Você está na página 1de 12

Fenômenos de Transferência de Massa

2.1 Difusão em camada estagnante


Um cristal plano de sulfato de cobre encontra-se num tanque de água pura a 20 °C.
Estime a taxa de dissolução do cristal, considerando que a difusão molecular ocorre
através de um filme de água de 0.0305 mm de espessura que rodeia o cristal. A
solubilidade do sulfato de cobre em água corresponde a uma fracção molar de 0.0229
(concentração média da solução igual a 56.2103 mol m-3). A difusividade do sulfato de
cobre é igual a 7.2910-10 m2 s-1.

2.2. Difusão em camada estagnante em estado quase-estacionário.

O método de Winkelman é um processo prático de determinação de difusividades de


vapores. Basicamente faz-se passar uma corrente de gás perpendicularmente a um
capilar contendo o líquido correspondente aos vapores em estudo (A). O gás,(B), isento
de vapor deste líquido, passa a um caudal suficientemente elevado para que a pressão
parcial de vapor nesta corrente seja desprezável.
gás B puro gás B puro

L0 L

t=0 t=t
líquido A líquido A

Se o capilar for termostatizado não existirão correntes de convecção natural na mistura


gasosa no interior do capilar, sendo válida a equação de difusão em camada estagnante:
dxA
NAz = - C DAB + xA NAz
dz
A taxa de evaporação do tetracloreto de carbono (A) em ar (B) pode ser estimada a
partir da variação do menisco no capilar. Esta variação é registada na tabela:
t (h:min) L – L0 (cm)
0:00 0
0:26 0,25
3:05 1,29
7:36 2,32

Com base nestes dados experimentais calcule a difusividade, DAB, a 48 ºC e 1


atmosfera. (Dados: PVA = 282 mm Hg, A = 1,54 g cm-3).
2.3- Difusão em camada estagnante.
Considere a evaporação de um líquido A para a atmosfera (P = 1 atm). O processo
ocorre através de um filme de ar estagnante adjacente de espessura . A partir de que
valor de temperatura é que o transporte convectivo de A se torna significativo? Assuma
que o transporte convectivo se torna significativo quando o fluxo respectivo for superior
a 10 % do fluxo difusivo. A variação da pressão de vapor de A com a temperatura é
dada pela seguinte equação de Antoine:
1552
8.04 
T (º C )  222.7
P(mmHg )  10

2.4- Difusão em camada estagnante: contra-difusão equimolecular


Considere uma coluna de destilação simples, consistindo num tubo vertical, na base do
qual é fornecida uma mistura binária de benzeno (B) e tolueno (T). Os vapores no topo
da coluna condensam e parte é recirculada como um filme líquido que escorre pelo
interior do tubo. Numa dada secção da coluna o vapor contém 85.3% (molar) de
benzeno e o filme líquido adjacente 70.0%. A temperatura é de 86.8 ºC. A resistência
difusional à transferência de massa entre a interface vapor-líquido e o interior da
corrente gasosa é equivalente à resistência difusional de uma camada estagnada de gás
com espessura  de 2.54 cm. Calcule o fluxo molar de benzeno na referida secção da
coluna. Admita que a curvatura da camada estagnada é desprezável e que os calores
latentes do vapor de benzeno e do vapor de tolueno são aproximadamente iguais.
Dados: DBT = 5.06 × 10-6 m2s-1, PvT = 49140 Pa, P total = 1.01× 105 Pa.
2.5 - Teoria do filme: difusão com reacção heterogénea (I).

Considere o reactor catalítico esquematizado na figura e onde se processa a reacção de


polimerização nA  An:

A A e An

A reacção ocorre instantaneamente na superfície catalítica. Considere uma resistência


ao transporte de A e An, situada num filme de gás de espessura  em redor das partículas
esféricas de catalisador. Simplifique a equação da continuidade para A e escreva uma
expressão que permita calcular a taxa de consumo de A por unidade de área interfacial
de catalisador.

2.6 -Teoria do filme: difusão com reacção heterogénea (II).


Numa câmara de combustão o O2 difunde-se do ar para a superfície de partículas
esféricas de carvão e reage dando CO e/ou CO2. Admita que a reacção é instantânea e
ocorre apenas à superfície. Em estado estacionário e assumindo que em redor das
partículas de carvão há uma camada estagnante muito espessa, obtenha a taxa de
transferência de O2 para as três situações seguintes:
a) Se só se formar CO2 na superfície do carvão
b) Se só se formar CO na superfície do carvão
c) Se ocorrer a seguinte reacção: 3C + 2O2  2CO + CO2

2.7 - Difusão com reacção química em camada estagnante.


