Você está na página 1de 72
by MANUAL DE TREINAMENTO ANTENAS / SUPORTES 1
by MANUAL DE TREINAMENTO ANTENAS / SUPORTES 1
by MANUAL DE TREINAMENTO ANTENAS / SUPORTES 1

by

by MANUAL DE TREINAMENTO ANTENAS / SUPORTES 1
by MANUAL DE TREINAMENTO ANTENAS / SUPORTES 1

MANUAL DE TREINAMENTO

ANTENAS / SUPORTES

1
1
Apresentação O objetivo deste manual é fornecer ao técnico instalador, lojista ou cliente Brasforma /

Apresentação

Apresentação O objetivo deste manual é fornecer ao técnico instalador, lojista ou cliente Brasforma / Sinal

O objetivo deste manual é fornecer ao técnico instalador, lojista ou cliente Brasforma /

Sinal Antenas, orientações para a instalação de nossos produtos.

O

técnico instalador pode usar esse manual para sanar eventuais problemas encontrados em campo

e

também visualizar a possibilidade de fornecer uma variedade maior de serviços.

lojista, por sua vez, pode utilizar-se do manual para maiores esclarecimentos sobre nossos produ- tos, aumentando assim seus argumentos de venda, além de poder indicar o melhor suporte / antena para cada situação. Com esse manual esperamos ajudá-lo com todas as dúvidas que possam ocorrer durante a instalação.

O

Com esse manual esperamos ajudá-lo com todas as dúvidas que possam ocorrer durante a instalação. O
Com esse manual esperamos ajudá-lo com todas as dúvidas que possam ocorrer durante a instalação. O
Com esse manual esperamos ajudá-lo com todas as dúvidas que possam ocorrer durante a instalação. O

Bom treinamento!

3
3
ÍNDICE Editorial Manual Antenas 07 by Manual de Treinamento para Suportes e Antenas Edição: 01
ÍNDICE Editorial Manual Antenas 07 by Manual de Treinamento para Suportes e Antenas Edição: 01
ÍNDICE Editorial Manual Antenas 07 by Manual de Treinamento para Suportes e Antenas Edição: 01
ÍNDICE
Editorial
Manual
Antenas
07
by
Manual de Treinamento
para Suportes e Antenas
Edição: 01 – Maio/2017
Manual
Suportes
45
Redação e conteúdo
Alexandro Duarte
Bruno Luiz Ribeiro Ferreira
Luiz Eugênio Rebecca
Colaboração
Ademilson dos Santos
Bruna Milici
Daniel Fileno
Sergio Cerca
Direção de Arte e Diagramação
Fábio Faria Cruz
Ilustrações
Samyr Luque
Cadastre-se:
Canal de instaladores, acesse:
Marketing
Alexandra Borges Descher
Alexandro Duarte
Fábio Faria Cruz
Gabriel Pinheiro
Samyr Luque
Vitor Gianoni
www.brasforma.com.br/instaladores ou
www: sinalantenas.com.br/instaladores
e fique por dentro das novidades.
Referências Bibliográficas
Associação Brasileira do Drywall
4
Manual de treinamento para antenas

MANUAL DE TREINAMENTO

ANTENAS

MANUAL DE TREINAMENTO ANTENAS
MANUAL DE TREINAMENTO ANTENAS
MANUAL DE TREINAMENTO ANTENAS
MANUAL DE TREINAMENTO ANTENAS
Conteúdo 1. Sobre a Sinal Antenas 2. Qualidade, segurança e responsabilidade 3. Sistemas de transmissão
Conteúdo 1. Sobre a Sinal Antenas 2. Qualidade, segurança e responsabilidade 3. Sistemas de transmissão
Conteúdo 1. Sobre a Sinal Antenas 2. Qualidade, segurança e responsabilidade 3. Sistemas de transmissão
Conteúdo
1. Sobre a Sinal Antenas
2. Qualidade, segurança e responsabilidade
3. Sistemas de transmissão e recepção de sinal de TV
4. Televisores

5. Unidades de medidas

6. Cabos utilizados na instalação de antenas

7. Conectores utilizados na instalação de antenas

8. Tipos de conexão

9. Ferramentas para instalação

10. Sinal digital de TV

11. Sem chuviscos ou fantasmas

12. Segmentação de canal

13. Opções de canais a serem transmitidos

14. Problemas encontrados no sinal digital

15. Antenas para recepção de sinal de TV

16. Configurações na instalação da antena

17. Sistema de Distribuição – Sinal Analógico + UHF Digital

18. Tabela de Frequência – CATV – NCTA

19. Tabela de Frequência – UHF Analógico

20. Tabela de Frequência – UHF Digital – ABNT NBR:15601

SUMÁRIO ANTENAS

7

8

9

12

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

27

32

34

37

39

40

6
6

Manual de treinamento para antenas

1. Sobre a Sinal Antenas

1. Sobre a Sinal Antenas A Sinal Antenas pertence a Brasforma Suportes e é voltada para

A

Sinal Antenas pertence a Brasforma Suportes e é voltada para a fabricação

e

comercialização de antenas preparadas para o sinal digital.

A

linha composta por antenas externas modelo LOG digital nas seguintes versões: 16, 28 e 38

elementos HDTV / UHF, antenas externas digitais (4 em 1) HDTV / UHF / VHF / FM e antenas internas

e conversor digital com gravador.

As antenas da Sinal são compatíveis com todas as marcas e modelos de TVs e conversores disponíveis no mercado.

e modelos de TVs e conversores disponíveis no mercado. Alguns modelos de antenas possuem kit de
e modelos de TVs e conversores disponíveis no mercado. Alguns modelos de antenas possuem kit de

Alguns modelos de antenas possuem kit de instalação, e vêm acompanhadas de mastro de fixação, cabo coaxial, conectores, parafusos e buchas. O mastro de fixação também pode ser adquirido separadamente.

Sinal possui uma linha completa de antenas digitais pensadas para você ter a melhor qualidade de imagem para sua TV.

A

para você ter a melhor qualidade de imagem para sua TV. A Sinal Antenas , a

Sinal Antenas, a qualidade Brasforma agora na linha de Antenas!

7
7
2. Qualidade, segurança e responsabilidade A Brasforma conquistou em 28/10/2016 a Certificação ABNT NBR ISO
2. Qualidade, segurança e responsabilidade A Brasforma conquistou em 28/10/2016 a Certificação ABNT NBR ISO
2. Qualidade, segurança e responsabilidade
2. Qualidade, segurança e responsabilidade

A Brasforma conquistou em 28/10/2016 a Certificação ABNT NBR ISO 9001:2015, que significa que o sistema da gestão da qualidade, os processos e serviços foram auditados com base em normas técnicas internacionais e aprovados para sua linha de produtos Sinal.

Após 08 meses de árduos trabalhos, envolvimento e dedicação de todos os colaboradores, incluindo auditorias internas e externas, recebemos da Fundação Vanzolini o Certificado ISO 9001:2015 que contempla também o Certificado IQNET que é reconhecido internacionalmente em mais de 150 países.

A Certificação é uma importante ferramenta para o aprendizado contínuo e também para auxiliar no cumprimento da Política da Qualidade, desenvolvida pela diretoria da empresa.

no cumprimento da Política da Qualidade, desenvolvida pela diretoria da empresa. 8 Manual de treinamento para
no cumprimento da Política da Qualidade, desenvolvida pela diretoria da empresa. 8 Manual de treinamento para
no cumprimento da Política da Qualidade, desenvolvida pela diretoria da empresa. 8 Manual de treinamento para
8
8

Manual de treinamento para antenas

3. Sistemas de transmissão e recepção de sinal de TV A televisão atualmente é um

3. Sistemas de transmissão e recepção de sinal de TV

A

televisão atualmente é um dos principais meios de comunicação e entretenimento do mundo,

e

continua em constante evolução.

Atualmente com o processo de digitalização do sinal no território nacional, os telespectadores poderão aproveitar um sinal com melhor qualidade de imagem e som, e ainda maior interatividade.

No Brasil as opções de canais abertos disponíveis a população com variedade de programação,

e sem custo algum é grande. Estima-se que 95% das famílias têm acesso a TV.

é grande. Estima-se que 95% das famílias têm acesso a TV. 3.1 Opções de transmissão utilizadas
é grande. Estima-se que 95% das famílias têm acesso a TV. 3.1 Opções de transmissão utilizadas
é grande. Estima-se que 95% das famílias têm acesso a TV. 3.1 Opções de transmissão utilizadas

3.1 Opções de transmissão utilizadas pelas emissoras de TV:

de rádio frequência em pontos estratégicos de forma a atingir uma maior cobertura da região;

Terrestre: Através dessa opção, as emissoras utilizam torres com antenas e transmissores

Via Satélite: As emissoras enviam seu sinal para o satélite, de forma que o sinal é repetido para uma região territorial conforme a cobertura do satélite;

região territorial conforme a cobertura do satélite; • Micro-ondas: Sistema alternativo de TV paga que utiliza

Micro-ondas: Sistema alternativo de TV paga que utiliza antenas de micro-ondas para cobertura de uma região;

• • •

Cabo: Sistema que através de uma rede fechada, utiliza cabos coaxiais para a distribuição do sinal em determinada região;

IPTV: Nessa nova modalidade de transmissão de sinais de TV por assinatura, é possível receber

as transmissões através da internet. Estima-se que o futuro da televisão será para este formato de transmissão.

9
9
3.2 TV Aberta Como o processo de digitalização para recepção de sinal de TV, não
3.2 TV Aberta Como o processo de digitalização para recepção de sinal de TV, não
3.2 TV Aberta
3.2 TV Aberta
3.2 TV Aberta Como o processo de digitalização para recepção de sinal de TV, não está

Como o processo de digitalização para recepção de sinal de TV, não está concluído para todo o território nacional, convivemos atualmente em muitas regiões com os seguintes sinais:

VHF (Very High Frequency) Recepção terrestre via apontamento para as torres de transmissão das emissoras de TV, e trabalha na frequência de 54 a 216 MHz, em analógico, e são sintonizados através dos canais 2 a 13.

UHF (Ultra High Frequency) Recepção terrestre via apontamento para as torres de transmissão das emissoras de TV, e trabalha na frequência de 470 a 806 MHz. O sinal é sintonizado em digital e analógico.

Banda C Recepção via apontamento da antena parabólica para o satélite transmissor dos sinais. Recebe os sinais na frequência de 3,7 a 4,2 GHz. A recepção pode ser analógica ou digital, dependendo da disponibilidade do sinal no satélite, sendo necessário um receptor de sinal acoplado a TV.

10
10

Manual de treinamento para antenas

3.3 TV Fechada

3.3 TV Fechada Atualmente as tecnologias mais utilizadas para recepção de sinal dos canais fechados são:

Atualmente as tecnologias mais utilizadas para recepção de sinal dos canais fechados são:

CATV – (Community Antenna Television)

fechados são: • CATV – (Community Antenna Television) operadora faz a distribuição do sinal via cabos
fechados são: • CATV – (Community Antenna Television) operadora faz a distribuição do sinal via cabos
fechados são: • CATV – (Community Antenna Television) operadora faz a distribuição do sinal via cabos
fechados são: • CATV – (Community Antenna Television) operadora faz a distribuição do sinal via cabos
fechados são: • CATV – (Community Antenna Television) operadora faz a distribuição do sinal via cabos
fechados são: • CATV – (Community Antenna Television) operadora faz a distribuição do sinal via cabos
fechados são: • CATV – (Community Antenna Television) operadora faz a distribuição do sinal via cabos

operadora faz a distribuição do sinal via cabos coaxiais. Esta tecnologia é utilizada somente em regiões onde exista uma grande concentração de moradores, que justifique o investimento em cabeamento de toda a região a ser atendida. Hoje em dia, para viabilizar a distribuição de sinal, muitos operadores se utilizam de anéis ópticos afim de se amenizar os efeitos de atenuação do sinal, em relação à distância, e também padrões de modulação, que oferecem maior robustez e taxa de sinal dentro das portadoras.

A

maior robustez e taxa de sinal dentro das portadoras. A • DTH – (Direct to Home)

DTH – (Direct to Home)

sinal dentro das portadoras. A • DTH – (Direct to Home) A operadora utiliza de sistemas
A
A

operadora utiliza de sistemas de transmissões via satélite, em faixa da Banda-KU, aproveitando

de benefícios maior potência de transmissão. Além de trabalhar nessa faixa de frequência, para otimizar o segmento de satélite, se utilizam de técnicas de compressão de sinal, e tipos de

modulações afim de economizar em banda, e possibilitar uma maior capacidade de transmissão.

11
11
4. Televisores o 4.1 Resoluções de tela na TV digital Quando falamos sobre televisores, pensamos
4. Televisores o 4.1 Resoluções de tela na TV digital Quando falamos sobre televisores, pensamos
4. Televisores o 4.1 Resoluções de tela na TV digital
4. Televisores
o
4.1 Resoluções de tela na TV digital

Quando falamos sobre televisores, pensamos muitas vezes em seus tipos de tecnologia, bem como

tipo de conteúdo que iremos assistir. A seguir algumas informações sobre os modelos e recursos mais conhecidos e utilizados para a recepção do sinal digital.

Existem vários modelos de TV, os mais conhecidos são CRT (famosa TV de Tubo), PLASMA, LCD, LED. Alguns modelos podem aceitar varredura entrelaçada ou progressiva. A seguir, serão detalhados os tipos de televisores, os tipos de varredura de tela e as resoluções de tela disponíveis:

4.2 Tipos de varredura de tela

Varredura entrelaçada (Interlaced): Técnica de apresentação de imagens mais antiga, onde são apresentados dois campos sucessivos, o primeiro com as linhas pares e o segundo com as linhas ím- pares, para compor um quadro do sinal de vídeo recebido. Desta forma, a frequência de varredura da tela cai para 30Hz por campo (par e ímpar). A frequência do quadro (dois campos) é de 60 Hz. Esta técnica apresenta alguns problemas de qualidade na imagem que se refletem principalmente em imagens de movimento ou com objetos muito pequenos.

Varredura progressiva (Progressive Scan): Técnica de apresentação de imagens mais moderna, onde é apresentado apenas um campo, ou seja, as linhas não são divididas em pares e ímpares.

