Você está na página 1de 38

Petrologia

Ígnea
Ígnea
SÉRIES MAGMÁTICAS
Séries Magmáticas
 São manifestações vulcano-plutônicas
que ocorrem no espaço (tem distribuição
mundial) e no tempo (existência de séries
magmáticas idênticas com diferentes
idades geológicas) com características
mineralógicas químicas e tendências
mineralógicas,
evolutivas bem definidas.

Devido às suas característcas mineralógicas, químicas e evolutivas bem definidas , as


diferentes séries ocupam posições distintas em alguns diagramas:
NÃO CONFUNDIR SÉRIES MAGMÁTICAS COM A CLASSIFICAÇÃO DE
ROCHAS DE STRECKEISEN (1967)!!!
Q

90 90

CLASSIFICAÇÃO DE
ROCHAS DE
STRECKEISEN (1967): 60 60

Riolito D it
Dacito
- CAMPOS NATURAIS;
-NENHUMA RELAÇÃO Álcali-fds.-
qz- traquito
20
quartzo quartzo
20

traquito latito
GENÉTICA ENTRE AS Álcali-fds.-
traquito
5
Traquito 35 Latito
Andesito basáltico
Basalto
5
90
10 65
P
ROCHAS A Foid
traquito Foid latito Andesito
10 10
Foid
álcali-fds.- Basanito fonolítico
traquito Fonolito Olivina>10%
tefrítico Tefrito fonolítico Basanito (olivina>10%)
Olivina<10%
Tefrito (olivina<10%)
SÉRIES MAGMÁTICAS:
60 60

-CAMPOS NATURAIS Foidito Foidito


fonolítico tefrítico

- RELAÇÕES GENÉTICAS
ENTRE AS ROCHAS
Foidito
F
Séries Magmáticas
Série de rochas vulcânicas
(I i and
(Irvine d Baragar
B 1971) -
Classificação
ç descritiva e relação
ç genética
g entre as rochas

Série de granitóides (Lameyre


& Bowen
B 1982) - Classificação descritiva e
relação genética entre as rochas

Tipologia de granitóides –
Classificação genética (FONTES DOS GRANITÓIDES)
SÉRIES DE ROCHAS VULCÂNICAS (Irvine & Baragar, 1971)
• Origem da classificação: Canadá – (Subcomitê de vulcanologia)
• 2500 análises de rochas vulcânicas de diferentes localidades e
ambientes, porém limitadas ao Pré-Cambriano e Cenozóico;
OBJETIVO
• Dar uma definição química para rochas convencionais, as quais foram
definidas originalmente com base na mineralogia.
mineralogia

CONCEPÇÃO
Ç
Mineralogia + Mineralogia Normativa + Química + Grupos de rochas

CAMPOS COMPOSICIONAIS
Representatividade Limites Naturais

LIMITAÇÕES
• Dificuldade em representar sistemas químicos complexos em gráficos.
• Atenção às alterações: Álcalis
CLASSIFICAÇÃO
1. Rochas Subalcalinas
 Basaltos Toleíticos
 Basaltos Cálcico
Cálcico-Alcalinos
Alcalinos

2. Rochas Alcalinas
 Álcali-Olivina
Á Basaltos (= Álcali
Á basaltos)
 Basaltos Nefelínicos, Leucíticos e Analcíticos

3. Rochas Peralcalinas (pouco freqüentes)


Esquema de classificação para rochas vulcânicas comuns
(Irvine & Baragar 1971)

Rochas Subalcalinas Rochas Alcalinas


Série Tholeítica Série álcali-olivina
álcali olivina basaltos
Álcali-picrito Rochas nefelínicas
Picrito basaltos basaltos leucíticas e analcíticas
Ankaramitos
Série Ca-alcalina Nefelinito
Álcali-olivina
Á
Melilita-Nefelinito
Ol tholeítos basaltos
Basaltos com Basanitos
alto Al
Analcitito
o o
Tholeititos
Andesitos com
Série-Na
Série Na Série-K
Qz-tholeítos alto Al Hawaiito Traquibasalto
Andesitos Leucitito
Ne-Hawaiito Leuc-traquibas.
Andes tholeít. Wyomingito
Icelanditos Dacitos Mugearito
Tristanito
Ne-mugearito
Leuc-tristanito
Riolitos Benmorito Rochas
Ne-benmorito Peralcalinas
Traquito rico K
Panteleritos
Traquito
Leuc-fonolito
Fonolito Comenditos
SÉRIES ALCALINAS
vs SUBALCALINAS
SÉRIES ALCALINAS vs SUBALCALINAS
Diagrama (Na2O+K2O) x SiO2 (% em peso)
20 20
Suítes do Hawai Suítes Alcalinas

