Você está na página 1de 118

Bosch Termotecnologia

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


1 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Apresentação Corporativa
Bosch no Mundo…

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


2 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Instalação – Aquecedores de água a gás

Capítulos:
1 – Apresentação Coorporativa
2 – Conceitos Termodinâmicos
3 – Conceitos Hidráulicos
4 – Conceitos básicos sobre o Gás
5 – Norma ABNT NBR 13103
6 – Norma ABNT NBR 5410
7 – Produção de Calor
8 – Características dos Aquecedores
9 – Instrumentos de Medição
10 – Garantia
TT/SBZ-ASA | 27/06/2017
2 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Apresentação Corporativa
Bosch no Mundo…

Uma perspectiva sobre o mundo de


forma inovadora, inteligente e mais
eficiente.

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


4 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Apresentação Corporativa
Bosch a técnologia ao seu alcance!

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


5 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Apresentação Corporativa
Fundação Robert Bosch GmbH

Por decisão testamentária, o fundador Robert


Bosch deixou a maioria do capital da empresa
para a Fundação Robert Bosch, uma entidade
sem fins lucrativos.

Estabelecida na Alemanha em 1964, a Fundação


Robert Bosch é uma das maiores fundações
associadas a uma empresa privada.

Divisão de capital 92% 8%


Fundação família
da Robert Bosch GmbH
Robert Bosch Bosch

TT/SBZ-ASA | 27/06/2017
6 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Apresentação Corporativa
Rede global de atuação

Energia e Tecnologia
Soluções para Tecnologia Predial Bens de
Mobilidade Industrial Consumo
- Termotecnologia

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


7 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Apresentação Corporativa
Seguimento de atuação TT
Residêncial Comércio e Indústria Habitação popular

Aquecimento de água para banho e Sistemas de aquecimento para banho, Sistemas de aquecimento solar para
piscinas piscinas e processos industriais conjunto habitacionais

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


8 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Apresentação Corporativa
Divisão Bosch Termotecnologia - Marcas
Brand Portfolio 2014
SPS* LSS**
Vendas Direta /
Vendas Varejo (Residencial)
Grandes Obras
nacional
Inter-
Marcas Regionais / Nacionais

14 Marcas

*SPS: Standard Product Systems (Sistemas de produto padrão )


** LSS: Large Specified Systems (Grandes sistemas especificados )

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


9 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Apresentação Corporativa
Lider mundial em sistemas de aquecimento

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


10 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Instalação – Aquecedores de água a gás

Capítulos:
1 – Apresentação Coorporativa
2 – Conceitos Termodinâmicos
3 – Conceitos Hidráulicos
4 – Conceitos básicos sobre o Gás
5 – Norma ABNT NBR 13103
6 – Norma ABNT NBR 5410
7 – Produção de Calor
8 – Características dos Aquecedores
9 – Instrumentos de Medição
10 – Garantia
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
11 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos Termodinâmicos
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
12 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos Termodinâmicos
Termodinâmica

Todo funcionamento dos sistemas de água quente deve-se rever alguns


conceitos básicos:

 Pressão

 Vazão

 Altura Manométrica

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


13 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos Termodinâmicos
Pressão hidráulica
 Força exercida pela água sobre a área de tubulação na qual ela
está em contato.

Pouca pressão
Muita pressão

Unidades de pressão bar, kgf/cm² e m.c.a

Equivalências 1 bar = 1kgf/cm² = 10 m.c.a


Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
14 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos Termodinâmicos
Pressão Atmosfera - 1 atm. nível do mar

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


15 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos Termodinâmicos
Vazão hidráulica
 Quantidade de fluido que sai de uma tubulação, medida em
determinado espaço de tempo.

Muita vazão Pouca vazão

Unidades de pressão m³/h, l/min.

Equivalências 1 m³/h = 16,67 l/min.


Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
16 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos fundamentais
Pressão em metros de coluna dágua - mca
Correta Incorreta
Altura manométrica

 Unidade de pressão
representada pela
diferença de altura entre o
Sempre fundo da caixa e o ponto
meça a
distância de consumo
entre o fundo
da caixa  Recomende a instalação
d'água e o
ponto mais de uma bomba
proximo de pressurizadora se a altura
consumo. manométrica não estiver
de acordo com as
especificações do
catálogo.

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


17 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos fundamentais
Termodinamica - Temperatura

É a quantidade de calor que possui um corpo. É usualmente medida em


graus Celsius (ºC) ou em Kelvin (K) – Sistema de Unidade Internacional.

Delta T (DT): É a diferença entre a temperatura final e a temperatura inicial


no sistema:

∆T = T. final – T.inicial

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


18 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos fundamentais
Termodinamica – Energia Térmica

Energia térmica ET é uma forma de energia que está diretamente


associada à temperatura absoluta T de um sistema.

A energia térmica (e o calor) medem-se em unidade de energia: o


Joule no sistema Internacional, ou de forma habitual a caloria.

A definição de caloria é a quantidade de calor (energia) necessária


para elevar 1°Celsius (°C) em 1 grama de água.

Energia = m x c x ∆T

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


19 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Instalação – Aquecedores de água a gás

Capítulos:
1 – Apresentação Coorporativa
2 – Conceitos Termodinâmicos
3 – Conceitos Hidráulicos
4 – Conceitos básicos sobre o Gás
5 – Norma ABNT NBR 13103
6 – Norma ABNT NBR 5410
7 – Produção de Calor
8 – Características dos Aquecedores
9 – Instrumentos de Medição
10 – Garantia
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
20 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Hidráulica
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
21 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos Hidráulicos
Instalações hidráulicas típicas residenciais
 Para algumas instalações residenciais segue os modelos abaixo:

Instalação utilizando caixa d’água Instalação utilizando água de rua

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


22 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos Hidráulicos
Instalações hidráulicas pressurizadas

 Para algumas instalações residenciais segue os modelos abaixo:


Instalação com pressurização Instalação com pressurização na
na rede hidráulica entrada de água do aquecedor

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


23 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre a água
Pontos de consumo

 Duchas e torneiras são responsáveis pelo fornecimento de água quente.


 Convencionalmente, a vazão desses pontos é de:

Duchas: 8 l/min Torneiras: 4 l/min


 Contudo, a vazão
pode mudar de acordo
com os modelos de
ducha e torneira
utilizados e a pressão
de água.

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


24 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre a água
Pontos de Consumo
 Vazão das duchas

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


25 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Instalação – Aquecedores de água a gás

Capítulos:
1 – Apresentação Coorporativa
2 – Conceitos Termodinâmicos
3 – Conceitos Hidráulicos
4 – Conceitos básicos sobre o Gás
5 – Norma ABNT NBR 13103
6 – Norma ABNT NBR 5410
7 – Produção de Calor
8 – Características dos Aquecedores
9 – Instrumentos de Medição
10 – Garantia
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
26 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
27 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Diferenças do gás GLP & GN

Pressão de Poder calorífico


Tipo características
trabalho (valores estimados)
GLP - Gás Liquefeito de petróleo
Gás de cilíndrico (botijão)
280 a 320 Em sua totalidade, é composto por
11.100 kcal/kg
mm.c.a uma mistura de 50% propano e
50% butano.
GN - Gás Natural
Gás encanado de rua
Composto por 80% de metano e
200 a 230 20% de outros gases. É extraído de
8.800 kcal/m³
mm.c.a jazidas na sua maioria localizadas
em alto mar ou trazidos por
gasoduto de países vizinhos.
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
28 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Adequação de instalação do gás GLP
 Está no estado líquido e no de vapor.
 No máximo 85% do volume total do recipiente é de
gás em fase líquida.
 15%, no mínimo, em fase de vapor.

Vaporização a 20°C  Espaço de segurança: evita pressão elevada dentro


do recipiente.

