capacitação. Os cursos serão definidos
São Gonçalo, Cachoeiras de Macacu, de acordo com as necessidades de cada
Casimiro de Abreu, Guapimirim, Niterói, município, sempre em parceria com a
Magé, Maricá, Rio Bonito, Silva Jardim e prefeitura e representantes da sociedade
Tanguá). O objetivo é capacitar cerca de 30 civil.
mil profissionais da região, em 60 tipos de As equipes envolvidas com os
cursos gratuitos. Desse total, 75% serão em Centros de Integração mapearão
nível básico, 23% em nível técnico e 2% em instituições de ensino locais em busca de
nível superior. possíveis parcerias. Estes centros de
formação técnica, universidades e
Os Centros de Integração do instituições de ensino é que fornecerão
COMPERJ fazem parte do Programa de qualificação e capacitação necessárias
Mobilização da Indústria Nacional de nos diversos níveis e áreas de formação.
Petróleo e Gás Natural – PROMINP. Para
ingressar nos Centros, os candidatos terão de Os alunos formados pelos Centros
passar por processo seletivo. Em julho de Integração poderão ou não trabalhar
de 2007, 21 mil pessoas no Complexo. De qualquer forma, após o
inscreveram-se curso, serão fortes candidatos a empregos
em empresas que devem se instalar no
entorno do COMPERJ.

Maquete do prédio do Centro de Integração de São Gonçalo

15
Do petróleo ao plástico
A palavra petróleo vem do grego O COMPERJ promoverá uma
petrelaion, que significa óleo da pedra. O transformação ainda mais completa do
petróleo é formado pela modificação de petróleo, fornecendo ao mercado e à
matéria orgânica, restos vegetais e restos de sociedade produtos de grande utilidade, que
animais marinhos, que aconteceu durante tornam a vida mais confortável e prática: os
centenas de milhões de anos. plásticos e outros produtos petroquímicos,
que hoje são encontrados em qualquer
O petróleo é, em sua forma natural, residência, escritório, supermercado,
um líquido inflamável, viscoso, de odor automóvel e no campo.
característico, e com várias cores, variando
do castanho-claro ao preto. Entretanto, não EXPLICANDO O COMPERJ
há qualquer utilidade prática para o petróleo
extraído da terra. No COMPERJ, o petróleo passará por
duas etapas de produção. Na primeira,
O valor de mercado crescente ocorre chegará da Bacia de Campos por dutos e será
graças à transformação do petróleo em transformado em produtos petroquímicos
produtos mais úteis, que são fabricados nas básicos; na segunda fase, estes produtos
refinarias: gasolina, óleo diesel, asfalto, gás virarão resina plástica. Numa terceira etapa,
de cozinha etc. fora do COMPERJ, estas resinas plásticas vão
se transformar em bens de consumo, como
No Rio de Janeiro, a Petrobras fabrica portas de geladeira ou peças de carro.
estes produtos na Refinaria Duque de Caxias
desde a década de 60.

Atualmente a produção de
petroquímicos é feita através do
processamento da nafta, em centrais
localizadas em três pólos do país: Pólo
Petroquímico de Camaçari – Braskem (BA),
Pólo Petroquímico de São Paulo - PQU (SP) e
Pólo Petroquímico do Sul – Copesul (RS). Além
disso, no Pólo Gás Químico do Rio de Janeiro
– Riopol – os petroquímicos são extraídos do
processamento do gás natural.

O Complexo Petroquímico do Rio de


Janeiro – COMPERJ transformará,
diretamente e num único local, o petróleo em
resinas plásticas e outros produtos
petroquímicos de uso variado.

19
OS PLÁSTICOS DO COMPERJ

O COMPERJ vai produzir cerca de 2,3


milhões de toneladas/ano de resinas
plásticas de três tipos: polietileno,
polipropileno e PET.

O produto, limpo e não tóxico, será


vendido na forma de pequenas pelotas
brancas ou coloridas de resina.

Um brasileiro consome em média 25


quilos de plásticos por ano. Esse consumo
cresceu mais de 30% nos últimos dez anos.

Os principais fatores que motivam o


aumento do consumo de plásticos são a sua
leveza, resistência e o seu baixo custo. A
inserção desse material nos produtos de
consumo proporcionou a redução do peso e
do preço dos utensílios e bens duráveis em
geral, como geladeiras, ventiladores e
aparelhos de ar-condicionado. Por exemplo,
cada automóvel possui de 50 a 100 quilos de
plástico. Com a redução da quantidade de
metal na montagem dos carros, os veículos
ficaram mais leves e mais baratos.

47
20
PRODUTOS PETROQUÍMICOS
DO COMPERJ

Além das resinas plásticas, o


COMPERJ vai produzir PTA, etilenoglicol,
benzeno, estireno e butadieno, que serão
vendidos para outras indústrias químicas.

Esses produtos darão origens a pneus,


fibras sintéticas, embalagens de alimentos, de
remédios, de cosméticos etc.

Em geral, estes produtos sairão do


COMPERJ na forma líquida, através de dutos
e caminhões especiais.

21
PRODUTOS DE REFINO DO
COMPERJ

O COMPERJ também terá produtos


típicos de uma refinaria, embora em
quantidade reduzida, como:

• Óleo diesel de alta qualidade – para


combustíveis

• Nafta – para fabricação de solventes


especiais, combustíveis e petroquímicos

• Coque – para usinas siderúrgicas

• Enxofre – para indústrias químicas

Estes produtos sairão do COMPERJ


através de dutos (produtos líquidos),
caminhão ou trem (sólidos).

47
22
ETENO E PROPENO o petróleo passará até se transformar em
petroquímicos de alto valor.
Uma curiosidade com relação ao
COMPERJ é que os produtos que são No COMPERJ, essas “fábricas” e
produzidos em maior quantidade, os gases outras instalações são agregadas em blocos
eteno e propeno, são os mais importantes maiores chamadas Unidades. O COMPERJ
produtos da petroquímica mundial. possui, além de um grande projeto florestal
(Corredor Ecológico), cinco principais
O COMPERJ produzirá 1,3 milhões de Unidades:
toneladas/ano de eteno e 880 mil
toneladas/ano de propeno. Esses gases • UPB (Unidade de Petroquímicos Básicos)
devem ser consumidos dentro do próprio
COMPERJ, transformando-se em polietileno, • UPA (Unidades Petroquímicas Associadas)
etilenoglicol, estireno e polipropileno.
• UTIL (Unidade de Utilidades)
Para que o petróleo possa em um único
• AUX (Unidade Auxiliares de Processos )
local transformar-se nos produtos citados,
serão instaladas muitas “fábricas” dentro do
• Apoio (Unidades de Apoio, Transportes e
próprio COMPERJ, cada uma delas
Transferência)
destinadas a cumprir seu papel no trajeto que

Polietileno

Etilenoglicol

Estireno
Molécula de eteno

Polipropileno

Molécula de propeno

23
24
47
O COMPERJ

Apoio e Transporte Utilidades

Unidade de Unidades
Petroquímicos Petroquímicas
Básicos Associadas
UPB UPA

Auxiliares de Processo Corredor Ecológico


que é um produto sólido semelhante ao
car vão. Esse processo é chamado
coqueamento, e diferencia-se da pirólise por
ser um aquecimento mais moderado.

Unidade de A destilação e o coqueamento


Petroquímicos
produzem correntes que serão combinadas e
Básicos
direcionadas para o hidrocraqueamento, que
UPB
vai quebrar e purificar ainda mais esses
líquidos, através de hidrogênio em altas
temperaturas e pressões controladas.

A parte mais leve desses produtos do


hidrocraqueamento vai também alimentar a
pirólise e originar ainda mais eteno e
UNIDADE DE propeno. Esta unidade vai produzir também
PETROQUÍMICOS BÁSICOS óleo diesel de alta qualidade, sem enxofre e,
portanto, mais adequado ambientalmente.
A UPB é a unidade que vai transformar
o petróleo em eteno, propeno, butadieno, O FCC petroquímico (craqueamento
benzeno e para-xileno. Esses produtos são catalítico fluido petroquímico) é uma
muito mais leves que o petróleo. Pode-se dizer inovação tecnológica da Petrobras, que
que na UPB realiza-se uma seqüência de promove a quebra das frações oleosas
ações de separação, “quebra” e purificação restantes em eteno e propeno com alto
das moléculas. rendimento e a temperaturas bem inferiores
às da pirólise, maximizando o
Inicialmente, é necessário dividir-se o aproveitamento do petróleo para a produção
petróleo recebido em suas frações e de petroquímicos.
derivados, através de um processo comum de
refino chamado destilação. Cada produto da Além de eteno e propeno, o FCC
destilação seguirá um caminho, em geral, petroquímico resulta também em uma “nafta
distinto. de PFCC”, que é uma fração leve, de aspecto
semelhante a uma gasolina comercial. A
As frações mais leves desta destilação pirólise, por sua vez, também produz uma
serão purificadas por ação do hidrogênio chamada “gasolina de pirólise”. As duas
(hidrotratamento), que remove as impurezas, serão tratadas com hidrogênio e
para que suas moléculas possam ser encaminhadas para a produção de
quebradas rapidamente em altas aromáticos (benzeno e para-xileno). A
temperaturas na pirólise, resultando, após pirólise também gera butadieno, que, para
separações especiais, principalmente em ser vendido, é separado por extração.
eteno e propeno.
O que são derivados ?
Os derivados mais pesados da
destilação, que são muito viscosos, serão São produtos decorrentes da separação
aquecidos de forma controlada, resultando física ou da transformação química do
em frações oleosas mais leves, além de coque, petróleo.

25
através da reação de moléculas de eteno e de
benzeno. O estireno não está presente
diretamente na vida das pessoas, uma vez
que é apenas intermediário para fabricação
de outros produtos como o poliestireno.
Unidades
Petroquímicas
Associadas O eteno restante é encaminhado para
UPA a fabricação de etilenoglicol, também líquido,
fabricado a partir da combinação em
condições controladas de eteno, oxigênio
(retirado do ar) e água. Seu uso mais comum
é como intermediário para a produção de
poliéster .

UNIDADES PETROQUÍMICAS A fabricação de PTA (ácido tereftálico


ASSOCIADAS purificado) é feita através da reação entre o
para-xileno e o oxigênio. Este produto é
As UPAs são unidades que se destinam sólido nas temperaturas ambientes, mas pode
a produzir resinas e produtos petroquímicos ser liquefeito mediante um aquecimento
de alto valor a partir de eteno, propeno, brando. Seu uso é quase que exclusivamente
benzeno e para-xileno. Três tipos de plástico servir como intermediário na fabricação de
serão produzidos: polietileno, polipropileno e polietileno tereftalato (PET) ou de fibras de
PET. Os produtos feitos a partir destes três poliéster.
plásticos são recicláveis.
Reagindo por polimerização o
A produção de polietileno é feita etilenoglicol com o PTA, produz-se a resina
através de um processo de polimerização de PET (polietileno tereftalato), na forma de
eteno, em que milhares de moléculas reagem pequenas pastilhas transparentes.
sucessivamente, gerando pequenas pelotas
de resina plástica, com aproximadamente 2
milímetros de diâmetro. Auxiliares de Processo

O polietileno fabricado no COMPERJ UNIDADES AUXILIARES


será de dois tipos: Linear de Baixa Densidade
As unidades auxiliares de processo
(PELBD) e de Alta Densidade (PEAD), os dois
geram hidrogênio, que melhora a qualidade
com características e aplicações distintas. dos produtos finais e intermediários, e remove
contaminantes, como nitrogênio e enxofre de
A produção de polipropileno é correntes líquidas e gasosas. Assim, estas
realizada por polimerização de propeno, em unidades têm um caráter ambiental.
processo semelhante ao utilizado para
fabricar os polietilenos. Todo hidrogênio utilizado no
COMPERJ, seja nos hidrotratamentos ou no
hidrocraqueamento, é produzido em duas
Parte do eteno não usado para
unidades de geração de hidrogênio, que
produzir resinas será direcionado para a operam em paralelo, para maior
produção de estireno, líquido fabricado confiabilidade.

47
26
Existem águas ácidas que são geradas especiais, imprescindíveis ao funcionamento
no processo, contendo H2S (gás sulfídrico) e da UPB, UPA, AUX e todas as outras
NH3 (amônia). Nas três unidades de águas necessidades destes insumos no COMPERJ.
ácidas do complexo, estes gases são
separados da água, tornando-a reutilizável. É nesta unidade que são purificados
Estes gases são em seguida tratados. todos os esgotos sanitários, efluentes
industriais, águas pluviais e águas ácidas.
O ácido sulfídrico (H2S) não pode ser Uma vez purificadas, essas águas serão
liberado na atmosfera, sob pena de intoxicar novamente utilizadas inúmeras vezes dentro
as pessoas e contaminar o meio ambiente. do próprio complexo, ao invés de serem
lançadas nos rios. Um sistema de efluentes
Desta forma, existem três unidades de
como o do COMPERJ é inédito no Brasil pela
recuperação de enxofre, que transformam
sua escala e eficiência. A reutilização só não
este gás perigoso (H2S) em um produto
será completa pois 6% da água, embora não
comercial (enxofre sólido), que tem muitos
represente risco ao meio ambiente, acaba se
usos na indústria química e de fertilizantes.
tornando salgada. Desta forma, será
Uma quantidade pequena de H2S que não
destinada ao ambiente marinho.
pode ser convertida em enxofre sólido será
convertida em S02 (dióxido de enxofre), em Também é na UTIL que os resíduos
uma unidade de tratamento de gás residual. gerados são tratados, armazenados e
destinados, de acordo com as melhores
O COMPERJ vai liberar o gás S02 técnicas e práticas.
dentro dos limites da lei e dos regulamentos
técnicos, minimizando os riscos e o impacto As empresas petroquímicas também
ambiental. possuem um equipamento chamado tocha,
que se destina a proporcionar segurança
Também a amônia, que foi separada quando, em condições especiais, existe um
nas unidades de águas ácidas, é convertida acúmulo de gases inflamáveis no processo.
(na unidade de tratamento de gás residual),
no inofensivo gás N2, presente naturalmente Apoio e Transporte
na atmosfera.
APOIO E TRANSPORTE
Por fim, os combustíveis que serão
queimados e outras correntes que precisem Para que as pessoas possam trabalhar,
estar livres de enxofre passarão por processos movimentar-se e transportar sólidos, líquidos
específicos, com alta eficiência para este fim: e gases entre os diversos pontos do complexo,
Unidade de Tratamento de Gás Liquefeito e existem muitas facilidades logísticas no
Unidade de Tratamento de Gás Combustível. COMPERJ:

• Tubos de Interligação, Bombas, Estações


Utilidades de Medição, Medição de Gás,
Armazenamento de Petróleo, Produtos
UTILIDADES Intermediários e Acabados;

A UTIL se encarregará do suprimento • Estações de Pesagem de Veículos


de água, vapor, energia elétrica e gases Rodoviários e Ferroviários,

27
Armazenamento de Catalisadores e Este projeto contará com apoio
Produtos Químicos, Silos de Produtos, técnico de instituições como a Embrapa,
Carregamento de Produtos Acabados Universidade Federal Rural do Rio de
Ensacados; Janeiro – UFRRJ e outros parceiros para
organizar ações ao reflorestamento e
• Rodovia Interna, Estacionamentos, Centro recuperação de áreas modificadas. O
de Informações do COMPERJ, Heliponto, projeto irá criar área verde planejada para
Prédios Administrativos; se transformar em corredor ecológico.

• Restaurante, Centro Médico, Centro O COMPERJ será um espaço onde


Integrado de Controle, Laboratórios, coabitarão atividade industrial e iniciativas
Prédio de SMS, Centro de Defesa para a nova paisagem. Esta paisagem vai
Ambiental e Combate às Emergências; recriar caminhos adequados para que
espécies de plantas e animais possam se
• Oficinas de Manutenção, Almoxarifados, comunicar. Esta conexão entre as áreas da
Portarias e Entradas de Serviço; planície e serrana estimulará a riqueza do
ambiente.
• Prédio de Telecomunicações / TI,
“Empreiterópolis”, Centro de Pesquisas, A Petrobras estará, portanto,
Prédios Auxiliares e Instalações contribuindo ao grupo de áreas protegidas
Provisórias. chamado de Mosaico da Mata Atlântica
Central Fluminense.

Corredor Ecológico
CORREDOR ECOLÓGICO

A legislação brasileira define


regulamentos de proteção à vegetação e
fauna. Além disso, alguns instrumentos são
indicados para os corredores ecológicos. A
região do COMPERJ está bem alterada.
Portanto, a Petrobras pretende contribuir com
à recuperação destas áreas, que será
realizada por meio de projeto florestal com
replantio na região.

O Complexo Petroquímico do Rio de


Janeiro está localizado no baixo rio Macacu e
rio Caceribu. Esta localização traz muitas
particularidades técnicas que estão sendo
estudadas, recuperadas e incorporadas ao
projeto florestal. Dentro das características da
região estão: os rios, os solos, uso da terra,
impactos ambientais, flora e fauna e a
socioeconomia regional.
48

Mirindiba, dedaleiro

47
28
29
UPB - Resumo dos Processos

Destilação Hidrotratamentos Hidrocraqueamento Aromáticos

Craqueamento
Extração de Catalítico
Coqueamento Pirólise Petroquímico
Butadieno
(PFCC)

UPA - Resumo das Unidades

Polietileno Polipropileno Etilenoglicol

PTA PET Estireno

AUX - Unidades Auxiliares de Processo

Tratamento de Tratamento de Recuperação


Gás Liquefeito Gás Combustível de Enxofre I, II e III

Tratamento de Águas Ácidas Geração de


Gás Residual I, II e III Hidrogênio I e II

UTIL - Unidades de Utilidades

Geração e Combustíveis
Distribuição Combustíveis
Água Bruta Líquidos
de Vapor (óleo combustível, biodiesel etc.)
Gasosos

Ar Comprimido de Geração e
Serviço e de Água de Nitrogênio Distribuição
Instrumento Resfriamento de Energia Elétrica

Tratamento
Combate a Incêndio Tochas Resíduos
48 de Efluentes

47
30
Produção do COMPERJ

Produtos (em mil toneladas/ano)


Diesel 535
Nafta 284
Coque 700
Eteno 1.300
Propeno 881
Benzeno 608
Butadieno 157
para-Xileno 700
Enxofre 45

Produtos (em mil toneladas/ano)


Polipropileno 850

Polietileno 800

Estireno 500

Etilenoglicol 600

PTA 500

PET 600

31
Escolha do local e tecnologia
A ESCOLHA DO LOCAL avaliadas diferentes alternativas locacionais:

Foram realizados estudos dos • duas em Itaguaí,


aspectos técnicos, econômicos, ambientais e
sociais dos estados e municípios, para avaliar • uma em Itaboraí,
a viabilidade do empreendimento ao longo
• uma em Cachoeiras de Macacu,
dos anos.
• uma em São Gonçalo,
O Estado do Rio de Janeiro apresentou
as melhores condições para a implantação do • duas em Campos dos Goytacazes.
COMPERJ devido:
Desta pré-seleção foram selecionadas
• à proximidade com a Bacia de Campos, três alternativas: Itaguaí, Itaboraí e Campos
que fornecerá matéria-prima; dos Goytacazes. A avaliação tomou como
premissa uma área de terreno superior a 11
• ao acesso fácil ao maior mercado
quilômetros quadrados, mínimo
consumidor de produtos da segunda
indispensável para acomodar o complexo. A
geração, formado por São Paulo, Minas
área total para o complexo incluiu uma região
Gerais e Rio de Janeiro;
para projetos de revegetação e recuperação
• à disponibilidade de infra-estrutura ambiental de forma a proteger as
adequada, representada pelos terminais comunidades próximas ao COMPERJ.
portuários, pela malha rodoviária e
As avaliações contaram com visitas
ferroviária;
técnicas, entrevistas e levantamentos de
• proximidade de diversas universidades, informações. Foram consideradas ainda
inclusive do Centro de Pesquisa Leopoldo questões relativas a liberações de gases,
Miguez de Mello – CENPES, responsável fornecimento de água, efluentes, passivos
pelo aperfeiçoamento de grande parte ambientais e existência de áreas protegidas.
das tecnologias que serão empregadas no
O estudo contemplou, dessa forma,
empreendimento.
informações básicas sobre os meios físico,
O COMPERJ processará 150 mil biológico e socioeconômico de cada local,
barris por dia de petróleo pesado do campo avaliando a inserção do projeto em cada
de exploração de Marlim, produzido na contexto regional e consolidando os aspectos
Bacia de Campos. A utilização dessa matéria- associados à sua implantação, permitindo a
prima não convencional para a produção de análise da sua viabilidade ambiental em cada
petroquímicos mostrou-se uma alternativa local específico.
tecnológica, econômica e ambientalmente
As três áreas analisadas estão
viável, inédita e desenvolvida no país.
assinaladas na figura a seguir: Norte
Em 2005, partindo-se da escolha do Fluminense (Campos/Travessão), Itaguai e
Rio de Janeiro, foram, primeiramente, pré- Itaboraí.

35
Mapa rodoviário do estado do Rio de Janeiro: localidades pré-selecionadas.

No caso de Itaguaí, apesar da Em relação ao Norte Fluminense, as


proximidade ao Porto de Sepetiba, tiveram maiores desvantagens são:
que ser considerados:
• problemas geofísicos;
• presença de empreendimentos já
instalados e em implantação (pelo menos • impactos negativos sobre os melhores
duas grandes usinas siderúrgicas nos cultivos de cana de açúcar;
próximos anos);
• dificuldades e custos de implantação de
• previsão de crescimento urbano, por um terminal portuário;
conta dos investimentos associados ao
porto; • distância em relação aos grandes centros
consumidores.
• saturação iminente da bacia aérea por
poluentes atmosféricos; A proximidade aos campos de petróleo
para o crescimento da economia regional foi
• restrições geotécnicas; superada pelas desvantagens apontadas,
levando ao abandono desta alternativa.
• considerações jurídicas do processo de
licenciamento nessa localização. Acrescenta-se também que a
implantação do complexo em
Assim sendo, foi descartada a Campos/Travessão conflitaria com uma
alternativa Itaguaí. fronteira econômica tradicional de cana-de-

36
açúcar, interferindo com o plano de extensão correntes do vento contribuem para a
e reativação do álcool na região (etanol). dispersão, minimizando impactos diretos e
indiretos na qualidade do ar;
Do ponto de vista logístico, as
alternativas Itaguaí e Itaboraí eram as que • existência de tubos para abastecimento e
escoamento de produtos;
possuíam a melhor viabilidade, devido à
malha portuária e rodoviária existente, e a
• a histórica carência da água na região foi
proximidade aos mercados consumidores de
identificada como oportunidade para que
São Paulo, principal centro urbano-industrial
o empreendimento contribua para a
do País. construção de soluções técnicas e políticas
para o bem comum;
Em termos ambientais, as alternativas
de Campos/Travessão e Itaboraí também • dispor de infra-estrutura logística
mostraram-se viáveis. Apenas Itaguaí adequada, a ser potencializada pelo Arco
apresentou restrições relacionadas à Metropolitano;
qualidade do ar, que impossibilitariam,
inclusive, a expansão do empreendimento. • proximidade com outras petroquímicas;

Itaboraí foi considerada a localização • possuir área disponível para uma já


mais adequada por: prevista expansão do Complexo;

• possuir área modificada em processo de • apresentar um caráter estratégico para a


degradação, sem grandes restrições recuperação da economia da Região
Metropolitana do Rio de Janeiro, e da sua
geotécnicas, que poderiam acolher o
porção leste em particular;
empreendimento sem maiores danos
ambientais;
• dispor de mão-de-obra carente de
oportunidades, e que será capacitada
• esta área não possui concentração de para inserção no empreendimento e nas
poluentes no ar, pois o seu relevo e empresas que surgirão.

Mapa do estado do Rio de Janeiro: bacias aéreas.

37
O ENDEREÇO DO FUTURO Venda das Pedras e outras localidades junto à
BR-101.
O COMPERJ estará localizado no
distrito de Porto das Caixas, no município de Por conta do número elevado de
Itaboraí, nos limites com os municípios de caminhões e a necessidade de oferecer
Cachoeiras de Macacu e Guapimirim. condições de operação com nível de
segurança, a Petrobras irá construir uma
O empreendimento será construído estrada que atenda às normas internacionais
em um terreno com uma área total de 45 de segurança, com duas faixas de tráfego
quilômetros quadrados, com a área industrial para caminhões.
ocupando 26% da área total. Este terreno é
constituído de pastos e culturas agrícolas, Além do acesso principal, foram
enfraquecidas e mal conduzidas. Sua verificadas as condições para implantação de
vegetação apresenta fragmentos florestais e outros caminhos ao COMPERJ, permitindo a
sinais claros de erosão. Os rios estão em grau sua ligação a outras rodovias e/ou núcleos
avançado de assoreamento e as matas urbanos. A função principal seria facilitar o ir
ciliares estão degradadas. e vir de trabalhadores e também como vias de
serviço durante a fase de implantação.
O ACESSO AO
A estrada de acesso secundário do
EMPREENDIMENTO
COMPERJ já existe e será alterada, conforme
as normas de segurança da Petrobras. Esta
Será realizado por uma estrada a ser
estrada é originária da RJ-116 e permitirá a
construída a partir da Rodovia BR-493, no
ligação da área do complexo com as
distrito de Itambi. O objetivo é permitir uma
localidades de Sambaetiba, Papucaia e
ligação mais direta e curta, a partir do centro
adjacências.
da localidade de Itaboraí, Porto das Caixas,

Localização do COMPERJ em Itaboraí

38
Matriz Comparativa das Alternativas Locacionais Relativas ao COMPERJ

Conclusões Travessão Itaguaí Itaboraí

Viabilidade da implantação do projeto. Viabilidade da implantação do projeto. Viabilidade da implantação do projeto.


Técnico-econômica Custo de implantação superior ao das Custo de implantação superior a Itaboraí. Apresenta o menor investimento nominal. Como na
demais alternativas avaliadas. Não permite futuras expansões região não tem atividade industrial, permite
Permite futuras expansões expansões futuras (mais receita e empregos)

Ambiental Possibilidade de Análise de viabilidade ambiental revela Possibilidade de implantação na área selecionada
implantação na área selecionada problemas na qualidade do ar

Necessidade de maiores investimentos.


Logística Dificuldade na logística de recebimento e Boa situação em termos de logística Boa situação em termos de logística
escoamento de produtos e matérias-
primas, quando comparado às demais
alternativas

Considerando que a planta industrial


ocupará apenas parte do terreno e que a área O que é planta industrial?
está em franca degradação, o projeto do É o nome técnico usado para
COMPERJ prevê o replantio de mudas de diferenciar a unidade de produção das
mata atlântica para a recomposição da demais unidades existentes dentro de
vegetação nas demais áreas do terreno, num um complexo
projeto chamado Corredor Ecológico.

Desenho ilustrativo do COMPERJ reflorestado

39
FORNECIMENTO DE ÁGUA Águas do rio Guandu

O fornecimento de água para o Esta alternativa prevê a captação de


COMPERJ ainda está em estudo. Será água em um ponto do rio Guandu, ou no
posteriormente definido, com participação do reuso de águas da própria estação de
Poder Público e da população local, com base tratamento, localizada em Seropédica.
na avaliação técnico-econômica e ambiental
das seguintes alternativas: Reservatório de Ribeirão das Lajes

O reservatório é utilizado para


produção de energia e para o abastecimento
das cidades do Rio de Janeiro, Paracambi e
Seropédica.

40
Rio Paraíba do Sul Reservatório de Juturnaíba

Essa alternativa captaria águas do rio Essa alternativa de abastecimento do


Paraíba do Sul em um ponto logo a jusante empreendimento e reforço da região
das desembocaduras dos rios Paraibuna e circunvizinha seria feita por 68 quilômetros
Piabanha. de adutora na faixa de servidão da via férrea
e da rodovia BR-101 até chegar ao
Reservatório do rio Guapiaçu COMPERJ.

Uma eventual construção de uma Outras duas opções para


barragem-reservatório no vale do rio abastecimento de água (reuso de esgotos
Guapiaçu é uma alternativa com grande tratados e uso de água salgada) foram
volume de água, e, portanto, estratégica para analisadas, mas apresentaram dificuldades
o governo estadual, pois essa bacia técnicas para sua execução.
hidrográfica é a única que ainda tem área
preservada, sem ocupação.
O que é jusante ?

