Você está na página 1de 5

História alternativa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

História alternativa (também denominada


ucronia), é um subgênero da ficção especulativa (ou
da ficção científica) cuja trama transcorre num
mundo no qual a história possui um ponto de
divergência da história como nós a conhecemos. A
literatura de história alternativa faz a seguinte
pergunta: "o que aconteceria se a história tivesse
transcorrido de maneira diferente?" A maioria das
obras do gênero são baseadas em eventos históricos
reais, ainda que aspectos sociais, geopolíticos e
tecnológicos tenham se desenvolvido diferentemente.
Embora em algum grau toda a ficção possa ser
descrita como "história alternativa", um
Mapa fictício mostrando a divisão política em
representante apropriado do subgênero contém ficção
1964 numa Europa onde a Alemanha Nazista não
na qual um ponto de divergência ocorre no passado, foi derrotada na Segunda Guerra Mundial.
fazendo com que a sociedade humana se desenvolva
de maneira distinta da nossa.

Desde os anos 1950, este tipo de ficção fundiu-se em grande parte com os tropos da ficção científica
envolvendo (a) entrecruzamento de períodos históricos, tempo paralelo, viagens entre
histórias/universos alternativos (ou conhecimento psíquico da existência do "nosso" universo por
pessoas em outro, como em obras de Dick e Nabokov), ou (b) viagens rotineiras "para cima" e "para
baixo" no tempo resultando na partição da história em duas ou mais linhas temporais. Cruzamento
de épocas, partição do tempo e temas da história alternativa se tornaram tão entrelaçados que é
impossível discuti-los separados uns dos outros. O livro de 1962 "O Homem do Castelo Alto" de
Philip K. Dick, em que os nazistas venceram a Segunda Guerra Mundial é um dos exemplos mais
famosos de história alternativa, tendo marcado profundamente este gênero.

Em francês, romances de história alternativa são denominados uchronie. Este neologismo é baseado
na palavra utopia (um lugar que não existe) e na palavra grega para "tempo", chronos. Uma uchronie,
então, é definida como um tempo que não existe. Outro termo ocasionalmente utilizado
(principalmente em espanhol) é "alohistória" (lit. "outra história")..[1]

Índice
História
Antiguidade
Século XIX
Em português
Ver também
Referências
Leituras adicionais
Ligações externas
Em inglês
Em português
Em Italiano

História

Antiguidade

O mais antigo exemplo conhecido de história alternativa aparece em História de Roma desde sua
fundação de Tito Lívio, livro IX, secções 17-19. Nele, o autor reflete sobre a possibilidade de
Alexandre, o Grande ter partido para a conquista à oeste, antes de lançar suas tropas para o leste, o
que o teria feito atacar Roma no século IV a.C.[2]

Século XIX

A primeira obra efetivamente alo-histórica parece ter sido o romance de Louis Napoléon Geoffroy-
Château, denominado Napoléon et la Conquête du Monde, 1812-1813, no qual Geofffroy-Château
imagina que Napoleão teria conquistado Moscou antes do desastroso inverno de 1812, o que lhe
possibilitaria dominar boa parte do mundo.

Em língua inglesa, a primeira história alternativa conhecida parece ter sido o romance de Nathaniel
Hawthorne, P.s Correspondance de 1845, livro cuja trama se volta para um homem aparentemente
louco e que parece perceber uma realidade na qual figuras políticas e personalidades literárias já
falecidas em 1845, tais como os poetas Burns, Byron, Shelley e Keats, o ator Edmund Kean, o político
britânico George Canning e mesmo Napoleão Bonaparte ainda estão vivas. O primeiro romance
inglês é Aristopia de Castello Holford (1895). Holford imagina o que teria sucedido se os primeiros
colonizadores da Virgínia tivessem encontrado um recife de ouro puro, o que teria permitido
estabelecer uma sociedade utópica na América do Norte.

