Você está na página 1de 36

10 anos

grandes talentos
Sumário
Editorial
História Novos Criadores
Cronologia
2002 . Luiz Cláudio Silva
2003 . Andréia Afi e Rodrigo Moura
2004 . Cídio Randolfo e Lívia Limp
2005 . Faia de Castro

2006 . Laura Andrade e Lorena Andrade

2007 . Laura Andrade e Lorena Andrade


2008 . Raphael Ribeiro
2009 . Daniel Escobar e Aderliza Martins

Finalistas 2010
Vencedor 2010
Editorial de Moda
Mosaico
Editorial
Qual é o papel de um shopping center? Muitos podem dizer que se trata de um
centro de compras ou de um templo do varejo, única e exclusivamente focado
nas relações de troca entre consumidor e fornecedor. Entretanto, os gestores
desses empreendimentos (especialmente no caso do Minas Shopping, que alia
varejo, entretenimento e informação de moda) sabem que não é por aí que a
banda toca.

Um shopping center tem outras atribuições, além de oferecer um mix variado


de lojas. Muitas pessoas passam boa parte de suas vidas dentro de malls.
Além disso, é nítida a presença de famílias, grupos de adolescentes e diversas
tribos urbanas. Dessa forma, os empreendimentos têm, por responsabilidade
adquirida, a função educadora e de sociabilidade.

E para que falar disso? Em 2010, o décimo ano do terceiro milênio, o projeto
Novos Criadores - a menina dos olhos fashion do Minas - comemora dez anos
de realização. Graças a essa injeção de ânimo, mais de cem novos estilistas
tiveram a primeira porta aberta e, hoje, encontram-se nas graças do mercado.

Neste ano, o projeto integra-se à programação oficial do Minas Fashion Acqua,


evento de moda do mall que adotou o tema “Água” para sua realização.
Essa escolha vai ao encontro da iniciativa adotada pelo Novos Criadores em
2007, quando foi promovida uma edição toda concebida a partir do mote
"Sustentabilidade."

Com o requinte do Salão Portinari do Iate Tênis Clube, o Novos Criadores encontra
o espaço perfeito para assoprar a décima vela de aniversário, atingindo, então,
a maturidade. Não por acaso, vencedores de outras edições são jurados neste
ano: para celebrar esse sucesso, nada melhor do que propor o encontro entre
calouros e veteranos.

Em um sentido mais abstrato, ainda podemos falar mais sobre o tema deste
ano: água é sempre associada à vida e à concepção, além de ser um elemento
em constante mudança, que pode vir em três estados (sólido, líquido e gasoso).
É essa flexibilidade que marca as ações e apostas do Minas Shopping; é esse
perfil de adaptabilidade que vem a calhar com a indústria da moda. Com tudo
isso, certificamos que estamos no caminho certo!

Messias Mattos Júnior


Gerente geral | Minas Shopping
História

Novos Criadores:
há uma década abrindo portas
De que adianta ter uma boa ideia ou possuir talento nato para algo sem uma
porta de entrada? Com o intuito de fazer uma ponte entre novos estilistas e
o mercado de moda, há dez anos, nascia o Novos Criadores, idealizado pela
produtora de moda Zoka Vassalo e com execução do Minas Shopping, que
desde então deu oportunidade a cerca de 100 nomes exibirem suas criações por
meio de desfiles. Em 2010, o projeto atingiu a idade adulta e a maturidade veio
acompanhada de novidades, entre elas, uma cerimônia luxuosa no Iate Tênis Clube
e uma página exclusiva para o primeiro colocado na revista Elle Brasil.

Como tudo começou

Em 2001, o Minas Shopping promoveu em sua praça central uma sessão


de debates intitulada “Minas inventa moda”. Nas rédeas, estava a produtora
executiva Zoka Vassalo, que já tinha bastante know-how no ramo, além de ter
trabalhado com nomes do porte de Ronaldo Fraga e Eduardo Suppes. O evento
durou duas semanas e, em cada dia, contava com uma personalidade do circuito
fashion de Minas Gerais e alguém de outro estado, com outra perspectiva.
Participaram da iniciativa nomes como os estilistas Victor Dzenk, Eduardo
Suppes, Ronaldo Fraga, Karlla Girotto e Regina Martelli, o fotógrafo Weber
Pádua, a jornalista e editora de moda Érika Palomino.

O projeto ainda contou com a mostra “Criador e Criatura”, concebida por


Zoka Vassalo, que expôs vários looks inspirados na evolução da moda
ao longo do século 20. Durante o período, foi consenso geral: Minas precisava
de um concurso que funcionasse como mola propulsora para iniciantes.
O shopping “comprou” a ideia e, a partir do ano seguinte, o projeto tomou outro
rumo, adotando o nome Novos Criadores. “O Minas abraçou essa iniciativa
com ênfase. Hoje, é um dos poucos projetos no estado que abre portas para
os meninos recém-chegados ao mercado”, explica a gerente de Marketing do
empreendimento, Lucy Jardim.
Acima e ao lado, todos os primeiros
colocados no concurso Novos
Criadores desde 2002. A partir da página
8, você também fica por dentro do perfil
de todos eles e confere de perto o look
vencedor.

