Você está na página 1de 6

Exercícios alfacon Evandro Guedes 07.

(CESPE) A exposição de motivos do CP é


típico exemplo de interpretação autêntica
01. As infrações penais se dividem em crimes e contextual.
contravenções. Os crimes estão descritos:
a) Na parte especial do Código Penal e na Lei de 08. (CESPE) Se o presidente do STF, em
Contravenção Penal. palestra pro- ferida em seminário para
b) Na parte geral do Código Penal. magistrados de todo o Brasil, interpreta uma lei
c) Nas normas penais em branco. penal recém publica da, essa interpretação é
d) Na Lei de Contravenção Penal. considerada interpretação judicial.
e) No Código Penal e em leis extravagantes.
09. No vigente ordenamento jurídico brasileiro
02. Em relação à infração penal, assinale a opção é possível a tipificação legal de uma conduta dita
correta. como crime por meio de um decreto presidencial.
a) Considera-se crime a infração penal a que a lei
comina pena de reclusão, de detenção ou prisão 10. Indique, nas opções abaixo, dois princípios
simples, quer isoladamente, quer alternativa ou contidos no art. 1º do Código Penal:
cumulativamente com a pena de multa. a) Da legalidade e da anterioridade
b) Considera-se contravenção penal a infração b) Da reserva legal e da culpabilidade
penal a que a lei comina pena máxima não c) Da proporcionalidade e da legalidade
superior a dois anos de reclusão. d) Do duplo grau de jurisdição e da reserva legal
c) No ordenamento jurídico brasileiro, a diferença e) Da culpabilidade e do devido processo legal.
entre crime e delito está na gravidade do fato e na
pena cominada à infração penal. 11. (FCC) Dispõe o artigo 1º do Código Penal:
d) A infração penal é gênero que abrange como “Não há crime sem lei anterior que o defina. Não
espécies as contravenções penais e os crimes, há pena sem prévia cominação Legal”. Tal
sendo estes últimos também identificados como dispositivo legal consagra o princípio da:
delitos. a) Ampla defesa
e) crimes apenados com reclusão se submetem b) Legalidade
aos regimes fechado e semi-aberto, enquanto os c) Presunção de inocência
apenados com detenção se submetem aos d) Dignidade
regimes aberto e prisão simples. e) Isonomia
12. Segundo o princípio da legalidade, a
03. Na legislação brasileira, o conceito de elaboração das normas incriminadoras e das
contravenção penal é fixado pela(o) respectivas sanções constitui função exclusiva da
a) gravidade da conduta lei.
b) resultado
c) pena cominada 13. Força de lei, não viola o princípio da
d) conduta legalidade a medida provisória que define crimes
e) pena aplicada e comina sanções penais.

04. O direito pátrio faz distinção clara entre as 14. A medida provisória, por ter força de lei,
figuras do crime, contravenção penal e delitos. mesmo antes de sua aprovação pelo congresso
nacional pode instituir crime ou pena criminal.

