Você está na página 1de 64

Atlas

Microbiologia

e Parasitologia

Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

Departamento de Biologia Celular e Molecular e dos Bioagentes Patogênicos

Atlas elaborado por:

-Letícia Graziela Bachette aluna do curso de Medicina, monitora do departamento durante o ano de 2010 -Marcelo Rodrigues Pinto pós-graudando -Profa. Dra. Angela Kaysel Cruz -Profa. Dra. Claudia Maria Leite Maffei -Prof. Dario Simões Zamboni -Prof. Dr. Eurico Arruda -Prof. Dr. Luiz Ricardo Orsini Tosi

Vermes:

-Ancylostomidae sp.

4 e 5

-Ascaris lumbricóides

6 e 7

-Enterobius vermicularis

8

-Schistosoma mansoni

9, 10

e11

-Strongyloide stercoralis

12

-Taenia sp -Trichuris trichiura

13, 14 e 15 16 e 17

Protozoários:

-Amebas

18,19,20 e 21

-Giardia lamblia

22

-Leishmania donovani

23 e 24

-Plasmodium sp

25,26, 27, 28 e 29

-Trichomonas hominis

30

-Trypanosoma cruzi

31

Fungos:

-Micológico direto Malassezia furfur

33

Dermatofito

34

Cromomicetos

35

Candida albicans

36

Cryptococcus neoformans

37

-Coloração gram:positivo para levedura

38

-Histopatológico Paracoccidiodes brasiliensis

39

Histoplasma

40

Coccidioides immitis

41

Cromomicose

42

Eumicetoma

43

Zigomicose (Rhizopus)

44

Aspergillus sp

45

-Trichophyton rubrum

46

-Trichophyton mentagrophytes

47

-Trichophyton tonsurans

48

-Microsporum canis

49

-Epidermophyton floccosum

50

-Paracoccidioides brasiliensis

51

-Histoplasma capsulatum

52

-Sporothrix schenckii

53

-Coccidioides immitis

54

-Fonsecaea pedrosoi

55

-Esporulação tipo Phialophora

56

-Penicillium sp

57

-Aspergillus sp

58

-Fusarium sp

59

-Rhizopus

60

-Candida albicans

61

-Provas bioquímicas para leveduras

62

-Cryptococcus neoformans

63 e 64

A B FMRP-USP FMRP-USP
A
B
FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Material fecal humano contendo ovos de Ancylostomidae sp. (A) Os ovos estão indicados pelas setas (lugol, x10); (B) (x40). No ovo indicado pela seta vermelha notamos a presença da larva, mas não no ovo indicado pela seta preta. Ovo de Ancylostomidae tem formato oval e mede cerca de 60µm por 40µm.

A FMRP-USP
A
FMRP-USP
B FMRP-USP
B
FMRP-USP
C FMRP-USP
C
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Extremidade posterior verme (x10); (B) Extremidade posterior em maior aumento.

do Ancylostomidae. (A) Extremidade posterior afilada de uma fêmea do

de um macho, presença de bolsa

copuladora (x10); (C) Bolsa copuladora

A FMRP-USP
A
FMRP-USP
B FMRP-USP
B
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Aparelho bucal do Ancylostomidae. (A) Ancylostoma braziliense, presença de dois pares de dentes desiguais. (B) Necator americanus, presença de cápsula bucal profunda com duas lâminas cortantes semilunares ( x40).

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Aparelho bucal do Ancylostoma caninun. Cápsula bucal profunda com três pares de dentes (x40).

A B FMRP-USP C FMRP-USP FMRP-USP
A
B
FMRP-USP
C
FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Material fecal humano contendo ovos de Ascaris lumbricóides. (A) Os ovos estão indicados pelas setas (lugol, x10); (B) (x40); (C) Ovos de Ascaris, onde podemos observar a membrana externa mamilonada e as células germinativas no interior (lugol, x40). Ovo de Ascaris lumbricoides tem em média 50µm de diâmetro.

