Você está na página 1de 29

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

DEPARTAMENTO DE ARTES E DESIGN


CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS

A CONTRIBUICÃO DA ARTE DA COSTURA NO CONTEXTO


EDUCACIONAL BRASILEIRO

NEUZA MENEZES RODRIGUES

SÃO CRISTOVÃO
2018
NEUZA MENEZES RODRIGUES

A CONTRIBUICÃO DA ARTE DA COSTURA NO CONTEXTO


EDUCACIONAL BRASILEIRO

Trabalho de Conclusão de Curso como exigência


para obtenção do Diploma do Curso de
Licenciatura em Artes Visuais da Universidade
Federal de Sergipe.

Orientadora: Prof.ª Drª Francisca Argentina Gois


Barros

SÃO CRISTOVÃO
2018
NEUZA MENEZES RODRIGUES

A CONTRIBUICÃO DA ARTE DA COSTURA NO CONTEXTO


EDUCACIONAL BRASILEIRO

Monografia entregue como exigência parcial para a obtenção do titulo de


Licenciatura em Artes Visuais, a comissão julgadora da Universidade Federal
de Sergipe

Aprovada em / /

Banca Examinadora

Profº Drº Otávio Luiz Cabral Ferreira

Profª Danielle Virginia Santos Guimarães Marinho

Orientadora Prof. Drª Francisca Argentina Gois Barros


"A arte consiste em fazer os outros sentir o que nós sentimos, em os
libertar deles mesmos, propondo-lhes a nossa personalidade para
especial libertação."
Fernando Pessoa
AGRADECIMENTOS

A Deus por ter me dado saúde e força para superar as dificuldades.


Aos meus pais, pelo amor, incentivo е apoio incondicional.
A esta universidade, seu corpo docente, direção e administração
A minha orientadora Drª Francisca Argentina Gois Barros, pelo suporte no pouco
tempo que lhe coube, pelas suas correções e incentivos.
Aos meus pais, pelo amor, incentivo e apoio incondicional.
E a todos que direta ou indiretamente fizeram parte da minha formação, o meu muito
obrigado.
“A arte diz o indizível, exprime o
inexprimível, traduz o intraduzível”.

Leonardo da Vinci
RESUMO

Com este estudo foi realizado uma pesquisa para conhecer as origens da arte do
corte e costura com destaque para seu reflexo classificante do status social e
globalizante da moda. Sera discutido a questao cultural da moda que neutraliza o
multiculturismo da moda. Bem como desenvolve-se o nascedouro da arte da
costura, seus problemas e como levar esta cultura regional para o seio escolar. O
estudo começa com o historico da arte em sua primitividade, adentra os atélies de
moda, e mostrará as tecnicas básicas da arte da costura, sera dado enfoque a arte
local da renda irlandesa e de bilros desenvolvida nos municipios sergipanos

Palavras-chave: costura, artes, moda.


ABSTRACT

This study was conducted a survey to know the origins of the art of cutting and
sewing with emphasis to its classificante reflex of social status and comprehensive
fashion. Sera discussed the question of cultural fashion which neutralizes the
multiculturismo of fashion. As well as it develops the birthplace of the art of sewing,
their problems and how to bring this regional culture to the school

Keywords: sewing,arts,fashion
LISTA DE FIGURAS

Figura 1 – Roupa no Periodo Pré -Histórico 15


Figura 2 – Tear Mecânico 17
10

Sumário

AGRADECIMENTOS.............................................................................................................. 6
RESUMO................................................................................................................................ 8
ABSTRACT............................................................................................................................. 9
LISTA DE FIGURAS.............................................................................................................. 10
INTRODUÇÃO...................................................................................................................... 12
2. CAPÍTULO 1..................................................................................................................... 14
2.1 – Breve História do Corte e Costura............................................................................14
2.2 - Alta Costura………………………..............................................................................16
3. CAPÍTULO ....................................................................................................................... 20
3.1 – Oficina de Arte.......................................................................................................... 20
4. CAPÍTULO ....................................................................................................................... 25
4.1 – Técnica do Corte e Costura......................................................................................25
CONSIDERAÇÕES FINAIS..................................................................................................26
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS......................................................................................27
11