Em português
O primeiro exemplo conhecido de literatura de história alternativa em português é o romance
História Maravilhosa de D. Sebastião Imperador do Atlântico (1940, embora a maioria das cópias
estejam não datadas) do escritor regionalista beirão português Samuel Maia, obra curiosa que (numa
lógica de louvor do Império Português e da acção deste por lógica luso-tropicalista) imagina uma
realidade em que o rei D. Sebastião de Portugal venceu a batalha de Alcácer Quibir e Portugal se
tornou império dominante no Atlântico[3][4][5]. O primeiro exemplo no Brasil é a novela do escritor
brasileiro José J. Veiga (1915-1999), A Casca da Serpente (1989), que imagina que Antonio
Conselheiro (1830-1897) sobreviveu ao Massacre de Canudos (1897) para fundar uma nova Canudos,
que existiu ao longo do século XX até a sua destruição durante a o regime militar na década de 1960.

O escritor brasileiro Gerson Lodi-Ribeiro tem feito muito para promover a história alternativa em
língua portuguesa. Sua noveleta "A Ética da Traição" (1993) é considerada um clássico moderno da
ficção científica brasileira. Imagina um presente alternativo em que o Brasil é um país muito menor,
em razão da sua derrota na Guerra do Paraguai (1864-1870). Lodi-Ribeiro também escreveu história
alternativa sob o pseudônimo de "Carla Cristina Pereira", explorando um cenário em que os
portugueses chegaram à América antes de Colombo, e, aliados aos astecas, passam a construir um
império global. Assumindo o pseudônimo em 2009, publicou com o seu próprio nome um romance
dentro desse cenário, Xochiquetzal: Uma Princesa Asteca entre os Incas.
Publicada no Brasil em 2009, a antologia Steampunk: Histórias de um Passado Extraordinário,
editada por Gianpaolo Celli, traz algumas histórias de história alternativa.

Em 2010, o escritor brasileiro Roberto de Sousa Causo teve publicada em livro a novela Selva Brasil,
que imagina uma linha temporal alternativa em que o Brasil teria tentado invadir militarmente as
Guianas, no início da década de 1960, ordenada pelo então presidente Jânio Quadros (1917-1992), a
história é ambientada em 1993 e imagina um Brasil transformado por um conflito persistente em sua
fronteira norte.

No ano de 2015, foram lançados os livros E de Extermínio e Segunda Pátria, ambos respectivamente
das editoras Draco e Intrinseca. O primeiro, escrito por Cirilo Lemos, imagina um Brasil que
permaneceu sob a monarquia até meados do século XX, até a eclosão de uma guerra civil entre
republicanos, apoiados pelos americanos, e monarquistas, apoiados pelos soviéticos, após a saúde do
imperador entrar em crise. O segundo, escrito por Miguel Sanches Neto, imagina a vida em um Brasil
que às vésperas da Segunda Guerra Mundial, sob o governo de Getúlio Vargas, decide se aliar ao Eixo.

Em 2016, a editora paulista Linotipo Digital lançou o romance de estreia de Edson Miranda, O
Agente do Imperador e o Dedo da Morte, que imagina a atuação do agente secreto brasileiro André
Reis frente à uma ameaça nuclear. O livro tem como cenário um mundo no qual a monarquia
brasileira sobreviveu até os dias atuais e se desenvolveu junto às potências do primeiro-mundo.

Ver também
Futuro alternativo
História contrafactual
Steampunk
Retrofuturismo
Ucronia
Universo paralelo (ficção)
Viagem no tempo

Referências
1. Allohistory (http://www.worldwidewords.org/turnsofphrase/tp-all1.htm)
2. Livy's History of Rome: Book 9 (http://mcadams.posc.mu.edu/txt/ah/Livy/Livy09.html)
3. HISTÓRIA MARAVILHOSA DE DOM SEBASTIÃO IMPERADOR DO ATLÂNTICO (http://www.livr
o-antigo.com/tema/literatura-portuguesa/historia-maravilhosa-de-dom-sebastiao-imperador-do-atl
antico/), sítio miguel de carvalho: livreiro antiquário - antiquarian bookseller - livros raros e
antigos/old and rare books, secção "tema: Literatura Portuguesa" (retirado a 24 de Maio de 2016)
4. D. Sebastião e o Romance Histórico (http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/4769.pdf), Revista da
Faculdade de Letras Línguas e Literatura, Porto, XIX, 2002, pp. 365-386. V. pp. 13-14
5. História Maravilhosa de Dom Sebastião Imperador do Atlântico - Samuel Maia (1940) (http://mem
oriasfc.blogspot.pt/2010/03/historia-maravilhosa-de-dom-sebastiao.html), Álvaro de Sousa
Holstein, blogue Memórias da Ficção Científica, sexta-feira, 12 de março de 2010

