Você está na página 1de 10

MANUAL BÁSICO DE XADREZ

11

Na maioria das situações, podemos usar a anotação descritiva abreviada. Somente não o poderemos fazer quando duas peças do mesmo tipo puderem alcançar a casa desejada. Para representar uma captura, usamos o “X” (xis). Deste modo, quando vamos dizer que uma Torre vai capturar um Bispo, escrevemos TxB (Torre captura Bispo). Do mesmo modo, somente precisamos indicar qual Torre e qual Bispo, se outras destas peças puderem realizar o mesmo tipo de lance. Exemplo:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
   
             
         

T3DxB (Torre de 3 da Dama captura Bispo), se mais de uma Torre puder capturar o Bispo; ou TxB7D (Torre captura Bispo em 7 da Dama), se mais de um Bispo puder ser capturado pela Torre; ou ainda T3DxB7D (Torre em 3 da Dama captura Bispo em 7 da Dama).Pode-se usar também só a abreviatura da peça, mas deve-se prestar bastante atenção para evitar enganos. Exemplo: CR5D (Cavalo do Rei para 5 da Dama). Para anotação das partidas utilizamos duas colunas

 
           
   
           
     
       
             
     
         
             
   

numeradas, anotando-se cada lance em uma linha. A primeira coluna é sempre a das brancas, pois a elas cabe o lance inicial. Quando se aplica um xeque, utiliza-se o sinal + para indicar

a das brancas, pois a elas cabe o lance inicial. Quando se aplica um xeque ,
a das brancas, pois a elas cabe o lance inicial. Quando se aplica um xeque ,
a das brancas, pois a elas cabe o lance inicial. Quando se aplica um xeque ,
a das brancas, pois a elas cabe o lance inicial. Quando se aplica um xeque ,
 
a das brancas, pois a elas cabe o lance inicial. Quando se aplica um xeque ,
a das brancas, pois a elas cabe o lance inicial. Quando se aplica um xeque ,
a das brancas, pois a elas cabe o lance inicial. Quando se aplica um xeque ,

lance: T6D+ (lê-se: Torre para 6 da Dama, xeque). O xeque- mate é anotado por ++ ou “mate”, indicando o fim do jogo:

o

para 6 da Dama, xeque ). O xeque- mate é anotado por ++ ou “mate”, indicando
para 6 da Dama, xeque ). O xeque- mate é anotado por ++ ou “mate”, indicando
para 6 da Dama, xeque ). O xeque- mate é anotado por ++ ou “mate”, indicando
para 6 da Dama, xeque ). O xeque- mate é anotado por ++ ou “mate”, indicando
para 6 da Dama, xeque ). O xeque- mate é anotado por ++ ou “mate”, indicando
   
para 6 da Dama, xeque ). O xeque- mate é anotado por ++ ou “mate”, indicando

D7B++ (lê-se: Dama para 7 do Bispo, xeque-mate). Exemplo de uma anotação de partida:

 
 
 

BRANCAS

PRETAS

 

Posição após: 3 - B5C Confira se você conseguiu reproduzir corretamente os lances até este momento. Havendo dúvidas, releia atentamente o texto e tente novamente.

1 - P4R

P4R

2 - C3BR

C3BD

3 - B5C

C3B

4 - O-O

B4B

5 - C3B

O-O

 
 

- BxC

6 .

.

.

 
- BxC 6 . . .          
 
- BxC 6 . . .          
- BxC 6 . . .          
 
- BxC 6 . . .          
- BxC 6 . . .          
   
 

Estudemos o exemplo: As brancas iniciam o jogo avançando

     
 
     
   
     
     
     

o

Peão do Rei para a linha 4 (P4R). As pretas respondem com

o Peão do Rei para a linha 4 (P4R). As pretas respondem com
o Peão do Rei para a linha 4 (P4R). As pretas respondem com

o

mesmo movimento. As brancas então fazem o segundo lance

com o Cavalo do Rei, levando-o para a casa 3 do Bispo do Rei (C3BR). As pretas avançam o cavalo da Dama, defendendo o Peão do Rei. As brancas fazem o terceiro lance movendo o Bispo. As pretas respondem movendo o outro Cavalo para a

   
lance movendo o Bispo. As pretas respondem movendo o outro Cavalo para a      
   
lance movendo o Bispo. As pretas respondem movendo o outro Cavalo para a      
   
   
           
 
           
     

casa 3 do Bispo do Rei. Note que este movimento foi anotado apenas como C3B, já que seria desnecessário informar qual dos dois cavalos fez o movimento, já que o outro já ocupa a

       
             
     

casa 3 do Bispo, portanto só um deles pode, neste lance, fazer este movimento. As brancas fazem então o Pequeno Roque, visando dar maior proteção ao Rei e ao mesmo tempo liberar

   
           
   
           
   

a

Torre. As pretas avançam o Bispo, e assim por diante.

