Você está na página 1de 312

Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

AGRADECIMENTOS

Agradeço a todos que confiam em meu trabalho desde o


surgimento da nossa escola.

Agradeço a todos os nossos alunos por me honrar com


sua confiança em cada aula. Cada aluno faz parte do
crescimento e desenvolvimento técnico da nossa escola, pois
cada pergunta feita contribui para criarmos novas técnicas e
aprimorar as antigas.

Agradeço ao meu amigo e primeiro aluno do Krav Maga


Caveira, Junior Cesar Santiago, pela fidelidade em todos esses
anos de amizade e pelo auxílio na revisão deste livro.

Agradeço aos instrutores representantes que fazem


parte da nossa família caveira por acreditarem e se
empenharem para a expansão do Sistema Caveira de Krav
Maga e Defesa Pessoal por todo o Brasil. Sei o quanto eles se
dedicam diariamente para oferecer o máximo de qualidade
para seus alunos.

Agradeço a cada aluno de nossas escolas espalhadas


pelo Brasil, ainda que distantes fisicamente estamos próximos
tecnicamente.

2
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Agradeço a cada um dos nossos faixas pretas por fazer


parte da história de nossa escola: Cassio Henrique Zoccaratto
Guerra, Pablo Enrico Monteiro Martins, Junior Cesar Santiago e
Yngridi Gabrielli P. R. Costa.

Agradeço principalmente a Deus que me dá forças e


ânimo para enfrentar os dias difíceis e me abençoa com saúde e
sabedoria para tomar as decisões em momentos importantes.

3
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Copyright© 2019 by Wesley Gimenez

Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta obra pode ser utilizada ou
reproduzida — em nenhum meio ou forma, seja mecânico ou eletrônico,
fotocópia, gravação e etc. — nem apropriada ou estocada em sistema de
bancos de dados, sem a expressa autorização do autor.

Diagramação, capa e revisão


Wesley Gimenez

G491aGimenez, Wesley, 1985


Autodefesa Manual Caveira defesa pessoal/ Wesley Gimenez. 1.ed.
Presidente Prudente, SP. Edição independente, 2019.
312 p.; 14,8 x 21 cm

Inclui Bibliografia.

1. Defesa pessoal2. Artes marciais3. Violência4. Segurança pessoal 5.


Sobrevivência urbana6. Crimes
I. Título. II. Autor.

CDD 796.8
CDU:364:343.9

Impresso no Brasil

Printed in Brazil

Presidente Prudente — SP

4
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

DEDICATÓRIA
Dedico esse livro a minha esposa, Tatiane
Cristina Brandi Gimenez, que acreditou no meu
sonho em criar a Escola Krav Maga Caveira ®.
Ela trabalha ao meu lado de forma
incansável para o desenvolvimento desta missão
desde o primeiro dia.
Tatiane é a pessoa mais dedicada e
comprometida que conheci em toda minha vida e
me orgulho por fazer parte da sua vida.
Tatiane é quem alegra e dá charme a nossa
escola que sem ela seria um local cinza e sem
flores.
A ela dedico minha eterna gratidão e amor.

5
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

INTRODUÇÃO

Muitas pessoas vivem com medo da violência diária que


assombra todas as cidades do Brasil de norte a sul. É provável
que você já tenha sentido medo de ser assaltado por um
bandido armado ou ser agredido por algum marginal bêbado,
drogado ou um valentão no trânsito.
Escrevi este livro para ajudar as pessoas comuns e os
profissionais da área de segurança a se defenderem de maneira
realista dos perigos do dia a dia, independentemente de idade,
sexo ou condição física.
Você vai aprender como prevenir, agir ou reagir diante
de um cenário crítico no ambiente urbano e conseguir seu
maior objetivo: Chegar em casa o mais íntegro possível!
O conhecimento em autodefesa é uma habilidade de
pode ser aperfeiçoada constantemente por todos que desejam
se sentir mais seguros e estar pronto para lidar com o crime ou
simples ameaças.
Este livro é fruto de 26 anos de treinamento e
experiências em diferentes artes marciais e sistemas de defesa
pessoal (1993) que obtive no Brasil e em outros 06 países em
que tive a oportunidade de treinar, como Israel, Estados
Unidos, Rússia, França, Inglaterra e Alemanha, além de 10 anos
de trabalho no sistema prisional lidando diretamente com
presos de alta perigosidade.

6
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Toda esta vivencia me proporcionou a capacidade de


testar e comprar o que efetivamente funciona na prática e o que
é fantasia marcial. Por isso trago neste livro apenas o que
realmente tem efetividade e que pode salvar sua vida.

7
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

SUMÁRIO

Parte 1

Agradecimentos................................................................................................02

Dedicatória........................................................................................................05

Introdução.........................................................................................................06

Números da violência no Brasil.....................................................................12

O perfil das vítimas no Brasil.........................................................................14

Conhecimento do perfil comportamental da vítima...................................18

Conhecimento de suas limitações, medos e aptidões


técnicas...............................................................................................................22

Conhecimento do perfil e modus operandis do agressor..........................24

O poder da linguagem corporal.....................................................................35

O que é legítima defesa...................................................................................39

Porque treinar autodefesa...............................................................................44

8
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Os 05 tempos de ação da autodefesa............................................................51

Os 06 níveis de estado de alerta ou prontidão mental...............................64

Os 05 níveis de periculosidade e análises de riscos ....................................74

Círculo de defesa, as 07 camadas que compões um sistema de defesa


eficiente .............................................................................................................79

Os 07 fatores determinantes para vitória em um


combate.............................................................................................................87

Treinamento técnico realista e direcionado...............................................112

Uso da força e a proporcionalidade............................................................122

Raciocínio tático de sobrevivência e combate...........................................128

Táticas reativas ativas e passivas..................................................................135

Medo................................................................................................................138

Reagir ou não reagir?.....................................................................................152

Parte 2 — Dicas práticas de proteção urbana

Ambientes fechados......................................................................................161

Ameaças veladas.............................................................................................176

Banco...............................................................................................................184

“Boa noite cinderela”....................................................................................186

9
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Bares e restaurantes.......................................................................................190

Blitz policial — como se comportar — direitos e


deveres.............................................................................................................193

Brigas...............................................................................................................201

Casa..................................................................................................................211

Celular..............................................................................................................221

Comércio.........................................................................................................225

Estupro............................................................................................................228

Internet............................................................................................................234

Pacotes suspeitos...........................................................................................239

Perseguido x seguido.....................................................................................243

Rua...................................................................................................................254

Sequestro.........................................................................................................260

Tiroteios em ambientes abertos...................................................................271

Trânsito............................................................................................................281

Transporte público........................................................................................294

Viagens............................................................................................................297

10
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Notas finais.....................................................................................................302

Referências bibliográficas.............................................................................303

O autor............................................................................................................310

Contatos com o autor....................................................................................312

11
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

NÚMEROS DA VIOLÊNCIA NO
BRASIL

“Quem poupa o lobo sacrifica a ovelha”. Victor Hugo

Entender o ambiente em que vivemos é determinante


para criarmos um plano de autodefesa eficiente, por isso
usaremos os dados oficiais do Atlas da violência de 2018.
Foram 62.517 mortes violentas intencionais, isso
equivale a assustadoras 171 mortes por dia. Sendo 94,6% das
vítimas do sexo masculino, ou seja, foram mortos 60.430
homens e 3.450 mulheres.
553 mil brasileiros morreram por morte violenta na
última década, isso representa quase 10% de todas as mortes do

12
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

mundo. Para termos uma ideia da gravidade destes números


podemos comparar a taxa de mortes a uma bomba atômica por
ano.
Lembre-se que o Japão teve 75 mil mortes provocadas
pela explosão da bomba nuclear na cidade de Nagasaki em
1945. Isso é alarmante e é neste país que vivemos. E quanto os
demais crimes como furtos, tentativa de homicídio, sequestros e
lesões corporais dolosas? Segundo os dados de 2018 da
secretaria de segurança pública de São Paulo:
. 127.364 lesões corporais dolosas;
. 261.143 roubos;
. 504.866 furtos;
. 3.484 tentativas de homicídio;
. 3.285 estupros;
. 8.664 estupros de vulneráveis.

13
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

O PERFIL DAS VÍTIMAS NO BRASIL

“Quem conhece a si mesmo e ao inimigo pode garantir a vitória,


mas quem conhece o tempo e o terreno alcançara de forma
absoluta”. Sun Tzu

Para entender como adotar um sistema de autodefesa


eficiente você deve ter o máximo de informações de como a
violência acontece e quais os perfis das vítimas. Uma
habilidade muito negligenciada e muitas vezes desconhecida é
o conhecimento do cenário onde você vive.
As pessoas possuem diferentes padrões e estilos de vida
e estão sujeitas a diferentes formas e níveis de violências. Por
exemplo, um jovem que vive em uma comunidade periférica
enfrenta uma realidade e uma ameaça diferente em relação a
um idoso que vive numa região nobre.
O fator idade também é muito relevante, pois em cada
faixa etária enfrentamos problemas diferentes, como um jovem

14
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

do sexo masculino de 20 anos está mais sujeito a determinadas


formas de violências do que uma pessoa do sexo feminino de 50
anos.
Saber identificar quais são as ameaças mais graves às
quais você está sujeito potencializa o desenvolvimento de uma
estratégia eficiente de prevenção e reação.

Jovens:
No país, 33.590 jovens foram assassinados em 2016, sendo
94,6% do sexo masculino.
Quando se observa o perfil do jovem do sexo masculino,
esses valores se elevam drasticamente, haja vista os homens
representarem 94,6% das vítimas jovens. Assim, a taxa média
de homicídios de jovens homens no Brasil salta para 122,6 por
grupo de 100 mil.

Mulheres:
Homicídios de mulheres
Em 2016, 4.645 mulheres foram assassinadas no país, o
que representa uma taxa de 4,5 homicídios para cada 100 mil
brasileiras.

Estupros
Foram registrados 49.497 casos de estupros nas polícias
brasileiras, conforme informações disponibilizadas no 11º
Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2016. Deste total de

15
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

estupros68% dos registros se referem a estupros de menores


sendo:
. 50,9% crianças até 13 anos;
. 17% entre 14 e 17 anos;
. 32,1% de adultas.
Um dado desconcertante é que parte das vítimas de
estupro são pessoas que possuem alguma forma de deficiências
física ou psicológica. Com efeito, 10,3% das vítimas de estupro
possuíam alguma deficiência, sendo 31,1% desses casos contra
indivíduos que apresentam deficiência mental e 29,6% contra
indivíduos com transtorno mental.

Quem são os estupradores?


Observou-se que a maioria dos casos de estupros contra
crianças é cometido por amigos ou conhecidos (30,13%). No
entanto, é estarrecedor notar que quase 30% dos casos de
estupros contra crianças são perpetrados por familiares
próximos, como pais, irmãos e padrastos.
Na fase adolescente e adulta, prevalecem os casos de
estupro por autor desconhecido (32,50% e 53,52%,
respectivamente), enquanto constam como a segunda maior
ocorrência casos em que amigos ou conhecidos são os
agressores, sendo, na devida ordem, 26,09% e 18,82%.
Por fim, descrevemos alguns aspectos situacionais
acerca do estupro, relacionados ao local do crime, uso de álcool
e número de agressores, além do meio empregado para a

16
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

coerção. Quando a vítima e autor se conhecem, 78,6% dos casos


acontecem dentro da residência.
Quando eles não se conhecem, a via pública é o local
majoritário de ocorrência. Cerca de um terço dos casos
aconteceram em uma situação em que havia suspeita de o
agressor ter ingerido álcool. A força física e as ameaças foram,
em grande parte, o meio empregado para coagir a vítima.

Idosos
Segundo os dados, denúncias sobre violência contra
idosos correspondem a 25% do total de registros em
comparação a outras denúncias. Em 2016, foram registradas
65.890 denúncias de violências contra idosos, considerando
dados de todos os estados do país. Deste total, 60% das vítimas
eram do sexo feminino. Os filhos eram apontados como
agressores em 54% dos casos, sendo a casa da vítima o principal
local da violação em 86% dos registros.

Pessoas com deficiência

Foram 11.682 denúncias e 22.177 violações contra


pessoas com deficiência. 77% das denúncias indicaram
negligência; 50%, violência psicológica e 30% envolviam
violência física. Entre esse grupo, 63,82% das violações foram
registradas na casa da vítima.

17
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

CONHECIMENTO DO PERFIL
COMPORTAMENTAL DA VÍTIMA

"Ao olharmos para a História, torna-se claro que o


comportamento humano é muito mais fácil de prever do que o
tempo”. Michael A. Levine

Por mais que a culpa do crime seja sempre do criminoso


e não da vítima, temos que encarar a realidade como ela é. De
nada adianta você fazer um texto enorme em suas redes sociais
expondo seu direito à segurança, vida e etc. O máximo que
você vai conseguir dizendo isso a um criminoso será fazê-lo rir
e depois ser agredido, roubado, estuprado, humilhado ou
morto.
A polícia de nenhum país do mundo, mesmo os mais
seguros, pode evitar 100% dos crimes nem ao menos prevê-los.
Por isso cabe a nós adotarmos as medidas necessárias para
nossa autoproteção. Posso afirmar que quanto mais preparado

18
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

para a guerra (violência urbana) você estiver, menos chances de


precisar enfrentá-la.

Perfil das vítimas


Imagine que o criminoso é um predador em busca da
sua presa para sua próxima refeição. Como esse predador a
escolhe em meio a tantas outras?
As mensagens corporais e comportamentais como:
fraqueza, insegurança, incapacidade e vulnerabilidade,
isolamento, falta de atenção e a chance de uma grande
conquista são as características observadas.
Assim como o animal selvagem, o criminoso escolhe
suas vítimas por seus comportamentos e mensagens enviadas,
ainda que de forma inconsciente. A vítima possui,
normalmente, um padrão comportamental que desperta a
atenção de criminoso seja consciente ou inconscientemente.
O poder da linguagem corporal é tão grande que o
criminoso pode muitas vezes escolher sua vítima simplesmente
pela forma que ela caminha.

Estudo Betty Grayson e Morris Stein

Na década de 80, os pesquisadores desenvolveram um


estudo sobre sinais e movimentos corporais que resultavam no
aumento da probabilidade de uma pessoa ser escolhida
aleatoriamente na rua por um criminoso.

19
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Os pesquisadores gravaram secretamente diferentes


pessoas caminhando em Nova Iorque e depois mostrou estes
vídeos para mais de 50 criminosos presos por roubo,
assassinato entre outros crimes violentos.

O que mais surpreendeu foi que as escolhas eram muito


parecidas entre os criminosos que muitas vezes não sabiam
explicar o porquê da sua escolha.

Outra surpresa foi a escolha de muitos homens grandes


como alvos, enquanto muitas mulheres e homens pequenos
foram deixados de fora. Os pesquisadores chegaram a uma
conclusão interessante:

A maior parte das vítimas foi escolhida


inconscientemente pela forma de caminhar, mas que forma foi
essa?

. Andar desengonçado: as pessoas davam passos longos ou


curtos demais e normalmente arrastavam ou pisava os pés de
forma desajeitada, além de não ter simetria entre os
movimentos das pernas e os braços, o que pode significar uma
pessoa sem fluidez e coordenação.

. Andar em velocidade diferente do fluxo das outras pessoas, as


vítimas selecionadas andavam mais devagar do que as outras
pessoas ao redor, o que pode significar alguém distraído,
descuidado ou fraco.

. Postura insegura, as pessoas andavam com a cabeça abaixada,


ombros arqueados para frente, o que transmite a imagem de
submissão e fraqueza.

20
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Trabalhei quase 10 anos diretamente com milhares de


presos reclusos em regime fechado de segurança máxima e tive
a oportunidade de conversar e entender melhor como funciona
a mentalidade do criminoso e posso acrescentar algumas
informações valiosas sobre como ele escolhe sua vítima:
. Postura insegura ou fraca: pessoas que caminham ou
permanecem com os ombros curvados para frente, passos
curtos, movimentos desengonçados, cabeça baixa e
comportamento distraído, como olhar para os lados (típico de
turistas e pessoas perdidas). O criminoso sabe que há menos
chances de pessoas com esse perfil reagir durante o crime.
. Destoar da multidão, pessoas que se destacam na multidão
também chamam a atenção do criminoso oportunista, por
exemplo, num fluxo de pessoas caminhando alguém que
caminha demasiadamente mais devagar ou muito mais rápido.
Pessoas ostentando roupas, calçados, joias ou equipamentos
eletrônicos caros também chamam muito mais a atenção dos
criminosos que aceitam correr um risco maior por maiores
ganhos.

Como podemos usar esse conhecimento a nosso favor?


Conhecendo quais linguagens corporais aumentam as
chances de ser escolhido como vítima, podemos tomar a ação
contrária para minimizar as chances de sermos escolhidos.

21
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

CONHECENDO SUAS LIMITAÇÕES,


MEDOS E APTIDÕES TÉCNICAS

“Se você conhece o inimigo e conhece a si mesmo, não precisa


temer o resultado de cem batalhas. Se você se conhece, mas não
conhece o inimigo, para cada vitória ganha sofrerá também uma
derrota. Se você não conhece nem o inimigo nem a si mesmo,
perderá todas as batalhas”. Sun Tzu

Para que você possa verdadeiramente aprender e aplicar


a autodefesa em sua vida diária você deve entender que ela
começa dentro de nós e vai muito além de saber socar, chutar,
imobilizar ou atirar. Entenda sua condição física e mental atual,
identifique o que te amedronta e o quanto te afeta no seu dia a
dia.

22
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Aceite suas limitações físicas e se adapte a elas, por


exemplo, uma pessoa que não tem um dos braços precisa ter
uma estratégia física de combate diferente daqueles que
possuem ambos. É importante entender, aceitar e criar uma
estratégia realista para sua situação.
Usando o exemplo acima, entendemos que entrar em
um combate corpo a corpo seria totalmente desvantajoso,
portanto o indivíduo que tiver apenas um braço deve
potencializar suas habilidades com as pernas e fazer uso de
objetos de defesa pessoal, como um bastão retrátil.
É tolice pensar que alguém que tenha alguma limitação
ou deficiência física possa adotar as mesmas estratégias de
autodefesa de outra pessoa sem nenhuma limitação.
Você deve conhecer qual sua aptidão natural, alguns são
naturalmente mais flexíveis, coordenados e mais rápidos. Toda
habilidade pode e deve ser treinada para diminuir gargalos e
aperfeiçoar aptidões.
Adaptamos o treinamento para a realidade de cada
aluno, aqueles que não podem chutar por possuírem graves
lesões ou traumas nas pernas são estimulados a lidar com essa
limitação aprimorando suas habilidades em socar ou
imobilizar, diminuindo a necessidade dos membros
prejudicados. A verdade deve ser encarada e enfrentada.

23
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

CONHECIMENTO DO PERFIL E
MODUS OPERANTES DO
AGRESSOR

“É melhor prevenir os crimes do que puní-los”. Cesare Beccaria

Feche seus olhos e pense em um criminoso, imagine


qual a cor dos seus cabelos, que roupa está usando e qual cheiro
ele exala. Se você imaginou um homem jovem malvestido e
cheirando mal você está cometendo um erro clássico,
estereotipar o criminoso. Entenda que o marginal não tem
idade, sexo, cor ou traje típico.
Muitos criminosos sabem que normalmente as pessoas
têm esta imagem quando pensam em um bandido e com isso
encontram uma vítima mais descuidada. Há inúmeros casos de
criminosos muito bem vestidos, sendo muitas vezes já de mais
idade, inclusive mulheres. Normalmente estes marginais são os
que cometem os crimes de maior gravidade.

24
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Como então identificar uma possível ameaça criminosa?


Faça uso da leitura corporal buscando por que sinais
como:
. Nervosismo, ansiedade ou inquietação: geralmente o
criminoso está ansioso com o crime que está prestes a cometer,
por isso repare se há alguém:
- Andando de um lado para o outro;
- Arrumando a roupa repetidamente;
- Tirando e colocando as mãos nos bolsos;
- Cocando exageradamente a cabeça;

. Comportamento incompatível com o ambiente ou


circunstâncias:

- Uso de óculos escuros em período noturno;


- Uso de bonés ou gorros em período noturno;
- Uso de capacete em locais fechados;
- Uso de blusa em clima quente;
- Pessoa parada em locais de acesso e saída rápida como um
estacionamento. Num ambiente assim não é comum uma
pessoa ficar parada observando a entrada e saída das pessoas;
- Passar várias vezes em frente ao mesmo local;
- Olhando para os lados a todo instante à procura de
seguranças e policiais;

25
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

- Desviando o olhar.
. Alteração normal do comportamento, irritabilidade ou
agressividade. A maior parte dos criminosos precisa ingerir
bebida alcoólica ou fazer uso de drogas para criar coragem para
cometer o crime, observe atentamente pessoas com as seguintes
características:

- Fala arrastada ou enrolada;

- Olhos vidrados;

- Olhos vermelhos;

- Olhos lacrimejantes;

- Cheiro de álcool ou maconha;

- Caminhar irregular;

- Tom de voz inadequado;

- Lamber os lábios frequentemente. Boca seca é um dos sinais


de que utilizou algum tipo de droga;

- Mãos trêmulas podem indicar o uso de drogas inaláveis ou


alucinógenos;

- Suor nas palmas das mãos;

- Euforia desproporcional;

- Agitação;

26
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

- Autoconfiança exacerbada;

- Agressividade;

- Desinibição;

Atenção: nenhum desses sintomas por si só é prova de


que alguém está drogado. Procure por combinações para
confirmar se é disso que se trata. Algumas deficiências mentais
e físicas podem ser similares aos efeitos de drogas. Falar
arrastado, tiques e mudanças de humor pode ser resultado de
outras condições.

Perfil do Criminoso
Basicamente existem cinco tipos de criminosos:

Oportunista
O criminoso oportunista é literalmente um amador, é
aquele marginal que fica à espera de uma oportunidade para
atacar. Ele busca o menor risco de ser visto, confrontado ou
preso. Algumas características:
. Vítima distraída: mexendo no celular, lendo, dormindo ou
olhando uma vitrine;
. Facilidade: portas e janelas abertas, pertences fora da vista do
dono, veículos deixados em locais escuros e desertos, lojas com
portas frágeis, estabelecimentos sem sistemas de vigilância e
proteção.

27
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Menor risco: vítima frágil ou vulnerável, como pessoas com


linguagem corporal de submissão, sozinhas, idosas ou com
alguma deficiência física.

Interpessoal
São os criminosos que conhecem a vítima ou possuem
um relacionamento próximo. Geralmente são falsos amigos ou
ex-companheiros (as). Este tipo de criminoso deseja roubar algo
para impor medo, controle da vítima ou simplesmente se
aproveitar da confiança, exemplos:
. Um amigo do trabalho que rouba os pertences que está na
bolsa do companheiro ao lado quando ele sai da sala;
. Um amigo que rouba arquivos do celular como fotos e vídeos
privados para uma possível chantagem;
. Um vizinho que rouba roupas íntimas do varal;
Normalmente não há emprego de violência nem grave
ameaça durante a execução do crime. O mais comum é o
criminoso agir de forma sorrateira.

Desorganizado
É o marginal que age espontaneamente, quase sempre
alcoolizado ou drogado. O crime se concentra em bens fáceis de
roubar e transportar, como carteiras, celulares, joias ou bolsas.
Pode ser cometido com ou sem grave ameaça. Não há
planejamento elaborado, sendo a vítima escolhida instantes
antes da ação e sem grandes preparativos.

28
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Organizado ou “profissional”
Este é o perfil de criminoso que busca o máximo de
lucro. Suas ações são previamente planejadas, suas vítimas são
estudadas por certo tempo a fim de identificar sua rotina e
oportunidades de ação. As principais vítimas destes criminosos
são as pessoas com boas condições financeiras e as empresas. O
crime pode ser planejado por dias ou meses.

Psicopata
Temos aqui o perfil mais difícil de identificar, pois
diferente dos livros e do cinema, o psicopata na maior parte das
vezes se camufla na multidão como uma pessoa normal. Porém
se observarmos com mais profundidade, podemos encontrar
algumas características importantes:
. Os psicopatas inflam a visão que tem de si mesmos e de suas
habilidades. Costumam ser teimosos, arrogantes e pensam ser
superiores às outras pessoas;
. Possuem normalmente resposta para tudo e são capazes de
contar histórias interessantes;
. Eles parecem muito convincentes e fazem com que as outras
pessoas acreditem que eles são especialistas em determinados
assuntos;
. São astutos, enganosos, fraudulentos e manipulam as pessoas;
. Possuem facilidade para mentir e total ausência de culpa por
isso. Manipulam as pessoas ao seu lado para obter o máximo de

29
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

lucro a qualquer preço, eles não têm sentimentos de sofrimento


ou preocupação com a perda da sua vítima;
. São frios e não possuem capacidade de sentir empatia pelo
próximo. Os únicos sentimentos verdadeiros que
experimentam são raiva, autopiedade, indignação, inveja ou
ódio;
. Utilizam-se de qualquer recurso ou chantagem para conseguir
seus objetivos e apoios da família ou amigos.
Os psicopatas podem agir em vários crimes como:
roubo, crimes sexuais, furtos, fraude, estelionatos e em geral se
sentem orgulhosos e superiores por cometerem estes crimes e
não ser descobertos.
O psiquiatra alemão Kurt Schneider (1887-1967) definiu,
em 1923, que psicopatas são aquelas personalidades anormais
que sofrem por sua anormalidade ou causam sofrimento para a
sociedade.
Fique atento a estes detalhes ao lidar com as pessoas no
seu cotidiano. Geralmente elas passam despercebidas ou estão
acima de suspeitas. Segundo Robert Hare, pesquisador de
psicologia criminal e professor da British Columbia, cerca de
1% da população mundial é psicopata do qual a maioria pode
passar de forma despercebida na sociedade.

As etapas de um assalto – como age um criminoso

Vamos entender quais são as seis etapas de um assalto:

1. Escolha do local

30
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Nesta etapa o criminoso escolhe o local mais apropriado


para abordar a vítima e cometer o crime. O marginal busca um
ambiente que o mantenha escondido dos olhos da vítima e
possíveis autoridades policiais. Quanto mais fácil para fugir,
melhor. O local pode ser tanto em um ambiente aberto (ruas,
praças ou parques) como um ambiente fechado (casa, bares ou
escritórios).

2. Observar as vítimas em potencial

Após escolher o local do crime, o criminoso agora ficará


à espreita observando as pessoas em busca de um alvo mais
vulnerável e que lhe traga o maior lucro com o menor risco.

3. Identificar um alvo

Após observar atentamente as pessoas do ambiente


escolhido, o criminoso determina quem será o seu alvo de
acordo com a probabilidade de ele cometer o crime sem ser
ferido, identificado ou preso. Já vimos que pessoas com postura
corporal e forma e caminhar desajeitadas são mais atrativas.

4. Aproximar-se da vítima

Tendo escolhido a vítima ideal para seu crime, agora o


criminoso precisa diminuir a distância entre eles de forma
discreta. Quanto mais próximo conseguir chegar sem chamar a
atenção, mais rápida será a ação e consequentemente menos
tempo de reação a vítima terá.

31
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Nesta etapa o criminoso olha de perto para confirmar se


a vítima escolhida é um alvo vulnerável e os valores que ela
carrega.

5. Analisar as possíveis presenças hostis

Essa é a última checagem que o criminoso faz antes do


crime. Aqui ele tenta evitar ser surpreendido no meio da
execução do crime por um policial, vigilante ou segurança
particular. O criminoso confere o ambiente para ver se nada se
alterou que possa colocar sua ação em risco.

6. Atacar a vítima

O crime acontece de fato. Momento em que o criminoso


aborda a vítima anunciando o crime. É a fase mais perigosa
para ambos, criminoso e vítima. O criminoso está sujeito ao
surgimento de outras pessoas, a identificação por alguma
câmera ou pela resistência da vítima. Já a vítima está sob o
domínio de um marginal na maioria das vezes drogado e
ansioso.

O criminoso sempre vai buscar o maior ganho


financeiro com o menor risco de ser apanhado ou visto, por isso
vítimas como mulheres e idosos são mais atrativas para os
bandidos, tendo em vista o menor potencial físico de defesa.
Os criminosos se sentem mais confiantes em não serem
vistos durante a execução do crime, por isso os locais preferidos
são: locais escuros, com pouco fluxo de pessoas, baixa
fiscalização por câmeras ou rondas policiais.

32
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Esses fatores deixam de ser relevantes quando o


criminoso está sob efeito de drogas, passando a ser mais
inconsequente e violento em seus atos.
Na próxima vez que você sair às ruas, observe as
pessoas ao seu redor, analise quantas estão distraídas, veja a
linguagem corporal que cada uma delas está transmitindo e
pense como fosse um bandido à procura de uma presa, quem
você escolheria?
Baseado no que você já aprendeu neste livro fica mais
fácil identificar os alvos mais fáceis. Sabendo como é feita a
seleção da vítima você deve agora pensar em medidas e
posturas contraofensivas que deve usar para evitar ser
escolhido em meio à multidão.
Observar o comportamento também é fundamental,
coisas simples que fazemos todos os dias servem de exemplo.
Pense rápido: qual é o comportamento esperado de uma pessoa
dentro de uma garagem de prédio ou no estacionamento de um
shopping?
Parece uma pergunta sem sentido, mas pare para refletir
sobre isso: há padrões comportamentais específicos para cada
ambiente. Na garagem do prédio ou estacionamento do
shopping o comportamento esperado é que as pessoas que ali
estão estejam se deslocando de um lugar para o outro e não
paradas encostada atrás de um pilar olhando as demais pessoas
passando.
Esta atitude mostra um comportamento anormal e
suspeito de quem está fora do contexto e com potencial para
cometer um ato ilícito.

33
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Análise de ambiente: identificando riscos e


oportunidades
Seu poder de resposta e prevenção está diretamente
ligado à sua capacidade de analisar e tirar proveito do ambiente
em que você se encontra.
Entenda que cada ambiente possui uma série de
desafios e oportunidades muito específicas. Um sobrevivente
urbano sabe identificar os riscos e vantagens de cada local.
Sua ação em um cenário de violência vai depender
muito do ambiente no qual você está, enquanto em ambientes
maiores você possui mais opções para fugir ou lutar, em
ambientes menores você terá menos opções para enfrentar a
ameaça.

34
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

O PODER DA LINGUAGEM
CORPORAL

“A plena consciência. - O homem não consegue esconder sua


linguagem inconsciente de um observador avisado... e nem
mesmo dele mesmo” Pierre Weil e R. Tompakow

Sabendo quais são os comportamentos que atraem a


atenção do criminoso, podemos adotar uma linguagem
corporal que transmita aquilo que afasta o bandido. Ao
caminhar nas ruas utilize o método F.A.C.A. (Firmeza, Atenção,
Confiança e Amplitude).
. Firmeza: passos firmes e determinados, sabendo para onde vai
e mostrando que conhece o território onde está pisando.
. Atenção: ao caminhar não utilize equipamentos que
demonstram que sua atenção está dividida, por exemplo, falar
ao celular, escrever mensagens de texto, olhar para os prédios
como se estivesse perdido ou fazendo turismo. Lembre-se que

35
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

uma pessoa atenta consegue perceber mais rapidamente


quando uma ameaça se aproxima e com isso tem mais tempo
para prevenir ou reagir a uma situação crítica.
. Confiança: caminhar com a cabeça erguida com o queixo na
horizontal ao solo e peito estufado transmite uma mensagem de
uma pessoa segura de si;
. Amplitude: movimentos com os braços alinhados com a
passada mostram coordenação motora e transmitem a
mensagem de uma pessoa ágil e habilidosa o que com certeza
não é o desejo de um criminoso.
Através da observação da linguagem corporal podemos
prever uma possível ação criminosa:
. A pessoa movimenta exageradamente as mãos, cabeça, roupa,
relógio ou cabelos, o que significa estresse e ansiedade;

. Observação atenta e contínua do ambiente por possíveis


obstáculos à sua ação criminosa como a presença de algum
policial ou câmeras de vigilância;

. Mexer nas roupas com freqüência, em especial na área da


cintura, talvez como sinal de ansiedade e verificação da posição
da arma a ser utilizada no crime;

Podemos usara leitura corporal apenas contra


criminosos?
A leitura corporal é muito útil também para lidar com
outras ameaças como discussões e agressões. Em uma
discussão observe alguns sinais que podem indicar que a
pessoa está prestes a te agredir fisicamente:

36
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Punhos cerrados: esse é um sinal claro de agressividade e você


está correndo sérios riscos de ser atacado a qualquer momento;
. Cabeça inclinada em sua direção: significa que a pessoa está
totalmente focada em você e que ela deseja avançar e não
recuar;
. Respiração curta e ofegante: significa que a pessoa está com
elevados níveis de cortisol e adrenalina que são hormônios que
potencializam a capacidade de combate;
. Sobrancelhas contraídas para baixo: demonstram a raiva que a
pessoa está sentindo neste momento;
. Olhos e pálpebras tensionadas: significa que a pessoa está
concentrada em você e em seus movimentos;
. Lábios comprimidos: é sinal de pré-combate, pois é uma forma
de defesa durante uma luta.
Você também pode utilizar os sinais não verbais para
tentar desestimular ou desencorajar uma agressão:
. Pareça maior. Afaste um pouco as pernas, coloque a mão na
cintura, alinhe a coluna e estufe o peito, desta forma você vai
transmitir uma imagem de confiança e superioridade;
. Pareça confiante. Confiança é uma característica de uma
pessoa preparada. Ao parecer confiante você intimida a outra
pessoa que passa a imaginar que você possui uma capacidade
ou habilidade que pode vencê-la. Relaxe seus músculos faciais,
muita tensão pode gerar espasmos que demonstram medo;

. Mantenha contato visual o tempo todo. Desviar o olhar


durante uma discussão pode significar medo e desespero.

37
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Caso real
Dia 22 de julho de 2017, cidade de Carinhanha, Bahia,
durante o show da banda Babado Novo, um homem conhecido por
Sam iniciou uma discussão com um dos seguranças da portaria do
evento. Sam exibia vários sinais corporais de agressividade como
inclinação da cabeça, olhos cerrados, contração maxilar e
principalmente punhos cerrados. Em determinado momento Sam
deferiu um soco de surpresa que acertou o rosto do segurança levando-
o ao chão.

Importante observarmos que o segurança foi um alvo


fácil, pois durante a discussão ele se manteve com o rosto muito
próximo do agressor e com os braços cruzados na maior parte
do tempo. O segurança poderia ter evitado a agressão
simplesmente observando os sinais de agressividade que Sam
exibia. Ao identificar estes sinais ele deveria ter adotado uma
postura mais segura mantendo distância do rapaz.

Para aumentar ainda mais seus conhecimentos em


leitura corporal e expressões faciais recomendo que visitem o
canal do meu amigo Vitor Santos que possui o maior canal do
youtube na América Latina: Metaforando.

38
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

O QUE É LEGITIMA DEFESA

“Ter direito à vida sem ter o direito de defendê-la seria uma


grande estupidez”. Wesley Gimenez

Legítima defesa, Código Penal, Art. 25 – Entende-se em


legítima defesa quem, usando moderadamente dos meios
necessários, repele injusta agressão, atual ou iminente, a
direito seu ou de outrem.

Analisando o artigo por partes:

1) Uso moderado

A legítima defesa deve ser feita com moderação. A defesa


deve observar a proporcionalidade entre a agressão e a reação.
A grande dificuldade é que esta análise quanto à gravidade da

39
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

ameaça ou agressão deve ser analisada de acordo com cada


caso.

Exemplo 01: Um idoso ataca a tapas um homem de


grande porte físico. Este homem revida com três facadas,
matando o idoso. Nesse caso, considerada a discrepância física
entre os sujeitos e a improvável capacidade do agressor em
causar quaisquer danos à vítima, pode-se caracterizar o
excesso na legítima defesa.

Exemplo 02: Um homem armado com uma garrafa


quebrada ataca outro homem que usa um martelo que estava
em suas mãos e acerta a cabeça do agressor levando-o a óbito.
Trata-se de caso típico de legítima defesa, amparado pelo
Art. 25 do Código Penal.

2) Meios necessários

Quando se trata de legítima defesa, quem sofre injusta


agressão pode usar dos meios disponíveis para se defender
enquanto o agressor for um perigo real ou iminente.

Não existe um meio obrigatório, qualquer instrumento


pode ser usado como: faca, bastão, garrafa, arma de fogo,
cadeira ou pedra, enfim, qualquer meio disponível no
momento que possa impedir a agressão de forma moderada e
proporcional.

Exemplo 01: Uma senhora de 60 anos sozinha em sua


casa, percebe que sua casa é invadida por um agressor, ela

40
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

pega seu revolver e dispara seis tiros para afastá-lo. Caso


típico de legítima defesa, independentemente do número de
disparos. Não se configuraria legítima defesa se o criminoso
tivesse caído desacordado com o primeiro disparo e a senhora
continuasse a atirar nele mesmo não sendo mais uma ameaça.

Exemplo 02: Uma pessoa dentro do seu carro percebe a


aproximação de um assaltante, a fim de evitar o assalto ele
atropela o assaltante várias vezes, mesmo tendo a chance de
fugir do local logo na primeira ocasião. Configura-se o excesso
na legítima defesa.

3) Agressão atual ou iminente

Diferente do que a maioria das pessoas acredita, não é


necessário ser agredido primeiro para só em seguida iniciar a
sua defesa. O que é justo, pois se fosse necessário a vítima
sofrer o primeiro golpe para só depois contra-atacar haveria
uma enorme desvantagem à vítima.

Desta forma, a legítima defesa pode ser empregada em


casos em que a agressão é atual ou iminente, ou seja, que
ainda está por vir. Significa dizer que se o ataque do agressor
é inequívoco a vítima já pode se defender.

Exemplo: Um homem recebe várias ameaças de morte


de um desafeto e este o aborda em uma rua deserta e levanta a
camiseta com uma das mãos enquanto sua outra mão vai em
direção à cintura. O homem que sob ameaça já está, neste

41
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

momento, autorizado a iniciar sua defesa ainda que o seu


desafeto não tenha sacado a arma.

4) A direito seu ou de outrem

A legítima defesa também ampara quando você age em


defesa de terceiros.

Exemplo: Você presencia um homem agredindo uma


mulher com socos e chutes, você decide intervir e aplica um
estrangulamento para conter o agressor.

Caso real

No dia 12 de maio de 2018 (dia das mães) na cidade de


Suzano/SP, um criminoso chamado Elivelton. N. M. armado com
uma arma de fogo abordou as pessoas que estavam em frente a uma
escola particular infantil. Enquanto o criminoso apontava a arma
para o segurança do colégio uma mulher chamada Katia S. (policial
militar de folga) sacou sua arma de dentro da bolsa e o atingiu com
três disparos. Ao ser atingido, o criminoso deixou sua arma cair e foi
rendido pela policial militar. O homem foi levado ao hospital, mas
não resistiu aos ferimentos.

Atenção: Não confunda legítima defesa com Justiça


pelas próprias mãos, pois são totalmente diferentes.

42
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Justiça com as próprias mãos

Não há nenhum amparo legal que autorize alguém a


fazer justiça pelos próprios meios. Caso não haja agressão real
ou iminente, ou seja, se a agressão já se consumou ou
simplesmente não se sabe quando irá ocorrer, a ação da vítima
contra o agressor não estará amparada pela excludente.

Caso Real:

No dia 23 de maio de 2017 na cidade de Novo Santo


Antônio, o açougueiro Fabiano R. de 42 anos foi preso por ter
torturado e assassinado um adolescente de 17 anos por supostamente
ter sido autor de uma tentativa de homicídio contra seu filho.
Segundo investigação policial, Fabiano torturou outras duas
adolescentes para conseguir informações sobre a localização do jovem
morto. As adolescentes relataram que receberam chutes, socos,
choque e foram sufocadas por sacos plásticos.

Nesta situação não se configura legitima defesa, mas


sim justiça pelas próprias mãos.

43
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

PORQUE TREINAR AUTODEFESA

“Prefiro ser julgado por sete a ser carregado por seis”.


Desconhecido

Porque aprender autodefesa?


Costumo ouvir que “depois que inventaram a arma de
fogo não existe mais homem” essa é uma frase que talvez você
já tenha escutado ou até mesmo dito. Vamos analisá-la melhor:
Uma coisa que muita gente se esquece que a autodefesa
vai muito além de saber socar, chutar, imobilizar ou se
defender de ameaças com armas. A verdadeira autodefesa
começa pela prevenção.

44
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Com certeza ter uma arma de fogo aumenta muito o


potencial ofensivo, isso é indubitável, mas devemos nos
questionar sobre:
1. Você possui uma arma de fogo legal? Sabemos o quão
burocrático e principalmente caro isso é;
2. Você tem acesso ao porte de armas de fogo (autorização
legal para andar com uma arma de fogo fora de seu
domicilio)?
3. Você tem coragem de atirar em uma pessoa?
4. Você tem treinamento regular de tiro e de retenção da
sua própria arma?
5. O que você fará se uma pessoa tentar te agredir, mas se
ela estiver totalmente desarmada?;
6. Caso você possuía arma e o seu porte, você estará 100%
do seu tempo com ela em mãos?
7. Se a arma falhar o que você vai fazer?