05. A infração penal divide-se em três 15. Segundo o princípio da legalidade, a


espécies: delito, crime e contravenção penal. No definição de crime só é possível por meio de lei.
código penal, somente estão previstos os delitos e Isso deve ser respeitado também ao se
os crimes. Na Lei especial, estão previstas as estabelecer (cominar) a pena aplicável a tal fato
contravenções. criminoso. Assim, o princípio da legalidade se
dirige tanto à definição do crime como, também, à
06. Segundo a corrente majoritária do direito respectiva pena.
pátrio, o crime se completa com o fato típico,
antijurídico e culpável. 16. A expressão lei deve ser interpretada da
forma mais estrita possível. Primeiramente, a lei
que trata de direito penal deve ter origem no
legislativo da União. Portanto, no congresso
Nacional. É o que preleciona o artigo 22 da Carta iniciou ou cessou a conduta.
Política. c) Vigente quando cessou a conduta ilícita do
agente.
17. O enunciado segundo o qual “não há crime d) Mais severa, independente de quando se iniciou
sem lei anterior que o defina, nem pena sem prévia ou cessou a conduta do agente.
cominação legal” traz insculpidos os princípios da
24. Considere a seguinte situação hipotética.
reserva legal ou legalidade e da anterioridade.
Célio,
penalmente imputável, praticou um crime para
18. É correto afirmar que não existe a figura da o qual a lei comina pena de detenção de 6 meses
analogia no direito penal. a 2 anos e multa e, após a sentença penal
condenatória
19. Analogia em direito penal somente poderá recorrível, nova lei foi editada, impondo
ser usada em favor do indivíduo, de toda sorte, a para a mesma conduta pena de reclusão de 1 a 4
doutrina majoritária assim admite-a, sendo anos e multa. Nessa situação, a nova legislação
classificada como analogia in bonam partem. não poderá ser aplicada em decorrência do
princípio
20. Em relação ao Direito Penal e levando-se da irretroatividade da lei mais severa.
em consideração as normas constitucionais,
analise as afirmativas a seguir: 25. Em relação a normas penais no tempo, é
correto
I. É correto afirmar que medidas provisórias, por
afirmar que:
ter força de lei, podem dispor sobre matéria penal. a) Lei antiga mais benéfica retroage para
II. No direito penal só se fala em analogia in bonan beneficiar o réu.
partem, ou seja, só utiliza-se a analogia para be- b) Lei mais gravosa deve retroagir, pois ninguém
neficiar o acusado. pode escusar o seu conhecimento.
III. Pode-se afirmar que, no direto penal a regra c) nova mais benéfica de ultra agir para beneficiar
geral é irretroatividade de lei. São verdadeiras o acusado
somente as afirmativas: d) Não existe extratividade de lei no ordenamento
a) I e II; jurídico pátrio.
b) I e III; e) Lei anterior mais benéfica deve ter ultratividade
c) II e III; para que assim possa beneficiar o acusado.
d) I, II e III;
26. A lei excepcional ou temporária, embora
e) III
decorrido o período de sua duração ou cessadas
as circunstâncias que a determinaram, não se
21. (ESAF) Quando uma lei penal nova torna aplica ao fato praticado durante sua vigência.
atípico fato anterior definido como crime
(incriminador), pode-se dizer que ocorreu:
a) Abolitio criminis 27. As Leis excepcionais ou temporárias sempre
b) Novatio legis incriminadora se aplicarão aos fatos ocorridos sob seu império.
c) Novatio legis in pejus Assim, de regra, são ultra ativas, isto é, mesmo
d) Novatio legis in mellius que revogadas serão aplicadas.
e) Ofensa ao princípio da legalidade

