Você está na página 1de 162

Administrador

Overview do Treinamento

Tópicos a serem abordados:


 Gerenciamento de projetos e direitos no
Comos
 Criação de objetos

 Criação de estruturas de projeto

 Criação de especificações

 Criação de documentos

 Administração de dados (WorkFlow de dados


e WorkFlow entre disciplinas)
Overview do Treinamento

 Técnicas para utilização de scripts


 Exemplos de importação de dados

 Previsão: 5 dias
Arquitetura
Comos® PT Comos® PT Secretária
Workstation 1 Workstation 2 (WinWord, Excel etc.)

Comos PT-
e-Aplications-Server DB
(Windows 2000, XP)
Firewall
Internet ISDN/Modem
Instalação

 Acessar Setup.exe
 Escolher a opção English;
 Escolher a opção Comos Installation;
 Escolher a opção Comos PT – será aberta a
janela de instalação;
 Next;
 Selecione I accept the terms in the license
agreement e clique Next;
 Instalação - Complete e clicar em Next;
Instalação

 Manter o diretório de instalação


 Target folder for automatic updates –
Next;
 License Server – digitar o nome do servidor de
licenças;
 Clique em Install;
 Clique em Finish;
Instalação Service Pack

 Executar o arquivo c:\Program


Files\CPTUPDCT\cptupdct.exe;

 No campo Update folder selecionar o diretório


de Service-Pack do Comos
Instalação Service Pack

 Executar o arquivo c:\Program


Files\CPTUPDCT\cptupdct.exe;
 No campo Update folder selecionar o diretório
de Service-Pack do Comos
Instalação Service Pack

 Confirme a mensagem;
 A opção Continue será habilitada, clique nesta
opção;
 Clique em Start;
 Clique em Finalize;
Gerenciamento de Projetos

 Os projetos oferecem também um esquema


de gerenciamento -> onde e possível
visualizar quem acessa e o que acessa
dentro do projeto
 Para acessar estas propriedades, abra o
projeto, clique com o botão direito sobre a
raiz do projeto
 Selecione a opção Rights
Gerenciamento de Projetos

 Será exibida a seguinte


tela:
 Podemos visualizar
quem está logado no
Comos e os privilégios
que possui, além de
outras informações
 Temos a opção Rights
para as propriedades
dos outros usuários
Gerenciamento de Projetos

 Podemos ainda inserir outros usuários com o


botão direito – New Right
Gerenciamento de Projetos

 Basta selecionar (...)


o novo usuário ou
grupo de usuários
da lista e escolher os
privilégios
 Agora o usuário
aparecerá na lista
também
Gerenciamento de usuários

 Os usuários são criados automaticamente no


Comos – assim que o Comos é aberto ele
identifica o usuário logado no Windows e
grava nas tabelas do Comos
 A principio este usuário não terá acesso a
nenhum projeto – o administrador deverá
conceder este acesso
 Para conceder acesso o administrador deve
acessar a área User Management do
Comos
Gerenciamento de usuários

 Serão listados todos os usuários, para


acessar as propriedades de cada usuário
basta clicar com o botão direito
->Properties
 Agora podemos definir os privilégios para
este usuário
Gerenciamento de usuários
Gerenciamento de usuários

 Aqui podemos
acrescentar
privilégios em
projetos,
direitos de
administração e
de Project
Manager além
das Working
Areas
Working areas

 Além deste nível de controle de acesso ao


Comos, podemos restringir o acesso
internamente as disciplinas no Comos – e
com isso chegar a um controle mais efetivo
de acesso
 Cada usuário é designado a trabalhar com
uma determinada Working Area, e desta
forma não pode acessar outras áreas
 As Working areas são acessadas nas
propriedades dos usuários
Working areas

 Clicando com o
botão direito sobre
cada disciplina,
podemos configurar
a disciplina com ON,
OFF ou READ ONLY
 Podem ser criadas
novas áreas mais
relacionadas a área
de atuação de cada
usuário
Classes de Objetos

 Classe - nome que define um elemento de


software no Comos, que possui características
específicas
 O Comos possui várias classes:
 Devices
 Pipes
 Acessories
 Etc...
Classes no Comos

 Cada classe têm funções específicas no


Comos e possui propriedades
 Por exemplo uma classe device combinada
com uma sub-classe Actuator irá prover
funcionalidades de desenho de válvulas – já
uma classe Pipe irá prover funcionalidades
para o desenho de uma tubulação
 Algumas classes podem ser visualizadas no
capitulo 10.3 da apostila Manual
Estrutura

 A criação da estrutura é realizada pelo


administrador baseado em alguma estrutura
de projeto já utilizada pela empresa (AKZ,
OKZ, KKS, etc...)
 Consiste em criar símbolos e estruturá-los de
forma que o usuário possa criar a estrutura
de forma simples e intuitiva.
 Utiliza basicamente @J Project , @U Unit, @L
Location e @D Document
Estrutura

 Basicamente utilizamos o conceito de


ELEMENT para criar a estrutura (já visto
anteriormente)
 Cada nível subseqüente será um ELEMENT do
elemento atual e sempre virá disponível no
botão direito para ser criado*
 A estrutura do projeto tem efeito na
documentação do projeto – o tagueamento
pode ser definido através da estrutura