 Cada cilindro possui uma “capacidade de evaporação própria”, Vaporização


que é proporcional à sua área de contato com o ambiente.
P13 0,6 kg/h
 Em função das condições climáticas do Brasil a pressão do
gás GLP pode variar em torno de 4 a 7 Kgf/cm² P45 1 kg/h
 GLP não possui cor nem cheiro, porem é adicionado o P90 2 kg/h
Mercapitano, uma especie de alcool de enxofre
P190 3 kg/h
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
29 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Adequação de instalação do gás GLP

Vaporizador de GLP
É um trocador de calor no qual proporciona
o calor necessário para transformar o GLP em
estado líquido para estado vapor

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


30 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Combustão completa - Proporção gás e ar GLP
 Gás Liquefeito de Petróleo: Para ter uma queima completa de 1 m³ do
gás, precisa de 24 m³ de ar

24:1

GLP
AR

Limite de Inflamabilidade: Fica estabelecido entre a faixa de 2,5% para


limite inferior e 9,5% para limite superior.
Mínimo 0,7 m³ Maximo 2,7 m³
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
31 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Combustão completa - Proporção gás e ar GN

Gás Natural: Para ter uma queima completa de 1 m³ do gás,


precisa de 10 m³ de ar

10:1

Gàs Natural AR

Limite de Inflamabilidade: Fica estabelecido entre a faixa de 4% para limite inferior


e 14% para limite superior.
Mínimo 0,4 m³ Maximo 1,4 m³
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
32 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Rede de GLP – Gás liquefeito de Petróleo

Aquecedor

Regulador Regulador Filtro de gás


1° Estágio 2° Estágio

Registro de gás Pressão Dinâmica


Tubulação
(280 mm.c.a)
adequada

Exemplo de consume – GWH 325


Consumo máximo 1,9 kg/h
Não continuo 2 x P13 = 2 x 0,6 kg/h = 1,2 kg/h
Contínuo 2 x P45 = 2 x 1,0 kg/h = 2,0 kg/h
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
33 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Ciclo de funcionamento adequado do aquecedor

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


34 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Consumo 2Kg/h 160
200
240

120 280

Temp. 20C° 80 320

40 360

mmca

Fase Vapor Fase Vapor


1 Kg/h 1 Kg/h

Fase Fase
Liquido Liquido
P45 P45

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


35 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Ciclo de funcionamento inadequado do aquecedor

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


36 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Consumo 2Kg/h 160
160
160
160
200
200
200
200
240
240
240
240

120
120
120
120 280
280
280
280

Temp. 20C° 8080


80
80 320
320
320
320

40
40
0
4040 360
360
360
360

mmca
mmca
mmca
mmca

Fase
Vapor
500 g/h

Fase
Liquida
P45

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


37 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Reguladores GLP

 Verifique sempre se a capacidade do regulador está compatível com o


consumo máximo de gás do aquecedor que vai instalar.

1 kg/h 2 kg/h 3 kg/h 5 kg/h 7 kg/h 12 kg/h

Válvulas de bloqueio
 Verificar Vazão máxima para que não
Incorreto ✓ afete o desempenho do aparelho a gás.
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
38 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Adequação de Sistema - GLP


Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
39 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Rede de GN - Gás Natural
Medidor de vazão Válvula de Bloqueio Aquecedor

Alta Pressão Pressão de trabalho


200 mmca Dinâmica
Baixa Pressão

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


40 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Conceitos de gás

 Medidores de gás (GN) – Verifique sempre se a capacidade do


regulador está compatível com o consumo máximo de gás do aquecedor
que vai instalar.

Observação: Estes modelos variam conforme o fabricante.

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


41 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Flexíveis Adequados conforme ABNT NBR 14177

✓ ✓

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
42 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Adequação de rede – medidores e tubos

43 Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017



%mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Tubos de cobre rígidos, sem costura ABNT NBR 13206
São Permitidos pela norma 15526 para útilização em redes internas de distribuição de
distribuição de gases combustíveis GLP ou GN.