A frequência de varredura é de 60 Hz. Esta técnica faz uso de circuitos mais complexos (progressive scan) que melhoram a qualidade das imagens, tanto nas cenas em movimento, como em cenas com objetos muito pequenos, e que tem sido adotada nos equipamentos mais modernos de apresentação de imagens, tais como televisores, quanto nos equipamentos de captação de imagens, tais como câmeras amadoras e profissionais.

12
12

Manual de treinamento para antenas

4.3 Tipos de Aparelhos de TV

4.3 Tipos de Aparelhos de TV PLASMA: Modelo de televisor à base de tecnologia com painéis

PLASMA: Modelo de televisor à base de tecnologia com painéis de plasma, que foi aprimorada ao longo dos anos. Operando a partir de ionização de gases nobres (plasma) contidos em minúsculas células revestidas por fósforo.

LCD: Modelo de televisor à base de um display de cristal líquido. Além de televisores o modelo pode ser utilizado em monitores, celulares e outras aplicações de equipamentos eletrônicos.

LED: LED ou Light Emitting Diode, que significa “diodo emissor de luz”, uma tecnologia de condução de luz, a partir da energia elétrica. A TV de LED tem uma filtragem de luz melhor comparado com outros modelos, de forma que as imagens apareçam mais puras. Outra vantagem é a qualidade da luz emitida, pois permanece igual durante o tempo todo de uso, sem perdas de brilho ou alteração de cor em algum momento.

3840 x 2160 x 1080
3840 x 2160
x 1080
ou alteração de cor em algum momento. 3840 x 2160 x 1080 1920 1280 x 720
1920
1920
1280 x 720 Fig.1. Resolução TV
1280
x 720
Fig.1. Resolução TV
3840 x 2160 x 1080 1920 1280 x 720 Fig.1. Resolução TV Para entender melhor os

Para entender melhor os valores referentes à quantidade de pixels, por exemplo: 1280x720 pixels; 1920x1080 pixels, lembre-se que quanto maior for o número, mais qualidade a imagem terá. Isto fica muito claro quando a gente vê os tipos de resoluções que já existem hoje.

13
13
mais qualidade a imagem terá. Isto fica muito claro quando a gente vê os tipos de
• HD (1280x720) As cores são mais vivas e o contraste intenso quando comparada com
• HD (1280x720) As cores são mais vivas e o contraste intenso quando comparada com
• HD (1280x720) As cores são mais vivas e o contraste intenso quando comparada com
HD (1280x720)
As cores são mais vivas e o contraste intenso quando comparada com uma TV de tubo. Mas atenção!
Se o aparelho for muito grande, a imagem não vai ficar nítida.
Full HD (1920x1080)
Essa é a resolução mais comum hoje em dia. Ele consegue transmitir imagens com ótima qualidade
e
com mais contraste que a HD, sem apresentar aquele problema em relação ao tamanho do
aparelho e a qualidade da imagem.
4K ou Ultra HD (3840x2160)
A
resolução Ultra HD, também conhecida como 4K, já tem um número bem maior de pixels, por isso
a

qualidade de imagem é melhor do que as outras. O resultado é uma imagem quatro vezes mais nítida que a Full HD e sem o efeito de pixelização da imagem – que é quando a imagem fica desfocada. Por isso, mesmo de pertinho da tela, você consegue ver imagens incríveis! Neste formato existem TVs de até 100 polegadas.

5. Unidades de medidas

Hz – Hertz – Mede os ciclos por segundo

1 MHz = 1.000.000 Hertz

1 GHz = 1.000.000.000 Hertz

dB – Mede a intensidade do sinal dBi – Mede o ganho do sinal de antenas dBmV / dBm – Mede a intensidade do sinal vindo da antena C/N – Mede a relação entre o sinal máximo da portadora e o sinal de ruído recebido pelo equipamento. Quanto maior o valor obtido melhor a recepção. BER – Mede uma estimativa probabilística de quantos bits errados temos em um total de bits envia-

dos. Este valor em sistemas digitais é a principal medida sobre o desempenho do sinal. Quanto menor

o valor obtido melhor a recepção do sinal.

MER – Representa a medida obtida através de uma comparação do símbolo OFDM recebido com sua posição ideal na constelação da modulação digital utilizada. Basicamente, quanto maior o valor obtido

com esta medida, melhor a recepção do sinal.

14
14

Manual de treinamento para antenas

5.1 Conversão de potências para dBmV / dBuV / dBm

De dBmV para dBuV Soma-se 60dB à potência medida Ex.: 15dBmV = 75dBuV

dBuV Soma-se 60dB à potência medida Ex.: 15dBmV = 75dBuV De dBm para dBmV Soma-se 48dB

De dBm para dBmV Soma-se 48dB à potência medida Ex.: 0dBm = 48dBmV

De dBm para dBuV Soma-se 108dB à potência medida Ex.: 0 dBm = 108dBuV

6. Cabos utilizados na instalação de antenas Os cabos coaxiais em um sistema de distribuição
6. Cabos utilizados na instalação de antenas
Os cabos coaxiais em um sistema de distribuição coletiva é um dos principais componentes para
a eficiência do sistema. Responsável por carregar o sinal para todos os pontos do sistema precisa
sempre ser tratado com cuidado, pois um cabo mal definido, e mal instalado pode sim causar
deficiência no sinal dentro do sistema coletivo de antena.
Os modelos de cabos coaxiais mais utilizados em sistemas de distribuição para antena coletiva são
modelos da linha RG-59, devido sua facilidade em passar por conduítes apertados, e o modelo RG-06
por conta da baixa atenuação oferecida em relação à transmissão do sinal. A seguir uma pequena defi-
nição sobre a composição do cabo e algumas informações de atenuação em relação às frequências.
Tabela de Atenuação de Cabo Coaxial
Frequências
RGC-59
RGC-06
RGC-11
55MHz (Canal 02 VHF)
0,06
0,05
0,03
Fio de Aço Cobreado
ou Alumínio Cobreado
210MHz (Canal 13 VHF)
0,12
0,09
0,06
Dielétrico Expanso à
Gás “Skin / Foam”
300MHz (Canal 36 Cable)
0,14
0,11
0,07
Blindagem Fios Aluminio Liga
+ Fita Poliester Aluminizado
450MHz (Canal 62 Cable)
0,17
0,14
0,08
dB
550MHz (Canal 78 Cable)
0,19
0,15
0,09
Capa Protetora em PVC
750MHz (Canal 60 UHF)
0,22
0,18
0,11
Fig.2. Tipos de cabos coaxiais
950MHz (Satélite)
0,25
0,20
0,13
1450MHz (Satélite)
0,32
0,25
0,17
2150MHz (Satélite)
0,39
0,31
0,21
15
Conectores “F” - RG59 / RG06 Conector “F” Crimp Reforçado Digital Recomendado para locais onde
Conectores “F” - RG59 / RG06 Conector “F” Crimp Reforçado Digital Recomendado para locais onde
Conectores “F” - RG59 / RG06 Conector “F” Crimp Reforçado Digital Recomendado para locais onde
Conectores “F” - RG59 / RG06
Conector “F”
Crimp Reforçado Digital
Recomendado para locais onde a potência de sinal seja baixa
e

Conector “F” Compressão Profissional

Recomendado para locais onde a potência de sinal seja alta

e seja necessário um reforço nas conexões. Muito recomendado para conexões em antenas externas e na linha principal de distribuição coletiva.

7. Conectores utilizados na instalação de antenas

7. Conectores utilizados na instalação de antenas hostil para ingresso de conexões, por exemplo, caixas de
7. Conectores utilizados na instalação de antenas hostil para ingresso de conexões, por exemplo, caixas de
7. Conectores utilizados na instalação de antenas hostil para ingresso de conexões, por exemplo, caixas de
7. Conectores utilizados na instalação de antenas hostil para ingresso de conexões, por exemplo, caixas de

hostil para ingresso de conexões, por exemplo, caixas de passagem de cabos de 4x4cm ou 3x2cm.

Emenda F Fêmea/Fêmea - 1GHz

Deve ser utilizada em pontos onde seja necessário estender

o comprimento do cabo. Não recomendado para linha central

de distribuição, devido à alta de potência de transmissão neste ponto. Uma emenda com defeito em uma linha principal, pode ocasionar falha na transmissão do sinal para todo o sistema coletivo.

Carga casada 75 Ohms

Utiliza-se a carga casada para o casamento de impedância no final das linhas de distribuição coletiva. Auxilia também no combate

a ingresso de potência no sistema coletivo, podendo ocasionar interferências no sinal.

16
16

Manual de treinamento para antenas

8. Tipos de conexão RF Antena É a conexão profissional de TV, utilizada para conectar

8. Tipos de conexão

RF Antena

É a conexão profissional de TV, utilizada para conectar antena e TV a cabo.

$-Vídeo - Super Vídeo

É uma conexão que proporciona boa qualidade de imagem. Os cabos são divididos em áudio (branco e vermelho) e vídeo (preto com 4 pinos).

DVI - Digital Visual Interface Conexão normalmente utilizada para computadores. Essa entrada é compatível com a entrada HDMI, via adaptador.

entrada é compatível com a entrada HDMI, via adaptador. AV - Vídeo Composto uma das conexões

AV - Vídeo Composto

com a entrada HDMI, via adaptador. AV - Vídeo Composto uma das conexões mais básicas. Os
com a entrada HDMI, via adaptador. AV - Vídeo Composto uma das conexões mais básicas. Os

uma das conexões mais básicas. Os cabos são divididos em áudio (branco e vermelho) e vídeo (amarelo).

É

RJ-45 (Rede Ethernet) Utilizado para conectar equipamentos de telecomunicação ou equipamento de rede de computadores.

USB - Universal Serial Bus É um tipo de conexão rápida para periféricos.
USB - Universal Serial Bus
É
um tipo de conexão rápida para periféricos.

HDMI - High Definition Multimedia Interface Conexão que trabalha para a transmissão dos sinais digitais, proporcionando dados, imagem e som digital através de um único cabo.

para a transmissão dos sinais digitais, proporcionando dados, imagem e som digital através de um único
17
17
9. Ferramentas para instalação Alicate para crimp e compressão de cabos Decapadores de cabos coaxiais
9. Ferramentas para instalação Alicate para crimp e compressão de cabos Decapadores de cabos coaxiais
9. Ferramentas para instalação Alicate para crimp e compressão de cabos
9. Ferramentas para instalação
Alicate para crimp e compressão de cabos
para instalação Alicate para crimp e compressão de cabos Decapadores de cabos coaxiais Medidores de intensidade
para instalação Alicate para crimp e compressão de cabos Decapadores de cabos coaxiais Medidores de intensidade

Decapadores de cabos coaxiais

crimp e compressão de cabos Decapadores de cabos coaxiais Medidores de intensidade de sinal 18 Manual
crimp e compressão de cabos Decapadores de cabos coaxiais Medidores de intensidade de sinal 18 Manual

Medidores de intensidade de sinal

de cabos coaxiais Medidores de intensidade de sinal 18 Manual de treinamento para antenas Todo instalador
18
18

Manual de treinamento para antenas

Todo instalador deve ter um kit de ferramentas para instalação do sistema coletivo para que seja feito um trabalho com excelência. O uso de ferramentas impróprias para montagem de cabos e demais trabalhos, podem interferir no sinal transmitido bem como na qualidade do sinal distribuído.

montagem de cabos e demais trabalhos, podem interferir no sinal transmitido bem como na qualidade do

10. Sinal digital de TV

10. Sinal digital de TV Devido à evolução tecnológica, em dezembro de 2007 foi criada uma

Devido à evolução tecnológica, em dezembro de 2007 foi criada uma nova transmissão de TV Aberta chamada de SBTVD-T (Sistema Brasileiro de Televisão Digital-Terrestre). Este novo sistema traz vários benefícios ao telespectador.

A transmissão do sinal digital utiliza o espectro de UHF (470-806 MHz) simultaneamente ao

sinal analógico até 2018, quando os canais analógicos serão desligados definitivamente.

Veja o cronograma do desligamento do sinal analógico em: www.sejadigital.com.br 2013 Fig.3. Sinal digital
Veja o cronograma do desligamento do sinal analógico em:
www.sejadigital.com.br
2013
Fig.3. Sinal digital
Transmissão Analógica
Analógica
Digital
Digital
FASE ANALÓGICA
SIMULCAST
FASE DIGITAL
2007
2017
HDTV (Alta Definição) / Full HD
A
alta definição proporciona uma imagem mais preenchida, nítida e rica em detalhes.
Imagem 16:9
O
formato da tela tem a proporção de 16:9, ou seja, na tela a cada 9 centímetros de altura temos
16 centímetros de comprimento, proporcionando assim imagem mais ampla e adequada à visão
humana que a atual 4:3.
19
11. Sem chuviscos ou fantasmas No Sinal Analógico, à medida que o sinal se perde
11. Sem chuviscos ou fantasmas No Sinal Analógico, à medida que o sinal se perde
11. Sem chuviscos ou fantasmas No Sinal Analógico, à medida que o sinal se perde
11. Sem chuviscos ou fantasmas
No Sinal Analógico, à medida que o sinal se perde temos uma imagem ruidosa e cheia de chuviscos,
no sinal digital a imagem é perfeita, tem um maior alcance e à medida que o sinal se perde
a
imagem congela e some.
Som Surround 5:1
No sinal analógico, o som é transmitido através de 2 canais: o chamado som estéreo, já no sinal digital
pode ser transmitido através de 5 canais. Este tipo de som recria um ambiente mais realista de áudio.

Mobilidade

A TV digital permitirá assistir TV nas ruas ou em deslocamento dentro do carro, ônibus ou metrô

através de televisores portáteis, celulares, notebooks, dentre outros equipamentos que a indústria

já disponibiliza aos consumidores.

Interatividade Informações adicionais à programação como sinopses de filmes e novelas, números de uma partida de futebol, pesquisas entre outros.

Futuramente a participação em uma votação, uma consulta bancária ou a compra de produtos será feita através do sistema.

20
20

Manual de treinamento para antenas

12. Segmentação de canal

12. Segmentação de canal A largura de banda de um canal de radiodifusão no Brasil é

A largura de banda de um canal de radiodifusão no Brasil é de 6 MHz. O sistema de TV Digital

Brasileiro se utiliza de 14 segmentos de portadora para efetuar a transmissão das informações, onde são divididos:

- 01 Segmento para proteção da portadora;

- 13 Segmentos para transmissão dos pacotes de TV Digital.

