Você está na página 1de 32

CADERNO DDS

MAP
2019
Período: Março de 2019
01
COLETA SELETIVA
Ter boas práticas ambientais é muito importante. E o que são boas práticas ambientais?
É cada um saber exatamente o que pode ser feito para gastar menos água, gastar menos
energia e dar a destinação correta para aquilo que consideramos lixo. Lixo é tudo aquilo que
é inservível, mas se nós separarmos o lixo através de um sistema de coleta seletiva, aquele
lixo que não tinha utilidade passa a ter alguma utilização.
E de que forma essa separação é feita, para que o lixo possa ser reaproveitado? Um conceito
básico é a separação por cores dependendo da natureza do lixo, pois o lixo só tem valor se
for separado. Por exemplo:
Os papéis ficam nos recipientes azuis;
Os metais nos recipientes amarelos;
Os vidros nos recipientes verdes;
Os plásticos nos recipientes vermelhos.
O que é feito com o lixo depois de separado? O reaproveitamento. Por exemplo, garrafas
PET podem ser utilizadas na confecção de um sofá; anéis de latas de alumínio podem ser
utilizados para confeccionar enfeites, acessórios. Agora sabemos que todo o vidro pode ser
reaproveitado, assim como papel e o plástico.
Mas se o lixo estiver misturado, acaba indo todo ele para o mesmo lugar. Lixos que envolvem
produtos químicos têm uma destinação especial. Por exemplo: pilhas, baterias, lâmpadas
florescentes. Há a necessidade de pessoas preparadas e treinadas para lidar com esse tipo
de material. Reaproveite os copos descartáveis durante todo o dia de trabalho, ao invés de
usar um cada vez que for beber água ou café.
• O melhor lixo é aquele que não foi gerado!
02
USO DO PROTETOR FACIAL

O protetor facial é um EPI que protege a face e o pescoço


contra projeção de fragmentos sólidos.

Utilizamos o protetor facial para trabalhos com as


seguintes ferramentas:

 Lixadeira
 Esmerilhadeira Estes com Óculos Ampla Visão.
 Serra circular
 Máquina de cortar grama
 Marreta
 Martelo
 Furadeira

Então não esqueça: para utilizar estas ferramentas é


OBRIGATÓRIO a utilização do protetor facial.
Da mesma maneira, o profissional que estiver auxiliando
na atividade, também deve utilizar o protetor facial.
O protetor facial é uma medida de controle de ordem
individual (EPI). Devemos utilizar também medidas de controle
de ordem coletiva, como biombos, isolamentos etc.
03
Trabalhe com alegria

Você já parou para pensar que trabalhar é uma coisa boa? Se


não, me responda, quando estava desempregado ficava feliz
por isso?

Pois é, trabalhar é bom e importante, se não fosse verdade


ninguém procuraria emprego!

Seja feliz por estar empregado. Tem muita gente que está triste
por falta de emprego Gostaria de se juntar a eles… Acho que não,
então agradeça a Deus por ter um trabalho, e se alegre por isso!
04
Protocolos de Riscos críticos:
Trabalho a Quente
 DEFINIÇÃO :
Trabalho a quente é qualquer operação temporária que envolva chama aberta ou que
produza calor ou faísca, podendo causar a ignição de combustíveis sólidos, líquidos ou
gasosos, incluindo corte com maçarico, solda oxi-acetilênica, solda por arco, uso de furadeira,
aplicação de revestimento em teto com chama aberta, esmerilhamento, lixamento,
aquecimento ou cura com chama exposta ou outro tipo de serviço que possa gerar fagulhas,
centelha ou chamas. A execução dessa atividade deve haver alguns cuidados que vamos
aprender agora :