2002 . Luiz Cláudio Silva

2003 . Andréia Afi e Rodrigo Moura

2004 . Cídio Randolfo e Lívia Limp

2005 . Faia de Castro

2006 . Laura Andrade e Lorena Andrade

2007 . Laura Andrade e Lorena Andrade

2008 . Raphael Ribeiro

2009 . Daniel Escobar e Aderlize Martins

Luz na passarela
Em 2002, o NC toma corpo e passa a ser realizado em seu formato atual, ou seja, com desfiles de novos estilistas e criadores.
Desde então, tem funcionado da seguinte forma: dez finalistas apresentam suas criações, com temática livre, para um corpo
de jurados, que os avaliam de acordo com a qualidade dos produtos, inovação, visão de mercado, entre outros critérios.

“O primeiro desfile contou com 15 inscritos. Hoje, temos em média 80 por edição”, aponta Zoka. De acordo com a produtora,
esse debut foi mais informal e precisou de muita raça para, de fato, acontecer. “Na época, havia apenas duas escolas de
moda na capital: a Belas Artes (UFMG) e a Fumec. Fomos de sala em sala e tivemos todo o apoio dessas instituições”, mostra.
Após receber os trabalhos, chegou o momento da escolha. “Peguei os croquis,
coloquei em baixo do braço e bati de porta em porta de nomes como Eduardo
Suppes, Victor Dzenk, Liliane Queiróz e Alex Dario, que escolheram os finalistas”,
lembra a produtora. O vencedor dessa edição saiu com um polpudo cheque
de R$5 mil e se encontra muito bem estabelecido. “Eu tenho o maior orgulho
de dizer que todos os ganhadores do Novos Criadores estão no mercado”,
comemora Zoka.

As três primeiras edições foram realizadas na Praça Central do Minas Shopping.


De lá, o NC migrou para um espaço livre do estacionamento do mall, por onde ficou
durante dois anos. Já passou pelo luxuoso Ouro Minas e, em 2009, foi realizado
em um espaço da Prefeitura de Belo Horizonte, ao lado do empreendimento.
Diferente da estreia, que premiou um finalista, nos anos a seguir, adotou-se o
formato de premiar três colocados, sempre com uma bonificação em dinheiro.

Em 2007, o projeto mudou. Ao invés dos tradicionais estudantes, o Minas Shopping


convidou ganhadores de outras edições para criar coleções inspiradas no tema
"Sustentabilidade". Houve a participação de apenas uma aluna de moda,
selecionada por Zoka Vassalo com apoio das escolas. Cada um criou três looks
e desfilou um. O prêmio foi nada mais, nada menos do que uma viagem a Paris
(França).

Nesse momento, o Novos Criadores atinge a maturação e entra em outra


etapa. “A partir do décimo aniversário, nossa iniciativa toma mais força.
A meta, a partir de agora, é atingir um número ainda maior de pessoas”, ressalta
Lucy Jardim. Neste ano, o projeto se da no suntuoso Salão Portinari do Iate Tênis
Clube com todo o requinte merecido e faz parte da programação oficial do “Minas
Fashion Acqua”, evento de moda do empreendimento promovido nos dias 13 e 14
de outubro. O vencedor ganha com exclusividade uma página na revista Elle Brasil,
uma das mais importantes no segmento (saiba mais na página 20).

Hoje, o NC encontra-se consolidado e é de grande importância para o nicho


de novos estilistas e designers. “Esse desfile é a última oportunidade para
esses meninos ‘delirarem’, pois, depois que eles caem no mercado, é arroz com
feijão, às vezes, com um tempero diferente”, alerta Vassalo. De acordo com
Lucy Jardim, ao abraçar essa causa, o Minas Shopping cumpre outro papel,
distanciando-se do foco comercial. “O shopping center é mais do que um espaço
de entretenimento e possui funções culturais e educacionais”, salienta.

Fique de olho

Para participar do Novos Criadores, é simples: primeiramente, o profissional deve


estar no mercado de moda e não precisa, necessariamente, ser estudante. Além
disso, não pode ter uma coleção assinada e desfilada comercialmente, mesmo que
já trabalhe em alguma grife no setor de modelagem, estamparia, entre outros. “No
Novos Criadores, é amador versus amador”, explica Zoka. A partir daí, os candidatos
devem preencher uma ficha técnica, apresentar o croqui e aguardar avaliação.
Para ficar por dentro, o site do Minas Shopping (www.minasshopping.com.br)
disponibiliza o regulamento próximo à data das inscrições.
Cronologia

Luiz Cláudio Silva:


pioneirismo e ousadia

Aos 37 anos, Luiz Cláudio Silva é referência na cena fashion da capital mineira.
Além disso, ele tem uma importância inestimável para o Novos Criadores, já
que foi seu primeiro vencedor. Em 2002, o estilista se inscreveu no desfile
“debutante” do projeto e apresentou uma coleção com cinco looks que fazia
uma releitura inusitada de roupas de ginástica.

