Você está na página 1de 67

ENERGIA EÓLICA

1 - INTRODUÇÃO

A Energia Eólica é atualmente considerada uma das mais


promissoras fontes renováveis de energia, principalmente
devido ao grande avanço tecnológico ocorrido na Europa e
Estados Unidos. Turbinas eólicas — instaladas isoladamente,
ou em pequenos grupos de quatro ou cinco ou, ainda, em

fazendas eólicas de mais de quinze aerogeradores.


HISTÓRICO
 2000 a.c. – placas ou velas para produzir trabalho
(navegação no oriente)
 Século XIV (1500 d.c.) na Holanda e Europa –
Moinhos de Vento
 Século XIX (1863 d.c.) nos E.U.A. – Cataventos
Multipás para Bombeamento de Água
 1930 – E.U.A. – Uso de Aerogeradores para
carregamento de baterias.
 1940 e 1950 – Turbinas Eólicas para Geração de
Eletricidade
 1970 aos Dias Atuais – Crescimento da contribuição
da Aerogeração na Produção de Energia Eletrica –
Europa e EUA
VANTAGENS DA ENERGIA
EÓLICA
 Rapidez de Implantação
 Enorme Potencial Eólico no Brasil
 Possibilidade de Interligação ao Sistema Elétrico
 Complementaridade Sazonal – Eólica e Hidráulica
 Ausência de Riscos Ambientais
 Redução na Emissão de CO2
 Viabilidade Econômica
PRINCÍPIOS DA ENERGIA
EÓLICA

 Avaliação dos Recurso Eólicos


 A energia do vento
 A força do vento
 A máxima potência extraída do vento
O VENTO E A ENERGIA
EÓLICA
 O vento é o ar em movimento devido ao aquecimento
desigual da superfície da terra pelo sol. A terra e seu
envelope de ar, a atmosfera, recebe mais calor solar
próximo ao Equador do que nas regiões polares. Mesmo
assim, as regiões equatoriais não ficam mais quentes a
cada ano, nem as polares ficam mais frias. É o movimento
do ar ao redor da terra que ameniza a temperatura extrema
e produz ventos na superfície tão úteis para a geração de
energia.
A FONTE EÓLICA :A quantidade de energia
disponível no vento varia de acordo com as estações e
as horas do dia. A topografia e a rugosidade do solo
também tem grande influência na distribuição de
freqüência de ocorrência de velocidade do vento em um
local. Além disso, a quantidade de energia eólica
extraível numa região depende das características de
desempenho, altura de operação e espaçamento
horizontal dos sistemas de conversão de energia eólica
instalados.

OS FATORES QUE AFETAM A FONTE EÓLICA SÃO:


ESTAÇÕES DO ANO / CLIMA / HORÁRIO / TOPOGRAFIA DO
TERRENO / RUGOSIDADE DO SOLO E ALTURA DE
OPERAÇÃO
VIDEOS

FORMAÇÃO DOS VENTOS;

AS CONDIÇÕES LOCAIS E OS VENTOS;

AVALIAÇÃO DO POTENCIAL EÓLICO.


FORÇA DO VENTO
AVALIAÇÃO DOS RECURSOS EÓLICOS

FATORES QUE INFLUENCIAM NA CAPTAÇÃO DA ENERGIA


EÓLICA:
• VELOCIDADE E DIREÇÃO DOS VENTOS;
• ALTURA DA TORRE;
• RUGOSIDADE DO TERRENO;
•VELOCIDADE MÉDIA ANUAL DOS VENTOS;
• OBS: ANEMÔMETRO: MEDE A VELOCIDADE DO VENTO E
TRANSMITE A INFORMAÇÃO PARA O CONTRLADOR.
AEROGERADORES