*Dependendo do tipo de criação


Estrutura

Objetos em verde são


elementos
Estrutura
Objetos ficam disponíveis no
botão direito

Níveis sub sequentes funcionam da


mesma forma
Estrutura

 Desenvolvemos as unidades sob @U Unit


 Desenvolvemos as localizações sob @L
Location
 Desenvolvemos os documentos sob @D
Document
 Após isso, inserimos estas estruturas como
elementos de algum projeto no @J Project
 O objeto sob @ Project deve ser associado ao
projeto para disponibilizar as estruturas
criadas
Estrutura
Base Objects Local

 Para criar um
Base Object local,
clicar com o
botão direito na
área em que
deseja criar o
O globo Azul Base Object,
indica que o “New”>”New
Objeto é Local. base object in
engineering
project”
Base Objects

 São símbolos criados especialmente na


biblioteca do Comos para serem utilizados nos
projetos
 O Comos já traz uma serie de objetos
definidos que podem ser utilizados
diretamente nos projetos ou podem servir
como modelo para novos objetos
 O projeto de criação de biblioteca geralmente
é o SO1
Base Objects

 Para se criar os objetos acessamos o TAB


Base Objects no projeto SO1
 Para criar novos objetos, basta clicar na raiz
do projeto com o botão direto e selecionar
New Base Object

 Automaticamente será aberta a tela de


edição e criação de objetos
Base Objects

 Serão exibidas
uma serie de
TABS para a
construção do
objeto
 Cada TAB tem a
sua função
específica dentro
do objeto
Base Objects - TABS

 TAB System
 Class – Classe do símbolo
 Subclass – Sub-classe do símbolo
 Name
 Label – mascara para o Name
 Description
 Reference – referencia outros objetos
 Miscellaneous – restrição de privilégios
 Behavior – Define o comportamento do objeto
dentro da estrutura
 Creation option – Tipo de criação do símbolo
 Creation mode – Tipo de criação dos seus
elementos
Base Objects - TABS

 TAB System Settings


 Basicamente controla a criação de links e
referencias
 TAB Specification
 Atributos do objeto (Ex. Dados técnicos, dados de
processo, dados elétricos, etc...)
 TAB Elements
 Lista dos sub-objetos(elementos) que podem ser
inseridos a partir do original
 TAB Connectors
 Define as conexões do objeto
Base Objects - TABS

 TAB Symbols
 Define as propriedades gráficas do objeto – ou
seja como o objeto irá aparecer nos diagramas e
fluxogramas
 TAB Usage
 Utilizada para pesquisa, para se filtrar em quais
projetos o objeto está inserido
 TAB Inheritance sources
 Mapeia a herança do objeto – quais definições
estão sendo herdadas a cada nível da estrutura
 TAB Configuration
 Habilita ou desabilita as Tab`s dos objetos
Base Objects - TABS

 TAB System Settings


 Basicamente controla a criação de links e
referencias
 TAB Specification
 Atributos do objeto (Ex. Dados técnicos, dados de
processo, dados elétricos, etc...)
 TAB Elements
 Lista dos sub-objetos(elementos) que podem ser
inseridos a partir do original
 TAB Connectors
 Define as conexões do objeto
Base Objects

 Basta definir um
nome e label que o
objeto poderá ser
salvo na base –
outras informações
relevantes não
precisam ser
inseridas neste
ponto. Salve o
objeto utilizando
APPLY.
Base Objects

 Normalmente estruturamos o
desenvolvimento da biblioteca
 Por exemplo, podemos criar áreas
separadas com válvulas, atuadores,
motores, tanques de modo a facilitar a
procura dos objetos pelos usuários
 Podemos fazer como a Innotec, por
exemplo:
Base Objects

 Os níveis que não possuem


simbologia, serão designados
Structure (vermelho claro)
 Os itens que irão possuir
simbologia, serão designados
Normal e serão inseridos nos
arquivos – e terão também
seus dados manipulados dentro
do projeto.
Base Objects

 Por exemplo
podemos acessar as
propriedades do
objeto criado
anteriormente e
iniciar a estruturação
da nossa árvore. Para
isso acessamos as
propriedades do
objeto já criado com
um duplo clique:
Base Objects

 Agora podemos criar


outros níveis, por
exemplo para válvulas,
motores, bombas etc...
 O ícone pode ser
alterado também, para
uma melhor visualização
através do botão
 Você poderá criar os
seus próprios ícones
também!
Base Objects

 O próximo passo agora é criar os objetos


propriamente ditos – os símbolos que serão
utilizados no projeto
 Crie outro nível abaixo de válvulas por
exemplo, determine o nome e descrição e
mantenha Creation Option como Normal.
 Agora vamos utilizar o TAB Symbols para
definir uma representação gráfica para este
objeto
Base Objects

 O TAB Symbols apresenta todos os possíveis


planos de desenho existente no Comos –
desde planos para EE até planos para
modelos 3D
 Para nosso exemplo iremos utilizar o plano
RI1 – P&ID DIN 2481. Este é plano utilizado
nos fluxogramas de processo.
Base Objects