“Eu fiquei com receio, pois uma coleção dessas demanda grana e uma alfaiataria
bacana. Usei tudo que tinha e um pouco emprestado. O prêmio veio para repor
isso”, relembra. Na época, Luiz Cláudio tinha uma inserção modesta no mercado
mineiro. “O Novos Criadores me apresentou para a turma da moda de BH, afinal,
era um trabalho completamente autoral”.

As criações que ele desenvolveu para o projeto remetiam ao universo das


academias, porém, com outro viés. “Eu quis trabalhar com uma roupa que
pudesse ser usada da ginástica para a noite. A ideia é aquela menina que estava
malhando, coloca um complemento e está pronta para sair”, afirma.

Na passarela, o criador desfilou vestidos, saias, calças, camisetas e blazers


que vieram em chiffon de seda, triacetato, malha, algodão acetinado, entre
outros. Para essa coleção, foi adotada uma modelagem mais próxima ao corpo,
valorizando a sensualidade feminina.

Além de participar da primeira edição do NC, Luiz Cláudio também é conhecido


por ter um trabalho autoral e bem conceitual. Como bom exemplo, vale ser
citado um vestido confeccionado com restos de guarda-chuva e veludo (foto ao
lado), dando um aspecto chique e, ao mesmo tempo, transgressor.

Formado em Estilismo (UFMG), Luiz Cláudio já passou por marcas como IBZ,
Printing, K9, Ollium, Absinto, Faven, DTA, Maracujá e Santanense. Hoje, está à
frente da grife Apartamento 03, que tem quatro anos de mercado, ao lado do
sócio Leônidas Coelho. A respeito de sua trajetória, ele confirma que o talento
vem do berço. “Comecei a costurar com a minha mãe. Percebi que poderia
ser uma carreira”, recorda.
Cronologia

Rodrigo Moura
e Andrea Afi:
amizade fashion

Amigos de faculdade, colegas de backstage: assim se define a dupla Andrea


Afi, 35 anos, e Rodrigo Moura, 31 anos, vencedora do Novos Criadores de 2003.
Eles se conheceram no curso de Estilismo (UFMG) e, logo no início, tornaram-se
amigos e comparsas de criação. Esse entrosamento foi tão rápido que, ainda
no primeiro período, os dois aprendizes peitaram o desafio e participaram do
projeto. O prêmio só comprovou que o feeling da dupla estava certo, afinal,
quem não arrisca, não petisca.

Para o NC, Andrea e Rodrigo foram buscar referência no Oriente Médio,


mais especificamente, na mulher islâmica. “Nós pegamos essa premissa e
trabalhamos com a burca de uma maneira diferente. Todas as modelos usaram
esse item característico do islamismo, porém com um trabalho bem legal de
customização”, afirma a estilista. “Usamos muita cor flúor, formas leves e
fluidas para contrapor ao peso do tema”, complementa o parceiro.

Na passarela, calças, vestidos, saias e jaquetas com shapes amplos foram o


instrumento de questionamento dos jovens criadores. A dupla trabalhou
com malha, chiffon e fita de gorgurão na confecção das peças. “Nós quisemos
revelar o desejo e a subjetividade da mulher islâmica, que tem um interior
colorido, cheio de vida, mas, ao mesmo tempo, é reprimida pela cultura local.
Foi uma coleção baseada no desejo que ninguém vê”, revela a estilista.

Antes de cursar Estilismo, Andrea se formou em Publicidade e Propaganda, mas


não se encontrou na área. Sua trajetória com moda começou em 1998, quando
abriu a confecção Scolatto. Foi quando percebeu que levava jeito. Há sete anos,
atua como estilista da grife M. Rodarte, com foco no feminino.

Já Rodrigo diz que sua relação com o universo da moda começou na infância.
“Sempre gostei de desenhar. Além disso, minha mãe bordava muito e eu vivia
mexendo nos croquis dela”, lembra. Depois de passar pelas marcas M. Rodarte,
na qual foi estagiário de Andrea, Ollium, V. Camp, há dois anos, ele faz parte do
time de criação da mineira K9.
Cronologia

Cídio Randolfo
e Lívia Limp:
da sala de aula para a
passarela

Em 2003, o estudante de Letras pela UFMG, Cídio Randolfo, 40, se matriculou na


disciplina de História da Indumentária, a pedido de um professor. Lá, conheceu
a aluna de Estilismo, Lívia Limp, 50, e o primeiro contato foi o suficiente
para perceber que ambos tinham muito em comum. “Não demorou para nos
formarmos amigos e parceiros”, lembra Cídio.

