Você está na página 1de 5

Física e Química A – 10º ano

Química

Elementos químicos e sua organização


Energia dos electrões nos átomos

Quantização de energia

Modelo atómico de Bohr

O electrão só poderia ocupar certas órbitas,


com determinado raio.
A cada órbita estava associado um determinado
valor de energia.
As saídas dos electrões das órbitas só eram
permitidas por absorção (excitação) ou emissão
(desexcitação) de certas quantidades de
energia.
Assim:
Um electrão passa de um nível de energia para outro (consecutivo) sem nunca ter valores
intermédios entre esses níveis – níveis descontínuos de energia / estados estacionários de
energia.

Pode estabelecer-se uma


analogia entre os estados
estacionários com os “estados” de
uma bola ao subir ou ao descer
uma escada. A bola pode
permanecer num dos degraus e
não entre eles.

Mas atenção: no átomo, os


“degraus” não se encontram
todos à mesma distancia uns dos
outros!

Modelo quântico

A nuvem electrónica é a representação da densidade da distribuição de


electrões à volta do núcleo.
A probabilidade de encontrar o electrão perto do núcleo é maior, por isso
a nuvem electrónica é mais densa no centro do que na periferia.

Nuvem electrónica do átomo de hidrogénio

estado fundamental estado excitado

1
Energia de uma electrão no átomo de hidrogénio

2,18
En = − 2
 10 −18
n
Pressupostos do modelo de Bohr:
• O electrão gira à volta do núcleo em órbitas circulares. O raio das órbitas não é
aleatório, isto é, não pode tomar um valor qualquer mas, sim, um valor múltiplo do
quadrado de um número inteiro, ou seja, é quantificado; a energia do electrão não pode
ter um valor qualquer e também é quantificada;
• Enquanto o electrão percorre determinada órbita, não absorve nem emite energia;
• Quando o electrão absorve energia, transita de uma órbita mais interna, para uma
órbita mais externa.

Espectro do átomo de hidrogénio

Absorção e emissão de energia

Os electrões de um átomo podem:


• ganhar energia (ser excitados)
- Elevação de temperatura;
- Colisão com electrões de um descarga eléctrica;
- Incidência de radiação electromagnética.
• perder energia
- Emissão de radiação electromagnética.

Eradiação
Diagrama de Órbitas Diagrama de Energia
(E = Ef – Ei)

Absorção
E > 0
de
energia
Eradiação = E

Emissão
de E < 0
energia
Eradiação = - E

Eradiação = Enível mais alto – Enível mais baixo

2
Diagrama de níveis de energia do átomo de hidrogénio e séries do espectro
de emissão

Energia de remoção electrónica

Energia do electrão no átomo


• Eelectrão = Ec + Ep

• Ec – O electrão move-se em torno do núcleo.


• Ep – Existe uma interacção entre o núcleo de carga positiva e o electrão de carga
negativa e, ainda, interacções entre os electrões nos átomos polielectrónicos.

• Ec > 0; Ep < 0; |Ep| > |Ec| → Eelectrão < 0

Energia de remoção do electrão

A energia de remoção é a energia necessária para remover um electrão de um átomo, que


pode estar num nível mais interior ou mais exterior da sua nuvem electrónica.

Nesta situação, o electrão é extraído


do átomo sem energia cinética, e este
fica ionizado, transformando-se num
ião. (H (g) → H+ (g) + e-) Diz-se que o
electrão transita para um estado
infinito, o que apenas significa que
fica a uma distância suficientemente
grande para que não seja atraído pelo
núcleo.
Assim, Eelectrão extraído = Ep + Ec = 0 J,
pois o electrão não está sujeito a
atracção do núcleo e foi removido
sem energia cinética.

Eelectrão no átomo = - E rem

Haverá tantos valores de energias de remoção, quantos os estados de energia para os


electrões.
3
Os electrões com maior energia de remoção são os que ocupam menor níveis de
energia.

Quando incide, sobre um átomo, energia sob forma de radiação, podem ocorrer três situações:
• Erad ≥ Erem → O electrão abandona o átomo.
• Erad < Erem e Erad = En → O electrão transita para um estado de energia permitido e o
átomo fica excitado.
• Erad < Erem e Erad ≠ En → a radiação não é absorvida, nada acontece ao átomo.

Espectroscopia fotoelectrónica

Através de uma técnica denominada


por espectroscopia fotoelectrónica, é
possível obter dados relativos à
energia de remoção dos electrões – a
partir de um átomo neutro, não sendo
obtidos por retirada sucessiva dos
electrões (ao contrário da energia de
ionização).

Hidrogénio e Hélio

- Um único valor de energia de remoção, logo um único nível de energia ocupado (n=1).
- Nos átomos de Hélio, ambos os electrões estão no mesmo nível.

4
Lítio e Berílio

- Dois valores bem distintos de energia de remoção (diferentes ordens de grandeza), logo dois
níveis de energia ocupados.
- Os átomos de Lítio têm 2 electrões no nível n=1 e 1 electrão no nível n=2.
- Os átomos de Berílio têm 2 electrões no nível n=1 e 1 electrão no nível n=2.

Boro, Oxigénio e Néon

- Três valores de energia de


remoção, contudo apenas o último
valor é bem distinto dos
precedentes (diferentes ordens de
grandeza), logo apenas dois níveis
de energia estão ocupados n=1 e
n=2.
- A proximidade dos dois primeiros
valores indica a existência de dois
subníveis com energias diferentes,
mas muito próximos.