Você está na página 1de 20

JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

É DE PÍNZIO OU TEM LIGAÇÕES A PÍNZIO?

TEM UMA EMPRESA OU UM NEGÓCIO?

ENTÃO ESTE ESPAÇO É DEDICADO A SI!

UM DOS OBJECTIVOS DESTA PUBLICAÇÃO, É QUE ELA POSSA CHEGAR A TODA GENTE,
SEM BUROCRACIAS NEM DISCRIMINAÇÕES

PARA PODER CUMPRIR ESTE OBJECTIVO, NÃO PODEMOS TER ESPAÇO EM BRANCO!

A SUA EMPRESA OU NEGÓCIO, PODE APARECER AQUI COMO PATROCINADOR OFICIAL

NÃO LHE PROMETEMOS MAIS NEGÓCIOS NEM MAIS CLIENTES

MAS PROMETEMOS DEDICAÇÃO A ESTA CAUSA

CONTACTE-NOS POR EMAIL PARA adap.pinzio@gmail.com


OU JUNTO DE QUALQUER ELEMENTO DA DIRECÇÃO
PARA CONHECER AS CONDIÇÕES
(20 amigos por ano com recibo)

Parabéns Banda Filarmónica (1888- 2018) - ORGULHO DE PÍNZIO!

A Associação dos Amigos de Pínzio, deseja a Mais uma época festiva, desta vez foram as comemorações do seu aniversário…130 anos. Em 1888 foi fundada pela primeira vez. Mais
tarde nas décadas de 60 e 70 sofreu um interregno devido à forte migração dessa época. Em 1982, retomou novamente a sua atividade.
todos, um Feliz Natal e um próspero Ano 2019 Parabéns à Banda Filarmónica de Pínzio … o orgulho da nossa aldeia!
Que ele traga muita Saúde, Paz e Amor!
À CONVERSA COM… Padre Domingos Pereira 1918/2018 … um século … uma VIDA!
“Meu pai, Manuel Pereira Domingos, cresci a Chegar aos 100 anos é uma aventura…é uma
vê-lo Regedor que, ao tempo tinha a função Vida! Envelhecer assim é um privilégio! Chegar
de manter a ordem… Minha mãe, Ana aos cem anos é vencer os altos e baixos com
Vicência Ferreira, a senhora Aninha, como era certeza, e muitas histórias para contar!… Todos
conhecida no povo, foi um modelo de mãe os filhos felizes e emocionados, “agradecemos a
carinhosa e de mãos solidárias. Minhas irmãs Deus por conceder esta graça e podermos
Maria Alice, Clarinda e Rosa Maria foram as celebrar um século de vida da nossa mãe”….
companheiras do meu crescimento. Éramos Além dos filhos a aniversariante estava
uma família tradicional, muito unida. visivelmente feliz.

Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018


JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

Agradecemos desde já todos os colaboradores MENSAGEM DO PRESIDENTE BANDA FILARMÓNICA DE PÍNZIO – MEMÓRIAS QUE FICAM
permanentes e às pessoas que já quiseram dar Nesta edição, o nosso Jornal atingiu a maioridade. Os anos que se seguiram foram muito diferentes, pois apesar da jovem músico e mais tarde como maestro, eis que um simples
o seu contributo. Pois é, já são 18! O que equivale a 6 anos consecutivos sem inexperiência, da tenra idade para o cargo, sempre tive muito concerto de aniversário como tantos outros, se tornou no mais
É certo, que o jornal DIA20, só será uma interrupções trazendo e levando informação, recordações e presente na minha mente a responsabilidade que o cargo exige e difícil de dirigir.
realidade, se houver pessoas que quiserem bom humor. a dignificação da coletividade. Por momentos, a concentração, a audição melódica e harmónica,
partilhar connosco as suas vivências, crónicas, como que teimavam em “fugir”… para outros contextos
fotos ou mesmo pequenas histórias reais ou Nesta edição, dedicamos grande parte do nosso Jornal à nossa Durante estes 26 anos que dirigi a banda muito aconteceu. emocionais.
não. Por isso ficamos agradecidos a todos que Banda Filármónica que tanto nos orgulha e enaltece. Várias direções passaram, muitos músicos entraram, deram o
quiserem participar. Basta, para isso, enviarem E por vários motivos: Este ano, a banda comemora 130 anos; O seu contributo e saíram já adultos, miúdos que quiseram Estou convicto de que tudo o que fiz, embora nem sempre
os vossos textos para o seguinte e-mail: Maestro Luis Mário, após 35 anos de dedicação, decidiu transferir a batuta; aprender, cresceram e entretanto já seguiram o seu rumo, compreendido, teve como objetivo, o crescimento da
madalenajcabral@sapo.pt Temos novo Maestro; Vai chegar ao fim o mandato do actual Presidente da alguns como profissionais da música, dos quais muito me coletividade, a promoção de um convívio saudável entre todos, a
Direcção, Vitor Ferreira. Portanto, nada mais justo do que, também nós, orgulho e desejo os melhores sucessos. dignificação da música, em resumo… a defesa da Banda
ASSEMBLEIA GERAL prestarmos homenagem. Filarmónica de Pínzio e de todos os que a integram.
Madalena Cabral Sócia nº111 – Presidente Apesar de momentos excelentes de convívio, camaradagem, Ficaram alguns projetos por concretizar, entre os quais destaco
Beatriz Pina Sócia nº68 – Secretária Já na passada Feira das Tradições em Pinhel, o stand da Freguesia foi aprendizagem, nem tudo foi fácil. A distância entre Pínzio e os dois: a gravação de CD/DVD e a construção da nova sede da
Rafael Fonseca Sócio nº46 – Secretário maioritariamente dedicado ao aniversário da Banda, com direito a directo diferentes locais de trabalho que tive (vida de professor…) por Associação Social, C. R. e Desportiva de Pínzio, que incluísse
Manuel José Dias Sócio nº37 – Suplente televisivo na RTP. várias regiões do país foi sem dúvida uma dificuldade, muitos também a construção de um auditório digno para a realização de
José Almeida Sócio nº23 – Suplente quilómetros percorridos no intuito de poder acompanhar com diversas atividades, musicais, sociais e culturais. A ausência de
Victor Pina Sócio nº41 - Suplente Muito há a dizer acerca do Luis Mário, mas, ficou-me com a emocionante assiduidade o grupo que dirigia. As diferenças de idade dos um espaço deste género impossibilita o desenvolvimento de
despedida na Igreja de Pínzio, aquando do concerto e pelo facto de ele ter estado elementos que integravam na altura a banda, que por um lado é projetos e a realização de atividades sócio culturais. Já foram
CONSELHO FISCAL 35 anos ininterruptos na Banda. Já pararam para pensar no que são 35 anos! muito saudável mas também proporcionava algumas dados alguns passos e desenvolvidos esforços nesse sentido,
Luís Gonçalves Sócio nº15 – Presidente Deixo uma dica aos leitores (incluindo a mim): Quando nos lamentarmos que já incompreensões. O terminar dos serviços (volta aos mordomos) nomeadamente a aquisição de terreno. Aguardamos pelo apoio
Cidália Abrunhosa Sócia nº21 – Vogal fizemos muito ou que já estamos fartos e cansados, pensemos nos 35 anos do nas festas religiosas era por vezes o mais complicado e de e cumprimento de promessas…
Luís Cabral Sócio nº33 – Vogal Luis Mário. alguma “diversão”. Mas no dia seguinte pela madrugada, aí
Anabela Fortunato Sócia nº22 – Suplente estava tudo reunido à hora marcada, para mais um serviço. Termino, agradecendo à Associação Social, C. R. e Desportiva de
Susana Pires Sócia nº125 – Suplente Fica prometida para a próxima edição, uma entrevista ao novo maestro. Os tempos foram mudando e se, por um lado, a banda tem Pínzio/Banda Filarmónica pela oportunidade, a todas as
Abel Lopes Sócio nº69 - Suplente melhorado a nível musical, também as dificuldades têm direções/órgão sociais da mesma, músicos, sócios, simpatizantes
Em relação ao Presidente Vitor Ferreira, agradecer-lhe todo o seu empenho aumentado. A desertificação do interior que leva cada vez mais com quem tive oportunidade de colaborar e conviver. A todas as
DIREÇÃO durante os dois mandatos em que esteve à frente dos destinos da Banda. Sei que jovens para fora, os estudantes no ensino superior longe da associações e entidades que colaboram e apoiam a
Jorge Pires Sócio nº4 – Presidente deu o seu melhor, e o seu melhor foi muito! Desejo muito sucesso à próxima residência, os adultos obrigados a procurar emprego fora da continuidade, bem hajam.
Lisete Cardoso Sócia nº36 – Vice-Presidente direcção da Associação Cultural, pois é um trabalho que exige muita dedicação, região e a luta constante com as novas tecnologias e interesses
Elisabete Teixeira Sócia nº57 – Tesoureira apesar de se pensar, muitas vezes, o contrário. externos próprios da juventude, são dificuldades com as quais Por todos estes anos e porque uma parte da minha vida foi
Ricardo Custódio Sócio nº168 – Secretário A futura Direcção, tal como a que agora cessa, poderá contar comigo e com a nos temos vindo a deparar com frequência. passada naquela sala de ensaio e/ou ao serviço da associação,
Marisa Gonçalves Sócia nº196 – Vogal ADAP para tudo o que estiver ao nosso alcance. por tudo o que recebi e dei à coletividade, onde quer que esteja,
Dina Lopes Sócia nº157 – Suplente O tempo não pára e aceleradamente chegamos a 2018, após a Banda Filarmónica de Pínzio será sempre reconhecida por mim,
Luís Marques Sócio nº67 - Suplente E voltei a ficar sem muito espaço para escrever mais! tantos serviços realizados com a filarmónica, primeiro como como a minha BANDA!
Márcia Parada Sócia nº56 – Suplente Não percam as novidades da ADAP nas páginas centrais deste magnífico Jornal.
Carlos Monteiro Sócio nº2 - Suplente Luís Mário Gonçalves
Ernesto Gonçalves Sócio nº62 – Suplente Votos de um Feliz Natal e próspero ano novo.
UMA “FAMÍLIA … COM GRANDES LAÇOS DE AMIZADE!
CONTACTOS ÚTEIS Vemo-nos novamente na décima nona edição deste Jornal DIA20 em Abril!
Número Nacional Socorro……………….……..….112 Faço parte desta Grande Família que é a Banda vários mandatos, expresso o meu respeito pela coragem de
Junta Freguesia de Pínzio……………...271 947111 Filarmónica de Pínzio há cerca de duas décadas. saírem das suas zonas de conforto e trabalharem em prol da
Posto Público de Pínzio……….……..…271 947131 associação (à qual pertencemos), ajudando a levar mais longe a
GNR Pínzio ……………………………..…….271 947183 Ao longo deste tempo foram-me transmitidos música e o nome de Pínzio.
Farmácia Modena Pínzio……………..…271947257 FICHA TÉCNICA valores e conhecimentos que me ajudaram na
Táxis de Pínzio…………………..………..…271947182 minha formação e no crescimento pessoal. Agora, com a saída do Maestro Luís Mário, cabe-nos agradecer
Pároco de Pínzio …………………….……..967924670 JORNAL DIA20 Por este motivo, quero agradecer publicamente ao novo Maestro Carlos Ferreira por aceitar este desafio,
Correios de Pínzio …………….…….….…271 947111 Diretor: Jorge Pires a todos os que contribuíram, ao longo destes anos, para a entusiasmar os músicos e nos fazer acreditar que é possível
Centro Saúde Pínzio………….…………. 271 947220 Coordenadora: Madalena Cabral continuidade da banda: membros da direção, sócios e músicos, elevar a qualidade musical da banda e dar continuidade a este
Credito Agrícola……………….………..….271 947850 Editores: Jorge Pires, Lisete Pina, Madalena Cabral de uma forma geral. grande projeto, fortalecendo a amizade e o espírito de
Centro P. M Fátima (Lar)………….……271 940010 Sede: Associação dos Amigos de Pínzio, Rua da Pontinha, nº 26, 6400-069 Pínzio camaradagem, como se deste grupo fizesse parte também há 20
Centro de Saúde de Pinhel ……………271 413413 E-mail: adap.pinzio@gmail.com Mais particularmente, agradeço ao Maestro Luís Mário, pelo anos.
Câmara Municipal de Pinhel ……..….271 410000 Facebook : www.facebook.com/pages/Associação-dos-Amigos-de-Pínzio empenho, amizade e entrega total, desempenhando assim um
Repartição de Finanças Pinhel…….…271 412281 Periodicidade: Quadrimestral Por fim, e não menos importante, o meu bem-haja às gentes de
papel decisivo neste percurso e na articulação com a direção
Bombeiros de Pinhel …...……………….271 412211 Design e Paginação: Ricardo Custódio Pínzio por nos receberem e fazerem sentir em casa. Aqui se
EDP Guarda ………………………………….271 004400 desta associação. A este, ao Sr. Amadeu Fortunato, ao José criaram fortes laços de amizade e recordações que certamente
Impressão: Município de Pinhel
ULS – Hospital Sousa Martins ……….271 200200 Joaquim Dinis e Vitor Ferreira, que assumiram a liderança dos acompanharão cada um de nós para a vida.
Tiragem: 250 Exemplares a preto e branco
C.R. Seg. Social…………………….………..271 232600 Distribuição: Gratuita
PT Telecom ………………..………………..271 208300 Joaquim Miguel, percussionista da B. F. Pínzio

Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018


JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

BANDA FILARMÓNICA DE PÍNZIO – MEMÓRIAS QUE FICAM FOI EM 1888… HÁ 130 ANOS
não tínhamos tido tempo de aprender mais) Portugal tão lindo e O orgulho da nossa aldeia, está de parabéns!
A 21 de novembro de 1888 nascia em Pínzio a Deus nos Salve. Entre foguetes e mais uma batida daqui outra Ao senhor Manuel Abel o meu mais profundo sentido de
coletividade em que muito provavelmente dali, foi um dia importante para todos. gratidão. Foi, sem dúvida, de todos, aquele que mais sentiu este
participaram o maior número de residentes e A banda estava a tocar e era preciso alguém com mais projeto, completamente embriagado nesta paixão, entregou-se
simpatizantes da música da freguesia e que conhecimentos musicais e experiência para ocupar o lugar de de corpo e alma, mesmo com todas as suas dificuldades físicas,
mudou o rumo da vida a muitos dos que por lá “Mestre”. acompanhava-nos para todo o lado. Era ele que preparava as
passaram – Banda Filarmónica de Pínzio. lições de solfejo, e me entregava, para eu ensinar ao grupo no
Conta já 130 anos de muita atividade, com É então que o Sr. Ângelo contacta o Sr. Manuel Niné para sábado seguinte. Todos os fins-de-semana me entregava uma
interregnos, com momentos bons, com períodos de dificuldade, assumir a responsabilidade do cargo e que se manteve até ao nova lição para eu estudar, durante a semana.
mas sem dúvida uma mais valia para todos os que passaram por verão de 1992. Após um ano e meio de solfejo em sala, e aproximadamente
lá, uma escola da vida e uma entidade de grande valor para a Palavra passa palavra, e os convites para a banda tocar nas festas meio ano a aprender a escala dos instrumentos, era chegada a
freguesia e região. religiosas surgem em grande número. Destes tempos mantenho hora do novo passo.
muitas e muitas recordações e peripécias que só nestas Atualmente liderada pelo elemento mais jovem Luís Mário,
A minha aventura nesta coletividade e no mundo da música coletividades acontecem e que dificilmente se apagam. Poderia representando hoje, o melhor e maior cartão-de-visita, da nossa
começa por volta de 1983 aquando do recomeço da filarmónica, relatar imensas, no entanto, partilho algumas que já mais terra... Por fim o meu maior reconhecimento é para os mais
pois tinha parado a sua atividade devido à falta de elementos, esquecerei. Nesta época, festas que não tivessem foguetes não novos e a sua indiscritível força, coragem e vontade de vencer.
fruto da forte emigração que se verificou algumas décadas antes. era festa. É com estes, que acontecem algumas situações …… ”
“Pai, quero ir pra música”, foram estas as minhas palavras que caricatas, desde, em Cidadelhe cair um foguete num galinheiro O professor Luís Mário, ex-maestro da Banda Filarmónica de
acabaram por me levar para a banda a aprender as primeiras quando a banda passa e lá vão os galináceos em alvoroço para o Pínzio no artigo À Conversa com… na edição nº 5 referiu: “Espero
Mais uma época festiva… desta vez foram as comemorações do
notas e arrastar também o meu pai para lá, pois enquanto meio dos músicos. Nas Freixedas (se a memória não me falha)
aniversário da Banda Filarmónica de Pínzio. Este ano comemorou que a Banda continue a prestar o serviço cultural que tem
esperava, lá acabou também por aprender umas “notinhas” e uma cana de foguete cai na cabeça de um dos nossos músicos
130 anos, pois foi em 1888 que ela foi fundada pela primeira vez. prestado durante todos estes anos de atividade, levando o nome
tocar contrabaixo (tuba em MIb) durante 25 anos, tendo que tocava trombone, fazendo uma pirueta, valeu o chapéu. No
Mais tarde nas décadas de 60 e 70 sofreu um interregno devido
também assumido funções em várias direções da coletividade Roque (Pinhel), era bombeiro o Sr. José Monteiro, quando da freguesia e concelho bem longe …é das coletividades mais
à forte migração dessa época. Em 1982, retomou novamente a
durante os anos sequentes. durante a procissão lhe rebenta o cinto das calças, e com o andar antigas e com atividade permanente do concelho de Pinhel. A
sua atividade.
um tanto ou quanto “esquisito” na tentativa de estas não irem escola de música, apesar das dificuldades, continue a oferecer
Foi um dia de um novo ciclo na vida da Banda Filarmónica de
Lembro-me dos primeiros professores, duas pessoas muito ao chão, este diz no meio de alguma risada entre os músicos um ensino gratuito ou com custos simbólicos, de forma, a
Pínzio… Cessou funções de maestro o professor Luís Mário e
distintas, o Sr. Luís Pires Gonçalves, responsável pelo novo “senhor mestre, podia perder as calças, mas não perdi
iniciou o maestro professor Carlos Ferreira. possibilitar a sua frequência a todos aqueles que queiram
arranque da filarmónica, que aprendeu um pouco das notas e pancada!”. Não me esqueço também da dupla fantástica da
figuras musicais para nos poder transmitir, e o Sr. Manuel Abel, “Pancadaria” – como assim lhe chamavam na época à percussão, aprender música sem qualquer tipo de constrangimento.
A Associação Social Cultural Recreativa e Desportiva de Pínzio, Essencialmente que continue a colaborar com as outras
senhor de idade (com a sua velhinha samarra) que tinha sido refiro-me ao Alberto Dinis e ao Joaquim Miguel (que
tem espaço próprio, no Jornal DIA20.
músico e “mestre”, como se designava na altura, da filarmónica recentemente partiu) que apesar de amigos, andavam sempre instituições da freguesia e que não seja esquecida pelas
Transcrevemos aqui algumas passagens de edições anteriores,
antes da sua “pausa”. Era na pequena casinha da música, como como o “cão e o gato”. Então, numa passagem musical, em que a entidades competentes … Aos músicos, digo que continuem a
homenageando a nossa tão querida Banda Filarmónica.
assim lhe chamavam, que íamos todos os fins de semana, maceta deveria tocar no prato, quando em jeito de brincadeira fazer parte deste grupo fantástico, com momentos bons e outros
primeiro “rezar” o solfejo do Freitas Gazul e mais tarde começar provocatória, o bombeiro, em vez de acertar no prato, aponta menos bons como tudo na vida, paciência, sacrifício e que deem
Luís Pires Gonçalves, um dos principais elementos que participou
a soprar num instrumento. mesmo ao relógio do colega, estava a confusão instalada para o
e se empenhou de corpo e alma, no renascer da Banda sempre o melhor. Que acolham bem e apoiem os recém-
dia todo! Ato que teve a devida retaliação nos tempos seguintes!
Filarmónica de Pínzio, salientou na 11ª edição: chegados e músicos mais novos transmitindo os nossos ideais e o
Por esta altura estava a ser construída a IP5, que trazia muitos Mais recentemente e eu já com funções de maestro, ninguém se
“Quero aqui e agora agradecer a todos, os que comigo que nos carateriza. Que se divirtam através da música e do
trabalhadores de fora, e é entre eles que aparece o Sr. Costa, esquece aquando do regresso do almoço para a tarde na festa de
colaboraram, porque a eles se deve o sucesso deste projeto.
músico da Banda de Santar, que tocava saxofone. É numa das Algodres, o nosso velhinho autocarro resolve pregar mais uma companheirismo.
Jovens e menos jovens que acreditaram e depositaram em mim
visitas ao nosso ensaio e no meio de uma quantidade de sons partida. E agora? Como vamos para a festa? Estão à nossa Às famílias e comunidade em geral, que apoiem os filhos e todos
total confiança, numa caminhada que, para alguns, não passava
misturados, vindos dos diferentes instrumentos, que este senhor espera…. É então que passa um camião de “transporte de aqueles que querem integrar o nosso grupo. A aprendizagem de
de uma fantasia do meu imaginário.
me chama para a rua e junto ao ribeiro, num ambiente mais animais vivos” e…. não há tempo a perder! Para surpresa de um instrumento musical é uma mais-valia na educação e
Ontem, tal como hoje, dá-se pouco valor à força da juventude e
sossegado me diz: “se quiseres aprender a tocar saxofone eu todos os que aguardavam pelo início do concerto, chega o meio
ao saber dos mais velhos. Não tenho dúvidas, foram estes jovens formação pessoal, assim como todo o desenvolvimento cognitivo
ensino-te”. Foi então que comecei a soprar para o velhinho de transporte ao recinto das festas, e com espanto, de onde
que fizeram a diferença… Nessa altura ainda não tínhamos farda que daí advém.
saxofone soprano (ainda com a palheta na boquilha virada para normalmente ”descarregava gado”… lá estão os músicos a sair,
e decidimos improvisar, vestirmo-nos todos de igual, de forma a
cima – os entendidos, sabem o que estou a dizer) e tocar as risada total. Todos podem participar e colaborar, se acha que não tem “jeito”
parecer uma farda. Quem não tinha casaco, camisa ou gravata
primeiras escalas. Recordo-me da minha primeira para tocar um instrumento musical, pode integrar os órgãos
pediu emprestado. Para as raparigas foi mais difícil, pelo que
cantiga/melodia que consegui tocar, “Naquela linda manhã….” Tínhamos que ser polivalentes e envolvente numa energia de um sociais da direção, participar nas atividades promovidas, etc. ”
decidimos comprar boinas e tecido azul-escuro e cada uma,
Escrita numa folha branca com pautas desenhadas com caneta e jovem que tentava que nada falhasse nos serviços, também não
mandou fazer as calças.
régua (que ainda hoje guardo) pelo tal Sr. Costa, que passado me esqueço de um dia de festa em que o motorista do autocarro José J. A. Dinis escreveu na 12ª edição: “Um feliz acaso revelou-
Só mais tarde, com a ajuda do povo, através de donativos que
pouco tempo deixei de ver. não apareceu. Preocupado e decidido a resolver, digo para todos nos, há alguns anos atrás, a escritura da Sociedade Filarmónica
fizemos nas ações de rua, e quando recebemos um subsídio da
“aqui não ficamos, vamos embora que eu conduzo o autocarro”, de Pínzio de que possuímos cópia.
DGD da Guarda, para construção do campo de futebol, é que fui
Pouco tempo depois, é convidado o Sr. Ângelo Margarido que todos ficaram incrédulos, principalmente os de mais idade. Tudo Ficámos assim a saber que foi criada em 21 de novembro de
ressarcido desse valor.
tinha dirigido durante algum tempo a extinta banda da Cabreira. correu bem, apesar de uma travagem ou outra mais violenta. 1888. Seria interessante perceber como terão sido esses anos do
…. É de sublinhar o empenho, a dedicação e o esforço que estes
Fizemos uma pequena arruada em Pínzio e Cheiras. Foram os Após a saída do maestro Manuel Niné, a direção convidou-me final do séc. XIX para a recém-criada Sociedade Filarmónica de
elementos demonstraram. Acarinhados e aceites por esta
primeiros desafios, ainda sem saber muito bem o que andava a para assumir novas funções. Fiquei muito surpreendido e Pínzio, constituída, na sua totalidade, por gente muito humilde
juventude, que lhes reconhecia valor, trouxe-lhes uma nova
fazer. Entretanto, a notícia começa a passar pela região: “A reticente, pois tinha começado a estudar música no da nossa terra. Gente muito pobre a quem sobrava em trabalho
alegria, um novo sentido e esperança de vida.
Música de Pínzio está outra vez a tocar” e aparece o convite para conservatório da Guarda mas não tinha formação de direção de o que faltava em recursos ….
a nossa primeira saída fora de portas, Cerdeira da Côa. Foi aí que banda. Um pouco forçado, lá acabei por aceitar o novo desafio,
fizemos a arruada e procissão, com apenas duas marchas (ainda tendo feito o primeiro serviço na festa de Stº André de 1992.

Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018


JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

FOI EM 1888… HÁ 130 ANOS BAU DAS RECORDAÇÕES

Apesar de tudo, a Banda Filarmónica de Pínzio atravessou esse É preciso boa vontade para conseguirmos levar este projeto a
final de séc. XIX, todo o séc. XX e continua a ser motivo de bom porto, no entanto não basta, é necessário o empenho
também da nossa população para que assim se consiga levar o
orgulho para a nossa terra. Houve um interregno de cerca de 20
nome da nossa aldeia, Pínzio, a outros locais sempre com orgulho
anos, desde o início dos anos 60 do século XX até 1982, ano em e com a honra de dizermos: Pínzio tem uma boa banda… é com
que viu, de novo, a luz do dia.” este espirito que nos gostamos de apresentar e sabemos que a
nossa aldeia tem orgulho na sua banda.”
Na 16 edição Jornal DIA20 o Marco Aragão referiu: “Nos dias de
hoje faz-se sentir a desertificação do nosso interior e, a nossa
banda, mais concretamente a escola de música que a ela está Ficam aqui os sinceros parabéns a todos que os que direta ou
afeta, ainda mais sente isso, pois os miúdos e jovens que nela indiretamente e ao longo dos anos, participam e colaboram na
podem ingressar, cada vez são menos. Banda Filarmónica de Pínzio, principalmente aos músicos que se
Também o ritmo de vida, que atualmente vivemos, torna cada empenham tantos nas aulas, como nos ensaios, em concertos,
vez mais difícil o funcionamento de uma pequena banda procissões, nas arruadas e em todas as atividades, muitas vezes
filarmónica de uma aldeia, neste caso a nossa. com sacrifícios!

Foto do ano 1950 que foi cedida pela Srª Isabel Monteiro, filha de um músico desta época,
Joaquim Monteiro. Na 1ª fila da esquerda para direta - José Oliveira no Contrabaixo; António
Lucas no Saxofone Alto; Joaquim Monteiro no Bombardino e Manuel Caramelo no Contrabaixo.
Do lado esquerdo - José Lucas no Cornetim; mais atrás à direita está José Martinho no Clarinete
(não sei qual deles é). Na 2ª fila lado direito - António Alves Moita no Bombardino (este senhor
ainda chegou a tocar na banda com o ex-maestro Luís Mário por volta de 1986), mais para trás no
Clarinete está Arnaldo Agostinho (que também tocou ainda bastante tempo depois da renovação
da banda que não sabia ler música, apenas tocava de ouvido) Na última fila tínhamos a percussão:
no bombo José Monteiro (que também tocou após a renovação em 1984 e anos seguintes) na
Caixa o Adérito e nos Pratos o Joaquim Lucas. Por último, o mestre Manuel Abel que está fora do
grupo, a tocar Requinta (junto das crianças).

FESTA DE SANTO ANDRÉ 2018

Chegou ao fim mais um ano de Festa de Santo André. A mordomia, em


primeiro lugar, quer agradecer a toda a população que esteve presente
nas festividades e que ajudou a realização da mesma! Do fundo dos
nossos corações sem vocês não seria possível.

É de facto um orgulho imenso em contribuir um pouco para o bem estar


de Pínzio ao fazermos algo que todos gostam. Desde os tradicionais
jogos de sueca, ao baile, á missa e procissão até ao lanche convívio. O
nosso objetivo sempre foi continuar a tradição e que todos sentissem
vontade de se deslocar ao pavilhão, e por isso muito obrigado a todos!
Não deixar de agradecer a nossa fantástica Banda Filarmónica que como
sempre teve um papel especial nesta festa mas também claro a todos os
artistas presentes. Hi-Fi e Batuufole.

Desejamos assim muito boa sorte para a mordomia que se segue e


queremos que saibam que estamos cá para o que for preciso, porque
Pínzio é isto, ajuda e companheirismo. O mais importante, nunca
deixemos morrer a tradição!

Para o ano, caberá aos novos mordomos, Mariana Pires, Carolina Pina,
Miguel Gonçalves, Daniel Calado, Tiago Gonçalves e Tomás Calado,
organizarem a festa, que começa na próxima fogueira de Natal. Esta foto do ano 1960, saiu do Baú da D. laurentina Bilro…. Moças com cerca de 20
Os mordomos 2018: Ângelo Santos, Sara Miguel,
anos de idade Da esquerda para a direita: Maria Lourença, Maria Paixão (a mais velha)
Diana Pereira e Luís Salomé
Fernanda, Julieta, Inácia.
Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018
JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

SEM PACHORRA PARA COISA NENHUMA! 1918/2018 … um século…uma VIDA!

Cá estamos de novo contribuindo para que esta Não sou de todo contra as reivindicações mas sim contra o O tempo passa num ápice! Para isso os filhos fizeram questão de juntar a família e os
iniciativa perdure no tempo. É certo que nem “chapa ganha, chapa gasta”. Nasceu a 15 de outubro de 1918. A bebé amigos, assim como todos os seus conterrâneos. Além dos filhos
sempre bem interpretados e “amados” mas chamava-se Laura Pires d`Aragão e nasceu em a aniversariante estava visivelmente feliz.
vai-se à feira com o burro que temos. Deveríamos pensar no futuro para gradual e ponderadamente Pínzio. Agora é uma “jovem” com um século de
distribuir parte da riqueza amealhada. Só assim poderemos vida! A sua neta Cristina disse-nos: Somos nove netos estamos todos
Estamos em fase Natalícia e as palavras paz, levantar a cabeça e seguir em frente. muito felizes por este dia …. A comemoração dos 100 anos de
tolerância e amor devem sobressair muito Chegar aos 100 anos é uma aventura…é uma vida da nossa avó Laura…. uma bela idade! São muitas histórias
acima de tudo o resto. Quanto àquilo de que gosto, prevejo uma vida nada fácil. Vida! Envelhecer assim é um privilégio! Chegar aos cem anos é reais, que ela gosta de contar e lembra cada um delas, com todos
O Benfica após atravessar um período conturbado, está a vencer os altos e baixos com certeza, e muita histórias para os pormenores. Lembro-me quando a nossa avó ia visitar os
Fazendo um zoom sobre a sociedade, verificamos que o País assentar. À hora de escrever estes rabiscos registo mais uma contar!… filhos e netos à Alemanha e passava as férias connosco. Ela
atravessa uma fase conturbada. vitória estrondosa, somando mais 3 pontos na taça da liga. Os gostava muito de viajar, mesmo com uma idade avançada, nada
Em Janeiro o novo e último orçamento desta legislatura entra outros, também não estão mal e não me custa nada reconhecer A D. Laura é a mais idosa “jovem” da aldeia de Pínzio. Esteve lhe metia medo! Nós adoramo-la. Costumávamos jogar as cartas
em vigor e há que reivindicar, bater o pé por melhores salários e a ténue valia do Sporting com um futebol apoiado. Já o Porto, casada 57 anos, com João Afonso e tiveram seis filhos. Neste com os nossos avós ... Não esquecendo que o nosso avô João
melhores regalias, mesmo sem se importarem se na casa ao lado por certo, devido às condições atmosféricas, o VAR, nos jogos momento os seus cinco filhos o Luís, o António, a Maria, o José, o tinha sempre um miminho para dar a cada neto, com aquele
há, ou não, pão para por na mesa. complicados, avaria. Porque será? Esperemos que os Manuel, os nove netos e onze bisnetos e a população em geral, pouco que ele tinha … era um Amor! Foi com alegria que
É caricato verificar serem as classes mais bem instaladas, as que responsáveis por estas situações, a tempo, saibam pôr ordem na estão todos felizes e orgulhosos! celebramos esta festa!
mais protestam. Juízes, professores, funcionários ferroviários, casa e portões novos no centro de estágio dos árbitros
forças de autoridade, oficiais de justiça, enfermeiros, médicos, profissionais. Só assim a verdade desportiva pode existir. Foi para França a salto, como era normal nessa época, onde Todos os filhos felizes e emocionados referiram: agradecemos a
etc. etc., tudo a protestar. viveu mais de 30 anos. Trabalhou pouco tempo numa fábrica de Deus por nos conceder esta graça e podermos celebrar um século
Parecemos um “estaleiro” de protestos. Mas descendo à terra, quero felicitar a Associação dos Amigos de peças de automóveis, e o restante fez limpezas em escritórios e de vida da nossa mãe…. agradecemos também a toda a família e
Pínzio pela festa de S. Martinho (que o ano passado referi aqui, em «casas das senhoras», como ela nos contou. a todas as pessoas amigas que quiseram estar presentes, neste
No fundo a vida está para aqueles que vivem à custa dos que deveria haver e em boa hora acataram a chamada de dia tão importante das nossas vidas…. Também agradecemos às
impostos de todos os portugueses. Faltam quando querem, atenção); Felicitar a Associação da Banda Filarmónica na pessoa Regressou a Pínzio em 2010, e esteve na sua casa um ano e neste pessoas do lar, que se empenharam na organização de uma
metem baixa para apoio à família, pois a Lei permite até 1 mês do seu novo maestro e futuro(a) Presidente a eleger momento é utente do Lar Mensagem de Fátima em Pínzio há festa. O nosso bem haja também ao Sr. Padre António Carlos, ao
por ano, sem constrangimentos. Podem fazer greve sem o patrão brevemente; Felicitar a Junta de Freguesia por ter tomado a cerca de sete anos… assim os seus filhos estão mais descansados, Sr Padre Fonseca que fizeram questão de estar presente neste
os pôr de ponta, no fundo podem “gozar” com a sociedade que responsabilidade de promover a festa de S. Sebastião/S. António, pois está em boa companhia! evento. Uma festa nunca antes celebrada em Pínzio! Foi uma
nenhum mal lhes bate à porta. Então e o simples cidadão que no último verão; Felicitar os mordomos de S. André pela festa muito bonita! Obrigado a todos!
mês a mês estica o salário para chegar, que não leva a família a iniciativa e sucesso obtido. Isto sim são notícias boas e que nos É uma pessoa bem disposta, sempre risonha e que goza de boa
jantar fora porque não têm sequer o que por na mesa de casa, alegram a vida. Isto sim, é que nos enche de alegria e satisfação saúde. A sua cabeça está ainda lúcida … conhecia cada um que
aqueles que o almoço, na pausa do trabalho, é uma marmita que de ser filhos de uma aldeia “perdida” no interior de Portugal. participou na sua festa, às vezes não se lembrava era do nome. O A Associação dos Amigos de Pínzio deseja, que venha um ano de
levam de casa, não tem direito a ter uma vida digna? seu único problema é apenas falta de ouvido. Gosta de conversar cada vez e repleto de saúde, para que possa celebrá-lo
Não posso escrever muito para dar espaço às prendas que irão e contar as peripécias da sua vida! novamente, junto dos seus familiares e amigos.
Não têm direito também a reivindicar por melhores condições de surgir nesta edição.
trabalho e vida. Será que a riqueza amealhada não deve ser Este ano houve uma grande festa em Pínzio…. E bem merecida…
repartida por todos e em especial pelos mais necessitados? Resta-me desejar a todos os meus amigos, amigas e outros, um A D. Laura celebrou o século da sua vida.
feliz Natal e um ano Novo cheio de prosperidade.
Se esta teoria está errada, para que servem os peditórios da
Cáritas, do Cancro, os bancos alimentares contra a fome, etc, Façam favor de ser felizes, como diria o Raul Solnado.
etc.?

Expliquem-me como se eu fosse muito burro! Ernesto Gonçalves

Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018


JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

À CONVERSA COM… DE NÓS … PARA TI, MAESTRO LUIS MÁRIO….