A maior evidência do entrosamento é que, em 2004, os dois decidiram,


despretensiosamente, se inscrever no Novos Criadores. Mesmo com pouca
experiência, Cídio e Lívia desfilaram cinco looks da coleção inspirada em arte
rupestre e na deusa Mítica, “um arquétipo do feminino que remete à Pré-História”,
segundo a estilista. A sintonia funcionou não apenas entre ambos, mas também
para o corpo de jurados do NC, que elegeu a dupla como a primeira colocada da
edição. “O prêmio cobriu os gastos que nós tivemos na produção”, recorda Cídio.

Os looks foram confeccionados com tecido americano cru em tie dye, seda pura
e tinham trabalho de estamparia com desenhos de arte rupestre. Em 2007, os
dois novos talentos da moda mineira ingressaram novamente no projeto com a
coleção “Sofisticated lady”.

Além da formação em Letras, Cídio é graduado em Direito e cursou várias


disciplinas na Escola de Belas Artes da UFMG. O estilista participou de um projeto
de pesquisa da instituição que esbarrava na moda. A experiência com o
Novos Criadores lhe proporcionou a oportunidade de ver na prática todo esse
aprendizado teórico.

Já Lívia se formou em Estilismo (UFMG) e, atualmente, cursa Artes Plásticas na


Escola Guignard (UEMG). Mineira de BH, ela morou no Rio de Janeiro durante 20
anos, onde teve um brechó. De volta a Minas, a artista desenvolve, há 24 anos, um
trabalho de reciclagem de roupas que pode ser visto em livialimp.blogspot.com.
“Às vezes, eu pego a peça, desmancho e faço outra. Em outros casos, aproveito
a estrutura e faço apenas uma intervenção”, conta.
Cronologia

Faia de Castro:
com a cabeça na passarela
e o coração na infância

“Gosto de elegância com um toque de sensualidade”, opina Faia de Castro, que


hoje faz parte da equipe de estilo da mineira Mabel Magalhães. Antes da atual
grife, a estilista teve uma trajetória bem interessante, que a fez vencer a edição
de 2005 do Novos Criadores.

Formada em Design de Moda pela universidade Fumec, Faia participou do


projeto com seu Trabalho Final de Graduação (TFG). A coleção, intitulada “Angola
no coração”, foi inspirada no período que a estilista passou no país africano do
título. “Morei em Angola dos 6 aos 11 anos. Mudamos para lá porque minha mãe
teve que ajudar na instalação de um colégio em Luanda (capital). Isso me marcou
demais. Saímos de lá por causa da guerra”, recorda.

Para produzir as peças, Faia dividiu a coleção em três etapas: a fase infantil,
que tem um ar de encantamento; a cultural, com elementos artísticos locais,
como grafismos, cestarias, máscaras e o Pensador, uma figura representativa
da cultura angolana; e a da guerra, abordando questões como esperança e
liberdade. “A princípio, eram 16 looks para o meu TFG. No Novos Criadores, por
uma determinação do regulamento, desfilei cinco deles”, explica.

Nessa coleção, Faia trabalhou com uma mistura de seda, cetim estampado, ráfia
e complementou os looks com detalhes de ataduras tingidas, que remetiam à
atmosfera da guerra. “Quis misturar o luxo com o rústico”, ressalta.

Depois de participar do Novos Criadores, Faia desenvolveu o projeto “Raízes


africanas” com a ONG Humbiumbi - Arte, Cultura e Educação. Ela trabalhou as
influências de hábitos e costumes africanos no Brasil com jovens da entidade por
meio de processos de criação de estamparias, figurinos e oficinas de música com
canto e percussão. Essa iniciativa rendeu à ONG o terceiro lugar geral no prêmio
Cultura Viva promovido pelo Ministério da Cultura.

Além de estar na Mabel Magalhães há cinco anos, onde começou como estagiária
nos tempos de faculdade, a mineira está montando um ateliê de noivas e promete
novidades em breve.
Cronologia

Laura Andrade
e Lorena Andrade:
bailarina fashion

Vencedoras da edição de 2006 do Novos Criadores, as irmãs Laura e Lorena


têm na família o motivo da paixão pelo universo fashion. Desde pequenas, as
estilistas vivenciam o cotidiano do profissional da moda por causa da avó, que ficou
conhecida como uma das melhores “modistas” de João Monlevade, de onde elas
vêm, e da mãe, ex-proprietária do ateliê Mizzem na mesma cidade, focado em
roupas de festa. Depois de triunfarem no projeto, o duo lançou a grife própria LLAS,
que reúne as iniciais do nome e do sobrenome de ambas.