É tudo aquilo que se encontra voltado


para a foz de um rio

41
A TECNOLOGIA • capacidades de produção mínima e
máxima;
Cada unidade de processo mereceu
uma avaliação das opções tecnológicas • necessidade e disponibilidade de
disponíveis dentro da própria PETROBRAS utilidades;
e no mercado nacional e internacional,
realizada a partir de critérios pré-
estabelecidos. • aspectos relacionados à Segurança,
Meio Ambiente e Saúde;
As seguintes etapas foram seguidas
para seleção de tecnologia dos processos • espaço requerido;
utilizados no projeto do COMPERJ:
• custo operacional e de investimento;
1 - Estabelecimento das premissas do
empreendimento em termos de carga e
produtos, incluindo as especificações e • confiabilidade;
restrições de qualidade e/ou operação,
custos etc. • necessidade de manutenção e sua
complexidade;
2 - Listagem das opções tecnológicas
disponíveis, considerando:
• necessidade de licenciamentos;
• quantidade produzida;
• pagamento de royalties;
• qualidade dos produtos;
• tempo mínimo para implantação;
• aspectos ambientais – com base nos
princípios do desenvolvimento • grau de conhecimento e experiência da
sustentável; tecnologia

42
3 - Discussão dos critérios para priorização Estas unidades serão licenciadas
e escolha, como viabilidade técnica, custo, junto a empresas internacionais que
prazo, grau de maturidade da tecnologia. detenham tecnologia de ponta. Em relação
às tecnologias de produção das UPA,
4 - Seleção da tecnologia, com base em merece ser mencionada a associada às
uma matriz comparativa contendo as produções de polietilenos e polipropilenos,
opções potencialmente interessantes e os
que não utiliza solventes (que geram
critérios de priorização e escolha.
efluentes).
Definição da tecnologia para UPB
(Unidade de Petroquímicos Básicos) Definição da tecnologia para Unidades
Auxiliares de Processo
A produção de olefinas leves (eteno
e propeno) foi determinante na definição da Para as unidades auxiliares de
configuração do complexo. No mundo, esta processo, foram consideradas as
produção está dividida entre a tecnologia tecnologias mais avançadas
predominante (pirólise) e a utilização de comercialmente disponíveis.
processo de craqueamento catalítico em
leito fluidizado modificado (FCC). Definição da tecnologia para Unidades
de Utilidades
Os estudos iniciais consideraram a
alternativa de pirólise como opção a um Para as unidades de Utilidades –
FCC petroquímico somente. No entanto, a tratamento de água bruta e efluentes e
comprovação das tecnologias geração de vapor/energia – foram
comercialmente disponíveis aliada à consideradas as tecnologias mais
utilização de uma quantidade de quatro a avançadas comercialmente disponíveis.
cinco vezes menor de petróleo para a
mesma quantidade de petroquímicos a As caldeiras de vapor que integram o
serem produzidos no COMPERJ levou à
sistema de utilidades representam a
decisão de utilizar as duas rotas
principal fonte de emissões atmosféricas do
tecnológicas possíveis : FCC petroquímico
COMPERJ. Os estudos deverão indicar as
e pirólise. A partir daí, foi desenvolvida a
tecnologias de controle dos poluentes
configuração da UPB.
atmosféricos. A utilização destas
tecnologias garantirá a viabilidade
ambiental do empreendimento.

43
O meio ambiente
ÁREAS DE INFLUÊNCIA

A Resolução CONAMA 01/86


considera impacto ambiental qualquer
alteração das propriedades físicas, químicas
e biológicas do meio ambiente, causada por
qualquer forma de matéria ou energia
resultante das atividades humanas que, direta
ou indiretamente, afetam:

I - a saúde, a segurança e o bem-estar da


população;

II - as atividades sociais e econômicas;

III - a biota;

IV - as condições estéticas e sanitárias do meio


ambiente;

V - a qualidade dos recursos ambientais.

Esta resolução exige ainda a


consideração da bacia hidrográfica na
definição da área de influência dos
empreendimentos sujeitos ao licenciamento
ambiental.

Os conceitos de áreas de influência


direta e indireta estão relacionados aos
espaços territoriais definidos pelos impactos
diretos e indiretos do projeto. Trata-se de
definir o alcance geográfico do meio
ambiente da situação anterior ao projeto. Os
resultados dos estudos de espalhamento de
poluentes ou de efluentes podem alterar a
definição das áreas de influência.

Mas há unanimidade entre os


especialistas quanto ao fato de cada corte
disciplinar gerar um determinado espaço
geográfico como área de influência direta e
indireta e quanto à necessidade de
consideração de escalas territoriais. Assim
sendo, os estudos utilizaram diferentes
escalas de abordagem conforme o tema ou
conjunto de temas.

47
ÁREA DE INFLUÊNCIA ESTRATÉGICA Rio de Janeiro corresponde à Área de
Influência Estratégica – AIE.
Os efeitos econômicos das fases de
construção e de operação do COMPERJ sobre Ao localizar-se em Itaboraí, na Região
a produção, a renda e o emprego assumem Metropolitana do Rio de Janeiro, com acesso
importância extraordinária no quadro fácil como as rodovias BR-101, BR-493 e BR-
nacional. 116, e sua articulação futura com o Porto de
Itaguaí através do projeto rodoviário do Arco
Portanto, é de caráter estratégico para Metropolitano, o empreendimento certamente
o Estado do Rio de Janeiro, que busca ganhará pelo desenvolvimento da economia
aumentar os efeitos positivos do COMPERJ nesta região, que compreende a bacia
sobre a produção, a renda e o emprego no hidrográfica da Baía de Guanabara.
Estado. Assim sendo, o território do Estado do

O estado do Rio de Janeiro como AIE do COMPERJ

47
48
ÁREA DE ABRANGÊNCIA REGIONAL emprego e renda à demanda por bens e
serviços) e poderão sofrer impactos negativos
A região do Consórcio Intermunicipal sobre a ocupação do solo e sobre a infra-
de Desenvolvimento da Região Leste estrutura urbana.
Fluminense - CONLESTE, que inclui
municípios não metropolitanos como Os estudos indicaram que os impactos
Cachoeiras de Macacu, pertencente à Região diretos e indiretos das obras ficarão
Serrana, além de Casimiro de Abreu e Silva relativamente restritos aos municípios em
Jardim, da Região das Baixadas Litorâneas, torno do COMPERJ, enquanto os impactos
tem abrangência sub-regional, pela diretos e indiretos da fase de operação, do
proximidade ao empreendimento e pela ponto de vista socioeconômico, poderão se
existência de organização intermunicipal que estender à Região Metropolitana do Rio de
poderá dar suporte às ações coordenadas Janeiro e aos municípios do CONLESTE que
necessárias ao aproveitamento das não pertencem a esta região.
oportunidades e prevenção dos efeitos
indesejáveis do COMPERJ. Esta região Estes espaços geográficos receberão
compreende a Área de Abrangência parte dos impactos do tráfego gerado durante
Regional – AAR do empreendimento. as obras, que serão local de residência de
parte da mão-de-obra de construção e do
Estes municípios poderão desfrutar pessoal de operação e também poderão
dos benefícios indiretos do COMPERJ na receber investimentos privados de
estrutura de produção e os efeitos induzidos empreendimentos petroquímicos associados
(efeito acelerador de criação de produção, ao COMPERJ.

COMPERJ no contexto regional – integração via Arco Metropolitano

Arco Metropolitano

49
CONLESTE – Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento da Região Leste Fluminense

ÁREA DE INFLUÊNCIA INDIRETA especialistas, como indica o capítulo do


Meio Ambiente nas águas, nos solos,
A região hidrográfica da Baía de vegetação, animais e socioeconomia. Estas
Guanabara é a Área de Influência Indireta – avaliações incluíram áreas protegidas (APA
AII. Região Metropolitana do Rio de Janeiro. de Guapi-Mirim, Estação Ecológica da
A Área de Influência Indireta cobre o espaço Guanabara, Estação Ecológica do Paraíso e
relacionado aos efeitos econômicos e áreas do Barbosão-Sambê-Santa Fé).
ambientais na Região Metropolitana do Rio
de Janeiro. ÁREA DIRETAMENTE AFETADA

ÁREA DE INFLUÊNCIA DIRETA A Área Diretamente Afetada


apresenta os municípios cobertos por um
A Área de Influência Direta – AID é raio de 10 quilômetros, também
definida por um raio de 20 quilômetros do considerando o centro do COMPERJ. Nesta
centro do Complexo Petroquímico do Rio de região, são previstos efeitos provocados
Janeiro. Este espaço foi desenhado a partir pelas obras. Da mesma maneira, os
dos estudos do espalhamento dos poluentes impactos positivos e negativos irão
do ar liberados pelo COMPERJ. Estes estudos concentrar-se mais intensamente em
indicaram que após 20 quilômetros, as Itaboraí, Cachoeiras de Macacu,
concentrações tornam-se parecidas com os Guapimirim e Tanguá. Esta área estende-se
ambientes pouco modificados pelas até o início do manguezal da Área de
atividades humanas. Além dos estudos dos Proteção Ambiental – APA de Guapi-Mirim.
efeitos da qualidade do ar, outros estudos Esta região teve estudos diretos nestes
foram realizados em campo direto por municípios com prefeituras e comunidades.

47
50
Área Diretamente Afetada - ADA

Área de Influência Indireta

51
O AMBIENTE FÍSICO é determinada a partir da interação entre os
processos físicos e químicos da atmosfera.
O Ambiente Físico baseou-se em
trabalhos de campo e pesquisas em Segundo os dados da FEEMA, pode-
instituições públicas e privadas que se afirmar que a Bacia Aérea IV da Região
fundamentaram os temas: clima, geologia, Metropolitana do Rio de Janeiro (RMRJ),
geomorfologia e geotécnicos, águas. Estes localizada a leste da Baía de Guanabara,
estudos também se apoiaram em imagens de considerando os municípios de Itaboraí, São
satélite e fotografias aéreas. Gonçalo e Magé, encontra-se em situação
favorável na RMRJ.
CLIMA
Estão estimadas liberações de
poluentes do ar: dióxido de enxofre (SO2),
A região de Itaboraí apresenta um
clima tropical relativamente uniforme durante óxidos de nitrogênio (NOx), monóxido de
todo o ano. No verão, com o grande calor e carbono, hidrocarbonetos e poeiras.
umidade, acontecem fortes chuvas; enquanto
no inverno, mais seco, as chuvas e a média Quanto às concentrações desses
das temperaturas são mais baixas. poluentes no ar, considera que a qualidade do
ar é mais impactada por concentrações de
O clima da região também sofre óxidos de nitrogênio.
influência da serra do Mar. Os aspectos
climatológicos da região são de grande Como era de se esperar pela
importância para o conhecimento da localização rural e afastada das principais
qualidade do ar. rodovias, as medições revelam níveis de
concentração de poluentes atmosféricos
CHUVA baixos, típicos dessas áreas. As
concentrações de poeira que fogem desse
No verão, em decorrência do grande padrão devem-se à proximidade de uma
calor, não amenizado pelos ventos, e da saibreira junto ao ponto de medição.
elevada umidade relativa, ocorrem fortes
chuvas; enquanto no inverno, mais seco, as GEOLOGIA
chuvas são menos freqüentes.
A geologia é a ciência da Terra. Estuda
A associação relevo-altitude- a estrutura e as diferentes fases da história
maritimidade é responsável pelo aumento da física.
turbulência do ar, podendo induzir a
formações com conseqüentes chuvas nas As feições geológicas-geomorfológicas
cotas mais elevadas da serra do Mar e da mais significativas são: a serra do Mar e o
Mantiqueira. Gráben da Guanabara. A serra do Mar é um
conjunto de escarpas com cerca de mil
quilômetros de extensão.
AR

A avaliação da qualidade do ar em O que é escarpa ?


uma determinada região está intimamente
ligada às condições atmosféricas dominantes. É uma ladeira ou monte muito íngreme
Na verdade, a qualidade do ar em uma área

47
52
A serra do Mar teve sua origem em A formação Macacu abrange quase
movimentos de placas que compõem a crosta 40% da AID, tendo afloramentos (exposições
terrestre, promovendo modificações no relevo de rochas ou solos na superfície da terra) que
da terra como, por exemplo, o Gráben da tem sedimentos, como areia e argila.
Guanabara na qual é identificada como uma
depressão que engloba a Baixada Fluminense Escarpas da Serra do Mar
a região do entorno da Baía.
Correspondem às áreas
No interior do Gráben da Guanabara, caracterizadas pelas íngremes rampas da
a formação Macacu ocorre em territórios dos “subida” da Serra do Mar e por degraus ou
municípios do Rio de Janeiro, Magé, morros de encostas, elevados na porção
Guapimirim, Itaboraí, Cachoeiras do Macacu voltada para a Baixada Fluminense, e que são
e São Gonçalo. alongados e suaves.

Nas Áreas de Influência Indireta (AII) e


Direta (AID) há predominância de sedimentos
O que é morro ?
ou depósitos que foram carregados pelos rios
transitórios ou permanentes e também por
É uma elevação com encostas suaves,
chuva. Estes depósitos são compostos
altitudes que variam entre 100 e 300m
principalmente por areias e por outros
sedimentos nas áreas mais baixas.

Sedimentos (depósitos) flúvio-aluviais

Afloramento da Formação Macacu

53
Morrotes e Morros Baixos Isolados Planícies Costeiras

Constituídos por formas de relevo com As diferenças de altura variam de 0 a


topos agudos ou arredondados, que 20 metros, que correspondem às planícies
caracteriza as baixadas litorâneas e dos rios e do mar.
apresentam drenagem muito baixa.
Este padrão de relevo abrange as
Colinas planícies de inundação que circundam os
Tabuleiros e podem ter sedimentos.
Elevação do terreno que apresenta
encostas suaves, com variação de altitude de Especificamente na Área de Influência
20 a 100 metros, topos arredondados ou Direta (AID) o relevo é bem plano, com
alongados. Drenagem muito baixa. Diversas elevados graus de alteração nos canais dos
encostas desta unidade apresentam campo rios por conta de obras anteriores (nas
de murundus, que indicam ambientes de décadas de 30 e 40) de dragagem e
drenagem precária. construção de canais, empreendidas pela
Comissão de Saneamento da Baixada
Tabuleiros Fluminense e, posteriormente, pelo
Departamento Nacional de Obras e
Formas topográficas que se Saneamento – DNOS.
assemelham a planaltos, extensão superior a
10 hectares, terminadas de forma repentina. Por isso, o nível do lençol freático foi
A drenagem é muito baixa. rebaixado e apresenta indícios de forte
escoamento em forma de enxurradas. As

Planície de inundação na área da ADA, do rio


Planície alúvio-coluvial, na área da AID. Caceribu. Nota-se a presença de terraço fluvial.

47
54
áreas das planícies são extremamente desempenhado pelos microorganismos está
propensas a inundações. na decomposição dos restos vegetais. A
formação do solo depende ainda do espaço e
Ainda tem a depressão Sambaetiba, do tempo em que atuam estes diferentes
que compreende a zona de transição entre os fatores.
Tabuleiros e as Colinas separadas e morros.
Nessa faixa, observa-se uma drenagem mais A Área de Influência Direta (AID) é
dinâmica, provocando essa unidade constituída de solos minerais relativamente
rebaixada. novos, pouco evoluídos, e que tem origem de
sedimentos recentes.
O Aqüífero Macacu aflora na parte sul
da bacia hidrográfica do rio Macacu. Nesta área, ocorrem solos constituídos
de matéria orgânica e minerais, muito mal a
SOLOS mal drenados, pouco profundos. Já na borda
debaixo da área, encontram-se solos de
Os fatores principais na formação do mangue.
solo são: o material rochoso de origem, as
características climática, a atividade São terras sem aptidão agrícola,
biológica dos organismos vivos, o relevo e o recomendadas para proteção da vegetação e
tempo. dos animais. Nas áreas em torno das zonas
urbanas de Itaboraí, observam-se solos com
O material de origem tem influência coloração amarelada, em geral profundos,
nessa formação. O clima é representado pela bem drenados e com certo potencial erosivo.
chuva e pela temperatura. O principal papel

Tabuleiros com colinas Serra dos Garcias e a transição entre


suaves e de topos alongados a planície e um nível de degrau

55
Processos Erosivos Realização de coleta de amostras de
água superficial para determinação de
As informações para o conhecimento e parâmetros físico-químicos e químicos.
mapeamento de áreas sensíveis à erosão
foram inferidas pela observação direta e Conclusões sobre os solos
pelas características dos solos.
A investigação ambiental na área do
Nas áreas de brejos, demonstram um COMPERJ obteve dados geológicos,
terreno extremamente sensível às hidrogeológicos e analíticos importantes para
modificações, podendo constituir um o levantamento ambiental da área
problema para possíveis aterros. demarcada.

Na área diretamente afetada, quase Foi realizado um total de 25


em sua totalidade, a erodibilidade dos solos é sondagens e instalados 24 poços de
predominantemente de média a baixa. monitoramento provisórios que foram
utilizados para a coleta de dados e realização
Nos trechos das planícies, os solos de testes.
apresentam baixa erodibilidade, já na área
dos tabuleiros a erodibilidade é média. Dentre os resultados encontrados, foi
possível identificar, que a área é composta
Para a Área de Influência Direta (AID) por sedimentos argilosos e arenosos,
a variação em termos de erodibilidade é distribuídos em toda a área.
significativa. Mas o grau de erodibilidade
mais marcante na AID é o baixo. O nivelamento topográfico realizado
na área do COMPERJ identificou o sentido
Os trabalhos em campo: preferencial do fluxo subterrâneo local,
condizente com o sentido de escoamento dos
• caracterização da área e locação dos rios Macacu e Caceribu.
pontos de sondagem e dos pontos de
coleta de amostras de solos e água; Os resultados analíticos das amostras
de solo coletadas na área do COMPERJ não
• realização de sondagens de conhecimento identificaram concentrações dos compostos
para identificação do perfil litológico local orgânicos acima dos valores de prevenção
e para verificação de indícios de adotados pela Companhia de Tecnologia de
contaminação, para determinação de Saneamento Ambiental – CETESB (agência
parâmetros físicos e análises químicas; ambiental do estado de São Paulo), como
também não apresenta valores acima dos
• instalação de poços de acompanhamento critérios de prevenção da FEEMA.
para verificação do nível d'água e coleta
de amostras de água subterrânea para
análises físicas; O que são sedimentos ?

Nívelamento dos poços de São todo e qualquer tipo de depósito


acompanhamento para determinação do mineral ou orgânico trazido pela água, ar
sentido do fluxo d'água subterrâneo local; ou gelo

47
56
ÁGUAS A divisão adotada atualmente para a bacia
da Baía de Guanabara considera 25 bacias e
A área do COMPERJ está situada sub-bacias. As principais são apresentadas
dentro de duas bacias dos rios Macacu e no quadro a seguir.
Caceribu ao leste da Baía de Guanabara
pertencentes à Macrorregião Ambiental 1. O empreendimento encontra-se sob
influência direta das planícies de inundação
Os sistemas de drenagem que se das bacias dos rios Macacu e Caceribu e
direcionam para a Baía de Guanabara indiretamente pelas bacias dos rios
2
compreendem uma superfície de 4.081 km . Guapiaçu, Guapimirim e Porto das Caixas.

Sub-bacias da bacia hidrográfica da Baía de Guanabara

Unidade Hidrogáfica Rios Constituintes Afluentes

Enseadas de Botafogo-Flamengo Rios Carioca, Berquiô, Banana


Podre e Trapicheiro
Rios Catumbi, Joana, Maracanã,
Canal do Mangue Canal do Mangue
Faleiro, Berquió e Comprido
Canal do Cunha Canal do Cunha Rio Faria-Timbó e Jacaré
Rio Irajá
Rio Acari (Meriti) Rio Acari (Meriti) Rio Pavuna
Rio (Canal) Sarapuí Rio (Canal) Sarapuí
Rio Iguaçú Rio Iguaçú Rios da Bota, (Canal) Tinguá,
Capivari e Pilar
Rio Estrela Rio (Canal) Saracuruna
Rio Inhomirim
Rio Suruí
Rio Iriri
Canal de Magé (2) Rio Roncador (3) Córrego do Sossego, Rio do Pico e
Córrego do Sertão
Canal de Magé Canal de Magé-Mirim
Guapi-Guapimirim Rio Soberbo
Guapi-Guapimirim-Guapiaçú- Rio Duas Barras, Paraíso e Iconha
Guapi-Açu
Macacu
Rios: São Joaquim, Bela Vista,
Macacu (4) Bengala, Soarinho, Das Pedras,
Pontilhão e Alto Jacu
Rio Caceribu (5) Rio Guaraí
Rios Cachoeira, Guaraí-Mirim, Rio
Rio Caceribu Bonito e Córrego Tambicu, Rio
Tangu á e Rio dos Duques
Rios Mutondo, Alcântara, Goiana,
Rio Guaxindiba Rio Guaxindiba
Salgueiro e Camarão
Rio Imboassu Rio Imboassu e valas
Rio Bomba Rio Bomba e valas
Canal da Alameda (6) Canal da Alameda
Centro de Niterói Várias valas
Canal Canto do Rio (7) Canal Canto do Rio
Canal de São Francisco e valas que
Canal de São Francisco fluem para as enseadas de
Charitas e Jurujuba
Fonte: Rios Fluminenses (SEMADS, 2001)
Notas:
(1) Unido artificialmente ao Rio Iguaçu, através de um canal que desemboca próximo a foz desta desembocadura.
(2) Anteriormente denominado Rio Magé-Mirim.
(3) Também chamado de Santo Aleixo. Conhecido no passado como Rio Magé.
(4) Na década de 30 foi construído o Canal de Imunana, ligando o Rio Guapimirim com o Rio macacu, a partir da
confluência deste rio com o rio Guapi-Açu. Deste modo, parte das águas do Macacu escoam pelo Rio Guapimirim.
(5) Antigo afluente do Rio Macacu, o Rio Caceribu desde a década de 30 tem uma desembocadura própria artificial.
(6) Conhecido também como Canal do Fonseca, antigo Rio da Vivência.
(7) Conhecido também como Canal Ari Parreiras, antigo Rio Icaraí.

57
Bacia do rio Caceribu Bacia do rio Guapi/Macacu

O rio Caceribu estava incluído, no A bacia do rio Guapi/Macacu,


passado, na bacia hidrográfica do rio formada pelos rios Macacu, Guapiaçu e
Macacu, que sofreu uma série de Guapimirim, abrange uma área total de
intervenções, nos anos 40, tendo seu leito aproximadamente 1640 km2.
desviado para o rio Guapimirim, através do
canal de Imunama. Dessa forma, o rio O rio Macacu nasce na serra dos
Caceribu ocupou o leito inferior e a foz, na Órgãos, especificamente dentro dos limites do
Baía de Guanabara, do rio Macacu. A área Parque Estadual dos Três Picos que atinge uma
de drenagem da bacia do rio Caceribu é de altitude de 1700 metros, no município de
cerca de 860 km² em uma extensão de quase Cachoeiras de Macacu, possuindo uma
60 km, tendo suas nascentes em uma altitude extensão de 74 km até a sua junção com o
de cerca de 750 metros de altitude, na área Guapimirim, e sua foz na Baía de Guanabara
serrana dos municípios de Rio Bonito e encontra-se na APA de Guapi-Mirim.
Tanguá. A partir das escarpas de suas
nascentes, o rio Caceribu atravessa áreas que O rio Guapimirim tem suas nascentes
apresentam uma topografia mais suave, em altitude superior a 2.000 metros. A partir
associadas às colinas e planícies. O rio dos terrenos íngremes da serra, os rios da
Caceribu atravessa os municípios de Tanguá, bacia percorrem áreas de topografia suave,
Itaboraí e São Gonçalo, desaguando na Baía que conforma a maior parte de seus cursos,
de Guanabara, nos manguezais da APA de formadas por colinas e planícies. A partir do
Guapi-Mirim. Os principais afluentes do encontro do Guapiaçu com o Macacu inicia-
Caceribu se encontram em sua margem se o canal de Imunana, que desvia o curso da
esquerda, sendo muito pequena a presença Macacu unindo-o ao rio Guapimirim até
de contribuintes na margem direita. Os rios desaguar na Baía de Guanabara, nos
Aldeia, dos Duques, Bonito (sua principal manguezais da APA de Guapi-Mirim.
nascente, na serra do Sambê), Tanguá e Porto
das Caixas são seus principais afluentes.

Rios menores da bacia do rio Caceribu

47
58
Os principais afluentes do rio Macacu bacia Guapi/Macacu, servem para consumo
são os rios São Joaquim, Bela Vista, Bengala, humano e outros usos (recreação, irrigação,
Soarinho, das Pedras, Pontilhão e Alto Jacu, proteção etc.). Na bacia do Caceribu são
pela margem esquerda, e os rios Duas Barras, encontrados cursos d'água com uso para
Cassiano e Guapiaçu, seu maior afluente pela consumo humano e outros usos, em especial,
margem direita. nas sub-bacias dos rios Porto das Caixas,
Monjolo e Iguá. O rio da Vargem, que
O fornecimento de água aos atravessa a cidade de Itaboraí é o único curso
municípios de Cachoeiras de Macacu, d'água sem qualidade para consumo
Guapimirim, Itaboraí, São Gonçalo e Niterói humano, mas serve para navegação.
é realizado a partir da bacia do Guapi-
Macacu envolvendo 2,5 milhões de A FEEMA mantém pontos de amostras
habitantes. Esta água captada pela CEDAE da qualidade das águas no rio Caceribu,
abastece as cidades de Niterói, São Gonçalo, Guapi, Macacu e Soberbo. O rio Macacu, na
Paquetá (faz parte do município do Rio de Área de Influência Direta encontra-se
Janeiro) e Itaboraí. extremamente retilíneo, poluído e com alta
concentração de sedimentos. Segundo o
As águas do canal de Imunana são Instituto Baía de Guanabara (organização
transferidas pela CEDAE para a ETA de não governamental), indústrias
Laranjal onde são propostas intervenções potencialmente poluidoras estão na bacia do
como construção de barragem, ampliação da Caceribu. Estas indústrias estão incluídas na
captação e captação de águas subterrâneas. lista da FEEMA das 155 indústrias prioritárias
Em relação à qualidade das águas, os rios da para controle em toda a Baía de Guanabara.

Rio Macacu e seu vale de inundação

59
Águas Subterrâneas as águas são normalmente de boa qualidade
e ferruginosas. As áreas de influência do
O estudo das águas subterrâneas do COMPERJ apresentam aqüíferos de boa
Estado do Rio de Janeiro foi feito através de potencialidade, apresentando uma boa
análises. No entanto, o conhecimento dos permeabilidade. Essa permeabilidade é
aqüíferos é ainda inicial. No COMPERJ, as responsável pela infiltração do aqüífero
águas subterrâneas são significativas, como abaixo nas áreas de baixada, além de
na formação Macacu. Dos levantamentos, permitir a captação de água em poços tipo
somente o Aqüífero Macacu encontra-se na cacimba para uso pelas moradias da região.
área do projeto. Aflorando na parte sul da
bacia hidrográfica do rio Macacu, estende-se O aqüífero Macacu é composto por
por aproximadamente 110 km2. areias, argilas e matéria orgânica. Este
aqüífero é importante por causa de usos
As captações são feitas por poços futuros e, assim, merece atenção especial
rasos, cacimbas ou poços escavados com pelos riscos de contaminação das atividades
ponteiras. Estudos nos aluviões do rio Macacu humanas.
indicam o alto potencial desse aqüífero onde

47
60
Qualidade das águas De acordo com os resultados
analíticos das amostras de água subterrânea
A qualidade das águas foi avaliada coletadas nos poços de acompanhamento,
em diversos pontos: montante e jusante do rio não foram identificadas concentrações acima
Macacu, córrego “Lavapé”, com influência do limite de detecção.
direta das localidades.
As concentrações de alguns metais nas
Com o objetivo de acompanhar as amostras de água subterrânea apresentaram-
condições da água subterrânea local e avaliá- se abaixo do limite.
la quanto à presença dos compostos foram
instalados 24 poços de acompanhamento na Com relação à qualidade das águas
área do COMPERJ. Os poços foram removidos dos rios, as péssimas condições são evidentes
e o local preenchido com o próprio solo principalmente pela deficiência de
anteriormente escavado. Nestes locais, foram saneamento básico.
recolocadas as estacas sinalizadoras para a
realização do nivelamento topográfico.

