Você está na página 1de 5

Vocalizes no treino Funcional da voz por Manu Cavalaro

Fisiologia vocal Básica


Os três pilares da voz:
1. Respiração- combustível
2. Fonação- fonte
3. Ressonância- trato vocal

Objetivos do treinamento vocal


 Passagens vocais imperceptíveis
 Adução (fechamento), alongamento e compressão (firmamento)
adequado das pregas vocais
 Flexibilidade, afinação e dinâmica
 Laringe relaxada
 Liberdade de expressão
Problemas comuns no canto
 Passagens irregulares com quebra ou excesso de tensão nas transições
 Falta de adução, som falseado, excessivamente soproso, ou com volume
limitado
 Excesso de alongamento e falta de adução o que gera uma afinação alta,
som médio tendendo ao irritante com limitação de dinâmica.
 Excesso de firmamento (voz tensa), afinação baixa, pouca flexibilidade,
som muito forte, quebra súbita, travamento nas regiões agudas.
 Posições extremas da laringe, som muito impostado e sem brilho (laringe
baixa), som apertado ou infantil (laringe alta)
 Constrições de laringe e filtro
 Hipertensão ou hipotensão da língua
 Nasalidade
Modos de fonação
Os modos de fonação foram sendo aperfeiçoados ao longo dos anos de estudos
e ficaram famosos na ciência vocal com o trabalho do professor e foneticista
sueco Dr.Johan Sundberg. O austríaco, Christian Herbst, cantor e pesquisador
dos modos de fonação investigou ao longo dos anos diferentes emissões vocais
e fotografou a laringe nos diferentes modos.
Em suas pesquisas, ele encontrou 2 tipos diferentes de adução, a quais chamou
de Adução Membranosa e de Adução Cartilaginosa.
Basicamente, na adução membranosa, quem se aproxima é a parte da
membrana da prega vocal, onde tem a mucosa que vibra, enquanto na adução
cartilaginosa aproximam-se as cartilagens aritenóides, fechando a parte
posterior. Podemos deduzir que na primeira existe a ação do TA interno
aumentando a borda das pregas vocais, e na segunda existe a ação dos
interaritenóideos aproximando as cartilagens. E de acordo com estes padrões
de vibração e fechamento das pregas vocais e suas gradações chegamos no
seguinte esquema:
No treino funcional da voz os vocalizes funcionarão como
ferramentas para corrigir tendências e desenvolver habilidades da
voz. Sob esta ótica é importante observar como acontece a
relação fonte x filtro na produção da voz: modos de fonação,
posição da laringe, constrições, e configurações do trato vocal, e
a partir disso, criamos uma ferramenta funcional para o
desenvolvimento da voz.
Estratégias de treinamento
As vogais alteram as configurações do trato vocal: posição da laringe e
espaço do trato vocal, e deste modo, a vogal pode ser uma ferramenta
facilitadora no treinamento.

Vogais:

Vogais fechadas tendem a funcionar como exercícios de trato vocal semi-


ocluído (ETVSO) e por isso são facilitadoras do alongamento das pregas
vocais, podem ser uma ferramenta funcional para acessar as notas agudas
em vozes tensas.
Vogais abertas incentivam a adução das pregas vocais e podem ser uma
ferramenta funcional para vozes mais leves.
A vogal  por ser uma vogal central tende a ser uma ferramenta moderada e
pode ser uma ferramenta funcional no treinamento de todos os tipos de
vozes.
Consoantes:

FRICATIVAS MODERADAS DURAS/PLOSIVAS


f, s, x, j, z m, n, nh, lh g, k, c, p, b, t, d
Aumento do fluxo Regula fluxo aéreo Diminui fluxo aéreo
aéreo
Reduzem adução Equilibra adução Aumenta adução
Alivia resistência PV Melhora resistência Estimula resistência
PV PV
Facilita alongamento Regula contração e Facilita o
PV alonga PV encurtamento e
contração PV
Escalas, arpejos e graus conjuntos:

ASCENDENTES DESCENDENTES
Mantém resistência Mantém alongamento

CURTOS EM LONGOS EM COM REPETIÇÃO DE


EXTENSÃO EXTENSÃO NOTA
Mais desafiador Mais fáceis
Mais foco Mais dispersos Raio laser no
problema
Resolve problemas Descobrir e expandir Fixa a coordenação
específicos extensão vocal
Estimula precisão e Estimula Fixa a coordenação
resistência

Outras estratégias:

Sons estranhos
Aumento de velocidade
Movimentos e gestos

Expansão do trato vocal:

Som do bocejo
Som do bobo “uâ”
Vogais centrais
Inspiração forçada
Inspiração profunda pelo nariz com a boca fechada
ETVSO- vibração de lábio, vogais fechadas
Vogais centrais + consoantes plosivas (B, P)

Sugestões bibliográficas:
ROUBEAU, Bernard et al. Laryngeal vibratory mechanisms: the notion of vocal
register revisited. IN: Journal of Voice, 2009.
SUNDBERG, Johan. A ciência da voz: fatos sobre a voz na fala e no canto.
São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2015.
TITZE, Ingo; Abbot V. Khaterine. Vocology: the science and practice of voice
habilitation. Compton Publishing Limited, 2015.