Mesmo possuindo uma arma de fogo, seu uso é muito


restrito a situações extremas, por exemplo: contra um agressor
armado com outra arma de fogo ou com uma faca. Situações do
dia a dia, como desentendimento no trânsito e discussões
muitas vezes podem acabar nas vias de fatos sem o emprego de
nenhuma forma de arma.
Ouço pessoas afirmarem que não precisam aprender
autodefesa, pois “basta não arrumar brigas”. Será mesmo que
isso basta? Assim como eu, provavelmente, você já presenciou
pessoas que andam por aí buscando confusão, seja um bêbado,
seja um estressado no trânsito ou um valentão querendo se
aparecer.

45
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Constantemente me deparo com pessoas que procuram


nossas aulas após sofrerem agressões e ameaças que causaram
traumas físicos e psicológicos para toda a vida. Se estas pessoas
tivessem procurado treinamento antes, provavelmente
conseguiriam se defender sem maiores prejuízos.
Além da preservação da vida e da integridade física,
outros benefícios de se treinar autodefesa são a autoestima e a
sensação de segurança. Sentir-se pronto para se defender,
melhora muito sua qualidade de vida, deixando de ter medo de
tudo e de todos. Por isso te digo: autodefesa deve ser lavada a
sério!

Quem pode treinar autodefesa?


Todos que desejam aprender a se defender dos perigos e
ameaças do dia a dia, independentemente do sexo, idade, ou
condição física. Nunca é cedo ou tarde demais para começar,
em nossas turmas temos alunos de três a setenta anos de idade.
O ideal é começar antes de sofrer uma violência, mas
caso já tenha sofrido, que isso sirva como uma motivação a
mais para começar. Como qualquer outra atividade física é
importante que você procure um médico e faça alguns exames
para analisar como está sua saúde.
Engana-se quem pensa que é preciso estar em plena
forma física, pois você vai melhorar sua condição treino após
treino.
Em relação a doenças pré-existentes temos muitos
alunos com problemas ortopédicos como ombros, joelhos e
coluna, mas que conseguem participar com êxito do

46
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

treinamento, pois na autodefesa o aluno treina dentro de seus


limites. Como não há competições, o aluno compete apenas
com ele mesmo buscando evoluir de acordo com a sua
realidade física e emocional.

Praticar qualquer arte marcial é o mesmo que treinar defesa


pessoal?
Por incrível que possa parecer a resposta é não!
Quando falamos em autodefesa ou sobrevivência
urbana as habilidades vão muito além de simplesmente
entender como aplicar um golpe.
Fatores como prevenção, análise de ambiente, análise de
riscos, pontos quentes, fuga rápida, timing, uso de objetos
adaptados, leitura corporal e táticas de confronto são
determinantes para que alguém possa ter êxito em sua
proteção.
Saber lutar é apenas um dos requisitos fundamentais
para sobreviver no mundo violento. Infelizmente grande parte
das artes marciais está focada demasiadamente nas
competições esportivas, o que é compreensível para preservar a
segurança e integridade dos competidores, porém tantas regras
e pontuações fazem com que o “melhor da arte” seja deixado
de lado ou esquecido.
Golpes traumáticos em pontos sensíveis e vitais como:
olhos, garganta, nuca, área genital são proibidos, mas em um
combate real contra um inimigo muito maior ou em vantagem
numérica estes golpes podem significar sua sobrevivência.

47
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Entenda que um combate real é uma guerra na qual não


adianta fazer algo mirabolante. Seu inimigo não terá limites
para te agredir, seja sozinho, em bando, armado ou desarmado.

Casos reais
1. Morte no trânsito
No dia 24 de abril de 2018 na cidade de São Luís/MA, o
lutador T.G. campeão Mundial de jiu jitsu foi morto por um homem
identificado como Wilcimar durante uma briga no trânsito. Conforme
registrado por uma câmera de segurança, o lutador desceu do carro e
foi em direção ao motociclista que desceu com o capacete da moto em
uma mão e uma arma de fogo na outra. O lutador caminhou em
direção a Wilcimar que andava para trás e após iniciarem uma luta
corporal ambos vão ao chão, instantes depois Wilcimar consegue se
levantar e efetua três disparos contra o lutador que acaba morrendo.

2. Morte ao reagir a um assalto

No dia 31 de janeiro de 2012 na cidade de São Paulo/SP, um


lutador de jiu jitsu foi abordado por um assaltante. O lutador entrou
em luta corporal com o criminoso e conseguiu imobilizá-lo, porém foi
surpreendido por um segundo criminoso. Pelas imagens captadas por
uma câmera de celular de uma testemunha é possível ver o criminoso
imobilizado gritando a seu comparsa: “Quadrado, mata ele, mata ele”
e em seguida o comparsa efetua dois disparos contra o lutador que vem
a óbito.

48
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Conclusão:

Lutadores de artes marciais que são espancados e


mortos em casos de violência urbana são mais comuns do que
as pessoas imaginam, basta uma rápida pesquisa na internet e
você encontrará dezenas deles. Isso revela que ser um campeão
de determinada arte marcial não te faz um bom sobrevivente
urbano, pois muitos são os fatores que envolvem um combate
real.

No primeiro caso real demonstrado acima, mesmo o


lutador de jiu jitsu sendo muito bem treinado, ele não estava
preparado para lidar com uma situação contra um agressor
armado com uma arma de fogo. Pelas imagens gravadas
podemos citar alguns erros básicos:

. Descer do veículo para discutir ou brigar com o outro


motorista;

. Entrar em luta corporal contra um inimigo armado com uma


arma de fogo sem antes encontrar uma janela de oportunidade;

. Focar no ponto errado, a prioridade deve ser o ponto quente


(arma de fogo) e não o ponto de foco (agressor);

No segundo caso real, o lutador embora tenha


conseguido imobilizar o assaltante, não observou outra regra
básica de sobrevivência ao não considerar a possibilidade de o
assaltante ter um comparsa na cena do crime.

49
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Algo que muitos praticantes de artes marciais não levam


em consideração é que nossos reflexos são condicionados para
realizar aquilo que praticamos repetidamente, por exemplo, um
lutador que treina dentro de regras e pontuações segue uma
série de normas que são inviáveis e frágeis diante de um
combate real.

Ele pode estar muito preparado para agir dentro do


contexto e do ambiente que conhece, como uma luta com regras
dentro de um tatame, mas sabemos que na rua a vítima
normalmente está em grande desvantagem física, numérica ou
de potencial ofensivo (armas) e é quase sempre pega de
surpresa.

Costumo dizer que você pode ser faixa preta em várias


artes marciais, mas se nunca treinar situações com armas
diversas, ao precisar reagir numa situação assim você será tão
eficiente quanto um leigo.

50
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

OS 05 TEMPOS DE AÇÃO DA
AUTODEFESA

“A suprema arte da guerra é subjugar o inimigo sem lutar”.


Sun Tzu

Erro clássico quando se pensa em autodefesa é imaginar


apenas o cenário no qual duas ou mais pessoas estejam se
enfrentando fisicamente. Neste ponto tudo se torna mais difícil
e arriscado, por isso precisamos entender que existem quatro
momentos que antecedem um confronto direto que podem
prevenir que ele aconteça.

51
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

1. Prevenção
Provavelmente você já ouviu falar sobre presunção de
inocência que legalmente significa que ninguém pode ser
considerado culpado até que haja uma sentença condenatória
transitada em julgado. No dito popular: “todos são inocentes
até que se prove o contrário”.

Porém, em questão de autodefesa, costumo orientar


meus alunos de forma contrária: “todo mundo é suspeito até
que se prove o contrário”.

Talvez você pense que isso é injusto, mas deixe-me


explicar melhor este conceito.

Diferentemente do que acontece no sistema jurídico o


qual tem a finalidade de provar quem é o culpado por
determinado crime e consequentemente aplicar a punição na
forma da lei, a tática de sobrevivência urbana visa justamente
prevenir que este crime aconteça. Por isso trabalhamos sempre
nos antecipando ao problema, prevendo e calculando variáveis
em busca de minimizar riscos.

Imaginar que todos são “inocentes” nos coloca em uma


posição vulnerável e baixamos a nossa guarda, pois deixamos
de sermos proativos e passamos apenas a reagir às ações. Desta
forma você acaba abrindo uma grande janela para que o
agressor ou criminoso consiga te surpreender. Quando se tem
em mente que todos são suspeitos até que se prove o contrário,
você fica muito mais atento, observando a intenção e a atitude
de todos que o cercam, seja aquele vendedor no semáforo ou
uma pessoa que bate à sua porta dizendo ser de determinada
religião.

52
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Sabemos que a estratégia de defesa pessoal funcionou


100% quando nada de ruim acontece, ou seja, quando nenhuma
medida reativa foi necessária.

O momento mais seguro é justamente antes do crime


acontecer. Quando você se depara com o problema já estará em
grande desvantagem, pois o agressor te deixa com pouca ou
nenhuma margem temporal de defesa e o criminoso entende
bem isso, tanto que ele fará de tudo para passar despercebido
até o momento de agir. Então se você criar um padrão diário
que desestimule a aproximação do criminoso haverá menos
chances de se tornar uma vítima. Lembre-se que a maioria das
pessoas são distraídas e não dão o devido valor à prevenção,
muito menos adotam um sistema rotineiro de sobrevivência
urbana, resumindo: o criminoso terá muitas outras opções mais
fáceis do que você que adota um padrão de segurança
colocando-o em risco de ser identificado, preso ou ferido.

Não existe uma receita passo a passo para se prevenir


contra todo tipo de ameaça, embora tutoriais de como agir
sejam abundantes na internet e livros. Entenda que cada crime
ou ameaça é um momento único com diferentes pontos e
variáveis que são impossíveis de prever. Cada situação deve ser
planejada de forma individual levando-se em consideração as
características pessoais e ambientais de cada caso e momento.

Como criar um plano de prevenção eficiente que


desestimule ser escolhido como vítima por um criminoso?

. Conheça o território (ambiente). Quanto mais informações


você tiver sobre o ambiente em que vive e trafega maiores as
chances de você criar um plano realista e eficiente. Por

53
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

exemplo: entenda quais são as atuais vulnerabilidades e pontos


fortes da sua residência.

Pense como um criminoso. Por onde você entraria?


Pularia o muro? Arrombaria o portão? Qual porta da casa é
mais fácil de arrombar? Quais janelas são mais frágeis? Qual
localização daria vantagem para o criminoso se esconder?
Estando dentro da casa qual o trajeto o criminoso faria?

Na rua: quais os trechos do seu trajeto são


conhecidamente mais violentos? Há algum lugar neste trajeto
que você tenha que passar por um local escuro? Isolado?
Frequentado por pessoas em atitude suspeita?

Se você fosse um assaltante em que trecho deste trajeto


você se sentiria mais confiante para cometer um crime? Onde se
esconderia? Por onde correria para fugir?

Você consegue entender melhor quais são os pontos


mais vulneráveis da sua rotina ao pensar como o criminoso,
desta forma você consegue criar obstáculos eficientes.

2. Fuga

“Fugir não é vergonhoso, vergonhoso é apanhar na rua”


Wesley Gimenez

Fugir é a estratégia de sobrevivência mais antiga do ser


humano, mas nem por isso menos eficiente. O ser humano na

54
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

era das cavernas lidava constantemente com inúmeros riscos de


morte no seu dia a dia pelos predadores naturais e tribos rivais.

Fugir diante de uma ameaça em potencial ou de um


combate muitas vezes era a melhor opção para se manter vivo.
Nos dias atuais a fuga ainda é opção mais segura em muitos
casos.

O objetivo da fuga está em se afastar o máximo possível


do perigo iminente ou escapar da agressão imediata
preservando sua vida e sua integridade física. Isto me faz
lembrar de uma frase que meu primeiro professor de caratê
dizia: “o melhor combate é aquele que não acontece”.

Quando se entra em um confronto físico você não tem


como controlar todas as variáveis de um combate real, como o
grau de conhecimento do seu inimigo, o ambiente, as surpresas
que podem acontecer como surgir outro agressor, torcer um pé
em um buraco, errar um tiro e acertar um inocente ou até
mesmo o azar de tropeçar e cair durante o conflito, enfim, por
mais que você esteja preparado, tudo pode acontecer.

A fuga possui dois momentos distintos:

Fuga antecipada

É a fuga que acontece antes da agressão se concretizar, é


o momento em que você consegue se antecipar à ameaça e
imediatamente se afasta do perigo.

Exemplo 01: Você está andando em uma praça e percebe


que dois homens em atitude suspeita conversam entre si e

55
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

observa que um deles possui um volume debaixo da camiseta


na altura da cintura. Eles se posicionam no trajeto em que você
irá passar e imediatamente você muda sua direção evitando se
aproximar deles.

Exemplo 02: Você está em um show e de repente


percebe que um grupo de pessoas começa a discutir de forma
enérgica, logo você entende que há um grande risco de
acontecer uma briga generalizada em um ambiente fechado e
rapidamente se afasta do local em segurança.

Desta forma você conseguiu prevenir e fugir


antecipadamente de uma ameaça em potencial. Esta é a forma
mais segura e eficiente de fuga, pois conseguiu evitar que a
agressão acontecesse efetivamente.

Fuga crítica ou tardia

É a fuga mais perigosa, pois você falhou na primeira


linha de defesa que é a prevenção e o afastamento do perigo.
Neste ponto você já está mergulhado dentro do problema e
quando surge uma oportunidade você consegue escapar e se
distanciar do agressor.

Exemplo 01: Você está atravessando uma praça pública


à noite e foi surpreendido por dois assaltantes que anunciaram
o assalto, mas após roubarem os seus pertences, os criminosos
te mantêm sob domínio e te levam até uma construção
abandonada, chegando lá você se aproveita da distração de um
deles e pula a janela fugindo para o mais longe possível em
busca de ajuda. Neste caso o risco corrido foi imensamente
superior em relação ao primeiro caso no qual você conseguiu

56
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

evitar a violência, mas mesmo em uma situação de


desvantagem conseguiu se livrar do problema com vida.

Exemplo 02: Você está um show distraído assistindo o


espetáculo e não percebe a movimentação hostil entre um
grupo acontecendo ao seu lado e é surpreendido por uma briga
generalizada com as pessoas se agredindo mutuamente, agora
você está dentro do problema. Está correndo sérios riscos de ser
atingido por todos os lados, mas você consegue sair do
ambiente. Aqui você foi exposto a um altíssimo nível de perigo.

3. Esfriamento

O esfriamento é uma tática que visa evitar que problema


chegue às vias de fato. Trata-se daquele momento em que você
e a outra pessoa estão na iminência de se agredirem, mas por
uma ação proativa você consegue evitar que o ato violento se
inicie.

Imagine que você está dirigindo seu carro por uma avenida
movimentada e você recebe uma fechada brusca de outro
motorista quase ocasionando um acidente. Seu corpo vai
descarregar muita adrenalina e outros hormônios e você ficará
irado. Os dois descem do carro e começam a discutir
violentamente e se aproximam um do outro (provavelmente
você já passou por isso ou presenciou uma cena assim, não?).

O esfriamento consiste, então, a partir do momento que


você percebe que estão na iminência de se agredirem age de
forma proativa tentando “esfriar” a discussão, seja baixando o

57
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

tom de voz, seja pedindo desculpas, ou pedindo para a outra


pessoa explicar o ponto de vista dela. Desta forma, muitos
confrontos podem ser evitados. Claro que não dependerá 100%
de você, mas sua atitude proativa vai abrir uma grande
possibilidade do problema se encerrar ali.

Caso real

No dia 06 de março de 2016 na cidade de Governador


Valadares, o policial militar J.C.S. que estava de folga matou a tiros o
caminhoneiro F.A.M.
O policial estava na frente de um bar e o caminhoneiro que
estava no meio da rua começaram uma discussão intensa. O
caminhoneiro estava com uma faca em mãos e o policial com sua arma.
Os dois trocaram ofensas e ameaças: "Dá mais um passo pra você
ver", diz o policial. "Você não é homem, você é homem com o revólver
na mão", respondeu o caminhoneiro. "Você é homem pra sua família",
retruca o policial. "Bate na sua mulher, bate nos seus parentes lá". diz
o policial. O policial à paisana tenta acionar a PM com um celular,
enquanto ele e o caminhoneiro continuavam se ameaçando: "Você não
vai me dar tiro, não, que eu vou rasgar você todo", anuncia o
caminhoneiro. "Entra, então, que eu vou passar ocê (sic) no tiro",
retrucou o policial.
O caminhoneiro se afastou e guardou a faca, porém voltou e
iniciou a discussão com o policial que desdenhou: "Cê correu com a
faca? Corre com a faca que eu te corto no tiro". "Que vai cortar o
car...," desafiou o caminhoneiro. O policial então largou o celular no
asfalto e disparou cinco tiros contra o caminhoneiro.

Se o caminhoneiro tivesse usado o esfriamento é


provável que não fosse morto, pois ele teve a oportunidade de
ir embora, mas voltou para continuar a discussão contra

58
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

alguém que estava em grande vantagem portando uma arma


de fogo.

Entenda que no esfriamento o risco é alto, pois você já se


encontra na iminência da agressão e não depende
exclusivamente de você, pois ainda que decida não mais entrar
em vias de fato, a outra pessoa pode querer iniciar o combate,
mas é uma opção que em grande parte dos casos se mostra
eficiente.

4. Intimidação

Intimidação por antecipação ou dissuasão:

É quando você prevê a aproximação de uma ameaça em


potencial e toma uma atitude antes da agressão acontecer que
deixa o agressor inseguro quanto à execução do ato criminoso.

Não há uma ameaça contundente neste caso, a


intimidação ocorre de forma como “um aviso” ou “um alerta”.
Para exemplificar: Você está andando em uma rua com pouca
movimentação e percebe que alguém em atitude suspeita
começa a te seguir, ao perceber isso você olha para trás
diretamente nos olhos do suspeito e mantêm o olhar por cerca
de 03 segundos e atravessa para o outro lado da rua e
novamente olha para o suspeito.

Você acabou de utilizar-se da intimidação antecipada,


ou seja, antes que o agressor iniciasse o crime, você identificou
a ameaça e mostrou claramente para ele que você já o

59
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

identificou e suas possíveis intenções. Agora o criminoso


perdeu algo que ele valoriza muito: o efeito surpresa. Ele não se
sentirá tão confiante para te abordar como antes, pois já sabe
que você está em estado de alerta e é um alvo muito mais
arriscado para ele.

Outro caso de intimidação por dissuasão é quando um


criminoso planeja assaltar sua casa, mas durante a fase de
observação, constata que você possui um bom sistema de
alarme, monitoramento por câmeras e um cachorro de grande
porte e se sente inseguro em lidar com todos estes instrumentos
de defesa que dificultam e colocam em risco a prática
criminosa. Neste caso você nem soube da intenção do
criminoso, mas por causa da estrutura defensiva criada,
intimidou por dissuasão a ação do marginal.

Intimidação por medo, consequência ou punição:

Este tipo de intimidação é aquele que você utiliza para


mostrar ao agressor que o ato dele trará consequências graves,
normalmente maiores do que o benefício do crime ou agressão.
É a forma de causar medo no criminoso ou agressor com o
intuito de fazê-lo parar o ato em andamento ou na iminência de
ocorrer.
Exemplo 01: Você está em um estádio de futebol
assistindo ao jogo do seu time e ao final se depara com dois
torcedores do time adversário muito nervosos porque seu time
perdeu. Eles começam a te ofender com palavrões e se
aproximam com o intuito de te agredir. Você se afasta e
imediatamente retira do bolso um bastão retrátil e com tom

60
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

firme grita: Para trás! Neste caso você está tentando usar a
intimidação para desestimular uma ação imediata dos
agressores.
Exemplo 02: Você está em um ambiente reservado e
alguém tenta entrar no local sem autorização. Você
simplesmente pega seu celular e diz que está ligando para a
polícia. Com essa atitude você tenta intimidar a pessoa a
desistir do seu intento pela intimidação de tomar uma atitude
que resulte em um resultado que ela não deseja, ou seja, a
abordagem policial.

Entenda que a intimidação por punição pode em alguns


casos aumentar a agressividade do agressor que esteja sob
efeito de drogas diversas ou distúrbios mentais. Portanto é
importante estar preparado para agir de acordo com a ameaça e
com a elevação do nível de agressão.
Outro fator importante é a questão legal: Lembre-se do
crime de ameaça:
Código Penal - Decreto-Lei No 2.848, de 7 de dezembro
de 1940.
Ameaça, art. 147 - Ameaçar alguém, por palavra, escrito
ou gesto, ou qualquer outro meio simbólico, de causar-lhe mal
injusto e grave:
Pena - detenção, de um a seis meses, ou multa.
Parágrafo único - Somente se procede mediante
representação.

61
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Intimidar alguém lhe impondo temor de sofrer mal


injusto e grave é crime de ameaça. Exemplo: jurar alguém de
morte.
O crime de ameaça é previsto no artigo 147 do Código
Penal e consiste no ato de ameaçar alguém, por palavras, gestos
ou outros meios, de lhe causar mal injusto e grave e, como
punição, a lei determina detenção de um a seis meses ou multa.
A promessa de mal pode ser contra a própria vítima, contra
pessoa próxima ou até contra seus bens.
Para a ocorrência do crime não precisa que o criminoso
cumpra o que disse, basta que ele tenha intenção de causar
medo e que a vítima se sinta amedrontada.
Para a configuração do crime de ameaça é necessário
que seja um mal injusto e grave, ou seja, não há crime ao dizer
que vai processar ou fazer um boletim de ocorrência. Quanto à
gravidade da ameaça ela deve atingir um interesse importante
para a vítima.
O crime de ameaça pode ser cometido por diferentes
meios: oral, escrito, por telefone, gesto ou internet.
Observe que há três variáveis que anulam as chances de
efetividade do uso da intimidação:
. Quando a possibilidade de ganho é muito atrativa para o
criminoso;
. Criminoso está sob efeito de drogas.
. Perfil violento ou psicopata do criminoso.

62
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Se você deseja se aprofundar mais sobre o entendimento de


diversas leis penais recomendo a leitura do livro: Código Penal
Comentado por Cezar Roberto Bitencourt.

5. Combate direto
Esse é o momento mais crítico e perigoso que queremos
evitar. Nesta etapa é literalmente tudo ou nada, pois todas
nossas tentativas para evitar o confronto falharam.
Precisamos entender que em um combate direto todos
os envolvidos sofrem algum tipo de prejuízo, seja físico, moral,
legal ou financeiro.
Entenda que quanto mais tempo durar um combate,
maiores são os riscos de algo fora do controle acontecer. Por
isso, ao entrar em um combate inevitável, faça tudo que estiver
ao seu alcance para finalizá-lo o mais rápido possível.

63
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

OS 06 NÍVEIS DE ESTADO DE
ALERTA OU PRONTIDÃO
MENTAL

“A concentração é a raiz de todas as habilidades do homem”.


Bruce Lee

Aprender a observar o ambiente em que vivemos de


forma consciente é uma habilidade que determina a capacidade
de prevenir, fugir e enfrentar os desafios que surgem à nossa
volta. Quanto mais cedo conseguirmos identificar uma ameaça,
maiores serão as nossas chances de sucesso.

Pensando desta forma, o ex-marine, Jeff Cooper criou o


chamado “código de cores” (branco, amarelo e vermelho) que
posteriormente foi aperfeiçoado juntamente com Gabe Suarez
que utilizou a definição “semáforo da violência” (branco, verde,

64
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

amarelo, laranja, vermelho e preto) que é uma técnica que ajuda


a desenvolver o hábito consciente de identificar e reagir a
momentos potencialmente perigosos.

O semáforo da violência apresenta seis cores que


simbolizam o estado de alerta e prontidão mental de acordo
com a gravidade de cada situação.

Branco
Estado de relaxamento mental completo no qual a
pessoa está dormindo, desmaiada, meditando ou em coma. É o
estado mental de maior vulnerabilidade que uma pessoa pode
estar. É muito comum vermos pessoas dormindo dentro de
ônibus, metrô ou trens nas grandes cidades. Neste estado a
pessoa que for surpreendida não terá nenhuma chance de se
defender e a sua derrota é certa.

Verde
Estado de relaxamento mental consciente no qual a
pessoa está distraída ou focada em algo específico que requer
atenção total. Neste estado mental a pessoa perde a consciência
do que está acontecendo no ambiente ao seu redor. A pessoa
está distraída ou desatenta é o que muita gente denomina de
“estar no mundo da lua”, por exemplo:

. Uma pessoa mandando uma mensagem de texto ou rolando


suas redes sociais dentro do carro enquanto aguarda o
semáforo abrir;

65
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Pessoa andando na rua com fones de ouvidos e de cabeça


baixa olhando para o chão;

. Um casal de namorados namorando dentro do carro;

Neste nível de alerta as pessoas são facilmente


surpreendidas por um criminoso, desafeto ou por um acidente.
A pessoa fica vulnerável a aproximação de pessoas em atitude
suspeita e tem seu tempo de reação gravemente diminuído.

Muitos são os relatos de acidentes de trânsito,


domésticos e de trabalho em que a pessoa relata estar distraída
e não percebeu que algo errado estava acontecendo até ser pega
“de repente”.

As frases típicas que você ouve destas pessoas após um


susto ou crime geralmente são “Nossa, tudo aconteceu
tão rápido”, “ele apareceu do nada”, “não vi ele se aproximar”,
“não sei o que aconteceu”. Neste estado de alerta e prontidão
mental a pessoa será facilmente surpreendida e subjugada.

Basta uma rápida observação para constatarmos que a


maioria das pessoas mantém um padrão de prontidão mental
ou estado de alerta no nível branco. As pessoas caminham
pelas ruas falando nos celulares, mandando mensagens,
pensando no trabalho, em casa, no almoço ou no que vai fazer
amanhã e muitas outras trivialidades e não se atentam ao que
está acontecendo bem na frente dos seus olhos.

O mais contraditório é que as pessoas vivem com medo


da violência e criminalidade do dia a dia, mas mesmo assim se
mantêm vulneráveis por estar desatentas e despreparadas, mas
a questão é por quê?

66
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Rotina é a resposta.

Um cidadão comum totalmente desatento ou negligente


com sua segurança pode viver assim por 10 anos e nunca lhe
acontecer nenhum mal até o dia em que cruzar com um
criminoso em ação. Sabemos que o criminoso é um oportunista
que busca surpreender suas vítimas obtendo o maior ganho
com o menor risco possível. Combinação ideal para ser vítima
de um crime:

Cidadão desatento + criminoso atento.

Quando se vive em nível branco de estado de alerta ou


prontidão mental ser vítima de um criminoso não é questão de
“se”, mas “quando”.

Caso real
No dia 20 de outubro de 2018 na cidade de Nova
Serrana/MG, um homem chamado Carlos A. estava dentro de um bar
no momento em que este foi assaltado. As câmeras de segurança
registraram o momento em que o criminoso chegou de moto e entrou
armado no bar onde anunciou o assalto. Os frequentadores do bar se
deitaram no chão e outros ficaram sentados, enquanto Carlos estava
escorado no balcão mexendo no celular e não percebeu toda a
movimentação.

O ladrão passou ao lado de Carlos e abriu o caixa do bar que


estava a poucos centímetros dele, mas Carlos nem sequer notou sua
presença. O criminoso com a arma em mãos passa novamente ao lado
de Carlos e foge do estabelecimento, apenas alguns momentos depois
Carlos nota que havia pessoas deitadas no chão e sorri "eu nem percebi

67
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

o assalto, inclusive quando o gordinho que tava aqui deitou no chão eu


até ri, mas nem vi nada assim não", contou Carlos.

Amarelo

É o estado de alerta e prontidão mental no qual a pessoa


está consciente do ambiente ao seu redor e está atenta num
sentido geral. Este é nível de alerta mental ideal que as pessoas
devem manter em seu dia a dia, ou seja, em estado mental
relaxado, mas atento sem qualquer foco de distração.

Neste nível de alerta você consegue analisar melhor o


ambiente a sua volta e os perigos em potencial, desde um
simples pedestre que está atravessando fora da faixa ao
criminoso te seguindo.

Características de quem está em estado de alerta na cor


amarela:

. Caminha de cabeça erguida olhando para o horizonte e de


tempo em tempo checa as laterais e retaguarda sem distrações
como fones de ouvidos, celulares ou outros meios de distração;

. Motorista parado no semáforo observando à aproximação de


pessoas;

Neste nível você não espera ser atacado imediatamente,


mas reconhece a possibilidade de isso acontecer, exemplo: Você
chega de carro em casa, desacelera o veículo e olha ao redor

68
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

antes de abrir o portão para checar se não há nenhuma


movimentação anormal (aqui você entende que o risco de ter
alguém mal-intencionado é real, mas você não identificou
nenhuma ameaça imediata em potencial) podemos resumir no
seguinte pensamento: “pode ser que aconteça alguma coisa”.

Neste Estado de prontidão mental se a pessoa for


atacada ela terá grandes chances de se defender.

Laranja

É o estado de alerta e prontidão mental no qual a


pessoal está ciente de uma ameaça específica em potencial. Este
é um estado elevado de atenção, no qual você tem um foco
determinado. Algo em especial chamou sua atenção, como uma
pessoa com uma blusa de frio em pleno verão. Neste caso você
notou conscientemente que algo está fora do padrão normal e
focou sua atenção especificamente em algo que possa a ser um
problema.

Outro exemplo é quando você está em um


estacionamento e percebe que tem alguém escondido atrás de
um pilar, obviamente esse é um comportamento anormal
dentro de um estacionamento no qual a pessoa não tem motivo
para ficar parada e principalmente escondida. Neste nível você
adota uma postura defensiva para evitar um possível confronto
ao mudar de direção e evitar cruzar com a pessoa em atitude
suspeita.

Resumindo: você notou algo potencialmente perigoso e


concentrou sua atenção neste ponto tomando uma decisão

69
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

sobre a melhor resposta para evitar o confronto. Neste estado


de alerta a pessoa tem grandes chances de se defender.

Vermelho
É o estado máximo de alerta no qual o confronto é
iminente. É a certeza do problema. Aqui você não apenas
suspeita de algo específico, mas já sabe que o perigo é imediato
e você terá que tomar uma decisão rápida para não ser
surpreendido.
Está é a fase do “agora”, ou seja, sua tomada de decisão
precisa ser rápida e bem planejada. É aquele caso, por exemplo,
de você caminhar em uma praça olhando atentamente para
frente e prestando atenção em tudo, mas não preocupado com
nada especificamente (amarelo) e percebe que à frente tem uma
pessoa vestida com uma blusa de frio em pleno dia ensolarado,
então você nota que algo está fora do comportamento normal
de uma pessoa e foca sua atenção nela e decide ir para o outro
lado da passagem para não cruzar com ela (laranja) ao
continuar sua caminhada você percebe que a pessoa atravessa
para o seu lado e vem rapidamente ao seu encontro com a mão
no bolso da blusa perguntando a hora, aqui você entende que
precisa tomar uma decisão rápida e opta por responder, sem
parar de caminhar, que “não tem horas” e acelera seu passo
criando distância do indivíduo (vermelha).
Note que no exemplo acima houve a mudança de uma
cor para outra de forma gradual passando da amarela para
laranja e finalmente para a cor vermelha. Neste esquema você
terá muito mais chances de prevenir ou se necessário tomar

70
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

uma atitude acertada do que teria caso fosse surpreendido e


passasse diretamente da cor verde para a cor vermelha (estava
caminhando na praça ouvindo música e escrevendo mensagens
no celular e “de repente” alguém te aborda em atitude suspeita
com a mão no bolso perguntando a hora, aqui você teria
pouquíssimo tempo de avaliar o grau de periculosidade e
também como planejar uma resposta efetiva para o problema.
Ao usar a técnica do “semáforo da violência” você foi do
nível amarelo para o laranja quando notou a atitude e
vestimenta suspeita da pessoa e para o nível vermelho quando
a pessoa atravessou para seu lado e se aproximou perguntando
a hora.
Você estará preparado para se defender. Em virtude de
o criminoso também fazer uso da leitura corporal (ainda que
inconscientemente) ele verá que você está preparado e já
detectou a sua presença suspeita e simplesmente deixará de te
seguir ou anunciar o assalto. Nove entre dez criminosos
desistirão neste instante sem confrontos.
Conforme o suspeito se afasta, reduza seu nível de alerta
do vermelho para o laranja e do laranja para o amarelo. Mas e
os 10% dos criminosos restantes? Estes geralmente estarão
drogados, bêbados ou ambos; e falharão em identificar o seu
nível de alerta. Seguirão em frente provavelmente para
execução do crime.
De acordo com estudos do FBI, cerca de 80% dos
sujeitos que você de fato terá de enfrentar estarão sob influência
de álcool ou drogas ou drogas e álcool ao mesmo tempo. E qual
é boa a notícia? A boa notícia é que eles estarão bêbados ou
drogados, o que destrói seus reflexos, tempo de reação e
coordenação motora. Serão mais fáceis de lidar se você estiver

71
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

técnica e mentalmente preparado (estiver sob a condição


vermelha de alerta).

Preto
É o momento mais temido e que deve ser evitado a todo
custo. Aqui você já está literalmente no tudo ou nada, é o
confronto direto, seja agindo de forma ativa ou passiva. Sua
mente neste nível de atenção ou prontidão mental está no limite
das suas funções e capacidades, tendo que reagir contra a
violência ao mesmo tempo em que define escolhas para
finalizar o combate ou ameaça.
Em nosso dia a dia lidamos com diversas situações de
diferentes níveis de complexidade e risco. Cada cenário exigirá
uma capacidade de se antecipar ou até mesmo reagir em um
estado de alerta ou prontidão diferente.
Conforme seu nível de alerta (cores) sobe
gradativamente, também as alterações físicas acontecerão de
forma gradual como (aceleração do batimento cardíaco,
respiração acelerada, suor, esfriamento das extremidades,
medo, raiva ou ansiedade). Por isso manter um padrão de
prontidão mental é questão de sobrevivência, pois suas chances
aumentam proporcionalmente.
O estado de atenção (amarelo) pode ser mantido por um
período mais prolongado sem sobrecarregar as funções físicas e
mentais. Contudo, os estados de alerta laranja e vermelho
podem ser mantidos pelo organismo e pela mente apenas por
períodos de tempo relativamente curtos, pois exigem um
dispêndio maior de energia. Operar continuamente nesses
avançados níveis de prontidão pode desencadear reações

72
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

adversas, tanto no âmbito físico quanto psicológico, levando a


síndromes de esgotamento (estresse crônico).

Caso real
No dia 08 de setembro de 2018 na cidade do Rio de Janeiro/RJ,
Fernanda S. G. chegava em casa quando notou que havia duas pessoas
em uma moto estacionada com o motor ligado do outro lado da rua a
poucos metros de sua residência.

Fernanda achou algo suspeito e decidiu não parar em frente ao


seu portão e passou direto por sua casa. Ao observar em seu retrovisor
percebeu que o motorista da moto começou a gesticular apontando
para seu carro e foram em sua direção. Fernanda dirigiu até a
delegacia local a poucas quadras de distância. Segundo a mulher, ela
“pressentiu” que algo estava errado e que por isso decidiu não parar.

Esse é um exemplo real de uma pessoa que estava atenta


e por isso conseguiu passar pelas etapas de cores e assim,
enfrentar de forma eficiente uma ameaça em potencial.
Ela estava em estado de alerta na cor amarela (percebeu
a presença dos suspeitos próximos da sua residência), em
seguida notou com eles estavam com a moto ligada e decidiu
não parar em frente ao seu portão temendo ser surpreendida
(laranja), ao passar pelos suspeitos notou que eles começaram a
segui-la e imediatamente dirigiu-se a delegacia a poucas
quadras de distância para desestimular a ação criminosa
(vermelho).

73
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

OS 05 NÍVEIS DE
PERICULOSIDADE E ANÁLISES
DE RISCO

“Só não corre riscos quem já morreu”. Wesley Gimenez

Assim como há uma escala de prontidão mental, existe


uma escada de riscos que deve ser entendida e observada para
potencializar a sua capacidade de autodefesa.

A grande questão é o nível de risco que você está sujeito


e por quanto tempo. Embora seja impossível viver sem riscos,
podemos adotar medidas que minimizem o grau de
periculosidade e o tempo que permanecemos vulneráveis. Toda
situação em nosso dia a dia envolve algum tipo de risco
potencial, seja decorrente de um momento específico, como

74
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

andar em uma rua desconhecida com pouco movimento ou


devido à sua atividade profissional.

O grau de periculosidade ou risco é a probabilidade de


concretização de uma ameaça contra pessoas e bens; é incerto,
mas previsível. Para cada nível de risco existe um grau de
prontidão mental compatível. Uma prévia avaliação realista e
rápida irá minimizar os efeitos físicos e mentais do stress e te
dará muito mais ferramentas e tempo de reação para tomar
uma decisão ou atitude com mais eficiência e segurança.

“Quem é prudente vê o perigo e se esconde, mas os inexperientes


vão em frente e sofrem as consequências”. Provérbios 22:3

Classificação do risco ou periculosidade

Baixíssimo

Este é o nível de perigo quase inexistente, por exemplo,


você ser assaltado a mão armada dentro de um avião. Claro que
nada é impossível de acontecer, mas neste ambiente é muito
improvável que uma situação assim aconteça, pois sabemos que
para entrar no avião todos os passageiros passaram por uma
revista minuciosa por detector de metais, além do fato do avião
ser um péssimo local para se cometer um assalto, haja vista a
dificuldade extrema para fugir, além das inúmeras
testemunhas. Então dentro de um avião você deve estar muito

75
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

mais atento a possíveis furtos do que a um assalto à mão


armada.

Baixo

Aqui o perigo existe, mas ainda há uma reduzida


possibilidade de ocorrer. O ambiente e o comportamento das
pessoas estão dentro de um padrão confortável de segurança.
Exemplo: a chance de você ser abordado por um assaltante
dentro de um aeroporto é pequena, não tão improvável quanto
dentro do avião, mas ainda sim, o ambiente e a oportunidade
estão contra o criminoso que terá apenas uma rota conhecida de
fuga, muitas câmeras e pessoas para identificá-lo (lembre-se
que ele não quer ser preso).

Moderado

O risco moderado é caracterizado pela real


possibilidade de ocorrer determinada violência ou ameaça. São
aquelas situações nas quais algo no ambiente ou no
comportamento das outras pessoas te chama atenção para um
foco específico, mas que ainda não se concretizou.

Usando o exemplo anterior, é aquela situação em que


você desce do taxi e precisa caminhar 100 metros até a entrada
do aeroporto carregando todos os seus pertences. Neste
caminho existem pessoas dormindo na rua, usando drogas em
plena luz do dia e uma pessoa usando uma blusa em pleno
verão e que está parcialmente escondida atrás de um pilar.

76
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Você já entendeu que há uma ameaça em potencial e sua


prontidão mental está em nível laranja, você sabe que algo pode
acontecer a qualquer momento e tem um suspeito: a pessoa
vestindo uma blusa. Aqui você pode simplesmente atravessar
para o outro lado e seguir seu caminho até a entrada do
aeroporto evitando cruzar com o suspeito.

Alto

Este nível é marcado pela confirmação da ameaça. São


as situações nas quais você precisa tomar uma atitude ativa ou
passiva rapidamente. Mantendo o exemplo do aeroporto é
aquele caso que você chegou de taxi e desceu a 100 metros de
distância da entrada e precisa passar por pessoas dormindo na
rua, usando drogas ou com comportamentos suspeitos.

Você identifica uma ameaça potencial: um homem


vestindo uma blusa de frio no verão e parcialmente escondido
atrás de um pilar te observando. Você decide trocar de calçada
para não cruzar com ele, mas ele também cruza e vem em sua
direção dizendo que acabou de sair da cadeia e que quer
conversar rapidinho com você. Diante disso você continua
andando rápido e de forma enérgica diz que não quer conversa
e aumenta a distância entre vocês.

Claramente você passou por um alto risco de ser vítima


de um criminoso, mas devido sua atenção baseada nas cores e
atenção aos níveis de risco e periculosidade tomou as medidas
mais rápidas e firmes necessárias para desestimular a ação do
suspeito.

77
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Altíssimo

É o nível cujo confronto acontece. A ameaça se


concretiza. Esse é o estágio mais perigoso para você. Aqui tudo
acontece muito rápido e as chances de algo ruim acontecer são
grandes. É o caso no qual você chegou de taxi e precisa andar
100 metros até a entrada do aeroporto e precisa passar por
pessoas dormindo na rua, usando drogas ou com
comportamento suspeito.

Você identificou uma ameaça potencial: um homem


vestindo uma blusa de frio no verão e parcialmente escondido
atrás de um pilar te observando, momento em que você decide
trocar de calçada para não cruzar com ele, mas então o suspeito
também cruza e vai em sua direção dizendo que saiu da cadeia
e que quer conversar rapidinho com você.