               
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A

anotação de promoção de Peão é feita com o sinal de

igualdade (=). Se a promoção for, por exemplo, na coluna do Bispo e o jogador quiser promovê-lo a Dama, então seria anotado: P8B=D.

     
 
     
     
 
     
     
 
 

O

Roque é anotado como O-O para o Pequeno Roque e

 

O-O-O para o Grande Roque e o “En Passant” como e.p. Em várias publicações, são também utilizados os símbolos “?” para indicar um lance fraco; “??” para um lance muito

 
 

Posição após: 6 - BxC. Refaça várias vezes este pequeno exemplo até que assimile bem a anotação descritiva.

 

fraco; “!” para indicar um lance bom e “!!” para indicar um

lance muito bom

Algumas vezes é possível aplicar um tipo de

 

xeque no Rei, chamado de descoberto, que é anotado como “desc.”. O xeque a descoberto consiste em mover uma peça e com este movimento, deixar o Rei adversário na linha de ataque

de outra peça. Mais tarde estudaremos um caso assim.

Algumas vezes, a ilustração será mostrada após o lance das pretas. Quando for o caso, utilizaremos “ (três pontinhos) simbolizando o lance das brancas.

Por exemplo: para mostrar a posição após as pretas terem jogado Bispo 4 do Bispo, a legenda da ilustração

seria “Posição após 4 -

B4B

Importante saber:

e.p.

-

En Passant

Os símbolos “?”, “??”, “!” e “!!” são

O-O

-

Pequeno Roque

desc.

-

Descoberto

usados apenas para chamar a atenção sobre

O-O-O

-

Grande Roque

+

-

Xeque

alguns lances na análise da partida, não

x

-

Captura

++

-

Xeque-Mate

interferindo em sua reconstituição.

MANUAL BÁSICO DE XADREZ

12

Reconstituição

Conhecer a movimentação das peças e como anotar uma partida são pontos fundamentais para que se possa aproveitar bem o jogo de xadrez. Uma vez que estes conceitos estejam bem fixados, todo o aprendizado será facilitado e o iniciante estará podendo jogar em pouquíssimo tempo. Estude bem o que foi visto até aqui antes de prosseguir. Agora, você vai refazer uma partida completa e poderá fixar o que aprendeu sobre anotação, movimento das peças, capturas, ataque e defesa e será brindado no final com um xeque-mate de rara beleza. Reproduza a partida com bastante calma, quantas vezes forem necessárias até ter certeza de que assimilou bem o processo descritivo de anotação, pois daqui para a frente, ele será utilizado para todos os tópicos.

Brancas

Pretas

Capablanca

Steiner

1 - P4R

P4R

2 - C3BR

C3BD

3 - C3B

C3B

4 - B5C

B5C

5 - O-O

O-O

6 - P3D

P3D

7 - B5C

BxC

8 - PxB

C2R

9 - C4T

P3B

10 - B4BD

B3R

11 - BxC

PxB

12 - BxB

PxB

13 - D4C+

R2B

14 - P4BR

T1CR

15 - D5T+

R2C

16 - PxP

PDxP

17 - TxP

RxT

18 - T1B

C4B

19 - CxC

PxC

20 - TxP+

R2R

21 - D7B+

R3D

22 - T6B+

R4B

23 - DxPC

D3C

24 - TxP+

DxT

25 - D4C++

de

Partida

23 - DxPC D3C 24 - TxP+ DxT 25 - D4C++ de Partida Posição após 10

Posição após 10 - B4BD. Confira se a posição coincide com a de sua reconstituição. Caso contrário, reinicie com bastante atenção, voltando ao texto explicativo sempre que necessário

voltando ao texto explicativo sempre que necessário Posição após 18 - T1B+ O Rei preto está

Posição após 18 - T1B+ O Rei preto está em uma situação bem delicada, exposto ao forte ataque adversário, enquanto suas Torres e sua Dama nada podem fazer para socorrê-lo

Notação Forsyth: é um sistema para se anotar a posição das peças em um tabuleiro. Anota-se a posição de cada peça em uma linha, a partir da primeira linha das pretas, da esquerda para a direita. As casas vazias são representadas por um número. As peças são indicadas por suas letras iniciais escritas em maiúsculas para as peças brancas e em minúsculas para as pretas. As linhas são separadas por “-”.