6 MHz

Camada C Camada B
Camada C
Camada B
Camada C Camada B 0 2 4 6 8 10 12 214.28 kHz
Camada C
Camada B
0
2
4
6 8
10
12
214.28 kHz
B Camada C Camada B 0 2 4 6 8 10 12 214.28 kHz Camada A
Camada A 11 9 7 5 3 1 Segmentos OFDM
Camada A
11
9
7
5
3
1
Segmentos OFDM
428.57 kHz 214.28 kHz 5.57 MHz Segmentação de Banda - ISDB-Tb Fig.4. Segmentação de canal
428.57 kHz
214.28 kHz
5.57 MHz
Segmentação de Banda - ISDB-Tb
Fig.4. Segmentação de canal
3 1 Segmentos OFDM 428.57 kHz 214.28 kHz 5.57 MHz Segmentação de Banda - ISDB-Tb Fig.4.
21
21
13. Opções de canais a serem transmitidos LDTV (Low Definition Television) : Opção que se
13. Opções de canais a serem transmitidos LDTV (Low Definition Television) : Opção que se
13. Opções de canais a serem transmitidos
13. Opções de canais a serem transmitidos

LDTV (Low Definition Television): Opção que se utiliza de uma baixa resolução para transmissão, própria para receptores móveis e portáteis.

SDTV (Standard Definition Television): Possui uma definição praticamente igual (um pouco melhor) à obtida nos padrões analógicos, porém, com técnicas de compressão digital ocupa uma parcela menor do espectro.

HDTV (High Definition Television): opção que utiliza uma resolução de imagem altíssima, porém, desta forma ocupa quase toda a banda disponível do canal de 6 MHz.

Abaixo a divisão estimada e o aproveitamento do canal de 6MHz no padrão digital.

 

HDTV

D

 

HDTV

LDTV

D

HDTV

SDTV

SDTV

LDTV

D

5.57 MHz

LDTV D HDTV SDTV SDTV LDTV D 5.57 MHz   RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO SISTEMA VERTICAL
LDTV D HDTV SDTV SDTV LDTV D 5.57 MHz   RESOLUÇÃO RESOLUÇÃO SISTEMA VERTICAL
 

RESOLUÇÃO

RESOLUÇÃO

SISTEMA

VERTICAL

VERTICAL AFETIVA

PAL-M

525

linhas

320

linhas

SDTV

480

linhas

480

linhas

HDTV

1080 linhas

1080 linhas

Tab.1. Opções de canais a serem transmitidos

22
22

Manual de treinamento para antenas

Analisando a tabela Tab.1 (pág. 22) verificamos que, mesmo quando usamos o modo SDTV, há

Analisando a tabela Tab.1 (pág. 22) verificamos que, mesmo quando usamos o modo SDTV, há um considerável ganho de resolução comparado ao PAL-M. Isto ocorre devido à diferença entre o número total de linhas e o número de linhas ativas, pois, como se sabe, as primeiras e últimas linhas do quadro são perdidas devido ao sistema de apagamento vertical, no sistema analógico. Outro fator que reduz a resolução em sistemas analógicos é o fato de se utilizar entrelaçamento entre dois cam- pos para formar um quadro. Isto resulta em uma sobreposição de linhas, degenerando ainda mais a resolução útil da tela.

Um sinal HDTV pode atingir taxas com mais de 1Gbps. Evidente, está taxa é impraticável em um canal de 6MHz. Buscando diminuir a taxa de transmissão, sem comprometer a qualidade do sinal, foi utiliza- do um algoritmo de compressão chamado MPEG-4 AVC, que consegue reduzir a taxa para aproximada- mente 10 ou 20 Mbps, conforme a qualidade de vídeo desejada. Desta forma, as transmissões de sinais de alta qualidade podem ser transmitidas pelo canal de 6MHz.

de alta qualidade podem ser transmitidas pelo canal de 6MHz. O sinal de áudio também ganhou
de alta qualidade podem ser transmitidas pelo canal de 6MHz. O sinal de áudio também ganhou

O sinal de áudio também ganhou muito em qualidade com a digitalização, tornando possível

a transmissão do áudio multicanal (mais de 2 canais). Para manter as especificações de largura

de banda da TV Analógica, o áudio também é comprimido. Essa compressão é feita utilizando o código

comprimido. Essa compressão é feita utilizando o código MPEG-4 AAC, e da mesma forma que ocorre

MPEG-4 AAC, e da mesma forma que ocorre no sinal de vídeo, é possível alocar o sinal de áudio na banda disponível sem comprometer a qualidade da transmissão.

14. Problemas encontrados no sinal digital 14.1 Para solucionar este problema de forma prática a
14. Problemas encontrados no sinal digital
14.1 Para solucionar este problema de forma prática a solução é:

Imagem congelada e som falhando. Diferente dos sistemas analógicos, no sistema de transmissão de TV Digital o fenômeno encontrado quando o sinal está em níveis baixos ou existe multi percurso quando o mesmo sinal chega à antena duas vezes, sendo uma transmissão direta, e a outra por conta de uma reflexão, é o tratamento de sinal de vídeo e o áudio com falhas. Isso acontece devido ao sistema de tratamento de sinal.

Isso acontece devido ao sistema de tratamento de sinal. 23 Movimentar a antena reposicionando-a para melhor
23
23

Movimentar a antena reposicionando-a para melhor alinhamento com a torre de transmissão. Caso isso não funcione, outras opções são: adquirir uma antena de maior ganho ou um booster para pré-amplificar o sinal e possibilitar a recepção do sinal.

são: adquirir uma antena de maior ganho ou um booster para pré-amplificar o sinal e possibilitar
14.2 Divisores, tomadas tap, booster, amplificadores 14.3 Características Técnicas Em uma distribuição CATV, podem
14.2 Divisores, tomadas tap, booster, amplificadores 14.3 Características Técnicas Em uma distribuição CATV, podem
14.2 Divisores, tomadas tap, booster, amplificadores 14.3 Características Técnicas
14.2 Divisores, tomadas tap, booster, amplificadores
14.3
Características Técnicas

Em uma distribuição CATV, podem ser utilizados vários componentes para permitir que de uma forma equalizada, o sinal processado na central possa chegar aos televisores com a qualidade esperada. Os componentes mais utilizados para este tipo de aplicação são:

Acoplador direcional (tomada tap): Responsável por tratar o sinal com duas saídas, uma

saída com uma atenuação maior de forma que seja o valor descrito em sua etiqueta (TAP). A outra saída é utilizada para ligar em outra tomada para promover uma sequência de acoplamento (OUT), conforme a seguir.

Atenuaçao

Inserção

Isolação

6dB

6dB

6dB

9dB

9dB

9dB

12dB

12dB

12dB

16dB

16dB

16dB

20dB

20dB

20dB

24dB

24dB

24dB

27dB

27dB

27dB

30dB

30dB

30dB

Inserção

24dB 24dB 27dB 27dB 27dB 30dB 30dB 30dB Inserção Atenuaçao IN T AD-XX A P OUT
Atenuaçao IN T AD-XX A P OUT Isolação
Atenuaçao
IN
T
AD-XX
A
P
OUT
Isolação

Fig. 5 Acoplador direcional

14.4 Divisor / Splitter: Tem a função de dividir o sinal em duas, três, quatro ou oito saídas iguais.

Diferente das tomadas, o divisor não promove o isolamento do ponto adjacente, ou seja, se vários sinais de diferentes intensidades passam por um alto valor de potência, podem promover a interferência em outros equipamentos.

Divisor 1:2 VHF de 5MHz a 1GHz - 02 saídas - atend. Pass - 3.5dB

Divisor 1:4 VHF de 5MHz a 1GHz - 04 saídas - atend. Pass - 7.5dB

Divisor 1:2 SAT de 900 a 2050MHz - 02 saídas - atend. Pass - 4.5dB

Divisor 1:4 SAT de 900 a 2050MHz - 04 saídas - atend. Pass - 9.5dB

24
24

Manual de treinamento para antenas

14.5 Booster: Conhecidos também como amplificadores de linha possuem baixo ganho e são utiliza- dos

14.5 Booster: Conhecidos também como amplificadores de linha possuem baixo ganho e são utiliza- dos em estágio preliminar na distribuição de sinal. Este equipamento é utilizado para aumentar um si- nal deficiente de recepção. Recomendado sua utilização em aplicações em que a antena para recepção dos canais esteja com sinal deficiente, para compensar a distribuição do sinal para os pontos. Este processo deve ser efetuado, em conjunto com um medidor de sinal, a fim de evitar deficiência no sinal, devido à amplificação de sinais ruídos.

BOOSTER + 12dB
BOOSTER
+ 12dB
devido à amplificação de sinais ruídos. BOOSTER + 12dB DIVISOR 1x3 Fig. 6 Instalação Booster Esta
devido à amplificação de sinais ruídos. BOOSTER + 12dB DIVISOR 1x3 Fig. 6 Instalação Booster Esta
devido à amplificação de sinais ruídos. BOOSTER + 12dB DIVISOR 1x3 Fig. 6 Instalação Booster Esta
devido à amplificação de sinais ruídos. BOOSTER + 12dB DIVISOR 1x3 Fig. 6 Instalação Booster Esta

DIVISOR 1x3

Fig. 6 Instalação Booster
Fig. 6 Instalação Booster
BOOSTER + 12dB DIVISOR 1x3 Fig. 6 Instalação Booster Esta solução é aplicada para residências que

Esta solução é aplicada para residências que possuem mais de um ponto de TV em alguns casos, ao adicionar o divisor a imagem perde qualidade. Nessas situações, o amplificador de linha é utilizado antes do divisor para compensar as perdas por divisão.

25
25
14.6 Amplificadores: São equipamentos utilizados para aumentar a intensidade e potência do sinal recebido. Seu
14.6 Amplificadores: São equipamentos utilizados para aumentar a intensidade e potência do sinal recebido. Seu
14.6 Amplificadores: São equipamentos utilizados para aumentar a intensidade e potência do sinal recebido. Seu

14.6 Amplificadores: São equipamentos utilizados para aumentar a intensidade e potência do sinal recebido. Seu circuito, diferente do booster tem uma capacidade de amplificar ao sinal em cerca de 10x a mais do que um booster. São recomendados em aplicações de sistemas de antena coletiva, onde se precisam alimentar diversos pontos de TV ou também para cobrir distâncias longas em um sistema de distribuição.

Antena UHF
Antena UHF
OUT 16dB Misturador Equalizador UHF IN RF IN Amplificador de RF +30dB
OUT
16dB
Misturador Equalizador UHF
IN
RF IN
Amplificador de RF
+30dB
Equalizador UHF IN RF IN Amplificador de RF +30dB RF OUT Distribuição TAP RF OUT Modulador

RF OUT

Distribuição

TAP RF OUT
TAP
RF OUT

Modulador AV

Fig. 7 Instalação amplificador

26
26

Manual de treinamento para antenas

15. Antenas para recepção de sinal de TV Para recepção de sinal de TV podemos

15. Antenas para recepção de sinal de TV

Para recepção de sinal de TV podemos utilizar diversos modelos de antenas, uma vez que este

é o primeiro componente do sistema de distribuição. A seguir alguns de nossos modelos de antenas para a recepção de sinal terrestre.

Antena interna Omnidirecional Antena digital UHF e HDTV

SHD-1000

Antena interna digital com design compacto, permite ângulo de 90º, excelente recepção de sinal digital, HDTV e TV analógica em canais UHF. Compatível com todas as TVs HD, 3D, 4K e conversores. Possui ímã na base para melhor fixação em superfícies metálicas.

na base para melhor fixação em superfícies metálicas. DIGITAL Full HD AMPLIFICADA 2EM1 HDTV • UHF
na base para melhor fixação em superfícies metálicas. DIGITAL Full HD AMPLIFICADA 2EM1 HDTV • UHF
DIGITAL Full HD
DIGITAL
Full
HD
AMPLIFICADA
AMPLIFICADA
2EM1 HDTV • UHF PERMITE ÂNGULO EXCELENTE DE 90° RECEPÇÃO
2EM1
HDTV • UHF
PERMITE ÂNGULO
EXCELENTE
DE 90°
RECEPÇÃO
• UHF PERMITE ÂNGULO EXCELENTE DE 90° RECEPÇÃO Antena interna Antena digital UHF, HDTV e VHF

Antena interna Antena digital UHF, HDTV e VHF

SHD-2000 Antena interna digital com design moderno, excelente recepção de sinal digital, HDTV e TV
SHD-2000
Antena interna digital com design moderno, excelente recepção
de sinal digital, HDTV e TV analógica em canais UHF e VHF.
Compatível com todas as TVs HD, 3D, 4K e conversores.
DIGITAL
3EM1
Full
HDTV • UHF
VHF
DESIGN
EXCELENTE
HD
MODERNO
RECEPÇÃO
Antena interna amplificada
Antena digital UHF, HDTV e VHF
SHD-3000
Antena interna digital com design moderno, excelente recepção
em canais UHF e VHF. Compatível com todas as TVs HD, 3D, 4K
e conversores.
DIGITAL
3EM1
Full
HDTV • UHF
VHF
DESIGN
EXCELENTE
HD
MODERNO
RECEPÇÃO
27
Antena externa LOG 16 elementos Antena digital UHF e HDTV SL-1600 / SL-1600-01 Excelente para
Antena externa LOG 16 elementos Antena digital UHF e HDTV SL-1600 / SL-1600-01 Excelente para
Antena externa LOG 16 elementos Antena digital UHF e HDTV SL-1600 / SL-1600-01 Excelente para
Antena externa LOG 16 elementos
Antena digital UHF e HDTV
SL-1600 / SL-1600-01
Excelente para toda a faixa de sinal UHF digital (HDTV, 3D,
Full HD). Com 95% de pureza no alumínio que garante
ótima recepção, seus dipolos são fixados por prensa, que
aumentam ainda mais sua durabilidade. Já vem montada!
DIGITAL
ALCANCE
ALUMÍNIO
2EM1
Full
Médio
95%
HDTV • UHF
HD
PUREZA
MONTADA
2EM1 Full Médio 95% HDTV • UHF HD PUREZA MONTADA SL-1600-01 Embalagem Tabuleiro SL-1600 Embalagem Box
SL-1600-01 Embalagem Tabuleiro SL-1600
SL-1600-01
Embalagem
Tabuleiro
SL-1600

Embalagem

Box

Antena externa LOG 28 elementos Antena digital UHF e HDTV

SL-2800 / SL-2800-01 Excelente para toda a faixa de sinal UHF digital (HDTV, 3D, Full HD) e sistemas residenciais coletivos. Com 95% de pureza no alumínio que garante ótima recepção, seus dipolos são fixados por prensa aumentam ainda mais sua durabilidade. Já vem montada!