Você continua a andar rápido e de forma enérgica diz


que não quer conversar e tentar aumentar a distância entre
vocês, porém ele se aproxima e diz estar com uma arma
debaixo da blusa e anuncia o assalto. Agora você está na cor
preta de prontidão mental, precisa decidir rápido o que fará:
reagir, correr, tentar desarmá-lo (ações ativas) ou tentar mantê-
lo calmo e entregar a carteira (ação passiva). Aqui há um
altíssimo risco de você sofrer danos graves.

78
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

CÍRCULO DE DEFESA
AS 07 CAMADAS QUE COMPÕEM
UM SISTEMA DE DEFESA
EFICIENTE

“Aquele que se empenha a resolver as dificuldades resolve-as


antes que elas surjam. Aquele que se ultrapassa a vencer os
inimigos triunfa antes que as suas ameaças se concretizem”.
Sun Tzu

79
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Um bom sistema de autodefesa é criado por camadas


que impedem que o criminoso consiga seu atingir seu objetivo.

Estas camadas são criadas para dificultar e desestimular


a ação do criminoso que avalia que as dificuldades e os riscos
aos quais ele estará sujeito são muito altos em relação ao
benefício pretendido.

Importante observar que quanto mais distante a camada


estiver de você, maior será sua segurança e menores serão os
seus riscos. Portanto o objetivo é criar camadas eficientes o
suficiente para evitar que o criminoso consiga ultrapassá-las.

1. Conhecimento consciente da realidade do ambiente e


do modus operandis do criminoso

Esta é a primeira camada do círculo de sobrevivência que


consiste na prevenção que é o meio mais seguro e eficiente para
autodefesa. Trata-se do conhecimento do ambiente, dos sujeitos
de um crime e das táticas preventivas.

Ambiente:

. Quais dias e horários mais perigosos em determinado local?

. Quais são os pontos de vulnerabilidade (casa, empresa)?

. Qual rota é mais segura e qual a mais arriscada?

80
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Qual o melhor lugar para se proteger durante uma situação


crítica?

Criminoso:

. Quais formas de abordagem utilizam?


. Qual o perfil do criminoso?
. Como agem?
. O que temem?
. O que desejam?
. O que lhes desperta o interesse?

Quanto mais informações você conhecer sobre as


variáveis do ambiente e dos criminosos, mais condições de criar
um planejamento de segurança eficiente.

2. Obstáculos físicos

São as barreiras físicas que impedem ou dificultam a ação


criminosa. Normalmente são instrumentos que são instalados
em casas, empresas ou carro, por exemplo:

. Cerca elétrica;
. Arames nos muros;
. Sistema de vigilância eletrônica;
. Alarmes;
. Bloqueadores de combustível;
. Travas de volante e câmbio;
. Cão de guarda;
. Grades em janelas e entradas;

81
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Iluminação inteligente;
. Portões e trancas maciças.

O criminoso busca o alvo mais fácil e com o maior lucro


possível, quanto maior o grau de dificuldade e o risco de ser
preso, identificado ou ferido, menor é a motivação para o
crime.

O criminoso odeia ser surpreendido, por isso um alarme


que soa ou um cão que late podem ser suficientes para
desmotivar a continuidade da ação criminosa, pois ele perde o
efeito surpresa.

As grades, portões, trancas robustas, travas de volante e


de câmbio vão atrasar o criminoso que está preocupado em agir
rápido, pois quanto mais tempo durar ação criminosa, maior o
risco de ele ser visto. O cão de guarda além de alertar a
presença de um estranho coloca a integridade física do
criminoso em risco.

Os obstáculos são camadas preventivas importantes


para desestimular a ação do criminoso, mas se a chance de
lucro for muito alta o criminoso aceitará correr mais riscos.

3. Hábitos

São os comportamentos adotados diariamente que


dificultam a aproximação e ação de um criminoso, exemplos:

82
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Olhar nas câmeras antes de sair de casa;


. Ligar o sistema de alarme ao chegar e sair;
. Manter os vidros do carro fechados;
. Não atender estranhos no portão;
. Confirmar identificação de prestadores de serviços antes de
abrir a porta da empresa;
. Olhar de tempo em tempo para os lados e para trás para
confirmar que não tem ninguém te seguindo.

Os hábitos são camadas preventivas que por sua conduta


inteligente dificultam a tentativa de aproximação do criminoso.
Lembre-se que a facilidade é um atrativo para o criminoso de
oportunidade. Se houver dificuldade ele se sente inseguro e
simplesmente espera um pouco mais pela próxima vítima
descuidada (a maioria das pessoas).

4. Estado de alerta e prontidão mental:

Trata-se da perfeita união das camadas 1 e 2. É a camada na


qual entramos em alerta mediante um entendimento ou leitura
que fazemos do ambiente e dos suspeitos ao nosso redor
fazendo que com ative nossa prontidão mental no padrão do
semáforo de cores.

Exemplo: você está caminhando num parque e percebe que


há uma pessoa vestida fora do contexto (jaqueta de frio no
verão) escondida atrás de uma arvore te observando. Devido
seu conhecimento da realidade (bandidos observam as vítimas
antes de atacar, a jaqueta serve para camuflar uma arma, se
esconder ajuda a surpreender a vítima) você ativa seu estado de

83
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

alerta mental de cor laranja (eu posso ser assaltado por essa
pessoa em alguns instantes).

Nesta camada ainda trabalhamos dentro do conceito de


prevenção, pois você consegue se antecipar à ação do
criminoso.

5. Resposta rápida evasiva

É a atitude tomada com urgência para evitar um fato com


alta probabilidade de ocorrer. Você identificou uma ameaça em
potencial com grandes chances de se concretizar caso você não
crie um distanciamento da zona de perigo ou da pessoa
suspeita. Neste ponto você entrou em estado de alerta devido
ao seu entendimento do modus operandis do criminoso e agora
precisa tomar uma atitude.

Usando o exemplo anterior: você caminha em um parque e


percebe que há uma pessoa vestida fora do contexto (jaqueta de
frio no verão) escondida atrás de uma arvore te observando.
Temendo a grande probabilidade de ser assaltado você muda
de caminho para aumentar a distância entre vocês.

Note que, mais uma vez, uma camada está ligada a outra,
ou seja, para que ter uma resposta rápida evasiva é necessário
que você esteja em um estado prontidão mental adequado.

84
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

6. Negociação

Agora você está a poucos instantes do perigo se concretizar,


esta é a última camada antes de um confronto franco ou crime e
evitar o confronto já não depende mais apenas de você.

Exemplo: Você está dirigindo seu carro quando, de repente,


leva uma fechada brusca de outro motorista, você desce
nervoso do carro e começa e a ofender o outro condutor que
também desce e vai ao seu encontro iniciando uma discussão
intensa.

Você percebe que o risco de o confronto acontecer é alto e


decide evitá-lo mediante negociação, você muda o seu tom de
voz e argumenta que nenhum deles teve culpa e que ambos
devem prestar mais atenção. Lembre-se que dependerá do
outro sujeito aceitar sua negociação e mudar o rumo do conflito
iminente.

7. Combate

Entrar nesta camada de defesa significa que todas as outras


falharam. Este é o ponto mais perigoso e difícil de resolver, pois
você não dependerá apenas de suas habilidades físicas, mas de
uma série de fatores que determinam o resultado de um
combate.

Esta é a camada que as pessoas imaginam quando falamos


em autodefesa, porém ela é apenas a mais frágil e perigosa

85
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

entre as sete camadas de sobrevivência. Imagine o exemplo


anterior:

Você está dirigindo seu carro e leva uma fechada brusca de


outro motorista, você desce do carro e começa a ofender o outro
condutor que também desce e se inicia uma discussão intensa.
Você analisa que existe um alto risco de o confronto acontecer e
decide evitá-lo mediante negociação. Você muda o seu tom de
voz e argumenta no sentido de que nenhum deles teve culpa e
que ambos devem prestar mais atenção, porém o outro
motorista não aceita a negociação e te ataca com socos, chutes
ou então saca uma faca. Neste instante você vai ter que usar
todo seu treinamento específico para enfrentar o combate corpo
a corpo.

86
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

07 FATORES DETERMINANTES
PARA VITÓRIA EM UM COMBATE

“O que você sabe não tem valor; o valor está no que você
faz com o que sabe”. Bruce Lee

Muitas pessoas acreditam que para se vencer um


combate basta ser mais forte fisicamente do que seu inimigo.
Esse é um grande equívoco. Claro que força física é um fator
importante, mas há outros fatores muito mais relevantes para
autodefesa.

Vamos abordar os setes principais fatores que


determinam as chances de sucesso de um sistema de autodefesa
eficiente. Os fatores estão classificados por ordem de
importância para que você tenha uma visão clara de cada um,
sendo o fator número um o mais importante.

87
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

07. Vantagem física individual

Aqui podemos destacar a composição física, como


altura, força física, volume muscular, velocidade de
movimentação, resistência a dor e jovialidade.

Esse é um fator que deve ser considerado em um


combate real, embora não seja o mais importante. Uma pessoa
pequena, fraca, doente ou em idade avançada estará claramente
em desvantagem em um confronto corpo a corpo contra
alguém que seja superior nestes quesitos físicos. Trata-se de
biologia. Um organismo mais jovem, saudável e mais forte
quase sempre vencerá outro mais fraco.

Situação hipotética 01:

Sujeito A: Um homem idoso, porte físico pequeno e sem


conhecimentos relevantes em autodefesa.

Sujeito B: Um homem jovem, porte físico grande e sem


conhecimentos relevantes em autodefesa.

Confronto corpo a corpo entre sujeito A e B:

Resultado provável: sujeito B vence o combate com facilidade.

Neste caso específico, o sujeito A deve evitar um


combate direto no qual ele está em desvantagem. Ele deve se
valer de um dos outros seis fatores que falaremos a seguir.

88
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

06. Vantagem numérica

O fator vantagem numérica é o sexto mais importante


em um combate real. Muitas vezes um exército ou um grupo de
pessoas mais fracas podem vencer um adversário muito mais
forte e poderoso que está em desvantagem numérica.

Situação testada 01:

Sujeito A: homem jovem, porte físico grande, sem


conhecimentos relevantes em autodefesa.

Sujeito B: grupo de três homens de meia-idade, porte físico


pequeno, sem conhecimentos relevantes em autodefesa.

Discussão e confronto físico entre sujeito A e B.

Resultado obtido: sujeito B vence 90% das vezes.

O fator quantidade quase sempre prevalecerá, pois,


mesmo sendo inferiores individualmente, a vantagem numérica
aumenta a capacidade de combate do grupo de forma
exponencial.

Neste caso específico, o sujeito A deve identificar que


um grupo, ainda que formado por pessoas fisicamente
inferiores, possui um fator mais importante do que porte físico,
a quantidade, por isso, deve tentar esfriar a discussão e evitar o
combate ou simplesmente usar seu maior vigor físico para
fugir.

89
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Contrariando os resultados:

As chances do sujeito A vencer esse combate estão


ligadas diretamente a sua capacidade de conseguir anular o
grupo, ou seja, não enfrentar todos de uma única vez, mas sim,
um por vez fazendo seu vigor físico prevalecer sobre cada
agressor individualmente.

05. Vantagem poder de contundência

Trata-se das armas ou qualquer objeto que possa ser


utilizado como instrumento que potencialize os ataques e as
defesas, tais como: lâminas, bastões, martelos, garrafas
quebradas, barras de ferro e tesouras, exceto as armas de fogo
que se enquadram em outro fator de vantagem. Classificamos
estas armas como potencializadores, pois elas aumentam muito
a capacidade de ataque e defesa em combate.

O homem na pré-história fazia uso somente das suas


defesas naturais, como punhos, unhas e dentes para lutar com
um inimigo ou predadores naturais.

Entre o período paleolítico e a pré-história começaram a


surgir as primeiras armas de madeira e pedra lascada para
defesa e ataque, como o uso de um galho como prolongamento
de suas mãos. Como meio de atacar à distância começou a
utilizar o arremesso de pedras com a mão.

Após ganhar experiência em combate percebeu que se a


pedra fosse lapidada em formas pontudas, cortantes e
perfurantes, ela mataria, aleijaria ou paralisaria um inimigo

90
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

mais rapidamente. As armas foram aperfeiçoadas e se tornaram


facas, espadas, adagas e punhais tornando possível um homem
fraco vencer um combate contra um inimigo mais forte.

Situação testada 02:

Sujeito A: homem jovem, porte físico forte, sem conhecimentos


relevantes em autodefesa e desarmado.

Sujeito B: homem meia-idade, porte físico mediano, sem


conhecimentos relevantes em autodefesa, armado com uma
lâmina.

Sujeito A discute com Sujeito B e inicia-se um confronto físico


entre eles.

Resultado obtido: sujeito B vence 89% das vezes.

Contrariando os resultados:

O sujeito A aumenta suas chances de vitória se


conseguir acertar o primeiro golpe de forma contundente em
uma área vital ou sensível do sujeito B.

Recomendação: O sujeito A deve utilizar seu maior


potencial físico e fugir para criar distanciamento do inimigo, ou
utilizar algum obstáculo entre eles, como um carro ou canteiro
e manter conduta evasiva. Caso a fuga seja impossível deve
proteger suas partes vitais, como cabeça e tronco e tentar
golpear os pontos vitais e sensíveis do corpo do sujeito A.

91
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Situação testada 03:

Sujeito A: homem jovem, porte físico mediano, sem


conhecimentos relevantes em autodefesa e armado com uma
faca.
Sujeito B: dois homens jovens, porte físico mediano, sem
conhecimentos relevantes em autodefesa e desarmados.

Confronto físico entre sujeito A e sujeitos B

Resultado obtido: Sujeito A vence 71% das vezes.

Contrariando os resultados:

O sujeito B aumenta suas chances de vitória quando


consegue efetuar um ataque em conjunto contra o sujeito A.

Recomendação: neste caso específico o sujeito B está em


desvantagem, pois o fator poder de contundência é superior ao
fator quantidade. A recomendação, portanto, é que o sujeito B
busque a fuga rápida para criar distanciamento do agressor.
Caso a fuga seja inviável, pois o inimigo também tem vigor
físico parecido, o sujeito B deve se armar com algum objeto
contundente. Dicas de ação:

. Fuga rápida – criar distanciamento;

. Fazer uso de algum obstáculo como um carro, um trailer ou


entrar em algum cômodo e se trancar;

. Usar algum objeto do ambiente como arma de defesa, como


cadeira, pedra ou uma vassoura;

92
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Proteger suas áreas vitais, como cabeça e tronco e atacar o


agressor em seus pontos vitais e sensíveis.

04. Vantagem técnica.

É o conhecimento técnico de autodefesa e a habilidade


em usar armas próprias ou improvisadas. Neste fator estão
englobados os treinamentos físicos e mentais em sistemas de
autodefesa realista e também artes marciais focadas em
combate.

Uma pessoa bem treinada leva grande vantagem contra


outra não treinada, tornando possível superar um inimigo mais
forte, um grupo maior e uma pessoa armada com uma faca ou
bastão.

Sujeito A: homem de porte físico mediano, desarmado e com


conhecimentos relevantes em autodefesa.

Sujeito B: homem de forte físico mediano, desarmado e sem


conhecimentos relevantes em autodefesa.

Sujeito C: homem de porte físico mediano, armado com uma


arma branca e sem conhecimentos relevantes em autodefesa.

Sujeito D: dois homens de porte físico mediano, desarmados e


sem conhecimentos relevantes em autodefesa.

Sujeito E: dois homens de porte físico mediano, armados com


uma arma branca e sem conhecimento relevante em autodefesa.

93
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Situação testada 04:

Combate franco entre sujeitos A e B.

Resultado obtido: Sujeito A vence em 91% das vezes.

Situações testadas:

05.Combate franco entre sujeitos A e C.

Resultado obtido: A vence 72% das vezes.

06. Combate entre sujeitos A eD.

Resultado obtido: A vence 76% das vezes.

07. Combate entre sujeitos A e E.

Resultado obtido: A vence 50% das vezes.

O fator vantagem técnica se mostra mais importante até


mesmo do que ter uma arma branca ou estar em vantagem
numérica, entretanto, é extremamente importante levar em
consideração que a soma e a intensidade dos demais fatores
podem suprimir essa vantagem, por exemplo:

94
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Superioridade numérica muito elevada (a cada novo sujeito


adicionado as chances diminuem exponencialmente).

. Superioridade numérica + superioridade física + uso de armas


brancas (você deve somar todos esses fatores ao ponto que
ultrapassam o potencial individual armado ainda que com
conhecimentos relevantes em autodefesa). Por exemplo:

Situação testada 08:

Sujeito A: homem forte, armado com uma arma branca com


conhecimentos relevantes em autodefesa.

Sujeito B: sete homens fortes, armados com facas e bastões sem


conhecimentos relevantes em autodefesa.

Confronto entre sujeitos A e B.

Resultado obtido: B vence 83% das vezes.

03. Vantagem poder de fogo

Com a evolução do conhecimento humano, os chineses


desenvolveram a pólvora originando uma revolução na
capacidade militar e de combate com o surgimento das pistolas,
canhões e mosquetes que eram capazes de lançar um projétil a
grande distância contra o inimigo de forma mortal.

A arma de fogo mudou a forma de combate tanto nos


campos de batalha quanto no cenário urbano. Com a arma de
fogo se consegue atingir mortalmente um inimigo a grande
distância, o que é uma grande vantagem, pois além de se

95
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

manter seguro de um ataque inimigo, consegue-se atacar com


máxima contundência.

Você já deve ter escutado alguma destas frases:

“Depois que inventaram a pólvora não existe problema sem solução”.


Alexandre Scheibel.

“Abraham Lincoln tornou os homens livres, mas Samuel Colt os


tornou iguais”. Desconhecido.

“Depois que inventaram a pólvora não existe homem valente”.


Desconhecido.

O uso da arma de fogo rompe uma barreira histórica no


modo de lutar, as frases acima mostram uma ideia geral de que
com uma arma, você pode vencer um homem mais forte,
valente ou em maior número mesmo você sendo mais fraco.

Mas não pense que basta ter uma arma de fogo que
todos os seus problemas estarão resolvidos ou que você se
tornará invencível. Como dito, em um combate real muitos são
os fatores que determinam a vitória e por mais vantajosa que a
arma seja ela não te garante êxito em todos os cenários.

Situações testadas:

Sujeito A: homem de porte físico mediano, armado com uma


arma de fogo e com conhecimentos relevantes em autodefesa.

Sujeito B: homem deporte físico mediano, desarmado e sem


conhecimentos relevantes em autodefesa.

96
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Sujeito C: homem de porte físico mediano, armado com uma


faca e sem conhecimentos relevantes em autodefesa.

Sujeito D: homem de porte físico mediano, desarmado e com


conhecimentos relevantes em autodefesa.

Sujeito E: homem mediano, armado com um bastão e com


conhecimentos relevantes em autodefesa.

Sujeito F: cinco homens de porte físico mediano, desarmados e


sem conhecimento relevante em autodefesa.

Sujeito G: cinco homens de porte físico mediano, armados com


facas com conhecimento relevante em autodefesa.

Confronto franco entre os sujeitos iniciando o combate a 01


metro de distância.

09. A x B: A vence 95% das vezes.

10. A x C: A vence 70% das vezes.

11. A x D: A vence 71% das vezes.

12. A x E: E vence 78% das vezes.

13. A x F: F vence 81% das vezes.

14. A x G: G vence 100% das vezes.

Confronto franco entre os sujeitos iniciando o combate a 03


metros de distância:

15. A x B: A vence 96% das vezes.

97
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

16. A x C: A vence 92% das vezes.

17. A x D: A vence 88% das vezes.

18. A x E: A vence 80% das vezes.

19. A x F: A vence 50% das vezes.

20. A x G: G ganha em 71% das vezes.

Confronto franco entre os sujeitos iniciando o combate a 6,4


metros de distância.

21. A X B: A vence 99% das vezes.

22. A X C: A vence 99% das vezes.

23. A X D: A vence 97% das vezes.

24. A X E: A vence 96% das vezes.

25. A X F A vence 94% das vezes.

26. A X G: A vence 93% das vezes.

Conclusões importantes:

Um homem armado com uma arma de fogo com a


manutenção em dia e com as munições ideais, bem treinado e

98
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

com conhecimentos relevantes tem o seu ápice de vantagem


quando está a mais de 6,4 metros de distância durante um
confronto, sendo os demais fatores facilmente vencidos, mesmo
que somados, em virtude da vantagem de distância e
contundência. Tal resultado confirma a teoria de Tueller que
diz que um homem bem treinado e armado com uma arma de
fogo gasta cerca de 1,0 a 1,5 segundo para sacar sua arma e
efetuar 02 disparos, tempo suficiente para um homem saudável
percorrer até cerca de 6,4 metros.

Em relação à distância de 03 metros, a arma de fogo


ainda se mostra superior aos demais fatores ainda que
somados, mas tem um percentual de vitórias inferior à longa
distância e perde o combate quando se somam muitos fatores
de vantagem como no caso do sujeito G (cinco homens de porte
físico mediano, armados com facas e com conhecimento
relevante em autodefesa), pois com a diminuição da distância
não houve tempo hábil suficiente para vencer o número
expressivo de inimigos.

No confronto a apenas 01 metro de distância a arma se


mostrou superior, ainda que tenha atingido índices menores de
vitória (71% a 95% das vezes). Assim como ocorreu na distância
de 03 metros, o sujeito com a arma de fogo foi derrotado, porém
desta vez a derrota foi absoluta por causa da pequena distância
de ação contra muitos inimigos com conhecimentos relevantes
em autodefesa e armados com uma faca.

O teste realizado a 6,4 metros corrobora a teoria de


Teuller, mas apresenta resultados diferentes em relação às
distâncias de 01 e 03 metros. Tal diferença se justifica pela
diferente metodologia aplicada no estudo. Enquanto Teuller

99
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

testou o confronto com o sujeito armado partindo da posição


neutra (arma no coldre) e com o inimigo atacando de surpresa,
nós utilizamos o confronto declarado no qual o sujeito armado
estava com a arma em mãos em posição de sobreaviso e
consciente sobre a iminência do combate.

Em um confronto no qual um sujeito está em estado de


alerta e prontidão mental no nível amarelo ou laranja com uma
arma de fogo em ótimo funcionamento e possua bom
treinamento será muitíssimo difícil vencê-lo estando a mais de
06 metros de distância. Nesta situação, a recomendação é tentar
se abrigar rapidamente e posteriormente tentar escapar da zona
de confronto.

A curta distância (menos de 03 metros), tente diminuir


sua massa corporal protegendo seus pontos vitais, como cabeça
e tronco e se aproxime o mais rápido possível do inimigo para
fazer o desarme. É importante que você tenha consciência que o
confronto nestes cenários é extremamente desvantajoso e que
sua probabilidade de vitória é muito pequena ainda que possua
treinamento em autodefesa.

Suas habilidades em dissimular, encontrar o momento


certo e atacar o inimigo de surpresa em regiões vitais enquanto
sai da linha de fogo são suas maiores chances de vitória.

Método de avaliação utilizado:

. Tempo de estudo 25 meses;

100
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Número de testes por situações: 100;

. Sujeito com conhecimento relevante em autodefesa: alunos


com quatro anos ou mais de treinamento regular;

. Sujeito sem conhecimento relevante em autodefesa: Alunos


com menos de dois meses de treinamento regular;

. Modelo de arma de fogo: Pistola elétrica Airsoft AEP Glock


18C CM.030 6.0mm – Cyma;

. Bastão: Cano de PVC medindo 68 centímetros com seu interior


preenchido com água e revestido por espuma;

. Faca: Simulacro medindo 14 polegadas com tinta vermelha


para marcação de contato;

. Neutralização com a arma: foi considerado neutralizado o


sujeito que recebeu dois disparos seguidos ou mais nas regiões
do tórax ou cabeça;

. Neutralização com a faca: foi considerado neutralizado o


sujeito que recebeu dois cortes ou perfurações seguidas ou mais
nas regiões do pescoço, cabeça e tórax e abdômen;

. Neutralização com o bastão: foi considerado neutralizado o


sujeito que recebeu um ataque na cabeça ou pelo menos dois
ataques no braço;

. Neutralização corpo a corpo: foi considerado neutralizado o


sujeito que recebeu dois golpes fortes na região da cabeça ou
um golpe forte na parte genital ou garganta. Também foi

101
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

considerado neutralizado o sujeito que foi dominado por


alguma imobilização ou foi mantido imóvel por mais de sete
segundos ininterruptos.

02. Vantagem ambiental ou estrutural

Aqui temos o ambiente e as estruturas agindo como


meios de defesa e dissuasão. Podemos citar:

. Uma casa com muros altos, um bom sistema de vigilância,


cães de guarda;

. Uma casa dentro de um condomínio fechado com muros altos,


grupo de segurança monitorando o espaço interno;

. Um presídio com muralhas altas, torres com guardas armados,


grades e portões que bloqueiam o perímetro.

A vantagem ambiental e estrutural é utilizada para


desestimular a ação do agressor que sabe que será um alvo fácil
pela distância do alvo, tempo de exposição na ação e pelo risco
de estar em uma posição vulnerável. Não é à toa que com a
criminalidade em níveis cada vez maior em nosso país as
pessoas com melhores condições financeiras optam por
condomínios fechados e investem em sistemas de vigilância

Situações hipotéticas:

Sujeito A: uma quadrilha de 10 homens armados com armas de


alto calibre e sem uso de táticas avançadas.

102
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Sujeito B: uma penitenciária de segurança máxima.

Tentativa de invasão da penitenciária: sujeito A x B

Resultado provável: B vence com facilidade na maior parte das


tentativas. Enorme probabilidade do sujeito A ser preso, ferido
ou morto.

A tentativa de invasão de uma penitenciária, ainda que


os criminosos estejam em vantagem numérica e poder de
contundência altíssima (arma de fogo) é facilmente combatida
por um sistema em camadas que protege e dificulta a ação
criminosa. Os criminosos precisam passar por cada uma das
camadas de proteção da penitenciária até chegar ao seu objetivo
final:

. As câmeras de vigilância mostram a aproximação dos


criminosos, o que evita o efeito surpresa e dá tempo para
acionar apoio policial;

. Em frente da penitenciária os criminosos precisam


neutralizar os guardas armados que ficam nas torres altas e
blindadas;

. Ainda que consigam neutralizar os guardas das torres,


os criminosos precisarão destruir as muralhas feitas de aço e
concreto maciço;

. Ao adentrar a penitenciária terão que arrombar as


grades de ferro que isolam os ambientes.

103
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Os criminosos precisarão de muito tempo e recursos


para conseguir vencer cada uma das camadas da estrutura de
proteção.

Contrariando a probabilidade

A estrutura deve estar em perfeita operação física e


humana para garantir sua superioridade. Sistemas de
monitoramento modernos, mas desativados, guardas
desatentos ou portões abertos são os elos fracos que podem ser
explorados.

01. Vantagem tática operacional

Definição de tática segundo o dicionário Michaelis:

sf. 1 MIL Arte de empregar as tropas no campo de batalha com


ordem, rapidez e recíproca proteção, segundo as condições de suas
armas e do terreno. 2 POR EXT Habilidade ou meios empregados para
sair-se bem de qualquer negócio, empresa, situações cotidianas etc.

Quando falamos em tática, a maior parte das pessoas


pensa no contexto militar, mas se uso vai muito além. Devemos
utilizar a tática em nossa vida pessoal, profissional, esportiva,
relacionamentos e claro na autodefesa.

Tática pode superar a força, a quantidade, as armas e as


habilidades técnicas. A tática pode ser usada de forma

104
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

defensiva ou ofensiva, a primeira foca principalmente em


prevenção, criando um sistema que dificulta a ação do agressor
de tal forma que ele seja desestimulado a agir ou que anule a
sua tentativa, enquanto a segunda visa quebrar o sistema de
defesa do adversário.

Guerra dos 06 dias

Junho de 1967, Israel estava cercado por tropas hostis


que se mobilizaram nas fronteiras ao sul com o Egito, ao norte
com a Síria e a leste com a Jordânia. Ao sul de Israel havia cerca
de 150mil egípcios e a leste e nordeste 300 mil soldados
jordanianos, sírios e iraquianos contra aproximadamente 50 mil
soldados israelenses na ativa. Diante da grande inferioridade
numérica e de equipamentos militares as perspectivas
israelenses eram péssimas.

Israel cercado por centenas de milhares de inimigos que


aguardavam apenas uma ordem para atacar, adotou uma tática
que definiu o resultado da guerra, atacou primeiro.

Em 05 de junho a força aérea israelense lançou uma


ofensiva surpresa contra as maiores bases aéreas egípcias. Em
apenas 03 horas era o fim da força aérea egípcia, antes mesmo
que ela tivesse chance de decolar, ou seja, eliminou os caças
antes deles entrarem em ação. Simultaneamente, as tropas
terrestres de Israel avançaram pelo Sinai, enquanto em
Jerusalém a Jordânia atacava.

Com total superioridade aérea, Israel vence a Jordânia


em menos de um dia, empurrando o inimigo para além do rio
Jordão. Ao Sul, a divisão de tanques comandada por Ariel

105
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Sharon força os egípcios para o Canal de Suez e ao Norte. Israel


assume o controle das colinas de Golã, vencendo os Sírios. Em
apenas 06 dias Israel destruiu todos os seus inimigos imediatos.

Caso Israel tivesse esperado o ataque inimigo


provavelmente seria facilmente destruído, mas ao usar a tática
de atacar primeiro conseguiu atingir seus inimigos
desprevenidos e vencer uma guerra quase impossível. Como
podemos usar o exemplo israelense para nosso dia a dia?

Imagine uma situação na qual você se envolve em uma


discussão de trânsito com duas pessoas que descem do veículo
para te agredir. Você tenta manter uma distância segura entre
vocês e esfriar os ânimos para que não haja um combate franco,
porém, eles querem te agredir a todo custo. Após a tentativa de
evitar o problema você entende que está na iminência de ser
agredido injustamente e quando um deles invade sua distância
mínima de segurança, você desfere o primeiro soco de surpresa
e o derruba. Neste instante o combate fica mais equilibrado
sendo um contra um. Há uma grande probabilidade do

106
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

segundo agressor desistir do confronto por medo, porém caso


ele decida te atacar, será um combate mais fácil de vencer, pois
você igualou o fator numérico.

Não estou dizendo para você sair batendo e agredindo


as pessoas que se aproximam, mas sim te orientando a usar a lei
a seu favor, pois se lembre que você não precisa levar um soco
para poder reagir. Caso você tenha feito de tudo para evitar o
combate, mas este se tornou inevitável e se estiver na iminência
de ser agredido, atacar primeiro pode fazer toda a diferença no
resultado. Exemplo de tática usada para o mal:

Assalto ao Banco Central do Brasil em Fortaleza

O maior assalto a banco da história do Brasil aconteceu


no Ceará entre os dias 06 e 07 de agosto de 2005 (na verdade o
termo correto é furto, pois não houve contanto com nenhuma
vítima). Os criminosos invadiram o banco através de um túnel
que demorou aproximadamente 03 meses para ser escavado. A
estimativa da Polícia Federal foi de que 164 milhões de reais
foram furtados.

A Tática:
A quadrilha alugou uma casa e montou uma empresa
falsa de comercialização de grama sintética (tática para
disfarçar o crime).

107
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

*foto da fachada da empresa falsa

Os criminosos disfarçados de empregados cavaram um


túnel de 80 metros de comprimento por 70 centímetros de
largura e 04 metros de profundidade. O túnel foi revestido com
lona e escorado com vigas de madeira para evitar
desabamentos, contava com sistema de ar-condicionado e
iluminação elétrica.

*fotos da distância do Banco Central e do túnel escavado

Somente as cédulas destinadas à incineração foram


levadas o que torna impossível a identificação do dinheiro
(tática para evitar ser rastreado). Toda essa fortuna foi

108
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

carregada através do túnel em bacias puxadas por cordas em


sistema de roldanas.
O furto cometido em um final de semana e só foi
descoberto no dia 08 de agosto, cerca de quarenta e quatro
horas após a ação dos criminosos (tática para ganhar tempo na
fuga). Após o crime, os bandidos espalharam cal em toda
empresa de fachada para apagar as impressões digitais (tática
para impedir a identificação dos criminosos).
Após o crime a polícia conseguiu recuperar 20 milhões
de reais. Soube-se depois que este dinheiro foi deixado de
propósito para atrapalhar as investigações (tática para despistar
a polícia).
Como isso serve de exemplo para nossa vida?

Entenda que o criminoso busca o maior ganho possível


com o menor risco. No caso do banco Central o risco era muito
alto, mas o lucro também. Por isso, recomendo que tenha mais
privacidade e reserva com as suas informações pessoais.
Diariamente vemos postagens em redes sociais de pessoas
ostentando seus carros, joias, mansões e barcos. Quanto mais
ostentação, mais os criminosos se arriscarão para conseguir o
que quer e como você viu no exemplo acima eles não medirão
esforços para lucrar.

Entenda que até o mais simples assaltante possui uma


tática para cometer seus crimes, por exemplo, quando ele se
esconde atrás de um muro aguardando o morador da casa abrir
o portão para surpreendê-lo e cometer o assalto. Quando você
adota uma tática diária de prevenção você afasta 90% dos
criminosos, pois a maioria deles se enquadra no perfil de
criminoso oportunista já abordado neste livro.

109
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

A questão é: A tática defensiva que você adota


diariamente é mais eficiente do que a do criminoso que cruzará
seu caminho?

Conclusões finais

Há essencialmente sete fatores que determinam a


probabilidade de vitória em um combate urbano. Cada um
destes fatores possui uma escala de valor diferente em relação
ao outro, o que faz com que uma pessoa em uma escala
superior se sobreponha sobre outra na mesma condição em
uma escala inferior.

É necessário levar em consideração a intensidade de


cada fator, pois quando é muito elevada faz com que uma
pessoa em um fator abaixo possa derrotar outra em uma ou
mais escalas acima. Outra questão é a soma dos fatores, quanto
mais fatores somados, maior o potencial e chances de sucesso,
por exemplo:

Um homem jovem, forte, desarmado e com


conhecimentos relevantes em autodefesa entra em confronto
franco com uma dupla de jovens magros, desarmados e sem
conhecimentos relevantes em autodefesa. Resultado provável: o
homem vence com certa facilidade, pois ele conta com um fator
a mais e mais alto na escala.

Esse mesmo homem jovem, forte, com conhecimentos


relevantes em autodefesa e armado com um canivete enfrenta
não mais uma dupla, mas 15 jovens magros, desarmados e sem
conhecimentos relevantes em autodefesa. Resultado mais
provável: O grupo vencerá com certa facilidade.

110
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Note que mesmo o homem tendo um número maior de


fatores, inclusive o de escala mais elevada (conhecimentos
relevantes em autodefesa) o fator quantidade foi capaz de
suprimir todas as vantagens que ele tinha em uma comparação
individual.

111
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

TREINAMENTO TÉCNICO
REALISTA E DIRECIONADO
“Quanto mais eu treino, mais sorte eu tenho”. Arnold Palmer

Quando se fala em defesa pessoal, a maior parte das


pessoas pensa prioritariamente na parte técnica de combate e
defesa. Já discutimos aqui neste livro que a prevenção é a ação
mais segura e eficiente na qual o cidadão dispõe de maior
controle. Quando toda sua estratégia de prevenção falha você
precisa estar preparado para lutar por sua vida.

Todo treinamento é válido? Entramos em um ponto


polêmico e delicado, mas minha responsabilidade com todos os
meus alunos é dizer a verdade: Nem todo treinamento é válido,
apenas aqueles que são realistas podem ajudar a salvar sua
vida. O que é um treinamento realista? Para responder esta

112
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

pergunta quero começar explicando o que não é um


treinamento realista.

Muitas pessoas ainda estão presas nas cenas de filmes


de Hollywood com os atores correndo pelas paredes, chutando
as armas das mãos dos agressores, chutes acrobáticos e
movimentos de torções mirabolantes. Esqueça tudo isso.
Vivemos em uma era na qual a informação nunca fora tão
acessível, porém a quantidade de informação inútil cresceu na
mesma proporção. Basta uma simples pesquisa no google ou
youtube sobre defesa pessoal e qualquer pessoa com um pouco
de bom senso verá técnicas inacreditáveis que nunca
funcionarão num cenário real.

Como saber se um determinado treinamento é realista


ou fantasioso? Para separar o joio do trigo recorra ao bom
senso, analise se há lógica no que é ensinado.

Como treinar de forma realista e direcionada

Movimentos simples

Quanto mais complicada e difícil for uma técnica,


maiores serão as chances de algo dar errado no momento
crítico, pois além da complexibilidade da situação, você estará
sob forte stress, o que diminui a qualidade e precisão dos
movimentos finos da nossa musculatura.

Movimentos rápidos

Lembre-se que num cenário de violência você não terá


muito tempo para agir, portanto cada fração de segundo é

113
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

crucial. Muita gente se esquece que seu inimigo também agirá


simultaneamente e para cada medida que você tomar ele
tomará uma contramedida para te anular.

O que mais vejo nas aulas de defesa pessoal é a


simulação na qual uma pessoa aplica um soco e ao fazer a
defesa, ela segura o braço do agressor e começa a aplicar
diversos movimentos consecutivos enquanto ele fica parado
olhando tudo acontecer. Na vida real não será assim, saiba que
para cada ação sua, o inimigo terá uma reação em resposta.
Então técnicas nas quais o agressor fica “congelado” enquanto
você aplica uma série de golpes bonitos não são realistas.

Simulação próxima da realidade

Este é um fator muito importante, mas negligenciado


quando o assunto é defesa pessoal realista. Para aumentar as
chances da técnica funcionar você deve criar o cenário mais
próximo possível da realidade. Seu parceiro de treino deve
tentar te anular durante a execução da defesa e oferecer
resistência progressiva. Simule o ambiente mental em questão,
pois além do corpo, você precisa preparar sua mente para lidar
com o cenário específico.

Sinta as emoções que sentiria em uma situação real,


como medo, raiva, angustia, ansiedade, dúvidas e aprenda lidar
com essas emoções. Treinar apenas o corpo e deixar a mente
destreinada é uma falha mortal.

114
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Conhecimentos das distâncias de combate

A distância é um fator extremamente importante em um


combate real. A distância de combate é o espaço físico entre
você e seu inimigo. Bruce Lee ensinou que existem quatro
distâncias de combate, sendo: distancia de chute, soco, trapping
e grappling.

Diante da minha experiência de combate urbano, ouso


acrescentar mais duas distâncias nesse rol e fazer algumas
adaptações.

As 06 distâncias de combate do Sistema Caveira de Defesa


Pessoal e Combate (Krav Maga Caveira – Mestre Wesley
Gimenez)

1. Longa distância (fora de alcance): É a distância na qual


nenhum dos sujeitos se alcançam com ataques físicos. É a
posição mais segura para estar em um combate, longe do
alcance do ataque inimigo! Nesta distância você tem a opção de
correr para o outro lado e fugir do confronto ou mesmo se
armar com algum objeto ao redor para atacar ou se defender.

A longa distância (fora de alcance) favorece a pessoa


com maior capacidade de corrida e habilidades no uso de
armas de fogo, bastões, pedras, enfim armas que podem ser
utilizadas à distância na qual o inimigo não consegue te
golpear.

2. Longa para média distância (longo alcance): Aqui temos a


possibilidade de golpes longos. Nesta distância é possível
golpear o inimigo com movimentos amplos com as pernas

115
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

utilizando os chutes. A vantagem destes golpes é o controle de


distância e a capacidade de ver o ambiente de forma mais
ampla, enquanto as desvantagens são golpes mais lentos e
previsíveis.

3. Média distância (médio alcance): Neste ponto é possível


golpear o adversário com golpes mais rápidos utilizando os
braços, como os socos. A vantagem de golpes de média
distância (médio alcance) é que são golpes rápidos e que geram
pouco desequilíbrio, a desvantagem é a diminuição do tempo
de resposta tendo em vista a menor distância entre os sujeitos e
a diminuição da capacidade visual do ambiente ao redor.

4. Curta distância (curto alcance): É quando os sujeitos estão


muito próximos um do outro, nesta distância os golpes mais
práticos são as cabeçadas, cotoveladas, joelhadas e socos de
ângulos fechados como uppercut (gancho). As vantagens destes
golpes são a velocidade dos ataques e a dificuldade de defesa
devido à proximidade do alvo. A principal desvantagem é a
diminuição da visão espacial por causa da proximidade com o
inimigo.

5. Sem distância (agarrada em pé): Aqui não existe mais


distância entre os sujeitos. Um está em contato direto com o
outro, por isso, golpes longos como chutes são inaplicáveis. Os
golpes mais eficientes são as imobilizações, quedas e pontos de
pressão que podem causar sérios traumas e lesões.