22. (FCC) Considerando os princípios que 28. (CESPE) Apresentada a situação hipotética a
regulam a seguir, julgue o item: Manoel, com 22 anos de
aplicação da lei penal no tempo, julgue o item. idade, efetuou um disparo contra um adolescente
Pela abolitio criminis se fazem desaparecer o que completaria 14 anos no dia seguinte.
delito e todos seus reflexos penais, permanecendo Em razão das lesões provocadas pelo disparo,
apenas os civis. Como o texto não trata dos efeitos o adolescente faleceu, já tendo completado os 14
civis, consequentemente os mesmos permanece. anos de idade. Sabe-se que, no crime de
homicídio doloso, a pena é aumentada caso a
23. (PGE) Em matéria de eficácia da lei penal no vítima seja menor de 14 anos de idade, mas nessa
tempo, adotada a regra geral da prevalência da situação, o aumento da pena não é aplicável, pois
lei do tempo do fato, a lei aplicável os casos de o homicídio só se consumou quando a vítima já
crimes permanentes será a Lei. havia completado 14 anos de idade.
a) Vigente quando se iniciou a conduta ilícita do
agente.
b) Mais benéfica, independente de quando se
29. De acordo com a teoria da atividade, 37. (FCC) Adotada a teoria finalista da ação, o dolo
insculpida no art. 4º do CP, considera-se praticado e a culpa integram a:
o crime no momento em que foi praticada a a) Punibilidade;
conduta (ação ou omissão), independentemente b) Tipicidade;
de quando ocorrerá o resultado. c) Culpabilidade;
d) Imputabilidade;
e) Antijuridicidade
30. O nosso Código Penal adotou a Teoria do
Resultado como se observa no artigo 6° deste 38. De acordo com a doutrina naturalista da ação,
Diploma Legal. o dolo tem caráter normativo, sendo necessário
que o agente, além de ter consciência e vontade,
31. (FCC) É certo que se aplica a lei brasileira aos saiba que a conduta praticada é ilícita
crimes praticados a bordo de: Certo ( ) Errado ( )
a) Embarcações brasileiras que estejam em mar
territorial estrangeiro 39. Assinale a alternativa falsa:
b) Embarcações mercantes brasileiras que a) Pode-se definir ilicitude como a relação de
estejam em porto estrangeiro antagonismo
c) Aeronaves mercantes brasileiras que estejam que se estabelece entre uma conduta
em espaço estrangeiro humana voluntária e o ordenamento jurídico;
d) Aeronaves mercantes brasileiras que estejam b) O roubo de veículo automotor acarreta
em pouso em aeroporto estrangeiro necessariamente um aumento de pena, se o
e) Embarcações estrangeiras de propriedade veículo for transportado para o exterior;
privada que esteja em mar territorial brasileiro. c) A difamação, em regra, não admite a exceção
da verdade, enquanto a calúnia, em regra, a
32. (FCC) É certo que se aplica a lei brasileira aos admite;
crimes praticados a bordo de: d) Pode-se afirmar que a analogia no direito penal
a) Embarcações brasileiras que estejam em mar só pode ser utilizada para beneficiar o réu
territorial estrangeiro
b) Embarcações mercantes brasileiras que 40. A chamada abolitio criminis faz cessar, em
estejam em porto estrangeiro virtude dela:
c) Aeronaves mercantes brasileiras que estejam a) A execução da sentença condenatória mas não
em espaço estrangeiro. os seus demais efeitos penais
d) Aeronaves mercantes brasileiras que estejam b) A execução da pena em relação ao autor do
em pouso em aeroporto estrangeiro crime mas este benefício não se estende aos
e) Embarcações estrangeiras de propriedade eventuais coautores ou partícipes
privada que esteja em mar territorial brasileiro. c) Os efeitos penais da sentença condenatória
mas não a sua execução
33. A analogia em direito penal é amplamente d) A execução e os efeitos penais da sentença
aceita pela doutrina e jurisprudência pátria, condenatória
inclusive para melhorar e piorar a situação do réu
Certo ( ) Errado ( ) 41. ‘’Taxatividade’’, em Direito Penal, significa que:
a) Os fatos descritos na lei penal admitem
34. As regras gerais deste Código aplicam-se aos ampliações de entendimento
