Você está na página 1de 1

Moutinho, Ana Viale; SOUSA, Jorge Pedro. Assessoria de Imprensa na Europa.

In: DUARTE,
Jorge (org.). Assessoria de Imprensa e Relacionamento com a Mídia: teoria e técnica. 2. ed. São
Paulo: Editora Atlas, 2003

“A assessoria de imprensa tem como função principal estabelecer e manter o contato com os
jornalistas, informando-os sobre as atividades de uma organização, controlar e analisar a
informação veiculada e recolher o que vai sendo publicado. Suas funções específicas incluem a
preparação de sínteses sobre a instituição, sua história, objetivos, política de desenvolvimento,
estrutura organizacional, posição que ocupa em seu setor etc. Deverá dispor de relatórios,
publicações e outros dados relevantes para os jornalistas, bem como de fotografias em cores e em
preto e branco legendadas, material audiovisual etc. Deve promover as ações da própria organização
e adaptar a informação que o jornalista deseja ao que a empresa pretende transmitir, redigir os
comunicados de imprensa e toda informação a sser veiculada. Cabe ainda à assessoria de imprensa
organizar organizar os diversos arquivos de imprensa e participar na elaboração de estratégias de
comunicação dda organização em todos os níveis em que ela opera.” p. 69

Assessoria de imprensa; objetivos da assessoria de imprensa

“Como se vê, não há diferenças de monta nas atividades tradicionalmente consignadas à assessoria
de imprensa na Europa e no Brasil. No entanto, na União Européia a asssessoria de imprensa é
entendida como uma atividade de relações públicas. Por isso, ao contrário do que sucede no Brasil,
a assessoria de imprensa é considerada uma atividade incompatível com o jornalismo. Os assessores
de imprensa são visto como profissionais de relações públicas, e não podem exercer o jornalismo
nem ser considerados jornalistas.” p.69

Assessoria de imprensa; papel do assessor de imprensa; relações públicas

“A imprensa empresarial é um dos setores tradicionalmente consignados à assessoria de imprensa. A


assessoria empresarial tem, provavelmente, uma origem européia. Os primeiros exemplos
conhecidos de imprensa empresarial foram elaborados por bancos alemães (os Zeitungen) e
italianos (os Avvisi), no século XVI. Essas publicações eram, porém, pouco mais do que folhas
noticiosas manuscritas sobre as situações dos respectivos mercados. Somente com o
desenvolvimento da Revolução Industrial é que vão aparecer verdadeiros jornais de empresa.
Conforme Moreira dos Santos (1995, p. 49), esses jornais foram importantes para a formação e
integração dos trabalhadores, para a divulgação de produtos e serviços, para a projeção externa das
empresas e para a disputa ideológica com a imprensa sindical e a imprensa socialista.” p. 74

“De acordo com Moreira dos Santos (1995, p. 50), terá sido o economista alemão Friederich List,
em 1834, o primeiro a propor a criação de um jornal destinado a instruir os trabalhadores ‘sobre
seus interesses’. Ou seja, por outras palavras, o jornal de empresa, para List, funcionaria, em grande
medida, como instrumento ideológico de apaziguamento das tensões sociais.” p. 74-5

“Torquato do Rêgo (1984) situa no século XIX o aparecimento das primeiras publicações
empresariais especificamente direcionadas para o público interno e externo. Esse movimento foi
liderado pelos Estados Unidos, com o aparecimento, em 1847, da publicação The mechanic, editada
pela empresa H. B. Smith Company e dirigida a seus clientes. No entanto, a Europa não ficou à
margem desenvolvimentos nas relações públicas empresariais. Assim, em 1865 a empresa inglesa
Hazell, Watson & Linney Ltd., lançou a Hazell’s Magazine; em França, a seguradora La Populaire
lançou o periódico Le Chant du Coq poucos anos depois.” p. 75

assessoria de imprensa; história da assessoria de imprensa; comunicação corporativa ou


empresarial; comunicação interna; house organs