… Padre Domingos Pereira a sua cultura que fortalece a esperança e a alegria de viver. Os
ranchos que regressavam a cantar, o descamisar o milho ao - Foram muitos os anos a levar na cabeça, desde a escola de - Grande Luís Mário…é com grande gosto que escrevo estas
DIA20 - Quem é Padre Domingos? serão ao som de vozes encantadoras, o Carnaval com as música e depois na banda, mas também foram muitas as palavras para ti, porque foste uma das pessoas que, na minha
Pe. Domingos - Meu pai, Manuel Pereira brincadeiras da época, as festas religiosas que juntavam brincadeiras, as gargalhadas e eu agradeço por tudo isso! vida, me marcou bastante e me iniciou e ajudou a progredir na
Domingos, cresci a vê-lo Regedor que, ao familiares e amigos, os dramas do verão que levavam meses a Aprendi muito na banda com tudo e todos e principalmente área musical. Agradeço imenso por todo o empenho e trabalho
preparar e, finalmente, aconteciam numa noite inteira ao relento contigo. Não eras só um maestro mas também és e serás um dedicado a nós músicos, e a toda a banda em geral. Grande
tempo tinha a função de manter a ordem, era
do verão, o toque diário das trindades, o toque a defuntos e da amigo! Tenho a certeza que todos nós vamos sentir saudades, abraço e espero que nos acompanhes sempre que possas, se não
uma espécie de representante local do Missa dominical que reunia o povo e mostrava a mestria do até mesmo daqueles sermões mais chatinhos... Obrigada por for como maestro, que seja como músico. Rafael Ferreira
ministério público. Todos os meses a Guarda Nacional sineiro, a fonte que permitia o convívio de quem procurava água, tudo, Luís Mário, saudações musicais. Alexandra Monteiro
Republicana passava lá por casa para fazer o ponto da situação. a matança do porco que juntava as famílias, os mercados do dia - Luís Mário, a ti só te consigo agradecer tudo o que fazes por
Minha mãe, Ana Vicência Ferreira, a senhora Aninha, como era vinte, etc. Muito se perdeu porque Pínzio mudou e agora é - Um muito obrigado pelo despertar do interesse pela música mim desde sempre. Sem dúvida que és parte da minha família!
conhecida no povo, foi um modelo de mãe carinhosa e de mãos preciso encontrar e criar novos elementos identitários. que agora tem uma importância enorme na minha vida, fazendo Obrigada. Sara Miguel
solidárias. Minhas irmãs Maria Alice, Clarinda e Rosa Maria de si uma parte importante não só no músico, mas também na
DIA20 - Como foi ir para o seminário…quem o incentivou… pessoa que sou e que aspiro ser. Luís Salomé Há histórias que ficam na história da vida da gente… e esta é
foram as companheiras do meu crescimento. Estas duas últimas
quem o apoiou? uma delas! Foi um concerto realizado no passado dia 18 de
faleceram cedo. Éramos uma família tradicional, muito unida. Em Pe. D. - Tudo me leva a crer que minha mãe sempre gostou de - Luís Mário, quando me ligaram a dizer que irias passar a batuta, novembro, onde a banda celebrou os seus 130 anos.
Beja havia um sacerdote dos Trocheiros que me encaminhou ter um filho padre. Meu pai não estaria tanto para aí virado. Mas pensei logo que foi das decisões mais difíceis que tiveste que Queremos aqui referir também o enorme contributo do maestro
para ali, onde fiz os primeiros estudos. No grande Seminário dos aconteceu e contei sempre com o apoio das minhas irmãs, do tomar na tua vida. Como partilho esse sentimento, apenas me Luís Mário que iniciou nesta banda, como músico, há 35 anos,
Olivais, em Lisboa, terminei os estudos teológicos. então padre Joaquim Bernardino e, é preciso dizê-lo, da prima resta dizer que se isso aconteceu, foi porque algo mais dos quais 26 anos a dirigir como maestro… foram muitos
Maria Teresa, minha catequista. importante nas nossas vidas apareceu e merece o nosso tempo e ensinamentos e partilha de saberes … muitas as brincadeiras, as
DIA20 - Fale-nos um pouco da sua infância em Pínzio… amigos e dedicação. No entanto a Banda onde nasceste nunca se irá gargalhadas, a boa disposição mas também uma grande paixão,
DIA20 - Muito longo o seu percurso académico… mas apagar da memória. Desejo-te as melhores felicidades para o teu muita dedicação, empenho e muitos sacrifícios …
colegas de infância e de carteira de escola …professor da escola
resumidamente conte-nos desde q saiu da Pínzio… percurso… isto não acabou, porque sempre que houver festa em Todos guardarão, para sempre, boas recordações de quem lhes
primária, numa altura de vida difícil, embora inserido numa Pe. D. - Em Beja fiz os primeiros oito anos de estudos. Os Pínzio, tu estarás presente e tenho a certeza que irás ensinou os primeiros passos musicais!
família onde nada faltava. teológicos ocorreram em Lisboa, no grande Seminário dos disponibilizar-te para tocar saxofone e matares saudades.
Pe. D. - Sim, para os padrões do tempo, direi que na minha Olivais. Aqui estudávamos alunos das dioceses de Lisboa, Aveiro, Elmano Pereira Este concerto teve também um momento alto, quando a ex-
família nunca faltou o essencial, mas não esqueço o esforço que Beja e Algarve. Depois o Instituto Católico de Paris deu-me a maestro professor Luís Mário passou a batuta ao novo maestro
os meus pais fizeram para aguentar os estudos simultâneos dos abertura a novos mundos do saber. Decorria em Roma o Concílio - Obrigado Luís Mário por todo este tempo que estiveste na professor Carlos Ferreira. … Foi muito bonito, cheio de emoções e
do Vaticano II e muitos dos meus professores eram peritos do banda comigo e pela ajuda que sempre me deste. Duarte Morais lágrimas à mistura.
seus quatro filhos! A vida era difícil para muitas famílias a quem
Concílio. Nos areópagos da reflexão, as ideias fervilhavam em
faltava o pão e tinham de bater às portas a pedir ajuda. Quantas muitos sentidos. O Maio 1968 estava a nascer. De regresso, a - Luís Mário, já lá vão uns anos, mas parece que foi ontem que
vezes a minha mãe teve de socorrer quem nada tinha em casa Conferência Episcopal nomeou-me Diretor do Secretariado tive a primeira aula contigo na escola de música da banda…. Um
para dar aos filhos! Esse foi um tempo muito difícil e doloroso Nacional da Educação Cristã. Este cargo levou-me a todo o país e muito obrigado por tudo, pela pessoa que és, pela amizade, pela
para a gente da minha terra! ao estrangeiro em reuniões por Paris, Roma, Luxemburgo, partilha e por toda a ajuda!! Obrigado por sempre me apoiares e
As terras pequenas facilitavam a aproximação das pessoas e Londres, Bruxelas e até Angola. A licenciatura em filosofia na me ajudares a chegar onde cheguei!!! Um forte abraço e por
dispunham de circunstâncias que favoreciam a proximidade, tais Faculdade de Letras de Lisboa, o mestrado em Ciências da favor vem fazer umas festas connosco de vez em quando!!! Vais
Educação na faculdade de Psicologia, o ensino nesta e na deixar muita saudade! Tudo de bom maestro!! Rafael Afonso
como, os fortes laços familiares, a escola, o trabalho, as
Universidade Católica, o magistério na Escola Superior de
brincadeiras, os jogos na rua, etc. A escola e os recreios eram os Educação de Beja e a Direção do Instituto Politécnico, foram a - Obrigada por todas as vezes que disseste “só quem não toca, é
grandes geradores do companheirismo. O professor Manuel vertente laica da minha formação. Entretanto, o meu Bispo que não se engana”. Deste-me motivação para continuar… Para
Marques da Fonseca trabalhava com os rapazes no edifício já agregou-me ao seu serviço como colaborador mais próximo, seu sempre o meu primeiro maestro. Inês Alexandra
demolido e a esposa, D. Maria dos Prazeres, era professora das Vigário Geral.
raparigas, no edifício que agora é Jardim de infância. Pouca
ligação havia entre os alunos das duas escolas a não ser quando DIA20 - E o dia da grande festa “Dia da Missa Nova”… passagem
tão importante da sua vida … qual foi a sensação vivida?
se aproximava a época de exames onde a D. Maria dos Prazeres
Pe. D. - No dia 15 de julho de 1962 fui ordenado sacerdote, em RECEITA DA SOFIA
tinha um papel fundamental. Beja, estando presentes meu pai e minha irmã Rosa Maria. Dia 5
Desse tempo, como companheiros de escola, recordo os irmãos de Agosto celebrei a «Missa Nova» em Pínzio. Foi uma grande “FATIAS DOURADAS EM CHÁ”
José e Manuel Jorge que vieram a ser meus afilhados de festa! Estiveram presentes muitos colegas do Seminário, todos
casamento, o António Coelho que veio a ser meu cunhado, o os sacerdotes da região e, creio bem, todo o povo de Pínzio e Ingredientes: Preparação:
José Moita, o Messias filho do senhor Joaquim Luís e Maria muitos das anexas. Junto ao altar estavam os meus pais, os meus - Pão de dois dias Põe-se a fazer o chá preto bem forte com canela
padrinhos de batismo Professora D. Irene e António Moita, seu - Ovos e casca de limão ou laranja. Sempre a ferver
Justina, o Delfim, o Amadeu do Anjos que veio do Safurdão
marido, o Engº Simões Crespo, foram meus assistentes o Cónego - Chá preto forte adoça-se com bastante açúcar. Corta-se o pão em
frequentar o quarto ano na nossa escola, o António Lucas, filho Dr. Manuel Nunes e o Pe. Joaquim Bernardino. Terminámos com - Açúcar fatias, ensopar nos ovos batidos e fritar. Cada
da senhora Maria Guiomar, que veio a falecer na guerra colonial. um almoço preparado pela grande cozinheira D. Maria - Canela e casca de limão ou laranja fatia dourada ao sair da frigideira, deve molhar-se
Outros haverá, mas dos quais já não me recordo. Genoveva, à sombra fechada dos muitos e frondosos dos dois lados, no chá a ferver. Reservam-se num
castanheiros que então cobriam grande parte do nosso quintal. prato de ir à mesa. No final verte-se a calda do
DIA20 - Nessa altura muitas tradições se viviam na nossa terra… Há ocasiões saborosas que só mais tarde compreendemos no chá por cima das fatias douradas. Deixa-se
É pena estarmos a perder a identidade !!!! seu alto significado. arrefecer e estão prontas a comer.
Pe. D. - Cada povo, em cada época, tem a sua vida própria,
Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018
JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

DE NÓS … PARA TI, MAESTRO LUIS MÁRIO…. À CONVERSA COM…


Aqui ficam as mensagens sentidas, da família Banda - Ao Maestro dedicado e compreensivo, obrigada. Obrigado pela DIA20 - A partir daí, nunca parou? Não se limitou a um mero ser limitado por ideologias totalitárias, como foi o caso. Nessa
Filarmónica de Pínzio, dirigida, durante 26 anos, pelo querido presença, obrigado pelas palavras de encorajamento. Obrigado pároco de uma paróquia…sempre em constante aprendizagem ocasião todas as portas se fecham porque o medo domina as
maestro Luís Mário pela paciência. Obrigado por nos ensinares a respeitar as e partilhando esses conhecimentos e saberes. vontades. Estive quase um ano suspenso de lecionar. Tive o
diferenças e dificuldades de cada um! Obrigado por teres Pe. D. - De facto nunca fui propriamente pároco. Como Vigário apoio de muitos amigos, inclusive o meu bispo, mas foi um
- Bem haja Luís Mário, és uma pessoa muito especial….já repetido tantas vezes que "o tempo bem organizado dá para Geral da diocese, coube-me acompanhar de perto a atividade de tempo difícil.
passámos muitas alegrias inesquecíveis … Obrigado por me tudo"! A ti Luís Mário, obrigada... Márcia Parada todos os párocos da diocese e até substituí-los quando
ajudares a ser a pessoa que sou hoje, e me teres dado a necessário. Desde o início os caminhos foram-se abrindo para o DIA20 – Foram muitos com certeza, mas relate-nos um ou mais
oportunidade de entrar na Banda de Pínzio, onde aprendi muitas - Foram muitos os momentos vividos em ambiente musical, exercício de atividades extra paroquiais, dentro e fora da minha momentos que possa dizer que foi ou foram momentos mais
coisas, além da música… são palavras sentidas do fundo do muitos dos quais me fizeram crescer enquanto músico e diocese, dentro e fora do país, relativas ao ensino e à formação altos…e que guardará para sempre.
coração… Grande abraço amigo. Joaquim Miguel enquanto pessoa sobretudo. Por isso deixo um grande de pessoas. Por estas circunstâncias, contactei com imensa Pe. D. - Momentos altos da minha vida foram vários e enuncio
OBRIGADO por estes anos de companheirismo filarmónico. gente, com muitas culturas e ideias. apenas alguns: os dias da minha ordenação sacerdotal e Missa
- Foram 6 anos que jamais irei esquecer… aprendi a tocar com Abraço! Ângelo Santos nova, o dia em que o meu bispo me propôs a realização de
amor. Foram cheios de brincadeira e chatices, mas com um DIA20 – Sei que não se dedicou apenas à igreja. Foi professor, estudos superiores em Paris, o termo das licenciaturas e
objetivo bem definido, fazer música! Cresci não só como músico -Um maestro como tu… Com alegria e dedicação… Um abraço do coordenador e orientador, escritor….. uma pessoa muito mestrado, porque me abriram os caminhos por onde havia de
mas como pessoa, aprendi a dar valor a tudo o que se passava de baterista… Bem do fundo do coração! Igor Pereira dinâmica. construir a minha vida para o serviço dos outros e da realização
mais simples a cada dia da banda. Um obrigado e até já, um Pe. D. - Sim, fui professor, mas nunca deixei de ser padre. Nas pessoal.
grande abraço. Miguel Morais - Luís Mário, obrigado!!! Obrigado não só por teres feito de mim escolas secundárias e sobretudo no ensino superior em diversas
um músico melhor, mas também por fazeres de mim um homem escolas onde exerci mais tempo, ministrei, com satisfação, áreas DIA20 - Sei que gosta de visitar outras culturas, outras terras….
- Amigos, uma família que o coração escolhe. Obrigada Luís melhor!! Um mega abraço do trombonista que de vez em da minha especialidade. Todavia, fui sempre solicitado para acha que passear é gastar dinheiro e ficar mais rico?
Mário, por me dares a oportunidade de sentir este sentimento quando te fazia a vida negra! Não era por mal, mas tu sabes bem orientar cursos, animar encontros, fazer conferências para Pe. D. - O equilíbrio está em não ir além daquilo que se pode e é
tão verdadeiro... Farás sempre parte desta grande família que tu que rebeldia é o meu nome do meio! Rodrigo Dinis padres, leigos comprometidos com a Igreja, catequistas de vários razoável. Mas conhecer outras culturas, ver o mundo na
próprio juntaste. Lúcia Barrancos níveis. Publiquei três livros para catequese de crianças e pluralidade da sua riqueza artística, proporcionado por
- Foi com o Luís Mário que aprendi as primeiras notas e escalas, adolescentes, escrevi para diversas revistas de especialidade. A atividades a realizar nesses locais ou em passeio cultural,
- Foram muitos os momentos que passámos juntos. A ti, Luís obrigado por tudo. Hugo Prata minha agenda estava sempre cheia de atividades solicitadas e enriquece a nossa vida e alarga o horizonte do conhecimento.
Mário só tenho que agradecer por todos os ensinamentos e por continua muito preenchida. Como é diferente ver o Perú e a sua gente e conviver com a
todos os valores que me foste transmitindo desde os meus 9 - Iniciou como maestro mas tornou-se acima de tudo uma cultua e a população da Índia!
aninhos. Obrigada pela pessoa especial que és. Ana Monteiro presença constante e importante na nossa vida dentro e fora da DIA20 - Dos grupos que dirigiu qual foi o que lhe deu mais gosto
- A vida é feita de caminhos que se cruzam e a nossa cruzou-se banda. Sofia Jorge …. Relembra algum episódio, que queira partilhar? DIA20 - O que poderia ser feito, para que a igreja chamasse
através de Música. Obrigada Luís Mário, pelo maestro, colega e Pe. D. - Nos primeiros anos de vida sacerdotal dediquei-me para si os paroquianos, tendo em conta a realidade que hoje o
amigo que és. Margarida Neves - Fazer grandes coisas é difícil, mas comandar grandes coisas é muito ao trabalho com jovens, nas aulas e fora delas. Um dia, um mundo atravessa
ainda mais difícil. Obrigada maestro por nos teres comandado jovem pediu-me para lhe dar as provas da existência de Deus. Na Pe. D. - Está a ser difícil ultrapassar o tempo em que muitos se
- Com estas poucas palavras quero agradecer tudo aquilo que tão bem, durante todos estes anos. Rita Lopes verdade, São Tomás de Aquilo, diz que podemos chegar a Deus batizam, fazem a 1ª comunhão, crismam, casam, dizem que têm
aprendi consigo, para além da música, aprendi também o através de provas racionais. Mas esse é um caminho que não cria a sua fé, mas que não têm a fé da Igreja. Isto é, ainda se vive uma
sentido de responsabilidade e companheirismo. Obrigada por - Um bom mestre é aquele que consegue conciliar o relações pessoais, é um processo pobre de chegar ao Deus da religião sociológica de muitos anos que em nada compromete as
tudo isto e muito mais. Beijinhos. Carolina Pina profissionalismo, com o valor humano. Foi bom ter entrado na razão. Preferi dizer-lhe que Deus não se prova. Deus pessoas com Deus. Nalguns grupos paroquiais e outros, ainda
banda sob a sua direção! Um abraço! Filipe Santos experimenta-se. Quem aceita fazer a experiência de Deus, poucos, já se começa a trabalhar para uma Igreja enraizada num
- Sei que as palavras se escrevem e apenas se leem... Mas o encontra-se com uma pessoa que nos enche a vida. Porém, digo intenso período de iniciação cristã em que os sacramentos
sentimento de gratidão permanece...se hoje sei duas ou três - Luís Mário o maestro com mais anos na banda de Pínzio, depois com prazer que toda a minha vida de professor, em particular no acontecem à medida que as pessoas estão profundamente
notas musicais devo-o a ti, e isso jamais poderei esquecer, só que foi reerguida… com o Luís Mário, cresceu a paixão que eu já ensino superior, me deu um gosto, uma alegria extraordinária. conscientes e empenhadas em crescer e viver na fé. Este
tenho para te dizer um grande, obrigado por tudo, pelos tinha pela música e pela banda… com ele, como maestro, tornei- processo será muito lento e não sem algum sofrimento por parte
ensinamentos pelo companheirismo por tudo. Forte e sentido me melhor saxofonista, pois diversas tardes tive o prazer de DIA20 - Muitos anos fora de Pínzio, a estudar a trabalhar, mas de quem precisa de romper com uma forma de ser cristão, que
abraço! Tiago Garcês aprender com ele, e ele teve a paciência de me ensinar… ao nunca perdeu as raízes e faz questão de vir frequentemente… pouco tem a ver com a Igreja de Jesus Cristo.
longo destes anos foi maestro, companheiro e acima de tudo Pe. D. - Sempre fomos uma família muito unida. Como é normal,
- Após esta jornada na nossa filarmónica, a sua presença ficará amigo, por tudo isto só tenho duas palavras a dizer: muito ela foi aumentando com as gerações mais novas, mas a morte DIA20 - Para terminar quer deixar um apelo, uma palavra de
para sempre na memória da nossa coletividade musical e social. obrigado…Marco Aragão dos meus pais e sobretudo a perda precoce das minhas duas esperança aos jovens da nossa terra, já que, como em qualquer
Desejo uma ótima continuação da sua carreira! Um abraço. irmãs e meu cunhado António, foi um corte doloroso que povoação, eles andam muito desviados das coisas de Deus.
Hélder Carreira - Luís, enquanto maestro da Banda de Pínzio (o maestro de todos marcou profundamente os laços da família. Mesmo assim, não Pe. D. - Os jovens gostam de quem se aproxima deles, aceitando-
nós) foste muito mais que um maestro, acompanhaste e deixámos de nos encontrar, embora a dispersão e o trabalho de os como são. A aldeia deveria, mais do que criticá-los, fornecer-
- Obrigada pelo trabalho realizado para manter esta família contribuíste não só para o crescimento musical de todos os cada um tornem difícil este desejo. A casa continua a ser a «casa lhes ocasiões de encontro pela arte, pela cultura, pelo lazer com
unida. Raquel Fonseca elementos mas, e muito mais importante, para muitos de nós, da família» e regressar a ela, gozar do seu conforto e memórias, valores e também pela participação ativa na vida da comunidade
deste o teu contributo para o desenvolvimento pessoal. Foste a é sempre reconfortante física e psicologicamente. cristã. É preciso proporcionar-lhes verdadeiras e aliciantes
- Obrigada por todos estes anos repletos de música onde me força que nos motivava a mais um ensaio, em noites geladas e a experiências de vida cristã. Também não basta reuni-los. É
ensinaste o verdadeiro valor da música! Inês Gomes acordar enquanto o sol ainda dormia. Durante 20 e muitos anos, DIA20 - Com mais de 50 de sacerdócio, qual foi o episódio que preciso que sintam quanto vale a pena aderir às propostas que
deste vida e energia a esta banda e, em fases mais difíceis foste teve mais dificuldade em ligar? lhe são feitas.
- 10 anos, 10 anos é o tempo que estou ligado ao mundo buscar força e motivação onde quase já não existia. Terminou Pe. D. - Talvez não devesse dizer isto, mas eu fui um dos vários
musical. Durante este tempo absorvi tudo aquilo que me um ciclo, mas o futuro só a Deus pertence! ...!Obrigada pelo padres que a dita PIDE perseguiu logo após o meu regresso de O jornal DIA20 agradece o tempo disponibilizado. Assim, os
ensinaram e tentei melhorar a cada dia, muita da evolução que trabalho que desenvolveste com todos nós e por teres Paris. Pela minha formação e pelo meu trabalho, tinha contactos leitores ficaram a conhecer um pouco dos muitos
vivi e que presenciei vendo outros deve-se a uma pessoa, Luís contribuído para levar o nome de Pínzio mais longe. Edite com muita gente de pensamento próprio. Não eram as suas conhecimentos a que se resume uma vida plena de êxitos.
Mário. Estou certo que um obrigado não chega, mas aqui fica Gonçalves ideologias que me interessavam, mas as próprias pessoas. A Desejamos que continue com toda essa vitalidade, por muitos
está palavra de agradecimento e admiração. Emanuel Brasil liberdade de pensamento é um bem inalienável, mas sujeito a anos.

Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018


JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

PARA LÁ DA FRONTEIRA… JUNTA DE FREGUESIA DE PÍNZIO

Colónia … Pínzio! E foi assim que me reformei cedo. Após um ano de mandato à frente dos destinos Estão diversos projectos em fase de execução, como: a
As filhas trabalhavam e quando me reformei fez-me falta o da Junta de Freguesia, faço um pequeno requalificação do largo da feira, projecto do jardim da Fonte
Maria Pires Monteiro é emigrante há 49 anos! contacto das pessoas, os horários, a azáfama do dia à dia e balanço do trabalho desenvolvido, relativo a Aldeia, projecto do jardim dos Trocheiros e já se encontra
O jornal DIA20 foi pedir que contasse um resolvi ficar com a minha neta, que me deu muito orgulho vê-la obras de maior relevo, que foram: executado o projecto de requalificação da fachada da sede da
pouco da sua história, desde que saiu de casa crescer. Assim poupámos a filha de maneira a não passar o que calcetamento em Pínzio da Travessa de St. Junta.
dos pais em Pínzio. nós passámos com elas, as dificuldades que tivemos quando elas André e na Rua da Escola Primária; Considero um ano positivo, pois estivemos em sintonia com as
eram pequenas e nós a trabalhar. Pavimentação e alcatroamento na rua ao fundo diversas associações, nas diversas parcerias que levámos a
Nasci em Pínzio em 1945. Cresci e vivi a minha juventude na das Cheiras, junto à casa do Sr. Valdemar; Acabamentos e efeito.
aldeia de Pínzio. Os meus irmãos todos rapazes, cresceram e Em tempos que já lá vão, era muito difícil ser-se emigrante e as alcatroamento do Largo de St.ª Barbara, seguindo-se a sua
saíram de casa dos pais, mais cedo ….para a tropa ou para irem saudades eram imensas, pois as notícias da família chegavam inauguração; Alcatroamento nos Trocheiros, junto à igreja e E como estamos em época natalícia, desejo em nome de toda a
trabalhar. Eu fiquei em casa a ajudar, pois tínhamos muita tarde, apenas cartas, ou telefonemas para o posto público, cemitério; Aquisição de património, com a compra de algumas equipa da junta de freguesia, um feliz Natal e um próspero ano
labuta. Trabalhei muito, mesmo a ceifar, que era um trabalho quando era mais urgente. Felizmente que agora comunicar é casas de habitação e outras; Desenvolvimentos na área social, 2019.
difícil. Apesar de muito trabalho, eu digo que tenho saudades da muito fácil, basta um clic e todos as novidades/noticias saúde e educação.
juventude. E eramos muito felizes, mesmo com muito pouco! aparecem, no preciso momento…é assim com os telemóveis e a
internet.
Casei em Janeiro de 1969. O meu marido era emigrante há cinco
anos, na Alemanha. Ele foi passado uns dias de casarmos, e eu, Vinha a Portugal todos os anos, à exceção de seis anos, devido à
fui ter com ele, em agosto desse ano, altura que ele conseguiu doença do meu marido. Foi uma doença de muito sofrimento
arranjar um alojamento para os dois. para ele. Eu e as minhas filhas sofríamos também muito por vê-lo
sofrer e não podermos ajudar… E já lá vão dois anos que o
Quando cheguei como não tinha trabalho, e como a língua era perdi… Enfim, Deus assim o quis! A vida prega-nos umas
difícil, pouco saía de casa. Foi complicado para mim, habituada a partidas… e quando pensamos que tudo está a correr bem, a
não estar parada, e ter que ficar em casa, era um problema. Por nossa vida leva uma grande volta.
isso arranjei trabalho num restaurante. E nessa altura, mudámos
de residência e fomos viver para um apartamento no prédio do Vim nesta altura a Pínzio, para celebrar um facto histórico, na
restaurante, porque era mais fácil eu dar apoio e ir trabalhar nossa aldeia ... Foi para mim uma felicidade, um orgulho enorme,
sempre que era necessário…. Eles gostavam muito de mim, e até uma emoção, podermos festejar com toda a família reunida, e
faziam questão de me darem sempre o almoço para o meu muitos amigos, a grande festa …o aniversário dos 100 anos da Joaquim Abel Ventura Martins, Presidente
marido levar. minha mãe, no dia 16 de outubro.
ASSOCIAÇÃO TERRAS DE SANTA BÁRBARA
Fiquei grávida e fazia pouco no restaurante, mas sempre que Já não peço para chegar aos anos da minha mãe, - um século -
possível ajudava. mas chegar ao fim da vida, com a cabeça dela era um bem! O associativismo - um dos pilares da Quiçá a mais penalizadora. Pensamos que a grande maioria dos
Em 1970 nasceu a filha Paula Cristina. Depois da menina nascer sociedade. associados não se sentem recompensados, perante a
fiquei doente e como não podia trabalhar no restaurante, Possivelmente, e o futuro não sabemos, mas as minhas filhas já comunidade que integram, porquanto consideram praticamente
achámos por bem irmos viver para outra casa. Depois de ficar por lá ficarão, devido ao trabalho (que aqui é muito difícil) e O associativismo relaciona-se com nulo o reconhecimento da sua intervenção e da sua contribuição.
bem de saúde, fui pedir emprego aos correios e iniciei em 1971. também às regalias que há, principalmente na assistência condições sociais e económicas tornando-
Em 1973 nasceu a filha Zita. Foi muito difícil com as duas médica. se, ao longo dos tempos, um elemento Hoje, impõe-se-nos referir a constatação de mudanças numa das
meninas, porque tanto eu, como o meu marido fazíamos turnos dinamizador das comunidades e um associações da nossa freguesia, a Associação Cultural de Pínzio.
e tínhamos que alternar os horários. A partir dos 3 anos Presentemente venho a Portugal com mais facilidade pois já não importante fator de transformação e inovação social. Como O LUIS MÁRIO (como entre amigos e família é chamado) músico
frequentaram a creche… mesmo assim era difícil porque a creche há horários e já não há stress. No entanto, estou sempre atenta alguém já referiu: “O associativismo é um dos pilares da da Banda desde criança e maestro nos últimos vinte anos deixa a
fechava às 16h…. O tempo passou e elas cresceram. Eu tenho às necessidades das minhas filhas e da minha neta, e sei que sociedade”. Banda. Tal como ele próprio referiu, não se trata de um adeus. O
que referir que é muito importante os bons vizinhos e eu fui também posso contar com o apoio delas. Integrar uma associação e nela participar é, sem dúvida, uma Luís vai andar por aí… mas as responsabilidades não serão as
privilegiada nisso. Todos me ajudaram. Foi assim que os forma de partilhar ideias e de dinamizar ações cívicas. As mesmas! A vida não lho permite.
problemas da língua foram ultrapassados mais facilmente. Gosta da Alemanha porque tenho lá a minha família (filhas e associações têm vindo a constituir, ao longo dos tempos, uma Ora, em abono da verdade, teremos de dizer que ele foi um
Tive uma vizinha que foi especial, como uma segunda avó. Estava neta) mas gosto de vir a Portugal, mais propriamente a Pínzio força social expressiva e muito valiosa, a nível social e exemplo de disponibilidade e de empenho associativo. A sua
sempre disponível para ajudar. Era uma pessoa em quem eu porque venho matar as saudades. Tenho a casa dos meus pais económico. ausência nunca poderia ser de ânimo leve e, por isso, lhe
confiava, e até tínhamos a chave de casa, uma da outra. remodelada, e é aqui que eu gosto de passar os dias de ”férias”, prestamos, publicamente, a nossa homenagem garantindo-lhe
na minha aldeia. No que respeita aos trabalhos desenvolvidos nas associações, que valeu a pena, que não foi perdido o tempo que dedicou à
Gostei muito de trabalhar nos correios … de 1971 até 1994, até estes assentam no contributo dos seus associados que intervêm intervenção na banda porque, assim, ele ajudou a transformar a
ficar reformada … eram pessoas espetaculares. Fui muito bem Maria Pires Monteiro, Colónia – Alemanha de forma gratuita, doando o seu tempo e conhecimento. Tal sua terra.
recebida e gostavam muito de mim e eu deles. Fiquei bastante contributo evidencia implicações a nível individual, pois
doente da coluna e quase não consegui trabalhar com as dores. pressupõe bastante disponibilidade do ponto de vista pessoal. Em jeito de conclusão, diremos, ainda, que a banda continuará
Nos correios foram tão simpáticos comigo, que até me O Jornal DIA20 agradece o tempo dispensado, para nos dar um certamente e reiteramos a ideia de que as associações também
aconselharam e ajudaram a pedir a reforma. testemunho, de que há gente que emigrou, mas não se esquece Assim, as associações revelam, muitas das vezes, bastantes precisam de novos conhecimentos, de somar entusiasmos,
da aldeia que os viu nascer. dificuldades em conseguir reter ou cooptar novos membros. Que enfim, de novas ideias.
motivos levarão à desmotivação, ao desinteresse ou à forma de
participação pouco ativa? A na nossa própria experiência leva- E, porque é época natalícia, um bom Natal para todos.
nos a apontar a falta de reconhecimento como a mais
importante das razões. Fernando Capelo, Associação Terras de Santa Bárbara

Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018


JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

ASSOCIAÇÃO DOS CAÇADORES DE PÍNZIO HISTÓRIAS INGLÓRIAS


Falar de quê?
Sentado para falar de caça! Chegados a Fevereiro de dois mil e dezanove passaremos do A igreja continua a abrir portas domingo sim domingo não. Da
Sentado à mesa para escrever (falar) de caça o javali à raposa e, assim, seguiremos como se cumpríssemos um Talvez referir, hoje, um sítio onde a escassez de capela só saem andores de dois em dois anos, nas festas de
que, de imediato, me vem à mente, nesta desígnio muito nosso. gente constrói silêncios ímpares. Porventura Santa Bárbara.
época natalícia, é a ideia de desejar boas festas revelar uma aldeia, de rua única, onde hortas
a toda a gente. Começo, então, por aproveitar Não esqueçamos, ainda os convívios que realizaremos em cada incultas são o desboque de travessas estreitas. Porém há imóveis que já não estão habitáveis. Alguns já se
o ensejo para desejar aos leitores um bom um dos dias de atividade. Cada uma destas repetidas jornadas Quiçá falar de um lugar bucólico que se expõe, entregam à natureza, com silvas a espreitar as janelas, árvores a
Natal e um próspero Ano Novo. constituirá, para nós, uma festa sempre nova. serenamente, à tarde fria. assombrar os telhados, tetos a cair, ervas a crescer nos interiores
Também não queria, hoje, perder a oportunidade de saudar o Eventualmente garantir que, neste pequeno burgo, existem dois e musgos a esverdear varandas formando um esplendido
Depois dizer que, nesta altura estamos em plena época de caça Luís Mário que deixou de ser o maestro da Banda. Daqui lhe pequenos bares aptos a aviar os sedentos de cerveja, os amantes declínio que embeleza e mata fazendo-nos sonhar com um
e, ainda, acrescentar que este ano não tem corrido mal. O facto enviamos um abraço associativo e lhe dizemos: aparece sempre de bom vinho caseiro ou os viciados em café. eventual milagre turístico/cultural.
de, repetidamente, percorrermos montes e vales é a nossa porque será sempre um enorme prazer.
condição. Não nos cansa, muito simplesmente, porque vamos Tem, de facto, pouca gente o dito povoado e a pouca que tem já Ainda brota água límpida e fresca do chafariz amodernado.
por gosto e não cansa quem corre por gosto ou por desporto. E termino, por hoje. Não se esqueçam de ser muito felizes nesta está envelhecida, mesmo fazendo lembrar laboriosas formigas a A Pega, a maior Ribeira deste pequeno mundo, segue entre
época de Natal. tratar de leiras, a podar fruteiras, a varejar oliveiras, a apanhar margens frescas e sombrias. Erguem-se, ao longo do seu leito,
Logo que finde este mês de Dezembro e entrando em Janeiro do castanhas, a amanhar talhões cismando em sementeiras. alguns moinhos em absoluto desuso quando não em ruinas.
próximo ano reduziremos as atividades a batidas de javalis. Manuel da Silva, Presidente
Viver por aqui pode não ser simples mas é despreocupado. Estes Hoje, nesta tarde parda de inverno, o pequeno povoado parece
UM DIA FILARMÓNICO são os sítios onde o decorrer dos séculos menos modernizou as entregar-se a monólogos não deixando de nos mostrar três dos
coisas e onde a vetustez é culpada do findar de cultivos e do seus habitantes de referência. Um deles, um gato, a desdobrar-
É Domingo, mas acordas cedo... Estás de férias, mas acordas epílogo da manutenção dos gados. Só já há resíduos dos muitos se em cautelas para se deslocar no cume afiado de um muro
mais cedo que nos dias de escola ou de trabalho… Todos os rebanhos que, por aqui, deambularam subindo e descendo granítico. Outro, um cão, branco, enorme e afável aproxima-se
outros dormem. São 6h, e à tua espera está uma farda e um montes. como se nos rogasse festas. Ainda o Ti Messias que nos abeira no
estojo. intuito de se dar a conversas.
Ficou a vigia dos cães e o miar dos gatos. Sobram, ainda, escassas
Em poucos minutos já estás à porta de casa, fardado e com o Galinhas e alguns burros, entretanto, promovidos a animais de Falar, então, de quê, hoje, senão deste povo e desta aldeia de
estojo ao ombro. Chega a boleia. companhia. As lebres, perdizes e coelhos, outrora tão acossados, Cheiras, campesina de nascença, inserida no concelho de Pinhel
És embalado pelo motor. Os óculos de sol disfarçam as olheiras, já vão gozando de assaz tranquilidade. Do património onde é sulista por condição.
ouves uma ou outra conversa. Ainda é muito cedo. Não há construído, restam algumas casas mais recentes e alguns
grande coisa a dizer. austeros e antigos edifícios mas sobressaem a igreja e a capela. Fernando Pereira Capelo

O autocarro abranda. Lá fora, vultos de fato, visivelmente pouco


habituados à indumentária. Crachá ao peito. São os festeiros. O NÓS, OS MAIS PEQUENOS
autocarro pára: “Pessoal, montem os instrumentos que a Não te dói nada, ou melhor, dói, mas o emblema que tens na
entrada é aqui. Vamos em casaco, porque ainda está fresco.” lapela fala mais alto. Agora é que vai começar. O jardim de infância na comunidade Educativa
“Está fresco, o caraças! Vamos andar quilómetros e a meio da Neste ano letivo temos uma mão cheia de atividades, das quais
primeira marcha já estou todo suado…” Meia dúzia de pessoas já se perfila em frente ao palco (quando Os pequeninos no mundo… algumas já foram realizadas este período em conjunto com a EB1
não é no meio de uma rua sentados em bancos de igreja, ou de de Pínzio, tais como: o Dia Mundial da Alimentação, o Magusto e
“Afinal vamos de camisa, porque a volta ainda vai ser grande…” pé e as partituras a voarem com o vento) para o concerto. Mais um ano chegou e com ele as crianças. Saídas/visitas.
É demasiado cedo, mas o instrumento já está montado, o chapéu
na cabeça. As marchas? Chega o final do dia “A marcha vai ser o “Manuel Joaquim de Para que a alegria permaneça numa aldeia é imprescindível que As restantes atividades realizar-se-ão ao longo do ano letivo, tais
“Nunca encontro o raio das partituras.” Almeida”. E mais uma festa termina com sucesso. haja gargalhadas, sorrisos e boa disposição dos mais pequenos. como: as Janeiras, a Feira da tradições, Marchas populares entre
outras.
“Vamos formar!” e, quando te apercebes, já estás a dar a volta à Chega a hora de atirar o instrumento para a mala do autocarro.
capelinha. As pessoas alinham-se solenemente em frente à porta Nos primeiros minutos da viagem, ainda acontece a descarga da Neste ano letivo o tema do pré-escolar é “De Mãos Dadas com o
da "igreja". Nota-se ansiedade, de ver a banda tocar. adrenalina. Cânticos mais ou menos obscenos, gargalhadas, a Mundo na Biodiversidade” e as atividades vão ao encontro com
Cumpridas as cortesias filarmónicas vem o trabalho a sério. praxe aos putos mais novos. o tema.
Arruada pela manhã e a procissão na hora de maior calor
12:00H. Aos poucos tudo adormece e, como por magia, dás por ti de Neste contexto as crianças são felizes pois as saídas ao exterior
novo na tua cama, a farda no chão e o estojo à espera de nova podem apreciar os recantos descobrindo e brincando no tapete
O tempo passa até à hora de almoço. O sol já esquenta e jornada filarmónica. de folhas escurecidas pelo sol de outono.
aproveitas para aliviar a gravata. Juntas a malta porreira e
procuras um tasco. A cerveja adorna as mesas, repletas de Com tudo isto é um enorme orgulho pertencer a esta grande Também neste período tivemos o privilégio de comemorar o
sorrisos, anedotas, e graçolas. família filarmónica e já lá vão 11 anos …Já toquei clarinete e centenário da D, Laura, uma senhora que visitámos no Lar da
neste momento sou saxofonista há 5 anos! Parabéns a nós Mensagem de Fátima de Pínzio.
A cortesia filarmónica continua. Tu pagas uma rodada, alguém te todos… 130 anos De mãos dadas vamos festejar o Natal que já está a chegar!
paga a ti.

Mas quando chega o momento, o maestro levanta os braços e Lúcia Barrancos, saxofonista da B. F. Pínzio As educadoras: Teresa Vaz e Céu Abadesso
sentes que está na hora de dar tudo por tudo.
Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018
JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

O NOSSO ESPAÇO O NOSSO ESPAÇO

A NOSSA CARRINHA NOVA


UNIVERSIDADE SÉNIOR Finalmente temos uma carrinha “nova”!
Iniciaram a aulas no nosso Pólo da Universidade Sénior de Pinhel, Meses a fio à espera de uma boa oportunidade (e foram
este ano com caras novas. A primeira, é a coordenadora deste aparecendo algumas) mas a melhor somente surgiu em Outubro.
projecto, uma conterrânea nossa que tem por nome Anabela Dizemos a melhor porque a carrinha está bem estimada, tem
Fortunato. Aceitou o desafio e está a desempenhar um excelente poucos quilómetros, nunca teve nenhum acidente nem incidente,
trabalho. Novos alunos, novos ensinamentos e, acima de tudo, o preço foi bom (abaixo do valor de mercado) e porque tínhamos
novas partilhas de conhecimento. Depois de passado este primeiro dinheiro suficiente para a pagar.
rigor invernal, mais alunos se juntarão aos já muitos, novas aulas A carrinha é uma OPEL, VIVARO, de 9 lugares, com portas traseiras
surgirão e com professores novos. laterais de ambos os lados, de 2009, com 170.000Km, com ar
Para além da Anabela, também contamos com a Dina Lopes, nos condicionado, branca, bonita, estimada….
ensinamentos de Informática. Fica prometido uma entrevista à
Anabela e Dina para a próxima edição deste Jornal. Era um objectivo desta Direcção há já alguns anos e, apesar de já
terem surgido algumas oportunidades, nunca nos quisemos
precipitar e ficámos à espera da “tal” oportunidade. Agora,
EXCURSÃO A FÁTIMA precisamos de sorte com ela.
14 DE OUTUBRO DE 2018
Já há muito tempo que não íamos a Fátima, e este ano, lá calhou! E ela já tem servido!
Como já vem sendo hábito, as inscrições esgotam enquanto o Para além das aulas de hidroginástica à quinta-feira no Hotel
“diabo” esfrega o olho! Lusitânia na Guarda, tem sido usada como apoio à Universidade.
Para além de termos assistido à missa matinal no recinto (e muito
bem composto que estava, tendo em conta que no dia anterior Mas esta carrinha não é só para nós!
tinha sido 13 de Outubro) almoçámos num excelente restaurante Ela está disponível para atender a necessidades das diversas
em Fátima, onde não faltou de nada. À tarde visitámos as grutas instituições e movimentos cívicos da aldeia, desde que não seja
de Mire de Aire que foi, para muitos, a primeira vez. De facto um para interesses privados.
monumento nacional a não perder. Mais uma excelente
organização a que esta Direcção nos tem vindo a habituar ao longo Publicamente, queremos reforçar a sua total disponibilidade para
dos últimos anos. a Banda Filarmónica, sempre que a necessite para as suas saídas.
Aliás, nunca é demais referir que a Associação Cultural, nos cedeu
gratuitamente, durante pelo menos 3 anos, a carrinha Nissan
MAGUSTO 2018 deles, que muito nos honrou e jeito deu.
11 de NOVEMBRO de 2018
Mais um magusto e uma tarde bem passada no Pavilhão de Pínzio, Portanto, uma vez mais o nosso muito obrigado!
onde não podia faltar a castanha, pois claro! Sopa de castanha, Chegou a nossa hora de retribuir!
carne assada com castanhas e sobremesas fizeram parte do menu
do almoço. Durante a tarde, castanhas assadas (e muito mais) para
o lanche. Este ano o S. Pedro não foi nosso amigo. O sol não
apareceu e a chuva teimou em não parar. Não sendo possível
assar as castanhas de modo tradicional, recorremos ao forno da RECORDANDO BONS MOMENTOS
padaria. E estavam bem boas Para o ano há mais!
PS: Faltou dizer que também houve vinho e jeropiga da terra e por Caminhada de 2013….Nem a chuva nos fez parar … e sempre com muitos participantes…
sinal, muito boa (de fazer inveja a muitos vinhos do Porto).

COMUNICAÇÃO
Todos os sócios da ADAP têm vindo a receber mensagem no
telemóvel (sms) pelo menos à 3 anos. Estas mensagens visam
manter os sócios informados acerca das actividades da Associação,
mas também das reuniões de Assembleia. O remente aparece
como “adapPinzio”. É sócio e não recebe sms? Certamente não
temos o seu nº de telemóvel nos nossos registos. Faça-nos chegar
a informação e vai ver que não nos esquecemos de si.
Também a partir do próximo ano, ou seja em 2019, as referências
multibanco para pagamento das quotas, irão ser enviadas por sms.
A carta com os dados para pagamento continuará a existir para os
que a solicitarem ou para os que não temos registo do nº de
telemóvel. Tudo modernices, mas que inevitavelmente temos de
acompanhar sob pena de ficarmos irremediavelmente “obsoletos”

Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018


JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

O NOSSO ESPAÇO O NOSSO ESPAÇO

A NOSSA CARRINHA NOVA


UNIVERSIDADE SÉNIOR Finalmente temos uma carrinha “nova”!
Iniciaram a aulas no nosso Pólo da Universidade Sénior de Pinhel, Meses a fio à espera de uma boa oportunidade (e foram
este ano com caras novas. A primeira, é a coordenadora deste aparecendo algumas) mas a melhor somente surgiu em Outubro.
projecto, uma conterrânea nossa que tem por nome Anabela Dizemos a melhor porque a carrinha está bem estimada, tem
Fortunato. Aceitou o desafio e está a desempenhar um excelente poucos quilómetros, nunca teve nenhum acidente nem incidente,
trabalho. Novos alunos, novos ensinamentos e, acima de tudo, o preço foi bom (abaixo do valor de mercado) e porque tínhamos
novas partilhas de conhecimento. Depois de passado este primeiro dinheiro suficiente para a pagar.
rigor invernal, mais alunos se juntarão aos já muitos, novas aulas A carrinha é uma OPEL, VIVARO, de 9 lugares, com portas traseiras
surgirão e com professores novos. laterais de ambos os lados, de 2009, com 170.000Km, com ar
Para além da Anabela, também contamos com a Dina Lopes, nos condicionado, branca, bonita, estimada….
ensinamentos de Informática. Fica prometido uma entrevista à
Anabela e Dina para a próxima edição deste Jornal. Era um objectivo desta Direcção há já alguns anos e, apesar de já
terem surgido algumas oportunidades, nunca nos quisemos
precipitar e ficámos à espera da “tal” oportunidade. Agora,
EXCURSÃO A FÁTIMA precisamos de sorte com ela.
14 DE OUTUBRO DE 2018
Já há muito tempo que não íamos a Fátima, e este ano, lá calhou! E ela já tem servido!
Como já vem sendo hábito, as inscrições esgotam enquanto o Para além das aulas de hidroginástica à quinta-feira no Hotel
“diabo” esfrega o olho! Lusitânia na Guarda, tem sido usada como apoio à Universidade.
Para além de termos assistido à missa matinal no recinto (e muito
bem composto que estava, tendo em conta que no dia anterior Mas esta carrinha não é só para nós!
tinha sido 13 de Outubro) almoçámos num excelente restaurante Ela está disponível para atender a necessidades das diversas
em Fátima, onde não faltou de nada. À tarde visitámos as grutas instituições e movimentos cívicos da aldeia, desde que não seja
de Mire de Aire que foi, para muitos, a primeira vez. De facto um para interesses privados.
monumento nacional a não perder. Mais uma excelente
organização a que esta Direcção nos tem vindo a habituar ao longo Publicamente, queremos reforçar a sua total disponibilidade para
dos últimos anos. a Banda Filarmónica, sempre que a necessite para as suas saídas.
Aliás, nunca é demais referir que a Associação Cultural, nos cedeu
gratuitamente, durante pelo menos 3 anos, a carrinha Nissan
MAGUSTO 2018 deles, que muito nos honrou e jeito deu.
11 de NOVEMBRO de 2018
Mais um magusto e uma tarde bem passada no Pavilhão de Pínzio, Portanto, uma vez mais o nosso muito obrigado!
onde não podia faltar a castanha, pois claro! Sopa de castanha, Chegou a nossa hora de retribuir!
carne assada com castanhas e sobremesas fizeram parte do menu
do almoço. Durante a tarde, castanhas assadas (e muito mais) para
o lanche. Este ano o S. Pedro não foi nosso amigo. O sol não
apareceu e a chuva teimou em não parar. Não sendo possível
assar as castanhas de modo tradicional, recorremos ao forno da RECORDANDO BONS MOMENTOS
padaria. E estavam bem boas Para o ano há mais!
PS: Faltou dizer que também houve vinho e jeropiga da terra e por Caminhada de 2013….Nem a chuva nos fez parar … e sempre com muitos participantes…
sinal, muito boa (de fazer inveja a muitos vinhos do Porto).

COMUNICAÇÃO
Todos os sócios da ADAP têm vindo a receber mensagem no
telemóvel (sms) pelo menos à 3 anos. Estas mensagens visam
manter os sócios informados acerca das actividades da Associação,
mas também das reuniões de Assembleia. O remente aparece
como “adapPinzio”. É sócio e não recebe sms? Certamente não
temos o seu nº de telemóvel nos nossos registos. Faça-nos chegar
a informação e vai ver que não nos esquecemos de si.
Também a partir do próximo ano, ou seja em 2019, as referências
multibanco para pagamento das quotas, irão ser enviadas por sms.
A carta com os dados para pagamento continuará a existir para os
que a solicitarem ou para os que não temos registo do nº de
telemóvel. Tudo modernices, mas que inevitavelmente temos de
acompanhar sob pena de ficarmos irremediavelmente “obsoletos”

Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018


JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

ASSOCIAÇÃO DOS CAÇADORES DE PÍNZIO HISTÓRIAS INGLÓRIAS


Falar de quê?
Sentado para falar de caça! Chegados a Fevereiro de dois mil e dezanove passaremos do A igreja continua a abrir portas domingo sim domingo não. Da
Sentado à mesa para escrever (falar) de caça o javali à raposa e, assim, seguiremos como se cumpríssemos um Talvez referir, hoje, um sítio onde a escassez de capela só saem andores de dois em dois anos, nas festas de
que, de imediato, me vem à mente, nesta desígnio muito nosso. gente constrói silêncios ímpares. Porventura Santa Bárbara.
época natalícia, é a ideia de desejar boas festas revelar uma aldeia, de rua única, onde hortas
a toda a gente. Começo, então, por aproveitar Não esqueçamos, ainda os convívios que realizaremos em cada incultas são o desboque de travessas estreitas. Porém há imóveis que já não estão habitáveis. Alguns já se
o ensejo para desejar aos leitores um bom um dos dias de atividade. Cada uma destas repetidas jornadas Quiçá falar de um lugar bucólico que se expõe, entregam à natureza, com silvas a espreitar as janelas, árvores a
Natal e um próspero Ano Novo. constituirá, para nós, uma festa sempre nova. serenamente, à tarde fria. assombrar os telhados, tetos a cair, ervas a crescer nos interiores
Também não queria, hoje, perder a oportunidade de saudar o Eventualmente garantir que, neste pequeno burgo, existem dois e musgos a esverdear varandas formando um esplendido
Depois dizer que, nesta altura estamos em plena época de caça Luís Mário que deixou de ser o maestro da Banda. Daqui lhe pequenos bares aptos a aviar os sedentos de cerveja, os amantes declínio que embeleza e mata fazendo-nos sonhar com um
e, ainda, acrescentar que este ano não tem corrido mal. O facto enviamos um abraço associativo e lhe dizemos: aparece sempre de bom vinho caseiro ou os viciados em café. eventual milagre turístico/cultural.
de, repetidamente, percorrermos montes e vales é a nossa porque será sempre um enorme prazer.
condição. Não nos cansa, muito simplesmente, porque vamos Tem, de facto, pouca gente o dito povoado e a pouca que tem já Ainda brota água límpida e fresca do chafariz amodernado.
por gosto e não cansa quem corre por gosto ou por desporto. E termino, por hoje. Não se esqueçam de ser muito felizes nesta está envelhecida, mesmo fazendo lembrar laboriosas formigas a A Pega, a maior Ribeira deste pequeno mundo, segue entre
época de Natal. tratar de leiras, a podar fruteiras, a varejar oliveiras, a apanhar margens frescas e sombrias. Erguem-se, ao longo do seu leito,
Logo que finde este mês de Dezembro e entrando em Janeiro do castanhas, a amanhar talhões cismando em sementeiras. alguns moinhos em absoluto desuso quando não em ruinas.
próximo ano reduziremos as atividades a batidas de javalis. Manuel da Silva, Presidente
Viver por aqui pode não ser simples mas é despreocupado. Estes Hoje, nesta tarde parda de inverno, o pequeno povoado parece
UM DIA FILARMÓNICO são os sítios onde o decorrer dos séculos menos modernizou as entregar-se a monólogos não deixando de nos mostrar três dos
coisas e onde a vetustez é culpada do findar de cultivos e do seus habitantes de referência. Um deles, um gato, a desdobrar-
É Domingo, mas acordas cedo... Estás de férias, mas acordas epílogo da manutenção dos gados. Só já há resíduos dos muitos se em cautelas para se deslocar no cume afiado de um muro
mais cedo que nos dias de escola ou de trabalho… Todos os rebanhos que, por aqui, deambularam subindo e descendo granítico. Outro, um cão, branco, enorme e afável aproxima-se
outros dormem. São 6h, e à tua espera está uma farda e um montes. como se nos rogasse festas. Ainda o Ti Messias que nos abeira no
estojo. intuito de se dar a conversas.
Ficou a vigia dos cães e o miar dos gatos. Sobram, ainda, escassas
Em poucos minutos já estás à porta de casa, fardado e com o Galinhas e alguns burros, entretanto, promovidos a animais de Falar, então, de quê, hoje, senão deste povo e desta aldeia de
estojo ao ombro. Chega a boleia. companhia. As lebres, perdizes e coelhos, outrora tão acossados, Cheiras, campesina de nascença, inserida no concelho de Pinhel
És embalado pelo motor. Os óculos de sol disfarçam as olheiras, já vão gozando de assaz tranquilidade. Do património onde é sulista por condição.
ouves uma ou outra conversa. Ainda é muito cedo. Não há construído, restam algumas casas mais recentes e alguns
grande coisa a dizer. austeros e antigos edifícios mas sobressaem a igreja e a capela. Fernando Pereira Capelo

O autocarro abranda. Lá fora, vultos de fato, visivelmente pouco


habituados à indumentária. Crachá ao peito. São os festeiros. O NÓS, OS MAIS PEQUENOS
autocarro pára: “Pessoal, montem os instrumentos que a Não te dói nada, ou melhor, dói, mas o emblema que tens na
entrada é aqui. Vamos em casaco, porque ainda está fresco.” lapela fala mais alto. Agora é que vai começar. O jardim de infância na comunidade Educativa
“Está fresco, o caraças! Vamos andar quilómetros e a meio da Neste ano letivo temos uma mão cheia de atividades, das quais
primeira marcha já estou todo suado…” Meia dúzia de pessoas já se perfila em frente ao palco (quando Os pequeninos no mundo… algumas já foram realizadas este período em conjunto com a EB1
não é no meio de uma rua sentados em bancos de igreja, ou de de Pínzio, tais como: o Dia Mundial da Alimentação, o Magusto e
“Afinal vamos de camisa, porque a volta ainda vai ser grande…” pé e as partituras a voarem com o vento) para o concerto. Mais um ano chegou e com ele as crianças. Saídas/visitas.
É demasiado cedo, mas o instrumento já está montado, o chapéu
na cabeça. As marchas? Chega o final do dia “A marcha vai ser o “Manuel Joaquim de Para que a alegria permaneça numa aldeia é imprescindível que As restantes atividades realizar-se-ão ao longo do ano letivo, tais
“Nunca encontro o raio das partituras.” Almeida”. E mais uma festa termina com sucesso. haja gargalhadas, sorrisos e boa disposição dos mais pequenos. como: as Janeiras, a Feira da tradições, Marchas populares entre
outras.
“Vamos formar!” e, quando te apercebes, já estás a dar a volta à Chega a hora de atirar o instrumento para a mala do autocarro.
capelinha. As pessoas alinham-se solenemente em frente à porta Nos primeiros minutos da viagem, ainda acontece a descarga da Neste ano letivo o tema do pré-escolar é “De Mãos Dadas com o
da "igreja". Nota-se ansiedade, de ver a banda tocar. adrenalina. Cânticos mais ou menos obscenos, gargalhadas, a Mundo na Biodiversidade” e as atividades vão ao encontro com
Cumpridas as cortesias filarmónicas vem o trabalho a sério. praxe aos putos mais novos. o tema.
Arruada pela manhã e a procissão na hora de maior calor
12:00H. Aos poucos tudo adormece e, como por magia, dás por ti de Neste contexto as crianças são felizes pois as saídas ao exterior
novo na tua cama, a farda no chão e o estojo à espera de nova podem apreciar os recantos descobrindo e brincando no tapete
O tempo passa até à hora de almoço. O sol já esquenta e jornada filarmónica. de folhas escurecidas pelo sol de outono.
aproveitas para aliviar a gravata. Juntas a malta porreira e
procuras um tasco. A cerveja adorna as mesas, repletas de Com tudo isto é um enorme orgulho pertencer a esta grande Também neste período tivemos o privilégio de comemorar o
sorrisos, anedotas, e graçolas. família filarmónica e já lá vão 11 anos …Já toquei clarinete e centenário da D, Laura, uma senhora que visitámos no Lar da
neste momento sou saxofonista há 5 anos! Parabéns a nós Mensagem de Fátima de Pínzio.
A cortesia filarmónica continua. Tu pagas uma rodada, alguém te todos… 130 anos De mãos dadas vamos festejar o Natal que já está a chegar!
paga a ti.

Mas quando chega o momento, o maestro levanta os braços e Lúcia Barrancos, saxofonista da B. F. Pínzio As educadoras: Teresa Vaz e Céu Abadesso
sentes que está na hora de dar tudo por tudo.
Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018
JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

PARA LÁ DA FRONTEIRA… JUNTA DE FREGUESIA DE PÍNZIO

Colónia … Pínzio! E foi assim que me reformei cedo. Após um ano de mandato à frente dos destinos Estão diversos projectos em fase de execução, como: a
As filhas trabalhavam e quando me reformei fez-me falta o da Junta de Freguesia, faço um pequeno requalificação do largo da feira, projecto do jardim da Fonte
Maria Pires Monteiro é emigrante há 49 anos! contacto das pessoas, os horários, a azáfama do dia à dia e balanço do trabalho desenvolvido, relativo a Aldeia, projecto do jardim dos Trocheiros e já se encontra
O jornal DIA20 foi pedir que contasse um resolvi ficar com a minha neta, que me deu muito orgulho vê-la obras de maior relevo, que foram: executado o projecto de requalificação da fachada da sede da
pouco da sua história, desde que saiu de casa crescer. Assim poupámos a filha de maneira a não passar o que calcetamento em Pínzio da Travessa de St. Junta.
dos pais em Pínzio. nós passámos com elas, as dificuldades que tivemos quando elas André e na Rua da Escola Primária; Considero um ano positivo, pois estivemos em sintonia com as
eram pequenas e nós a trabalhar. Pavimentação e alcatroamento na rua ao fundo diversas associações, nas diversas parcerias que levámos a
Nasci em Pínzio em 1945. Cresci e vivi a minha juventude na das Cheiras, junto à casa do Sr. Valdemar; Acabamentos e efeito.
aldeia de Pínzio. Os meus irmãos todos rapazes, cresceram e Em tempos que já lá vão, era muito difícil ser-se emigrante e as alcatroamento do Largo de St.ª Barbara, seguindo-se a sua
saíram de casa dos pais, mais cedo ….para a tropa ou para irem saudades eram imensas, pois as notícias da família chegavam inauguração; Alcatroamento nos Trocheiros, junto à igreja e E como estamos em época natalícia, desejo em nome de toda a
trabalhar. Eu fiquei em casa a ajudar, pois tínhamos muita tarde, apenas cartas, ou telefonemas para o posto público, cemitério; Aquisição de património, com a compra de algumas equipa da junta de freguesia, um feliz Natal e um próspero ano
labuta. Trabalhei muito, mesmo a ceifar, que era um trabalho quando era mais urgente. Felizmente que agora comunicar é casas de habitação e outras; Desenvolvimentos na área social, 2019.
difícil. Apesar de muito trabalho, eu digo que tenho saudades da muito fácil, basta um clic e todos as novidades/noticias saúde e educação.
juventude. E eramos muito felizes, mesmo com muito pouco! aparecem, no preciso momento…é assim com os telemóveis e a
internet.
Casei em Janeiro de 1969. O meu marido era emigrante há cinco
anos, na Alemanha. Ele foi passado uns dias de casarmos, e eu, Vinha a Portugal todos os anos, à exceção de seis anos, devido à
fui ter com ele, em agosto desse ano, altura que ele conseguiu doença do meu marido. Foi uma doença de muito sofrimento
arranjar um alojamento para os dois. para ele. Eu e as minhas filhas sofríamos também muito por vê-lo
sofrer e não podermos ajudar… E já lá vão dois anos que o
Quando cheguei como não tinha trabalho, e como a língua era perdi… Enfim, Deus assim o quis! A vida prega-nos umas
difícil, pouco saía de casa. Foi complicado para mim, habituada a partidas… e quando pensamos que tudo está a correr bem, a
não estar parada, e ter que ficar em casa, era um problema. Por nossa vida leva uma grande volta.
isso arranjei trabalho num restaurante. E nessa altura, mudámos
de residência e fomos viver para um apartamento no prédio do Vim nesta altura a Pínzio, para celebrar um facto histórico, na
restaurante, porque era mais fácil eu dar apoio e ir trabalhar nossa aldeia ... Foi para mim uma felicidade, um orgulho enorme,
sempre que era necessário…. Eles gostavam muito de mim, e até uma emoção, podermos festejar com toda a família reunida, e
faziam questão de me darem sempre o almoço para o meu muitos amigos, a grande festa …o aniversário dos 100 anos da Joaquim Abel Ventura Martins, Presidente
marido levar. minha mãe, no dia 16 de outubro.
ASSOCIAÇÃO TERRAS DE SANTA BÁRBARA
Fiquei grávida e fazia pouco no restaurante, mas sempre que Já não peço para chegar aos anos da minha mãe, - um século -
possível ajudava. mas chegar ao fim da vida, com a cabeça dela era um bem! O associativismo - um dos pilares da Quiçá a mais penalizadora. Pensamos que a grande maioria dos
Em 1970 nasceu a filha Paula Cristina. Depois da menina nascer sociedade. associados não se sentem recompensados, perante a
fiquei doente e como não podia trabalhar no restaurante, Possivelmente, e o futuro não sabemos, mas as minhas filhas já comunidade que integram, porquanto consideram praticamente
achámos por bem irmos viver para outra casa. Depois de ficar por lá ficarão, devido ao trabalho (que aqui é muito difícil) e O associativismo relaciona-se com nulo o reconhecimento da sua intervenção e da sua contribuição.
bem de saúde, fui pedir emprego aos correios e iniciei em 1971. também às regalias que há, principalmente na assistência condições sociais e económicas tornando-
Em 1973 nasceu a filha Zita. Foi muito difícil com as duas médica. se, ao longo dos tempos, um elemento Hoje, impõe-se-nos referir a constatação de mudanças numa das
meninas, porque tanto eu, como o meu marido fazíamos turnos dinamizador das comunidades e um associações da nossa freguesia, a Associação Cultural de Pínzio.
e tínhamos que alternar os horários. A partir dos 3 anos Presentemente venho a Portugal com mais facilidade pois já não importante fator de transformação e inovação social. Como O LUIS MÁRIO (como entre amigos e família é chamado) músico
frequentaram a creche… mesmo assim era difícil porque a creche há horários e já não há stress. No entanto, estou sempre atenta alguém já referiu: “O associativismo é um dos pilares da da Banda desde criança e maestro nos últimos vinte anos deixa a
fechava às 16h…. O tempo passou e elas cresceram. Eu tenho às necessidades das minhas filhas e da minha neta, e sei que sociedade”. Banda. Tal como ele próprio referiu, não se trata de um adeus. O
que referir que é muito importante os bons vizinhos e eu fui também posso contar com o apoio delas. Integrar uma associação e nela participar é, sem dúvida, uma Luís vai andar por aí… mas as responsabilidades não serão as
privilegiada nisso. Todos me ajudaram. Foi assim que os forma de partilhar ideias e de dinamizar ações cívicas. As mesmas! A vida não lho permite.
problemas da língua foram ultrapassados mais facilmente. Gosta da Alemanha porque tenho lá a minha família (filhas e associações têm vindo a constituir, ao longo dos tempos, uma Ora, em abono da verdade, teremos de dizer que ele foi um
Tive uma vizinha que foi especial, como uma segunda avó. Estava neta) mas gosto de vir a Portugal, mais propriamente a Pínzio força social expressiva e muito valiosa, a nível social e exemplo de disponibilidade e de empenho associativo. A sua
sempre disponível para ajudar. Era uma pessoa em quem eu porque venho matar as saudades. Tenho a casa dos meus pais económico. ausência nunca poderia ser de ânimo leve e, por isso, lhe
confiava, e até tínhamos a chave de casa, uma da outra. remodelada, e é aqui que eu gosto de passar os dias de ”férias”, prestamos, publicamente, a nossa homenagem garantindo-lhe
na minha aldeia. No que respeita aos trabalhos desenvolvidos nas associações, que valeu a pena, que não foi perdido o tempo que dedicou à
Gostei muito de trabalhar nos correios … de 1971 até 1994, até estes assentam no contributo dos seus associados que intervêm intervenção na banda porque, assim, ele ajudou a transformar a
ficar reformada … eram pessoas espetaculares. Fui muito bem Maria Pires Monteiro, Colónia – Alemanha de forma gratuita, doando o seu tempo e conhecimento. Tal sua terra.
recebida e gostavam muito de mim e eu deles. Fiquei bastante contributo evidencia implicações a nível individual, pois
doente da coluna e quase não consegui trabalhar com as dores. pressupõe bastante disponibilidade do ponto de vista pessoal. Em jeito de conclusão, diremos, ainda, que a banda continuará
Nos correios foram tão simpáticos comigo, que até me O Jornal DIA20 agradece o tempo dispensado, para nos dar um certamente e reiteramos a ideia de que as associações também
aconselharam e ajudaram a pedir a reforma. testemunho, de que há gente que emigrou, mas não se esquece Assim, as associações revelam, muitas das vezes, bastantes precisam de novos conhecimentos, de somar entusiasmos,
da aldeia que os viu nascer. dificuldades em conseguir reter ou cooptar novos membros. Que enfim, de novas ideias.
motivos levarão à desmotivação, ao desinteresse ou à forma de
participação pouco ativa? A na nossa própria experiência leva- E, porque é época natalícia, um bom Natal para todos.
nos a apontar a falta de reconhecimento como a mais
importante das razões. Fernando Capelo, Associação Terras de Santa Bárbara

Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018


JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

DE NÓS … PARA TI, MAESTRO LUIS MÁRIO…. À CONVERSA COM…


Aqui ficam as mensagens sentidas, da família Banda - Ao Maestro dedicado e compreensivo, obrigada. Obrigado pela DIA20 - A partir daí, nunca parou? Não se limitou a um mero ser limitado por ideologias totalitárias, como foi o caso. Nessa
Filarmónica de Pínzio, dirigida, durante 26 anos, pelo querido presença, obrigado pelas palavras de encorajamento. Obrigado pároco de uma paróquia…sempre em constante aprendizagem ocasião todas as portas se fecham porque o medo domina as
maestro Luís Mário pela paciência. Obrigado por nos ensinares a respeitar as e partilhando esses conhecimentos e saberes. vontades. Estive quase um ano suspenso de lecionar. Tive o
diferenças e dificuldades de cada um! Obrigado por teres Pe. D. - De facto nunca fui propriamente pároco. Como Vigário apoio de muitos amigos, inclusive o meu bispo, mas foi um
- Bem haja Luís Mário, és uma pessoa muito especial….já repetido tantas vezes que "o tempo bem organizado dá para Geral da diocese, coube-me acompanhar de perto a atividade de tempo difícil.
passámos muitas alegrias inesquecíveis … Obrigado por me tudo"! A ti Luís Mário, obrigada... Márcia Parada todos os párocos da diocese e até substituí-los quando
ajudares a ser a pessoa que sou hoje, e me teres dado a necessário. Desde o início os caminhos foram-se abrindo para o DIA20 – Foram muitos com certeza, mas relate-nos um ou mais
oportunidade de entrar na Banda de Pínzio, onde aprendi muitas - Foram muitos os momentos vividos em ambiente musical, exercício de atividades extra paroquiais, dentro e fora da minha momentos que possa dizer que foi ou foram momentos mais
coisas, além da música… são palavras sentidas do fundo do muitos dos quais me fizeram crescer enquanto músico e diocese, dentro e fora do país, relativas ao ensino e à formação altos…e que guardará para sempre.
coração… Grande abraço amigo. Joaquim Miguel enquanto pessoa sobretudo. Por isso deixo um grande de pessoas. Por estas circunstâncias, contactei com imensa Pe. D. - Momentos altos da minha vida foram vários e enuncio
OBRIGADO por estes anos de companheirismo filarmónico. gente, com muitas culturas e ideias. apenas alguns: os dias da minha ordenação sacerdotal e Missa
- Foram 6 anos que jamais irei esquecer… aprendi a tocar com Abraço! Ângelo Santos nova, o dia em que o meu bispo me propôs a realização de
amor. Foram cheios de brincadeira e chatices, mas com um DIA20 – Sei que não se dedicou apenas à igreja. Foi professor, estudos superiores em Paris, o termo das licenciaturas e
objetivo bem definido, fazer música! Cresci não só como músico -Um maestro como tu… Com alegria e dedicação… Um abraço do coordenador e orientador, escritor….. uma pessoa muito mestrado, porque me abriram os caminhos por onde havia de
mas como pessoa, aprendi a dar valor a tudo o que se passava de baterista… Bem do fundo do coração! Igor Pereira dinâmica. construir a minha vida para o serviço dos outros e da realização
mais simples a cada dia da banda. Um obrigado e até já, um Pe. D. - Sim, fui professor, mas nunca deixei de ser padre. Nas pessoal.
grande abraço. Miguel Morais - Luís Mário, obrigado!!! Obrigado não só por teres feito de mim escolas secundárias e sobretudo no ensino superior em diversas
um músico melhor, mas também por fazeres de mim um homem escolas onde exerci mais tempo, ministrei, com satisfação, áreas DIA20 - Sei que gosta de visitar outras culturas, outras terras….
- Amigos, uma família que o coração escolhe. Obrigada Luís melhor!! Um mega abraço do trombonista que de vez em da minha especialidade. Todavia, fui sempre solicitado para acha que passear é gastar dinheiro e ficar mais rico?
Mário, por me dares a oportunidade de sentir este sentimento quando te fazia a vida negra! Não era por mal, mas tu sabes bem orientar cursos, animar encontros, fazer conferências para Pe. D. - O equilíbrio está em não ir além daquilo que se pode e é
tão verdadeiro... Farás sempre parte desta grande família que tu que rebeldia é o meu nome do meio! Rodrigo Dinis padres, leigos comprometidos com a Igreja, catequistas de vários razoável. Mas conhecer outras culturas, ver o mundo na
próprio juntaste. Lúcia Barrancos níveis. Publiquei três livros para catequese de crianças e pluralidade da sua riqueza artística, proporcionado por
- Foi com o Luís Mário que aprendi as primeiras notas e escalas, adolescentes, escrevi para diversas revistas de especialidade. A atividades a realizar nesses locais ou em passeio cultural,
- Foram muitos os momentos que passámos juntos. A ti, Luís obrigado por tudo. Hugo Prata minha agenda estava sempre cheia de atividades solicitadas e enriquece a nossa vida e alarga o horizonte do conhecimento.
Mário só tenho que agradecer por todos os ensinamentos e por continua muito preenchida. Como é diferente ver o Perú e a sua gente e conviver com a
todos os valores que me foste transmitindo desde os meus 9 - Iniciou como maestro mas tornou-se acima de tudo uma cultua e a população da Índia!
aninhos. Obrigada pela pessoa especial que és. Ana Monteiro presença constante e importante na nossa vida dentro e fora da DIA20 - Dos grupos que dirigiu qual foi o que lhe deu mais gosto
- A vida é feita de caminhos que se cruzam e a nossa cruzou-se banda. Sofia Jorge …. Relembra algum episódio, que queira partilhar? DIA20 - O que poderia ser feito, para que a igreja chamasse
através de Música. Obrigada Luís Mário, pelo maestro, colega e Pe. D. - Nos primeiros anos de vida sacerdotal dediquei-me para si os paroquianos, tendo em conta a realidade que hoje o
amigo que és. Margarida Neves - Fazer grandes coisas é difícil, mas comandar grandes coisas é muito ao trabalho com jovens, nas aulas e fora delas. Um dia, um mundo atravessa
ainda mais difícil. Obrigada maestro por nos teres comandado jovem pediu-me para lhe dar as provas da existência de Deus. Na Pe. D. - Está a ser difícil ultrapassar o tempo em que muitos se
- Com estas poucas palavras quero agradecer tudo aquilo que tão bem, durante todos estes anos. Rita Lopes verdade, São Tomás de Aquilo, diz que podemos chegar a Deus batizam, fazem a 1ª comunhão, crismam, casam, dizem que têm
aprendi consigo, para além da música, aprendi também o através de provas racionais. Mas esse é um caminho que não cria a sua fé, mas que não têm a fé da Igreja. Isto é, ainda se vive uma
sentido de responsabilidade e companheirismo. Obrigada por - Um bom mestre é aquele que consegue conciliar o relações pessoais, é um processo pobre de chegar ao Deus da religião sociológica de muitos anos que em nada compromete as
tudo isto e muito mais. Beijinhos. Carolina Pina profissionalismo, com o valor humano. Foi bom ter entrado na razão. Preferi dizer-lhe que Deus não se prova. Deus pessoas com Deus. Nalguns grupos paroquiais e outros, ainda
banda sob a sua direção! Um abraço! Filipe Santos experimenta-se. Quem aceita fazer a experiência de Deus, poucos, já se começa a trabalhar para uma Igreja enraizada num
- Sei que as palavras se escrevem e apenas se leem... Mas o encontra-se com uma pessoa que nos enche a vida. Porém, digo intenso período de iniciação cristã em que os sacramentos
sentimento de gratidão permanece...se hoje sei duas ou três - Luís Mário o maestro com mais anos na banda de Pínzio, depois com prazer que toda a minha vida de professor, em particular no acontecem à medida que as pessoas estão profundamente
notas musicais devo-o a ti, e isso jamais poderei esquecer, só que foi reerguida… com o Luís Mário, cresceu a paixão que eu já ensino superior, me deu um gosto, uma alegria extraordinária. conscientes e empenhadas em crescer e viver na fé. Este
tenho para te dizer um grande, obrigado por tudo, pelos tinha pela música e pela banda… com ele, como maestro, tornei- processo será muito lento e não sem algum sofrimento por parte
ensinamentos pelo companheirismo por tudo. Forte e sentido me melhor saxofonista, pois diversas tardes tive o prazer de DIA20 - Muitos anos fora de Pínzio, a estudar a trabalhar, mas de quem precisa de romper com uma forma de ser cristão, que
abraço! Tiago Garcês aprender com ele, e ele teve a paciência de me ensinar… ao nunca perdeu as raízes e faz questão de vir frequentemente… pouco tem a ver com a Igreja de Jesus Cristo.
longo destes anos foi maestro, companheiro e acima de tudo Pe. D. - Sempre fomos uma família muito unida. Como é normal,
- Após esta jornada na nossa filarmónica, a sua presença ficará amigo, por tudo isto só tenho duas palavras a dizer: muito ela foi aumentando com as gerações mais novas, mas a morte DIA20 - Para terminar quer deixar um apelo, uma palavra de
para sempre na memória da nossa coletividade musical e social. obrigado…Marco Aragão dos meus pais e sobretudo a perda precoce das minhas duas esperança aos jovens da nossa terra, já que, como em qualquer
Desejo uma ótima continuação da sua carreira! Um abraço. irmãs e meu cunhado António, foi um corte doloroso que povoação, eles andam muito desviados das coisas de Deus.
Hélder Carreira - Luís, enquanto maestro da Banda de Pínzio (o maestro de todos marcou profundamente os laços da família. Mesmo assim, não Pe. D. - Os jovens gostam de quem se aproxima deles, aceitando-
nós) foste muito mais que um maestro, acompanhaste e deixámos de nos encontrar, embora a dispersão e o trabalho de os como são. A aldeia deveria, mais do que criticá-los, fornecer-
- Obrigada pelo trabalho realizado para manter esta família contribuíste não só para o crescimento musical de todos os cada um tornem difícil este desejo. A casa continua a ser a «casa lhes ocasiões de encontro pela arte, pela cultura, pelo lazer com
unida. Raquel Fonseca elementos mas, e muito mais importante, para muitos de nós, da família» e regressar a ela, gozar do seu conforto e memórias, valores e também pela participação ativa na vida da comunidade
deste o teu contributo para o desenvolvimento pessoal. Foste a é sempre reconfortante física e psicologicamente. cristã. É preciso proporcionar-lhes verdadeiras e aliciantes
- Obrigada por todos estes anos repletos de música onde me força que nos motivava a mais um ensaio, em noites geladas e a experiências de vida cristã. Também não basta reuni-los. É
ensinaste o verdadeiro valor da música! Inês Gomes acordar enquanto o sol ainda dormia. Durante 20 e muitos anos, DIA20 - Com mais de 50 de sacerdócio, qual foi o episódio que preciso que sintam quanto vale a pena aderir às propostas que
deste vida e energia a esta banda e, em fases mais difíceis foste teve mais dificuldade em ligar? lhe são feitas.
- 10 anos, 10 anos é o tempo que estou ligado ao mundo buscar força e motivação onde quase já não existia. Terminou Pe. D. - Talvez não devesse dizer isto, mas eu fui um dos vários
musical. Durante este tempo absorvi tudo aquilo que me um ciclo, mas o futuro só a Deus pertence! ...!Obrigada pelo padres que a dita PIDE perseguiu logo após o meu regresso de O jornal DIA20 agradece o tempo disponibilizado. Assim, os
ensinaram e tentei melhorar a cada dia, muita da evolução que trabalho que desenvolveste com todos nós e por teres Paris. Pela minha formação e pelo meu trabalho, tinha contactos leitores ficaram a conhecer um pouco dos muitos
vivi e que presenciei vendo outros deve-se a uma pessoa, Luís contribuído para levar o nome de Pínzio mais longe. Edite com muita gente de pensamento próprio. Não eram as suas conhecimentos a que se resume uma vida plena de êxitos.
Mário. Estou certo que um obrigado não chega, mas aqui fica Gonçalves ideologias que me interessavam, mas as próprias pessoas. A Desejamos que continue com toda essa vitalidade, por muitos
está palavra de agradecimento e admiração. Emanuel Brasil liberdade de pensamento é um bem inalienável, mas sujeito a anos.

Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018


JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

À CONVERSA COM… DE NÓS … PARA TI, MAESTRO LUIS MÁRIO….


… Padre Domingos Pereira a sua cultura que fortalece a esperança e a alegria de viver. Os
ranchos que regressavam a cantar, o descamisar o milho ao - Foram muitos os anos a levar na cabeça, desde a escola de - Grande Luís Mário…é com grande gosto que escrevo estas
DIA20 - Quem é Padre Domingos? serão ao som de vozes encantadoras, o Carnaval com as música e depois na banda, mas também foram muitas as palavras para ti, porque foste uma das pessoas que, na minha
Pe. Domingos - Meu pai, Manuel Pereira brincadeiras da época, as festas religiosas que juntavam brincadeiras, as gargalhadas e eu agradeço por tudo isso! vida, me marcou bastante e me iniciou e ajudou a progredir na
Domingos, cresci a vê-lo Regedor que, ao familiares e amigos, os dramas do verão que levavam meses a Aprendi muito na banda com tudo e todos e principalmente área musical. Agradeço imenso por todo o empenho e trabalho
preparar e, finalmente, aconteciam numa noite inteira ao relento contigo. Não eras só um maestro mas também és e serás um dedicado a nós músicos, e a toda a banda em geral. Grande
tempo tinha a função de manter a ordem, era
do verão, o toque diário das trindades, o toque a defuntos e da amigo! Tenho a certeza que todos nós vamos sentir saudades, abraço e espero que nos acompanhes sempre que possas, se não
uma espécie de representante local do Missa dominical que reunia o povo e mostrava a mestria do até mesmo daqueles sermões mais chatinhos... Obrigada por for como maestro, que seja como músico. Rafael Ferreira
ministério público. Todos os meses a Guarda Nacional sineiro, a fonte que permitia o convívio de quem procurava água, tudo, Luís Mário, saudações musicais. Alexandra Monteiro
Republicana passava lá por casa para fazer o ponto da situação. a matança do porco que juntava as famílias, os mercados do dia - Luís Mário, a ti só te consigo agradecer tudo o que fazes por
Minha mãe, Ana Vicência Ferreira, a senhora Aninha, como era vinte, etc. Muito se perdeu porque Pínzio mudou e agora é - Um muito obrigado pelo despertar do interesse pela música mim desde sempre. Sem dúvida que és parte da minha família!
conhecida no povo, foi um modelo de mãe carinhosa e de mãos preciso encontrar e criar novos elementos identitários. que agora tem uma importância enorme na minha vida, fazendo Obrigada. Sara Miguel
solidárias. Minhas irmãs Maria Alice, Clarinda e Rosa Maria de si uma parte importante não só no músico, mas também na
DIA20 - Como foi ir para o seminário…quem o incentivou… pessoa que sou e que aspiro ser. Luís Salomé Há histórias que ficam na história da vida da gente… e esta é
foram as companheiras do meu crescimento. Estas duas últimas
quem o apoiou? uma delas! Foi um concerto realizado no passado dia 18 de
faleceram cedo. Éramos uma família tradicional, muito unida. Em Pe. D. - Tudo me leva a crer que minha mãe sempre gostou de - Luís Mário, quando me ligaram a dizer que irias passar a batuta, novembro, onde a banda celebrou os seus 130 anos.
Beja havia um sacerdote dos Trocheiros que me encaminhou ter um filho padre. Meu pai não estaria tanto para aí virado. Mas pensei logo que foi das decisões mais difíceis que tiveste que Queremos aqui referir também o enorme contributo do maestro
para ali, onde fiz os primeiros estudos. No grande Seminário dos aconteceu e contei sempre com o apoio das minhas irmãs, do tomar na tua vida. Como partilho esse sentimento, apenas me Luís Mário que iniciou nesta banda, como músico, há 35 anos,
Olivais, em Lisboa, terminei os estudos teológicos. então padre Joaquim Bernardino e, é preciso dizê-lo, da prima resta dizer que se isso aconteceu, foi porque algo mais dos quais 26 anos a dirigir como maestro… foram muitos
Maria Teresa, minha catequista. importante nas nossas vidas apareceu e merece o nosso tempo e ensinamentos e partilha de saberes … muitas as brincadeiras, as
DIA20 - Fale-nos um pouco da sua infância em Pínzio… amigos e dedicação. No entanto a Banda onde nasceste nunca se irá gargalhadas, a boa disposição mas também uma grande paixão,
DIA20 - Muito longo o seu percurso académico… mas apagar da memória. Desejo-te as melhores felicidades para o teu muita dedicação, empenho e muitos sacrifícios …
colegas de infância e de carteira de escola …professor da escola
resumidamente conte-nos desde q saiu da Pínzio… percurso… isto não acabou, porque sempre que houver festa em Todos guardarão, para sempre, boas recordações de quem lhes
primária, numa altura de vida difícil, embora inserido numa Pe. D. - Em Beja fiz os primeiros oito anos de estudos. Os Pínzio, tu estarás presente e tenho a certeza que irás ensinou os primeiros passos musicais!
família onde nada faltava. teológicos ocorreram em Lisboa, no grande Seminário dos disponibilizar-te para tocar saxofone e matares saudades.
Pe. D. - Sim, para os padrões do tempo, direi que na minha Olivais. Aqui estudávamos alunos das dioceses de Lisboa, Aveiro, Elmano Pereira Este concerto teve também um momento alto, quando a ex-
família nunca faltou o essencial, mas não esqueço o esforço que Beja e Algarve. Depois o Instituto Católico de Paris deu-me a maestro professor Luís Mário passou a batuta ao novo maestro
os meus pais fizeram para aguentar os estudos simultâneos dos abertura a novos mundos do saber. Decorria em Roma o Concílio - Obrigado Luís Mário por todo este tempo que estiveste na professor Carlos Ferreira. … Foi muito bonito, cheio de emoções e
do Vaticano II e muitos dos meus professores eram peritos do banda comigo e pela ajuda que sempre me deste. Duarte Morais lágrimas à mistura.
seus quatro filhos! A vida era difícil para muitas famílias a quem
Concílio. Nos areópagos da reflexão, as ideias fervilhavam em
faltava o pão e tinham de bater às portas a pedir ajuda. Quantas muitos sentidos. O Maio 1968 estava a nascer. De regresso, a - Luís Mário, já lá vão uns anos, mas parece que foi ontem que
vezes a minha mãe teve de socorrer quem nada tinha em casa Conferência Episcopal nomeou-me Diretor do Secretariado tive a primeira aula contigo na escola de música da banda…. Um
para dar aos filhos! Esse foi um tempo muito difícil e doloroso Nacional da Educação Cristã. Este cargo levou-me a todo o país e muito obrigado por tudo, pela pessoa que és, pela amizade, pela
para a gente da minha terra! ao estrangeiro em reuniões por Paris, Roma, Luxemburgo, partilha e por toda a ajuda!! Obrigado por sempre me apoiares e
As terras pequenas facilitavam a aproximação das pessoas e Londres, Bruxelas e até Angola. A licenciatura em filosofia na me ajudares a chegar onde cheguei!!! Um forte abraço e por
dispunham de circunstâncias que favoreciam a proximidade, tais Faculdade de Letras de Lisboa, o mestrado em Ciências da favor vem fazer umas festas connosco de vez em quando!!! Vais
Educação na faculdade de Psicologia, o ensino nesta e na deixar muita saudade! Tudo de bom maestro!! Rafael Afonso
como, os fortes laços familiares, a escola, o trabalho, as
Universidade Católica, o magistério na Escola Superior de
brincadeiras, os jogos na rua, etc. A escola e os recreios eram os Educação de Beja e a Direção do Instituto Politécnico, foram a - Obrigada por todas as vezes que disseste “só quem não toca, é
grandes geradores do companheirismo. O professor Manuel vertente laica da minha formação. Entretanto, o meu Bispo que não se engana”. Deste-me motivação para continuar… Para
Marques da Fonseca trabalhava com os rapazes no edifício já agregou-me ao seu serviço como colaborador mais próximo, seu sempre o meu primeiro maestro. Inês Alexandra
demolido e a esposa, D. Maria dos Prazeres, era professora das Vigário Geral.
raparigas, no edifício que agora é Jardim de infância. Pouca
ligação havia entre os alunos das duas escolas a não ser quando DIA20 - E o dia da grande festa “Dia da Missa Nova”… passagem
tão importante da sua vida … qual foi a sensação vivida?
se aproximava a época de exames onde a D. Maria dos Prazeres
Pe. D. - No dia 15 de julho de 1962 fui ordenado sacerdote, em RECEITA DA SOFIA
tinha um papel fundamental. Beja, estando presentes meu pai e minha irmã Rosa Maria. Dia 5
Desse tempo, como companheiros de escola, recordo os irmãos de Agosto celebrei a «Missa Nova» em Pínzio. Foi uma grande “FATIAS DOURADAS EM CHÁ”
José e Manuel Jorge que vieram a ser meus afilhados de festa! Estiveram presentes muitos colegas do Seminário, todos
casamento, o António Coelho que veio a ser meu cunhado, o os sacerdotes da região e, creio bem, todo o povo de Pínzio e Ingredientes: Preparação:
José Moita, o Messias filho do senhor Joaquim Luís e Maria muitos das anexas. Junto ao altar estavam os meus pais, os meus - Pão de dois dias Põe-se a fazer o chá preto bem forte com canela
padrinhos de batismo Professora D. Irene e António Moita, seu - Ovos e casca de limão ou laranja. Sempre a ferver
Justina, o Delfim, o Amadeu do Anjos que veio do Safurdão
marido, o Engº Simões Crespo, foram meus assistentes o Cónego - Chá preto forte adoça-se com bastante açúcar. Corta-se o pão em
frequentar o quarto ano na nossa escola, o António Lucas, filho Dr. Manuel Nunes e o Pe. Joaquim Bernardino. Terminámos com - Açúcar fatias, ensopar nos ovos batidos e fritar. Cada
da senhora Maria Guiomar, que veio a falecer na guerra colonial. um almoço preparado pela grande cozinheira D. Maria - Canela e casca de limão ou laranja fatia dourada ao sair da frigideira, deve molhar-se
Outros haverá, mas dos quais já não me recordo. Genoveva, à sombra fechada dos muitos e frondosos dos dois lados, no chá a ferver. Reservam-se num
castanheiros que então cobriam grande parte do nosso quintal. prato de ir à mesa. No final verte-se a calda do
DIA20 - Nessa altura muitas tradições se viviam na nossa terra… Há ocasiões saborosas que só mais tarde compreendemos no chá por cima das fatias douradas. Deixa-se
É pena estarmos a perder a identidade !!!! seu alto significado. arrefecer e estão prontas a comer.
Pe. D. - Cada povo, em cada época, tem a sua vida própria,
Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018
JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