A B FMRP-USP FMRP-USP
A
B
FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Corte de pulmão com larva de Ascaris lumbricoides. (A) A larva está indicada pela seta. Presença de células inflamatórias e hemorragia devido a presença da larva (H&E, x10); (B) Larva em maior aumento (x20).

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Corte transversal do verme Ascaris lumbricóides. O verme adulto macho mede cerca de 20 a 30 cm de comprimento, já a fêmea mede de 30 a 40 cm.

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Material fecal humano contendo ovos de Enterobius vermicularis. Os ovos estão indicados pelas setas (lugol, x40). Ovo do Enterobius vermicularis mede cerca de 20µm de largura.

A FMRP-USP
A
FMRP-USP
C FMRP-USP
C
FMRP-USP
B FMRP-USP Fotomicroscopia. Verme Enterobius vermicularis fêmea (A e B) Extremidade posterior (x10); (C) Extremidade anterior
B
FMRP-USP
Fotomicroscopia. Verme Enterobius vermicularis fêmea (A e B)
Extremidade posterior (x10); (C) Extremidade anterior (x10). Fêmea do
Enterobius vermicularis mede cerca de 1 cm de comprimento, macho
mede 5mm.
FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Material fecal humano contendo ovos de Schistosoma mansoni. Os ovos estão indicados pelas setas (lugol, x10). Ovo tem formato oval e apresenta espículo voltado para trás e mede cerca de 150µm de comprimento por 60 de largura.

FMRP-USP Fotomicroscopia. Corte de intestino contendo ovos de Schistosoma mansoni. Os ovos estão indicados pela (H&E,
FMRP-USP
Fotomicroscopia. Corte de intestino contendo ovos de Schistosoma mansoni. Os ovos estão indicados pela
(H&E, x10).
seta
FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Corte de fígado contendo granuloma provocado pelo ovo de Schistosoma mansoni. As setas pretas indicam o granuloma e a seta vermelha o ovo (H&E, x20).

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Tecido hepático contendo granulomas provocados pelos ovos de Schistosoma mansoni (H&E,

x10).

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Vermes adultos de Schistosoma mansoni. A seta indica o macho, e cabeça de seta a fêmea. A seta vermelha indica a ventosa ventral e a seta azul a ventosa oral, importante lembrar que tanto a fêmea como o macho

apresentam ventosas (x10,composição de imagens devido comprimento do verme). Fêmea mede cerca de 1,5 cm e o macho 1cm de comprimento.

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Fêmea do Schistosoma mansoni . A seta indica um ovo no interior da fêmea (x40).

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Larva rabditóide de Strongyloide stercoralis (x20). As larvas medem 0,2-0,3mm de comprimento por 0,015 de largura.

FMRP-USP Fotomicroscopia. Larva filarióide de Strongyloide stercoralis (x20). As larvas medem de 0,35-0,5mm de
FMRP-USP
Fotomicroscopia.
Larva
filarióide
de
Strongyloide
stercoralis
(x20).
As
larvas
medem
de
0,35-0,5mm
de

comprimento por 0,01-0,003 de largura. É a forma infectante do parasita.

A B FMRP-USP FMRP-USP
A
B
FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Material fecal humano contendo ovos de Taenia sp. (A) Os ovos estão indicados pelas setas (lugol, x10); (B) (x40). Os ovos são esféricos e medem cerca de 30mm de diâmetro.

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Tecido nervoso com a presença de cisticerco de Taenia solium (H&E, x4).

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Proglote jovem de Taenia saginata (x4).

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Proglote madura de Taenia saginata (x4, composição de imagens).

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Proglote madura de Taenia saginata (x2).

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Proglote grávida de Taenia saginata (x2).