Na 2 O+K 2 O

Na 2 O+K 2 O
+ Nefelínicas o St Helena
16 Alcalinas 16 a lin
c + Tristão
in
o Tholeíticas al Gough
a l po + +++ Tahiti
12 a lc 12 m ++
M d
Macdonald
ld (1968) Ca ++ + +
po
Ca
m
+++
+ o
+
++ + ali n
8 8 ++++ ++ + c
+ lin
o
++++ b al
++ + lc
a ++ su
+++++ ba p o
4 + + su 4 +++ + m
+++ po C a
+ m
Ca Irvine & Baragar (1971)
0 0
40 50 60 70 80 40 50 60 70 80
SiO2 SiO2
Calcico-alcalinas ou Toleíticas
20 20
Suítes Tholeíticas Suítes Ca-alcalinas
N a 2 O+K 2 O

Na 2 O+K 2 O
Meso-atlântico + Cascades
16 + Thingmulii 16 Aleutians
Columbia River

12 o 12
alin o
al
c N
a lin
c +
po + al ++++++++
8
Ca
m +++ ++ o
8 po + ++ + +++ +
++ + + +
c alin Ca
m +
+ + ++++++++ + lin
o
+ al ca
4 b 4 + + ++ al
su b
po su
++ m + po
Ca m
0 Ca
40 50 60 70 80 40 50 60 70 80
SiO2 SiO2
SÉRIES ALCALINAS vs SUBALCALINAS
Diagrama Alcális vs Silícapara as rochas vulcânicas do Hawaí
Nota--se a divisão de dois grupos
Nota grupos:: Subalcalino e Alcalino
SÉRIES ALCALINAS vs SUBALCALINAS

Diagrama (Na2O+K2O) x SiO2 (% em peso)


15
F on olito
N a 2 O +K 2 O (% p eso) 13
Traq u ito
Tefrifon olito
11
Alcalino
F oidito
9 F on otefrito Traq u id acito
Traqui-
i
andesito R iolito
Tefrito Traqui-
7 Basan ito
andesito
basáltico
Traqui-
q
5 basalto
A n d esito D acito

3 Basalto Ande sito


basáltic o
P icro Subalcalino
basalto
1
C a m po suba lc a lino/a lc a lino 2º Irvine & B a ra ga r (1971) SiO 2 (% peso)
37 41 45 49 53 57 61 65 69 73 77
U ltram ásicas 45 M ásicas 52 In term ed iárias 63 F élsicas

Subdivisões Traquibasalto Traquiandesito Traquiandesito


basáltico
b s co

Na2O - 2.0 K 2O havaiito mugearito benmoreito

Na2O - 2.0 < K 2O traquibasalto-K shoshonito latito


SÉRIES ALCALINAS vs SUBALCALINAS

TETRAEDRO DOS BASALTOS


Cpx (augita, diopsídio)

domínio dos álcali basaltos,


nefelinitos, basanitos Plano crítico de saturação em SiO2
(subsaturados em SiO2)
(
Domínio dos Qz-tholeítos
(Supersaturados em SiO2)

Rochas Rochas
Alcalinas Subalcalinas
Pl Qz
Ne

Opx (Hyperstênio,
Hyperstênio Henstatita)

Plano crítico de
subsaturação em SiO2
Domínio dos Ol-tholeítos
Ol (Saturados em SiO2)
SÉRIES CÁLCICO-
CÁLCICO
ALCALINAS vs
TOLEÍTICAS
Í
SÉRIES CÁLCICO-
CÁLCICO-ALCALINAS vs TOLEÍTICAS
Diagrama AFM A= Na2O+K2O
F F F= FeO+0,8998
FeO+0 8998 Fe2O3
Suítes Tholeíticas M= MgO

+++
+ ++
++ ++++++
+++++
++
+

Meso-atlântica
Thingmuli Hawai + Columbia river
A M A M

F F

Suítes Ca-alcalinas

+
+ +++ + +
++ + ++ ++ +
++ +++ ++
++ + + + + +
+++++++ ++++ + + ++
+ + ++
+ ++ +
+ Aleutians
Cascade Paricutim
A M A M
SÉRIES CÁLCICO-
CÁLCICO-ALCALINAS vs TOLEÍTICAS

Diagrama AFM: Subdividindo a série subalcalina em séreis toleítica e


calcio--alcalino
calcio alcalino..