Nessa edição, a coleção foi batizada de “A ciranda da bailarina” e dividida em


três momentos - balé clássico, infância e treinamento, abordando a dança como
uma atividade esportiva. As estilistas apresentaram um desfile mais clássico
com peças trabalhadas em brocado, renda, musseline de seda, microtule e
organza. E o resultado não foi outro: o time de jurados ficou encantado com as
criações desfiladas e as irmãs, que acabavam de entrar no mercado, ficaram
com o primeiro lugar.

Laura Andrade, 32 anos, é formada em Arquitetura e Urbanismo e Estilismo,


ambos pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Desde 2001, está
envolvida até a alma com estilo e seu trabalho é conhecido por nomes como
Renato Loureiro, Tereza Santos e Condotti. “Minha paixão por moda vem desde
muito novinha. Eu me lembro que as bonecas eram meu laboratório predileto,
pois elas sempre ganhavam roupa e casa novas”, diverte-se.

Já Lorena Andrade, 26 anos, tem formação em Design de Moda pela Fumec.


Logo no início, chegou a estagiar na Ollium, sob a batuta de Luiz Cláudio Silva,
além de ter feito parte da equipe de Tereza Santos, como a irmã. “Assim que
me formei, participei do Novos Criadores. Achei emocionante ter ganhado
o concurso, pois várias portas foram abertas a partir de então”, comemora.
A jovem estilista ainda enfatiza que a ideia para o primeiro desfile pintou a partir
de seu Trabalho Final de Graduação (TFG).
Cronologia

Laura Andrade
e Lorena Andrade:
dupla conquista

Em 2007, o Novos Criadores adota um formato diferente! Ao invés dos


tradicionais estudantes e calouros de moda, o projeto convida os ganhadores
das edições anteriores para participar. Os estilistas, já conhecidos pelo júri
e público, recebem, então, a missão de criar coleções inspiradas no tema
"Sustentabilidade", que tem sido uma discussão frequente no universo fashion.

Laura e Lorena abraçaram o tema, mas pensaram em algo surpreendente e


ousado. As irmãs desfilaram três looks inusitados: dois vestidos produzidos
com negativo de fotografia analógica e bexiga, respectivamente, e um tricô de
fita K7. Novamente, a banca seletiva se encantou com os trabalhos das irmãs,
que saíram do evento superorgulhosas pela dupla conquista. É claro que as
estilistas, além de surpresas, ficaram honradas com a premiação consecutiva.

De acordo com a idealizadora e produtora executiva do Novos Criadores,


Zoka Vassalo, a edição de 2007 se diferenciou das demais e trouxe novos
elementos para o projeto. “Por termos adotado uma proposta diferente, em
2007, optamos por convidar os vencedores dos outros anos, que se encantaram
com a possibilidade de participar novamente”, afirma.

Depois de tanto tempo, os meninos se aprimoraram? “Claro!”, responde Zoka.


“Afinal, todos passaram por um processo muito bacana de amadurecimento
da primeira participação à edição de 2007”. A idealizadora e produtora ainda
comenta sobre a reação de Laura e Lorena ao receber o primeiro lugar pelo
segundo ano consecutivo. “Foi surpreendente. Elas não acreditavam. Dava para
ver a emoção do rosto das duas: ficaram em estado de choque”, brinca.
Cronologia

Raphael Ribeiro:
urbano e despretensioso

Das ruas para a passarela e vice-versa. Assim pode ser definido o trabalho
do estilista Raphael Ribeiro, 25 anos, uma das mais jovens promessas da
moda mineira. O calouro tem mais tempo de mercado do que de graduação,
digamos assim, pois acaba de se formar em Design de Moda pelo UniBH.
Entretanto, em 2008, arriscou um palpite e se inscreveu no projeto Novos
Criadores. Não deu em outra: sua coleção conquistou o crivo dos jurados, que
o elegeu por unanimidade o primeiro colocado.

“Quando entrei na faculdade, em 2006, eu queria ser designer de produtos.


Depois, pensei em trabalhar como fotógrafo de moda. O Novos Criadores me
despertou o interesse pelo estilismo”, afirma Raphael, que adota um visual street
com alargadores, tattoos e um look bem moderno.

Para a coleção apresentada no Novos Criadores, o estilista escolheu


como tema a Sustentabilidade, a bola da vez na indústria da moda.
Ele quis fugir do lugar comum quando o assunto é “ecologicamente correto”
e escolheu trabalhar com sacos de lixo e sacolas plásticas. A matéria-prima
passou por um processo de emulagem, tomando outras características.

“Eu decidi aquecer o plástico como uma experimentação até ficar com uma
nova textura e um brilho diferente”, explica. Detalhe: Raphael não usou agulha
ou linha na confecção dos três looks que foram para a passarela. “Foi apenas a
combinação da emulagem com aplicação de cola quente. Minha intenção foi dar
uma cara de escultura para a roupa”, afirma o designer, que define esse processo
como costura plastificada.