61
MINERAIS Contudo, para as áreas de influência
indireta, direta e diretamente afetada os
Em termos efetivos, a produção recursos minerais que se encontram em fase
mineral do estado do Rio de Janeiro participa de exploração são: água mineral, argilas,
no cenário da produção mineral nacional fluorita e criolita e granito ornamental.
contribuindo com cerca de 3,5%, excluindo-se
desse cálculo petróleo e gás natural. Caso A água mineral ocupa um papel
incluído, a sua participação passa a ser de importante no setor mineral do estado,
29,9%. No estado do Rio de Janeiro, as respondendo, em 1997, por 3,5% da
substâncias minerais com maior participação produção nacional. Vários municípios do
na – Produção Mineral Brasileira - PMB, são estado produzem esse importante bem de
aquelas de uso imediato na construção civil. consumo. Os de maior importância são:
Itaboraí, Itaperuna, Magé, Miguel Pereira,
No conjunto de minerais não- Nova Iguaçu, Paraíba do Sul, Petrópolis, Rio
metálicos, destacam-se as conchas calcárias, Bonito, Rio Claro, Rio de Janeiro, Santo
com 31,9% da produção brasileira, as pedras Antônio de Pádua e Teresópolis.
britadas (13,7%) e as argilas comuns e
As jazidas de areias e argilas do
plásticas (12,7%). Entre os metálicos, no que
estado do Rio de Janeiro são de diversos tipos.
se refere à produção bruta e beneficiada, os
Os municípios produtores de argila utilizada
mais expressivos são o rutilo, que participa
para compor a mistura na fabricação de
com 21,9% do total geral do valor da
cimento são: Cantagalo, Cordeiro e Italva. A
produção do país, seguido do zircônio, com
argila e a areia que ocorrem nos municípios
16,9%, e da ilmenita, com 6,1%. Embora
de Itaboraí, Itaguaí, Macaé, Magé, Maricá,
apresentem um percentual elevado, os
Paraíba do Sul, Piraí, Resende, São João de
minerais metálicos participam no total geral
Meriti e Araruama são destinadas ao uso na
do valor da produção e beneficiamento, em
construção civil e para fabricação de
termos de Brasil, com apenas 0,1%.

Exploração de areias e argilas na área de influência direta do COMPERJ

47
62
refratários. Em Itaboraí, as argilas e areais polida para fins ornamentais na construção
são retiradas das áreas de depósitos e da civil.
formação Macacu.
As rochas calcárias com a mesma
finalidade são designadas de mármores.
A fluorita e a criolita ocorrem
principalmente nos municípios de Tanguá e
RUÍDO AMBIENTAL
Itaboraí. No início da década de 90, a
produção de fluorita e de criolita era bastante
O ruído ambiental foi avaliado em
significativa. Com uma produção de 82 mil
torno do empreendimento.
toneladas em termos de reservas medidas,
observando-se uma queda acentuada no
Diversas localidades foram medidas:
início desta década. Outro recurso mineral
Vila Rica, Porto das Caixas, Visconde de
explorado na região considerada é o granito
Itaboraí, Sambaetiba e Fazenda Macacu.
ornamental.
Nos pontos urbanos foram realizadas
O termo granito industrial ou medições nos períodos diurno e noturno. Nos
ornamental é empregado genericamente por demais pontos (área rural ou estrada), há
técnicos e empresários do setor para qualquer pouca variação entre os períodos diurno e
rocha não-calcária que pode ser serrada e noturno.

Ponto de Medição

Pontos de medição de ruído ambiental

63
AMBIENTE BIOLÓGICO levantamento da vegetação envolveu a
observação e coleta de material em estado
fértil ou vegetativo na área de interesse direta
VEGETAÇÃO do empreendimento. Armazenou-se o
material botânico coletado, posteriormente
O estudo da vegetação atual na Área prensado e seco em estufa.
de Influência Direta do COMPERJ consistiu na
avaliação dos vegetais componentes. Para a
descrição da vegetação, atribuiu-se O que é levantamento de
vegetação ?
prioridade às áreas com cobertura vegetal
existente, abrangendo trechos restantes de É a descrição e avaliação de todos os tipos
árvores de importância econômica e vegetais encontrados em uma região
ecológica.

Aspecto da vegetação A identificação foi realizada em


campo e em laboratório, com base em
A análise teve por objetivo bibliografia específica e por comparação
caracterizar as condições da vegetação com material identificado depositado em
existente, obter informações sobre o estado de coleções. O material em estado fértil e de
conservação de cada trecho analisado e, maior valor para pesquisa será incorporado
através de levantamento, relacionar espécies às coleções do Instituto de Pesquisas Jardim
representativas da vegetação local. Esse Botânico do Rio de Janeiro. Uma lista de

47
64
espécies vegetais é apresentada mais à frente, identificação das espécies vegetais em
tendo sido elaborada com base no campo, devendo-se notar que, grande parte
levantamento de campo e complementada delas é comum a diversas outras regiões do
com espécies identificadas pela equipe da estado.
Embrapa, que percorreu a área do COMPERJ
nos limites externos à Fazenda Macacu. Para Em linhas gerais, a vegetação do
cada grupo, procurou-se caracterizar a estado do Rio de Janeiro faz parte da Mata
forma de vida e o respectivo local de Atlântica, que abrange diversas formações
ocorrência. Foram ainda anotadas florestais e ecossistemas associados à costa
observações dos nomes populares, estes atlântica brasileira. A vegetação tem relação
últimos obtidos em consulta bibliográfica. com fatores climáticos como elevadas
Cabe destacar que alguns nomes populares temperaturas e chuvas bem distribuídas ao
aplicados às espécies podem variar conforme longo do ano, sem ocorrência de um período
a localidade. seco. Os trechos florestais da região estudada
abrangem altitudes até 50 m.
A identificação das espécies
encontrados em campo foi feita localmente, O Bioma Mata Atlântica
em função da observação do aspecto do
tronco, das folhas e ramos, bem como da O conceito mais moderno do Bioma
experiência da equipe. A baixa diversidade Mata Atlântica leva em conta não só o
existente na região de interesse facilitou a ecossistema florestal estabelecido em solos

65
consolidados dominados por vegetação de Na maioria das vezes, as florestas
grande porte, mas inclui uma série de observadas são secundárias, em diferentes
ecossistemas associados: campos de altitude, estágios de sucessão. Para localizar as
brejos, pântanos, lagunas, restingas, dunas, florestas mais protegidas, é necessário
praias, rios, estuários, enseadas, sacos, recorrer às áreas onde a topografia
gamboas, ilhas, lajes, coroas, costões e acidentada dificulta a ocupação humana e a
pontões rochosos, manguezais e restingas, implantação de culturas, ou mesmo através
com todas as suas variações que ocorrem ao das áreas protegidas. Em particular, no caso
longo de nossa costa. do Rio de Janeiro, a expansão da cultura
cafeeira ao longo do século XVII implicou a
remoção de grandes áreas outrora ocupadas
O que é ecossistema ?
pela Floresta Atlântica. E, com o declínio do
É um sistema natural, aberto, que inclui, ciclo do café, muitas áreas foram convertidas
em uma certa área, todos os fatores físicos para a pecuária extensiva ou mesmo
e biológicos daquele ambiente e suas abandonadas, sendo deste modo ocupadas
interações por florestas secundárias.

Hoje em dia, a pressão sobre as


Juntamente com outras formações do encostas se dá pela ocupação desordenada
mesmo gênero, a Floresta ou Mata Atlântica do solo, avanço da atividade agropecuária e
enquadra-se nas chamadas "Florestas também pela exploração de lenha para
Tropicais". Hoje, sabe-se que as florestas consumo nos centros urbanos, que afeta
tropicais apresentam a maior diversidade diretamente as matas secundárias, que
biológica do planeta, porém apresenta-se ocorrem de forma descontínua nas encostas
muito fragmentada, e com muitas espécies do Rio de Janeiro.
ameaçadas.
O que são matas secundárias ?
A Mata Atlântica no estado do Rio de
Janeiro é representada por um grande São áreas com vegetação em
número de fragmentos florestais, recuperação avançada
principalmente nas encostas que compõem o
final da cadeia montanhosa da serra do Mar,
formando um mosaico de florestas em A região dos municípios de
diversos estágios, resultado de sua própria Guapimirim, Cachoeiras de Macacu e parte
dinâmica e de inúmeras interferências do
dos municípios de Itaboraí e Rio Bonito teria
homem.
sua cobertura vegetal original perdida em
função do extrativismo (exploração) de
Depois de cinco séculos de ocupação
madeiras, que remonta a pelo menos o século
humana, a Mata Atlântica foi assim reduzida
XVIII. Isto justificaria-se por esta região ter
a faixas e manchas, que se concentram
sido um tradicional distrito madeireiro
principalmente nas regiões sul e sudeste do
fluminense, localizado sobre a bacia do rio
País.
Macacu.

47
66
Para uma caracterização da Manguezal
vegetação na região, a área é dominada por
extensas pastagens, sendo encontradas áreas Esse ecossistema é típico de áreas
nas quais podem ser encontrados fragmentos costeiras tropicais e subtropicais, sendo
de vegetação sob a forma de arbustos ou regido por um sistema de variação de marés
que o inunda duas vezes ao dia, com a
árvores. Nesta região podem ser destacadas
mistura das águas marinhas com as águas
diversas espécies, de características distintas,
doces. Trata-se, portanto, de um ecossistema
típicas de ambientes alterados ou estágios de transição entre o ambiente terrestre e o
iniciais de sucessão: jurubeba e cambará, e marinho.
ainda pindoba, aroeira, sobreiro, embaúba
branca, grandiúva ou crindiúva e a tão Os manguezais são vitais para a
comum goiabeira. Outras espécies são sobrevivência de diversos ecossistemas
maricá, bico-de-pato e assa-peixe. costeiros. Este ambiente fornece os nutrientes
que sustentarão uma grande variedade de
formas de vida marinhas: camarões,
O que é sucessão ? caranguejos, siris, peixes e moluscos. São
assim responsáveis pela base das cadeias
É a substituição de uma comunidade por alimentares e têm grande importância para a
outra pela modificação do ambiente, uma proteção da linha de costa, funcionando
vez atingido o nível de saturação como barreira mecânica à ação erosiva das
ondas e marés, assim como dos ventos. Onde

Vista da cobertura vegetal do manguezal da APA de Guapi-Mirim.

67
estão mais preservados, fornecem o sustento ambiente é preciso agir de forma altamente
para diversas comunidades que recolhem seletiva.
animais. Dos 262 km² originalmente cobertos
por manguezais na Baía de Guanabara, Composto basicamente por arbustos
restam apenas 82 km². Destes, cerca de 80%, e/ou árvores, os manguezais brasileiros
ou quase 65 km² do que restou na baía, estão estão representados em grande parte por três
situados dentro da Área de Proteção
espécies de ampla distribuição em nossa
Ambiental - APA de Guapi-Mirim.
costa: mangue siriba, mangue branco e
A destruição dos manguezais provoca mangue sapateiro ou vermelho.
redução da capacidade de reprodução de
Estes ambientes caracterizam-se por
diversas espécies de vida aquática e
apresentar poucas espécies vegetais,
intensifica o assoreamento que, ao longo do
estreitamente adaptadas a seu ambiente.
tempo, resulta na progressiva redução de
Embora existam poucas espécies vegetais,
profundidade da baía. Tais conseqüências
trata-se de um ecossistema muito rico.
são mundialmente conhecidas, sendo alvo de
inúmeros projetos de recuperação das áreas A APA de Guapi-Mirim
de manguezais.
A zona de influência da APA de
Com relação à sua vegetação, esta se Guapi-Mirim apresenta aproximadamente
desenvolve sobre um solo lamacento, pobre 39% de sua superfície desmatada, enquanto
em oxigênio. Por conseguinte, na escolha das no interior da APA são encontrados 14,3%
espécies vegetais que colonizarão este desmatados.

47
68
Uso do solo e a cobertura vegetal Mangue Alterado 1
da APA de Guapi-Mirim
Partes do manguezal ocupadas por
espécies invasoras. Apresenta superfície
Mangue Preservado alterada e solo exposto.

Esta classe representa às três espécies Mangue Alterado 2


principais de árvores, que chegam a alcançar
altura entre 8 e 15 metros. Nesta classe é Arbustos esparsos, gramíneas, água e
comum identificar bosques ou árvores solo exposto.
isoladas.
Mangue Alterado 3
Mangue Regenerado
Partes totalmente ocupadas por
Esta classe corresponde três espécies gramíneas, somente alcançadas por grandes
de árvores que hoje ocupam áreas marés.
anteriormente desmatadas. Apresentam
altura média entre 5,5 e 7 metros. Mangue Residual

Mangue em Regeneração Partes do manguezal com uma ou


outra árvore que ficou isolada do resto do
Esta classe corresponde uma ou outra mangue por causa de atividades
espécie de árvore, ocupando áreas de agropecuárias.
manguezal desmatado mais recentemente.

69
Solo Exposto Campo Inundado
Partes sem vestígio de cobertura
vegetal. Correspondem aos apicuns (terrenos Áreas de campos inundados com
arenosos) e áreas recentemente desmatadas.
partes temporariamente ocupadas pela
pecuária extensiva.
Capoeira
Partes isoladas da Mata Atlântica que Área Urbana
ocupam colinas ao lado do manguezal e
vegetais em regeneração, em meio a áreas
sujeitas à inundação. Áreas recentemente ocupadas,
normalmente correspondendo à expansão da
Cultura 1 área urbana.
Par tes ocupadas por culturas
temporárias.
Água

Cultura 2 Água dos principais canais e dos rios


com alta carga de sedimentos. Partes de solo
Áreas de transição ocupadas
exposto cobertas por água das margens da
anteriormente pela cultura temporária e
pastagens. Baía de Guanabara e dos principais rios.

Mapa de Uso do Solo e Cobertura Vegetal da APA de Guapi-Mirim

47
70
Área coberta pelas diferentes classes de Uso do Solo e Cobertura Vegetal da APA de Guapi-
Mirim. Interpretação baseada em imagem LANDSAT7 de janeiro de 2000.

2
Área em Km

9,6 0,91 1,72 16,72


3,08
6,83
10,03
0,43

1,48
6,12
9,27
9,18
5,33 8,17

Área Total : 88,87Km2


Mangue Preservado Solo Exposto
Mangue Regenerado Capoeira
Mangue em Regeneração Cultura 1
Mangue Alterado 1 Cultura 2
Mangue Alterado 2 Campo Inundado
Mangue Alterado 3 Área Urbana
Mangue Residual Água

Área total da APA de Guapi-Mirim: 138,25Km2

27,07
49,56

Coleção de águas da
Baia de Guanabara
61,8 Área de manguezal
Área de uso solo

71
ANIMAIS Bioacústica

Os hábitats foram considerados na Foram gravados registros sonoros


análise da paisagem, integrando-se padrões (vocalizações) dos mamíferos, para
da vegetação a indicadores biológicos de determinação e análise no laboratório. Foram
presença de animais. As metodologias foram registrados com essa metodologia como o
descritas em vários trabalhos de levantamento mico e o rato taquara.
ecológicos rápidos para programas de
conservação ou estudos de diagnóstico Armadilhas fotográficas
ambiental em empreendimentos de infra-
estrutura e planejamento ambiental. Foram instaladas armadilhas
fotográficas apenas na área da mata da
O que é habitat ? Sabreira.

É o lugar onde vive um animal Registro indireto


ou planta comumente
Identificação das espécies pela coleta
Os vertebrados foram selecionados de registros indiretos, tais como:
como a comunidade indicadora da qualidade
de habitat, considerando-se que, para esse • Pêlos;
grupo, existe melhor conhecimento
específico, o que permite análise mais precisa • Fezes;
dos resultados obtidos.
• Abrigos ou tocas;
As metodologias utilizadas foram,
conforme o grupo: • Pegadas;

MAMÍFEROS • Restos de ossos em vômitos de carnívoros.

Avistamento Mamíferos atropelados

Observação e registro direto de Procedeu-se ao registro dos


espécies, com possibilidade de determinação mamíferos atropelados nas estradas vizinhas
à distância. Foram registrados, com esta da região.
metodologia, animais de maior porte como
capivaras, tatus, tapitis e ouriços. Essa
observação foi possível, principalmente, em
estradas vizinhas como a de acesso a
Fazenda Macacu e canais (Caceribu) com
boa amplitude de visão.

Foco noturno

No período noturno foi realizada a


busca ativa com focagem ou uso de visor com
luz infravermelha.

47
72
AVES Amostragem quantitativa

Foram utilizadas metodologias Para as aves foi utilizada metodologia


rápidas de detecção sem captura, conforme quantitativa para analisar a composição e
segue: estrutura das populações nos diferentes
Avistamento hábitats presentes nos locais de estudo. As
amostragens nos pontos selecionados foram
Observação e registro direto de iniciadas ainda no período noturno, até às 11
espécies com possibilidade de determinação horas da manhã.
à distância.
Nos períodos de sol quente eram
Foco noturno interrompidas e voltavam a serem efetuadas
após às 15 horas. Qualquer espécie de ave
No período noturno foi realizada a foi registrada por visualização, bioacústica
busca ativa com focagem ou uso de visor com ou ambos, sendo considerado isto um
infravermelho. contato. As aves observadas ou com o canto
detectado eram acompanhadas e
Registro indireto controladas.

Identificaram-se as espécies pela


Espécies coloniais ou que se reúnem
coleta de registros indiretos, tais como:
para rituais de corte foram registrados como
um único contato.
• Penas;

• Ninhos;

• Restos de regurgitos de carnívoros.

Bioacústica

Gravação e determinação dos


registros bioacústicos mediante análise no
laboratório.

Aves atropeladas

Procedeu-se ao registro das aves


atropeladas nas rodovias e estradas vizinhas
da região. Como metodologia auxiliar, foram
utilizadas as mesmas armadilhas fotográficas
instaladas para detecção de aves.

73
CROCODILIANOS determinação à distância, como, por
exemplo, grandes lagartos e sapos.
Avistamento (foco noturno) e
métodos indiretos. Bioacústica

Para a detecção do jacaré-do-papo- As vocalizações foram gravadas para


amarelo foi realizada focagem noturna, com determinação dos registros bioacústicos com
auxílio de holofotes nos brejos e rios Caceribu análise no laboratório.
e Macacu. A busca ativa com focagem
utilizou ainda visor IR (luz infra-vermelha). Foi Répteis e anfíbios atropelados
realizada a verificação de pegadas,
barreiros da margem e posturas de jacarés Os animais encontrados atropelados
como metodologia auxiliar. nas estradas vicinais da região foram
determinados para registro.
RÉPTEIS E ANFÍBIOS
O registro dos animais atropelados
Foram amostrados por meio de seguem as listas disponíveis para répteis e
metodologias diretas e indiretas de detecção, anfíbios, com as recentes modificações
conforme segue: apenas para os anfíbios.

Registro direto sem captura –


Avistamento

Observação e registro direto de


espécies de maior porte com possibilidade de

47
74
Ambiente aquático e seus compartimentos água e sedimento dos
organismos principais corpos d'água localizados no
entorno do empreendimento.
O estudo de comunidades biológicas,
além de esclarecer questões de âmbito Malha amostral
ecológico, fornece informações que podem
ser aplicadas no manejo sustentado de Cinco ambientes de água foram
populações e na avaliação das atividades do apontados como representativos em torno da
homem causadoras de impacto no meio área do empreendimento. As estações de
ambiente. coleta, localizadas em cada um destes, foram
as seguintes:
No intuito de caracterizar os
principais ambientes com água da área de
1. Estação Rio Macacu;
influência do empreendimento, realizou-se
2. Estação Rio Caceribu;
uma campanha pré-operacional para análise
3. Estação Rio Porto das Caixas;
de diversos parâmetros físico-químicos e
bióticos nos rios Caceribu, Macacu e Porto 4. Estação Manguezal;
das Caixas, em área de manguezal e na Baía 5. Estação Marinha.
de Guanabara.
As estações Rio Macacu, Rio Caceribu
A área de estudo compreendeu os e Rio das Caixas estavam localizadas em três
principais corpos d'água localizados a rios situados a montante do COMPERJ. As
montante e a jusante do COMPERJ, dentro da estações Manguezal e Marinha estavam a
área de influência do empreendimento: os jusante do empreendimento. A Estação
rios Caceribu, Macacu e Porto das Caixas Manguezal ficou localizada próxima do
(para o lado da nascente), o manguezal do estuário do Caceribu, e a Marinha a nordeste
rio Caceribu e a porção nordeste da Baía de da Baía de Guanabara. O posicionamento
Guanabara (jusante). das estações foi realizado com auxílio de
navegador GPS (Global Positioning System).
Os rios Caceribu, Macacu e Porto das
Caixas são os principais rios da região, com Nas estações Manguezal e Marinha,
uma área de aproximadamente 2.700 km2 e as coletas foram realizadas a bordo de
realizam a drenagem da serra dos Órgãos e embarcações com motor de popa.
da serra do Mar, recebendo resíduos de
atividades rurais como a agricultura e a Compartimento Água
pecuária. Já a Baía de Guanabara é um
importante estuário. Durante as últimas
O compartimento água foi amostrado
décadas, intensos processos de urbanização
em todas as estações, com exceção da
e industrialização contribuíram com o aporte
Estação Porto das Caixas.
e acúmulo de poluentes na porção nordeste
da baía, em áreas mais rasas e menos
salinas. Parâmetros Físico-químicos

Metodologia As amostras de água para as análises


físico-químicas foram coletadas. Para a
A caracterização do ambiente de análise de nutrientes as amostras foram
água doce e de seus organismos acondicionadas em frascos, preservadas em
compreendeu amostragem e análise de caixas isotérmicas com gelo e transportadas
parâmetros físico-químicos e bióticos nos ao laboratório para análise.

75
Vegetais aquáticos microscópicos Marinha e na Estação Manguezal foram
realizadas com uma rede cilíndrico-cônica.
Na Estação Marinha, a coleta foi
realizada na superfície e próximo do fundo. Nas amostragens nos rios Macacu,
Caceribu e Porto das Caixas foram utilizadas
Animais aquáticos microscópicos uma rede. Todas as amostras foram
guardadas em frascos de polipropileno de
As coletas destes animais na Estação 500 ml, etiquetadas e fixadas.

Coleta de água

Lançamento do amostrador tipo Petersen utilizado para a coleta de sedimento.

Lançamento de rede cilíndrico-cônica para coleta de zooplâncton

47
76
Peixes coloniais. Deste modo, são encontrados na
Área Diretamente Afetada e Área de
A captura de peixes foi feita por Influência Direta somente espécies com
pescadores locais. Na Estação Manguezal, os capacidade para estabelecer-se em hábitats
peixes foram pescados por meio de tarrafa alterados.
para captura de camarões. Na Estação do
Rio Caceribu, foi empregado o arrasto-de- A Área de Influência Indireta do
praia (ou picaré). Após as coletas, os empreendimento ainda acomoda
exemplares foram preservados em caixas especialmente ao norte formações florestais
isotérmicas com gelo e transportados ao remanescentes em bom estado de
laboratório para análise. conservação. Nessas florestas, onde foram
criadas diversas áreas protegidas federal,
estadual, municipal ou mesmo de
Conclusões do Ambiente Biológico propriedade privada, a biota perdeu alguns
grupos com necessidades específicas, em
Em função das investigações de especial os animais de maior porte ou
campo e dos dados amostrados, constata-se ocorrentes em florestas de baixa altitude com
que a vegetação e animais foram afetados relevo moderado. Contudo, ainda preservam
por modificação resultante da exploração dos a maior parte dos grupos ameaçados do
seus recursos naturais desde os tempos Sudeste brasileiro.

Coleta de peixes no rio Caceribu com rede de arrasto-de-praia

77
SOCIOECONOMIA ASPECTOS HISTÓRICOS E GERAIS

Os dados referentes ao ambiente Área de Influência Estratégica –


socioeconômico foram analisados em Estado do Rio de Janeiro
diferentes escalas. O local de construção do
COMPERJ e seu espaço vizinho, distante até No século XX, registrou-se grande
10 quilômetros, foram classificados como desenvolvimento do então Distrito Federal,
Área Diretamente Afetada – ADA. antigo Município Neutro, localizado no
município do Rio de Janeiro. O interior
Já a Área de Influência Direta – AID vizinho à sede federal teve sua expressão
abrange uma distância de 20 quilômetros do econômica baseada na produção de café.
centro do complexo, cobrindo parte do
território dos municípios de Itaboraí, Contudo, este mercado teve uma
Cachoeiras de Macacu, Guapimirim, Magé, grande decadência entre as décadas de 30 e
Rio Bonito, São Gonçalo e Tanguá. 40, refletindo uma profunda estagnação
econômica na região, amenizada apenas
Expandindo mais o olhar sobre as pela pecuária no vale do Paraíba e a
regiões de influência, destaca-se a Região horticultura na região serrana.
Metropolitana do Rio de Janeiro, considerada
como a Área de Influência Indireta – AII. Os O estado e particularmente a cidade
municípios da Região Metropolitana do Rio do Rio de Janeiro sofreram, a partir dos anos
de Janeiro desfrutarão dos efeitos econômicos 60, grandes transformações econômicas,
indiretos e induzidos pelo COMPERJ, sociais e na distribuição espacial da
beneficiando-se em empregos, renda e população. O crescimento acelerado do
arrecadação tributária. Sudeste brasileiro, devido ao processo de
industrialização pelo modelo de substituição
Cabe esclarecer que o Consórcio de importações, provocou o deslocamento de
Intermunicipal de Desenvolvimento do Leste grandes números da população nordestina
Fluminense – CONLESTE é integrado pelos para os centros urbanos.
municípios de Cachoeiras de Macacu,
Casimiro de Abreu, Guapimirim, Itaboraí, A perda do posto de capital do país
Magé, Maricá, Niterói, Rio Bonito, São para Brasília e a invenção do estado da
Gonçalo, Silva Jardim e Tanguá. Guanabara (atual município), mantiveram o
centralismo das políticas públicas no meio
Este acordo entre municípios vizinhos urbano, dificultando uma integração
foi criado para discutir e integrar políticas que econômica e social do interior fluminense com
busquem benefícios para os seus territórios e o estado da Guanabara. Posteriormente, na
moradores, sendo assim considerado, Área década de 70, ocorreu a fusão dos dois
de Abrangência Regional – AAR. A Área estados, formando o atual território do Rio de
Influência Estratégia – AIE tem a maior Janeiro. Esta união não gerou acordos e
extensão, pois compreende o estado do Rio interações sócio-espaciais que beneficiassem
de Janeiro. o interior. Este quadro tem caminhado para
mudanças, principalmente no norte
AIE > AAR e AII > AID > ADA fluminense, com o crescimento da indústria do
petróleo e gás.

47
78
Este pólo extrativista, focado na região concentração econômica que pode ser
de Macaé, a partir das operações offshore na constatada, por exemplo, na sua participação
Bacia de Campos, capacita o estado do Rio no PIB estadual. Esta participação
como o maior produtor de petróleo e gás correspondia, em 2004, a 63,54% do PIB da
natural do país. Parte dessa produção é economia fluminense.
direcionada para a REDUC, Refinaria de
Duque de Caxias, cuja operação teve início No entanto, a economia da Região
em 1961, onde derivados do petróleo (óleos, Metropolitana perdeu relevância perante o
diesel, gasolina, entre outros) são produzidos. estado. A participação da RMRJ no PIB do
Conjuntamente aos empreendimentos neste estado passou de 79% para 65%, entre 1997
setor, o COMPERJ tende a potencializar a e 2001. Isso ocorreu principalmente pelo
produção de derivados do petróleo e a crescimento da participação da Bacia de
criação de empregos na região. Campos (de 4% para 19%, no mesmo
período), em função do desenvolvimento da
Área de Influência Indireta – Região indústria de petróleo.
Metropolitana do Rio de Janeiro
Esta redução teve razões não só pelo
A Região Metropolitana do Rio de crescimento do extrativismo da Bacia de
Janeiro é constituída por 18 municípios. Com Campos, mas também pelo movimento mais
quase 12 milhões de habitantes, aparece recente de desconcentração industrial, tanto na
como a segunda maior região metropolitana metrópole carioca, como no núcleo da RMRJ, e
brasileira e uma das 15 maiores do mundo. a emergência de vários pólos de
Ocupa 13% da área total do estado e desenvolvimento situados em áreas mais
concentra, numa superfície de pouco menos interioranas.
de 6.500 quilômetros quadrados, 77% da
população do estado, que hoje se aproxima Apesar de na indústria haver redução
de 16 milhões. nos postos de trabalho, o comércio e,
sobretudo, o setor de serviços, absorve um
Trata-se da aglomeração urbana mais grande contingente de trabalhadores. Em
importante do Estado e o segundo pólo termos de participação, os serviços já ocupam
nacional, em termos econômicos e 53% dos trabalhadores e o comércio 20%.
demográficos. Embora com desempenho
econômico favorável recente, problemas A queda do emprego com carteira
urbanos e sociais são muito presentes na assinada faz com que esse tipo de inserção já
região. represente 40% dos postos de trabalho da
RMRJ. Este crescimento baseia-se
Falta de infra-estrutura social, como principalmente no aumento do mercado
hospitais, creches e escolas, transportes e informal, de vendedores ambulantes e camelôs
espaços de lazer são as carências que mais a pequenos atravessadores, que pertencem a
atingem as periferias e núcleos de populações uma classe da população empobrecida pelo
de baixa renda, que apresentam taxas de baixo grau de instrução, aliado às escassas
crescimento demográfico superiores à média oportunidades de emprego estável.
da população.
Este mecanismo de sobrevivência
A grande aglomeração populacional tornou-se alternativa de ganho para muitas
da RMRJ é acompanhada de uma pessoas.