INTRODUÇÃO

A arte da costura sempre expressou ao longo dos anos um aflorar de sentimentos e


emoções, intimamento ligado ao cotidiano social, através da costura desenvolvida
nas residencias mais humildes até os ateliês, representando assim uma apropriação
estética da época , da classe social, da cultura que permeia este meio. Este trabalho
de Conclusão de Curso buscará trazer este universo multicultural para dentro da
escola, através de praticas pedagógicas deste aluno ser tornar protagonista da visão
cultural de seu berço familiar, sensibilizando a escola a sentir-se parte de um
contexto maior, e não somente de reproduzir conhecimentos.

De forma geral, A costura acompanha os hábitos mais arraigados da sociedade, a


princípio somente as meninas eram instruídas neste ofício desde a mais tenra idade
para fornecimento de roupas da entidade familiar, com o passar dos tempos tornou-
se uma fonte de renda para as mulheres casadas, pois era o único ofício permitido
“as senhoras casadas”, somente em meados do século XIX, com o advento da
máquina de costura, o serviço tornou-se mais rápido e prático.

Diante das intempéries sociais esta “moda de costura” tem sofrido o impacto da
industrialização, dentro de um contexto de globalização, que se não aniquila, reduz
as culturas regionais. Em Sergipe, esta cultura preservada até hoje, nas cidades de
Maruim e Divina Pastora , resistem devido a criação de cooperativas, mas segundo
os dados colhidos e referenciados a renda é muito pequena, além de ter um tempo
para produzir uma única peça de dois a três meses.

O objetivo deste trabalho foi de trazer para o âmbito da escola este “saber fazer”
propiciando e possibilitando mostrar esta estética do cotidiano em que o aluno está
12

inserindo e a multiculturalidade como agente multiplicador desta estética.

Para o desenvolvimento do trabalho foram utilizados pesquisa bibliográfica e de


campo, bem como estudo de casos. A pesquisa bibliográfica utilizou-se pesquisas
em livros e na internet, foram realizados pesquisas de campo, através do uso de
questionários, nas cidades aplicadas em Divina Pastora e Maruim.

O trabalho estrutura-se em quatro capítulos, apresentando-se no primeiro a história


da costura, no segundo capítulo será abordada a técnica da costura, e seus
acessórios principais, tendo no capítulo terceiro uma abordagem regional de uma
técnica de costura desenvolvida localmente, tendo no capítulo quatro a
apresentação do mundo de criação e trabalhos coletados, através da coleta de
informações no polo local.
13

2.0 - BREVE HISTÓRIA DO CORTE E COSTURA


A arte de costurar é tão antiga quanto o é a história da nossa evolução.

http://oradspi-comunicacion.blogspot.com.br/2011/04/articulo-prehistoria.html
10.02.2018

O homem, mais precisamente o seu aspecto feminino, ou seja, a mulher, já


tecia suas roupas, rudimentares, como não poderia deixar de ser; e seus embornais,
equivalentes as nossas sacolas de hoje para que pudessem armazenar e transportar
seus bens. Parcos. Elas, as mulheres, eram as responsáveis por limpar as caças
que os homens abatiam, embora em alguns Clãs esta atividade também fosse
pertinente a elas. A princípio as peles eram cosidas da maneira mais simples
possível. O processo era constituído de: Esticavam-se as peles sobre pedras planas,
com o auxilio de facas de sílex, ou ossos lascados, eram feitos buracos no tecido, e
os mesmos eram unidos com fios de tripa, tendões e até mesmo fibras de sisal. Mas
este processo gerava o endurecimento e a putrefação do couro, o que tornava
incomodo o seu uso.