A vantagem desta distância é a possibilidade de vencer


o combate sem a necessidade de machucar gravemente o
inimigo, como imobilizar um bêbado ou agressor de pouco
potencial ofensivo. As principais desvantagens são a

116
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

impossibilidade de lutar contra mais de um inimigo e a


diminuição da visão espacial.

6. Sem distância no solo (agarrada no solo): Esse é o combate


que acontece no solo quando um dos sujeitos aplica uma queda
e o combate se desenrola no solo. Podem ser utilizados socos,
cotoveladas, cabeçadas e imobilizações. A vantagem desta
posição é a possibilidade de imobilização e a capacidade de
neutralizar o inimigo sem precisar machucá-lo, habilidades
importantes para profissionais de segurança e policiais. As
principais desvantagens consistem na impossibilidade de
enfrentar mais de um inimigo ao mesmo tempo e as lesões
causadas pelo piso urbano, como vidro, pedras e etc.

Quem vence um confronto mortal: um leão ou um


tubarão?

A resposta é: depende de onde o combate vai acontecer,


se for em terra o leão vence fácil, se for no mar, o tubarão
vencerá rapidamente. Para ser um sobrevivente urbano mais
completo e preparado, você deve treinar todas estas distâncias.

Em um combate real entre duas pessoas de força física e


técnica equivalente vencerá aquele que conseguir levar a luta
para a distância na qual possui mais habilidade.

Outra habilidade muito negligenciada, mas que é


extremamente importante em um combate real é a habilidade
em se defender e atacar utilizando diferentes armas próprias ou
improvisadas. Vejo diariamente aqui em nossa escola
praticantes que são faixa preta em outras artes que quando
começam a treinar conosco não fazem a mínima ideia de como

117
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

se defender contra uma paulada, garrafada ou facada. Eles


cometem erros iguais às pessoas que nunca treinaram nenhuma
arte marcial.

Habilidade em usar armas diversas para ataque e defesa

Em um combate real seu inimigo vai usar qualquer


instrumento capaz de impor vantagem sobre você, seja uma
faca, uma garrafa quebrada, um bastão ou até mesmo uma
arma de fogo. A maior parte das artes marciais não ensina
como se defender destas ameaças ou ensina técnicas fantasiosas
e irreais.

As armas são instrumentos capazes de anular a


vantagem física, numérica e até mesmo a técnica do seu
inimigo. Um homem bem treinado com um bastão retrátil ou
uma faca terá vantagem contra outro homem ainda que este
seja maior e mais forte.

Diferenças entre luta e combate de rua


Feche seus olhos e imagine uma luta. Pense em todos os
detalhes desta luta, onde está acontecendo? Quantas pessoas
estão lutando? Como estão lutando? Aposto que você pensou
em dois homens lutando com socos, chutes ou imobilizações
não foi? Tenho uma informação para te dar: Se você pensou
desta forma, você ainda pensa como um lutador de tatame ou
competição e não como um sobrevivente urbano!

Deixe-me te contar como é a imagem que tenho quando


penso em uma luta: Três ou quatro homens lutando contra um

118
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

no meio da rua com garrafa, cadeira, faca, socos, chutes e talvez


algumas imobilizações. Gente correndo para todo lado, gritaria,
briga generalizada sem regras e sem nenhuma honra.

Esse é o pensamento de um sobrevivente urbano.


Vamos fazer uma comparação entre luta controlada e um
combate real.

Luta Controlada

Local: tatame, ringue ou octógono, enfim um ambiente


controlado e organizado;

Número de lutadores: dois, sendo um contra um;

Regras: sim, visando preservar o adversário dos golpes fatais e


realmente traumáticos;

Tempo: sim, cronometrado, inclusive com pausa para descanso;

Foco do lutador: 100% no adversário;

Lutadores: mesma categoria de peso, ou seja, sempre um


adversário de porte físico equivalente;

Armas: nenhum tipo é permitido;

Qual o objetivo final: marcar pontos ou vencer o combate para


ganhar um título, medalha ou cinturão.

119
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Combate real

Local: qualquer um, podendo ser a rua, bar, escritório, estádio,


enfim um ambiente hostil desorganizado e não controlado;

Número de lutadores: indefinido, podendo ser vários contra


uma única pessoa;

Regras: nenhuma, não há honra nem preocupação com a


integridade física do inimigo;

Tempo: não há. O combate dura até que o outro seja


nocauteado ou alguém o interrompa;

Foco do lutador: fica dividido entre os inimigos, o ambiente e as


ameaças em potencial;

Lutadores: não existe um perfil, podem ser muito mais fortes,


mais altos, mais jovens e mais ou menos treinados;

Armas: qualquer uma que estiver a disposição no momento,


como um capacete, faca, bastão ou uma arma de fogo;

Qual o objetivo final: sobreviver e preservar ao máximo sua


integridade física ou a de outrem.

Você percebe a grande diferença entre uma luta controla


e um combate real? São mundos totalmente diferentes.
Entender e assimilar essa diferença é primordial para que você
possa treinar com eficiência e atinja sua capacidade máxima em
autodefesa e combate real.

120
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Em uma luta controlada você respeita as regras, enfrenta


uma luta justa e seu foco está 100% no adversário, em um
combate real tudo é incerto. Você pode ter de enfrentar vários
inimigos ao mesmo tempo, seu foco precisa ficar dividido entre
os inimigos e o ambiente, pois na maioria das vezes o ambiente
é hostil, cheio de imperfeições, buracos, piso liso e obstáculos,
como postes, carros e canteiros.

Entenda que para aprender autodefesa você precisa


treinar todos esses fatores do combate real. Infelizmente posso
afirmar que você vai encontrar poucos lugares que te oferecerão
esta preparação, pois o foco da maioria das artes marciais é a
competição, ou seja, a luta controlada.

121
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

USO DA FORÇA E A
PROPORCIONALIDADE

“O mestre disse: Quem se modera, raramente se perde”.


Confúcio

Durante a ação em legítima defesa, você deve observar a


proporcionalidade do uso da força que deverá utilizar de
acordo com cada fase do combate real. Não podemos nos
esquecer dos limites legais amparados pela legislação penal em
seu artigo 25. É importante entender o uso proporcional da
força diante da ameaça ou confronto.

122
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Uso diferenciado de força

Caracteriza-se por ser um processo dinâmico, no qual o


nível do seu emprego pode aumentar ou diminuir de acordo
com as circunstâncias que suscitarão a defesa urbana.

a) Nível primário

É a tentativa de intimidação utilizando-se da linguagem


corporal e comunicação verbal. Durante a tentativa de
aproximação do inimigo você deve utilizar uma postura
corporal confiante aumentando sua envergadura e usar sua voz
de forma firme para alertar o agressor a se afastar.

As variações das posturas e no tom de voz dependem


da atitude do agressor. Em situações de risco é necessário o
emprego de frases curtas e firmes.

Caso real

Em 07 de abril de 2018 na cidade Uberaba/MG durante um


acidente de trânsito ambos os condutores: Eduardo J.D. profissão
desconhecida e Thiago T.S policial civil aposentado, desceram de seus
veículos e iniciaram uma intensa discussão chegando a haver
empurrões entre eles. Eduardo retornou a seu carro e pegou uma faca e
foi em direção a Thiago que correu para trás de seu carro e sacou uma
arma de fogo ordenando que Eduardo jogasse a faca no chão senão
seria “levaria um tiro”. Imediatamente Eduardo cessou a ameaça e o
caso foi solucionado com a chegada da polícia militar.

123
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

b) Nível secundário - Técnicas de menor potencial ofensivo

Controle de contato: Trata-se do uso das suas


capacidades técnicas de defesa pessoal que permitam manter o
controle da distância entre você e o agressor. O uso dos braços
mais alongados e o distanciamento tático são opções de
controle.

Controle físico: É a aplicação das técnicas de defesa


pessoal com um maior potencial de domínio para fazer com
que o agressor seja controlado sem o emprego de golpes
traumáticos ou uso de instrumentos ou armas de defesa
pessoal. Visa desestimular a continuidade da ação por parte do
agressor que não é uma ameaça de alto nível, por exemplo, um
bêbado que mal consegue andar.

Caso real— experiência própria

Em outubro de 2015 eu estava em uma festa e próximo ao


final do evento um dos convidados estava embriagado e começou a
jogar taças no chão como protesto pelo buffet não servir bebidas, pois o
horário de atendimento já havia se encerrado. Parte dos pedaços de
vidro e liquido vieram em minha direção, momento em que chamei a
atenção do bêbado de forma dizendo: “pare com isso, já acabou o
horário da festa e você vai machucar alguém”.
Em seguida o homem se aproximou de mim dizendo: “quem é
você para mandar eu fazer alguma coisa” e outras frases que não
consegui entender causa do seu nível de embriaguez. Neste momento
disse a um familiar que estava ao lado que fosse chamar o segurança
da festa.
Nervoso, o bêbado tentou me empurrar, porém dei um passo
para o lado e ele caiu sozinho. Ao se levantar ele tentou me socar, mas

124
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

desviei e apliquei um estrangulamento conhecido como mata-leão e o


mantive imobilizado até a chegada do segurança que o tirou do local.

Controle com instrumentos de menor potencial ofensivo:

É o uso de instrumentos de menor potencial ofensivo


para controlar um agressor de baixo risco. Visa sua
imobilização ou incapacitação temporária sem resultar em
lesões. Podemos citar o uso de o gás de pimenta (uso restrito
para apenas agentes de segurança) ou gengibre (uso liberado
para civis).

Caso real

Em janeiro de 2016 uma jovem Dinamarquesa de 17 anos foi


atacada sexualmente por um homem que a derrubou e tentou tirar sua
roupa. Durante o ataque, a Dinamarquesa usou um spray de pimenta
contra os olhos do criminoso que imediatamente recuou. A jovem
conseguiu escapar do ataque do abusador que não foi identificado nem
encontrado.

c) Nível terciário — técnicas de médio potencial ofensivo

É o uso de técnicas de defesa pessoal, com ou sem uso


de equipamentos, direcionados a regiões sensíveis do corpo,
como diafragma, costelas, ou coxas com a finalidade de
neutralizar a agressividade do agressor. Deve ser utilizada
quando você ainda está no controle da distância e possui
habilidade de combate claramente superior ao inimigo. Tais
ataques visam desestimular o agressor a continuar sua tentativa
de agressão.

125
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Exemplo: Um profissional de segurança portando uma


tonfa como arma não letal é confrontado por um agressor com
um pedaço de madeira nas mãos. O profissional de segurança
aplica um ataque no braço do agressor visando à contusão do
membro e consequente desarme do agressor.

d) Nível Quaternário — Técnicas de alto potencial ofensivo —


letal

É o uso de todas as suas habilidades em defesa pessoal


com ou sem o uso de equipamentos ou armas direcionadas a
regiões extremamente sensíveis e vitais do corpo como
traqueia, queixo, olhos, área genital e cervical, por exemplo.

Deve ser utilizada como último recurso quando você


perde o controle do combate ou está em desvantagem grave.
Tais ataques visam à aniquilação imediata do agressor que não
te deixou alternativa a não ser agir de forma vigorosa.

Caso real

Em 17 de março de 2019 na cidade de Indiana/SP, a Policia


Militar informou que foi acionada por volta de 1h30 para atender a
uma solicitação de ocorrência de violência doméstica. Ao chegarem ao
local, os policiais militares constataram que a solicitante era uma
adolescente, que de imediato informou que sua mãe havia sido
“severamente” agredida pelo seu pai.

Os policiais militares identificaram o agressor, “o qual se


achava momentaneamente perturbado, em discussão com seu vizinho,
que havia acolhido a esposa agredida”. Ao perceber a presença dos

126
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

policiais militares, segundo a corporação, o agressor passou a


hostilizá-los, recusando-se a submeter-se à busca pessoal ou a entregar
seus documentos.

Questionado sobre a integridade física de sua filha e de sua


esposa, o agressor apossou-se de uma corrente e de um objeto com cabo
de madeira, caminhando na direção dos policiais. Os militares
utilizaram gás de pimenta para tentar conter o indivíduo, contudo, o
artifício foi insuficiente.

Segundo a PM, o homem aproximou-se de um dos policiais e


deferiu-lhe golpes com a corrente, desequilibrando-o, repetindo o ato
agressivo, “motivo pelo qual seu parceiro efetuou disparo com sua
arma de fogo”.
O tiro acertou a barriga do homem e o fez cessar a agressão,
segundo a PM. Após a imobilização, os policiais constataram que o
segundo objeto portado pelo indivíduo era um martelo.

Temos um caso típico de ação bem executada pelos


policiais observando o escalonamento do uso da força ao
primeiro verbalizar, depois utilizar um meio não letal, gás de
pimenta e como último recurso a arma de fogo. Importante
destacar que os policiais cessaram o ataque após o agressor ter
seu potencial ofensivo neutralizado.

É importante entender que o confronto deve ser


resolvido nos níveis iniciais, pois quanto mais a situação se
agravar, maiores serão os riscos e as conseqüências.

É necessário ficar atento à necessidade de diminuir o


potencial de contundência. A escala de força deve reduzir
conforme a capacidade do agressor também reduz.

127
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

RACIOCÍNIO TÁTICO DE
SOBREVIVÊNCIA E COMBATE

“Inteligência é a capacidade de se adaptar à mudança”.


Stephen Hawking

A inteligência é sua arma mais poderosa para


autodefesa. A capacidade de aprender e entender os
mecanismos de funcionamento da ameaça e do combate te
torna muito mais preparado para identificar, prevenir ou agir
eficientemente diante de uma situação crítica.

A inteligência se sobrepõe a força e até mesmo a técnica.


Um planejamento eficiente de medidas de prevenção, tomadas

128
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

de decisões rápidas, análise de riscos, estratégias de combate e


estado de alerta e prontidão mental desestimulam a ação de um
agressor e aumentam a capacidade de tomar decisões rápidas
que são fundamentais para sobrevivência diante de um cenário
critico de combate ou um crime.

Como pensa um sobrevivente urbano

Umas das frases que mais gosto quando penso em


autodefesa é:

“Estar preparado para a guerra é um dos meios mais eficazes de


preservar a paz”. George Washington

Preparação faz parte da prevenção e engloba o potencial


de ataque e defesa, por exemplo, uma casa protegida por um
ótimo sistema de vigilância, cães e com seus moradores
entendendo como funciona o modus operandis do criminoso e
assim adota medidas comportamentais preventivas.

Estar preparado significa investimento diário em seu


condicionamento físico para fugir ou lutar e aprender algum
método de defesa pessoal eficiente para ser usado em casos
críticos.

Na frase de George Washington a prevenção também


significa intimidação por dissuasão, ou seja, o agressor é
desestimulado em praticar algum ato contra você, pois teme os
danos que pode sofrer em virtude de identificar seu grande
potencial de defesa e ataque. Lembre-se que o agressor e o

129
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

criminoso também têm algo a perder, sua liberdade,


integridade física ou sua própria vida.

Ao sair de casa trace um mapa mental do seu percurso e


identifique os locais de maior risco e os principais tipos de
ameaças. Planejar sua rota e conhecer os locais mais perigosos o
manterá em um estado de alerta e prontidão mental na cor
amarela.

Um sobrevivente assume o compromisso por sua


segurança, não gasta seu tempo procurando culpados e não a
deixa nas mãos do Estado. Frases do tipo: “não me preocupo
com assalto, isso é problema para polícia resolver”, ou
simplesmente “Fui assaltado porque a polícia não patrulha esta
área etc.” são utilizadas por pessoas que querem terceirizar sua
segurança e perdem o controle da sua autodefesa.

Assuma a responsabilidade por sua segurança e o


compromisso em adotar um sistema de autodefesa eficiente.
Tenha uma visão realista e antecipada das ameaças potenciais.
Entenda que você está, literalmente, sozinho na multidão e que
ninguém vai te ajudar.

É provável que você conheça casos de roubos ou


agressões que aconteceram em plena luz do dia aos olhos de
todos, mas ninguém ajudou a vítima. Aprenda a depender cada
vez mais de você e menos dos outros.

130
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Rotina a sua maior inimiga

A rotina é uma grande vilã da autodefesa que te torna


desleixado, pois dia após dia nada de ruim te acontece, assim
você baixa sua guarda e o pensamento “isso nunca aconteceu
antes”, “nunca vai acontecer comigo”, “já fiz isso mil vezes e
nunca aconteceu nada”, começam a dominar seu subconsciente
ao invés de “talvez hoje eu tenha que salvar a minha vida”.

Infelizmente quem vive sem um planejamento e um


comportamento adequado acabará um dia cruzando com um
criminoso oportunista e você entrará na estatística do crime.

Conseguir manter diariamente um sistema de


autodefesa é algo que exige muito comprometimento e esforço
consciente. A grande dificuldade é que conforme os dias se
passam sem que nenhuma ameaça real aconteça, nosso cérebro
entra em um processo “automático” que é algo inato ao ser
humano. Você precisa de uma boa dose de esforço consciente
para se manter alerta na ausência de risco imediato.

A questão então é:

. Você consegue permanecer em alerta amarelo durante suas


atividades diárias? Ou sua mente vaga e entra em modo verde
constantemente?

. Você criou o hábito de agir preventivamente mesmo que tudo


pareça tranquilo e não haja nenhuma ameaça imediata?

. Com que frequência você ignora seu sistema de defesa por


pensar: “vai ser rapidinho”?

131
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

A rotina além de desgastar seu sistema de defesa,


favorece o criminoso que consegue estudar seu padrão de
comportamento, seu trajeto, quanto tempo gasta, qual o
momento você está mais vulnerável e como você se posiciona
no ambiente.

Pensamento tático

Pensamento tático é o método de análise do ambiente ao


seu redor. Consiste em mapear as diferentes áreas e sujeitos em
função dos riscos avaliados, identificar locais seguros para
proteção e focar em pontos que demandem maior atenção para
evitar ser surpreendido.

Enquanto o preparo mental ocorre antes da atuação e se


baseia numa análise de possibilidades, o pensamento tático se
baseia em um diagnóstico que utiliza os dados e informações
concretas obtidas por meio da avaliação de riscos de um
acontecimento específico potencialmente perigoso.

O pensamento tático somado à análise de riscos oferece


a melhor opção de resposta diante de um conflito.

Os 04 pilares do pensamento tático de combate

Área de segurança

É a área que possui potencial de proteção para se


defender ou atacar diante de uma situação crítica. É o lugar

132
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

onde você tem o domínio da situação. É o espaço onde buscar


durante uma ameaça potencial, evitando se expor aos perigos
desnecessários.

Exemplo: Uma parede grossa de concreto na qual você


pode se abrigar durante um tiroteio.

Área de perigo

É o local onde há ameaças potenciais ou reais que


coloquem sua integridade física em risco. É o espaço no qual
você não detém o domínio da situação.
Exemplo: O espaço entre a área de segurança e o
criminoso atirando. Podemos citar também os locais de
reputação criminosa conhecida, como áreas de tráfico, furto ou
roubo. Você só deve entrar nestes locais em casos estritamente
necessários e deve permanecer pelo mínimo de tempo possível.

Pontos críticos

Os pontos críticos são partes dentro da área de perigo


que exigem monitoramento específico e requerem sua atenção
imediata, pois são deles que podem surgir ameaças que
representem risco à sua segurança e integridade física. Os
pontos críticos podem ser locais ou sujeitos.
Exemplo: Ao caminhar por uma área conhecida pelos
furtos de usuários de drogas você identifica um suspeito que
está em sua rota te observando fixamente (temos aqui a área de
perigo: local conhecido por furtos e o ponto crítico: o usuário te

133
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

observando). Sua concentração deve estar, portanto, no sujeito


potencialmente perigoso.

Pontos quentes

Os pontos quentes são partes dos pontos críticos que


devem ser prioritariamente observados por possuir maior
potencial de se tornarem fontes reais de agressão. Você deve
direcionar sua atenção, energia e habilidade para esses pontos a
fim de responder à ameaça de forma eficaz e rápida. A
avaliação dos pontos quentes decorre da avaliação dos pontos
críticos.

Exemplo: Policiais abrigados atrás da viatura em um


confronto armado contra um criminoso escondido atrás do seu
carro.

. Área segura: Atrás da viatura;

. Área de perigo: Espaço entre a viatura e o carro do atirador;

. Ponto crítico: O criminoso;

. Ponto quente: A arma na mão do criminoso.

134
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

TÁTICAS REATIVAS ATIVAS E


PASSIVAS

“O exército pode passar cem anos sem ser usado, mas não pode
passar um minuto sem estar preparado”. Rui Barbosa

Táticas reativas se aplicam quando sua principal linha


de defesa falhou: A prevenção. O criminoso conseguiu te
surpreender e você literalmente foi pego de calças curtas, agora
o bandido está em vantagem em relação a você.
Trata-se daquele momento que o bandido te aborda
anunciando o assalto ou quando ele invade sua casa por
exemplo. Nesta fase o risco é muito maior e as opções de defesa
são muito menores. Você tem duas opções:

135
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Reagir ativamente
É o enfrentamento ativo da ameaça. É quando você
toma uma atitude enérgica contra o agressor visando tomar o
controle total da situação. É um conceito simples de entender,
pois é aquele momento que um ladrão anuncia um assalto ou
simplesmente puxa seu celular das suas mãos e você entra em
luta corporal com ele para recuperar seu pertence.
Esta é a fase de maior perigo, pois você terá que reagir
contra alguém que te surpreendeu e está no controle.
Reagir passivamente
Engana-se quem pensa que reagir passivamente é
simplesmente não fazer nada e deixar as coisas acontecerem
sem nenhuma interferência física ou guiada ficando à mercê do
agressor.
Na reação passiva você não age ostensivamente contra
uma ameaça, mas se posiciona tentando contornar o problema
visando minimizar os riscos.
Exemplo: você caminha por um parque e é
surpreendido por um assaltante armado com canivete que quer
roubar o seu celular. Você pensa que logo à frente existe uma
base policial e que será mais seguro demonstrar submissão e
permanecer o mínimo de tempo possível sob domínio do
assaltante que pode tentar algo mais grave caso você demonstre
interesse em escapar ou reagir.
Embora você não tenha reagido energicamente contra os
criminosos, analisou a situação em que se encontrava e adotou

136
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

a atitude de maior margem de segurança pessoal. Você


identificou que a melhor reação era justamente não reagir.
Outro exemplo é o caso em o assaltante após roubar seu
celular, ao invés de fugir, ordena que você o acompanhe até um
prédio vizinho abandonado. Você precisa pensar rápido e
calcular se o risco em tentar fugir ou entrar em luta corporal é
maior ou menor do que aceitar ser levado até um local
desconhecido e possivelmente ser morto. Nesta pequena fração
de tempo sua decisão decidirá seu destino.
Você pode estar se perguntando: Mas como vou saber
quando devo reagir ativa ou passivamente? Infelizmente não
existe uma fórmula exata para isso. Não há uma receita pronta.
O que posso te garantir é que existem indícios que te ajudam a
determinar a probabilidade de algo ser mais ou menos grave.
Você deverá agir diante da melhor probabilidade e
também de seus instintos treinados.

137
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

MEDO

“Acho que é mais corajoso quem vence seus medos do que quem
vence seus inimigos, porque a vitória mais difícil é sobre sí
mesmo”. Aristóteles

Recebo diariamente muitas perguntas do tipo: como


posso controlar o medo? Porque em uma situação de perigo ou
ameaça eu fico paralisado?

Se você se identifica com essa pergunta, fique tranquilo,


pois você não está sozinho. A maioria das pessoas não sabe
lidar com situações repentinas de stress, como um assalto ou
uma ameaça, mas anime-se, pois a boa notícia é que isso é
absolutamente treinável.

Definição de medo segundo o dicionário Michaelis:

138
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

1. Estado psíquico provocado pela consciência do perigo, real ou


apenas imaginário, ou por ameaça;

2. Receio de ofensividade irracional; temor;

3. Receio de ofender, de causar mal ou de que ocorra algo


desagradável”.

Porque sentimos Medo? Sentimos essa emoção forte,


como um sinal latente de alerta contraprováveis ameaças que
podem nos trazer algum tipo de malefício. O medo é um
instrumento de autodefesa que está presente desde a origem do
ser humano.

Antigamente o ser humano estava sujeito a muitos tipos


de ameaças, como animais selvagens. Sua sobrevivência diante
de um predador dependia do quão rapidamente ele conseguia
identificar essa ameaça.

O cérebro humano desenvolveu mecanismos para


aperfeiçoar sua sobrevivência, portanto, o medo tem a função
principal de nos proteger e chamar nossa atenção para um risco
iminente.

Como o medo age biologicamente

O cérebro humano é um órgão extremamente complexo,


dentre as inúmeras estruturas que compõe o nosso cérebro
podemos destacar a amígdala que se localiza no sistema

139
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

límbico que é responsável por controlar as emoções, como


raiva, medo e o instinto de sobrevivência.

A amígdala é responsável por checar tudo o que


acontece no exterior e interior do nosso corpo e caso identifique
alguma anormalidade ou ameaça ela transmite ao hipotálamo
um sinal ao sistema endócrino que o faz produzir uma série de
reações químicas que liberam hormônios com o intuito de
capacitar o corpo para uma fuga ou combate.

Dentre os hormônios liberados se destacam a


noradrenalina, cortisol e a adrenalina. Estes hormônios são
rapidamente liberados e causando as seguintes alterações
físicas:

. Dilatação da pupila: O que faz aumentar a captação de luz,


portanto, aumenta a capacidade visual favorecendo a visão do
ambiente e de possíveis agressores em um local escuro;

. Aumento da frequência cardíaca e pressão arterial: O que


aumenta a irrigação muscular e consequentemente melhora a
velocidade da contração muscular, tornando o corpo mais
rápido, forte e explosivo, potencializando as habilidades em
correr e lutar. Com o aumento dos batimentos cardíacos a
respiração torna-se ofegante e mais curta o que causa a
dilatação dos brônquios e aumenta a obtenção de maior volume
de oxigênio;

. Liberação de glicose pelo fígado para aumentar a energia dos


músculos;

140
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Diminuição do fluxo sanguíneo das extremidades do corpo,


como dedos, pele e do intestino, o que o aumenta a
disponibilidade de sangue para os músculos e diminui um
possível sangramento em caso de ferimentos superficiais;

. Aumento do número de glóbulos vermelhos na corrente


sanguínea potencializando a oxigenação do corpo em geral;

Quais os benefícios desta tensão de combate

O medo causa efeitos positivos e negativos que


modificam nossa capacidade técnica de sobrevivência. Os
principais efeitos relatados por policiais, soldados em guerra e
pessoas comuns durante momentos de grande tensão, baseado
no estudo da doutora Alexis Artwohl, coautora livro Deadly
Force Encounters, que entre 1994 e 1999 entrevistou 157
policiais americanos que passaram por um tiroteio foram os
seguintes:

. 7% relataram paralisia / congelamento temporário;

. 17% tiveram a percepção do tempo transcorrer em velocidade


maior do que a verdadeira;

. 21% informaram distorções auditivas, visuais e de memória;

. 26 % experimentaram pensamentos introspectivos;

141
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. 39% relataram um estado de dissociação ou irrealidade;

. 46% não se lembram do próprio comportamento;

. 52% não se recordam de parte do evento;

. 62% perceberam o tempo em câmera lenta;

. 71% relataram embranquecimento visual (branco);

. 74% informaram pouco ou nenhum pensamento consciente;

. 79% relataram a visão em túnel;

. 84% tiveram exclusão auditiva.

Encontramos outro estudo muito importante sobre os


efeitos do medo e as reações físicas no livro Sharpening the
Warrior’s Edge: the psychology and Science of training escrito
pelo pesquisador Bruce K. Siddle.

O estudo mostra que quando uma ameaça é identificada


ela ativa o Sistema Nervoso Simpático (SNS) que imediata e
independentemente decide qual a ação o corpo tomará, como
fugir ou lutar.

Segundo os estudos de Siddle existe uma relação muito


próxima entre a percepção da ameaça e a aceleração dos
batimentos cardíacos durante a reação de sobrevivência.

Siddle demonstrou ocorrer alterações específicas no


corpo durante a variação dos batimentos cardíacos, tais como:

142
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Entre 115 e 145 BPM

. Diminuição da habilidade motora fina. São habilidades físicas


que envolvem a coordenação de pequenos músculos, como os
das mãos, dedos ou pés. São extremantes importantes para
ações como atirar, dançar, pintar ou golpear um alvo específico
em um inimigo, como o queixo, olhos ou testículos.

. Aumento da habilidade motora grossa. São as habilidades


físicas que envolvem grupos de músculos grandes que geram
maior capacidade de força, como pernas, peito, costas e braços.
São importantes para correr, empurrar, saltar ou chutar.

Entre 145 e 170 BPM

. Diminuição da capacidade auditiva. Nesta faixa dos


batimentos cardíacos o cérebro altera o funcionamento da
audição, por isso, é muito comum vermos relatos de pessoas
que disseram não ouvir com clareza um grito ou aviso durante
uma situação de ameaça ou tensão.

Entre 170 e 185 BPM

. Visão de túnel. É a diminuição da visão periférica que


limita o campo visual a um túnel que se estreita até um ponto
específico. A pessoa perde a capacidade de enxergar o ambiente
de forma ampla e todas as possíveis ameaças por se concentrar
em um ponto específico prejudicando a autodefesa, pois podem

143
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

surgir outros inimigos que não serão identificados até que


estejam muito próximos;

. Perda de percepção de profundidade. O que dificulta a


identificação precisa da distância real do agressor ou da ameaça
prejudicando a reação precisa dos movimentos de defesa ou
ataque. Isso pode ocasionar um erro no tempo da defesa contra
um ataque com faca, por exemplo;

. Perda temporária da memória. É o esquecimento


momentâneo dos fatos que acabaram de acontecer. Muito
comum principalmente após ferimento ou traumas sérios.

Entre 185 e 230 BPM

. Hipervigilância. É a alteração no sistema de percepção e dos


mecanismos cognitivos. Ocorre o aumento da atenção focada e
pode gerar comportamentos desproporcionais em relação à
realidade. Neste estado é comum o congelamento físico e
mental, comportamento submisso, fuga irracional ou até
mesmo erro de identificação de uma ameaça tal qual confundir
uma furadeira com uma arma de fogo durante um confronto
policial.

Acima de 250 BPM

. Ocorre a perda da consciência. Em virtude do grande


aumento da respiração a pessoa entra em estado de
hiperventilação na qual o oxigênio e o gás carbônico ficam em
concentrações inadequadas para o sangue levando a pessoa ao
desmaio.

144
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Podemos notar que mais de 70% dos policiais sob tensão


tiveram problemas visuais e auditivos, seja pelo
embranquecimento, pela visão de túnel ou perda de audição,
além da diminuição considerável da habilidade motora fina.

Quando analisamos profundamente essas respostas


negativas entendemos o quanto é grave e complexo, pois em
um confronto contra um ou múltiplos inimigos dependemos
quase que exclusivamente da visão para identificar as ameaças
e oportunidades e da nossa habilidade motora fina para efetuar
um disparo certeiro ou acertar um golpe em um ponto sensível
do corpo do agressor para tirá-lo de combate.

Esse entendimento de como o seu corpo reagirá diante


de situações críticas é muito valioso para que possamos treinar
nosso corpo e mente para diminuir os efeitos negativos que
iremos sofrer. Podemos melhorar nossa preparação técnica e
mental através de treinamentos que envolvam simulações que
nos coloquem próximos a situações reais tanto física como
psicologicamente.

Medo é ruim?

Podemos afirmar que o medo é bom, desde que


saibamos dimensionar racionalmente sua origem e
complexidade. O medo, portanto, nos torna mais rápidos,
fortes, imunes a determinado níveis de dor e nos prepara para
fugir de uma ameaça mortal ou para lutar por nossa vida.

145
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

O principal problema é quando nos deparamos com o


medo irracional ou o medo exagerado, estes sim são muito
maléficos para o ser humano e em especial para nossa
capacidade de autodefesa.

O medo racional é fruto das percepções realista que


temos, por exemplo, ao andar em uma rua escura sem nenhum
movimento de pessoas e que sabemos possuir uma alta taxa de
violência. É normal e necessário que entremos no estado de
alerta para que possamos aumentar nossas chances de defesa
caso sejamos surpreendidos.

O medo irracional é a falsa percepção de perigo ou de


baixíssima probabilidade de ocorrer, por exemplo, uma pessoa
que tem pânico de sair de casa com medo de um avião cair em
sua cabeça no meio da rua. Essa forma de medo é muito
maléfica, pois limita muito a qualidade de vida e requer
tratamento médico de acordo com a gravidade do caso.

O medo exagerado é o sentimento desproporcional em


relação ao perigo efetivo, neste caso o perigo existe, mas a
pessoa supervaloriza a ameaça. Podemos usar como exemplo
uma pessoa que sente pânico ao caminhar em plena luz do dia
em uma rua movimentada onde não há registros de violência
ou uma pessoa que tem medo de andar de avião com medo
dele cair, ou seja, existe o perigo de algo acontecer, mas o medo
está sendo exagerado.

146
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Como controlar o medo

Caso você se enquadre no conceito de medo irracional


ou altamente exagerado recomendo que busque auxílio
profissional.

Em relação ao medo racional há algumas estratégias que


podem te ajudar a superá-lo. Sabemos que quando o assunto é
autodefesa ficar paralisado pode ser fatal. Então como podemos
melhorar nossa resposta ao medo?

1. Treinamento mental para o confronto

Você sabia que nosso cérebro não distingue muito bem o


que é realidade e o que é fantasia? Um experimento realizado
pelo professor de neurologia Álvaro Pascual Leone, da Harvard
Medical School demonstrou que a imaginação ativa as mesmas
áreas do cérebro responsável pela ação real.

Em seu experimento ele utilizou voluntários que treinaram


uma sequência simples de música em um piano e foi constatado
aumento da área cerebral responsável por esse tipo de
aprendizado, porém os voluntários que apenas imaginavam a
mesma sequência musical também tiveram a mesma área
cerebral estimulada mesmo sem ter praticado no piano.

Os resultados foram obtidos através de análise por


ressonância nuclear magnética funcional que comprovou o
mesmo estímulo cerebral tanto no grupo que treinou no piano
quanto no que apenas imaginou. Esse estudo mostrou que o
treinamento mental tinha a capacidade de mudar a estrutura
física do cérebro.

147
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Outro experimento que mostra o poder da visualização e do


treinamento mental foi realizado pela universidade americana
de Yale na qual os pesquisadores selecionaram trinta
indivíduos que, em comum, nunca haviam disparado uma
arma de fogo e submetidos a uma prova de tiro obtiveram a
mesma média de acertos. Esses indivíduos foram divididos em
três grupos.

O primeiro praticou tiro por vinte minutos, cinco dias por


semana e durante seis semanas. O segundo grupo durante o
mesmo período de tempo e no mesmo ambiente apenas se
imaginou acertando o alvo reproduzindo na mente os gestos de
atirar. O terceiro grupo, na mesma situação e no mesmo
período, ficou à toa simplesmente brincando com a arma.

Depois de seis semanas os testes de proficiência foram


repetidos. Os dados foram surpreendentes: o primeiro grupo
teve índice de acertos de 83%; o segundo grupo de 82%e o
terceiro manteve a média de antes sem alteração.

Ficou comprovado que os exercícios mentais são quase tão


eficientes quanto o treino prático ao se preparar para um
desafio. O indivíduo pode simplesmente simular na mente a
situação que enfrentará criando e modificando quantas
variáveis conseguir imaginar. Isso é poderosíssimo!

Como podemos aproveitar toda essa informação?

Sabendo do poder da visualização dirigida e do


treinamento mental, anote em uma folha quais são os seus

148
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

maiores medos diante de uma situação real, como um assalto,


uma briga ou um ataque em ambiente confinado por um
agressor com uma faca. Enumere quais são as situações que
mais te preocupa e comece a imaginá-las visualizando sua
reação de acordo como gostaria de agir, sinta-se realmente
naquele ambiente com o agressor, ouça as palavras de ameaça,
gritos, sinta os empurrões e você começará a experimentar os
efeitos do medo em seu corpo e na sua mente.

Este exercício mental te propicia a oportunidade de


desenvolver a melhor resposta diante de um determinado
problema, seu cérebro ficará treinado para agir caso realmente
aconteça, pois para ele não será a primeira vez. A grande
vantagem é que você pode trabalhar todos os cenários que
puder imaginar sem nenhum risco de dano físico e ao mesmo
tempo adestrar seus reflexos para determinada situação.

Visualize-se cara a cara com um inimigo armado com


uma faca tentando te atacar. Imagine o tamanho, modelo, cor
da lâmina e veja o inimigo se aproximando de você tentando te
atacar. Sinta o vento do golpe passando próximo ao seu rosto.

Ao imaginar essa cena com convicção você sentirá sua


respiração aumentar, bem como os efeitos dos hormônios do
stress se espalhando em seu corpo. Concentre-se em sua
respiração utilizando a cadência de 3,2,3 (inspire em 03
segundos, segure a respiração por 02 e solte o ar em 03
segundos) isso irá ajudar a baixar seus batimentos cardíacos
mantendo-os mais próximos de 110 e 140 BPM o que é
importante para ter um ótimo desempenho físico.

149
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Imagine o barulho do ambiente, como gritos, ameaças e


buzinas enquanto observa e se afasta de cada ataque inimigo.
Visualize sua reação ao receber um corte no braço, sinta o cheio
do sangue e tente manter sua mente tranquila.

Imagine o ambiente em que você está, pode ser um bar


ou restaurante, analise rapidamente qual objeto pode ser
utilizado para equilibrar esse confronto, imagine-se utilizando
uma cadeira para se defender dos ataques vorazes do inimigo e
finalmente se veja acertando um golpe em uma região sensível
ou vital do agressor, como garganta ou queixo.

Imagine a reação do inimigo ao ser golpeado, lembre-se


que em um confronto real dificilmente o inimigo é neutralizado
com apenas um golpe, portanto, será necessário continuar o
ataque até aniquilar toda a ameaça. Você tem coragem para
isso?

Esse treinamento mental é apenas um exemplo dentre


milhares que você pode utilizar. Seja criativo e visualize
diferentes situações de violências e as inúmeras variáveis e
imprevisibilidades que podem acontecer.

1. Treinamento fino

É o treinamento focado na precisão técnica que será


aplicada na situação de confronto. Vimos que durante o estado
de tensão nossas habilidades motoras finas são diminuídas, isso
explica o porquê vemos um jogador profissional de futebol
errar um chute como se fosse um amador, um lutador
experiente errar ataques e defesas que não costuma errar em

150
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

seus treinamentos ou um policial bem treinado que em um


confronto não consegue acertar o tiro no agressor.
É importante praticar estes movimentos que requerem
precisão e tempo correto em simulações que repliquem o
cenário hostil. Simplesmente ao imaginar o cenário de combate
seu corpo iniciará reações químicas similares ao combate real,
você será capaz de experimentar em menor escala todas as
sensações que envolvem um confronto.
Por meio do treinamento você pode trabalhar sua
habilidade motora fina mediante o stress e aperfeiçoar sua
resposta em uma situação complexa. Lembre-se que quanto
mais treinado, maiores as chances de dar certo.

2. Planejamento

Algo que causa muito stress é a incerteza do que esperar.


Tenha um plano detalhado por escrito e em sua mente de como
agir em cada situação que te causa medo. Por exemplo, se você
tem medo de ser assaltado no trânsito enquanto dirige deve se
informar quais são os trajetos e horários mais seguros para criar
um roteiro mais seguro. Lembre-se que estar preparado
diminui muito o seu nível de medo.

151
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

REAGIR OU NÃO?

“O discurso do "nunca reaja" não é garantia de segurança para


você, mas é para o criminoso”. Bene Barbosa

Todos nós sabemos que a orientação geral é para nunca


reagir, mas será mesmo isso é garantia de sobrevivência?

Vamos analisar três situações diferentes:

1. Jovem não reage a assalto, mas é baleado.

Em Aparecida de Goiânia, região metropolitana da Capital, um


jovem estava em frente a uma oficina mecânica onde faria um teste de
emprego quando foi surpreendido por um assaltante identificado como
Rafael J.O de 30 anos, fugitivo do presídio de Trindade, que o abordou
com uma arma de fogo exigindo o celular. Segundo uma testemunha, o
jovem entregou o celular sem reagir nem esboçar nenhuma reação,
mas mesmo assim o criminoso efetuou um disparo no abdômen. O

152
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

jovem precisou ser levado com urgência para o Hospital de Urgências


de Aparecida de Goiânia.

2. Mulher reage a assalto e é morta com facada no peito.

Em 04 de novembro de 2018, no começo da madrugada, por volta das


0h, uma mulher foi morta após reagir a um assalto. A vítima foi abordada
na rua e entregou seus pertences a dois criminosos. No entanto, logo após
o roubo, ela correu atrás da dupla e foi atingida com uma facada na altura
do peito. O crime aconteceu já na travessa Hermes Cortês, cerca de 150
metros do local do assalto. A mulher foi encontrada caída na rua
pela Brigada Militar, com uma mochila e documentos. Após algumas
tentativas de reanimação realizadas pelo Samuela foi levada ao Pronto
Atendimento do Patronato, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A
vítima foi identificada como Nicole V. R., 31 anos, moradora de Lavras do
Sul. Os criminosos estão foragidos. O celular da vítima não foi
encontrado.