Mesmo tendo desfilado looks femininos no Novos Criadores, atualmente,


Raphael Ribeiro atua com foco no masculino. “Minha roupa tem uma pegada
mais urbana”, diz. Além de ter sido ganhador do NC, já participou do Projeto
Box, quando fez parte do Minas Trend Preview, e, hoje, integra a equipe do
Supernova, uma iniciativa também direcionada aos novos talentos.
Saiba mais: raphaelribeiro.com.
Cronologia
Daniel Escobar
e Aderlize Martins:
o amor é criativo

Para quem acredita que pessoal e profissional não podem caminhar juntos,
o casal Aderlize Martins e Daniel Escobar está aí para provar o contrário.
Vencedores do Novos Criadores 2009, os dois gaúchos se conheceram há oito
anos na cidade de Entre-Ijuís (RS), onde ela foi proprietária de uma loja multi-
marcas que proporcionou seu primeiro contato com o segmento de moda.
Desde então, não pararam de criar e fazer projetos juntos.

Em 2008, Escobar, que é artista plástico, mudou-se para Belo Horizonte quando
recebeu bolsa de residência artística do Museu de Arte da Pampulha (MAP).
Aderlize acompanhou o namorado na nova etapa profissional e, como já tinha
uma paixão de longa data pelo universo fashion, decidiu fazer vestibular para o
curso de Estilismo da UFMG. Ela não apenas ingressou nesse ano, como também
mostrou que não veio para Belo Horizonte a passeio.

Já em 2008, a dupla esteve entre os finalistas de diversos concursos de moda,


como o EM-à-Porter (Jornal Estado de Minas), Grife do Griffe (Griffe Show) e,
inclusive, o Novos Criadores. Mas foi em 2009 que Daniel e Aderlize conquistaram
o júri do NC com a coleção “Simples e Composto”. “Foi um ano marcado pela
crise econômica internacional e o próprio concurso propôs o conceito "Simple
Life" como tema. Foi um contexto muito interessante para o desenvolvimento
de uma linguagem de moda em que conforto e praticidade tornam-se itens de
série, permitindo um design simultaneamente conceitual e funcional”, explica o
artista plástico.

Ao todo, três looks foram desfilados. A coleção trazia “ícones do conforto”, nas
palavras dos estilistas, como a camiseta, o casaco de moletom ou a regata, que
serviram como base para a elaboração de modelagens experimentais. Malharia,
acabamentos esportivos, tons de cinza e shapes amplos marcaram a coleção.
“Nossas roupas prezam pelo conforto e têm uma pegada mais urbana”, afirma a
estilista. Destaque para uma calça saruel feita com uma blusa de moletom. “Foi
um giro de 90°”, brincam.

E não para por aí! Em 2011, a dupla lança a marca Sampler, que desfila sua
primeira coleção no 13° Prêmio Rio Moda Hype (RJ), integrante do Fashion Rio.
“Com certeza, o Novos Criadores teve uma importância fundamental para o
lançamento da nossa marca. O concurso possibilitou o contato com diferentes
empresas e profissionais que passaram a acompanhar, apoiar ou patrocinar
nossos projetos”, afirma Daniel.
Novos Criadores 2010

Juliana Cruz

Bruna Abreu
Coleção: Claire-voie Coleção: Somos água, vida!

A transparência da água inspira a Uma denúncia sobre a matança


coleção “Claire-voie” (em francês, clara- indiscriminada de baleias: assim pode
bóia), que também busca referência ser definido o tema da coleção dessa
em manifestações naturais como aluna de Design de Moda pela Fumec.
cascatas, ondas, icebergs e gêiseres. Ao todo, são três vestidos que vêm em
Os looks intercalam tecidos naturais e tecidos como algodão, seda, musseline,
sintéticos e contam com trabalhos de malha brilhante e cetim. A estudante
renda, bordados, feltragem e crochê. deu preferência a tons variados de
A cartela de cores vai do marrom ao azul, cores, como branco, azul e prata, com
passando pelo prata e pelo branco. detalhes em vermelho.
Ana Luiza Ferreira e Raquel Souza
Junio Ramos dos Reis

Coleção: Guerreiras de Atlântida Coleção: Lanterna mágica

Com dez anos de atuação no mercado O poema “Lagoa”, de Carlos Drummond


de moda, esse jovem talento desenvolve de Andrade, inspira a dupla que usou
uma coleção inspirada na fictícia terra e abusou das várias tonalidades de
de Atlântida. Ao invés de cores claras, ele cores para essa coleção. Na confecção,
optou por tons mais escuros. Detalhes elas trabalham principalmente com
de escamas nos vestidos e ombreiras organza, enquanto, para a modelagem,
imitando barbatanas compõem a roupas estruturadas e com bastante
referência do universo marítimo nos movimento dão o tom das criações.
looks para o projeto.
Zilanda das Graças Barroso
Domitila de Paulo Pacheco