CLASSE E CLASSE A CLASSE I


Diâmetro Diâmetro Diâmetro
Diâmetro Pressão de Pressão de
Referência X Esp. Peso X Esp. Peso X Esp. Peso Pressão de Serviço
Nominal Serviço Serviço
Parede Parede Parede

Kgf/ Kgf/ Kgf/


pol mm mm Kg/m Mpa mm Kg/m Mpa mm Kg/m Mpa
cm² cm² cm²

½” 15 15x 0,50 0,203 4,25 43,34 15x0,80 0,318 6,91 70,46 15 x 1,00 0,932 8,73 89,02

¾” 22 22x0,60 0,360 3,46 35,28 22x0,90 0,532 5,24 53,43 22 x 1,10 0,644 6,46 65,87

1” 28 28x0,60 0,460 2,70 27,53 28x0,90 0,683 4,09 41,71 28 x 1,20 0,901 5,50 56,08

1 1/4” 35 35x0,70 0,673 2,52 25,70 35x1,10 1,045 4,00 40,79 35 x 1,40 1,318 5,12 52,21

1 1/2” 42 42x0,80 0,923 2,40 24,47 42x1,10 1,261 3,32 33,85 42 x 1,40 1,593 4,25 43,34

2” 54 54x0,90 1,339 2,09 21,31 54x1,20 1,775 2,81 28,65 54 x 1,50 2,206 3,52 35,89

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


44 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Tubos de condução de cobre flexível ABNT NBR 14745

São permitidos somente tubos de cobre flexíveis das classes 2 e 3, fabricados


Conforme a norma ABNT NBR 14745, são permitidos pela norma ABNT NBR 15526
Para utilização em redes internas de districuição de gases combustiveis GLP ou GN.

Diâmetro
Referéncia Espessura Peso Pressão de Serviço
Nominal
pol mm mm Kg/m MPa kgf/cm²
Classe 2 1/2 15 1,0 0,392 5,77 58,84
Classe 3 1/2 15 1,2 0,464 7,10 72,40

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


45 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Tubos de polietileno PE80 ou PE100, com SDR=11
 Os tubos devem atender as especificações da norma NBR 14462.
 As conexões de PE devem attender as especificações da norma NBR 14463
 As transições de tubos de PE para tubos metalicos devem estar em conformidades
ASTM D 2513 e ASTM 1973 e não devem ser aterradas.

Diâmetro externo Espessura da parede (mm)


Diâmetro
Externo Médio (mm)
SRD 11 SDR 17,6
(mm)
DEM TOL (+) E TOL (+) E TOL (+)
25 25,00 0,3 3 0,4 2,3 0,4
32 32,00 0,3 3 0,4 2,3 0,4
40 40,00 0,4 3,7 0,5 2,3 0,4
63 63,00 0,4 5,8 0,7 3,6 0,5
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
46 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Conceitos básicos sobre o gás
Coneções para tubo polietileno

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


47 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Instalação – Aquecedores de água a gás

Capítulos:
1 – Apresentação Coorporativa
2 – Conceitos Termodinâmicos
3 – Conceitos Hidráulicos
4 – Conceitos básicos sobre o Gás
5 – Norma ABNT NBR 13103
6 – Norma ABNT NBR 5410
7 – Produção de Calor
8 – Características dos Aquecedores
9 – Instrumentos de Medição
10 – Garantia
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
48 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


49 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
 A potência máxima a ser instalada em um mesmo local é de 70 kW.

 O local de instalação deve ter um volume bruto mínimo de 6 m3.

 O ambiente para o aquecedor de exaustão natural deve ter uma abertura


inferior e superior de no mínimo 600 cm2.

 Abertura superior com área mínima de 400 cm2.

 O ambiente para o aquecedor de exaustão forçada deve ter uma abertura para o
exterior com diâmetro igual ou superior à gola de saída da chaminé do aquecedor.