 Basta um duplo click na coluna Symbol Linha


RI1 e a tela de desenho será aberta
 Nesta tela que devemos desenvolver o nosso
símbolo.
 Esta área de desenho apresenta todas as
ferramentas básicas de desenho como linha,
arco / círculo e textos
 Todos estes elementos possuem propriedades
gráficas como peso de linha e cor
 Agora mãos a obra!!!
Recalcular
Redesenhar
Base Objects

Linha
Círculo-Arco
Texto
Hachurar Zoom Window
Transformação Pan
?? Real Time Zoom
Insertion Point Zoom Extents/Center
Base Objects - Conexões

 É provável que seja necessário criar conexões


para este símbolo – as quais irão dar
inteligência ao símbolo
 Para isso utilizamos a ferramenta de texto:
 Inserir um texto
 Entrar nas propriedades
 Clicar na opção Connectors->Conector na
janela a esquerda
 Será aberta a janela para se determinar a conexão
Base Objects - Conexões

 Devemos definir um
nome e as
propriedades da
conexão
 Estas propriedades
podem ser
modificadas ou pode-
se manter o default,
como automático.
Base Objects - Conexões

 Teremos o seguinte efeito no desenho:


Podemos posicionar a
conexão na parede do
símbolos, onde ele vai
efetivamente ser
conectado
Base Objects

 Após isso o símbolo estará pronto para ser


inserido no fluxograma
 Basta criar um fluxograma e testá-lo:

Os pontos de conexão irão


exibir um circulo, para
auxiliar na conexão com
linhas e outros
equipamento
Base Objects - Elements

 Objetos podem possuir sub-objetos, ou


Elementos
 Elementos são objetos que são inseridos a
partir de outros objetos
 Por exemplo uma válvula possui atuadores
como elementos, uma bomba possui um
motor como elemento, um tanque possui uma
flange ou bocal como elementos
 Para se definir os elementos utilizamos o TAB
Elements
Base Objects - Elements

 Podemos por exemplo criar um atuador para


esta válvula – um motor por exemplo
 Clicamos no TAB Elements e com o botão
direito escolhemos New->Element
 Agora podemos configurar o elemento como
se estivéssemos criando um novo objeto
 Definir um nome, descrição e simbologia para
este novo elemento
Base Objects - Elements

Importante: Esta opção determina


quantas vezes o elemento poderá
ser inserido no Report.
Base Objects - Elements

 Agora podemos
inseri-lo no
fluxograma da
seguinte forma:
botão direto->New-
>Motor
 O símbolo virá na
ponta do mouse,
apenas posicione o
elemento no local
apropriado
Base Objects - Elements

 Os objetos podem ter


inúmeros elementos
 Os elementos podem
ter elementos
também!
 Pode ser criado uma
Os atuadores são
estrutura para manter
organizados e
os elementos e deixá-
ficam disponíveis
los organizados como
no botão direito
no database da
Innotec
Especificações

 Especificações são propriedades dos objetos


que ilustram alguma propriedade do objeto
real
 Pode ser algo do tipo: temperatura de
operação, pressão de projeto, vazão, tipo de
atuador, tipo de fluido, código do fornecedor,
número de compra, data de entrega, prazo
para manutenção, entre inúmeros outros.
 Estas especificações devem ser definidas pela
equipe de projeto e desenvolvimento em
conjunto
Especificações

 As especificações são desenvolvidas no TAB


Specifications
 Além das especificações, podemos criar TABS
para organizar os dados do objeto
 As TABS podem estar relacionadas aos dados
de processo, dados técnicos, dados de
montagem, entre outros
 As especificações também podem controlar o
comportamento gráfico do objeto
Especificações

 Existem um esquema de desenvolvimento de


especificações que visa diminuir o tempo de
manutenção das mesmas
 Devemos generalizar as especificações – ou
seja, especificações que se repetem diversas
vezes devem ser criadas apenas uma vez
 Devemos utilizar recursos como herança e
referencia para um correto desenvolvimento
 Isto pode diminuir dias de manutenção para
algumas horas
Especificações

 Para TABS, clicamos com o


botão direito e trocamos para
modo de
desenvolvimento(Design Mode)
 A seguir, botão direito e
selecionamos New->TAB
 Escolher um nome e descrição
para a nova TAB –
preferencialmente nomes do
tipo FD, TD, SD.
Especificações

 Por exemplo:
 Name: TD
 Description: Technical Data

 Dentro destas TABS serão criadas as


especificações
Especificações

 Após a criação, a TAB


será exibida na tela
 Clique na TAB e com o
botão direito podemos
criar as especificações
 New->Specifications
 Automaticamente será
aberta a tela de
especificações.
Especificações

 Temos diversos tipos de especificações no


Comos:
 Check box
 Command button
 Date
 Edit field
 Edit (Min:Max)
 Edit (Min:Value:Max)
 File selection
 Frame
Especificações

 Image selection
 Label
 Link
 List
 Memo Field (ASCII)
 Memo Field (RTF)
 Query
 Repeater
 Signature
Especificações