DIGITAL ALUMÍNIO ALCANCE 2EM1 Full 95% ALTO HDTV • UHF HD PUREZA MONTADA
DIGITAL
ALUMÍNIO
ALCANCE
2EM1
Full
95%
ALTO
HDTV • UHF
HD
PUREZA
MONTADA

Antena externa LOG 38 elementos Antena digital UHF e HDTV

SL-3800 / SL-3800-01 Excelente para toda a faixa de sinal UHF digital (HDTV, 3D, Full HD) e sistemas residenciais coletivos. Com 95% de pureza no alumínio que garante ótima recepção, seus dipolos são fixados por prensa aumentam ainda mais sua durabilidade. Já vem montada!

ALCANCE DIGITAL ALUMÍNIO 2EM1 Full Alto 95% HDTV • UHF HD PUREZA MONTADA
ALCANCE
DIGITAL
ALUMÍNIO
2EM1
Full
Alto
95%
HDTV • UHF
HD
PUREZA
MONTADA
28
28

Manual de treinamento para antenas

HD PUREZA MONTADA 28 Manual de treinamento para antenas SL-2800-01 Embalagem Tabuleiro SL-2800 Embalagem Box
SL-2800-01 Embalagem Tabuleiro SL-2800
SL-2800-01
Embalagem
Tabuleiro
SL-2800

Embalagem

Box

antenas SL-2800-01 Embalagem Tabuleiro SL-2800 Embalagem Box SL-3800-01 Embalagem Tabuleiro SL-3800 Embalagem Box
SL-3800-01 Embalagem Tabuleiro SL-3800
SL-3800-01
Embalagem
Tabuleiro
SL-3800

Embalagem

Box

Antena externa LOG 16 elementos Antena digital UHF e HDTV

SL-1600 - PLUS Excelente para toda a faixa de sinal UHF digital (HDTV, 3D, Full HD). Com 95% de pureza no alumínio que garante ótima recepção, seus dipolos são fixados por prensa, que aumentam ainda mais sua durabilidade. Já vem montada e com conector traseiro!

ALCANCE DIGITAL ALUMÍNIO 2EM1 Full Médio 95% HDTV • UHF HD PUREZA MONTADA
ALCANCE
DIGITAL
ALUMÍNIO
2EM1
Full
Médio
95%
HDTV • UHF
HD
PUREZA
MONTADA
2EM1 Full Médio 95% HDTV • UHF HD PUREZA MONTADA Com conector traseiro Com conector traseiro
Com conector traseiro
Com conector traseiro
95% HDTV • UHF HD PUREZA MONTADA Com conector traseiro Com conector traseiro Com conector traseiro
Com conector traseiro Com conector traseiro
Com conector traseiro
Com conector traseiro

Antena externa LOG 28 elementos Antena digital UHF e HDTV

SL-2800 - PLUS Excelente para toda a faixa de sinal UHF digital (HDTV, 3D, Full HD) e sistemas residenciais coletivos. Com 95% de pureza no alumínio que garante ótima recepção, seus dipolos são fixados por prensa aumentam ainda mais sua durabilidade. Já vem montada e com conector traseiro!

sua durabilidade. Já vem montada e com conector traseiro! DIGITAL ALUMÍNIO ALCANCE 2EM1 Full 95% ALTO
DIGITAL ALUMÍNIO ALCANCE 2EM1 Full 95% ALTO HDTV • UHF HD PUREZA MONTADA Antena externa
DIGITAL
ALUMÍNIO
ALCANCE
2EM1
Full
95%
ALTO
HDTV • UHF
HD
PUREZA
MONTADA
Antena externa LOG 38 elementos
Antena digital UHF e HDTV
SL-3800 - PLUS
Excelente para toda a faixa de sinal UHF digital (HDTV,
3D, Full HD) e sistemas residenciais coletivos. Com 95%
de pureza no alumínio que garante ótima recepção, seus
dipolos são fixados por prensa aumentam ainda mais sua
durabilidade. Já vem montada e com conector traseiro!
ALCANCE
DIGITAL
ALUMÍNIO
2EM1
Full
Alto
95%
HDTV • UHF
HD
PUREZA
MONTADA
29
Antena externa 4 em 1 Antena digital VHF / FM / UHF e HDTV SHD-8100
Antena externa 4 em 1 Antena digital VHF / FM / UHF e HDTV SHD-8100
Antena externa 4 em 1 Antena digital VHF / FM / UHF e HDTV SHD-8100
Antena externa 4 em 1
Antena digital VHF / FM / UHF e HDTV
SHD-8100
A
e
alto ganho, já vem pré-montada e pronta para
receber os sinais na frequências de UHF, VHF, FM e HDTV.
ALUMÍNIO
4EM1
95%
UHF • VHF
FM •
HDTV
PRÉ-MONTADA
PUREZA

antena SHD-8100 foi projetada para recepção de sinal digital,

SHD-8100 foi projetada para recepção de sinal digital, KIT SL-2800K Acompanha antena + mastro + 16Mt.
SHD-8100 foi projetada para recepção de sinal digital, KIT SL-2800K Acompanha antena + mastro + 16Mt.

KIT SL-2800K

Acompanha antena + mastro

+ 16Mt. de cabo coaxial

+ 2 conectores

KIT SHD-8000K

 

KIT SHD-8100K

 

Acompanha antena + mastro

Acompanha antena + mastro

+ 10Mt. de cabo coaxial

 

+ 16Mt. de cabo coaxial

+ 2 conectores

+ 2 conectores

 
de cabo coaxial + 2 conectores + 2 conectores   2EM1 UHF • HDTV PRÉ-MONTADA ALUMÍNIO
de cabo coaxial + 2 conectores + 2 conectores   2EM1 UHF • HDTV PRÉ-MONTADA ALUMÍNIO
2EM1 UHF • HDTV
2EM1
UHF •
HDTV
PRÉ-MONTADA
PRÉ-MONTADA
ALUMÍNIO 95% PUREZA
ALUMÍNIO
95%
PUREZA
4EM1 UHF • VHF FM • HDTV
4EM1
UHF • VHF
FM •
HDTV
PRÉ-MONTADA
PRÉ-MONTADA
ALUMÍNIO 95% PUREZA
ALUMÍNIO
95%
PUREZA
30
30

Manual de treinamento para antenas

Conversor e gravador digital Conversor de alta definição SC-4000 Para recepção de sinal digital de

Conversor e gravador digital Conversor de alta definição

SC-4000

Para recepção de sinal digital de TV terrestre aberta ISDB-T, é ideal para TVs que não possuem conversor digital integrado. Com tecnologia de alta qualidade em som e imagem, possui gravador digital integrado para não perder seus programas favoritos com a qualidade Sinal.

não perder seus programas favoritos com a qualidade Sinal. ENTRADA Full HD INTEGRADO USB FÁCIL INSTALAÇÃO
ENTRADA Full HD INTEGRADO USB FÁCIL INSTALAÇÃO
ENTRADA
Full
HD
INTEGRADO
USB
FÁCIL INSTALAÇÃO
ENTRADA Full HD INTEGRADO USB FÁCIL INSTALAÇÃO Mastro universal Mastro para fixação de antenas SM-200
ENTRADA Full HD INTEGRADO USB FÁCIL INSTALAÇÃO Mastro universal Mastro para fixação de antenas SM-200

Mastro universal Mastro para fixação de antenas

SM-200

Fabricado em aço galvanizado, o mastro SM-200 é ideal para a fixação de sua antena de forma segura e prática. Pode ser fixado na laje, telhado ou parede, garante ótima fixação para qualquer tipo de antena externa.

BASE PRÉ-MONTADA FÁCIL INSTALAÇÃO REGULÁVEL
BASE
PRÉ-MONTADA
FÁCIL INSTALAÇÃO
REGULÁVEL
31
31
16. Configurações na instalação da antena 16.1 Calculando um sistema coletivo. O 16.2 Devem ser
16. Configurações na instalação da antena 16.1 Calculando um sistema coletivo. O 16.2 Devem ser
16. Configurações na instalação da antena 16.1 Calculando um sistema coletivo. O 16.2 Devem ser
16. Configurações na instalação da antena
16.1 Calculando um sistema coletivo.
O
16.2 Devem ser consideradas:

Neste tópico serão abordados conceitos de distribuição coletiva, e formas de como misturar diversos sinais inclusive efetuar a interconexão entre sinais analógicos e digitais.

sistema coletivo pode ser calculado de acordo com sua distribuição.

- As distâncias em que o cabo coaxial irá percorrer;

- A quantidade de pontos que deverão receber o sinal de TV;

- O tipo de sinal que será distribuído pelo sistema;

- Qual o nível de intensidade dos sinais recebidos que serão distribuídos.

Deve-se levar em consideração também, que o sistema coletivo não deve ser feito de forma aleatória ou com componentes iguais. Deve ser feito um cálculo de todas as distâncias de cabos, e levar em consideração, os valores de atenuação que o sinal sofre pelos cabos.

Para saber a atenuação que o sinal sofre no trajeto da distribuição, leve sempre em consideração, qual

o valor da maior frequência de canal que será transmitido no cabo, consulte a tabela de atenuações do fabricante do cabo, e faça o cálculo de acordo com a distância.

32
32

Manual de treinamento para antenas

Exemplo prático:

Exemplo prático: Um sinal deve ser transmitido de uma antena até o televisor por meio de

Um sinal deve ser transmitido de uma antena até o televisor por meio de um cabo coaxial que mede 35m. A antena está recebendo um sinal UHF e deverá ser dividido para 3 televisores.

Levando em consideração que o sinal recebido em UHF, podemos fazer o cálculo de atenuação com a faixa de frequência em aproximadamente 750 MHz, que observando a tabela de frequência seria o canal 60.

58 735.25

734-740

738.83

739.75

Na tabela de atenuação de cabos, o cabo coaxial RG-06 é a melhor escolha devido sua atenuação por metro ser de 0,18dB/m contra 0,22dB/m em relação ao cabo RG-59. Para este tipo de aplica- ção não é indicado o cabo RG-11, devido ser um cabo muito mais grosso e de difícil manuseio, comparado ao modelo RG-06.

59 740-746 741.25 744.83 745.75 60 746-752 747.25 750.83 751.75 61 752-756 755.25 756.83 757.75
59 740-746
741.25
744.83
745.75
60 746-752
747.25
750.83
751.75
61 752-756
755.25
756.83
757.75
62 758-761
759.25
762.83
763.75
63 761-770
765.25
768.83
769.75
64 770-776
771.25
774.83
775.75
65 776-782
777.25
780.83
781.75
66 782-788
783.25
786.83
787.75
Tabela de Atenuação de Cabo Coaxial
Frequências
RGC-59
RGC-06
RGC-11
55MHz (Canal 02 VHF)
0,06
0,05
0,03
210MHz (Canal 13 VHF)
0,12
0,09
0,06
300MHz (Canal 36 Cable)
0,14
0,11
0,07
450MHz (Canal 62 Cable)
0,17
0,14
0,08
Fazemos o cálculo de atenuação do canal:
550MHz (Canal 78 Cable)
0,19
0,15
0,09
750MHz (Canal 60 UHF)
0,22
0,18
0,11
950MHz (Satélite)
0,25
0,20
0,13
1450MHz (Satélite)
0,32
0,25
0,17
2150MHz (Satélite)
0,39
0,31
0,21
Atenuação= Comprimento do cabo X
Atenuação do cabo
Atenuação= 35m X 0,22dB
Atenuação= 7,7dB
Tab. 2 Atenuação de cabo coaxial
Ou seja, após trafegar 35m o sinal sofrerá uma atenuação de quase 8dB.
Para dividir o sinal para os 3 televisores, considerar uma perda de passagem entre as portas IN e OUT
do divisor de 5dB.
O sinal de operação para cada televisor deve ser de:
- SINAL DIGITAL: 10dBmV à -5dBmV
- SINAL ANALÓGICO: 15dBmV à 5dBmV
33
de operação para cada televisor deve ser de: - SINAL DIGITAL: 10dBmV à -5dBmV - SINAL
de operação para cada televisor deve ser de: - SINAL DIGITAL: 10dBmV à -5dBmV - SINAL
Sinal Digital da Antena (Mínimo) = -5dBmV + 5dB + 7,7dB Sinal Digital da Antena
Sinal Digital da Antena (Mínimo) = -5dBmV + 5dB + 7,7dB Sinal Digital da Antena
Sinal Digital da Antena (Mínimo) = -5dBmV + 5dB + 7,7dB Sinal Digital da Antena

Sinal Digital da Antena (Mínimo) = -5dBmV + 5dB + 7,7dB Sinal Digital da Antena (Mínimo) = 7,7 dBmV Sinal Analógico da Antena (Mínimo) = 5dBmV + 5dB + 7,7dB Sinal Analógico da Antena (Mínimo) = 17,7 dBmV Sinal Digital da Antena (Máximo) = 10dBmV + 5dB + 7,7dB Sinal Digital da Antena (Máximo) = 22,7 dBmV Sinal Analógico da Antena (Máximo) = 15dBmV + 5dB + 7,7dB Sinal Analógico da Antena (Máximo) = 27,7 dBmV

Portanto, para saber qual o sinal mínimo para ser recebido na antena, e ser distribuído com qualidade até os televisores, faça da seguinte forma:

17. Sistema de Distribuição – Sinal Analógico + UHF Digital

Para residências que já possuem antena de VHF ou possuem sistema coletivo e querem inserir o sinal UHF Digital, é necessário instalar o sistema de misturador com sistema de equalização de sinal.

