Você está na página 1de 7
Aula 1
Aula 1
Debater o conceito de ética e moral; Compreender a formação das racionalizações éticas. Refletir sobre

Debater o conceito de ética e moral;Compreender a formação das racionalizações éticas. Refletir sobre questões que estão na base da existência

Compreender a formação das racionalizações éticas.Debater o conceito de ética e moral; Refletir sobre questões que estão na base da existência

Refletir sobre questões que estão na base daCompreender a formação das racionalizações éticas. existência humana, isso é, aquilo que possibilita o homem

existência humana, isso é, aquilo que possibilita o

homem se diferenciar dos outros animais.

Debater a ética e a moral a partir da contribuição de grandes pensadores da Antiguidade, como Platão, Sócrates e Aristóteles.que estão na base da existência humana, isso é, aquilo que possibilita o homem se diferenciar

Atitude Filosófica: Interrogar a si mesmo; Atitude crítica: 1. Negativa: Não ao senso-comum; 2. Positiva:

Atitude Filosófica:

Interrogar a si mesmo; Atitude crítica:

Interrogar a si mesmo; Atitude crítica:

1. Negativa: Não ao senso-comum;

2. Positiva: Construção de novo conhecimento;

“Para que Filosofia?: Para não darmos nossa aceitaçãoNão ao senso-comum; 2. Positiva: Construção de novo conhecimento; imediata às coisas, sem maiores considerações”.

imediata às coisas, sem maiores considerações”.

29/04/2016

Mestre em História Social - UEL
Mestre em História Social - UEL
Para que filosofia? Discutindo o conceito de Ética e Moral; A invenção da filosofia como

Para que filosofia?Discutindo o conceito de Ética e Moral; A invenção da filosofia como sistema de saber

Discutindo o conceito de Ética e Moral;Para que filosofia? A invenção da filosofia como sistema de saber racional.

A invenção da filosofia como sistema de saber racional.Para que filosofia? Discutindo o conceito de Ética e Moral;

Galatea das esferas. Salvador Dali, 1952.
Galatea das esferas. Salvador Dali, 1952.

Galatea das esferas. Salvador Dali, 1952.

Madame Zborowska. Amadeo Modigliani, 1918.
Madame Zborowska. Amadeo Modigliani, 1918.

Madame Zborowska.

Amadeo Modigliani, 1918.

Os homens não deixam de fabricar um guarda-sol que os abriga, por baixo do qual
Os homens não deixam de fabricar um guarda-sol que os abriga, por baixo do qual

Os homens não deixam de fabricar um guarda-sol que os

abriga, por baixo do qual [

opiniões; mas [

rasga até o firmamento, para fazer passar um pouco de caos

livre e tempestuoso e enquadrar, numa luz branca, uma visão

que aparece através da fenda. [

imitadores, que remendam o guarda-sol, como uma peça que

parece vagamente com a visão. [

outros artistas para fazer outras fendas, operar as necessárias destruições, talvez cada vez maiores, e restituir assim, a seus predecessores, a incomunicável novidade que não mais se podia ver.”

(DELEUZE & GUATARRI, 1992. p.261-262.)

]

escrevem suas convenções, suas

]

o artista abre uma fenda no guarda-sol,

]

Então, segue a massa dos

]

Será preciso sempre

Consciência moral refere-se a valores, a sentimentos provocados pelos valores e a decisões que conduzem

Consciência moral refere-se a valores, a sentimentos provocados pelos valores e a decisões que conduzem a ações;] Então, segue a massa dos ] Será preciso sempre 29/04/2016 Mulher chorando. Pablo Picasso, 1937.

29/04/2016

Mulher chorando. Pablo Picasso, 1937.
Mulher chorando. Pablo Picasso, 1937.

Mulher chorando. Pablo Picasso, 1937.

a ações; 29/04/2016 Mulher chorando. Pablo Picasso, 1937. “Está de noite !” (Juízo de fato) “A
“Está de noite !” (Juízo de fato) “A noite é bela !” (Juízo de valor)
“Está de noite !” (Juízo de fato) “A noite é bela !” (Juízo de valor)

“Está de noite !” (Juízo de fato) de noite!” (Juízo de fato)

“A noite é bela !” (Juízo de valor) noite é bela!” (Juízo de valor)

Os valores não são, mas valem. Uma coisa é o valor e outra coisa é

Os valores não são, mas valem. Uma coisa é o valor e outra coisa é ser. Quando dizemos de algo que vale, não dizemos nada do seu ser,

mas dizemos que não é indiferente. A não indiferença constitui esta variedade ontológica que contrapõe o valor ao ser. A não indiferença

é a essência do valer.” (MORENTE,1996. p. 296)

A ética refere-se ao conjunto de valores, noções e princípios que servem como base para
A ética refere-se ao conjunto de valores, noções e

A

ética refere-se ao conjunto de valores, noções e

princípios que servem como base para a vida moral,

tendo como característica ser mais generalizante e

universalizante.