Considere a dissolução de CO2 numa solução alcalina contendo um catalisador. A
solução encontra-se numa proveta de altura L = 0,5 cm. O CO2 absorvido reage
irreversivelmente de acordo com uma lei de 1ª ordem com k = 35 s-1. A solubilidade do
CO2 na solução é igual a 3 x 10 -2 kmol m-3 e o coeficiente de difusão é igual a 1,5 x 10 -9
m2s-1.
a) Escreva a equação diferencial e as condições fronteira que descrevem o
transporte de CO2 através da solução em estado estacionário.
b) O perfil de concentrações de CO2 na proveta é dado pela equação:

C A cosh L k1 D AB 1  z L 


C A0 
cosh L k1 D AB 
Demonstre que esta equação satisfaz a equação diferencial obtida em a).
c) Calcule a taxa de dissolução de CO2 e a sua concentração média na solução.
2.8 - Difusão em meio semi-infinito (i)
Uma placa muito espessa de um material poroso está impregnada de um solvente A com
uma concentração uniforme e igual a cA = 1000 mol m-3. Subitamente, uma das faces é
exposta a uma corrente turbulenta de uma solução aquosa com uma concentração do
solvente A, cA0 = 100 mol m-3. Calcule a concentração de solvente na placa a 0.01 cm
da superfície e ao fim de 1 hora. A difusividade do solvente no sólido é igual a 4 × 10 -9
m2 s-1.

2.9 -Difusão em meio semi-infinito (ii)


Num dado ensaio, a difusividade de NO2 em água é medida colocando num dado
instante NO2 em contacto com água pura a 16ºC e a 0.93 atm num recipiente imóvel.
Sabendo que a área da superfície de contacto de 36.3 cm2 e que a água absorve 0.83 cm3
de NO2 em 3 minutos, determine a difusividade.
Dados: constante de Henry = 37 000 atm cm3 mol-1.

2.10 - Absorção em coluna de paredes molhadas.


Numa pequena coluna de paredes molhadas de 30 cm de altura e 3 cm de diâmetro
efectua-se a purificação de uma corrente de ar contaminada com vapores de NH 3. O
fluido absorvente é água que circula num filme descendente de espessura 0,07 cm, e
com um perfil de velocidades (cm/s) igual a vz(x) =4.5 cm/s  [1-(x/0.07 cm)2].
Considere que a solubilidade de NH3 em água é igual a 1.16 x 10 -4 mol cm-3 e que a
difusividade de NH3 em água é de 1.6 x 10-5 cm2 s-1.

a) Escreva a equação diferencial e as condições fronteira que descrevem o transporte


de NH3 através da solução em estado estacionário.
b) Calcule a taxa de remoção de NH3 da fase gasosa.
c) Considere que a corrente de ar à entrada tem uma concentração de NH 3 igual a
2  10-6 mol cm-3, e que circula a uma velocidade de 40 cm s -1. Calcule a
concentração de NH3 à saída.
ANEXOS

2 
Tabela da Função erro: erf ( )   e  d
2

 0

 erf ( )  erf ( )
0.0 0.0000 1.6 0.9763
0.2 0.2227 1.8 0.9891
0.4 0.4284 2.0 0.9953
0.6 0.6039 2.2 0.9981
0.8 0.7421 2.4 0.9993
1.0 0.8427 2.6 0.9998
1.2 0.9103 2.8 0.9999
1.4 0.9523 3.0 1.0000
Equações da continuidade de A com fluxos molares

Coordenadas rectangulares:
c A  N Ax N Ay N Az 
      RA
t  x y z 

Coordenadas cilíndricas:
c A  1  (rN Ar ) 1 N A N Az 
     RA
t  r r r  z 

Coordenadas esféricas:
c A  1  (r 2 N Ar ) 1  ( N A sin  ) 1 N A 
  2     RA
t  r r r sin   r sin   

Equações da continuidade de A para  e DAB


constantes.

Coordenadas rectangulares:

c A  c A c A c A    2cA  2cA  2cA 


  vx  vy  vz   D AB  2     RA
t  x y z   x  y 2
z 2 

Coordenadas cilíndricas:

c A  c A 1 c A c A   1   c A  1  2 c A  2 c A 
  vr  v  vz   DAB  r  2  2 
  RA
t  r r  z   r r  r  r  2
 z 

Coordenadas esféricas:

c A  c A 1 c A 1 c A 
  vr  v  v 
t  r r  r sin  
 1   2 c A  1   c A  1  2c A 
 D AB  2  r  2  sin  2   RA
2 
 r r  r  r sin      r sin   
DIAGRAMAS DE GURNEY-LURIE
DIAGRAMAS DE GURNEY-LURIE: COORDENADAS RECTANGULARES
DIAGRAMAS DE GURNEY-LURIE: COORDENADAS CILÍNDRICAS
DIAGRAMAS DE GURNEY-LURIE: COORDENADAS ESFÉRICAS