Para anotar a posição das peças nos diagramas acima teríamos, respectivamente:

t1bd1tr - pp2cppp - 2pp1c2 - 4p1B1 - 2B1P2C

- 2PP4 - P1P2PPP - T2D1TR1; e t2d2t1 - pp2c2p - 2p1pr2 - 4p2D - 4P2C - 2PP4 - P1P3PP - 5TR1.

MANUAL BÁSICO DE XADREZ

13

Exercícios

de

Fixação

01) Reproduza as partidas abaixo no tabuleiro e anote a posição das peças, usando a Notação de Forsyth, após o 10º e o 20º lance das pretas:

a) 1ª partida - São Paulo -1952

b) 2ª partida - Helsinque - 1952

partida - São Paulo -1952 b) 2ª partida - Helsinque - 1952   Brancas Pretas Brancas
 

Brancas

Pretas

Brancas

Pretas

M. Eidelman

L. Engels

Stoltz

Bronstein

01 P4D

C3BR

01

P4R

P4BD

02 P4BD

P3R

02

C3BR

C3BD

03 C3BR

P4D

03

P3B

P3R

04 C3B

P4B

04

P4D

P4D

05

PxPD

CxP

05

P5R

D3C

06 P4R

CxC

06

PxP

BxP

07 PxC

PxP

07

D2B

D2B

08 PxP

B5C+

08

D2R

CR2R

09 B2D

BxB

09

B3R

BxB

10 DxB

O-O

10

DxB

C4B

11 B2R

P3CD

11

D2R

O-O

12 O-O

B2C

12

C3T

P3B

13 D3R

C2D

13

C5CD

D4T

14 C2D

C3B

14

PxP

TxP

15 P4B

D2D

15

D2D

P3TD

16 B3B

TR1D

16

C5C-4D

C4BxC

17 C3C

TD1B

17

PxC

DxD+

18 P4C

C1R

18

RxD

B2D

19 P5B

PxP

19

B3D

B1R

20 PCxP

C3D

20

R3R

B4T

21 P6B

CxP

21

C5R

CxC

22 PxP

T6B

22

PxC

P5D+

23 D4B

C4C

23

RxP

TxP

24 B4C

D4D

24

B4R

T1D+

25 R2B

D7C+

25

R5B

TxPCD

26 R1R

T1R+

26

TR1CD

T1B+

27 R1D

D7BD++

27

R6D

T7D+

 

28

abandonam

a) Posição após 10

O-O

c)

Posição após 10

C4B

b) Posição após 20

C3D

d)

Posição após 20

B4T

02) Numere a coluna da direita de acordo com a da esquerda:

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

- P4R - C5D7B - CxP - T8T+ - D6C - P8R=D - B3B desc. - D7D++ - R2R - T7C-7D - PxP - BxP - TxP+ - DxT++ - O-O

(

(

(

(

(

(

(

(

(

(

(

(

(

(

(

)

)

)

)

)

)

)

)

)

)

)

)

)

)

)

Bispo três do Bispo, xeque a descoberto

Torre oito da Torre, xeque

Pequeno Roque

Cavalo de cinco da Dama sete do Bispo

Rei dois do Rei

Torre captura Peão, xeque

Peão quatro do Rei

Torre de sete do Cavalo sete da Dama

Bispo captura Peão

Dama seis do Cavalo

Dama captura Torre, xeque-mate

Cavalo captura Peão

Peão oito do Rei, promovido a Dama

Dama sete da Dama, xeque-mate

Peão captura Peão

oito do Rei, promovido a Dama Dama sete da Dama, xeque-mate Peão captura Peão Respostas dos

MANUAL BÁSICO DE XADREZ

14

Fases

Agora que você já sabe as regras de movimentação das peças podemos falar sobre outros aspectos importantes do jogo. Uma partida de xadrez pode ser dividida em três etapas:

abertura, meio-jogo e final. Não existe um critério para separar estas fases com exatidão. Abertura é a fase em que cada lado faz seus movimentos inicias, visando liberar a movimentação

de suas peças e posicioná-las de modo a poder tirar vantagem

no decorrer do jogo. Meio-jogo é a fase em que os jogadores procuram colocar em jogo suas estratégias e táticas, de acordo com as possibilidades que as movimentações de abertura lhe

Fase

de

do

Jogo

permitirem. Final é a fase em que normalmente o tabuleiro

apresenta poucas peças e parte-se para o ataque final ao Rei.

O xeque-mate não precisa ocorrer necessariamente na fase

final, sendo comum que ocorra no meio-jogo e muito raramente

na abertura. As três fases do jogo são de fundamental importância e deve

o iniciante conhecer pelo menos alguns conceitos básicos referentes a estas fases, por isto, serão analisadas separadamente.

Abertura

Nesta fase o jogador procurará mover suas peças de forma

a posicioná-las em locais onde possam atuar mais efetivamente

5 - O-O

do que em suas posições iniciais. Surgem então os conceitos de “Centro” e “Desenvolvimento”. Inicialmente,
do que em suas posições iniciais. Surgem então os conceitos
de “Centro” e “Desenvolvimento”. Inicialmente, encaremos
o
Centro como sendo apenas as quatro casas centrais (4R, 5R,
4D e 5D). O domínio da área central é ponto fundamental
para que se busque uma posição de vitória. Quem controla a
área central tem mais liberdade para mover suas peças e com
isso, maiores condições de elaborar estratégias e táticas. Já o
conceito de desenvolvimento refere-se à mobilidade das peças.
Na posição inicial as peças ficam tolhidas. É necessário liberá-
las para que possam ampliar seu raio de ação. Na abertura
cada lance deve obedecer a duas regras básicas: a) deve visar
o desenvolvimento de uma peça, colocando-a em uma posição
As brancas realizam o Roque, defendendo o Rei e liberando
a Torre e aguardam agora o próximo lance das pretas.
Agora, analise a situação dos dois lados e veja como ambos
atuam no centro do tabuleiro e como várias peças foram
desenvolvidas ampliando-lhes o raio de ação. Estes são os
principais pontos que o jogador deve pensar nas aberturas:
centro e desenvolvimento.
melhor que a que ocupava ou ampliando seu raio de ação ou
mesmo abrindo espaço para outra peça; b) deve visar algum
tipo de ação no centro do tabuleiro, fazendo pressão para
dominá-lo ou impedir que o adversário o faça.
O
lance mais comum das brancas na saída é P4R. É uma
excelente jogada, pois em apenas um movimento o jogador
exerce pressão no meio (exerce influência nas casas 5BR e
5D) e libera duas de suas peças que antes estavam travadas (o
Bispo do Rei e a Dama). Pelos mesmos motivos, é muito comum
que as pretas respondam com P4R, exercendo a mesma pressão
no centro do tabuleiro e liberando suas duas peças.
Estudemos um exemplo de abertura:
1
- P4R
P4R
Uma saída clássica, com os dois lados avançando o Peão
do Rei. Uma boa alternativa agora para as brancas é C3BR.
O
Cavalo pode, em seu primeiro lance, posicionar-se em 3 da
Torre ou 3 do Bispo. Como já vimos, deve-se dar preferência a
lances que atuem no centro, portanto a casa mais indicada é 3
do
Bispo. O Cavalo do Rei eventualmente possui ainda a casa

2R, quando se faz o avanço do Peão. Este movimento contudo, serve apenas para travar a Dama e tem pouca ação na área central. Vejamos o lance mais normal:

2 - C3BR

C3BD

As brancas, com seu cavalo, exercem forte pressão central

e ainda atacam o Peão do Rei das pretas. Estas últimas decidiram avançar o Cavalo da Dama, exercendo também pressão central e defendendo o seu Peão.

3 - C3B

C3B

Os outros dois Cavalos foram colocados em ação, exercendo assim uma grande pressão no centro.

4 - B5C

As brancas avançam o Bispo atacando o Cavalo. As pretas

não precisam se preocupar pois, se BxC, elas jogam PxB.

B4B

Posição após 5 - O-O. As casas 4R, 5R, 4D e 5D são o centro do tabuleiro. Por extensão, podemos ampliar o conceito de centro, englobando todas as casas adjacentes a estas, conforme o diagrama.

Lembre-se: na abertura cada lance deve visar o desenvolvimento de uma peça ou algum tipo

Lembre-se:

na abertura cada lance deve visar o desenvolvimento de uma peça ou algum tipo de ação no centro do tabuleiro.

MANUAL BÁSICO DE XADREZ

15

Apenas a título ilustrativo são apresentadas várias aberturas, com seus lances característicos. Procure apenas conhecê-las, sem se importar em decorar nomes ou métodos. O importante é saber que são possíveis vários tipos de aberturas. É bom que o iniciante refaça estes movimentos no tabuleiro

para visualizar as diferentes opções que se apresentam após cada uma delas. O mais importante nas aberturas não é conhecer nomes de cor, mas sim ter sempre em mente os conceitos de centro e desenvolvimento. Uma boa estratégia na abertura é realizar o Roque tão logo seja possível e tentar impedir que o adversário o faça.

Aberturas com P4R - P4R Abertura Abertura Ruy Lopes Abertura dos Abertura do Centro Giuoco
Aberturas com P4R - P4R
Abertura
Abertura Ruy Lopes
Abertura dos
Abertura do Centro
Giuoco Piano
1 - P4R
P4R
Quatro Cavalos
1 - P4R
P4R
1 - P4R
P4R
2 - C3BR
C3BD
1 - P4R
P4R
2 - P4D
PxP
2 - C3BR
C3BD
3 - B5C
2 - C3BR
C3BD
3 - DxP
C3BD
3 - B4B
B4B
3 - C3B
C3B
4 - D3R
C3B
4 - P3B
4 - B5C
5 - C3BD
Quando as pretas não jogam 1 -
P4R
Defesa Francesa
Defesa Caro-Kann
Defesa Siciliana
Defesa Alekhine
1 - P4R
P3R
1 - P4R
P3BD
1
- P4R
P4BD
1 - P4R
C3BR
2 - P4D
P4D
2 - P4D
P4D
2 - P5R
C4D
3 - C3BD
3 - P4BD
Aberturas com o Peão da Dama
Gambito da Dama
Defesa Ortodoxa
Defesa Tarrasch
Defesa Eslava
1 P4D
- P4D
1 - P4D
P4D
1 - P4D
P4D
1 - P4D
P4D
2 - P4BD
2 - P4BD
P3R
2 - P4BD
P3R
2 - P4BD
P3BD
3 - C3BR
P4BD
Defesas Indianas: 1 - P4D
C3BR
Todas as aberturas que se iniciam com 1 - P4D - C3BR, fazem parte das Defesas Indianas
Defesa
Defesa Índia
Defesa Índia do Rei
Defesa Grunfeld
Nimzowitch
da Dama
1 - P4D
C3BR
1 - P4D
C3BR
1 - P4D
C3BR
1 - P4D
C3BR
2 - P4BD
P3CR
2 - P4BD
P3CR
2 - P4BD
P3R
2 - P4BD
P3R
3 - C3BD
B2C
3 - C3BD
P4D
3 - C3BD
B5C
3 - C3BR
P3CD
4 - P4R
P3D
Aberturas menos usuais:
Abertura Reti
Abertura Inglesa
Abertura Bird
1 C3BR
- P4D
1
- P4BD
P4R
1
- P4BR
2 - P4B
Note que mesmo nas aberturas menos usuais, não
temos nenhuma que se inicie com Peão do Cavalo ou
Peão da Torre. Os motivos são simples, bastando recordar
o mandamento principal das aberturas: ação central e
desenvolvimento de peças. Estes Peões possuem grande
importância quando o objetivo principal da abertura já
foi ou está em vias de ser atingido. Note que nas defesas
indianas é comum o lance P3CR, abrindo espaço para o
Bispo se posicionar em 2R, de onde poderá atuar no
centro do tabuleiro e na defesa do Roque. Este
desenvolvimento do Bispo, pelos flancos do tabuleiro, é
conhecido como “fianchetto”.