Com o passar do tempo, já adentrando o período médio do paleolítico as


mulheres começaram a curtir e amaciar o couro. Para tanto elas utilizavam o
seguinte método: As peles eram lavadas e postas a secar ao sol. Em seguida eram
raspadas com facas ou pedras. Porem este método deixava as peles muito duras.
Então passaram a secá-las na sombra e após a secagem, elas as raspavam com
14

facas e pedras para que se tornassem mais maleáveis.Mais adiante, e após terem
descoberto os métodos próprios para entrelaçarem os juncos e a partir daí fabricar
vários utensílios domésticos, elas introduziram na arte de curtir o couro, um método
muito parecido com os dos dias atuais no que tange a curtição dos mesmos de
forma caseira, as peles eram mergulhadas ainda com os pelos, em uma mistura de
água, cinzas e urina, dentro de cestas tecidas a partir do sisal e cujas tramas eram
tão unidas que evitavam o esvair dos líquidosDias depois a pele em curtição era
lavada em água e posta para secar na sombra. Em seguida os pelos dos animais
eram raspados e a pele era novamente lavada. Após a secagem, gordura animal era
esfregada vigorosamente em ambos os lados. Nesse momento a pele estava pronta
para receber determinadas colorações.

A mais comum era a coloração feita a partir do ato de triturar pedras macias
de tom vermelho. O pó triturado era então espalhado em ambos os lados, e também
esfregado energicamente para entranhar no couro. Estava pronto o tecido que iria
dar forma a mantos, vestidos, culotes, sapatos e alforjes. Foi neste período que
surgiram as primeiras agulhas de ossos, de mamute ou de marfim. E as peles foram
os primeiros tecidos a cobrirem os corpos humanos, não pelo pudor, mas sim pelas
necessidades climáticas e até mesmo pelo início do conceito da estética.
15

Os primeiros teares datam deste período, os mesmos eram improvisados no


meio de dois galhos de árvores fincados no solo, para procederem ao
entrelaçamento dos fios.

https://mdcvillafranca.blogspot.com.br/2010/04/unidad-13-la-prehistoria-5-de-primaria.html

As areias do tempo vão rolando em direção ao Neolítico, ou Nova Idade da


Pedra e eis que surge a Roca. Rudimentar roca de madeira. Com o passar dos
séculos, os teares sofreram valiosas melhorias, conquanto pouco progresso técnico
tenha sido feito até o século 19. Os tecidos eram costurados inexoravelmente a
mão, dando forma as vestimentas de filhos, maridos, pais, irmãos e etc. Como ao
longo do dia as mulheres se encontravam sobrecarregadas pelos exaustivos
afazeres domésticos, elas costuravam do cair da tarde até tarde da noite, a luz das
fogueiras, velas de sebo, lamparinas e lampiões.

Dizem as fontes de pesquisa que a primeira máquina de costura surgiu em


1829, concebida pelo francês Barthélemy Thimmonier para costurar os uniformes
militares. E que em 1850 o ator e inventor Isaac Merrit Singer ao ver esta máquina
funcionando apreciou a idéia e procedendo a algumas modificações concebeu um
modelo caseiro. A sua era uma máquina mais pratica e bem menor do que a do seu
colega. Esta maquina de costura para tarefas caseiras facilitou a vida das mulheres
na feitura de colchas, camisas, saias , e tudo o mais que pertencia a este universo.
16

A tecelagem, técnica de entrelaçar fios transversalmente e longitudinalmente,


de forma a se obter tecidos, também só veio a surgir ha mais de cinco mil anos, seu
aperfeicoamento levou a profissão de costureiro, de principio a costura servia para
“encobrir” a nudez, e de proteger do frio, calor etc., até que no periodo neolitico já se
usava da roupa como uma estética do vestimento, esta cidade era conhecida como
Cataç Huytuk, mais tarde os egipcios e os sumerios tambem assim procederam, um
forte legado para o corte e costura foi encontrado na idade media.

http://marta-myana-ap.blogspot.com.br/2009/11/trajes-medievais.html
10.02.2018

Este ramo comecou a movimentar dinheiro, pois as roupas eram tecidas com
pedrarias, passando a aser um ramo lucrativo e concorrido. A costura teve um
caráter artesanal até a Segundo Durand, a Alta Costura é o artesanato de luxo que
veste mulheres de elite. As clientes são geralmente esposas, filhas ou outras
parentes de grandes homens de negócios, políticos ou membros das altas cúpulas
do Estado.
17

Em geral famílias socialmente mais ativas que mantém calendários mais


repletos de festas, viagens, recepções e cerimônias. DURAND, (1989, 47).

https://www.facebook.com/dalvitta/
10.02.2018

Ainda segundo Durand, Alta Costura começou a existir em países onde houve
nobreza de tradição e vida de corte que costumava definir os termos de refinamento,
de maneiras e de exclusividade social. A Alta Costura vestia também mulheres de
alta burguesia que acabam se misturando a nobreza pelo casamento, frequentando
os mesmos lugares e os mesmo s costureiros.”

