Você está na página 1de 2

EDITORIAL

O estresse é um dos
problemas de saúde
ESTRESSE mais frequentes e
duradouros e aflige
milhares de pessoas no
É a soma de respostas físicas e mentais causadas por estímulos externos (estressores) planeta. Não deve ser
e que permitem ao indivíduo superar exigências do meio ambiente e os negligenciado. Escolher
ignorar o estresse pode
desgastes físico e mental causados por esse processo.
levar a problemas físicos
e mentais.
CAUSAS DO ESTRESSE
Cerca de 75% das
doenças estão
É importante determinar a causa do estresse para que ele possa ser controlado efetivamente: relacionadas com o
• Exposição constante ao barulho, trânsito, situações de risco; estresse. Entre elas
• Morte de pessoa muito chegada; estão a hipertensão,
ataques cardíacos,
• Problemas nas relações afetivas;
acidentes vasculares
• Preocupações financeiras; cerebrais (derrames),
• Desemprego; depressão, ansiedade,
• Má gestão do tempo; síndromes da fadiga
• Descanso e lazer insuficientes; crônica e do cólon
• Dificuldade na aceitação de fatos; irritável, distúrbios
• Excesso de trabalho e de preocupações; digestivos, obesidade,
• Doenças; enxaquecas e alguns
• Tensões, pressões e cobranças excessivas; problemas respiratórios.
• Fobias (medo de perder o emprego, de perder um parente, de não agradar, de morrer, de engordar). Longos períodos sob
estresse perturbam o
sistema imunológico,
SINTOMAS DO ESTRESSE tornando-nos mais
propensos a infecções,
Os sintomas do estresse são variáveis, pois é muito variável o câncer e doenças
impacto das situações estressoras sobre as diferentes pessoas e o autoimunes. São
efeito cumulativo dos estímulos estressores sobre elas. Em geral, o exemplos: a artrite
reumatoide, o lúpus, as
organismo humano vai reagindo fisiologicamente a estes estímulos na
doenças da tireoide,
tentativa de adaptar-se
adaptar às circunstâncias.
certos tipos de anemia e
Cada pessoa pode desenvolver um sintoma diferente problemas de
aos tipos de estressores diferentes. fertilidade.
Com o tempo, o estresse pode provocar: Diante disso, o MP-GO
faz um alerta à
• Problemas digestivos: úlceras, náuseas e vômitos; população por meio
• Problemas cardíacos (aceleração do ritmo cardíaco), aumento da pressão arterial (hipertensão), deste informativo.
colesterol alto, diabetes, diversos problemas do sono (insônia);
• Distúrbios psíquicos: nervosismo, ira excessiva e não habitual, crise de angústia, medos excessivos
(fobias), depressão, ansiedade, irritabilidade. Problemas de distração, diminuição
do rendimento, falha de memória, problemas de concentração, cansaço;
• Desenvolvimento ou reaparecimento de doenças infecciosas como a herpes
labial, herpes genital, dores de garganta, resfriado, ganho ou perda de peso,
dor de cabeça, dores musculares;
• Problemas bucais: mau hálito (devido a uma desidratação da boca, causada
pelo estresse), BRUXISMO ou ranger de dentes (provocando desgaste nestes);
• Problemas na gravidez: no início da gravidez o estresse aumenta o risco de
aborto espontâneo, já no fim da gravidez, aumenta o índice de partos prematuros;
• Problemas sexuais: distúrbios eréteis, perda de desejo (problemas
problemas de libido),
problemas de esterilidade. Distúrbios da menstruação;
• Problemas de pele devido ao aumento da oleosidade causada pelo
“hormônio do estresse”, o cortisol. Piora a recuperação de lesões na pele,
além de ser um desengatilhador de muitas doenças que afetam a pele, como psoríase e dermatite seborreica. Aparecimento de
caspa, queda de cabelos (pode ocorrer até três meses após um episódio estressante);
• Problemas de comportamento, como: arranhar a pele, puxar cabelos, esfregar partes do corpo, roer as unhas, unhas
quebradiças ou descascadas.
PREVENÇÃO E TRATAMENTO DO ESTRESSE ESTRESSE
X
OBESIDADE
Nem sempre é possível evitar as situações que causam estresse, mas Estresse pode engordar.
podemos alterar as nossas reações aos estímulos. Muitos fatores influenciam na Há um aumento de
resposta ao estresse: idade, sexo, educação, experiência, personalidade, saúde apetite, fruto de uma
e expectativas. Mudanças no estilo de vida previnem e até mesmo ajudam no reação combinada de
agentes químicos
tratamento do estresse,, como: ter uma alimentação saudável, praticar atividades desencadeada pela
físicas periodicamente, o lazer, a meditação, o relaxamento, o descanso, dormir regularmente, ouvir tensão. São
música, ler, passear, “brincar”, sorrir, conversar com os amigos, sair de férias, enfim, praticar atitudes neurotransmissores e
que façam bem não somente ao corpo, mas à alma. Procure identificar as situações que lhe colocam em hormônios que, além de
aumentar a fome,
um estado estressante e tente remediá-las.
remediá
provocam o acúmulo de
gordura, principalmente
Em alguns casos, a psicoterapia (com um psicoterapeuta ou psiquiatra), as técnicas de coaching , a
nas regiões abdominal,
ioga, a acupuntura e medicamentos contra o estresse podem auxiliar na cura deste. Porém, antes de tronco e rosto.
iniciar uma terapia medicamentosa é necessária a prescrição médica. O estresse leva a hipófise
Além disso, existem tratamentos específicos para doenças a produzir mais
decorrentes do estresse. hormônio. Este estimula a
glândula suprarrenal a
O resultado do agravamento e da falta de tratamento do estresse produzir mais cortisol.
O cortisol, quando em
pode resultar no "ESGOTAMENTO” : perda acentuada excesso, inibe a leptina,
no limiar de tolerância aos estímulos externos. Sintomas: substância reguladora do
apetite e que age no
hipotálamo. O cortisol
permite também uma
*Instabilidade, falta de controle, agressividade; maior retenção de
mal
*Fadiga fácil, fraqueza, mal-estar; líquidos e maior síntese e
acúmulo de gordura.
* Perda de concentração, esquecimento;
Dessa forma, os dois
* Depressão, angústia; fatores combinados
* Palpitações cardíacas; (apetite maior e o
* Suores frios, tonturas, vertigens; metabolismo propício ao
* Dores generalizadas; acúmulo de gordura)
levam à obesidade.
* Queixas físicas sem constatação médica;
SINTOMAS DA
* Respiração alterada, ofegante e curta; OBESIDADE
* Extremidades (mãos e pés) frias e suadas; PROVOCADA POR
* Musculatura tensa e dolorida; STRESS:
* Indigestão, gastrite, mudança de apetite; Gordura mais
* Apatia, desmotivação, isolamento, concentrada na região do
abdome, nas coxas e nos
introspecção; braços, doenças
* Dermatoses, alergias, queda de cabelo; cardiovasculares,
* Tiques nervosos; hipertensão arterial,
* Alterações do sono, insônia; diabetes, depressão,
fome compulsiva à noite,
aumento de peso após
ESTRESSE INFANTIL algum trauma.