AFM diagram showing the distinction between selected


tholeiitic rocks from Iceland, the Mid-Atlantic Ridge, the
Columbia River Basalts, and Hawaii (solid circles) plus
the calc-alkaline rocks of the Cascade volcanics (open
circles). From Irving and Baragar (1971). After Irvine
and Baragar (1971). Can. J. Earth Sci., 8, 523-548.
SÉRIES CÁLCICO-
CÁLCICO-ALCALINAS vs TOLEÍTICAS
Summary of the differences between Calc-
alkaline and Tholeiitic fractionation trends
Calc-alkaline volcanic suites are characterized by
decreasing Fe and increasing Al with decreasing
Mg, in the range from basalt to andesite, while Si
rises relatively rapidly with fractionation.
fractionation Ti is
typically low (< 1.2 wt.% TiO2) and remains
relatively constant and then decreases slowly with
increasingg Si. The magmas
g of calc-alkaline suites
are also characterized by relatively high oxidation
states compared to the tholeiitic basalts of MORB
or OIB suites.
Tholeiitic volcanic suites are characterized by
increasing Fe and decreasing Al with decreasing
Mg in the range from basalt to andesite, while Si
rises
i quite
i slowly
l l with i h fractionation.
f i i These
h
differences are greatest at the boundary between
basalt and andesite (SiO2 = 55 wt.%), where
tholeiitic andesites typically have Al2O3 content
less than 15%, in contrast to the higher Al2O3
contents of calc-alkaline andesites. Ti first
increases by a factor of 2 or more and then
decreases rapidly with increasing Si in the range
50 to 55 wt.% SiO2.
SÉRIES CÁLCICO-
CÁLCICO-ALCALINAS vs TOLEÍTICAS

Diagrama Al2O3 vs Plagioclásio normativo 26


Aleutians
Paricutim
22 Cam

Al 2 O 3
p o Ca
-alc
al in
18 o

 Basaltos e andesitos cálcico-


cálcico- 14

C am
po
alcalinos: 16
16--20% de Al2O3 10 t ho
le íti
c o
6
100 80 60 40 20 0
 Basaltos toleíticos: 12-
12-16% de Al2O3 Composição Normativa do Plagioclásio

26
+ Cascade

22 Tholeítos

Al 2 O 3
Hawaianos
+ + +++
+ ++
+ +
+ + +++ ++
+ ++++++ +
18 + ++ + + + +++
+ + + ++++++ +++++ + + +
+ ++ + + +++ +++ +
+ ++ ++++++ +
14
+ + + + + +++++++ ++
++
+ + ++++ ++ +
+ + ++
+ + ++++
10

6
100 80 60 40 20 0
Composição Normativa do Plagioclásio
SÉRIES CÁLCICO-
CÁLCICO-ALCALINAS vs TOLEÍTICAS

Diagrama
g FeOt/MgO
g vs SiO2
Rochas reduzidas

Rochas oxidadas
SÉRIES CÁLCICO-
CÁLCICO-ALCALINAS vs TOLEÍTICAS

Diagrama
g K2O vs SiO2
• K2O is an important discriminator  3 sub-series

Figure 16-4. The three andesite


series of Gill (1981) Orogenic
Andesites and Plate Tectonics.
Springer-Verlag. Contours
represent the concentration of
2500 analyses of andesites
stored in the large data file
RKOC76 (Carnegie Institute of
Washington).
SÉRIES CÁLCICO-
CÁLCICO-ALCALINAS vs TOLEÍTICAS

Figure 16-6.
16-6 aa. K2O-SiO2 diagram distinguishing high-K,
high-K medium-K and low-K seriesseries. Large squares = high-K,
high-K stars =
med.-K, diamonds = low-K series from Table 16-2. Smaller symbols are identified in the caption. Differentiation within a
series (presumably dominated by fractional crystallization) is indicated by the arrow. Different primary magmas (to the
left) are distinguished by vertical variations in K2O at low SiO2. After Gill, 1981, Orogenic Andesites and Plate
Tectonics. Springer-Verlag.
SÉRIES CÁLCICO-
CÁLCICO-ALCALINAS vs TOLEÍTICAS