fatos incriminados por lei especial, se esta não b) O fato é típico ou atípico
dispuser de modo diverso c) O conjunto de normas incriminadoras admitem
Certo ( ) Errado ( ) pena de multa
d) As regras de direito penal decorrem do princípio
35. No Direito Penal brasileiro, em regra, a pessoa da reserva legal
jurídica não pode ser sujeito ativo Por outro lado,
sempre poderá ser sujeito passivo de delitos 42. (CESPE) Sujeito ativo do crime é o que pratica
Certo ( ) Errado ( ) a conduta delituosa descrita na lei e o que, de
qualquer forma, com ele colabora, ao passo que o
36. (FCC) Adotada a teoria finalista, é possível se sujeito passivo do delito é o titular do bem jurídico
afirmar que o dolo e a culpa integram: lesado ou posto em risco pela conduta criminosa
a) Tipicidade e culpabilidade, respectivamente Certo ( ) Errado ( )
b) Culpabilidade
c) Antijuridicidade 43. É correto afirmar que o crime de homicídio é
d) Culpabilidade e tipicidade, respectivamente cometido no dia em que o agente desfere na
e) Tipicidade vítima a facada que gerou a morte, mesmo que
o evento morte ocorra depois de certo tempo.
Dessa forma um menor de 17 anos não comete compra outra bicicleta nova e a restitui a Carlos.
crime caso desfira uma facada em um maior Nesta hipótese:
de idade as 00:30 do dia que completa 18 anos, a) a pena imposta a Henrique deverá se situar no
caso a hora do seu aniversário seja as 18 horas patamar mínimo, sem qualquer diminuição.
do mesmo dia. b) a pena imposta a Henrique será reduzida de um
dois terços, diante do arrependimento posterior.
44. Luiz ministrou certa dose de veneno a Pedro, c) Carlos poderá perdoar Henrique e este não será
ocultando-a dentro de um suco, com intenção processado por crime de furto.
de matá-lo. Logo em seguida, Luiz saiu da casa d) a ação penal só poderá ser proposta com a
de sua vítima. Antes mesmo de Pedro sentir os representação de Carlos.
efeitos da substância ingerida, uma bala perdida
atingiu-lhe o peito, e ele morreu instantaneamente 50. (CESPE) Considere-se que Joaquim,
por causa dos disparos. Nessa situação, penalmente responsável, sem o ânimo de morte
Luiz responderá por tentativa de homicídio. na conduta, atirou contra João, ferindo-o
gravemente, de modo que a vítima permaneceu
45. Em relação ao nexo de causalidade, o Código internada sob cuidados médicos por um período
Penal adotou a teoria da imputação objetiva, de 40 dias.
segundo a qual deve existir um liame entre a Nessa situação, Joaquim responderá por crime
conduta descrita na norma penal e o resultado de lesão corporal de natureza grave, ficando
ocasionado. absorvido o crime de periclitação da vida ou da
saúde humana, visto que a situação de perigo
46. (NCE) Ticiana sai para o trabalho e deixa seu foi ultrapassada e passou a constituir elemento
filho Caio, de 3 anos, aos cuidados da avó do crime mais grave.
materna, Meviana. Num determinado momento,
em que a avó sai de casa e deixa o neto sozinho, 51. (CESPE) Considere que determinado
este sobe na janela do apartamento e cai do 10º motorista, em estado de embriaguez, dirija de
andar, o que causa sua morte. É correto afirmar, madrugada, seu veículo, em velocidade acima da
nesse caso, que: permitida, e venha a causar acidente
a) Ticiana e Meviana devem responder automobilístico que resulte na morte de um
criminalmente porque houve omissão própria; pedestre. Nessa circunstância, de acordo com o
b) Meviana deve responder criminalmente porque atual entendimento do STJ, o motorista deverá
houve omissão imprópria; responder penalmente por:
c) Meviana deve responder criminalmente porque a) homicídio doloso, na modalidade dolo eventual.
houve omissão própria; b) homicídio doloso, na modalidade dolo
d) Ticiana deve responder criminalmente porque alternativo.
houve omissão imprópria; c) homicídio doloso, na modalidade dolo direto de
e) Ticiana deve responder criminalmente porque segundo grau.
houve omissão própria. d) homicídio culposo.

