Você está na página 1de 2

PEN5003 – Uso Finais e Demanda de Energia

Yan Felipe de Oliveira Cavalcante NUSP: 10682696

JUDSON, O. P. The energy expansions of evolution. Nature, Ecology


and Evolution, vol. 1, n. 138, p. 1-9, 2017.

Olivia P. Judson, nasceu no ano de 1970, bióloga evolucionista, e


escritora. Realizou seu doutorado na Universidade de Oxford, em 1994, com a
tese “Parasites, sex and genetic variation in a model metapopulation”. Atuou na
Universidade Livre de Berlin, no departamento de biologia, na Faculdade Imperial
de Londres, no departamento de ciência da vida, e no Instituto de biodiversidade,
saúde animal e medicina comparada da Universidade de Glasgow.

Judson (2017) discorre sobre como se deu origem a vida no planeta terra,
colocando como responsável para isso cinco fontes de energias fundamentais, a
energia geoquímica, a energia solar, oxigênio, carne e o fogo. Que com esses
recursos básicos, a vida evoluiu ate o ser complexo que somos atualmente, pois
elas afetam o ser individual e o seu meio.

Inicialmente o planeta havia apenas energia geoquímica, provinda da ação


das águas nas rochas, realizando processos químicos, como a oxidação dos
elementos. E o aproveitamento da energia do sol, a luz e o calor liberado pela
estrela anã de nosso sistema. Com isso iniciou-se seres organismos simples, e
com baixa complexidade, e os vírus, que foram impulsionadores na evolução e
desenvolvimento desses organismos.

Esses organismos começaram a obter energia através do sol, por meio de


fotossíntese, e por consequência liberar oxigênio, causando assim uma grande
expansão e evolução da vida, pois a luz solar é abundante, gerando oxigênio em
excesso, tornando-o como fonte de energia para a os organismos.

Com o desenvolvimento dos organismos, e a necessidade de consumir


outras formas de energia, deu-se inicio a época de obtenção de energia através
do consumo de carne. Com o aumento de predadores, rapidamente começou-se a
ter uma grande diversificação de espécies. A geração de dejetos, como fezes, é a
fonte de energia para outro grupo de organismos, que cresceu de acordo com o
crescimento das espécies. Os animais escavadores também contribuíram, pois, o
ato de escavar, ajuda na aeração do solo e na mistura de composto, que é a fonte
de energia de plantas.

De todos os planetas do sistema solar, a terra é a única que tem energia


em forma de fogo. O fogo ajuda na aceleração de processos químicos. E por do
domínio do fogo, o homem começou a se desenvolver de maneira mais rápida,
para o cozimento de alimentos, afastar predadores, aquecimento, e fabricação de
ferramentas.

“The energy expansions of evolution” finaliza que o aumento da


biodiversidade existente foi por conta do aumento do número e variedade de
fontes de consumo de energia, e que é muito dependente, sendo que qualquer
falta dessas fontes acarretaria em um grande desastre. Assim Judson conclui
sobre a importância de uma mentalidade mais sustentável, pois existe um grande
consumo de metais, que não são repostos (energia geoquímica), aumento na
liberação de dióxido de carbono (CO 2), que causa o aumento da temperatura
terrestre (energia solar) e menor concentração de oxigênio (O 2), afetando a vida
na terra de maneira grandiosa.

Por Olivia P. Judson ser uma bióloga, "The energy expansions of


evolution" (2017) apresenta de uma maneira diferente e interessante o princípio da
vida no planeta Terra, e os principais elementos para a criação dessa. O tema é
aprofundado em conceitos biológicos, explicando o surgimento desde o ser mais
simples ao ser humano e a importância das formas de energia e como elas
interagiram com cada fase da evolução. Um ótimo material para ser um ponto de
partida para desenvolver mais no assunto, mas possui uma linguagem que
necessita de conhecimentos prévios de biologia, não recomendado para quem
está iniciando no tema.