 O duto da chaminé deve ter no mínimo 35 cm de trecho vertical.(Exaustão natural)

 O duto de saída deve estar a uma distância de no mínimo 40 cm de alguma tomada


de ar.

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


50 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Tipos de Exaustão
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
51 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Tipos de exautão

35 cm

Exaustão Natural Exaustão Forçada Fluxo Balanceado


Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
52 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Exautão natural

Gases da combustão
CO2 ; H2O N2

Instalação regular

35 cm

Ar
Gases

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


53 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Exautão natural

Gases da combustão
Retorno Gases
CO2 ; H2O N2

Retorno de vento

35 cm

Sonda AGU

Ar
Gases

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


54 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Exautão natural e forçada
Gases da combustão
CO2 ; H2O N2
Instalação irregular
Redução do duto

35 cm
Saída de 135 mm Redução de duto
Sonda AGU

Ar
Gases

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


55 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Exautão natural e forçada

Instalação irregular
Ampliação do duto Condensação

Ar
Gases

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


56 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Exautão natural e forçada

Instalação regular

Ar

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


57 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Tipos de exautão forçada

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


58 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Instalação exautão natural

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


59 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Instalação exautão forçada

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


60 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Instalação exautão fluxo balanceado

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


61 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Instalação exautão fluxo balanceado

 Admissão de ar do ambiente externo.


 Exaustão dos gases de combustão (sem contato
com o ambiente interno) para o ambiente externo.
 Aparelho hermeticamente selado.
 Não consome o oxigênio do local em que o
aparelho está instalado

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


62 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Instalação típica de terminal na face de edificações

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


63 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Tipos de terminais

Terminal tipo chapéu chinês Terminal tipo T

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


64 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Tipos de terminais

ERRADO CERTO ✓

1,7 m
1,7 m

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


65 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Nunca instale aquecedor a gás instantâneo em:

Quartos Salas Banheiros

“Algumas regras tem suas excessões” – Aquecer de Fluxo Balanceado

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


66 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Locais recomendados para a instalação

Cozinha Área de serviço

Em caso de instalação em ambiente


externo (outdoor), deve-se prever uma
proteção para o aparelho.

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


67 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Instalações irregulares

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


68 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 13103
Instalações irregulares

✓ ✓

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


69 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Instalação – Aquecedores de água a gás

Capítulos:
1 – Apresentação Coorporativa
2 – Conceitos Termodinâmicos
3 – Conceitos Hidráulicos
4 – Conceitos básicos sobre o Gás
5 – Norma ABNT NBR 13103
6 – Norma ABNT NBR 5410
7 – Produção de Calor
8 – Características dos Aquecedores
9 – Instrumentos de Medição
10 – Garantia
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
70 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 5410

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


71 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 5410
Instalações eletricas baixa tensão

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


72 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 5410
Instalações eletricas baixa tensão

• Esta norma estabelece as condições a que devem se fazer as


instalações de baixa tensão, a fim de garantia a segurança de pessoas e
animais, o funcionamento adequado da instalação e conservação dos
bens.

• Esta norma aplica-se principalmente as Instalações elétricas de


edificações que seja seu uso (residencial, comercial, publico, industrical,
de serviços, agropecuário, etc.), incluindo as pré fabricadas.

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


73 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 5410
Instalações eletricas baixa tensão
• Está norma aplica-se: aos circuitos eletricos alimentados sob tensão
nominal igual ou inferior a 1000V em corrente alternada, com
frequencias inferiores a 400 Hz, ou 1500V em corrente continua.

• Está norma se aplica a instalações novas e reformas em instalações


existentes.

Aterramento

 Cabo inferior a 10mm neutro e terra não podem estar juntos (TN-S).

 As funções do conductor neutro e do condutor de proteção são distintos


na rede eletrica.
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
74 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 5410
Curvas de disjuntores

Tipo curva B:
 Cargas resistivas pequena corrente de partida 3 a 5 vezes corrente
do circuito.

Tipo curva C:
 Cargas Indutivas media corrente de partida 5 a 10 vezes corrente do
circuito.