 ARMAZENAGEM DE CILINDROS
 Os envolvidos nas atividades de recebimento, manuseio, transporte e armazenagem
devem ser qualificados e autorizados.
 As áreas de estocagem de tanques e cilindros de gases pressurizados, equipamentos
de oxi-corte, máquinas de solda, cilindros e tanques estacionários devem conter TAG
de identificação.
 Os tanques e cilindros devem estar dispostos em locais ventilados, com proteção
contrachoques mecânicos e construção estrutural reforçada
 O local de deve ter Sinalização ("não fumar") e equipamentos de combate a incêndio.
 Os circuitos elétricos devem ser à prova de explosão.
 Os tanques e cilindros devem estar sinalizados, mantidos com os dados de placa em
modo indelével;
 Os cilindros devem ser mantidos na posição vertical, com travamento contra queda e
com os capacetes de proteção das válvulas rosqueados;
 Os cilindros de gases inflamáveis devem ser mantidos a uma distância segura de
substâncias Inflamáveis e/ou explosivas e ambientes de alta temperatura (observando
o nível de concentração de gases / vapores / particulados e também a temperatura
ambiente) que permitam o Trabalho a Quente;
 As linhas pressurizadas devem estar claramente identificadas, sinalizadas,
perfeitamente conectadas e protegidas contrachoques ou qualquer outra
característica danosa.
05
BLOQUEIO E ISOLAMENTO DE
ENERGIAS
É importante que todos os funcionários estejam conscientes e
atentos em relação ao sistema de gestão de bloqueio e
isolamento de energias. Aproveite esse domingo para refletir
sobre essas regras de segurança:
• Tenha autorização de trabalho antes de intervir em um
equipamento energizado.
• Certifique-se de que a tomada e os interruptores elétricos
tenham a etiqueta de verificação atualizada.
• Nunca realize o trabalho sem ser treinado e capacitado para
operar equipamentos elétricos manuais.
• Respeite a distância de segurança em relação a painéis elétricos
por causa de arco elétrico.
• Nunca acesse CCM/painéis elétricos/subestações se não for
eletricista credenciado.
• Não provoque risco de tropeção nos cabos de alimentação.
• Não permita instalações arriscadas, mesmo que seja de forma
temporária.
06
CUIDADOS COM A SAÚDE: A
DROGA DO ÁLCOOL.
Existe uma droga legal, que pode ser adquirida e consumida em qualquer esquina,
rua ou loja de qualquer cidade pequena ou média. É o álcool, puro, misturado disfarçado.
Ele causa prejuízos físicos e materiais a pelo menos 10% da população brasileira.
Uma das discussões mais polêmicas do alcoolismo é a que indaga, onde termina o
beber normal e começa a doença.
Um critério mais abrangente é o que considera ocorrer alcoolismo quando existe a perda
da liberdade sobre o ato de beber. Isto é, quando se bebe costuma-se normalmente levar
em conta se a ingestão de álcool naquele momento é adequada, se não vai interferir com
algum compromisso pessoal ou profissional.
DICA: Um dos tratamentos mais eficazes e conhecidos de todos, é gratuito sem distinção
de classe social, sexo, religião. E o proporcionado pelo grupo de Alcoólicos Anônimos, o
único requisito para tornar-se membro é o desejo de parar de beber.
Se você tem algum familiar, colega ou conhecido dependente de drogas, converse com a
pessoa e a ajude a procurar assistência.
Nunca é tarde para tirar uma vida do abismo das drogas.
O álcool destrói o homem, a família e prejudica todos os segmentos da
sociedade em proporções devastadoras.
Lembre-se sempre da Regra pela vida N° 01.
07
UTILIZAÇÃO DOS EXTINTORES
Os extintores de incêndio são equipamentos de segurança que são utilizados com a
finalidade de extinguir rapidamente um incêndio.
Os extintores devem ser utilizados por pessoas que receberam treinamento
sobre o uso e evidenciado na carteirinha de treinamentos.
Os extintores JAMAIS devem ser utilizados para outra finalidade senão o
combate a incêndio.
Sempre que um extintor for utilizado para combater um princípio de incêndio a
equipe de segurança deve ser informada para que as causas sejam investigadas e
um novo extintor seja colocado na área.
Atividades com risco de incêndio devem sempre ter nas proximidades 1 ou mais
extintores de incêndio.
Não há problema em retirá-lo da parede e colocá-lo próximo a atividade.
Mas depois de encerrar o trabalho retorne-o para o lugar de onde foi retirado.
08
Protocolos de Riscos críticos:
Segurança no Volante
 OBJETIVO:
 Acidentes de transito, potencial de mortes ...
 Maio amarelo
 A unidade deve organizar campanha anual de prevenção de acidentes no trânsito
segurança no volante, envolvendo e informando os empregados e parceiros sobre regras
no trânsito.
Regras para conduzir veículo na unidade:
 Jovem Aprendiz e Estagiários não podem conduzir veículos na unidade.
 Todos os condutores de veículos leves e pesados e motoristas, que transportam
empregados, devem ter curso de direção defensiva teórico e prático.
 Os motoristas que transportam Produtos Perigosos devem realizar curso de MOPP
- Movimentação Operacional de Produtos Perigosos.
 Os empregados (próprios ou contratados) e os motoristas, condutores e operadores
não devem dirigir veículos sob a influência de álcool, drogas ou qualquer substância
ou medicamento que possa afetar negativamente sua capacidade de
operar/conduzir o veículo de forma segura e controle de fadiga.
 Todos os veículos (sejam próprios, contratados, terceirizados ou alugados) devem
estar equipados com cintos de segurança para cada um dos passageiros.
 Proibido o uso de telefones celulares quando se está dirigindo.
 Os veículos que circulam na unidade precisam estar com seu selo de inspeção em
dias, o mesmo tem validade de 3 meses.
 Motoristas/operadores, assim como pedestres e todos envolvidos na operação
devem usar roupas de alta visibilidade ao trabalhar perto de veículos em
movimento.
 Motoristas/operadores, assim como pedestres e todos envolvidos na operação
devem usar roupas de alta visibilidade ao trabalhar perto de veículos em
movimento.
09
PERCEPÇÃO DE RISCOS
Perceber um risco significa ter a habilidade de interpretar uma situação que
oferece ou pode oferecer potencial malefício à saúde ou à vida da pessoa
ou, ainda, a terceiros. Por isso, esteja atento às dicas abaixo, que podem
lhe ajudar a perceber um risco:
• Respeite e siga os dizeres da Política Global de Segurança.
• Planeje com antecedência suas atividades.
• Analise sua atividade antes do início da tarefa.
• Interprete, selecione e organize as informações recebidas pelos seus
sentidos (visão, olfato, audição, tato, paladar e intuição).
• Verifique qual a probabilidade e respectiva gravidade de um trabalho a ser
realizado por você causar algum tipo um dano.
Especialistas costumam dizer que a visão é responsável por 80% da nossa
Percepção. Já a audição, tato, olfato e paladar, por 20%. Logo:
Utilize os cinco sentidos, sem deixar a sua intuição de lado. Às vezes, a sua
intuição e auto responsabilidade podem colaborar em até 100% para a
percepção de um risco.
Ao ter contato com um perigo por meio dos sentidos ou intuição, interprete
tal informação, para depois, decidir o que fazer. Para isso, você controlar a
sua ansiedade.
Obs: Nenhuma tarefa é tão importante e urgente que não possa ser
planejada e executada com segurança.
10 CONTROLE DE RUIDO
Neste DDS vamos falar sobre ruído e como controlá-lo.
Um ruído caracteriza-se pela falta de uniformidade e harmonia, por isso é classificado
como “som desagradável”.
É importante que sejam conhecidos e monitorados os níveis de ruído para se classificar áreas ambientais
e ocupacionais em próprias ou impróprias para a utilização, bem como sugerir medidas preventivas ou
atenuadoras do desconforto provocado pelo ruído.
O controle dos níveis de ruídos em uma determinada área é específico e depende de critérios
associados a fatores como tipo de fonte, arrumação das salas e equipamentos, material constituinte
dos objetos e de construção do local.
A regra básica para garantir de que não haverá seqüelas (Perda Auditiva, SURDEZ) é reduzir a exposição
ao ruído. O ideal no controle do ruído é reduzir o Nível de Pressão So nora (intensidade do ruído) a
um valor no qual não se provoque o desconforto. O método mais recomendado, desde que se
apresentem condições de viabilidade, é o de controle na fonte (diminuir ou acabar com a causa do
ruído), seguido do controle na via de transmissão no trajeto entre a fonte de origem e o atingido (por
exemplo: enclausuramento da fonte de ruído) e a proteção individual.
Os protetores auditivos (EPI’s), como dispositivos que dificultam a passagem do som, podem ser do
tipo PLUG ou do tipo CONCHA.
Os do tipo plug são colocados no canal auditivo e podem ser descartáveis ou pré-moldados.
A higiene das mãos é muito importante no ato de colocação dos protetores auditivos.
Os do tipo concha que atuam como uma barreira à onda sonora, são os mais eficientes.
Dado importante com relação aos protetores auditivos é o referente à sua manutenção, conservação e
sua colocação que deve seguir-se às orientações do fabricante, pois os equipamentos perdem eficiência
se utilizados de maneira incorreta.
O equipamento bem escolhido e mantido atenua o ruído, reduz o risco de acidente e facilita a
comunicação.
11 RISCOS DO MAU USO DO AR COMPRIMIDO
Todos nós devemos estar conscientes dos riscos e cuidados a serem tomados nos trabalhos
com ar comprimido.
O ar comprimido é muito utilizado nas indústrias e pode ser considerado tão importante como
a energia elétrica ou a matéria-prima. Entretanto por estar comprimido, o ar e também outros
gases de uso industrial, como o nitrogênio, requer manipulação delicada e precauções especiais
para seu uso, para evitar que seja mal empregado ou sem acessórios como: conexões,
manômetros, maçaricos, mangueiras, chave de conexão, válvula corta-chamas. É importante
manter todo este conjunto fixado, antes e após o uso, para que não venha a sofrer quedas.
Muitas vezes ar comprimido é usado de forma inadequada, com a prática de atos inseguros,
comuns em áreas de muita poeira, quando o trabalhador utiliza o ar comprimido para limpar
a roupa. Como também nas épocas de muito calor, para se refrescar com o ar comprimido.
Atos desta natureza poderão acarretar sérias conseqüências a aqueles que ignorarem os
preceitos de segurança e venham a cometer estas imprudências.
Não se deve utilizar o ar comprimido para limpeza de roupas ou cabelos, pois um jato de ar
suficientemente forte de uma mangueira, poderá arrancar um olho de sua órbita, romper um
tímpano ou causar hemorragia, como pode também penetrar por um corte ou escoriações na
pele e insuflar a carne, causando dor intensa ou uma lesão mais grave. Se o ar chegar a penetrar
em vaso sangüíneo, pode produzir bolhas de ar que irá interromper a circulação do sangue
dentro dos vasos sangüíneos. Esta lesão denomina-se embolia por ar.
Jato de ar comprimido, mesmo com pressões baixas, pode arremessar partículas de metais ou
outros materiais sólidos que estão na tubulação de ar, a velocidades tão altas, que se convertem
em perigo para os olhos e o rosto. O ar comprimido possui muitas impurezas, tais como,
partículas de óleo, graxas e outras partículas pequenas. Um jato de ar comprimido sobre a pele
introduz estas impurezas através dos poros, podendo causar sérias doenças de pele.
12 PROTEÇÃO DOS OLHOS
Neste DDS vamos lembrá-lo que a proteção dos olhos é um dos pontos importantes na
prevenção de acidentes.
A finalidade dos óculos de segurança é proteger a pessoa contra partículas sólidas
projetadas e / ou em suspensão.
Em muitos locais de trabalho existem muitos riscos que podem ter como consequência
a lesão nos olhos. É por isto, que os óculos de segurança é considerado um EPI básico
e, em muitos casos, obrigatório para todo empregado ou pessoa que trabalhe ou
transite numa área industrial.
Para ser aprovado os óculos de segurança deve ser confeccionado segundo as normas
da ABNT e possuir o C A (certificado de aprovação).
Recomendações sobre o uso e conservação dos óculos:
• Os óculos devem ajustar-se perfeitamente ao rosto, sem deixar aberturas;
• A haste ou elástico deve manter os óculos firmes no rosto, porém sem
incomodar ou machucar;
• Use-o constantemente durante todo o tempo que permanecer no trabalho para
o qual for designado;
• Ao colocar ou retirar não segure os óculos apenas por uma haste, mas pelas duas
ao mesmo tempo;
• Limpe as lentes somente com tecido ou papel limpo e macio;
• Não deixe que as lentes tenham contato com qualquer superfície, coloque os
óculos com as lentes sempre para cima;
• Não os guarde ou o carregue nos bolsos traseiros das calças;
• Não os transporte junto de ferramentas;
• Não os abandone junto a fontes de calor;
• Não os deixe em local onde possam receber respingos de óleo, graxa, ácidos,
corrosivos, solventes ou qualquer substância que possam danificá-lo;
• Não use os óculos com defeitos (falta de proteção lateral, elástico ou haste
danificada ou lentes riscadas);
• Em locais sujeitos a embaçamento das lentes, use o líquido anti-embaçante.
13 Ordem, limpeza e segurança
Todos os empregados têm suas tarefas para fazer.
A TÉCNICA JAPONESA DOS 5 S - senso de utilização, ordenação, limpeza, asseio
e disciplina - fazem parte de nossas obrigações. Mas o que é isto afinal?
“Arrumação, limpeza, ordenação, asseio e disciplina” significa manter as coisas arrumadas
e ordenadas, o chão limpo, sem papel, óleo derramado, graxas nas paredes e assim por