79
Percentual de pessoas que vivem em localidades precárias ou favelizadas

Regiões
1991 2000 Variação
Metropolitanas
(%) (%) (%)
selecionadas:
Belém 26.42 28.43 7,6
Baixada Santista 15.36 12.96 -15,6
Fortaleza 17.01 12.17 -28,4
Rio de Janeiro 11.50 11.46 -0,4
Belo Horizonte 12.03 9.63 -20
São Paulo 7.64 9.39 22,9
Salvador 9.38 8.40 -10,5
Grande São Luís 22.38 7.35 -67,2
Recife 25.11 6.77 -73
Vale do Aço 6.44 6.14 -4,7
Curitiba 6.47 6.14 -5,2
Campinas 4.75 5.92 24,8
Porto Alegre 7.22 5.48 -24,1
Maceió 7.38 4.33 -41,3
Média de todas RM 7.99 5.50 -31,2
Mediana de todas
RM 6.44 5.48 -14,9
Fonte: IBGE, Censo Demográfico, 2000

Como se observa na tabela, a RM do administrativa, social, serviços públicos,


Rio de Janeiro possui o 4º pior índice de saneamento e transporte regional.
“favelização” entre todas as RM: mais de 11%
de seus habitantes viviam em domicílios em O CONLESTE reúne uma população
localidades subnormais em 2000, o que que, em 2000, somava mais de 2 milhões de
representa cerca de 1,2 milhão de pessoas. habitantes, correspondendo a 14% da
população fluminense.
MUNICÍPIOS DO CONSÓRCIO
INTERMUNICIPAL DE DINÂMICA POPULACIONAL
DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO REGIONAL
LESTE FLUMINENSE – CONLESTE
Os municípios que compõem a AID
O Consórcio Intermunicipal para o apresentaram, com exceção de Tanguá,
Desenvolvimento da Região Leste Fluminense crescimento superior à taxa estadual e
– CONLESTE, constituído por 11 municípios integraram, juntamente com Casimiro de
localizados no entorno da área onde estará Abreu, Magé, Maricá e os demais municípios
localizado o COMPERJ, foi formado em da Baixada Litorânea, o grupo que cresceu
2006, com o objetivo de implementar com maior vigor entre 1991 e 2000.
projetos de interesse comum destes
municípios, e permitir a busca integrada de Os municípios apresentam, com
soluções em áreas como meio ambiente, exceção de Guapimirim e Silva Jardim, altas

47
80
População do CONLESTE, 2000.

1.000.000

800.000

600.000

400.000

200.000

0
G uapimirim

Itaboraí

Rio B onito

S ão G onçalo
Maricá

Tanguá
C achoeiras de

Magé

Niterói

Silv a Jardim
Casimiro de
Abre u
Macacu

taxas de urbanização, com índices superiores A partir do estudo dos dados


a 80% - Niterói e São Gonçalo atingiram estatísticos e das pesquisas realizadas, foi
100%. A AID deverá ter, em 2010, uma possível observar que os municípios da
população superior a 380.000 pessoas, região de influência do COMPERJ sofrem
cerca de 70% a mais do que no ano de 1990, deficiências quanto aos serviços básicos à
o que mostra o acentuado processo de população, como educação, saúde,
expansão demográfica da região. transporte e saneamento.

Os municípios com o maior número de A chegada do COMPERJ abre a


pessoas ocupadas com carteira assinada são possibilidade de maior geração de emprego e
Niterói, São Gonçalo, Rio Bonito, Itaboraí e renda, possibilitando, se integrado com
Magé, enquanto Tanguá, Silva Jardim, políticas municipais, uma dinamização da
Casimiro de Abreu e Guapimirim têm os economia regional.
números mais baixos de pessoal formalmente
ocupado. A Região Metropolitana do Rio de
Janeiro e os municípios da área de influência
Dentro do CONLESTE, os municípios caracterizam-se por grande carência de
com melhores indicadores sociais são, nesta investimentos do governo. Futuramente
ordem, Niterói, Maricá, São Gonçalo e beneficiados pelos tributos gerados com
Casimiro de Abreu. Os municípios menos COMPERJ, poderão planejar e investir na
favorecidos são Silva Jardim e Tanguá. qualidade de vida dos seus moradores.

81
PIB PER CAPITA E TOTAL E
DISTRIBUIÇÃO SETORIAL Dentro do CONLESTE, os municípios
com melhores indicadores sociais são Niterói,
A AID responde por menos de 1% do seguido de Maricá, São Gonçalo e Casimiro
PIB do estado, enquanto o CONLESTE gera de Abreu. Silva Jardim e Tanguá são os
cerca de 7%, ocupando a segunda colocação municípios menos favorecidos.
entre as áreas listadas. Quanto ao PIB per
capita, Niterói apresenta o maior índice, Niterói também ocupa a primeira
cabendo o menor a Silva Jardim – quase posição quanto à Taxa de Alfabetização de
quatro vezes inferior ao do estado. Adultos, enquanto Silva Jardim ocupa a
última posição, com 80,31% da sua
Na AID, o item Aluguéis responde população adulta alfabetizada.
pelos maiores percentuais do PIB em quase
todos os municípios, com exceção de SANEAMENTO BÁSICO E
Cachoeiras de Macacu, onde a indústria de HABITAÇÃO
transformação gera praticamente a metade
do PIB municipal. O município de Itaboraí apresenta,
dentro da AID, o maior número de habitantes
Em relação ao CONLESTE, Aluguel é o que dispõem de água canalizada e esgoto em
principal gerador de PIB em todos municípios, seus lares, enquanto no CONLESTE essa
com exceção de Niterói (indústria de
posição é ocupada por São Gonçalo, seguido
transformação) e Rio Bonito (Outros
por Niterói.
Serviços).
São quase 54 mil domicílios da AID
É interessante assinalar que a extração
com deficiência de infra-estrutura, sendo que
mineral, o comércio atacadista e as
esse valor sobe para quase 262 mil quando
instituições financeiras são os itens com
são considerados os municípios dentro do
menores valores de geração de PIB no
CONLESTE.
conjunto dos municípios avaliados.
Niterói, Cachoeiras de Macacu,
PESSOAL OCUPADO E IDH
Casimiro de Abreu e São Gonçalo são os
Os municípios com o maior número de municípios com melhor desempenho, visto
pessoas ocupadas com carteira assinada são que têm mais de 40% dos seus domicílios
Niterói, São Gonçalo, Rio Bonito, Itaboraí e ligados à rede geral de esgotos. Em Maricá, o
Magé, enquanto Tanguá, Silva Jardim, percentual cai para 9,8%.
Casimiro de Abreu e Guapimirim têm os
números mais baixos de pessoal formalmente SAÚDE
ocupado.
Os municípios da AID apresentam os
Cachoeiras de Macacu é, dentro da menores números de leitos e de postos de
AID, o município mais bem posicionado em saúde e o mais baixo coeficiente de leitos por
termos de Índice de Desenvolvimento 100 habitantes das regiões consideradas.
Humano (IDH), ocupando a 55ª posição Dentro da AID, a maior parte das internações,
dentro do Estado do Rio de Janeiro e a em 2005, ocorreu em Itaboraí, cabendo a
posição 1.828 em nível nacional. Tanguá o número mais baixo.

47
82
O CONLESTE respondeu por 17% do 40,4 milhões em 2005, um aumento de
total de internações no estado, tendo sido aproximadamente 31%. Para a área do
Niterói responsável por cerca de 30% das CONLESTE, esses valores foram de R$ 133,4
internações na área desse grupo de milhões e R$ 190,5 milhões, respectivamente,
municípios. com uma evolução de 42%. Os royalties
respondem por 85% desses totais.
Dentro da AID, o município com
menor taxa de mortalidade total, no período
considerado, foi Tanguá, enquanto Itaboraí
DESCRIÇÃO HISTÓRICO-
(2002 e 2003) e Guapimirim (2004)
ECONÔMICA DOS MUNICÍPIOS DO
apresentaram as maiores taxas. Já no
CONLESTE, essas posições são ocupadas por CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE
Silva Jardim e Niterói, respectivamente. DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO
LESTE FLUMINENSE – CONLESTE
EDUCAÇÃO
ITABORAÍ
Dentro da AID, Itaboraí apresenta a
mais baixa taxa total de analfabetismo, ao A população de Itaboraí, com uma
passo que Tanguá possui a mais alta. No que área de 428 quilômetros quadrados, possuía
concerne às taxas na área urbana, o menor
216.657 habitantes em 2005.
valor é alcançado em Guapimirim, ocorrendo
o mais elevado, mais uma vez, em Tanguá.
A origem do município está
Na área rural, essas posições são ocupadas
relacionada à Vila de Santo Antônio de
por Itaboraí e por Cachoeiras de Macacu,
respectivamente. Já no CONLESTE, as taxas Macacu, como também era conhecida,
de analfabetismo (total, urbano e rural) mais fundada em 1567. Era o principal entreposto
elevadas são registradas em Silva Jardim, comercial da época, recebendo toda a
ficando com Niterói os menores valores. produção de gêneros do Norte Fluminense,
que eram transportados pelo rio Macacu até
ASPECTOS FISCAIS a Baía de Guanabara, de onde eram
exportados para a Europa.
A receita corrente total dos municípios
da AID tem evoluído a uma taxa anual entre
Em 1874, a inauguração de uma
7% e 8%, sendo que as transferências
estrada de ferro ligando Nova Friburgo e
respondem por aproximadamente 80% da
receita total da área. O município de Itaboraí Cantagalo ao porto da Capital da Província
apresenta a maior receita total, sendo a marcou o início do declínio da cidade.
menor a de Tanguá. Dentro do CONLESTE, o Itaboraí chegou a disputar com Niterói,
município de maior receita é Niterói, e o de perdendo por apenas um voto, a indicação
menor receita é, novamente, Tanguá. para ser a capital da província do Rio de
Janeiro, no século XIX. Recebeu o apelido
Os municípios localizados na AID
"Pernambuco Pequeno" do imperador Pedro
receberam, em 2004, um total de cerca de R$
II, devido à sua importância econômica na
31 milhões em royalties e participações
época.
especiais, valor esse que aumentou para R$

83
Os remanescentes de floresta tropical CASIMIRO DE ABREU
concentram-se no maciço do Barbosão,
enquanto uma grande área de manguezal faz O município possui uma área de 462
quilômetros quadrados. Sua população é de
parte da APA de Guapi-Mirim. O maciço é
25.294 habitantes.
uma das últimas áreas verdes dos municípios
de Itaboraí e Tanguá, e articula-se à serra do
O município atual originou-se da
Sambé, em Rio Bonito, o que tem levado a antiga aldeia dos índios Guarulhos, fundada
propostas de criação de APA estadual e APAs pelo capuchinho italiano Francisco Maria
municipais. Tali, no lugar hoje conhecido como Aldeia
Velha.
O município é cortado pelos rios
Macacu, Caceribu, Iguá, Aldeia e Várzea, Teve desenvolvimento na agricultura e,
manguezal de Itambi - delta do rio Macacu, até os fins do século XIX, conseguiu manter
na Baía de Guanabara. As principais essa situação. A sede da comuna foi
atividades primárias da economia de Itaboraí deslocada ora para Indaiaçu, ora para Barra
são gado de corte, produção de leite, laranja de São João, até que em 1925 foi fixada em
e limão. Indaiaçu, que passou a denominar-se
Casimiro de Abreu.

CACHOEIRAS DE MACACU GUAPIMIRIM

Localiza-se a uma altitude de 57 Está localizado num vale formado pela


metros. Sua população em 2006 era de base do Dedo de Deus, a 48 metros de
54.665 habitantes, numa área de 958 altitude, com área de 361 quilômetros
quilômetros quadrados. quadrados. Até 25 de novembro de 1990
(data de sua emancipação político-
Os primeiros registros de ocupação do
administrativa), a história de Guapimirim é
território de Cachoeiras de Macacu datam no
também a de Magé, do qual fazia parte.
final do século XVI, com cultivos de mandioca,
milho, cana-de-açúcar, arroz e feijão. Entre Os habitantes das terras de
1831 e 1835, por conta de uma febre Guapimirim até o século XVII foram os índios
endêmica conhecida como "febre de Timbira, espalhados por todas as terras de
Macacu", houve grande perda de vidas e um Magé. São destaque em Guapimirim os
significativo processo de êxodo rural. hortifrutigranjeiros e produção de leite.

Desorganizaram-se as atividades O município tem vocação natural para


produtivas e o município entrou em crise. Até ecoturismo, agroturismo e agroindústria,
1930, além das lavouras de subsistência, potencial econômico que só necessita ser
Cachoeiras de Macacu dependia das explorado de forma sustentável.
atividades da oficina da estrada de ferro,
usando-o como local de transbordo para a A APA de Guapi-Mirim foi criada em
subida da serra. 25 de setembro de 1984, atendendo, na
época, ao pleito de universidades e

47
84
movimentos ambientalistas, tornando-se a que haviam recebido terras em doação. O
primeira unidade de conservação específica primeiro centro efetivo de população
de manguezais. localizou-se onde se encontram o povoado de
São José de Imbassaí e a Fazenda de São
A APA de Guapi-Mirim abrange a Bento, fundada em 1635 pelos frades
área de manguezal mais preservada do beneditinos.
estado, conhecida como Pantanal
Fluminense. A pesca esportiva, o passeio de Nesse mesmo lugar foi construída a
barco e a observação das várias espécies de primeira capela da região, dedicada a Nossa
aves proporcionam lazer e descanso aos Senhora do Amparo e reconhecida como
visitantes. paróquia perpétua em 12 de janeiro de
1755.
MAGÉ
Em 1889, logo após a Proclamação
Localiza-se a uma altitude de 5 metros.
da República, a Vila de Maricá apresentava
Sua população estimada em 2005 era de
um progresso tão intenso que o governo
232.427 habitantes. Possui uma área de 386
quilômetros quadrados. resolveu elevá-la à categoria de cidade.

Em 1726, o desbravador Bernardo Com a abolição da escravatura


Proença abriu o "caminho das pedras" que se ocorreu uma diminuição nas atividades
tornou a primeira ligação entre o Rio de agrícolas, fazendo com que a nova cidade
Janeiro e Minas Gerais, quando os viajantes sofresse algumas dificuldades no seu
gastavam 15 dias para atingir Vila Rica. Era desenvolvimento.
local obrigatório da passagem de todo o
ouro, que vinha das Minas Gerais para a sede A economia tem como destaques as
do Brasil Colônia. atividades agropastorais, indústrias de
pequeno porte, exploração mineral,
O território de Magé abriga o marco construção civil, pesca e turismo.
da primeira ferrovia do Brasil, a Estrada de
Ferro Barão de Mauá. Entre os pontos O município abrange a serra da
turísticos, podemos citar o Poço Bento, com Tapuaba, fronteira com São Gonçalo e
água benta pelo jesuíta José de Anchieta. Itaboraí, e a serra do Lagarto, fronteira com
Itaboraí.
Outro atrativo é a Estrada de Ferro de
Guia de Pacobaíba, hoje desativada, que
Com área de aproximadamente
outrora fazia a ligação com a cidade de
1.800 hectares (18 quilômetros quadrados),
Petrópolis. A família imperial tomava uma
o Parque Estadual da Serra da Tiririca
barca no Rio de Janeiro em direção à Guia de
abrange terras das regiões leste e oceânica
Pacobaíba e de lá tomava o trem para a
do município de Niterói e parte dos bairros de
cidade imperial.
ltaipuaçu e ltacoatiara.
MARICÁ
O parque foi criado em 1991, e é o
O povoamento de Maricá começou no único parque estadual que teve a criação
final do século XVI, a cargo dos portugueses efetivada por vontade popular.

85
NITERÓI RIO BONITO

A sede está localizada a uma altitude O município tem uma área total de
de 5 metros e distante 14 quilômetros da 463 quilômetros quadrados. A população
capital do Estado (pela Ponte Rio - Niterói). A estimada é de 53.000 pessoas.
qualidade de vida na cidade está entre as
mais elevadas do país (terceiro lugar dentre As informações sobre o povoamento
5.600 municípios), de acordo com os de Rio Bonito datam da segunda metade do
padrões da Organização das Nações Unidas século XVIII. As terras dessa região tinham
(ONU). sido ocupadas anteriormente pelos índios
Tamoios, que acabaram sendo afastados
A palavra Niterói, do tupi, significa desse local pelas freqüentes chegadas de
"água parada". Niterói era uma região de colonos ao Brasil.
manguezais, e a área onde hoje está
localizado o centro da cidade era coberta Após certo período de participação
pelo mar. no ciclo de cana-de-açúcar, a economia local
foi envolvida pela expansão do café.
A história de Niterói começa com a
descoberta da existência do pau-brasil. A O local voltou-se para outras
cidade foi fundada em 22 de novembro de atividades e, no princípio do século XX, já
1573 pelo índio Araribóia, batizado com o estava cultivando banana e produzindo
nome cristão de Martim Afonso. Niterói é a lenha e carvão vegetal. Começou também a
única cidade brasileira fundada por um cultura da laranja, que se prolongou por
índio. algum tempo. A pecuária foi ainda uma das
opções escolhidas por fazendeiros, e muitas
Em 1819, a vila foi reconhecida pelo plantações foram transformadas em pastos.
governo real, recebendo o novo nome de Vila
Real da Praia Grande. Nessa época, a cidade Possui diversas cachoeiras, com
ocupava apenas a área correspondente ao caminhos e trilhas para os turistas entrarem
atual centro. em contato com a natureza, há no município
uma rampa de vôo livre localizada na serra
A expansão para além dessa área do Sambê. Possui também diversas igrejas
começou apenas no fim do século XIX, históricas e centros culturais.
quando o serviço de bondes entrou em
funcionamento e permitiu a urbanização de SÃO GONÇALO
pontos mais distantes do centro.
A sede localiza-se à altitude de 19
No início do século XX, a cidade metros. Sua população estimada é de
iniciou seu processo de industrialização. No 944.900 habitantes sendo assim a segunda
período de 1903 a 1975, Niterói foi capital cidade mais populosa do estado, depois da
do Estado do Rio de Janeiro, tomando o lugar capital.
que Petrópolis ocupara desde 1894. Em
Em 1579, o colonizador Gonçalo
1841, Niterói recebeu o título de Imperial
Gonçalves Barbosa fundava São Gonçalo,
Cidade, conferido por D. Pedro II.

47
86
mandando construir uma capela com o santo um aumento de comércio extraordinário,
de sua devoção, São Gonçalo d'Amarante. principalmente com foco em café e cereais.
Na fundação, São Gonçalo era habitado
pelos índios Tamoios, cujos domínios Silva Jardim é hoje uma pequena e
estendiam-se até Angra dos Reis. atraente localidade interiorana com sua bem
cuidada pracinha central. A lagoa de
Em 1860, trinta engenhos já estavam Juturnaíba pode oferecer muitas
expor tando através dos por tos de oportunidades de esportes náuticos O
Guaxindiba, Boaçu, Porto Velho e Pontal de município apresenta grande potencial
São Gonçalo. Em 1890, o distrito de São turístico natural como o ecoturismo.
Gonçalo é emancipado politicamente e
desmembrado de Niterói. TANGUÁ

No período da Segunda Guerra O município, a uma altitude de 20


Mundial, São Gonçalo cresceu de forma metros, ocupa uma área total de 142,9
rápida, com as grandes fazendas sendo quilômetros quadrados. A história de Tanguá
desmembradas em sítios, chácaras e está vinculada à de Itaboraí até 1995,
loteamentos populares. quando alcançou sua emancipação. A
origem do nome "tanguá" está na língua tupi,
Este processo, ainda que com onde "tan" significa "formiga" e "guá",
alterações, prossegue nos dias de hoje, sendo "comer". Assim, traduzida literalmente,
a acessibilidade aos centros de emprego na "Tanguá" é "papa-formiga".
região metropolitana fator importante na
explicação do crescimento populacional. Por volta de 1880, havia grandes
fazendas em Tanguá, implantadas ao longo
SILVA JARDIM do curso do rio Macacu. Na década de 70,
quase cem anos depois, é descoberta em
O município de Silva Jardim era Tanguá uma das maiores reservas de fluorita
inicialmente conhecido como Capivari. A do Brasil. Este mineral, como o calcário,
pequena vila cresceu tendo como principal representa atualmente uma das maiores
ocupação a exploração de madeira e riquezas minerais do Estado do Rio de
lavoura. Janeiro.

As terras para a fundação da cidade As atividades econômicas mais


foram doadas por Luís Gomes representativas hoje no município são
(provavelmente um fazendeiro), que hoje tem comércio, prestação de serviços, agricultura e
o seu nome relembrado na rua principal da extração de minerais.
cidade.
Por volta de 1918 vieram tempos
difíceis: a gripe espanhola dizimou famílias
inteiras na cidade, e logo após ocorreu um
intenso ataque de gafanhotos. A cidade
custou a se recuperar dessas duas tragédias.
Silva Jardim experimentou, na década de 20,

87
Avaliação dos impactos ambientais e cenários futuros
O conhecimento dos impactos projeto de engenharia de empreendimentos
ambientais do COMPERJ foi traçado a partir em locais intocados ou de reconhecida
da Resolução 001/86 do CONAMA, importância ecológica. A abertura de
segundo a qual impacto ambiental é estradas e picadas para acesso, bem como a
“qualquer alteração das propriedades físicas, operação de veículos e equipamentos pode
químicas e biológicas do meio ambiente,
trazer efeitos negativos de poluição do solo,
causada por qualquer forma de matéria ou
do ar e das águas. No entanto, estes impactos
energia resultante das atividades humanas
que, direta ou indiretamente, afetam: a não são importantes, por se tratar de sítio
saúde, a segurança e o bem-estar da descaracterizado, onde são normalmente
população; as atividades sociais e desempenhadas atividades agropastoris há
econômicas; a biota (conjunto de seres vivos séculos.
de um ecossistema); as condições estéticas e
sanitárias do meio ambiente, e a qualidade De fato, dados os rigorosos princípios
dos recursos ambientais.”. de planejamento das atividades de campo e
de liberação das equipes contratadas pela
Os impactos sobre o ambiente Petrobras, envolvendo os procedimentos de
biológico produzidos pela construção e garantia de proteção ao meio ambiente e de
operação de empreendimentos têm segurança e saúde ocupacional, estes
magnitude e importância estreitamente
impactos não são considerados.
relacionadas com a qualidade ambiental da
região a ser impactada e sua importância
Limpeza do terreno e destocamento
ecológica.
– alteração da paisagem natural
A previsão dos impactos ambientais com supressão do atual ambiente
identifica as possíveis modificações agro-florestal (interferência com
provocadas pelo empreendimento: nas fases APPs e FMPs)
de planejamento, construção, operação e
desativação. Este impacto é inevitável e será
atenuado/compensado pela implantação do
IMPACTOS SOBRE O MEIO projeto Corredor Ecológico do COMPERJ,
FÍSICO que faz parte do Programa Ambiental de
Recuperação de Áreas Degradadas e
FASE DE PLANEJAMENTO E articula-se com a iniciativa de apoio ao
CONSTRUÇÃO desenvolvimento agro-florestal sustentável.

As Áreas de Preservação Permanente


Impactos provocados pelas
– APPs da legislação federal, que incluem os
atividades de sondagens
conceitos de proteção de matas ciliares,
geotécnicas, amostragem de solos
nascentes, remanescentes florestais e morros,
e água
e as Faixas Marginais de Proteção (FMPs) de
Estes impactos sobre o ambiente físico, rios e córregos, estabelecidas com base na
decorrentes da presença de pessoas e da legislação estadual, que serão afetadas pela
operação de veículos e equipamentos de implantação do empreendimento. Estão
sondagem no sítio, estão associados à fase de ilustradas pela figura a seguir.

91
Mapa de interferências do empreendimento com APPs e FMPs

As FMPs foram desenvolvidas em


conjunto com a SERLA, autoridade
responsável por sua implementação. São
faixas de terra necessárias à proteção, à
defesa, à conservação e operação dos rios e
lagos, de acordo com as determinações dos
órgãos estaduais competentes (Lei Estadual-
RJ N ° 1.130/87). Segundo a Fundação
Superintendência de Rios e Lagoas – SERLA, a
FMP é uma limitação administrativa, imposta
pelo Poder Público, sobre terras marginais
que podem ser de propriedade federal,
estadual, municipal ou de particulares.

Ressalte-se que as FMPs foram Ilustação de uma faixa marginal de proteção


consagradas pela Constituição Estadual no
inciso III do Artigo 265 como Área de
Preservação Permanente, significa que a FMP Os rios principais do COMPERJ,
deverá permanecer em seu estado natural, Caceribu e Macacu possuem largura que não
nela sendo proibidas quaisquer edificações excede 50 metros em suas calhas e mostram-
de caráter permanente que não acessem se ladeados por diques de contenção, que se
embarcações. estendem ao longo de suas margens. Os

92
diques apresentam razoável estado de A proposta de FMP do rio Macacu e
conservação no caso do rio Macacu e, em Caceribu determina que será mantida uma
alguns pontos, principalmente no rio distância de 100 metros, além dos diques.
Caceribu, apresentam-se erodidos e Dessa forma, de maneira conservadora,
ficará assegurada a proteção das áreas
descontínuos. A altura dos diques é de 4
marginais dos rios, excedendo ao que
metros, em formato trapezoidal. determina a lei para rios desse porte.

Rio Macacu ladeado por diques marginais

Demarcação da FMP de 100 metros além da linha de topo


dos diques marginais ao Rio Macacu.

93
Os córregos, valas de drenagem e rios Movimentação de terra e
internos que não cruzarem com as obras de escavações - Alteração de relevo
edificação do COMPERJ serão demarcados pela criação dos platôs previstos e
com FMP de 30 metros, uma vez que possuem alteração da drenagem natural
largura máxima inferior a 10 metros. Os que
cruzarem com a área edificada serão A movimentação de terra, necessária
à criação dos platôs previstos para as
manilhados até o ponto onde retomam seu
unidades do COMPERJ, com cotas entre 8 e
curso natural. 22 metros, causará interferências diretas nos
cursos de drenagem local e modificará o
As APPS, incluindo as FMPs somam relevo caracterizado pelos atuais morrotes,
cerca de 1.980 hectares. São consideradas áreas de planície aluvional e brejos
existentes.
ecologicamente relevantes as áreas situadas
na bacia do Macacu, sobretudo as drenagens A alteração das áreas de preservação
e fragmentos florestais de mata secundária. permanente definidas está minimizada,
Estas áreas, somando 177 hectares com tendo-se como ganho um arranjo que
preser va as principais drenagens e
fragmentos florestais e 666,7 hectares de
fragmentos florestais remanescentes,
FMPs. São ecologicamente importantes: enquanto a movimentação de terras será
manguezais da APA de Guapi-Mirim e o equilibrada entre cortes e aterros,
abastecimento de água da região, que dispensando materiais (saibro) e sobras de
dependem das águas do Macacu-Guapiaçu, obras, com um total a ser movimentado de 40
milhões de metros cúbicos.
desviadas do Caceribu para o canal
Imunama, onde a CEDAE capta do sistema Geração de processos erosivos,
Imunama-Laranjal. assoreamento dos cursos de água e
dispersão de poeiras com
Serão efetivamente ocupadas por alteração da qualidade do ar
instalações industriais do COMPERJ o
Em decorrência da engenharia do
correspondente a aproximadamente 26 %
projeto COMPERJ e do Plano Ambiental de
dos 4.500 hectares da propriedade o que Construção, não são esperados impactos
representa uma taxa de ocupação geral significativos na fase de construção relativos à
bastante baixa. O projeto COMPERJ é instabilidade de encostas, com erosão e
assoreamento.
acompanhado nas fases de engenharia e
durante o processo de implantação e Tais medidas envolvem o controle da
operação, por medidas que minimizam os drenagem por diques temporários e
impactos e estimulam iniciativas à qualidade manutenção de vegetação retirada, para
social e ambiental da região. Estas medidas facilitar e agilizar a recuperação de taludes e
áreas de uso futuro.
indicam ao projeto de drenagem, que
garante completo controle da drenagem Quanto à poluição atmosférica por
contaminada, inclusive em situações de poeiras e gases de veículos e máquinas, são
acidentes com vazamentos. previstos controles, aspersão de pilhas de
materiais e solos expostos, aspersão das vias

94
não pavimentadas e controle das liberações O transporte desses materiais não
de poluentes dos equipamentos e veículos. implicará danos importantes ao ambiente
físico, se for assumido o Plano Ambiental de
São previsíveis algumas interferências Construção.
temporárias, quando for iniciada a
movimentação de terra. Risco de vazamentos de óleo de
veículos e máquinas
O controle dos materiais escavados
minimizará o espalhamento de poeiras em A utilização de veículos e máquinas
dias secos e o arraste de material nessa etapa
certificadas e a garantia de manutenção,
das obras. As sobras de escavações serão
aliadas ao projeto da oficina de manutenção,
depositadas nas áreas de exploração de
com drenagem controlada para separadores
argilas e de areais nas proximidades.
de água e óleo de última geração, minimizará
o risco de vazamento chegar à rede de
Transporte, estocagem e manuseio
drenagem natural.
de materiais - Dispersão de
poeiras de pilhas de saibro/areia e
Implantação e operação dos canteiros
alteração da qualidade do ar
de obras – geração de efluentes e
resíduos com gerenciamento
Em relação à obtenção de materiais
inadequado e consequente poluição
externos (argila, brita, areia e outros), o
empreendedor buscará transportadores e do solo e das águas
fornecedores, devidamente licenciados nos
No pico das obras estarão presentes
órgãos competentes. Serão utilizados
na área do projeto cerca de 22.000 pessoas,
caminhões quanto a liberações do ar e
entre operários, técnicos e engenheiros.
cobertos para materiais finos no primeiro
Note-se que a decisão de não incluir
caso.
alojamentos no COMPERJ minimiza o
potencial de impacto das obras nos ambientes
físico, biológico e socioeconômico.