Tholeiitic vs. Calc-alkaline differentiation

Figure 16-
16-6. From Winter (2001) An Introduction to Igneous and Metamorphic Petrology. Prentice Hall.
SUBDIVISÕES DAS PRINCIPAIS SÉRIES MAGMÁTICAS

Toleítica
• Picrito basaltos toleíticos: grandes cristais de Ol; Ol normativa > 25%;
• Olivina toleítos
• Toleítos Não podem ser separados quimicamente
• Quartzo toleítos R h com Qz
Rochas Q normativo
ti

• Andesitos toleíticos: possuem mais Fe e Pl mais sódico que andesitos


cálcico-alcalinos.

Cálcico-Alcalinas
• Índice de cor normativa x Composição normativa do Plagioclásio
Ol + Opx
O + Cpx
C + Mt + Il + Hm
H
Separa basaltos subalcalinos de Andesitos, Dacitos e Riolitos.
• Diagrama An – Ab – Or
Separa grupos pobres em K e ricos em K
SÉRIES ALCALINAS
SÉRIES ALCALINAS

Diagrama An
An--Ab
Ab--Or
An
Hawai
+ Sta
Sta. Helena
ee a
An

++ Gough
G h
+ ++ Tristão
+
+ +++
+ ++
++
+++
Ab Or
Série Sódica

Ab Série Potássica Or
Álcali-Olivina Basaltos
• Diagrama
g An – Ab – Or
Separa a Série Sódica da Série Potássica:

Série Sódica picrito basaltos alcalinos


(Hawaiita, mugearito, benmorito, traquito)

Série Potássica Ankaramitos


(Traquibasalto,
( q , tristanito,, traquitos)
q )

Nomes Particulares
Ankaramitos: ricos em fenocristais de augita; 20% de Cpx normativo;
Fonolitos: traquitos com nefelina;
Basanito: álcali basalto com > 5% de Ne normativa e com Ne modal.
modal
Sumário
Subalcalinos X Alcalinos
(Na2O+K2O) X SiO2
Cpx – Ol – Ne – Qz
Cpx – Ol – Opx (Chayes, 1965, 1966)

Cálcico-Alcalinos X Toleíticos
AFM
Composição Normativa do Pl X Al2O3
FeOt/MgO vs SiO2
K2O vs SiO2
Série Toleítica
• Basaltos subalcalinos
• Opx na Norma
• Podem ter quartzo modal (intercrescimento granofírico)
• Pigeonita (Cpx) modal; podem ocorrer Opx e Ol
• Termos máficos a félsicos
• q
Enriquecimento em Fe com a diferenciação
ç
• Baixo K2O; cresce com a diferenciação
• Baixa razão (Na2O+K2O)/SiO2
• Baixo Al2O3 (12 a 16%)
Tipos:
1 Normais: pobres em elementos incompatíveis (Rb,
1. (Rb Sr,
Sr Ba,
Ba Zr,
Zr Y,
Y TR)
2. Enriquecidos: ricos em elementos incompatíveis
3. Transicionais: intermediários aos anteriores