1
diante. É aquele empilhamento de material corretamente, máquinas de pequeno porte
guardados nos seus devidos lugares, chaves e ferramentas acomodadas nos lugares
certos e limpos. A boa arrumação significa ter livre acesso quando uma emergência de
primeiros socorros e a equipamentos de combate a incêndio.
Significa muitas coisas, mas a definição mais curta é: “UM LUGAR APROPRIADO
PARA CADA COISA E CADA COISA NO SEU DEVIDO LUGAR”.
Todos os trabalhadores podem ajudar no esforço de arrumação, fazendo o seguinte:
• Manter pisos, corredores e áreas de trabalho razoavelmente livre de itens
desnecessários, delimitando os locais com faixas, inclusive corredores;
• Confinar resíduos em locais apropriados;
• Guardar todos os equipamentos de proteção individual em locais adequados.
Nada indica mais uma área desorganizada, desarrumada e suja do que os copos de
papel, restos de lanches espalhados pelo chão, sobre a mesa, em bancadas de trabalho,
em passarelas e assim por diante.
O bom resultado da “arrumação, ordenação, limpeza, asseio e disciplina” não é obtida
por mutirões de limpeza. Ela é resultado de um esforço diário. Se cada empregado
arrumasse pelo menos uma coisa todos os dias, os resultados seriam surpreendentes. A
hora de fazer a limpeza é toda hora.
14 PRIMEIROS SOCORROS PARA OS OLHOS
QUEIMADURAS QUÍMICAS