Utilizando deste sistema de equalização é possível, nivelar todas as portadoras que estão sendo recebidas e promover uma amplificação de forma linear, onde todas as portadoras terão os níveis aproximados, evitando que sinais específicos não alcançarem os níveis de potência mínimos para funcionamento.

Misturador Equalizador UHF TAP OUT RF OUT 16dB IN RF IN Amplificador de RF +30dB
Misturador Equalizador UHF
TAP
OUT
RF OUT
16dB
IN
RF IN
Amplificador de RF
+30dB
RF OUT
Distribuição
Antena UHF
Antena UHF

Modulador AV

Fig. 8 Sistema de distribuição

34
34

Manual de treinamento para antenas

Em sistemas de antena coletiva para sinais analógicos, os níveis de sinal que devem ser

Em sistemas de antena coletiva para sinais analógicos, os níveis de sinal que devem ser entregues ao usuário são bem conhecidos. Os níveis devem ficar na faixa de 65 dBuV a 80 dBuV ou 5 dBmV a 20 dBmV para canais na faixa de VHF e de 60 dBuV a 80 dBuV ou 0 dBmV a 20 dBmV na faixa de UHF.

E para os canais digitais, quanto de sinal deve ser entregue ao usuário para que ele consiga receber uma boa imagem?

A Norma ABNT NBR 15604:2007, Televisão digital terrestre — Receptores traz as seguintes recomendações para a sensibilidade de um receptor de TV digital:

1. Nível mínimo de entrada: menor ou igual a - 77 dBm = 32 dBuV = -28 dBmV

de entrada: menor ou igual a - 77 dBm = 32 dBuV = -28 dBmV 2.
de entrada: menor ou igual a - 77 dBm = 32 dBuV = -28 dBmV 2.
de entrada: menor ou igual a - 77 dBm = 32 dBuV = -28 dBmV 2.

2. Nível máximo de entrada: maior ou igual a - 20 dBm = 89 dBuV = 29 dBmV

Embora alguns receptores de TV digital funcionem numa faixa de sinal maior, é recomendado que a antena coletiva entregue o sinal dentro da faixa especificada pela norma. Isso garantirá que a antena coletiva funcionará com qualquer equipamento que obedeça a norma.

funcionará com qualquer equipamento que obedeça a norma. 35 Porém quando se fala de TV digital,
35
35

Porém quando se fala de TV digital, apenas nível de sinal não é garantia de que a imagem vai abrir. Outro parâmetro que a Norma ABNT NBR 15604:2007 também especifica é o limiar da relação portadora/ruído C/N, do inglês Carrier to Noise, que é de 19dB. Isso quer dizer que não basta ter um nível adequado de sinal, é preciso que a qualidade do sinal também seja boa. A relação C/N é uma das medidas da qualidade do sinal, e para que a qualidade seja adequada para TV digital é preciso que a relação C/N seja maior do que 19dB. Este valor é bem menor do que o valor de C/N mínima para sinais analógicos, que é de aproximadamente 46dB.

O que degrada a qualidade do sinal? O De onde, então, vem o ruído que
O que degrada a qualidade do sinal?
O
De onde, então, vem o ruído que degrada a qualidade do sinal?
O

que degrada a qualidade do sinal é o ruído. A relação C/N é a relação da potência do sinal pela potência do ruído. Quanto maior a potência do ruído, menor será a relação C/N.

ruído vem de várias fontes, mas convém separá-las em duas categorias: aquelas que contaminam o

sinal antes dele ser recebido pela antena e as que contaminam o sinal depois dele ser convertido num sinal elétrico.

o sinal antes dele ser recebido pela antena e as que contaminam o sinal depois dele
A Como, geralmente, não se tem controle sobre as fontes de ruído externas, a forma
A Como, geralmente, não se tem controle sobre as fontes de ruído externas, a forma
A
A

Como, geralmente, não se tem controle sobre as fontes de ruído externas, a forma de melhorar a relação C/N é melhorando o nível do sinal recebido. Isso pode ser feito utilizando uma antena com maior ganho ou então alterando a localização da antena, elevando mais sua altura, por exemplo. Adicionar um amplificador tipo booster não melhora a relação C/N recebida pela antena, pois o booster amplifica tanto o sinal como o ruído. Daí a necessidade de uma boa antena para a recepção do sinal de TV digital.

Uma vez que o sinal foi recebido pela antena e convertido de onda eletromagnética para sinal elétrico, não é mais possível melhorar a relação C/N. A partir deste ponto a relação C/N só degrada, pois os

amplificadores não são dispositivos ideais e adicionam mais ruído ao sinal. O que é possível fazer nes- te caso é minimizar a degradação da relação C/N, utilizando amplificadores com figura de ruído baixa.

figura de ruído é uma medida da quantidade de ruído introduzida pelo amplificador.

Num sistema de recepção de sinal como uma antena coletiva, a figura de ruído do sistema depende principalmente da figura de ruído do primeiro amplificador do sistema. Portanto quando o sinal de TV digital chega fraco, ele deve ser amplificado inicialmente por um amplificador com baixa figura de ruído para que a figura de ruído total permaneça baixa e, consequentemente, que a relação C/N degrade o mínimo possível. Isso é o que e feito na recepção de sinais via satélite, onde o LNB, que é um amplifi- cador de baixa figura de ruído e conversor, fica no alimentador da antena parabólica.

A figura de ruído do booster é menor do que a do amplificador de potência, e a figura de ruído total do

sistema depende principalmente do primeiro amplificador. Porém se o sinal é forte, o ganho de qualida- de é pequeno, podendo-se dispensar seu uso. Daí decorre a necessidade de bons equipamentos para

a amplificação e distribuição de sinal de TV digital. Eles minimizam a degradação do sinal.

36
36

Manual de treinamento para antenas

18. Tabela de Frequência – CATV – NCTA

18. Tabela de Frequência – CATV – NCTA band SCA video audio band SCA video audio
band SCA video audio band SCA video audio sub T-7 7,00 11,75 Hyper NN 50
band
SCA
video
audio
band
SCA
video
audio
sub
T-7
7,00
11,75
Hyper
NN
50 379,25
383,75
sub
T-8
13,00
17,75
Hyper
OO
51 385,25
389,75
sub
T-9
19,00
23,50
Hyper
PP
52 391,25
395,75
sub
T-10
25,00
29,50
Hyper
QQ
53 397,25
401,75
sub
T-11
31,00
35,50
Hyper
RR
54 403,25
407,75
sub
T-12
37,00
41,50
Hyper
SS
55 409,25
413,75
sub
T-13
43,00
47,50
Hyper
TT
56 415,25
419,75
Low
02
02
55,25
59,75
Hyper
UU
57 421,25
425,75
Low
03
03
61,25
65,75
Hyper
VV
58 427,25
431,75
Low
04
04
67,25
71,75
Hyper
WW
59 433,25
437,75
Low
54 IRC
73,25
77,75
Hyper
XX
60 439,25
443,75
Low
05
05
77,25
81,75
Hyper
YY
61 449,75
445,25
Low
06
06
83,25
83,75
Hyper
ZZ
62 455,75
451,25
Mid
A-5
95
91,25
95,75
Hyper
AAA
63 461,75
457,25
Mid
A-4
96 97,25
89,75
Hyper
BBB
64
463,25
467,75
Mid
A-3
97 103,25
107,75
Hyper
CCC
65
469,25
473,75
Mid
A-2
98
109,25
113,75
Hyper
DDD
66
475,25
479,75
Mid
A-1
99
115,25
119,75
Hyper
EEE
67
481,25
485,75
Mid
A
14
121,25
125,75
Hyper
FFF
68
487,25
491,75
Mid
B
15
127,25
131,75
Hyper
GGG
69
493,25
497,75
Mid
C
16
133,25
137,75
Hyper
HHH
70
499,25
503,75
Mid
D
17
139,25
143,75
Hyper
III
71
505,25
509,75
Mid
E
18
145,25
149,75
Hyper
JJJ
72
511,25
515,75
Mid
F
19
151,25
155,75
Hyper
KKK
73
517,25
521,75
Mid
G
20
157,25
161,75
Hyper
LLL
74
523,25
527,75
37
band SCA video audio band SCA video audio Mid H 21 163,25 167,75 Hyper MMM
band SCA video audio band SCA video audio Mid H 21 163,25 167,75 Hyper MMM
band SCA video audio band SCA video audio Mid H 21 163,25 167,75 Hyper MMM
band
SCA
video
audio
band
SCA
video
audio
Mid
H
21
163,25
167,75
Hyper
MMM
75
529,25
533,75
Mid
I
22
169,25
173,75
Hyper
NNN
76
535,25
539,75
High
7
7
175,25
179,75
Hyper
OOO
77
541,25
545,75
High
8
8
181,25
185,75
Hyper
PPP
78
547,25
551,75
High
9
9
187,25
191,75
Hyper
QQQ
79
553,25
557,75
High
10
10
193,25
197,75
Hyper
RRR
80
559,25
563,75
High
11
11
199,25
203,75
Hyper
SSS
81
565,25
569,75
High
12
12
205,25
209,75
Hyper
TTT
82
571,25
575,75
High
13
13
211,25
215,75
Hyper
UUU
83
577,25
581,75
Super
J
23
217,25
217,75
Hyper
VVV
84
583,25
587,75
Super
K
24
223,25
227,75
Hyper
WWW
85
589,25
593,75
Super
L
25
229,25
233,75
Hyper
XXX
86
595,25
599,75
Super
M
26
235,25
239,75
Ultra
87
601,25
605,75
Super
N
27
241,25
245,75
Ultra
88
607,25
611,75
Super
O
28
247,25
251,75
Ultra
89
613,25
617,75
Super
P
29
253,25
257,75
Ultra
90
619,25
623,75
Super
Q
30
259,25
263,75
Ultra
91
625,25
629,75
Super
R
31
265,25
269,75
Ultra
92
631,25
635,75
Super
S
32
271,25
275,75
Ultra
93
637,25
641,75
Super
T
33
277,25
281,75
Ultra
94
643,25
647,75
Super
U
34
283,25
287,75
Ultra
100
649,25
653,75
Super
V
35
289,25
293,75
Ultra
101
655,25
659,75
Super
W
36
295,25
299,75
Ultra
102
661,25
665,75
Hyper
AA
37
301,25
305,75
Ultra
103
667,25
671,75
Hyper
BB
38
307,25
311,75
Ultra
104
673,25
677,75
Hyper
CC
39
313,25
317,75
Ultra
105
679,25
683,75
Hyper
DD
40
319,25
323,75
Ultra
106
685,25
689,75
Hyper
EE
41
325,25
329,75
Ultra
107
691,25
695,75
38
38

Manual de treinamento para antenas

band SCA video audio band SCA video audio Hyper FF 42 331,25 335,75 Ultra 108
band SCA video audio band SCA video audio Hyper FF 42 331,25 335,75 Ultra 108
band
SCA
video
audio
band
SCA
video
audio
Hyper
FF
42 331,25
335,75
Ultra
108 697,25
701,75
Hyper
GG
43 337,25
341,75
Ultra
109 703,25
707,75
Hyper
HH
44 343,25
347,75
Ultra
110 709,25
713,75
Hyper
II
45 349,25
353,75
Ultra
111 715,25
719,75
Hyper
JJ
46 355,25
359,75
Ultra
112 721,25
725,75
Hyper
KK
47 361,25
365,75
Ultra
113 727,25
731,75
Hyper
LL
48 367,25
371,75
Ultra
114 733,25
737,75
Hyper
MM
49
373,25
377,75
Ultra
115
739,25
743,75
19. Tabela de Frequência – UHF Analógico
Faixa de
Faixa de
Faixa de
Canal
Canal
Canal
Frequência (MHz)
Frequência (MHz)
Frequência (MHz)
14
470-476
29 560-566
45
656-662
15
476-482
30 566-572
46
662-668
16
482-488
31 572-578
47
668-674
17
488-494
32
578-584
48
674-680
18
494-500
33
584-590
49 680-686
19
500-506
34
590-596
50 686-692
20
506-512
35
596-602
51 692-698
21
512-518
36
602-608
52 698-704
22
518-524
38
614-620
53 704-710
23
524-530
39
620-626
54 710-716
24
530-536
40
626-632
55 716-722
25
536-542
41
632-638
56
722-728
26
542-548
42
638-644
57
728-734
27
548-554
43
644-650
58
734-740
28
554-560
44
650-656
59
740-746
39
20. Tabela de Frequência – UHF Digital – ABNT NBR:15601 Faixa de Faixa de Faixa
20. Tabela de Frequência – UHF Digital – ABNT NBR:15601 Faixa de Faixa de Faixa
20. Tabela de Frequência – UHF Digital – ABNT NBR:15601 Faixa de Faixa de Faixa
20. Tabela de Frequência – UHF Digital – ABNT NBR:15601 Faixa de Faixa de Faixa
20. Tabela de Frequência – UHF Digital – ABNT NBR:15601 Faixa de Faixa de Faixa
20. Tabela de Frequência – UHF Digital – ABNT NBR:15601
Faixa de
Faixa de
Faixa de
Canal
Canal
Canal
Frequência (MHz)
Frequência (MHz)
Frequência (MHz)
14 473
33
587
53
707
15 479
34
593
54
713
16 485
35
599
55
719
17 491
36
605
56
725
18
497
38
617
57
731
19
503
39
623
58
737
20
509
40
629
59
743
21
515
41
635
60
749
22
521
42
641
61
755
23
527
43
647
62
761
24
533
44
653
63
767
25
539
45
659
64
773
26
545
46
665
65
779
27
551
47
671
66
785
28
557
48
677
67
791
29
563
49
683
68
797
30
569
50
689
69
803
31
575
51
695
32
581
52
701
40
40

Manual de treinamento para antenas

Conheça toda a nossa linha de produtos em: www.sinalantenas.com.br 41

Conheça toda a nossa linha de produtos em: www.sinalantenas.com.br

41
41

MANUAL DE TREINAMENTO

SUPORTES

MANUAL DE TREINAMENTO SUPORTES 43
MANUAL DE TREINAMENTO SUPORTES 43
MANUAL DE TREINAMENTO SUPORTES 43
MANUAL DE TREINAMENTO SUPORTES 43
MANUAL DE TREINAMENTO SUPORTES 43
43
43
1. Sobre a Brasforma 2. Qualidade, segurança e responsabilidade 3. Seja um instalador Brasforma 4.
1. Sobre a Brasforma 2. Qualidade, segurança e responsabilidade 3. Seja um instalador Brasforma 4.
1. Sobre a Brasforma 2. Qualidade, segurança e responsabilidade 3. Seja um instalador Brasforma 4.
1. Sobre a Brasforma
2. Qualidade, segurança e responsabilidade
3. Seja um instalador Brasforma
4. Distância entre a TV e o telespectador
5. Altura ideal para instalação da TV
6. O que é Vesa?