 A PRINCIPAL CARACTERÍSTICA DE UMA TURBINA EÓLICA É O


SEU ROTOR (PÁS E CUBO), QUE CONVERTE A ENERGIA CINÉTICA
DO VENTO EM ENERGIA ROTACIONAL NO EIXO PRINCIPAL
 OS AEROGERADORES PODEM SER, DE DOIS TIPOS:
 TURBINAS EÓLICAS DE EIXO HORIZONTAL OU
 TURBINAS EÓLICAS DE EIXO VERTICAL

 OBS: NO MERCADO ENCONTRAMOS AEROGERADORES QUE


OPERAM EM CORRENTE CONTÍNUA OU CORRENTE ALTERNADA
TURBINA EÓLICA DE EIXO VERTICAL
TURBINA EÓLICA DE EIXO HORIZONTAL
COMPONENTES DE UM SISTEMA EÓLICO

Os principais componentes de um sistema eólico para


aplicação isolada são: rotor. transmissão, controle conversor e
sistema de armazenamento.

O ROTOR é o componente destinado a captar a energia cinética


dos ventos e convertê-la em energia mecânica no eixo.

A TRANSMISSÃO é o mecanismo que transmite a energia


mecânica do eixo do rotor ao eixo do conversor (gerador).

O CONVERSOR (gerador) é o componente que tem a finalidade


de converter a energia mecânica do eixo em energia elétrica.
Podem ser dos tipos: gerador CC, gerador síncrono e gerador
de indução.
COMPONENTES DO
SISTEMA EÓLICO

Pás
Eixo de
Baixa
Velocidade Eixo de Alta
Velocidade
Rotor Caixa
Multiplicadora
Gerador

Torre
SISTEMAS DE ENERGIA EÓLICA

 PODEM SER DIVIDIDOS EM TRÊS CATEGORIAS PRINCIPAIS:

 SISTEMAS DE GRANDE DIMENSÃO, CONECTADOS À REDE;


 SISTEMAS HIBRIDOS DE MÉDIA DIMENSÃO;
 SISTEMAS EÓLICOS ISOLADOS DE PEQUENA DIMENSÃO
ELEMENTOS BÁSICOS PARA INSTALAR UM
GERADOR EÓLICO

 TURBINA EÓLICA;
 TORRE DE INSTALAÇÃO;
 CONTROLADOR DE CARGAS;
 BATERIAS;
 INVERSOR.
VIDEO:

SISTEMA EÓLICO PARA O MEIO RURAL


Componentes do Sistema de
Geração Eólica
Controlador de Carga

Aerogerador
Carga

Banco de Baterias Inversores 120V

12V
ENERGIA DO VENTO
 OS VENTOS: A energia eólica é a energia
cinética resultante da movimentação das
massas de ar na atmosfera. Sob ação de
diferentes pressões atmosféricas
continuamente variáveis que existem em
nosso planeta, o ar jamais permanece em
repouso, isto constitui o vento.
ENERGIA DO VENTO
1 Ec = Energia Cinética [Joules]
Ec  mv 2
m = massa do ar [kg]
2 v = velocidade do ar [m/s]
Ec
P 
t
A potência elétrica eólica disponível (Pd) do vento é:

1m Pd = Potência eólica disponível [W]


Pd   v 2 t = tempo [s]

2 t 
ENERGIA DO VENTO
m
   Av
t  Em que:
Pd = potência disponível [W]
 = densidade do ar [kg/m3]
1
P  Av 3 v = velocidade do vento [m/s]
A= área varrida pelas pás [m2]
2 D= diâmetro do rotor [m]
Ou :

1 D 3 2
Pd   v
2 4
 Coeficiente de potência: representa a
percentagem do potencial eólico disponível que
realmente é aproveitado no eixo do rotor e é
considerado igual a 0,3.
1
Pd  0,3 Av 3
2

Potência Útil
Potência Eolica Potência Teórica
Disponivel p/ Geração de
Aproveitavél
Eletricidade
100% 59%
30%

"Perdas "Perdas
 Fator de capacidade (Fc):
Pot. Gerada
Fc  fator de capacidade 
Pot. nominal
 Potência elétrica gerada, Pg = 0,3 x Pd x Fc