3. Caso Ana Hickmann

Dia 25 de maio de 2016 em um hotel em Belo Horizonte um


homem chamado Rodrigo A. P de 30 anos invadiu o quarto onde
estava hospedada a apresentadora Ana Hickmann. Segundo o boletim
de ocorrência, Rodrigo rendeu o cunhado dela, Gustavo e o obrigou a
levá-lo até ela, onde também estava a mulher dele, Giovana, que é
assessora da apresentadora. Rodrigo que dizia ser um fã de Ana
Hickmann rendeu os três e com uma arma em mão disse que iria
brincar de “roleta russa”, foi quando Gustavo entrou em luta corporal

153
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

com o Rodrigo por cerca de oito minutos, terminando com o cunhado


da apresentadora desarmando e matando o agressor.

No primeiro caso mesmo a vítima não esboçando


nenhuma intenção de reagir e cumprindo as exigências do
assaltante acabou sendo baleado a sangue frio. Eis um exemplo
de uma vítima que seguiu a orientação geral “não reaja” e
mesmo assim acabou sendo vítima de um tiro sem nenhuma
chance de defesa.

A maior preocupação que temos nos dias atuais é a de


sermos agredidos ou mortos durante um assalto mesmo sem
esboçar qualquer tentativa de reação. Seguir a orientação geral
de não reagir garante a segurança apenas do criminoso e não da
vítima.

No segundo caso, uma mulher teve seu celular roubado


e quando os criminosos empreenderam fuga ela tentou reagir e
acabou morta. Este é um caso típico em que a orientação geral
“nunca reaja” deveria ser considerada. A situação mostrou que
a intenção dos criminosos era assaltar e não matar a vítima
durante a ação, mas ela cometeu um erro ao ir atrás dos
criminosos para recuperar o que havia sido roubado e
infelizmente essa ação lhe custou a vida.

Em uma situação como essa a vítima deve evitar


perseguir os criminosos. A ação mais correta é procurar um
local seguro e ligar imediatamente para a polícia.

No terceiro caso uma das vítimas temendo a


probabilidade de ser morta, reagiu, desarmou e matou o

154
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

criminoso. A vítima estava na iminência de ser morta e resolveu


reagir para salvar sua vida. Neste caso a orientação “nunca
reaja” é praticamente uma sentença de morte.

Então devo ou não reagir?

Estatisticamente não reagir durante um assalto é opção


mais segura na maior parte das vezes, mas a autodefesa não é
uma ciência exata e não reagir não te dá garantias de que não
será agredido ou morto. Muitos são os casos de pessoas que
foram assassinadas cruelmente durante um assalto sem esboçar
nenhum sinal de reação, principalmente nos casos em que o
criminoso está sob efeito de drogas ilícitas.

Baseado em todo o conhecimento que você adquiriu


neste livro, nas suas experiências, estudos sobre modus
operandis do criminoso e análise de risco você deve tomar a
decisão que te traga a maior probabilidade de sobrevivência.

Você entende o quão sensível é essa decisão? Reagir na


hora errada pode resultar em danos desnecessários, mas não
reagir pode ser uma sentença de morte. Quanto mais você
treinar e estudar maiores serão as chances de você tomar a
decisão certa.

Como reagir de forma eficiente?

Para que uma reação ser bem-sucedida você deve levar


em consideração vários fatores durante o crime ou violência:

155
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Seu grau de habilidade técnica para reagir à ameaça específica;

. O grau de dificuldade da situação, como número de


agressores e potencial ofensivo que estão utilizando (arma de
fogo, faca, bastão);

. Oportunidades para a ação. Entenda que há momentos mais


ou menos propícios para iniciar a reação, não basta
simplesmente reagir;

Antes de reagir você deve ter o máximo de informações


para aumentar suas chances de sucesso para isso analise as
seguintes questões:

. Quantos são os agressores?

. Há possibilidade de haver comparsas próximos escondidos?

. Qual instrumento de ameaça o criminoso está usando?

. Você possui treinamento específico contra aquela ameaça?

. Você está na distância correta para se defender?

. O risco de não reagir é maior do que reagir?

Para cada situação crítica há uma resposta específica


mais adequada. Vamos analisar as seguintes situações:

1. Você é surpreendido por um criminoso armado com uma


arma de fogo:

156
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Você nunca viu o criminoso antes;

. Ele exige o seu celular ou carteira;

. Não demonstra agressividade física excessiva nem de que está


alucinado pelo uso de drogas.

A maior probabilidade é de que o criminoso vai te


roubar e em seguida fugir. Diante disso a sugestão é não fazer
nenhum movimento brusco, como abaixar as mãos
rapidamente para pegar o seu celular o que pode assustar o
criminoso que está ansioso e pode disparar a arma de fogo em
sua direção.

Demonstre calma ao bandido, diga antecipadamente o


que fará, como “vou pegar o celular aqui no meu bolso, está
tranquilo” e faça o movimento de forma leve e entregue os
pertences. Ligue para a polícia assim que o criminoso se afastar.

Lembre-se que isso não é garantia de que ele não vá


simplesmente atirar depois do crime, por isso é você quem deve
tomar a decisão em reagir ou não.

2. Quando você é surpreendido por um criminoso com uma


arma de fogo:

. Você nunca o viu antes;

. Ele exige seus pertences;

. Ele está claramente alterado e agitado, possivelmente


drogado;

157
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Após o roubo ele ordena que você o siga até um prédio


abandonado do outro lado do quarteirão.

Temos aqui uma situação bem diferente. Enquanto na


primeira situação o criminoso foge rapidamente após o crime,
na segunda situação o criminoso, mesmo podendo fugir,
ordena que você o siga até um local deserto.

Conhecendo como o criminoso age é possível entender que


não se trata mais de um assalto, mas talvez um estupro,
sequestro ou latrocínio. O risco de não reagir está se tornando
maior do que reagir. Neste ponto você precisa avaliar as
oportunidades de reação, pois quanto mais o criminoso avançar
na atitude criminosa, menores serão suas chances de defesa.

Eis que você está em uma situação duvidosa: não reagir na


esperança do criminoso não efetivar um crime pior ou acreditar
que o criminoso vai fazer algo pior e reagir para tentar
sobreviver? Eu particularmente tentaria achar uma janela de
oportunidade para reagir.

3. Você é surpreendido por um inimigo declarado que:

. Já te ameaçou de morte anteriormente;

. Está armado com uma arma de fogo ou faca:

. Está visivelmente nervoso.

O cenário, agora, leva a crer que ele irá tentar te matar,


pois ninguém aparece na frente do seu inimigo com uma arma
para simplesmente fazer uma ameaça.

158
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Diferente da primeira situação cujo criminoso não te


conhecia, não tinha nenhuma desavença pessoal com você e
que exigia um bem material, nesta terceira situação o inimigo te
conhece, é seu inimigo mortal e não está em busca de bens
materiais, mas sim querendo sua morte.

A recomendação é deixá-lo achar que está no controle


da situação e reagir na primeira oportunidade. Melhor se ferir e
sobreviver do que não fazer nada e morrer como um inseto.

Conclusão:

Reagir ou não é uma decisão que cabe apenas a você.


Analise todos os detalhes da situação, como perfil do
criminoso, oportunidade de reação, gravidade e finalidade do
crime. Confie em seus instintos e se mantenha treinado para
aumentar suas chances de sobrevivência.

159
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

DICAS PRÁTICAS
DE PROTEÇÃO URBANA

Como prevenir e agir durante e


após um crime.

160
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

AMBIENTES FECHADOS

Ataque em ambientes fechados tem se tornado cada vez


mais frequentes no Brasil. O criminoso busca matar ou ferir o
máximo de pessoas possíveis por isso escolhem ambientes que
tenham grande aglomeração de pessoas, como escolas,
shoppings ou igrejas. Locais onde que o criminoso sabe que não
encontrará resistência armada. Os criminosos que agem nestes
crimes covardes geralmente não buscam alvos específicos, para
eles quanto mais pessoas morrer, melhor. Vamos relembrar os
ataques no Brasil que aconteceram nos últimos anos:

Suzano, escola Raul Brasil, data: 13/03/2019

Dois criminosos de 17 e 25 anos, ex-alunos da escola,


executaram um ataque na escola Raul Brasil, na cidade de
Suzano matando cinco jovens, duas funcionárias do colégio e o
tio de um dos criminosos que era proprietário de uma loja de
veículos na região.

A dupla de criminosos foi à loja de veículo atiram no


proprietário e fugiram com um carro até a escola. Policiais
foram acionados por causa do crime na loja de veículos. Um

161
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

dos atiradores entrou sozinho na escola com uma arma de fogo


e atirou contra duas funcionárias, em seguida ele foi até o pátio.
Poucos segundos depois, o segundo atirador entrou na escola
armado com uma machadinha e atacou as vítimas que estavam
caídas no chão. No pátio a dupla de criminosos atacou outros
jovens. Os atiradores tentaram entrar no centro de idiomas
onde havia muitos estudantes, porém, uma professora trancou
a porta e fez uma barricada com mesas e carteiras impedindo a
entrada dos atiradores.

Com a chegada da polícia na escola, um dos atiradores


matou o comparsa e em seguida se suicidou. A motivação do
crime ainda está sendo investigada no momento, mas já se sabe
que os atiradores planejaram o crime por um ano e meio e
pertenciam a uma seita religiosa. Cartas foram encontradas
revelando o plano do “sacrifício”.

Campinas, Catedral Metropolitana, data: 11/12/2018


Um criminoso armado com uma pistola e um revolver
entrou na catedral e se sentou em um dos bancos, de repente,
ele se levantou e atirou em três pessoas que estavam no banco
de trás. O atirador foi até o corredor e atirou aleatoriamente em
direção das outras pessoas. A polícia chegou ao local e atirou
no criminoso que ferido se suicidou. Resultado: cinco vítimas
mortas. De

Medianeira, Colégio João Manoel Mondrone, data: 28/09/2018


Um aluno de 15 anos armado com um revolver e uma
faca, acompanhado de outro adolescente entraram na escola e
atiraram contra os colegas de classe. Dois jovens, um de 15 e

162
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

outro de 18 anos foram feridos. A polícia prendeu o atirador e o


comparsa. Um deles informou que sofria bullying e que seu
alvo eram nove colegas de classe e o ataque foi planejado por
dois meses.

Goiânia- GO, Colégio Goyases, data: 20/10/2017

Um Aluno de 14 anos retirou uma pistola de dentro da


sua bolsa e atirou dentro da sala de aula para todas as direções
sem alvo definido. Após descarregar o carregador da pistola, a
coordenadora convenceu o atirador a travar a arma e parar de
atirar. Dois jovens foram mortos e outros quatro ficaram
feridos. O atirador foi apreendido pela polícia. Em depoimento
ele afirmou que sua motivação foi por bullying na escola.

João Pessoa, Escola Enéas Carvalho, data: 11/04/2012

Dois jovens de 13 e 16 anos entraram na escola e um


deles efetuou seis disparos deixando três alunos feridos. Os
dois jovens fugiram do local, mas foram presos no dia seguinte.
Segundo eles a motivação do crime foi uma discussão com
outro estudante da escola no dia anterior.

São Caetano do Sul, Escola Alcina Dantas, data: 22/09/2011

Um aluno de dez anos armado com um revolver e atirou


contra a sua professora dentro da sala de aula e em seguida se
suicidou com um tiro na cabeça. Não havia indícios que o

163
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

atirador sofria bullying e ele foi descrito por professores como


uma criança tranquila e sem nenhum tipo de indisciplina.

Realengo, Rio de Janeiro, Escola Tasso da Silveira, data:


04/2011
Turma 1901 comenta massacre em Realengo
Um atirador de 23 anos armado com dois revólveres
invadiu a escola e atirou aleatoriamente contra os alunos
deixando 12 mortos e mais de 13 feridos. O atirador se suicidou
assim que os policiais chegaram ao local. Sua irmã relatou que o
atirador era muito reservado e que sofreu bullying na época
escolar.

Taiúva, São Paulo, escola Coronel Benedito Ortiz, data:


28/01/2003

Um ex-aluno de 18 anos entrou na escola e atirou contra


06 alunos, 01 professora e 01 zelador. Após os disparos o
atirador se suicidou. Nenhuma vítima morreu. Segundo
declarações de alguns estudantes da escola o atirador sofria
bullying por anos por ser obeso.

Salvador, Bahia, escola Sigma, data: 28/10/2002

Um aluno de 17 anos sacou um revólver de sua mochila


dentro da sala de aula e atirou contra duas colegas que vieram
a óbito, em seguida ele foi até o pátio da escola onde ameaçou
se suicidar, porém foi convencido pelo irmão a se entregar à
polícia. Segundo informações de outros estudantes, o atirador

164
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

tinha problemas de relacionamento com as vítimas que


supostamente o ridicularizava constantemente.

São Paulo, Shopping Morumbi, data: 03/11/1999

Um jovem de 24 anos, aluno de medicina armado com


uma submetralhadora assistia a um filme em uma das salas de
cinema do shopping quando se levantou na primeira fila e
atirou contra as pessoas deixando três mortos e cinco feridos. O
atirador foi dominado por pessoas que estavam no cinema e em
seguida preso. A defesa do atirador alegou que ele sofria de
distúrbios mentais.

Notamos que os casos de ataques em ambiente fechados


na maior parte das vezes são cometidos contra pessoas
aleatórias, o que torna a defesa da vítima ainda mais difícil pela
imprevisibilidade do crime. Constatamos que quase sempre o
criminoso escolhe um local onde ele sabe que haverá pouca ou
nenhuma forma de resistência armada, como escolas, sala de
cinema ou igrejas. O crime geralmente é motivado por vingança
a algum tipo de bullying sofrido, insanidade mental ou
convicções religiosas.

Talvez você pense: “isso nunca vai acontecer aqui”, mas


como você pode constatar, os ataques desta natureza acontecem
justamente quando e onde ninguém está esperando. Por isso,
sua capacidade de resposta diante de uma situação assim fará a
diferença entre sobreviver ou não.

165
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Como agir em caso de tiroteio em um ambiente fechado

Temos basicamente três opções de resposta diante de


um tiroteio em ambiente fechado: Fugir, barricar-se e se
esconder ou o confronto direto (armado ou desarmado).

Estatisticamente a opção com maior índice de


sobrevivência de pessoas desarmadas é a fuga, em segundo
lugar, se esconder e por último e com menores chances o
confronto direto desarmado. Vamos abordar cada uma destas
opções e como proceder em cada caso.

Fuga

Ao ouvir barulhos de tiros ou explosões, pare


imediatamente o que está fazendo e tente identificar de qual
distância e direção o som está vindo. Corra em sentido
contrário se calcular ser possível. Para isso você deve levar em
consideração:

. Conheça todas as entradas e saídas do local, principalmente as


saídas de emergência. Muitos locais possuem uma mesma porta
para entrada e saída de pessoas, por isso é muito provável que
o atirador entre pela entrada principal do prédio, tornando essa
opção uma má escolha para fugir, pois você pode acabar indo
de encontro ao atirador. Saídas de emergência, janelas e muros
são as opções mais seguras para você se evadir do local. Analise
de onde vem o som dos disparos e escolha uma destas opções
que estiver mais próxima a você;

. Corra em zigue e zague. Correr em linha facilita que o atirador


consiga te acertar. Correr em movimentos de zigue e zague

166
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

dificulta que o atirador te mantenha na mira da arma. O


atirador busca fazer o máximo de vítimas, por isso ele não
perderá muito tempo com um único alvo e irá rapidamente
escolher outro alvo para atirar;

. Corra por entre obstáculos, pilastras e colunas, desta forma


você manterá sua retaguarda protegida dos disparos que
vierem em sua direção, além de dificultar a sua visualização
por parte do criminoso;

. Deixe seus pertences para trás. Não perca tempo tentando


recolher seus pertences, cada segundo é valioso e determinante
para escapar ou não. Carregar grandes volumes te deixará mais
lento durante a fuga;

. Leve as pessoas que estiverem próximas. Correr em grupo


dificulta que o atirador mire em você. Em caso de um confronto
direto, um grupo possui mais capacidade de enfrentar um
atirador que apareça de surpresa.

Barrica-se e se esconder

Precisamos entender a diferença entre se barricar e se


esconder quando o assunto é defesa pessoal, embora sejam
palavras utilizadas como sinônimos no dia a dia.

Barricar se refere à proteção. É se colocar atrás de


alguma estrutura que seja capaz de te proteger contra um
disparo, tal como um pilar de concreto, uma parede reforçada
ou um motor de carro. Ao se barricar você pode tanto estar

167
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

escondido ou não do atirador, um exemplo de estar barricado,


mas não escondido é o caso onde você está atrás de um vidro
blindado no qual o atirador está te vendo, mas não pode te
acertar um tiro.

Esconder se refere a sumir de vista. É não ser captado


pelo campo visual do atirador, ou seja, ele não sabe onde você
está. Você pode se esconder e estar barricado ao mesmo tempo,
por exemplo quando você está atrás de uma parede espessa na
qual o atirador, assim você está protegido do disparo e
escondido do atirador. É importante entender que você também
pode estar escondido, mas não barricado (protegido), um
exemplo é a vítima que se esconde atrás de uma cortina durante
o ataque. Ela estará fora do campo visual do atirador, mas
estará vulnerável a um tiro que vier em sua direção.

Portanto o ideal é estar escondido e barricado!

A recomendação que te dou é que se for inviável fugir,


escolha se esconder e se barricar.

Usando o exemplo do caso recente no tiroteio na escola


de Suzano, muitos jovens foram salvos por uma professora que
conseguiu trancar a porta da sala de idiomas e utilizou as
mesas, carteiras, cadeiras e outros objetos pesados que haviam
na sala obstruindo e travando a entrada dos criminosos que
tentaram arrombar a porta, mas não conseguiram. Essa ação
salvou dezenas de vidas! Outras dicas:

. Dê preferência em se esconder em locais que sirvam de


barricada;

168
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Ao se trancar uma sala não fique atrás das portas, pois os


disparos transfixam com facilidade;

. Se houver um extintor de incêndio de pó químico use-o para


criar uma nuvem branca que obstrua a visão momentânea do
atirador caso ele consiga arrombar a porta;

. Apague as luzes;

. Se estiver em grupo, separe-se pelo ambiente para dificultar a


mira do atirador e facilitar um confronto se for necessário;

. Após se esconder e se barricar, ligue para a polícia solicitando


socorro;

. Coloque o celular em modo silencioso para não alertar o


atirador sobre sua posição;

. Se arme com os instrumentos mais afiados e pontiagudos que


encontrar para caso seja necessário entrar em confronto direto
com o atirador.

Confronto direto

O ideal seria você responder à agressão com o mesmo


poder de fogo ou maior, ou seja, a forma mais rápida e segura
de se parar um homem mal com uma arma é um ou mais
homens bons com outra arma.

169
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Infelizmente sabemos que o atirador busca um local


onde ele sabe que não encontrará resistência armada, por isso a
maior parte dos ataques são em escolas, igrejas, cinemas e
shoppings. Entenda que estatisticamente são baixas as chances
de se sobreviver a um tiroteio durante a tentativa de confronto
direto desarmado.

Quando não resta outra opção é melhor saber o que


fazer para potencializar suas chances diante de um criminoso
pronto para atirar em você. Então se não foi possível fugir nem
se barricar ou se esconder, cabe a você lutar de todas as formas
para salvar sua vida e a das demais pessoas, fique atento as
dicas abaixo:

. Reúna o máximo de pessoas que puder para ajudar no


confronto direto e espalhem-se pelo local para conseguir atacar
o atirador por todos os lados. Isso torna mais difícil a ação do
criminoso;

. Use algo afiado, pontiagudo ou pesado que possa ser utilizado


como uma arma de ataque que com apenas um golpe tire o
inimigo de combate;

. Tente se manter fora da visão do atirador até que ele esteja o


mais próximo possível. Lembre-se que a mais de 02 metros de
distância o atirador terá tempo para mirar em você antes de
atirar. Quanto menor for a sua distância, mais chances de
surpreendê-lo e conseguir acertar um ataque fatal;

. Faça a respiração tática de combate para controlar seus


batimentos cardíacos diminuindo a tensão e os efeitos

170
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

negativos dos hormônios da adrenalina, cortisol e


noradrenalina;

. Não perca tempo tentando implorar por sua vida. O atirador


não possui nenhum tipo de empatia e estará em estado de
ansiedade e nervosismo e não vai prestar a atenção no que você
está dizendo. Isso só vai te atrasar mais para agir;

. Vá com tudo. Ao iniciar seu ataque use toda sua força e vigor
físico, lembre-se que é a sua vida em jogo;

. Mire nos pontos vitais e sensíveis do atirador, tais como


pescoço, olhos, garganta, nunca e cervical. É importante golpear
onde possa tirar o inimigo de ação rapidamente;

. Não pare de golpear até aniquilar a ameaça. Ao entrar em


combate com o atirador prossiga atacando incessantemente até
que ele esteja totalmente fora de combate;

. Lembre-se dos conceitos de ponto quente, foque na arma do


atirador e tente permanecer fora da linha de fogo enquanto luta
com ele tentando desarmar e aniquilá-lo.

. Após o confronto tente se abrigar, pois pode haver outro


atirador.

Fingir-se de morto

Ouço muitas pessoas afirmarem que sua primeira opção


seria se fingir de morto. Eu te digo que esta opção é

171
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

simplesmente contar com a sorte e depende muito pouco de


você. Posso citar o caso recente do tiroteio em Suzano no qual o
segundo agressor usou uma machadinha para atacar as pessoas
que estavam caídas mesmo aparentando estar mortas ou
gravemente feridas. Outro caso recente em que fingir-se de
morto não resultaria em chances de sobrevivência foi o tiroteio
dentro da mesquita na Nova Zelândia onde o atirador atirou
em todos os corpos no chão para se certificar que ninguém
sobreviveria.

Há, entretanto, outros casos em que se fingir de morto


funcionou para enganar o atirador. Portanto cabe a você
analisar a situação imediata e confiar em seus instintos. Seguem
algumas dicas caso você opte por se fingir de morto:

. Controle sua respiração e diminua ao máximo seu movimento


torácico e abdominal;

. Fique em posição desarrumada, ou seja, um braço dobrado e o


outro esticado. Simule a posição de um corpo que caiu
desfalecido após um disparo fatal;

. Evite e posição fetal, pois essa posição remete a ideia de


alguém com medo ou dor. Isso vai chamar a atenção do
atirador;

. Deite-se ao lado de outro corpo que tenha sangue ao redor,


pois isso aumenta a chance do atirador achar que o sangue é
seu.

O que mais você deve saber?

172
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Tome alguns cuidados importantes após escapar da


ameaça direta:

. Não corra em direção aos policiais quando eles estiverem


invadindo o local, pois você pode ser confundido e ser baleado;

. Caso tenha desarmado o atirador não fique com a arma em


punho, pois pode ser confundido pela polícia;

. Observe se foi ferido, caso tenha sofrido qualquer ferimento


sua prioridade será o atendimento médico.

Quando se trata deste tipo de crime é realmente muito


complexo tomar uma decisão e atitude no calor do momento.
Quanto mais treinamento técnico e mental você tiver, maiores
serão as suas chances de sobrevivência.

Como prevenir e se preparar contra um tiroteio em um


ambiente fechado?

A maior parte dos casos de tiroteio nas escolas e locais


de trabalho é atribuída ao bullying e situações constrangedoras
que o atirador supostamente teria sofrido. Por isso é importante
que tanto os colegas quanto os profissionais que trabalham
nestes locais observem mudanças de comportamento que
possam indicar algo suspeito. Fique atento especialmente aos
colegas que:

. Estejam sendo alvo constante de constrangimento;

. Tiveram mudança de comportamento, como isolamento,


depressão, angustia ou agressividade;

173
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Que estejam pesquisando sobre atentados, tiroteios, armas e


casos anteriores de ataques;

Identificar esses pontos não é uma tarefa fácil, mas pode


ajudar a tratar ou intervir na ação de um potencial atirador.

Diante de alguma suspeita entre em contato com os


profissionais e autoridades competentes para tomar as
providências necessárias.

Dicas gerais em ambientes fechados

. Ao entrar em um ambiente fechado identifique onde ficam as


saídas de emergência e equipamentos de socorro como
extintores, pois numa situação crítica você terá pouco tempo
para encontrá-las;

. Evite sentar de costas para o fluxo de pessoas, sente-se de


frente para observar a aproximação de algum suspeito ou
desafeto;

. Faça uma varredura visual de todos os pontos críticos e


quentes do ambiente e se posicione no local mais seguro;

. Ao entrar em um elevador posicione-se no fundo com as


costas protegidas pelas paredes, desta forma você evita um
ataque surpresa por trás e pode ver melhor quem entra;

. Fique atento à abertura das portas do elevador, saia


rapidamente se suspeitar de alguém;

174
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Carregue seus pertences na mão não dominante, assim você


terá sua mão dominante livre para reagir se for necessário;

. Observe a expressão corporal das pessoas ao redor, tente notar


se alguém está ansioso ou analisando o vigilante do local;

. Evite se sentar encurralado em um canto, você pode precisar


correr ou agir rápido;

. Desconfie de mochilas ou pacotes deixados debaixo de mesas,


lixos e próximo a locais inflamáveis. Comunique o caso à
autoridade local;

175
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

AMEAÇAS VELADAS

São ameaças feitas de forma indireta usando a


imaginação da vítima para lhe trazer medo de uma
consequência. Normalmente há uma situação real, mas a pessoa
se aproveita da imagem, linguagem verbal, linguagem corporal
e estereótipo para incutir medo na vítima. Neste tipo de ameaça
o sujeito se aproveita dos seus medos e receios para tirar algum
proveito através de um “pedido”, “favor”, “contribuição” ou
“pagamento”.

O sujeito não te ameaça diretamente, mas ele manipula


a situação para te deixar intimidado a fazer o que ele deseja sob
pena de algo ruim lhe acontecer.

Legalmente a atitude de ameaçar, ainda que


veladamente, pode caracterizar o crime de extorsão:

Art. 158 - Constranger alguém, mediante violência ou


grave ameaça, e com o intuito de obter para si ou para outrem

176
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

indevida vantagem econômica, a fazer, tolerar que se faça ou


deixar de fazer alguma coisa:
Pena - reclusão, de quatro a dez anos, e multa

Embora o artigo não mencione claramente o


enquadramento da ameaça indireta ou velada, o entendimento
jurisprudencial majoritário entende que “a avaliação da
intimidação não é abalizada pelo acusado, mas sim pela vítima,
contra a qual é dirigida a promessa de mal”. Desta forma é
indiferente o fato da ameaça ser explicita ou implícita.

É comum muitas as pessoas cederem à ameaça por


medo de sofrer algum mal. Entretanto você deve entender que
há outras opções de resposta que você pode adotar diante
dessas abordagens. Cabe a você analisar a situação e decidir
qual é a opção ideal para o momento.

Situação 01

Um sujeito malvestido te aborda dizendo que acabou de


sair da cadeia e que precisa de 10 reais para pegar o transporte
para casa porque senão ele vai fazer uma loucura e voltar para
a cadeia.

Neste momento é provável que alguns destes


pensamentos passem pela sua cabeça:

. O cara é perigoso, estava preso, deve ter matado alguém;

. Se eu não der o dinheiro ele pode fazer alguma coisa comigo;

. Ele não tem nada a perder.

177
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Estatisticamente e por experiência própria, são poucas


as chances reais de você ser atacado por esse tipo de sujeito
simplesmente por não dar o dinheiro. O criminoso sabe que
basta esperar mais alguns minutos e encontrará alguém que vai
lhe dar o dinheiro sem oferecer nenhuma resistência. Por isso
ele não vai se arriscar a ser preso ou ferido por causa da sua
recusa.

Como evitar:

. Mantenha uma postura corporal firme com o queixo erguido,


ombros para trás e olhando para frente. Normalmente os
sujeitos preferem abordar pessoas distraídas olhando para
baixo, escrevendo no celular, lendo, ou que aparentem
vulnerabilidade;

. Não pare para conversar. Continue andando enquanto


responde que está atrasado ou que não pode parar “agora”;

. Ao observar a aproximação de alguém suspeito, atravesse a


rua ou entre em um estabelecimento comercial movimentado.
Isso fará com que o suspeito não tenha a chance de te abordar.

Como agir

Após ser abordado pelo criminoso você tem duas


opções de resposta: não aceitar a ameaça e negar ou entregar o
dinheiro por medo.

Não aceitar a ameaça:

. Fique tranqüilo e respire normalmente;


. Analise o ambiente para ver se há outros suspeitos próximos;

178
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Foque nos possíveis pontos quentes (bolsos, cintura e mãos)


do suspeito;
. Adote uma postura corporal de confiança, estufe o peito, erga
o queixo e separe um pouco as pernas;
. Olhe diretamente em um dos olhos do sujeito. Isso mostra que
você não tem medo dele;
. Seja firme e diga “não”. Não se explique demais como “eu não
tenho porque isso ou aquilo” seja direto e diga que não tem ou
simplesmente responda não;
. Se afaste após dizer não. Não dê oportunidade para ele manter
uma conversar com você;
. Mande-o se afastar caso o sujeito te persiga insistindo na
extorsão;
. Se ele não se afastar diga que irá chamar a polícia.

Entregar o dinheiro por medo:


. Cuidado ao abrir sua carteira na frente dele;
. Não inicie ou prolongue uma conversa;
. Saia do local rapidamente;
. Não dê informações pessoais;
. Informe a autoridade policial;

Situação 02
Ao estacionar seu carro em um local público, você é
abordado por um flanelinha que diz você terá que pagar 30
reais para estacionar ali e que ele vai cuidar do veículo senão é
perigoso “alguém” riscar seu carro se você não pagar.

Essa é a realidade que muitas pessoas se deparam


diariamente ao tentar estacionar seu carro em via pública.

179
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Infelizmente por se tratar de uma situação na qual seu bem


material ficará a mercê do criminoso enquanto você se ausenta
por algum tempo, não há muitas formas de respostas efetivas
que você possa adotar. Entretanto considere as seguintes
opções:

Como prevenir essa situação

. Antes de estacionar observe se há flanelinhas atuando na


região. Se houver, considere estacionar seu carro em um local
privado;
. Calcule a despesa com combustível e estacionamento. Muitas
vezes é mais barato ir de táxi ou serviço de aplicativo;

Como agir ao ser abordado

Você tem duas opções de respostas ao ser abordado pelo


flanelinha mal-intencionado:

1. Se recusar a pagar

Esta é a opção de maior risco ao seu patrimônio. Ao


dizer que não pagará, você deixará a escolha de estragar seu
veículo na mão do criminoso. Particularmente eu não faria isso.
Caso não queria pagar vá embora ou simplesmente não pare no
local e se julgar necessário acione a polícia militar;

2. Aceitar a extorsão e pagar na expectativa de não ter o


veículo danificado

Saiba que o pagamento não te dará nenhuma garantia


de que seu veículo não será danificado pelo próprio criminoso

180
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

em busca de valores. Mais uma vez eu te recomendo não parar


nestes locais.

Caso opte por pagar fique atento:

. Não deixe valores visíveis dentro do veículo;


. Não deixe sacolas e bolsas, ainda que vazias, dentro do
veículo, pois o criminoso pode quebrar seu vidro pela simples
possibilidade de ter algo dentro delas;
. Não abra a carteira na frente do criminoso;
. Não dê informações pessoais;
. Não informe o tempo que vai demorar. Sabendo disso o
criminoso pode agir com mais tranquilidade;

Realmente é uma situação muito difícil, pois sabemos o


quanto é revoltante ter que pagar para estacionar seu carro em
via pública e por ser extorquido por um flanelinha mal-
intencionado, por isso cabe a você a decisão entre pagar, não
pagar ou acionar a polícia.

Situação 03

Você está parado no semáforo quando, de repente, um


sujeito mal-encarado para no seu vidro com uma caixinha velha
com alguns pacotes de bala, chicletes ou bugigangas dizendo
que ele poderia estar roubando ou matando, mas está ali
vendendo seu produto por “apenas” 20 reais.

Muitas coisas podem passar na sua cabeça neste


instante:
. Se eu não comprar ele pode me roubar ou matar;
. Ele deve ser perigoso;

181
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Ele deve estar armado;

Desmistificando o crime

Claro que o sujeito é uma ameaça, porém não a


superestime. Estatisticamente criminosos que agem desta forma
não estão armados, pois caso sejam abordados pela polícia é
mais fácil negar uma ameaça do que se livrar da arma. Embora
haja o risco de ele tentar te roubar, na imensa maioria das vezes
quando a vítima se recusa a comprar o mais comum de
acontecer é ficarem de cara feia, resmungando ou fazer outra
pequena ameaça vazia.

Como prevenir essa abordagem

. Trafegue com os vidros do veículo fechados;


. Não utilize seu celular nas paradas de semáforo;
. Mantenha uma distância mínima de segurança do veículo da
frente;
. Se for possível, dirija defensivamente freando devagar no
semáforo. Desta forma você permanecerá menos tempo parado;
. Não abaixe o vidro para responder ao sujeito;
. Sinalize com as mãos que não quer nada;
. Mantenha o vidro fechado mesmo que o sujeito insista que
você o abaixe.

Como agir ao ser abordado

. Diga de forma firme: “não, obrigado”;


. Invente uma desculpa como: acabei de ajudar um cara lá traz
ou acabei de comprar de outra pessoa;
. Não fique discutindo com o suspeito.

182
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Após a situação você tem a opção de acionar a polícia


informando as características do sujeito e do local onde ele está
praticando a ameaça.

183
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

BANCO

Pessoas que entram e saem do banco quase sempre


estão carregando alguma quantia de dinheiro, seja para pagar
uma conta ou após um saque. O criminoso sabendo disso se
aproveita para ficar à espreita em busca da vítima mais
vulnerável.

Caso real
Cliente é roubado na saída do banco no Centro de Ribeirão - SP

No dia 6 de fevereiro de 2019 um cliente de um banco


registrou um boletim de ocorrência informando que foi vítima do
crime “saidinha de banco”. A vítima relatou que foi abordada por duas
mulheres e um homem. Sendo a vítima cada criminoso estava armado
com uma faca. O cliente informou que o crime aconteceu do lado de
fora do banco após sacar seu dinheiro em um caixa eletrônico. A
vítima tentou conversar com os suspeitos para impedir que eles
levassem sua bolsa, mas as mulheres mostraram as facas que estavam
carregando e o ameaçaram. Um dos assaltantes deu um soco nas

184
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

costas da vítima, enquanto uma das mulheres dizia que a "rasgaria na


faca".

Dicas para prevenir o crime:

. Evite ir a caixas eletrônicos sozinho durante a noite;

. Antes de entrar no banco observe se há alguém parado de


forma suspeita observando os clientes do banco;

. Ao sacar dinheiro não conte na frente das demais pessoas;

. Prefira uma agencia onde possa ser atendido de forma


reservada;

. Não informe a ninguém sua rotina de depósitos e saques de


dinheiro;

. Não aceite ajuda de estranhos, solicite auxílio apenas de um


funcionário;

. Carregue apenas os cartões necessários;

. Prefira as transações eletrônicas e evite portar grandes valores


ao fazer pagamentos e saques.

. Ao sair do banco certifique-se de que não esteja sendo


seguido, caso suspeite de alguma pessoa entre em um comercio
movimentado;

185
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

“BOA NOITE CINDERELA”

Esse é um tipo de golpe muito comum em ambiente de


festas, bares, restaurantes e shows nos quais o criminoso utiliza
drogas que provocam amnésia e períodos de total
inconsciência.

Essa modalidade de crime, na verdade, deveria ser


chamada de boa noite “cinderelo”, pois segundo os dados da
polícia civil do Estado de São Paulo, entre janeiro de 2016 e
agosto de 2017, 93% das vítimas foram homens.

O uso da droga tem a finalidade principal o roubo


(homens) e abuso sexual (mulheres).

186
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

O criminoso utiliza a droga para diminuir ou neutralizar


a chance de defesa da vítima que fica desorientada ou quase
sempre desacorda e sem memória do que aconteceu.

Caso real:

Um consultor de tecnologia de 36 anos estava em uma casa


noturna quando começou a se sentir mal, segundo ele “meio mole,
nunca havia ficado dessa forma, não era a sensação de estar bêbado”.
Ao sair da festa tentou caminhar até um ponto de táxi, porém devido
ao mal-estar sentou-se na calçada e logo foi abordado por uma pessoa
que o levou até um carro, segundo ele “lembro de ter perguntado se
era um táxi e a pessoa afirmou que sim, quando entrei no suposto táxi
apaguei e não me lembro de mais nada”.

O consultor foi encontrado no dia seguinte num galpão no


Brás, sem seu dinheiro, cartões, celular, tênis, ou seja, todos os seus
pertences de valor foram roubados. Em depoimento ele relatou: “em
que momento doparam a minha bebida? Eu sinceramente não sei”.

Conhecendo o perfil das vítimas e a finalidade do crime

Segundos os dados oficiais da secretaria de segurança


pública do Estado de São Paulo de 2018, 114 dos 123 boletins de
ocorrências registrados (93%) tiveram os homens como vítimas
e quase sempre o crime visava roubo ou furto e em dois casos
estupro. As mulheres corresponderam a 7% e o crime foi
cometido com a finalidade de estupro em 71% das vezes.
Estima-se que o número de crimes seja ainda maior, porém
devido à vergonha da vítima, muitos casos não são notificados.

187
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Perfil do crime

Mediante as investigações policiais podemos constatar


um padrão neste tipo de crime:

. Local festivo. Quase todos os crimes foram cometidos em


bares, restaurantes, danceterias ou mesmo na rua durante
algum evento;

. Abordagem por uma pessoa atraente. Uma pessoa flerta com a


vítima demonstrando interesse;

. Os criminosos atuam em dupla. Cada criminoso tem a sua


ação definida previamente, sendo aquele (a) que irá se
aproximar e ganhar a confiança da vítima e o outro criminoso
que vai auxiliar no roubo;

. A vítima é drogada por via oral mediante bebida. O criminoso


se aproveita de um descuido da vítima para colocar a droga em
seu copo;

. Após a vítima se sentir mal o criminoso (a) se oferece para


levar a vítima ao carro ou táxi, momento que é abordada pelo
comparsa;

. Os criminosos geralmente cometem o crime em hotéis, motéis


de baixo custo ou algum prédio abandonado.

Drogas utilizadas e seus efeitos

Diferentes drogas podem ser utilizadas para o golpe do


“boa noite cinderela (o) ”, normalmente são associadas duas ou
mais substâncias, como Ketamina (special K), GHB (ácido

188
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

gama-hidroxibutírico, Rohypnol (flunitrazepam), Lorax,


Lexotan que em geral são substâncias depressoras do sistema
nervoso central. Essas substâncias têm seus efeitos
potencializados quando misturado na bebida das vítimas
alterando seu nível de consciência por até vários dias. Elas são
facilmente dissolvidas, não apresentam cor nem cheiro, por isso
é tão fácil enganar a vítima.

Como se prevenir contra esse crime

. Não aceite bebida de outras pessoas mesmo que sejam


conhecidas. Algum estranho pode ter drogado a bebida de seu
amigo sem ele perceber;

. Se precisar se ausentar, beba sua bebida antes de sair da mesa.


Não continue bebendo após se ausentar;

. Não aceite que outra pessoa vá buscar a bebida para você;

. Troque sua bebida quando tiver se ausentado do local;

O que fazer se suspeitar que foi drogado?

. Ao primeiro sintoma de que você foi drogado, como


desorientação, sonolência excessiva e repentina ou tontura, vá
até o segurança do estabelecimento e informe que você pode ter
sido drogado (a) e peça ajuda;

. Não aceite a carona de ninguém e não saia do estabelecimento


sozinho ou acompanhado de uma pessoa que conheceu há
pouco tempo.

189
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

BARES E RESTAURANTES

Bares e restaurante são locais de descontração e


normalmente muita gente aproveita esse momento para beber e
isso aumenta o risco de discussões e brigas.

Caso Real

Pai e filho são assassinados dentro de bar


Um homem de 42 anos e o filho dele, de 23 anos, foram
assassinados durante a madrugada do dia 17 de fevereiro de 2019 em
um bar na cidade de Uberlândia/MG. Segundo as primeiras
informações da polícia militar, as vítimas começaram a discutir com o
autor dentro do estabelecimento quando ele se levantou da mesa, sacou
uma arma de fogo e disparou contra os dois. As vítimas não resistiram
aos ferimentos e morreram no local.

190
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Um vídeo das câmeras de segurança do local circula nas redes


sociais e mostra o momento em que o jovem de 25 anos se aproxima da
mesa do autor e, em seguida, o pai chega atrás. O autor então se
levanta e atira primeiro contra o filho e depois contra o pai dele. O
autor fugiu em um carro de cor preta e ainda não foi localizado.