Bruno Soarelli
Coleção: Água viva Coleção: O mar virou sertão Coleção: Canto da sereia

Aluna de Design de Moda pela Fumec, Para essa coleção, o artista plástico “Doses de sofisticação, ousadia,
Domitila equipara a água à beleza de um criou o personagem Zé Peixe que reside feminilidade e fantasia”. Assim a
ser vivo, com uma visão mais otimista numa vila litorânea, cujo mar deu lugar estilista, formada em Design de Moda
sobre o destino desse elemento da a um árido sertão. A partir dessa singela pelo UniBH, define o trabalho finalista.
natureza. A coleção se divide em três fábula, o finalista trabalhou com mesclas Roupas que valorizam a sensualidade
momentos - nascimento, transformação de cetim e couro com conchas, pérolas feminina ditam a coleção, contando
e estiagem. A modelagem bebeu na fonte e areia, além de aplicação de silicone com detalhes como brilhos e acetinados
dos movimentos do animal água-viva, nas peças. A coleção foi confeccionada em vestidos que lançam mão de
dando movimento e fluidez aos looks. em três tons diferenciados de azul. sobreposições e transparências.
Rafaela Luiza Gonçalves Prata

Lisia Maria e Juliana Ribeiro

Alzira Calhau

Coleção: Água viva Coleção: Sólido, líquido e gasoso Coleção: Ela mora no mar
três estados da roupa
A coleção capta os movimentos leves e A dupla se inspirou na imensidão de Iemanjá, um dos orixás mais famosos do
graciosos das águas-vivas em harmonia possibilidade que água oferece como candomblé, é a referência para a coleção
com as cores e estruturas dos corais”, elemento da natureza. No momento que a designer de moda apresenta.
define a estilista formada em Estilismo “sólido”, a modelagem prioriza linhas “Trata-se de uma homenagem à deusa
(UFMG). Os looks foram confeccionados retas e formas geométricas. Já no que vive entre espelhos, pérolas e
com tecidos simples, como musseline, “líquido” e no “gasoso”, é a fluidez que oferendas e, ao mesmo tempo, alerta
crepe romano e lycra, prevalecendo o toma conta. A leveza gerada pelo mix de sobre a poluição dos oceanos”, aponta.
tom de branco nas criações. O destaque cores suaves, como azul, branco e cinza, Os looks foram confeccionados com
é a estamparia, toda feita à mão com vão de encontro com acessórios nos garrafa PET, jornal, celofane, rede de
riqueza de detalhes e cores. tons de laranja, vermelho e amarelo. pesca, grude e pó de carvão.
Vencedor
Juliana Cruz:
Uma visão abstrata sobre a água

Aos 26 anos, a estudante de Design de Moda (UFMG) e desenhista industrial


(UEMG), Juliana Cruz, é a mais recente aposta do Novos Criadores. A estilista
participou do projeto com a coleção Claire-voie, que possui dois sentidos para
compreensão. Literalmente, quer dizer clarabóia, ou seja, uma abertura para
passagem de luz. Já para os franceses, esse termo expressa a visão através
de uma trama.

Alinhada com o tema deste ano, Juliana também buscou referência em


expressões naturais da água, como cascatas, ondas, icebergs e gêiseres.
Essa combinação foi apresentada por meio de três looks, que cativaram o corpo
de jurados e fizeram dela a escolhida para estrelar uma página na Elle Brasil.

Na passarela, a jovem criadora apresentou uma coleção inspirada na riqueza e


transparência do elemento-tema. “Quis fazer peças que valorizam os detalhes
artesanais. Além disso, optei por uma modelagem mais clean”, afirma. Juliana
intercalou matérias-primas naturais (lã de ovelha, gazard, cetim, georgete e
chiffon de seda) e sintéticas (tule de poliamida e shantung de acetato).

A estilista aplicou técnicas manuais nos modelos, como rendas, bordados e


feltragem. “Desde pequena, sempre vejo moda em aspectos e elementos do
artesanato”, aponta a mineira. A cartela de cores escolhida vai do marrom ao
azul, passando por tons de verde, cinza, prata e branco.

O primeiro look representa uma cascata e conta com dois vestidos sobrepostos:
um marrom remete à terra e às rochas, sob outro azul, crochetado e jateado
com silicone que gera uma sensação de água corrente. Já o segundo modelo
inspirado nos gêiseres (fontes de água termal), é uma calça de chiffon sob
um vestido trabalhado minuciosamente com o auxílio de tule, fios de metal,
pérolas naturais, cristais e contas de vidro. O terceiro trouxe um vestido de seda
pura no tom azul acinzentado e um bolero maior com estrutura de espuma e
forrado com tecido.