 Basta preencher o
nome e descrição,
assim como escolher
um tipo para criar a
especificação
 Exemplo:
 Type: Edit Field
 Name: spec001
 Description: Pressão
de Projeto
Especificações

 Além disso temos diversos outros campos na


especificações, como seguem:

Valor padrão
Formato (para datas, preço, etc)
Número total de caracteres
Unidade
Tipo de dado – numérico, texto
Tabela associada
Áreas de atuação
Modelo de edição
Link para catálogo
Status
Status do objeto no projeto
Hierarquia – ativa ou não
Especificações

 Basicamente iremos estudar os seguintes


recursos associados a criação de
especificações
 Catálogo de especificações
 Especificações com Standard Table
 Com variação gráfica
 Especificações linkadas
 Especificações com Script
Especificações Catálogo de especificações

 Construir um catálogo de especificações


consiste criar uma base de especificações –
para que especificações semelhantes sejam
criadas apenas uma vez
 Por exemplo: temperatura de projeto é uma
especificação que pode existir em vários tipos
de válvulas – ou até mesmo em outros
equipamentos como motores e bombas
 Então porque criaríamos esta especificação
mais de 1 vez?
Especificações Catálogo de especificações

 O mesmo pode ser estendido para as TABS –


Uma TAB Dados Técnicos será utilizada em
diversos objetos, assim podemos criar uma
TAB com todas as especificações comuns e
posteriormente tratar apenas as diferenças
isoladamente.
 Para a criação destas estruturas utilizamos o
catálogo @Y
 Dentro dele podemos criar uma base de
especificações e uma base de TABS
Especificações Catálogo de especificações

 Com esta base de


especificações podemos
montar as TABS
 Basta criar as TABS no
catálogo de TABS e
arrastar as
especificações que
desejamos
 Devemos montar as
TABS com as
especificações comuns a
cada família de objetos
Especificações Catálogo de especificações

Arrastando as especificações montamos a TAB – note que as


especificações do catálogo podem ser utilizadas em diversas
TABS – este e o conceito de REFERÊNCIA
Especificações Catálogo de especificações

 Este conceito pode ser observado também


quando associamos os TABS criados no @Y
com o próprio objeto – simplesmente arraste
a TAB criada para o objeto:

Associado ao catálogo
Especificações Catálogo de especificações

 Outro aspecto que


tomaremos vantagem
é a herança – note
que inserimos uma
TAB para o objeto
Válvula, e a válvula
diretamente abaixo
herda esta TAB
 Detalhe: a TAB
apresenta uma seta
preta () para indicar a
herança direta
Especificações Catálogo de especificações

 Considerações:
 A herança pode ser quebrada – neste caso será
exibida uma seta branca ( )
 Neste caso estamos utilizando uma propriedade
chamada Polimorfismo
 Este método diminui o tempo de manutenção em
proporção inversa ao crescimento do número de
especificações em alguns casos
Especificações Especificações com Standard Table

 O Comos possui uma organização de tabelas


interna – o Standard Table
 Muitas definições sobre diversas disciplinas
são gravadas nesta área
 Não devemos apagar nenhuma tabela a não
ser que tenhamos plena certeza da sua
utilidade
 Podemos criar tabelas livremente e utilizá-las
nos objetos
Especificações Especificações com Standard Table

 Exemplo  Clicando com o


botão direito em
algum nó da
árvore, podemos
incluir uma nova
tabela
 Na área a direita
podemos criar
novas entradas
Especificações Especificações com Standard Table
Especificações Especificações com Standard Table

 Em cada entrada na tabela temos ainda 10


posições (value1 até 10)
 Estas posições são utilizadas para
desenvolvimentos específicos que demandam
scripts
 Agora devemos associar esta tabela a uma
especificação – o que significa que as opções
da tabela irão estar disponíveis para o usuário
 Para isso entramos nas propriedades das
especificações:
Especificações Especificações com Standard Table

 Clicar em
Standard
Table e
selecionar a
tabela
 As opções
serão
exibidas no
campo Value
Especificações Especificações com Standard Table

 As opções serão exibidas no esquema de


drop-down-list
 Agora o usuário pode escolher a opção
desejada em tempo de projeto
 Podemos ainda estender este conceito e criar
uma variação gráfica de acordo com as
opções da lista
 Desta forma podemos criar variações gráficas
para objetos que não necessariamente
modificam a natureza do objeto
Especificações Especificações com Standard
Table com variação gráfica

 Seguir as mesmos passos da exemplo anterior


 Basicamente teremos duas modificações
básicas:
 Será inserida uma variação para cada opção da
tabela
 Será inserido um script específico no símbolo
 Primeiramente iremos alterar a tabela para
aceitar variações gráficas
 Crie uma nova tabela com um informação
gráfica pertinente do símbolo
Especificações Especificações com Standard
Table com variação gráfica

 Iremos criar uma variação que controla a


exibição dos dados técnicos do objeto
 Desta forma criaremos uma especificação
“Exibir Dados técnicos” com as opções “Sim” e
“Não”
 A opção “Sim” exibirá os dados e a outra
opção não fará nada
 A opção “Não” não possuirá código
 Criaremos também uma tabela equivalente
como segue
Especificações Especificações com Standard
Table com variação gráfica