A B FMRP-USP FMRP-USP
A
B
FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Material fecal humano contendo ovos de Trichuris trichiura. (A) O ovo está indicado pela seta (lugol, x20); (B) (x40). Ovo de Trichuris trichiura mede cerca de 22µm de largura por 55µm de comprimento, formato elíptico com poros salientes e transparentes em ambas as extremidades.

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Corte de intestino grosso (ceco) contendo vermes de Trichuris trichiura. As setas indicam os vermes cortados transversalmente (H&E,x10). O verme mede de 3 a 5 cm.

A FMRP-USP
A
FMRP-USP
B FMRP-USP
B
FMRP-USP
C FMRP-USP
C
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Extremidade posterior do verme Trichuris trichiura. (A) A seta indica o espículo presente na curvatura ventral do macho (x2); (B) (x4); (C) Extremidade posterior da fêmea; ausência de curvatura e espículo (x2).

A FMRP-USP
A
FMRP-USP
B FMRP-USP
B
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Vermes adultos de Trichuris trichiura. (A) Fêmea e (B) macho.

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Material fecal humano contendo trofozoíto de Entamoeba coli. A forma trofozoíta está indicada pela seta (x100). O trofozoíto mede cerca de 20 a 50µm. O núcleo apresenta a cromatina grosseira e irregular e o cariossoma grande e excêntrico.

A FMRP-USP
A
FMRP-USP
B FMRP-USP
B
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Material fecal humano contendo cistos de Entamoeba coli. (A e B) Cistos (x100). Os cistos medem 15-20µm, são esféricos e podem conter até 8 núcleos com corpos cromatoídes finos.

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Material fecal humano contendo trofozoíto de Iodamoeba butschlii. A forma trofozoíta está indicada pela seta (x100). O trofozoíto mede cerca de 10-15µm.

A B FMRP-USP FMRP-USP
A
B
FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Material fecal humano contendo cistos de Iodamoeba butschlii. (A e B) As setas indicam os cistos de Iodamoeba butschlii (x100). Os cistos medem cerca de 10-15µm, possuem um único núcleo e um grande vacúolo contendo glicogênio.

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Material fecal humano contendo trofozoíto de Entamoeba histolytica. A forma trofozoíta está indicada pela seta (hematoxilina férrica, x100). O trofozoíto mede de 20 até 40µm, apresentando núcleo com cariossoma central; o citoplasma é finamente granuloso e com vacúolos .

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Material fecal humano contendo cisto de Entamoeba histolytica. O cisto está indicado pela seta (hematoxilina férrica, x100). O tamanho dos cistos varia de 10 a 20µm, têm forma esférica, citoplasma finamente granular, com raros vacúolos. Núcleos em número variável de 1 a 4.

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Corte de intestino com amebíase causada por Entamoeba histolytica. As forma invasivas estão apontadas pelas setas (H&E, x20).

A B FMRP-USP FMRP-USP Fotomicroscopia. Material fecal humano contendo cistos de Giardia lamblia. (A e B)
A
B
FMRP-USP
FMRP-USP
Fotomicroscopia. Material fecal humano contendo cistos de Giardia lamblia. (A e B) Os cistos estão indicados pelas
setas (hematoxilina férrica, x100). O cisto mede cerca de 8-12µm de comprimento e 7-10µm de largura, tem
citoplasma hialino ou finamente granular, apresenta de 2 a 4 núcleos, flagelos invaginados, axonemas e corpos
parabasais.
FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Material fecal humano contendo trofozoítos de Giardia lamblia. As formas trofozoítas estão indicadas pelas setas (hematoxilina férrica, x100). O trofozoíto mede cerca de 20µm de comprimento por 10µm de largura, tem simetria bilateral, apresenta 2 núcleos e 4 pares de flagelos.

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Formas promastigotas de Leishmania donovani (Giemsa, x100).

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Esfregaço de fígado contendo formas amastigotas de Leishmania donovani. As setas indicam as formas amastigotas de L. donovani infectando macrófagos (Giemsa, x100).