O que é assoreamento ?
Estas interferências temporárias
É o acúmulo de material mineral ou também serão reduzidas pelo Plano
orgânico - areia, terra etc. nos rios ou Ambiental de Construção.
lagos, reservatórios, baías e mares.
Teste e comissionamento de linhas,
equipamentos e sistemas – Poluição
do ar e das águas

O que é drenagem ? Neste estágio do empreendimento,


será retirado o ar presente no interior dos
É a retirada do excesso de água do equipamentos e emitidos os efluentes gerados
solo pela superfície ou pelo fluxo
interno. Também pode ser perda de na limpeza das linhas/equipamentos e
água do solo por infiltração. barulhos oriundos do teste, além de pequenas
quantidades de resíduos.

95
Trata-se de testes e preparação de instalações de controle pós-queima, as
equipamentos (vasos de pressão e simulações realizadas demonstram a
fornos/reatores) para inicio da produção. necessidade de redução nos níveis de
emissão de óxidos de nitrogênio para a
As liberações de ar para atmosfera, os
garantia de um impacto máximo aceitável. O
efluentes e os resíduos serão gerenciados de
projeto do COMPERJ inclui a previsão de
acordo com os programas já existentes na
controles adicionais de última geração
Petrobras e a serem incorporados na fase de
licenciamento da instalação. Os sistemas de (implantação de sistemas adicionais de
instrumentação, controle, utilidades – redução de NOx) para diminuição destes
particularmente o tratamento de efluentes poluentes em nível superior a 80%. Esta
industriais e sanitários e o gerenciamento de tecnologia garantirá a qualidade do ar no
resíduos sólidos - estarão rigorosamente longo prazo em contraste com o crescimento
adequados às exigências legais e ás melhores urbano-industrial da região.
práticas em cada setor.
Uso da água e lançamento de
FASE DE OPERAÇÃO efluentes

Espalhamento de poluentes do ar Tanto o fornecimento de água como o


emissário submarino para lançamento de
A liberação de gases de combustão no efluentes serão levados a licenciamento
ar causa perda da qualidade do ar. As ambiental individualmente em momento
concentrações dos poluentes podem atingir futuro. O fornecimento de água bruta será
níveis preocupantes e danosos ao meio proveniente de sistema próprio de captação e
ambiente e à saúde do homem. de tratamento, que contribuirá para o
abastecimento de água potável à região.
Tr a n s f o r m a ç õ e s q u í m i c a s e
fotoquímicas (influência de luz nas reações Estudos sobre possibilidades de locais
químicas) desses poluentes levam à formação de lançamento de efluentes constataram que
de ozônio na baixa atmosfera (camada de ar os impactos destes efluentes do COMPERJ
entre 0 e 16 quilômetros, onde vivem todos os serão pouco significativos, por causa de suas
seres vivos), assim como a compostos ácidos características de volume e níveis de
de enxofre e nitrogênio. Também são contaminantes e a capacidade de tratamento
fenômenos conhecidos a chuva ácida e o do ambiente marinho.
depósito seco e úmido de partículas metálicas
de composições complexas. É inevitável a O que é efeito estufa ?
contribuição dos gases para o efeito estufa.
É o aumento da temperatura da
atmosfera terrestre. Os principais
Apesar da possibilidade de gases responsáveis do efeito estufa
enquadramento legal dos equipamentos são monóxido e dióxido de carbono,
metano e óxidos e nitrogênio.
térmicos do COMPERJ sem a utilização de

96
Ruídos (barulhos) de 40 decibéis, chegando a atingir 67
decibéis no ponto em Sambaetiba (próximo à
Todas as bombas e compressores, Rodovia RJ-116). Não haverá, portanto,
principais fontes de barulhos no projeto, estão impacto relevante sobre a vizinhança.
garantidas para um máximo de 85 decibéis a
1 metro da instalação. Na área industrial do Gerenciamento de Resíduos Sólidos
COMPERJ, será obrigatório o uso de
equipamentos de proteção individual, Os resíduos de refeitórios e de
inclusive protetores auriculares adequados e escritório são originários das atividades de
certificados. O barulho ambiental provocado apoio industrial e administrativo e não são
pelo projeto é compatível com a legislação, perigosos. Os resíduos de escritório serão
que exige para zonas industriais um limite reciclados. Já os de refeitório serão
máximo de 65 decibéis na cerca de proteção. removidos periodicamente, e dispostos em
local previamente definido, ou compostados
As medições dos níveis de barulhos em juntamente com resíduos de manutenção das
torno do COMPERJ estiveram sempre acima áreas verdes do Complexo.

Tabela de resíduos industriais não perigosos

Quantidade
Resíduo estimada Destino
(toneladas/ano)

Sucata ferrosa 300 sucateiros intermediários

Sucata não ferrosa 53 sucateiros intermediários

Tabela de resíduos sólidos industriais perigosos (Classe I)

Quantidade
Resíduo estimada Destino
(toneladas/ano)
Catalisadores gastos 696 reciclados pelos fornecedores
Contaminados com co-processamento em unidades de
547
hidrocarbonetos cimento
Contaminados com co-processamento em unidades de
416
enxofre cimento
Óleo lubrificante 284 reciclagem (nos termos da lei em vigor)
usado
Sólidos de óleos co-processamento e incorporação a
10.000
residuais e lodos unidades de cerâmica vermelha (*)
co-processamento e incorporação a
Borras 52.000
unidades de cerâmica verm. ou aterro ind.
Lâmpadas seguem para reciclagem e co-
2
fluorescentes processamento em unidades de cimento
co-processamento em unidades de
Pilhas e baterias 0,5
cimento
(*) poderá ser desenvolvida uma alternativa de conversão a baixa temperatura para aproveitamento
energético e/ou compostagem

97
O gerenciamento de resíduos de
processo para incineração seguirá rigoroso O que são resíduos sólidos ?
planejamento, e passará por auditorias
interna e externa. O COMPERJ disporá de É todo refugo, sobra e detrito vindo de
atividade humana. Os resíduos sólidos
central de última geração de gerenciamento,
domésticos é o popular lixo, mas os
estocagem e expedição de resíduos, com resíduos das atividades industriais têm
separação adequada, drenagem controlada tipos e classificações variadas.
e procedimentos de recebimento, separação,
guarda e expedição, atendendo à legislação.

Acidentes com vazamentos, previstos para serem instalados no COMPERJ


incêndios e explosões e na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Os riscos e as conseqüências de Mesmo ocorrendo um acidente, este


acidentes estão tratados de acordo com a não deverá evoluir para conseqüências
metodologia da FEEMA. Todas as hipóteses graves.
relevantes foram consideradas.
IMPACTOS SOBRE O
Os piores cenários simulados, dentro AMBIENTE BIOLÓGICO
do licenciamento do projeto COMPERJ,
mostram que o ambiente e as comunidades A área de influência direta é um
vizinhas não estariam expostos a riscos “quebra-cabeças” de áreas sobre a baixada
significativos. dos rios Macacu e Caceribu e sobre os
morros, formado pela retirada da floresta
Destaque-se o esforço da Petrobras / nativa, ao longo de quatro séculos.
Transpetro que implantou recentemente o
Programa de Excelência em Gestão Contém vários elementos desta
Ambiental e Segurança Operacional - paisagem: culturas temporárias,
PEGASO de melhorias da segurança e permanentes, pastagens artificiais, campos
integridade de dutos e terminais, o que sujos, capoeiras e fragmentos florestais
envolveu investimentos da ordem de R$ 8 extremamente pobres, apresentando
bilhões e a reforma de várias instalações. ausência quase total de matas ciliares.

No setor industrial, está em Desta forma, observa-se um arranjo


andamento o Programa de Gerenciamento com baixa capacidade para animais e
Segurança de Processos, o mais atualizado vegetação nativas, especialmente de grupos
conjunto de medidas de segurança de mais sensíveis às modificações ambientais.
processo no mundo.
Os impactos causados pelo
empreendimento terão pouca ou nenhuma
Conta-se ainda com os Planos de
importância, principalmente por causa do
Contingência Locais (ou Planos Locais de
Plano Ambiental de Construção e do Plano de
Resposta/Ação em Emergências), articulados
Recuperação de Áreas Degradadas /
aos Centros de Defesa Ambiental já
Implantação do Corredor Ecológico.
instalados em unidades da Petrobras e

98
FASE DE PLANEJAMENTO E em purificar as águas. Tal tecnologia reduzirá
CONSTRUÇÃO em volume dos efluentes salinos, em índices
inferiores aos parâmetros da legislação
Diminuição da vegetação dos ambiental.
ambientes terrestres e deslocamento
Quanto às alterações no ambiente
temporário dos animais
marinho, que receberá os efluentes tratados
Durante a construção das unidades do COMPERJ por emissário submarino em
industriais na área do COMPERJ, os impactos licenciamento ambiental específico,
relativos aos animais serão temporários, até considera-se que o impacto seria pouco
mesmo às aves. Neste caso, considerando-se relevante, conforme estudo realizado por
as medidas previstas no Plano Ambiental de especialistas da Universidade Federal do Rio
Construção e no Plano de Recuperação de de Janeiro.
Áreas Degradadas, as aves poderão retornar
à área ainda que com reduzida diversidade. Deslocamento permanente de
animais mais sensíveis a ruídos
Ambientes aquáticos
Trata-se de impacto atenuado
A organização dos canteiros pelo projeto para controle de barulhos e pelo
de obras implica na drenagem contaminada e Plano de Recuperação de Áreas
de esgoto que, se não forem controladas, Degradadas/Implantação do Corredor
podem comprometer a qualidade da água de Ecológico.
rios e subterrânea da área. O derrame de
resíduos oleosos e de produtos químicos pode Impactos sobre a vegetação e
contaminar o solo e o subsolo. Respeitados os animais provocados por poluentes
procedimentos atenuantes e de controle do ar
previstos no Plano Ambiental de Construção,
os impactos seriam de pequena magnitude e Trata-se de impacto negativo,
importância. atenuado pelo sistema de controle de gases
poluentes do COMPERJ, a ser acompanhado
FASE DE OPERAÇÃO e compensado pela legislação. Prevê-se, em
função do depósito dos poluentes regulados
Ambientes aquáticos nos cenários analisados, que esses impactos
estarão limitados a um raio de 20 quilômetros
Te n d o e m v i s t a o P l a n o d e
do COMPERJ.
Recuperação de Áreas Degradadas /
Implantação do Corredor Ecológico, previsto Vazamentos acidentais que
no projeto do COMPERJ, deverá ocorrer poderão afetar a vegetação e os
melhoria das condições dos ambientes animais dos ambientes
aquáticos da área de influência direta do
empreendimento. O tratamento de efluentes Este impacto é atenuado pelas
do COMPERJ será com tecnologias líderes características de segurança do projeto, pelo
mundiais. Estes processos têm alta eficiência Programa de Gerenciamento de Riscos e

99
pelos Planos de Prevenção de Vazamentos e considerou as taxas de desemprego atuais,
de Resposta em Emergências. sem admitir que os empregos na região do
COMPERJ venham a ser ocupados por
IMPACTOS SOBRE O pessoas de fora.
AMBIENTE
SOCIOECONÔMICO A Fundação Getúlio Vargas concluiu
que somente mantendo as taxas de
Estudos realizados pela Fundação desemprego de 6%, ou mais, haveria pressão
Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e pela demográfica associada à construção e
Fundação Getúlio Vargas (FGV) conduziram operação do COMPERJ na sua região de
à avaliação dos impactos econômicos do influência. O maior desafio do COMPERJ
COMPERJ em diferentes escalas territoriais. seria a redução do número de empregos, que
Importante para um projeto como o ocorrerá a partir de 2012 (após a conclusão
COMPERJ, é a possibilidade de avaliação dos das obras, e início da operação do
impactos sobre o crescimento urbano da sua complexo).
área de influência, de modo a preparar a
infra-estrutura e os serviços básicos FASE DE PLANEJAMENTO E
essenciais. CONSTRUÇÃO

O estudo da Fundação Getúlio Vargas Uso/Ocupação do Solo


mostrou que os investimentos do COMPERJ,
tanto em máquinas e equipamentos, como em O COMPERJ encontra-se dentro da
projeto e construção, irão resultar em Zona de Uso Exclusivamente Industrial (ZEI)
atividades econômicas no Brasil e no Estado de Itaboraí, criada pela Prefeitura através da
do Rio de Janeiro. Lei Complementar nº. 54, de 27 de setembro
de 2006. O impacto direto sobre o uso e a
Verifica-se que, na etapa de ocupação do solo em Itaboraí é positivo e
construção, 40% do valor orçado para contribuirá para a consolidação da vocação
compra de máquinas e equipamentos industrial da região.
deverão vir de fornecedores externos. Dos
60%, restantes, apenas 12% ficarão no Estado Considerando-se que as taxas de
do Rio de Janeiro. desemprego tenderiam a permanecer
elevadas na região, mesmo com a construção
No que se refere à fase de construção do COMPERJ, haveria pressão demográfica
(entre 2007 e 2012), os impactos foram significativa sobre a área de influência direta
calculados ano a ano, refletindo este período. do Complexo. Conseqüentemente, maior
Para a fase de operação, consideraram-se o impacto sobre os padrões desejáveis de
resultado para um ano típico de atividade uso/ocupação do solo.
plena do COMPERJ.
Os planos diretores de Itaboraí,
Para estimar os impactos em relação Tanguá e Cachoeiras de Macacu contam com
ao número de empregos para cada ano em a indicação de áreas de expansão urbana
cada região, a Fundação Getúlio Vargas prioritárias, além de áreas especiais bem

100
definidas, inclusive rurais, onde não deverá Aumento da Ocupação Irregular de
ser admitido o parcelamento para fins Áreas Urbanas / Acentuação de
urbanos. Carências Sociais

Pressão Demográfica A chegada de mão-de-obra


para a fase de construção, vinda de outros
O COMPERJ mobilizará municípios, poderá aumentar a ocupação
aproximadamente 22.000 trabalhadores no irregular das áreas vazias em volta do
pico das obras, a serem contratados pelas COMPERJ, na ausência de controle do uso do
empreiteiras. solo pelo poder municipal.

Mesmo com a contratação prioritária Aumento do tráfego local e


de pessoas e empresas de Itaboraí e dos regional
municípios das áreas de Influência Direta e
Indireta, a construção do COMPERJ O tráfego das obras do
aumentaria a pressão sobre as áreas urbanas COMPERJ, em comparação com as condições
e urbanizáveis fruto da atração de novos atuais e previstas de capacidade e segurança
grupos populacionais em busca de trabalho. das rodovias estaduais e federais impactadas
(notadamente BR-493, BR-101, RJ-116) foi
analisado conforme estudo da Universidade
Este impacto sobre o uso do solo e a
Federal do Rio de Janeiro.
infra-estrutura disponível, acontecerá se não
houver medidas governamentais adequadas Não deverão ocorrer transtornos
para absorver mão-de-obra, ampliar a infra- significativos para a população, devido à
estrutura e controlar o uso do solo. construção do acesso principal durante as
obras, para uso exclusivo do COMPERJ a
Aumento dos Índices de
partir da BR-493, e da melhoria desta rodovia
Comportamento Anti-Social no âmbito das obras do Arco Metropolitano.

A vinda de empregados das Já a utilização de estradas municipais


empreiteiras, recrutados ou transferidos de não pavimentadas em volta do COMPERJ, por
outros municípios, apesar da priorização da veículos associados às obras, poderá ter
contratação de mão-de-obra local, e a impacto que será atenuado pelas medidas
chegada de pessoas em busca de mitigadoras propostas.
oportunidades, poderá implicar no aumento
de comportamentos anti-sociais. Dinamização temporária das
atividades de comércio e de
Essas pessoas poderão buscar
prestação de serviços em Itaboraí
ocupação nas obras, ou tentar estabelecer
formas de comércio para atender os Os setores produtivos de Itaboraí e
operários. A decisão do COMPERJ de não municípios das áreas de Influência Direta e
permitir alojamentos no local atenuará este Indireta certamente serão beneficiados na
impacto. fase de construção, tanto pelos efeitos de

101
encadeamento econômico como pelos efeitos FASE DE OPERAÇÃO
da demanda local de bens e serviços,
provocados pelo fluxo adicional de emprego Aumento do tráfego local e
e renda durante as obras. regional

Aumento da arrecadação tributária O tráfego gerado pela operação do


COMPERJ, em comparação com as condições
Na fase de construção, os R$ 16 atuais e previstas de capacidade e segurança das
bilhões de investimentos incluem diversos rodovias estaduais e federais impactadas
tributos e contribuições federais (II, IPI, IR, (notadamente BR-493, BR-101, RJ-116) foi
Seguridade Social, PIS, COFINS), estaduais estudado pela Universidade Federal do Rio de
(ICMS) e municipais (ISS, ligado a contratos Janeiro.
de prestação de serviços), estimados em R$ 4
bilhões, além de efeitos fiscais indiretos, Antecipa-se, no entanto, que devido à
provocados pelo fluxo de trabalhadores utilização do acesso principal pela maior parte do
envolvidos com a construção. tráfego normal diário gerado pelo COMPERJ, não
deverão ocorrer transtornos significativos para a
Aumentos dos níveis de emprego e população potencialmente afetada.
renda na Área de Influência Direta,
CONLESTE, Região Metropolitana do Rio A construção de empreendimentos do
de Janeiro e Estado do Rio de Janeiro porte e gênero previstos tem importância indutora
de novos empreendimentos e pode ter efeitos de
Conforme estudos, os efeitos sobre o encadeamento econômico. Estes efeitos tiveram
emprego regional das obras do COMPERJ, sua magnitude estimada pela determinação do
atingem 54.000 para a Região Direta e valor adicionado à produção, do emprego e dos
160.000 para a Região Total. Note-se que no impostos associados ao COMPERJ, em cada
pico das obras, em 2011, estima-se um total escala territorial e cenário petroquímico, a partir de
de 21.700 homens-ano na Região Direta e de 2012.
64.759 homens-ano na Região Total.
Conforme os estudos, cerca de 720
Estes empregos temporários deverão empresas poderão se instalar na região até 2015,
ser preenchidos pela mão-de-obra destas para a produção de plásticos a partir de
regiões, conforme o esforço de polietileno, polipropileno e PET. Os estudos
cadastramento e qualificação. Com este também mostram o notável efeito do projeto sobre
objetivo, o COMPERJ manterá, em parceria valor adicionado, emprego e impostos indiretos na
com comunidades locais, o registro de mão- economia regional. O setor de refino de petróleo
de-obra qualificada e não qualificada de detém o mais alto multiplicador de renda (9,4) da
trabalhadores com residência local e de economia estadual, motivando praticamente todos
pequenas empresas, para uso das empresas os demais setores. O setor petroquímico também
responsáveis pela construção e para o apresenta um bom multiplicador (5,4), situando-se
processo de seleção de mão-de-obra em terceiro lugar, perdendo apenas para refino de
permanente para o empreendimento. petróleo e produção de petróleo e gás (5,9).

102
Aumento da arrecadação tributária controle e acompanhamento ambiental, de
operação e de manutenção.
Na fase de operação, quando o
faturamento bruto médio deve ser da ordem de R$ Em função do projeto desenvolvido, com
12 bilhões/ano, estima-se um impacto positivo áreas de proteção permanente, serão
para a arrecadação de tributos federais, estaduais minimizadas as intervenções à vegetação restante,
(ICMS) e municipais. hoje dominada por pastagens e lavouras
abandonadas de cítricos, por campo sujo e
Dados os mecanismos de participação fragmentos de floresta, bastante pobre em
municipal nos tributos diretos federais e estaduais, biodiversidade. A facilidade de acesso e a oferta
estima-se um impacto fiscal total, em nível das demais infra-estruturas necessárias nos eixos
municipal, de pelo menos R$ 1 bilhão/ano. da BR-493 e BR-101/RJ-116, e ferrovias
aproveitáveis minimizam as previsões de novas
Aumento do emprego obras complementares.

Conforme demonstrado pelos estudos, o Ao longo de sua operação, pode-se


COMPERJ proporcionará aumento do nível de esperar que o projeto imponha aos ambientes
emprego na economia regional, também na fase Físico, Biológico e Socioeconômico alterações
de operação. Tais dados estimam-se a criação de negativas relevantes apenas quanto à qualidade
113 mil empregos adicionais em 2015, na Região do ar na Área de Influência Direta (devido às
Direta, e 160 mil na Região Total. liberações de poluentes do ar), ao ruído ambiental
(pela operação de bombas e compressores) e a
Tal demanda poderá ser atendida pela
pressão demográfica. Os efluentes líquidos serão
população residente estimada, desde que a taxa
minimizados pela reutilização de águas servidas e
de desemprego fique abaixo de 7%.
lançados em emissário submarino em local
apropriado no ambiente marinho, seguindo a
SÍNTESE DA AVALIAÇÃO DOS
legislação ambiental.
IMPACTOS
IMPACTOS DA DESATIVAÇÃO
De acordo com a engenharia do projeto e
os resultados da qualidade do ambiente da área
DO EMPREENDIMENTO
de influência do empreendimento, pode-se afirmar
Em função das medidas atenuantes a
que os impactos ambientais negativos não-
serem tomadas, estes impactos não são
atenuados sobre o ambiente físico serão, na
considerados relevantes para o ambiente natural.
grande maioria, de pequena intensidade e
Como a operação de empreendimentos do gênero
importância relativa.
pode passar dos 40 anos, as perdas econômicas
Essa constatação decorre por conta dos futuras não podem ser consideradas importantes,
seguintes pontos: localização apropriada do já que o empreendimento terá gerado benefícios
COMPERJ, na Zona de Uso Exclusivamente notáveis ao longo de sua vida útil, podendo
Industrial de Itaboraí; emprego de tecnologias de inclusive transformar-se em outro empreendimento
última geração, tanto do ponto de vista ambiental industrial, compatível com o desenvolvimento
como de segurança; modernos programas de tecnológico no longo prazo.

103
CENÁRIOS FUTUROS mantido pela não implantação do
empreendimento, com conseqüências sociais
CENÁRIOS SEM O negativas previsíveis, tanto do ambiente
EMPREENDIMENTO urbano como da violência e de outros
problemas sociais típicos de periferia pobre.
Geração de emprego e renda
Aspectos ambientais e de uso e
A geração de emprego e renda na ocupação do solo
área de influência direta e indireta do
empreendimento não encontra comparação Espera-se que a ocupação e uso do
histórica na experiência industrial nacional. solo na Área de Influência Direta ocorram de
modo ordenado no futuro, uma vez que o
O baixo dinamismo industrial da Estatuto das Cidades e os Planos Diretores
Região Metropolitana do Rio de Janeiro nos obrigatórios, aprovados em 2006 para todos
últimos anos, e dos municípios em volta, seria os municípios da Área de Influência Direta,

104
prevêem um conjunto de ações para limitar a lazer e loteamentos para uso residencial,
oferta de novos loteamentos em áreas orientados para a população de baixa renda,
próximas aos reservatórios de abastecimento em continuação à ocupação de São Gonçalo.
público e em áreas protegidas, assim como a
restrição de ocupações e construções Na ausência dos recursos fiscais do
irregulares. COMPERJ, bem como dos Programas
Ambientais previstos, prevê-se o
No entanto, na área de influência enfraquecimento do meio ambiente e maiores
direta, a tendência, independente do dificuldades para o resgate da dívida social.
COMPERJ, é a expansão urbana, sobretudo
do município de Itaboraí, impulsionada pelo Geração de tributos
desenvolvimento industrial e terciário em
curso. Na ausência do COMPERJ, a área O dinamismo econômico dos
onde será feita o empreendimento municípios da Área de Influência Direta - AID
inevitavelmente seria dividida em sítios de certamente será fortemente beneficiado pelos

105
efeitos de encadeamento econômico diretos, Assim, a implantação do COMPERJ
indiretos e induzidos e pelos efeitos fiscais apresenta aspectos ambientais positivos.
associados já analisados.
Destacam-se a este respeito:
Para os municípios da AID, verifica-se
• implantação de Plano de Recuperação de
enorme perda potencial. Itaboraí, que hoje
Áreas Degradadas no sítio do COMPERJ
figura em posição modesta na arrecadação
articulado à promoção do Corredor
de ICMS, pela sua participação nesse
Ecológico (APA de Guapi-Mirim, Região
imposto, poderia alcançar situação favorável
Serrana e Barbosão-Sambê-Santa Fé),
do que a usufruída hoje por Duque de
mediante suporte ao poder público;
Caxias,.
• promoção do desenvolvimento agro-
Para os demais municípios da AID,
florestal sustentável na área de influência,
pela sua capacidade de atrair novos
em continuidade e articulação com a
empreendimentos tecnicamente vinculados
implantação do Corredor Ecológico, com
ao COMPERJ e acomodar a população direta
o objetivo de consolidar as áreas
e indiretamente vinculada a esses empregos,
agrícolas remanescentes;
as perdas podem atingir valores superiores
aos totais hoje arrecadados (receitas próprias • programas de acompanhamento da
e transferências) em cada caso (Guapimirim, qualidade do ar, da água e dos recursos
Cachoeiras de Macacu e Tanguá). ambientais da região.

CENÁRIO COM O
EMPREENDIMENTO MATRIZ DE IMPACTOS

O balanço de impactos do COMPERJ A seguir, a Matriz de Impactos


apresenta saldo positivo, tanto do ponto de Ambientais como síntese das causas,
vista ambiental como socioeconômico. impactos e medidas atenuantes e
compensatórias.
A contribuição do COMPERJ ao
crescimento econômico regional é inevitável.
O volume de impostos gerados permite um
planejamento, dirigido a recuperação social
na região em termos de infra-estrutura e
serviços.

Estão previstos vários programas


ambientais de suporte e apoio ao
desenvolvimento local sustentável, que
colocam o empreendimento na vanguarda do
processo de responsabilidade ambiental e
social.