A moral é o conjunto de regras de conduta assumidas

A

moral é o conjunto de regras de conduta assumidas

pelos indivíduos que fazem parte de um grupo social, com a finalidade de organizar as relações

interpessoais segundo os valores éticos, como de bem

e de mal.

Interprete a charge ao lado e a utilize para definir o conceito de Ética e

Interprete a charge ao lado e a utilize para definir o conceito de Ética e diferenciá-la de Moral . Ética e diferenciá-la de Moral.

Interprete a charge ao lado e a utilize para definir o conceito de Ética e diferenciá-la

29/04/2016

“Navegar é preciso, viver não é preciso.” Pompeu, general romano, século I a.C.

“Navegar é preciso, viver não é preciso.” Pompeu, general romano, século I a.C. Pompeu, general romano, século I a.C.

Entrevista com o filósofo Mario Sergio Cortella Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=vjKaWlEv yvU

Entrevista com o filósofo Mario Sergio Cortella

Entrevista com o filósofo Mario Sergio Cortella Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=vjKaWlEv yvU

Fonte:

yvU

Referem-se a valores mais profundo: o bem e o mal; Desejo de afastar a dor

Referem-se a valores mais profundo: o bem e o mal;Desejo de afastar a dor e o sofrimento e de alcançar a felicidade; O que

Desejo de afastar a dor e o sofrimento e de alcançar a felicidade; O que está por trás dos juízos éticos de valor?Referem-se a valores mais profundo: o bem e o mal; Natureza Cultura

Natureza Cultura
Natureza
Cultura
Para garantir a manutenção dos padrões morais através do tempo e sua continuidade de geração

Para garantir a manutenção dos padrões morais através do tempo e sua continuidade de geração a geração, as sociedades tendem a naturalizá-los. A naturalização da existência moral esconde,

portanto, o mais importante da ética: o fato de ela ser uma criação histórico-cultural.” (CHAUÍ, 2000,

p.432).

A moral, ao mesmo tempo que é o conjunto de regras é também a livre

A moral, ao mesmo tempo que é o conjunto de regras é também a livre e consciente aceitação das normas;A exterioridade da moral pressupõe portanto a necessidade da interioridade, da adesão mais íntima.

A exterioridade da moral pressupõe portanto a necessidade da interioridade, da adesão mais íntima.A moral, ao mesmo tempo que é o conjunto de regras é também a livre e

a necessidade da interioridade, da adesão mais íntima. 29/04/2016 Teste das bonecas e as relações raciais

29/04/2016

Teste das bonecas e as relações raciais Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=CkcpROC iolA

Teste das bonecas e as relações raciais

Teste das bonecas e as relações raciais Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=CkcpROC iolA

Fonte:

A responsabilidade cria um dever. A obediência à lei livremente escolhida não é coerção: ao
A responsabilidade cria um dever.

A responsabilidade cria um dever.

A obediência à lei livremente escolhida não é

A obediência à lei livremente escolhida não é

coerção: ao contrário, é liberdade.

O compromisso não exclui a desobediência.

O

compromisso não exclui a desobediência.

Desejo e Vontade.

Desejo e Vontade.

Explique esta afirmação: O ser humano, diferente do animal, é

capaz de produzir interdições.

Filósofos pré-socráticos Parmênides (530 – 460 a.C.) Heráclito (540 – 470 a.C.) Ser Devir Método:
Filósofos pré-socráticos Parmênides (530 – 460 a.C.) Heráclito (540 – 470 a.C.) Ser Devir
Filósofos pré-socráticos Parmênides (530 – 460 a.C.) Heráclito (540 – 470 a.C.) Ser Devir
Filósofos pré-socráticos
Parmênides
(530 – 460 a.C.)
Heráclito
(540 – 470 a.C.)
Ser
Devir
Método: Ironia e Maiêutica; Procurava a essência; Consciência do agente moral; Intelectualismo ético; Todas as

Método: Ironia e Maiêutica;Procurava a essência; Consciência do agente moral; Intelectualismo ético; Todas as virtudes pressupõem a sabedoria;

Procurava a essência;Método: Ironia e Maiêutica; Consciência do agente moral; Intelectualismo ético; Todas as virtudes pressupõem a

Consciência do agente moral;Método: Ironia e Maiêutica; Procurava a essência; Intelectualismo ético; Todas as virtudes pressupõem a sabedoria;

Intelectualismo ético;Procurava a essência; Consciência do agente moral; Todas as virtudes pressupõem a sabedoria; todos os males

Todas as virtudes pressupõem a sabedoria; todos os males derivam da ignorância.Procurava a essência; Consciência do agente moral; Intelectualismo ético; Princípio de responsabilidade pessoal.

Princípio de responsabilidade pessoal.do agente moral; Intelectualismo ético; Todas as virtudes pressupõem a sabedoria; todos os males derivam da

Todas as virtudes pressupõem a sabedoria; todos os males derivam da ignorância. Princípio de responsabilidade pessoal.