Tipo curva D:
 Cargas grandes corrente de partida 10 a 20 vezes corrente do
circuito.

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


75 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 5410
Quadro elétrico

(TN-S)

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


76 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 5410
Energia elétrica
Tensão:

 É a diferença de potencial entre dois pontos em um circuito


ou condutor.
 Não conseguimos obtermos a corrente e a potência de um
equipamento elétrico sem obtermos a tensão.

 Símbolo = U
P
 Unidade de medida é Volts
V I
U=R.I

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


77 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 5410
Tensão elétrica
 É a energia que um gerador fornece e faz com que a carga se
movimente.
Estrutura do Àtomo

 Unidade de medida o “Volt” (V)

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


78 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 5410
Tipos de transformadores
Tensão de 220v (bifásico e trifásico).
Tensão de 127v (monofásico).

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


79 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 5410
Transformador
Transformador com tensão de 380v (bifásico e trifásico).
Transformador com tensão de 220v (monofásico).

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


80 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 5410
Resistência elétrica
 É a dificuldade que a corrente elétrica encontra para percorrer um
determinado condutor ou circuito.
 A resistência é medida em Ohms

Unidade de medida o “Ohm” (Ω)


R= V I
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
81 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 5410
Corrente elétrica

 É o fluxo que percorre em um determinado condutor. Medida em ampère.

P
Unidade de medida é o “Ampére” (A). I= V I
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
82 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 5410
Potência eletrica

 A potência P, em Watts, é o resultado do consumo real de


um equipamento movido a energia elétrica.

V I
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
83 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Norma ABNT NBR 5410
Frequência elétrica
 Comportamento da Freqüência e Rotação de um equipamento de
corrente alternada
 A grandeza Frequência indica o número de vezes que a polaridade é
invertida por segundo . Símbolo: “ F “ ,

 Unidade: Hz (Hertz).

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


84 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Instalação – Aquecedores de água a gás

Capítulos:
1 – Apresentação Coorporativa
2 – Conceitos Termodinâmicos
3 – Conceitos Hidráulicos
4 – Conceitos básicos sobre o Gás
5 – Norma ABNT NBR 13103
6 – Norma ABNT NBR 5410
7 – Produção de Calor
8 – Características dos Aquecedores
9 – Instrumentos de Medição
10 – Garantia
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
85 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Produção de Calor

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


86 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Produção de calor
Combustão “Para toda ação gera uma reação” Isaac Newton

 É a combinação do combustível (gás) com um comburente (oxigênio),


mediante a presença de um elemento de ignição (centelha)

Gases da
Ignição - Centelha Chama / Calor combustão

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


87 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Produção de calor
Combustão completa

 É a reação de combustão em que todos os elementos oxidáveis


constituintes do combustível se combinam com o oxigênio,
particularmente o carbono e o hidrogênio, que se convertem
integralmente em dióxido de carbono(CO2) e água (H2O)
independentemente da existência de excesso de oxigênio(O2) para a
reação.

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


88 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Produção de calor
Combustão Incompleta ou parcial

 Nesta reação aparecem produtos intermediários da combustão,


especialmente o monóxido de carbono(CO) e o hidrogênio(H2), resultado
da oxidação incompleta dos elementos do combustível. Ela pode ser
induzida pela limitação na quantidade de oxigênio oferecido para a
reação, pelo resfriamento ou sopragem da chama.

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


89 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Produção de calor
Combustiveis GN & GLP

GLP
Cilindro

GN
Gás de rua

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


90 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Produção de calor
Energia térmica - Transferência de calor
Fogueira
Radiação:
 È a capacidade de um material absorver
ou refletir a energia que incide sobre si.
Radiação
Radiador
 Convecção:
Chama-se convecção ao fluxo de
calor através de líquidos e gases.
Convecção

Condução
 Condução:
È a capacidade térmica de um
material transmitir energia por
contacto direto. Ferro ao rubro

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


91 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Produção de calor
Potencia & vazão dos aquecedores de água a gás

 P. ùtil/h = P. nominal kcal/h x Rendimento (%) Eficiência

 P. útil/min. = P.útil kcal/h


60 (1hora)

 L/min. = P.útil kcal/min.


