Você está na página 1de 79

Princípio de Ciências dos Materiais

Prof. DSc. Valtency Ferreira Guimarães

1
Princípio de Ciências dos Materiais
Prof. DSc. Valtency Ferreira Guimarães

Bibliografia Recomendada

Bibliografia Básica:
CALLISTER Jr., W., Material Science and Engineering na Introduction. USA: Ed. John
Whiley, 1999.
GUY, A. G. Ciências dos Materiais. Rio de Janeiro, Livros Técnicos e Científicos.
GUIMARÃES, J. E. P. A Cal, Fundamentos e Aplicações na Engenharia Civil. São
Paulo, Editora PINI, 2002.
VAN VLACK, L. H. Princípios de Ciência e Tecnologia dos Materiais. Rio de Janeiro,
Editora Campus.

Bibliografia Complementar:
SOUZA, S. A. Ensaios Mecânicos de Materiais Metálicos. São Paulo, Editora Edgard
Blucher.
COLPAERT, H. Metalografia dos Produtos Siderúrgicos, São Paulo, Editora Edgard
2
Blucher.
Introdução
Até meados do século XIX, o que se conhecia acerca dos
materiais era essencialmente empírico, ou na melhor das hipóteses,
resultado de alquimia. Com o desenvolvimento do microscópio
eletrônico no inicio de século XX, um grande salto no
conhecimento dos materiais foi dado. A observação ao
microscópio, permitiu estudos sistemáticos, que por sua vez
conduziram ao domínio dos materiais e de seus processos de
fabricação e transformação. Hoje, dispõe-se de aproximadamente
50.000 materiais que compõem o cenário industrial moderno,
classificado em cinco grandes grupos: os metais, as cerâmicas, os
polímeros, os semicondutores e os compósitos.

3
Objetivos:
• Proporcionar uma ideia inicial da importância dos
materiais para o desenvolvimento da Ciência e Tecnologia

• Introduzir uma série de conceitos básicos relacionados à


estrutura, propriedades e aplicação dos Materiais

• Conhecer os principais Materiais, suas propriedades e


aplicações visando a especificação de materiais

4
O que é um material?

Um material nada mais é que um


“amontoado” de átomos

Requisitos básicos
para “ser” um material
Exemplo de um
material

5
Átomos

Fe O
Ag H
Ni
V S
Al
Mo K
Si
Ca Au C P

São os “ingredientes” dos materiais

6
Átomos – Classificação

Não metais Gases nobres


Semi-metais

. Metais
. Semi-metais
Átomos metálicos . Não metais
. Gases nobres

7
Como os átomos se unem?
Ligação química
 Força de atração interatômica que faz com que os
átomos permaneçam unidos

Átomos individuais

Sem ligação

Material
Átomos unidos pela
força de ligação

8
Como os átomos se unem?

Ligação química

Ligação Forte Ligação Fraca

• Ligação Iônica (340-800 kJ/mol) • Van der Walls (<40 kJ/mol)


• Ligação Covalente (270-610 kJ/mol) • Pontes de “H”
• Ligação Metálica (20-240 kJ/mol)

9
Evolução do uso dos materiais

Pele de animais e madeira

> 10.000 a.C.

10
Evolução do uso dos materiais

Lança de pedra Cerâmica Bronze

10.000 a.C. 5.000 a.C. 2.000 a.C.

11
Evolução do uso dos materiais

Aço Alumínio Titânio

1.000 a.C. Séc XIX Séc XIX

12
Evolução do uso dos materiais

Cerâmicas
Super ligas de Ni Nanotecnologia
de Engenharia

Séc XX Séc XX Séc XXI

13
Tradicionalmente os materiais podem ser
classificados em 4 grupos básicos:

Cerâmicos

Compósitos

Metálicos Poliméricos
Embalagem Tetra Pak

14
Como definir os materiais?

15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
Biomateriais
• Propriedades básicas
– Materiais utilizados na área da
saúde para ajudar o ser humano.
– Usado em medicina na
substituição de partes do corpo
humano.

