Você está na página 1de 7

Circuito de proteção Arduino

Com o intuito de criar um carrinho simples controlado por Arduino, pesquisei por algum
tempo qual seria o melhor transistor para usar no acionamento de um motor DC (desses bem
genéricos que vem em carrinhos baratos movidos a pilha) abastecido por 2 pilhas de 1,2 Volts.
Depois de muitas tentativas, inclusive com o BD139 recomendado em outro tutorial aqui do lab,
decidi pelo TIP 122.
O principal motivo da minha decisão foi o fato desse transistor contar com um diodo interno
que evita danos por eventuais correntes reversas geradas pelo motor.
A montagem é essa:

Note que o pino do Arduino deve ser conectado na perna à esquerda do transistor (chamada
base) e a corrente vai fluir entre as duas outras pernas, de modo que a perna da direita deve
estar ligada ao ground e a central ao positivo (nesse caso, passando pelo motor).
Detalhe importante: o ground do Arduino deve ser ligado na trilha do ground (vinda das pilhas).
Isso é necessário paa fechar o circuito pino 13 - transistor - Arduino.
O código abaixo é bastante simples e serve apenas para testar a montagem. Ele deixa o motor
rodando por 2 segundos e parado por outros 2.
int motorPin = 3;

void setup()
{
pinMode(motorPin, OUTPUT);
pinMode(13, OUTPUT); //só para o led embutido piscar junto
}

void loop()
{
digitalWrite(13,HIGH); //led
digitalWrite(motorPin, HIGH);
delay(2000);
digitalWrite(13,LOW); //led
digitalWrite(motorPin, LOW);
delay(2000);
}
Para fazer controle de velocidade, basta usar analogicWrite no lugar de digitalWrite passando
valores entre 0 (motor parado) e 255 ( velocidade máxima), ou seja, usar PWM.

Optoacoplador: eles são e como eles funcionam?


Optocouplers

Quais são optocouplers e como eles funcionam?


São conhecidos como opto-isoladores ou dispositivos de acoplamento óptico, eles baseiam
o seu funcionamento na utilização de um feixe de radiação de luz para transmitir sinais a
partir de um circuito para outro, sem a ligação eléctrica. Estes são muito úteis quando usadas
por exemplo, microcontroladores PICs e / ou, se quisermos proteger nosso microcontrolador
PICAXE este dispositivo é uma boa escolha. Geralmente os relés podem ser substituídos, pois
têm uma velocidade de comutação superior ea falta de saltos.

A grande vantagem de um acoplador óptico reside no isolamento eléctrico que pode ser
estabelecida entre a entrada e saída do circuito. Fundamentalmente este dispositivo é
constituído por um emissor de luz e uma fonte de silício fotossensor, que se adapta à
sensibilidade espectral do emissor de luz Todos estes elementos são encapsulados dentro do
qual é normalmente o tipo DIP.

Que tipo de Optocouplers lá?


Vários tipos de acopladores ópticos que se depende de diferença entre os dispositivos de
saída, que são inseridos no componente. Assim temos os seguintes tipos:
Phototransistor: consiste de um acoplador óptico com um estágio de saída consiste de um
transistor BJT. Os mais comuns são o 4N25 e 4N35
Optotransistor (símbolo)

Optotransistor na configuração de Darlington

Optotransistor encapsulado fenda

Optotransistor grooving encapsulado (foto)


Phototriac: consiste de um acoplador óptico com um andar de saída é constituída por um
triac.
Phototriac cruzamento zero: Optoacoplador estágio de saída na qual existe um triac de
cruzamento de zero. O circuito de zero interruptores cruzamento triac internos para apenas o
cruzamento zero da energia AC. Por exemplo, o MOC3041

Optotiristor: Projetado para aplicações onde o isolamento entre o sinal e uma rede lógica
necessária.

Exemplos de circuitos usando optocouplers utilizados:


Circuito de proteção Arduino