Artista, Cantoras líricas, atrizes de teatro, cinema e televisão, pop stars


multiplicaram o impacto de seu desempenho em público vestindo-se com requinte, a
ponto de tornar obrigatório, para uma carreira realmente de êxito, Também se
vestiram e se vestem ainda com roupas de Alta Costura mulheres que circulam na
alta sociedade sem o respaldo do casamento e da vida familiar, fazendo valer
socialmente o encanto de um belo rosto ou de corpo atraente. Conhecidas como
cocottes, amantes de um ou mais poderosos, cuja riqueza e poder elas exprimiam
em um visual de alto impacto e poder de sedução. – Queila Ferra.História da Alta
Costura – Evolução e Conceitos
18

No século XIX as senhoras dos clãs tendiam a usar roupas mais discretas,
chamado luxo distinto. Atrizes e cocottes eram as “cobaias” dos “laboratórios” da Alta
Costura de vanguarda, aquelas clientes que mais permitiam ao costureiro soltar a
imaginação. A Revolução Industrial. Entre as várias mudanças que essa época
trouxe, a costura em escala industrial foi uma delas. É nítida essa mudança em
países como a Inglaterra, em que a área dos tecidos foi uma das mais atingidas pela
Revolução Industrial. Nessa época, começaram a ser feitas máquinas que
realizassem mais costuras que os alfaiates faziam, de forma mais rápida e com uma
padronização na produção que não podia ser repetida pelos artesãos.

http://mundodasmarcas.blogspot.com.br/2006/07/lee-brand-that-fits.html
19

OFICINAS DE ARTE – AS ARTES INFLUENCIANDO O MULTICULTURISMO


BRASILEIRO.

A partir dos aos 70, as politicas educacionais vem sofrendo constantes


transformações de modo a se adequar as constantes mudanças no cenário
Nacional.,com a “Proposta Triangular”, idealizada por Ana Mae Barbosa, a Arte-
Educação iria redirecionar o ensino da arte de modo tão profundo que dificilmente
haveria volta,uma abordagem que tornasse a arte não só um instrumento do
desenvolvimento das crianças, mas principalmente um componente de sua herança
cultural (BARBOSA, 2009). através do uso de oficinas de arte na escola, levando a
contribuição do corte e costura pretendeu desenvolver habilidades
diferenciadas,fazendo com que os alunos passassem através da modelagem a
trazer esta multicultura presente na região nordeste, ampliando sua percepção
estética através da costura, ampliando as suas possibilidades seja no setor
financeiro, social e até mesmo pessoal, com as habilidades que a área de corte e
costura pode proporcionar.

http://associacaoacaocidadacaruaru.blogspot.com.br/2013/11/a-associacao-acao-cidada-promove-mais.html

A abordagem da estetica do cotidiano, segundo Richter(2008), afirma que


deve ser preservado o encantamento do universo estetico do sugeito, defendendo
uma educação intercultural voltada para o sensível que pode ser um campo de
20

práticas pedagogicas, através de 03 pontos basicos: identificar os conceitos de


estética do cotidiano; (2) salientar a importância da experiência e vivência estética
no cotidiano das pessoas; (3) fomentar novos olhares na perspectiva dessa estética
para o ensino da arte.

