PLANO DE ENSINO

CURSO: Ciências Econômicas
SÉRIE: 5º Semestre
DISCIPLINA: Economia Brasileira Contemporânea
CARGA HORÁRIA SEMANAL: 2 Horas/aula
CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 40 Horas

I – EMENTA
Análise da Evolução da Economia Brasileira Contemporânea: 1980-2011.
Antecedentes: Crise da dívida dos anos 1980 – Nova República. Decorrentes:
Transição política e econômica dos anos 1990 – Estabilização – Abertura
econômica – Reformas – Neoliberalismo – Novo Governo.

II – OBJETIVOS GERAIS
A disciplina visa familiarizar o discente com a evolução da economia brasileira,
notadamente de 1980 em diante.

III – OBJETIVOS ESPECÍFICOS
Apresentar as heranças do processo de desenvolvimento herdadas do período
1930-1970, o desajuste externo e a crise da dívida dos anos 1980 para, a partir de
então, compreender as políticas de ajuste neoliberais adotadas no período 19902011 e os cenários possíveis para a economia brasileira no século XXI.

IV – CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
01 – A DÉCADA PERDIDA
O endividamento externo e a crise política do Estado burocrático-autoritário. O
processo de reabertura política e o papel dos empresários no apoio às reformas
democráticas. A crise da dívida externa e a crise fiscal dos anos 80.
02 - O BRASIL NOS ANOS 1990: Uma economia em transição
Os desafios das décadas de 1990/2000: Neoliberalismo, Neo-socialismo ou socialdemocracia. Mudanças no cenário Mundial. Desafios para superar a crise.
Definições e limites do Novo papel do Brasil no Mundo. Definições e limites do
Novo Papel do Estado Brasileiro. Novo padrão de financiamento do
desenvolvimento brasileiro (setores privados, públicos, externos).

Ajuste fiscal. Contas públicas. 05 – (DES)ESTABILIZAÇÃO DOS FUNDAMENTOS MACROECONÔMICOS DO BRASIL PÓS REAL Desvalorização cambial de 1999. sendo que as notas destas avaliações poderão ser compostas por notas de provas. Impactos e problemas do Real. os debates.Objetivos Específicos. A política econômica do Governo FHC e a administração do Real. serão desenvolvidas aulas expositivas dialogadas. Contas externas. A inserção externa e o desenvolvimento.03 – O NEOLIBERALISMO E A GLOBALIZAÇÃO: O Governo Collor e a Estratégia Neoliberal O candidato. Privatização. seminários. ainda. Estabilização duradoura e Vulnerabilidade externa. Investimentos estrangeiros. Reformas. trabalhos intra e extra-classe individuais e/ou em equipe. A queda de Collor: impeachment. Plano Brasil Novo. elaboração e apresentação de resumos de matérias publicadas em revistas e jornais especializados sobre o conteúdo programático e outras atividades que busquem desenvolver as competências e habilidades apontadas no itens II – Objetivos Gerais e III . Orientação político-ideológicas do Governo FHC. O Plano Real e a URV: fundamentos da reforma monetária brasileira de 1993-1994. O candidato e a eleição. 06 – GOVERNO LULA: triunfo espetacular do Neoliberalismo ou descaminhos do social-liberalismo? 07 – Tópicos acerca do governo Dilma V – ESTATÉGIA DE TRABALHO Para atingir os propósitos da disciplina. Dívida. A política econômica do Governo Collor. 04 – OS ANOS FHC O período de transição de Itamar Franco e o projeto de estabilização econômica. a eleição e a base política. Metas para inflação. é composto por duas avaliações bimestrais sob a responsabilidade direta do professor. Metas para Inflação. Serão privilegiados. leitura dirigida de textos e artigos selecionados. Abertura e Desindexação. Regimes cambiais e ajuste externo. VI – AVALIAÇÃO O processo formal de avaliação do ensino e aprendizado. trabalhos .

VII – BIBLIOGRAFIA BÁSICA BRESSER-PEREIRA. Economia brasileira contemporânea (1945-2010). Werner.. Economia brasileira: da colônia ao governo Lula. R.. 2007 GIAMBIAGI.. A economia brasileira. M. BORGES. João Ildebrando. São Paulo: Nobel. Rio de Janeiro: Campus. Economia Brasileira. De fundamental importância para este desenvolvimento.intra e extraclasse. Economia brasileira. 2007. Nelson Araújo de. A. São Paulo: Atlas. et alli.. Luiz Carlos. seminários e participação em sala de aula que possibilitem a compreensão e absorção das competências e habilidades desenvolvidas ao longo do curso. 3ª Ed. 2ª Ed. Rio de Janeiro: Campus.M. São Paulo: Editora 34. privilegiando a formação integral do Aluno. Economia Brasileira Contemporânea. Macroeconomia da estagnação. André. Economia Brasileira Contemporânea. 7ª Ed.. 2011 PIRES.. 2011. C. 2ª Ed. Antonio Dias. 2008 COMPLEMENTAR BAER. Armaury Patrick.. Marcos Cordeiro (org). 2010 . 2009 BOCCHI. Rudinei. 2010 LANZANA. GREMAUD. São Paulo: Saraiva.. MARQUES. A. 2006 LEITE. São Paulo: Saraiva. 2ª Ed. Fábio. Vilella. 3ª Ed. nas atividades intra e extraclasse. SOUZA. A economia brasileira. São Paulo: Atlas. TONETO JUNIOR. LACERDA. à avaliação do aprendizado deve ser executada em todos os momentos. 4ª Ed. Antonio Evaristo Teixeira. et alli. São Paulo: Atlas.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful