Você está na página 1de 4

Sugestões para fichamento e composição dos itens do trabalho de dissertação e tese (Profa. Anete Alberton).

Bases e Fator de Impacto:

- Usar Bases Internacionais via UNIVALI: EBSCO e Periódicos Capes. Ambas podem acessar de casa.

EBSCO é só solicitar a senha apara biblioteca. Periódicos capes: acessar a base --- meu espaço --- café --- selecionar a UNIVALi e usar seu login e senha.

- Pesquisar SPELL, repositório de revistas da área da Administração mantido pela

ANPAD. www.anpad.org.br --- SPELL. Interessante para uma primeira busca geral. - Site para verificar Índice H e SJR e assim verificar a qualidade do periódico

internacional, ranking da scimago. http://www.scimagojr.com/journalsearch.php No novo qualis índice H-Scopus > 24. (Se 9 <H<24 é A2) - Fator de Impacto ISI-JCR : ver na própria revista. JCR > 1,4 é A1. (Se 0,7 <JCR<1,4 é A2)

FICHAMENTO SINTÉTICO:

Sugere-se fazer um quadro com os itens abaixo como cabeçalho das colunas

1)

Autor (ano).

2)

Temas abordados.

3)

População/Amostra estudada; período pesquisado; País de origem da pesquisa.

4) Construtos e Variáveis analisadas, tipo de abordagem (se quali ou quanti) e fonte de

5)

dados. Metodologia utilizada, ou seja, tipo de análise dos dados (pode ser junto com o item 4)

6)

Principais resultados encontrados.

7)

Lacunas de pesquisa apontadas (que levam a sugestões de novas pesquisas).

Este fichamento é muito útil para todas as partes da pesquisa. Na introdução para construir parágrafos mais robustos com o entrelaçamento de ideias dos autores e em especial a partir da identificação das lacunas inserir e justificar o trabalho. Na fundamentação para mostrar o marco teórico e construir o texto de forma mais densa, com os autores ‘conversando ente si’. Na metodologia para reforçar as escolhas que irão fazer com base em outros trabalhos realizados. Nos resultados para fazer o resgate à teoria comparando os resultados da pesquisa com os já encontrados em outros trabalhos. Nas conclusões para indicar o que evoluiu em relação aos demais trabalhos e o que falta ainda a ser feito.

ESTRUTURA DO TRABALHO:

Título: Deve descrever de forma lógica, rigorosa e breve a essência do trabalho. Deve dar ao

leitor a ideia precisa do assunto estudado.

O resumo e abstract devem abordar: a temática e problema pesquisado; o material e o método empregado (Metodologia); os principais resultados obtidos e uma conclusão final. Não esquecer da versão em inglês (abstract) e das palavras-chave, estas devem ser tais que facilitem o acesso ao estudo pelos leitores.

1. Introdução

Deve conter: o contexto e a descrição do problema estudado; os objetivos e a justificativa da pesquisa; as contribuições (teóricas e profissionais/gerenciais/sociais) e o que realmente vai fazer; a descrição da forma como a dissertação está estruturada. Pode fazer um parágrafo introdutório explicando os itens que vão compor o capítulo. Pode também, antes deste parágrafo contextualizar o tema, sem criar item específico para tal, ou então criar item específico para contextualização. Veja o que coloco abaixo.

1.1. Contextualização

Onde deve apresentar o(s) tema(s) trabalhado(s), aspectos gerais sobre a emergência do mesmo e inserindo a problemática do estudo. Este item é opcional, pois caso não

queira criar um item específico podes colocar logo após a abertura do capítulo, antes do parágrafo introdutório que falo acima.

1.2. Objetivos

Objetivo geral (apenas um verbo)

Objetivos específicos (um verbo para cada objetivo)

1.3. Justificativa

Deve apresentar ‘quem é quem no tema’, na verdade é um estado da arte sintetizado em que se referencia os autores para enquadrar o teu trabalho e ir sinalizando a quais estudos (nacionais e internacionais), temas correlatos (por exemplo, no tema específico de qualidade, no de performance, no de qualidade aliado à performance) ou metodologia empregada, o teu trabalho vem agregar conhecimento e em que sentido o agrega, ou seja, o que faz além do já feito e conhecido. Este item é muito importante, deve estar justificada a pesquisa sob o ponto de vista científico e em um parágrafo ou dois ao final a justificativa social e as implicações para a gestão. Também deve ser feita neste item (ou em item específico) a delimitação do trabalho, ou seja, os limites de contribuição do trabalho, para que criar falsas expectativas em relação ao escopo e abrangência do trabalho. Abaixo retiro do material do Prof. Alexandre Lerípio algumas questionamentos importantes a serem respondidos na justificativa:

“Esse item deve apresentar os fatos que levaram o pesquisador a realizar este trabalho, ou seja, qual a importância do tema no contexto mundial, nacional, estadual, regional, local? Por que o problema é grave? Quem afeta? Como afeta? Quais as repercussões sociais, culturais, ambientais e econômicas do problema? Se o trabalho não for desenvolvido, o problema tende a piorar? Em resumo, esse item deve esclarecer porque o trabalho precisa ser desenvolvido e quais as contribuições previstas para a resolução do problema. “ (ALEXANDRE LERÍPIO)

Para doutorado, sugere-se dividir a justificativa em 4 itens: Ineditismo, relevância científica, não trivialidade e ao final, se possível, apontar a contribuição social/para a gestão. Veja que o fichamento poderá ajudar muito para identificar ‘quem é quem’ na área/tema, as lacunas apontadas, os trabalhos similares e etc

Onde se explica a estrutura do trabalho, capítulo a capítulo.

Obs.: Se preferir pode inverter os itens 1.2 e 1.3. Este roteiro é uma sugestão e deve ser adequado às orientações do professor orientador e às características de cada pesquisa.

2. Fundamentação Teórica

Fazer parágrafo de abertura, como na introdução, e depois ir criando os itens de acordo com a necessidade. Todos os autores que você achou importante colocar sinteticamente na introdução para justificar o teu trabalho, devem obrigatoriamente fazer parte da tua revisão. E outros devem ser incluídos. Mais do que os livros texto, o estado da arte é abordado a partir da leitura de artigos publicados em periódicos de qualidade sobre o tema. Assim priorizar o uso de artigos e cuidar para a atualidade dos mesmos, o histórico do tema é importante, mas até onde chegou a pesquisa no tema é primordial, então usar bibliografia recente. Livro textos podem ser usados, mas com certa parcimônia, pois quando publicado em livro supõe-se que o conteúdo já é de domínio.

Novamente o fichamento é muito importante

e aqui até podem ser inseridos quadros

resumos dos fichamentos. O uso de tabelas, figuras ou esquemas em geral ajudam na compreensão teórica. Um item final fazendo a síntese da teoria utilizada é, em geral, interessante.

Não esqueça de verificar com o orientador se as referências são adequadas e suficientes.

Como sugestão verifique se:

foi identificada a situação ou o contexto no qual o problema se encontra;

foram delimitados os aspectos ou elementos do problema que vou tratar;

foram apresentadas as variáveis envolvidas e a relação entre elas;

foram elencados os indicadores e as hipóteses fundamentais a serem adotadas;

as hipóteses são lógicas e podem ser testadas (no caso do estudo ter hipóteses).

3. Metodologia

Criar parágrafo de abertura. 3.1.Delineamento da pesquisa: características gerais da pesquisa 3.2. População e amostra (ou Caracterização do objeto de estudo) 3.3.Hipóteses e variáveis de pesquisa (se existirem) 3.4.Coleta de dados (não esquecer dos teste s e pré-testes) 3.5.Análise de dados 3.6.Esquema geral da pesquisa. Pode fazer um fluxo sintetizando as etapas e também pode elencar em quadro os objetivos específicos e as etapas para sua consecução.

Os itens podem variar, de acordo com o tipo de pesquisa, se qualitativa ou quantitativa. O importante é que este capítulo justifique as escolhas metodológicas. Deve conter: os materiais, métodos e procedimentos utilizados. Os procedimentos devem ser detalhados de forma que se permita a reprodução das experiências com os materiais, equipamentos e as técnicas de análise utilizadas.

4. Resultados

Criar parágrafo de abertura. Fazer tantos itens quanto necessário e sugere-se seguir as etapas propostas na metodologia.

Os resultados devem ser analisados à luz da teoria, ou seja, comparando a outros estudos realizados, e tendo em vista os objetivos propostos no início do estudo e, se for o caso, as hipóteses traçadas. Novamente o fichamento realizado será importante especialmente se tiverem mapeado os resultados principais destes estudos. O uso de tabelas, figuras ou esquemas em geral ajudam na compreensão e melhor visualização dos resultados e análises.

5. Conclusões

Resgate dos objetivos, questão de pesquisa e resultados principais do trabalho, o que se alcançou com a pesquisa e qual a sua relevância; as vantagens, limitações e aplicações das propostas e resultados. Acrescentar as limitações do trabalho que muitas vezes podem ser relacionadas a possibilidades de novas pesquisas e finalmente sugerir pesquisas futuras desmembradas da que está sendo apresentada. Conclusões, limitações e sugestões também podem ser itens dentro de um capítulo de considerações finais. Também podem desmembrar este capítulo em 2 itens: Discussão e Conclusões. Na discussão faz-se um resgate final dos resultados à luz da teoria e nas conclusões o dito acima.

Referências

Verificar ABNT ou a norma específica utilizada. Cuidar para que: as referências estejam completas (autor[es], título de obra, local de publicação, editora, ano); em ordem alfabética; as referências eletrônicas, além do que se espera das demais referências (item a), estejam complementadas por “disponível em – link” e “acesso em – data” e, que a quantidade e a qualidade das referências utilizadas estejam adequadas ao trabalho e tema apresentados.

Apêndices e Anexos

Apresentar o banco de dados utilizado quando possível; apresentar o roteiro de entrevistas e/ou o questionário utilizados(s); anexar os documentos complementares que se fizerem necessários.