 Inserir uma nova


coluna com o
Drawing Type do
objeto
 Criar a variação
gráfica que irá ser
exibida no objetos
com um duplo click
sobre a coluna
criada
Especificações Especificações com Standard
Table com variação gráfica

Drag&Drop

 Agora acrescentamos as variações


 Nota: O centro do desenho é muito importante pois
definirá o seu ponto de inserção no objeto
Especificações Especificações com Standard
Table com variação gráfica

 Abrimos o símbolo e criamos a especificação


linkada na tabela como anteriormente

 E finalmente editamos o símbolo e inserimos o


script para chamar a tabela
Especificações Especificações com Standard
Table com variação gráfica

 Duplo click e será aberta o Design Mode


 Inserir um texto alterá-lo inserido o seguinte
script:
*V*P S:TD.T001
 Este script indica que será inserida uma
variação baseada na especificação TD.T001
 Esta especificação está linkada ao Standard
Table
 Utilizando as funções de Sub-Símbolo - By
specification podemos criar o script
automaticamente
Especificações Especificações com Standard
Table com variação gráfica

 O ponto de
inserção deste
script será o
ponto de
inserção da
variação gráfica
 Ele irá
corresponder ao
ponto central
inserido na
tabela
Especificações Especificações com Standard
Table com variação gráfica

 Agora podemos ver o resultado


Especificações Especificações linkadas

 As especificações podem ser linkadas de


diversas formas, mas basicamente temos:
 Links baseados nos conectores
 Links entre especificações
 Links baseados em catálogos
 Pré-Requisito – duas especificações ou mais
 Efeito – as especificações serão modificadas
automaticamente, ou de acordo com a ação
do usuário
Especificações Especificações linkadas
Link baseado nos conectores

 Este link irá atuar na conexão – poderemos


linkar os símbolos pela conexão
 Por exemplo, caso desejemos que uma
válvula assuma o diâmetro nominal do tubo
onde ela está inserida, utilizamos este link
 Para isso devemos proceder da seguinte
forma:
 Criar a especificação na válvula;
 Editar o tab Link e criar o link utilizando a opção
by connectors
 Setar o modo de ativação do link
Especificações Especificações linkadas
Link baseado nos conectores

Especificação do
PIPE

Modo de
ativação do link
Especificações Especificações linkadas
Link baseado nos conectores

 O modo de ativação do link pode ser:


 Static – controlado pelo usuário
 Dynamic – Atualizado automaticamente
unidirecional
 Full Dynamic - Atualizado automaticamente
bidirecional
 Para se ativar o link Static, clicamos com o
botão direito no form e acionamos as opções:
Especificações Especificações linkadas
Link entre especificações

 Podemos linkar as especificações com outros


níveis da estrutura
 Todos os objetos de uma família pode herdar
alguma especificação do seu pai
 Por exemplo, supondo que todos os objetos
de uma determinada área possuem um
código especifico, não precisamos definir isso
um a um e sim um nível acima
 Segue o exemplo:
Especificações Especificações linkadas
Link entre especificações
Especificações Especificações linkadas
Link entre especificações

 Neste caso iremos utilizar um script para


apoio ao link
 Basicamente existiriam outras formas de se
linkar estas especificações
 Vamos supor que esta especificação pode ser
definida em qualquer parte da estrutura, e
devemos propagar para os nós abaixo dela
 Desta forma temos o seguinte:
Especificações Especificações linkadas
Link entre especificações
Especificações Especificações linkadas
Link entre especificações

 O script será o seguinte:

Define o dono da especificação

Procura pelo pai do dono

Devolve a especificação que


deve ser linkada
Especificações Links baseados em catálogos

 Links baseados em catálogos são utilizados


para implementar catálogos no Comos como
o próprio nome diz
 Consiste na criação de um catálogo com
especificações que serão enviadas para os
objetos que estiver associados e este catálogo
 Iremos utilizar um especificação chamada
Link como base
 Cada especificação do objeto deve ser
corretamente associada a especificação do
catálogo
Especificações Links baseados em catálogos

 Como primeiro passo iremos criar o catálogo


 Abrimos um novo objeto no Comos que
podemos definir como “Catálogo de Specs”
 Definimos também algumas propriedades
básicas para esta Spec como:
 Número de flanges
 Tipo de flange
 Corpo
 Material
 Vedação
Especificações Links baseados em catálogos

O Objeto possui
as mesmas
especificações do
catálogo
Especificações Links baseados em catálogos

 Agora iremos
configurar o
link entre as Objeto LINK

especificações
 Para isso Especificação
acessamos as que será
linkada
propriedades
das
especificações
do objeto
Especificações Links baseados em catálogos

 Agora basta utilizar o catálogo para definir a


Spec da válvula e ela irá receber os valores
definidos no catalogo como no exemplo acima
Report Designer

 Report Designer é utilizado para o


desenvolvimento de todo tipo de documento
no Comos
 Basicamente trabalhamos com 3 tipos de
documentos:
 Listas
 Data-sheets
 Diagramas
 Em tempo de desenvolvimento, são criados
templates para estes documentos
Report Designer