106
Matriz da avaliação dos impactos ambientais relevantes do COMPERJ
Síntese Meio Físico

CAUSA IMPACTO PREVENÇÃO, ATENUAÇÃO,


DO IMPACTO POTENCIAL SOBRE ACOMPANHAMENTO, E
O AMBIENTE COMPENSAÇÃO
Dispersão de poeiras Plano Ambiental de Construção –
Montagem de reatores, com alteração da Procedimentos específicos para as
tanques, linhas, qualidade do ar, atividades
instrumentação etc. aumento do barulho, Impactos potenciais de montagem
acidentes com industrial
substâncias perigosas
Poluição do ar e das Plano Ambiental de Construção –
Testes de linhas e
águas por liberação de Procedimentos específicos para as
equipamentos e
poluentes, aumento do atividades
preparação das
barulho, acidentes com Impactos potenciais na preparação e
unidades e sistemas
substâncias perigosas partida
Liberação de
Programa de Controle e
poluentes atmosféricos
Poluição do ar Acompanhamento de Emissões
e ruídos
Atmosféricas, conforme legislação
Plano de Gerenciamento dos
Poluição das águas
Efluentes e Águas Pluviais
Descarte de efluentes dos rios Macacu e
Contaminadas, Programa de
líquidos Caceribu e da Baía de
Acompanhamento da Qualidade do
Guanabara
Rio
Poluição do ar por Programa de Gerenciamento de
Risco de Acide ntes com dispersão de nuvens Riscos para Prevenção, sistemas de
vazamentos/incêndios/ tóxicas ou inflamáveis e controle de vazamentos e resposta
explosões contaminação do solo em emergências (PAE) para cada
e/ou das águas unidade e geral
Poluição do ar por Programas de Gerenciamento de
dispersão de nuvens Resíduos e Programa de
tóxicas ou inflamáveis Gerenciamento de Riscos para
Acidentes com
e contaminação do Prevenção, sistemas de controle de
derramamentos
solo e/ou das águas vazamentos e resposta em
emergências (PAE) para cada
unidade e geral

107
Matriz da avaliação dos impactos ambientais relevantes do COMPERJ
Síntese Meio Físico (cont.)

CAUSA IMPACTO PREVENÇÃO, ATENUAÇÃO,


DO IMPACTO AMBIENTAL ACOMPANHAMENTO, E
POTENCIAL SOBRE COMPENSAÇÃO
O AMBIENTE
Poluição do ar por Programa de Gerenciamento de
Acidentes com
dispersão de nuvens Riscos para Prevenção, sistemas de
vazamentos,
tóxicas ou inflamáveis, controle de vazamentos e resposta
incêndios, explosões e
e contaminação do em emergências (PAE) para cada
sobre pressões
solo e/ou das águas unidade e geral
Programa de Gerenciamento de
Poluição do ar por
Acidentes na Riscos para Prevenção, sistemas de
dispersão de nuvens
Interrupção de reações controle de vazamentos e resposta
tóxicas ou inflamáveis e
de unidades em emergências (PAE) para cada
contaminação do solo
entrelaçadas unidade e geral
e/ou das águas
Programa de Gerenciamento de
Contaminação do solo
Riscos para Prevenção, sistemas de
Descarte inadequado e/ou das águas
controle de vazamentos e resposta
de efluentes
em emergências (PAE) para cada
unidade e geral
Contaminação do solo Programa de Gerenciamento de
Gerenciamento e/ou das águas Riscos para Prevenção, sistemas de
inadequado de controle de vazamentos e resposta
resíduos em emergências (PAE) para cada
unidade e geral

Matriz da avaliação dos impactos ambientais relevantes do COMPERJ


Síntese Meio Biológico

EVENTO CAUSADOR IMPACTO AMBIENTAL PREVENÇÃO, ATENUAÇÃO,


DO IMPACTO POTENCIAL ACOMPANHAMENTO, E
COMPENSAÇÃO
Deslocamento dos animais Plano Ambiental de Construção – Programa
terrestres e de ambientes de Prevenção da Poluição Atmosférica,
Processos de
aquáticos restante, com Programa de Gerenciamento e Efluentes e
implantação, limpeza do
diminuição da variedade e da Resíduos, Programa de Prevenção da
terreno, terraplanagem e
população de espécies Caça Predatória, Programa de Educação
obtenção de materiais
sensíveis da vegetação e dos Ambiental; Plano de Recuperação de Áreas
de construção
animais terrestres e aquáticos Degradadas/Implantação do Corredor
Ecológico
Supressão da vegetação e Plano Ambiental de Construção – Programa
interferências com APPs de Gerenciamento e Efluentes e Resíduos,
Processos de
Programa de Prevenção da Caça
implantação, limpeza do
Predatória, Programa de Educação
terreno, terraplanagem e
Ambiental e programa de Controle da
obtenção de materiais
Erosão e Assoreamento; Plano de
de construção
Recuperação de Áreas Degradadas/
Implantação do Corredor Ecológico
Programa de Controle de Emissões
Liberação de poluentes Depósito de poluentes Atmosféricas e de Acompanhamento das
atmosféricos atmosféricos nas áreas de fontes e da qualidade do ar; Programa de
fragmentos florestais Acompanhamento das águas

Alterações físicas, químicas e Programa de Gerenciamento e Efluentes e


Descarte de efluentes
biológicas das águas da Baía Resíduos e Programa de
líquidos
de Guanabara Acompanhamento de Efluentes e
Recursos Hídricos (ecossistema marinho)
Alterações físicas, químicas e Programa de Gerenciamento de Riscos
Risco de Acidentes com
biológicas dos ambientes para Prevenção e Planos de Contingência
vazamentos/incêndio/ex
terrestres e aquáticos da área para controle de vazamentos e cenários
plosões
diretamente afetada acidentais
Alterações físicas, químicas e Plano de Gerenciamento de Resíduos,
biológicas dos ambientes Programa de Gerenciamento de Riscos
Acidentes com
terrestres e aquáticos da área para prevenção e Planos de Contingência
derramamentos
diretamente afetada (resposta em emergências) para controle
de vazamentos e cenários acidentais

108
Matriz da avaliação dos impactos ambientais relevantes do COMPERJ
Síntese Meio Socioeconômico - Fase de Planejamento e Construção
EVENTO CAUSADOR IMPACTO PREVENÇÃO, ATENUAÇÃO,
DO IMPACTO AMBIENTAL ACOMPANHAMENTO E
POTENCIAL ACOMPANHAMENTO/
POTENCIALIZAÇÃO
Aumento do Plano Ambiental de Construção (Programas de
contingente Educação Ambiental e Programa de
Contratação de mão-de-obra populacional Comunicação Social), Apoio
direta e indiretamente para empregado Petrobras/COMPERJ, Programa de Inserção
limpeza, Implantação dos Social Responsável, programa de Qualificação
canteiros e obras civis da mão-de-obra local e priorização da sua
contratação no escopo dos contratos com as
empreiteiras e fornecedores
Deslocamento da população Aumento dos índices Apoio Petrobras/COMPERJ, Programa de
residente, Assentamento da de comportamento Inserção Social Responsável, Responsabilidade
população urbana anti-social governamental
diretamente empregada
Aumento da ocupação Apoio Petrobras/COMPERJ, Programa de
Assentamento da população
irregular de áreas Inserção Social Responsável, Responsabilidade
urbana indiretamente atraída
urbanas / Acentuação governamental
pelo empreendimento
de carências sociais
Dinamização Responsabilidade Petrobras
temporária das Priorização de bens e serviços produzidos na
Aquisição de bens e atividades de comércio região e no Brasil (pelo menos 60% do
serviços pelos contratados e de prestação de investimento)
para obras civis, fabricação serviços na AID
e montagem de Aumento da Apoio Petrobras/COMPERJ, Programa de
equipamentos e linhas arrecadação tributária, Inserção Social Responsável e
uso e ocupação do Acompanhamento e acompanhamento dos
solo programas sociais e de infra-estrutura
municipais e estaduais na região –
responsabilidade difusa: CONLESTE, ONGs,
Ministério Público, outras organizações civis
Efeitos de encadeamento Aumentos dos níveis Programas Governamentais de qualificação da
econômico sobre o emprego de emprego e renda mão-de-obra e de apoio à implantação de
e a renda na AD empresas fornecedoras de bens e serviços
demandados pelo COMPERJ
Movimentação de veículos e Problemas de Responsabilidade Petrobras/COMPERJ para o
caminhões pesados capacidade e sítio, articulação com autoridades e suporte
segurança nas vias de para vias externas, Plano de Gerenciamento do
acesso do tráfego local Tráfego, Programas de sinalização e de
orientação ao tráfego

Matriz da avaliação dos impactos ambientais relevantes do COMPERJ


Síntese Meio Socioeconômico - Fase de Operação
EVENTO CAUSADOR IMPACTO AMBIENTAL PREVENÇÃO, ATENUAÇÃO,
DO IMPACTO POTENCIAL ACOMPANHAMENTO, E ACOMPANHAMENTO/
POTENCIALIZAÇÃO
Desmobilização de Efeitos diretos e indiretos Apoio Petrobras/COMPERJ, Programa de
mão-de-obra da sobre a economia local Inserção Social Responsável
construção Responsabilidade governamental
Aumento da produção Apoio Petrobras/COMPERJ, Programa de
de derivados de Efeitos diretos, Indiretos e Inserção Social Responsável
petróleo menos induzidos. Responsabilidade governamental
poluidores para o
Diminuição da poluição Programa de Acompanhamento da Qualidade do
mercado e introdução
veicular Ar
de produtos
petroquímicos nobres
Emissões Aumento da concentração Programa de Controle de Emissões Atmosféricas
Atmosféricas diretas de poluentes atmosféricos e de Acompanhamento das Fontes e da
do COMPERJ e por no ar Qualidade do Ar
veículos automotivos
na sua área de
influência

Danos potenciais à Programa de Gerenciamento e Efluentes e


Descarte de efluentes
paisagem aquática e à Resíduos e Programa de Acompanhamento de
líquidos
qualidade de vida da Recursos Hídricos
população
Dispersão de nuvens Programa de Gerenciamento de Riscos para
Acidentes com
tóxicas ou inflamáveis e prevenção e Planos de Contingência (resposta
vazamentos/incêndios
contaminação do solo e/ou em emergências) para controle de vazamentos e
/explosões
das águas cenários acidentais
Dispersão de nuvens Plano de Gerenciamento de Resíduos, Programa
tóxicas ou inflamáveis, e de Gerenciamento de Riscos para prevenção e
Acidentes com
contaminação do solo e/ou Planos de Contingência (resposta em
derramamentos
das águas emergências) para controle de vazamentos e
cenários acidentais

109
Medidas, planos e programas ambientais
Neste capítulo são apresentadas as • nenhum rio será utilizado pelo pessoal de
medidas atenuantes propostas para a obras;
implantação do COMPERJ, organizadas em
planos e programas ambientais. • nenhum canteiro de obras será mantido
para pernoite ou apoio aos trabalhos de
Os planos e programas ambientais dia, exceto banheiros químicos;
serão detalhados na fase de licenciamento de
instalação, quando será elaborado o Projeto • as empreiteiras serão responsáveis pelo
Básico Ambiental – PBA, que incorporará fornecimento de água potável e refeições
todas as medidas de tratamento dos impactos aos operários, bem como pela coleta e
e riscos do empreendimento. retirada do lixo gerado;

PLANO AMBIENTAL DE • as empreiteiras serão responsáveis pela


CONSTRUÇÃO coleta e retirada de resíduos da obra;

• qualquer material escavado, antes de ser


Os canteiros de apoio às obras serão
novamente aterrado, será mantido
localizados em áreas afastadas tanto quanto
coberto, para evitar o entupimento dos
possível do traçado das águas de chuva no
rios;
terreno. Para atenuar o impacto da limpeza
do terreno e da movimentação de terras,
• os acessos, bem como as valas de
destacam-se:
drenagem, serão abertos na época da
construção da infra-estrutura rodoviária e
• escavações e movimentações de terras
ferroviária e da drenagem das chuvas,
que devem ser realizadas com o mínimo
para evitar grande exposição do solo; as
tempo de exposição do solo e do subsolo; valas abertas serão protegidas e
sinalizadas por cercas;
• construção de reservatórios para chuvas
intensas, que irá segurar o material • após as obras de terraplenagem e de
escoado (mineral orgânico); infra-estrutura, inicia-se o processo de
recuperação da área, inclusive com o
• locais alterados, sobretudo os inclinados, replantio da vegetação secundária
devem ser recuperados e recobertos por retirada;
vegetação, utilizando técnicas que
promovam o rápido desenvolvimento de • as sobras de material serão utilizadas
vegetação rasteira. para fabricação do solo-cimento das
obras de drenagem; Se ainda assim
Para a terraplenagem e instalação da houver material excedente, será destinado
infra-estrutura, devem ser observados os a aterro licenciado pelas autoridades
seguintes itens: ambientais;

• o corte de vegetação nativa, inclusive • análises periódicas da qualidade da água


para abertura ou reabertura de caminhos dos rios, para identificação e correção de
será autorizado depois de um estudo falhas de procedimentos;
detalhado desta vegetação;
• as travessias de rios não deverão interferir

113
com o escoamento, e terão proteção para
O que é terraplenagem?
grandes cheias;
É o conjunto de ações de escavação,
• a recuperação da vegetação será feita
transporte, depósito e compactação de
com espécies nativas, principalmente nos
terras para a realização de uma obra
trechos mais sensíveis, preferindo-se
combinações entre ervas e arbustos;
PROGRAMA DE EDUCAÇÃO
• equipamentos barulhentos terão
AMBIENTAL E DE PREVENÇÃO DA
dispositivos de controle, para diminuir o
RETIRADA AUTORIZADA DE
impacto sobre os animais;
VEGETAÇÃO E DA CAÇA
PREDATÓRIA
• nas horas de trânsito intenso, deve-se
molhar os acessos não pavimentados,
O programa compreende ações de
para diminuir a poeira;
sensibilização dos operários sobre os
benefícios da proteção da vegetação e dos
• sempre que possível, o solo removido
animais na área do COMPERJ. Tais ações
deverá ser separado em três camadas: de
serão conduzidas pelas empresas
0 a 20 centímetros, de 20 a 40
contratadas para as obras, sob supervisão da
centímetros e abaixo de 40 centímetros, e
Petrobras.
depois retornar na mesma ordem. Depois,
devem ser colocadas sementes de vários
Deverão ser desenvolvidas atividades
tipos de grama, para recuperar os platôs
de treinamento e palestras, envolvendo
resultantes da movimentação de terra em
quatro temas: Normas de Conduta,
áreas reservadas para uso futuro;
Segurança, Meio Ambiente, Saúde.
• canteiros de apoio, caso não
Normas de Conduta:
pavimentados, deverão receber camadas
de areia e brita, para evitar poeiras e
a) apresentar o empreendimento: o porquê da
diminuir o risco de contaminação por
obra, o tempo previsto de construção e sua
óleos, graxas e outras substâncias
importância para a região e o país;
perigosas necessárias para a construção
do COMPERJ.
b) testar o conhecimento dos operários sobre
os procedimentos na obra;

c) estimular o respeito aos colegas de


O que é vegetação secundária ? trabalho;

É a vegetação resultante da recuperação d) valorizar a boa convivência com a


natural, após a retirada parcial ou total da população local.
vegetação primária – mata original.
Também chamada de vegetação em Segurança:
regeneração
a) utilização de Equipamentos de Proteção
Individual (por exemplo, botas, capacete,
luvas e óculos);

47
114
b) utilização de Equipamentos de Proteção c) prevenção de doenças sexualmente
Coletiva; transmissíveis;

c) procedimentos sobre ações de emergência d) prevenção de dependência química.


no trabalho;
Em todos os acessos, canteiros de
d) direção defensiva (cuidados com fiação, obras e frentes de trabalho deverão ser
capacidade das vias e das viaturas, limites de colocadas placas educativas, esclarecendo a
velocidade etc.); necessidade de proteção desses ambientes, e
da proibição da caça, pesca ou captura de
e) restrições ao uso de veículos da obra; animais, e da retirada de elementos da
vegetação. O uso de armas de fogo deve ser
f) aplicação e respeito à sinalização na área proibido, bem como armadilhas e incursões a
de trabalho, no canteiro de obras e nos pé nas áreas que não sejam do
acessos. empreendimento.

Meio Ambiente: Também deverá ser desenvolvida


fiscalização periódica ao longo dos acessos,
a) conhecimento do ambiente que será para identificar problemas potenciais,
encontrado durante a obra; desvios em relação às diretrizes do Plano
Ambiental de Construção.
b) procedimentos para acidentes envolvendo
animais; A retirada da vegetação restante será
necessária em alguns locais, como a área de
c) técnicas para remoção de plantas nativas; 12 quilômetros quadrados a ser ocupada
pelo COMPERJ, na área total de 45
d) ações específicas, no caso de encontrar quilômetros quadrados desapropriada. O
peças arqueológicas; replantio deverá incluir espécies da coleta de
sementes e mudas na área.
e) gerenciamento de resíduos;
PROGRAMA DE CONTROLE E
f) coleta seletiva de lixo; ACOMPANHAMENTO DE RUÍDOS

g) cuidados na utilização de máquinas e As atividades de construção do projeto


equipamentos próximos a rios; gerarão ruídos (barulhos), principalmente de
equipamentos pesados, como compressores,
h) procedimentos quanto à alteração no bate-estacas e ferramentas rotativas. Esses
ambiente das comunidades (tráfego, ruídos podem prejudicar os operários e
poeira, barulho, explosão). afugentar animais.

Saúde: Para atenuar os efeitos, as seguintes


medidas devem ser tomadas: trabalhadores
a) noções de primeiros-socorros; do empreendimento devem usar proteção
auricular; equipamentos motorizados devem
b) cuidados com doenças típicas da região possuir exaustores com silenciadores e
(vacinas); períodos noturnos devem ser restritos à

115
atividades silenciosas (testes ruidosos durante substâncias inflamáveis ou perigosas;
a partida das instalações devem ser limitados
às horas diurnas). • testes periódicos nos equipamentos, como
prevenção de acidentes mecânicos ou
PROGRAMA DE GERENCIAMENTO com solda;
DE RISCOS DURANTE AS OBRAS
• manutenção preventiva dos equipamentos
Este programa é de responsabilidade e máquinas;
das empresas contratadas. A estas caberá a
execução e manutenção de medidas • prevenção de acidentes com veículos e
preventivas e de controle, segundo a equipamentos de transporte.
legislação ambiental e de acordo com as
normas da Petrobras. As hipóteses acidentais PROJETO DE RECUPERAÇÃO DE
de maior probabilidade de acidentes são: ÁREAS MODIFICADAS E
derramamento de óleos combustíveis e IMPLANTAÇÃO DO CORREDOR
lubrificantes; colisões de veículos ou ECOLÓGICO
máquinas; e atropelamentos de pessoas.
Neste projeto será elaborado um
A contratada deverá implantar um projeto de recuperação de toda área do
programa para redução de riscos com: COMPERJ não utilizada para fins industriais,
tido como embrião do Corredor Ecológico
• treinamento dos recursos humanos Central de Mata Atlântica na região,
envolvidos; articulando-se com o Barbosão-Sambé-
Santa-Fé e com as áreas protegidas na serra
• procedimentos específicos para atividades ao norte.
importantes;
Áreas que sofreram movimentação de
• materiais e equipamentos especificados terra podem ter diminuída a presença de
conforme as normas. água e nutrientes, tornando difícil a
recuperação da vegetação. É necessário o
Treinamento desenvolvimento de novas técnicas de
replantio, baseando-se nos seguintes
A contratada instruirá a equipe na preceitos:
operação e manutenção dos equipamentos e
nos procedimentos para evitar acidentes. As • privilegiar o uso de materiais locais;
equipes serão também informadas sobre leis,
regras e regulamentos de controle de • associação entre plantas e microrganismos
poluição. através da produção de mudas
diferenciadas;
Palestras periódicas sobre prevenção
de acidentes devem ser programadas, • seleção de espécies resistentes à falta de
destacando os seguintes pontos: água, à elevada acidez e à baixa
disponibilidade de nutrientes;
• principais causas de derramamento de
contaminantes, e prevenção de acidentes • combinação equilibrada de ervas, arbustos
de derramamento de óleo e outras e árvores, sempre que possível;

47
116
• utilização de espécies vegetais rasteiras • contribuir para o restabelecimento da
com a capacidade de alastramento sobre a fauna local;
superfície.
• iniciar o acervo de mudas e de
Parte dos terrenos, após a conhecimento sobre a vegetação local.
terraplenagem, é suscetível à erosão. Por isso
a importância de recuperação destas áreas. Para revegetação no COMPERJ são
Como vantagens para este tipo de sugeridas almofadas como as produzidas
revestimento: pela Embrapa. Essas almofadas são
confeccionadas utilizando-se sacos de ráfia e
a) redução da taxa de infiltração no terreno; preenchidas com adubos orgânicos e
químicos. Possuem uma dimensão de 40 por
b) proteção da encosta contra o impacto 15 centímetros em média e volume
direto das gotas de chuva. aproximado de 5 litros.

A utilização de almofadas através de As mudas são semeadas através de


ervas para a recuperação de áreas três orifícios realizados na parte superior das
modificadas é uma técnica efetiva para o almofadas. As espécies serão plantadas. As
replantio de áreas de subsolo exposto, com mudas utilizadas serão espécies de pequeno
pouca matéria orgânica, baixíssima porte.
fertilidade e inclinações elevadas. As
vantagens oferecidas por esse método são o O plantio consistirá em construir
seu baixo custo, a fácil implantação e o pequenas banquetas individuais na superfície
rápido recobrimento do solo. do talude, com medida de 50 por 25
centímetros, onde serão acomodadas as
A utilização da técnica das almofadas almofadas. Essa medida tem por finalidade
objetiva também atenuar o aspecto agressivo aumentar a retenção de água e sedimentos. A
da paisagem, com a recuperação operação será manual, utilizando enxadões.
paisagística do local. Recomenda-se o plantio das espécies: grama
amendoim, arranha gato, feijão bravo do
Objetivos Ceará e margaridão.

• introduzir ervas de rápido recobrimento do


solo em tempo relativamente curto;

• recuperar a cobertura vegetal;

• impedir a erosão. Ações para impedir que Almofadas


sedimentos invadam as áreas planas e rios;

• atuar na estabilização dos taludes, com


medidas que contribuam para impedir os
movimentos de massa;

• contribuir para amenizar as temperaturas Banquetas


mais elevadas na região;

117
Marcação PROGRAMA DE GERENCIAMENTO
DE EFLUENTES E RESÍDUOS NA FASE
O espaçamento entre as almofadas DE OPERAÇÃO
deverá obedecer à medida de um metro e
trinta por 70 centímetros adensado, com
distribuição radial. Esse espaçamento deve A operação do COMPERJ incorporará
obter de forma mais rápida uma cobertura
as práticas de gerenciamento de efluentes e
total do terreno.
resíduos em conformidade ambiental, de
acordo com a política integrada de saúde,
As almofadas devem ter um período
mínimo de um mês de aclimatação no local segurança e meio ambiente da empresa.
onde serão depositadas. Outra vantagem
desse sistema é a reduzida manutenção Os efluentes sanitários dos banheiros e
necessária para o pleno sucesso deste refeitório gerados durante a fase operacional
projeto. do COMPERJ serão direcionados para o
sistema de tratamento. Não haverá
Face às características da área com lançamento de esgotos sanitários e efluentes
cortes e aterros em áreas de vegetação industriais nos rios.
secundária, estão previstas atividades de
manutenção. As almofadas servirão para As atividades de operação e
melhorar as características físicas e químicas manutenção do COMPERJ irão gerar resíduos
do solo e promover a vegetação. perigosos, e não-perigosos. São previstos
resíduos oleosos e das operações de
PROGRAMA DE manutenção programada, envolvendo borras
ACOMPANHAMENTO DAS
diversas, equipamentos de proteção
LIBERAÇÕES DE POLUENTES DO AR
individual contaminados por hidrocarbonetos
NA FASE DE OPERAÇÃO
(luvas, macacões, trapos, etc.), peças
mecânicas e elementos elétricos, inclusive de
As fontes de poluentes do ar deverão
ser monitorados de acordo com as melhores instrumentação de controle usados
práticas, que envolvem medições contínuas substituídos, além de lixo
dos principais equipamentos térmicos. doméstico/escritório.

Desenho esquemático do espaçamento do plantio das mudas em banquetas individuais

Almofadas

1,30m
m
70
0,

47
118
Todos os resíduos oleosos ou de ser ampliado. Na metade desse processo,
produtos químicos, inclusive embalagens será feita uma avaliação integrada dos
usadas, serão acondicionados em tanques ou resultados.
tambores. Serão posteriormente estocados
em depósitos intermediários, e dispostos em Para esse estudo, será considerada
aterro licenciado de resíduos ou destinados a toda a área da ESEC da Guanabara e a
terceiros licenciados para o tratamento. A porção da APA de Guapi-Mirim localizada
destinação dos resíduos oleosos será o co- entre o canal de Magé e o rio Guaxindiba.
processamento ou a reciclagem.
Para a análise de caracterização
Durante a fase operacional, os resíduos ambiental das duas áreas protegidas, será
sólidos originários dos refeitórios serão adotada uma avaliação integrada em
removidos periodicamente para um aterro diferentes escalas de abordagem. Dessa
sanitário. O material de escritório será reciclado, forma, a estratégia envolve uma avaliação
dada a coleta seletiva a ser praticada. Deverão integrada, desde análise da paisagem até
ser regularmente reciclados os materiais uma análise genética.
plásticos, papel, vidros e metais.
Para atingir essa análise ampla e ao
PROGRAMA DE mesmo tempo integrada, serão adotadas as
ACOMPANHAMENTO DOS seguintes linhas de ação:
MANGUEZAIS DA ÁREA DE
PROTEÇÃO AMBIENTAL DE GUAPI- 1. Caracterização e Acompanhamento das
MIRIM E DA ESTAÇÃO ECOLÓGICA Águas;
DA GUANABARA
2. Caracterização e Acompanhamento da
Este programa tem como objetivo Salinidade das Águas dos Manguezais;
realizar o acompanhamento do ambiente
físico e biológico da Área de Proteção 3. Caracterização da Vegetação do Mangue;
Ambiental (APA) de Guapi-Mirim e Estação
Ecológica (ESEC) da Guanabara. Ele deverá 4. Acompanhamento da Dinâmica das
apontar indicadores, parâmetros e Florestas de Mangue;
estratégias para a implementação de uma
rede de acompanhamento ambiental da Área 5. Acompanhamento das Florestas de
de Proteção Ambiental de Guapi-Mirim e Mangue Através de Imagens de Satélite;
Estação Ecológica da Guanabara.
6. Caracterização e Acompanhamento de
Serão realizados estudos antes da fase Espécies de Mangue (respostas do
de operação do COMPERJ. A segunda etapa ambiente);
do estudo terá como objetivo a implantação
de um programa de acompanhamento, tendo 7. Caracterização e Acompanhamento de
como base os resultados obtidos na primeira Parâmetros Químicos (estudo na água,
etapa de caracterização. Esse será um sedimento e organismos vivos);
processo contínuo e permanente associado à
operação do COMPERJ. Para o programa, 8. Caracterização e Acompanhamento de
estabeleceu-se que essa etapa tenha a Parâmetros Fitoquimicos (indicadores de
duração de quatro anos, podendo este prazo estresse);

119
9. Avaliação Citogenética (estudo sobre 09 - Gestão de Informações
possíveis agentes de mudanças
genéticas); 10 - Comunicação

10. Bioecologia e Acompanhamento da 11 - Contingência


População de Caranguejo Uçá;
12 - Relacionamento com a Comunidade
11. Avaliação e Sustentabilidade Pesqueira.
13 - Análise de Acidentes e Incidentes
PROGRAMA DE GERENCIAMENTO
DOS RISCOS OPERACIONAIS 14 - Gestão dos Produtos

Este programa já está em curso na 15 - Processo de Melhoria Contínua


Petrobras. É parte integrante das iniciativas
desenvolvidas pelo Programa de Excelência Estes programas já alcançaram as
em Gestão Ambiental e Segurança, orientado principais metas estabelecidas. Entre as
para a segurança dos dutos de transporte e realizações, merecem destaque a automação
transferência de petróleo e derivados, e pelo dos principais dutos, a instalação de nove
Programa de Segurança de Processos. Centros de Defesa Ambiental, a redução de
quase a totalidade de resíduos existentes no
O principal objetivo é aprimorar e início dos Programas e a certificação de todas
integrar o sistema de gestão de Saúde, Meio as unidades implantadas.
Ambiente e Segurança – SMS, em nível
corporativo e de cada unidade de negócios, Na área de dutos, grande parte da
visando ao alcance de padrões de excelência operação passou a ser centralizada numa
em nível internacional. Esse projeto prevê a sala no Rio de Janeiro, com recursos de alta
implementação da política e a tecnologia, aumentando a segurança e a
operacionalização das 15 diretrizes de SMS, confiabilidade do sistema.
tais como:
E para assegurar a integridade dos
01 - Liderança e Responsabilidade dutos que passam por áreas ambientalmente
sensíveis e densamente povoadas, foi
02 - Conformidade Legal promovido um forte envolvimento dessas
populações em processos de comunicação de
03 - Avaliação e Gestão de Risco riscos, educação ambiental e melhoria da
qualidade de vida. Entre os projetos
04 - Novos Empreendimentos desenvolvidos com esse objetivo, destacam-se
ações destinadas à sensibilização da
05 - Operação e Manutenção população e de recuperação de trechos ou de
acidentes por causas externas, como nas
06 - Gestão de Mudança faixas invadidas por e que atravessam áreas
densamente ocupadas.
07 - Aquisição de Bens e Serviços
O Programa de Gerenciamento de
08 - Capacitação, Educação e Conscientização Riscos Operacionais objetiva garantir a
integridade e a operacionalidade de uma

47
120
instalação industrial, bem como a saúde dos internas, que deverá ser periodicamente
funcionários e a proteção do meio ambiente, atualizado e aprimorado, de acordo com
tendo o seguinte conteúdo básico. o seguinte conteúdo básico:

• Identificação sistemática das seqüências - descrição das instalações;


de eventos iniciadores e falhas que
conduzem a cenários de acidentes, - cenários acidentais;
quantificação das freqüências, análise das
conseqüências, análise da vulnerabilidade
- área de abrangência e limitações do plano;
e cálculos dos riscos, mantendo
atualizado a Análise de Riscos;
- estrutura organizacional;
• Otimização da segurança dos projetos de
engenharia e da programação da - fluxograma de acionamento;
manutenção de novas unidades de
processo, que prevê, além da instalação - ações de resposta às situações
de sistemas convencionais, sistemas emergenciais compatíveis com os
adicionais automatizados; cenários acidentais;

• Procedimentos operacionais seguros para - recursos humanos e materiais;


evitar/minimizar a ocorrência de falhas
humanas nas seqüências de eventos que
- divulgação, implantação, integração
conduzem a um acidente;
com outras instituições e manutenção
do plano;
• Programa de manutenção orientado para
os riscos significativos;
- tipos e cronogramas de exercícios
• Programa de inspeção e auditoria teóricos e práticos;
orientado para os riscos significativos,
bem como de auditoria comportamental; - documentos anexos: plantas de
localização da instalação e leiaute,
• Programa de treinamento orientado para incluindo a vizinhança sob risco, listas
segurança operacional e resposta em de acionamento, listas de equipamentos,
emergências; sistemas de comunicação e alternativos
de energia elétrica, relatórios etc.
• Estrutura do sistema de prevenção de
acidentes e gerenciamento de riscos,
A Petrobras está equipada com barcos
envolvendo todos os aspectos
organizacionais, inclusive da resposta em recolhedores, balsas, dispersantes químicos e
emergências (que ocorrem quando os até 20 mil metros de barreiras de proteção e
sistemas de prevenção falham); absorção de óleo, que podem rapidamente
ser deslocados para combater emergências
• Plano de Ação em Emergências externas e em qualquer parte do país.

