Você está na página 1de 2

3° encontro presencial do curso de ingressantes

Hoje o curso começa com os ingressantes da primeira etapa e com nós, da segunda etapa do
curso.
Início do curso com a leitura de um trecho do livro de Ana Maria Machado. Segundo o
PCNP de educação física, a Ana Maria Machado acredita que os estudantes não leem, porque os
textos são muito grandes. Em textos pequenos pode incentivá-los a ler.
Apresentação da Alessandra, PCNP: Interdisciplinariedade em uma situação de
aprendizagem. Os materiais do São Paulo Faz Escola, focam-se na unificação do currículo e na
qualidade do ensino (sério que você disse isso!?). As situações de aprendizagem não são estanques,
por isso Alessandra recomenda a elaboração de projetos interdisciplinares com docentes de outras
áreas de conhecimento em qualquer uma das situações de aprendizagem dos Cadernos. Será que
cabe aqui a ideia de pedagogia dos projetos? Nos cadernos há diversas atividades que se repetem
regularmente (por exemplo, o tópico sondagem e sensibilização).
Todo os cadernos do aluno são sequências didáticas, nas quais há situações de
aprendizagens. Produção inicial > módulo 1 > módulo 2, etc… Não é interessante pular as etapas
nas sequências didáticas, principalmente a produção inicial (sondagem e sensibilização) na qual são
levadas em conta o conhecimento prévio dos estudantes (o conhecimento prévio do estudante, ou
zona proximal de aprendizagem em Vigotsky é fundamental, porém não é algo que pode ser
fragmentada e limitada a uma etapa de uma sequência didática, ao contrário, ela se manifestas,
antes, durante e depois do processo de aprendizagem). Há também projetos, com objetivo de se
alcançar um produto final.
Etapas: Sondagem > problematização > contextualização > levantamento de dados >
evolução conceitual > sistematização do conhecimento > aplicação do conhecimento em situações
novas.
Tema: Avaliação. Do século XVI – XIX: classificatória, punitiva, autoritária, burocrática,
seletiva, excludente, julgadora. Do século XX – XXI: Emancipatória, formativa, diagnóstica,
mediadora, dialógica, investigativa, significativa, operacional e qualitativa.
A partir dos anos 70 e 80, autores surgiram para contestar a forma antiga de avaliação.
Alguns deles são: Luckesi, para quem a avaliação precisa ser qualitativa; Libâneio, para o qual as
avaliações precisam ter qualidade; Jussara Hoffmann, para quem a avaliação precisa ser reflexiva
para os professores e estudantes. Paulo Freire e Perrenoud. Luckesi afirma que a avaliação faz parte
do ato pedagógico (planejamento > execução > avaliação). Para este autor, a avaliação é realizada a
partir de três etapas: primeiro, coletar os dados, depois afazer uma qualificação destes dados e, por
fim, faz-se uma apreciação reflexiva do trabalho realizado. Etapas da avaliação: 1) o que será
avaliado? 2) quais serão os critérios de avaliação? 3) em que condições serão realizadas a
avaliação? 4) quais instrumentos utilizados na avaliação? 5) correção e verificação dos resultados e
6) Feedback. A avaliação também tem funções, primeiro, a função diagnóstica de compreender em
que estágio de aprendizado seus estudantes estão. Pode ser realizada no começo de ano, bimestre ou
de cada situação de aprendizagem. Segundo, a função formativa, ou seja, acompanhar e constatar a
evolução educacional dos estudantes. Pode ser realizada durante todos o processo de aprendizagem.
Por fim, a função somativa, que visa medir e classificar o aprendizado dos estudantes. Pode
acontecer no final de cada bimestre e de cada situação de aprendizado.
A LDB regulamenta que a avaliação precisa ser cumulativa e contínua, sempre permitindo
direito a recuperação.
Estatuto do Magistério Lei Complementar N° 444, de dezembro de 1985.

Vídeo de Ghisleine Trigo:


Avaliação está diretamente ligado com a orientação da ação pedagógica do professor.
A avaliação não deve tender a classificar nem excluir os estudantes.
Como trabalhar os cadernos do aluno e do professor para estruturar a aprendizagem dos
estudantes?
Como a equipe gestora pode apoiar os professores em sua ação pedagógica?

Construtivismo.
Adquirir conhecimento através de competências e habilidades. Perrenout (1999).
Zabala (2010).
Macedo (2005).
Ensino de física, competências e habilidades (desde os anos 1970).
Relatório Jacques-Delors (Educação um tesouro a descobrir).
Regina aparecida reseque
Telma Welsz.
Isabel Solé. Estratégias de leitura (indicação sobre investigar sobre a leitura).