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Corte de fígado contendo macrófagos infectados com Leishmania donovani . As setas indicam macrófagos infectados com as formas amastigotas de L. donovani (x100).

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Corte de baço contendo células do sistema fagocítico mononuclear infectadas com as formas amastigotas de Leishmania donovani. Observa-se acentuada hiperplasia das células do sistema fagocítico mononuclear (H&E, x100).

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Corte de fígado acometido por infecção malárica. O parênquima hepático está desorganizado e notam-se células de Kupfer contendo pigmento malárico (H&E, x40).

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Corte de baço acometido por infecção malárica (H&E, x40).

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Estômago dissecado de anofelino. As setas indicam os oocistos de Plasmodium vivax presos a porção externa da parede (x2).

A FMRP-USP
A
FMRP-USP
C FMRP-USP
C
FMRP-USP
B FMRP-USP
B
FMRP-USP
D FMRP-USP
D
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Esfregaço de sangue contendo hemácias infectadas por Plasmodium falciparum. (A-D) As setas indicam as formas trofozoítas do parasito (Giemsa, x100).

A A FMRP-USP FMRP-USP
A
A
FMRP-USP
FMRP-USP
C FMRP-USP
C
FMRP-USP
B FMRP-USP
B
FMRP-USP
D FMRP-USP
D
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Esfregaço de sangue contendo hemácias infectadas por Plasmodium falciparum. (A-D) As setas indicam as formas esquizontes do parasito (Giemsa, x100).

A FMRP-USP
A
FMRP-USP
C FMRP-USP
C
FMRP-USP
B FMRP-USP Fotomicroscopia. Esfregaço de sangue contendo hemácias infectadas por Plasmodium falciparum. (A-C) As setas indicam
B
FMRP-USP
Fotomicroscopia. Esfregaço de sangue contendo
hemácias infectadas por Plasmodium falciparum. (A-C)
As setas indicam as formas de gametócito do parasito
(Giemsa, x100).
A FMRP-USP
A
FMRP-USP
C FMRP-USP
C
FMRP-USP
B FMRP-USP
B
FMRP-USP
D FMRP-USP
D
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Esfregaço de sangue contendo hemácias infectadas por Plasmodium vivax. (A-D) As setas indicam as formas trofozoítas do parasito (Giemsa, x100).

A FMRP-USP
A
FMRP-USP
C FMRP-USP
C
FMRP-USP
B FMRP-USP
B
FMRP-USP
D FMRP-USP
D
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Esfregaço de sangue contendo hemácias infectadas por Plasmodium vivax. (A-D) As setas indicam a formas esquizonte do parasito (Giemsa, x100).

A FMRP-USP
A
FMRP-USP
C FMRP-USP
C
FMRP-USP
B FMRP-USP Fotomicroscopia. Esfregaço de sangue contendo hemácias infectadas por Plasmodium vivax. (A-D) As setas indicam
B
FMRP-USP
Fotomicroscopia. Esfregaço de sangue contendo
hemácias infectadas por Plasmodium vivax. (A-D) As
setas indicam a formas de gametócito do parasito
(Giemsa, x100).
FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Trofozoíto de Trichomonas hominis. A forma trofozoíta está indicada pela seta (x100). O corpo é piriforme, medindo de 8 a 20µm. Como todos os tricomonadídeos, não apresenta forma cística.

FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Gota espessa corada revelando formas tripomastigotas de Trypanosoma cruzi. As setas indicam as formas tripomastigotas (Giemsa, x100).

A B FMRP-USP FMRP-USP
A
B
FMRP-USP
FMRP-USP

Fotomicroscopia. Corte de coração contendo formas amastigotas de Trypanosoma cruzi. (A e B) As setas indicam as formas amastigotas infectando células do tecido cardíaco (H&E, x40).