Dicas de prevenção e ação:

. Evite discussões, se ocorrer alguma desavença com alguém vá


embora imediatamente antes que o desafeto retorne ao local;

. Não aceite bebidas de estranhos, há muitos casos de pessoas


que são drogadas desta forma;

. Sente-se em um local com visão geral do ambiente;

. Não se sente de costas para o corredor de pessoas;

. Fique longe das pessoas que estejam bebendo álcool


demasiadamente, a maior parte dos focos de briga começam
entre estas pessoas;

. Ao utilizar o banheiro tranque sua porta;

. Antes de entrar no banheiro observe se há alguma pessoa


parada próxima observação a movimentação;

. Ao sentar mantenha sua cadeira pelo menos 02 metros de


distância da outra mesa, caso ocorra uma confusão você vai
precisar sair rápido;

191
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Localize as saídas mais rápidas do local ao chegar ao


ambiente, pois durante uma situação de tumulto fica mais
difícil encontrá-las;

. Não conte detalhes da sua vida pessoal para pessoas que


acabou de conhecer.

192
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

BLITZ POLICIAL
COMO SE COMPORTAR —
DIREITOS DEVERES

O termo Blitz é uma palavra de origem alemã


blitzkrieg que significa ataque relâmpago, sendo abreviada
como blitz – relâmpago. No meio policial, blitz faz referência a
uma ação policial repentina com a finalidade de combater,
fiscalizar ou prevenir qualquer tipo de ilegalidade, seja em
estabelecimentos, veículos ou pessoas. É importante que o
cidadão saiba como se comportar diante de uma blitz policial
conhecendo seus deveres e direitos.

193
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Como se comportar

. Ao ver uma blitz policial diminua a velocidade do veículo de


forma gradual e permaneça em seu caminho ou nos desvios
instalados pelos policiais;

. Não tente desviar ou acelerar seu veículo inesperadamente.


Isso chamará a atenção dos policiais e pode agravar a
abordagem;

. Abaixe os vidros do carro. Isso facilita a observação dos


policiais e mostra que você não tem nada a esconder,
aumentando as chances de você não ser parado;

. Acenda a luz interna para facilitar a visualização do interior


do veículo. Desta forma os policiais conseguem observar o
interior do seu carro;

. Fique calmo. A não ser que você esteja cometendo um crime


ou alguma infração tudo transcorrerá sem nenhum problema;

. Pare o veículo se for solicitado;

194
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Permaneça dentro do veículo tranquilamente. Não saia do


carro sem ser solicitado isso pode ser interpretado como uma
tentativa de fuga;

. Aguarde a aproximação do policial com as mãos no volante.


Evite movimentos bruscos ou abrir o porta-luvas do veículo.
Lembre-se que o policial está atento a ação de um criminoso
que pode pegar uma arma a qualquer momento;

. Aguarde a solicitação do policial para pegar os documentos


pessoais e do veículo;

. Seja respeitoso ao falar com a autoridade policial;

. Evite discutir com o policial durante a abordagem. Desta


forma você abrirá um precedente para uma possível acusação
de desacato. Se você tem conhecimento da lei e identificou
alguma ação incorreta diga com calma. Se o policial se irritar
com você não insista na argumentação, pois você poderá fazer
uma denúncia posteriormente;

. Se você for tratado ilegalmente anote o nome do policial,


data, hora, local e dados das testemunhas que conseguir. Essas
informações serão necessárias para acionar a justiça ou a
corregedoria militar.

195
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Revista corporal

A revista corporal também é conhecida por “busca


pessoal” é a abordagem na qual a autoridade policial faz uma
revista corporal em uma pessoa ou em seus pertences como
bolsas, mochilas e pastas devido uma suspeita razoável de
uma conduta possivelmente criminosa. De acordo com
o Código de Processo Penal (art. 240, § 2o; art. 244) proceder-
se-á à busca pessoal quando houver fundada suspeita de que
alguém oculte consigo arma proibida, coisas achadas ou
obtidas por meios criminosos ou qualquer outro elemento de
convicção sobre crime.

Também é autorizada no ato das prisões em flagrante


ou por ordem judicial no curso de busca domiciliar, quando
existir fundada suspeita de cometimento de crime, não sendo
necessário, em qualquer dos casos, de mandado.

A revista em mulheres deve ser feita por policial do


mesmo sexo, salvo se existir real necessidade e seja
impossível, no momento, a realização por policial feminino.
Em tais casos, elevam-se os critérios de cautela e de
razoabilidade. O abuso policial contra a dignidade sexual
implica em crime.

Quais os direitos dos cidadãos:


. Ser tratado com respeito, sem agressão, xingamentos,
humilhação, exibição ou ameaças;
. Não ser forçado a confessar um crime;

196
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Não ser extorquido por policiais que pedem “ajuda “ou


“favor”;
. Não ser encaminhado à delegacia de polícia pelo fato de não
estar com sua carteira de identidade, desde que não haja
nenhuma suspeita fundamentada;
. Ter sua integridade física respeitada;
. Saber a identificação do policial;
. Denunciar quaisquer abusos à corregedoria policial e ao
ministério público;

Como agir em caso de abuso do policial

Como em todas as profissões existem os maus


profissionais que desvirtuam e mancham a reputação e a
moral das organizações. Por isso caso você se sinta
prejudicado por um deles saiba como agir:

. Anote o nome do policial e os dados da viatura como placa e


prefixo (número que fica na lateral ou na traseira);

. Anote os nomes e endereços das testemunhas quando


houver;

. Dirija-se ao ministério público ou corregedoria da polícia e


denuncie a ação irregular;

. Se você for ferido, peça para ser levado ao IML (instituto


médico Legal) para ser feito um exame que comprovará o
abuso policial;

197
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Conheça a lei n. 4.898/65 Abuso de Autoridade

Art. 3º. Constitui abuso de autoridade qualquer atentado:

a) à liberdade de locomoção;

b) à inviolabilidade do domicílio;

c) ao sigilo da correspondência;

d) à liberdade de consciência e de crença;

e) ao livre exercício do culto religioso;

f) à liberdade de associação;

g) aos direitos e garantias legais assegurados ao exercício


do voto;

h) ao direito de reunião;

i) à incolumidade física do indivíduo;

j) aos direitos e garantias legais assegurados ao exercício


profissional. (Incluído pela Lei nº 6.657 de 05/06/79)

Art. 4º Constitui também abuso de autoridade:

a) ordenar ou executar medida privativa da liberdade


individual, sem as formalidades legais ou com abuso de poder;

198
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

b) submeter pessoa sob sua guarda ou custódia a vexame


ou a constrangimento não autorizado em lei;

c) deixar de comunicar, imediatamente, ao juiz


competente a prisão ou detenção de qualquer pessoa;

d) deixar o Juiz de ordenar o relaxamento de prisão ou


detenção ilegal que lhe seja comunicada;

e) levar à prisão e nela deter quem quer que se proponha a


prestar fiança, permitida em lei;

f) cobrar o carcereiro ou agente de autoridade policial


carceragem, custas, emolumentos ou qualquer outra despesa,
desde que a cobrança não tenha apoio em lei, quer quanto à
espécie quer quanto ao seu valor;

g) recusar o carcereiro ou agente de autoridade policial


recibo de importância recebida a título de carceragem, custas,
emolumentos ou de qualquer outra despesa;

h) o ato lesivo da honra ou do patrimônio de pessoa


natural ou jurídica, quando praticado com abuso ou desvio de
poder ou sem competência legal;

i) prolongar a execução de prisão temporária, de pena ou


de medida de segurança, deixando de expedir em tempo
oportuno ou de cumprir imediatamente ordem de
liberdade. (Incluído pela Lei nº 7.960 de 21/12/89)

199
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Art. 5º Considera-se autoridade, para os efeitos desta lei,


quem exerce cargo, emprego ou função pública, de natureza
civil, ou militar, ainda que transitoriamente e sem remuneração.

Caso real

Motociclista fica ferido ao tentar fugir de blitz.

Um motociclista de 32 anos ficou ferido ao tentar fugir de uma


blitz da polícia militar no dia 20 de maio de 2019 na cidade de
Londrina/PR. O comandante da operação informou que o motociclista
não chegou a passar pela blitz. "Ele estava se aproximando da blitz e
com o objetivo de se evadir, ele passou pela faixa de pedestre, transpôs
o canteiro e já caiu no sentido oposto da via. Tentou novamente erguer
a moto e correr, perdeu novamente o controle sozinho e bateu no
caminhão", relata.

O motociclista socorrido e ficou sob escolta, devido à direção


perigosa que praticou, para ser encaminhado para fazer um termo
circunstanciado. "Ele alega que tem problemas com a habilitação e
também pendências de dívidas com a motocicleta. Por isso ficou com
medo de ser abordado. O que é um absurdo, pois poderia ter morrido",
explica.

200
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

BRIGAS

“Briga não serve para resolver diferenças, mas sim para salvar
sua vida quando não for possível escapar”. Wesley Gimenez

Por mais que todos nós saibamos que não é uma boa
ideia entrar em uma briga, infelizmente nem sempre é possível
evitá-la. Frases como: “quando um não quer dois não brigam”
não é uma verdade absoluta. Claro que quando uma pessoa não
quer briga há muito mais chances de evitá-la, porém às vezes o
ímpeto do inimigo é tão grande que você não tem outra saída a
não ser defender sua família ou a si próprio.

Diferente de uma luta, as brigas não possuem padrões,


regras, locais controlados, juízes ou qualquer respeito. Briga é
guerra!

201
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Existem diferentes técnicas para se proteger e vencer


uma briga. Há também diferentes formas de brigas, por
exemplo: um contra um; um contra vários inimigos;
generalizada; em ambientes fechados ou em ambientes abertos;

É necessário um treinamento multidisciplinar eficiente


para que você consiga evitar ou vencer uma briga. Não pense
que você sabe brigar porque brigou na quinta série na escola ou
porque é faixa preta de alguma arte marcial. Lembre-se que
briga não é luta, é algo muito mais complexo e difícil. Ter
conhecimento marcial é um grande diferencial, porém não é
garantia de vitória. Você talvez conheça histórias de pessoas
que praticavam determinada arte marcial e apanhou de outra
pessoa que nunca pisou numa academia de lutas não é
verdade?

Briga um contra um

Base de combate

Abra sua base. Diante de qualquer ameaça não deixe


seus pés paralelos, isso facilitará que você caia ou se
desequilibre durante um empurrão ou contato corpo a corpo,
além de expor uma área maior do seu corpo ao ataque do
inimigo. Criar base é colocar sua perna dominante atrás e
deixar a outra mais a frente aproximadamente a largura de seus
ombros.

Controle da distância mínima de segurança

É muito comum vermos em uma discussão os sujeitos


com os rostos muito próximos um do outro, tocando peito no
peito ou ombro no ombro. Isso é um erro tremendo. À curta

202
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

distância quem bater primeiro provavelmente vai acertar o


ataque e pode acabar com a briga em um único golpe. Por isso
sempre mantenha o agressor fora da sua distância mínima de
segurança. Basta você esticar seu braço da frente deixando os
cotovelos levemente flexionados de forma que o inimigo não
consiga te golpear de onde ele está e que ele precise pelo menos
de um passo largo para te alcançar.

Análise do ambiente

Em um combate real você deve prestar muita atenção no


ambiente à sua volta, diferente do tatame ou ringue, o piso
talvez esteja molhado e você pode cair, pode haver obstáculos,
como postes, carros ou canteiros e pode existir outras ameaças
se aproximando como um amigo do agressor vindo pela sua
lateral.
Quanto mais inteligência espacial e visão periférica você
conseguir utilizar, maiores as suas chances de vencer uma
briga. Você deve utilizar todas as vantagens do ambiente a seu
favor, como um pedaço de pau que está caindo na sarjeta, uma
cadeira, uma barra de ferro ou uma pedra que possa
potencializar sua capacidade de combate.

Tentativa de esfriamento ou descalada

Ninguém ganha com uma briga, os dois sempre


perdem. Claro que um vai perder mais do que o outro, mas a
briga não será boa para nenhum dos dois. Quem perder a briga
provavelmente ficará mais machucado, porém quem vencer
pode ter várias lesões também e até mesmo problemas legais

203
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

que lhe tomarão muito tempo e chateação. Por isso tente esfriar
a discussão. Algumas opções:

. Baixe o tom da sua voz e ouça o que o outro está dizendo;


. Se tiver parte da culpa, assuma-a e peça desculpas;
. Diga que não quer briga e que é melhor conversarem;
. Ouça o que o outro tem a dizer sem demonstrar raiva;
. Mantenha a calma e adote uma postura corporal firme. Se o
inimigo achar que você está amedrontado ele pode se sentir
confiante para te atacar;

Lembre-se que a maior parte das brigas se inicia com


uma discussão. Sendo assim tente acabar com o problema por
aí mesmo. Não alimente a discussão ainda que acredite estar
certo. Entretanto se o agressor estiver alterado por drogas
ilícitas ou álcool há uma grande chance de ele querer
prosseguir com a discussão e chegar às vias de fatos com você.

Caso perceber que o inimigo não muda de ideia e


continua agressivo em busca do confronto, você deve usar uma
estratégia diferente. Considere a possibilidade de intimidar o
inimigo. Já que o diálogo não funcionou para esfriar o ímpeto
dele, talvez você consiga assustá-lo.

. Aumente o tom da sua voz e mande-o se afastar;

. Simule que está pegando algo atrás da sua camiseta com uma
das mãos.

Lembre-se que isso pode não surtir o efeito desejado,


por isso use a intimidação apenas quando não restar outra
forma de dissuasão do inimigo.

204
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Fuga

Sempre costumo dizer aos meus alunos aqui na escola


em nosso canal do youtube que “fugir não é vergonhoso,
vergonhoso é apanhar na rua”. O principal objetivo de quem
realmente entende de autodefesa é chegar em casa o mais
íntegro possível. De nada adianta você nocautear cinco pessoas
e acabar ferido também. Melhor do que vencer um combate e
sair machucado é fugir do combate e não ter lesão alguma.

Você pode fugir tanto de alguém que acha que pode


vencer e principalmente de um combate que pensa que
perderá. Para isso observe algumas dicas:

. Mantenha-se em forma para conseguir correr, pular um murro


ou saltar um banco, enfim mantenha seu corpo ágil e rápido;
. Se possível cause uma distração para fugir, assim você ganha
alguns segundos valiosos à frente do inimigo. Pode ser
apontando o dedo para uma direção dizendo algo que o
distraia, por exemplo;
. Não vire simplesmente de costas e saia correndo, desta forma
você pode ser golpeado por trás;
. Dê pelo menos dois passos lentos para trás para aumentar a
distância entre vocês e fuja explosivamente;
. Se você estiver atrás de uma mesa ou outro obstáculo empurre
para cima dele e corra em sentido contrário. Isso fará que você
ganhe um tempo para sair na frente;

205
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Combate direto

Se a tentativa de esfriamento não funcionar e não for


possível fugir provavelmente o combate será a próxima etapa
desse desentendimento.

Você tentou evitar o confronto de todas as formas, agora


você usará tudo que estiver ao seu alcance para acabar com a
briga o mais rápido possível com o menor dano físico para
você:

. Use as armas de defesa pessoal que você tiver: bastão retrátil,


gás de pimenta entre outras;

. Se não tiver portando nenhuma arma própria para defesa


pessoal utilize os objetos ao redor como armas improvisadas de
defesa e ataque, como cadeiras, pedaço de ferro ou chave do
carro, enfim tudo que for mais contundente e comprido
possível;

. Caso esteja de mãos vazias (sem nenhuma arma de defesa


pessoal) ataque os pontos mais vulneráveis do inimigo, como
queixo, diafragma e testículos;

. Ataque primeiro e de surpresa se o inimigo invadir sua


distância mínima de segurança. Estatisticamente quem bate
primeiro tem mais chances de surpreender o inimigo e vencer o
combate;

. Golpeie quando ele estiver falando. Além de potencializar o


dano no queixo, você vai surpreendê-lo;

206
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Seja explosivo, ao iniciar seu ataque vá com tudo forçando o


inimigo a andar para trás. Desta forma ele terá mais
dificuldades em te atacar enquanto recua;

. Mantenha a guarda alta. Coloque suas mãos próximas ao seu


rosto para se proteger dos ataques do inimigo. Menos mal o
soco te atingir no braço do que no queixo;

. Mantenha-se em pé. Lembre-se que na rua não há regras e ao


ir para o combate no solo o inimigo pode ser mais pesado do
que você ou alguém pode chegar e te acatar enquanto você está
caído. No chão você só consegue lutar contra uma pessoa por
vez, por isso será uma presa fácil para quem estiver em pé;

. Se cair tente ficar por cima e se levante rápido;

. Movimente sua cabeça para dificultar o ataque do inimigo.


Um alvo parado é mais fácil de ser acertado do que um alvo em
movimento;

. Quando o inimigo estiver fora de condições de combate pare


de atacar, não se esqueça que você pode responder
criminalmente pelo excesso que cometer.

Briga generalizada contra vários inimigos

Se brigar com uma pessoa já é perigoso, brigar com


várias é algo terrível que deve ser levado muito a serio. Como
abordamos anteriormente a vantagem numérica é um fator
muito relevante, mas o que fazer em uma situação assim?

207
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Lembre-se das dicas aprendidas de como lidar com uma


briga contra um inimigo e acrescente as demais dicas
específicas abaixo:

. Arme-se o mais rápido possível. Desta forma você pode


intimidar os agressores e também neutralizá-los com mais
eficiência;

. Mantenha suas costas protegidas. Os ataques virão de todos os


lados e ângulos, os golpes mais difíceis e perigosos serão os que
vierem por trás, pois você não os estará vendo. Por isso evite
que alguém fique atrás de você;

. Não tente atacar todos os agressores ao mesmo tempo. Você


não vai conseguir golpear a todos de uma única vez, por isso
concentre-se na ameaça prioritária;

. Crie distância dos inimigos de forma que apenas um deles


consiga te alcançar de cada vez. Aqui você vai precisar usar
bastante a sua visão periférica e inteligência espacial para
conseguir lutar com um agressor e fugir do alcance do outro.

Brigas em ambientes fechados

São as brigas que acontecem de dentro de prédios


públicos ou privados, como escola, bares, danceterias, estádios,
ginásios entre outros. A maior dificuldade em se defender
nestes locais é a limitação do ambiente e a possibilidade de ter
vários objetos perigosos à disposição.

Para lidar com brigas em ambientes fechados adote as


medidas já mencionadas nos artigos anteriores de briga um

208
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

contra um e briga contra vários inimigos e acrescente as


seguintes dicas:

. Conheça a estrutura do local. Saiba onde ficam as saídas de


emergência, janelas e salas. Em caso de necessidade você pode
utilizá-las para escapar de uma briga ou acidente. Isso te
ajudará a saber para onde correr ou não;

. Observe os objetos do local. Ao adentrar qualquer ambiente


observe os objetos que possam ser utilizados como
instrumentos de defesa ou ataque por você ou por possíveis
agressores;

. Se possível entre em uma sala e se tranque. Utilize objetos


pesados para travar a porta pelo lado de dentro e acione a
polícia imediatamente;

Brigas em ambientes abertos

São as brigas que acontecem em espaço não delimitado


por paredes ou murros. Normalmente são as vias públicas,
praças ou parques. Para lidar com brigas em ambientes abertos
siga as orientações gerais já mencionadas nos tópicos de briga
um contra um e briga um contra vários e acrescente as
seguintes dicas:

. Utilize os obstáculos do ambiente como meio de fuga e


proteção. Corra ao redor de um carro ou um canteiro alto para
fugir do agressor;

. Grite por ajuda enquanto foge, isso aumenta as chances de


alguém acionar a polícia;

209
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Utilize os objetos do ambiente a seu favor. Uma pedra para


arremessar ou um pedaço de pau para manter o agressor longe
de você, por exemplo;

. Se estiver fugindo tente entrar em um local com segurança


privada e peça ajuda;

Importante

. Pratique um sistema de defesa pessoal realista para estar


preparado física, técnica e mentalmente para lidar com a
violência do dia a dia;

. Entenda a lei criminal sobre legítima defesa (artigo 25 do


código penal) para que você saiba como e o quanto pode agir
dentro da lei;

. Mantenha-se em forma tanto para fugir quanto para lutar;

. Lembre-se que é sempre melhor evitar o confronto;

. Entenda que caso o agressor seja gravemente ferido você deve


prestar socorro (ainda que apenas acionando o regaste médico)
– artigo 135 do código penal – (Omissão de socorro).

210
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

CASA

Nossa casa é nosso local sagrado onde nos reunimos


com nossa família e onde descansamos após um dia de trabalho
árduo, por isso é essencial que saibamos proteger nossa
residência de invasores e assaltantes.

Dicas de segurança:

. Cuidado ao contratar prestadores de serviços. Prefira fazer por


meio de uma empresa e não diretamente com a pessoa física.
Confira a idoneidade da empresa consultando seu cpnj;

. Evite ficar sozinho ao receber prestadores de serviços, como


internet, pintura, eletricista, encanador, instaladores de antenas

211
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

e pedreiros. Agende o serviço em horário que tenha outros


familiares para acompanhar o trabalho;

. Ao contratar qualquer prestação de serviço não deixe


pertences de valores à mostra. A maioria dos trabalhadores é
honesta, mas há alguns criminosos (muitos ex-presidiários) que
se aproveitam das informações para voltar e cometer um crime
ou repassar informação para um comparsa;

. Não abra a porta para atender chamadas no portão. Instale um


sistema de porteiro eletrônico para evitar o contato direto com
estranhos;

. Instale um portão eletrônico de acionamento rápido. Desta


forma você evita descer do carro para abrir o portão e se expor
à ação de criminosos;

. Antes de abrir o portão para sair com o carro verifique nas


câmeras se há alguém parado próximo ou em atitude suspeita;

. Ao se aproximar da sua casa diminua a velocidade para


observar se há alguém escondido ou se há algum veículo
parado, principalmente motos com garupas observando os
moradores. Se notar algo estranho não pare, passe direto;

. Ao parar em frente de casa enquanto aguarda a abertura do


portão eletrônico, mantenha os vidros fechados e as portas do
carro travadas, permaneça atento à aproximação de motos e
pessoas;

. Mantenha os pontos de entrada e saída da casa bem


iluminados;

212
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Utilize sensores de presença que acendam a iluminação e


disparem alarme. Isso intimidará o intruso que perderá o efeito
surpresa;

. Se for viável tenha um cão de guarda. Além do poder de


ofensividade da mordida, os latidos servem como alarme. Algo
que o criminoso tem medo é de cachorro;

. Mantenhas as chaves nas portas internas da casa pelo lado de


dentro. Em uma invasão você pode fugir e trancar as portas
para atrasar o criminoso;

. Dê preferência às chaves modelo tetras-chave, pois são muito


mais seguras;

. Nunca deixe chaves escondidas no lado de fora da casa para


outro familiar usar. Cada um deve ter sua chave em sua posse e
não debaixo de um vaso, por exemplo;

. Portas e janelas externas são entradas e saídas frágeis da casa;

. Invista em boas dobradiças e trancas;

. Mantenha as portas trancadas mesmo quando estiver em casa.


Caso contrário pode ser surpreendido pelo criminoso dentro da
sua casa;

. Ao chegar em casa antes de abrir a porta verifique se não


houve arrombamento da mesma ou de alguma janela. O
criminoso pode estar dentro da casa e te fazer de refém por
horas;

213
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Mantenha cercas vivas e demais plantas aparadas para evitar


que criminosos se escondam;

. Caso perca suas chaves, troque as fechaduras das portas


externas;

. Se for possível não dê cópia das chaves para os empregados;

. Troque as fechaduras sempre que dispensar um empregado


que tinha uma cópia das chaves;

. Não coloque seu nome e endereço no seu molho de chaves.


Essa é toda informação e ferramenta que o criminoso precisa
para invadir sua casa;

. Mude a frequência do seu portão eletrônico se perder o


controle;

. Em caso de suspeita de haver invasor no quintal da casa não


ligue as luzes internas, vá ao cômodo mais seguro e ligue para a
polícia;

. Ao atender o interfone nunca informe estar sozinho em casa;

. Instale um bom sistema de câmeras de vigilância em casa e


baixe o aplicativo em seu celular, assim você pode verificar de
tempo em tempo como está sua casa e principalmente antes de
entrar e sair;

. Verifique anualmente as baterias do seu sistema de alarme e


cerca elétrica, pois normalmente não duram mais do que isso.
Há muitos casos nos quais o criminoso desliga a energia elétrica

214
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

e os alarmes e sensores param de funcionar porque a bateria


está danificada;

. Tenha muito cuidado ao atender alguém no portão, há muitos


criminosos disfarçados de servidores públicos, carteiros ou que
dizem arrecadar alimentos etc.;

. Nunca deixe recados de ausência na porta ou portão da casa;

. Tenha o contato telefônico dos seus vizinhos em especial os


mais próximos para um alertar o outro em caso de alguma
suspeita;

. Ao entrar na garagem mantenha o carro ligado com os vidros


e portas trancadas e fique de olho no retrovisor enquanto o
portão se fecha;

. Se estiver em dúvida se fechou alguma porta ou janela volte e


confirme;

. Caso more em algum condomínio combine um sinal de


emergência para checagem;

. Coloque um aviso de vigilância monitorada em um local


visível. Ainda que não seja verdade, pode deixar o criminoso
em dúvida e desestimular a ação oportunista;

. Coloque um aviso de cão bravo, mesmo que você não possua


um cachorro. Criminosos temem por sua ferocidade e o alarme
pelas latidas. Um simples aviso pode deixar o marginal em
dúvida;

215
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Guarde equipamentos fora da vista das pessoas que trafegam


pela rua. Qualquer objeto pode ser um chamariz mesmo que
para você não tenha muito valor;

. Utilize cortinas ou persianas nas janelas para dificultar que o


criminoso espreite sua casa e descubra o que há lá dentro;

. Desative a campainha quando se ausentar da residência por


longos períodos;

. Peça para um vizinho recolher jornais e demais


correspondências quando tiver que se ausentar da residência
por algum tempo. O acumulo destes materiais pode chamar
atenção do criminoso que passa pela rua;

. Não deixe luzes ligadas quando viajar, prefira usar um


temporizador que acenda e apague a luz em horários
específicos;

. Crie um quarto de segurança. Instale portas maciças,


fechaduras e trancas robustas;

. Tenha um plano para o caso de a casa ser invadida com você


dentro. Treine as pessoas que moram com você sobre como
fugir para o quarto de segurança;

. Faça um treinamento mensal de simulação de fuga na qual as


pessoas fujam o mais rápido para o quarto de segurança,
lembre-se que o treinamento vai ajudar a criar uma resposta
automática facilitando a ação durante o stress e medo;

216
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Deixe um celular de emergência no quarto de segurança para


acionar a polícia rapidamente;

. Deixe um celular de emergência no banheiro, pois caso você


seja abordado há um a grande chance do criminoso te trancar
no banheiro após o crime;

Assalto à residência

A maior parte dos assaltos à residência são cometidos


quando a casa está sozinha. Os ladrões buscam bens de valor
que possam ser carregados fácil e rapidamente, como dinheiro,
joias e eletrônicos.

Ao adotar as medidas preventivas você consegue


desestimular a ação do criminoso. Não podemos nos esquecer
que há também uma parte de criminosos que invadem a
residência com os seus moradores em seu interior, seja por
engano ou pela chance de lucro alto, por isso quando você
perceber algum movimento ou som suspeito é hora de agir
rapidamente para aumentar suas chances de defesa.

O que fazer se a casa for invadida

Cenário 01
Criminosos forçam a janela ou porta de entrada:

. Reúna as pessoas que estiverem na casa e fujam para o quarto


de segurança;

217
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Tranquem o quarto e se abaixem atrás de alguma estrutura


rígida;

. Acione a polícia.

Cenário 02
Criminosos estão dentro da sua casa e não há como fugir até o
quarto de segurança:

. Entre no cômodo mais próximo para se esconder;

. Construa uma barricada colocando objetos pesados contra a


porta, como mesa, cadeira, geladeira ou fogão;

. Apague a luz;

. Proteja-se atrás de uma estrutura rígida para evitar ser


atingido por um disparo;

. Acione a polícia.

Cenário 03
Você percebe a invasão e não tem como ir ao quarto de
segurança nem a outro cômodo para se trancar:

. Esconda-se do melhor jeito que você puder, seja atrás de uma


cortina ou atrás de uma porta, enfim conheça os melhores
esconderijos da sua casa e permaneça escondido em silencio até
a saída dos criminosos.

218
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Cenário 04
Você foi surpreendido pelos criminosos e não teve tempo de
fugir nem se esconder:

. Não faça movimentos bruços, pois isso assustará os


criminosos que podem atirar;

. Mantenha-se calmo, pratique a respiração tática de 3/2/3


inspirar em três segundos, segurar o ar por mais dois e expirar
em três segundos, isso vai baixar seus batimentos cardíacos, te
ajudar a pensar e a agir melhor;

. Não discuta com os criminosos;

. Obedeça às ordens sem questionamentos, o criminoso vai te


pedir dinheiro ou joias, mostre a eles onde estão (lembre-se de
nunca deixar grandes quantias em casa e caso possua joias ou
bens de valores, guarde-os em locais diferentes para que possa
entregar apenas a menor parte deles).

Cenário 05
Os criminosos após o roubo não fogem e começam a agir ou
conversar de forma que você acredita que será morto:

Lembre-se o criminoso após cometer o crime quer fugir


rapidamente, pois quanto mais tempo permanecer na cena do
crime, maiores serão os riscos que dele ser preso. Se após o
roubo ele tem todas as possibilidades de fugir, mas não o faz,
talvez você terá que reagir.

. Observe a quantidade de criminosos;

219
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Observe qual deles está usando uma arma e de qual tipo ela é;

. Espere o criminoso chegar o mais próximo possível para


iniciar um combate;

. Crie uma distração, seja olhar para o lado contrário como se


tivesse chegando alguém ou fingir passar mal, enfim avalie as
oportunidades do momento;

. Ataque-o de surpresa;

. Atinja os pontos sensíveis e vitais, como cabeça, garganta,


testículos e nuca.

Lembre-se que em um cenário como esse o grau de risco


é altíssimo e você só deve reagir se entender que realmente o
crime vai evoluir de assalto para um assassinato.

220
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

CELULAR

Os aparelhos celulares se tornaram instrumentos


indispensáveis na rotina moderna dos cidadãos. Com isso os
celulares estão cada vez mais caros se tornando o item mais
roubado e furtado por criminosos oportunistas.

Segundo dados oficiais de 2018 da Secretaria de


Segurança Pública do Estado de São Paulo foram registrados
21.352 boletins de ocorrência de roubos e 14.798 furtos de
celulares, ou seja, 36.330 casos de crimes envolvendo o aparelho
celular.

Evite roubos e furtos de celular

. Mantenha seu aparelho próximo a você o tempo todo, pois um


pequeno descuido é suficiente para um oportunista furtá-lo;

221
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Não o coloque em locais como mesas e balcões, pois é grande


o número de furtos que acontecem quando o dono do aparelho
sai do local por alguns instantes;

. Evite andar com o celular à mostra em áreas de grande fluxo


de pessoas;

. Evite utilizar e deixar o celular à mostra dentro do transporte


público, pois são justamente nestes locais que acontecem os
maiores índices de furto;

. Considere a possibilidade de carregar um celular mais antigo


que você tiver para caso você seja vítima de roubo, assim você
pode entregar o aparelho reserva de menor valor;

. Não deixe o celular à mostra dentro do carro, pois além do


risco perder o celular, você corre o risco de ter uma janela do
carro quebrada;

. Evite usar fones de ouvidos caros. Os criminosos sabem


distinguir a qual aparelho eles pertencem, principalmente
tratando-se dos modelos mais caros como da marca Apple, por
exemplo;

. Instale um rastreador no seu aparelho celular. Em caso de


perda, roubo ou furto será a sua chance para recuperá-lo;

. Anote os dados do seu telefone celular como o IMEI


(identificação Internacional de equipamento Móvel, em
tradução livre), esse código é o literalmente o RG do seu

222
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

aparelho. Para conseguir o número do IMEI basta digitar *#06#


em seu aparelho;

. Coloque bloqueio de tela por senha;

. Utilize a opção de desbloqueio do aparelho por impressão


digital se ele tiver esse recurso;

. Cuidado ao ser abordado por um estranho perguntando a


hora, no momento em que você tira o celular do bolso pode se
tornar vítima de um ataque rápido;

. Habilite o recurso de rastreamento do seu celular. Uma


simples busca na internet vai te ensinar o passo a passo de
acordo com o modelo do seu aparelho;

O que fazer se seu telefone for roubado ou furtado

. Entre em contato imediatamente com sua operadora para


desabilitar seu número de telefone. Informe o ocorrido para que
sua conta telefônica seja bloqueada imediatamente;

. Se conseguir encontrar a localização do aparelho tome


cuidado ao tentar recuperá-lo, você pode ser vítima de outro
crime. Entre em contato com a polícia;

. Faça o boletim de ocorrência imediatamente. Na maior parte


dos Estados brasileiros esse serviço pode ser feito pela internet
no portal policial sem a necessidade de ir diretamente a uma
delegacia de polícia e passar horas para ser atendido. O boletim

223
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

de ocorrência será necessário para acionar o seguro do aparelho


se houver.

224
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

COMÉRCIO

. Evite fazer compras carregando grande quantia de dinheiro,


utilize sempre que possível os meios eletrônicos;

. Ao notar uma movimentação suspeita dentro da loja se afaste


discretamente e comunique a autoridade policial;

. Esconda-se em um local seguro caso não seja possível fugir da


loja durante um assalto;

. Não deixe bolsas, mochilas e pertences em geral pendurados


no interior da loja;

. Não compre produtos em comércio clandestino;

225
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Não troque dinheiro para pessoas desconhecidas, pois muitos


criminosos utilizam esse momento para analisar quanto
dinheiro você tem disponível;

. Observe a presença de algumas pessoas que tenham um


comportamento incompatível com o ambiente, como uma
pessoa com as mãos o tempo todo escondidas de baixo da blusa
ou que esteja observando a entrada e saída de clientes;

. Antes de entrar em um estabelecimento comercial olhe para o


interior e veja se há algo suspeito acontecendo;

. Mantenha seus pertences nos bolsos da frente durante suas


compras;

. Carregue suas bolsas e mochilas na frente do corpo;

. Antes de digitar sua senha do cartão, verifique se o valor já foi


digitado. Há muitos casos de roubos de senha de cartões por
pessoas que não digitam o valor e pedem para o cliente colocar
e senha, o cliente a digita e o atendente pega os números da
senha no visor e informa que a rede falhou, mas agora ele já
tem o número do seu cartão e a sua senha;

. Ao digitar sua senha cubra a visibilidade usando sua outra


mão;

. Não fique parado nas entradas de estabelecimentos


comerciais;

. Faça suas compras acompanhado de uma pessoa de confiança


se for possível;

226
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Guarde o recibo de todas as suas compras caso precise


comprovar a compra ou informações, como data e horário;

. Evite ir a centro de compras em datas de grande tumulto,


como natal, dia das mães, dia das crianças e etc., pois a
aglomeração de pessoas facilita o ataque dos trombadinhas.

227
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

ESTUPRO

O estupro é um dos crimes mais revoltantes e


traumáticos de que uma pessoa pode ser vítima. Quando
pensamos em um crime tão bárbaro quanto esse imaginamos
um homem estranho com uma arma abordando uma mulher
adulta em um local escuro. Grande erro!

Os dados estatísticos mostram que o cenário real é bem


diferente do que a maior parte das pessoas imagina. Segundos
os dados oficiais do Atlas da Violência de 2018, cerca de 89%
dos estupros são contra mulheres (11% das vítimas são homens
e provavelmente esse número é muito maior devido o número
de não denúncias feitas por preconceito).

Os estupros são cometidos por uma pessoa próxima da


vítima, como familiares, companheiros e amigo sem quase 70%
das vezes. Em relação à vítima, 68% são crianças ou
adolescentes. Nos estupros cometidos por conhecidos da vítima
o principal local do crime foi dentro da residência em 78,6% dos

228
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

casos. A maior parte dos crimes de estupro em que a vítima e o


criminoso não se conheciam aconteceram em via pública.

Importante saber que 72,2 % dos estupros são cometidos


sem nenhum tipo de armas, sendo 39,1 % mediante força física,
29,5% mediante ameaça e 3,6% por enforcamento. O uso de
arma de fogo corresponde a 11,7%, objetos perfurocortante
7,2% e objetos contundente 1,8 %.

Entendendo melhor o perfil da vítima, do estuprador e


local de ocorrência do crime, podemos adotar algumas medidas
para ajudar a prevenir este tipo de violência.

Medidas de proteção contra estupradores conhecidos como


amigos ou familiares.

Sabendo que a maior parte das vítimas são crianças e


adolescentes é dever dos pais ou responsáveis observar a
conduta de amigos, familiares e do seu próprio cônjuge.

. Observe se a pessoa próxima apresenta algum comportamento


sexual quando está próxima à criança ou adolescente;

. Analise reações de medo da criança ou do adolescente quando


determinada pessoa se aproxima. Muitas vezes a vítima já foi
estimulada anteriormente a cometer o ato sexual, mas ainda
não foi violentada;

. Mantenha um bom relacionamento de confiança com a criança


ou adolescente para que eles tenham liberdade em relatar
qualquer aproximação ou solicitação sexual;

229
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Evite deixar seus filhos dormirem fora de casa ou passarem


muito tempo na casa de amigos;

. Oriente seus filhos a como agir em caso de uma tentativa de


abuso sexual;

. Considere a possibilidade de matricular as crianças e


adolescentes em alguma escola de defesa pessoal;

. Confira os e-mails, mensagens de celular e redes sociais dos


seus filhos para checar se não há nenhum tipo de conversa
suspeita.

Medidas de proteção contra estupradores desconhecidos

. Considere se matricular em uma escola de defesa pessoal de


qualidade que ensine a lidar física e mentalmente com esses
tipos de violência;

. Fique atenta aos locais e horários que você trafega em vias


públicas. Os estupradores desconhecidos costumam agir em
momentos de pouco movimento;

. Fique atenta ao ambiente e ao comportamento das pessoas que


se aproximam de você. O criminoso se aproveita da distração
da vítima para conseguir surpreender e deixá-la sem tempo de
defesa;

. Cuidado ao usar o celular em locais públicos. Esse é o maior


motivo de distração das vítimas;

230
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Carregue algum instrumento que possa ser usado como uma


arma de defesa pessoal, como um bastão retrátil, chaveiros
pontiagudos, canivete portátil, chave do carro entre os dedos
ou um espargidor de gengibre (spray de pimenta é autorizado
apenas para agentes de segurança);

. Fique atenta aos prestadores de serviço que adentrarem sua


residência e faça uma checagem prévia. É grande o número de
ex-detentos, inclusive por estupro, que ingressam em
companhias prestadoras de serviço;

. Esteja acompanhada ao receber alguma pessoa estranha em


sua casa;

. Confie em seus instintos se achar que está sendo seguida;

. Mantenha uma postura corporal rígida e confiante.


Estupradores são criminosos covardes e oportunistas que
buscam vítimas que não oferecerão reação. Uma boa postura
corporal pode simplesmente desestimular que o criminoso te
escolha;

. Esteja em forma física para conseguir correr ou lutar por sua


vida;

. Treine sua mente para lidar com esse crime assim. Imagine-se
na situação e a forma que deve reagir. Lembre-se que quanto
mais preparada você estiver, maiores serão suas chances de
escapar do criminoso e de controlar suas emoções;

231
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Como agir ao ser abordada por um estuprador

. Analise se o criminoso possui alguma arma. Sabemos pelos


dados oficiais que o criminoso não está com nenhum tipo de
arma em 72,2% dos crimes;

. Lute com todas as suas forças. Neste ponto existe muita


divergência de opinião entre especialistas em segurança. Eu
costumo orientar que se o criminoso não estiver armado, reaja!
Estatisticamente sabemos que o estuprador desiste do crime
quando a vítima reage com firmeza, mas cabe apenas a você
tomar a decisão de reagir ou não;

. Ao ser abordada ou perseguida em via pública grite “fogo” ao


invés de gritar socorro. Lembre-se que há mais pessoas curiosas
do que corajosas. Há muito mais chances de alguém sair de sua
casa para descobrir o que está acontecendo;

. Ataque os pontos mais sensíveis e vitais do estuprador. Espere


por uma distração do criminoso e golpeei os olhos, garganta ou
testículos;

. Considere as opções instintivas do momento. Alguns


especialistas orientam a vítima vomitar no estuprador, usar
cabelos curtos, calças, mas essas orientações carecem de dados
estatísticos que comprovem a eficácia de qualquer uma dessas
orientações. Por isso te digo para seguir seus instintos e fazer o
que julgar melhor para o momento;

232
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

O que fazer após o estupro consumado

. Tente se acalmar e entender que não foi sua culpa. O


criminoso é sempre o culpado pela ação criminosa e não a
vítima;

. Não se limpe imediatamente. Você é a prova física do crime;

. Chame imediatamente a polícia. A polícia vai te encaminhar


para o exame de corpo de delito e a um hospital onde você
receberá medicamentos anticoncepcionais e antirretrovirais
para prevenir doenças sexualmente transmissíveis;

. Procure apoio profissional com um psicólogo se achar


necessário;

. Converse com uma amiga ou familiar se sentir desejo disso.

233
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

INTERNET

O número de pessoas que fazem compras pela internet


cresce a cada ano e com isso o número de crimes virtuais
também. Por isso é importante ficar atento as medidas de
segurança:

. Utilize senhas diferentes para cada conta virtual que tiver;

. Nunca preencha informações de pagamento em sites não


conhecidos;

. Adquira um bom sistema antivírus e o mantenha atualizado;

. Conheça a lei dos Crimes Cibernéticos (12.737/2012);

. Informe-se sobre o Marco Civil da Internet (Lei 12.965/2014);

234
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Não compartilhe suas senhas virtuais com outras pessoas,


lembre-se que você pode ser responsabilizado pelas atitudes
criminosas em suas contas;

. Restrinja suas informações pessoais em sites;

. Mantenha sua privacidade nas redes sociais, não compartilhe


suas rotinas, locais e horários que frequenta determinados
ambientes, isso dará toda informação para a ação do criminoso
que saberá onde e quando você estará;

. Não ostente bens materiais nas suas redes sociais, lembre-se


que o criminoso é ambicioso e assumirá maiores riscos por
maior lucro;

. Não deixe seus dispositivos eletrônicos como notebook e


celulares com estranhos, pois programas espiões podem ser
instalados;

. Não abra arquivos enviados por pessoas e contas


desconhecidas;

. Não pague nenhum boleto que você não solicitou diretamente;

. Tenha um cartão de crédito com baixo limite para fazer suas


compras on-line;

. Não anote suas senhas no seu celular;

. Memorize suas senhas para não precisar anotá-las em nenhum


lugar, se for necessário, use códigos que só você entenda;

235
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Crie senhas fortes utilizando números, letras e sinais. Não use


datas específicas, como aniversários, número de telefone nem
utilize nomes dos familiares;

. Cuidados com a instalação de aplicativos em seu celular ou


computador. Baixar e aceitar permissões de aplicativos de
empresas não reconhecidas é um erro e um risco imenso. Há
muitos aplicativos que pedem permissões de alteração e de
acesso a informações relevantes;

. Em caso de dúvida não instale o software;

. Fique atento aos downloads. Evite sites desconhecidos, baixe


apenas em sites de reputação conhecida;

. Cuidado com os links. Fique atento em redes sociais e e-mail


sobre histórias, fotos e vídeos muito curiosos ou engraçados.
Muitas armadilhas podem estar escondidas nestes links;

. Desconfie das ofertas imperdíveis. Há uma grande chance de


haver algum vírus.

Ameaças pela internet

A sociedade está mais conectada com o mundo virtual e


com esse aumento de envolvimento on-line aumentam os
problemas, como os crimes de ameaça, injuria e difamação.
Muitos criminosos se sentem seguros por trás de um
computador para cometer seus crimes devido à grande
impunidade no meio virtual. Código penal:

236
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Ameaça (art. 147): significa intimidar alguém, pode ser


através de gestos, telefonemas, de forma escrita, desenho e até
e-mails. A pena para este crime é de 1 a 6 meses de detenção
ou multa.

Injuria (art.140): Injuriar alguém, ofendendo lhe a


dignidade ou o decoro: ... §2º – Se a injúria consiste em
violência ou vias de fato, que, por sua natureza ou pelo meio
empregado, se considerem aviltantes: Pena – detenção, de três
meses a um ano, e multa, além da pena correspondente à
violência

Calúnia (art. 138) - Caluniar alguém, imputando-lhe


falsamente fato definido como crime:
Pena - detenção, de seis meses a dois anos, e multa.
§ 1º - Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a
imputação, a propaga ou divulga.
§ 2º - É punível a calúnia contra os mortos.

Difamação (art. 139) - difamar alguém, imputando-lhe


fato ofensivo à sua reputação: Pena - detenção, de três meses a
um ano, e multa. Parágrafo único - A exceção da verdade
somente se admite se o ofendido é funcionário público e a
ofensa é relativa ao exercício de suas funções

Como agir se for vítima de um desses crimes

Se você conhece ou pode identificar o criminoso:

. Reúna todas as informações possíveis sobre a pessoa;

237
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Junte todas as provas que conseguir imprima e salve em um


pendrive ou cd a foto da tela (printscreen) do crime, link da
página da Internet onde ocorreu o fato e todas as informações
relevantes;

. Vá à delegacia de polícia e registre um boletim de ocorrência;

. Leve todas as provas e documentos que você reuniu;

. Acompanhe o andamento do caso e fique atento aos prazos.

Ações imediatas contra o criminoso

. Caso a ameaça tenha sido direta e você saiba quem é o


ameaçador informe-o que você irá registrar um boletim de
ocorrência;

. Mantenha a calma e não revide ameaças ou ofensas, muitas


vezes o simples fato de ignorar desmotiva o criminoso em
continuar com a conduta;

. Analise o grau de risco da ameaça, leve em consideração: o


perfil da pessoa que o ameaçou, a motivação da ameaça e o
nível de proximidade ou conhecimento que o ameaçador possui
sobre sua vida pessoal. Lembre-se que muita gente se vale da
tela de um computador para simplesmente infernizar a vida
dos outros;

. Adote medidas de prevenção de acordo com o grau do risco


analisado.

238
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

PACOTES SUSPEITOS

O mundo tem sido vítima de diferentes formas de


ataques terroristas, como explosões em transportes públicos,
igrejas, estádios e parques que são locais de grande
aglomeração de pessoas causando um grande número de
mortes.

Esses ataques podem executados por meio de pacotes,


bolsas, latas de lixo, cartas, panelas, carros ou pessoas suicidas.

No Brasil em 2018 tivemos um caso em Brazlândia no


Distrito Federal onde um terrorista armou um explosivo com
pregos dentro de uma bolsa e a deixou em frente à igreja
Santuário Menino de Jesus. O artefato possuía cinco quilos de
pólvora, relógios e marcadores e só não explodiu porque houve
falha no detonador.

Na cidade de Brasília em 2016 houve uma explosão de


uma panela de pressão que continha pregos, porcas, parafusos
e produtos químicos não identificados no estacionamento de

239
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

um shopping por onde passam aproximadamente 700 mil


pessoas por dia, mas ninguém se feriu.

*Imagem da panela após a explosão

Como agir diante de um pacote suspeito

. Nunca toque ou se aproxime de bolsas, mochilas ou pacotes


deixados em locais públicos;

. Acione imediatamente a polícia e observe o máximo de


informações possíveis;

. Não entre em pânico nem faça um alarde para que haver


confusão e possível pisoteamento de pessoas;

. Informe aos seguranças do local a existência do objeto


suspeito;

. Afaste-se do objeto o máximo possível;

240
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Caso não consiga sair do local, abrigue-se em um local


protegido, como atrás de uma parede ou coluna de concreto ou
aço;

As ameaças podem ser direcionadas a pessoas


específicas. Neste ponto trata-se de um ataque vingativo
enviado por uma carta ou pacotes contendo agentes químicos
letais ou explosivos. Como se proteger disso?

. Observe se a encomenda possui os selos da empresa de


transporte ou encomendas. Encomendas sem os selos são
entregues diretamente por alguma pessoa desconhecida
aumentando as chances de ser uma armadilha;

. Fique atento a pacotes com peso incompatível com o tamanho


da caixa ou envelope;

. Olhe a embalagem para ver se há manchas de óleo;

. Cuidado com pacotes inesperados ou de desconhecidos;

. Caso o pacote tiver o nome de um remetente conhecido, entre


em contato com o mesmo para confirmar o envio;

. Fique atento se a embalagem estiver com cheiro forte. Isso


pode ser indício de algum agente químico letal;

. Observe se há algum som vindo do pacote como movimentos


de ponteiro de relógio (tique taque) ou se há algum fio;

241
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Analise se a embalagem possui muita fita ou barbante. Isso


pode ser indício que o remetente quis dificultar a abertura do
pacote;

. Ao receber algum pacote ou encomenda suspeita tente manter


a calma e se for possível coloque-o em um local seguro longe do
fogo, calor e eletricidade;

. Não abra o pacote e evite agitá-lo;

. Acione imediatamente a polícia;

. Lave sua mão com sabão imediatamente após entrar em


contato com o pacote por causa do risco de agente químico.

242
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

PERSEGUIDO X SEGUIDO

Essas duas palavras possuem significados diferentes


quando se trata de autodefesa embora muitas vezes sejam
confundidas e até usadas de forma similar.

Seguido – alguém que te segue de forma oculta e sem


demonstrar nenhum tipo de ameaça imediata. Pode ser a pé, no
transporte público ou veículo. Essa situação é comum nos
seguintes casos:

. Espionagem na qual outra pessoa é contratada ou a própria


pessoa se oculta para seguir seus passos e descobrir
informações pessoais como qual local você frequenta, com
quem ou quando. O seguidor busca obter o máximo de
informações da pessoa que está sendo seguida. Comum em
casos de detetive particular, namorado (a) ciumenta ou um
admirador secreto;

243
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Planejamento de um crime – O criminoso segue a vítima de


forma velada para cometer o crime em um momento mais
oportuno.

Perseguido

Situação de ameaça declarada na qual o perseguidor não


se oculta. A vítima tem consciência que está sendo seguida de
forma ostensiva e imprime fuga. Pode ser a pé ou em um
veículo. Essa é a situação comum em discussões e em ameaças
de trânsito, brigas, crimes de roubo ou sequestro.

Como saber se está sendo seguido


Se você estiver a pé

. De tempo em tempo olhe para trás e observe se há alguma


pessoa específica sempre atrás de você; quando olhar para trás
observe o rosto e a calça, sim, eu disse a calça, pois profissionais
como detetives mudam de camiseta, colocam bonés e óculos
para mudar sua aparência enquanto seguem a vítima, porém é
muito difícil trocar de calça;

. Mude de lado de calçada durante a sua caminhada e observe


se alguém faz o mesmo logo em seguida;

. Caso suspeite que alguém esteja te seguindo mude o ritmo da


sua caminhada e observe discretamente se a pessoa também
muda o ritmo dela. Pode ser aumentando ou diminuindo a
velocidade dos seus passos;

244
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Em caso de dúvida de ser seguido por determinada pessoa,


entre em um estabelecimento comercial e analise se a pessoa
também entra. Ao sair observe se a pessoa está parada próxima
ao local;

. Confie em seus instintos.

Se você estiver em um veículo:

. Olhe em seu retrovisor de tempo em tempo para ver se algum


veículo está sempre à mesma distância do seu. Caso suspeite de
algum veículo cheque seus retrovisores a cada 20 segundos
para analisar se ele continua te acompanhando;

. Dê a volta no quarteirão e observe se o veículo suspeito


continua te seguindo;

. Mude a velocidade do veículo e observe pelo retrovisor se o


suspeito também altera.

Como agir ao ser seguido

Se você estiver a pé:

. Evite entrar em ruas ou locais de pouco movimento;

245
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Entre em um estabelecimento comercial e se perceber que a


pessoa ficou do lado de fora sai pela saída de emergência ou
outra saída diferente;

. Se julgar necessário entre em um estabelecimento comercial


que possua um profissional de segurança e peça a ele para ficar
ao seu lado enquanto liga para a polícia;

. Caminhe até uma delegacia ou posto policial se estiver


passando por perto e informe o ocorrido;

. Não vá direto para sua casa, mude o trajeto e mantenha-se em


um caminho com grande fluxo de pessoas;

. Segure discretamente algum objeto que possa ser utilizado


como arma de defesa, como uma caneta ou guarda-chuvas, pois
caso você seja abordado terá mais poder de contundência
utilizando esses objetos;

. Considere olhar diretamente para os olhos do suspeito e o


encare por 03 segundos. Desta forma ele vai saber que foi
identificado e terá perdido a vantagem do efeito surpresa, há
grandes chances de ele desistir de te seguir;

Se você estiver dirigindo

. Fique parado no sinal verde do semáforo. Em situações assim


rapidamente os demais veículos começarão a buzinar e a te
ultrapassar forçando o seguidor a fazer o mesmo ou então
revelar sua intenção ao permanecer parado também;

246
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Dirija até um posto ou delegacia policial e estacione em frente


e observe a reação da pessoa que está no veículo te seguindo;

. Diminua a velocidade próximo ao semáforo e avance no


amarelo se for possível. Desta forma o outro veículo ficará para
trás e você terá tempo para escapar;

. Use as rotatórias. Entre em uma rotatória e a contorne por


duas vezes, desta forma o seguidor terá que seguir à diante e te
perder ou claramente demonstrará que está a te seguir.

O que fazer ao ser perseguido

Se você estiver a pé

. Entre em uma loja movimentada e vá até o profissional de


segurança e peça ajuda;

. Pegue algum instrumento que possa ser utilizado como arma


de defesa ou ataque, como uma lâmina, chave do carro, chave
de fenda, um pedaço ou uma pedra para caso o perseguidor
consiga se aproximar de você;

. Considere a possibilidade de se virar na direção dele e abrir os


braços enquanto grita “Deixe-me em paz, pare de me seguir”.
Essa atitude inesperada pode confundir ou assustar o suspeito,
além de chamar a atenção das outras pessoas ao redor.
Continue gritando até que o suspeito fuja;

. Chame a atenção das pessoas. Se a perseguição for em um


local movimentado grite para que o máximo de pessoas possam
ouvir e ver a situação;

247
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Caso esteja em um local com baixo fluxo de pessoas ou área


residencial grite “fogo” ao invés de simplesmente socorro, pois
as pessoas são mais curiosas do que corajosas e a curiosidade
em ver o que está acontecendo fará com que várias pessoas
saiam de suas casas para observar o que está acontecendo.

Se você estiver em um veículo

. Faça movimentos evasivos, desacelere o veículo e acelere


inesperadamente e vire em cima da hora. Só faça esses
movimentos se julgar capaz e for realmente necessário;

. Dirija até um posto ou delegacia policial e buzine para chamar


a atenção;

. Dirija em ruas ou avenidas que conheça, desta forma ficará


mais fácil manobrar e conhecer os pontos mais oportunos para
a fuga;

. Mantenha-se na faixa da esquerda, pois isso dificulta a


ultrapassagem e principalmente te mantêm mais longe do
carona que poderá estar armado. Lembre-se que pela direita o
carona estará ao seu lado na janela durante a ultrapassagem e
você será um alvo fácil para um ataque;

. Considere a possibilidade de fazer um curso de direção


defensiva, evasiva e ofensiva para melhorar sua capacidade de
defesa, fuga e ataque utilizando o veículo.

248
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Outras formas de perseguição

A perseguição por obsessão também conhecida por


“stalking” normalmente ocorre em virtude de uma atração não
correspondida. Na maior parte das vezes o perseguidor é um
conhecido da vítima ou um ex-parceiro (a) amoroso, porém não
podemos deixar de considerar os casos que envolvem pessoas
desconhecidas. O perseguidor quase sempre se sente rejeitado
pela vítima e por isso acredita que ela deve ficar com ele ou ela
deve receber algum tipo de punição por não o querer.

Podemos classificar os perseguidores nos seguintes perfis:

Internauta

Aquele que utiliza a internet como instrumento para


perseguir a vítima. Normalmente em redes sociais e chats. Esse
perfil costuma copiar fotos, vídeos e obter informações pessoais
da vítima.

Romântico secreto

É o perfil de perseguidor que nutre uma paixão secreta


pela vítima e a segue em seu caminho ao trabalho, escola e
momentos de descontração. Geralmente faz gestos como enviar
cartas, e-mails, textos ou presentes, como flores, bombons ou
itens carinhosos e românticos.

Romântico inconformado

Geralmente um ex-parceiro amoroso que não aceita o


fim do relacionamento ou aquela pessoa que acredita que a

249
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

vítima tem a obrigado de querê-lo. Este tipo de perseguidor não


sabe lidar com a rejeição.

Romântico fantasioso

É aquele que tem profunda admiração pela vítima e se


engana acreditando ser amado por ela. A vítima quase sempre
está em uma posição de superioridade social, fama ou
profissional.

Boderline

São aqueles que possuem transtorno de personalidade


que os tornam extremamente instáveis passando do sentimento
de paixão ao ódio intenso de forma muito rápida e
desproporcional. São pessoas conhecidas da vítima que
normalmente é uma colega de trabalho ou do círculo de
amizades.

Esquizofrênico

Trata-se de uma doença mental que causa delírios e


alucinações que fazem o perseguidor ter dificuldades em
distinguir entre realidade e fantasia.

Como identificar se alguém te persegue

Lembre-se que um perseguidor é alguém que pode


colocar sua vida em risco, por isso é importante identificar uma
possível perseguição o mais rapidamente possível.

250
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Reconheça o comportamento de um perseguidor


(stalking):

. Convites insistentes. Observe aquela pessoa que não desgruda


de você e que insiste muito em te levar para um evento, um
almoço ou algum tipo de encontro;

. Mensagens exageradas. Note a necessidade de alguém te


enviar muitas mensagens sem necessidade durante o dia;

. Insistência em saber seus planos, para onde vai, com quem e


como. Fique atento com pessoas que demonstram grande
interesse em sua vida particular;

. Observe se a pessoa sabe informações sobre você mais do que


deveria. Informações como seu endereço, pessoas da sua
família, horários dos seus compromissos e etc.. Esses são sinais
de que você está sendo vigiado ou perseguido;

. Visitas fora de hora ou surpresa. O perseguidor tem a


necessidade de ficar próximo da vítima, por isso observe o
desejo desesperado de alguma pessoa em manter contato
permanente com você;

. Repare na reação da pessoa quando você impõe algumas


restrições, como não telefonar após determinado horário ou
final de semana. Há grandes chances de a pessoa ser um
perseguidor caso não consiga respeitar esses limites;

. Observe se a pessoa apresenta um comportamento agressivo


quando você impõe restrições ou não aceita os seus convites;

251
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Note os gestos exagerados ou muito generosos, como pessoas


que estão sempre te dando presentes e agrados, principalmente,
se forem caros.

Como agir contra um perseguidor

. Imponha limites claros e diretos;

. Fique atento às suas publicações em redes sociais quanto às


informações valiosas que você compartilha sobre sua vida.
Cuidado para não fazer da sua rede social seu diário;

. Não discuta com o perseguidor quando estiver sozinho com


ele. Caso precise confrontá-lo faça em um local público ou com
alguma pessoa te acompanhando;

. Guarde as provas que puder, como mensagens, fotos, vídeos,


presentes e ameaças, pois isso será importante para acionar a
polícia;

. Acione a polícia se a pessoa não parar de te incomodar.

Questões legais

No Brasil ainda não existe tipificação penal específica


para os casos de Stalking, embora haja um projeto de lei n.
236/2012 com intuito de constituir um novo parágrafo no
artigo 147 do código penal sobre perseguição obsessiva ou
insidiosa.

252
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

O que normalmente acontece é o enquadramento do


“stalker” no crime previsto pelo artigo 147 do código penal por
ameaça escrita, verbal ou gestual, mas atente-se que aqui se
enquadra a atitude de ameaçar e não de seguir. Algumas vezes
há o enquadramento na contravenção penal prevista no artigo
65 do decreto-lei 3688/41 de perturbação à tranquilidade.

Outra opção para enquadramento é a lei Maria da Penha


11.340/2006 que garante proteção à mulher contra qualquer
tipo de violência doméstica, seja física, psicológica, patrimonial,
sexual ou moral.

253
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

RUA

Durante nossa caminhada nas ruas cruzamos com


centenas ou milhares de pessoas diferentes e de todo tipo de
índole. Por isso previna-se adotando as seguintes medidas de
segurança:

. Prefira andar em vias bem iluminadas;

. Evite locais desertos onde não há fluxo de pessoas, se você


estiver sozinho será um alvo muito chamativo;

. Ande preferencialmente por caminhos já conhecidos, evite


entrar em atalhos que não conhece para ganhar tempo, o perigo
pode estar escondido ali;

. Não fique parado em pontos de ônibus por mais tempo do que


o necessário e tenha em mãos os horários da sua linha para
esperar o mínimo possível;

254
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Ao caminhar, correr ou se exercitar em via pública evite os


aparelhos eletrônicos que diminuem sua percepção, tais como
os fones de ouvidos e celulares;

. Não pare para assistir apresentações de rua ou jogos de sorte,


como adivinhar onde está a bolinha, cartas e etc.;

. De tempo em tempo olhe discretamente para trás e para os


lados para ver se há alguma movimentação suspeita;

. Observe a presença de pessoas que destoam da multidão por


seu comportamento ou vestimenta, como uma pessoa com uma
blusa em pleno dia ensolarado e mãos dentro do bolso o tempo
todo;

. Evite transportar grande quantia de dinheiro em espécie,


prefira meios eletrônicos como o cartão de crédito;

. Evite ostentar joias, celulares caros e aparelhos que chamem a


atenção e que sejam facilmente transportados;

. Carregue dinheiro trocado separado da sua carteira para não


precisar tirá-la em locais movimentados;

. Evite parar em barracas de ambulantes, mas caso seja


necessário, pague em dinheiro, nunca em cartão de crédito,
assim você evita o risco de clonagem do seu cartão;

. Fique atento aos esbarrões, pois pode ser uma gangue de


trombadinhas em busca dos seus pertences;

255
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Evite usar camisetas que estimulem animosidade, como


camisetas de time de futebol, principalmente próximo aos
estádios;

. Ao carregar bolsa ou sacola dê preferência em usar a mão não


dominante, assim você terá mais condições de defesa com a sua
mão dominante;

. Ao caminhar nas calçadas use o lado oposto ao tráfego dos


veículos, assim você tem uma visão antecipada da aproximação
de algum carro ou moto suspeita;

. Não pare para dar informações, como localizações ou horários,


quando for abordado por alguém continue andando, se desejar
responder, seja o mais breve possível, caso a pessoa insista em
manter uma conversa você tem o direito de mandá-la se afastar;

. Não se encontre com a namorada (o) em locais isolados, vocês


serão alvos fáceis para o criminoso de oportunidade que sabe
que você estará distraído e que não há pessoas próximas para
testemunhar sua ação;

. Leve consigo apenas os documentos e cartões de crédito ou


débito que sejam realmente necessários;

. Considere a possibilidade em ter duas carteiras ou celulares


para entregar ao criminoso em caso de assalto, mantenha uma
carteira com alguns trocados ou um celular velho;

. Ao carregar mochilas, bolsas ou sacolas use-as junto ao corpo


à sua frente, desta forma você evita ser surpreendido pelas
costas e desestimula a ações de trombadinhas;

256
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Ao carregar seus pertences tente não parecer com medo ou


inseguro, isso pode atrair a atenção do criminoso que pensará
que você está com algo valioso;

. Não conte dinheiro em público;

. Fique atento a todas as pessoas, lembre-se que o criminoso


pode ser homem, mulher, jovem, adulto, idoso, vestindo roupas
simples ou sofisticadas. Entenda que o criminoso aparenta ser
igual a todos;

. Ao ser perseguido por alguém entre em algum


estabelecimento comercial movimentado, procure o segurança e
fique próximo dele enquanto liga para a polícia;

. Ao ser atacado na rua não grite apenas “socorro”, use: Fogo!


As pessoas muitas vezes ao ouvir o grito de socorro ficam com
medo de ajudar e se escondem, mas ao ouvirem fogo ficam
curiosas e saem para olhar a situação;

. Quando estiver em um ponto de ônibus evite ficar de costas


para as demais pessoas que transitam pela calçada, se possível
encoste-se ao murro para não ser surpreendido pelas costas;

. Fique atento à sua vestimenta ao sair, se for possível priorize


roupas e calçados que permitam um deslocamento e
mobilidade para fugir ou lutar;

. Sempre porte alguns instrumentos para defesa pessoal ou


armas improvisadas, uma simples torneira pode ser usada com
o um soco inglês;

257
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Caso seja viável, mantenha os familiares mais próximos


informados sobre seus trajetos e compromissos. Em caso de
emergência eles terão informações para facilitar a busca;

. Ande com uma identificação do seu tipo sanguíneo, pois em


caso de acidente você pode ser atendido mais rapidamente;

. Antes de sair faça seu planejamento para onde vai e quais as


rotas mais seguras;

. Divida o dinheiro que carrega com você. Evite levar tudo em


um único bolso;

. Carregue apenas os objetos realmente necessários, pois caso


precise se defender é melhor estar com as mãos livres;

. Feche os bolsos que tiverem zíper;

O que fazer se você for vítima de um assalto

. Lembre-se que a maior parte dos roubos são cometidos em


dupla, ou seja, ainda que você veja apenas um criminoso, há
grandes chances de ter um comparsa próximo;

. Fique calmo, respire fundo e não faça movimentos bruscos;

. Evite encarar os criminosos diretamente nos olhos;

. Mostre cooperação e não fique fazendo perguntas. Diante de


um assalto é importante demonstrar para o criminoso que você
não é uma ameaça ou obstáculo;

258
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Tente observar o número de criminosos e quais tipos de arma


utilizam como faca, arma de fogo e etc.;

. Informe previamente toda a ação que for realizar, por


exemplo: “vou pegar a carteira aqui no bolso” para evitar que o
criminoso se assuste e dispare;

. Não faça perguntas irrelevantes, responda apenas aquilo que


ele te perguntar;

. Não discuta com o criminoso, pois você está em desvantagem;

. Analise constantemente a real intenção do criminoso, observe


suas ações discretamente;

. Caso perceber que o criminoso tem outra finalidade além de te


roubar considere a possibilidade de iniciar um contra-ataque;

. Faça um plano mental de fuga e combate caso for necessário;

Após o assalto

. Acione imediatamente a polícia;

. Quando tiver mais pessoas verifique se alguém precisa de


socorro médico e tente acalmar as vítimas;

. Forneça o máximo de informações aos policiais;

. Procure ajuda de um psicólogo caso achar necessário.

259
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

SEQUESTRO

Caso Real

Sequestro em Hortolândia: suspeito tinha informações


privilegiadas e pediu cerca de R$ 1 milhão de resgate.

O filho de um empresário de Hortolândia/SP foi seqüestrado


por criminosos que receberam informações privilegiadas obtidas por
um parente que trabalhava na empresa do pai. Os seqüestradores
exigiram um resgate de 1 milhão de reais e parte do valor chegou a ser
paga pela família do rapaz. Segundo as investigações, uma quantia foi
recuperada.
Quatro suspeitos foram presos e a polícia afirma que o homem
com informações privilegiadas é parente de pessoa que trabalhava para
a família.

260
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

A vítima foi solta após os sequestradores receberem o dinheiro


da família. Ao procurar a polícia para registrar o ocorrido, a vítima
mostrou aos investigadores a região onde teria ficado preso e
identificou a caminhonete que foi usada no sequestro e os policiais
conseguiram prender os suspeitos.

Sequestro é o crime no qual uma pessoa é privada de


sua liberdade de forma ilegal com a finalidade de extorsão do
próprio sequestrado ou de sua família com objetivo de obter
qualquer vantagem, como dinheiro, valores ou bens materiais
como moeda de troca. Geralmente a duração é de vários dias ou
até mesmo meses e o local é um cativeiro desconhecido pela
vítima.
Há outra forma de sequestro conhecida como “sequestro
relâmpago” na qual a vítima é privada de sua liberdade por um
curto espaço de tempo e normalmente dura algumas horas. O
local do cárcere mais comum é o próprio veículo da vítima. O
objetivo dos criminosos é sacar dinheiro em caixas eletrônicos e
saques bancários com cheques assinados pela vítima.
O crime é cometido por uma quadrilha na qual cada
criminoso possui uma função específica no sequestro.

Como os criminosos agem?


. Os criminosos escolhem uma vítima abastada. Quanto maior
for a possibilidade de lucro, maior o interesse da quadrilha;
. Sondagem: Os criminosos passam dias observando a rotina da
vítima buscando informações de trajetos diários, locais que
frequenta, horários, com quem se encontra e etc.;

261
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Planejamento da ação criminosa;


. Abordagem da vítima. Com todas as informações em mãos os
criminosos abordam a vítima em um momento de
vulnerabilidade e a faz refém levando-a a um cativeiro;
. Cárcere da vítima por períodos longos como dias, semanas ou
meses;
. Contato com a família da vítima e exigências para libertar o
sequestrado.
Tratando-se de um sequestro relâmpago há algumas
diferenças nos modus operandis:
. A vítima não precisa ser rica. A quadrilha busca ganhos
menores, porém mais rápidos e com menores riscos. Por isso,
qualquer pessoa que aparente ter uma situação financeira
média é um alvo em potencial;
. Os criminosos são oportunistas. Eles escolhem suas
vítimas poucos instantes antes do crime. Não há um
planejamento nem obtenção de informações prévias sobre a
vítima;
. Cárcere por pouco tempo. A vítima é mantida sob o domínio
da quadrilha por um período de minutos ou horas.
Normalmente o local é o próprio veículo da vítima ou dos
criminosos;
. Não há contato com a família. A própria vítima faz o
pagamento mediante saques em caixas eletrônicos ou saques
bancários com cheques;
. Liberação da vítima em local distante;
. Abandono ou destruição do veículo da vítima.

262
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

A conclusão do crime é incerta. O sequestro pode ter um


final diferente em cada caso:
1. A família cumpre as exigências e os sequestradores
soltam a vítima em um local distante;
2. A família cumpre as exigências, mas os sequestradores
matam a vítima;
3. A polícia consegue resgatar a vítima;
4. A vítima consegue escapar;

Como se proteger contra um sequestro?


Só quem já passou por uma situação assim sabe como é
traumático e revoltante. O sentimento de impotência por ser
submetido ao domínio dos criminosos é algo terrível.
Imagine-se em um dia normal como todos os outros
quando, de repente, alguém te aponta uma arma e após te
amordaçar e vendar seus olhos, te joga dentro no porta malas
do carro e te leva para um local desconhecido. Ao chegar ao
cativeiro você é humilhado e constantemente ameaçado de
morte. Seu cárcere pode durar dias ou semanas e se tudo correr
bem e a extorsão dos sequestradores for atendida, talvez, você
seja liberado com vida.
Terrível, não é? Aposto que você experimentou por uma
fração de segundos um pouco do sofrimento de uma vítima de
sequestro. Por isso, assuma o compromisso de adotar medidas
que minimizem as chances de você se tornar uma vítima:

263
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Evite ostentar bens ou valores acima da média das pessoas em


locais ou vias públicas, como joias, cartões de crédito (em
especial os de alto nível social), relógios e carros;
. Mude sua rota e horários com frequência. Lembre-se que a
rotina favorece a ação do criminoso;
. Fique atento nos semáforos. Geralmente são nestes pontos que
os criminosos abordam suas vítimas;
. Observe a presença de pessoas em atitude suspeita ou
incompatível com o ambiente ao entrar ou sair de casa ou
veículos;
. Evite parar muito próximo do carro da frente nos semáforos,
pois você não conseguirá sair com o veículo rapidamente se for
necessário;
. Ao entrar no banco observe se há alguém observando as
pessoas pelo lado de fora;
. Ao sair do banco certifique-se que não esteja sendo seguido;
. Evite caixas eletrônicos em horários de pouco movimento;
. Não exponha grande quantidade de dinheiro ou valores em
público;
. Considere instalar uma trava interna no porta malas para
conseguir abri-lo pelo lado de dentro;
. Considere deixar um celular escondido no porta malas para
fazer uma ligação de emergência;
. Confie em seus instintos e se suspeitar de alguém procure um
local seguro e acione a polícia informando todas as
características dos suspeitos;

264
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Transporte apenas cartões de crédito com baixo limite. Deixe


seu cartão de crédito em um local seguro e o carregue apenas
quando for realmente necessário;
. Não carregue talões de cheque sem necessidade;
. Mantenha uma aparência dentro da média das outras pessoas.
Isso diminui as chances de chamar a atenção de criminosos;
. Eduque seus filhos para não fornecer informações sobre sua
família para outras pessoas;
. Não ande com cartões bloqueados ou que não saiba a senha.
Em caso de um sequestro relâmpago o sequestrador pode achar
que você não quer revelar a senha para sacar o dinheiro e assim
ter uma atitude muito mais violenta;
. Evite personalizar seu veículo com adesivos que indiquem seu
padrão de vida, como adesivos do seu condomínio, faculdade
cara ou clubes sociais de alto padrão;
. Esconda um canivete multifunção em algum local do porta
malas;
. Evite revelar informações privilegiadas para funcionários da
empresa;
. Cuide de seu extrato bancário, não deixe que outras pessoas
tenham acesso a essas informações ainda que sejam amigos,
familiares ou filhos;
. Tome cuidado com o seu lixo. Muitas informações valiosas
podem ser encontradas nos lixos empresarias ou residências.
Papeis com informações relevantes devem ser triturados;
. Instale um rastreador em seu veículo e informe sua família.

265
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Como agir se você for vítima de um sequestro?


Você já sabe que o crime de sequestro possui algumas
etapas diferentes, por isso vou separar possíveis reações para
cada momento do crime.

Momento da abordagem dos sequestradores


A abordagem é o momento em que você é pego de
surpresa por um ou mais criminosos que quase sempre estão
armados. Neste momento é difícil raciocinar com clareza
devido o stress e os níveis de ansiedade.
. Tente manter a calma e use a respiração tática de combate para
manter o raciocínio e tomar a melhor decisão: Fugir, lutar ou
não reagir;
. Observe o ambiente e tente identificar o número de agressores
e as armas que possuem;
. Analise as oportunidades para reagir ou fugir. Apenas quem
está na situação pode decidir se deve reagir ou não. Reagir é
arriscado, mas não reagir também não te garante outras
oportunidades melhores ou que será liberado.

Momento do transporte para o cativeiro


Fase do crime na qual os sequestradores transportam a
vítima até o local do cativeiro. Nesta fase a vítima está
plenamente ciente que foi vítima de um sequestro.

266
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Caso esteja dentro de um porta malas chute as lanternas para


conseguir derrubá-las e coloque o braço para fora acenando em
busca de socorro;
. Utilize a trava interna para abrir o porta-malas, caso tenha
instalado uma;
. Ligue para polícia imediatamente, caso tenha escondido um
celular com bateria no porta-malas;
. Concentre-se e tente identificar o caminho. Observe se o
trajeto tem muitas subidas, descidas ou se saiu do asfalto e
entrou em rua de terra. São informações importantes para o
caso de fuga ou investigação policial posterior;
. Observe o tempo de transporte até o local do cativeiro. Essas
informações serão úteis se você conseguir fugir;

Momento dentro do cativeiro


É a etapa do crime mais longa e cansativa para a vítima.
O tempo de permanência é indeterminado, podendo durar
dias, semanas ou meses. As condições são imprevisíveis,
podendo ter o mínimo de dignidade ou absolutamente
nenhuma. O comportamento da vítima em cativeiro pode
determinar como será tratada, as chances de fuga e até sua
sobrevivência.
. Observe os criminosos. De forma discreta capte o maior
número de informações que puder. Quantos são os criminosos?
Que tipo de armas utilizam? Parecem preparados? Fazem
revezamento, se sim, a cada quanto tempo? Algum deles é mais
vulnerável do que os outros? Qual horário eles ficam mais
distraídos? Parecem estar em boa forma física? Quem é o líder?

267
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Analise o ambiente. O cativeiro possui janelas? Portas? Quais


opções de saída do local? Há algum instrumento afiado ou
pontiagudo que pode ser alcançado?
. Permaneça fisicamente forte. Você não sabe o quanto o
sequestro irá durar ou se haverá oportunidade de fugir, por
isso mantenha seu corpo ativo, se tiver possibilidade faça
flexões, agachamentos e abdominais;
. Fique atento à noção de tempo, se puder marque os dias;
. Crie hábitos saudáveis para sua mente e saúde. Medite, durma
e se alimente;
. Responda as perguntas dos sequestradores de forma clara;
. Evite fazer reclamações;
. Entenda o motivo do seu sequestro. Quanto mais informações
você tiver melhor será para tomar uma decisão sobre fugir e
quando tentar essa ação;
. Tente criar uma conexão com os sequestradores. Não exagere
na aproximação, pois pode gerar o efeito contrário;
. Informe aos sequestradores qualquer problema de saúde que
você tiver. Na primeira oportunidade informe que precisa de
medicamentos contínuos, como diabetes, pressão alta entre
outros;
. Tente pedir alguns pequenos pedidos aos seqüestradores,
como jornal, papel ou revista. Isso vai ajudar a desenvolver
alguma conexão com os criminosos;
. Não discuta ou ameace os criminosos. Controle sua revolta e
tente permanecer acalmo;

268
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Observe sinais críticos. Caso perceba que os criminosos não


irão te liberar após o crime você precisará de um plano para
fugir.

Fugindo do cativeiro
É uma ação muito arriscada que deve ser tomada após
analisar suas opções como: chances reais de conseguir escapar,
probabilidade dos sequestradores não te libertar e te mata após
o crime. Lembre-se que a recomendação geral é não tentar fugir
a menos que você entenda que será morto.
. Analise suas condições físicas. Antes de tentar fugir pense se
está em condição para correr, pular ou lutar;
. Analise o ambiente. Você tem alguma rota de fuga? Para onde
vai? Sabe onde está?
. Prefira o período da noite, pois a pouca iluminação favorece a
distração dos criminosos que podem estar sonolentos e durante
a fuga fica mais difícil deles te visualizar;
. Caso não consiga mais correr, esconda-se em um local alto
como uma arvore volumosa, desta forma você terá uma visão
ampla do ambiente e conseguirá informações sobre estradas,
casas próximas ou a localização dos criminosos;
. Caso esteja em um grupo não conte seus planos de fuga, pois
alguém pode entregá-lo em busca de melhor tratamento. Revele
somente o indispensável aos demais reféns;

269
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Invasão ao cativeiro
Momento tenso no qual a polícia invade o local onde a
vítima está. Situação perigosa podendo haver tiroteios e mortes.
Procedimentos em caso de invasão policial:
. Ao perceber a invasão policial tente se abrigar para evitar ser
vítima de um tiro perdido. Caso não haja um local para se
abrigar, deite-se com as mãos na cabeça próximo a parede;
. Tente se esconder dos sequestradores. Eles estarão distraídos o
que facilita você se esconder evitando ser utilizado como
escudo humano;
. Não saia correndo. No desejo de fugir você pode querer correr
em direção a polícia e desta forma corre risco de ser baleado
pelas costas pelos criminosos ou pelos próprios policiais;
. Grite seu nome repetidamente. Desta forma fica mais fácil dos
policiais te identificar;
. Obedeça aos comandos da equipe de resgate sem
questionamentos. Pode acontecer de te mandarem colocar as
mãos na cabeça e inclusive te algemar. Entenda que é um
procedimento de segurança. Mantenha a calma e não fique
questionando. Sua identidade logo será confirmada.

270
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

TIROTEIO EM AMBIENTES
ABERTOS

Apenas a região metropolitana do Rio de


Janeiro registrou 2.389 tiroteios ou disparos de armas de fogo
nos primeiros 100 dias de 2018, segundo relatório informado
pelo laboratório de dados Fogo Cruzado. Foram quase 24
tiroteios por dia!

Infelizmente nesta guerra entre criminosos e policiais


muitos cidadãos são atingidos.

Como agir em caso de tiroteios:

. Procure se abrigar. Não se esconda atrás de materiais que são


facilmente transfixados por um projétil, quanto mais sólida e
rígida for a barreira melhor;

271
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Ao ouvir o tiroteio não se deite em campo aberto, procure se


rastejar atrás de uma coluna, pilar ou estrutura rígida de ferro
ou aço, como vigas e atrás do carro na posição onde fica o
motor;

. Diminuía sua silhueta, lembre-se que quanto menor for o alvo


menor a chance de acertá-lo;

. Após se abrigar ligue para a autoridade policial;

. Não saia do abrigo antes de ter certeza que o tiroteio tenha


terminado, pois é comum haver interrupções dos tiros por até
alguns minutos e em seguida iniciar novamente. Aguarde até
que haja confirmação;

. Não corra para áreas abertas;

. Não se exponha na tentativa de filmar ou fotografar;

. Mantenha-se em silêncio para não correr o risco de chamar a


atenção do atirador;

. Após o tiroteio certifique-se de que não esteja ferido, caso


esteja ferido sua prioridade será solicitar socorro médico.

O que fazer se você ou alguém for baleado

Você já pensou em como agir se fosse baleado?


Infelizmente a maioria das pessoas só se preocupa com isso
quando está ferida e pode ser tarde para se salvar. Recomendo

272
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

seriamente que você faça um curso de primeiros socorros para


lidar com situações urgentes, isso pode fazer a diferença para
salvar sua vida e de muitas outras pessoas. Minha opinião é de
que primeiros socorros deveria ser conteúdo obrigatório em
todas as escolas.