 Estes templates são obrigatoriamente


elementos do Comos. Temos 2 tipos de
templates principais:
 Report Template Evaluation

 Listas e Data-sheets
 Report Template Interactive
 Diagramas
 Utilizamos referencias entre arquivos para
diminuir o tempo de manutenção e
desenvolvimento
Report Designer

 Conceitos principais:
 Master Report: Generalização - arquivo de
fundo(background) é utilizado para definir uma
estrutura que se repete em vários arquivos – e
assim centralizar a administração
 Sub-report: Especialização – Arquivo específico
que pode ser inserido em qualquer diagrama, que
também tem o intuito de centralizar a
administração
 Como exemplo, iremos criar 3 documentos:
 Um Diagrama
 Um Data-Sheet
 Uma Lista
Report Designer

 Outros conceitos:
 Os Evaluation reports podem ser unidirecionais ou
bidirecionais
 Bidirecionalidade significa que podemos atualizar tanto o
lado do projeto diretamente nos objetos quanto no lado
das listas que as informações são atualizadas dos dois
lados
 Os Interactive reports são apenas arquivos de
layout – ou seja, irão receber símbolos e conexões
Report Designer Data-Sheet

 Iremos primeiramente criar um Master


Report para o data-sheet e posteriormente
trabalhar no Report
 Para que isto seja desenvolvido utilizamos a
ferramenta Report Designer
Report Designer Data-Sheet

 Neste caso o Master


Report irá conter um
layout básico para o
data-sheet que poderá
ser utilizado em outros
data-sheets também
 O master irá conter
informações como nome
do projeto , autor,
descrição, índices de
revisão, etc...
Report Designer Data-Sheet

 Basta utilizar as ferramentas de desenho e


texto para montar o Master report

 Ao final salve o
documento em
algum diretório
dentro da pasta
Report, dentro do
SO1 (você pode
criar a sua estrutura
de pastas)
Report Designer Data-Sheet

 Agora iremos criar o template


 O template irá conter informações específicas
do símbolos que desejamos exibir o data-
sheet
 Iremos associar o Master com um pano de
fundo para o template
 O template faz parte da árvore de templates
do Comos
 Criamos um novo template clicando na pasta
Crp no TAB Documents e inserindo um
novo documento
Report Designer Data-Sheet

Duplo click

Tipo Report Template


(evaluation)
Report Designer Data-Sheet

Associar o Master
clicando no (...)
O Master irá ser
inserido sob o
Template
Report Designer Data-Sheet

 Agora vamos efetivamente criar o report


 Um Data-sheet é criado com as informações
técnicas, de processo e outras mais que estão
traduzidas em especificações no Comos
 Vamos utilizar estas especificações para
construir o data-sheet
 Basta acessar o objeto que desejamos exibir
– no caso a válvula e fazer um drag&drop
para o report
 O script será gerado automaticamente
Report Designer Data-Sheet
Report Designer Data-Sheet

 Automaticamente será criado o script


bidirecional – os dados poderão ser
modificados tanto nos objetos quanto no
data-sheet
 Temos mais de uma opção já disponível
nestes scripts
 Com um duplo clique podemos escolher 4
propriedades:
Report Designer Data-Sheet

 Podemos por exemplo construir o seguinte


esquema

 Será exibido a descrição é o valor caso


utilizemos este data-sheet no projeto
 Existem outras variações para o texto –
podemos fazer scripts e utilizar outras
propriedades que fazem parte do treinamento
de Script
Report Designer Data-Sheet

 Assim temos o seguinte resultado:

 A partir deste ponto podemos desenvolver o


layout que desejarmos e construir o Data-
sheet
Report Designer Listas

 Para a construção de listas o procedimento


pode ser o mesmo que o utilizado para a
construção dos Data-sheets
 A diferença é a inserção e customização da
lista
 Para isso, utilizamos o recurso que se
encontra na toolbar “Place List”
 Abra uma janela na região onde a lista será
inserida após clicar no botão
Report Designer Listas
Report Designer Listas

 Devemos agora configurar a lista para que


seja exibida na folha
 Iremos então criar uma query para simular a
lista que irá aparecer na folha
 Basta clicar no botão “->”

 Uma query (ver apostila Basic) será aberta

 Configurar a query para listar os objetos


desejados
Nota: para isso definimos um Start object e um
Base object
Report Designer Listas

 Podemos inserir colunas extras que serão


utilizadas na lista (botão direito->New
Specification
Report Designer Listas

 Salvar a lista
 Automaticamente a query é criada embaixo
da lista

 Entrar nas propriedades da lista novamente


 Associar a query a lista
Report Designer Listas

 Utilizando a lista no projeto

 Agora precisamos apenas acertar as colunas


com todas as especificações necessárias e a
lista estará pronta
Report Designer Diagramas

 A construção de diagramas, onde os símbolos


serão inseridos, possui alguma diferenças da
construção de Reports em geral
 São elas:
 Dificilmente utilizamos Master report
 Precisamos de um script para habilitar a inserção
de símbolos
 Para a existência do Master, deveríamos
possuir uma padronização de formatos, o que
não temos nos diagramas pois eles podem
ser A4 ,A3, A0 estendido, etc...
Report Designer Diagramas