13
São queimaduras provocadas por manuseio de produtos químicos como os solventes
orgânicos, tintas, graxas e óleos.
Os danos provocados podem ser extremamente sérios. A seguir algumas orientações
que o ajudarão em casos de primeiros socorros:
• Lave os olhos com água imediatamente de forma contínua e suave durante pelo
menos 15 minutos. Coloque a cabeça debaixo de uma torneira ou coloque a água nos
olhos usando um recipiente limpo;
• Não coloque tampa-olho;
• Os recipientes de “sprays” representam fontes cada vez mais comuns de acidentes
químico com os olhos. Os danos são ampliados pela força de contato. Se esses
recipientes contiverem produtos cáusticos ou irritantes, devem ser usados com
cuidado e mantido afastado das crianças.
PARTÍCULAS NOS OLHOS
É caracterizado pela presença de minúsculos fragmentos em suspensão no ar. São
resultantes de processos mecânicos, isto é, o atrito de objetos e materiais usados em
algum processo produtivo e também resultantes dos ventos.
Alguns cuidados:
• Levante a pálpebra superior para fora e para baixo sobre a pálpebra inferior;
• Se a partícula não sair, mantenha o olho fechado, coloque uma bandagem e procure
ajuda de um médico.
• Não esfregar os olhos em hipótese alguma.
CORTES E PERFURAÇÕES
São resultantes de pequenos ferimentos nas proximidades dos olhos ou no olho
propriamente dito.
Neste caso requer um cuidado maior e imediato por parte daquele que vai socorrer:
• Faça uma bandagem e procure um especialista imediatamente;
• Nunca lave os olhos;
• Nunca tente remover qualquer objeto que esteja cravado no olho.
15 SEGURANÇA NO LAR
Neste DDS vamos falar um pouco de segurança no lar.
Os acidentes no lar geralmente resultam de perigos diários - coisas que são vistas com
facilidade e que são fáceis de evitar.
Então, por que acontece?
Poucos são os pais que se preocupam em ensinar segurança aos filhos. Provavelmente
muito poucos se dão conta de quantos acidentes acontecem no lar. E mesmo que um
vizinho caia e quebre um braço poucos tomam isto como uma advertência.
• Que devo fazer para evitar acidentes no lar?
Em primeiro lugar deve levar a segurança para a sua casa. Tudo o que aprendeu no
local de trabalho deve aplicá-lo no lar. Porém antes deve usar sua cabeça. Deve
inspecionar a casa de cima a baixo - cada canto.
• Quais são as possibilidades de acidentes?
• Quem pode lesionar-se e como?
• O que pode se fazer sobre cada um dos perigos?
• Que instruções de segurança terão que dar a cada membro da família?