26
O que tem em comum esses produtos?

27
O que tem em comum esses produtos?

28
O que tem em comum esses produtos?

29
30
31
32
33
34
35
36
37
38
A evolução dos materiais de engenharia (Ashby, 1986)

ouro
cobre
bronze
ferro

madeira
peles
fibras

tijolos
papel

vidro
pedra
louça

39
A evolução dos materiais de engenharia (Ashby, 1986)

ouro
cobre
bronze ferros

AÇO
ferro fundidos
aços
madeira ligados
peles
fibras
colas ligas
leves
borracha
tijolos superligas
base Ni, Co
papel
ligas
vidro refratárias
pedra baquelite
cimento
louça cimento nylon
portland PE PMMA
PC PS
refratários
sílica fundida

40
A evolução dos materiais de engenharia (Ashby, 1986)
“a revolução do silício...”
ouro
cobre
bronze ferros
aços ARBL
AÇO
ferro fundidos
vidros metálicos
aços aços inoxidáveis dúplex
madeira ligados ligas Al-Li
peles processamento otimizado
fibras
colas ligas
leves
borracha
tijolos superligas
base Ni, Co polímeros de
papel “alta” temperatura
ligas
vidro refratárias
matriz
pedra baquelite Epóxis matriz cerâmica
cimento
louça cimento nylon metálica
PE PMMA PRFK
portland
PC PS PRFC
refratários
PRFV cerâmicas “tenazes”
sílica fundida pirocerâmicas

41
O que diferencia os materiais?

42
Arranjos Atômicos

Estruturas Moleculares Estruturas Cristalinas Estruturas Amorfas

Metano (CH4)
Diamante (C)

Água (H20) Grafita (C) Vidros (SiO2, C...)

43
Podemos classificar quanto a
ligação atômica

44
Ligação Atômica
Porque estudar a estrutura atômica ?

• As propriedades macroscópicas dos materiais


dependem essencialmente do tipo de ligação entre os
átomos.
• O tipo de ligação depende fundamentalmente dos
elétrons.
• Os elétrons são influenciados pelos prótons e nêutrons
que formam o núcleo atômico.
• Os prótons e nêutrons caracterizam quimicamente o
elemento e seus isótopos.

45
46
47
48
49
50
51
52
53
54
55
56
57
58
59
60
61
62
63
64
65
66
67
68
69
70
71
72
73
74
Atividades

1. Com relação à distribuição dos elementos químicos, faça


um comentário sobre as principais características do metais
e dos ametais.

2. Cite sucintamente as principais diferenças entre as ligações


iônica, covalente e metálica.

3. Dê uma explicação para a razão pela qual os materiais


ligados covalentemente são, em geral, menos densos do
que aqueles ligados por meio de ligação iônica ou
metálica.

4. Com relação às propriedades básicas, diferencie metais,


cerâmicas e polímeros.

75
5. a) Calcule a massa de um átomo de cobre;
b) Determine o número de átomos de cobre em 1g de cobre.

6. Sem consultar a tabela periódica, determine se cada uma


das configurações eletrônicas dadas abaixo pertence a um
gás inerte, a um halogênio, a um metal alcalino, a um
metal alcalino-terroso ou a um metal de transição.
Justifique as suas escolhas.

(a)1s22s22p63s23d74s2
(b)1s22s22p63s23p6
(c)1s22s22p5
(d)1s22s22p63s2
(e)1s22s22p63s23d24s2
(f) 1s22s22p63s24s1
76
7. Calcule a força de Coulomb atrativa entre um par de íons K+
e Cl- que se tocam. Admita que o raio iônico do íon K+ é
0,133 nm e do íon Cl- é 0,181 nm.

8. Sabendo-que a força atrativa entre o par de íons Na+ e F- é


4,439.10-9 e que o raio do íon Na+ é 0,095 nm, calcule o
valor do raio iônico do íon F-, em nanômetros.

9. Sabe-se que uma base para a classificação dos materiais da


engenharia é a ligação atômica e que esta classificação admite
um tipo de ligação em particular ou uma combinação de tipos
para cada categoria.

A tabela a seguir ilustra a característica de ligação dos quatro


tipos fundamentais de materiais da engenharia.

77
Com base no que foi exposto, faça uma breve discussão sobre
as principais diferenças e características de compostos como o
ferro e a sílica.

78
10. Sabe-se que uma base para a classificação dos materiais da
engenharia é a ligação atômica e que esta classificação admite
um tipo de ligação em particular ou uma combinação de tipos
para cada categoria. Sabe-se também que os metais, como o
ferro e o aço, ligam-se por ligações metálicas; que os vidros
(sílicas - SiO2) ligam-se por ligações iônicas; e que os
polímeros e semicondutores se combinam por ligações
secundárias e/ou covalente/iônica.
Com base no que foi exposto e estudado em sala de aula, faça
uma breve discussão sobre as principais diferenças e
características de compostos como o ferro metálico e a sílica.
79