MANUAL BÁSICO DE XADREZ

16

Fase

de

Nesta fase os jogadores deverão pôr em prática a estratégia definida pelas posições conseguidas na abertura, procurando obter vantagens de posicionamento e elaborando os meios para se realizar ataques ao Rei ou enfraquecer o adversário para tirar vantagem na fase final. Esta é a fase mais movimentada da partida. Todo movimento deve ser feito visando a um objetivo, imediato ou posterior, seja de ataque ou de defesa. Antes de realizar um lance o jogador deve analisar a situação atual e se decidir por qual será o melhor movimento a fazer. É muito comum o principiante pensar apenas em termos de ataques diretos ao Rei, o que não é de todo condenável, já que

o objetivo do jogo é colocá-lo em xeque, todavia, ataques

impensados ou mal elaborados tendem a fracassar e podem resultar em posições fracas, dando ampla vantagem ao adversário. Deve o jogador entender que o ataque ao Rei deve ser uma conseqüência de sua estratégia. Do correto posicionamento de suas peças, dando-lhes mobilidade e ação efetiva, poderá ele realizar ataques vitoriosos. Entre os grandes mestres, esta fase já proporcionou verdadeiras pérolas, jogadas de efeitos tão surpreendentes que encantam e fascinam por sua beleza plástica e pela argúcia e criatividade do jogador.

Uma das mais belas partidas de todos os tempos, conhecida como “Jóia de Primeira Água”, foi jogada em 1958, em Paris, por Paul Morphy contra uma dupla formada pelo Duque Karl de Brunswick e o Conde Isouard. Refaça no tabuleiro esta

partida, pois ela lhe dará importantes lições sobre as aberturas,

a importância do domínio do centro do tabuleiro e do uso de criatividade e perspicácia.

1 - P4R

P4R

2 - C3BR

P3D

3 - P4D

B5C

4 - PxP

BxC

5 - DxB

PxP

6 - B4BD

C3BR

7 - D3CD!

D2R

5 - DxB PxP 6 - B4BD C3BR 7 - D3CD! D2R Posição após 6: C3BR
5 - DxB PxP 6 - B4BD C3BR 7 - D3CD! D2R Posição após 6: C3BR

Posição após 6:

C3BR

Meio-Jogo

8 - C3B!

P3B

9 - B5CR

P4C

10 - CxP

PxC

11 - BxPC+

CD2D

12 - O-O-O!

T1D

13 - TxC!

TxT

14 - T1D

D3R

12 - O-O-O! T1D 13 - TxC! TxT 14 - T1D D3R Posição após: 13 -
Posição após: 13 - TxT 15 - BxT+ CxB 16 - D8C+! CxD 17 -
Posição após: 13 -
TxT
15 - BxT+
CxB
16 - D8C+!
CxD
17 - T8D++

Um xeque-mate genial!

MANUAL BÁSICO DE XADREZ

17

Análise

É importante que o enxadrista tenha sempre em mente a situação geral da partida, procurando identificar fraquezas e forças, suas e do adversário, facilitando a tomada de decisões quanto às estratégias a seguir. Antes de cada lance, deve o jogador fazer uma rápida análise. Um bom método é perguntar

a si próprio:

a) Meu Rei está em perigo imediato?

b) Quais das minhas peças estão sendo atacadas neste

momento?

b) Tenho alguma fraqueza grave que possa ser aproveitada

pelo adversário imediatamente?

c) A peça que quero mover não está melhor na posição em

que se encontra?

d) O lance que pretendo realizar não vai abrir nenhuma

fraqueza em minhas defesas?

e) Se eu fizer este lance, qual poderá ser o próximo lance

do adversário?

lance, qual poderá ser o próximo lance do adversário? Na prática, deve o jogador desenvolver uma

Na prática, deve o jogador desenvolver uma visão geral e criteriosa do tabuleiro. Um dos bons métodos para isso é através das linhas imaginárias do domínio das peças. Simplesmente procure visualizar todas as casas que podem ser alcançadas no próximo lance, suas e do adversário. Com isto, pode-se identificar a direção de um possível ataque, os locais onde a disputa parece ser mais intensa, as fraquezas, etc. Vejamos um exemplo:

ser mais intensa, as fraquezas, etc. Vejamos um exemplo: Quem está em melhor situação no jogo?

Quem está em melhor situação no jogo? Podemos usar

o método das linhas imaginárias para ter uma boa noção

da área de atuação de cada conjunto de peças, verificando

a mobilidade e a força das peças em conjunto. Lembre-se que isto é apenas para dar uma noção da situação atual. Não significa que o lado em melhor situação

vai ganhar a partida, mas sim que tem melhores possibilidades de ganhá-la.

das

Forças

que tem melhores possibilidades de ganhá-la. das Forças Veja a situação das pretas. Suas peças estão

Veja a situação das pretas. Suas peças estão em posições restringidas e não alcançam grande raio de ação. Fica difícil o planejamento de bons ataques, já que para isto é essencial que as peças ocupem boas posições. O cavalo, na casa lateral, alcança apenas 4 casas e está desprotegido porém, as outras peças formam um compacto bloco defensivo.

porém, as outras peças formam um compacto bloco defensivo. A diferença fica bem visível neste caso.