SEM PACHORRA PARA COISA NENHUMA! 1918/2018 … um século…uma VIDA!

Cá estamos de novo contribuindo para que esta Não sou de todo contra as reivindicações mas sim contra o O tempo passa num ápice! Para isso os filhos fizeram questão de juntar a família e os
iniciativa perdure no tempo. É certo que nem “chapa ganha, chapa gasta”. Nasceu a 15 de outubro de 1918. A bebé amigos, assim como todos os seus conterrâneos. Além dos filhos
sempre bem interpretados e “amados” mas chamava-se Laura Pires d`Aragão e nasceu em a aniversariante estava visivelmente feliz.
vai-se à feira com o burro que temos. Deveríamos pensar no futuro para gradual e ponderadamente Pínzio. Agora é uma “jovem” com um século de
distribuir parte da riqueza amealhada. Só assim poderemos vida! A sua neta Cristina disse-nos: Somos nove netos estamos todos
Estamos em fase Natalícia e as palavras paz, levantar a cabeça e seguir em frente. muito felizes por este dia …. A comemoração dos 100 anos de
tolerância e amor devem sobressair muito Chegar aos 100 anos é uma aventura…é uma vida da nossa avó Laura…. uma bela idade! São muitas histórias
acima de tudo o resto. Quanto àquilo de que gosto, prevejo uma vida nada fácil. Vida! Envelhecer assim é um privilégio! Chegar aos cem anos é reais, que ela gosta de contar e lembra cada um delas, com todos
O Benfica após atravessar um período conturbado, está a vencer os altos e baixos com certeza, e muita histórias para os pormenores. Lembro-me quando a nossa avó ia visitar os
Fazendo um zoom sobre a sociedade, verificamos que o País assentar. À hora de escrever estes rabiscos registo mais uma contar!… filhos e netos à Alemanha e passava as férias connosco. Ela
atravessa uma fase conturbada. vitória estrondosa, somando mais 3 pontos na taça da liga. Os gostava muito de viajar, mesmo com uma idade avançada, nada
Em Janeiro o novo e último orçamento desta legislatura entra outros, também não estão mal e não me custa nada reconhecer A D. Laura é a mais idosa “jovem” da aldeia de Pínzio. Esteve lhe metia medo! Nós adoramo-la. Costumávamos jogar as cartas
em vigor e há que reivindicar, bater o pé por melhores salários e a ténue valia do Sporting com um futebol apoiado. Já o Porto, casada 57 anos, com João Afonso e tiveram seis filhos. Neste com os nossos avós ... Não esquecendo que o nosso avô João
melhores regalias, mesmo sem se importarem se na casa ao lado por certo, devido às condições atmosféricas, o VAR, nos jogos momento os seus cinco filhos o Luís, o António, a Maria, o José, o tinha sempre um miminho para dar a cada neto, com aquele
há, ou não, pão para por na mesa. complicados, avaria. Porque será? Esperemos que os Manuel, os nove netos e onze bisnetos e a população em geral, pouco que ele tinha … era um Amor! Foi com alegria que
É caricato verificar serem as classes mais bem instaladas, as que responsáveis por estas situações, a tempo, saibam pôr ordem na estão todos felizes e orgulhosos! celebramos esta festa!
mais protestam. Juízes, professores, funcionários ferroviários, casa e portões novos no centro de estágio dos árbitros
forças de autoridade, oficiais de justiça, enfermeiros, médicos, profissionais. Só assim a verdade desportiva pode existir. Foi para França a salto, como era normal nessa época, onde Todos os filhos felizes e emocionados referiram: agradecemos a
etc. etc., tudo a protestar. viveu mais de 30 anos. Trabalhou pouco tempo numa fábrica de Deus por nos conceder esta graça e podermos celebrar um século
Parecemos um “estaleiro” de protestos. Mas descendo à terra, quero felicitar a Associação dos Amigos de peças de automóveis, e o restante fez limpezas em escritórios e de vida da nossa mãe…. agradecemos também a toda a família e
Pínzio pela festa de S. Martinho (que o ano passado referi aqui, em «casas das senhoras», como ela nos contou. a todas as pessoas amigas que quiseram estar presentes, neste
No fundo a vida está para aqueles que vivem à custa dos que deveria haver e em boa hora acataram a chamada de dia tão importante das nossas vidas…. Também agradecemos às
impostos de todos os portugueses. Faltam quando querem, atenção); Felicitar a Associação da Banda Filarmónica na pessoa Regressou a Pínzio em 2010, e esteve na sua casa um ano e neste pessoas do lar, que se empenharam na organização de uma
metem baixa para apoio à família, pois a Lei permite até 1 mês do seu novo maestro e futuro(a) Presidente a eleger momento é utente do Lar Mensagem de Fátima em Pínzio há festa. O nosso bem haja também ao Sr. Padre António Carlos, ao
por ano, sem constrangimentos. Podem fazer greve sem o patrão brevemente; Felicitar a Junta de Freguesia por ter tomado a cerca de sete anos… assim os seus filhos estão mais descansados, Sr Padre Fonseca que fizeram questão de estar presente neste
os pôr de ponta, no fundo podem “gozar” com a sociedade que responsabilidade de promover a festa de S. Sebastião/S. António, pois está em boa companhia! evento. Uma festa nunca antes celebrada em Pínzio! Foi uma
nenhum mal lhes bate à porta. Então e o simples cidadão que no último verão; Felicitar os mordomos de S. André pela festa muito bonita! Obrigado a todos!
mês a mês estica o salário para chegar, que não leva a família a iniciativa e sucesso obtido. Isto sim são notícias boas e que nos É uma pessoa bem disposta, sempre risonha e que goza de boa
jantar fora porque não têm sequer o que por na mesa de casa, alegram a vida. Isto sim, é que nos enche de alegria e satisfação saúde. A sua cabeça está ainda lúcida … conhecia cada um que
aqueles que o almoço, na pausa do trabalho, é uma marmita que de ser filhos de uma aldeia “perdida” no interior de Portugal. participou na sua festa, às vezes não se lembrava era do nome. O A Associação dos Amigos de Pínzio deseja, que venha um ano de
levam de casa, não tem direito a ter uma vida digna? seu único problema é apenas falta de ouvido. Gosta de conversar cada vez e repleto de saúde, para que possa celebrá-lo
Não posso escrever muito para dar espaço às prendas que irão e contar as peripécias da sua vida! novamente, junto dos seus familiares e amigos.
Não têm direito também a reivindicar por melhores condições de surgir nesta edição.
trabalho e vida. Será que a riqueza amealhada não deve ser Este ano houve uma grande festa em Pínzio…. E bem merecida…
repartida por todos e em especial pelos mais necessitados? Resta-me desejar a todos os meus amigos, amigas e outros, um A D. Laura celebrou o século da sua vida.
feliz Natal e um ano Novo cheio de prosperidade.
Se esta teoria está errada, para que servem os peditórios da
Cáritas, do Cancro, os bancos alimentares contra a fome, etc, Façam favor de ser felizes, como diria o Raul Solnado.
etc.?

Expliquem-me como se eu fosse muito burro! Ernesto Gonçalves

Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018


JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

FOI EM 1888… HÁ 130 ANOS BAU DAS RECORDAÇÕES

Apesar de tudo, a Banda Filarmónica de Pínzio atravessou esse É preciso boa vontade para conseguirmos levar este projeto a
final de séc. XIX, todo o séc. XX e continua a ser motivo de bom porto, no entanto não basta, é necessário o empenho
também da nossa população para que assim se consiga levar o
orgulho para a nossa terra. Houve um interregno de cerca de 20
nome da nossa aldeia, Pínzio, a outros locais sempre com orgulho
anos, desde o início dos anos 60 do século XX até 1982, ano em e com a honra de dizermos: Pínzio tem uma boa banda… é com
que viu, de novo, a luz do dia.” este espirito que nos gostamos de apresentar e sabemos que a
nossa aldeia tem orgulho na sua banda.”
Na 16 edição Jornal DIA20 o Marco Aragão referiu: “Nos dias de
hoje faz-se sentir a desertificação do nosso interior e, a nossa
banda, mais concretamente a escola de música que a ela está Ficam aqui os sinceros parabéns a todos que os que direta ou
afeta, ainda mais sente isso, pois os miúdos e jovens que nela indiretamente e ao longo dos anos, participam e colaboram na
podem ingressar, cada vez são menos. Banda Filarmónica de Pínzio, principalmente aos músicos que se
Também o ritmo de vida, que atualmente vivemos, torna cada empenham tantos nas aulas, como nos ensaios, em concertos,
vez mais difícil o funcionamento de uma pequena banda procissões, nas arruadas e em todas as atividades, muitas vezes
filarmónica de uma aldeia, neste caso a nossa. com sacrifícios!

Foto do ano 1950 que foi cedida pela Srª Isabel Monteiro, filha de um músico desta época,
Joaquim Monteiro. Na 1ª fila da esquerda para direta - José Oliveira no Contrabaixo; António
Lucas no Saxofone Alto; Joaquim Monteiro no Bombardino e Manuel Caramelo no Contrabaixo.
Do lado esquerdo - José Lucas no Cornetim; mais atrás à direita está José Martinho no Clarinete
(não sei qual deles é). Na 2ª fila lado direito - António Alves Moita no Bombardino (este senhor
ainda chegou a tocar na banda com o ex-maestro Luís Mário por volta de 1986), mais para trás no
Clarinete está Arnaldo Agostinho (que também tocou ainda bastante tempo depois da renovação
da banda que não sabia ler música, apenas tocava de ouvido) Na última fila tínhamos a percussão:
no bombo José Monteiro (que também tocou após a renovação em 1984 e anos seguintes) na
Caixa o Adérito e nos Pratos o Joaquim Lucas. Por último, o mestre Manuel Abel que está fora do
grupo, a tocar Requinta (junto das crianças).

FESTA DE SANTO ANDRÉ 2018

Chegou ao fim mais um ano de Festa de Santo André. A mordomia, em


primeiro lugar, quer agradecer a toda a população que esteve presente
nas festividades e que ajudou a realização da mesma! Do fundo dos
nossos corações sem vocês não seria possível.

É de facto um orgulho imenso em contribuir um pouco para o bem estar


de Pínzio ao fazermos algo que todos gostam. Desde os tradicionais
jogos de sueca, ao baile, á missa e procissão até ao lanche convívio. O
nosso objetivo sempre foi continuar a tradição e que todos sentissem
vontade de se deslocar ao pavilhão, e por isso muito obrigado a todos!
Não deixar de agradecer a nossa fantástica Banda Filarmónica que como
sempre teve um papel especial nesta festa mas também claro a todos os
artistas presentes. Hi-Fi e Batuufole.

Desejamos assim muito boa sorte para a mordomia que se segue e


queremos que saibam que estamos cá para o que for preciso, porque
Pínzio é isto, ajuda e companheirismo. O mais importante, nunca
deixemos morrer a tradição!

Para o ano, caberá aos novos mordomos, Mariana Pires, Carolina Pina,
Miguel Gonçalves, Daniel Calado, Tiago Gonçalves e Tomás Calado,
organizarem a festa, que começa na próxima fogueira de Natal. Esta foto do ano 1960, saiu do Baú da D. laurentina Bilro…. Moças com cerca de 20
Os mordomos 2018: Ângelo Santos, Sara Miguel,
anos de idade Da esquerda para a direita: Maria Lourença, Maria Paixão (a mais velha)
Diana Pereira e Luís Salomé
Fernanda, Julieta, Inácia.
Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018
JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