47. João, José e Juvenal foram flagrados no 52. Na culpa consciente, o agente:
momento em que se reuniam para planejar um a) prevê o resultado e, conscientemente, assume
assalto. Tal situação configura: o risco de produzi-lo.
a) Tentativa de assalto b) prevê o resultado, mas espera, sinceramente,
b) Tentativa de roubo que ele não ocorra.
c) Tentativa de furto c) não tem previsão quanto ao resultado, mas
d) Conduta atípica apenas à previsibilidade do mesmo.
e) Formação de quadrilha d) não tem previsão quanto ao resultado, mas,
conscientemente, considera-o previsível.
48. Tentativa branca consiste:
a) na investida agressiva, utilizando-se o agente 53. (FCC) Quando o agente prevê o resultado,
dos próprios punhos; mas espera sinceramente que ele não ocorrerá,
b) na inexistência de lesão na vítima; afirma-se na doutrina que há:
c) na execução obstada por uma norma penal em a) culpa imprópria
branco; b) dolo alternativo
d) em levar a efeito investida fracassada com c) dolo indireto
instrumento d) dolo eventual
cortante, perfurante ou pérfuro cortante. e) culpa consciente

49. Henrique furtou a bicicleta de Carlos. Após 54. (FCC) Dentre os elementos do crime doloso,
alguns dias, envergonhado de tal ato, Henrique NÃO se inclui a:
a) Consciência do resultado a) apenas o dolo;
b) Noção da conduta b) apenas o preterdolo;
c) Imprudência, imperícia e negligência c) apenas a culpa;
d) Consciência do nexo causal entre conduta e d) o dolo e a culpa;
resultado e) a culpabilidade.
e) Vontade de praticar a conduta e alcançar o
resultado. 61. Segundo o Direito Penal brasileiro configura
hipótese de inexigibilidade de conduta diversa:
55. A cerca dos crimes permanentes é correto a) a legítima defesa.
afirmar que: b) a coação moral irresistível.
a) Lei mais benéfica deve ser utilizada, quando c) a imunidade penal absoluta.
está d) o desconhecimento da lei
sobreveio no prazo de cometimento do crime.
b) Deve ser utilizada a lei de quando cessou a 62. Conforme está expresso em nosso Código
conduta do agente, mesmo que mais gravosa. Penal para ser caracterizada a figura do estado de
c) Deve ser utilizada sempre a lei mais grave. necessidade torna-se necessário que o perigo ao
d) Deve ser sempre utilizada a lei menos grave, qual está submetido o agente seja
em respeito ao princípio da lei mais benéfica. a) iminente e não atual.
e) Segue o mesmo rito dos crimes comuns. b) atual e não iminente.
c) atual ou iminente.
56. A, imputável, jamaicano, sem assimilar a d) idêntico, em termos de atual ou iminente, ao da
cultura brasileira, agindo como se estivesse em legítima defesa.
seu país, pratica conduta definida como crime, no
Brasil. Na Jamaica, tal conduta é lícita. O fato 63. “Lunus”, doente mental, estava sendo
configura erro de: violentamente espancado por “Brutus” e “Grotius”.
a) Tipo Como única forma de se ver livre dos agressores,
b) Fato “Lunus” joga contra eles pesadas pedras,
c) Proibição matando-os. “Lunus”, no caso proposto:
d) Crime impossível a) cometeu duplo homicídio, mas terá a sua pena
e) Crime consumado reduzida porque, em virtude de doença mental,
não era inteiramente capaz de entender o
57. É correto afirmar que, o “erro in persona” (erro caráter ilícito do fato ou de determinar-se de
sobre a pessoa): acordo com esse entendimento.
a) é caso de erro acidental. b) cometeu duplo homicídio, mas estará isento de
b) é caso de erro essencial. pena porque, por doença mental, era, ao tempo
c) configura descriminante putativa. da ação, inteiramente incapaz de entender o
d) configura escusa absolutória. caráter ilícito do fato ou de determinar-se de
acordo com esse entendimento.
58. O advogado “Caio”, por engano, pegou o c) não agiu ilicitamente, pois praticou o fato
guarda-chuva de seu colega “Tício”, que estava amparado por excludente de ilicitude.
pendurado no balcão do cartório. Com base no d) estará isento de pena, pois agiu em estado de
exemplo, é correto afirmar que “Caio” não necessidade.
responderá por crime de furto, pois:
a) ele incidiu em erro acidental sobre dados 64. Entre as causas de exclusão da imputabilidade
secundários da figura tópica do furto. penal previstas em lei incluem-se a doença
b) incorreu em erro de proibição invencível. mental, o desenvolvimento mental incompleto e
c) faltou-lhe potencial consciência da ilicitude. o desenvolvimento mental retardado.
d) ele incidiu em erro sobre elemento constitutivo
do tipo legal do crime de furto (erro de tipo 65. Juarez Pensador praticou um crime às
essencial). 0h10min do dia que completou 18 anos, mas
alegou ser menor de idade, pois somente
59. (NCE) O erro de tipo essencial escusável completaria 18 anos às 22h00min horas do
exclui: mesmo dia. Nesse caso Pensador não cometeu
a) apenas o dolo; crime e sim ato infracional.
b) apenas o preterdolo;
c) apenas a culpa; 66. Com relação ao direito penal, assinale a opção
d) o dolo e a culpa; incorreta.
e) a culpabilidade. a) O direito penal é chamado o direito as condutas
ilícitas.
60. O erro de tipo essencial inescusável exclui: b) A imputabilidade é a possibilidade de se atribuir
o fato típico e ilícito ao agente. que está na posse de Aldo Haverá:
c) A ausência de dolo exclui o tipo, primeiro a) Legítima defesa subjetiva e legítima defesa
elemento estrutural do crime. sucessiva
d) A coação irresistível e a obediência hierárquica b) Legítima defesa putativa e legítima defesa
excluem a culpabilidade. sucessiva
c) Estado de necessidade e exercício regular de
67. Somente pode ser considerado sujeito ativo direito
aquele agente que executa a ação descrita na d) Legítima defesa e estado de necessidade
norma penal, realizando concretamente a e) Legítima defesa e estrito cumprimento de dever
conduta. legal