SUMÁRIO SUPORTES

45

45

46

47

49

51

52

53

57

58

59

60

61

63

64

67

71

7. Compatibilidade (TV x Suporte)

8. Tipos de suportes

9. Escolha o suporte ideal

10. Diferentes superfícies para fixação:

11. Instalando o suporte em parede de alvenaria

12. Instalando o suporte em painel de madeira

13. Instalando o suporte em painel Drywall

14. Fixação de suportes de TV fixos ou universais sobre a placa Drywall

15. Fixação de suportes de TV articulados utilizando reforços

16. Incremente sua instalação com acessórios Brasforma

Boas práticas para instalação e para a vida

44
44

Manual de treinamento para suportes de TV

1. Sobre a Brasforma

1. Sobre a Brasforma A Brasforma possui 30 anos de mercado, é uma empresa nacional localizada

A Brasforma possui 30 anos de mercado, é uma empresa nacional localizada na Capital de São

Paulo, com filial no Chile. Atualmente a empresa conta com 190 colaboradores diretos e mais de 100 representantes comerciais atuando pelo Brasil.

Nosso mix de produtos conta com mais de 60 itens voltados para TV´s LCD, LED e Plasma e para linha áudio e vídeo entre outros.

A Brasforma atua em todo o mercado nacional e em mais de 15 países. Nossos produtos estão

nacional e em mais de 15 países. Nossos produtos estão presentes nos principais home centers, atacadistas,

presentes nos principais home centers, atacadistas, distribuidores, varejistas e e-commerce.

2.

atacadistas, distribuidores, varejistas e e-commerce. 2. Qualidade, segurança e responsabilidade A nentes que
atacadistas, distribuidores, varejistas e e-commerce. 2. Qualidade, segurança e responsabilidade A nentes que

Qualidade, segurança e responsabilidade

A

nentes que utilizamos na produção de nossos suportes. O aço carbono é a liga que confere as chapas

qualidade e segurança dos suportes Brasforma começa pela seleção de matérias primas e compo-

de aço o seu nível de resistência mecânica mais adequado a essa aplicação. Os elementos de ligação

e

resultantes da sua função. O uso de plásticos de engenharia, tais como o Nylon, PP e ABS, confere a resistência necessária a componentes anti-atrito e a peças de acabamento.

fixação, tais como parafusos, porcas e arruelas, tem o grau de resistência adequado aos esforços

arruelas, tem o grau de resistência adequado aos esforços o A contra riscos a pessoas e/ou
o A contra riscos a pessoas e/ou ao patrimônio.
o
A
contra riscos a pessoas e/ou ao patrimônio.

Outra preocupação da Brasforma é com resistência e durabilidade; para isso, o processo de fabri- cação inclui tratamento anticorrosivo das peças que compõem os produtos. Após esse tratamento, as

peças recebem pintura eletrostática, que dá melhor acabamento às superfícies. Esse tipo de pintura é

mesmo usado na indústria automobilística, por ser durável e evitar a oxidação.

linha de suportes produzidos em alumínio fundido é indicada para maior durabilidade em

regiões litorâneas. Ainda falando de qualidade, nossos produtos possuem garantia de até 5 anos e são testados em laboratórios independentes, nacionais e internacionais. Alguns modelos possuem o certificado UL, conferido pela Underwriters Laboratories, organização com sede nos EUA e que é in- ternacionalmente acreditada para a análise, testes e certificação de produtos, com foco na segurança

45
45
e que é in- ternacionalmente acreditada para a análise, testes e certificação de produtos, com foco
2.1. Responsabilidade Ambiental A O Brasforma se preocupa com o meio ambiente e com o
2.1. Responsabilidade Ambiental A O Brasforma se preocupa com o meio ambiente e com o
2.1. Responsabilidade Ambiental A O
2.1. Responsabilidade Ambiental
A
O

Brasforma se preocupa com o meio ambiente e com o bem-estar de seus consumidores. Todo o processo de fabricação dos suportes é pensado para evitar desperdícios.

Os resíduos oriundos da fabricação das peças, tais como sucata de aço, plástico e papelão são destinados à reciclagem. A água utilizada nos processos de tratamento anticorrosivo e pintura é tratada e reutilizada.

respeito ao consumidor está presente também no pós-venda: nosso SAC (Serviço de Atendimento

ao Consumidor) é atuante e preparado para orientar e resolver problemas ou dúvidas. Contate-nos pelo e-mail suporte@brasforma.com.br, telefone (11)2246-0222 ou WhatsApp (11)98932-5731.

3. Seja um instalador Brasforma

O mercado de TV está em alta, consequentemente o mercado de suportes para TV também. Em média

são vendidas 10 milhões de TV´s todos os anos e estima-se que 70% desse volume é instalado em paredes, ou seja, em média 7 milhões de suportes são comercializados todos os anos.

A Brasforma é líder desse mercado, portanto instalar nossos suportes é um ótimo negócio. Cadastre-se no canal do “Instalador Brasforma” e faça parte do nosso time!

www.brasforma.com.br/instaladores

46
46

Manual de treinamento para suportes de TV

4. Distância entre a TV e o telespectador A relação distância do espectador à TV

4. Distância entre a TV e o telespectador

A relação distância do espectador à TV x tamanho da tela da TV é muito importante para proporcionar uma boa visão da imagem assim como para evitar incômodos aos olhos.

Ao visualizar uma TV grande a uma distância pequena, apesar de você ter uma boa visão da imagem,

é

possível que você sinta incômodo ao ter que ficar movimentando os olhos de um lado para o outro.

se a TV estiver a uma distância muito grande, apesar de você ter uma boa visão global da imagem,

talvez seja preciso fazer um esforço exagerado para ver detalhes, o que pode acarretar em dores de cabeça em algumas pessoas.

o que pode acarretar em dores de cabeça em algumas pessoas. 60” 2,1m Para evitar esse
60” 2,1m
60”
2,1m
em dores de cabeça em algumas pessoas. 60” 2,1m Para evitar esse tipo de problema, verifique
em dores de cabeça em algumas pessoas. 60” 2,1m Para evitar esse tipo de problema, verifique

Para evitar esse tipo de problema, verifique a distância entre a TV e o sofá (ou cadeira, cama, bancada de cozinha). No gráfico abaixo, você poderá ver qual é a distância ideal entre a tela e o sofá:

Melhor distância entre a TV e o sofá De acordo com tamanhos de tela

2,2m
2,2m
26” 32” 42” 50” 55” 1m 1,2m 1,6m 1,9m 2m 2,4m 3,2m 3,8m Fig. 1.
26”
32”
42”
50”
55”
1m
1,2m
1,6m
1,9m
2m
2,4m
3,2m
3,8m
Fig. 1. Distâncias recomendadas TV x ao espectador.
4,6m 47
4,6m
47

4,2m

Tamanho da Tela Distância mínima Distância máxima 26 polegadas 1 m 2 m 32 polegadas
Tamanho da Tela Distância mínima Distância máxima 26 polegadas 1 m 2 m 32 polegadas
Tamanho da Tela Distância mínima Distância máxima 26 polegadas 1 m 2 m 32 polegadas
Tamanho da Tela
Distância mínima
Distância máxima
26
polegadas
1
m
2
m
32
polegadas
1,2 m
2,4 m
37
polegadas
1,4 m
2,8 m
40
polegadas
1,5 m
3
m
42
polegadas
1,6 m
3,2 m
46
polegadas
1,75 m
3,5 m
50
polegadas
1,90 m
3,8 m
52
polegadas
2
m
4
m
55
polegadas
2,10 m
4,20 m
60
polegadas
2,20 m
4,60 m

Vale lembrar que essas dicas devem ser encaradas como orientação geral; mesmo que algumas dessas indicações não possam ser seguidas à risca por dificuldades específicas do local de instalação, elas sempre serão úteis para ajudar o instalador a proporcionar ao cliente a situação mais próxima possível de uma perfeita visão da imagem, com conforto e segurança.

48
48

Manual de treinamento para suportes de TV

1.40cm a 1.60cm

5. Altura ideal para instalação da TV

1.40cm a 1.60cm 5. Altura ideal para instalação da TV Outro ponto importante para garantir o

Outro ponto importante para garantir o maior conforto na hora de assistir seu programa favorito é a altura da TV, que deve ser instalada de modo que a visão do espectador seja em linha reta na direção da tela, sem que haja necessidade de girar o pescoço ou o tronco para conseguir visualizar a TV.

girar o pescoço ou o tronco para conseguir visualizar a TV. 1.20cm a 1.40cm - Para

1.20cm a 1.40cm

- Para Salas:

A altura ideal é de 1.20cm a 1.40cm do chão até o centro da TV, para que o centro da tela fique aproximadamente na altura dos olhos do espectador. Se a sala possui outro ambiente integrado a ela, como por exemplo, uma sala de jantar ou cozinha americana, utilize um suporte articulado. Esse tipo de suporte possibilita virar a TV para assisti-la de vários ângulos, preservando a posição de máximo conforto do espectador.

preservando a posição de máximo conforto do espectador. - Para quartos: Fig. 2. Posição relativa TV
- Para quartos:
- Para quartos:
posição de máximo conforto do espectador. - Para quartos: Fig. 2. Posição relativa TV x espectador

Fig. 2. Posição relativa TV x espectador sentado

quartos: Fig. 2. Posição relativa TV x espectador sentado Fig.3. Posição relativa TV x espectador deitado
quartos: Fig. 2. Posição relativa TV x espectador sentado Fig.3. Posição relativa TV x espectador deitado
Fig.3. Posição relativa TV x espectador deitado 0,50m a 0,70m
Fig.3. Posição relativa TV x espectador deitado
0,50m a 0,70m

A altura ideal é de 1.40 m a 1.60 m do chão até a base da TV. Utilize preferencialmente suportes que tenham inclinação. Dica: Se precisar instalar a TV na parede lateral à cama, utilize um suporte que tenha articulação, assim você poderá virar a TV para obter um melhor ângulo de visão. A altura ideal para a instalação desse tipo de suporte no quarto é a mesma. Leve em consideração a altura da

no quarto é a mesma. Leve em consideração a altura da cama para definir a altura

cama para definir a altura da TV; de preferência, procure manter entre 0,50 m e 0,70 m de altura, da parte superior da cama até a base da TV, conforme Fig. 3.

49
49
procure manter entre 0,50 m e 0,70 m de altura, da parte superior da cama até
- Para ambientes comerciais: Em ambientes comerciais o primeiro requisito para a instalação é que
- Para ambientes comerciais: Em ambientes comerciais o primeiro requisito para a instalação é que
- Para ambientes comerciais:
- Para ambientes comerciais:

Em ambientes comerciais o primeiro requisito para a instalação é que o suporte tenha inclinação, pois como o ambiente é claro e a TV terá que ser instalada no alto, precisamos incliná-la para evitar reflexos. Fique atento para a eventual existência de pessoas e materiais sob a TV.

Dica: os suportes ideais para esse tipo de ambiente são os inclináveis, articula- dos e de teto. Dependendo da quantidade de TVs que serão instaladas no ambien- te podemos instalar até os três tipos, criando possibi- lidade para que todos os frequentadores do ambiente possam ver a imagem de diversos pontos.

do ambiente possam ver a imagem de diversos pontos. Fig.4. TVs em ambientes comerciais Nota: Suportes

Fig.4. TVs em ambientes comerciais

de diversos pontos. Fig.4. TVs em ambientes comerciais Nota: Suportes articulados podem ser instalados próxi- mos

Nota: Suportes articulados podem ser instalados próxi- mos aos cantos das paredes aumentando o ângulo de visão da TV.

Fig.5. TV montada em canto

50
50

Manual de treinamento para suportes de TV

6. O que é Vesa?

6. O que é Vesa? VESA (Video Electronics Standards Association) é um padrão de quatro furos

VESA (Video Electronics Standards Association) é um padrão de quatro furos com rosca, localizados na parte de trás das TVs. É por meio do padrão VESA que se verifica a compatibilidade entre a sua TV e o suporte. A distância entre estes furos da TV é normatizada pelo padrão VESA e está relacionada com o peso e tamanho da tela dos aparelhos.

Fig.6. Furação padrão VESA 6.1. Exemplos de furação Vesa TV Medidas Polegadas Pequena 100×100 mm
Fig.6. Furação padrão VESA
6.1. Exemplos de furação Vesa
TV
Medidas
Polegadas
Pequena
100×100 mm
13” – 27”
Média
200×200 mm
23” – 42”
Média
400x400mm
10”- 55”
Média
400x400mm
23”- 55”
Grande
600×400 mm
37”- 70”
Grande
800×400 mm
37”- 70”
Fig.7. Padrão VESA mais comum
51

200mm(Max.)

200mm(Max.) 7. Compatibilidade (TV x Suporte) 400mm(Max.) 75mm(Min.) COMPATIBILIDADE Os suportes Brasforma possuem a
200mm(Max.) 7. Compatibilidade (TV x Suporte) 400mm(Max.) 75mm(Min.) COMPATIBILIDADE Os suportes Brasforma possuem a
7. Compatibilidade (TV x Suporte) 400mm(Max.) 75mm(Min.) COMPATIBILIDADE
7. Compatibilidade (TV x Suporte)
400mm(Max.)
75mm(Min.)
COMPATIBILIDADE

Os suportes Brasforma possuem a maior taxa de compatibilidade do mercado, atingindo 97% dos modelos de TV comercializados no país. Todas as embalagens da Brasforma possuem um selo para facilitar a identificação de compatibilidade de cada suporte. Abaixo exemplo:

Padrão VESA 75x75, 100x100, 200x100, 400x200mm. 75mm(Min.)
Padrão VESA
75x75, 100x100,
200x100, 400x200mm.
75mm(Min.)