6
• Qualquer pai ou mãe a que faça estas perguntas poderá encontrar as respostas.
O importante é começar.
• Por que não fazer uma inspeção no fim de semana?
As quedas encabeçam a lista de acidentes no lar. Acontecem nas escadas, nos pisos
escorregadios, com tapetes soltos, e nos degraus de frente e de trás das casas.
Também se caem de cadeiras ou bancos nos quais as mulheres sobem para cravar um
prego ou colocar uma cortina. Também as quedas se resultam de tropeços em objetos

1
que deixam no solo.
Outro problema sério são as queimaduras. Os cabos das panelas que saem dos fogões.
Os cabos demasiado quentes. A gordura requentada que se incendeia, e não devemos
duvidar dos que fumam na cama.
Também existem os perigos elétricos, as ferramentas em más condições, os venenos,
etc. Todos esses perigos podem ser encontrados em qualquer lar.
Encontrá-los e corrigi-los é o mais importante.
16
USO DE ADORNOS
Os adornos são bonitos, porém perigosos para Segurança dos

trabalhadores.

Brincos, colares, pulseiras, relógios, amuletos e outras jóias

são proibidos durante realização de trabalhos, pois além do risco de

acidentes (podem prender nos equipamentos e causar mutilações dos

dedos), podem conter impurezas que comprometem a qualidade,

dependendo do material em processo. O uso de cabelos soltos e roupas

muito largas no corpo ou camisas desabotoadas também são proibidos.

Retire principalmente anéis e alianças por representar elevado

risco de lesões para mãos e dedos.

Algumas pessoas são relutantes quanto ao uso de adornos,

provavelmente por razões afetivas. Mas é bom destacar que elas não

poderão utilizar anel em um dedo faltante.

A melhor forma de evitar um acidente causado por adorno é não usá-

lo.
17
Protocolos de Riscos críticos:
Prevenção de Quedas

 OBJETIVO:
Queda é o ato de cair ou se deixar cair podendo gerar lesões, torções e fraturas. Este
protocolo estabelece práticas de controle de quedas para exposições de trabalhos
envolvendo riscos de quedas de mesmo nível e nível diferente. Introduzir controles
para trabalho sobre superfícies fixas ou temporárias, escadarias e escadas portáteis.

 O QUE DEVE SER FEITO ?


 Realizar um levantamento de Riscos de Queda
 Eliminar ou se proteger contra todos os riscos de quedas
 Identificação do local.
 Os equipamentos como : escadas manuais, plataformas, cintos de segurança,
trava-quedas, cordas devem ser inspecionados semestralmente
 Os equipamentos como : escadas manuais, plataformas, cintos de segurança,
trava-quedas, cordas devem conter um TAG de identificação (Numeração)
 As ordens de serviço (OS) de atividades rotineiras ou não devem conter os EPIs
exigidos e equipamentos de controle de quedas.

21
 Para executar trabalho em altura o empregado deve conter treinamento de NR-
35 e ASO em dia, fazer inspeção dos equipamentos, liberação de PT, portar
carteirinha de treinamento.
 Assim como os empregados VC as empresas contratadas devem conhecer os
riscos com alto potencial de quedas (por exemplo: o trabalho em torres e postes,
reparos de muros ou diques, estruturas metálicas, demolição, pintura em níveis
elevados, reparo e manutenção em pontes rolantes, troca de lâmpadas.
18
Protocolos de Riscos críticos:
Prevenção de Quedas

Anteriormente abordamos sobre a importância de ter um programa


de Prevenção de Queda ativo. Você se lembra que devemos:
 Eliminar ou se proteger contra todos os riscos de quedas.
 Os equipamentos como: escadas manuais, plataformas, cintos
de segurança, trava-quedas, cordas devem conter um TAG de
identificação (Numeração).
 É importante conhecer os riscos com alto potencial de quedas.
 Para executar trabalho em altura o empregado deve conter
treinamento de NR-35 e ASO em dia, fazer inspeção dos
equipamentos, liberação de PT, portar carteirinha de
treinamento
19
Protocolos de Riscos críticos:
Prevenção de Quedas
 AO SUBIR E DESCER ESCADAS :
 Verificar se as sinalizações de alerta, coberturas e corrimões / guarda-corpos são
adequados;
 Verificar se as escadas fixas tipo marinheiro possuem acessos limitados fisicamente.
 Verificar a existência de sinalização nas escadas enfatizando o uso de corrimão;
 Escadas portáteis devem ser de material resistente e não condutor de energia.
 Os componentes da escada (longarinas, degraus, sapatas, topos, cordas,
identificação, lixas, etc.) devem ser inspecionados periodicamente para garantir o
bom funcionamento do equipamento.
 Quando em uso, as escadas portáteis devem ser amarradas e apoiadas em pontos
fixos.
 Devemos ter 3 pontos de apoio ao subir e descer escadas, para isso é necessário
fazer uso do corrimão, e verificar se nossos colegas também estão praticando essa
ação.
 Veículos de grande porte, caminhões, etc. devem ser fornecidos com degraus
adequados, escadas ,etc. para permitir acesso seguro.
 CAMINHO SEGURO :
 Observar se passagens e plataformas estejam em perfeito estado de conservação,
em ordem, secas e limpas, livres de buracos e materiais soltos;
 Se atentar se a acesso seguro para máquinas e equipamentos como as caixas aéreas
de distribuição, controles de válvulas, equipamentos de coberturas, equipamentos
de medição e controle, sensores.
 Observar se há áreas em que coberturas, corrimões / guarda corpos ou sistemas de
controle de quedas estejam instalados para proteger funcionários de quedas de
passarelas, claraboias, telhados/coberturas, escadarias, plataformas elevadas,
maquinário, etc.
20
Protocolos de Riscos críticos:
Prevenção de Quedas
 OBJETIVO:

Ponto de ancoragem : definição requisito 7

 O QUE DEVE SER FEITO?