Micológico direto ( KOH 20%)

Escamas de lesões hipocrômicas

FMRP-USP
FMRP-USP

Leveduras arredondadas, agrupadas em cachos, associadas

com pseudohifas irregulares, curvas, pouco ramificadas.

Resultado: Malassezia furfur

Micológico direto ( KOH 20%)

Cabelos FMRP-USP
Cabelos
FMRP-USP

Cabelos envolvidos por fragmentos de hifas

Resultados: positivo para dermatófito Parasitismo ectothrix

Micológico direto ( KOH 20%)

Escamas e unhas

FMRP-USP
FMRP-USP
FMRP-USP
FMRP-USP

Hifas hialinas, septadas, artrosporadas, com Refringência esverdeada

Resultados: positivo para dermatófito

Micológico direto ( KOH 20%)

Lesão verrucosa-vegetante

FMRP-USP
FMRP-USP

Células globosas, de parede grossa, com ou sem septos, de cor acastanhada (corpos escleróticos), geralmente agrupadas. Ocasionalmente observa-se hifas septadas, acastanhadas (demáceas).

Resultados: positivo para cromomicetos

Micológico direto ( KOH 20%)

Esfregaço vaginal

FMRP-USP
FMRP-USP

Esfregaço vaginal

Células epiteliais descamativas e leveduras coradas pelo Gram(+), em

brotamento e formando pseudohifas.

Resultado: Candida albicans

Micológico de líquor ( Tinta nankim)

FMRP-USP Leveduras arredondadas com ou sem brotamentos,
FMRP-USP
Leveduras
arredondadas
com
ou
sem
brotamentos,

capsuladas

Resultado: Cryptococcus neoformans

Coloração Gram

Escarro ou urina

FMRP-USP Células ovaladas ou arredondadas com pseudohifas e
FMRP-USP
Células
ovaladas
ou
arredondadas
com
pseudohifas
e

brotamento

Resultado: positivo para levedura

Histopatológico de Paracoccidiodes brasiliensis

Hematoxilina e eosina (H&E)

FMRP-USP
FMRP-USP

Visualização de granulomas e Paracoccidioides brasiliensis

Histopatológico de Histoplasma

FMRP-USP
FMRP-USP

H&E

FMRP-USP
FMRP-USP

GSM

Corte histológico de fígado , corado por HE , mostrando presença de macrófagos abarrotados por células leveduriformes do fungo. Coloração por GMS evidenciando a carga fúngica tecidual.

Corte histológico de pulmão

Grocott- impregnação pela prata Escarro ou urina

FMRP-USP
FMRP-USP

Visualização de esférulas com endosporos

Coccidioides immitis

Histopatológico de Cromomicose

FMRP-USP
FMRP-USP

H&E

FMRP-USP
FMRP-USP

GSM

Imagens

cedida

gentilmente

pelo

Departamento

de

Patologia

e

Medicina Legal FMRP-USP

Corte histológico de pele corado por HE ou GMS evidenciando células globosas, de parede grossa, com ou sem septos, de cor acastanhada (corpos escleróticos), geralmente agrupadas.

Histopatológico de Eumicetoma

FMRP-USP
FMRP-USP

H&E

FMRP-USP
FMRP-USP

Prata

Imagens cedida gentilmente pelo Departamento de Patologia e Medicina Legal FMRP-USP

Processo inflamatório contendo grão, constituído entrelaçamento de hifas bem diferenciadas na periferia do grão.

do

Agentes: Pseudoallescheria boydii, Acremonium falciforme,

Madurella grisea

Histopatológico de Zigomicose (Rhizopus)

FMRP-USP
FMRP-USP

H&E

FMRP-USP
FMRP-USP

Prata

Imagens

cedida

gentilmente

pelo

Departamento

de

Patologia

e

Medicina Legal FMRP-USP

Zigomicose: hifas largas, irregulares, sem septos (cenocíticas), ramificadas em ângulo reto. Comprometimento do lume dos vasos , com formação de trombos.