Fig.8. Padrões VESA de furação

400x200mm. 75mm(Min.) Fig.8. Padrões VESA de furação 7.1. Parafusos para fixação da TV Nota: Consulte sempre

7.1. Parafusos para fixação da TV

Nota: Consulte sempre o manual de seu aparelho de TV.

Dica: Pegue uma régua e meça a distância entre

os furos na horizontal e vertical do seu televisor. Se na horizontal a distância é de 20cm seu Vesa horizontal é de 200mm, se na vertical a distância

é

de 20cm seu Vesa vertical é de 200mm, portanto

o

Vesa da sua TV é 200x200mm.

O Kit de acessórios para fixação dos suportes em TVs LCD / LED / 3D / PLASMA da Brasforma acompanham parafusos que atendem os padrões mais comuns utilizados pelos principais fabricantes de TVs do mercado. Recomendamos que em caso de dúvidas, sejam utilizados os parafusos de fixação fornecidos pelo fabricante de sua TV/Monitor.

Devido a especificidade na fixação de cada aparelho (diâmetro de furo, padrão de rosca e profundida- de), os pontos de fixação presentes na parte traseira da TV/Monitor podem não ser compatíveis com os parafusos fornecidos no kit.

52
52

Manual de treinamento para suportes de TV

Nota: O uso de parafusos incorretos pode causar sérios danos da TV/Monitor. Em caso de

Nota: O uso de parafusos incorretos pode causar sérios danos da TV/Monitor. Em caso de dúvida con- sulte o fabricante do aparelho. Caso os parafusos enviados no kit de acessórios não sejam compatíveis, verifique junto ao fabricante da TV a especificação correta para os parafusos. Estes parafusos podem ser adquiridos em casas especializadas em parafusos e ferragens. Os fabricantes de TVs reservam-se ao direito de alterar as especificações de seus aparelhos sem aviso prévio.

8. Tipos de suportes

Seja por questões estéticas, falta de espaço, necessidade de organização ou por comodidade, o uso de suportes é muito comum em residências e ambientes comerciais. Basicamente existem 4 tipos de suportes: fixos, inclináveis, articulados e de teto.

8.1 Suportes Fixos / Universais Deixa a TV como um quadro na parede, sendo ideal
8.1 Suportes Fixos / Universais
Deixa a TV como um quadro na parede, sendo ideal para visão frontal. Nessa categoria incluem-se
também os suportes universais que atendem a qualquer padrão VESA de furação.
SBRP400
SBRP403
SBRP300
SBRP603
SBRL501
SBRU859
SBRUB860
SBRU871
SBRU758
SBRU950
SBRUB859
Nota: Suportes fixos são utilizados apenas em ambientes que não requeiram qualquer movimen-
tação da TV. Portanto, não devem ser instalados quando se necessita inclinar o aparelho para
evitar reflexos, nem quando houver necessidade de reposicionar a TV para ser assistida
de diferentes pontos do ambiente.
53
8.2 Suportes Inclináveis Ideais para ambientes em que o aparelho fica acima da altura dos
8.2 Suportes Inclináveis Ideais para ambientes em que o aparelho fica acima da altura dos
8.2 Suportes Inclináveis Ideais para ambientes em que o aparelho fica acima da altura dos
8.2 Suportes Inclináveis
Ideais para ambientes em que o aparelho fica acima da altura dos olhos. Evitam o reflexo na tela,
melhorando a visualização da imagem. Ideal para visão frontal e superior.
SBRP213
SBRP216
SBRP110
SBRP110B
SBRP414
SBRP416
SBRP610
SBRP613
SBRP616
Nota: Permite assistir TV mesmo quando o espectador estiver deitado ou em ambiente
onde a TV precise ficar no alto.
54
54

Manual de treinamento para suportes de TV

8.3 Suportes Articulados

8.3 Suportes Articulados Este tipo de suporte é mais completo, por permitir movimentar a TV lateralmente

Este tipo de suporte é mais completo, por permitir movimentar a TV lateralmente e também possibilitar a inclinação da mesma. Normalmente possuem giro lateral de até 90 graus para

a esquerda ou direita. Com esse tipo de suporte, tem-se mais mobilidade o que possibilita virar

a TV para assistir de vários ângulos.

SBRP230 SBRP231 SBRP120 SBRP126 LDA01-222 SBRP130 SBRP130B SBRP140 SBRP140B SBRP137 SBRP145 SBRP440 SBRP441
SBRP230
SBRP231
SBRP120
SBRP126
LDA01-222
SBRP130
SBRP130B
SBRP140
SBRP140B
SBRP137
SBRP145
SBRP440
SBRP441
SBRP440B
SBRP430
Nota: Ideal para salas com ambientes integrados; facilita o manuseio
dos cabos e a limpeza da parte posterior da TV.
Dica: quanto maior o braço do suporte, maior a angulação da TV.
55
8.4 Suportes de Teto Ideal para ambientes grandes ou que não possuam parede disponível para
8.4 Suportes de Teto Ideal para ambientes grandes ou que não possuam parede disponível para
8.4 Suportes de Teto Ideal para ambientes grandes ou que não possuam parede disponível para
8.4 Suportes de Teto
Ideal para ambientes grandes ou que não possuam parede disponível para a fixação do suporte.
Esse tipo de suporte é muito utilizado em bares, restaurantes, supermercados, academias etc.
Os suportes de teto permitem rotacionar a TV em 360º e possuem ajuste de altura e inclinação para
um melhor posicionamento da TV.
SBRP150
SBRP150B
Dica: Se precisar instalar um suporte em um teto forrado com gesso, fixe a base na estrutura
e faça o acabamento da passagem do tubo no forro.
Nota: O tubo do suporte permite a passagem o cabo de antenas e dos fios de energia.
56
56

Manual de treinamento para suportes de TV

9. Escolha o suporte ideal

9. Escolha o suporte ideal Diante de tantos modelos de suportes, as vezes fica difícil saber

Diante de tantos modelos de suportes, as vezes fica difícil saber qual é o mais indicado para cada situação. Para identificarmos a melhor alternativa, precisamos avaliar três quesitos:

Qual é o tamanho da tela da TV, em polegadas? Qual é o peso da TV, sem a base? Qual é o padrão VESA da furação de fixação? R: Essa informação nos indica a distância máxima e mínima da TV ao principal ponto de observação usado pelos espectadores e o tamanho do suporte que poderá ser usado.

Em qual ambiente a TV será instalada?

R:

O indicativo de qual ambiente a TV será instalada aponta quais tipos de suportes podem ser utilizados.

aponta quais tipos de suportes podem ser utilizados. Como é esse ambiente? R: Por último, saber
aponta quais tipos de suportes podem ser utilizados. Como é esse ambiente? R: Por último, saber
aponta quais tipos de suportes podem ser utilizados. Como é esse ambiente? R: Por último, saber

Como é esse ambiente? R: Por último, saber como é esse ambiente define qual suporte podemos usar.

A

resposta desses três questionamentos será decisiva na escolha do suporte para a TV.

será decisiva na escolha do suporte para a TV. Exemplo: Qual o tamanho da TV? R:

Exemplo:

Qual o tamanho da TV? R: 55 polegadas. Qual é o peso da TV sem a base? R.: 28 kg. Qual é o padrão VESA da furação de fixação? R.: VESA 400X400.

O suporte deverá ser compatível com peso de 28 kg. A furação de fixação deve
O suporte deverá ser compatível com peso de 28 kg.
A furação de fixação deve ser compatível com VESA 400X400.

Da tabela Fig.1, (pág. 47) temos: Distância mínima 2.10 m; Distância máxima 4.20 m. Isso será uma boa indicação sobre como dispor os móveis para se obter uma distância na faixa 2.10m – 4.20m.

Em qual ambiente a TV será instalada? R: Na sala. Como é esse ambiente? R: Sala de apartamento com sala de jantar e cozinha americana.

57
57
O a Exemplo: A O suporte ideal para o ambiente citado no exemplo é um
O a Exemplo: A O suporte ideal para o ambiente citado no exemplo é um
O a Exemplo: A O
O
a
Exemplo:
A
O

suporte ideal para o ambiente citado no exemplo é um modelo articulado. Ele vai possibilitar instalar

TV de frente para o sofá permitindo, ainda, virá-la para os outros ambientes.

Dessa forma, o suporte deve ser compatível com TV de 55”, peso 28 kg, VESA 400x400 e deve ser do tipo articulado. Da tabela de produtos da Brasforma, poderemos escolher um dos seguintes produtos: SBRP140, SBRP145, SBRP440, SBRP441.

decisão final envolve critérios de preço, aparência, relação custo/benefício.

produto escolhido por ser mais adequado à aplicação é o SBRP145.

Agora que já temos a TV e já sabemos em qual suporte vamos instalar, precisamos saber em quais superfícies podemos fixar o suporte.

10. Diferentes superfícies para fixação:

Normalmente quando falamos em instalar um suporte, as pessoas pensam que esse tipo de produto serve apenas para ser instalados em paredes de alvenaria, não sendo permitida a fixação em outras superfícies. Isso é um mito!

Com ferramentas certas e conhecimento específico da superfície, podemos fixar o suporte tanto em paredes de alvenaria, quanto em painéis de madeira e até em paredes Drywall.

58
58

Manual de treinamento para suportes de TV

11. Instalando o suporte em parede de alvenaria Todo suporte da Brasforma vem com parafusos

11. Instalando o suporte em parede de alvenaria

Todo suporte da Brasforma vem com parafusos e buchas para fixação em alvenaria, com medidas adequadas para sustentar o peso do suporte e da TV. Verifique o manual de instalação do seu suporte Brasforma. A instalação será feita em algumas etapas:

1. Verifique no manual do produto quais ferramentas são necessárias para a instalação.

2. Verifique se a parede onde a TV será instalada possui ponto de energia e antena e/ou cabo de sinal.

3. Antes de realizar qualquer furação certifique-se de que não passa tubulação hidráulica ou de energia no local.

4. Com o auxílio de uma trena defina uma linha, de um lado perpendicular à
4. Com o auxílio de uma trena defina uma linha, de um lado perpendicular à parede e, do outro,
perpendicular ao sofá ou outra peça de assento do(s) espectador(es). Esta linha definirá o centro
da TV no sentido horizontal. Adapte este procedimento às condições de cada caso. Fig.2 (pág.49).
5. Meça a altura da parede seguindo a Fig.2 (pág.49).
6. Pegue a base do suporte e faça a marcação com um lápis.
7. Utilize um nível de bolha para se certificar que o suporte não ficará torto.
8. Pré-fure a parede com a broca indicada para pré-furação no manual do produto.
9. Faça a furação final, com a broca indicada para a furação final no manual do produto.
10.Coloque as buchas, bata levemente com um martelo até elas ficarem rentes à parede.
11.Parafuse a base do suporte na parede.
12.Fixe a outra parte do suporte na TV, conforme instruções do manual do produto.
13.Certifique-se de que as duas partes estão bem acopladas antes de soltar o peso da TV.
Nota: se o suporte for fixo, conecte os cabos antes de unir as duas partes.
Fig.9. Exemplo de ferramentas necessárias para instalação em alvenaria.
Lápis
Furadeira
Martelo
Chave Phillips
Chave de boca
59
12. Instalando o suporte em painel de madeira Uma dúvida frequente é sobre a instalação
12. Instalando o suporte em painel de madeira Uma dúvida frequente é sobre a instalação
12. Instalando o suporte em painel de madeira Uma dúvida frequente é sobre a instalação

12. Instalando o suporte em painel de madeira

Uma dúvida frequente é sobre a instalação de suportes em painel de madeira. Muitos acreditam que nesse tipo de superfície só podemos instalar suporte fixos.

Porém isso não é verdade; podemos sim instalar suportes inclináveis e até mesmo suportes articulados em um painel de madeira. Basta ter as ferramentas e parafusos corretos para a instalação ocorrer com sucesso. Utilize parafusos com rosca para madeira / MDF com rosca útil de 25mm de comprimento.

Normalmente os painéis de madeira comercializados no país possuem estrutura para suportar o peso da TV; se a espessura do painel for menor que 20mm, você pode parafusar uma chapa de MDF por trás do painel de madeira para servir de reforço. O parafuso de fixação do suporte pode ser substituí- do por um parafuso com porca, com rosca M6 ou M8.

Outra possibilidade é usar uma bucha de expansão longa para Drywall Fig.11(pág. 61) (esse tipo de bucha se expande atrás da madeira dando a segurança necessária para a sustentação do suporte).

Nota: A instalação do suporte em um painel de madeira segue as mesmas dicas de medição e posicionamento da TV citada no tópico anterior Instalando o suporte em parede de alvenaria.

Fig.10. Exemplo de ferramentas necessárias para instalação em madeira

Lápis Furadeira Martelo Chave Phillips
Lápis
Furadeira
Martelo
Chave Phillips
60
60

Manual de treinamento para suportes de TV

13. Instalando o suporte em painel Drywall

13. Instalando o suporte em painel Drywall Talvez esse seja o maior dos mitos, para muitos

Talvez esse seja o maior dos mitos, para muitos suportes para TV e parede Drywall não foram feitos um para o outro. Com as dicas a seguir você passará a ser uma das pessoas que sabem que um suporte poder ser instalado em vários tipos de superfície.

A primeira coisa que devemos saber é que uma parede Drywall não é tão frágil como dizem por aí, toda parede feita dessa forma possui perfis (estrutura) que dão sustentação ao conjunto.

Para fixar qualquer objeto em parede Drywall você precisa saber de três coisas básicas: o peso do objeto, a quantidade de furos e a distancia entre eles e se esse objeto ficará rente ou afastado da parede.

eles e se esse objeto ficará rente ou afastado da parede. Com essas informações conseguimos definir
eles e se esse objeto ficará rente ou afastado da parede. Com essas informações conseguimos definir

Com essas informações conseguimos definir o tipo de fixador e o local de fixação que pode ser direto na placa Drywall, nos perfis estruturais da parede ou em um reforço de madeira ou metálico.