68. Assinale a alternativa falsa: 73. O homicídio praticado sob coação a que o
a) Pode-se definir ilicitude como a relação de agente
antagonismo que se estabelece entre uma poderia resistir implica no reconhecimento:
conduta humana voluntária e o ordenamento a) De causa que isente o agente de pena
jurídico b) De causa que privilegia o agente
b) O roubo de veículo automotor acarreta c) De circunstância que atenua a pena do agente
necessariamente um aumento de pena, se o d) De causa que qualifica o homicídio
veículo for transportado para o exterior
c) A difamação, em regra, não admite a exceção 74. Constituem elementos do fato típico culposo,
da verdade, enquanto a calúnia, em regra, a exceto:
admite a) Resultado voluntário
d) Pode-se afirmar que a analogia no direito penal b) Previsibilidade objetiva
só pode ser utilizada para beneficiar o réu c) Tipicidade
d) Resultado
69. A, imputável, comete o crime de furto No dia
seguinte ao recebimento da denúncia, restitui o 75. São pressupostos da culpabilidade
objeto ao proprietário O fato é: a) A exigibilidade de conduta diversa e a
a) Irrelevante possibilidade de conhecer a ilicitude do fato
b) Atenuante b) A falta de dever de cuidado e a imputabilidade
c) Arrependimento posterior c) A possibilidade de conhecer a ilicitude do fato e
d) Tentativa a previsibilidade do resultado
e) Extinção da punibilidade d) O dolo e a culpa
e) A exigibilidade de conduta diversa e a falta de
70. Rogério, amigo íntimo de Rubens, comenta dever de cuidado
com este que vai assaltar o Banco BB na manhã
de segunda-feira, pedindo que guarde segredo 76. (NCE) Entre as alternativas abaixo, é correto
No dia do roubo, Rogério é preso e diz à polícia afirmar que os ofendículos excluem:
que Rubens sabia disto portanto, diante desta a) O nexo causal
hipótese, é correto afirmar que: b) A culpabilidade
a) Rogério responde pelo crime de roubo e c) A imputabilidade
Rubens terá a pena diminuída de um a dois terços d) A ilicitude
por participação de menor importância e) A culpa
b) Rubens é partícipe, eis que tinha ciência do
crime a ser praticado por Rogério 77. Rogério e Fernando, pretendendo matar
c) Somente Rogério é autor do crime de roubo Alfredo, colocaram-se em emboscada, sem que
d) Rogério é autor e Rubens é coautor um soubesse a intenção do outro Rogério e
Fernando, ante a aproximação de Alfredo,
71. Paulo resolve atirar em José que está atiraram contra o desafeto, ficando, depois,
conversando com Afonso E mesmo prevendo que provado que apenas um dos disparos provocara
poderá atingir o terceiro (Afonso), não desiste do a morte da vítima nessa situação, Rogério e
seu intento e atira, acertando-o responderá pelo Fernando responderão por homicídio consumado
crime a título de: em coautoria
a) Dolo direto Certo ( ) Errado ( )
b) Dolo alternativo
c) Dolo eventual
d) Culpa inconsciente
e) Dolo indireto

72. Paulo, para defender-se de João, retira a arma