121
PROGRAMA DE INDENIZAÇÃO, em que será desapropriada para a
REMANEJAMENTO E implantação do COMPERJ.
ACOMPANHAMENTO DA
A população presente nesta área é
POPULAÇÃO DESLOCADA PELA composta por:
DESAPROPRIAÇÃO
• 175 proprietários, sendo 122 veranistas e
Este programa estabelece diretrizes 53 residentes;
para o processo de desapropriação,
assegurando: • 301 empregados.

O tratamento dado foi a indenização


• oferta justa ao proprietário do valor
em dinheiro pela propriedade, adotando
resultante do laudo de avaliação, critérios de avaliação de valores envolvendo
elaborado pelos especialistas como a terra nua, a cobertura vegetal e as
indenização da residência, do terreno, benfeitorias.
das culturas e das demais benfeitorias
As benfeitorias foram avaliadas como
(curral, paiol etc.); não depreciadas, e o valor da terra
estipulado pelo valor de mercado. O valor
• relocação assistida (caseiros, posseiros da cobertura vegetal considera o preço
etc.), quando pertinente, em função da médio da produção agrícola.
avaliação socioeconômica do cadastro de
moradores nas áreas desapropriadas e do Os posseiros foram tratados como
processo de negociação. proprietários, mesmo sem a comprovação da
regularização fundiária dos imóveis que
O programa parte ainda dos seguintes
habitam.
valores:
O processo de negociação poderá
• reconhecimento do território como
definir alguma situação indenizatória a ser
expressão de formas específicas de
realizada por relocação.
existência;

• recomposição da rede de solidariedade Dentre o contingente de empregados,


de organização social; foram identificadas quatro situações, que
serão cuidados individualmente:
• preservação das formas de sobrevivência
quanto ao processo de mudança; • aqueles que, voluntariamente, optaram
por deixar o local;
• reconstrução de um nível de qualidade de
vida superior ao até então experimentado, • aqueles que acompanharam seus patrões;
como forma de compensar os transtornos
causados. • empregados demitidos que possuem
moradia fora da área do
Este programa está dirigido aos empreendimento;
proprietários e moradores da área
estabelecida como de Utilidade Pública pelo • empregados demitidos que não possuem
Decreto Presidencial s/n, de 13/06/2006, outra moradia.

47
122
PROGRAMA DE EDUCAÇÃO físicas sobre áreas urbanas e rurais, com
AMBIENTAL impactos nas comunidades que residem e/ou
exercem atividades em sua área de
As atividades de educação ambiental influência.
serão desenvolvidas objetivando
prioritariamente as comunidades vizinhas ao A Petrobras realiza ações de
empreendimento, através de ações com as Comunicação Social junto às populações
redes de educação dos municípios da área localizadas no interior da área de
diretamente afetada: Itaboraí, Cachoeiras de desapropriação do COMPERJ e na
Macacu, Guapimirim e Tanguá. circunvizinhança. Foram implantados quatro
pontos de informação, no município de
A escola constitui um espaço Itaboraí: na Praça da Prefeitura, em
privilegiado para o desenvolvimento da Sambaetiba, no Alto do Jacu e em Porto das
Educação Ambiental, na medida em que Caixas.
possibilita a realização de um trabalho de
intervenção sistemático, planejado e O desenvolvimento do Programa de
controlado. Comunicação Social tem dois objetivos:

A Educação Ambiental permeia várias 1) estabelecer uma ligação entre o


áreas e matérias, pressupondo enfoque e empreendedor e as comunidades, que
metodologia interdisciplinares. Neste sentido, assegure o pleno acesso às informações
este programa constará de oficinas sobre o empreendimento, mediante o
enriquecidas com o material didático repasse de informações sobre as etapas e
adequado, apresentação de vídeos e ações nas fases de projeto, construção e
realização de debates. operação referentes a:

Dada a importância de proteção da • natureza do empreendimento,


vegetação e dos animais das matas restantes cronograma de execução e responsáveis;
e das águas, os planos de manejo das áreas
protegidas da região deverão ser avaliados • restrições de uso e circulação nas áreas
em conjunto com os profissionais de ensino. administrativas;

O objetivo do programa é despertar a • importância do empreendimento no


sensibilização sobre a proteção e respeito ao contexto socioeconômico regional;
meio ambiente, visando à conservação de
recursos naturais. • impactos ambientais previstos;

As ações do Programa serão • riscos potenciais e medidas emergenciais;


avaliadas e monitoradas a partir de seus
resultados, tanto aos professores capacitados • medidas atenuantes;
quanto aos alunos, através dos fóruns com a
comunidade interessada. • programas ambientais previstos, inclusive
seus resultados.
Programa de Comunicação Social
2) Promover, fomentar e apoiar iniciativas
O COMPERJ implicará interferências que contribuam para o processo de

123
sensibilização ambiental das populações O Centro de Informações do
e comunidades da região de influência do COMPERJ ficará em torno do Convento de
projeto, particularmente em relação aos São Boaventura, conformando um espaço
aspectos socioambientais impactados ou ambientalmente integrado para recepcionar
alterados pelo empreendimento. todos os seus visitantes. O conceito de
transformá-lo no local da memória, que
O Programa de Comunicação Social reunirá os registros históricos da região até a
abrange as seguintes atividades: chegada do COMPERJ.

• equipe de comunicação social local com O seu projeto arquitetônico, escolhido


detalhamento das estratégias e por meio de concurso público, irá desenhar
cronograma de execução; espaços multiusos, incluindo: auditório, sala
de exibição de vídeos, biblioteca física e
• contatos institucionais para a agenda das virtual, usando todos os recursos multimídia.
palestras; Na fase atual, definem-se as referências
básicas e essenciais para elaboração do
• definição e produção de materiais edital referente ao concurso público, pelo
impressos; Instituto de Arquitetos do Brasil – IAB, Seção
Rio de Janeiro.
• existência de canal 0800 de comunicação
telefônica; Observatório do CONLESTE

• campanhas de divulgação; O Projeto do Milênio foi constituído


em 2002, com o intuito de mudar o quadro de
• realização de palestras e reuniões com pobreza, fome e doenças no mundo,
representantes de instituições da estabeleceu os Objetivos de Desenvolvimento
comunidade (prefeituras; associações de do Milênio (ODM) e as metas a serem
moradores, ONGs etc.); atingidas. Tais metas estão sendo
acompanhadas por meio de indicadores, que
• realização de pesquisa para avaliação do avaliam a redução da pobreza e da fome, o
programa; acesso ao Ensino Fundamental, a promoção
da igualdade entre os sexos, a redução da
• elaboração do Relatório de Avaliação. mortalidade infantil, a melhoria da saúde
materna, o combate a doenças endêmicas, a
Com o público interno, antes das garantia da sustentabilidade ambiental e o
obras, deverão ser desenvolvidas atividades estabelecimento de uma parceria mundial
de treinamento e palestras de integração, para o desenvolvimento.
abordando três fundamentos: Normas de
Conduta, Segurança, Meio Ambiente e Adotando-se objetivos semelhantes,
Saúde. será montado um observatório na região de
abrangência do CONLESTE, com o intuito de
De forma associada ao Programa de acompanhar a evolução dos indicadores, que
Comunicação Social, a Petrobras irá criar o irão embasar o acompanhamento dos
Centro de Informações no interior da área do impactos socioeconômico e ambiental. A
COMPERJ. análise da evolução desses indicadores
poderá orientar a formulação de políticas

47
124
públicas tanto no âmbito municipal como Projeto de implantação do Parque
estadual e federal. Fluvial do Estrela

A metodologia a ser empregada na O projeto é direcionado à primeira fase


construção desses indicadores será a mesma do Parque Fluvial do Estrela. Esta Unidade
adotada pelo Escritório UN - Habitat na justifica-se pela necessidade de recompor
aferição das Metas do Milênio. ecossistemas de florestas, matas ciliares e
mangues ao longo do rio Estrela desde o
A periodicidade da medida irá manguezal da Praia de Mauá, em Magé.
depender da capacidade de resposta de cada
um dos indicadores, variando de seis meses a Projeto Básico do Parque Estrela na
um ano. Praia de Mauá

O resultado obtido será publicado Para a viabilização da construção de


anualmente e essa publicação estará três torres de observação, a área para
disponível no Centro de Informações. visitação turística e de caráter educativo terá
infra-estrutura adequada.

PROGRAMAS DE INSERÇÃO Projeto de Restauração da Igreja


REGIONAL SOCIALMENTE de Nossa Senhora da Guia de
RESPONSÁVEL Pacobaíba

É escopo do projeto a iluminação


Programa de Recuperação dos pública, redesenho das calçadas, área para
Manguezais da Baia de Guanabara estacionamento, carga e descarga, além do
restauro e urbanização.
Dentro desse Programa estão sendo
estruturadas várias iniciativas, com arranjos Programa de Acompanhamento
institucionais e financeiros em fase preliminar. Ambiental do Ecossistema Marinho
da Baia de Guanabara
Projeto para a primeira fase de
criação do Parque Fluvial do Estrela Acompanhar o ambiente marinho da
e ampliação do horto do porção leste da Área de Relevante Interesse
manguezal de Magé Ecológico da Baia de Guanabara fornecendo
informação para avaliação da evolução das
Este projeto é resultado de uma mudanças ambientais na área de influência
parceira entre a Fundação Instituto Estadual do COMPERJ, durante a fase de implantação
de Florestas (IEF) e Fundação Onda Azul: e operação.

Projeto Mangue Vivo e seu viveiro Caracterização e


acompanhamento das águas dos
O projeto fará uso de técnicas de manguezais da parte leste da Baía
silvicultura que permitam o reflorestamento de Guanabara
(replantio) de espécies típicas do ecossistema
manguezal. O objetivo será acompanhar as
bacias contribuintes à Baía de Guanabara na

125
área da APA de Guapi-Mirim e ESEC da Interdisciplinar de Meio Ambiente da
Guanabara ao balanço hídrico e de possíveis COPPETEC.
alterações quali-quantitativas associadas à
implantação e operação do COMPERJ e ao A Avaliação Ambiental Estratégica
crescimento urbano e industrial na região. envolverá o Plano de Antecipação da
Produção de Gás (PLANGAS), Terminal
Avaliação e sustentabilidade Flexível de Recebimento de Gás Natural
pesqueira na zona estuarina do Liquefeito (GNL) e Complexo Petroquímico do
leste metropolitano Rio de Janeiro (COMPERJ), localizados na
área de abrangência da bacia hidrográfica
Este projeto tem por objetivo verificar da Baía de Guanabara.
como se comporta a atividade pesqueira na
região contemplada pela APA de Guapi- Os trabalhos deverão ser conduzidos
Mirim e ESEC da Guanabara e adotar de forma a promover o desenvolvimento
medidas de gerenciamento e administração setorial de forma ambientalmente sustentável,
dos recursos pesqueiros. considerando as tendências atuais e as
políticas, planos e programas de
Programa de Desenvolvimento da desenvolvimento da região de entorno da
Aqüicultura Baía de Guanabara.

O objetivo é desenvolver estudos e Isto significa uma avaliação


fomentar as ações institucionais que socioambiental dos possíveis
permitirão a criação de alternativas eficazes empreendimentos e suas implicações à
de emprego e renda em atividades sustentabilidade do desenvolvimento
ambientalmente sustentáveis ligadas á regional, objetivando subsidiar o processo de
produção e comercialização de pescado. tomada de decisão.

Programa de Apoio à Está sendo introduzida uma nova


Comercialização do Pescado abordagem de gestão ambiental, a partir da
integração das diferentes iniciativas
Artesanal na Baía de Guanabara
produtivas que ocorrem na região.
Planejamento do desenvolvimento
É nesse contexto que está sendo
regional sustentável (Região Metropolitana
sugerida a realização desta AAE com a
do Rio de Janeiro e CONLESTE) de modo a
finalidade de subsidiar a definição de
apoiar ações como, por exemplo, à
alternativas sustentáveis de desenvolvimento
implantação de um mercado eletrônico de
do setor, compatíveis com a legislação
pescado articulado entre Poder Público e
aplicável e com as expectativas dos diferentes
comunidade pesqueira.
agentes envolvidos.
Avaliação Ambiental Estratégica
Dentre os benefícios que se pode
esperar como resultado da aplicação da
Para viabilizar e subsidiar os estudos
AAE, destacam-se:
de Avaliação Ambiental Estratégica dos
empreendimentos na região, a Petrobras
• apoiar o processo de promoção do
contratou um estudo junto ao Laboratório
desenvolvimento sustentável por meio da:

47
126
- tomada de decisão integrando questões Iniciativas de educação e
de ordem ambiental e desenvolvimento capacitação profissional
econômico;
Um dos entraves ao desenvolvimento
- consideração de alternativas de da indústria no país é a falta de mão-de-obra
empreendimentos mais aceitáveis qualificada para a implementação de novos
ambientalmente; empreendimentos, principalmente aqueles
relacionados à área de petróleo, gás natural
- consulta a autoridades, aumentando o e petroquímica. Apenas uma minoria da
envolvimento das partes e possibilitando população detém a qualificação profissional
a participação da sociedade na e os conhecimentos requeridos pela indústria.
avaliação dos aspectos ambientais e na
formulação de um plano de ação
Essa falta de qualificação por parte da
ambientalmente sustentável.
população local, acaba por gerar uma
migração de mão-de-obra de outras regiões
• fortalecer e facilitar a Avaliação de
para o local de desenvolvimento e
Impactos Ambientais de projetos por meio
da: implementação de um projeto, atraída pelas
oportunidades de trabalho geradas.
- identificação, o mais cedo possível, de
impactos potenciais e dos efeitos A população da região diretamente
cumulativos e sinérgicos de um conjunto impactada não consegue se apropriar das
de empreendimentos; oportunidades proporcionadas pela chegada
do empreendimento, ficando à margem, não
- consideração das questões estratégicas se inserindo no desenvolvimento
de propostas relacionadas à justificativa e socioeconômico da região.
localização espacial de projetos;
Este cenário pode, ainda, ser
- redução do tempo e esforço necessários à agravado, considerando-se o despreparo e a
avaliação de projetos individuais. infra-estrutura insuficiente para absorver os
novos profissionais e a demanda.
É importante ressaltar que a AAE de
planos e programas é um instrumento passível A capacitação profissional emerge,
de utilização tanto pelo Estado quanto pelas então, como uma estratégia necessária,
empresas, como ilustra a experiência capaz de atenuar os possíveis impactos
internacional. negativos do empreendimento, evitando a
migração e contribuindo para o
No setor de petróleo, há experiências desenvolvimento social e econômico da
em aplicação da AAE em países como
região.
Canadá, Reino Unido, Estados Unidos,
Noruega e Austrália.
Particularmente na região onde será
instalado o COMPERJ, estudos mostram que a
No Brasil, destacam-se as
população é caracterizada por um nível de
experiências com o Gasoduto Brasil-Bolívia e
a iniciativa da El Paso, Petrobras, Queiroz escolaridade significativamente baixo,
Galvão, Ipiranga e Petroserv no litoral sul da evidenciando uma carência de profissionais
Bahia. qualificados.

127
Nesse sentido, ações voltadas para a O sistema de diagnóstico elabora
melhoria da qualidade da educação básica gráficos para cada categoria profissional,
são imprescindíveis para o favorecimento do determinando a necessidade de mão-de-
desenvolvimento da população. obra requerida em cada etapa da
implantação do empreendimento,
Em função disso, a Petrobras comparados à disponibilidade de
estruturou o Centro de Integração do profissionais existentes na região. Isso
COMPERJ tendo como principais objetivos: sinaliza o número de profissionais que
deverão ser capacitados, em cada categoria,
• qualificar e capacitar mão-de-obra ao longo do período de implantação do
circunvizinha para o desenvolvimento das empreendimento.
vocações locais, em bases competitivas e
sustentáveis, nos onze municípios de Com base no estudo, haverá um déficit
influência do COMPERJ (Itaboraí, de mão-de-obra qualificada ao longo dos
Cachoeiras de Macacu, Casimiro de anos de implementação do empreendimento.
Abreu, Guapimirim, Niterói, Magé, Com o intuito de minimizar esse déficit, o
Maricá, Rio Bonito, Silva Jardim São Centro de Integração irá capacitar e
Gonçalo e Tanguá); qualificar 30.000 profissionais.

• promover a inserção competitiva e Essa qualificação será um fator crucial


sustentável de micro e pequenas empresas para o desenvolvimento econômico,
da região na cadeia produtiva de principalmente no interior do Rio de Janeiro,
petróleo, gás natural e petroquímica visto que a expansão e a interiorização de
através da criação de um arranjo grandes projetos potencializarão o
produtivo local e a viabilidade de metas desenvolvimento das vocações regionais.
empresariais sustentáveis para toda a
região de influência do empreendimento; O desenvolvimento de parcerias com
universidades, escolas técnicas e instituições
• atenuar impactos de mobilização e de ensino favorecerá o fortalecimento
desmobilização de mão-de-obra ao final profissional da mão-de-obra local.
da fase de construção e montagem do
COMPERJ. O Centro de Integração apresenta
uma estrutura de governança que tem como
Para implantação do COMPERJ, foi objetivo promover o aumento da sinergia
realizado um sistema de diagnóstico de oferta entre a Petrobras, o Governo do Estado do
e demanda (levantamento de informações Rio de Janeiro e as prefeituras locais, fazendo
das necessidades de mão-de-obra ao longo com que se tornem parte integrante do
da fase de terraplanagem, construção, projeto.
montagem e operação).
Essa estrutura deverá ser
Assim, é possível identificar as lacunas descentralizada, fazendo com que todas as
de recursos e as ações para minimizar as prefeituras dos onze municípios tenham um
deficiências em tempo de atender a demanda papel ativo no trabalho de implementação do
e também de possibilitar a maximização da Plano de Qualificação Profissional.
utilização da mão-de-obra local em torno do
empreendimento.

47
128
Estrutura de governança do Centro de Integração do COMPERJ.

O Comitê Diretivo é responsável por: COMPERJ e da sociedade civil, representada


por entidades de classes.
• definir as diretrizes de gestão do Centro
de Integração do COMPERJ; Na fase de estruturação do Centro de
Integração na região, foi realizado um estudo
• definir as demandas locais do Centro de da capacidade de atendimento das
Integração do COMPERJ; instituições de ensino locais para qualificar a
demanda de mão-de-obra para o COMPERJ
• estabelecer as estratégias de e verificou-se a necessidade de aumentar a
desenvolvimento e avaliar o Centro de capacidade atual. Desta forma, a Petrobras
Integração do COMPERJ, através da constrói um centro de qualificação
realização de reuniões bimestrais de profissional em São Gonçalo, com
acompanhamento.
inauguração prevista para o primeiro
semestre de 2008, onde funcionará uma
Para que o planejamento do Centro de
unidade do Centro de Integração do
Integração do COMPERJ não fosse elaborado
COMPERJ. A instalação, que possui uma
apenas por técnicos da Petrobras, foi criado o
capacidade de atender 370 alunos por turno,
Comitê Técnico de Avaliação, com o objetivo
é composta por 18 salas de aula, biblioteca,
de alinhar as necessidades dos municípios
auditório, laboratório de informática,
visando o desenvolvimento regional.
refeitório, quadra polivalente, salas
administrativas, entre outras instalações.
O Comitê tem a participação de
representantes do Governo do Estado, das
Após a análise e definição das
prefeituras locais, do Consórcio
instituições parceiras, ocorre o alinhamento
Intermunicipal de Desenvolvimento da Região
do seu conteúdo programático com o Centro
Leste Fluminense – CONLESTE, do Fórum
de Integração do COMPERJ. Os ciclos de

129
qualificação serão realizados em períodos Petrobras desenvolve os seguintes projetos:
doze meses, que corresponderá a todo o
processo de qualificação – incluindo seleção • Convênio entre a Petrobras e a Fundação
de candidatos, contratação da instituição de de Apoio à Escola Técnica - FAETEC, que
ensino, execução dos cursos – definido para o tem por finalidade a realização de obra
período correspondente do gráfico das obras para reforma e modernização da Escola
do COMPERJ. Técnica Estadual Henrique Lage / ESEI
Barreto, e a disponibilidade de salas de
A última etapa do processo de gestão aula para a Petrobras nessas
do Centro de Integração corresponde à dependências, para a realização de
qualificação profissional propriamente dita, cursos de formação e aperfeiçoamento
isto é, a realização dos cursos. A instituição profissional, em especial na área de refino
de ensino, parceira após a estruturação dos e petroquímica;
cursos, irá capacitar os profissionais
classificados no processo seletivo. • O Centro de Integração do COMPERJ irá
promover a capacitação dos moradores
No intuito de atender todos os da área de desapropriação do
municípios da área de atuação do Centro de empreendimento, em cursos de
Integração do COMPERJ a Petrobras artesanato, viveirismo e reflorestamento.
desenvolveu o Programa de Ações Móveis Essa mão-de-obra será aproveitada para
que intervém diretamente nas localidades viabilizar a criação do Corredor
onde a ação de qualificação profissional não Ecológico ao redor do empreendimento,
se encontra estruturada, desenvolvendo que prevê o plantio de milhões de mudas.
conjunto de ações móveis específicos para o
projeto. Ao longo da estruturação do projeto
do Centro de Integração do COMPERJ, foi
Em paralelo aos cursos de qualificação identificada a necessidade de promover o
do Centro de Integração do COMPERJ a desenvolvimento econômico-social da região

47
130
sob o enfoque empresarial, visto que com a Serão realizadas ações com foco na
chegada do empreendimento, os capacitação empresarial, promoção da
fornecedores deverão atender todas as cultura empreendedora e da cooperação
exigências da Petrobras, além de empresarial, bem como o levantamento de
acompanhar o aumento da demanda por informações econômicas, empresariais,
seus serviços e produtos. ambientais, legais e tecnológicas.

Essa iniciativa é direcionada para Com isso, espera-se elevar o número


micro e pequenas empresas da região de de empreendimentos instalados formalmente
influência do COMPERJ. Diversas pesquisas na região e assim aumentar a ocupação de
têm apresentado que o perfil gerencial dos mão-de-obra local formal, contribuindo para
empresários deste porte empresarial é bem o desenvolvimento socioeconômico da
peculiar, com várias lacunas em competências região.
gerenciais.
Desmobilização da mão-de-obra
Tal desenvolvimento acontecerá
através de um convênio entre a Petrobras e o É natural que a desmobilização da
Sebrae, cujo principal objetivo consiste na mão-de-obra ocorra ao final da fase de
inserção competitiva e sustentável das micro e construção e montagem. No caso do
pequenas empresas na cadeia produtiva de COMPERJ, a possibilidade desta
petróleo, gás natural e petroquímica, focando desmobilização ocorrer será parcialmente
principalmente no desenvolvimento das reduzida, em função do aumento gradativo
vocações locais dos municípios da região de da necessidade de mão-de-obra na indústria
influência do COMPERJ e na prática do de terceira geração, que deve ocorrer nos
empreendedorismo. municípios vizinhos a Itaboraí, bem como na

131
Baixada Fluminense, se houver atrativos Petrobras e de seus parceiros, com a
fiscais pelos governos locais e do Estado. capacitação focada nas necessidades e
vocações da região, bem como a inovação
O setor de serviço deverá absorver tecnológica e a elevação dos níveis de
grande parte da mão-de-obra disponível. qualificação. Assim, a região estará
Estudos apontam um crescimento econômico preparada para atender aos desafios
da região com a vinda do COMPERJ. inerentes ao grande crescimento a que a
região está sujeita nos próximos anos.
Pesquisas recentes indicam que
durante a fase de construção e montagem do PROGRAMA DE COMPENSAÇÃO
COMPERJ haverá um crescimento da
demanda de mão-de-obra, que atinge seu O Artigo 36 da Lei Federal nº. 9.985
pico em 2011, caracterizada por condicionou o licenciamento ambiental de
profissionais do nível básico e técnico. empreendimentos de significativo impacto
ambiental, à destinação de recursos para
Entretanto, com a entrada de compensação ambiental devendo o
operação do empreendimento e o empreendedor apoiar a implantação e
desenvolvimento da indústria local, haverá manutenção de unidade de conservação –
uma inversão do perfil dos profissionais área protegida.
necessários, já que nesta fase a demanda será
caracterizada por categorias de nível técnico O Decreto nº. 4.340, de
e superior, reafirmando a necessidade da 22/08/2002, que regulamentou esta lei,
continuidade do programa de qualificação estabelece no Capítulo VIII, Art. 31 “Para fins
na região, com foco nessas carreiras. de fixação da compensação ambiental de que
trata o Art. 36 da Lei nº. 9.985 de 2000, o
Com isso, o Centro de Integração do órgão ambiental licenciador estabelecerá o
COMPERJ deverá promover programas de grau de impacto a partir dos estudos
adequação do nível de qualificação dos ambientais realizados quando do processo
profissionais requeridos na fase de de licenciamento ambiental, sendo
construção e montagem com os demandados considerados os impactos negativos, não
na fase de operação do empreendimento. mitigáveis e passíveis de riscos que possam
comprometer a qualidade de vida de uma
Para todo esse projeto, estima-se que o região ou causar dano aos recursos naturais.”
total do investimento será de
aproximadamente R$ 50 milhões, que deverá Quanto aos percentuais manteve o
custear diversas ações, como a contratação mesmo critério da lei estabelecendo que os
de instituições de ensino para execução da percentuais sejam fixados, gradualmente, a
qualificação profissional, ações de partir de 0,5% dos custos totais previstos para
comunicação para divulgação do projeto, a implantação do empreendimento,
capacitação empresarial e construção do considerando-se a amplitude dos impactos
Centro de Qualificação em São Gonçalo. gerados.