 Nos sistemas eólicos atuais, considerando que o


vento é bom em determinados períodos e mais
fraco ou inconstante em outros, o fator de
capacidade médio anual fica entre 30 e 45%:

 Pg = 0,3 x Pd x 0,3 (W)


Curva de Carga Diária Aerogerador AIR303 E 403
700
680
660 CDA 403 = 7,1204xV2 - 42,794xV +60,38 AIR403
640
620 CDA 303 = 6,1061xV2 - 44,245xV +90,143 AIR303

600
580
Distribuição de Rayleigh, k=2
560
540
520
500
480
460
Carga Diária (Ah/dia)

440
420
400
380
360
340
320
300
280
260
240
220
200
180
160
140
120
100
80
60
40
20
0
3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13
Velocidade do Vento (m/s)
DIMENSIONAMENTO E
ESCOLHA DE UM
AEROGERADOR PARA UMA
RESIDÊNCIA RURAL
Escolha e dimensionamento do
aerogerador e acessórios
• Passo 1) Calcular a velocidade média do vento no mês
crítico e o número de dias sem vento;
• Passo 2) Calcular a carga diária total da fonte de
consumo;
• Passo 3) Selecionar em curvas de desempenho de
aerogerados, os aerogeradores que fornecem a carga
diária total em função da velocidade média do vento do
local;
• Passo 4) Dimensionar o número de aerogeradores e os
demais componentes do sistema de geração eólica.
Cálculo da velocidade média
mensal do vento
• Deve-se realizar um estudo criterioso das variações da
velocidade do vento no local e na altura a ser instalado
o aerogerador (10 m é a altura padrão para pequenos
aerogeradores) durante um ano pelo menos, afim de
determinar o mês em que ocorrem menores
velocidades do vento.
• Deve-se utilizar anemômetros digitais ou
anemógrafos, que permitam registrar a velocidade do
vento de 10 em 10 min.
Cálculo da velocidade média
mensal do vento
• Exemplo: Verificou-se que na Região de Cascavel –
PR, o mês crítico é o mês de março, sendo que as
velocidades do vento distribuem-se ao longo do mês
conforme apresentado na tabela abaixo:
Número de Dias Velocidade Média do Vento (m/s)
10 8,0
11 7.8
7 7,0
3 0
Cálculo da velocidade média
mensal do vento

Vel .média 
8,0 10  7,8 11  7,0  7  0  3
10  11  7  3

Vel .média diária 


214,8
 6,93m / s
31
Esquema Elétrico da Residência
Rural
Quadro de Cargas da Residência
Descrição Potência (W) Tempo de Uso Consumo
(h/dia) (Wh/dia)
5 lâmpadas (9W)* 45 3 135

2 lâmpadas (11W)* 22 3 66

1 TV com receptor 90 4 360


*
1 Aparelho de som 25 1,5 37,5
*
1 Liqüidificador * 200 0,25 50
TOTAL 382 - 648,5

* Todas as cargas ligadas em tensão de 110V


Cálculo do consumo diário
corrigido
Considerando:
Perdas no banco de baterias = 5%
Perdas no banco na fiação = 2%
Perdas no inversor = 15%
Aumento de demanda = 20%
Tensão do aerogerador = 12Vcc

648,5 x1,2 Ah
Cdc   84,6
0,92 x0,98 x0,85 x12 dia
Componentes do Sistema de
Geração Eólica
Controlador de Carga

Aerogerador
Carga

Banco de Baterias Inversores 120V

12V
Cálculo do número de
Aerogeradores

Cdc CDT84,6
NA NA    0,84  1 aerogerador
Cda CDA
100,0

Em que:

NA = número de aerogeradores (un.)