 Como não utilizamos o Master, o Sub-Report


passa a ser uma boa opção para carimbos e
legendas
 Agora o primeiro passo é criar o template
 O tipo desta vez deve ser Report template
(interactive)
Report Designer Diagramas

 Agora iremos trabalhar dentro do diagrama


 Duplo click
Definir o tamanho
da folha - no caso
841x594
Report Designer Diagramas

Salvar o
template e
desenhar as
bordas –
alternativamen
te pode ser
trazida uma
referência do
Autocad com
Drag&Drop
Report Designer Diagramas

 Agora podemos criar um Sub-report com os


dados do carimbo
 Para isso devemos criar uma novo arquivo
clicando em New
 Podemos considerar o exemplo abaixo
embora ela possua alguns scripts mais
avançados
Report Designer Diagramas

 Salvamos o Sub-Report para ser utilizado no


diagrama
 Voltamos no diagrama e inserimos um Sub-
report

 Abrimos uma janela com na lista e entramos


nas propriedades para associar o arquivo
 No TAB SubReport na campo File name
selecionar o Sub Report salvo anteriormente
Report Designer Diagramas

 Agora podemos localizá-lo corretamente no


diagrama

 E por fim, devemos definir o script para


validar a inserção de símbolos
Report Designer Diagramas

 Como a construção deste script é um tanto


complicada e requer certo conhecimento da
aplicação, normalmente administradores
iniciantes podem copiar scripts prontos
 Estes scripts se encontram na base de dados
fornecida pela Innotec
 Acessar algum arquivos existente e entrar
nas propriedades com o botão direito
 Copiar o script
 Colar no seu arquivo
Report Designer Diagramas
Report Designer Diagramas

 Agora o diagrama esta pronto, podemos


testar no projeto
 Basta criá-lo e inserir símbolos
Report Designer Conceito
Report Designer Conceito

MasterReport

Template 1 Template 2 Template N

Sub-report Sub-report Sub-report


...

Sub-report
Administração do Projeto

 O Comos oferece ferramentas para gerir o


projeto do ponto de vista administrativo
 Estas ferramentas se encontram em
Administrator->System->Support
 As configurações existentes são relacionadas
ao projeto corrente aberto
 A seguir iremos comentar cada uma das
opções e suas aplicações.
Administração do Projeto

 Match database version – opção utilizada para se


converter um projeto de uma versão anterior para a
versão atual no Comos
 Match document version - opção utilizada para

se converter os documentos de uma versão anterior


para a versão atual no Comos
 Compress Comos data – os objetos apagados no

Comos não são deletados do banco de dados – eles


apenas recebem um flag. Para efetivamente apagar
estes objetos, podemos utilizar esta opção.
Nota: consome muita memória e processamento do
SGDB, não deve ser utilizada em dia produtivo
Administração do Projeto

 Repair, compress – comprimi e corrigi o database


selecionado
 Check Indices – Recupera os índices originais para
o SGDB (não funciona com Access)
 Document directory – determina o diretório onde
o projeto se encontra
 DB Identifier – Utilizado para criar o identificador
do database
 Global Test – faz uma validação de todos os dados
do projeto e exibe na janela do object test
 Delete ‘pick’-lists – apaga a lista criada no projeto
Administração do Projeto Intercambio

 O Comos permite que os projetos sejam


exportados entre bancos de dados
 Para isso utilizamos duas ferramentas para
fazer as importações e exportações:
 ImportDB – utilizado para base projects
 ExportDB – utilizado para projetos desenvolvidos na
área Engineering
 Normalmente utilizamos o formato MDB como
coringa – pois a importação entre instâncias
nem sempre é possível
Administração do Projeto Intercambio

 ImportDB
 Basta definir a fonte
e o destino
 As bases devem ter
identificadores
diferentes
 Pode acionar o
sincronismo entre
bancos de dados
 Deve ser executado
com critério pois os
danos podem ser
irreparáveis ao SGDB
Administração do Projeto Intercambio

 ExportDB
 Basta definir a fonte
e o destino
 Pode acionar o
sincronismo entre
bancos de dados
 Por exportar apenas
projetos, é menos
perigoso. Sempre
será solicitado a
exportação do SO1 e
do System project
Administração do Projeto Propriedades

 Os projetos possuem propriedades específicas


 Estas propriedades são acessadas com um
duplo click no projeto, quando ele está aberto
no Navigation bar
 Podem ser definidas propriedades simples
como: nome, descrição, links, estrutura, além
de opções como: fila de geração de revisões,
tipo de controle de revisões, geração de
referências entre outras mais
 Podemos também configurar opções específicas
se necessário
Administração do Projeto Propriedades
Administração do Projeto

 O Comos permite que sejam feitas cópias entre


projetos a fim de se prover a posterior
reutilização dos mesmos. Tendo assim duas
formas de copiar dados de um projeto para o
outro.
 Para estruturas simples, utilizando a área de
transferência do Comos;
 Áreas maiores, com referências, utilizando a
ferramenta Cross Project Copy;
Administração do Projeto Estruturas simples