Zigomicose (Rhizopus)

Histopatológico de Aspergillus sp

FMRP-USP
FMRP-USP

H&E

FMRP-USP
FMRP-USP

Prata

Imagens cedida gentilmente pelo

Departamento de Patologia e

Medicina Legal FMRP-USP

Aspecto microscópico: Corte de pulmão (H&E), hifas septadas , orientadas para uma direção, com ramificações tipicamente dicotômicas (em ângulo agudo). Vasos sanguíneos com trombos e hemorragia de parênquima. Corte de pulmão (prata) : Hifas septadas, numerosas, orientadas, com ramificação em forquilha.

Trichophyton rubrum

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto macroscópico: Colônia algodonosa branca exuberante e verso com pigmento avermelhado a bordô.

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto microscópico: Fungo filamentoso hialino, septado e Microconídios em forma de lágrima, dispostos alternadamente pela hifa (tipo arame farpado). Raros macroconídeos.

Trichophyton mentagrophytes

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto macroscópico: Colônia com aspecto algodonoso a gisoso, cor branca, verso amarelo claro, castanho ou vinho

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto microscópico: Fungo filamentoso septado e hialino, macroconídios raros e microconídios abundantes, arredondados, dispostos em cachos. Hifas em espiral

Trichophyton tonsurans

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto macroscópico: Colônia com aspecto aveludado ou pulverulento, de cor branca a creme, crateriforme, com verso castanho escuro

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto microscópico: Fungo filamentoso hialino, com hifas septadas, microconídios abundantes, de várias formas e tamanhos dispostos em arame farpado

Microsporum canis

FMRP-USP Aspecto macroscópico: Colônia algodonosa branca,
FMRP-USP
Aspecto
macroscópico:
Colônia
algodonosa
branca,

rarefeita e verso com pigmento amarelo-alaranjado.

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto microscópico: Fungo filamentoso hialino com hifas septadas e macroconídios fusiformes, multiseptados, de parede grossa e granulosa.

Epidermophyton floccosum

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto macroscópico: Colônia com aspecto pulverulento, formando pregas e sulcos (crateriforme) de cor amarelo- esverdeado e verso com pigmento castanho

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto microscópico: Fungo filamentoso hialino, septado, com macroconídios em clava, multiseptados, parede lisa e sem granulações. Nunca produz microconídios

Paracoccidioides brasiliensis

25ºC 37ºC FMRP-USP
25ºC
37ºC
FMRP-USP

Aspecto macroscópico: 25ºC colônia aveludada, branca, fragmentada (pipoca) e verso castanho claro 37ºC colônia pastosa, seca, bastante enrugada, de cor creme

FMRP-USP
FMRP-USP
FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto microscópico: leveduras

hialinas

com

células

arredondadas ou alongadas,

de

paredes

grossas,

apresentando

múltiplos

brotamentos

e

vacúolos

intra-

citoplasmáticos.

Histoplasma capsulatum

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto macroscópico

25ºC colônia algodonosa, branca ou creme, sem pigmento no verso

FMRP-USP
FMRP-USP

37ºC Colônia pastosa, seca e

enrugada, enriquecido com sangue

em

meio

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto microscópico a 25º C : Fungo filamentoso hialino, septado, com macroconídios redondos de parede grosa e granulosa (tuberculados).

Sporothrix schenckii

Fase filamentosa - 25°C

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto macroscópico: Colônia de aspecto ceroso ou membranoso, com pregas e coloração bege ou enegrecida dependendo da cepa. Sem pigmento difuso.

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto microscópico: Fungo filamentoso, hialino, com hifas delgadas, septadas e microconídeos em forma de grão de

arroz, dispostos ao redor do conidióforo, como pétalas de

margarida

Coccidioides immitis

Fase filamentosa 25°C

FMRP-USP Aspecto macroscópico: Colônia algodonosa,
FMRP-USP
Aspecto
macroscópico:
Colônia
algodonosa,

branco amarelada

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto microscópico: Células artrosporadas, separadas por espaço vazios.