 Todos os pontos de ancoragem evidenciados na área, estão adequados para
uso.
 Antes de realizar a atividade deve-se verificar as condições dos pontos de
ancoragem. Se apresentarem oxidação elevada, trincas, amassados,
quebrados ou partes faltantes de sua fixação deve ser realizado o dever de
recusa.
Equipamentos auxiliares, como plataformas elevatórias articuladas, devem estar
disponíveis onde for adequado. As plataformas elevatórias articuladas possuem
pontos certificados de ancoragem consistentes com normas e regulamentos. Os
funcionários devem utilizar cinto de segurança tipo paraquedista e talabartes fixado
ao ponto de ancoragem sempre que estiverem no cesto. Somente pessoas treinadas
podem ter permissão para operar plataformas elevatórias. Deve ser realizada a
inspeção pré-operacional destes equipamentos.
 Empregados que utilizam plataforma elevatória estiverem devidamente
treinados por profissional qualificado e com proficiência;
 O ponto de ancoragem da plataforma deverá ser original do fabricante.
 Caso seja fixado o ponto de ancoragem, este deverá ser certificado por
profissional qualificado e habilitado.
21
Protocolos de Riscos críticos:
Prevenção de Quedas
 OBJETIVO:

Trabalho em Altura

 O QUE DEVE SER FEITO ?


 Participar do treinamento de NR-35 (Trabalho em Altura)
 O treinamento de Nr-35 tem validade de 2 anos.
 O treinamento de NR-35 deve enfatizar o manuseio de sistemas de controle de
quedas (trava-quedas individuais /retráteis, cinto de segurança tipo
paraquedista, talabartes com absorvedores de energia, trabalhos em telhados,
etc.);
 ASO informando apto para Trabalho em Altura
 Portar crachá de habilidades.
 Verificar se os equipamentos disponíveis (trava-quedas individuais / retráteis,
cinto de segurança tipo paraquedista, talabartes com absorvedores de energia,
linhas de vida, mini-stop, cabos de aço, escadas, andaimes, etc.) estão em bom
estado de conservação e possuem um plano de inspeção manutenção ou práticas
e procedimentos de trabalho seguro.
A unidade deverá seguir o PD 3687 – Segurança nos Trabalhos em Telhados – que trata
dos riscos potenciais a funcionários e contratados, incluindo o acesso e saída do telhado
/ cobertura, carga e descarga de material, claraboias e aberturas no telhado. Nos casos
onde métodos de proteção contra quedas são inviáveis ou criam um risco maior, deve-
se desenvolver um plano de controle de quedas como parte do plano de trabalho em
telhado (por exemplo, trabalho em beira de telhado em construção). O telhado deve
possuir controle adequado contra queda (ponto de ancoragem, guarda-corpo,
parapeitos, proteção de claraboias, etc.).
22
VEJA APENAS COM OS OLHOS
O tato é um dos 5 sentidos do corpo humano.

Através do tato é possível distinguir tamanhos e formatos de objetos sem nem


mesmo olhá-los. É possível também ter a percepção de calor, frio e textura.

Para segurança no seu trabalho nem sempre o tato é um aliado. Em muitos


casos ele tem se tornado mesmo é um vilão.

Há pessoas que insistem em olhar com as mãos!

Colocam as mãos para perceberem a temperatura de peças, enfiam a mão em


partes onde não conseguem visualizar para descobrirem através do tato o que
precisam.

Na maioria das vezes isso não acaba muito bem, e o resultado são queimaduras
e cortes nas mãos.

Previna-se de acidentes! Olhe com os olhos e não com as mãos!


23
COMPORTAMENTO SEGURO
Avaliar o comportamento adotado antes e durante o
trabalho também é aconselhável. Essas medidas colaboram
para garantir a segurança e bem-estar.

Atenha-se às dicas abaixo para evitar acidentes:

- Em operações que envolvem explosivos, siga sempre as


orientações do fabricante.
- Não se exponha a riscos desnecessários.
- Não fique na linha de fogo de máquinas e equipamentos.
- Respeite a Sinalização da Unidade.
- Observe diariamente o seu ambiente de trabalho e as
pessoas em seu entorno.
- Verifique o comportamento efetivo dos colaboradores e
cheque se ele está coerente com a análise dos desvios da
unidade.