BANDA FILARMÓNICA DE PÍNZIO – MEMÓRIAS QUE FICAM FOI EM 1888… HÁ 130 ANOS
não tínhamos tido tempo de aprender mais) Portugal tão lindo e O orgulho da nossa aldeia, está de parabéns!
A 21 de novembro de 1888 nascia em Pínzio a Deus nos Salve. Entre foguetes e mais uma batida daqui outra Ao senhor Manuel Abel o meu mais profundo sentido de
coletividade em que muito provavelmente dali, foi um dia importante para todos. gratidão. Foi, sem dúvida, de todos, aquele que mais sentiu este
participaram o maior número de residentes e A banda estava a tocar e era preciso alguém com mais projeto, completamente embriagado nesta paixão, entregou-se
simpatizantes da música da freguesia e que conhecimentos musicais e experiência para ocupar o lugar de de corpo e alma, mesmo com todas as suas dificuldades físicas,
mudou o rumo da vida a muitos dos que por lá “Mestre”. acompanhava-nos para todo o lado. Era ele que preparava as
passaram – Banda Filarmónica de Pínzio. lições de solfejo, e me entregava, para eu ensinar ao grupo no
Conta já 130 anos de muita atividade, com É então que o Sr. Ângelo contacta o Sr. Manuel Niné para sábado seguinte. Todos os fins-de-semana me entregava uma
interregnos, com momentos bons, com períodos de dificuldade, assumir a responsabilidade do cargo e que se manteve até ao nova lição para eu estudar, durante a semana.
mas sem dúvida uma mais valia para todos os que passaram por verão de 1992. Após um ano e meio de solfejo em sala, e aproximadamente
lá, uma escola da vida e uma entidade de grande valor para a Palavra passa palavra, e os convites para a banda tocar nas festas meio ano a aprender a escala dos instrumentos, era chegada a
freguesia e região. religiosas surgem em grande número. Destes tempos mantenho hora do novo passo.
muitas e muitas recordações e peripécias que só nestas Atualmente liderada pelo elemento mais jovem Luís Mário,
A minha aventura nesta coletividade e no mundo da música coletividades acontecem e que dificilmente se apagam. Poderia representando hoje, o melhor e maior cartão-de-visita, da nossa
começa por volta de 1983 aquando do recomeço da filarmónica, relatar imensas, no entanto, partilho algumas que já mais terra... Por fim o meu maior reconhecimento é para os mais
pois tinha parado a sua atividade devido à falta de elementos, esquecerei. Nesta época, festas que não tivessem foguetes não novos e a sua indiscritível força, coragem e vontade de vencer.
fruto da forte emigração que se verificou algumas décadas antes. era festa. É com estes, que acontecem algumas situações …… ”
“Pai, quero ir pra música”, foram estas as minhas palavras que caricatas, desde, em Cidadelhe cair um foguete num galinheiro O professor Luís Mário, ex-maestro da Banda Filarmónica de
acabaram por me levar para a banda a aprender as primeiras quando a banda passa e lá vão os galináceos em alvoroço para o Pínzio no artigo À Conversa com… na edição nº 5 referiu: “Espero
Mais uma época festiva… desta vez foram as comemorações do
notas e arrastar também o meu pai para lá, pois enquanto meio dos músicos. Nas Freixedas (se a memória não me falha)
aniversário da Banda Filarmónica de Pínzio. Este ano comemorou que a Banda continue a prestar o serviço cultural que tem
esperava, lá acabou também por aprender umas “notinhas” e uma cana de foguete cai na cabeça de um dos nossos músicos
130 anos, pois foi em 1888 que ela foi fundada pela primeira vez. prestado durante todos estes anos de atividade, levando o nome
tocar contrabaixo (tuba em MIb) durante 25 anos, tendo que tocava trombone, fazendo uma pirueta, valeu o chapéu. No
Mais tarde nas décadas de 60 e 70 sofreu um interregno devido
também assumido funções em várias direções da coletividade Roque (Pinhel), era bombeiro o Sr. José Monteiro, quando da freguesia e concelho bem longe …é das coletividades mais
à forte migração dessa época. Em 1982, retomou novamente a
durante os anos sequentes. durante a procissão lhe rebenta o cinto das calças, e com o andar antigas e com atividade permanente do concelho de Pinhel. A
sua atividade.
um tanto ou quanto “esquisito” na tentativa de estas não irem escola de música, apesar das dificuldades, continue a oferecer
Foi um dia de um novo ciclo na vida da Banda Filarmónica de
Lembro-me dos primeiros professores, duas pessoas muito ao chão, este diz no meio de alguma risada entre os músicos um ensino gratuito ou com custos simbólicos, de forma, a
Pínzio… Cessou funções de maestro o professor Luís Mário e
distintas, o Sr. Luís Pires Gonçalves, responsável pelo novo “senhor mestre, podia perder as calças, mas não perdi
iniciou o maestro professor Carlos Ferreira. possibilitar a sua frequência a todos aqueles que queiram
arranque da filarmónica, que aprendeu um pouco das notas e pancada!”. Não me esqueço também da dupla fantástica da
figuras musicais para nos poder transmitir, e o Sr. Manuel Abel, “Pancadaria” – como assim lhe chamavam na época à percussão, aprender música sem qualquer tipo de constrangimento.
A Associação Social Cultural Recreativa e Desportiva de Pínzio, Essencialmente que continue a colaborar com as outras
senhor de idade (com a sua velhinha samarra) que tinha sido refiro-me ao Alberto Dinis e ao Joaquim Miguel (que
tem espaço próprio, no Jornal DIA20.
músico e “mestre”, como se designava na altura, da filarmónica recentemente partiu) que apesar de amigos, andavam sempre instituições da freguesia e que não seja esquecida pelas
Transcrevemos aqui algumas passagens de edições anteriores,
antes da sua “pausa”. Era na pequena casinha da música, como como o “cão e o gato”. Então, numa passagem musical, em que a entidades competentes … Aos músicos, digo que continuem a
homenageando a nossa tão querida Banda Filarmónica.
assim lhe chamavam, que íamos todos os fins de semana, maceta deveria tocar no prato, quando em jeito de brincadeira fazer parte deste grupo fantástico, com momentos bons e outros
primeiro “rezar” o solfejo do Freitas Gazul e mais tarde começar provocatória, o bombeiro, em vez de acertar no prato, aponta menos bons como tudo na vida, paciência, sacrifício e que deem
Luís Pires Gonçalves, um dos principais elementos que participou
a soprar num instrumento. mesmo ao relógio do colega, estava a confusão instalada para o
e se empenhou de corpo e alma, no renascer da Banda sempre o melhor. Que acolham bem e apoiem os recém-
dia todo! Ato que teve a devida retaliação nos tempos seguintes!
Filarmónica de Pínzio, salientou na 11ª edição: chegados e músicos mais novos transmitindo os nossos ideais e o
Por esta altura estava a ser construída a IP5, que trazia muitos Mais recentemente e eu já com funções de maestro, ninguém se
“Quero aqui e agora agradecer a todos, os que comigo que nos carateriza. Que se divirtam através da música e do
trabalhadores de fora, e é entre eles que aparece o Sr. Costa, esquece aquando do regresso do almoço para a tarde na festa de
colaboraram, porque a eles se deve o sucesso deste projeto.
músico da Banda de Santar, que tocava saxofone. É numa das Algodres, o nosso velhinho autocarro resolve pregar mais uma companheirismo.
Jovens e menos jovens que acreditaram e depositaram em mim
visitas ao nosso ensaio e no meio de uma quantidade de sons partida. E agora? Como vamos para a festa? Estão à nossa Às famílias e comunidade em geral, que apoiem os filhos e todos
total confiança, numa caminhada que, para alguns, não passava
misturados, vindos dos diferentes instrumentos, que este senhor espera…. É então que passa um camião de “transporte de aqueles que querem integrar o nosso grupo. A aprendizagem de
de uma fantasia do meu imaginário.
me chama para a rua e junto ao ribeiro, num ambiente mais animais vivos” e…. não há tempo a perder! Para surpresa de um instrumento musical é uma mais-valia na educação e
Ontem, tal como hoje, dá-se pouco valor à força da juventude e
sossegado me diz: “se quiseres aprender a tocar saxofone eu todos os que aguardavam pelo início do concerto, chega o meio
ao saber dos mais velhos. Não tenho dúvidas, foram estes jovens formação pessoal, assim como todo o desenvolvimento cognitivo
ensino-te”. Foi então que comecei a soprar para o velhinho de transporte ao recinto das festas, e com espanto, de onde
que fizeram a diferença… Nessa altura ainda não tínhamos farda que daí advém.
saxofone soprano (ainda com a palheta na boquilha virada para normalmente ”descarregava gado”… lá estão os músicos a sair,
e decidimos improvisar, vestirmo-nos todos de igual, de forma a
cima – os entendidos, sabem o que estou a dizer) e tocar as risada total. Todos podem participar e colaborar, se acha que não tem “jeito”
parecer uma farda. Quem não tinha casaco, camisa ou gravata
primeiras escalas. Recordo-me da minha primeira para tocar um instrumento musical, pode integrar os órgãos
pediu emprestado. Para as raparigas foi mais difícil, pelo que
cantiga/melodia que consegui tocar, “Naquela linda manhã….” Tínhamos que ser polivalentes e envolvente numa energia de um sociais da direção, participar nas atividades promovidas, etc. ”
decidimos comprar boinas e tecido azul-escuro e cada uma,
Escrita numa folha branca com pautas desenhadas com caneta e jovem que tentava que nada falhasse nos serviços, também não
mandou fazer as calças.
régua (que ainda hoje guardo) pelo tal Sr. Costa, que passado me esqueço de um dia de festa em que o motorista do autocarro José J. A. Dinis escreveu na 12ª edição: “Um feliz acaso revelou-
Só mais tarde, com a ajuda do povo, através de donativos que
pouco tempo deixei de ver. não apareceu. Preocupado e decidido a resolver, digo para todos nos, há alguns anos atrás, a escritura da Sociedade Filarmónica
fizemos nas ações de rua, e quando recebemos um subsídio da
“aqui não ficamos, vamos embora que eu conduzo o autocarro”, de Pínzio de que possuímos cópia.
DGD da Guarda, para construção do campo de futebol, é que fui
Pouco tempo depois, é convidado o Sr. Ângelo Margarido que todos ficaram incrédulos, principalmente os de mais idade. Tudo Ficámos assim a saber que foi criada em 21 de novembro de
ressarcido desse valor.
tinha dirigido durante algum tempo a extinta banda da Cabreira. correu bem, apesar de uma travagem ou outra mais violenta. 1888. Seria interessante perceber como terão sido esses anos do
…. É de sublinhar o empenho, a dedicação e o esforço que estes
Fizemos uma pequena arruada em Pínzio e Cheiras. Foram os Após a saída do maestro Manuel Niné, a direção convidou-me final do séc. XIX para a recém-criada Sociedade Filarmónica de
elementos demonstraram. Acarinhados e aceites por esta
primeiros desafios, ainda sem saber muito bem o que andava a para assumir novas funções. Fiquei muito surpreendido e Pínzio, constituída, na sua totalidade, por gente muito humilde
juventude, que lhes reconhecia valor, trouxe-lhes uma nova
fazer. Entretanto, a notícia começa a passar pela região: “A reticente, pois tinha começado a estudar música no da nossa terra. Gente muito pobre a quem sobrava em trabalho
alegria, um novo sentido e esperança de vida.
Música de Pínzio está outra vez a tocar” e aparece o convite para conservatório da Guarda mas não tinha formação de direção de o que faltava em recursos ….
a nossa primeira saída fora de portas, Cerdeira da Côa. Foi aí que banda. Um pouco forçado, lá acabei por aceitar o novo desafio,
fizemos a arruada e procissão, com apenas duas marchas (ainda tendo feito o primeiro serviço na festa de Stº André de 1992.

Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018


JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

Agradecemos desde já todos os colaboradores MENSAGEM DO PRESIDENTE BANDA FILARMÓNICA DE PÍNZIO – MEMÓRIAS QUE FICAM
permanentes e às pessoas que já quiseram dar Nesta edição, o nosso Jornal atingiu a maioridade. Os anos que se seguiram foram muito diferentes, pois apesar da jovem músico e mais tarde como maestro, eis que um simples
o seu contributo. Pois é, já são 18! O que equivale a 6 anos consecutivos sem inexperiência, da tenra idade para o cargo, sempre tive muito concerto de aniversário como tantos outros, se tornou no mais
É certo, que o jornal DIA20, só será uma interrupções trazendo e levando informação, recordações e presente na minha mente a responsabilidade que o cargo exige e difícil de dirigir.
realidade, se houver pessoas que quiserem bom humor. a dignificação da coletividade. Por momentos, a concentração, a audição melódica e harmónica,
partilhar connosco as suas vivências, crónicas, como que teimavam em “fugir”… para outros contextos
fotos ou mesmo pequenas histórias reais ou Nesta edição, dedicamos grande parte do nosso Jornal à nossa Durante estes 26 anos que dirigi a banda muito aconteceu. emocionais.
não. Por isso ficamos agradecidos a todos que Banda Filármónica que tanto nos orgulha e enaltece. Várias direções passaram, muitos músicos entraram, deram o
quiserem participar. Basta, para isso, enviarem E por vários motivos: Este ano, a banda comemora 130 anos; O seu contributo e saíram já adultos, miúdos que quiseram Estou convicto de que tudo o que fiz, embora nem sempre
os vossos textos para o seguinte e-mail: Maestro Luis Mário, após 35 anos de dedicação, decidiu transferir a batuta; aprender, cresceram e entretanto já seguiram o seu rumo, compreendido, teve como objetivo, o crescimento da
madalenajcabral@sapo.pt Temos novo Maestro; Vai chegar ao fim o mandato do actual Presidente da alguns como profissionais da música, dos quais muito me coletividade, a promoção de um convívio saudável entre todos, a
Direcção, Vitor Ferreira. Portanto, nada mais justo do que, também nós, orgulho e desejo os melhores sucessos. dignificação da música, em resumo… a defesa da Banda
ASSEMBLEIA GERAL prestarmos homenagem. Filarmónica de Pínzio e de todos os que a integram.
Madalena Cabral Sócia nº111 – Presidente Apesar de momentos excelentes de convívio, camaradagem, Ficaram alguns projetos por concretizar, entre os quais destaco
Beatriz Pina Sócia nº68 – Secretária Já na passada Feira das Tradições em Pinhel, o stand da Freguesia foi aprendizagem, nem tudo foi fácil. A distância entre Pínzio e os dois: a gravação de CD/DVD e a construção da nova sede da
Rafael Fonseca Sócio nº46 – Secretário maioritariamente dedicado ao aniversário da Banda, com direito a directo diferentes locais de trabalho que tive (vida de professor…) por Associação Social, C. R. e Desportiva de Pínzio, que incluísse
Manuel José Dias Sócio nº37 – Suplente televisivo na RTP. várias regiões do país foi sem dúvida uma dificuldade, muitos também a construção de um auditório digno para a realização de
José Almeida Sócio nº23 – Suplente quilómetros percorridos no intuito de poder acompanhar com diversas atividades, musicais, sociais e culturais. A ausência de
Victor Pina Sócio nº41 - Suplente Muito há a dizer acerca do Luis Mário, mas, ficou-me com a emocionante assiduidade o grupo que dirigia. As diferenças de idade dos um espaço deste género impossibilita o desenvolvimento de
despedida na Igreja de Pínzio, aquando do concerto e pelo facto de ele ter estado elementos que integravam na altura a banda, que por um lado é projetos e a realização de atividades sócio culturais. Já foram
CONSELHO FISCAL 35 anos ininterruptos na Banda. Já pararam para pensar no que são 35 anos! muito saudável mas também proporcionava algumas dados alguns passos e desenvolvidos esforços nesse sentido,
Luís Gonçalves Sócio nº15 – Presidente Deixo uma dica aos leitores (incluindo a mim): Quando nos lamentarmos que já incompreensões. O terminar dos serviços (volta aos mordomos) nomeadamente a aquisição de terreno. Aguardamos pelo apoio
Cidália Abrunhosa Sócia nº21 – Vogal fizemos muito ou que já estamos fartos e cansados, pensemos nos 35 anos do nas festas religiosas era por vezes o mais complicado e de e cumprimento de promessas…
Luís Cabral Sócio nº33 – Vogal Luis Mário. alguma “diversão”. Mas no dia seguinte pela madrugada, aí
Anabela Fortunato Sócia nº22 – Suplente estava tudo reunido à hora marcada, para mais um serviço. Termino, agradecendo à Associação Social, C. R. e Desportiva de
Susana Pires Sócia nº125 – Suplente Fica prometida para a próxima edição, uma entrevista ao novo maestro. Os tempos foram mudando e se, por um lado, a banda tem Pínzio/Banda Filarmónica pela oportunidade, a todas as
Abel Lopes Sócio nº69 - Suplente melhorado a nível musical, também as dificuldades têm direções/órgão sociais da mesma, músicos, sócios, simpatizantes
Em relação ao Presidente Vitor Ferreira, agradecer-lhe todo o seu empenho aumentado. A desertificação do interior que leva cada vez mais com quem tive oportunidade de colaborar e conviver. A todas as
DIREÇÃO durante os dois mandatos em que esteve à frente dos destinos da Banda. Sei que jovens para fora, os estudantes no ensino superior longe da associações e entidades que colaboram e apoiam a
Jorge Pires Sócio nº4 – Presidente deu o seu melhor, e o seu melhor foi muito! Desejo muito sucesso à próxima residência, os adultos obrigados a procurar emprego fora da continuidade, bem hajam.
Lisete Cardoso Sócia nº36 – Vice-Presidente direcção da Associação Cultural, pois é um trabalho que exige muita dedicação, região e a luta constante com as novas tecnologias e interesses
Elisabete Teixeira Sócia nº57 – Tesoureira apesar de se pensar, muitas vezes, o contrário. externos próprios da juventude, são dificuldades com as quais Por todos estes anos e porque uma parte da minha vida foi
Ricardo Custódio Sócio nº168 – Secretário A futura Direcção, tal como a que agora cessa, poderá contar comigo e com a nos temos vindo a deparar com frequência. passada naquela sala de ensaio e/ou ao serviço da associação,
Marisa Gonçalves Sócia nº196 – Vogal ADAP para tudo o que estiver ao nosso alcance. por tudo o que recebi e dei à coletividade, onde quer que esteja,
Dina Lopes Sócia nº157 – Suplente O tempo não pára e aceleradamente chegamos a 2018, após a Banda Filarmónica de Pínzio será sempre reconhecida por mim,
Luís Marques Sócio nº67 - Suplente E voltei a ficar sem muito espaço para escrever mais! tantos serviços realizados com a filarmónica, primeiro como como a minha BANDA!
Márcia Parada Sócia nº56 – Suplente Não percam as novidades da ADAP nas páginas centrais deste magnífico Jornal.
Carlos Monteiro Sócio nº2 - Suplente Luís Mário Gonçalves
Ernesto Gonçalves Sócio nº62 – Suplente Votos de um Feliz Natal e próspero ano novo.
UMA “FAMÍLIA … COM GRANDES LAÇOS DE AMIZADE!
CONTACTOS ÚTEIS Vemo-nos novamente na décima nona edição deste Jornal DIA20 em Abril!
Número Nacional Socorro……………….……..….112 Faço parte desta Grande Família que é a Banda vários mandatos, expresso o meu respeito pela coragem de
Junta Freguesia de Pínzio……………...271 947111 Filarmónica de Pínzio há cerca de duas décadas. saírem das suas zonas de conforto e trabalharem em prol da
Posto Público de Pínzio……….……..…271 947131 associação (à qual pertencemos), ajudando a levar mais longe a
GNR Pínzio ……………………………..…….271 947183 Ao longo deste tempo foram-me transmitidos música e o nome de Pínzio.
Farmácia Modena Pínzio……………..…271947257 FICHA TÉCNICA valores e conhecimentos que me ajudaram na
Táxis de Pínzio…………………..………..…271947182 minha formação e no crescimento pessoal. Agora, com a saída do Maestro Luís Mário, cabe-nos agradecer
Pároco de Pínzio …………………….……..967924670 JORNAL DIA20 Por este motivo, quero agradecer publicamente ao novo Maestro Carlos Ferreira por aceitar este desafio,
Correios de Pínzio …………….…….….…271 947111 Diretor: Jorge Pires a todos os que contribuíram, ao longo destes anos, para a entusiasmar os músicos e nos fazer acreditar que é possível
Centro Saúde Pínzio………….…………. 271 947220 Coordenadora: Madalena Cabral continuidade da banda: membros da direção, sócios e músicos, elevar a qualidade musical da banda e dar continuidade a este
Credito Agrícola……………….………..….271 947850 Editores: Jorge Pires, Lisete Pina, Madalena Cabral de uma forma geral. grande projeto, fortalecendo a amizade e o espírito de
Centro P. M Fátima (Lar)………….……271 940010 Sede: Associação dos Amigos de Pínzio, Rua da Pontinha, nº 26, 6400-069 Pínzio camaradagem, como se deste grupo fizesse parte também há 20
Centro de Saúde de Pinhel ……………271 413413 E-mail: adap.pinzio@gmail.com Mais particularmente, agradeço ao Maestro Luís Mário, pelo anos.
Câmara Municipal de Pinhel ……..….271 410000 Facebook : www.facebook.com/pages/Associação-dos-Amigos-de-Pínzio empenho, amizade e entrega total, desempenhando assim um
Repartição de Finanças Pinhel…….…271 412281 Periodicidade: Quadrimestral Por fim, e não menos importante, o meu bem-haja às gentes de
papel decisivo neste percurso e na articulação com a direção
Bombeiros de Pinhel …...……………….271 412211 Design e Paginação: Ricardo Custódio Pínzio por nos receberem e fazerem sentir em casa. Aqui se
EDP Guarda ………………………………….271 004400 desta associação. A este, ao Sr. Amadeu Fortunato, ao José criaram fortes laços de amizade e recordações que certamente
Impressão: Município de Pinhel
ULS – Hospital Sousa Martins ……….271 200200 Joaquim Dinis e Vitor Ferreira, que assumiram a liderança dos acompanharão cada um de nós para a vida.
Tiragem: 250 Exemplares a preto e branco
C.R. Seg. Social…………………….………..271 232600 Distribuição: Gratuita
PT Telecom ………………..………………..271 208300 Joaquim Miguel, percussionista da B. F. Pínzio

Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018


JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO JORNAL DA ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE PÍNZIO

É DE PÍNZIO OU TEM LIGAÇÕES A PÍNZIO?

TEM UMA EMPRESA OU UM NEGÓCIO?

ENTÃO ESTE ESPAÇO É DEDICADO A SI!

UM DOS OBJECTIVOS DESTA PUBLICAÇÃO, É QUE ELA POSSA CHEGAR A TODA GENTE,
SEM BUROCRACIAS NEM DISCRIMINAÇÕES

PARA PODER CUMPRIR ESTE OBJECTIVO, NÃO PODEMOS TER ESPAÇO EM BRANCO!

A SUA EMPRESA OU NEGÓCIO, PODE APARECER AQUI COMO PATROCINADOR OFICIAL

NÃO LHE PROMETEMOS MAIS NEGÓCIOS NEM MAIS CLIENTES

MAS PROMETEMOS DEDICAÇÃO A ESTA CAUSA

CONTACTE-NOS POR EMAIL PARA adap.pinzio@gmail.com


OU JUNTO DE QUALQUER ELEMENTO DA DIRECÇÃO
PARA CONHECER AS CONDIÇÕES
(20 amigos por ano com recibo)

Parabéns Banda Filarmónica (1888- 2018) - ORGULHO DE PÍNZIO!

A Associação dos Amigos de Pínzio, deseja a Mais uma época festiva, desta vez foram as comemorações do seu aniversário…130 anos. Em 1888 foi fundada pela primeira vez. Mais
tarde nas décadas de 60 e 70 sofreu um interregno devido à forte migração dessa época. Em 1982, retomou novamente a sua atividade.
todos, um Feliz Natal e um próspero Ano 2019 Parabéns à Banda Filarmónica de Pínzio … o orgulho da nossa aldeia!
Que ele traga muita Saúde, Paz e Amor!
À CONVERSA COM… Padre Domingos Pereira 1918/2018 … um século … uma VIDA!
“Meu pai, Manuel Pereira Domingos, cresci a Chegar aos 100 anos é uma aventura…é uma
vê-lo Regedor que, ao tempo tinha a função Vida! Envelhecer assim é um privilégio! Chegar
de manter a ordem… Minha mãe, Ana aos cem anos é vencer os altos e baixos com
Vicência Ferreira, a senhora Aninha, como era certeza, e muitas histórias para contar!… Todos
conhecida no povo, foi um modelo de mãe os filhos felizes e emocionados, “agradecemos a
carinhosa e de mãos solidárias. Minhas irmãs Deus por conceder esta graça e podermos
Maria Alice, Clarinda e Rosa Maria foram as celebrar um século de vida da nossa mãe”….
companheiras do meu crescimento. Éramos Além dos filhos a aniversariante estava
uma família tradicional, muito unida. visivelmente feliz.

Jornal Nº18 – Dezembro 2018 Jornal Nº18 – Dezembro 2018