Você está na página 1de 4

IGREJA CRISTÃ MARANATA

Comissão de Louvor Distrito Federal

aula de
pratica vocal
09.07.2016-Maanaim/df

louvor.icm.org.br
Seminário de Louvor - 09 de julho de 2016

"Cantai-lhe um cântico novo; tocai bem e com júbilo."


Salmos 33:3
Os integrantes de grupos de louvor possuem um papel fundamental na Obra de
Deus: zelar pelo louvor. Isso se dá pela dedicação dos cantores para que a arte e o júbilo
sejam evidentes.

I. FISIOLOGIA DA VOZ Articulação

Ressonância
A fisiologia da voz, estuda o Fonação
funcionamento de três aparelhos que
compõem essa estrutura orgânica: o
Respiração
aparelho respiratório, o aparelho fonador e
aparelho ressonador.

Aparelho Respiratório Ÿ Onde o ar se transforma em som pela


Ÿ Narinas, Fossas Nasais, Faringe, modificação.
Glote, Laringe, Traquéia e Pulmões;
Ÿ Fonte de força para vibração das
Aparelho Ressonador
Ÿ Caixa de ressonância inferior (faringe,
pregas vocais através da corrente de
traquéia, brônquios e pulmões) e
ar. superior (cavidades bucais e cavidades
da face);
Aparelho Fonador Ÿ Onde se dá qualidade e amplitude ao
Ÿ Pregas vocais e Articuladores; som.

II. RESPIRAÇÃO
Inspiração
abdominal
intercostal A voz é o som produzido pelas pregas
vocais durante a expiração. A passagem de
ar é responsável pela vibração das pregas
vocais. Sem ar não há som.
Inspiração
clavicular A inspiração (entrada de ar nos
prejudicial
pulmões) deverá ser sempre nasal,
abdominal e intercostal, sendo assim, o
levantamento dos ombros e tórax é
ERRADO - Levantando os ombros incorreto.
Aula de Prática Vocal

Para controlar a coluna de ar na inspiração e na expiração usa-se o apoio


diafragmático.
Na inspiração o diafragma desce formando uma pequena saliência no abdômen.
Já na expiração, eleva-se o diafragma para pressionar a coluna de ar e durante a
emissão de som o cantor deve fazer uma leve pressão abdominal.
O uso correto do diagrama é fundamental pois, caso contrário, a garganta assume
a função de apoio dificultando a boa emissão e aumentando o esforço.

III. IMPOSTAÇÃO

A impostação vocal, também chamada de vocalização, busca educar o ouvido e


trabalha as pregas vocais para que sejam exploradas as qualidades vocais.
A prática da vocalização se dá por meio de exercícios vocais (vocalizes), que são
feitos com intervalos musicais dispostos melodicamente (uma nota após a outra)
acrescidos da correta articulação de vogais e consoantes.
O estudo contínuo da técnica vocal através dos vocalizes pode melhorar a
emissão, beleza do timbre, tessitura, intensidade, ritmo e afinação.

Q Q Q
Q
Q
"Voz de cabeça" Q
Q
Q
Q
Q
Q
q
qq
&
q q qq
q q

(Pontos de ressonância do registro grave ao agudo)


Seminário de Louvor - 09 de julho de 2016

IV. AFINAÇÃO

A afinação se desenvolve pelo ouvir. O som é vibração de ondas sonoras, e essa


vibração possui uma frequência que é medida em hertz.
Logo, afinar é reproduzir a mesma frequência do som de referência. Exemplo:
atingir a frequência de 440 Hz ditada por um diapasão que soa a nota lá.
Portanto, diz-se que o cantor é afinado quanto atinge corretamente as alturas
propostas.

V. EXTENSÃO E TESSITURA

Extensão se relaciona aos limites de som emitidos por uma voz, que de forma
geral atinge duas oitavas em adultos.
Tessitura é o conjunto de notas onde o cantor emite a voz com certa
homogeneidade (soprano, contralto, tenor, baixo).

soprano
meio-soprano
contralto
tenor
barítono
baixo

C⁰ D⁰ E⁰ F⁰ G⁰ A⁰ B⁰ C¹ D¹ E¹ F¹ G¹ A¹ B¹ C² D² E² F² G² A² B² C³ D³ E³ F³ G³ A³ B³ C⁴ D⁴ E⁴ F⁴ G⁴ A⁴ B⁴

110 Hz 220 Hz 440 Hz 880 Hz