Fonsecaea pedrosoi

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto macroscópico: Colônia algodonosa de cor castanho a negro

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto microscópico: Presença dos três tipos de esporulação: Cladosporium ,Phialophora e Rinocladiella

Esporulação tipo Phialophora

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto macroscópico: Colônia algodonosa de cor castanho a negro

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto microscópico: Fungo filamentoso demáceo com hifas septadas.Os conídios se apresentam aglomerados em massa, no topo do conidióforo em forma de ânfora ou vaso

Penicillium sp

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto macroscópico: Colônia algodonosa, coberta por finos grãos que conferem a cor verde-acinzentada. Verso sem pigmento.

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto microscópico: Fungo filamentoso septado.O conidióforo sofre ramificações simples ou múltiplas (forma de pincel) que apresentam esterigmas responsáveis pela

produção de conídeos arredondados dispostos em cadeias.

Aspergillus sp

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto macroscópico: colônia algodonosa coberta por grânulos que dão a tonalidade ao fungo, dependendo da espécie (amarela, terra, verde e preta). Verso sem pigmento.

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto microscópico: Fungo filamentoso hialino, septado. Conidióforo com vesícula arrendondada contendo esterigmas únicos ou duplos, responsáveis pela produção de esporos arredondados em cadeia

Fusarium sp

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto macroscópico:

côlonia algodoada que

pode apresentar que pode apresentar variações de coloração de dependendo da espécie (branca, amarela, lilás). Verso sem

pigmento.

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto microscópico: fungo filamentoso hialino com hifas septadas e microconídios ou macroconídios fusiformes ou com formas de lua crescente, sem septos ou multissepstados, com parede fina e lisa.

Rhizopus

FMRP-USP Aspecto macroscópico: Colônias algodonosas não
FMRP-USP
Aspecto
macroscópico:
Colônias
algodonosas
não

compactas porém exuberantes ( algodão doce), de cor branca com grânulos negros. Verso sem pigmento.

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto microscópico: fungo filamentoso hialino com sem septos (cenocítica). Esporângio longo formado por uma vesícula globosa com inúmeros esporangiosporos. Sob os esporângios formam-se rizóides.

Candida albicans

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto macroscópico:

colônia úmida, cremosa,

brilhante e esbranquiçada.

FMRP-USP
FMRP-USP

Aspecto microscópico

Leveduras ovaladas ou redondas, em brotamento

Provas bioquímicas para leveduras

FMRP-USP
FMRP-USP

______________________

Assimilação de fontes de

Carbono ou nitrogênio

Crescimento da levedura no local onde foi acrescentado ao meio mímino uma fonte

capaz de ser metabolizada

pela levedura.

FMRP-USP
FMRP-USP

_______________________

Fermentação de fontes de

Carbono

Observar a produção ou não de gás (retido no tubo de Durhan) que corresponde ao produto final da fermentação da fonte de carbono testada.

Cryptococcus neoformans

FMRP-USP
FMRP-USP

______________________

Aspecto macroscópico

Colônia cremosa, brilhante, de cor amarelada e aspecto mucóide.

FMRP-USP
FMRP-USP

___________________

Ágar-L-Dopa

Levedura fenoloxidase (+), produzindo colônias escuras pela formação de melanina

Cryptococcus neoformans

FMRP-USP
FMRP-USP

_________________

Ágar-uréia

Leveduras urease +, alcalinizam o meio e modificam a sua cor, de amarelo para rosa.

FMRP-USP
FMRP-USP

_________________ Meio CGB

Levedura dos sorotipos B e C utilizam a glicina e são resistentes a canavanina, mudando

a cor do meio (amarelo

para azul cobalto)