Você está na página 1de 46

Disciplina Eletricidade

Aplicada

Professor José Eustáquio do Amaral Pereira

1
Objetivos Gerais:

Esta disciplina, em seu contexto, se propõe a apresentar aos alunos conceitos,


técnicas e ferramentas importantes para a compreensão de problemas cotidianos
da área, ajudando a desenvolver o raciocínio lógico.
Visa também dar a base física e matemática para o crescimento do discente
durante o curso, possibilitando-lhe o desenvolvimento de competências e
habilidades para aplicar conhecimentos físicos, matemáticos, científicos,
tecnológicos e instrumentais à engenharia, e desenvolver e/ou utilizar novas
ferramentas técnicas.

Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira


2
Conteúdo Programático

Unidade 1- Lei de Ohm e Potência


• 1.1. O circuito elétrico
• 1.2. Resistência
• 1.3. Resistores
• 1.4. Lei de Ohm
• 1.5. Potência elétrica
• 1.6. Energia elétrica

Unidade 2. Circuitos Série de Corrente Contínua


• 2.1. Tensão
• 2.2. Corrente
• 2.3. Resistência em circuitos série
• 2.4. Polaridades das quedas de tensão
• 2.5 .Condutores
• 2.6. Potência total em um circuito série
• 2.7. Quedas de tensão

3
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
Conteúdo Programático

Unidade 3. Circuitos paralelos de Corrente Contínua


• 3.1. Tensão
• 3.2. Corrente
• 3.3 Resistência em paralelo
• 3.4. Circuito aberto e curto-circuito
• 3.5. Divisão de corrente
• 3.6. Potência em circuitos paralelos

Unidade 4. Circuito serie- paralelo -Misto


• 4.1. Tensão
• 4.2. Corrente
• 4.3. Resistência
• 4.4. Potencia
• 4.5. Potencia total

4
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
Conteúdo Programático

Unidade 5. Leis de Kirchoff


• 5.1. Lei de Kirchoff para a tensão
• 5.2. Lei de Kirchoff para a corrente
• 5.3. Correntes de malha
• 5.4. Tensões dos nós

Unidade 6. Fator de Potencia


• 6.1. Calculo de fator de potencia
• 6.2. Correção do fator de potencia.
• 6.3 - Fasores

5
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
Bibliografia Básica

1. BOYLESTAD, Robert L. Introdução à análise de circuitos. 10a. ed., São Paulo: Prentice
Hall, 2004.
2. EDMINISTER, Joséph A. Circuitos elétricos. 2a. ed., São Paulo: Pearson Education do
Brasil (Coleção Schaum), 1991.
3. GUSSOW, Milton. Eletricidade básica. 2. ed., São Paulo: Pearson Makron Books, 1996.

Bibliografia Complementar:
1. CAPUANO, Francisco G. Laboratório de Eletricidade e Eletrônica. 20a. ed., São Paulo:
Érica, 1998.
2. ALBUQUERQUE, Rômulo O. Análise de Circuitos em Corrente Contínua. 12a. ed., São
Paulo: Érica, 1998.
3. ALBUQUERQUE, Rômulo O. Análise de Circuitos em Corrente Alternada. 4a. ed., São
Paulo: Érica, 1989.
4. BARTKOWIAK, Robert A. Circuitos elétricos. 2a. ed. Rev., São Paulo: Makron Books, 1999.
5. SILVA FILHO, Matheus Teodoro. Fundamentos de eletricidade. 1a ed., Rio de Janeiro:
LTC, 2007.

6
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
MODULO-1

Circuito Elétrico, Lei de ohm e Potência

7
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
ELETRICIDADE

Movimento cinético organizado dos elétrons livres em


um meio físico, condutor ou semicondutor.

Em um circuito elétrico, este movimento cinético é


convertido em uma corrente elétrica que por sua vez
produz energia luminosa ou energia cinética em
motores.

8
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
ELETRICIDADE

Os materiais que tem um número muito pequeno de


elétrons livres são os isolantes.

Nestes materiais é necessário gastar muito mais energia


para libertar os elétrons de suas órbitas externas nos
átomos.

Exemplos:
vidro,mica,porcelana,borracha,plásticos,nylon,madeira
seca, papel seco,poliéster.

9
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
ELETRICIDADE

10
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
ELETRICIDADE

11
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
ELETRICIDADE

12
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
ELETRICIDADE

13
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
ELETRICIDADE

14
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
ELETRICIDADE

CIRCUITO ELÉTRICO É CONSTITUIDO PELO MENOS QUATRO PARTES :

UMA FORÇA ELETROMOTRIZ;


CONDUTORES;
UMA CARGA;
INSTRUMENTOS DE CONTROLE.

Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira


15
ELETRICIDADE

CIRCUITO ELÉTRICO FECHADO OU COMPLETO:

Consiste num percurso sem interrupção para corrente, desde a força


eletromotriz , passando pela a carga e voltando á fonte.

Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira


16
ELETRICIDADE

CIRCUITO ELÉTRICO ABERTO OU INCOMPLETO:

Quando podemos interromper no circuito que a corrente elétrica complete


seu percurso.

Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira


17
IDENTIFICAÇÃO DOS CONDUTORES

CORRENTE ALTERNADA
CORRENTE CONTINUA
- NEGATIVO : PRETO
- POSITIVO: VERMELHO

Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira


18
ELETRICIDADE

19
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
ELETRICIDADE

RESISTORES FIXOS:

Possui um único valor de resistência que permanece constante sob


condições normais.
TIPOS:
- Resistor de Carbono
O elemento básico é grafite, são baratos e os valores da resistência
variam de 1 a 22 M
- Resistor de fio enrolado
O elemento básico é geralmente fio de níquel – cromo enrolado em
aspiral sobre uma haste de cerâmica.
Os valores variam de 1 a 100 K .

Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira


20
ELETRICIDADE

RESISTORES VARIAVEIS:
São usados para variar ou mudar a quantidade de resistência de um
circuito.

TIPOS:
- Potenciômetro.
Possui o elemento resistivo de carbono.
Utilizado para variar a tensão no circuito.
- Reostato
Possui o elemento por fio.
Utilizado para variar a corrente elétrica do circuito.

Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira


21
LEI DE OHM

A Lei de Ohm, assim designada em homenagem ao


seu formulador Georg Simon ohm, indica que a
diferença de potencial (V) entre dois pontos de um
condutor é proporcional à corrente elétrica(I).

22
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
LEI DE OHM

23
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
LEI DE OHM

24
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
LEI DE OHM

25
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
LEI DE OHM

A resistência depende da geometria do condutor (espessura e comprimento) e


do material de que ele é feito. A resistência é diretamente proporcional ao
comprimento do condutor e inversamente proporcional a área de secção (a
espessura do condutor). Observe a figura abaixo.

26
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
Fórmula para calcular

A fórmula para calcular a resistência é:

R = ρ(L/A)

R = resistência elétrica em ohms (Ω).


ρ= resistividade, em Ω/mm²/m.
L = comprimento, em m.
A = área da seção transversal, em mm².

27
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
EXERCICIO

Um condutor de cobre apresenta 1,0km de comprimento por


10mm2 de secção e uma resistividade de 0,019 ohm/mm2
/m.Aplicando-se uma diferença de potencial de 38V, que
intensidade de corrente elétrica irá percorrer o fio?
RESP. 20A

Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira


28
Resistividade do material (Ω.
Ω.m)
Ω.
A resistividade de um condutor depende do material de que ele é feito.

29
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
Seção Transversal.

30
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
LEI DE OHM

31
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
LEI DE OHM

32
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
UNIDADES DE RESISTENCIAS.

- Ohm = 1Ω
- Kilo Ohns = kΩ-1kΩ= 1000Ω
- Mega Ohns = MΩ–1MΩ= 10⁶Ω
- Mili Ohns = mΩ–1mΩ= 10⁻³Ω
- Micro Ohns= Ω-1 Ω = 10-6 Ω

33
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
34
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
LEI DE OHM

Exercicios Resolvidos

2.1. Qual a intensidade da corrente em um condutor que tem resistência de 1000


Ohms se a tensão aplicada for de a) 2V b) 100V c) 50mV
R: Para cada caso deveremos especificar U em Volts (V) e R em OHMS( )
a) I = 2V/1000 Ω = 0,002A = 2mA
b) I = 100V/1000 Ω = 0,1A = 100mA
c) I= 50mV/1000 Ω = 50.10-3V/1000 =50.10-3/103 = 50.10-6A = 50 A

35
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
LEI DE OHM

2.2. Qual deve ser a tensão em um condutor de 10KOhms de resistência para a corrente
tenha intensidade de:
a) 2mA b) 0,05A d) 20mA
R: Para determinar a tensão dado a resistência e a corrente usamos a 1ª Lei de OHM na
forma:
V = R.I se R é em OHMS e I é em AMPERES, a tensão V será obtida em VOLTS
a) V = 10.103.2.10-3 = 20V
b) V = 10.103.5.10-2= 50.101 =500V
c) V = 10.103.20.10-3= 200 V

36
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
ELETRICIDADE

37
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
LEI DE OHM

38
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
LEI DE OHM

Outras relações, envolvendo resistência e potência,


são obtidas por substituição algébrica:

39
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
Cálculo da Potência

• Leis conhecidas

– P = E x I - (1)- potência = tensão x corrente


– E = R x I - (2) – tensão = resistência x corrente
• Substituindo a equação (2) em (1)
– P = (R x I) x I = R x I2

Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira


Exercícios

• 1 – Qual é a corrente I que


circula pelos condutores?
• 2 – Se a tensão da rede fosse
220 V qual seria a corrente?
I
• 3 – Supondo nula a resistência
dos condutores, qual seria o
~
valor da resistência do 127 V
4.500 W
chuveiro para cada um dos
casos acima? (Chuveiros de
4500 W para 127 V e 220 V)
Respostas
1 – 35,4 A
2 – 20,5 A
3 – 3,6 Ω e 10,7 Ω

Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira


Exercícios

• 1 - Qual é o valor da corrente I


no circuito?
• 2 – Calcule a potência em R.
• 3 – Resolva as questões 1 e 2
I
supondo que agora a tensão é ~
220 V.
R = 10 Ω
• 4 – Considere um chuveiro de 127 V
6.600 W / 220 V. Qual será a
potência desse chuveiro se o Respostas
ligarmos a uma rede de 127 V? 1 – 12,7 A
2 – 1.613 W
3 – 22 A – 4.840 W
4 – 2.200 W

Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira


ELETRICIDADE

43
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
Exercícios

• Considere um condutor de cobre com 40m de


comprimento,10 mm2 de área de seção e com a
resistividade de 1,7 x 10-8 Ω.m. Calcular a resistência
desse condutor e a energia dissipada por ele durante
30 minutos, supondo que a corrente que flui nesse
intervalo é constante e igual a 12 A.
• R = 4,9 Wh
• Recalcule a energia dissipada para um condutor de 4
mm2
• R = 12,2 Wh

Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira


EXERCICIOS

Qual é a energia consumida por uma lâmpada


fluorescente de 20 W ligada por um período de 30
minutos?

45
Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira
FIM

MUITO OBRIGADO.

Prof. José Eustáquio do Amaral Pereira


46