Você está na página 1de 5

REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

2. Ferro Fundido

O ferro fundido contabiliza aproximadamente 70% do total de fundição no mundo.


Isso ocorre devido as diversas propriedades do material e ao seu baixo custo.

2.1 Classificações Ferros fundidos.

A classificação dos ferros fundidos ocorre de acordo com a forma da grafita, sendo:
Ferro fundido cinzento, ferro fundido branco, ferro fundido vermicular e ferro fundido
nodular. (Chiaverini,2012).

O ferro fundido cinzento possui grafita em forma de veios. Seus elementos de liga
fundamentais são o Silício e o Carbono, sendo uma grande parcela do carbono em estado livre
na forma de grafita lamelar e outra parcela em forma de cementita. Os ferros fundidos
cinzentos possuem baixo alongamento, excelente usinabilidade, boa condutividade térmica e
amortecimento. É usado normalmente em discos de freio, tambores, cabeçotes de motor, etc.
(Chiaverini,2012).

O ferro fundido branco possui na sua fratura a coloração clara e seus elementos
fundamentais são Silício e carbono. Entretanto, o carbono em sua estrutura esta na forma
combinada ( cementita ), devido ao menor teor de Silício. Suas propriedades fundamentais
são, alta dureza e resistência ao desgaste. Porem é um material de difícil usinagem devido a
elevada quantidade de cementita. (Chiaverini,2012).

O ferro fundido vermicular ou de grafita compacta possui grafita em forma de


escamas. Possui na sua composição silício, carbono e elementos como os de terra rara e o
titânio, que tem como função reduzir a formação de grafita esferoidal. É considerado um
material intermediário entre o ferro fundido cinzento e o ferro fundido nodular. Possui a
fundibilidade do cinzento, mas com melhor ductibilidade e resistência mecânica. São utilizados
em coletores de exaustão e bloco de motores a diesel. (Chiaverini,2012). (Guesser,2009).

Os ferros fundidos nodulares ferríticos possuem limite de resistência entre 380 Mpa a
450Mpa e alongamento de 10 a 22%.. Já os ferros fundidos nodulares com matriz perlítica
possuem alongamento de 2% e o limite de resistência pode chegar a 900 Mpa. Os ferro
fundidos nodulares são utilizados em componentes hidráulicos, suporte de freios,
engrenagens, carcaça de turbocompressores, peças de suspensão de veículos. (Guesser,2009).
2.2. Diagrama Fe – C

O diagrama de equilíbrio Fe-C é uma ferramenta metalúrgica fundamental para o


entendimento de processo de solidificação a partir das condições de equilíbrio. O diagrama
binário Fe-C possui dois eutéticos provenientes de dois equilíbrios, o estável ( curvas
tracejadas ) e o metaestável ( Curvas sólidas ). No equilíbrio metaestável, com temperatura
de 1148°C e teor de carbono de 4,3% tem-se o ponto eutético, o qual é o menor ponto de
fusão. Entre 2,0% e 4,3% de carbono as ligas são chamadas de hipoeutéticas e acima de 4,3%
de carbono são chamadas de hipereutéticas. (Guesser,2009).

Figura 1 – Diagrama Fe-C, sendo estável as curvas tracejadas e metaestável as curvas


sólidas

Fonte: Handbook, 1996.

Com 3% de carbono ( hipoeutético ), acima da linha liquidus o material está


completamente liquefeito. Com o decréscimo da temperatura ao atingir a temperatura
liquidus, ocorre à formação dos primeiros cristais de austenita. Conforme a liga se aproxima da
linha solidus, há a formação de maiores quantidades de cristais de austenita, reduzindo assim
a fase liquida. Ao atingir 1148°C permanece em equilíbrio a ledeburita ( fase austenítica com
2,11% e o eutético com 4,3% de carbono )
Figura 2 – Micrografia com aumento de 530x de um ferro fundido branco
hipoeutético. A estrutura possui dendritas de perlita, pontilhados de ledeburita e algumas
áreas brancas de cementita.(Chiaverini,2012)

Conforme ocorre o resfriamento, até a temperatura de 727°C ( linha eutetóide ) a


austenita de um lado e austenita da ledeburita do outro lado terão o teor de carbono
reduzido. Abaixo dessa temperatura, a liga com 3% de carbono será constituído por glóbulos
de perlita sobre uma matriz de cementita . (Chiaverini,2012).

Em uma liga hipereutética com por exemplo 5% de carbono, possui acima da linha
liquidus uma liga completamente em estado líquido. Entre a linha liquidus e solidus há cristais
de cementita em formato alongado. Quando atinge a temperatura de 1148°C ocorre a
solidificação total, formando cementita e ledeburrita. Conforme ocorre o resfriamento entre a
linha eutético e eutetóide, não ocorre nenhuma transformação com a cementita. Porem,
ocorre a alteração no teor de carbono da austenita da ledeburita, percorrendo a linha solvus
até atingir a linha eutetóide. Ou seja, à temperatura de 727°C e 5% de carbono a constituição
da liga hipereutéticas será de cristais alongados de cementita e matriz de ledeburita ( glóbulos
de perlita mais cementita). (Chiaverini,2012).
Figura 2 – Micrografia 150x de um ferro fundido branco hipereutético com longos
cristais de cementita sobre uma matriz de ledeburita. (Chiaverini,2012).

2.3 Diagrama metaestável Fe-C

O diagrama Fe-C com liga pura apresentado na figura 1 possui uma diferença de 7,0°C
entre a temperatura do eutético estável e metaestável. Entretanto essa diferença pode
exceder a 35°C em ferros fundidos com 2,0% de Silício. Podendo ser reduzido a 14°C com a
adição de 1,1% de Cromo. Ou seja, os elementos podem aumentar a distancia entre as
temperaturas, como o uso do elemento grafitizante (Si), ou aproxima-las utilizando
formadores de carbonetos (Cr).

Ferro Fundido nodular


2.3.1 Efeito da composição química no Ferro Fundido Nodular

2.3. 2 Tratamento de Nodularização

2.3.3 Tratamento de Inoculação

2.4 Solidificação dos ferros fundidos nodulares

2.5 Propriedades mecânicas dos ferros fundidos nodulares

Nodularização

Inoculação