A diferença fica bem visível neste caso. As peças brancas possuem ampla liberdade de ação e atuam firmemente no terreno inimigo. O cavalo está bem posicionado, atuando na defesa e no ataque. O Peão da Dama está indefeso e pode correr risco se as pretas moverem o Cavalo para 3 do Bispo. Pela análise das linhas imaginárias, podemos afirmar que as brancas possuem melhores possibilidades de realizar ataques vitoriosos.

MANUAL BÁSICO DE XADREZ

18

MANUAL BÁSICO DE XADREZ 18 Fase Final A fase final é de fundamental importância no xadrez

Fase

Final

A fase final é de fundamental importância no xadrez e deve o enxadrista conhecer pelo
A fase final é de fundamental importância no xadrez e deve
o
enxadrista conhecer pelo menos alguns de seus conceitos
básicos, já que de nada adiantaria realizar uma bela partida e
perdê-la no final por não saber como levar o Rei adversário à
derrota. A fase final é disputada com poucas peças no
tabuleiro. O jogador poderá procurar a vitória ou mesmo uma
situação de empate, evitando assim a derrota.
Finais com Dama e Rei contra Rei ou Torre e Rei contra
Rei são relativamente fáceis de serem definidos. O atacante
Finais com Bispos e Cavalos requerem estudos mais
aprofundados. A limitação de movimentos destas peças faz com
que os mates devam ser bem trabalhados, encurralando o Rei
adversário em uma posição em que seja possível vencê-lo.
deve entretanto ficar atento para as grandes possibilidades de
empate que podem surgir de lances incorretos. Vejamos alguns
casos:
O
lance é das pretas: o Rei
Preto está em xeque-mate em
todas as situações.
O lance é das pretas: o Rei
Preto não tem como se
mover: empate.

MANUAL BÁSICO DE XADREZ

19

Finais

Raramente a fase final acontece sem a presença de peões. Philidor, grande mestre do passado já dizia que “o peão é a

alma do xadrez” e mais tarde, Reuben Fine completou esta frase dizendo que “se o peão é alma do xadrez, no final ele é também nove décimos do corpo”. Com efeito, o peão, com sua aparência frágil e movimentos limitados, irrompe com grande força nos finais de jogo, tornando-se valioso, tanto pela possibilidade de promovê-lo a uma peça de maior valor quanto pela sua posição estratégica que normalmente dita o rumo dos acontecimentos. Existem muitas regras para as diversas situações que podem ocorrer nestes finais. Neste manual, nos limitaremos a apresentar alguns casos e dicas. Com isto, você poderá ter uma boa base para se aprofundar mais no tema posteriormente. No caso de Rei sozinho contra Rei e Peão, a vitória se dará com a promoção do Peão. O Rei solitário deverá então tentar

a captura do Peão ou impedir que ele possa ser promovido,

conquistando o empate. De ambos os lados, os movimentos devem ser precisos e bem pensados, pois qualquer erro pode significar fatal vantagem ao adversário. O lado mais forte deve aproximar o Rei de seu Peão, para protegê-lo no avanço em direção à oitava horizontal, para ser promovido. Este avanço não pode ser feito desordenamente, pois quanto mais se aproximar da casa de promoção, maiores serão as possibilidades de empate. Estudemos os diagramas:

serão as possibilidades de empate. Estudemos os diagramas: Se a vez de jogar for das pretas,

Se a vez de jogar for das pretas, então elas conseguem o empate por “pat” em qualquer dos casos. Se for a vez das brancas, elas ganham no diagrama à esquerda, movendo o Rei lateralmente. O Rei preto terá então que abandonar a casa de promoção do Peão na sua vez de jogar. Já no diagrama à direita, a partida está empatada: se for a vez das pretas, o Rei está sem movimento. Se for a vez das brancas, o Rei movendo-

se para 6 da Torre, não deixa opções de movimento para o Rei

adversário. Se ele se mover para qualquer outra casa, afasta- se do Peão, deixando-a à mercê do Rei preto.

