Você está na página 1de 3

PORTUGUÊS - ATUALIZAÇÃO

"Auto" e o hífen

O falso prefixo auto é um elemento de composição na formação de palavras. Pela nova


ortografia, somente é separado do segundo elemento por hífen nos casos em que este inicia
por "o" ou "h". Caso o segundo elemento inicie com a consoante "s" ou "r", é necessário
dobrá-la, sem usar hífen. Nos demais casos, quando o segundo elemento inicia por outras
consoantes ou vogais, não há hífen.

Exemplos com hífen:

auto-observação
auto-oxidante
auto-ônibus
auto-hipnose
auto-hemoterapia

Exemplos sem hífen (dobrando as consoantes "r" ou "s")


autorretrato
autosserviço
autossuficiente
autossustentável

Demais casos, sempre sem hífen:


autoajuda
autoanálise
autobiografia
autobomba
autocontrole
autodisciplina
autoescola
autoestima
autoestímulo
autoestrada
automobilização
autopeças
autopreservação
autovia
autotransporte
autotrem
autopromover-se
automedicar-se
autocensurar-se
Dúvidas Frequentes

Nesta seção, respondemos as dúvidas de língua portuguesa mais frequentes dos usuários do
site Só Português.
Observe que as perguntas estão exibidas em ordem alfabética.
Se você tem alguma dúvida que não consta nesta página, por favor nos envie pela seção "Fale
conosco".
Nossa equipe irá verificar a possibilidade de publicar a resposta aqui no site.

"A ponto de" ou "Ao ponto de"


"Acerca de", "A cerca de" ou "Há cerca de"?
"Afim" ou "A fim"?
"Afro-brasileiro" ou "Afrobrasileiro"?
"Anti" e o hífen
"Ao encontro de" ou "De encontro a"?
"Aprender" ou "Apreender"?
"Ascender" ou "Acender"?
"Assistir televisão" ou "Assistir à televisão"?
"Aterrizar" ou "Aterrissar"?
"Auto" e o hífen
"Bem" e o hífen
"Bem-me-quer", "malmequer"...
"Bemvindo" ou "Bem-vindo"?
"Beringela" ou "Berinjela"?
"Bi-campeão" ou "Bicampeão"?
Continua após a publicidade

"Cabelereiro" ou "Cabeleireiro"?
"Cachorro quente" ou "Cachorro-quente"?
"Cadeado" ou "Cadiado"?
"Chamariz" ou "Chamarisco"?
"Circuíto" ou "Circuito"?
"Coalizão" ou "Colisão"?
"Conserto" ou "Concerto"?
"Costas" ou Costa"?
"Cumprimento" ou "Comprimento"?
Principais erros cometidos na linguagem do dia a dia
No dia a dia, é comum observarmos que muitas pessoas se confundem ao empregar certos
termos da língua.
Veja a seguir uma lista com os termos que selecionamos e atente para a forma padrão,
buscando utilizá-la.

Você não come mortandela. O que você come é mortadela.

Aquele sujeito deitado na rua não é um mendingo, mas sim um mendigo.

Ninguém toma iorgute. Todos tomam iogurte.

A janela do seu banheiro não é uma vasculhante, mas sim uma basculante.

Seu sapato não possui cardaço, mas sim cadarço.

Nunca diga "haviam muitas pessoas no local". Neste caso, o verbo haver não tem um sujeito
com quem concordar, pois ele tem o sentido de existir. Logo, o correto é "havia muitas
pessoas no local".

Você não chega em casa meia cansada. Você chega meio cansada. Deixe a meia para colocar
no pé.

Você não chega do futebol soando, a não ser que seja um sino. O correto é suando.

Não use a expressão "a nível de", que é um modismo criado nos últimos anos. Use "em nível
de". Por exemplo: "O problema será resolvido em nível de diretoria". A exceção ocorre quando
nos referimos a um nivelamento. Por exemplo: "Esta cidade não fica ao nível do mar".

Elimine as palavras seje e esteje do seu vocabulário, pois elas não existem. Nunca escreva para
um amigo dizendo "seje feliz" ou "espero que esteje bem".

Ninguém tem poblema ou pobrema. As pessoas têm problemas.

Minha mãe pediu para eu fazer, para eu comprar e não para mim fazer ou para mim comprar.