Tratando-se de ferimentos por projétil de arma de fogo,


popularmente conhecidos como “bala”, a atuação não será
focada em tratar ou diminuir a lesão, mas sim manter a vítima
ou a si mesmo vivo até o atendimento médico profissional.

. Acione imediatamente o socorre médico. As ambulâncias vêm


equipadas com a infraestrutura mínima para um bom
atendimento emergencial;

. Informe todos os sintomas e sinais que a vítima tiver. Quanto


mais informações os profissionais tiverem, maiores serão as
chances de um atendimento rápido e preciso;

. Espere pela ambulância ao invés de tentar ir ao hospital. É


melhor esperar no local do que tentar ir ao hospital
diretamente. Há mais chances de ambulância chegar primeiro
até você do que você ao hospital. Lembre-se que as
ambulâncias conseguem ser rápidas no trânsito enquanto você
ficará preso e ainda corre o risco de se envolver em um
acidente.

E se por algum motivo a ambulância se recuar a ir ou você não


tiver como acionar o atendimento médico

Talvez você pense que o atendimento não vai se recusar


a ir. Grande engano, vou relatar um caso que aconteceu comigo

273
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

quando eu tinha 16 anos. Meu pai e eu estávamos voltando a pé


de um trabalho às 03h00 quando ele começou a passar mal e
pelos sintomas rapidamente entendi se tratar de uma parada
cardíaca. Fui correndo até um orelhão na esquina, pois naquela
época quase ninguém tinha celular e ao ligar para emergência o
atendente achou que era um trote.

Uma ligação de um adolescente às 03h00 realmente é


suspeito, embora eu tenha ligado mais cinco vezes, o atendente
não acreditava em mim. Foi quando percebi que meu pai estava
em um momento crítico e então inicie os primeiros socorros
fazendo a massagem cardíaca. Neste meio tempo corri até o
orelhão mais uma vez e ligue para minha casa e solicitei que
minha mãe ligasse para a emergência, pois eles não
acreditavam em mim. Retornei e antes da chegada da
ambulância tive ainda que repetir os procedimentos de
emergência por mais duas vezes.

Posteriormente o médico me disse que o socorro que


prestei foi determinante para que meu pai sobrevivesse até o
atendimento no hospital. Então, como já dissemos, existem
maus profissionais em todos os lugares, por isso esteja
preparado para fazer o que estiver ao seu alcance. Algumas
dicas importantes:

Analise o estado geral da vítima

. Observe se as vias aéreas da pessoa estão desobstruídas;

. Observe se a vítima está respirando, se não estiver, inicie a


ressuscitação cardiopulmonar;

274
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Observe os batimentos cardíacos, se não tiver, inicie a


ressuscitação cardiopulmonar;

. Observe há alguma fratura exposta ou deformidade de


membros;

. Observe quais e quantas lesões foram causadas pelo projétil;

Com todas essas informações você poderá agir de forma


mais eficiente. Lembre-se que o ideal é não mover a vítima por
causa dos riscos de lesão à coluna, portanto só a mova se for
realmente necessário. Com a vítima tendo batimentos cardíacos
e respirando normalmente, o foco agora será a contenção de
hemorragias externas ou internas. Lembre-se que o quanto de
sangue a vítima perde vai determinar se ela viverá ou não.

Ferimentos nos membros inferiores causados por tiro

Nos membros inferiores se localizam artérias de grosso


calibre que se rompidas geram severas hemorragias que podem
matar em menos de cinco minutos. O torniquete é uma opção
para controlar a perda sanguínea. Você pode improvisar e usar
um cinto ou tecido que possa ser amarrado diminuindo o fluxo
de sangue para o local.

Ao identificar um sangramento causado por um disparo


utilize um pano para fazer uma pressão suave sobre o local do
sangramento. Não tente colocar o pano dentro da ferida, apenas
pressione de forma suave. Caso o pano fique encharcado de
sangue não o troque, simplesmente coloque outro pano por

275
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

cima dele, isso auxiliará na coagulação sanguínea. Vá


acrescentando quantos panos forem necessários sem remover
os anteriores.

Caso a vítima continue a perder muito sangue, você


precisa considerar a possibilidade de quebrar a regra de não
movimentar a vítima e trocá-la de posição para outra que
diminua o sangramento ou terá de fazer a compressão manual
das artérias. Mover a vítima é arriscado, porém quando se nota
que a perda de sangue é excessiva essa pode ser a única chance
de salvá-la. Neste momento você terá de tomar uma decisão,
inclusive considerar tapar a artéria rompida com seu próprio
dedo. Lembre-se que você estará sujeito a série de doenças
contagiosas.

Vítima em Estado de Choque

Alguns sintomas revelam se a vítima está entrando em


Estado de choque

. Vítima sente frio. Se for possível cubra-a com um cobertor ou


pano;
. Extremidades e lábios arroxeados;
. Pulso fraco;
. Pupilas dilatadas;
. Sudorese;
. Respiração agitada;
. Náuseas ou vômitos.

Caso a vítima apresente esses sintomas afrouxe suas


roupas no pescoço, peito e cintura, se não piorar o sangramento
eleve as pernas em relação ao corpo. Fique atento a

276
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

sangramentos ou vômito pelo nariz ou boca, se houver deite a


pessoa de lado para evitar sufocamento. Monitore os sinais
vitais constantemente, pois devido a gravidade das lesões é
muito provável que ela para de respirar ou tenha uma parada
cardíaca e você terá de fazer a ressuscitação.

Hemorragia interna

Quando se trata de lesão por disparo de arma de fogo é


comum que a vítima apresente hemorragia interna, pois o
projétil normalmente causa três tipos de ferimento: Penetração
(perfuração na pelo que pode ser um pequeno furo), cavitação
(lesão causada pelo impacto) e a fragmentação (dano causado
pelos pedaços do projétil que se estilhaçam dentro do corpo.

Observe se a pessoa apresenta os seguintes sintomas:

. Mucosas, em especial, olhos e boca esbranquiçados;


. Extremidades arroxeadas;
. Tontura;
. Sede.

Havendo suspeita de hemorragia interna deite a vítima


com a cabeça mais baixa que o corpo e se possível coloque gelo
no local para que haja uma vasoconstrição e assim reduza o
sangramento. Não tente remover o projétil ainda que ele esteja
visível, pois ele pode estar pressionando alguma artéria e sua
remoção vai aumentar o sangramento. Não deixa a pessoa
tomar nenhum líquido e fique atento as suas funções cardíacas

277
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

e respiratórias, pois há grande risco de uma parada


cardiorrespiratória.

Lesões em locais específicos

Tronco

Ferimentos no peito causados por projétil de arma de


fogo normalmente atingem o pulmão e isso pode literalmente
“sugar” o ar e causar atelectasia (um colapso pulmonar) que
pode ser identificada pelo som de sucção, tosse, falta de ar ou
espumação no sangue saindo da perfuração de entrada ou
saída do projétil. Neste caso você deve identificar todas as
perfurações existentes e pedir para que a pessoa solte todo o ar
e em seguida tapar as perfurações.

Braços

Sangramento intenso necessita de uma ação urgente,


faça um torniquete logo acima da ferida e coloque o braço da
vítima acima do nível do coração para diminuir o fluxo
sanguíneo no local do ferimento. Caso não for possível o uso do
torniquete você pode pressionar diretamente a artéria braquial
que fica no lado interno do braço próximo ao ponto do braço
que quando abaixado toca seu corpo. Você saberá que está
pressionando o local certo quando perceber a diminuição do
sangramento. Uma vez encontrada, mantenha a pressão no
local.

278
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Pernas

Ao identificar um sangramento muito grande na perna


você pode fazer um torniquete e elevar a perna da pessoa acima
do nível do coração para diminuir o fluxo sanguíneo e
consequentemente o sangramento. Na impossibilidade em
aplicar o torniquete e se o ferimento for na parte superior da
perna tente pressionar a artéria femoral. Para localizá-la
pressione próximo à virilha na parte da frente e do meio da
coxa. Essa artéria precisa de muita pressão, por isso vai ter que
usar a mão inteira com firmeza. Caso o sangramento diminua
continue pressionado, se não diminuir tente pressionar a virilha
até achar o ponto. Se o ferimento for na parte inferior
(panturrilha) pressione a artéria poplítea que se localiza na
parte de trás do joelho.

Cabeça

Infelizmente não há muito que fazer além de tentar


conseguir socorro o mais rápido possível.

Observações extras

. Não empurre para dentro os órgãos que por ventura saiam do


corpo pelo ferimento;

. Caso o órgão de desprenda totalmente do corpo, colete e


refrigere-o em um recipiente com gelo enquanto aguarda a
chegada do socorro médico;

. Lembre-se de informar a equipe de resgate tudo o que você


fez;

279
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Não medique o ferido;

. Não utilize remédios caseiros;

. Não mova o corpo se a pessoa morrer.

280
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

TRÂNSITO

Quem já não passou por um momento de stress no


trânsito? Nossa rotina apressada e o número cada vez maior de
veículos tornam o trânsito um local ideal para
desentendimentos.

Pense naquela fechada que você levou e que quase


originou um acidente. Você se lembra como se sentiu? Você
recebeu uma descarga de adrenalina em seu corpo e ficou
muito nervoso, talvez tenha xingado, feito gestos vulgares ou
pior, desceu do veículo e foi tirar satisfações.

Todos nós estamos sujeitos a este tipo de sentimento de


raiva durante um susto ou um acidente no trânsito, mas a

281
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

grande questão é como podemos lidar com estes sentimentos e


principalmente como nos defender de quem não sabe lidar com
isso.

Caso Real

Motorista morre após briga de trânsito

O motorista Murilo J. C. de 39 anos foi morto por


traumatismo craniano após uma briga de trânsito com um
motociclista. Segundo o delegado o laudo médico mostrou que haviam
lesões em diversas partes do corpo do motorista, como cabeça, boca,
pescoço, cotovelo e joelho.

A Polícia Civil também ouviu uma pessoa que estava com


Murilo no momento do acidente de trânsito. A testemunha afirmou
que voltou ao local em que estava antes do acidente para avisar os
amigos, mas quando retornou o motorista já estava morto.

Uma testemunha que acompanhou toda a ação contou à


polícia que o motociclista teria se exaltado e entrado em luta corporal
com a vítima. Segundo a testemunha, que estava num carro atrás da
moto antes de acontecer o acidente, Jean estava com a namorada n
garupa da moto e ela machucou o pé com a batida.

O motociclista ficou extremamente violento, arrancou o


motorista do carro e bateu nele com socos e “capacetadas”. O Murilo
bateu forte com a cabeça no chão e, mesmo no chão, o Jean ainda
chutou a cabeça dele. Conforme apurado, antes da morte a vítima não
esboçou qualquer reação e somente pedia para parar de apanhar—
completa.

282
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Dicas de segurança:

. Dirija defensivamente observando os retrovisores;

. Ao perceber o semáforo em sinal vermelho à frente vá


diminuindo a velocidade aos poucos ao invés de acelerar até
ele;

. Mantenha distância mínima de 03 metros do carro da frente ao


parar em um semáforo, pois esse é o espaço de segurança para
manobras rápidas evasivas;

. Recuse pegar propagandas nos semáforos, pois ao abrir o


vidro do seu carro você pode ser surpreendido;

. Trafegue com as portas travadas;

. Não carregue bolsas e objetos de valores no banco do carro,


pois isso chama a atenção de criminosos oportunistas;

. Quando estacionar não deixe objetos de valor nem à vista no


interior do carro ainda que estejam vazias;

. Instale um rastreador no veículo;

. Instale um sistema de interrupção de motor para casos de


roubos;

. Não poste foto da sua placa nas redes sociais por causa do
risco de clonagem da numeração;

283
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Confira de tempos em tempos a condição do seu estepe. Muita


gente se esquece de conferir e fica tempo demais exposto;

. Mantenha a manutenção do carro em dia, desta forma você


evita quebras inesperadas e evita parar em locais isolados e
perigosos;

. Evite estacionar próximo às saídas dos estacionamentos, pois


os criminosos buscam uma fuga rápida e veículos próximos às
saídas são alvos mais fáceis;

. Tenha um celular ativo para fazer ligações de emergência em


casos de acidente ou quebra do veículo, lembre-se que quanto
mais tempo ficar parado mais risco estará correndo;

. Não dê caronas. Ladrões se aproveitam do sentimento de


compaixão da vítima e utilizam mulheres, crianças e até idosos
como isca;

. Cuidado ao seguir as orientações de GPS em grandes centros,


muitas vezes eles te dão o caminho mais perigoso, como
atravessar uma área de risco;

. Fique atento a veículos que estejam te seguindo, em especial


motocicletas com garupa;

. Ao suspeitar que está sendo seguido dirija até um posto


policial mais próximo, caso não haja, entre em algum
estacionamento privado enquanto liga para a autoridade
policial;

284
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Carregue as chaves do carro em mãos ao se aproximar do


veículo, não deixe para procurá-las depois;

. Observe a presença de pessoas paradas próxima ao seu


veículo quando estiver retornando. Caso suspeite de algo não
pare e continue andando;

. Instale as películas mais escuras que o código de trânsito


brasileiro permitir para diminuir a visibilidade do interior do
veículo;

. Considere fazer um curso de direção defensiva;

. Fique atento a pessoas paradas sobre pontes e viadutos,


muitos crimes são cometidos por criminosos que arremessam
pedras, pregos e objetos pontiagudos para forçar a parada do
veículo e cometer o roubo;

. Ao perceber um pneu furado tente permanecer rodando até


um local seguro para estacionar;

. Considere a possibilidade de adquiri pneus run flat que não


murcham mesmo se o pneu furar, assim você evita o risco de
ter de parar em locais perigosos;

. Evite distrações dentro do veículo como uso de celular e dvd,


lembre-se que tudo acontece muito rápido;

. Esconda em seu porta malas: lanterna, faca e um celular pré-


pago para usar em caso de emergência;

285
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Evite parar o carro para atender e fazer chamadas, caso seja


realmente necessário utilize o sistema de viva voz ou bluetooth;

. Antes de desembarcar do carro verifique se não há alguma


pessoa em movimentação ou ocultação suspeita, se desconfiar
de alguém confie em seus instintos e vá embora;

Conheça as maiores causas das brigas de trânsito

Mudança brusca de faixa

O motorista está transitando normalmente, mas, de


repente, faz uma mudança repentina e brusca de faixa. Isso
normalmente acontece por desatenção do motorista que pode
estar usando o celular, mexendo no som do carro ou com os
pensamentos em outro lugar.

O outro motorista que for “fechado” vai se sentir em


risco de acidente e imediatamente terá seu ânimo alterado pelos
hormônios do stress. Esse é o principal fator de acidente e
brigas de trânsito com motociclistas. Motos são muito ágeis e
muitas vezes são ocultadas pelos pontos cegos do carro.

Buzinar continua e exageradamente

Não é difícil encontrar pessoas que buzinam


literalmente para tudo. Além de causar poluição sonora, o uso
exagerado e indevido da buzina é um estopim para uma
discussão. Tem também os motoristas que gostam de buzinar
para fazer uma espécie de pressão nos outros veículos. Seja por
uma reclamação, querer passar à frente ou outro motivo.

286
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Ficar parado em semáforo aberto

Sinal verde. O primeiro carro na fileira hesita por um ou


dois segundos para atravessar o semáforo e não demora a
escutar buzinada dos veículos de trás. Um pequeno instante
parado com o sinal verde não é perdoado. Esse atraso quase
sempre ocorre pela distração do motorista.

Dirigir muito próximo do outro veículo

O motorista do carro de trás não respeita o


distanciamento necessário. É como se ele quisesse pressionar o
carro da frente a acelerar, mesmo que não esteja com pressa.
Além de aumentar o risco de acidente, pois o motorista de trás
não terá tempo de agir caso o veículo da frente precise parar
rápido, vai causar nervosismo no motorista da frente que pode
iniciar uma confusão.

Estacionar em frente à garagem

A motorista com pressa pensa: “vou parar aqui


rapidinho” e então decide estacionar o carro na frente da
garagem de outra pessoa. O morador que precisa sair ficará
furioso o que pode acarretar uma séria discussão, danos ao
veículo ou multa.

Não sinalizar as manobras

É a não utilização da seta durante as mudanças de faixa,


estacionamento ou virar o carro em outra rua. Muitos

287
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

motoristas deixam de sinalizar e isso pode ocasionar acidentes


ou, no mínimo, reclamação de um ou mais motoristas e,
consequentemente, briga de trânsito.

Dirigir em velocidade incompatível com a sinalização

É o caso do motorista que dirige acima da velocidade


permitida ou muito abaixo, normalmente menos da metade, o
que também é uma infração de trânsito. Excesso de velocidade
ou lentidão vai causar a irritação do motorista que está à frente
ou que vem atrás.

Uso inadequado da faixa da esquerda

Motoristas dirigindo na faixa da esquerda de forma


lenta e inadequada é mais um caso de brigas no trânsito.

Mudança repentina na velocidade

Nesta situação, tanto frear bruscamente, quanto acelerar


desproporcionalmente pode acarretar sérios problemas, não
somente uma briga de trânsito, mas também acidentes. Essa
oscilação pode surpreender outros veículos mais próximos, o
que aumenta o risco de batida e de discussões.

Parar o veículo na faixa de pedestres

Na pressa vários condutores insistem em passar quando


o sinal está amarelo e não há mais tempo. Desta forma, param
sobre a faixa e o pedestre precisa desviar dos carros. Uma briga
de trânsito nesse caso é corriqueira. O mais seguro, em regra, é
sempre para no sinal amarelo.

288
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Motos

Temos aqui um caso delicado. As motos por serem


muito ágeis e pequenas são constantemente surpreendidas
pelos carros, seja pela falta de atenção do motorista, seja pelos
pontos cegos do carro ou muitas vezes pela imprudência dos
próprios motoqueiros que infringem as normas de trânsito.

A moto por ser mais frágil e por envolver acidentes mais


perigosos faz com que os motociclistas se enfureçam mais
facilmente. Basta um susto para que o motorista do carro se
torne vítima de um chute no retrovisor ou de um ataque de
vários motoqueiros que estiverem passando no local.

E importante manter a máxima atenção durante as


trocas de faixas e curvas olhando sempre atentamente nos
retrovisores e fazer a mudança de forma suave para evitar o
ponto cego.

Como agir em uma confusão de trânsito

Se você não foi o responsável pelo susto ou acidente:

. Respire fundo e controle-se;

289
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Não abaixe o vidro para ofender o outro motorista, pois pode


iniciar uma discussão que pode evoluir para um confronto
físico;

. Aceite a desculpa do outro condutor;

. Entenda que ninguém provoca um acidente de propósito;

. Lembre-se que você também já cometeu erros no trânsito em


outro momento;

. Aja como gostaria que a pessoa agisse com você;

. Evite o uso exagerado da buzina, isso vai aumentar o stress


entre os envolvidos. Use a buzina apenas de forma breve;

. Caso haja colisão de maior gravidade verifique se seus


acompanhantes estão feridos e em seguida se o outro condutor
precisa de ajuda médica;

. Sinalize a via para evitar que algum motorista distraído gere


outro acidente;

. Não persiga o veículo que tentar fugir após bater em seu carro,
anote a placa e o modelo e faça o boletim de ocorrência;

Se você foi o responsável pelo susto ou acidente:

. Peça desculpas. É simples, mas surte um grande efeito, pois


quem xinga muitas vezes se sente mal pela atitude após um
pedido de desculpas;

290
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Não revide as ofensas;

. Faça cara de “paisagem”. Ao perceber que a pessoa não tem


controle emocional e quer te xingar mesmo após o pedido de
desculpas simplesmente aja como se não estivesse ouvindo as
ofensas;

. Caso a pessoa te siga para continuar a ofensa simplesmente a


ignore e continue dirigindo normalmente; caso ela insista, dirija
a um local seguro e chame a polícia;

. Não desça do carro para discutir;

. Durante um acidente no qual o outro motorista esteja nervoso,


peça que se acalme, caso você tenha seguro do veículo informe
imediatamente ao outro condutor, isso pode ajudar a
tranquilizá-lo;

. Mantenha uma distância física de pelo menos 02 metros do


condutor que estiver alterado, caso ele tente se aproximar
mande-o de se afastar;

. Caso houver uma pequena colisão e o outro motorista descer


do veículo alterado em sua direção trave as portas, erga os
vidros e tire o seu cinto de segurança, mas permanece dentro
do carro;

. Ao identificar que está na iminência de ser agredido tente criar


um obstáculo entre você e o agressor.

291
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

O que fazer se estiver sendo perseguido por suspeitos em um


veículo

Você já pensou em como agir caso fosse perseguido por


alguém em um veículo? Existem diferentes situações nas quais
você pode ser perseguido e diante de cada uma você deve
adotar medidas diferentes para manter sua segurança. Entenda
que as perseguições podem acontecer pelos seguintes motivos:

Desentendimentos de trânsito

Temos aqui uma ameaça e perseguição cujo perseguidor


busca te confrontar fisicamente em virtude de alguma
discussão ou ação iniciada momentos antes no trânsito.

. Mantenha-se em movimento e não pare para discutir;

. Deixe os vidros fechados e não revide as ofensas, pois isso


aumentará ainda mais a discussão;

. Caso a perseguição continue por mais de uma quadra dirija


até um posto ou delegacia policial mais próxima;

Criminosos tentando te roubar ou sequestrar

Nesta situação o criminoso quer roubar seu carro ou te


sequestrar. Para que isso ocorra os criminosos precisam parar o
seu veículo para ter acesso a você.

292
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Posicione o veículo de forma que o criminoso não consiga te


ultrapassar, posicione-se um pouco mais à esquerda para
facilitar a ultrapassagem dos veículos da frente e se manter
longe do alcance do carona;

. Buzine para chamar a atenção das pessoas. Os criminosos não


querem ser identificados e por isso odeiam serem vistos
durante a ação criminosa. Ao ser perseguido buzine
exageradamente para chamar a atenção dos outros motoristas
que podem inclusive acionar a polícia;

. Mantenha próximo a você um celular com discagem rápida


para acionar a polícia rapidamente;

. Evite dirigir em direção a um caminho desconhecido, pois


você não saberá onde tem obstáculos ou se a rua é sem saída e
acabará encurralado;

. Dirija para o posto ou delegacia policial mais próxima;

. Enquanto dirige abaixe a sua cabeça o máximo que puder;

. Analise a situação e decida rapidamente se é mais seguro fugir


ou para o veículo;

Após a perseguição acione imediatamente a polícia


militar e ofereça o máximo de informações possíveis para
facilitar o trabalho policial, como modelo do carro e perfil físico
dos criminosos.

293
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

TRANSPORTES PÚBLICOS

Caso Real

Durante assalto a ônibus, criminoso coloca arma na boca de


passageiro

Um assalto a ônibus na manhã do dia 22 de abril de 2019


deixou passageiros em pânico, após uma das vítimas ter uma arma de
fogo colocada na boca por um dos criminosos. Quatro homens
cometeram o roubo, sendo dois maiores de idade e dois adolescentes.
Os criminosos entraram no ônibus armados com uma pistola e facas e
ameaçaram o motorista, cobrador e passageiros durante o crime.

294
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Os suspeitos levaram vários celulares, bolsas e o dinheiro do


caixa. Como um dos celulares das vítimas tinha rastreador, policiais
conseguiram deter os criminosos.

Dicas de segurança:
. Sente-se próximo ao motorista quando houver poucos
passageiros;

. Deixe o dinheiro ou bilhete já em mãos antes de entrar no


transporte público para evitar abrir a carteira na frente de
outras pessoas;

. Evite viajar sozinho em vagões de trem ou metrô;

. Não abra a janela;

. Carregue sua carteira no bolso da frente;

. Carregue bolsas e demais pertences junto ao corpo na parte da


frente;

. Dê preferência em embarcar e desembarcar em pontos ou


estações mais movimentadas;

. Não deixe estranhos carregar suas bolsas ou pacotes;

295
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Coloque suas bagagens no bagageiro do lado oposto ao seu,


fique atento às paradas para que ninguém leve seus pertences;

. Evite dormir durante o trajeto;

. Evite o uso de fones de ouvidos e outros dispositivos que


reduzam sua atenção;

. Verifique previamente os horários de partida dos ônibus para


não esperar muito tempo no ponto ou estação (você pode
consultar pela internet e aplicativos de celular);

. Prefira os pontos de espera que sejam mais iluminados e


movimentados;

296
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

VIAGENS

Caso Real

Ladrões usam pedras e pregos para bloquear rodovias e assaltar


motoristas

Em 12 de novembro de 2018 os motoristas que passavam entre


os quilômetros 318 e 325 das rodovias Anhanguera (SP-330) e
Candido Portinari (SP-334 relataram assaltos após serem obrigados a
parar os veículos. Segundo eles, os ladrões colocam objetos
pontiagudos no asfalto para furar os pneus e forçá-los a encostar.

Uma das vítimas, que prefere não ser identificada, diz que
seguia de Araraquara/SP para Franca/SP quando percebeu que
haviam tocos e laranjas espetadas com pregos no meio da rodovia.
Como não conseguiu desviar, teve dois pneus furados e precisou parar.
O motorista foi rendido por ladrões e foi roubado.

297
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

“Estavam armados, chegaram já gritando para eu deitar no


chão. Estavam em dois e tomaram meu celular. Começaram a mexer
nos meus bolsos falando ‘cadê a carteira? ”. Eu falei: “está dentro do
carro, com a chave no contato, pode levar tudo, pelo amor de Deus só
não tira minha vida”, relata.

Enquanto os assaltantes vasculhavam o veículo, o homem


conseguiu fugir a pé pela rodovia. Desesperado, ele correu entre os
carros e buscou abrigo no canteiro central, com a intenção de despistar
os ladrões. “Eles tentaram sair com o carro, mas o pneu estava
estourado. Eles andaram coisa de 100 metros e pararam o carro de
novo. De lá entraram para o meio do canavial e ninguém viu mais
nada. ”

Dicas de segurança:

. Prefira abastecer seu carro em postos com grande fluxo de


pessoas;

. Evite parar para abastecer no período da noite e em postos


com a fachada com sinal de abandono;

. Ande com o tanque de combustível sempre acima da linha da


reserva para evitar ser surpreendido pela fala de combustível e
ficar parado em um local deserto e desconhecido;

. Faça a revisão do seu veículo antes de viajar para evitar


quebras e consequentemente ficar exposto em um local isolado;

298
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Carregue um GPS ou google maps para evitar se perder em


locais perigosos ou ter de parar o carro para pedir informações
a estranhos;

. Evite viajar durante a noite, pois em caso de emergência ficará


muito tempo isolado a espera de socorro;

. Entre em contato com a empresa de revistas e jornais e


suspenda a entrega pelo tempo que permanecer fora de casa;

. Carregue em seu carro um kit de primeiros socorros;

. Instale temporizadores nas lâmpadas em diferentes cômodos


da casa os quais possam ter a iluminação identificada por quem
está do lado de fora. Faça uma programação para que liguem
por um tempo proporcional ao ambiente. Isso dará a impressão
de que há pessoas dentro da residência se movimentando;

. Carregue em seu carro equipamentos, como lanternas, faca e


alicate multiuso para pequenos reparos;

. Informe aos seus familiares mais próximos a sua rota de


viagem e faça contato de tempo em tempo, pois em caso de
emergência eles saberão orientar as autoridades com mais
precisão;

. Ao viajar de ônibus leve os pertences de valor com você e não


no bagageiro inferior;

. Não aceite ajuda de pessoas para carregar suas bolsas e


mochilas que estejam no interior do ônibus;

299
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Ao entrar no ônibus de viagem utilize o cinto e segurança


obrigatório;

. Quando estiver viajando de ônibus carregue sua bolsa pessoal


com você sempre que fizer uma parada;

. Quando possuir malas tente diferenciá-las com uma fita


colorida ou outro meio que diminua a chance de alguém
confundir e levá-la por engano;

. Instale timer para ligar e desligar as luzes da sua residência


durante o período que estiver ausente. Jamais deixe luzes
ligadas ininterruptamente;

. Não revele informações da sua viagem para pessoas que


acabou de conhecer;

. Leve apenas a quantidade mínima necessária de dinheiro em


espécie, prefira usar cartões com limites baixos;

. Tenha um cartão de crédito extra com limite baixo;

. Durante a permanência no quarto do hotel não abra a porta


para estranhos;

. Ao chegar em um local novo peça informações ao gerente ou


profissional do hotel sobre os locais mais seguros e informe-se
dos ambientes que deve evitar;

. Ao dirigir não pare para prestar ajuda a um carro “quebrado”


se quiser ajudar ligue para a concessionária da rodovia ou para
a polícia rodoviária solicitando ajuda;

300
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Não dê caronas para nenhuma pessoa, seja mulher ou criança;

. No aeroporto não aceite carregar as malas ou qualquer outro


pertence para um estranho, criminosos utilizam este meio para
tráfico de drogas;

. Programe seus horários para não precisar esperar muito


tempo dentro de rodoviárias;

301
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

NOTAS FINAIS

Espero que este livro possa auxiliá-lo a prevenir e a agir


contra situações de ameaças e de violências do dia a dia. Ficou
claro que existem diversas estratégias que podemos adotar
diariamente para minimizar nossos riscos e potencializar nossa
capacidade de sobrevivência urbana.

Autodefesa é uma capacidade que envolve esforço


diário consciente de manter um padrão comportamental e
mental mesmo quando tudo parece tranqüilo.

Lembre-se que quanto mais atento você estiver, menores


serão as chances de ser surpreendido por um criminoso.
Quanto mais habilidades você conseguir desenvolver enquanto
nada de ruim acontece, mais preparado você estará para reagir
em uma situação de violência.

Desejo muita paz e sabedoria a cada um que adquiriu


este livro. Conte comigo para sanar dúvidas e também para me
dar sugestões. Meus contatos estarão na parte final deste livro.

Grande abraço, Shalom!

302
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

. Atlas da Violência 2018 Ipea e FBSP páginas 3-5, 32-39, 56-69


(http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relato
rio_institucional/180604_atlas_da_violencia_2018.pdf)

. Secretaria de segurança publica do Estado de São Paulo 2018 –


dados estatísticos do Estado de São Paulo,
https://www.ssp.sp.gov.br/Estatistica/Mapas.aspx

.Atlas da Violência 2018 Ipea e FBSP paginas 32-39, 56-69


(http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/relato
rio_institucional/180604_atlas_da_violencia_2018.pdf)
. Governo da Presidência da República, Secretaria Nacional de
Juventude e Fórum Brasileiro de Segurança Pública. São Paulo:
Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 2017. 87 p.
. FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA. Anuário
Brasileiro de Segurança Pública. 11º Edição. São Paulo: Fórum
Brasileiro de Segurança Pública, 2017.
. Attracting Assault: Victims' Nonverbal Cues.Grayson, Betty;
Stein, Morris I.Journal of Communication, v31 n1 p68-75 Win
1981.
. Schneider, Kurt (1920). "Die Schichtung des emotionalens
Lebens und der Aufbau der Depressionszustände". Zeitschrift
für die gesamte Neurologia e Psiquiatria . 59 : 281-86

303
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. Schneider, Kurt. Psicopatologia Clínica . Nova York: Grune e


Stratton. 1959
. Decifrar pessoas, de Jo-Ellan Dimitrius, Wendy Mazzarella e

. Corpo Fala, de Pierre Weil.

. Emotions Revealed: Recognizing Faces and Feelings to


Improve Communication and Emotional Life (Times Books,
2003

. Telling Lies: Clues to Deceit in the Marketplace, Politics, and


Marriage (W. W. Norton & Company, 1985

. NUCCI, Guilherme de Souza: Manual de direito penal. 12.


ed., Rio de Janeiro: Forense, 2016.

. BITENCOURT, Cezar Roberto: Código penal comentado,


Direito penal - Legislação I. 7.ed., São Paulo: Saraiva, 2012. 1.

. JESUS, Damásio de: Direito penal Brasil I, volume 1: parte


geral. 32. ed., São Paulo: Saraiva, 2011. 1.

. https://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/enterrado-
lutador-de-jiu-jitsu-assassinado-durante-briga-de-
transito.ghtmlPor G1 MA — São Luís, 25/04/2018 20h5

.https://recordtv.r7.com/domingo-spetacular/videos/lutador-
de-jiu-jitsu-reage-a-assalto-e-e-morto-com-dois-tiros-a-queima-

304
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

roupa-1509201807/02/2012 - 05h57 (Atualizado em 15/09/2018


- 00h26)

. Roland, Paul. Por dentro das mentes assassinas: a história dos


perfis criminosos;
. Tendlarz, Silvia Elena; Garcia, Carlos Dantes. A quem o
assassino mata?;
. Greic, Charlote. Serial Killers: nas mentes dos monstros.
. Bitencourt, Cezar Roberto
. Código Penal Comentado, Cezar Roberto Bitencourt. – 9. Ed. –
São Paulo: Saraiva, 2015
. Principles of Personal Defense, Jeff Cooper Paladin Press;
Edição: Revised (1 de janeiro de 2006)
. https://www.sciencedirect.com/journal/journal-of-criminal-
justice
.https://g1.globo.com/mg/centro-
oeste/noticia/2018/10/25/por-causa-de-whatsapp-cliente-de-
bar-nao-ve-assalto-e-video-vai-parar-na-internet-quando-o-
gordinho-que-tava-aqui-deitou-no-chao-eu-ate-ri-mas-nem-vi-
nada.ghtml25/10/2018 11h59
. STRONG, Sanford. Defenda-se – um manual de sobrevivência
ao crime urbano
com regras que protegem você e sua família. São Paulo: Harbra,
2000.

. SIDDLE, Bruce K. The impact of the sympathetic nervous


system on use of force
investigations. Illinois: PPCT Research Publications, 1999. 6 p.

305
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. SIDDLE, Kevin; SIDDLE, Bruce K. Combat human factors:


triggering the survival
circuit. Illinois: PPCT Research Review Publications, 2005. 8 p.
. LAUR, Darren. The anatomy of fear and how it relates to
survival skills training.
. Disponível em: <http://www.
policeone.com/training/articles/52461/>. 17 jun. 2002.

. GROSSMAN, David A.; SIDDLE, Bruce K. Psychological


effects of combat.Illinois: PPCT Research Publications, 2004. 8
p.

. Seis Dias De Guerra, Michael B. Oren (Autor)Editora: Bertrand


2004

.https://ecoandoavozdosmartires.wordpress.com/2016/01/27
/jovem-dinamarquesa-de-17-anos-que-usou-spray-de-pimenta-
para-lutar-contra-um-estuprador-perto-do-centro-de-asilo-de-
imigrante-disse-que-sera-processada-por-portar-a-arma/

.https://g1.globo.com/sp/presidente-prudente-
regiao/noticia/2019/03/18/homem-e-atingido-na-barriga-por-
tiro-disparado-por-policial-militar-durante-ocorrencia-de-
violencia-domestica.ghtml18/03/2019

. ARTWOHL, Alexis. Perceptual and memory distortions


during officer involvedshootings. FBI Law enforcement
Bulletin, Washington, v. 71, n. 10, p. 18-24,October 2002.

306
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

. ARTWOHL, Alexis; CHRISTENSEN, Loren W. Deadly force


encounters: whatcops need to know to mentally and physically
prepare for and win a gunfight.Colorado: Paladin Press, 1997.
272 p.

. Psicologia do medo - como lidar com temores, fobias,


angústias e pânicos. Christophe André. Editora Vozes, 2007.

. Sharpening the Warriors Edge: The Psychology & Science of


Training, Bruce K. Siddle, PPCT Research Publications; 1
edition (October 1, 1995)

https://connects.catalyst.harvard.edu/Profiles/display/Perso
n/10890 (Dr. Pascual-Leone)

https://g1.globo.com/go/goias/noticia/2018/07/24/jovem-
baleado-mesmo-sem-reagir-ao-ter-celular-roubado-recebe-alta-
e-relembra-crime-pediu-para-entregar-entreguei-numa-
boa.ghtml 24/07/2018 06h31

https://alegretetudo.com.br/mulher-reage-a-assalto-e-e-
morta-com-facada-no-peito/ 04/11/2018

https://www.bonde.com.br/bondenews/policia/motociclista-
fica-ferido-ao-tentar-fugir-de-blitz-na-zona-norte-496006.html

https://www.sentinela24h.com/single-
post/2018/11/04/Mulher-%C3%A9-morta-a-facadas-
ap%C3%B3s-reagir-a-assalto-em-Santa-Maria04/11/2018

307
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

https://g1.globo.com/minas-gerais/noticia/lutei-pela-minha-
vida-diz-cunhado-de-ana-hickmann-apos-simulacao-em-hotel-
de-bh.ghtml 06/04/2017 13h14

https://diariodeuberlandia.com.br/noticia/19825/pai-e-filho-
sao-assassinados-dentro-de-bar-no-bairro-brasil

https://g1.globo.com/sp/campinas-
regiao/noticia/2018/12/11/tiroteio-deixa-feridos-na-praca-da-
catedral-no-centro-de-campinas.ghtml11/12/2018

https://g1.globo.com/pr/oeste-
sudoeste/noticia/2018/09/28/aluno-atira-em-colegas-de-
colegio-em-medianeira.ghtml 28/09/2018

https://g1.globo.com/goias/noticia/escola-tem-tiroteio-em-
goiania.ghtml 20/10/2017

http://g1.globo.com/pb/paraiba/noticia/2012/04/adolescent
e-entra-atirando-em-escola-publica-na-paraiba-diz-
policia.html11/04/2012 15h10 - Atualizado em 11/04/2012
19h09

http://g1.globo.com/Tragedia-em-
Realengo/noticia/2011/04/atirador-entra-em-escola-em-
realengo-mata-alunos-e-se-suicida.html07/04/2011 13h06 -
Atualizado em 07/04/2011 16h50

https://www.acidadeon.com/ribeiraopreto/cotidiano/policia
/NOT,0,0,1403277,cliente+e+roubado+na+saida+do+banco+no
+centro+de+ribeirao.aspx 7/2/2019

308
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

https://g1.globo.com/sp/campinas-
regiao/noticia/2019/05/25/suspeito-preso-por-sequestro-em-
hortolandia-e-gerente-da-empresa-do-pai-da-vitima.ghtml

Autodefesa: Contra o Crime e a Violência: Um Guia Para Civis


e Policiais - Humberto Wendling

https://www.nsctotal.com.br/noticias/laudo-confirma-causa-
da-morte-de-motorista-apos-briga-de-transito-em-joinville

https://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,estudante-invade-
escola-fere-a-tiros-9-pessoas-e-se-mata,20030127p472527 de
janeiro de 2003 | 19h16

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/
2019/05/22/interna_cidadesdf,756622/durante-assalto-a-
onibus-criminoso-coloca-arma-na-boca-de-passageiro.shtml

https://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/ult95u61747.
shtml28/10/2002 - 17h55

http://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2012/07/apos-
tiroteio-em-batman-relembre-atos-de-violencia-em-salas-de-
cinema.html

https://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-
franca/noticia/2018/11/12/ladroes-usam-pedras-e-pregos-
para-bloquear-rodovias-e-assaltar-motoristas-em-ribeirao-
preto-sp.ghtml

309
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

O AUTOR

310
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

Wesley Gimenez é o fundador da Escola Krav Maga


Caveira ®e do Sistema Caveira de Defesa Pessoal e Combate®
com representação em dezenas de cidades em vários Estados
do Brasil.
É fundador do canal Krav Maga Caveira – Mestre
Wesley Gimenez, MAIOR CANAL DO BRASIL NO YOUTUBE
sobre defesa pessoal, artes marciais e krav maga com mais de
1.125.000 inscritos. Seus vídeos aulas possuem mais de 65
milhões de visualizações em mais de 49 países.
Iniciou sua trajetória nas artes marciais em 1993 e
treinou diversas modalidades de artes marciais e sistemas de
defesa pessoal.
Trabalhou por quase de 10 anos no sistema prisional de
segurança máxima no Estado de São Paulo onde adquiriu
experiência em confronto em ambientes confinados e técnicas
policiais contra alvos de alto risco, bem como conheceu de
perto a mente dos criminosos.
O Mestre Wesley Gimenez fez 09 especializações
internacionais em 07 países: Israel, Estados Unidos, Rússia,
França, Inglaterra, Alemanha e Itália
Ministra cursos e seminários por todo Brasil para civis e
agentes de segurança que buscam aprimoramento técnico em
defesa pessoal, sobrevivência e combate urbano.

311
Manual Caveira de Autodefesa por Wesley Gimenez

CONTATOS COM O AUTOR

SITE: www.kravmagacaveira.com.br

INSTAGRAM: Kravmagacaveira_mestrewesleygimenez

YOUTUBE: Krav Maga Caveira – Mestre Wesley


Gimenez

E-MAIL: wesleygimenez@gmail.com

FACEBOOK: Krav Maga Caveira – Mestre Wesley


Gimenez

312