Os finais de Peãos exigem muita perícia e são assunto tão complexo que existem diversas regras, descritas em inúmeras publicações especializadas. O assunto torna-se ainda mais atraente quando consideramos finais com vários Peões. Nestes casos o posicionamento de cada um deles é de fundamental importância. Como a proposta deste trabalho é servir apenas como um manual básico para o iniciante, nos limitaremos a demonstrar alguns poucos exemplos, esperando que eles agucem a curiosidade do leitor e o façam procurar literatura mais completa.

de

Peões

Regra do Quadrado

literatura mais completa. de Peões Regra do Quadrado Uma regra valiosa em finais de Peão é

Uma regra valiosa em finais de Peão é a do Quadrado, que mostra se o Rei conseguirá ou não alcançar um Peão afastado de seu próprio Rei, antes que ele consiga alcançar a oitava linha para ser promovido. Traça-se um quadrado imaginário de lado igual ao número de casas de onde está o Peão até a oitava linha, conforme o diagrama. Surgem daí três casos:

a) Se o Rei estiver dentro do quadrado, sendo sua ou não a

vez de jogar, alcançará o Peão;

b) Se o Rei estiver fora do quadrado mas o lance for seu e

com este lance ele puder penetrar ná área do quadrado, alcançará o Peão (pois caíra na situação “a” apresentada

acima);

c) Se o Rei estiver fora do quadrado e o lance for do Peão,

então ele não conseguirá impedir a promoção.

do Peão, então ele não conseguirá impedir a promoção. Estude bem a Regra do Quadrado pois

Estude bem a Regra do Quadrado pois ela tem grande utilidade prática nos finais de partida com Peões.

No diagrama, utilizando a regra do quadrado, podemos concluir que o Rei preto somente alcançará o Peão se o

lance for seu, caso em que penetrará no quadrado imaginário em 4C. O Peão conseguirá sua promoção, mas será tarde demais, já que o Rei inimigo estará já a seu lado, quando isto acontecer. Acompanhe:

R4C; 2 - P6R R3B; 3 - P7R R2D; 4 - P8R=D+ RxD e empate.

1 -

Se o lance for do Peão, ele conseguirá alcançar sem problemas a oitava linha:

1 - P6R R4C; 2 - P7R R3B; 3 - P8R=D+.

MANUAL BÁSICO DE XADREZ

20

Finais

com

mais

de

um

Peão

Os finais que envolvem mais de um Peão são bem interessantes porém, é assunto bastante extenso. Apresentaremos apenas algumas situações para que o iniciante possa se familiarizar com as diversas facetas deste tema.

Peão Passado

O Peão passado é aquele que ultrapassou a barreira de

Peões inimigos. Pode ser aproveitado conseguindo-se sua promoção, já que seu avanço é mais livre; avançando-o, mesmo com sacrifício, para dar a sua casa a uma peça de maior valor

ou para auxiliar um ataque no terreno do adversário. Peão Isolado O Peão isolado é
ou para auxiliar um ataque no terreno do adversário.
Peão Isolado
O
Peão isolado é aquele que não pode ser defendido por
outro Peão, por não existirem Peões de sua mesma cor nas
colunas vizinhas. Quase sempre constitui uma desvantagem
para quem o possui. Suas principais desvantagens são: pode
ser alvo fácil de ataque, por não possuir defesa de outros Peões;
obstrui a progressão de suas peças, principalmente Bispos e
Torres e deixa uma casa muito fraca à sua frente, onde pode-
se posicionar uma peça adversária, principalmente o Cavalo,
que é ideal para este tipo de situação. Como não existem Peões
nas colunas vizinhas, o Cavalo dificilmente será desalojado
desta casa.
As brancas ganham, tendo ou não o lance. O Rei preto não
conseguirá impedir que um dos dois Peões seja promovido
O Peão do Bispo da Dama branco é um Peão passado. Já o
Peão do Cavalo da Dama das pretas é um Peão isolado.
Peões Dobrados
Ganham as brancas, tendo ou não o lance. O Rei branco
pode capturar o Peão preto mas o Rei preto só pode tentar
capturar o Peão do Bispo, já que os outros estão defendidos.
Caso ele avance em direção ao Peão do Bispo, as brancas
avançam, no momento oportuno, o Peão da Torre para a
casa de promoção.
Peões dobrados são aqueles
que ficaram posicionados em
uma mesma coluna. Como o
Peão só se move para a frente,
o Peão de trás estará
bloqueado em seu movimento.
Raramente os Peões dobrados
representam uma vantagem.
São, via de regra, uma
fraqueza para o lado que os
possui.