Leituras adicionais
Chapman, Edgar L., and Carl B. Yoke (eds.). Classic and Iconoclastic Alternate History Science
Fiction. Mellen, 2003
Collins, William Joseph. Paths Not Taken: The Development, Structure, and Aesthetics of the
Alternative History. University of California at Davis 1990
Gevers, Nicholas. Mirrors of the Past: Versions of History in Science Fiction and Fantasy.
University of Cape Town, 1997
Hellekson, Karen. The Alternate History: Refiguring Historical Time. Kent State University Press,
2001
McKnight, Edgar Vernon, Jr. Alternative History: The Development of a Literary Genre. University
of North Carolina at Chapel Hill 1994
Rosenfeld, Gavriel David. The World Hitler Never Made. Alternate History and the Memory of
Nazism. 2005
Snider, Adam. "Thinking Sidewise: Tips for building an Alternate History collection (http://www.sch
oollibraryjournal.com/article/CA406675)". School Library Journal Abril de 2004

Ligações externas

Em inglês
Uchronia (http://www.uchronia.net/) (em inglês) possui uma introdução ao assunto (http://www.uc
hronia.net/intro.html) e listas cobrindo mais de 2000 obras sobre história alternativa.
The Sidewise Award for Alternate History (http://www.uchronia.net/sidewise) (em inglês) –lista de
vencedores e indicados.
Today in Alternate History (http://althistory.blogspot.com/) (em inglês) , um blog que apresenta
"Importantes Eventos na História que Não Aconteceram Hoje", em várias linhas temporais.
Histalt.com (http://www.histalt.com/) (em inglês) –coleção de links de história alternativa
organizada por Richard J. (Rick) Sutcliffe.
"How to Change the World" - em histórias alternativas (http://www.paulkincaid.co.uk/article04.ht
m) (em inglês)
John Reilly's Alternative History (http://www.johnreilly.info/althis.htm) (em inglês)
Changing The Times (http://www.changingthetimes.net/) (em inglês) –e-zine de história
alternativa.
Why Do We Ask "What If?" Reflections on the Function of Alternate History por Gavriel
Rosenfeld, resenha de artigo (http://www.historyandtheory.org/archives/dec02.html#Rosenfeld)
(em inglês)
Alternate History Wiki (http://althistory.wikia.com/wiki/Main_Page) (em inglês)

Em português
Ensaios de História Alternativa (http://www.scarium.com.br/e-books/sebook3_06_03.html) (em
português) por Gerson Lodi-Ribeiro. Texto disponível em formato PDF para download.
História alternativa Wiki (http://pt.althistory.wikia.com/wiki/P%C3%A1gina_principal) (em
português)

Em Italiano
« Utopiaucronia: nel mondo della storia alternativa » (http://www.fmboschetto.it/Utopiaucronia/ind
ex.htm) (em italiano) mais de 3000 histórias alternativas em Italiano
Storia e Fantasy: un connubio possibile, auspicabile… ma non assoluto (http://www.terrediconfin
e.eu/ucronie.html) (em italiano)

Obtida de "https://pt.wikipedia.org/w/index.php?title=História_alternativa&oldid=58064990"
Esta página foi editada pela última vez às 01h14min de 18 de abril de 2020.

Este texto é disponibilizado nos termos da licença Atribuição-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada (CC BY-SA 3.0) da
Creative Commons; pode estar sujeito a condições adicionais. Para mais detalhes, consulte as condições de utilização.