Lembre-se sempre de utilizar todos os equipamentos e


acessórios de segurança, além de checar se sua saúde está
em ordem antes de realizar determinado trabalho.
24
Protocolos de Riscos críticos:
Trabalho a quente
 DEFINIÇÃO :
Trabalho a quente é qualquer operação temporária que envolva chama aberta ou que
produza calor ou faísca, podendo causar a ignição de combustíveis sólidos, líquidos ou
gasosos, incluindo corte com maçarico, solda oxi-acetilênica, solda por arco, uso de furadeira,
aplicação de revestimento em teto com chama aberta, esmerilhamento, lixamento,
aquecimento ou cura com chama exposta ou outro tipo de serviço que possa gerar fagulhas,
centelha ou chamas. A execução dessa atividade deve haver alguns cuidados que vamos
aprender agora:
 ARMAZENAGEM DE CILINDROS
 Os envolvidos nas atividades de recebimento, manuseio, transporte e armazenagem
devem ser qualificados e autorizados.
 As áreas de estocagem de tanques e cilindros de gases pressurizados, equipamentos
de oxi-corte, máquinas de solda, cilindros e tanques estacionários devem conter TAG
de identificação.
 Os tanques e cilindros devem estar dispostos em locais ventilados, com proteção
contrachoques mecânicos e construção estrutural reforçada
 O local de deve ter Sinalização ("não fumar") e equipamentos de combate a
incêndio.
 Os circuitos elétricos devem ser à prova de explosão.
 Os tanques e cilindros devem estar sinalizados, mantidos com os dados de placa em
modo indelével;
 Os cilindros devem ser mantidos na posição vertical, com travamento contra queda
e com os capacetes de proteção das válvulas rosqueados;
 Os cilindros de gases inflamáveis devem ser mantidos a uma distância segura de

27
substâncias Inflamáveis e/ou explosivas e ambientes de alta temperatura
(observando o nível de concentração de gases / vapores / particulados e também a
temperatura ambiente) que permitam o Trabalho a Quente;
 As linhas pressurizadas devem estar claramente identificadas, sinalizadas,
perfeitamente conectadas e protegidas contrachoques ou qualquer outra
característica danosa.
25
Protocolos de Riscos críticos: Trabalho
a quente
 EXECUÇÃO DE ATIVIDADE A QUENTE
É essencial conhecer o procedimento para operações com solda, queima, corte e outros
serviços a quente, para tratar e controlar fontes portáteis de ignição nas proximidades
de produtos inflamáveis e combustíveis, conforme definido pelo Padrão e regulamentos
locais.
O programa inclui:
 Um processo formal de aprovação (por exemplo: sistema de autorização),
precedido por uma análise de risco para autorizar trabalho em áreas designadas
como “Áreas de Trabalho a Quente”;
 Definição de áreas classificadas como críticas para realização de trabalhos a
quente, tais como depósito de inflamáveis, salas elétricas, espaço confinado, etc.;
 Treinamento em princípios de solda, queima ou outro trabalho a quente e de
técnicas de prevenção contra incêndio para pessoas autorizadas a aprovar e
realizar solda, queima, corte ou outro tipo de trabalho a quente. Existem normas
e instruções escritas sobre a operação e a manutenção de equipamentos de
oxigênio ou gás combustível;
 Procedimentos para aviso contra incêndio publicados durante e após a realização
dos trabalhos a quente;
 Pessoa designada para autorizar operações.
ANTES DE REALIZAR A ATIVIDADE É NECESSÁRIO :
 Estar com o treinamento de trabalho a quente em dias.
 Inspecionar os equipamentos antes de seu uso.
 Os extintores de incêndio devem estar imediatamente acessíveis durante o
trabalho a quente.
 Inspecionar a área assegurando que esteja livre de combustíveis, antes da
emissão de uma autorização para trabalho a quente.
 Ficar ligado que a autorização tem tempo limitado, por não mais do que um turno
de duração de operações de trabalho a quente.
 Inspecionar a área 30 minutos após a conclusão do trabalho.
26
Protocolos de Riscos críticos: Trabalho
a quente
 SOLDAGEM
Para realização de trabalho de solda com equipamentos elétricos (solda elétrica),
os itens abaixo devem ser considerados:
 O dispositivo usado para manusear eletrodos deve possuir isolamento
adequado à corrente usada, a fim de se evitar a formação de arco elétrico ou
choques;
 Os equipamentos de soldagem elétrica devem ser obrigatoriamente aterrados
(efetivamente) antes do início da tarefa;
 Todos os cabos do equipamento não devem ter emendas;
 Os fios condutores dos equipamentos, as pinças ou os alicates de soldagem
devem ser mantidos longe de locais com óleo, graxa ou umidade e devem ser
deixados em descanso sobre superfícies isolantes;
 As tomadas de ligação da máquina devem ser trifásicas e estar identificadas
para prevenir erros (utilizar dispositivo residual – DR).
 MÁQUINAS DE SOLDA ELÉTRICA
Antes de realizar a atividade é necessário avaliar as condições das máquinas de solda
elétrica, vamos se atentar as dicas:
 Verificar a fixação dos polos de saída positivos e negativos.
 Observar as boas condições dos cabos de solda;
 Se atentar as condições da extensão elétrica da máquina de solda;
 Verificar a fixação do cabo terra diretamente na peça a ser soldada;
 Observar as condições de limpeza da superfície onde será realizada a solda
(livre de líquidos inflamáveis como óleo, graxas e outros materiais), devido ao
risco de incêndio;
 Utilizar os seguintes EPI´s: óculos de segurança, luvas de raspa, mangote ou
blusão de raspa, avental de raspa, botina, máscara de solda, capuz e perneira
de raspa – ao colaborador e/ou ajudante que for executar trabalhos com
máquina de solda.
27
Quase acidente
Quase acidentes são aqueles que não provocam ferimentos apenas porque
ninguém se encontrava numa posição de se machucar, para compreender
melhor vamos para um exemplo prático:

 Incidente
Você cumpriu suas oito horas de trabalho e foi embora descansar. Ao retornar
no dia seguinte, há uma marreta que caiu de um armário bem no seu posto de
trabalho. Considerando que não houve dano pessoal algum e não teria a
possibilidade de te atingir, pois você não estava no local, então dizemos que
isso foi um incidente.