A respeito da moda na sua vida, ela diz que se deu de uma maneira muito
natural. “Sempre gostei de costurar. Aos 10 anos, meu pai me deu uma máquina
de costura de presente de aniversário. Isso foi decisivo no meu aprendizado.
Inclusive, funciona até hoje”, recorda. Diferente de muitas meninas afeitas
por estilo, Juliana nunca gastou muito tempo fazendo roupas para bonecas.
“Sempre gostei de vestir gente grande”. Mais adiante, a estilista deseja inaugurar
marca própria, na qual pretende desenvolver um trabalho autoral.
Que venha o futuro!
Mosaico

Minas Fashion Acqua:


mosaico social
Moda, tendências para a estação Primavera/Verão 2011, sustentabilidade,
criatividade e muito talento. Nos dois dias do Minas Fashion Acqua, a diversidade
tomou conta de um dos mais belos cartões postais de Belo Horizonte, o
Pampulha Iate Clube, (PIC), localizado à orla da tradicional lagoa mineira, famosa
pelos projetos do arquiteto Oscar Niemeyer.

O público pôde conhecer, diretamente das lojas do mall, looks que estarão nas
ruas e vitrines no próximo verão, e o tema "Água", não poderia ser mais atual.
Riqueza natural cada vez mais valorizada e alvo de discussões por todo o
planeta, o tema transformou a passarela do Minas Fashion em um mix de moda
e responsabilidade social.

Para a gerente de Marketing do shopping, Lucy Jardim, a moda tem um forte


apelo com o público e a mídia, o que é essencial para dar destaque ao tema.
"Percebo que o estado de Minas Gerais está muito à frente em qualquer
discussão sobre sustentabilidade. O Minas Shopping, ao incorporar a moda,
referência de atitude, à preservação e conservação do meio ambiente, acertou
em cheio. São medidas como esta que nos ajudam a expandir a consciência
ecológica. É um convite à reflexão", afirma.

O Minas Fashion Acqua também foi palco de uma grande festa: a 10 a edição do
Minas Lança Novos Criadores, um concurso voltado para acadêmicos de Design
de Moda. Dez concorrentes pré-selecionados desfilaram suas criações, que
também seguiram a temática Água. Os estreantes encantaram a platéia com
coleções coloridas, fluidas e repletas de criatividade.

Bruno Nunes, Lycy Jardim e Messias Mattos Zoka Vassalo


A grande vencedora da noite foi
Juliana Cruz, com sua coleção
“Claire-Voie”. A estudante foi eleita
por jurados reconhecidos no universo
da moda nacional. O cenógrafo Raul
Belém Machado, a jornalista Heloísa
Aline, as consultoras Natalie Oliffson
e Lilia Gouveia, o produtor Alexander
Dario, foram alguns dos que
ajudaram a classificar os trabalhos
apresentados. Detalhe importante: a
criação da vencedora estampará, em
breve, as páginas da revista Elle, uma
das mais importantes publicações do
segmento.

O sucesso do Minas Fashion Acqua e o


concurso Novos Criadores posiciona
Minas Gerais no calendário da moda
nacional, firmando a notoriedade e
crescimento do Estado nos setores
“Incrível assistir aos desfiles com a temática “Água” e conferir de
têxtil, cultural, econômico e de perto a beleza da Lagoa da Pampulha.”
entretenimento. Veja quem passou
Max Fercondini, ator e apresentador do programa Globo Ecologia,
pelo PIC nesses dois dias de evento! que atuou como modelo exclusivo no evento.

Lívia Limp Renato Loureiro e Lucy Jardim Paulo André


Lilia Gouveia, Raul Belém
Machado e Ney Roblis

Messias Mattos Júnior e


Rodrigo Fraga

Waldenia Alvarenga e Roberto


Domingues

Laura Andrade e Lorena Andrade

Daniel Escobar e Aderlize Martins


realização AD Shopping | Minas Shopping . gerente geral Messias Mattos Júnior
gerente de marketing Lucy Jardim . coordenação geral e direção de arte Rick
Cavalcante - Imago Design e Moda . projeto gráfico Amanda MOURA - Imago
Design e Moda . jornalista responsável BrunA MIRANDA 12055/MG . fotos
conceito Daniela Nogueira . modelos BRUNA RABELO | CAROL DUTRA | ELLEN
MENDES | GABRIELA ALAN | GABRIELA TERERNZI | ISABELLA SILVÉRIO | LARISSA |
SHERILYN - WHY MODELS . make-up BRUNO CÂNDIDO - ABA MGT SP . assistente
LEO ALMEIDA revisão Bruna MIRANDA . fotos finalistas 2010 FÁBIO ORTOLAN |
agradecimento Studio TMLS | Arezzo | Cláudia marisguia