20 (∆t)
 L/min. = ?

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


92 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Instalação – Aquecedores de água a gás

Capítulos:
1 – Apresentação Coorporativa
2 – Conceitos Termodinâmicos
3 – Conceitos Hidráulicos
4 – Conceitos básicos sobre o Gás
5 – Norma ABNT NBR 13103
6 – Norma ABNT NBR 5410
7 – Produção de Calor
8 – Características dos Aquecedores
9 – Instrumentos de Medição
10 – Garantia
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
93 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Características dos Aquecedores
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
94 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Características dos aquecedores
O que é um aquecedor de água a gás?

 É um aparelho que utiliza o gás como fonte de energia para gerar água
quente.

 Normalmente seu uso é residencial.

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


95 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Características dos aquecedores
Principio de funcionamento
Aquecedores de passagem
 O aparelho começa a funcionar
automaticamente quando um ponto de
consumo é aberto.

Vantagens
 Mais conforto : não há possibilidade a
água quente acabar.

 Economia de gás: o aparelho só liga


quando há necessidade de água quente

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


96 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Características dos aquecedores
Principio básico do aquecedor de água a gás

Câmara de
combustão Dispositivos de segurança
Termistores

Queimador
Válvula de água e gás
UCE

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


97 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Características dos aquecedores
Como funciona…

1 - Abertura de um ponto de água quente.


2 - A válvula de água detecta a passagem de água.
3 - Interação entre a válvula de água e a válvula
de gás para liberação do gás para o queimador.
4 - Ignição e formação da chama.
5 - Aquecimento da água através da transferência
de calor.
6 - Saída de água quente no ponto de consumo.

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


98 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Características dos aquecedores
Potência fixa
 A temperatura de saída da água depende da vazão com que passa pelo
aquecedor:

Aumento na vazão de água


=
Diminuição da temperatura

Redução na vazão de água


=
Aumento da temperatura

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


99 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Características dos aquecedores
Potência automodulante
 A temperatura de saída da água não depende da vazão com que passa
pelo aquecedor:

Aumento na vazão de água


=
Temperatura constante

Redução na vazão de água


=
Temperatura constante

Benefício: Conforto para usuário Menor consumo de gás


Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
100 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Características dos aquecedores
Tipos de alimentação de energia elétrica

 Os equipamentos Bosch são feitos para ser acionado com os tipos


abaixo.

Alimentação elétrica de rede – E Baterias (pilhas) – B

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


101 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Características dos aquecedores
Soluções metas climáticas

 Consumo de energia nos edifícios é responsável por


cerca de 40% das emissões de CO2 a nível mundial.

 Até 2050, o consumo de energia e as emissões de


CO2 deverão serem reduzidas em 60%, a fim de
limitar o aquecimento global a 2 K.

 Isso significa que o tanto de CO2 que seria poupado


nos edifícios é equivalente ao que esta sendo gerado
no setor de transporte global atualmente.

Source: Study “Energy Efficiency in Buildings“, World Business Council for Sustainable Development, 2009
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
102 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Instalação – Aquecedores de água a gás

Capítulos:
1 – Apresentação Coorporativa
2 – Conceitos Termodinâmicos
3 – Conceitos Hidráulicos
4 – Conceitos básicos sobre o Gás
5 – Norma ABNT NBR 13103
6 – Norma ABNT NBR 5410
7 – Produção de Calor
8 – Características dos Aquecedores
9 – Instrumentos de Medição
10 – Garantia
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
103 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Instrumentos de Medição
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
104 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Instrumentos de medição
Ferramentas necessárias
O Multímetro
É um dispositivo de medição de grandezas elétricas.

