Você está na página 1de 7

A ESCATOLOGIA E O ARREBATAMENTO

I. O ARREBATAMENTO PRE-TRIBULACIONISTA
O tema maior da Escatologia é a volta de Cristo no que diz respeito ao Arrebatamento dos Salvos
Muitas tentativas houveram para determinar a data da vinda de Cristo, mas o Senhor não veio
na hora marcada pelos homens. O tempo exato da sua vinda está oculto em Deus – Mt 24:36-44
Quanto ao arrebatamento, existem grupos e pensamentos distintos
Todos creem no arrebatamento. As divergências ocorrem em relação ao tempo em que vai
acontecer e sobre quem vai realmente participar
1. O ARREBATAMENTO PARCIAL
A posição parcial existe há mais ou menos 100 anos. Seus expoentes são Robert Govertt e C. H.
Lang. Tomam passagens como 1ª Ts 5:1-11; Lc 21:36; Tt 2:12,13. Defendem que somente aqueles que
estiverem vigiando é que serão arrebatados. Os que não estiverem vigiando, ficarão e passarão
pela tribulação. Durante a tribulação aqueles que se santificarem serão arrebatados ou
martirizados durante aquele tempo. A base para os Arrebatamentos parciais durante a
Tribulação são as passagens de Ap 7:9,14; 11:2; 12:5; 16:15

2. O MID-TRIBULACIONISMO
O mid-tribulacionismo é a posição mais recente de todas, foi popularizada por Harrison, em
1941. É a convicção de que o arrebatamento ocorrerá na metade da tribulação. Com base em Ap
7:14; Mt 24:21; Dn 9:27, o mid-tribulacionista diz: A tribulação são os 3 anos e meio restantes pelos
quais a igreja não passará. Entendem que a sétima trombeta (Ap 11:15) ocorrerá no meio da
Tribulação, associando-a à última trombeta, citada por Paulo em 1ª Cor 15:52

3. O PÓS-TRIBULACIONISMO
Interpretam a profecia de forma alegórica. Argumentam que o povo de Deus sempre viveu em
angústia e tribulação, e no fim dos tempos ela será intensificada. Usam textos como Jo 16:33; At
14:22. Acreditam que a intensificação está estabelecida em Mt 24:21, antes da 2ª vinda de Cristo.
Identificam a igreja e Israel como sendo o povo de Deus – Gal 6:16. Segundo o pós-
tribulacionismo Cristo virá para arrebatar os santos e estabelecer o milênio, tudo ao mesmo
tempo. A igreja passará pela tribulação, não havendo motivo para que ela seja livre daquele
período. Interpretam Ap 3:10 como: “Guardar durante a tribulação”
4. ARREBATAMENTO PRÉ-IRA
Esta posição ensina que todos os crentes serão arrebatados no Aproximadamente depois
de decorridos ¾ (três quartos) da Tribulação

5. O PRE-TRIBULACIONISMO
Ensina que, antes do período de sete anos (tribulação), todos os salvos (tanto os vivos quanto
os mortos) serão arrebatados, ao encontro do Senhor nos ares levados ao céu

Há muitos argumentos pró e contra cada um desses argumentos


Todavia, temos base bíblica para ser e defender o pre-
tribulacionismo
II. O ALICERCE DOUTRINÁRIO DO PRE-TRIBULACIONISMO

Assim como um construtor, ao construir uma casa, primeiro lança um alicerce adequado sobre o
qual edifica-la. Assim também a doutrina correta se firma sobre um alicerce seguro . A visão
panorâmica do pre-tribulacionismo pode ser resumida no seguinte gráfico
1. O ARREBATAMENTO PRÉ-TRIBULACIONAL

 Contraste entre as Duas Vindas


 Necessidade de Intervalo Entre as Duas Vindas
 Doutrina da Iminência
 Natureza da Tribulação
 Natureza da Igreja
 Obra do Espíritos Santo
Pré-milenismo Futurismo Israel/Igreja/Distinção
Interpretação Coerentemente Literal

Os quatro elementos do alicerce bíblico que sustenta o pre-tribulacionismo são:


 Uma interpretação coerentemente literal
 O pre-milenismo
 O futurismo
 Uma distinção entre Israel e igreja

A interpretação histórico gramático literal das Escrituras é:


As conclusões são tiradas dos textos que são analisados e de uma exposição exegética das
passagens sempre que necessário
III. UMA DEFINIÇÃO DE INTERPRETAÇÃO LITERAL

A interpretação literal da Bíblia consiste em explicar o sentido original da Bíblia de acordo com
o uso normal e costumeiro de sua linguagem
Como se faz isso? Leve em consideração os seguintes métodos de interpretação:

1. O método gramatical (de acordo com as regras da gramatica)


2. O método histórico (coerente com o contexto histórico da passagem)
3. O método contextual (de acordo com o seu contexto)

O grande problema da Escatologia e suas posições é INTERPRETAÇÃO


Na Escatologia a origem das informações é uma só, a Bíblia
A questão é hermenêutica porque tem como base a interpretação das Escrituras
Se a interpretação da profecia for feita pelo método alegórico e espiritualizante, as conclusões
serão de um arrebatamento Pós-tribulacional, visto que a tribulação é apenas uma
intensificação do que ocorre a todo instante na vida do crente (Jo 16:33). O milênio passa a ser
apenas um número simbólico de um espaço de tempo entre as duas vindas. Se a interpretação
for literal, o pre-milenismo e o pre-tribulacionismo serão as convicções
VI. O QUE É PRÉ-MILENISMO?

O pré-milenismo ensina que a segunda vinda de Cristo acontecerá antes do seu reinado de mil
anos sobre a terra. Na igreja primitiva o pre-milenismo era chamado “quiliasmo”, palavra
derivada do termo grego que significa mil. É usado seis vezes em Ap 20:2-7
Características essenciais do pré-milenismo:
1. Sua duração será de mil anos
2. Sua localização será nesta terra
3. Seu governo será teocrático
Com a presença pessoal de Cristo reinando como Rei
4. Irá cumprir todas as promessas ainda não cumpridas a respeito do reino terreno
O pré-milenismo é contrastado com o ensino do pós-milenismo que diz:
Cristo voltará à terra depois de ter reinado espiritualmente de seu trono celestial por um longo
período de tempo, durante a presente era, por meio da igreja
O pré-milenismo é contrastado com o ensino amilenista que diz:
Com base numa hermenêutica espiritualizante e figurada, negam o conceito de um reino literal
estabelecido na terra com duração de mil anos literais. O milênio é o período compreendido
entre a primeira e a Segunda Vinda de Cristo. Haverá um aumento da impiedade ao final da era
da igreja seguido pela Segunda Vinda de Cristo
Orígenes, usando o método alegórico de interpretação espiritualizou o reino futuro,
entendendo-o como sendo a atual era da igreja desde Adão. Este sistema inexistia até
Orígenes; foi popularizado por Agostinho, que espiritualizou o reino e entendeu-o como sendo
o período de tempo entre a 1ª e a 2ª vinda de Cristo. Escritos dele dão a entender que Cristo
voltaria no ano 1000
V. A PROFECIA: PASSADO, PRESENTE OU FUTUTO?
O terceiro alicerce bíblico para uma compreensão do arrebatamento Pretribulacional é o
futurismo. Quando é que uma profecia será cumprida na história?
Há quatro possibilidades. Quatro pontos de vista em relação ao tempo
- Passado, presente, futuro e atemporal

Quatro escolas de interpretação quanto ao cumprimento profético


1. A ESCOLA PRETERISTA (PASSADO)
Ensina que a maioria das profecias, se não todas, já foram cumpridas
Geralmente relacionadas à destruição de Jerusalém em 70 d. C.
2. A ESCOLA HISTÓRICISTA (PRESENTE)
Aceita que a maior parte da história da igreja equivale ao período da tribulação
A profecia tem sido e continuará a ser cumprida durante a presente era da igreja
3. A ESCOLA FUTURISTA (FUTURO)
Defende que todos os eventos proféticos só ocorrerão não na era da igreja, mas no futuro,
durante a Grande Tribulação na 2ª vinda de Cristo, no Milênio etc. O ponto de vista futurista
aceita que os acontecimentos de Ap 1,2,3 são históricos e tiveram o seu cumprimento, a partir de
Ap 4 o livro é completamente futurista e terá o seu cumprimento na Grande Tribulação, na 2ª
vinda de Cristo e Milênio, depois virá a eternidade. No livro de Apocalipse temos o seu esboço
inspirado – Ap 1:19
4. A ESCOLA IDEALISTA (ATEMPORAL)
Nega que seja possível estabelecer uma data para esses eventos. Não crê que a Bíblia indique
uma cronologia de eventos. Os idealistas creem que as passagens proféticas ensinam
grandes ideias ou verdades sobre Deus que podem ser aplicadas
Dos quatro pontos de vista o futurismo é único que apoia o pré-tribulacionismo, onde o
Arrebatamento está relacionado
VI. A DISTINÇÃO ENTRE ISRAEL E A IGREJA
A visão bíblica de Israel e a visão bíblica da igreja revela que são entidades separadas
O quarto alicerce bíblico sobre o qual se constrói a doutrina do Pre-tribulacionismo é
a
separação entre Israel e a igreja. “O termo Israel é visto teologicamente como uma referência a
todos os descendentes de Abraão, Isaque e Jacó, conhecidos por “judeus”, “israelitas”,
“hebreus”. A eleição de Israel o distingue de outros povos – Dt 7:6-8; 10:15; 14:2 conhecidos como
gentios
Os defensores da doutrina da substituição dizem que: “A certa altura, a igreja recebe as
promessas dadas a Israel e assim se torna ‘o novo Israel’. Os termos Israel e igreja são usados de
modo intercambiável e usam Gal 6:16 e Rm 9:6. Não há base bíblica sustentável para esta ideia
1. DIFERENÇAS ENTRE ISRAEL E A IGREJA
Existem muitas diferenças entre Israel e a igreja:

Israel Igreja
1. Surgiu há muitos séculos Gn 12:1-3 1. Começou no N.T com Jesus
Cristo Mt 16:18; 18:17
2. É o povo que revelaria ao mundo a 2. (o corpo de Cristo) é o povo celestial
sabedoria Jo 14:1-3; 2Tm 4:18
de Deus Dt 4:5-8
3. Foi escolhido para ser povo especial de 3. É prometido um lar no céu
Deus dentre as outras nações Dt 7:6-8 Jo 14:2; Hb 12:22

4. É o povo terrestre de Deus 4. Às bênçãos para a igreja são espirituais


Gn 17:7-8; Is 43:5-7 Ef 1:3; Fp 3:20-21

5. A Israel é prometido um país e uma cidade 5. Era um mistério, só revelado no N.T


nesta terra Rm 16:25; Ef 3:1-12; 5:32; Cl 1:24-27
Gn 12:1,2; 15:18, 17:7-8; Dt Referência nunca dada a Israel
7:6;
Js 21:43; Is 43:5-7,11
6. As bênçãos para Israel são materiais, tais 6. Faz parte da “nova aliança”
como: Possessões de terra, fartura, domínio Mt 9:17, 26:28; Mc 14:24; Lc 22:20; 1 Co
sobre os povos vizinhos, etc. 11:25;
Gn 12:1,2; 15:18; 17:7-8 2 Co 3:6, 14; Gal 4:24-31
Hb 7:22, 8:6, 13, 9:15-16, 12:24
2ª Co 3 e Gl 3, vemos a superioridade da
nova aliança sobre a antiga
7. Israel deveria trazer o Messias ao mundo 7. A igreja é formada por gentios e judeus
e a salvação aos gentios salvos pelo “evangelho da graça”
Gn 12:3; Rm 9:4,5; Jo 4:22 At 13:39; Rm 3:20-31, 4:6-8; Gl 3:10-13; 5:4;
Ef
2:8,9; Tt 3:5
8. É a mulher durante a tribulação Ap 12:14 8. A igreja é a “noiva” de Cristo – Ef 5:32

9. Reconhecerá Cristo na Sua Segunda Vinda 9. Não estará na tribulação, pois será unida a
Ap 1:7 Cristo nas bodas do Cordeiro, no
céu Ap 19:7,8

10. Israel será governado por Cristo, durante 10. Voltará do céu com Cristo, em triunfo
o Zc 14:4-5; Jd 14
Milênio (Dn 2:35; 7:27; Zc 8:23; Ap 20:4-6)
* Muitos acham que Israel será governado por
Davi
11. Governará o mundo junto com Cristo,
durante o Milênio 2 Tm 2:12; Jd 1:14;
Ap 1:6, 5:10, 20:6

Israel e a igreja são vistos como dois organismos diferentes na Bíblia, se fossem um não haveria
necessidade da restauração de Israel. Não é correto fundir Israel e a igreja em um único objeto,
pois, além de todas as razões já vistas, o N.T. fala sobre o arrebatamento dos salvos (1 Co 15:51-
58), e não do arrebatamento de Israel, que passará pela Grande Tribulação (Jr 30:4-9; Dn 12:1; Mt
24:15,21)

J. Dwight Pentecost em seu livro Manual de Escatologia diz: Esses dois grupos não podem ser
unidos num só. São entidades separadas com quem Deus tem um plano especial
VII. CONTRASTE ENTRE AS DUAS VINDAS

Os pós-tribulacionistas argumentam:
“Se o Arrebatamento e a Segunda Vinda são eventos distintos, separados por cerca de sete anos,
deveria existir pelo menos uma passagem bíblica que ensinasse isso”

Haverá um arrebatamento – 1ª Ts 4:17


As perguntas que devemos fazer são: Quando ele acontecerá?
Qual o seu relacionamento com a 2ª Vinda de Cristo?
1. A NATUREZA DO ARREBATAMENTO
O NT ensina claramente que Jesus Cristo voltará – Jo 14:3; Hb 9:28. O arrebatamento é mais
claramente apresentado em 1ª Ts 4:13-18. No v. 17, a expressão “arrebatados” traduz o verbo grego
harpazo, que significa “agarrar com força, arrancar para cima”. Os tradutores da Bíblia latina
usaram a palavra “rapere”, aiz de nossa palavra “rapto” e ligada ao termo “arrebatamento”
No arrebatamento, os crentes serão “arrebatados” nos ares, às nuvens, num breve momento
O arrebatamento é caracterizado como uma vinda para traslado – 1ª Cor 15:51,52; 1ª Ts 4:15-17
Na qual Cristo vem para os seus santos
A segunda vinda é Cristo retornando com os seus santos, descendo do céu para estabelecer seu
reino terreno – Zc 14:4,5; Mt 24:27-31
PASSAGENS QUE FALAM DO ARREBATAMENTO E DA SEGUNDA VINDA

Passagens do Arrebatamento Passagens da Segunda Vinda


Jo 14:1-3 2ª Ts 2:1 Dn 7:9-14 2ª Pe 3:3-13
Rm 8:19 1ª Tm 6:14 Zc 14:1-15 Jd 14,15
1ª Cor 1:7,8 2ª Tm 4:1 Mt 13:41 Ap 1:7
1ª Cor 15:51- Tt 2:13 Mt 24:15-31 Ap 19:11-
53 20:8
1ª Cor 16:22 Hb 9:28 Mc 13:14-27 Ap
22:7,12,20
Fp 3:20,21 Tg 5:7-9 Mc 14:62
Col 3:4 1ª Pe 2:28- Lc 21:25-28
3:2
1ª Ts 1:10 Jd 21 At 1:9-11
1ª Ts 2:19 Ap 2:25 At 3:19-21
1ª Ts 4:13-18 Ap 3:10 1ª Ts 3:13
1ª Ts 5:9 2ª Ts 1:6-10
1ª Ts 5:23 2ª Ts 2:8

CONTRASTE ENTRE O ARREBATAMENTO E A SEGUNDA VINDA

Arrebatament Segunda
o Vinda
1. Cristo vem para os seus 1. Cristo volta com os seus
Jo 14:1-3; 1ª Ts 4:17; 2ª Ts 2:1 1ª Ts 3:13; Jd 14; Ap 19:14
2. Ele vem nos ares – 1ª Ts 4:17 2. Ele volta à terra – Zc 14:4; At 1:11
3. Os salvos são libertos da ira 1ª Ts 1:10; 3. Todo olho o verá Ap 1:7
5:9
4. Começa a tribulação 2ª Ts 1:6-9 4. O mundo sob prova (ira) Ap 3:10
5. Nenhum sinal precede o arrebatamento 5. Começa o reino milenar Ap 20:1-7
1ª Ts 5:1-3
6. Foco: o Senhor e os Salvos 1ª Ts 4:13-18 6. Sinais precedem a Segunda Vinda Lc
21:11,15
7. O mundo é enganado 2ª Ts 2:3-12 7. Foco: Israel e o reino Mt 24:14
8. Satanás é preso Ap 20:1,2

Paulo fala do arrebatamento como um mistério – 1ª Cor 15:51-54.Uma verdade não revelada até
seu desvendamento – Col 1:26. Fazendo dele um evento separado
A segunda vinda de Cristo foi predita no AT – Dn 12:1-3; Zc 12:10; 14:4
VIII. A DOUTRINA DA IMINÊNCIA

O pensamento primário da palavra é:


1. Um acontecimento iminente é aquele que está sempre “pairando acima de alguém; próximo
quanto à sua ocorrência” (The Oxford English Dictionary, 1901, V. 66)
Iminência traz consigo o sentido de que algo pode acontecer a qualquer momento
2. Uma vez que é impossível saber exatamente quando ocorrerá um evento iminente. É
preciso estar ciente de que ele aconteça a qualquer momento

3. Estabelecer uma data para um evento iminente, destrói o seu conceito de iminência. Contraria
a ideia de que ele aconteça a qualquer momento

4. É impossível dizer que um evento iminente vai acontecer em breve


A expressão “em breve” implica que tal evento precisa ocorrer “dentro de um tempo pequeno”
Um evento iminente pode ocorrer dentro de um pequeno intervalo de tempo, mas não precisa fazê-
lo para ser iminente

Há uma diferença entre “breve” e “iminente”

A iminência implica em três verdades sobre a vinda do Senhor


1. Embora ninguém saiba a hora da volta de Cristo, ele pode voltar a qualquer momento

2. O arrebatamento é um evento sem sinais, não será anunciado e será inesperado

3. Mais nenhum evento profetizado ocorrerá antes do arrebatamento, pois poderia datar a vinda
de Cristo

Por Que Crer na Volta Iminente de Cristo?

1. O arrebatamento não é idêntico à revelação (2ª vinda de Cristo)


O arrebatamento se relaciona aos salvos – 1ª Ts 4:16,17
O arrebatamento expressa esperança e expectativa – 1ª Ts 1:10
O arrebatamento incentiva a uma vida vitoriosa – 1ª Jo 3:2,3

A revelação não trata com os santos, mas com os pecadores


Quando Jesus voltar à terra:
A batalha de Armagedom chegará ao fim – Ap 19:17,18
A besta e o falso profeta serão lançados no lago de fogo – Ap 19:19,20
As nações da terra serão reunidas e julgadas – Mt 25:31-46
Israel aceitará Jesus como o seu Messias – Zc 12:10; Rm 11:26,27

Há diferença no vocabulário para descrever esses dois eventos – Arrebatamento e Revelação

2. Com relação à volta iminente:


a. Os salvos foram instruídos a esperar pelo Salvador – Fp 3:20; Tt 2:13; Hb 9:28; 1ª Ts 1:10

b. Deveriam vigiar e ser sóbrios – 1ª Ts 5:6

c. Deveriam consolar uns aos outros com a vinda de Cristo – 1ª Ts 4:18

d. Paulo se inclui entre aqueles que ansiavam pela volta de Cristo – 1ª Ts 4:15-17; 2ª Ts 2:1

e. Timóteo foi exortado a guardar o mandamento até a volta de Cristo – 1ª Tm 6:14

f. Os judeus crentes foram relembrados que Jesus voltaria – Hb 10:37


g. Foram exortados a perseverança, porque a vinda do Senhor estava próxima – Tg 5:8

h. João encerra o Apocalipse com a certeza da volta de Cristo – Ap 22:20


Essas exortações fizeram com que eles considerassem a volta de Cristo como algo iminente
Essas passagens formam o alicerce da volta iminente do Senhor

j. O vocabulário para a segunda vinda é bem diferente – 2ª Ts 1:7,8

3. A iminência tem sido a crença dos crentes ao longo dos séculos

A Didaquê (100 a 120 d. C.) exorta:


“Vigiai, por amor ás vossas vidas. Não se apaguem as vossas lâmpadas, nem estejam descingidos os
vossos lombos; antes, estai prontos, pois não sabeis a hora em que virá o nosso Senhor”
Adolph Harnack, teólogo liberal (foi honesto) e disse:
Na história do cristianismo, três forças principais serviram como auxiliares do evangelho. Elas
[incluem] uma crença na volta de Cristo e em seu reino glorioso sobre a terra... Primeiro veio a fé
na proximidade do segundo advento de Cristo e no estabelecimento do seu reino glorioso na terra.
Na verdade, essa aparece tão cedo que é possível indagar se não devia ser considerada como parte
essencial da religião cristã”