29/04/2016

A diferença entre o saber mitológico e a filosofia, reside no método de explicação. A

A diferença entre o saber mitológico e a

filosofia, reside no método de explicação. A

mitologia utiliza alegorias e simbolismos. Já

a filosofia, desde a invenção do método

socrático, procura apreender a essência das

coisas.” (adapt. COMPARATO, 2006, p. 87).

Enquanto a mitologia transborda em polissemias, ] [ toda fundada no conceito, no uso de
Enquanto a mitologia transborda em polissemias, ] [ toda fundada no conceito, no uso de

Enquanto a mitologia transborda em polissemias,

] [

toda fundada no conceito, no uso de termos

unívocos [

ou não-contradição: nada ser e não ser ao mesmo tempo.” (COMPARATO, 2006, p.87).

bem como o princípio de identidade

a filosofia, tal como a inventou Sócrates, é

],

Dualismo Platônico: Dualismo metafísico Dualismo epistemológico Dualismo antropológico Condenação da realidade
Dualismo Platônico: Dualismo metafísico Dualismo epistemológico Dualismo antropológico Condenação da realidade

Dualismo Platônico:

Dualismo metafísico Dualismo epistemológico Dualismo antropológico Condenação da realidade concreta

Platônico: Dualismo metafísico Dualismo epistemológico Dualismo antropológico Condenação da realidade concreta
Alegoria da Caverna Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=Rft3s0b Gi78

Alegoria da Caverna

Alegoria da Caverna Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=Rft3s0b Gi78

Fonte:

 
 
Práxis;

Práxis;

A ética é uma investigação sobre o que deve ser;

A

ética é uma investigação sobre o que deve ser;

O homem virtuoso

O

homem virtuoso

Não há virtude fora do dilema Existencial

Não há virtude fora do dilema Existencial

Equilíbrio entre o possível e o desejável ao ser humano.

Equilíbrio entre o possível e o desejável ao ser humano.

Mediania: equilíbrio entre o excesso e a deficiência

Mediania: equilíbrio entre o excesso e a deficiência

Mediania: equilíbrio entre o excesso e a deficiência   1. A tolerância sempre é em relação
 
 

1. A tolerância sempre é em relação à alguém;

2. É preciso que esse alguém se manifeste;

3. Alguém comunique algo que eu não aprovo.

A discordância é um pressuposto da tolerância ou intolerância.

A discordância é um pressuposto da tolerância ou intolerância.

Dissonância cognitiva; Baruch Spinoza: Alegria e Tristeza Amor e ódio A tolerância é uma resistência

Dissonância cognitiva;

Baruch Spinoza:

Alegria e Tristeza Amor e ódio A tolerância é uma resistência ao ódio.

29/04/2016

Alegoria da Caverna: “Alcançar o bem" relaciona -se com a capacidade de "compreender bem”. Teoria
Alegoria da Caverna: “Alcançar o bem" relaciona -se com a capacidade de "compreender bem”. Teoria

Alegoria da Caverna:

“Alcançar o bem" relaciona-se com a capacidade de "compreender bem”. Teoria das almas:

Racional, Irascível e Concupiscente.

A iniciação à filosofia é progressiva conquista da

liberdade do espírito do corpo, é fazer-nos donos de nós mesmos.

Igualdade: Justiça pressupõe a divisão do mundo em partes iguais Igualdade aritmética: 1 para 1;
Igualdade: Justiça pressupõe a divisão do mundo em partes iguais Igualdade aritmética: 1 para 1;

Igualdade: Justiça pressupõe a divisão do mundo em partes iguais

Igualdade aritmética: 1 para 1;Justiça pressupõe a divisão do mundo em partes iguais Igualdade geométrica: igualdade nas relações da unidade

Igualdade geométrica: igualdade nas relações daIgualdade: Justiça pressupõe a divisão do mundo em partes iguais Igualdade aritmética: 1 para 1; unidade

unidade

do mundo em partes iguais Igualdade aritmética: 1 para 1; Igualdade geométrica: igualdade nas relações da

A tolerância deve ter limite

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. Filosofando : Introdução à Filosofia. São Paulo: Moderna, 2009. CHAUÍ,

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. Filosofando : Introdução à Filosofando: Introdução à

Filosofia. São Paulo: Moderna, 2009.

CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia . 13.ed. São Paulo: Ática, Convite à Filosofia. 13.ed. São Paulo: Ática,

2000.

COMPARATO, Fábio Konder. Ética: direito, moral e religião no mundo moderno − São Paulo : Companhia das Letras, Ética: direito, moral e religião no mundo moderno − São Paulo : Companhia das Letras, 2006.

DELEUZE & GUATARRI, O que é filosofia? Rio de Janeiro: O que é filosofia? Rio de Janeiro:

Editora 34, 1992.

MORENTE, Manuel García. Fundamentos de filosofia : lições preliminares. São Paulo: Mestre Jou, 1996. Fundamentos de filosofia: lições preliminares. São Paulo: Mestre Jou, 1996.

29/04/2016