Fig.11. Tabela - Tipos de fixadores (não acompanham os suportes)

da parede ou em um reforço de madeira ou metálico. Fig.11. Tabela - Tipos de fixadores
61
61
A Fig.12. Tabela - Ferramentas para Drywall (não acompanham os suportes) tabela da Fig.12. a
A Fig.12. Tabela - Ferramentas para Drywall (não acompanham os suportes) tabela da Fig.12. a
A Fig.12. Tabela - Ferramentas para Drywall (não acompanham os suportes)
A
Fig.12. Tabela - Ferramentas para Drywall
(não acompanham os suportes)
- Ferramentas para Drywall (não acompanham os suportes) tabela da Fig.12. a seguir, apresenta as principais

tabela da Fig.12. a seguir, apresenta as principais ferramentas necessárias para a fixação de objetos em paredes Drywall.

necessárias para a fixação de objetos em paredes Drywall. Além das ferramentas mostradas na Fig.12. ,
necessárias para a fixação de objetos em paredes Drywall. Além das ferramentas mostradas na Fig.12. ,
necessárias para a fixação de objetos em paredes Drywall. Além das ferramentas mostradas na Fig.12. ,

Além das ferramentas mostradas na Fig.12.,

é importante a utilização de um localizador dos perfis estruturais da parede. Fig.13. Detetor de Perfil (Stud Finder)

Fig.13.Detetor de perfil (Stud Finder) (não acompanham os suportes)

62
62

Manual de treinamento para suportes de TV

14. Fixação de suportes de TV fixos ou universais sobre a placa Drywall Os suportes

14. Fixação de suportes de TV fixos ou universais sobre a placa Drywall

Os suportes de TV com até 30mm ou 40mm de distância da parede, transmitem mais força de cisalha-

mento (força vertical) do que momento (força com alavanca), de forma que o Drywall não fica sujeito

a elevadas forças de extração das buchas. Utilizando-se fixadores adequados, o resultado é uma montagem resistente, rápida e de baixo custo.

Por exemplo, um suporte tipo universal com dois parafusos em cada elemento de fixação na parede, pode ser fixado com duas buchas de expansão curtas ou médias, obtendo-se capacidade de carga de 40 kg de cada lado, desde que o padrão VESA seja maior ou igual a 400mm. Fig.14. Fixação de objetos rente à parede e Fig.15 (pág. 64). Fixação de TV rente à parede com suporte Fixo / Universal.

de TV rente à parede com suporte Fixo / Universal. *Quando o objeto pesar mais de
*Quando o objeto pesar mais de 20 kg e tiver dois ou mais pontos de
*Quando o objeto pesar mais de 20 kg
e tiver dois ou mais pontos de fixação,
estes devem estar distantes entre si no
mínimo 400mm em qualquer direção.
** Fixação com alicate expansor.
*** Fixação no eixo do montante.

A

com o auxilio de um localizador do suporte da chapa Drywall, também conhecido por Stud-Finder.

mesma solução pode ser usada, fixando-se a bucha sobre o perfil de sustentação da parede,

Observações: Fig.14. Fixação de objetos rente à parede 63
Observações:
Fig.14. Fixação de objetos rente à parede
63
TV Suporte fixo Visão lateral Pontos de fixação Ponto de apoio Fig.15. Fixação de TV
TV Suporte fixo Visão lateral Pontos de fixação Ponto de apoio Fig.15. Fixação de TV
TV Suporte fixo Visão lateral
TV
Suporte fixo
Visão lateral
TV Suporte fixo Visão lateral Pontos de fixação Ponto de apoio Fig.15. Fixação de TV rente

Pontos de fixação

Ponto de apoio

Fig.15. Fixação de TV rente à parede com Suporte Fixo / Universal

15. Fixação de suportes de TV articulados utilizando reforços Suportes de TV com braço articulado
15. Fixação de suportes de TV articulados utilizando reforços
Suportes de TV com braço articulado necessitam de reforços internos à parede devido ao esforço
de momento que exercem. Esses esforços resultam, em geral, superiores aos dos suportes fixados
rente à parede. Fig.16.
Fig.16. Tipos de reforços para Drywall
64
Manual de treinamento para suportes de TV
É desejável que a distribuição de cargas na parede Drywall seja objeto de planejamento anterior

É desejável que a distribuição de cargas na parede Drywall seja objeto de planejamento anterior à execução física da mesma, para evitar a realização de recortes e acabamentos posteriores.

Para fazer um reforço para a instalação de um suporte de TV articulado, proceda da seguinte maneira:

Comece localizando os perfis, utilize um Stud Finder Ver Fig. 13 (pág. 62).

Para instalar um suporte articulado você precisará colocar um reforço dentro da parede, para isso localize dois perfis verticais próximos. Com um lápis faça a marcação do nível e prumo. A altura do reforço deve exceder em 50 mm a altura da chapa de fixação do suporte da TV, 25 mm acima e abaixo da chapa.

A altura do reforço deve exceder em 50 mm a altura da chapa de fixação do

Com um serrote corte um pedaço da placa entre um perfil e outro (guarde a placa você vai precisar dela para fazer o acabamento). Instale o reforço, ver Fig.16 (pág. 64), usando os perfis como apoio; utilizando buchas e parafusos autoatarraxantes de 4,5mm de diâmetro x 50mm de comprimento para chapas de madeira ou MDF de 22mm de espessura, fixe a placa aos perfis, em ambas as extremida- des. Fig.17

fixe a placa aos perfis, em ambas as extremida- des. Fig.17 65 Obs.: A dimensão “d
fixe a placa aos perfis, em ambas as extremida- des. Fig.17 65 Obs.: A dimensão “d
65
65

Obs.: A dimensão “d “ vertical do reforço deve ser igual ou maior que a dimensão do braço vertical da mão francesa utilizada.

deve ser igual ou maior que a dimensão do braço vertical da mão francesa utilizada. Fig.17.
deve ser igual ou maior que a dimensão do braço vertical da mão francesa utilizada. Fig.17.
deve ser igual ou maior que a dimensão do braço vertical da mão francesa utilizada. Fig.17.

Fig.17. Preparação de reforço

Faça o acabamento com a massa adequada para Drywall. Aguarde o tempo recomendado pelo fabri-
Faça o acabamento com a massa adequada para Drywall. Aguarde o tempo recomendado pelo fabri-
Faça o acabamento com a massa adequada para Drywall. Aguarde o tempo recomendado pelo fabri-
Faça o acabamento com a massa adequada para Drywall. Aguarde o tempo recomendado pelo fabri-
cante para a total secagem da massa, após a mesma deve ser lixada e pintada antes da fixação do
suporte da TV. Não se esqueça de abrir os furos necessários para a instalação de energia e sinal para
a sua TV em área que não interfira com o suporte a ser montado.
Agora, com a parede reforçada, você já pode instalar o suporte da TV. Fig.18 Basta nivelar o suporte,
fazer a marcação, furar a parede, colocar as buchas próprias para Drywall e instalar o suporte.
Exemplo de fixação
Fixação em 4 pontos
480 máximo
535 máximo
818 máximo
Perspectiva
Fig.18. Instalação de suporte articulado de TV em parede Drywall com reforço.
66
66

Manual de treinamento para suportes de TV

16. Incremente sua instalação com acessórios Brasforma A Brasforma possui uma linha completa em suportes

16. Incremente sua instalação com acessórios Brasforma

A Brasforma possui uma linha completa em suportes para as mais diversas necessidades, além de uma ampla linha de acessórios para facilitar sua vida e incrementar suas instalações. Veja a seguir algumas das soluções que preparamos para você:

LINHA ÁUDIO E VÍDEO

RACK

ADVD172 ADVD174 ADVD178 PBR0.1 SBRR0.5 Suporte para DVD / Blu-ray Suporte para Conversor / Receptor
ADVD172
ADVD174
ADVD178
PBR0.1
SBRR0.5
Suporte para
DVD / Blu-ray
Suporte para Conversor
/ Receptor
Pedestais para caixa
de som e Home Theater
Pedestal para TV LCD
| LED | Plasma | 3D
CABOS HDMI
HDMI00120
HDMI00518
HDMI00418
HDMI00218
HDMI00618
PREMIUM 2M.
1.8 metros
1.8 metros
1.8 metros
1.8 metros
HDMI0123
HDMI0135
HDMI01410
HDMI01515
HDMI0202
3 metros
5 metros
10 metros
15 metros
2 metros
HDTV, GAMES, Gravação de vídeo BLU-RAY HD DVD, Contatos folheados a ouro
67
CABO ÓPTICO LINHA INFORMÁTICA ACESSÓRIOS CBO-0012 SBRM752 CLT0.3 ALT0.2 SB01 2 metros Gravação de vídeo
CABO ÓPTICO LINHA INFORMÁTICA ACESSÓRIOS CBO-0012 SBRM752 CLT0.3 ALT0.2 SB01 2 metros Gravação de vídeo
CABO ÓPTICO LINHA INFORMÁTICA ACESSÓRIOS CBO-0012 SBRM752 CLT0.3 ALT0.2 SB01 2 metros Gravação de vídeo
CABO ÓPTICO
LINHA INFORMÁTICA
ACESSÓRIOS
CBO-0012
SBRM752
CLT0.3
ALT0.2
SB01
2 metros
Gravação de vídeo
BLU-RAY HD DVD,
Contatos folheados
a ouro
Suporte para monitor
Movimentos: ajustes
de altura, articulação
e inclinação
KIT Cabo
+ Limpa Telas
HDTV, GAMES,
Gravação de vídeo
BLU-RAY HD DVD.
KIT LIMPA TELAS
Elimina a sujeira e
mantém limpo por
mais tempo, retirando
a energia estática.
Suporte para bicicleta
Para qualquer tipo
de bicicleta.
Pode ser fixado na
parede ou no teto.

MULTIUSO

SM01 SM02 SM03 • Suporte de parede • Com capa plástica • Fácil instalação

SM01

SM01 SM02 SM03 • Suporte de parede • Com capa plástica • Fácil instalação

SM02

SM01 SM02 SM03 • Suporte de parede • Com capa plástica • Fácil instalação

SM03

• Suporte de parede • Com capa plástica • Fácil instalação

• Suporte de parede • Com capa plástica • Fácil instalação

• Suporte de parede • Com capa plástica • Fácil instalação

LINHA PROJETORES

SBRP756 SBRP754 SBRP757 Possui braço prolongador, permite ajuste de altura Possui braço prolongador, permite
SBRP756 SBRP754 SBRP757 Possui braço prolongador, permite ajuste de altura Possui braço prolongador, permite
SBRP756 SBRP754 SBRP757 Possui braço prolongador, permite ajuste de altura Possui braço prolongador, permite

SBRP756

SBRP754

SBRP757

Possui braço prolongador, permite ajuste de altura

Possui braço prolongador, permite ajuste de altura

Suporte de teto para projetor, possui engate rápido

68
68

Manual de treinamento para suportes de TV

MICRO-ONDAS

SBR3.4 SBR3.7 SBR3.6 SBR3.8 Sistema de fixação lateral Permite ajuste de largura Braço ajustável

SBR3.4

SBR3.4 SBR3.7 SBR3.6 SBR3.8 Sistema de fixação lateral Permite ajuste de largura Braço ajustável

SBR3.7

SBR3.4 SBR3.7 SBR3.6 SBR3.8 Sistema de fixação lateral Permite ajuste de largura Braço ajustável

SBR3.6

SBR3.4 SBR3.7 SBR3.6 SBR3.8 Sistema de fixação lateral Permite ajuste de largura Braço ajustável

SBR3.8

Sistema de fixação lateral Permite ajuste de largura Braço ajustável

Sistema de fixação lateral Permite ajuste de largura Braço ajustável
Conheça toda a nossa linha de produtos em: www.brasforma.com.br 69

Conheça toda a nossa linha de produtos em: www.brasforma.com.br

69
69
• Utilize equipamentos de proteção individual. • Organize seu material de trabalho. • • •
• Utilize equipamentos de proteção individual. • Organize seu material de trabalho. • • •
• Utilize equipamentos de proteção individual. • Organize seu material de trabalho. • • •
Utilize equipamentos de proteção individual.
Organize seu material de trabalho.

Boas práticas para instalação e para a vida

Certifique-se que está levando tudo que precisa para realizar seu trabalho.

Cole um envelope com uma fita dupla face embaixo do local a ser furado; essa solução coleta o pó que sai do furo, facilitando a limpeza após concluir o serviço.

Seja cordial; isso facilita o relacionamento e garante futuras indicações.

• Peça licença ao ter que entrar em outros ambientes da casa.

• Ouça com atenção as informações e/ou restrições que o cliente apresentar.

• Entenda as necessidades do seu cliente, tire as dúvidas dele.

• Explique o que e como o trabalho será realizado e como as informações e/ou restrições, feitas pelo cliente, serão levadas em conta no decorrer do trabalho.

• Demonstre conhecimento e segurança no trabalho que está realizando.

• Faça um acompanhamento após o serviço, levando em conta erros e acertos.

• Fale a verdade e cumpra sempre aquilo que foi prometido.

• Busque sempre reduzir prazos e acelerar processos.

• Planeje bem os custos e cobre de forma justa.

• Tente se adequar ao máximo ao cliente sem perder qualidade.

• Seja ágil e rápido no atendimento, mas sem deixar a qualidade de lado.

• Deixe seu cartão citando todos os tipos de instalações que você realiza.

• Mantenha o local limpo e organizado, após o término do trabalho.

70
70

Manual de treinamento para suportes de TV

Agradecimento Gostaríamos de agradecer a todos que contribuíram na criação deste manual e também na

Agradecimento

Gostaríamos de agradecer a todos que contribuíram na criação deste manual e também na confiança depositada em nossas marcas e produtos.

Acreditamos que o treinamento e capacitação de nossos parceiros é fundamental para o bom entendimento das técnicas utilizadas para a instalação de nossos produtos, e que as informações transmitidas por este manual irão contribuir profundamente para o sucesso do seu trabalho!

Obrigado!
Obrigado!
informações transmitidas por este manual irão contribuir profundamente para o sucesso do seu trabalho! Obrigado! by
by 71
by
71
www.brasforma.com.br 72 Manual de treinamento para antenas by www.sinalantenas.com.br
www.brasforma.com.br 72 Manual de treinamento para antenas by www.sinalantenas.com.br
www.brasforma.com.br 72 Manual de treinamento para antenas by www.sinalantenas.com.br
www.brasforma.com.br 72 Manual de treinamento para antenas by www.sinalantenas.com.br

www.brasforma.com.br

72
72

Manual de treinamento para antenas

by www.sinalantenas.com.br
by
www.sinalantenas.com.br