Cdc = consumo diário corrigido(Ah/dia)
Cda = carga diária do aerogerador na velocidade média mensal
do vento (Ah/dia) (6,93m/s – 100,0 Ah/dia – AIR 403)
Curva de Carga Diária Aerogerador AIR303 E 403-
700
SOUTHWEST
680
660 CDA 403 = 7,1204xV2 - 42,794xV +60,38 AIR403
640
620 CDA 303 = 6,1061xV2 - 44,245xV +90,143 AIR303

600
580
Distribuição de Rayleigh, k=2
560
540
520
500
480
460
Carga Diária (Ah/dia)

440
420
400
380
360
340
320
300
280
260
240
220
200
180
160
140
120
100
80
60
40
20
0
3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13
Velocidade do Vento (m/s)
Cálculo da máxima corrente dos
aerogeradores

MCA  CAPN x NA  33,4 1  33,4

Em que:

MCA = máxima corrente fornecida pelo aerogerador (A)


CAPN = corrente do aerogerador na potência nominal (A)
NA = número de aerogeradores (un.)
Cálculo do número de
controladores de carga

MCA 33,4
NCC    0,84  1controlado r
CCC 40
MCS  CCCIRCP  NP

Em que:

Ncc = número de controladores de carga (un.)


Mca = máxima corrente fornecida pelo aerogerador (A)
Ccc = corrente do controlador de carga (A)
Características técnicas dos
controladores de carga
PROSTAR-40

Controlador de carga – Morningstar


Características Técnicas:
MCS  CCCIRCP  NP
Corrente Nominal = 40 A
Tensão Nominal = 12 V
•Fonte: www.energia-alternativa.com.br
Cálculo da capacidade do banco
de baterias

CABAH  Cdc x CABAH  84,6x


Dsv 3
 634,5 Ah
Pd 0,4
MCS  CCCIRCP  NP

CABAH = capacidade de armazenamento do banco de baterias (Ah)


Cdc = Consumo diário corrigido (Ah/dia)
Dsv = dias sem vento no mês crítico (dias)
Cb = capacidade de armazenamento de uma bateria (Ah)
Pd = Profundidade de descarga 40%
Número de baterias em paralelo
CABAH
Nbp 
Cb
634,5
MCS  CCCIRCP  NP
Nbp   6,4  7 paralelos
100
Nbp = número de baterias em paralelo (un.)
CABAH = capacidade de armazenamento do banco de
baterias (Ah)
Cb = capacidade de armazenamento da bateria = 100(Ah)
Número de baterias em série
Ts
Nbs 
Tb
12Vcc
Nbs   1,0  1série
12Vcc
Nbs = número de baterias em série (un.)
Ts = Tensãodo sistema 12 Vcc
Tb = Tensão da bateria 12 VCc
Número total de baterias

Ntb  Nbp xNbs 

Ntb  7 x1  7,0  7baterias

Ntb = número total de baterias


Nbp = Número de baterias em paralelo
Nbs = Número de baterias em série
Especificação do Inversor
Ppi  200 x9  182  1982W
Pn  500W  FO  senoidal
01Inversor  12Vcc  110Vca ,
MCS  CCCIRCP  NP

Pn  500W  Pp  2,0 KW
Pn = potência nominal do inversor
Pp = potência de pico do inverso
FO = forma de onda do inversor
FIM
Características técnicas dos
aerogeradores
WG913
Aerogerador – WG 913 – RUTLAND/MARLEC
Características Técnicas:
MCS  CCCIRCP  NP
Diâmetro = 0,90 m
Potência Nominal = 220W
Velocidade de Potência Nominal = 19,0 m/s
Velocidade de Partida = 3,0 m/s
Tensão Nominal = 12 Vcc
Corrente na Potência Nominal = 18,33 A

•Fonte: http://www.solarlink.de/WG913.html#wg913
Características técnicas dos
aerogeradores
LVM6F
Aerogerador – LVM 6F– AEROGEN
Características Técnicas:
MCS  CCCIRCP  NP
Diâmetro= 1,20 m
Potência Nominal = 100 W
Velocidade de Potência Nominal =12,0 m/s
Velocidade de Partida = 2,7 m/s
Tensão Nominal = 12 Vcc
Corrente na Potência Nominal = 4,16 A

