Você está na página 1de 4

HISTÓRIA DAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS

Programa

2.º Ano, Turma A


Coordenador e regente:
Professor Doutor António Pedro Barbas Homem

Objectivos programáticos
Colocada no 2.º ano do curso de licenciatura em Direito com a reforma do Plano
de Estudos aprovado em 2006 e no 5.º ano no Plano antigo, com a disciplina
semestral e optativa de História das Relações Internacionais pretende fornecer-se
uma introdução histórica ao direito e às concepções políticas sobre as relações
internacionais, especialmente nas Idades Moderna e Contemporânea. Serão
estudados os seguintes temas:
O Estado e a soberania
As teorias das relações internacionais
O direito das relações internacionais
A paz e a guerra

Bibliografia básica
ANTÓNIO PEDRO BARBAS HOMEM, História das Relações Internacionais. O Direito e as
Concepções Políticas na Idade Moderna, Coimbra, Almedina, 2003; HENRI KISSINGER,
Diplomacia, Lisboa, Gradiva, 1996; JOSEPH N. NYE, Compreender os Conflitos Internacionais.
Uma Introdução à Teoria e à História, Lisboa, Gradiva, 2002; JOSÉ ADELINO MALTEZ,,
Curso de Relações Internacionais, Cascais, Principia, 2002; A. TRUYOL E SERRA, História do
Direito Internacional Público, Lisboa, INP, 1996.

Avaliação
Nos termos do Regulamento de Avaliação, os estudantes inscritos em avaliação
contínua podem substituir a frequência pela realização de um trabalho escrito de
investigação, a apresentar até ao final do ano lectivo e objecto de uma prova oral.
Ao longo do curso será feita a delimitação das matérias de estudo obrigatório e
facultativo.
Programa sumário

Introdução
CAPÍTULO 1
A CONSTRUÇÃO DO MUNDO MODERNO
§ 1.º O Estado e a soberania
a) O nascimento dos conceitos de Estado e de soberania
b) Elementos do Estado
c) A razão de Estado
d) O princípio do equilíbrio entre Estados e a balança da Europa
§ 2.º O Direito das relações internacionais
a) O direito das gentes
b) O direito dos povos à autodeterminação
c) Nascimento de um direito da paz e da guerra
d) A Paz de Vestefália. O problema da religião nas relações internacionais

CAPÍTULO 2
DO CONGRESSO DE VIENA À SOCIEDADE DAS NAÇÕES
§ 1.º Transformações da sociedade internacional
a) A descolonização da América
b) A partilha de África e o colonialismo
c) O nacionalismo e a redefinição de fronteiras
d) As concepções políticas
§ 2.º O Direito das relações internacionais
a) O nascimento das organizações internacionais
b) O direito internacional
c) O estatuto da diplomacia
d) Paz e guerras (1815-1918)

CAPÍTULO 3
O «CURTO SÉCULO XX»
§ 1.º O fim da Idade Europeia
a) O colonialismo e as suas soluções jurídicas
b) As concepções políticas das relações internacionais
c) As novas potências extra-europeias e o princípio do equilíbrio
d) A descolonização e a emergência do Terceiro Mundo
§ 2.º O novo direito internacional
a) A Sociedade das Nações e o seu fracasso
b) O sistema das Nações Unidas
c) O direito diplomático
d) O direito internacional dos direitos do homem
e) O novo direito internacional: tratados; crimes contra a humanidade; guerra; ambiente
f) A era das organizações internacionais

CAPÍTULO 4
O NOSSO TEMPO
§ 1.º A globalização e o seu preço
a) A globalização dos direitos do homem. As declarações de direitos e os sistemas e as
organizações de tutela, nos planos mundial e regional.
b) A globalização da democracia. A democratização dos Estados do mundo e a
tendencial democratização da sociedade internacional. A era das ONG
c) O problema do terrorismo e da criminalidade organizada. As redes internacionais e o
seu modo de actuação. A globalização do direito penal
d) A União Europeia e o futuro da Europa
§ 2.º As lições da história
a) Regresso ao direito das gentes?
b) Regresso da razão de Estado?
c) A humanidade como sujeito e o futuro dos Estados: o Estado e a soberania em
questão
d) As agendas políticas globais, em especial a Declaração do Milénio das Nações
Unidas

Outras leituras
História diplomática e do direito internacional
Pedro Soares Martínez, História Diplomática de Portugal, s.l., Verbo, 1986; Jorge Borges de
Macedo, História Diplomática Portuguesa. Constantes e Linhas de Força. Estudo de Geopolítica, s.
l., Instituto de Defesa Nacional, 1987; José Calvet de Magalhães, Breve História
Diplomática de Portugal, 2ª edição, Mem Martins, Europa-América, 1990; Fernando de
Castro Brandão, Para uma Bibliografia da História Diplomática Portuguesa, s.l., Ministério
dos Negócios Estrangeiros, 1988 e História Diplomática de Portugal. Uma Cronologia,
Lisboa, Livros Horizonte, 2002.
Pierre Renouvin (direcção), Histoire des relations internacionales, I, Du moyen âge
a 1789, Paris, Hachette, 1994; II, De 1789 à 1871, Paris, Hachette, 1994; Pierre
Renouvin / Jean-Baptiste Duroselle, Introduction à l’histoire des relations
internacionales, 4ª ed., Paris, Armand Collin, 1991; Wilhelm Grewe, The Epochs of
International Law, Walter de Gruyter, 1999.

Teoria das relações internacionais


Adriano Moreira, Teoria das Relações Internacionais, Coimbra, Almedina, 2002; Kenneth
W. Walz, Teoria das Relações Internacionais, Lisboa, Gradiva, 2002; Dougherty /
Pfaltzgraff, Relações Internacionais. As Teorias em Confronto, Lisboa, Gradiva, 2003.