Função básica: Normalmente,


utilizado para medir 3 grandezas:
oTensão (V)
oCorrente (A)
oResistência (Ω)

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


105 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Instrumentos de medição
Ferramentas necessárias

Escala de Corrente
(Ampére)

Escala de Tensão (Volts)


DC
Escala de Tensão (Volts) CA

Escala de Resistência
(Ohm) Escala para teste de diodos

Conectores de cabos de
medição
(preto e vermelho)
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
106 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Instrumentos de medição
Ferramentas necessárias

Manômetro de água

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


107 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Instrumentos de medição
Ferramentas necessárias

Manometro Manômetro digital


coluna de água Diferencial de pressão
de gás

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


108 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Instalação – Aquecedores de água a gás

Capítulos:
1 – Apresentação Coorporativa
2 – Conceitos Termodinâmicos
3 – Conceitos Hidráulicos
4 – Conceitos básicos sobre o Gás
5 – Norma ABNT NBR 13103
6 – Norma ABNT NBR 5410
7 – Produção de Calor
8 – Características dos Aquecedores
9 – Instrumentos de Medição
10 – Garantia
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
109 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Garantia
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
110 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Garantia
Garantia contra defeito de fabricação
Garantia dada pela Bosch Termotecnologia Limitada garante os produtos por ela fabricados e comercializados,
contra toda e qualquer eventual defeito de fabricação durante os períodos abaixos inscritos (Aquecedores de
passagem, Caldeiras murais, Condicionadores de ar, Bombas de calor, Bombas pressurizadoras) com defeito
de fabricação devidamente constatado pelo Serviço Autorizado.

1.1. Produtos Instalados por Serviço Autorizado

Neste caso todos os produtos comercializados possuem garantia total conforme as informações contidas no
manual do produto, a partir da data de compra, conforme consta no Certificado de garantia que acompanha o
produto, cobrindo tanto uma eventual troca de peças quanto o deslocamento do técnico autorizado.

1.2. Produtos não Instalados por um Serviço Autorizado

No caso de instalações não realizadas por uma Assistência Técnica Autorizada - ATA, a garantia do produto
contra defeito de fabricação será de 3 meses, conforme o Código de Defesa do Consumidor (Garantia legal -
Lei 8078/1990), e cobre somente a peça substituída.

Obs.: Neste caso as despesas com deslocamento não se enquadram na garantia do produto, ficando
este custo por conta do cliente.

1.3. Garantia de Peças

As peças substituídas têm garantia de 90 dias a partir da data de troca.

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


111 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Garantia
Dados necessários para solicitação de garantia:

 Nota fiscal de compra do cliente final.


 Número de série do produto.
 Fotos do problema apresentado.
 Fotos da instalaçao.

Enviar para Garantia:


bosch.garantia@br.bosch.com

Obs. Em caso de duvidas consulte a politicas de garantia


Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
112 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Garantia
Atendimento ao consumidor Bosch

A imagem v inculada não pode ser exibida. Talv ez o arquiv o tenha


sido mov ido, renomeado ou excluído. Verifique se o v ínculo aponta
para o arquiv o e o local corretos.

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


113 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Garantia
Atendimento a rede autorizada Bosch

A imagem v inculada não pode ser exibida. Talv ez o arquiv o tenha sido mov ido, renomeado ou excluído. Verifique se o v ínculo aponta para o arquiv o e o
local corretos.

Suporte técnico a rede autorizada


Bosch Atende - 0800 773 5006.
Luiz Maia - (19) 99811 4783
bosch.atende@br.bosch.com

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


114 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Garantia
Soluções comerciais

Representantes & coordenadores


Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
115 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Atenção e trato com cliente
Boas práticas - Sucesso profissional

Aparência

Pontualidade e identificação

Conhecimento

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


116 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Atenção e trato com cliente
Boas práticas - Sucesso profissional

Peças de reposição

Comportamento

Chamada Posterior

Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017


117 %mdCopyText_TTBR_ENG%
Thermotechnology | TT/SBZ-ASA | 08/02/2017
118 %mdCopyText_TTBR_ENG%