Segundo ainda Duarte Júnior (1981) que corrobora das ideias de Richter
quando atesta que a arte é produto de uma cultura e de um determinado período
histórico, onde os sentimentos de um povo com relação às questões humanas são
expressados. A estética na educação permite o acesso ao desenvolvimento cultural
e atua como promotora de significações e valores estéticos de uma determinada
época e do ambiente no qual o indivíduo vive., dentro dos trabalhos de campos,
levantados através de questionários, ficou nítido que cada região desenvolveu desde
o berço mais longinquo uma cultura própria, passada de pai para filho, dentro de
uma teia de “amizades” unidas para se auto preservar.

A TECNICA DO CORTE E COSTURA

A tecnica basica da costura vem expressa em diversas apostilas, cursos, ou


no cotidiano ainda de algumas famílias, na revista eletrônica conhecida como “wiki
HOW”, como fazer de tudo , é esclarecido como desenvolver esta tecnica, inicia-se
com a escolha de todos apetrechos necessários:
Conheça as ferramentas necessárias. Serão necessárias várias coisas para
costurar, fazer os moldes e medi-los para garantir que sejam do tamanho certo para
você. Será preciso aprender a usar cada ferramenta.
• Ferro e tábua de passar: a princípio,
• Desmancha-pontos: ele será usado para abrir os pontos feitos por engano.
• Giz de alfaiate: é necessário para que se saiba onde cortar e onde costurar.
• Tesoura afiada específica para tecidos, pois esse tipo não perde o corte com
21

tanta facilidade, o que poderia desfiar o material.


• Papel pardo para fazer os moldes.
• Réguas para medir a peça em diferentes estágios.
• Fita métrica para tirar medidas e fazer ajustes quando necessários.
• Alfinetes para prender o tecido no lugar antes de começar a costurar.

Compre uma máquina de costura. Há basicamente dois tipos: domésticas e


industriais. Existem prós e contras em ambas as categorias, portanto pesquise bem
antes de se decidir.
• Uma máquina de costura doméstica tende a ser mais portátil. Além disso, a
variedade de pontos é maior. Entretanto, não têm boa funcionalidade em
termos de velocidade e potência e não funcionam muito bem em tecidos mais
grossos.
• Por outro lado, as máquinas industriais são muito mais rápidas e poderosas.
Porém, tendem a fazer apenas um tipo de ponto. Claro que a execução desse
ponto é muito boa, mas essas máquinas não são nada versáteis. Outro
detalhe é que elas ocupam muito mais espaço

Conheça as partes da máquina de costura. O produto geralmente vem com um


manual de instruções, o qual vai lhe mostrar para qual direção a carretilha vai girar e
onde a caixa de bobina fica. No entanto, será preciso saber pelo menos os
componentes mais básicos da máquina antes de começar a se divertir.
• O pino porta-carretel controla a direção da linha que passa pela máquina.
Dependendo do modelo, pode ser horizontal ou vertical.
• A carretilha é basicamente um eixo que precisa ser enrolado com a linha e
colocado dentro da caixa de bobina (que fica abaixo da chapa da agulha).
• A máquina também tem diversos ajustes para determinar o comprimento, a
tensão e o tipo de cada ponto.
• O tensor da linha da agulha controla, como o próprio nome já diz, a tensão da
22

linha. Se ela não estiver ajustada corretamente, a linha vai embolar dentro da
máquina.
• Se quiser, verifique se há algum curso na região ou qualquer pessoa
qualificada que deseje ensiná-lo a mexer na máquina de costura.

Comece devagar, ou seja, concentre-se em designs mais simples para não


correr o risco de ficar frustrado e largar tudo de mão. O melhor é começar
fazendo saias, pois essas peças exigem que você tire poucas medidas.
• No começo, evite também roupas com botões ou zíperesFaça peças
experimentais. Essa é a melhor maneira de garantir que o produto final saia
da melhor forma possível, pois, no protótipo, você poderá fazer todos os
ajustes necessários. O recomendado é usar retalhos do tecido escolhido para
a peça oficial.

https://pt.dreamstime.com/foto-de-stock-feche-acima-dos-retalhos-da-costura-da-m%C3%A3o-da-mulher-
23

image45563789

Esboce um molde utilizando as medidas tiradas anteriormente. Para pegar o


jeito, use uma peça similar como guia. Há muitos lugares nos quais você pode
encontrar ideias..As lojas de artesanato geralmente oferecem muitos moldes. Além
do mais, a internet é uma ajuda e tanto nesse processo.