 Quase acidente
A mesma cena acima se repete, porém, desta vez você estava ao lado de seu
posto de trabalho. Por questões de segundos ou de centímetros, a marreta não
te acertou. O evento foi o mesmo, mas neste caso, havia alguém próximo da
ocorrência e que poderia ser atingido.

 Acidente
Agora ficou fácil! O evento se repete, mas desta vez você estava em seu posto
de trabalho e, obviamente foi atingido pela marreta. Seguindo este raciocínio,
chegamos à conclusão que, mesmo que não haja lesão, o acidente aconteceu.
28
APR – Analise Preliminar de Risco
O 1° PASSO PARA SE FAZER UMA APR COM QUALIDADE É O
COMPROMETIMENTO.
Saber e entender que você está fazendo a Análise Preliminar dos Riscos da sua
atividade porque ela é uma FERRAMENTA para prevenir acidentes e não apenas
porque é um procedimento de caráter punitivo quando não cumprido.
Uma boa Análise Preliminar de Risco deve ser feita com a participação de todos os
envolvidos na tarefa. TODOS MESMOS!
É recomendado que, enquanto uma pessoa faz a APR as outras não façam outras
coisas que não seja o envolvimento com a elaboração da análise.
A identificação dos riscos e suas medidas de controle devem ser feitas também com
muito critério. Pois, qualquer deslize pode comprometer a saúde e o bem-estar de
uma ou mais pessoas.
Analise tudo que envolve a atividade: EPI’s, ferramentas, equipamentos,
autorizações, aspectos pessoais, capacitação técnica, condições climáticas,
interferência de outras equipes que estejam próximas etc. SEJA EXTREMAMENTE
CRITERIOSO.
Olhe para os lados, para trás, para frente, para cima, para baixo e para dentro de
você... se identificar algo que possa ocasionar um acidente, não o ignore,
providencie correção antes de iniciar a atividade.
E lembre-se: Quando é encontrado um risco onde a medida de controle não é
eficaz, deve-se utilizar o “DEVER DE RECUSA”.
29
ARRUMAÇÃO, LIMPEZA E
ORDENAÇÃO SÃO BONS HÁBITOS

Todos os empregados têm suas tarefas para fazer. Os 5 S - senso de utilização,


ordenação, limpeza, asseio e disciplina - fazem parte de nossas obrigações. Mas o que
é isto afinal? “Arrumação, limpeza, ordenação, asseio e disciplina” significa manter as
coisas arrumadas e ordenadas, o chão limpo, sem papel, óleo derramado, graxas nas
paredes e assim por diante. È aquele empilhamento de material corretamente,
máquinas de pequeno porte guardadas nos seus devidos lugares, chaves e
ferramentas acomodadas nos lugares certos e limpos. A boa arrumação significa ter
livre acesso quando numa emergência de primeiros socorros e a equipamentos de
combate a incêndio. Significa muitas coisas, mas a definição mais curta é: “UM LUGAR
APROPRIADO PARA CADA COISA E CADA COISA NO SEU DEVIDO LUGAR”.
Todos os empregados podem ajudar no esforço de arrumação, fazendo o
seguinte:
- manter pisos, corredores e áreas de trabalho razoavelmente livre de itens
desnecessários, delimitando os locais com faixas, inclusive corredores;
- confinar resíduos em locais apropriados;
- guardar todos os equipamentos de proteção individual em locais adequados.

Nada indica mais uma área desorganizada, desarrumada e suja do que os copos
de papel, restos de lanches espalhados pelo chão, sobre a mesa, em bancadas de
trabalho, em passarelas e assim por diante.
O bom resultado da arrumação, ordenação, limpeza, asseio e disciplina, não é
obtido por mutirões de limpeza. Ela é o resultado de um esforço diário. Se cada
empregado arrumasse pelo menos uma coisa todos os dias, os resultados seriam
surpreendentes. A hora de fazer a limpeza é toda hora.
30
31 LEVANTAMENTO DE PESO E TRANSPORTE
MANUAL DE OBJETOS
O homem não é um guindaste. Sempre peça auxilio no transporte e manuseio de
objetos pesados.
Levante o peso de maneira correta:
• Mantenha suas costas ereta, firme os músculos abdominais e faça suas pernas receberem a
maior parte do peso a ser erguido.
• Ao levantar um volume, agachar-se o mais perto possível do mesmo.
• Evitar os pontos que podem causar lesões (esmagamento ou corte).
• Manter a espinha (coluna vertebral) reta e na vertical.
• Os braços devem estar o mais próximo possível do corpo.
• Respirar fundo e segurar o ar nos pulmões durante o levantamento.
• Levantar o volume pouco a pouco, esticando as pernas.

O esforço é na coluna vertebral. Para levantar peso mantenha a coluna na posição vertical.
Suas mãos não são alavancas. É importante transportar materiais compridos sempre no
mesmo ombro para evitar descompasso. Ao transportar materiais de grande extensão,
cuidado para não atingir outros trabalhadores que se deslocam em sentido contrário.