Até tempos atrás, o estresse era tido como exclusividade dos adultos. Entretanto, recentes pesquisas mostram que, hoje em
dia, as crianças também têm sido acometidas. Entre as principais situações relacionadas ao estresse infantil considera-se: perdas
familiares, mudança de cidade ou escola, separação dos pais, brigas entre os pais, violência doméstica, quando um dos pais bebe
be
e fica violento, exigência exagerada de desempenho escolar, social ou no esporte, nascimento de irmãos, doenças e
hospitalização. O estresse infantil pode se manifestar quando começam os problemas de adaptação na escola ou como
agravamento de quadros pré-existentes,
existentes, como por exemplo, asma, obesidade, problemas de pele, alergias, recaídas de gripes e
resfriados. Uma criança estressada pode ser preditiva de futuro quadro depressivo na adolescência, de futuras
dificuldades de adaptação e de autoestima rebaixada. Sintomas do estresse infantil:
Sintomas Emocionais: Sintomas Físicos: Realização:
- Pesadelos - Diarreia crônica Benedito Torres
- Ansiedade - Tique nervoso Procurador-Geral de
Justiça
- Impaciência - Dor de cabeça Marcelo Celestino
- Medo excessivo - Gagueira Coordenador do
CAOSAÚDE
- Choro excessivo - Tensão muscular Diagramação: Cristianne
- Introversão súbita - Ranger de dentes Diógenes
Revisão: Ana Cristina
- Agressividade - Falta de apetite Arruda
- Desobediência - Dor de barriga (GO-00894-JP)
Fontes: psiqweb.med.br;
- Hipersensi
ensibilidade - Náusea Instituto de Endocrinologia
- Irritabilida
ilidade - Xixi na cama à noite e Diabetes do RJ;
Wikipédia; Editora Abril.