•Fonte: www.unlimited-power.co.uk
Características técnicas dos
aerogeradores
AIR 303 E AIR 403

Aerogeradores – AIR 303 E 403 – SOUTHWEST


Características Técnicas:
MCS  CCCIRCP  NP Diâmetro = 1,15 m
Potência Nominal = 300 W e 400 W
Velocidade de Potência Nominal = 12,5m/s
Velocidade de Partida = 2,7 m/s
Tensão Nominal = 12 Vcc
Corrente na Potência Nominal = 25 e 33,3 A

•Fonte: http://www.energiapura.com
Características técnicas dos
inversores
PWZ300 – PORTWATTZZ 300

Inversor PWZ300 – STATPOWER


Características Técnicas:
MCS  CCCIRCP  NP
Potência Máxima = 300 W
Tensão de Entrada = 12 Vcc
Tensão de Saída = 120 Vac
Rendimento = 90%
Forma de Onda = Senóide
Modificada
•Fonte: www.rf.com
Características técnicas das
baterias
DELPHI - 100

Bateria DELPHI – 100


Características Técnicas:
MCS  CCCIRCP  NP
Capacidade de carga = 100 Ah
Tensão Nominal = 12 V
•Fonte: www.energia-alternativa.com.br
Curva de Carga Diária Aerogerador WG 913 -
RUTLAND
460,0
440,0 CDA=1,1025xV2 + 2,9142xV - 19,258
420,0
400,0
Distribuição de Rayleigh, k=2
380,0
360,0
340,0
320,0
300,0
Carga Diária (Ah/dia)

280,0
260,0
MCS  CCCIRCP  NP 240,0
220,0
200,0
180,0
160,0
140,0
120,0
100,0
80,0
60,0
40,0
20,0
0,0
3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
Velocidade do Vento (m /s)
Curva de Carga Diária Aerogerador LVM6F -
AEROGEN
260
250 CDA= 0,1798xV2 + 25,58xV - 93,928
Distribuição de Rayleigh, k=2
240
230
220
210
200
190
180
170
Carga Diária (Ah/dia)

160
150
140
MCS  CCCIRCP  NP 130
120
110
100
90
80
70
60
50
40
30
20
10
0
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13
Velocidade do Vento (m /s)
MOINHOS DE VENTO
CATAVENTOS MULTIPÁS
AEROGERADORES
TURBINAS EÓLICAS
Energia Eólica
Energia Eólica
Características do Sistema
1 Turbina Eólica de 75KW
Passo Fixo
3 pás de 17m de diâmetro
Torre autoportante de base quadrada com 23m de altura
Gerador elétrico
Tensão Nominal 3 - 380 Vrms/60Hz
Fusível de linha de 200A
Potência Nominal 90kVA/75KW (f.p. = 0.93)
Potência do Trafo de Acoplamento à rede de 75kVA/380/13800 Vrms
Velocidade do vento
Nominal : 12m/s
Partida: 3.5m/s
Energia Eólica
Energia Eólica
Características do Sistema
4 Turbinas Eólicas de 250KW cada
Rotor de eixo horizontal
3 pás de 26m de diâmetro
Torre tubular cônica de 30 metros de altura
Gerador elétrico assíncrono de pólos chaveados,
Geração de 80/250 KW
Rotação de 900/1200 rpm
Tensão 380 V trifásico, 60Hz
Velocidade do vento
Nominal : 14m/s
Partida: 3m/s
Corte: 25m/s
REFERÊNCIAS
BIBLIOGRÁFICAS
 www.cresesb.cepel.br
 www.terravista.pt/guincho/7419/eolica.htm
 www.windpower.org
 www.eolica.com.br
 www.nrel.gov
 Fontes não convencionais de energia (Alexandre
Montenegro – Ed. UFSC, 1999)
 Energia Eólica (Ricardo Aldabó – Ed. Artliber)