http://moldesdicasmoda.com/calcas/

Forre o tecido escolhido numa superfície grande e plana e coloque os pedaços do


molde por cima dele.

https://www.youtube.com/watch?v=ljch2_wta1I

• Dobre o tecido, com os lados direitos juntos, alinhando bem as ourelas


(aquelas partes acabadas que impedem o material de desfiar). O ato de
24

dobrar vai facilitar o corte de algumas partes que precisam ser duplas
(mangas, pernas etc) e também de pedaços simétricos maiores.
• Se tiver algum pedaço simétrico que possa ser dobrado ao meio (as
costas da blusa, por exemplo), dobre o molde da mesma forma e prenda o
vinco com alfinetes ao vinco do tecido. Assim, vai poupar esforço e garantir
um corte mais perfeito.
• Para uma peça que "abrace" o corpo, o melhor é posicionar os
pedaços do molde a um ângulo de 45° da dobra (no viés).
• Se a peça não esticar, coloque os pedaços do molde a um ângulo de
90° em relação à dobra.

Passe o tecido para garantir que não haja nenhum amassado; do contrário, a
peça final vai ficar esquisita, já que o tecido vai sair de alinhamento.
Use alfinetes para prender o papel ao tecido. Não se esqueça de alinhá-los
perfeitamente.

http://www.singer.com.br/uma-almofada-pronta-para-o-natal/
25

Retire as peças do molde e, pronto, o processo de costura pode começar.


Use alfinetes para prender os pedaços ao longo das bordas a serem costuradas. Os
lados direitos precisam estar virados uns para os outros. Insira os alfinetes a um
ângulo de 90° da dobra para que não seja preciso removê-los enquanto costura.
Costure uma borda por vez, de uma ponta a outra, até completar toda a peça.

https://pt.wikihow.com/Fazer-Roupas-para-Ursinho-de-Pel%C3%BAcia

Use a máquina de costura corretamente. Primeiro, escolha agulha e linha


adequadas de acordo com o tecido utilizado.

• As técnicas serão diferentes de acordo com o material — fibras animal


(lã etc), natural (algodão etc) ou sintética (poliéster etc).
• Corra suavemente o tecido pela máquina.
26

https://www.youtube.com/watch?v=Hbp7QiaCsNk

Faça as bainhas para completar a peça.

• Dobre a borda com o lado avesso para dentro na largura desejada e prense
com o ferro. Dobre mais uma vez e prense novamente. Em seguida, costure
ao longo da borda superior interna.

https://www.youtube.com/watch?v=Fe9jys41Vc8

Dê os toques finais: botões, elásticos, zíperes, bordados etc. Conforme for


avançando no corte e costura, mais criativa poderá ficar nesse passo

https://www.youtube.com/watch?v=VGc1RbTSS30
27
28

CONCLUSÂO

A perspectiva do olhar para a estética do cotidiano enriquecida pelo multiculturalismo


é uma das propostas que influenciam o ensino da arte na atualidade. Este enfoque
focado na percepção pessoal da vivencia estética ajudará e disciplinará novas
concep~~oes do ver a moda, do ver o mundo, tornando estes alunos protagonistas
de sua historia. Nossa proposta foi de trazer uma contribuição das artes visuais do
corte e costura para as diferentes culturas brasileiras, em detrimento da moda
concebida na revolução industrial do produto de “massa”, respeitando a
particularidade, a riqueza local.
29

BIBLIOGRAFIA

DUARTE JIJNIOR., João Francisco. Fundamentos da educação. São Paulo:


Cortez: Autores Associados: Uberlândia, MG: Universidadede Uberlândia, 1981.

MASON, Rachei. Por uma arte-educação multiculturalra. Campinas, SP: Mercado de


Letras,2001.

PRADO, Adélia. Impressionista. In: Bagagem. Rio dê Janeiro: Record, 2010.

RICHTER, Ivone Mendes. Intercuituralidade e estética do cotidiano no ensino das


artes visuais. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2008.