O projeto do Centro de Integração do Este decreto prevê a criação de


COMPERJ atenderá as demandas da câmaras de compensação ambiental no

47
132
âmbito dos órgãos licenciadores (Art. 32) e • Estação Ecológica Paraíso (estadual);
prioriza a aplicação dos recursos obtidos com
a compensação ambiental (Art. 33) em: • Parque Florestal do Barbosão (municipal –
Itaboraí e Tanguá);
(i) Regularização fundiária e demarcação
de terras; • Área de Proteção Ambiental da Bacia do
Rio Macacu (estadual);
(ii) Elaboração, revisão ou implantação de
plano de manejo; • Área de Proteção Ambiental de Guapi-
Guapiaçu (municipal – Guapimirim);
(iii) aquisição de bens e serviços necessários
à implantação, gestão, • Área de Proteção Ambiental de Guapi-
acompanhamento e cuidados da área Mirim (federal);
protegida, compreendendo sua área de
• Área de Proteção Ambiental de Petrópolis
amortecimento;
(federal);
(iv) desenvolvimento de estudos necessários
• Área de Relevante Interesse Ecológico
à criação de nova área protegida;
Guanabara (estadual)
(v) desenvolvimento de pesquisas
Áreas protegidas (Unidades de
necessárias para manejo da área
Conservação) da Área de Influência Indireta
protegida e área de amortecimento.
adjacentes aos limites da Área de Influência
A Resolução CONAMA N° 371, de 5 Indireta do COMPERJ
de abril de 2006, estabeleceu as diretrizes
aos órgãos ambientais para o cálculo, • Parque Nacional da Serra dos Órgãos
cobrança, aplicação, aprovação e controle (federal);
de gastos de recursos advindos de
compensação ambiental. Em seu art. 10, • Área de Proteção Ambiental de Suruí
estipula que “O empreendedor (...) deverá (municipal – Magé);
apresentar no EIA/RIMA sugestões de
unidades de conser vação a serem • Parque Estadual dos Três Picos (estadual).
beneficiadas ou criadas” ressaltando, no § 2º
deste artigo que “As sugestões apresentadas Os recursos serão aplicados mediante
pelo empreendedor ou por qualquer convênio com as autoridades responsáveis e
interessado não vinculam o órgão ambiental sob sua direção, e terão sua aplicação
licenciador, devendo este justificar as razões condicionada às recomendações dos Planos de
de escolha da(s) unidade(s) de conservação a Manejo das referidas áreas.
serem beneficiadas”.
As aplicações deverão ser fiscalizadas
Áreas protegidas (Unidades de pelo Ministério Público e por entidades civis
Conservação) da Área de Influência Direta autônomas, a serem designadas no processo
de licenciamento ambiental da instalação do
• Estação Ecológica da Guanabara empreendimento.
(federal);

133
Conclusões
O Complexo Petroquímico do Rio de b) os impactos sobre os ambientes físico e
Janeiro – COMPERJ empregará tecnologias biológico serão pouco significativos e
de ponta para transformar o óleo Marlim, de passíveis de atenuação e compensação,
baixo valor no mercado, em produtos tanto na fase de construção como de
petroquímicos nobres. operação do COMPERJ;

Sua localização na região leste c) o consumo de água não causará qualquer


metropolitana se insere em um planejamento conflito com as necessidades regionais ao
econômico do Estado do Rio de Janeiro capaz abastecimento público ou para a
de originar um processo de reorganização agricultura. Qualquer que seja a solução
econômica e demográfica do estado, para a captação de água para o
gerando pólos regionais de desenvolvimento empreendimento, ela colocará um
que reduzam as diferenças sociais presentes excedente à disposição do abastecimento
em seu território, através da redistribuição de público dos municípios envolvidos, que
benefícios econômicos e fiscais e da geração sofrem graves problemas de
de empregos. disponibilidade hídrica;

A equipe responsável por este d) o lançamento dos efluentes líquidos


trabalho analisou as atividades associadas à tratados e em quantidade reduzida pelo
construção e operação do Complexo. Os reuso de efluentes, será facilmente
impactos potenciais, tanto os positivos como assimilado no ambiente marinho. Por isso,
os negativos, estão resumidos abaixo: não haverá impacto negativo significativo
térmico, mecânico, químico ou biológico.
a) a produção de petroquímicos básicos em Os padrões de qualidade de água serão
Itaboraí estimulará o crescimento regional, atendidos logo após a zona de mistura;
em termos de emprego, renda e
arrecadação fiscal, permitindo a alteração
do quadro de carências sociais desta
região;

137
e) a liberação de poluentes do ar foi analisada h) os efeitos econômicos do COMPERJ sobre
em detalhe e mesmo no pior caso, não sua área de influência devem trazer
oferece risco ao ambiente ou à saúde da ampliação de recursos tributários,
população. Os ruídos gerados não afetarão, elevação de renda, geração de empregos,
significativamente, o ambiente sonoro local; dinamização de atividades econômicas e
aumento da produção de riqueza;
f) a operação do Complexo não terá efeito
negativo significativo sobre espécies raras, i) a implantação do COMPERJ não terá efeitos
endêmicas (específicas de um determinado adversos sobre locais de interesse
local), nativas e locais, ameaçadas ou em arqueológico, histórico ou cultural em sua
processo de extinção. O programa área de influência, estando previstas
ambiental de recuperação da vegetação do medidas de resgate e recuperação de seu
sítio numa perspectiva de Corredor patrimônio histórico, cultural e
Ecológico COMPERJ, a ser ampliado por arqueológico;
ações em parceria com outras instituições,
criará condições ambientais de qualidade j) os riscos de operação do Complexo para
superior à encontrada na região de seus trabalhadores são inferiores aos riscos
influência do empreendimento; associados a outras ocupações. Os piores
cenários de acidentes simulados não trarão
g) os efeitos adversos do COMPERJ sobre a conseqüências para as atividades
dinâmica social das comunidades da econômicas ou para a população das
região, por conta do potencial de atração vizinhanças. Os riscos analisados
de populações migrantes serão tratados encontram-se dentro de padrões aceitos
através de políticas públicas de internacionalmente;
ordenamento territorial das prefeituras
municipais, já em curso desde a criação do
CONLESTE;

138
De forma associada à implantação do considerando-se as alternativas disponíveis,
COMPERJ, serão implementadas medidas a equipe concluiu que é ambientalmente
para a recuperação ambiental da Baía da viável a implantação do COMPERJ – desde
Guanabara, para o fortalecimento da que implementadas as Medidas, Planos e
atividade pesqueira nela praticada, para a Programas Ambientais recomendados, que
consolidação de Unidades de Conservação serão objeto de detalhamento quando ocorrer
da Natureza e para a solidificação da gestão a solicitação da Licença de Instalação – LI.
municipal participativa.
Qualquer modificação significativa do
Com base nas análises descritas no projeto e de suas condições operacionais
estudo de impacto ambiental, e após as deverá ser comunicada às autoridades
considerações dos benefícios ambientais, competentes, para efeito do licenciamento da
socioeconômicos e tecnológicos, implantação.

139
Glossário

Arco Metropolitano - estrada que ligará Água Subterrânea – água doce sob a
a BR-101, em Itaboraí, ao Porto de Itaguaí, superfície da terra, forma um reservatório
na Baía de Sepetiba, passando por vários natural disponível para uso humano. Água
municípios da Baixada Fluminense e que se infiltra nas rochas e solos.
cortando as principais rodovias federais de
acesso a cidade do Rio de Janeiro. Aluvião - depósitos originários de rios ou
lagos, constituídos de cascalhos, areias,
Área de influência - área externa de um argila e limo das planícies alagáveis e do
território, sobre o qual se exerce influência sopé dos montes e das escarpas.
de ordem ecológica e/ou socioeconômica.
Análise Ambiental - exame de um
Anel benzênico – cadeia de seis sistema ambiental, a partir da qualidade
carbonos em forma de anel. dos componentes, para entender sua
natureza e determinar as características
Aromáticos - compostos que possuem na essenciais.
cadeia principal anéis benzênicos.
Aqüífero, Reservatório de água
Assoreamento - depósito de sedimentos subterrânea - estrato subterrâneo de
em rios, lagoas e baías resultantes de terra, cascalho ou rocha que contém água
processos erosivos nos solos e rochas, por em condições de uso e exploração pelo
ação das águas, ventos, processos homem.
químicos, físicos e do homem.
Arbusto - planta baixa, tipicamente com
Aterrro – depósito de resíduos, muitos ramos partindo do solo ou próximo a
minimizando os impactos sobre a saúde este. Vegetal de menor porte (abaixo de 6
pública e o ambiente, como contaminação metros) em relação às árvores.
das águas subterrâneas e a criação de ratos
ou insetos. Bacia aérea - área em que o relevo, as
correntes de ar e a dispersão dos poluentes
Adutora - conjunto de encanamentos e determinam os impactos das atividades
peças especiais, destinado a promover o humanas na qualidade do ar.
transporte da água entre captação e
reservatório de distribuição. Bacia hidrográfica - conjunto de terras
drenadas por um rio principal e seus
Afloramento – quando é possível ver afluentes.
rochas ou minerais, tais como corte de
estrada, túneis, galerias subterrâneas, poços Bacia sedimentar - depressão da crosta
etc. terrestre onde se acumulam rochas
sedimentares, que podem ser portadoras de
Afluente – água residuária, que petróleo ou gás, associadas ou não.
desemboca num reservatório, rio ou
instalação de tratamento de água. Bentos - organismos fixados no fundo do

141
Glossário

mar (bentos sésseis) e organismos móveis indica a origem e os processos de


(bentos vagantes) que quando se deslocam, transporte.
realizam pequenos percursos.
Comunidade biótica ou biológica -
Benzeno – composto incolor, com aroma organismos com aspecto e composição
doce e agradável. Pode causar tontura ou definidos pelas propriedades do ambiente e
dor de cabeça. Usado como solvente ou pelas relações entre os organismos.
matéria-prima para outros compostos.
Coque - produto sólido, escuro e brilhante,
Biota - conjunto de componentes vivos resultante do processo de craqueamento de
(bióticos) de um ecossistema. resíduos pesados (coqueamento). Utilizado
pela indústria de alumínio, metalurgia e
Brejo - terreno plano, encharcado, que indústria cerâmica.
aparece nas regiões de cabeceiras ou em
zonas de transbordamento de rios. Coqueamento – processo para obtenção
de coque, obtido por craqueamento de
Brejoso - adjetivo referente a brejo. Ver resíduos pesados.
Brejo.
Coroa - baixio, persistente ou temporário,
Butadieno - é um gás obtido do produzido por aluviões, nos estuários e no
craqueamento do petróleo, com várias baixo curso dos rios e lagoas.
aplicações na petroquímica.
Corredor Ecológico – faixa de vegetação
Capoeira - vegetação secundária que que serve de trânsito dos animais entre
nasce após a derrubada das florestas áreas de matas protegidas.
virgens.
Corpo (de água) receptor - parte do
Catalisador - substância que, por sua meio ambiente na qual são ou podem ser
presença, modifica a velocidade de uma lançados quaisquer tipos de efluentes,
reação química, sem se alterar no processo. provenientes de atividades poluidoras.

Chuva Ácida - chuva contaminada por Craqueamento - conversão de


poluentes do ar que vêm de indústrias e hidrocarbonetos (quebra de moléculas
todos veículos automotores (carros, ônibus maiores e complexas), aumentando a
etc). proporção dos produtos mais leves e
voláteis.
Coluvial - adjetivo referente à colúvio. Ver
Colúvio. Decomposição - processo de obter duas
ou mais substâncias a partir de uma só.
Colúvio - porções de solo e detritos
acumulados numa encosta, por perda de Degradação ambiental - danos ao meio
massa ou erosão superficial. A composição ambiente, onde se perdem/reduzem algumas

142
Glossário

propriedades, como a capacidade produtiva Enseadas - reentrância na costa, aberta


dos recursos ambientais. na direção do mar, porem com pequena
penetração deste. As enseadas são menores
Depressão - forma de relevo que se que as baías.
apresenta em posição de altitude mais baixa
do que porções contínuas. Erosão - remodelação das saliências ou
reentrâncias do relevo, por diversos agentes,
Derivados - produtos decorrentes da como água, chuva, gelo.
separação física ou da transformação
química do petróleo. Estireno - material plástico, rígido e
transparente (como o acrílico). A
Destilação - método de separação baseado polimerização do estireno, junto com
no fenômeno de equilíbrio líquido-vapor de umidade e agentes de expansão, dá origem
misturas. ao isopor ou poliestireno.

Diagnóstico ambiental - componentes Etilenoglicol - composto líquido,


ambientais de uma área (país, estado, bacia fabricado a partir da combinação, em
hidrográfica, município) que caracterizam a condições controladas, de eteno, hidrogênio
sua qualidade ambiental. (retirado da atmosfera) e água.

Dióxido de enxofre - um dos causadores Estuário - desaguadouro de um rio no


da chuva ácida. Por prejudicar a saúde e o oceano ou baía, geralmente batido por
meio ambiente, limita-se o teor de enxofre nos correntes marinhas e de marés que
combustíveis. impedem a acumulação de detritos, como
ocorre nos deltas.
Ecossistema - sistema aberto que inclui os
fatores físicos e biológicos do ambiente e suas Fauna - espécies animais encontradas em
interações, o que resulta na troca de energia uma área que resultam da história da área
e matéria entre esses fatores. e suas condições ecológicas presentes.

Efeito Renda - Efeito sobre a produção e Gamboa - Local, no leito dos rios, onde se
o emprego decorrente do consumo dos remansam as águas, dando a impressão de
trabalhadores que receberam a renda um lago sereno.
gerada pelo empreendimento.
Gasolina de pirólise - fração de
Efluente - água que flui de um sistema de produtos na faixa da gasolina, gerada na
coleta (tubulações, canais, reservatórios, pirólise de nafta petroquímica.
elevatórias), ou de estações de tratamento .
Geofísica - ciência que estuda os
Encosta - declive nos flancos de um morro, fenômenos físicos que afetam a Terra.
de uma colina ou uma serra.

143
Glossário

Geomorfologia - ciência que estuda e que permite conhecer os ambientes de


interpreta as formas do relevo terrestre e os características especiais.
mecanismos responsáveis pela sua
modelação. Jusante - na direção da corrente, rio
abaixo.
Gestão ambiental - ações
governamentais ou empresariais para Laguna - Depressão que contem água
manter ou recuperar a qualidade do meio salobra ou salgada, localizada na borda
ambiente, assegurar a produtividade dos litorânea. As lagunas podem estar
recursos e o desenvolvimento social. separadas do mar por obstáculos mais ou
menos efetivos, sendo comum a existência
Graben - depressão em forma de vale de canais por onde se comunicam.
alongado com fundo plano, por resultado
dos movimentos combinados de falhas Licenciamento ambiental –
geológicas paralelas. autorização dada por uma agência
ambiental para a construção ou ampliação
Herbário - espécimes vegetais secos e de atividade que pode causar danos ao
prensados, que servem de referência meio ambiente.
taxonômica para a identificação e
classificação das plantas. Liquefeito - um gás liquefeito é um gás
que sofreu a transformação do estado
Hidrocraqueamento - processo de gasoso (vapor) para líquido.
craquear frações pesadas de petróleo em
presença de hidrogênio e de um catalisador.
Mata ciliar – mata estreita que está na
beira dos rios. Como os cílios que protegem
Hidrogeologia - ramo da geologia e da
os olhos, a mata ciliar protege os rios.
hidrologia que estuda as águas subterrâneas
Também chamada de mata de galeria.
quanto ao seu movimento, volume,
distribuição e qualidade.
Meio ambiente – conjunto de condições,
leis, influências e interações de ordem física,
Hidrologia - ciência que estuda a
química e biológica, que permite, abriga e
ocorrência, distribuição e movimentação das
rege a vida em todas as suas formas.
águas, incluindo aspectos de qualidade da
água, poluição e descontaminação.
Mineral - componente das rochas; cada
mineral tem uma composição química e
Hidrotratamento - processo de refino com
estrutura cristalina própria, como o quartzo.
hidrogênio, para estabilizar um determinado
corte de petróleo ou eliminar compostos
indesejáveis. Nafta - derivado de petróleo utilizado
como matéria-prima da indústria
Indicador ecológico, espécie indicadora petroquímica. Este gás é utilizado na
- espécies com exigências ecológicas definidas, produção do gás canalizado doméstico.

144
Glossário

Nafta de PFCC petroquímico - fração impacto, inclusive em baixas temperaturas.


leve de nafta, de aspecto semelhante à Sua maior aplicação encontra-se nas
gasolina comercial. embalagens.

para-Xileno - composto químico que, Poliester - plástico com várias aplicações


quando oxidado, resulta no PTA (ácido industriais, em especial na produção de
tereftálico purificado). Matéria-prima para tecidos para fabricação de roupas, de
produção de poliéster. garrafas PET, fibras, filamentos e filmes.

Permeabilidade - capacidade de Polipropileno - o polipropileno (ou


passagem de água através dos poros do polipropeno) é um tipo de plástico que pode
solo. ser moldado usando apenas aquecimento,
ou seja, é um termoplástico de amplo uso.
Petróleo marlim – matéria-prima no
COMPERJ para produção de sub-produtos, Polimerização - Reação química que dá
que serão utilizados na fabricação de origem aos polímeros (resinas).
plásticos. Petróleo pesado da Bacia de
Campos. Polímero - composto químico, resultante
da polimerização. São macromoléculas a
Petróleo pesado – tipo de petróleo de partir de unidades estruturais menores (os
menor qualidade, que demanda mais monômeros).
tratamento para ser refinado.
Propeno - obtido do craqueamento de
PET - polietileno tereftalato - tipo de hidrocarbonetos, normalmente nafta.
resina, um dos principais plásticos Matéria-prima para a produção de
recicláveis. Quando aquecido, amolece e polipropileno.
pode ser novamente moldado em fibras e
garrafas. PTA - ácido tereftálico purificado. Matéria-
prima para produção de poliéster. Comum
Petroquímica - indústria dos produtos nas indústrias têxteis, de embalagens PET,
químicos derivados do petróleo. de filmes e na fabricação de pneus.

Pírólise - ruptura da estrutura molecular Querosene - líquido resultante da


original de um determinado composto pela destilação do petróleo. Fração entre a
ação do calor. gasolina e o óleo diesel, usado como
combustível de aviação e como base de
Plano de manejo - conjunto de metas, certos inseticidas.
normas, critérios e diretrizes, que tem por
fim a administração ou o manejo dos Reciclagem - coleta de resíduos, que são
recursos de uma dada área. submetidos a processo de transformação,
para uso como matérias-primas na
Polietileno - resina de alta resistência ao manufatura de bens.

145
Glossário

Refinação - conjunto de processos Solo - parcela da superfície terrestre, que


destinados a transformar o petróleo bruto suporta e mantém as plantas. Sua superfície
em produtos adaptados às necessidades dos inferior é definida pelos limites da ação dos
consumidores. agentes biológicos e climáticos.

Relevo - pode ser definido como as formas Sucessão - substituição de uma


da superfície do planeta comunidade, por causa de modificação do
ambiente e do desequilíbrio que pode
Resíduo - material sólido e semi-sólido ocorrer, uma vez atingido o nível de
que o possuidor considera não ter valor saturação.
suficiente para ser conservado.
Sucessão ecológica - mudança nas
Royalties - compensações financeiras características (tipos de espécies) de uma
pagas pelos concessionários, distribuída comunidade biológica, ao longo do tempo.
entre municípios, estados, ministério de
Ciência e Tecnologia e comando da Terraplenagem - Conjunto de operações
Marinha. de escavação, transporte, depósito e
compactação de terras, necessárias à
Saco - Pequena reentrância no litoral, realização de uma obra; movimentação de
caracterizada por uma boca estreita por terra.
uma boca estreita e porção interior
alargada Topográfico - representação da forma,
declividade, tamanho e altitude do relevo de
Salinidade - medida de concentração de uma determinada área.
sais minerais dissolvidos na água.
Unidade de conservação - espaço
Sedimentação - ação de deposição de territorial com características naturais
sedimentos ou de substâncias que podem relevantes. Instituído pelo poder público,
ser mineralizados. Resultantes da com garantias adequadas de proteção.
desagregação ou mesmo da decomposição
de rochas. Vaporização - passagem do estado
líquido para o estado gasoso.
Sedimento fluviomarinho - depósitos
sedimentares causados pela ação de
processos fluviais. Encontrados em planícies
costeiras e em deltas marinhos.

Socioeconomia - tudo que está


relacionado com temas de sociedade ,
economia e tudo que contempla a vida
cultural.

146
Glossário

SIGLAS IMPORTANTES COMPERJ – Complexo Petroquímico do


MENCIONADAS NO RIMA Rio de Janeiro.

AAR – Área de Abrangência Regional, CONAMA (Conselho Nacional Do


região composta pelos 11 municípios do Meio Ambiente) - órgão do Sistema
CONLESTE. Nacional do Meio Ambiente (SISNAMA),
auxilia o presidente da República nas
ADA – Área Diretamente Afetada, distante políticas nacionais do meio ambiente.
até 10 quilômetros do empreendimento.
CONCRECOMPERJ – Conselho
AID – Área de Influencia Direta, distância Comunitário Regional do COMPERJ.
de 20 quilômetros do centro do complexo.
CONLESTE – Consórcio Intermunicipal de
AIE - Área Influência Estratégia, o de maior Desenvolvimento da Região Leste
extensão, pois compreende o estado do Rio Fluminense. Composto pelos 11 municípios
de Janeiro. da área de influência do COMPERJ.

AII – Área de Influencia Indireta. DNOS - Departamento Nacional de Obras


e Saneamento.
APA – Área de Proteção Ambiental.
EIA - Estudo de Impacto Ambiental -
APEDEMA – Associação Permanente das um dos documentos da avaliação de
Entidades em Defesa do Meio Ambiente. impacto ambiental. Apresenta ferramentas
para analisar as conseqüências da
AUX – Unidade Auxiliar de Processos. implantação de um projeto no meio
ambiente. O estudo é feito sob a orientação
Avaliação de impacto ambiental da agência ambiental responsável pelo
(AIA) - exame dos impactos ambientais de licenciamento do projeto.
uma proposta (projeto, programa, plano ou
política) e de suas alternativas. EMBRAPA (Empresa Brasileira de
Pesquisa Agropecuária) - instituição
BNDES - Banco Nacional de pública, com missão de produção de
Desenvolvimento Econômico e Social. conhecimento científico e desenvolvimento
de técnicas para a agricultura e a pecuária
CENPES – Centro de Pesquisa Leopoldo brasileira.
Miguez de Mello, onde são desenvolvidas
inúmeras tecnologias que aumentam a ETA - estação de tratamento de água.
qualidade dos processos de produção.
FCC - do inglês Fluid Catalitic Cracking
CETESB - Companhia de Tecnologia de (Craqueamento Catalítico Fluido). Processo
Saneamento Ambiental (agência ambiental de craqueamento em que o catalisador se
do estado de São Paulo). apresenta na forma de pequenas partículas

147
Glossário

sólidas, formando um leito fluido. Indústria Nacional de Petróleo e Gás


Natural.
FECOMÉRCIO - Federação do Comércio
do Estado. RIMA (Relatório de Impacto
Ambiental) - resume os estudos de
FEEMA (Fundação Estadual de avaliação de impacto ambiental. Deve
Engenharia do Meio Ambiente) – esclarecer os elementos do projeto em
agência de controle ambiental da Secretaria estudo em linguagem acessível.
de Estado do Ambiente.
SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às
FIRJAN – Federação das Indústrias do Rio Micro e Pequenas Empresas.
de Janeiro.
SENAI - Serviço Nacional de
FUNDAÇÃO CIDE - Centro de Aprendizagem Industrial.
Informações e Dados do Rio de Janeiro.
SLAP (Sistema de Licenciamento de
IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Atividades Poluidoras) - referência
Ambiente e dos Recursos Naturais para a organização do licenciamento
Renováveis) - agência ambiental, executa ambiental de muitas agências brasileiras.
as políticas ambientais públicas.
UC – Unidade de Conservação.
IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e
Estatística. UCP - unidades de carro de passeio.

Licença de Instalação (LI) - autoriza o UFF – Universidade Federal Fluminense.


início da implantação do empreendimento,
especificando os requisitos ambientais a UFL – Unidade de Fracionamento de
serem seguidos nessa fase. Líquidos de Gás Natural.

Licença de Operação (LO) - expedida UFRJ – Universidade Federal do Rio de


após a verificação do cumprimento das Janeiro.
condições da LI. Autoriza a operação da
atividade. UFRRJ – Universidade Federal Rural do Rio
de Janeiro.
Licença Prévia (LP) - documento que
autoriza a localização e estabelece os UPA - Unidades Petroquímicas Associadas.
requisitos básicos a serem obedecidos nas
fases de implantação e operação. UPB - Unidade de Petroquímicos Básicos.

PMB - Produção Mineral Brasileira. UTIL – Unidade de Utilidades.

PROMINP - Programa de Mobilização da

148
Equipe técnica

EMPREENDEDOR Carlos Eduardo Ferreira


Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda.
Petrobras S.A. CREA: 13.386-D | IBAMA 298388
Victor Manuel Martins Pais Coordenação Meio Físico
CREA: 26258834 | IBAMA 330167
Marco Aurélio Passos Louzada
Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda.
CONCREMAT ENGENHARIA E CRB 15953/02-D | IBAMA no 93929
TECNOLOGIA S.A. Coordenador Meio Biótico

Renato Pineschi
Luis Alfredo de Almeida Cruz Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda.
Concremat Engenharia e Tecnologia S.A. CRB 32187/02
CRQ 03313658 | IBAMA 2076488 Responsável pela Fauna
Gerente do Projeto
Sergio Tolipan
José Alberto Gemal Concremat Engenharia e Tecnologia S.A.
Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda. MEC 922 | IBAMA 292023
CREA 480-D | IBAMA 289839 Coordenador Meio Antrópico
Coordenador Geral
Maria Dulce Gaspar
Luis Otávio Amorim Concremat Engenharia e Tecnologia S.A.
Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda. RP: 40857, série 341 | IBAMA 275637
CRQ-8808 | IBAMA 290023 Coordenação da Arqueologia
Coordenador Adjunto

Carlos Coelho de Carvalho Neto Equipe de apoio


Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda.
CRQ 03300713 | IBAMA 290072
Apoio à Caracterização Técnica / Eduardo Mello
Qualidade do Ar e das Águas Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda.
Apoio de campo Meio Físico
José Carlos Loureiro Legey
Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda. Claudia Vieira
CREA 10 567 | IBAMA no 289966 Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda.
Apoio à Caracterização Técnica / CRB 26.0302/2 | IBAMA 298388
Qualidade do Ar e das Águas Apoio de campo Meio Biótico

Domingos Nicolli João Maurício Wanderley


Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda. Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda.
CREA 480-D | IBAMA 275030 Apoio de campo Meio Biótico
Consultor

149
Equipe técnica

Izar Aximov Maria Josefina Reyna Kurtz


Concremat Engenharia e Tecnologia S.A. Concremat Engenharia e Tecnologia S.A.
CRB 48.811/02 | IBAMA 563248 CRBio: 10600/02 | IBAMA: 899658
Apoio de campo Meio Biótico Bióloga

Maria Cristina Tenório Frederico Werneck Kurtz


Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda CRBio: 07108/02 | IBAMA: 39937
Arqueologia
EQUIPE RIMA CONCREMAT
Amanda Zindeluk
Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda Ricardo Nehrer
Coordenação levantamentos diretos CRBio: 07533-02/D | IBAMA: 217671
Municípios da AID Coordenador

Maria Bernadete M.V. da Costa Ana Carolina Eugênio de Oliveira


Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda Graduanda em Biologia
Coordenação adjunta levantamentos diretos
Municípios da AID Elaine Coutinho
Graduanda em Engenharia Química
Glauce Motta
Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda Patrizzia Cappelletti Rocha
Levantamentos diretos Municípios da AID IBAMA: 2204329
Graduanda em Biologia
Lucia Luiz Pinto
Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda Carlos Jansen de Siqueira Neto
MEC: 922 | IBAMA 292023 Programador Visual
Campo da Socioeconomia
Flávio Nehrer
Lucia Helena N. Pereira Jornalista
Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda
Levantamentos diretos Municípios da AID João Paulo Rabello de Castro Centelhas
Graduando em Geografia
Carlos Eduardo Veloso de Almeida
Natrontec Estudos e Eng. Processos Ltda Luiz Felipe Hermes da Fonseca Cardoso
IBAMA: 660194 CRBio: 42882/02 | IBAMA: 784752
Meio Físico Biólogo

Ronielson Mendes Cabral Márcia Garcia


Concremat Engenharia e Tecnologia S.A. Administrativo
CRQ: 03315455 3° RJ | IBAMA: 2182381
Engenheiro Químico
Estudos Complementares

150