 Podemos utilizar a própria área de transferência


do Comos para se copiar elementos de um
projeto para outro
 Para isso apenas selecionamos o(s) símbolo(s)
e com o botão direito selecionamos Copy
 No outro projeto, na mesma seção (não abrir
outro banco de dados ou reiniciar o Comos)
podemos colar os elementos copiados
 O Comos avisa que os alguns links apenas
serão copiados utilizando a opção Cross Project
Copy
Administração do Projeto Cross Project

 Para se copiar áreas que possuem referências,


utilizar a ferramenta Cross Project Copy
Administração do Projeto Estruturas simples
Administração do Projeto Estruturas simples

 Deve se
abrir o
projeto que
irá receber
a cópia e
selecionar o
projeto e
objetos que
deverão ser
copiados.
Por
exemplo:
Administração do Projeto Estruturas simples

 Além da cópia
padrão, temos o
botão
Extended. O
Comos oferece
algumas
variações para a
cópia de
referências que
são descritas ao
lado.
Administração do SGDB

 Um ponto importante para o correto


funcionamento do Comos e performance
aceitável é a administração da base de dados
 Basicamente é aconselhável manter rotinas de:
 Indexação
 Otimização
 Checagem de integridade
 Backups diários (2 vezes ao dia)
Administração do SGDB

 Os seguintes bancos de dados podem ser


utilizados no Comos:
 Microsoft Jet (Access)
 SQL-SERVER
 Oracle
 O acesso ao Access é feito diretamente – basta
selecionar o arquivo MDB que ele será aberto
no Comos
 Para acessar o SQL-SERVER e Oracle é
necessária a criação de um DSN (data source
name)
Administração do SGDB

 SQL-SERVER
 Podem ser configuradas várias instancias
 A primeira instancia deverá ser PT_SQL_SERVER
 As demais serão PT_SQL_SERVER_1,
PT_SQL_SERVER_2 ...
 Para a configuração do DSN e da base de dados no
SQL-SERVER ver manual Comos página capítulo 1.1
 Oracle
 Para a configuração da base de dados no Oracle ver
manual Comos página capítulo 1.2
Object Test

 Esta ferramenta é utilizada para corrigir


possíveis erros que possam existir no projeto
 Nem todos os erros serão corrigidos – os erros
que não for possível a correção, aparecerão
com um raio
 Para utilizar a ferramenta selecione EXTRA-
>Check->Object Test
 Arraste o objeto para o campo check object e
todos os objetos abaixo serão analisados
também
Object Test
DBmon

 Dbmon é uma ferramenta de auxilio na


detecção de erros
 Toda ação executada no Comos é capturada
por este aplicativo, que exibe os erros caso
aconteçam
 É uma ferramenta avançada que deve ser
utilizada por usuários mais experientes
 Para executá-lo, entramos no menu Iniciar-
>Programas->Comos->dbmon
DBmon
Object Debugger

 Object Debugger é uma ferramenta de


extrema importância para os desenvolvedores
 Através dela podemos acessar propriedades
dos objetos, criar scripts, fazer alterações
avançadas e testar uma série de comandos
 Para acessar o object debugger – EXTRA-
>Object Debugger
 Existem 3 divisões principais:
Object Debugger

Área de objetos

Teste de funções

Área de scripts
Object Debugger

 Arrastamos um
objeto para o
campo “Object C”
 No campo “term”,
quando digitamos a
letra “c.” é exibida
uma lista com
todas as opções
disponíveis
 Para executar
clicamos
Object Debugger

Propriedade

Resultado
Object Debugger

 Alternativamente
podemos utilizar a
área de scripts
 O pré-requisito é
conhecimento de
Visual Basic Script
e um pouco de
programação
orientada a objetos
Object Debugger Exemplo

Output "Start: " + a.Name

Set SpecCol1 = a.Specifications ‘Definindo objeto


count1 = SpecCol1.Count

For i = 1 To count1 ‘Laço lógico


Set x = SpecCol1.Item(i)
Output "<" + x.Name + "> <" + x.Description + ">“ ‘Exibindo resultado
Output x.Unit
If (x.Unit = "@C") Then ‘Teste lógico
Set SpecCol2 = x.Specifications
count2 = SpecCol2.Count

For j = 1 To count2
Set y = SpecCol2.Item(j) ‘Definindo objeto
Output "<" + y.Name + "> <" + y.Description + ">"
Next
End If
Next

Output “End"
Object Debugger Exemplo

 O script anterior espera receber como entrada


um objeto (object a)
 Faz uma lista das TABs existentes (primeiro
For) e exibe resultados
 Faz uma lista das especificações de cada TAB
(segunda For) e exibe resultados
 Utiliza também um teste lógico se a unidade do
objeto é @C
Object Debugger Exemplo

 O script anterior espera receber como entrada


um objeto (object a)
 Faz uma lista das TABs existentes (primeiro
For) e exibe resultados
 Faz uma lista das especificações de cada TAB
(segundo For) e exibe resultados
 Utiliza também um teste lógico se a unidade do
objeto é @C
Obrigado pela atenção !