Você está na página 1de 26

AGENTES FÍSICOS

RUÍDO
•INTRODUÇÃO - LEGISLAÇÃO

• Normas Brasileiras:
•NBR – 10151- Acústica - Avaliação do ruído nas áreas habitadas visando
o conforto da comunidade – Procedimentos
•NBR – 10152 - Níveis de ruído para conforto acústico
•Legislação do Ministério do Trabalho (NR – 15 Anexos 01 e 02)
•INSS (Regulamento da Previdência e Instrução Normativa nº 20 de
10/10/2007; 27 de 02/05/2008 e 29 de 06/06/2008
•NHO – 01;
• Limites de Tolerância: MTE, Previdência Social e ACGIH.

•2
•Profa.Eliane Maria Gorga Lago, M.Sc.
•INTRODUÇÃO
•Base de
•Dados de •Fato
dados consulta gerador

•PPP X
GFIP
PPRA PCMSO LTCAT PPP C CG
A I F
•RECONHECIMENTO Avaliação e Laudo OBRIGATÓRIO
•AVALIAÇÃO controle da técnico de 01/01/04
T P I
•CONTROLE
saúde laboral condições AP
dos riscos do dos
ambiente de trabalho ambientais
funcionários

•3
•Profa.Eliane Maria Gorga Lago, M.Sc.
O SOM
• A geração do som é causada pela variação da pressão ou da
velocidade das moléculas do meio:

– O som é uma forma de energia que é


transmitida pela colisão das moléculas
do meio, umas contra as outras,
sucessivamente.

– A sensação ocorrerá quando a


amplitudes destas flutuações e a
freqüência com que elas se repetem
estiverem dentro de determinadas
faixas de valores.
O RUÍDO
• O ruído é definido, fisicamente, como uma mistura de sons, que
acontece com características indefinidas de variação da pressão,
quando no ar, em função da frequência.

• As vibrações ocorrem
desordenadamente, sem
harmonia. Subjetivamente se
apresenta como um som
desagradável e indesejável, que
pode causar danos.
Ondas de pressão sonora
• Acima da faixa: dor

• Som
Amplitude
SOM
• Abaixo da faixa: não
audí
audível
FLUTUAÇ
FLUTUAÇÕES
DE PRESSÃO

• Ultrasom:
Ultrasom: não audí
audível

Freqü
Freqüência • Som

• Infrasom:
Infrasom: não audí
audível

MEIO
COMPRESSÍ
COMPRESSÍVEL
AS ONDAS DE PRESSÃO SONORA
Pt

≈1.000 mbar P = Pt - P a (Amplitude de pressão acústica)


Pa
Silêncio

Tempo

Na faixa de freqüências de 20 a O ouvido humano não é


20.000 Hz as ondas de pressão no igualmente sensível ao longo
meio podem ser audíveis. desta faixa de freqüência.

Pressões da ordem de 2 x 10-7 Pequenas variações de pressão


milibar ou 2 x 10-5 Pa pode ser (como 10-1 milibar ou 10 Pa) pode
detectada, na faixa mais sensível produzir um ruído desconfortável
da audição (1.000 Hz a 4.000 Hz).
NÍVEL DE PRESSÃO SONORA – O decibel (dB)
Limiar de Limiar
audição de dor
I0 I
1.000 Hz

1014 x I0

CRIANDO UMA ESCALA DECIMAL

100.I0 102.I0 104.I0 106.I0 108.I0 1010.I0 1012.I0 1014.I0

101. I0 103.I0 105.I0 107.I0 109.I0 1011.I0 1013.I0


NÍVEL DE PRESSÃO SONORA – O decibel (dB)

UMA ESCALA MAIS ADEQUADA SERIA “LOG 10”

log 100 log 102 log 104 log 106 log 108 log 1010 log 1012 log 1014

log 101 log 103 log 105 log 107 log 109 log 1011 log 1013

RESULTADO

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 (B)

0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 110 120 130 140 (dB)