Grandes platôs basálticos do mundo (ex. Columbia River, Paraná),


fundos oceânicos, ilhas oceânicas, componentes de greenstone-
belts Arqueanos.
Série Cálcico-Alcalina
• Subalcalino
• Basaltos a riolitos
• Alto Al2O3 (16 a 20%)
• Baixo TiO2 e P2O
• (Na2O+K2O) > que em Toleítos
Tipos:
• baixo, médio e alto-K
g
• Trend retilíneo no diagrama AFM,, sem enriquecimento
q em Fe com a
diferenciação
• Os teores de elementos incompatíveis são mais elevados do que os
de Toleítos
• Ocorrência freqüente de Hiperstênio modal
• Freqüentes nas regiões circum-Pacíficas,
circum Pacíficas sendo representados por
basaltos-andesitos-dacitos-riolitos.
• Comuns também em g
greenstone-belts Arqueanos
q e arcos de ilhas
Série Alcalina
• Na2O e K2O elevados
• Peralcalinos (Na2O+K2O) mol > (Al2O3) mol
• Subsaturadas em SiO2; Ol como fenocristal
Tipos:
• sódico e potássico
• Anfibólios sódicos nas rochas mais evoluídas
• Nefelina em basanitos-fonolitos
p
• Lavas ultra-potássicas: leucita basanitos,, leucititos
• Minerais ricos em TiO2; Al2O3 inferior ao das outras séries
• Teores altos de MgO, Ba, Nb, Zr, Ta, Y, Rb, Ni, Cr e TR
• Álcali-olivina basaltos: pequenos vulcões de ilhas oceânicas e partes
internas de arcos de ilhas. Ocorrências menores de platôs
continentais; pequenos vulcões associados a rifts.
rifts
SÉRIES GRANITÓIDES
LAMEYRE
A & BOWDEN
O (1982)
AS SÉRIES GRANITÓIDES
 LAMEYRE & BOWDEN (1982), utilizando uma grande
quantidade de análises modais de rochas graníticas
disponíveis na literatura definiram,
definiram no diagrama QAP,
QAP
várias associações ou séries magmáticas com seus
respectivos trends. A principal vantagem desta classificação
é a de fundamentar-se na composição mineralógica real da
rocha Foram definidos sete domínios ocupados pelas séries
rocha.
magmáticas com características próprias, típicas de
diferentes ambientes geotectônicos.
Domínio 1- Granitóides Toleíticos (ou “Plagiogranitos Oceânicos”, de Coleman & Peterman,
1975; ou ainda, “Trondhjemitos”, de Barker, 1979). São granitos desprovidos de K-feldspato e
com composições
p ç correspondentes
p ao eutético Qz-Ab.
Q

GRANITÓIDES TOLEÍTICOS
Domínios 2, 3 e 4 - Formam as séries Cálcico-Alcalinas, com seus diferentes trends
composicionais relacionados aos ambientes orogênicos.
(2)- Série cálcico
(2) cálcico-alcalina
alcalina Trondhjemítica (baixo
(baixo-K
K, K2O>2%).
O>2%) Apresenta
características marcadas pelo fracionamento da Hb, seguida pela Bt e Pl.
(3)- Série cálcico-alcalina Granodiorítica (médio K), com teores normais de K2O.
(4) Série cálcico-alcalina
(4)- cálcico alcalina Monzonítica (alto K).K) É também denominada de
Subalcalina e apresenta similaridades composicionais com as vulcânicas
Shoshoníticas. É caracterizada pela sequência gabros-monzogabros (ou
monzodioritos)-monzonitos-quartzo
di i ) i monzonitos-monzogranitos.
i i

GRANITÓIDES CALCICO-ALCALINOS
GRANITÓIDES CALCICO-ALCALINOS
Domínios 5 e 6 - Pertencem à serie de granitos alcalinos. As composições das rochas
variam de gabros até sienitos. Uma das cacacterísticas desta série é a pequena
proporção de tipos intermediários.
intermediários
(5)- Corresponde aos granitos aluminosos potássicos de províncias alcalinas.
(6)- Pertence aos granitos peralcalinos.

GRANITÓIDES
Ó ALCALINOS

Magmatismo
bimodal
Domínio 7- Pertence aos granitos ou mobilizados crustais.São leucogranitos tidos como
formados a partir da fusão parcial de material crustal, com grande envolvimento de
metassedimentos. São rochas caracterizadas ppela ausência de enclaves básicos, ppobres em
minerais ferromagnesianos e Ca. Apresentam abundantes enclaves metassedimentares, minerais
aluminosos como, granada, muscovita, cordierita, silimanita. São rochas denominadas
genericamente de “leucogranitos peraluminosos”.

GRANITOS CRUSTAIS
MINERALIZAÇÕES ASSOCIADAS

As diferentes séries graníticas também podem fornecer informações importantes acerca


das mineralizações associadas. Por exemplo, os depósitos de sulfeto maciço estão relacionados
às séries toleíticas e trondhjemíticas. Depósitos de Cu e Mo são comuns nas séries
granodiorítica e monzonítica, com esta última mostrando enriquecimento também em U e Th.
As séries alcalinas podem conter mineralizações em Th, REE, Y, Zr, Mo. Os mobilizados
graníticos apresentam concentrações econômicas de U, Sn, Nb, Ta, Be, Li, etc.
QUAIS SÃO OS AMBIENTES
GEOTECTÔNICOS QUE AS
SÉRIES MAGMÁTICAS
OCORREM?