10 log 10 X = 10x dB
NÍVEL DE PRESSÃO SONORA – O decibel (dB)

Nível de int. acústica - NI: NI = 10 log I/I0

Considerando que: P02 = ρ c I0 e P2 = ρ c I

Nível de pres. sonora – NPS: NPS = 10 log P2/P02 = 20. log P/P0

Onde: P = pressão sonora encontrada no


ambiente em Pa

P0 = Pressão sonora de referência


NÍVEL DE PRESSÃO SONORA – O decibel (dB)
Exemplo:
Um (1) dB é a menor variação que o ouvido humano pode perceber. Mostre que um
acréscimo de 6 dB no nível de pressão sonora equivale a dobrar a pressão acústica.

Para P = 0,1 Pa temos que:


2
 0,1 
NPS = 10 log P2/P02 =10 • log   = 74 dB
−5 
 2 ×10 

Para P = 0,2 Pa temos que:


2
 0,2 
NPS = 10 log P2/P02 =10 • log   = 80 dB
−5 
 2 ×10 
ADIÇÃO DOS NÍVEIS DE RUÍDO

90 dBA + 90 dBA = 93 dBA

+ = 96 dBA = 360 dBA !

90 dBA + 90 dBA = 93 dBA

Um aumento de 3 dBA é o dobro da energia acústica

Profa.Eliane Maria Gorga Lago, M.Sc.


ADIÇÃO DOS NÍVEIS DE RUÍDO

P12
Pt 2 = P12 + P22 porém NPS 1 = 10 log 2
P0
NPS 1
Então : P12 = P02 × 10 10

Desenvolvendo temos :
 NPS 1 NPS 2 NPS n

NPSt = 10 log ∑ 10 10 + 10 10 + ..... + 10 10 

 
ADIÇÃO DOS NÍVEIS DE RUÍDO

EXERCÍCIO 01.

85 dB(A) + 85 dB(A) = 88 dB(A)

NPSt = 10 log Σ (10NPS1/10+10NPS2/10)

NPSt = 10 log Σ (108,5+108,5) = 10 log ∑ 2.108,5

NPSt = 10. (log 2 + 8,5 log 10) = 10.(0,30+8,5)

NPSt = 10 x 8,80

NPSt = 88 dB(A)

Profa.Eliane Maria Gorga Lago, M.Sc.


ADIÇÃO DOS NÍVEIS DE RUÍDO

EXERCÍCIO 02.

80 dB(A) + 80 dB(A) + 80 dB(A) + 80 dB(A) = 86 dB(A)

NPSt = 10Log Σ (10NPS1/10+10NPS2/10 +10NPS3/10+10NPS4/10)

NPSt = 10Log Σ (108,0+108,0+108,0+108,0)

NPSt = 10Log (4. 108) = 10.(log 4 + 8 log 10) = 10.(0,60+8)

NPSt = 10 x 8,60

NPSt = 86 dB(A)
Profa.Eliane Maria Gorga Lago, M.Sc.
ADIÇÃO DOS NÍVEIS DE RUÍDO

EXERCÍCIO 03.

90 dB(A) + 90 dB(A) + 90 dB(A) = 94,7 dB(A)

NPSt = 10Log Σ (10NPS1/10+10NPS2/10 +10NPS3/10)

NPSt = 10Log Σ (109,0+109,0+109,0)

NPSt = 10Log (3. 109) = 10.(log 3 + 9 log 10) = 10.(0,47+9)

NPSt = 10 x 9,47

NPSt = 94,7 dB(A)


Profa.Eliane Maria Gorga Lago, M.Sc.
ADIÇÃO DOS NÍVEIS DE RUÍDO

EXERCÍCIO 04.

90 dB(A) + 84 dB(A) = 90,97 dB(A)

NPSt = 10Log Σ (10NPS1/10+10NPS2/10)

NPSt = 10Log Σ (109,0+108,4)

NPSt = 10Log 1.251.188.643

NPSt = 10 x 9,097

NPSt = 90,97 dB(A)


Profa.Eliane Maria Gorga Lago, M.Sc.
ADIÇÃO DOS NÍVEIS DE RUÍDO

Profa.Eliane Maria Gorga Lago, M.Sc.


SUBTRAÇÃO DOS NÍVEIS RUÍDO

RUÍDO DE FUNDO:
Quando existe mais de uma fonte geradora de ruído;

NPSp = NPSt – NPSf

Se a diferença for < 3dB(A) o nível de fundo é muito alto para uma
Medição confiável;

Se a diferença for entre 3dB(A) e 10 dB(A), uma correção será


Necessária;

Se a diferença for maior que 10dB(A), nenhuma correção será


Necessária.

Profa.Eliane Maria Gorga Lago, M.Sc.


SUBTRAÇÃO DOS NÍVEIS RUÍDO

(dB)
∆NPS

25

26

27
NPSt – NPSf (dB)
28
Profa.Eliane Maria Gorga Lago, M.Sc.
SUBTRAÇÃO DOS NÍVEIS RUÍDO

EXEMPLO:
CASA DE PAGODE

(Rua passando carros + Casa de Pagode): NPSt = 99 dB(A)


Rua passando carros: NPSf = 95 dB(A)

NPS total = NPSp + NPSf = 99 dB(A)


NPS ruído = NPSf = 95 dB(A)
Diferença = 4 dB(A) ⇒ ∆NPS = 2 dB(A)

CASA DE PAGODE: NPSp = 97dB(A)

Profa.Eliane Maria Gorga Lago, M.Sc.


SUBTRAÇÃO DOS NÍVEIS RUÍDO

EXERCÍCIO 01.
DISCOTECA + RUA = 103 dB(A)
RUA = 95 dB(A)

NPSt = 103 dB(A)

NPSf = 95 dB(A)
DIFERENÇA = NPSt – NPSf = 8 dB(A)

NPSD = NPSt – ∆NPS

NPSD = 10Log Σ (10NPSt/10 – 10NPSf/10)


NPSD = 10Log Σ (1010,3 – 109,5)

NPSD = 102,2 dB(A)

Profa.Eliane Maria Gorga Lago, M.Sc.


SUBTRAÇÃO DOS NÍVEIS RUÍDO

EXERCÍCIO 02.
RESTAURANTE + RUA = 94 dB(A)
RUA = 92 dB(A)

DIFERENÇA = NPSt – NPSf = 2 dB(A)

NPSr = NPSt – ∆NPS

NPSr = 10Log Σ (10NPSt/10 – 10NPSf/10)

NPSr = 10Log Σ (109,4 – 109,2)

NPSr = 89,67 dB(A)


RUÍDO DE FUNDO É MUITO ALTO PARA UMA
AVALIAÇÃO CONFIÁVEL.
Profa.Eliane Maria Gorga Lago, M.Sc.
SUBTRAÇÃO DOS NÍVEIS RUÍDO

EXERCÍCIO 03.
LANCHONETE + RUA = 88 dB(A)

RUA = 88 dB(A)
NPSt = 88 dB(A)

NPSf = 88 dB(A)
DIFERENÇA = NPSt – NPSf = 0 dB(A)
NPSl = NPSt – ∆NPS
NPSl = 10Log Σ (10NPSt/10 – 10NPSf/10)

NPSl = 10Log Σ (108,8 – 108,8)

NPSl = NÃO HÁ CORREÇÃO: RUÍDO DE FUNDO É MUITO


ALTO PARA UMA AVALIAÇÃO CONFIÁVEL.
Profa.Eliane Maria Gorga Lago, M.Sc.
GRANDEZAS ENVOLVIDAS

Grandeza Unidade Valor de referência


Intensidade watts/m2 I0 = 10-12 W/m2
acústica
Pressão N/m2 (Pa) P0 = 2 x 10-5 Pa
acústica

Onde:
I0 α P02 ⇒ P02 = ρ.c.I0 = 1,21.343.10-12 = 0,00002 = 2x10-5 N/m2 (Pa)
FIM